III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4281
Código do Autor Principal:3532
Nome do Autor Principal: SANDRA NYEDJA DE LACERDA MATOS
Autores:
SANDRA NYEDJA DE LACERDA MATOS
CICERA MARIA PEREIRA DE SOUSA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-100
Onde o trabalho foi realizado? CRATO - CE
Titulo:
INTEGRAÇÃO ENTRE EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA E AS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE
Resumo:
A estratégia saúde da família é um modelo de atenção à saúde que se propõe a integrar promoção, prevenção, cura
e reabilitação. Inserido nesse contexto está a prática da educação em saúde, e percebe-se que a promoção da saúde é
concretizada a partir de processos educativos. No entanto, isto requer profissionais capazes de mediar a transformação
do indivíduo, tornando-o sujeito ativo e autônomo do processo saúde/doença, seu e da comunidade onde está inserido.
Existem setores como a Igreja e algumas escolas que favorecem as ações educativas; mas, até que ponto estão
disponíveis para trabalhar em conjunto com o PSF? Este estudo tem como objetivo compreender a
integração/articulação das equipes de saúde da família e demais setores da comunidade diante de práticas educativas.
A pesquisa qualitativa, pautada na observação e análise de questionários realizados por profissionais de saúde e da
educação. Observou-se pouca disponibilidade dos profissionais ou falta de habilidade para executar as práticas
educativas. A assistência à saúde baseada em ações curativas e o trabalho educativo individual são prevalentes em
relação aos trabalhos desenvolvidos em equipe. A atividade educativa não é vista como de grande relevância para
suprir as necessidades da clientela. A interdisciplinaridade existe, apesar de alguns problemas burocráticos. Há várias
dificuldades que circundam esta integração, desde a falta de habilidade/interesse profissional, até a própria cultura da
comunidade, que contribui para o aumento da demanda em busca de uma consulta, um remédio, ou seja, um resultado
imediato. A integração entre os membros da ESF e destes com os demais educadores, através de reuniões mensais
com seus representantes, poderia facilitar este trabalho, visto que a prática na maior parte é desenvolvida pelo
enfermeiro e todas as cobranças e responsabilidades desse processo lhes são atribuídas.
Observação:
Palavras-chave: Educação em Saúde; Estratégia Saúde da Família; Integração.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4282
Código do Autor Principal:3533
Nome do Autor Principal: RÓGERSON PORELI MOURA BUENO
Autores:
RÓGERSON PORELI MOURA BUENO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-072
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
INSERÇÃO DE UMA EQUIPE DE SAÚDE BUCAL (ESB) EM LONDRINA PR - RELATO DE EXPERIÊNCIA
Resumo:
A Estratégia Saúde da Família (ESF) tem sido uma proposta de reorganização da Atenção Básica (AB). Sob esta
ótica a Residência Multiprofissional em Saúde da Família (RMSF) passa a ter uma importante contribuição para a
melhoria das práticas nos serviços de saúde, pois forma profissionais qualificados para atuar na AB na lógica da Saúde
da Família. O objetivo deste trabalho é relatar o início das atividades de um odontólogo participante da RMSF durante a
inserção de uma ESB em uma Unidade de Saúde da Família (USF) de Londrina, bem como a territorialização realizada
para este fim. A RMSF iniciou suas atividades na cidade de Londrina em 2007 contemplando as seguintes áreas do
conhecimento: Enfermagem, Educação Física, Odontologia, Psicologia, Fisioterapia e Serviço Social. A USF em que o
residente está não possuía ESB, somente o atendimento de 0 a 21 anos e gestantes. Assim, a primeira tarefa realizada
foi a territorialização das três áreas de abrangência. Para isso, visitas domiciliares foram realizadas segundo critérios
de risco baseados na ficha A. Utilizou-se também dados do SIAB, do IBGE, percepções dos ACSs e do próprio
residente. Após análise dos dados estabeleceu-se que a organização da demanda odontológica seria por meio de
visitas domiciliares para avaliação das famílias no que diz respeito aos seguintes riscos: risco social, risco sistêmico,
risco bucal e grau de interesse no atendimento. O residente ficou responsável pelas três áreas de abrangência da USF,
dando maior atenção para a área B, por ser esta uma área com maior risco social e com bolsões de pobreza. A área de
abrangência da USF possui uma população aproximada de 12 000 pessoas, abrangendo 12 bairros, sendo 52% da
população do sexo feminino e 48% do sexo masculino. A prevalência de diabetes é de aproximadamente 3% da
população e a de hipertensão arterial, de 10%. Durante o primeiro ano de atuação do residente constatou-se que 55%
da população atendida pertencia a área B, 25% a área A e 20% a área C. Houve uma maior prevalência de
procedimentos curativos em detrimento dos preventivos. Exodontia foi um dos procedimentos mais realizados para a
adequação do meio bucal, somando-se aproximadamente 450 dentes extraídos até o momento. Uma das dificuldades
encontradas pelo residente foi a constante falta de recursos materiais e a grande demanda reprimida representada
pelas três áreas de abrangência pelas quais o residente ficou responsável (60% da população possui mais de 21 anos
e por isso não possuía acesso ao atendimento odontológico, excetuando-se as gestantes). Ressalta-se a importância
da territorialização, do conhecimento do perfil epidemiológico da população, do planejamento criterioso e da utilização
de critérios de risco para organização da demanda das práticas odontológicas sob a ótica da Saúde da Família quando
da inserção de uma ESB.
Observação:
O autor é dentista R2 da Residência Multiprofissional em Saúde da Família pela Universidade Estadual de Londrina
(UEL).
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4285
Código do Autor Principal:3535
Nome do Autor Principal: SEVERINA EDULIVIA DIAS
Autores:
SEVRINA EDULÍVIA DIAS
MARIA GENILDA LEAL DE ALBUQUERQUE
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-051
Onde o trabalho foi realizado? CANGUARETAMA - RN
Titulo:
AVALIAÇÃO DO USO DE MULTIMISTURA EM UM GRUPO DE CRIANÇAS DESNUTRIDAS DA COMUNIDADE DE
AREIA BRANCA
Resumo:
Trata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem quanti-qualitativa com a finalidade de realizar
avaliação do estudo nutricional de um grupo de crianças em uso de multimistura, objetivando suprir as carências
nutricionais/alimentares desse grupo e realizar avaliação contínua dessas crianças para a manutenção dos resultados.
Para tanto, selecionou-se uma amostra de 12 crianças de meses a dois anos, diagnosticadas desnutridas. Para a
coleta de dados, utilizou-se um questionário com perguntas abertas e fechadas, fichas de avaliação do gráfico de
crescimento/desenvolvimento e cartão da criança. Os dados obtidos revelaram que as crianças encontravam-se
desnutridas. Desse modo, possibilitou-nos a orientar a mãe quanto à importância da multimistura. Tal prática ocorreu
num período de seis meses. Os resultados obtidos após a utilização da multimistura revelaram melhoria no gráfico,
bem como nas condições e qualidade de vida dessas crianças. Diante dessa situação nos oportuniza inferir que a
multimistura é ainda uma das saídas para a melhoria das condições de saúde, podendo ser usada em desnutridos,
gestantes, nutrizes e comunidade em geral, abrangidas ou não por Unidades de Saúde da Família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4286
Código do Autor Principal:3536
Nome do Autor Principal: ALINE DE BORTOLI CANZI
Autores:
ENDERMEIRA ALINE DE BORTOLI CANZI
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-133
Onde o trabalho foi realizado? MORMAÇO - RS
Titulo:
ATIVIDADES EDUCATIVAS DA ESF NO CONTROLE E PREVENÇÃO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL
Resumo:
Trata-se de um relato de experiência na realização de atividades de educação em saúde dos profissionais da equipe
ampliada de Saúde da Família, desenvolvidas junto aos grupos de portadores de hipertensão, do município de
Mormaço/ RS. Descreve o perfil dos seus participantes e os resultados alcançados apontando para suas
potencialidades e suas dificuldades, desde seu início até o momento atual. Em setembro de 2001, surgiu o Projeto Vida
Saudável para Hipertensos e Diabéticos coincidindo com o início do Programa de Agentes Comunitários de Saúde. A
idéia de realizar este projeto surgiu porque havia necessidade de proporcionar um acompanhamento contínuo aos
pacientes com hipertensão arterial, devido à existência de um número significativo de hipertensos sem controle de seus
níveis tensionais. alem disso, existia uma alta incidência de internações por doenças do aparelho circulatório. No ano
de 2001, houveram 21 internações por doenças do aparelho circulatório na população a partir de 60 anos, sendo que
no ano passado ocorreram 16 casos de internações nesta mesma faixa etária. Nosso projeto tem como objetivo
proporcionar uma melhor qualidade de vida a população do município, ofertando aos usuários a participação nos
grupos de hipertensos como forma de apoio e incentivo para o controle dos níveis tensionais dos pacientes; controlar e
reduzir sistematicamente as internações por complicações da hipertensão arterial. Durante todo este período de
acompanhamento aos grupos de hipertensos identificou-se como fator de maior significado a mudança do estilo de vida
da população uma vez que interfere diretamente no controle na pressão arterial sistêmica. Há muita resistência das
pessoas a abolirem o uso da gordura animal na dieta, uma vez que seus hábitos alimentares contemplam o constante
uso da banha de porco para o preparo dos alimentos. Porém, o uso da medicação e a atividade física como as
caminhadas foram aderidas com sucesso pela população. A Equipe de Saúde de Família do Município há quatro anos
trabalha com os Grupos de Hipertensos. Neste período, criou-se um forte vínculo surgindo com muita facilidade laços
de amizade e de um carinho muito especial pelos nossos usuários hipertensos e diabéticos. Oportunizou conhecer
cada integrante dos grupos, verificando suas necessidades e dificuldades no controle da pressão arterial. A Estratégia
da Saúde da Família abre a possibilidade de vivenciar experiências como esta em outros campos de atuação.
Recomendamos a todos as Equipes de Saúde da Família que trabalhem com grupos, apoiando seus pacientes, sendo
uma estratégia pedagógica adequada ao controle de sua doença e necessidades por meio da troca de experiências
com pessoas portadoras das mesmas doenças. Todo trabalho educativo deve ser participativo, envolvendo todos os
partícipes do processo.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4287
Código do Autor Principal:3402
Nome do Autor Principal: JULIANA DESTEFANI PASSAMANI
Autores:
CÍLIA ZUCOLOTTI - ENFERMEIRA/ESPECIALISTA EM SAÚDE PÚBLICA; REJANE FERNANDES PEREIRA
SATTLER - DIRETORA DA USF; JULIANA DESTEFANI PASSAMANI - PSICÓLOGA/MESTRE EM SAÚDE COLETIVA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-059
Onde o trabalho foi realizado? VITÓRIA - ES
Titulo:
-SE ESSA RUA FOSSE MINHA...-: A PROMOÇÃO DA SÁUDE A PARTIR DA RODA DE EDUCAÇÃO
PERMANENTE
Resumo:
Esta é uma experiência que foi realizada na Unidade de Saúde da Família de Bairro da Penha, em Vitória/ES,
diretamente relacionada ao processo de Promoção da Saúde na vertente da ação educativa, associada à Educação
Permanente em Saúde. Em Bairro da Penha, um problema identificado nas reuniões de REP foi a presença constante
e intensa de lixo acumulado em uma calçada próxima à Unidade de Saúde. O depósito do lixo era feito em horários
errôneos - muitas vezes era realizado logo após a coleta realizada pela prefeitura - e o volume que se acumulava
durante o dia era tão grande que chegava a obstruir a passagem em uma parte da rua. Além disso, a forma de
acondicionamento era feita de forma incorreta, gerando acúmulo e proliferação de vetores de doenças, um odor fétido,
além da poluição visual. A equipe de saúde, após diversas discussões nas REP, desenvolveu uma proposta de ação
educativa para minimizar o problema identificado, a qual foi denominada -Se essa rua fosse minha...-. A experiência
teve como objetivo propiciar uma mudança da realidade local, através da parceria entre os profissionais de saúde e a
comunidade, promovendo orientação e informação à população para o manuseio correto do lixo residencial. Também
buscou-se a integração entre a comunidade e os serviços oferecidos pela prefeitura no tocante a coleta seletiva de lixo,
em busca de uma co-responsabilização para a produção de um ambiente saudável para todos. Avaliando a ação de
forma contextualizada, captou-se as principais pessoas e instituições que seriam necessárias para por a ação em
prática: a comunidade, os Agentes Comunitários de Saúde, os Agentes de Saúde Ambiental, os profissionais de saúde,
o Conselho Local de Saúde. Essa primeira etapa, mobilizou uma sensibilização com os diferentes atores envolvidos em
reuniões periódicas intercaladas com as reuniões de REP e orientação aos moradores próximos a rua onde se iniciou o
projeto. As orientações referiram-se aos horários da coleta de lixo, o correto acondicionamento e os riscos que todos
estão expostos com a proliferação de vetores, oportunizando, também, as ações de combate e controle ao mosquito da
dengue. Em seguida, foram estabelecidas parcerias com as Secretarias de Meio Ambiente e Serviços e o Centro de
Controle de Zoonoses. Por fim, o encerramento da ação no local se deu com a execução de um mosaico no muro onde
havia o acúmulo de lixo. O mosaico foi construído proporcionando harmonia e atração a todos que por ali passam.
Nota-se uma diminuição significativa do acúmulo de lixo e o depósito vem sendo realizado nos horários corretos. Uma
rua de todos! As transformações em saúde, baseadas na educação, demandam tempo para acontecer, sobretudo,
porque a educação não transforma diretamente; ela busca criar condições para que os sujeitos sociais produzam as
transformações que lhes permitam viver melhor, ou seja, promover a saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4288
Código do Autor Principal:3537
Nome do Autor Principal: MARIA CRISTINA TEIXEIRA CANGUSSU
Autores:
SANDRA GARRIDO DE BARROS, MARIA CRISTINA TEIXEIRA CANGUSSU, ANGELO GIUSEPPE RONCALI DA C.
OLIVEIRA, KENIO COSTA DE LIMA.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-113
Onde o trabalho foi realizado? SALVADOR - BA
Titulo:
IMPACTO DA SAÚDE BUCAL NO PSF SOBRE ACESSO E MORBIDADE REFERIDA EM UMA CAPITAL DO
NORDESTE, 2007
Resumo:
A Saúde da Família tem sido adotada no país como principal estratégia de reorganização do sistema de saúde
através da atenção primária. A inclusão das equipes de saúde bucal tem como objetivo ampliar acesso e melhorar os
indicadores epidemiológicos. Este ensaio comunitário avaliou o impacto das ESB/PSF sobre o acesso e a morbidade
referida em uma capital do NE, com 2.556.429 habitantes e 20,78% de cobertura do PSF em 2005. Foram
entrevistadas 1.650 famílias, 816 cobertas por ESB/PSF, em 22 setores censitários, compondo um total de 6.149
pessoas, 3.155 em áreas cobertas. Nestas, foram observadas menor média de anos de estudo da mãe, de número de
cômodos por domicílio e maior densidade domiciliar, contudo também foi verificada maior renda familiar e per capita.
Com relação aos indicadores gerais de saúde, verificou-se menor prevalência de internação por IRA em >5 anos
(p>0,001; RP=0,79; IC95% 0,74-0,84) nas áreas não cobertas; enquanto para as prevalências de baixo peso ao nascer
(p=0,334; RP=1,09; IC95% 0,92-1,30), cobertura de tratamento de hipertensão (p>0,001; RP=1,35; IC95% 1,25-1,45),
de diabetes (p>0,001; RP=1,40; IC95% 1,23-1,58) e de mulheres com >6 consultas de pré-natal (p=0,288; RP=0,91;
IC95% 0,76-1,08) os melhores resultados foram obtidos nas áreas cobertas. Para a saúde bucal, verificou-se maior
necessidade de tratamento em áreas não cobertas (p=0,34; RP=1,02; IC95% 0,98-1,06) e maior acesso aos serviços
nas áreas cobertas, sendo essas diferenças estatisticamente significantes para todas as variáveis consideradas (foi ao
dentista, fez obturação, fez extração, fez prevenção e participou de palestras). Quanto à prevalência dos agravos
bucais, a prevalência de dor de dente não teve diferença entre os dois grupos (p=0,74; RP=0,99; IC95% 0,96-1,03),
contudo a ocorrência de sangramento gengival (p>0,01; RP=1,25; IC95% 1,17-1,34) e ferida na boca (p>0,01;
RP=1,29; IC95% 1,17-1,42) foi maior na população coberta. A cobertura de tratamento para os três agravos
considerados também se apresentou maior nas áreas cobertas, sendo estatisticamente significante a diferença entre os
grupos para o tratamento da dor de dente (p>0,00; RP=0,65; IC95% 0,59-0,72) e das feridas na boca (p=0,01;
RP=0,74; IC95% 0,63-0,87). Considera-se que o maior acesso a informações e educação em saúde bucal nas áreas
cobertas (p>0,01; RP=0,59; IC95% 0,56-0,62) tenha interferido na identificação de problemas de saúde bucal pela
população, resultando em prevalências mais elevadas de agravos para este grupo. É indiscutível que a implantação de
ESB/PSF no município tem significado uma ampliação do acesso à atenção a saúde bucal (ações de promoção,
prevenção e assistência à saúde bucal), entretanto, com o uso de medidas de morbidade referida não foi possível
identificar impacto sobre as condições de saúde bucal da população, sendo necessário o uso de indicadores mais
sensíveis.
Observação:
Resultados do projeto de pesquisa "Impacto do Programa de Saúde da Família sobre indicadores de saúde bucal em
municípios do Nordeste com mais de 100.000 habitantes", coordenado pelo Programa de Pós-graduação em
Odontologia da UFRN, financiado do pelo Ministério da Saúde / CNPq via Edital MCT/CNPq/MS-DAB/SAS no 49/2005.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4290
Código do Autor Principal:3538
Nome do Autor Principal: MARIA ANGÉLICA PEREIRA BARBOSA BRASILEIRO
Autores:
MARIA ANGÉLICA PEREIRA BARBOSA BRASILEIRO
MARIA LÚCIA LEAL CABRAL DE AMORIM
TASLA TACIANA SANTOS ASSUNÇÃO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-052
Onde o trabalho foi realizado? CATURITÉ - PB
Titulo:
ESQUEMA DE CORES: UMA ESTRATÉGIA EFICAZ PARA OTIMIZAR A ADESÃO DO PACIENTE HIPERTENSO À
MEDICAÇÃO
Resumo:
A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) consiste numa doença crônico-degenerativa, de repercussão na Saúde
Pública, por possuir um alto perfil de morbimortalidade. O caráter assintomático ou oligossintomático desta patologia
favorece o aparecimento de complicações e diminui a qualidade de vida e sobrevida dos acometidos, justificando desta
forma, estratégias profissionais que favoreçam o adequado controle dos níveis pressóricos. Dentro desta perspectiva, o
presente trabalho tem como objetivo otimizar o tratamento medicamentoso da HAS, no tocante à auto-administração
medicamentosa para controlar os valores pressóricos, e prevenir portanto, as complicações decorrentes desta
patologia. O trabalho foi do tipo projeto-ação, em que se implementou uma inovadora forma de identificar a medicação
anti-hipertensiva: O esquema de cores, o qual é um recurso visual metodológico que facilita a auto-administração
medicamentosa por parte dos pacientes hipertensos, pois se separam as medicações mais utilizadas na atenção ao
Hipertenso, por cores. Percebeu-se com o trabalho que a proposta do esquema de cores foi uma experiência exitosa
que contribui em muito para a atenção integral a saúde dos indivíduos com HAS, por ter tido uma ótima aceitabilidade
da gestão municipal, dos profissionais envolvidos e principalmente dos pacientes, que referiram uma melhor facilidade
na identificação das medicações anti-hipertensiva, uma vez que estas possuem embalagens praticamente idênticas,
em que o nome da medicação não está bem visualizado e estes pacientes, geralmente possuem diminuição da
acuidade visual, por serem predominantemente idosos e às vezes, são analfabetos. A iniciativa de criar estratégias
para um acompanhamento contínuo e eficaz aos grupos dos pacientes hipertensos inseridos na estratégia de Saúde da
Família é essencial para a busca de uma melhor qualidade de vida, pois permite a promoção da saúde e prevenção de
agravos.
Observação:
A Estratégia do esquema das cores é viável, pois os recursos materiais que são empregados são mínimos (fitas
coloridas) e sempre há a cooperação dos recursos humanos para viabilizá-la. É ainda original, pois utiliza um recurso
visual, as cores, as quais são familiares a grande maioria das pessoas, fornecendo praticidade à auto-administração da
medicação, garantindo autonomia ao paciente.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4291
Código do Autor Principal:3507
Nome do Autor Principal: JUCE ALLY LOPES DE MELO
Autores:
MELO, JUCE ALLY LOPES DE. (1)
FILHO, JOÃO BOSCO. (2)
(1) ENFERMEIRA, PROFESSORA AUXILIAR I DA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO
ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, CAMPUS PAU DOS FERROS - RN.
(2) ENFERMEIRO, PROFESSOR ASSISTENTE III DA FACULDADE DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DO
ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, CAMPUS MOSSORÓ - RN, MESTRE EM SAÚDE PÚBLICA (CCS/UFPB).
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE7-005
Onde o trabalho foi realizado? MOSSORÓ - RN
Titulo:
DO BELO AO ADORMECIDO... O CONTROLE SOCIAL SOB A ÓTICA DO ENFERMEIRO
Resumo:
(INTRODUÇÃO) O Sistema Único de Saúde - SUS teve seu ponto ápice com a consolidação da sua base teórica,
vislumbrado na Constituição de 1998, que trouxe a possibilidade de efetivação da proposta de construção de um
Sistema Único de Saúde altamente democrático, baseado nos princípios de universalidade, eqüidade, integralidade,
descentralização e controle social. Dentre todos esses princípios, é importante saber que o controle social é peça
fundamental para a efetivação das outras diretrizes que o SUS almeja, já que é por parte dele que se avalia, que se
fiscaliza, que se reivindica por um serviço de saúde de maior qualidade, trabalhando em cima das problematizações e
necessidades de cada população. Nesse sentido, o profissional enfermeiro está incluído na parcela de trabalho em
saúde a qual deve se fazer co-partícipe na implementação e fiscalização desse sistema. (OBJETIVOS) Desse modo, foi
tentando entender a construção desse sonho de efetivação do belo SUS a partir do controle social, que busca-se
perceber como esse vem sendo idealizado, por parte dos atores sociais, aqui representados pelos enfermeiros, uma
vez que ele se constitui enquanto instrumento para a consolidação do sistema de saúde. Procura-se ainda, identificar
os determinantes que alimentam os discursos dos enfermeiros a respeito do controle social. (METODOLOGIA) A
investigação em tela trata-se de uma pesquisa qualitativa a qual utilizou a entrevista semi-estruturada como
instrumento de coleta de dados. O público alvo, enfermeiros dos serviços de saúde da cidade de Mossoró - RN,
delimitou-se na amostra de 12 enfermeiros da rede hospitalar e 7 da rede básica, contemplando assim, 10 instituições
de saúde. (RESULTADOS) Os depoimentos dos entrevistados, favorecem a interpretação de que o controle social está
adormecido, primeiro pelo desconhecimento acerca do seu significado e dos seus espaços de atuação, e segundo pelo
descrédito ao Sistema Único de Saúde, que provoca a não participação desses enfermeiros no processo de luta pelo
sistema. O controle social, nesse sentido, não se efetiva e não favorece as mudanças do SUS, sendo essa evidência
muito influenciada pelos ditames do projeto neoliberal da saúde. (CONCLUSÃO) É importante que o controle social se
efetive, no intuito de orientar o sistema de saúde a nosso favor, coerente com os ideais da população e de enfermeiros,
parcela de trabalho do SUS. Para isso é necessário que esses trabalhadores comessem a se aproximar da concepção
que o SUS preconiza, dos seus espaços democráticos e da importância da sua inserção enquanto enfermeiro nesse
processo de luta e organização do SUS. A esperança é de que chegará o dia em que esses profissionais terão
coragem de enfrentar os desafios deste campo e lutarão com as ferramentas do controle social a favor do SUS
encantador, combatendo assim, os entraves que até hoje configuram o âmbito da saúde.
Observação:
ÁREA TEMÁTICA 7. CONTROLE SOCIAL E CIDADANIA NA AB/SF
MODALIDADE DE ELABORAÇÃO DE TRABALHO: ESTUDO
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4295
Código do Autor Principal:3543
Nome do Autor Principal: LUANA ARAUJO MACEDO
Autores:
ANA PAULA RIBEIRO SILVA
CAMILA PIQUI
FRANCIELE GUIMRÃES DE BRITO
JÉSSICA PEIXOTO RODRIGUES
LUANA ARAÚJO MACEDO
LIVIA SANTOS MAIA
MAYLA SILVA BORGES
UANISLÉIA LIMA DA SILVA
VALÉRIA COSTA PERES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-068
Onde o trabalho foi realizado? UBERLÂNDIA - MG
Titulo:
PROMOÇÃO DE SAÚDE ATRAVÉS DO PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO NO BAIRRO MORUMBI III
Resumo:
A participação social na construção dos sistemas e políticas de saúde é indispensável, é um dos princípios do
Sistema Único de Saúde - SUS foi uma das principais bandeiras do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira, porém
ainda constitui-se num dos grandes desafios do SUS devido a baixa motivação da população em participar, dificuldade
de articulação social e os serviços de saúde da ponta não terem espaços definidos para efetivação dessa participação
popular. Atualmente, a principal porta de estrado no SUS é o Programa Saúde da Família (PSF) que configura-se como
a estratégia de organização da atenção primária à saúde no país. O projeto -Promoção da saúde: traçando estratégias
para alcançá-la- foi desenvolvido por alunos da Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Uberlândia
(UFU) no bairro Morumbi III, em parceria com o Programa Saúde da Família - PSF. Visando à construção coletiva de
novas práticas de saúde baseadas nas necessidades da população, com o objetivo de contribuir para a organização do
trabalho no PSF de acordo com as demandas locais, ou seja, com o diagnostico da comunidade. Como metodologia
de trabalho foram realizadas Oficinas para Construção da Rede Explicativa dos problemas de saúde do bairro e tomada
de decisão participativa, junto com a comunidade. Ao problematizar as dificuldades na adoção de hábitos saudáveis
pelas pessoas mais idosas, elas referiram a baixa motivação para mudança de seus hábitos, como resultado de
depressão, isolamento social e falta de recursos financeiros para desenvolveram atividades de lazer e adquirirem outro
tipo de alimentação. Com base nessas necessidades, os alunos propõem os projetos: -Pratique saúde-, onde eles
aplicam suas habilidades em dança e exercício físico orientado para desenvolver Oficinas de dança e caminhadas
cidadãs no bairro e -Plantando e colhendo saúde-, por meio de uma parceria com o curso de agronomia da UFU. Tais
propostas foram construídas coletivamente com a equipe do PSF local e com a comunidade. A Associação de Bairros
negociou os espaços comunitários para o desenvolvimento das ações. Após um ano da implantação dos projetos
reconhecemos que a iniciativa contribuiu indubitavelmente a construção de espaços permanentes de gestão
participativa do serviço e para a formação acadêmica dos alunos envolvidos, na medida em ambientou a prática
reflexiva das atividades teóricas do curso, permitindo a discussão e a vivencia de ações de promoção da saúde.
Observação:
Orientadora: Rosiane Araújo Ferreira Feliciano
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4296
Código do Autor Principal:3542
Nome do Autor Principal: ELISA MARIA CORRÊA GUEDES
Autores:
ELISA MARIA CORRÊA GUEDES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-206
Onde o trabalho foi realizado? PORTO ALEGRE - RS
Titulo:
EFEITO BORBOLETA: SAÚDE MENTAL NO PSF
Resumo:
Faço o relato de minha experiência, enquanto enfermeira no PSF Nossa Senhora das Graças, sito a Rua Martins de
Carvalho, 109 em Porto Alegre, RS. Os PSFs são unidades geralmente localizadas em áreas de riscos sociais. Nessas
comunidades nos deparamos com situações de desemprego, alcoolismo, drogadição, famílias desestruturadas, vivendo
em extrema pobreza, violência e desagregação social.
Fizemos um levantamento junto aos ACS sobre os pacientes com transtornos mentais e quais eram as situações
relevantes para seu atendimento na unidade. Constatou-se a falta de acompanhamento médico especializado desses
pacientes. A grande maioria não utilizava medicações conforme prescrições médicas ou dificuldade em interpretá-las,
outros eram analfabetos, com isso a má adesão ao tratamento. Alguns pacientes utilizavam as prescrições conforme
sentiam necessidade aumentando ou diminuindo as medicações, muitas vezes abandonando o tratamento sem
acompanhamento ou ordem médica. Outros pacientes não possuíam cuidadores para ajudá-los em seu tratamento
muito menos comprar a medicação prescrita. Todas essas situações apontadas dificultam o tratamento e a adesão do
mesmo. Estas práticas aumentam os riscos de surtos psiquiátricos, crises hipertensivas, agressões, uso de substâncias
licitas e ilícitas, suicídios, abuso de medicamentos benzodiazepínicos, entre outros, levando o paciente a incapacitação
física e psicológica e muitas vezes ao óbito.
Contudo, constatou-se a necessidade de fazer uma assistência diferenciada a esses pacientes. Então abriu-se uma
agenda de Consulta de Enfermagem em Saúde Mental, e esses pacientes eram encaminhados ao serviço e
referenciados a um profissional que pudesse dar encaminhamento correto aos casos fazendo a prevenção, promoção e
educação em saúde. Nas consultas de enfermagem em saúde mental, oportunizou-se espaço para expressão dos
sentimentos do paciente, escuta ativa, levantou-se o histórico de saúde e social, e através do processo de enfermagem
planejou-se a assistência a esse paciente. Os pacientes também eram encaminhados ao Grupo Viver destinados a eles
para complementar a educação em saúde e o convívio saudável, criando assim um vínculo com a equipe.
Esta experiência introduziu na USF ações mínimas, mas relevantes ao cuidado do paciente com sofrimento psíquico,
assim como a desmistificação dos preconceitos relacionados a eles. Conseguimos com isso, construir vínculo com os
pacientes com transtornos mentais, maior adesão ao tratamento, maior envolvimento e responsabilidade dos familiares,
ser referência em situação de crise, prevenção de surtos, maior entendimento dos pacientes e familiares sobre a
doença mental, melhor encaminhamento dos casos para emergência, manejo de situações na própria unidade de
saúde.
É fundamental a sensibilização dos profissionais da ESF para a atenção das relações sociais envolvidas no
atendimento ao paci
Observação:
ESSE TRABALHO FOI REALIZADO NO PSF NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EM PORTO ALEGRE, RGS,
DURANTE UM ANO. OS RESULTADOS FORAM PERCEBIDOS NOS PACIENTES QUE FAZIAM CONSULTAS
SEMANAIS E FAMILIARES QUE VINHAM NA UNIDADE PARA ORIENTAÇÕES SOBRE O CUIDADO.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4299
Código do Autor Principal:2559
Nome do Autor Principal: MILENA SILVA COSTA
Autores:
MILENA SILVA COSTA
GLAUCIA MARGARIDA BEZERRA BISPO
JULIANA DE CARVALHO GOMES
PAULO CESAR JORGE VIEIRA DOS SANTOS
ANTONIO GERMANE ALVES PINTO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-070
Onde o trabalho foi realizado? IGUATU - CE
Titulo:
EDUCAÇÃO EM SAÚDE: VIVENCIANDO A FORMAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NA COMUNIDADE
Resumo:
A atividade grupal desenvolvida como prática de educação em saúde na atenção básica favorece as trocas,
possibilita os encontros e permeia os sentimentos e anseios dos sujeitos envolvidos. A situação de vida de cada
participante é identificada por uma característica comum a todos: idosos, hipertensos, diabéticos, gestantes,
adolescentes, trabalhadores, estudantes, entre outros. O aprendizado mútuo ocorre a partir do compartilhamento de
saberes e práticas inerentes ao modo de vida, necessidades de saúde e formação de cada indivíduo. Objetivou-se
relatar a experiência do processo de ensino vivenciado por acadêmicos e professores de Enfermagem da Universidade
Regional do Cariri (URCA) nas comunidades do município de Iguatu-CE. A disciplina de Saúde Coletiva II foi aplicada
junto à rede de atenção básica municipal com o propósito de desenvolver o processo de formação, inserindo
competências teóricas e habilidades práticas em construção acadêmica na relação do Sistema Único de Saúde (SUS)
com seus usuários. As palestras educativas foram escolhidas como estratégias de educação em saúde na comunidade.
Os grupos foram escolhidos a partir da existência nos territórios inerentes às equipes de saúde da família. O período de
realização foi entre os meses de setembro e outubro de 2007. As vivências grupais ocorreram junto aos adolescentes
do PSF Alto do Jucá, das gestantes do PSF São Sebastião e dos estudantes do PSF Fomento. As temáticas
transversais foram: Aleitamento Materno, Cuidado pré-natal; Planejamento Familiar; Sexualidade, DST/AIDS,
Cidadania e Violência. A participação comunitária ainda é um desafio para este tipo de atividade já que a freqüência
baixa não condiz com a divulgação prévia realizada. Os trabalhadores de saúde devem perceber o diálogo em grupo
como uma oportunidade de resolução conjunta dos problemas comuns e vivos de seu território. Os resultados deste
processo para o aprendizado acadêmico são imediatos e produz o conhecimento a partir da realidade social. Por outro
lado, a população, embora, perceba empenho, comunicação, criatividade, dedicação e responsabilização por parte das
equipes de saúde, ainda relativiza por mais tempo a adesão aos métodos, regras e técnicas voltadas para a prevenção
de doenças e promoção da saúde. O atendimento qualificado, organizado, e acolhedor são favorecidos pela utilização
da educação em saúde como um instrumento também de transformação social, que visa ainda práticas saudáveis de
vida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4301
Código do Autor Principal:3547
Nome do Autor Principal: SHEILA OLIVEIRA CORREA MARTINS
Autores:
ANA JELIN, JULIANA RAINHO, ILOMA ODETE GIRRULAT BOEHM E SHEILA OLIVEIRA CORREA MARTINS.
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-025
Onde o trabalho foi realizado? ITANHAÉM - SP
Titulo:
DIAGNÓSTICO LOCAL DE SAÚDE
Resumo:
A Saúde da Família como estratégia estruturante dos sistemas municipais de saúde tem provocado um importante
movimento com o intuito de reordenar o modelo de atenção no SUS. Busca maior racionalidade na utilização dos
demais níveis assistenciais e tem produzido resultados positivos nos principais indicadores de saúde das populações
assistidas às equipes saúde da família. A ESF representa um novo conceito em saúde pública, expandindo o olhar para
além do conceito curativo das doenças, sendo o conjunto de fatores de integração e interação sobre o indivíduo e o
meio.
O município de Itanhaém, conhecido pelo turismo na região Metropolitana da Baixada Santista, no Estado de São
Paulo, é considerado o segundo mais antigo do Brasil. Com uma população que supera os 90.000 habitantes, já tem
implantado este novo conceito em saúde pública, totalizando 6 Unidades de Saúde da Família e 15 equipes, com
quase 100% de cobertura pelos Agentes Comunitários de Saúde.
Sendo assim, houve a preocupação em capacitar os profissionais, a partir do Curso Introdutório para a Estratégia de
Saúde da Família, através da DRS IV (Departamento Regional de Saúde IV - Baixada Santista) cujo trabalho de
conclusão de curso intitulado -Elaboração do Diagnóstico Local de Saúde-, fora apresentado em 17 de abril de 2008.
O presente estudo teve como objetivo elaborar o diagnóstico epidemiológico da área de abrangência das unidades de
saúde da família, no município de Itanhaém, São Paulo, identificando os problemas de saúde e outros correlatos,
através dos conhecimentos adquiridos no curso introdutório para a Estratégia de Saúde da Família.
O método de pesquisa utilizado fora o quantitativo, através de estudos exploratório e de campo ou epidemiológico
descritivo. Os dados utilizados foram oriundos das Fichas -A-, já utilizadas pelos Agentes Comunitários de Saúde no
cadastramento, do questionário -Levantamento Mínimo para Trabalho- solicitado pela Secretaria Municipal de Saúde de
Itanhaém, e do roteiro entregue pela DRS IV durante o curso introdutório.
Como o cadastramento não fora finalizado, não se tem a totalidade da cobertura pela Estratégia de Saúde da Família,
para este ano. Porém, em 2007, chegou-se a 56% de cobertura em todo o município, com 226.160 atendimentos na
rede básica e, espera-se que em 2008, chegue a, aproximadamente 70%.
Muitos dados foram levantados, transformando-se em instrumentos de planejamento das ações a serem desenvolvidas
por cada Equipe/Unidade de Saúde da família.
Os estudos apresentados servirão como parâmetro para as equipes trabalharem de forma mais precisa e os
profissionais poderão priorizar as ações em saúde. O objetivo, até o final de 2008, é ampliar a Estratégia de Saúde da
Família com mais 3 equipes, totalizando 18.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4302
Código do Autor Principal:3548
Nome do Autor Principal: CARLOS ALBERTO TENÓRIO CAVALCANTE
Autores:
CARLOS ALBERTO TENÓRIO CAVALCANTE
DULCE HELENA AMARAL GONÇALVES
ELIANA MARIA DE OLIVEIRA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-069
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
RESULTADOS ALCANÇADOS NA ORGANIZAÇÃO DA ATENÇÃO EM SAÚDE BUCAL EM BELO HORIZONTE
Resumo:
Belo Horizonte possui 202 Equipes de Saúde Bucal (ESB) implantadas, distribuídas em 138 unidades das 145
existentes na rede. São aproximadamente 280 Cirurgiões Dentistas (CD) na rede básica, 290 Auxiliares de Consultório
Dentário (ACD) e 75 Técnicos de Higiene Dental (THD). Diante desta realidade, tornou-se necessária a padronização
de condutas para enfrentamento das necessidades prioritárias levantadas no nível local. O Protocolo para Atenção
Básica em Saúde Bucal, aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde em julho de 2006, após ampla discussão com
profissionais e gestores, foi construído neste contexto. Sua implantação foi acompanhada de várias ações de
capacitação, culminando no curso de especialização em S. da Família. O protocolo objetiva a ampliação gradativa do
acesso aos serviços de saúde bucal, tanto através de ações coletivas quanto individuais. Reafirma que o atendimento
das urgências odontológicas deve ser feito no nível local e que esta deve ser uma ação prioritária, em razão do atual
quadro de necessidades. A assistência individual visa a melhoria da função mastigatória, através principalmente de
restaurações diretas com ionômero de vidro de alta viscosidade, bem como a recuperação estética, através de
restaurações diretas e/ou próteses totais/parciais acrílicas removíveis. Como estratégia imprescindível para reversão do
atual quadro epidemiológico, propõe-se intensificar as ações de promoção da saúde, principalmente para os grupos
vulneráveis. A metodologia proposta para cumprir o compromisso da s. bucal no SUS-BH sustenta-se, entre outros, nos
seguintes pilares:
1. Acesso universal, sem focalização por faixa etária: a entrada do usuário pode ocorrer através da urgência, da
demanda espontânea, do encaminhamento por outras áreas e da ação programada pelo levantamento de
necessidades. Este levantamento é uma ferramenta de vigilância epidemiológica fundamental para identificação dos
indivíduos/grupos com maiores demandas acumuladas. Deve ser realizado, através da codificação vigente, em todos
os espaços de intervenção eleitos, como forma de identificar a polarização da doença.
2.Uso da estratégia de controle das doenças bucais como conduta padrão nos atendimentos, agilizando a cobertura da
população através da diminuição do número de sessões por indivíduo. Isto significa adotar esta conduta padrão em
toda e qualquer forma de acesso (urgência, demanda espontânea, encaminhamentos, etc.).
Analisando os registros/produção do sistema de informação da SMSA BH entre 2005 e 2007, observa-se que a
restauração com ionômero de vidro (usado no ART) foi o procedimento individual mais executado na rede, com
crescimento de 214% no período. Comparando-se os indicadores entre 2005 e 2007, observa-se um aumento de
cobertura de 17% (expressos em primeiras consultas/exames clínicos) e um aumento de 15% no número de
tratamentos completados.
Observação:
Ressalta-se que não houve aumento no quadro de recursos humanos em saúde bucal da SMSA-BH no período.
Considerando que o foco da discussão e das mudanças está no processo de trabalho, há um forte indicativo de que os
profissionais aplicaram as diretrizes de saúde bucal preconizadas pela SMSA-BH, e que as mudanças ocorridas no
processo de trabalho determinaram a ampliação do acesso aos serviços.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4303
Código do Autor Principal:3549
Nome do Autor Principal: MARIA HELENA DA SILVA
Autores:
MARIA HELENA DA SILVA
RUTH SANTOS ARAÚJO ROCHA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-090
Onde o trabalho foi realizado? JUNDIAÍ - SP
Titulo:
PROJETO SORRISO ESTRELADO - CAMPANHA DE ESTÍMULO AO ALEITAMENTO MATERNO E ABANDONO
DE HÁBITOS ORAIS
Resumo:
Este relato de experiência descreve a vivência da Equipe de Saúde da Família - Parque Centenário em
projeto desenvolvido na Escola Municipal de Ensino Básico Patrícia Pires, no Município de Jundiaí-SP, e teve por
objetivos: promover ações educativas sobre o aleitamento materno, resgatar a cultura da amamentação e estimular o
abandono de hábitos orais. Todas as atividades da equipe de saúde da família integraram- se à agenda pedagógica
escolar e buscaram a otimização de recursos e espaços para a educação em saúde. Este projeto denominado -Sorriso
Estrelado- foi desenvolvido com este pensamento, unir escola e unidade de saúde de família com o mesmo objetivo - a
promoção do aleitamento materno e a prevenção de complicações decorrentes do uso de mamadeiras e chupetas,
através de atividades lúdicas (fantoches, fadas, etc...), teatralização, rodas de conversas, textos ilustrativos e panfletos
educativos, objetivando estimular o imaginário da criança. Resgatar a cultura da amamentação tem se constituído um
desafio universal, pois esta prática é determinada social, política e culturalmente, assim, a contribuição da escola para
este resgate é essencial, pois participa decisivamente na formação sócio-cultural da criança e está na base de
preparação para o mundo. O desenvolvimento de atividades educativas em saúde para esta faixa etária, promove
mudanças, pois todas as informações que recebe neste período, passa para a fase adulta, desmistificando e mudando
cultura. O público-alvo contemplado com o projeto foram 275 crianças na faixa etária de 04 a 06 anos, seus pais e
Equipe Educativa, utilizou-se a metodologia longitudinal faseada em dois momentos - elaboração junto as instituições
citadas e trabalho de campo junto as crianças, pais e equipe educativa. Como resultados obtivemos a ampliação do
vínculo com a equipe educativa, a efetiva sensibilização das crianças traduzida pelo números de mamadeiras doadas e
abandono do hábito oral, a confirmação de que os pais tem grande dificuldade no processo de abandono do hábito oral
e a imperativa necessidade da continuidade do projeto com o trabalho preventivo e contínuo na escola e na unidade de
saúde da família . Neste projeto evidenciou - se que a intersetorialidade é um caminho para a produção de saúde, que
o espaço escolar possibilita novos horizontes para a promoção da autonomia, enriquecendo projetos coletivos de
valorização e qualidade de vida e a justa identificação da escola como ambiente-chave para realizar a educação e
introjetar uma nova consciência no modo de andar a vida, uma vez que há a proposta de um componente ideológico
livre de tabu e, portanto, efetivo na promoção de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4304
Código do Autor Principal:2556
Nome do Autor Principal: MICHELLE KUNTZ DURAND
Autores:
DURAND, MICHELLE KUNTZ 2; COLOMÉ, JULIANA SILVEIRA 3; JAHNKE, CAMILLE STAUDT 4; SILVA, TAÍS
RODRIGUES 4.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-151
Onde o trabalho foi realizado? SANTA MARIA - RS
Titulo:
CURSO DE GESTANTES, UM OLHAR DA ENFERMAGEM
Resumo:
INTRODUÇÃO: A gestação é um período que envolve grandes mudanças. Dessa forma, as gestantes necessitam
compartilhar reflexões sobre as mudanças que atravessam, trocar informações sobre a experiência de parto e
pós-parto, bem como se preparar do ponto de vista corporal e emocional para as experiências que viverão. Também se
observa que numa área de abrangência da ESF (Estratégia de Saúde da Família), onde cada equipe é responsável por
cerca de quatro mil habitantes e onde, normalmente, o pré-natal é realizado por profissionais enfermeiros e/ou médicos.
Esses profissionais tem a responsabilidade de prestar atendimento não apenas às mulheres em idade fértil, mas
também a toda comunidade abrangida. Assim, sente-se a necessidade de tornar de caráter coletivo algumas
informações pertinentes a esse novo e diferente momento vivido por essas mulheres e que podem ser esplanadas e
esclarecidas num grande grupo.
OBJETIVO: O grupo tem por objetivo fornecer informações e orientações sobre a gestação, o parto, o bebê e a
amamentação, a fim de diminuir/sanar dúvidas e ansiedades comuns a este período.
METODOLOGIA: Participaram da construção do Curso de Gestantes alunos dos Cursos de Enfermagem, Nutrição,
Psicologia, Farmácia, Medicina, Fisioterapia e integrantes da Equipe de Saúde da Família. Foram realizados um total
de seis encontros onde foram desenvolvidas as seguintes abordagens educativas interdisciplinares: dinâmicas sobre o
conhecimento do corpo, desenvolvimento do feto; importância do Pré-Natal, sexualidade e gestação, aleitamento
materno, cuidados com o RN, cuidados com a mãe, tabelas de vacinação, tipos de parto, dentre outros.
RESULTADOS ALCANÇADOS: A realização destes encontros denotou uma experiência de integração ensino-serviço
onde a atuação interdisciplinar foi o eixo de sustentação do trabalho. Também se observou uma troca mútua entre
equipe-ensino-gestantes.
LIÇÕES APRENDIDAS: Promover a saúde do binômio mãe e filho, como também de todas as implicações dessa nova
vida no âmbito familiar. Também é de grande importância estimular todas as trocas resultantes dessas experiências e
de suas vivências anteriores, assim como os laços muitas vezes estabelecido entre as participantes.
RECOMENDAÇÕES: Devido à importância desta temática salientamos a possibilidade da manutenção deste projeto,
bem como a abordagem interdisciplinar e coletiva.
Observação:
2 Relatora e autora do trabalho. Enfª da Unidade de ESF Roberto Binato. Especialista em Saúde da Família.
3 Autora do trabalho. Enfª. Docente do Centro Universitário Franciscano - UNIFRA. Mestre em Práticas de Enfermagem
e Saúde Coletiva.
4 Autoras do trabalho. Acadêmicas de Enfermagem do Centro Universitário Franciscano- UNIFRA, participantes do
projeto durante o Estágio Supervisionado de Enf.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4306
Código do Autor Principal:3365
Nome do Autor Principal: SIDERLLANY APARECIDA VIEIRA MENDES
Autores:
SIDERLLANY APARECIDA VIEIRA MENDES - GRADUADA PELA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES
CLAROS E PÓS-GRADUADA EM SAÚDE DA FAMÍLIA PELA MESMA INSTITUIÇÃO.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-114
Onde o trabalho foi realizado? JANAÚBA - MG
Titulo:
A CONSULTA DE ENFERMAGEM: PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO ATENDIDA PELO PSF DE JANAÚBA/MG
Resumo:
Trata-se de um estudo qualitativo, na vertente fenomenológica, que teve como objetivo conhecer a percepção da
população atendida pelo Programa de Saúde da Família de Janaúba/MG, a respeito da consulta de enfermagem.
Foram realizadas entrevistas de usuários das Equipes de Saúde da Família atendidos ou não por enfermeiros. A
pesquisa possibilitou reflexões sobre a aceitação das consultas e suas causas, a referência com o médico e outras
profissões e o seu papel como orientador. Constatou-se satisfação e valorização em relação às consultas de
enfermagem, bem como, a competência e dedicação do enfermeiro. Entretanto fica explícita a necessidade de mais
esclarecimentos acerca das consultas de enfermagem.
UNITERMOS: Percepção, Consulta de enfermagem, Programa de Saúde da Família, Aceitação.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4307
Código do Autor Principal:3551
Nome do Autor Principal: DÉBORA SOARES JARDIM
Autores:
DÉBORA SOARES JARDIM
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-064
Onde o trabalho foi realizado? CONTAGEM - MG
Titulo:
A IMPORTÂNCIA DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REABILITAÇÃO DO DEFICIENTE AUDITIVO.
Resumo:
O Programa de Atenção a Saúde Auditiva (PASA) da Microrregião de Contagem/MG teve seu início em junho de
2007, apresentando sua origem na Portaria 589 GM/MS de 08/10/2004 republicada 06/12/2004. O PASA garante a
assistência ao portador de deficiência auditiva, com o cadastramento do Serviço de Atenção à Saúde Auditiva (código
027), classificação terapia fonoaudiológica (003) e foi implantado no Centro de Consultas Especializadas Iria Diniz em
Contagem/MG.
Por meio do PASA é permitido ao usuário deficiente auditivo da rede SUS dos municípios da Microrregião de
Contagem/MG o acesso e a adaptação do Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) no serviço de alta
complexidade do Município de Belo Horizonte/MG. A reabilitação deve ser realizada no município de origem, com
previsão de conseqüente melhoria na qualidade de vida do usuário.
Na implantação do PASA, os usuários deficientes auditivos foram identificados por meio de cadastro em lista de
espera, com demanda organizada a partir de solicitação médica da atenção básica e especializada. Foram utilizados
protocolos de avaliação para autorização de concessão de uso de AASI, desenvolvidos pela Junta Reguladora da
Saúde Auditiva de Belo Horizonte/MG e aplicados pelo profissional fonoaudiólogo do PASA da Microrregião
Contagem/MG.
No período de junho/2007 a março/2008 foram encaminhados para adaptação de AASI, de acordo as cotas definidas
em PPI da Microrregião de Contagem/MG, 102 usuários, sendo 49 do sexo feminino e 53 do sexo masculino. A
classificação por idade aponta 13 crianças, 13 adolescentes, 41 adultos e 35 idosos. O serviço realizado em média
complexidade destinou-se a 72 usuários e em alta complexidade, a 30 usuários. Por meio de contato telefônico foi
possível obter a informação de que 44 usuários foram adaptados AASI e 58 ainda não foram adaptados. Os pacientes
adaptados estão sendo agendados para terapia fonoaudiológica em seu município de origem.
O PASA teve dificuldade em monitorar o usuário deficiente auditivo para a terapia fonoaudiológica devido ao contato
telefônico ser instável: ocorrem mudanças freqüentes de número e desligamentos, além da deficiência auditiva limitar a
compreensão das informações necessárias pelo usuário. No entanto, é sabido que para alcançar resultados clínicos
satisfatórios é necessária a reabilitação fonoaudiológica após adaptação do AASI. Recomenda-se, portanto, a
orientação e capacitação dos profissionais da Equipe de Saúde da Família na identificação, encaminhamento para
diagnóstico na atenção especializada e monitoramento do usuário junto ao PASA Microrregião de Contagem/MG, para
que se consiga atingir os objetivos esperados, ou seja, a reabilitação com melhoria na qualidade de vida do deficiente
auditivo.
Observação:
Trabalho inscrito área 8: integralidade da Atenção na Básica/Saúde da Família
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4308
Código do Autor Principal:3552
Nome do Autor Principal: FABIOLA CAROLINE OLIVEIRA COUTO BORDONI
Autores:
FABIOLA CAROLINE OLIVEIRA COUTO BORDONI
MÁRCIA RENATA VERSIANI
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-008
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
RELATO DE EXPERIÊNCIA: SAÚDE DA MULHER EM UM ACAMPAMENTO CIGANO
Resumo:
De acordo com o modelo da atenção básica, não temos parâmetros para lidar com a população cigana. Só no
Brasil temos cerca de 250mil ciganos. Ciganos são povos nômades originários do norte da Índia que ao longo dos anos
foram se espalhando e se moldando de acordo com o clima e característica do lugar que temporariamente se instalam.
Trabalho em um centro de saúde da zona Norte de Belo Horizonte, área de risco médio elevado. Na minha área de
abrangência existe um acampamento cigano que me chamou atenção devido a submissão da mulher cigana e a
dificuldade em se promover a saúde dessas mulheres. Aspectos culturais e sociais contribuem para baixa adesão
dessas mulheres ao progama.
Pretendo com esse relato de experiência, buscar soluções junto a outras equipes de PSF que também lidam com
essa dificuldade. Promovendo assim o aperfeiçoamento das nossas práticas e melhor qualidade das nossas equipes.
Contribuindo para o melhor desempenho junto a situações que fogem do modelo clássico de população de um PSF.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4309
Código do Autor Principal:3553
Nome do Autor Principal: CAIO MARIO RAMALHO
Autores:
CAIO MARIO RAMALHO,
JOSE GERALDO ALBERGARIA,
LEONARDO MENEZES,
FADIRA MIRANDA,
ANIBAL TADEU NEVES
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-018
Onde o trabalho foi realizado? SÃO FÉLIX - BA
Titulo:
VISITA ODONTOLOGICA DOMICILIAR: RELATO DE UM CASO
Resumo:
Este trabalho refere-se a um relato de experiência que utiliza a visita domiciliar como estratégia para ampliar o
acompanhamento odontológico, possibilitando o acesso a usuários com dificuldades motoras e/ou psicológicas. A
odontologia de São Felix, além de oferecer um atendimento de qualidade nos postos de saúde, esta realizando visitas
domiciliares, a fim de atender pacientes que não podem se locomover ate as unidades de saúde. São feitos
procedimentos básicos como: extração simples, escariaçoes, aplicação de cariostático, de flúor e exames para
detecção de câncer bucal. Tal serviço permite que o profissional conheça a realidade da comunidade que está tratando
e observe o modo de vida e as particularidades de cada paciente. A visita domiciliar constitui-se em um conjunto de
ações em saúde voltadas para o atendimento, tanto educativo como curativo. O presente trabalho foi realizado na área
de abrangência da Unidade de Saúde da Família Boa Vista, em São Felix - BA. As visitas domiciliares tiveram como
objetivo a promoção de saúde através da motivação, educação e diagnóstico de doenças, bem como o tratamento
clínico dos indivíduos assistidos. Este trabalho relata um caso de visita domiciliar a uma paciente portadora (segundo
laudo médico) de -embotamento emocional e fobia social-. É notório afirmar que a visita domiciliar traz resultados
positivos por possibilitar a atenção em saúde bucal a uma parcela da população que não teria acesso a Odontologia
tradicional, devido a sua condição peculiar de acamados ou por terem dificuldade psicomotora.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4310
Código do Autor Principal:3554
Nome do Autor Principal: CARMEM MIRANDA
Autores:
CARMEM MIRANDA; ROSANA APARECIDA DE RAMOS LIMA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-138
Onde o trabalho foi realizado? PONTA GROSSA - PR
Titulo:
EDUCAÇÃO ATRAVÉS DE TEATRO.
Resumo:
O Teatro na Educação, ou Teatro Educativo, ou ainda Teatro Pedagógico, consiste em trazer para a sala de aula as
técnicas do teatro e aplicá-las na comunicação do conhecimento. Esteja a pessoa como espectador ou como figurante,
o Teatro é um poderoso meio para gravar na sua memória um determinado tema, ou para levá-lo, através de um
impacto emocional, a refletir sobre determinada questão moral. Este trabalho tem como objetivo geral- Sensibilizar a
comunidade da região de abrangência sobre os acontecimentos do dia-a-dia-. Como método é a abordagem qualitativa
descritiva, local de estudo região de abrangência da UESF José da Silva Ribeiro, localizado no município de Ponta
grossa, Paraná, período de outubro de 2007 a março de 2008, realizado um total de 09 peças sobre os seguintes
assuntos: higiene ambiental, mental, corporal (banho em recém-nascido e em geral), a importância de realizar o
pré-natal, tuberculose, diabetes melitus, hipertensão, qualidade de vida, gravidez na adolescência, alimentação do
adolescente, dietas alimentar para terceira idade, sendo realizados em forma de teatro nas escolas, associações de
moradores, para grupo da terceira idade. Concluímos que através deste tipo de trabalho podemos de forma
descontraída esclarecê-los sobre os assuntos necessários, isto é, do dia a dia. Segundo relatos a comunidade
agradece e valoriza os conhecimentos e nós da equipe, estes trabalhos são realizados com ajuda da equipe da UESF e
estagiários de enfermagem.
PALAVRAS-CHAVES: TEATRO, EDUCAÇÃO, SAUDE
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4312
Código do Autor Principal:3556
Nome do Autor Principal: IVONETE APARECIDA ALVES SAMPAIO
Autores:
IVONETE APARECIDA ALVES SAMPAIO, ANA LUZIA MATIAS DE LUCENA, MARIA ANDREZA QUINDERÉ
FECHINE, JULIANA FECHINE BRAZ DE OLIVEIRA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-034
Onde o trabalho foi realizado? MISSÃO VELHA - CE
Titulo:
ANÁLISE DA PRÁTICA DA AUTOMEDICAÇÃO, NO MUNICÍPIO DE BREJO SANTO, NAS ÁREAS ASSISTIDAS
PELA ESF
Resumo:
INTRODUÇÃO: A automedicação consiste no consumo de um produto com o objetivo de tratar ou aliviar sintomas ou
doenças percebidos, ou mesmo de promover a saúde, independentemente da prescrição profissional. Fatores
econômicos, políticos e culturais têm contribuído para o crescimento e a difusão da automedicação no mundo,
tornando-a um problema de saúde pública. OBJETIVO: Analisar a prática da automedicação no município de Brejo
Santo - Ce. METODOLOGIA: Foi realizado um estudo de base populacional no município de Brejo Santo - Ce, com
população estimada em 42.004 habitantes. Foi selecionada uma amostra aleatória simples de 113 moradores com
idade igual ou maior a 18 anos e baseada na proporção de um (1%) do número de famílias assistidas pelas 14 equipes
da Estratégia de Saúde da Família. A coleta dos dados foi feita através de um questionário padronizado. Foram
consideradas para mensuração, as variáveis dependentes (prevalência da prática da automedicação nos últimos 15
dias) e independentes (geográficas, demográficas, sócio-econômicas, indicadores da condição de saúde, indicadores
de utilização de serviços de saúde e os medicamentos utilizados, por grupo farmacológico. Para análise foi utilizado o
programa Epi info 2002 da Organização Mundial de Saúde (OMS). ANÁLISE DOS DADOS: Do total de participantes,
35 (31,00%) relataram praticar automedicação nos últimos 15 dias. As seguintes variáveis apresentaram associações
com a prática da automedicação: residência na área geográfica da zona urbana; equipes da ESF: Araujão I, Olho
d-água e São Francisco II; faixa etária entre 36 a 53 anos; sexo feminino; famílias com maiores membros domiciliados;
renda familiar mensal igual ou menor a três salários mínimos; queixas de doenças anteriores; níveis de escolaridade
médio/baixo; aconselhamento de balconistas de farmácias comerciais como fator indutor da automedicacão e a não
orientação pelo profissional Farmacêutico nas farmácias comerciais. Os medicamentos que mais foram utilizados, por
grupo farmacológico, na prática da automedicação foram: os analgésicos/antitérmicos (dipirona), os
antiinflamatórios-AINES (diclofenaco sódico), os ansiolíticos (diazepam) e os antiácidos (omeprazol). CONCLUSÃO:
Verificou-se que houve descumprimento da lei estabelecida pela Vigilância Sanitária (ANVISA), que regulamenta a
comercialização de medicamentos controlados (faixa vermelha e preta) pelas farmácias comerciais, tendo havido
comercialização indiscriminada dos mesmos a usuários sem receituário médico. A prevalência da automedicação não
foi considerada elevada, contudo torna-se difícil reprimir essa prática. Entretanto, diminuí-la, tornando-a parte
importante da Assistência Primária à Saúde; desde que para isso, as autoridades governamentais, os proprietários de
farmácias e os profissionais de saúde invistam no desenvolvimento de práticas de prevenção e promoção de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4314
Código do Autor Principal:3558
Nome do Autor Principal: LUCIANA MODESTO LOUREIRO STORCK
Autores:
LUCIANA MODESTO LOUREIRO STORCK
AUGUSTA SOCORRO REIS DE OLIVEIRA
MARC ARTHUR LOUREIRO STORCK
CRISTINA APARECIDA SILVEIRA ARRUDA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-067
Onde o trabalho foi realizado? MANAUS - AM
Titulo:
LEVANTAMENTO EPIDEMIOLÓGICO DE CÁRIE DENTÁRIA NO DISTRITO NORTE DA CIDADE DE MANAUS
Resumo:
Introdução: A epidemiologia em saúde bucal é um instrumento que possibilita o conhecimento das condições
dentárias, possibilitando um diagnóstico para ações futuras.
Objetivos: O objetivo desse trabalho foi apresentar dados dos levantamentos epidemiológicos em saúde bucal
realizados entre os anos de 2006 e 2007 pela Equipe de Saúde Bucal da Unidade Básica de Saúde N12. Analisar as
variáveis: percentual de crianças livres de cárie e índice ceo e CPOD buscando reorganizar ações e a assistência em
saúde bucal para diagnóstico e compreensão ampliada dos problemas dessa população.
Metodologia: Foi feita uma investigação descritiva para análise da prevalência da cárie dentária em 176 pessoas
moradoras da área de abrangência da UBS N12 localizada no bairro Cidade Nova, Distrito Norte de Manaus, sendo 37
de 18 a 36 meses, 32 de 05 anos, 28 de 12 anos, 52 de 15 a 19 anos, 13 de 35 a 44 anos e 14 de 65 a 74 anos. O
instrumento de coleta de dados utilizado foi um modelo de ficha simplificado padronizado pela Organização Mundial de
Saúde (OMS).
Apresentação e discussão dos resultados: Na idade de 18 a 36 meses foi encontrado um ceo de 1,6 sendo 73% das
crianças livres de cárie, na idade de 05 anos o ceo foi de 4,3 sendo 25% livre de cárie e na idade de 12 anos o CPOD
foi de 2,6 sendo 32% livre de cárie. Dos 15 aos 19 anos o CPOD foi de 5,0, dos 35 aos 44 foi de 19,5 e na idade de 65
aos 74 anos foi de 26,9. A OMS preconizava um índice de 3,0 aos 12 anos para o ano de 2000 e 50% das crianças
livres de cárie aos 05 anos.
Considerações finais: Podemos concluir que a prevalência de cárie entre as crianças de 05 anos foi moderada. O
principal problema de saúde bucal entre adultos e idosos foi o edentulismo, e a reabilitação dentária representou uma
das principais demandas em saúde bucal dessa população.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4317
Código do Autor Principal:1732
Nome do Autor Principal: ILDONE FORTE DE MORAIS
Autores:
ILDONE FORTE DE MORAIS
ROBERTA KALINY DE SOUZA COSTA
CRISTYANNE SAMARA MIRANDA DE HOLANDA
JENNIFER DO VALE E SILVA
LIZY KAROL DOS SANTOS
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-095
Onde o trabalho foi realizado? CAICÓ - RN
Titulo:
EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NA ARTICULAÇÃO ENSINO-SERVIÇO DA ESF NO MUNICÍPIO DE CAICÓ/RN.
Resumo:
(INTRODUÇÃO) O processo de construção/consolidação do Sistema Único de Saúde - SUS necessita da efetivação
dos seus princípios e diretrizes para garantir o direito à saúde da população. Isso tem demandado uma reorientação
dos processos de formação em saúde no sentido de formar profissionais crítico-reflexivos capazes de atuarem como
sujeitos inventivos de uma mudança que concretize o SUS. Imbuídos desta compreensão, a disciplina Epidemiologia e
Enfermagem, ministrada no 3º período do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade do Estado do Rio
Grande do Norte - UERN de Caicó/RN pretende captar, interpretar e intervir na realidade de saúde; produzir
conhecimentos e utilizar a epidemiologia como instrumento do processo de produção dos serviços de
saúde/enfermagem. Em face desse movimento, um trabalho coletivo foi desenvolvido, envolvendo docentes, discentes
e profissionais da Equipe de Saúde da Família - ESF do Bairro João Paulo II de Caicó/RN, através do qual foram
construídos a sala de situação e o mapa inteligente do território de abrangência desta ESF. (OBJETIVO) Descrever a
experiência vivenciada na articulação ensino/serviço em saúde/enfermagem para construção coletiva da sala de
situação e mapa inteligente da UBSF do bairro João Paulo II da cidade de Caicó-RN. (METODOLOGIA) Este trabalho
teve como aporte metodológico a disciplina Epidemiologia e Enfermagem, que foi ministrada na perspectiva da relação
prática-teoria-prática, partindo da realidade da Unidade Básica de Saúde da Família - UBSF. O processo de construção
desses dois instrumentos correspondeu às atividades de captação e socialização das informações sobre a realidade
física e geográfica do Bairro e os dados contidos nas Fichas A e SSA2, para conhecer a situação de saúde da
população adscrita. (RESULTADOS ALCANÇADOS) Este contato com a realidade prática possibilitou a aproximação
dos discentes com os serviços de saúde, a visualização dos problemas, a compreensão das necessidades da
comunidade e os desafios enfrentados pela ESF na operacionalização do trabalho coletivo em saúde. Os dois
instrumentos construídos coletivamente subsidiarão o trabalho da equipe na elaboração do planejamento e no
monitoramento das ações realizadas, buscando a transformação sócio/sanitária local. A experiência proporcionou ainda
a parceria da UERN com o serviço municipal de saúde de Caicó/RN e os sujeitos envolvidos, na perspectiva do diálogo
dos saberes. (LIÇÕES APRENDIDAS COM A EXPERIÊNCIA) A articulação da UERN de Caicó com UBSF do Bairro
João Paulo II foi primordial para o desenvolvimento deste trabalho, pois oportunizou momentos de captação e
teorização da realidade, socialização dos conhecimentos e colaboração da comunidade nas visitas realizadas ao bairro.
(RECOMENDAÇÕES) A integração ensino/serviço promovida pela disciplina Epidemiologia e Enfermagem, possibilitou
aos discentes, docentes e profi
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4319
Código do Autor Principal:1011
Nome do Autor Principal: TATIANA AVELAR DE OLIVEIRA
Autores:
ENFERMEIRA TATIANA AVELAR; MEDICO NEY MAURO; DENTISTA JULIO JOSÉ.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-090
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ
Titulo:
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA PROBLEMA OU SOLUÇÃO?
Resumo:
No convívio diário com as gestantes usuárias da Unidade de Saúde da Família (USF) Colina pode se observar um
elevado número de adolescentes grávidas. Diante disso, parte o interesse em conhecer melhor o comportamento num
convívio. Assim a pesquisa tem como objetivo Identificar o entendimento dos adolescentes sobre a gravidez na
adolescência e diminuir o número de gestantes adolescentes que são residentes em Colina.O trabalho se justifica, pois
o tema gravidez na adolescência busca a reflexão critica no processo de conscientização do corpo através da
Implementação de ações de saúde. Pois busca conhecer a real necessidade dos adolescentes diante do tema
proposto, elevando assim, a qualidade de vida.A metodologia teve uma abordagem qualitativa MINAYO (1994 p. 22)
sendo de natureza descritiva, e a técnica de coleta de dados foi através da observação participativa e de dinâmicas. O
estudo foi realizado na Escola Municipal Dulcinda J Mendes pertencente ao município de São Pedro da Aldeia -RJ e os
sujeitos desta pesquisa foram adolescentes na faixa etário de 12 a 18 anos que cursaram a quinta e sesta serie do
ensino fundamental Principais resultados: os alunos referiram a adolescência como a fase da bagunça, assim o risco
de uma relação sexual sem prevenção é grande, portanto o risco para uma gravidez na adolescência também.Além
disso, os alunos consideraram o aborto como prática natural de contracepção, falas como: "Se a menina ficar grávida é
só tirar!", mostram uma realidade, que pode ter conseqüências graves através da prática ilegal do aborto.Por esse
motivo enfatiza-se a necessidade de um espaço de dialogo onde os adolescentes possam buscar conhecimentos e
construir opiniões sobre saúde, para isso a prática preventiva das USF é de grande importância, pois ira refletir na
saúde de sua comunidade.Considerações finais: a escola é um espaço onde o tema gravidez na adolescência pode
ser abordado com mais amplitude através do trabalho em equipe, com vários saberes que se completam na atuação
junto à comunidade.E com isso aponta-se a necessidade de manter a continuidade do projeto, através de um "club
saúde" nome proposto pelos estudantes, cujos membros são os alunos, os professores e os profissionais do PSF,
estabelecendo uma continuidade entre a escola e o PSF no sentido de proporcionar uma visibilidade e autonomia em
relação à sexualidade, diminuindo assim o grande número de gestantes adolescentes da comunidade Colina.
Palavras chaves: Adolescência; Gravidez e Sexualidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4320
Código do Autor Principal:3561
Nome do Autor Principal: CARINA FERNANDA ROBLES ANGELINI
Autores:
CARINA F. ROBLES ANGELINI1; MARIA DO CARMO G. CACCIA-BAVA2
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-021
Onde o trabalho foi realizado? ARARAQUARA - SP
Titulo:
A TRANSFORMAÇÃO DOS CUIDADOS AO DONTE MENTAL NA ATENÇÃO BÁSICA
Resumo:
Introdução: novas tendências apontam para a importância de ações voltadas a comunidades no campo da saúde
mental no Brasil. Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e as equipes de Saúde da Família devem integrar-se
numa rede articulada sob a lógica do cuidado progressivo, coordenado e humanizado. Assim, é preciso mover-se da
especialidade para o conhecimento interdisciplinar colaborativo. Objetivo: compreender os sentidos sobre o cuidado ao
portador de transtorno mental grave em uma Equipe de Saúde da Família. Método: estudo qualitativo feito a partir de
uma sessão de Grupo Focal com uma Equipe de Saúde da Família em uma cidade do interior do estado de São Paulo.
Utilizou-se o Construcionismo Social como referencial teórico-metodológico. Elaborou-se um Mapa de Associação de
Idéias utilizando-se categorias de análise e eixos temáticos. Resultados: verificou-se uma multiplicidade de sentidos
sobre o doente mental grave e seu cuidado na Atenção Básica. Considerações finais: o trabalho em grupo, que
favoreça a troca de saberes e conseqüente empoderamento dos trabalhadores da equipe de saúde da família apontou
a construção de novos sentidos sobre o doente mental grave, a família e as possibilidades de cuidado da equipe. A
construção conjunta e articulada com a área da saúde mental pode transformar as possibilidades de cuidado ao
portador de transtorno mental grave na perspectiva da assistência integral à saúde das pessoas e ampliar as
potencialidades da Estratégia de Saúde da Família.
Observação:
1- PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAQUARA
2- UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO - FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO - DEPT. DE MEDICINA
SOCIAL
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4321
Código do Autor Principal:3562
Nome do Autor Principal: CICERO PEREIRA DE SOUSA
Autores:
AUTOR: CICERO PEREIRA DE SOUSA,
CO-AUTOR: CICERA MARIA PEREIRA DE SOUSA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-028
Onde o trabalho foi realizado? CRATO - CE
Titulo:
CONDUTA DOS ENFERMEIROS DO PSF DO MUN. DO CRATO FRENTE AO ACONSELHAMENTO EM DST/AIDS
APLICADO À GEST
Resumo:
CONDUTA DOS ENFERMEIROS DO PSF DO MUNICÍPIO DO CRATO FRENTE AO ACONSELHAMENTO EM
DST/AIDS APLICADO ÀS GESTANTES.
Introdução: É considerável a transmissão vertical do HIV/AIDS. O governo estabelece medidas de prevenção,
priorizando o grupo de gestantes. Oferta o teste e tratamento, pelo menos teoricamente, como forma de minimizar o
contágio às crianças. Quanto maior o número de gestantes submetidos ao teste, menores as chances de transmissão.
A decisão em aceitar ou não o exame é voluntária e deve está fundamentada em informações consistentes, o que é
favorecido pelo aconselhamento. Este visa a ampliação do acesso ao teste, para tratamento precoce e evitar a
disseminação do HIV/AIDS.
Objetivo (os): Pesquisar a conduta dos enfermeiros do PSF do Município do Crato diante do aconselhamento às
gestantes e identificar as dificuldades que circundam a prática do aconselhamento na rotina pré-natal.
Metodologia: A pesquisa é do tipo descritivo. Foi realizado um estudo bibliográfico, aplicação de questionário, seguido
de uma análise qualitativa dos dados.
Resultados: O exame anti-HIV para gestantes é solicitado rotineiramente pelos enfermeiros do PSF. Chega até eles
apenas os resultados negativos, os positivos são abarcados pela referência. Poucas, ou nenhuma orientações são
prestados no pós-teste de resultado negativo. Talvez a falta de habilidade em manejar aconselhamento emperre a sua
aplicação.
Considerações finais: O aconselhamento pré e, principalmente, pós-teste está vinculado ao centro de referência. A rede
básica de saúde poderia ampliar este serviço, se a ela fosse expandida. Para tanto seria necessário recrutamento
contínuo dos profissionais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4322
Código do Autor Principal:3563
Nome do Autor Principal: VALERIA CRISTINA DA SILVA
Autores:
NORONHA,JOÃO BATISTA *
ADRIANO,MARIA SORAYA PEREIRA FRANCO **
NORONHA,MARILENE MARIA MACEDO ***
SILVA,VALÉRIA CRISTINA DA **** (AUTORA)
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-060
Onde o trabalho foi realizado? CAAPORÃ - PB
Titulo:
GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA: UM ENFOQUE TEATRAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE
CAAPORA-PB
Resumo:
A gravidez precoce vem se configurando como um problema de saúde pública cada vez mais grave no Brasil, pois
atinge principalmente a classe social mais carente. Considerado um fenômeno complexo ela está associada a fatores
econômicos, educacionais e comportamentais, gerando agravos psicológicos, emocionais e sociais. Com o aumento do
índice de jovens grávidas é preciso repensar ações de saúde e educação. O presente trabalho tem como objetivo
relatar a experiência vivida com os adolescentes da zona rural atendidos na unidade de saúde da família de Retirada
no município de Caaporã - PB, no período de outubro de 2005 à março de 2008.A metodologia utilizada pela equipe foi
em busca de adolescente para serem parceiros no projeto, com aplicação de atividades preventivas e educativas,
envolvendo ações de saúde,educação, cultura e lazer dentre as atividades desenvolvidas pelos próprios jovens ,temos
a dramatização sobre a gravidez precoce, realizada pelo grupo e apresentada nas escolas, cujo objetivo é sensibilizar e
conscientizar quanto á prática do auto-cuidado e da responsabilização dos atos, além de estimular o descobrimento e o
desenvolvimento de potencialidades,tornando-ós protagonistas da própria estória, enfocando experiências vivenciados
pelos adolescentes.Os resultados obtidos constam da elevação da auto-estima , do senso de responsabilidade, bem
como maior engajamento no contexto social,aumento no número de adolescente participando de atividades oferecidas
na unidade saúde da família, como também proporcionou maior procura de jovens para inserção no grupo. Diante do
exposto, recomendamos ações públicas que possibilitem os adolescentes serem atores, agentes multiplicadores, onde
o jovem fale para o próprio jovem, e que cada vez mais o atendimento multiprofissional possa proporcionar condições
de maior convivência interpessoal, com ações educativas,preventivas,na saúde sexual e reprodutiva,violência
física,psíquica, intrafamiliar e social, oferecendo um indicador referencial para o atendimento a saúde integral desta
população.
Observação:
* Médico da Estratégia Saúde da Família da USF do Santo Antônio;Especialista em Saúde da Família
**Cirurgiã Dentista, Diretora de Atenção Básica de Caapora- PB;Especialista em Saúde da Família
***Enfermeira da Estratégia Saúde da Família da USF de Retirada;Especialista em Saúde da família
****Psicologa da Estratégia Saúde da Família de Caapora;Especialista em Saúde da família
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4324
Código do Autor Principal:3564
Nome do Autor Principal: ROSANGELA GOMES DA MOTA DE SOUZA
Autores:
ROSANGELA GOMES DA MOTA DE SOUZA- TERAPEUTA OCUPACIONAL, REFERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL DE
ESF.
GIANNE CARVALHO DE SOUZA - PSICÓLOGA, REFERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL DE ESF.
PRISCILLA CAVINI- PSICÓLOGA, REFERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL DE ESF.
IVALDETE RODRIGUES DA SILVA - ENFERMEIRA DE ESF.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-004
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
A SAÚDE MENTAL FLUINDO PELAS VIELAS DO IGUAÇU: RELATO DA EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA DE
SAÚDE MENTAL.
Resumo:
Introdução:Este relato descreve o trabalho de uma Equipe de Saúde Mental(ESM) junto ao PSF da UBS Iguaçu. O
PSF alinhado aos princípios do SUS, demonstrou aspectos operacionais e conceituais intimamente relacionados aos
princípios da Reforma Psiquiátrica Brasileira. A inclusão de uma ESM neste PSF foi uma forma de garantir que ações
de saúde mental se dessem num território quase sem alternativas para enfrentar as situações de sofrimento mental,
efetivando a atenção de acordo com a política nacional de saúde mental utilizando-se dos recursos presentes no PSF.
Objetivos:Implantar um Programa de Saúde Mental(PSM) a partir dos processos de trabalho estabelecidos pelas
equipes de saúde da família(ESF); capacitá-las em saúde mental; reforçar o trabalho em equipe; fortalecer o trabalho
intersetorial; alcançar o uso racional de psicofármacos. Metodologia:equipe volante de saúde mental e posteriormente
equipe de referência; processos de sensibilização/capacitações com as ESF acerca da loucura/sofrimento; reuniões
com as ESF para discussão de caso; construção de projetos terapêuticos para pessoas em sofrimento em conjunto
com as ESF; reforçar o trabalho intersetorial e no território; inserção da ESM na dinâmica institucional da UBS.
Resultados:melhor identificação dos casos de saúde mental; maior alcance na oferta da assistência integral à saúde
para os pacientes da saúde mental; possibilidade de desmedicalização e construção de projetos terapêuticos;
ampliação para a compreensão da dinâmica familiar e o acesso a outras pessoas além daquela identificada como
paciente; impacto variável nos profissionais da ESF quanto à adesão à proposta do PSM; instauração dos processos
da clínica ampliada junto às ESF; fortalecimento do trabalho em equipe; construção ampliada do trabalho no território.
Lições aprendidas:Facilidades:alto potencial de identificação dos casos de saúde mental pelas ESF; o trabalho em rede
estabelecido pelas ESF; o PSF como porta de entrada para as questões de saúde e saúde mental; a presença do ACS;
possibilidade de capacitações singulares. Dificuldades:rede de recursos formais precária; as resistências das ESF em
acompanhar os pacientes da saúde mental, e as resistências dos profissionais de saúde mental em agregar-se à
saúde; as solicitações para atendimento de funcionários (nossos colegas de trabalho); mudanças políticas e as
ameaças ao projeto; violência no território. Recomendações: estabelecer proposta de saúde mental no PSF a partir do
conhecimento do trabalho das ESF, da demanda e dos recursos do território; proporção de 3 técnicos de saúde mental
para cada 3ESF, adaptados á realidade local; inserção de indicador de saúde mental no SIAB; educação continuada
para as ESF e temática de saúde mental/reforma psiquiátrica na graduação dos cursos de saúde; estabelecimento de
equipes de saúde mental de referência para as ESF.
Observação:
Título completo: A saúde mental fluindo pelas vielas do Iguaçu: relato da experiência do Programa de Saúde
Mental(PSM) do Programa de Saúde da Família(PSF) na UBS Jd. Iguaçú- SP.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4327
Código do Autor Principal:3541
Nome do Autor Principal: ÉRIKA SOARES CALDEIRA
Autores:
ÉRIKA SOARES CALDEIRA;
JEAN FERREIRA DE SOUZA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-052
Onde o trabalho foi realizado? MONTES CLAROS - MG
Titulo:
ESTRATÉGIA DE COMBATE AO TABAGISMO DE UMA ESF DE MONTES CLAROS - MG
Resumo:
Introdução: O tabagismo é responsável por enorme quantidade de danos à saúde, constituindo a principal causa de
mortes evitáveis no mundo.
Objetivos: O Grupo de apoio aos tabagistas foi organizado pela Equipe de Saúde da Família Santa Lúcia de Montes
Claros, para apoiar os pacientes da área de abrangência que desejassem deixar o hábito de fumar e manter a
abstinência.
Metodologia: Foi realizado um levantamento dos tabagistas de sua micro-área de abrangência através da Ficha A
(Ficha de cadastro das famílias). Foram identificados 106 usuários com o hábito de fumar diariamente ou
ocasionalmente. A seguir os usuários ou seus familiares foram informados do Grupo de Apóio e convidados a
participarem. Houve quatro sessões quinzenais, em outubro e novembro de 2004. As reuniões foram realizadas pela
médica e pelo enfermeiro do PSF e contavam com a participação dos ACS. Os grupos foram conduzidos através de
dinâmicas vivenciais e guiados pelos seguintes temas: Ambivalência do tabagismo e como o cigarro afeta a saúde;
sintomas de abstinência e como lidar com isso; planejamento da interrupção do tabagismo e discussão dos obstáculos
da abstinência; benefícios da abstinência. Os temas foram selecionados a partir do Manual do Ministério da Saúde.
Logo após as reuniões, os usuários foram entrevistados individualmente oportunidade em que eram colhidos dados
referentes à medicação em uso, tentativas anteriores de abandono ao hábito de fumar, sintomatologia atual, doenças
pregressas, história familiar, grau de dependência (teste de Fagerström) e estágio de motivação. Neste momento,
também, foi oferecido tratamento medicamentoso, quando indicado. Foram idealizadas reuniões mensais de partilha
após o término do grupo.
Resultados alcançados: Dos 106 usuários, cinco (4,7%) interessaram-se pelo Grupo de Apóio. O número de
participantes diminuiu nas sessões subseqüentes. Dois participantes (1,9%) interromperam o tabagismo ao final das
quatro sessões. Nenhum deles fez uso de medicação devido à dificuldade de aquisição (custo). Devido à baixa adesão
dos usuários, a ESF decidiu pelo acompanhamento individual dos mesmos a partir da quarta sessão e extinção do
grupo. Além disso, o aconselhamento breve em todas as oportunidades (visitas domiciliares, consultas, etc) e
facilitação do acesso a quem desejasse ajuda para interromper o hábito de fumar foram estratégias que continuaram a
ser usadas pela equipe.
Lições aprendidas com a experiência: As dinâmicas vivenciais auxiliam no aprendizado dos participantes. Concluímos
que as sessões devem ser realizadas com menor intervalo de tempo, para manter a coesão e a motivação do grupo,
com vistas à obtenção de resultados mais expressivos.
Recomendações: Os grupos devem se constituir a partir da demanda da comunidade. Como em alguns casos é
necessário tratamento medicamentoso, o financiamento é parte importente no projeto.
Observação:
As reuniões foram norteadas pelo Manual do Ministério da Saúde elaborado pelo Instituto Nacional do Câncer.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4330
Código do Autor Principal:3569
Nome do Autor Principal: NATÁLIA MOREIRA SOARES
Autores:
NATÁLIA MOREIRA SOARES
CRISTHIANE YUMI YONAMINE
JACKELINE LOURENÇO ARISTIDES
CÉLIA REGINA RODRIGUES GIL
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-066
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
A-PRÓPRIA-AÇÃO COLETIVA NA CONSTRUÇÃO DAS PRÁTICAS PROFISSIONAIS EM SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Este trabalho foi realizado por estudantes da Residência Multiprofissional em Saúde da Família, desenvolvida numa
parceria entre a Universidade Estadual de Londrina e a Autarquia Municipal de Saúde, que tem entre suas propostas,
contribuir para o fortalecimento do trabalho em equipe e a inclusão de ações de promoção e prevenção no cotidiano da
USF. As residentes, com o objetivo de atender tais finalidades, fizeram um diagnóstico das atividades realizadas numa
USF e constataram poucas ações de prevenção e de promoção de saúde; predomínio das ações curativas; inexistência
de grupos de saúde; ausência de avaliação das ações desenvolvidas; raros momentos de reunião das equipes e o
trabalho basicamente voltado ao atendimento da demanda espontânea. Na enfermagem, as dificuldades em organizar
ações que não fossem curativas eram maiores. Na fisioterapia, que ainda é vista como apoio matricial, encontrou-se a
falta de recursos físicos e materiais e o conhecimento apenas do papel reabilitador. Na psicologia, a concepção
predominante foi a da atuação tradicional, clinica e individualizada e a própria equipe desconhecia as possíveis ações
desta área. A partir do diálogo com a coordenação da USF, com os profissionais de saúde e durante os encontros
teóricos do curso, observou-se a importância da utilização dos recursos organizacionais para a melhoria das práticas,
destacando-se as reuniões periódicas com as equipes. A partir destas reuniões e de forma coletiva, foi criado um grupo
de gestantes e valorizou-se a participação no grupo de idosos, deu-se início à construção de instrumentos de
monitoramento das atividades programáticas dos problemas de saúde prevalentes como hipertensos, diabéticos,
asmáticos e usuários de medicação controlada e, mais recentemente, pode-se criar ações multiprofissionais voltadas
ao enfrentamento de problemas mais complexos de saúde, como a violência intrafamiliar. A partir da apropriação de
todas estas questões que permeiam o processo de trabalho na USF, bem como as formas de promover o cuidado à
população, foi possível refletir sobre a própria ação (apropriação) dos diferentes atores envolvidos nesse processo,
incluindo os residentes, na busca pela construção das ações de promoção e prevenção em saúde e do fortalecimento
da Saúde da Família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4331
Código do Autor Principal:3570
Nome do Autor Principal: EUGÊNIA ZILIOLI DE ALMEIDA
Autores:
EUGÊNIA ZILIOLI DE ALMEIDA E LISLAINE APARECIDA FRACOLLI
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-178
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
AS CONCEPÇOES DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE
Resumo:
Esta pesquisa compreende um estudo de caso do tipo descritivo, que pretende fazer uma abordagem
quanti-qualitativa das ações de Promoção da Saúde do Agente Comunitário de Saúde (ACS). Teve como objetivos:
descrever e analisar as ações do ACS, buscando identificar as concepções de promoção da saúde que dão suporte as
mesmas. A pesquisa foi realizada na cidade de São Paulo, em uma Unidade Básica de Saúde localizada na região
central deste município. Foram sujeitos do estudo 16 ACS que atuam na região. Os dados quantitativos foram
coletados através de um Formulário, baseado na proposta do Ministério da Saúde para os eixos de Competências do
ACS quais sejam aqui citados como: A integração da equipe com a população, Planejamento e avaliação, Promoção da
Saúde, Prevenção e monitoramento de risco ambiental e sanitário e a grupos específicos e morbidades. Estes dados
foram organizados segundo o programa EXCEL. Os dados qualitativos foram coletados por meio da técnica de Grupo
Focal (GF) e visavam aprofundar os dados obtidos com o inquérito. As discussões das ações de promoção da saúde
no GF foram analisadas pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Foi possível a constatação de que o ACS
investigado tinha mais habilidade com as ações de promoção da saúde que se dispunham informar a família sobre o
comportamento adequado à saúde e, pouquíssimo domínio, em desenvolver a autonomia da população para tomada
de decisão em relação as suas necessidades de saúde, e revelaram três Discursos Centrais: O trabalho do ACS, O
desenvolvimento de atividades inter-setoriais na comunidade para o ACS e A valorização das ações do ACS para a
comunidade. A análise destes discursos mostrou que as práticas de promoção da saúde do ACS, estão centradas
numa visão higienista e não de empowerment. Os resultados mostram que a capacitação contínua, não considerou o
embasamento teórico do novo modelo da Promoção da Saúde. Com isso, o ACS não compreendeu ainda qual é seu
real papel e tão pouco desempenhou ações que auxiliassem no desenvolvimento da autonomia da população. A
proposta deste trabalho é que sejam garantidos momentos de discussão entre as equipes de PSF, baseados
teoricamente nos eixos de competências dos ACS e com isso, este profissional (ACS) terá a possibilidade de
compreender seu real papel e poderá desenvolver ações cotidianas que capacitem e estimulem a população a
participar no levantamento de suas necessidades e na organização de propostas para solucionar seus problemas de
saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4332
Código do Autor Principal:3571
Nome do Autor Principal: ZILMARA GONÇALVES PAULINO SARMNETO
Autores:
AUTOR: ZILMARA GONÇALVES PAULINO SARMENTO
ORIENTADORA: PROFª. MS. SIMONE HELENA DOS SANTOS OLIVEIRA
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-068
Onde o trabalho foi realizado? SUMÉ - PB
Titulo:
CRENÇAS RELACIONADAS A ADOÇÃO DA DIETA PARA CONTROLE DA HIPERTENSÃO ARTERIAL
Resumo:
RESUMO
SARMENTO, Zilmara Gonçalves Paulino. Crenças relacionadas à adoção da dieta
para
o controle da
Hipertensão Arterial - 2004. 58p. Monografia ( Especialização em Programa Saúde da Família) - Núcleo de
Estudos em Saúde Coletiva - Universidade Federal da Paraíba.
A Hipertensão Arterial é uma doença crônica, de natureza multifatorial, assintomática e caracterizada pela elevação da
pressão arterial, constituindo-se um grave problema de saúde pública. Ante a gravidade do problema o presente
estudo, do tipo exploratório-descritivo, de caráter quantitativo, teve como objetivos: identificar crenças comportamentais
e normativas positivas e negativas que influenciam a intenção comportamental de hipertensos em adotar a dieta para
controle da hipertensão arterial, tendo como base os preceitos da Teoria da Ação Racional - TAR; identificar as fontes
de informações dos hipertensos sobre a importância da dieta para controle da pressão arterial. A população constou de
hipertensos cadastrados e acompanhados na Unidade de Saúde - PSF III - Sumé - PB. Foram realizadas 100
entrevistas, que revelaram uma população de hipertensos com 77% de mulheres; 37% de analfabetos; 49% com renda
familiar de um salário mínimo; 37% com idade entre 50 e 60 anos. Com relação à adoção da dieta, os hipertensos
relataram como crenças positivas: evita complicações (41,9%); controla os níveis pressóricos (33,3%); melhora o
condicionamento físico (21,7%); como crenças negativas foram citadas: restrições alimentares (28%); alteração no
paladar (19,7%); dificuldade financeira (18,4%); necessidade de associação com a medicação (14,6%). Com referência
às fontes de informações sobre a importância da dieta foram citadas: Posto de Saúde (41,2%); rádio (24,3%); TV
(20,6%). Os entrevistados afirmam que os Agentes Comunitários de Saúde (30,7%) constituem-se os principais
referentes que consideram importante o cumprimento da dieta para o controle da pressão arterial. Concluiu-se, após o
estudo que os hipertensos necessitam de uma melhor orientação sobre a importância da dieta para controle dos níveis
pressóricos. Os dados revelam que é imprescindível intensificar e dar continuidade às ações educativas executadas
pela equipe de saúde, estimulando a população estudada para a adesão a dieta, visando otimizar estratégias com
participação ativa dos hipertensos e de sua família, estimulando uma melhor qualidade de vida e tendo como objetivo
minimizar ou evitar as complicações ocasionadas pela falta de controle da pressão arterial.
Palavras-chave: Hipertensão Arterial. Teoria da Ação Racional. Adesão à dieta.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4336
Código do Autor Principal:3573
Nome do Autor Principal: TIAGO COAN MIELKE
Autores:
AUTOR: DR. TIAGO COAN MIELKE CIRURGIÃO DENTISTA SAÚDE DA FAMÍLIA
CO-AUTORA: DRA. MÁIRA SANTOS MARTINELLI CIRURGIÃ DENTISTA SAÚDE DA FAMÍLIA
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-004
Onde o trabalho foi realizado? ITARANA - ES
Titulo:
ASSISTÊNCIA À SAÚDE BUCAL ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE ITARANA
Resumo:
Introdução
Analisando a boca como parte integrante do corpo humano, sendo sua porta de entrada e principal meio de
comunicação e socialização, a manutenção de sua saúde dentro de um amplo conceito de estética e funcionalidade
torna-se fundamental dentro do moderno conceito de saúde.
Posto tudo isso a saúde da família/equipe de saúde bucal implantou o atendimento odontológico na Associação
Pestalozzi de Itarana, que visa atender os alunos dessa instituição, abrangendo não só o tratamento propriamente dito
como também a prevenção, fazendo para isso uma educação continuada dos alunos.
Objetivos
Melhoria na qualidade de vida dos alunos da instituição, através de uma boa saúde bucal fundada na educação,
valorização e conscientização dos pais e professores sobre o valor das dentições permanente e decídua, e demais
estruturas que compõem a cavidade bucal, evitando desta forma perda precoce de dentes, uso de prótese, doenças
relacionadas com problemas bucais e o câncer de boca.
Metodologia
A metodologia consistiu em um primeiro contato através da educação em saúde, levantamento dos problemas de
saúde bucal e geral, controle desses alunos com escovação supervisionada, atendimento propriamente dito e
encaminhamento dos pacientes com problemas não resolvidos na atenção básica.
Resultados Alcançados
Melhor integração equipe/Pestalozzi, diminuição dos problemas de saúde bucal (cáries, doença periodontal, perda
de dentes), melhoria nas condições de saúde geral dos pacientes, acesso ao serviço público.
Lições aprendidas com a experiência
Não existe trabalho que não possa ser feito independente dos clientes, força de vontade dos pacientes com
necessidades especiais, adaptações na hora do atendimento propriamente dito, importância da educação em saúde e
de atividades de ação coletiva.
Recomendações
Melhorias na atenção secundária a saúde, realização de treinamento para atendimento de pacientes com
necessidades especiais para as equipes de saúde da família, incentivo aos profissionais para realização de trabalho
com pacientes com necessidades especiais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4337
Código do Autor Principal:2328
Nome do Autor Principal: MARIA DO SOCORRO VIEIRA LOPES
Autores:
MARIA DO SOCORRO VIEIRA LOPES
ADRIANA BRASIL DE ALBUQUERQUE
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-058
Onde o trabalho foi realizado? FORTALEZA - CE
Titulo:
VISITA DOMICILIAR NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: PERCEPCÕES DE USUÁRIOS SOBRE A
HUMANIZAÇÃO.
Resumo:
Introdução: A visita domiciliar proporciona aos profissionais um importante espaço para o exercício do dialogo,
permite uma proximidade para o acompanhamento, conhecimento das famílias, em suas necessidades de saúde,
perpassando nessa perspectiva, pelo olhar da humanização. Objetivo: Este estudo buscou compreender, com base na
perspectiva dos usuários, as percepções destes acerca da visita domiciliar, demarcando como dimensões analíticas, a
humanização do cuidado. Metodologia: O estudo se fundamentou na metodologia qualitativa. Os informantes desta
pesquisa são 21 usuários do Programa Saúde da Família do município de Fortaleza que recebem visitas domiciliares
dos profissionais da equipe. A seleção da amostra intencional teve como critérios: Ter sido visitado no mínimo duas
vezes pelo médico ou enfermeiro e também pelo agente de saúde; estar em condições físicas e psicológicas de
responder à entrevista, além de concordar livremente em participar. Obtivemos os nomes dos usuários através do
levantamento dos cadastros, registros e fichas de -contingência-. A técnica para obtenção das informações, foi a
entrevista individual, com duração média de 40 minutos. Todas as entrevistas foram gravadas com o consentimento
dos entrevistados. Após a transcrição das entrevistas deu-se a categorização e, posteriormente, a interpretação das
informações. Análise e discussão: Abordaremos detalhadamente a categoria Aspectos relacionais da visita, e sua
subcategoria: -humanização do cuidado-. Nessa perspectiva, cabe observar que cuidar é: -mais que um ato, é uma
atitude. Representa uma atitude de ocupação, preocupação, responsabilização e de envolvimento afetivo com o outro-.
Evidenciamos a percepção do cuidado, como apoio à minimização da solidão e do sofrimento vivenciado no entorno
familiar. Observamos que para muitos entrevistados, -educação- vincula-se com humanização para designar o sujeito
portador de -atitudes humanas-. Para eles, os sujeitos educados - gentis e atenciosos no modo de tratar o outro - são
mais humanos e tem o -coração melhor que o dos demais-. Considerações finais; O discurso da humanização, para os
usuários informantes deste estudo, é que humano, é aquele sujeito dotado de amor ao próximo, que trata o outro com
delicadeza e respeito. Em síntese, parece-nos evidente a idéia de que o cuidado domiciliário decorrente da Estratégia
Saúde da Família engloba e perpassa modalidades de atenção que visualizam características fundamentais que
garantam a humanização do cuidado centrado no usuário e sua família. Reverter o modelo de assistência ainda
hegemônico implica buscar uma assistência integral, equânime e que garanta a qualidade de vida e a autonomia dos
sujeitos do processo.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4338
Código do Autor Principal:3574
Nome do Autor Principal: KELLY CRISTIANE DE CARVALHO ARAGAO
Autores:
KELLY CRISTIANE DE CARVALHO ARAGAO
ANNY JAQUELINE FERREIRA QUEIROZ
AMANDA DE FREITAS DIAS
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE7-015
Onde o trabalho foi realizado? JANAÚBA - MG
Titulo:
CONSELHO LOCAL: IMPORTÂNCIA FRENTE ÀS NECESSIDADES DA COMUNIDADE
Resumo:
Janaúba é um município situado ao Norte de Minas Gerais, tendo como população aproximadamente 65 mil habitantes,
Tem como principais atividades a agricultura, pecuária e serviços (Comércio).
O Programa Saúde da Família foi implantado em Janaúba em 1999 com uma cobertura inicial de 14,5% atingindo
100% em 2004, somando um total de 20 equipes, vindo cada vez mais fortalecendo a atenção primária através da
promoção de saúde, prevenção de agravos, cura e reabilitação.
Apesar de existir uma cobertura de 100% o PSF do município deparava com uma dificuldade de estar inserindo a
comunidade no reconhecimento dos seus problemas e participação para resolução dos mesmos.
Os objetivos propostos são de fazer com que os lideres da comunidade junto com a equipe de saúde desenvolvam
atividades que visem à conscientização da população em relação à importância do conhecimento do real
funcionamento das unidades básicas de saúde, favorecendo a participação efetiva desses lideres envolvendo a
comunidade e a equipe de saúde no processo de reconhecimento e discussão dos problemas e necessidades de
saúde, bem como propor ações de melhorias desses problemas.
Partiu-se do pressuposto de que a inserção da comunidade no entendimento dos seus problemas e na
responsabilização na resolução dos mesmos é de fundamental importância na melhoria das condições de saúde da
população. Os lideres comunitários envolvidos no processo foram convidados pela equipe de saúde através dos ACS.
Cada equipe de saúde realizou uma reunião apresentando a proposta do trabalho em parceria, enfocando a
importância desse trabalho. Instituiu-se que seria realizada uma reunião mensal, próximo à data do fechamento do
SIAB para análise dos dados apresentados, levantamento dos problemas enfrentados pela comunidade e propostas
para soluções dos mesmos.
Os resultados alcançados apontam melhoria do relacionamento da população com a equipe de saúde, compreensão e
organização da comunidade frente aos problemas e necessidades em saúde do território adscrito e funcionamento do
PSF.
Em todo esse processo encontramos as dificuldades de entendimento dos lideres em relação ao funcionamento do
PSF, reuni-los no dia agendado e inserir a comunidade no processo de transformação dos problemas de saúde do seu
bairro, modificando o pensar em relação a participar das reuniões somente com o intuito de melhorias no âmbito
individual. E como facilidade obteve-se a compreensão dos líderes, em relação à importância de se trabalhar em
parceria com a equipe de saúde e a comunidade, após sensibilização dos mesmos.
Através dos resultados alcançados, percebe-se que é viável a aplicação do experimento relatado em diversas
instituições tornando o serviço público mais eficaz, mediante a difusão e multiplicação do trabalho realizado por vários
membros envolvidos e comprometidos com a qualidade e seriedade dos serviços de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4339
Código do Autor Principal:3575
Nome do Autor Principal: SANDRA CRISTINA SEIXAS
Autores:
SANDRA CRISTINA SEIXAS
ANA RITA BARBIERI
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-019
Onde o trabalho foi realizado? CAMPO GRANDE - MS
Titulo:
ANÁLISE DA PRÁTICA DOS ENFERMEIROS NAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMILIA EM CAMPO GRANDE, MS.
Resumo:
O Programa de Saúde da Família (PSF), implantado pelo Ministério da Saúde em 1994, incorporou os princípios
básicos do Sistema Único de Saúde (SUS) na estrutura da Unidade de Saúde da Família (USF). Conforme proposta do
Ministério da Saúde, são atribuídas funções específicas para os profissionais integrantes da equipe, com o intuito de
oferecer assistência integral e contínua a cada membro da família e/ou da comunidade. No PSF foram definidas ações
mínimas e competências para cada membro da equipe. Ao enfermeiro compete desenvolver atividades que aliem o
cuidado individual ao coletivo a pessoas e a todos os grupos populacionais. Também estabelece como sua
competência à consulta de enfermagem com avaliação do estado de saúde e prescrições de cuidados de enfermagem,
exames complementares, prescrições/transcrições de medicamentos previstos em protocolos do Ministério da Saúde.
As atribuições conferidas ao enfermeiro no PSF em nada fogem às previstas pela Lei do Exercício Profissional, ao
contrário, valorizando o profissional, o Ministério da Saúde acrescenta como atividade privativa à educação voltada à
formação de auxiliares de enfermagem e de agentes comunitários de saúde e a pesquisa para produção de
conhecimento. O Programa de Agentes Comunitários da Saúde (ACS) foi iniciado no município em 1998. A partir de
agosto de 1999 o Programa Saúde da Família (PSF) começou suas atividades com quatro equipes. Com a implantação
do PSF, a Secretaria de Saúde intencionava fortalecer o papel de equipes que, trabalhando em áreas limitadas poderia
conhecer melhor e intervir de forma mais adequada nos problemas de saúde da população, transformando assim o
modelo assistencial. Partimos da premissa de que muito mais do que normas ou programas, a efetivação de um
modelo de assistência mais integral exige novas atitudes institucionais e profissionais que apóiem mudanças. Com a
perspectiva de analisar o processo de trabalho dos enfermeiros em PSF diante da expectativa de um novo perfil
profissional, pretendeu-se, através deste estudo, identificar as práticas dos enfermeiros inseridos no
Programa Saúde da Família em Campo Grande/MS e analisou: (1) se tais práticas correspondem às suas atribuições;
(2) se há predomínio de alguma atividade (assistencial, administrativa, supervisão). Foi utilizado um formulário aplicado
em 29 enfermeiros além de observação. Os resultados evidenciaram supremacia das atividades assistenciais. No
entanto, as atividades consideradas privativas à profissão tanto quanto as funções delegadas ao enfermeiro que atua
no Programa de Saúde da Família foram pouco constatadas. Os resultados sugerem a necessidade de uma reflexão
dos enfermeiros e das instituições formadoras acerca do papel desses profissionais como sujeitos ativos. No serviço
para transformar o modelo assistencial e no ensino, para formar um profissional contextualizado à realid
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4340
Código do Autor Principal:3576
Nome do Autor Principal: CLÁUDIO CLAUDINO DA SILVA FILHO
Autores:
CLÁUDIO CLAUDINO DA SILVA FILHO, ALINE OLIVEIRA DOURADO, JÉSSYCA NATHIELLY BARBOSA SANTOS,
NADIRLENE PEREIRA GOMES
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-087
Onde o trabalho foi realizado? JUAZEIRO - BA
Titulo:
PREVENÇÃO DO CÂNCER CÉRVICO-UTERINO: PERCEPÇÕES DE USUÁRIAS DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA
FAMÍLIA
Resumo:
O Câncer de Colo de Útero é um dos poucos processos patológicos para o qual existe exame de detecção sensível,
seguro, barato e de boa especificidade, conseguindo reduzir notavelmente a mortalidade por este tipo de câncer, que
no Nordeste, ainda representa a segunda causa de mortalidade bruta entre as neoplasias malignas para a população
feminina. Estes óbitos podem ser evitados pela detecção precoce das alterações celulares pré-neoplásicas, as quais
podem ser rastreadas pelo Teste Papanicolaou ou Exame Preventivo. O objetivo geral deste estudo é identificar e
analisar as percepções de mulheres acerca do Exame Preventivo, e dentre os objetivos específicos, destaca-se o de
identificar as dificuldades encontradas por elas para realização deste Exame. Assim, este trabalho trata-se de uma
pesquisa descritiva, com abordagem qualiquantitativa, que teve como lócus as áreas de abrangência da Estratégia de
Saúde da Família em Juazeiro-BA. A coleta de informações deu-se através de formulário semi-estruturado, e os
sujeitos do estudo foram 150 mulheres da demanda espontânea de 07 diferentes unidades básicas de saúde. Os dados
quantitativos foram organizados, tabulados e apresentados sob a forma de percentuais descritivos simples, e para
compreensão dos dados qualitativos, utilizou-se a Análise de Conteúdo de Bardin, na modalidade Análise Temática. A
idade das entrevistadas variou entre 17 e 67 anos; 49,3% não concluíram o Ensino Fundamental; e 84,6% das
mulheres possuíam renda inferior a 2 salários mínimos. Embora 51% das mulheres realizem o Exame Preventivo
anualmente, 64,4% consideram como periodicidade adequada a semestral; quanto aos empecilhos a realização do
exame, 23% afirmou existir, sendo as principais dificuldades apontadas: o percurso para realização, vergonha/medo e
atendimento desumanizado. Quanto à importância do exame preventivo, as respostas foram agrupadas em 05
categorias temáticas: Necessidade de saúde da mulher, Prevenção, Detecção, Prevenção e Detecção, e
Curativista/medicalizador. Cerca de 90% das mulheres referiu existir cuidados prévios a realização do exame;
entretanto apenas 55% referiram conhecer o porquê desses cuidados. Denota-se que, de maneira geral, há um bom
conhecimento das entrevistadas quanto a aspectos básicos da realização do Exame Papanicolaou. Entretanto,
algumas entrevistadas ainda alicerçam sua demanda em visões curativistas da saúde, remetendo à necessidade de um
maior enfoque na educação em saúde, gerando demandas espontâneas mais esclarecidas aos serviços, o que
repercutirá na qualidade da assistência.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4341
Código do Autor Principal:3577
Nome do Autor Principal: LEANDRO DIAS DE GODOY MAIA
Autores:
LEANDRO DIAS DE GODOY MAIA
ANA CLAUDIA FROTA MACHADO DE MELO LOPES
CAROLLINE SANTOS AGUIAR
CAROLYNE CESAR LIMA
LUIS FERNANDO GUIMARAES
ROBSON FONSECA SANTOS
TIAGO SOARES FONSECA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-044
Onde o trabalho foi realizado? MONTES CLAROS - MG
Titulo:
PLANEJAMENTO EM ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE
Resumo:
Introdução: Planejar é a arte de elaborar o plano de um processo de mudança. Compreende um conjunto de
conhecimentos práticos e teóricos ordenados de modo a possibilitar interagir com a realidade, programar as estratégias
e ações necessárias no sentido de tornar possível alcançar os objetivos e metas desejados e nele preestabelecidos.
Objetivos do estudo: Identificar problemas na comunidade, conhecer suas causas e conseqüências. Além disso,
capacitar a equipe de saúde a empregar o planejamento como meio para resolução de problemas, tornando-os atores
ativos no processo. Metodologia do estudo: No período de Maio a Novembro de 2007, foram desenvolvidas oficinas de
trabalho com a equipe de Saúde da Família do bairro Delfino Magalhães - Montes Claros - MG, coordenadas por
acadêmicos de medicina da Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Para tanto, empregaram-se os
três primeiros passos (seleção dos problemas do plano, descrição do problema, explicação do problema através de
-espinha-de-peixe-) do Método Altadir de Planificação Popular (MAPP), que é simples, criativo e aplica-se à solução
daqueles problemas limitados ao espaço mais restrito ao nível local, e não se constituam numa rede de relações muito
complexas. Para seleção do problema, valeu-se do conhecimento que os próprios integrantes da equipe têm do bairro,
através da exposição dos principais problemas que posteriormente foram elencados segundo critérios de urgência,
relevância e capacidade de enfrentamento. Para descrição do problema, foi aplicada uma pesquisa qualitativa a 78
famílias cujas questões avaliavam o conhecimento dos usuários em relação à função do PSF. O terceiro passo foi
desenvolvido em oficinas, a partir dos resultados do questionário, por meio de discussões que permitiram relacionar
suas causas e conseqüências. Apresentação e discussão dos resultados: O problema eleito pela equipe de saúde foi -a
falta de conscientização da população em relação à função e atividades do PSF-. Resultados da descrição: 38% da
amostra não se sentem bem informados sobre os serviços prestados pelo PSF; 29% crêem que a principal função do
PSF é oferecer consultas; apenas 54% julgavam conhecer a diferença entre PSF e Posto de Saúde. As causas
delineadas foram: 72% da amostra não buscam ou nunca buscaram informação sobre as atividades oferecidas pelo
PSF; orientação insuficiente por parte da equipe; 55% da amostra não participam de nenhuma atividade do bairro
(associação de moradores, igrejas etc.). Como conseqüências encontraram-se: aumento da demanda por consultas;
insatisfação; prejuízo do atendimento holístico. Considerações finais com recomendações: O trabalho permitiu a
capacitação da equipe e dos acadêmicos para usar o planejamento como ferramenta auxiliar na Atenção Primária à
Saúde e a partir dos resultados buscarem soluções para o enfrentamento do problema.
Observação:
Trabalho realizado como requisito parcial para avaliação do IAPSC- INTERAÇÃO APRENDIZAGEM PESQUISA
SERVIÇO E COMUNIDADE 3º periodo de medicina da UNIMONTES- UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES
CLARO/MG 2º semestre de 2007.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4343
Código do Autor Principal:2039
Nome do Autor Principal: LÉLIA MARIA CAVALCANTI MOREIRA
Autores:
LÉLIA MARIA CAVALCANTI MOREIRA, MARIA DE FÁTIMA MACIEL NEPOMUCENO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-110
Onde o trabalho foi realizado? RECIFE - PE
Titulo:
AVALIAÇÃO COGNITIVA DE IDOSOS HIPERTENSOS UTILIZANDO O MINI EXAME DO ESTADO MENTAL.
Resumo:
O envelhecimento da população é uma realidade. A faixa etária a partir de 60 anos de idade é a que mais cresce, e
a maior expectativa de vida das populações tem propiciado maior incidência de déficits cognitivos.
A importância de se avaliar o comprometimento cognitivo no idoso é confirmada com a observação de que a presença
de declínio cognitivo leve a moderado determina um grande comprometimento da qualidade de vida e um aumento da
morbi-mortalidade.
A avaliação cognitiva deve fazer parte da avaliação clínica, pois, auxilia na identificação das principais alterações na
saúde mental das pessoas idosas. O desempenho físico e social do idoso depende da integridade de suas funções
cognitivas.
O principal objetivo deste trabalho foi identificar déficit cognitivo em idosos hipertensos utilizando o Mini Exame do
Estado Mental (MEEM) como instrumento de rotina de trabalho no atendimento do idoso na Atenção Básica. De forma
rápida, o mesmo permite avaliar a orientação temporal e espacial, memória de fixação, cálculo, atenção, linguagem,
praxias e habilidades construtivas. Não serve de diagnostico, mas apresenta boa aplicabilidade clínica, indicando
funções que devem ser mais bem investigadas.
Foram selecionados através da Ficha do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB) 103 idosos hipertensos
todos cadastrados na Equipe II do PSF Macaxeira/Burity, e aplicado Mini Exame do Estado Mental (MEEM).
Os resultados definitivos ainda não estão disponíveis porque este estudo encontra-se em fase de conclusão.
Contudo, nos resultados preliminares, há indícios de um numero relevante de idosos hipertensos acompanhados já há
algum tempo pelos serviços de saúde e cuja a função cognitiva se encontra afetada, porem sem diagnostico definido.
Portanto, a avaliação cognitiva em idosos hipertensos torna-se cada vez mais importante, visto que é uma enfermidade
muito prevalente e que, frequentemente, é considerada erroneamente uma decorrência natural do envelhecimento, e
seu enfrentamento precoce, proporciona atuar sobre a doença em busca da cura ou da minimização dos sintomas e da
promoção à saúde.
Observação:
(1)Relato de experiência
(1)Assistencia na AB/SF
leliammoreira@yahoo.com.br
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4345
Código do Autor Principal:2388
Nome do Autor Principal: LUIZ ANTONIO V. D´ANGELO
Autores:
LUIZ ANTONIO DANGELO
ROSICLER DI LORENZO
SILVIA HELENA BASTOS
CRISTINA RAMA
GLAUCIA M NEGRÃO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-023
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
PREVENÇÃO DE CÂNCER DE MAMA NA PERIFERIA DE SÃO PAULO:A COMPLEXIDADE DE INTERVENÇÕES
NO TERRITÓRIO
Resumo:
Introdução: O câncer de mama é a 1° causa de óbito por neoplasias em mulheres e 3° entre as causas gerais da
mortalidade feminina em SP (2006). A dificuldade no diagnóstico precoce é a causa da alta mortalidade e pior
prognóstico. Para ampliar sua detecção é necessário desenvolver ações junto à atenção básica, onde se dá o contato
mais próximo da comunidade. O PSF tem grande potencial de atuação pela sua vinculação com a população adstrita.
Entretanto as equipes de saúde da família (ESF) mantém o modelo de atenção à livre demanda e não às necessidades
da população.
Objetivo: Implementar um modelo de intervenção para o território de atuação das ESF para aumentar o diagnóstico
precoce do câncer de mama e reduzir sua morbi-mortalidade nas áreas das 3 UBS na região de Brasilândia, São
Paulo. A intervenção busca: a)capacitação técnica dos profissionais para a detecção câncer de mama; b)aumentar a
procura dos exames pela mulher;
Método:Sensibilização de profissionais envolvidos. Capacitação teórica-prática dos médicos e enfermeiros com
preceptores nos ambulatórios de referência e nas UBS. Treinamento de todas ESF em auto-exame de mamas.
Treinamento das ESF e gerentes em planejamento estratégico e elaboração de plano de intervenção. Capacitação das
equipes para realizar atividades de grupos com mulheres.
Resultados: Sensibilizados 147 profissionais das ESF e gerentes das 3 UBS; Capacitados 15 médicos e 16 enfermeiros
com treinamento teórico-prático. Elaborado um plano para prevenção de câncer de mama por equipe. Capacitados 160
profissionais das ESF em auto-exame de mamas. Capacitados os 160 profissionais na condução de grupos. Foram
conduzidos grupos de saúde da mulher atingindo 2.421 mulheres e orientadas, através de abordagem individual,
10.424 mulheres sobre prevenção de câncer de mama e saúde da mulher de julho a dezembro. No levantamento
detectou-se a situação das mulheres em relação realização de mamografia e papanicolau e definiu-se uma ação para
estes casos.
Discussão: Esta intervenção buscou uma abordagem integrada com capacitação clínica, diagnóstico e planejamento de
ações e condução de trabalhos em grupos para melhor atingir comunidade e acreditamos que a abordagem integrada é
mais efetiva e pode ser replicada em outras regiões..
A intervenção trouxe ganhos extras às equipes, pois, pode ser utilizada para outras intervenções e não só prevenção
de câncer de mama. Dificuldades deste projeto foram falta de tempo das ESF para as capacitações e a rotatividade dos
médicos no PSF. Os indicadores de processo atingiram próximo de 100% com boa aceitação dos profissionais. As
oficinas de planejamento trouxeram uma mudança de visão da ESF e o levantamento da situação das mulheres foi um
produto importante destas oficinas. Os indicadores de resultados e de impacto só poderão ser medidos após um tempo
maior da intervenção
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4346
Código do Autor Principal:3554
Nome do Autor Principal: CARMEM MIRANDA
Autores:
ROSANA APARECIDA RAMOS DE LIMA; CARMEM MIRANDA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-104
Onde o trabalho foi realizado? PONTA GROSSA - PR
Titulo:
A IMPORTÂNCIA DE REALIZAR TRABALHOS MANUAIS COM MÃES E GESTANTES QUE FREQÜENTAM A
Resumo:
O Programa de Atenção Integral de Saúde da Mulher (PAISM) foi criado na década de 80. Desde então, muitos
projetos ligados à saúde feminina foram consolidados, com enfoque na atenção ao pré-natal. Este trabalho tem como
objetivo -Despertar o interesse das mães e futuras mães a realizar trabalhos manuais bem como confeccionar roupas
de seus filhos; Melhorar a qualidade de vida destas mães e futuras mães-. Como método de pesquisa foi utilizado a
abordagem qualitativa descritiva de campo, como sujeito da pesquisa foi realizado com20 mulheres na idade entre 12 a
40 anos de idade residentes no município de Ponta Grossa, Paraná e freqüentam a UESF José da Silva Ribeiro,
localizada neste município, no período de março a dezembro de 2007, tendo encontros as terças-feiras no horário das
13:30 horas as 17 horas, servido um lanche as 15:30 horas (arrecadado com doações) com professoras voluntárias as
quais ensinam costurar, fazer crochê, pinturas e acolchoado, sendo 15 gestantes e 5 mães. Trabalhando nesta UESF
e acompanhado o pré-natal desenvolvido neste local e recebendo ajuda do SOS da Cidade resolvemos dar inicio ao
projeto com gestantes em 2004, para este trabalho foi realizada a pesquisa entre março a dezembro de 2007.
Concluímos que é um trabalho satisfatório, pois além destas mulheres desenvolverem trabalhos bonitos e bons, elas
sentem-se descontraídas e felizes recebendo ajuda financeiramente através dos quais ela fazem e ficam com eles,
visto que é uma região onde há muitos desfavorecidos financeiramente. Como resultado obteve o seguinte: dentre as
15 gestantes todas participaram até o nascimento de seus filhos e as demais mães, permanece sempre cinco, pois sai
uma entra outra.
PALAVRAS-CHAVES: PROJETO, GESTANTES, MÃES,
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4350
Código do Autor Principal:3570
Nome do Autor Principal: EUGÊNIA ZILIOLI DE ALMEIDA
Autores:
EUGÊNIA ZILIOLI DE ALMEIDA, LISLAINE APARECIDA FRACOLLI E ANNA MARIA CHIESA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-006
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
A IMPLANTAÇÃO DO PROJETO -NOSSAS CRIANÇAS: JANELAS DE OPORTUNIDADES- NA EQUIPE SAÚDE
DA FAMÍLIA
Resumo:
Partindo da necessidade de tecnologias que auxiliassem no trabalho do Programa Saúde da Família junto às ações
de promoção à saúde, no ano de 2001 a Coordenação do Programa Saúde da Família do município de São Paulo
lança o projeto -Nossas Crianças: Janelas de Oportunidades-. Seu objetivo principal é qualificar os cuidados prestados
pelas famílias às crianças menores de seis anos, entendendo que estes cuidados são determinantes para o
desenvolvimento infantil. Este artigo revela a experiência de uma multiplicadora, durante a capacitação para implantar o
Projeto em três equipes do Programa Saúde da Família da Unidade Básica de Saúde-Humaitá, região central do
município de São Paulo. Trás discussão sobre o trabalho moldado no novo paradigma da Promoção da Saúde, e
destaca o fortalecimento das competências familiares como um dos caminhos a enfrentar as limitações
sócio-econômicas vividas por grande parte da população assistida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4351
Código do Autor Principal:3580
Nome do Autor Principal: ANTONIO GARCIA REIS JUNIOR
Autores:
CAMILA BIANCA DOS REIS
ANTONIO GARCIA REIS JUNIOR
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-053
Onde o trabalho foi realizado? FLORIANÓPOLIS - SC
Titulo:
RELAÇÃO ENTRE CIÊNCIA E CRENÇAS EM UM GRUPO DE PACIENTES ASSISTIDOS POR ESF
Resumo:
Para a Antropologia toda prática terapêutica é eminentemente interpretativa e implica constante trabalho de
tradução, decodificação e negociação entre os diferentes sistemas semânticos.
Para buscar entender a inter-relação entre ciência, crença e religiosidade aplicada no âmbito da Saúde procurei uma
equipe de Saúde da Família durante o período em que fui estagiária no Centro de Saúde Ingleses, em Florianópolis.
Essa equipe facilitou meu acompanhamento às visitas domiciliares (VD) de cerca de 20 pacientes com limitação de
locomoção entre 2006 e 2007 e por meio de VD sem a equipe, realizei pesquisa qualitativa com os pacientes, após
anuência dos mesmos, aplicando questionário com perguntas sobre o significado de estar doente, os meios de
enfrentamento da doença e a relação entre suas crenças e religiões e a percepção do cuidado realizado pela equipe.
Na concepção de quase todos os entrevistados ser doente é quando a pessoa não consegue realizar tarefas
cotidianas, ou quando há dor. Porém, quase todos não se consideram doentes, só passando por um estado de doença.
A doença, na percepção deles é uma conseqüência da vida, sem motivos espirituais. Acreditam que há um destino
traçado, no entanto podem-se atrair doenças e a morte com os -vícios-. Para evitar a doença todos citaram que cuidam
da alimentação e -ocupam- a cabeça com coisas boas (pensamento positivo, trabalhar, rezar, fazer exercícios). -Quem
fica muito tempo parado não tem saúde, ainda mais só ficar pensando na doença piora cada vez mais.- (paciente A).
Enxergam na religião e na fé em Deus um apoio para dias melhores, e nelas encontram a esperança da cura e força
para continuar o tratamento. -Minhas crenças me dão animo, não tem médico que faz isso, só Deus- (paciente B).
Grande parte da melhora é dada pela fé em Deus e certeza de que vai se curar. O médico e o tratamento com
remédios são pontes usadas por Deus para o objetivo final, a cura. -Deus me criou para a vida, não para a morte. Deus
é bom, ele é pai, repito isso todos os dias. Quem não acredita nisso não consegue viver bem-. (paciente C).
Questionados se deixariam de seguir as recomendações médicas, todos responderam negativamente; a fé cura, no
entanto, os instrumentos de Deus (medicina) têm que ser usados.
Observei que os pacientes procuram no atendimento a avaliação para a sua condição e a explicação e o alívio para
seu sofrimento. A equipe sempre foi muito atenta aos pacientes, segundo os próprios, e não houve relato de procura
por outras formas de terapias, como recorrer a benzedeiras e médiuns, sendo apenas citada, como uma possibilidade
futura. Concluí ainda que as VD, juntamente com a esperança (fé) na melhora, impactaram positivamente no cuidado
dos pacientes e na sua aceitação da doença.
Observação:
O relato está em primeira pessoa do singular para facilitar apropriação por profissionais sem hábito de leitura de
textos técnicos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4353
Código do Autor Principal:3582
Nome do Autor Principal: NANCY NAY LEITE DE ARAÚJO LOIOLA BATISTA
Autores:
NANCY NAY LEITE DE ARAUJO LOIOLA BATISTA
FRANCISCA CECÍLIA VIANA ROCHA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-040
Onde o trabalho foi realizado? TERESINA - PI
Titulo:
AÇÕES EDUCATIVAS DO ENFERMEIRO NA ESF PARA O AUTOCUIDADO DOS PÉS EM DIABÉTICOS
Resumo:
Viver com diabetes pode representar um desafio, pois a condição afeta a pessoa como um todo, alterando
drasticamente o cotidiano, exigindo uma vida de autocuidado, pois o controle inadequado representa um risco para o
surgimento das complicações e grave ameaça à vida. Ao longo de minha formação profissional sempre tive interesse
por este grupo em particular. Durante minha formação pude vivenciar um número grande de diabéticos amputados,
realizando curativos, acompanhando os problemas apresentados em seus pés. Pouca ênfase era dada ao autocuidado
e às medidas educativas. Ao ingressar como enfermeira em uma equipe do Programa de Saúde da Família que assiste
uma clientela de 87 diabéticos, senti a necessidade de criar práticas educativas de cuidado aos pés baseada nessa
vivência e em estudos que mostram que 50%a 70% das amputações em membros inferiores de diabéticos poderiam
ser evitadas se programas educativos fossem implantados. Este trabalho relata a experiência de uma equipe da ESF
do município de Teresina na prevenção de alterações em pés de pacientes diabéticos. É um estudo descritivo que tem
como objetivo principal descrever as ações educativas realizadas pelos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família,
para o autocuidado dos pés em pacientes diabéticos assistidos pela equipe da ESF, Nº 188, do Centro de Saúde do
Poti Velho, em Teresina-Pi. Relata-se que em 20 pacientes do total de portadores da patologia, já foram feitos 02
avaliações dos pés, uma no momento da manhã de saúde na praça, acontecida em novembro de 2006, e outra no final
de 2007, Destes pacientes examinados, 04 foram classificados no grau de risco 01, os 16 pacientes restantes, são grau
de risco 0. Durante o período de implantação da equipe, no qual essas ações ainda não eram desenvolvidas, teve uma
grande amputação de membros .Após a realização desse trabalho preventivo teve apenas uma amputação de dedos
numa paciente com 10 anos de diabetes. A mesma é uma das 04 pacientes classificadas como grau de risco 01.
Agora, essa paciente é classificada como grau de risco 03. As outras três pacientes classificadas como grau de risco
01, no ano de 2007, apresentam sinais de retinopatia diabética e nefropatia. Pelo diabetes ser uma condição crônica,
que tem sua prevalência aumentada, e ser responsável por um número considerável de seqüelas, complicações,
sofrimento e gastos, faz-se necessário um interesse dos gestores, profissionais de saúde da equipe de saúde da
família, em proporcionar um atendimento especial, atencioso, e holístico a este grupo de pacientes, de forma a reduzir
gastos com hospitalizações, incapacitações e aposentadorias precoces e principalmente para diminuir o sofrimento dos
pacientes, evitar e/ou retardar as complicações e proporcionar melhores condições de vida.
Observação:
A experiência iniciou com a equipe da ESF Nº188 do município de Teresina-PI, atualmente já esta sendo implantada
pelas equipes nº186 e 237. A enfermeira da equipe 186 participa como Co-autora deste relato de experência. Ambas
são mestrandas do programa de Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí. O s sujeitos da nossa
dissertação são clientes da Estratégia Saúde da Família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4354
Código do Autor Principal:3583
Nome do Autor Principal: REGINA MÁRCIA MAESTRELLO BOLIS PAULA MEIRA
Autores:
REGINA MÁRCIA MAESTRELLO BOLIS PAULA MEIRA
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-078
Onde o trabalho foi realizado? PIRAJU - SP
Titulo:
O AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE: CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS
Resumo:
O presente estudo busca identificar e confrontar as expectativas quanto ao Papel, Perfil e Capacitação do Agente
Comunitário de Saúde (ACS) na percepção do próprio ACS, dos profissionais médicos e enfermeiros e, dos usuários. O
campo de pesquisa foi o município de Piraju (SP), onde o programa está implantado há 12 anos. Trata-se de um estudo
quantitativo e qualitativo, realizado a partir de entrevistas semi-estruturadas com 40 Agentes, 07 médicos, 07
enfermeiros e 49 usuários do serviço. A partir dos dados, analisaram-se os seguintes temas: papel, perfil, capacitação e
dificuldades na prática cotidiana do ACS. A análise dos dados mostrou que, uma porcentagem bastante alta dos
entrevistados, em concordância com a proposição do Ministério da Saúde (MS), percebeu o ACS como elo de ligação
entre a equipe de saúde e comunidade. Ao definir o perfil, os sujeitos valorizaram qualidades que implicavam no
acolhimento e humanização do atendimento, mas, ao se posicionar quanto à capacitação e apontar dificuldades no
cumprimento do papel, transpareceram as indefinições ainda presentes na determinação da função, especialmente, o
conflito entre posições universalistas e comunitaristas. Em suma, apesar da função de Agente contar com eixos
norteadores, assimilados pela equipe e comunidade, na prática, ainda é uma profissão que está sendo construída,
dinâmica, sujeita a mudanças, formulações, reformulações, e também, contradições. Discute-se a necessidade de um
amplo debate nas equipes, com a comunidade e com os gestores, a partir das diferentes experiências e controvérsias,
para legitimar a função do Agente, e conseqüentemente do PSF, como modelo em saúde que pode ajudar a viabilizar
a Reforma Sanitária.
Observação:
Título completo - "O AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE: CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS NA
PERCEPÇÃO DO PRÓPRIO AGENTE, DOS MÉDICOS, ENFERMEIROS E USUÁRIOS DO SERVIÇO".
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4355
Código do Autor Principal:3584
Nome do Autor Principal: ILTON MAGALHAES JUNIOR
Autores:
ILTON MAGALHAES JUNIOR
MARCOS CELIO PONTES RANGEL
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-063
Onde o trabalho foi realizado? BOM JARDIM - RJ
Titulo:
COSTURANDO COM SAÚDE
Resumo:
Promoção prevenção em saúde da mulher que trabalha em confecção de moda intíma.O projeto foi realizado na
confecção CHIC CHIC, localizado no centro de Bom Jardim, a trabalhadora em especial da confecção,tendo em vista o
aspecto remuneratório por produção,não dispõe de tempo habil para cuidar da sua saúde, principalmente da prevenção
do cancer ginecologico, desconhecimento de metodos anticoncepcionais e doenças sexualmente transmissiveis e
AIDS.A equipe de saúde da familia do Veloso, um assistente social, dois dentistas e um fisioterapeuta, visitaram a
confecção uma hora antes do inicio das atividades (6 encontros) com duração de uma hora e realizaram atividades de
alongamento e exercicios posturais,curso de planejamento familiar,oficina sobre DST/AIDS,prevenção do câncer de
colo de útero e mama,acuidade visual e prevenção odontológica.A Secretaria Municial de Saúde garantiu o acesso a
exames preventivos de colo de útero e mama, vacinação, tratamento dentário,avaliação oftalmológica e acesso ao
óculos quando necessário.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4356
Código do Autor Principal:3585
Nome do Autor Principal: DENISE DE AZAMBUJA ZOCCHE
Autores:
DENISE DE AZAMBUJA ZOCCHE, SIMONE MACHADO, ALESSANDRA DARTORA, ODETE TORRES, JOAÕ LUIS
ALMEIDA, ROSANA MAFACCIOLI, MARIA LECTICIA PELEGRINI E MARIA ÉLIDA MACHADO.
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-002
Onde o trabalho foi realizado? PORTO ALEGRE - RS
Titulo:
A FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ENFERMAGEM ORIENTADA PELO PRINCÍPIO DA INTEGRALIDADE.
Resumo:
INTRODUÇÃO: Diante de fatores como crescimento da demanda por cuidados de saúde, e garantia de direitos da
cidadania é fundamental que ocorra a integração do setor da saúde (gestão, atenção e controle social) com setor da
educação bem como a necessidade de reformulação dos processos de formação em saúde. O curso de Enfermagem
do Centro Universitário IPA busca estratégias para ativar mudanças no perfil do profissional em formação, para que
estejam em consonância com os princípios e diretrizes do Sistema Único de saúde - SUS. Buscou-se pela metodologia
da problematização nas atividades de ensino realizadas nas unidades básicas, as experiências e vivências do
ensino-aprendizado entendendo que na conjuntura atual o Programa de Saúde da Família (PSF) é estratégico para
consolidação do SUS.
OBJETIVOS: relatar a experiência de formar profissionais da saúde com capacidade de escuta e de apreensão das
necessidades dos usuários, em conformidade com o princípio da integralidade, a partir da relação dialógica e inclusiva
com os usuários e a rede .
METODOLOGIA: a problematização oportuniza ao estudante aprender a pensar criticamente, a desenvolver a
capacidade de reconhecer a realidade e seus problemas e a se preparar para uma ação transformadora da prática
social, considera o trabalho como um princípio educativo e tem como pano de fundo as características sócio-culturais
do cenário que o processo de ensino e aprendizagem se desenvolve. A formação através das disciplinas teóricas,
teórico-práticas e vivências, possibilitam a compreensão do cuidado não como procedimento técnico que ocorre dentro
de um serviço de saúde, mas como uma ação integral que tem significados e sentidos voltados para o entendimento da
saúde como direito. Todas as disciplinas de Saúde Coletiva contemplam atividades de vivências, observação e estágio.
O estágio curricular é caracterizado como um conjunto de experiências de aprendizagem em situações reais da vida
profissional bem como a oportunidade de implementação das políticas públicas inerentes ao SUS.
RESULTADOS ESPERADOS: o estudante aprende com o trabalho das equipes de PSF a buscar a apreensão da
realidade profissional nas suas diversas faces, seja pela compreensão das relações que se constroem nos serviços de
saúde, e desenvolvendo assim princípios éticos e humanistas, através de pensamento crítico e reflexivo, voltado para o
desenvolvimento de competências e habilidades gerais tornando-se apto para atuar em todos os campos do setor da
saúde.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A proposta diferencia-se pela inserção ao longo da formação pela oferta de disciplinas de Saúde Coletiva neste
período, inserindo o estudante no mundo do trabalho em saúde, oportunizando situações nas unidades básicas que
possuem o PSF, desenvolvendo habilidades para o enfrentamento das situações-problemas que ele encontrará no
futuro profissional.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4357
Código do Autor Principal:3008
Nome do Autor Principal: ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS
Autores:
ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS ( ASSISTENTE SOCIAL RESIDENTE DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL
EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA/PR)
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-088
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
O SERVIÇO SOCIAL NA ATENÇÃO BÁSICA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS
Resumo:
O serviço social se inscreve na atualidade como profissão de vanguarda na defesa da cidadania, sobretudo, da
Saúde Pública. Reconhecido como profissional de saúde na resolução 218/97, mas atuante nesta área desde a década
de 70, a atuação profissional do assistente social possui intima correlação com o projeto de Reforma Sanitária. Dessa
forma objetivamos levantar os principais desafios para o serviço social face sua inserção na atenção básica como
residente multiprofissional em saúde da família. Para desenhar tais desafios buscamos referências nos autores com
sólida trajetória acadêmica e intelectual apontados pela Associação Brasileira de Pesquisa e Ensino em Serviço Social
ABEPSS. Esses autores discorrem sobre atuação profissional do assistente social na Saúde Pública, nos deteremos,
contudo, aos apontamentos que são pertinentes a Atenção Básica, dado que é neste contexto que ocorre a Residência
Multiprofissional em Saúde da Família. Sabemos que a Política de Saúde tem sido objeto de desestruturação, face à
ofensiva neoliberal, que prima pela total desresponsabilização do Estado para com as políticas públicas. Ao assistente
social cabe se colocar como contraponto diante da hegemonia neoliberal com ações na perspectiva da universalidade
de acesso, e primazia pela inclusão social. Outro desafio é o trabalho com a comunidade de maneira a fortalecer e
ampliar a participação popular, inclusive o controle social, assessorar os conselhos locais de saúde, e o processo de
qualificação de conselheiros. Sob essa perspectiva trabalhar a integração entre a Unidade de Saúde da Família e os
usuários, de maneira viabilizar a presença de representantes da população usuária nas discussões de gestão da USF.
Há na atualidade um processo de desqualificação do social, que pode ser visto através do Programa de Agentes
Comunitários de Saúde que atribui a esse profissional, ações complexas incompatíveis com sua habilitação e que são
historicamente exigidos do Serviço Social e próprios de sua formação. Fato que desafia o profissional a publicizar a
necessidade de um trabalho técnico para o trato dos desdobramentos da questão social. Esses apontamentos além de
desafiadores são complexos, multifacetados e exigem uma postura prospectiva e madura do assistente social inserido
no contexto da Residência. Sabemos que não existe uma fórmula mágica para concretização de tais ações, mas acima
de tudo são necessidades urgentes e inadiáveis. Cabe ao profissional atuar de maneira político/crítico, e estratégica
subsidiada por aportes teóricos e ações investigativas. Essas atividades, remotas a priori se tornam mais exeqüíveis à
medida que o profissional, além da equipe multiprofissional, pode contar com a tutoria e preceptoria de campo e núcleo
para subsidiar e propor reflexões e ações.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4358
Código do Autor Principal:1160
Nome do Autor Principal: MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES
Autores:
MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES [1]
SÔNIA MARIA SOARES [2]
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-091
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
GRUPOS DE CONVIVÊNCIA DE IDOSOS: TRANSFORMANDO PARADIGMAS NO TRABALHO EM SAÚDE
Resumo:
Trata-se de um relato de experiência com um grupo de convivência de idosos, iniciado em 1996, a partir de um
trabalho educativo em uma Unidade Básica de Saúde do município de Belo Horizonte/MG. Em 1998, por iniciativa dos
participantes remanescentes transformou-se num grupo de convivência, -Grupo da Amizade-, criando autonomia na
gestão dos seus processos aprofundando o vínculo e hoje congrega sessenta e um integrantes, na faixa etária de
cinqüenta a oitenta e cinco anos. Com as transformações ocorridas o objetivo do grupo hoje é promover um espaço de
convivência e vigilância à saúde da população idosa visando melhor qualidade de vida no processo de envelhecer.
Nesse processo muitas conquistas aconteceram, uma das mais expressivas foi resultado do projeto para editar um livro
de receitas, resgatando parte da cultura, saberes e sabores. Este projeto teve como objetivo valorizar uma das
habilidades do grupo, a culinária, e também proporcionar um encontro do grupo com seus familiares e amigos. A
metodologia utilizada foram as -oficinas de receitas- para seleção e busca da origem das receitas a partir da pergunta:
Como esta receita chegou às suas mãos? Com empenho de todos e doação produziu-se o livro e o lançamento ocorreu
em comemoração aos dez anos de grupo. Para edição foram utilizadas várias estratégias destacando-se as -oficinas
do fuxico- para a montagem de cartões de lembrança, fotografias, escritas e gravações. A primeira oficina foi um
trabalho de mutirão surpreendente, o convívio melhorou, trazendo um clima de conforto ao grupo. Conseguiu-se
finalizar o livro e orçamentos. Escrever o livro gerou ensinamento, aprendizado e prazer com repercussão importante
no processo grupal mostrando que transformações ocorreram para quase todos. As experiências vivenciadas nesse
projeto revelam para os profissionais de saúde novas modalidades de trabalho com grupos, voltado para a busca da
autonomia do sujeito, do idoso frágil. Trata-se de uma proposta com enfoque no paradigma da salutogênese e não da
patogênese, onde um dos fatores é trabalhar o relacionamento humano. Com todos os aspectos apresentados nesse
trabalho, percebe-se a necessidade de se buscar uma assistência multidisciplinar com vistas na melhoria da
assistência à pessoa idosa.
Observação:
[1]Maria Teresinha de Oliveira Fernandes - Enfªa, Mestra em Enf./UFMG, docente do Inst. Metodista Izabela Hendrix,
esp. em Adm. da Assist. de Enfer. e SF/BH/MG, integrante do NEPCDH - mtofernandes@gmail.com
[2] Sônia Maria Soares - Enfª, Drª em Saúde Pública, docente da E.E.UFMG e coordenadorado Núcleo de Estudos e
Pesquisae Pesquisas em Cuidado e Desenvolvimento Humano (NEPCDH)
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4359
Código do Autor Principal:3586
Nome do Autor Principal: YONNARA MARIA TEIXEIRA SILVA
Autores:
YONNARA MARIA TEIXEIRA SILVA
ROSILENE BAPTISTA DOS SANTOS
YANNA PAULA TEIXEIRA SILVA
ANA PATRÍCIA ARRAIS SILVA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-033
Onde o trabalho foi realizado? CAMPINA GRANDE - PB
Titulo:
CANDIDÍASE VULVOVAGINAL:UM ESTUDO SOBRE A INCIDÊNCIA ASSOCIADA À SINTOMATOLOGIA E
FATORES DE RISCOS
Resumo:
SILVA, Y. M. T; BAPTISTA, R. S; SILVA, Y. P. T; SILVA, A. P. A. CANDIDÍASE VULVOVAGINAL: UM ESTUDO
SOBRE A INCIDÊNCIA ASSOCIADA À SINTOMATOLOGIA E AOS FATORES DE RISCO. Monografia de Graduação
de Enfermagem. Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande- PB, 2007.
A candidíase vulvovaginal é uma infecção da vulva e da vagina causada pelas várias espécies de cândida, fungos
comensais das mucosas vaginal e digestiva, que podem se tornar patológicos sob determinadas condições que alterem
o ambiente vaginal. Assim, este estudo foi desenvolvido com os objetivos de observar a incidência da candidíase
vulvovaginal detectando quais dos fatores de risco e sintomatologia que mais justificam essa incidência e induz as
usuárias a procurarem atendimento; verificar o grau de instruções das usuárias acerca dos fatores que propiciam o
desencadeamento desta patologia e analisar se é feito um trabalho de conscientização/prevenção por parte dos
profissionais de saúde (médico/enfermeiro) acerca desta patologia. Trata-se de um estudo descritivo de tipologia
quantitativa, cujos dados foram coletados através de um questionário aplicado a 120 mulheres portadoras de
candidíase vulvovaginal que eram assistidas nas Unidades Básicas de Saúde da Família do município de Campina
Grande- PB. Através deste estudo, verificou-se que a sintomatologia mais apresentada pelas mulheres pesquisadas foi
o corrimento (85,71%), e, dentre os fatores de risco, o mais prevalente foi o uso de roupas sintéticas e apertadas
(61,42%). Observou -se que 74% das participantes desta pesquisa deconhecem o que é a candidíase vulvovaginal.
Dectou-se, também, que 52,85% das mulheres desse estudo consideraram pouca as informações oferecidas pelos
profissionais de saúde (médico/enfermeiro) sobre a candídiase vulvovaginal. Assim, deve-se ressaltar a importância
dos profissionais de saúde no sentido das orientações que devem ser fornecidas para as usuárias, destacando a
relevância do papel educativo dos enfermeiros.
Palavras Chaves: candidíase vulvovaginal, usuárias, incidência.
Observação:
AO ANALISAREM O TABALHO, POR FAVOR ENTRE EM CONTATO COMIGO! AGRADEÇO.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4362
Código do Autor Principal:3588
Nome do Autor Principal: LUIS ANTONIO PORTES LIMA
Autores:
LIMA,LUIS ANTONIO PORTES; PEIXOTO, KARINA LACERDA DA CUNHA; CAMPOS, TANUZA TOLENTINO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-173
Onde o trabalho foi realizado? JEQUITINHONHA - MG
Titulo:
A IMPORTANCIA DA ATIVIDADE FISICA EM PACIENTES PORTADORES DE HIPERTENSAO ARTERIAL
Resumo:
A hipertensão arterial (H.A.) vem sendo indicada como fator de risco de maior importância para a morbi-mortalidade
precoces causadas por doenças cardiovasculares. Deste modo, torna-se grande problema de ordem pública,
necessitando assim de atenção multidisciplinar. Quanto mais informações a população obtiver sobre a H.A., maiores
serão as chances de eliminar as emergências hipertensivas.
A atividade física é um importante meio de prevenção e promoção da saúde através de seus inúmeros benefícios,
incluindo o controle da pressão arterial.
Os objetivos desta pesquisa foram estimular a participação da população do município no grupo de atividades físicas
desenvolvidas por fisioterapeutas nas Estratégias da Saúde da Família (ESF´s) e possibilitar experiências de trabalho
interdisciplinar comunitário.
Foi realizada uma pesquisa quantitativa no mês de janeiro de 2008, perfazendo um total 122 pessoas que fazem
caminhada na rodovia BR 367, no município de Jequitinhonha-MG. Utilizou-se questionário com um roteiro contendo
questões fechadas. Para aplicação do questionário houve um primeiro momento de conversa informal com os
participantes. Posteriormente foi exposto o objetivo da pesquisa e realização da mensuração da pressão arterial. Teve
a participação dos fisioterapeutas, enfermeiros, nutricionista e agentes comunitários de saúde.
Após a realização da pesquisa, notou-se um aumento considerável da participação da população nas atividades que
vêm sendo desenvolvidas pelos fisioterapeutas nas ESF´s, como os grupos de atividade física, que acontecem duas
vezes por semana com duração de um hora.
Percebe-se, por meio deste estudo, que a prática de atividades físicas é de fundamental importância para a qualidade
de vida do ser humano.
Cabe, então, aos gestores públicos e profissionais da saúde engajarem-se de maneira efetiva e eficaz na mobilização
de recursos, na construção e viabilização de projetos, que atinjam a meta de uma população cada vez mais ativa e
conseqüentemente com maior qualidade de vida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4363
Código do Autor Principal:815
Nome do Autor Principal: SIMONE DE PINHO BARBOSA
Autores:
VIRGÍNIA TEIXEIRA OLIVEIRA ARÊDES;SIMONE DE PINHO BARBOSA.
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-053
Onde o trabalho foi realizado? IPATINGA - MG
Titulo:
A COMPREESÃO DOS GRADUANDOS DO CURSO DE ENFERMAGEM ACERCA DO MODELO SAÚDE DA
FAMÍLIA.
Resumo:
Introdução: A Política Nacional de Atenção Básica definiu como prioridade a consolidação e qualificação do PSF
como modelo e centro ordenador das redes de atenção à saúde no SUS (BRASIL, 2006 ). A proposta do PSF é um
trabalho a partir de uma equipe multiprofissional, que inclui enfermeiro, médico, técnico de enfermagem e agente
comunitário de saúde , responsáveis pelo acompanhamento de até 4000 pessoas, localizados em uma área geográfica
delimitada.Para tanto o curso de enfermagem vem sendo caracterizado por constantes discussões e avanços acerca
de novas propostas pedagógicas e implantação de mudanças curriculares para o aperfeiçoamento do aprendizado dos
discentes, a fim de formar enfermeiros preparados e capacitados. Objetivo:Verificar se os graduandos do último período
do curso de enfermagem do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais possuem conhecimento acerca das bases
teóricas que norteiam o modelo Saúde da Família, com conseqüente segurança para atuarem diante as reais
necessidades da população.Metodologia: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva realizada em 2007, a
amostra foi composta por 30 alunos do último período do curso de enfermagem dos turnos matutino, vespertino e
noturno. Resultados: O estudo apontou que 90% dos alunos entrevistados não souberam mencionar as principais
diretrizes que norteiam o trabalho no Programa Saúde da Família. Ao solicitar menções acerca das atribuições
específicas do enfermeiro no PSF a metade (50%) conseguiu relatar algumas das atividades privativas desenvolvidas
por esse profissional e a outra metade (50%) não soube nem ao menos quais seriam essas atribuições. Quando
questionado como consideram a abordagem à temática Saúde da Família no decorrer da graduação, verificou-se que
60% dos entrevistados consideram a abordagem superficial, fraca ou insatisfatória. Ao indagados de como deveria ser
a abordagem de conteúdos específicos sobre o PSF, a maioria (56,6%) responderam teórico e prático. Conclusão: A
pesquisa revela ainda que os acadêmicos de enfermagem que estão se formando estão interessados em saber mais
sobre este tema a fim de exercer um trabalho qualificado, com mais segurança e competência em relação as
atribuições específicas da área, possibilitando ganho de conhecimento e um direcionamento mais claro e efetivo ao
egresso, além disso, fomentando a construção de uma carreira mais sólida e primorosa no sentido de fazer a escolha
certa. Como prosseguir com a expansão do PSF se os profissionais que o operam não sabem se quer como conduzir o
seu cotidiano de trabalho? Como avançar e reorganizar a saúde primária no Brasil se de forma tão negligente
profissionais vem se formando a qualquer custo e de qualquer forma sem estarem aptos a atuarem diante as reais
necessidades da população. Esta área se configura como uma oportunidade e inserção ao mercado de trabalho dos
novos profissionais.
Observação:
ALVES, Vânia Sampaio. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade
da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface (Botucatu). Botucatu, v. 9, n. 16 2005. Acesso em: 19 Set
2006.BRASIL. Pacto Nacional de Atenção Básica. Vol. 4 Brasília-DF, 2006.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4364
Código do Autor Principal:3193
Nome do Autor Principal: ANA LUCIA LIMA GOMES
Autores:
1- ANA LÚCIA LIMA GOMES 2- MARIA CALE DE LIMA
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE7-014
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO - RJ
Titulo:
A ESTRATÉGIA DO PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO COMO FORMA DE INCLUSÃO DAS FAMÍLIAS NO PSF
Resumo:
Considerando que uma das ações de saúde propostas pelo SUS para as bases conceituais do PSF fundamenta-se
na gestão participativa, tendo como característica a inclusão de novos atores sociais,-a população,-partimos desse
novo paradigma para implementar o trabalho de parceria entre os profissionais do PSF Anil/RJ, e a população adstrita,
onde deparamo-nos com uma prática desarticulada, permanecendo a distância entre o saber e o fazer.
Este trabalho surge das inquietudes dos profissionais das equipes, onde perceberam uma dicotomia entre o
referencial teórico que fundamenta as bases conceituais do PSF, e as atividades práticas desenvolvidas.
Repensar essa realidade juntamente com a população implica na busca de alternativas de ação, as quais,
possam garantir os enfrentamentos tanto em nível individual, quanto em nível coletivo, ampliando as possibilidades de
alianças entre profissionais e a população, surgindo a idéia da construção do planejamento participativo, tendo como
eixo norteador, o diagnóstico da situação de saúde no nível local.
O planejamento participativo teve o envolvimento de todos os atores sociais na busca de novos caminhos,
tendo como fundamento os princípios metodológicos da pesquisa-ação, através de oficinas, as quais apontaram
alguns resultados:
1-Organização da 1a. Feira de Saúde e Cidadania, 2-Planejamento Participativo 3- Plano de Ação Coletiva, 4- Oficinas
de Idéias em Promoção da Saúde, 5-Produção de instrumento de disseminação dos resultados: Folder Informativo.
Observação:
A implementação do grupo de planejamento participativo foi inovador a nível local de prática em uma unidade de
saúde, por criar possibilidades de instituir os mecanismos para a gestão participativa, e de relevância do ponto de vista
científico, como primeiro passo para pensar a organização popular, como forma de implementar um dos princípios da
Reforma Sanitária: controle dos serviços de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4365
Código do Autor Principal:3132
Nome do Autor Principal: RENATA MASCARENHAS BERNARDES
Autores:
RENATA MASCARENHAS; MÁRCIA MARIANO.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-135
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
IMPLANTAÇÃO DO LIAN GONG EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
O Lian Gong em 18 terapias é um conjunto de 18 exercícios que trabalha o corpo humano, coluna cervical aos dedos
dos pés, articulações e tendões fortalecendo o coração e pulmão. É o trabalho persistente e prolongado de treinar e
exercitar o corpo físico, com o objetivo de transformá-lo de fraco em forte e de doente para saudável. Devido à
observação do grande fluxo de pacientes que procuram o serviço de saúde, queixando de diversas dores, tanto física e
emocional e por não existir nenhum grupo de promoção da saúde e sim grupos focalizados em doenças específicas,
que essa implantação é de grande importância para a estratégia de saúde da família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4366
Código do Autor Principal:3008
Nome do Autor Principal: ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS
Autores:
ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS ( ASSISTENTE SOCIAL RESIDENTE DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL
EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA/PR)
ALAÍDE MARIA MORITA FERNANDES DA SILVA (DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL
-UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA MESTRE EM SERVIÇO SOCIAL)
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE7-004
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
O SERVIÇO SOCIAL NA IMPLANTAÇÃO DO CONSELHO LOCAL DE SAÚDE: ESTRATÉGIAS DE MOBILIZAÇÃO
DA COMUNIDADE
Resumo:
A implantação da Residência Multiprofissional em Saúde da Família em Londrina/Pr insere o assistente social
enquanto parte da equipe. A este profissional foi incumbido no ano de 2008 uma atribuição específica: implantar
Conselhos Locais de Saúde e assessorar conselheiros nos processos de sua instalação e seu funcionamento.
Atividades de cunho político-organizativo e sócio-educativas têm se apresentado como uma das demandas para os
residentes do Serviço Social na área da saúde pública. A participação social através dos conselhos tem sido um dos
principais mecanismos institucionalizados para assegurar políticas de saúde pautadas nas necessidades da população
e, apesar do seu caráter contraditório, se constitui em um importante instrumento de controle sobre o Estado e
fortalecimento da democracia participativa. Objetivamos estimular e fortalecer a participação dos moradores do território
da USF na implantação do Conselho Local de Saúde. A partir dessas reflexões iniciamos o processo de mobilização
da comunidade através da identificação das lideranças existentes ou potenciais daquela localidade; do levantamento de
registros históricos sobre os movimentos populares da localidade junto às instituições públicas. Foram consultados
também: agentes comunitários de saúde (ACSs), assistentes sociais do Centro de Referencia da Assistência Social,
das escolas, das entidades filantrópicas e organizações comunitárias. A partir dos dados coletados, da identificação de
pessoas e organizações comunitárias, a equipe de saúde da USF iniciou o processo de mobilização com visitas
domiciliares e contatos telefônicos. Destacamos a participação de uma moradora no fornecimento de jornais publicados
ao período de existência do conselho local, desativado há 4 anos, demonstrando reivindicações dos moradores as
quais culminaram na construção da atual USF. Outra estratégia de mobilização ocorrerá durante as comemorações do
Dia Mundial da Saúde e da Atividade Física com a realização de uma oficina com dramatizações de situações de
usuários sendo espoliados de seus direitos no tocante a saúde pública, de modo a propiciar uma reflexão sobre a
necessidade de lutar por uma Saúde Pública de qualidade, e da participação popular na formação e funcionamento dos
conselhos locais de saúde. Com essas ações verificamos que realizar um trabalho coletivo face a conjuntura social que
incentiva o individualismo se torna cada dia mais complexo outro aspecto que dificulta o trabalho é o crescente
descrédito da sociedade para tudo que é estatal, apresentar uma proposta de ação institucionalizada causa certa
resistência por parte da população. Percebemos então que a mobilização comunitária é complexa e exige um trabalho
técnico, continuado e reflexivo, construído de maneira estratégica para que seja realmente espaço de mudanças no
quadro geral das políticas públicas brasileiras.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4368
Código do Autor Principal:3590
Nome do Autor Principal: LUCELENA MARQUES
Autores:
LUCELENA MARQUES, RAFAELA AZENHA TEIXEIRA, MARIA APARECIDA FERNANDES TEIXEIRA, FERNANDO
SILVEIRA, VÂNIA ALMEIDA ATTIÊ DE CASTRO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-042
Onde o trabalho foi realizado? RIBEIRÃO PRETO - SP
Titulo:
AÇÕES DE COMBATE A DENGUE, DESENVOLVIDAS POR UMA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO
MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO
Resumo:
Introdução: No Brasil a primeira epidemia de dengue registrada no estado de São Paulo foi em 1951 e desde então a
dengue desaparece e volta a aparecer, assim como o mosquito transmissor. O controle desta doença não é uma tarefa
fácil, por se tratar-se de um problema coletivo exigindo dedicação, disciplina, perseverança e acima de tudo
conscientização da gravidade do problema. Ribeirão Preto teve a primeira grande epidemia em 1990, repetindo-se em
2001, 2006 e 2007. Atualmente estamos enfrentando uma nova epidemia, já registrou-se até março deste ano 320
casos confirmados, com 1.458 casos suspeitos da doença. Objetivo: descrever a experiência do desenvolvimento de
estratégias de combate à dengue por uma equipe de saúde da família. Metodologia: Desde a implantação do Núcleo de
Saúde da Família 03 em 2001, como estratégia para a melhoria da atenção primaria em Ribeirão Preto, entre outras
ações iniciadas estava também o inicio da luta contra o mosquito aedes aegypti e conseqüentemente contra a dengue.
Dentre as ações realizadas podemos destacar os mutirões com estudantes calouros da USP, apitaço, trabalhos nas
escolas, mobilizações de espaços comunitários, teatros e o trabalho constante da equipe nas visitas domiciliares de
rotina mesmo nos períodos de declínio da epidemia. Em março de 2007, uma nova estratégia foi utilizada e
estabelecemos junto ao Controle de Vetores da Secretaria Municipal de Saúde, estratégias de acompanhamento dos
casos suspeitos. Passamos a receber a relação de casos suspeitos registrados em nossa área de abrangência,
semanalmente e de acordo com essas informações começamos a programar bloqueios mesmo antes de sair a
confirmação diagnóstica, com a participação de toda a equipe de saúde da família, intensificando tanto a busca de
criadouros como a busca ativa de casos suspeitos, a fim de evitar complicações do quadro clinico da doença. Em 2008
além das ações de monitoramento dos casos suspeitos, realização de mutirões, treinamento de médico e enfermeira
para novo protocolo de acompanhamento clínico da doença, este problema foi levado à Comissão Local de Saúde da
unidade, favorecendo a responsabilização da população através das lideranças comunitária assim como o
planejamento de ações em conjunto. Resultados Alcançados: Em 2006 tivemos 26 casos de dengue confirmados em
nossa área de abrangência de abrangência da unidade e em 2007 apenas 05 casos confirmados. Acreditamos que o
efeito do nosso trabalho reflita nos resultados de casos do ano de 2008, até o início do mês de março apenas 02 casos
estavam confirmados na área.
Observação:
Area 3 - vigilância em saúde
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4370
Código do Autor Principal:7
Nome do Autor Principal: LESLEY BATISTA DE FIGUEIREDO
Autores:
LESLEY BATISTA DE FIGUEIREDO
DIMAS DE PAIVA GADELHA JÚNIOR
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-002
Onde o trabalho foi realizado? SÃO GONÇALO - RJ
Titulo:
O DESAFIO EM IMPLANTAR O NASF EM MUNICÍPIO DE 1 MILHÃO DE HABITANTES
Resumo:
Historicamente, o atendimento à saúde da população brasileira sempre se caracterizou por seu caráter curativo,
imediatista - centrado na figura do médico e hospitalocêntrico, porém a implantação do PSF a nível nacional em 1994
veio apresentar uma resposta a este desafioo PSF se apresenta como uma nova maneira de trabalhar a saúde, tendo a
família como centro de atenção e não somente o indivíduo doente, introduzindo uma nova visão no processo de
intervenção em saúde. Observa-se, na prática, a efetividade do PSF, na medida em que proporciona o diagnóstico e
tratamento precoce de algumas doenças mais freqüentes e ações educativas, o que não parece garantir que o PSF
constitua uma estratégia estruturante na direção de um novo modelo assistencial. Faltam a articulação com os outros
níveis de atenção e a cooperação com a rede especializada que assegure suporte à atenção básica de uma atenção
continuada, implantada por mecanismos de referência e contra-referência.
Considerando a dimensão populacional do município e seus problemas ambientais, sanitários, socioeconômicos,
socioculturais e da efetivação dos princípios e diretrizes do SUS, são necessárias ações voltadas ao
redimensionamento da participação dos profissionais de saúde, com vistas à construção da equipe de saúde como
verdadeira produtora desses serviços. A implantação do NASF no município de São Gonçalo/RJ- um município de 1
milhão de hab. com 155 Equipes de PSF vem em resposta a angústia de profissionais, usuários e governo.
Objetivo: demonstrar a implantação de 15 equipes de NASF
Metodologia: Estudo de casos
Resultados alcançados: reestruturação da rede de assistência; Implantação de equipes matriciais, maior resolutividade
da ESF;
Lições aprendidas: Setorização da rede, melhor aproveitamento dos profissionais, maior resolutividade da ESF,
interdisciplinaridade.
Recomendações: implantação de NASF em outros municípios.
Observação:
relato de experiência, área 6.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4371
Código do Autor Principal:3008
Nome do Autor Principal: ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS
Autores:
ELIEZER RODRIGUES DOS SANTOS (ASSISTENTE SOCIAL)
CINTIA GARCIA LOPES (DENTISTA)
VIVIANE APARECIDA IGLECIAS (PROFESSORA DE EDUCAÇÃO FÍSICA)
RESIDENTES DA RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA.
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA (UEL) - PARANÁ.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-069
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
PROJETO SALA DE ESPERA: OTIMIZANDO O ESPAÇO PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE.
Resumo:
A Unidade de Saúde da Família considerada -porta de entrada- do sistema de saúde, deveria proporcionar um
ambiente acolhedor à medida que representa para o usuário a materialização de um direito social. Essa compreensão
justifica uma intervenção sistemática e contínua no ambiente da sala de espera. Isso porque é um espaço com
potencial para a socialização de informações, experiências, democratização, ampliação da cidadania e, acima de tudo,
de fortalecimento das lutas em torno da igualdade de classe, gênero, etnia, orientação sexual, entre outras. Assim
propusemos o presente trabalho. Partindo de reflexões acerca da realidade da sala de espera encontrada pelos
Residentes Multiprofissionais em Saúde da Família, na Unidade Saúde da Família (USF) -Aquiles Stenguel-, em
Londrina-Paraná, espaço com grande concentração de usuários que, por muitos motivos, passam algum tempo
esperando atendimento. Diante do exposto propomos um trabalho na sala de espera desta USF, um contato intencional
com a população usuária com vistas ao repasse de informação, estabelecimento de vínculo, melhoria da articulação e
comunicação. O contato prévio com os indivíduos que estão na sala de espera nos possibilitou detectar que muitos
usuários apresentam desconhecimento do funcionamento da instituição e dos serviços ofertados, o não acesso a
direitos e serviços e as possibilidades de intervenção da comunidade na Política de Saúde Pública. Assim, o objetivo
deste projeto é propiciar um ambiente de acolhimento e explanação de assuntos pertinentes às necessidades
apresentadas pela população, otimizando o espaço institucional denominado -sala de espera-, e assim, ampliar o
conhecimento do perfil da população atendida pela USF e dilatar o conhecimento da população sobre seus direitos no
tocante a Saúde Pública e políticas afins. A metodologia será desenvolvida com trabalhos em todos os dias da semana,
pelos residentes, no período da manhã. Cada residente ficará responsável por organizar atividades, preferencialmente,
pertinentes a sua área de atuação e em colaboração com os outros, desde que corresponda às necessidades e
anseios manifestos pela população alvo. Essa metodologia não é aleatória, visto que a equipe é composta por
assistente social, professor de educação física, enfermeiros, fisioterapeuta, psicólogo e dentista. Acreditamos que essa
variedade de profissionais contribuirá para diversidade dos temas abordados, de modo a enriquecer as informações. O
período da manhã foi apontado, pois é o que concentra maior fluxo de pessoas na USF, possibilitando uma
abrangência maior do trabalho. A avaliação acontecerá após cada atividade da sala de espera, por meio de relatório.
Também será avaliado, bimestralmente, o trabalho pela coordenadora da USF e a tutora de campo responsável pelos
residentes.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4372
Código do Autor Principal:281
Nome do Autor Principal: PAULA PEREIRA DE FIGUEIREDO
Autores:
PAULA PEREIRA DE FIGUEIREDO1;
MARTA REGINA CEZAR-VAZ2;
CLARICE ALVES BONOW3;
VALDECIR ZAVARESE DA COSTA4;
JORGANA FERNANDA DE SOUZA SOARES5;
LETÍCIA SILVEIRA CARDOSO6;
CYNTHIA FONTELLA SANT-ANNA7;
MARLISE CAPA VERDE DE ALMEIDA8.
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-040
Onde o trabalho foi realizado? RIO GRANDE DO SUL
Titulo:
ESTUDO DO PROCESSO DE TRABALHO DE GESTORES DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NA 3ª CRS/RS
Resumo:
Introdução - Considerando a Estratégia Saúde da Família (ESF) como um modelo tecnoassistencial de grande
relevância para a re-orientação da atenção básica e do sistema de saúde no Brasil, torna-se conveniente estudar seu
processo de trabalho, sobretudo, no que concerne ao micro-espaço da gestão local. Dessa forma, é possível explicar o
sistema de significados do trabalho, o que contribui para uma melhor gestão e qualidade da assistência prestada.
Objetivo - Analisar o processo de trabalho dos gestores municipais da ESF no espaço-ação da Terceira Coordenadoria
Regional de Saúde do Rio Grande do Sul (3ª CRS/RS). Metodologia - Este estudo assume caráter explicativo e
transversal, apresentando natureza predominantemente qualitativa. Os dados foram coletados através de entrevista
semi-estruturada gravada, no período de junho a agosto de 2006, junto aos gestores da ESF pertencentes a 11
municípios da 3ª CRS/RS, totalizando 15 sujeitos. A análise temática dos dados congregou uma abordagem dialética,
seguindo os passos de pré-análise, exploração e tratamento do material e interpretação dos resultados. Também,
foram utilizados os elementos constitutivos do processo de trabalho proposto por Marx para a categorização dos
resultados. Resultados - 1) O trabalho desenvolvido pelos gestores da ESF na 3ª CRS/RS: administração financeira da
ESF (6,66%); supervisão (13,33%); mapeamento de área (13,33%); definição e elaboração de protocolos (13,33%);
orientação da comunidade acerca do que seja a ESF (13,33%); participação no Conselho de Saúde (13,33%);
contratação de recursos humanos (20%); visitas às unidades de saúde (20%); encaminhamento de usuários aos
serviços de referência (20%); coordenação de agentes comunitários (20%); revisão e/ou encaminhamento dos dados
de produção via Sistema de Informação em Atenção Básica (20%); suprimento de material para as equipes de Saúde
da Família (26,66%); avaliação das ações de saúde, mediante acompanhamento e/ou análise da produção/indicadores
(33,33%); atividades assistenciais (33,33%); capacitação de profissionais (40%). 2) O objeto de trabalho dos gestores:
46,66% dos gestores referem as equipes de saúde e a comunidade como objetos de trabalho. 3) O instrumental de
trabalho utilizado para a gestão local da ESF: programação em saúde (6,66%); Planejamento Estratégico (6,66%);
Legislação do SUS (6,66%); diálogo (13,33%); visita às unidades de saúde (20%); educação continuada (20%); reunião
com as equipes (20%). Considerações Finais - A análise preliminar dos dados nos permite identificar que uma das
finalidades do trabalho dos gestores é a melhora na qualidade de vida da população, o que repercute diretamente no
produto do seu trabalho: a produção de valores de uso e mais-valia, as quais são compreendidas como a satisfação de
necessidades de saúde da comunidade e a melhora nos indicadores de saúde locais, respectivamente.
Observação:
1.Especialista em Atenção Básica em Saúde Coletiva. Mestranda do PPGEnf/FURG. Bolsista CAPES.
2. Profª Drª Associada ao Departamento de Enfermagem da FURG.
3 e 6.Mestrandas do PPGCS/FURG.
4. Mestre em Ciências da Saúde pelo PPGCS/FURG. Doutorando do PPGEA/FURG.
5. Mestre em Enfermagem pelo PPGEnf/FURG.
7. Mestranda do PPGEnf/FURG.
8. Acadêmica do Curso de Enfermagem e Obstetrícia da FURG.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4373
Código do Autor Principal:3592
Nome do Autor Principal: DANIELE AMARAL VIEIRA
Autores:
*SUELI SOLDATI ABRANCHES 1, LUANNA RODRIGUES DE JESUS 2, DANIELE AMARAL VIEIRA 3, ANDRÉ DE
OLIVEIRA LACERDA 4, GIULIANNE FERREIRA MANZELLA 5, CRISTIANE CUNHA DA CONCEIÇÃO 6
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-056
Onde o trabalho foi realizado? BARRA MANSA - RJ
Titulo:
PRÓ-SAÚDE : RELATO DE EXPERIÊNCIA DE MONITORIA EM UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Os cursos de graduação em saúde tem apresentado dificuldades na aplicação dos princípios do Sistema Único de
Saúde (SUS). O curso de Enfermagem do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) aprovado no Programa de
Reorientação da Formação em Saúde (PRÓ-SAÚDE) pelo Ministério da Saúde (BRASIL, 2005), tem buscado
reorganizar suas metodologias pedagógicas, com o objetivo de fortalecer a transformação do processo de formação.
Assim, a partir de 2006, tem incentivado a participação dos estudantes no cenário de prática das unidades de saúde da
família (USF) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Barra Mansa/RJ. Entre as atividades implementadas instituiu,
por meio de seleção, estudantes monitores (5, 6 e 7 períodos) do Pró-Saúde nas USF. Esses atuam com participação
efetiva nas diversas ações em saúde coletiva e buscam integrar os demais estudantes do curso de períodos iniciantes
na vivencia prática, sob supervisão docente. O relato dessa experiência evidencia uma metodologia ativa, na qual o
estudante é sujeito do processo de formação e da integração ensino-serviço. Inicialmente, com ênfase na estratégia
saúde da família (ESF), no período de outubro de 2007 a abril de 2008, os onze monitores selecionados, participaram
da capacitação: -Pró-Saúde: gerência em saúde da família:-, juntamente com os 24 gerentes das USF da SMS/BM.
Nesse período além da capacitação, atuaram de forma integrada aos gerentes e equipe de ESF, no aprazamento dos
grupos de riscos, territorialização, organização de arquivos e contra-arquivos, do ambiente de trabalho e protocolos,
fechamento do Sistema de Informação (SIAB), acompanhamento de consultas e procedimentos assistenciais. Essa
vivencia concretizou a atuação dos monitores Pró-Saúde nas disciplinas de Epidemiologia e Saúde Coletiva,
possibilitando uma importante troca de saberes com os alunos de 3, 4 e 5 períodos do curso, profissionais, usuários e
docentes envolvidos. Outras ações foram efetivadas, tais como: educação em saúde, monitoramento de distribuição de
fármacos, cobertura vacinal, implantação e implementação do caderno gerencial, leitura e análise dos indicadores de
saúde. Como resultados verificaram-se mudanças qualitativas no processo de trabalho em saúde da família e maior
compreensão por parte dos monitores, estudantes e profissionais sobre as ações em saúde, trabalho em equipe e
vínculo terapêutico com a população. Essa vivência evidenciou também a importância da educação permanente no
processo. As dificuldades em relação ao conhecimento teórico-prático foram superadas motivadas pela grande
inter-relação que se estabeleceu entre os atores. Recomendam-se novas experiências pautadas na ESF, a fim de
superar desafios, com cidadania e união.
Área temática: Área 5: Processos de educação e formação em saúde na AB/SF
*Docente1 e estudantes/monitores1,2,3,4,5,6, do UBM.Curso de Enfermagem
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4375
Código do Autor Principal:3541
Nome do Autor Principal: ÉRIKA SOARES CALDEIRA
Autores:
ÉRIKA SOARES CALDEIRA;
JULIANA SANTANA DA SILVA;
CYNARA RODRIGUES SILVA;
PATRÍCIA SOARES DE CASTRO;
SARAH FONSECA CARDOSO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-033
Onde o trabalho foi realizado? MONTES CLAROS - MG
Titulo:
DIAGNÓSTICO DAS NECESSIDADES DE RASTREAMENTO DE CA DE MAMA EM ESF DE MONTES CLAROS MG
Resumo:
Introdução: O câncer de mama, no Brasil, vem mostrando incidência e mortalidade ascendentes desde a década de
60. É responsável por cerca de 15% do total de cânceres no país, e pela principal causa de óbitos por câncer na
população feminina.
O seu rastreamento se apóia em um tripé constituído pelo auto-exame mamário, exame clínico das mamas e pela
mamografia. Sendo a última, o método ideal para identificação de lesões subclínicas.
Inúmeros estudos controlados randomizados realizados nos últimos 40 anos têm evidenciado queda significativa da
mortalidade por Ca de mama entre as mulheres para as quais foi oferecido o rastreamento mamográfico.
Objetivos: Identificar as mulheres de 40 a 69 anos do ESF Santa Lúcia I de Montes Claros a fim de programar as
atividades e estratégias para garantir o diagnóstico precoce de câncer de mama nesta área.
Metolologia: Trata-se de um estudo descritivo transversal de base populacional. A população estudada foram mulheres
de 49 a 69 anos cadastradas no ESF Santa Lúcia I, Montes Claros/MG. O instrumento de coleta de dados foi a Ficha A
(Ficha de Cadastro das Famílias).
Apresentação e discussão dos resultados: Foram identificadas 175 mulheres na faixa etária de 40 a 49 anos e 188
mulheres de 50 a 69 anos. Como as mulheres na faixa etária de 50 a 69 anos devem fazer mamografia com no máximo
2 anos, constatou-se que a cota mensal da ESF Santa Lúcia I de mamografia, que é de quatro, deve ser de no mínimo
8, considerando-se a necessidade de solicitar mamografia em casos especiais antes dos 50 anos.
Considerações finais: Diante dos dados levantados e da relevância da realização da mamografia na detecção precoce
de Ca de mama, conclui-se a real necessidade de revisão na cota de exames mamográficos disponibilizados para a
ESF em questão. Além disso, destaca-se a importância do exame clínico das mamas como adjuvante no rastreamento
do Ca de mama.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4376
Código do Autor Principal:1160
Nome do Autor Principal: MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES
Autores:
LUCIANA DA SILVA FERREIRA [1]
MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES [2]
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-046
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
O PORTADOR DE DIABETES MELLITUS TIPO 2 E A FAMÍLIA: ABORDAGEM INOVADORA NA PRÁXIS DO
ENFERMEIRO
Resumo:
Este estudo é um relato de experiência da práxis do enfermeiro referente ao atendimento a portadores Diabetes
Mellitus (DM) tipo 2 e suas familias. A família vem se tornando uma importante parceira do enfermeiro no cuidado tanto
de seus membros quanto de si mesma. Baseando-se no Modelo Calgary de Avaliação (MCAF) e Intervenção da
Família (MCIF) que é uma estrutura multidimensional, integrada e baseada em sistemas para avaliação estrutural, de
desenvolvimento e funcional da família (WRIGHT & LEAHEY, 2002) foi possível avaliar e propor as primeiras
intervenções. Teve-se como objetivo incentivar o portador de DM para a adesão ao tratamento na perspectiva da
abordagem familiar por meio da consulta de enfermagem. Foram realizadas consultas de enfermagem com enfoques
distintos: o portador de diabetes, este e seus familiares em uma Unidade Básica de Saúde do Município de Belo
Horizonte/MG, no período de junho/06 a fevereiro/07. Participaram da primeira consulta individual 4 portadores de
diabetes, quando foi proposta a consulta subseqüente em companhia de, pelo menos um familiar, o que foi possível
para dois deles. A consulta enfermagem proporcionou aproximação do enfermeiro/diabético/família, identificação de
forças e fragilidades da família e legitimação deste atendimento pelos usuários acompanhados. Esta experiência
possibilitou a compreender como estas famílias se cuidam, percebem limites e esforços para o cuidado frente à
doença. Traz a reflexão da práxis do enfermeiro que alcança novas perspectivas de atuação. Reforça o desafio da
co-responsabilização, multidisciplinaridade para abordagens de progressivo sofrimento da pessoa/familiares que
também sobrecarrega o sistema de saúde.
Observação:
[1] Enfermeira, especialista em Educação para Saúde, atuante no Programa de Saúde da Família/UBS Jardim
Filadélfia/Belo Horizonte/MG-. Fone: (31)3277-7142 - ferreiraluc@yahoo.com.br [2]Maria Teresinha de Oliveira
Fernandes - Enfª, Mestra em Enf./UFMG, docente do Inst. Metodista Izabela Hendrix, esp. em Adm. da Assist. de Enfer.
e SF/BH/MG, integrante do NEPCDH - mtofernandes@gmail.com
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4380
Código do Autor Principal:3451
Nome do Autor Principal: ZILDA MARIA A.FRANÇA SANTOS
Autores:
LETÍCIA THOMAZ DE ALMEIDA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-094
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO - RJ
Titulo:
GRUPO DE GESTANTE NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Neste trabalho relatamos à experiência da equipe de Saúde da Família do PSF-Paz, Sereno e Fé no Município do
Rio de Janeiro quando realizaram o grupo de educação para saúde com mulheres que vivenciam o período
gestacional. A mulher que está vivenciando o período gestacional está sujeita as diversas alterações hormonais,
fisiológicas, psicológicas e sociais, portanto podem existir sentimentos ambíguos em relação à aceitação ou não da
gestação e/ou da amamentação. Neste período o apoio da família e dos profissionais que estão ao seu lado é de
fundamental importância. Assim, criamos uma atividade educativa em grupo com mulheres no período gestacional,
incluindo no Programa de Pré-natal da unidade. Adotamos uma metodologia para os encontros parecida com as
utilizadas pela Casa de Parto no Rio de Janeiro, a equipe se divide para abordar os seguintes temas: Modificações do
corpo e tecnologias, Gênero, sexualidade e direitos, Trabalho de Parto e Parto, Cuidados com o Bebê, Higiene bucal do
bebê e o Aleitamento Materno exclusivo em todos os encontros. Utilizamos DVD, CD, gravuras, bonecos, colchonete,
mama artesanal para ilustrar os temas. O grupo de gestantes tem os seguintes objetivos: incentivar a amamentação
exclusiva até os 6 meses e complementar até 2 anos ou mais durante os 9 meses de gestação, formar vínculo da
gestante com a equipe de saúde da família, esclarecer dúvidas para que elas cheguem ao parto sabendo o que irá
acontecer com elas e troca de experiências. Nesta atividade realizada pela equipe multidisciplinar com participação do
Enfermeiro, Dentista, Técnico de higiene dental, Médico, Auxiliar de Enfermagem, Pelos Residentes em Saúde da
Família da Escola Nacional de Saúde Pública e pelos Agentes Comunitários de Saúde, no módulo de Saúde da
Família, quinzenalmente, com duração média de 120 minutos. Os resultados foram observados que é mais fácil
estabelecer vínculo com a mulher no período gestacional do que depois que o filho nasce, estabelecendo na equipe de
saúde da família segurança para dúvidas, medos e apoio no período puerperal, estabelecendo assim o
acompanhamento como saúde da família da mulher e do bebê até 2 anos de vida. Esta experiência levou-nos a
concluir que esta atividade de educação em saúde em grupo, proporcionou a participação das gestantes sanando suas
dúvidas, diminuindo medos do parto, reafirmando assim a importância do preparo da mulher tanto física quanto
psicologicamente para que a promoção do aleitamento materno seja efetiva.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4385
Código do Autor Principal:3596
Nome do Autor Principal: VANIA GOMES THEODORO
Autores:
VANIA GOMES THEODORO
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-027
Onde o trabalho foi realizado? MARAGOGIPE - BA
Titulo:
PROGRAMA SAÚDE BUCAL NA ESCOLA
Resumo:
A atuação nas linhas de cuidado de crianças e adolescentes implica no redirecionamento do processo de trabalho
em que atuar em equipe é fundamental e tem ainda como pressuposto o princípio da intersetorialidade. Assim, os
profissionais de saúde bucal também precisam propor alianças no próprio interior do sistema de saúde e com a área de
educação para alcançar o cuidado destas faixas etárias e conseguir a desejada abrangência das ações coletivas
exigida pelos nossos pactos. Esta experiência propôs o desenvolvimento de ações de promoção e proteção à saúde
bucal de crianças e adolescentes em parceria com as escolas existentes, públicas ou particulares, nas áreas adscritas
às equipes de saúde da família de dois municípios baianos, oferecendo atividades educativo-preventivas aos escolares
de forma regular e ampliada. Todas as instituições escolares foram convidadas e cadastraram-se voluntariamente no
programa Saúde Bucal na Escola. Como condição para a oferta das atividades e o fornecimento das escovas de dente,
a equipe de saúde bucal (ESB) responsabilizava o professor (ou outro ator da escola) pela confecção do escoveiro e
pelo armazenamento das escovas durante o ano. O professor era responsável também pela organização das pastas
com as fichas de acompanhamento das atividades por turma. A escola optava por um dos modelos de escoveiro
propostos. As atividades de educação em saúde, escovação supervisionada, aplicação tópica de flúor e revelação de
placa bacteriana foram programadas para o ano letivo em conjunto com os diretores das escolas. A freqüência das
atividades era mensal e tinha a participação dos ACS-s e professores. Nos quatro -Mutirões da Saúde Bucal- (um por
bimestre), como ficaram conhecidos, contavam também com a participação dos odontólogos e ACD-s. Após cada dia
de atividade, as fichas de acompanhamento eram preenchidas por um profissional da equipe e mensalmente eram
avaliadas e contabilizadas. Ao final de cada semana de Mutirão, o mesmo era avaliado pelo conjunto de ESB. A
experiência organizou e ampliou bastante a oferta das atividades coletivas no município, produzindo 16.520
escovações no ano, com ou sem flúor, o que levou a um indicador de 3,9% decobertura da ação, quando a meta
estadual proposta era de 3,0%. Além disso, proporcionou mudanças em algumas instituições, inicialmente
desmotivadas e agora multiplicadoras de saúde; nos ACS-s, que nem sempre atuam com a saúde bucal como é
necessário e como institui a Política Nacional de Saúde Bucal; e nos próprios odontólogos, que absorveram as
atividades com empenho e uniram-se para superar os problemas em conjunto. Observou-se também que os alunos, no
decorrer do ano, iam se tornando mais receptivos e colaboradores com as atividades e acredita-se que, se avaliados
epidemiologicamente, mostrariam melhor condição de saúde bucal.
Observação:
Foram facilitadores o empenho das equipes e apoio do gestor em adquirir os insumos necessários. A maior
dificuldade esteve na responsabilização de algumas escolas. Percebeu-se que a sistematização da oferta das
atividades coletivas conferiu uma -cara de campanha- que incentivou sua realização pelos atores, produzindo
resultados satisfatórios que podem ser conseguidos em outros municípios do país.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4386
Código do Autor Principal:3595
Nome do Autor Principal: ALINE GASPARINI
Autores:
ALINE GASPARINI - ASSISTENTE SOCIAL.
LOURIVALDO RIBEIRO - COORDENADOR DO PROGRAMA DEFICIENTE SAUDÁVEL E
FERNANDO PROENÇA DE GOUVÊA - DIRETOR PRESIDENTE DO CEJAM
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-110
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
ATENÇÃO A SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA: HUMANIZAÇÃO E INCLUSÃO NO ATENDIMENTO DO
PSF - JD. ÂNGELA
Resumo:
O marco da Constituição de 1988 reordenou as políticas públicas no Brasil e atualmente a saúde é entendida dentro
de uma perspectiva de direito e de qualidade de vida. É assim que o Programa de Atenção à Saúde da Pessoa com
Deficiência vem sendo implantado pela OS CEJAM-Organização Social Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João
Amorim. Várias ações para consolidar um melhor acolhimento das demandas da pessoa com deficiência nas Unidades
de Saúde da Microrregião do M`Boi`Mirim foram desenvolvidas e a estas ações somaram-se a pauta de deliberações
do fórum de Inclusão realizado na região PSF do Jd Ângela e OS articularam suas ações programáticas visando
promover a saúde da pessoa com deficiência; saúde com qualidade de vida da comunidade e de seus membros.
Este programa visa fazer com que as pessoas com deficiência sejam acolhidas pelas Unidades de Saúde e possam
realizar seus atendimentos num espaço preparado e adaptado para atender as suas necessidades, favorecendo a
inclusão social dos mesmos. Este programa objetivou: identificação do número de pessoas com deficiência na região,
conhecer sua realidade sócio-familiar, vínculos familiares e comunitários, rede de serviços onde estão inseridos e
outros indicadores.
Foi realizado uma vistoria nas Unidades de Saúde/ PSF identificando a acessibilidade das mesmas e as alterações
necessárias a serem feitas nas estruturas físicas das unidades, para receber esta demanda -Realizado capacitação
com os funcionários com a Oficina Humanizando o Atendimento da Pessoa com Deficiência nas UBS-.Proporcionamos
curso de LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais para os funcionários das Unidades poderem realizar contato com as
pessoas surdas e/ou mudas. Treinamento dos funcionários para a realização do segundo levantamento estatístico das
pessoas com deficiência que reside na microrregião do M-Boi-Mirim, sendo que o primeiro levantamento abrangeu
somente a população do Jardim Ângela.
Os funcionários ampliaram seu interesse pela temática e passaram a atender as pessoas com deficiência que
freqüentam as unidades, tendo em vista os princípios de acolhimento. Os gerentes das USs estiveram muito implicados
em todo o processo.
Percebemos que ainda temos um caminho longo a percorrer para a adequação total das unidades para o atendimento
desta demanda nas unidades, o nosso intuito é que daqui a alguns anos este procedimento seja natural, sendo
respeitados os direitos das pessoas e as mesmas terem condições de acessibilidade por toda unidade. Contamos com
a colaboração dos gerentes e funcionários dos PSF para a implantação deste programa nas unidades.
Acreditamos que este programa seja estendido para todos os PSF da região do M-Boi'Mirim, onde possamos dar uma
cobertura total no atendimento das pessoas com deficiência nesta região.
Observação:
Realizei o cadastro como experiências das ESF, porém no manual de orientações da III Amostra consta como
"Relato de experiência outras categorias", com a qual acredito que esteja melhor identificada.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4387
Código do Autor Principal:3597
Nome do Autor Principal: MARIA DE FATIMA RODRIGUES MENDES
Autores:
MARIA DE FATIMA RODRIGUES MENDES
ISABELA GONÇALVES LOPES
ERIVELTON CORDEIRO CARVALHO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-090
Onde o trabalho foi realizado? RIBEIRÃO DAS NEVES - MG
Titulo:
EXPERIENCIA DO PSF COM UM GRUPO DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR
Resumo:
EXPERIÊNCIA DA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA COM O GRUPO DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR DA
COMUNIDADE DO BAIRRO SANTINHO - RIBEIRÃO DAS NEVES/MG
Resumo
Introdução: Práticas alimentares têm repercussões importantes no estado da saúde. Sabe-se que a promoção de
mudanças nas práticas alimentares faz parte das metas para atingir a saúde. São necessárias mudanças baseadas na
escolha e no preparo dos alimentos de maneira que promovam a adoção de uma alimentação mais saudável.
Objetivos: Este estudo tem como objetivo relatar a experiência da Unidade de Saúde da Família na promoção à saúde
e na reeducação alimentar de clientes portadores de diabetes mellitus e hipertensão arterial e que estão sobrepesos.
Metodologia: Estudo quantiqualitativo, uma vez que relata os depoimentos e benefícios encontrados com o grupo.
Demonstrar em gráficos a perda de peso e o controle das doenças de base comparativa do momento, em relação ao
início das atividades. Resultados: Em todos os relatos foram observados algum benefício, em comum o fator emocional
e a redução do estresse na vida diária tiveram destaque. Com dois meses de atuação do grupo, composto por médica,
enfermeiro, psicóloga e agentes comunitários, observa-se: 25% a redução de peso, 85% mudança nos hábitos
alimentares, 17% controle de hipertensão, atividade física 30%. Dificuldades e facilidades: espaço físico apropriado
para a realização das reuniões e atividade física, mudança na cultura de hábitos alimentares de uma população carente
de informação e desmotivada a adotar uma prática de vida saudável em contraste com um entusiasmo, curiosidade,
bem estar físico e emocional observado após as reuniões. Recomendações: Recomendamos a todas as equipes de
saúde a adotarem práticas de promoção à saúde como o grupo GRA (grupo de reeducação alimentar), pois além de
reduzir o número de consultas, internações estamos contribuindo para uma vida mais saudável da comunidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4389
Código do Autor Principal:3459
Nome do Autor Principal: SHANA VIEIRA TELO
Autores:
VELEDA, ALINE A.
TELO, SHANA V.
SOARES, KELMA N.
GONZATO, MARLI T.
BIANCHINI, ITEMAR M.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-156
Onde o trabalho foi realizado? PORTO ALEGRE - RS
Titulo:
O GRUPO COMO FERRAMENTA PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE: A EXPERIÊNCIA COM UM GRUPO DE
HIPERTENSOS
Resumo:
Introdução: A hipertensão arterial é uma doença crônica que, quando não tratada e controlada adequadamente, pode
levar a complicações sistêmicas. No Brasil, 10 a 15% da população é hipertensa, sendo que a maioria desconhece seu
diagnóstico. Entretanto, medidas simples, tais como hábitos alimentares adequados e atividade física, podem, além de
prevenir, combater a hipertensão ou auxiliar o tratamento medicamentoso.Objetivo: Relatar a experiência do Grupo de
Hipertensos da Unidade de Saúde Conceição do Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição em
Porto Alegre. Metodologia: O grupo foi formado por membros da comunidade, hipertensos ou não, mas, principalmente,
interessados em questões relativas à melhoria da qualidade de vida; e profissionais de saúde, compondo uma equipe
multiprofissional, com médicos, enfermeiras, auxiliares de enfermagem, estagiários de psicologia e enfermagem, e
agentes comunitários de saúde. O grupo acontece duas vezes ao ano e reune-se semanalmente. São oito encontros
nos quais são trabalhados os seguintes temas: Conceito de hipertensão; Alimentação Saudável; Atividade Física no
tratamento da Hipertensão; Tratamento medicamentoso para Hipertensão e Aspectos psicológicos relacionados à
Hipertensão. No primeiro encontro, são realizadas as medidas antropométricas e as circunferências abdominal e
braquial, calculado o IMC e verificado a pressão arterial. Nos encontros subseqüentes era medido apenas a pressão
arterial e o peso. Além disso, os usuários responderam um teste sobre Hipertensão para avaliar os conhecimentos
prévios sobre a patologia e participaram do -Bingo da Hipertensão- para revisar aspectos importantes. No último
encontro, o teste foi reaplicado e foram repetidas todas as medidas, nas quais todos os parâmetros são
reavaliados.Resultados alcançados: Após o acompanhamento no grupo, a maioria dos pacientes começavam a praticar
atividade física e a fazer acompanhamento sobre alimentação adequada em consultas individuais com profissionais da
unidade. Percebemos uma maior preocupação com a prevenção da doença e, principalmente, um melhor entendimento
sobre o papel da atividade física e da dieta adequada no tratamento. Além disso, a partir da solicitação dos pacientes
iniciou-se na unidade um Grupo de Caminhada (Grupo Felizidade), com o objetivo de reunir os participantes deste
grupo e oportunizar uma atividade física orientada. Lições aprendidas com a experiência: Acreditamos que a Educação
em Saúde para prevenção é muito importante e possibilita, por meio da formação de grupos, um maior vínculo entre
unidade de saúde e usuários, além de possibilitar que os mesmos tomem consciência de seu papel nos cuidados com
sua própria saúde. Recomendações: Recomendamos a prática de atividades de grupo como alternativa na assistência
aos pacientes portadores de doenças crônicas como Hipertensão e Diabetes.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4390
Código do Autor Principal:3599
Nome do Autor Principal: ANA LÍGIA PASSOS MEIRA
Autores:
ANA LÍGIA PASSOS MEIRA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-141
Onde o trabalho foi realizado? ESPERANÇA - PB
Titulo:
TORNANDO A TERCEIRA IDADE MAIS SAUDÁVEL
Resumo:
Sou Ana Lígia, enfermeira da Unidade Básica de Saúde da Família Maria Salomé Torres - PSF Campestre há 2
anos. Quando cheguei nesta Unidade vi que, se tratava de uma realidade muito diversa, tínhamos nela, da família de
deputado federal, da família do prefeito até aquela realidade de pessoas dormindo em papelão, bem como vi que era
uma Unidade onde encontrávamos muitos idosos. Então passamos a desenvolver estratégias que tornassem a vida
desses idosos mais saudável, daí vimos (quando falo vimos, estou me referindo a mim- enfermeira- e aos ACS, sempre
dispostos a ajudar) a necessidade de criar terapias alternativas que atraíssem-os à unidade.
Foi aí, que iniamos com uma palestra aqui outra ali, com temas básicos, como: cuidados com a saúde após os 60 anos,
doenças pertinentes ao envelhecer, diabetes, hipertensão, entre outros, feitos em Sala de Espera com os mesmos.
Mas não ficamos só nisso, começamos a montar o Grupo da Melhor Idade, onde fazemos caminhadas, com verificação
dos SSVV antes e depois para evitar problemas, quadrilhas com temas da região, baile de carnaval, Dia do Diabetes,
Dia Nacional de Imunização, Dia do Idoso, e esses dias sempre comemorados com muita festa, café da manhã, com
palestras importantes, momentos de reflexão, enfim, fazemos realmente um dia diferente na Unidade.
Com isso, atraímos esse Idoso até à Unidade, ganhamos sua confiança e fazemos com que ele desenvolva o
auto-cuidado, que é perdido naturalmente no envelhecer.
Nos Grupos mostramos também terapias alternativas, como a fitoterapia, já que temos uma realidade um pouco
desprovida de recursos, então mostramos para o idoso como tornar sua vida melhor com que ele pode plantar no
quintal de casa.
E assim, nas reuniões em Equipe avaliamos os resultados desse Grupo de Idosos, notamos a maior freqüencia deles
nas consultas marcadas, notamos a maior presença deles na vacina, uma PA mantida constante, onde tínhamos picos
hipertensivos freqüentemente, enfim, concluímos que os resultados são sempre positivos. Por isso que damos
continuidade a esses trabalhos com tanta dedicação e amor, porque com essa iniciativa dimuímos o número de óbitos,
o de internação hospitalar e o de riscos à saúde na terceira idade.
Tenho sempe a ajuda dos ACS, em especial, e depois da Equipe e de outros profissionais que trabalham na Atenção
Básica.
Observação:
Tenho desenvolvido esse trabalho na Equipe para que melhoremos os índices na saúde do município e fazemos
com isso uma mostragem de como podemos tornar a saúde das pessoas melhor com tão pouca coisa, que é o
incentivo à parte educativa em saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4391
Código do Autor Principal:3600
Nome do Autor Principal: FERNANDA DOS REIS PARENTONI
Autores:
1 - FERNANDA DOS REIS PARENTONI - PARENTONI, F.R.;
2 - AMANDA DE CASTRO CLARK - CLARK, A.C.;
3 - LAURA MOURÃO GUIMARÃES E GOMES - GOMES, L.M.G.;
4 - LUCAS MELO FRANCO - FRANCO, L.M.;
5 - LUIS MARQUES RABELO - RABELO, L.M.;
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-015
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
ESTRESSE X RISCO CARDIVASCULAR ENTRE PACIENTES E FUNCIONÁRIOS DE UM CENTRO DE SAÚDE
DE BELO HORIZON
Resumo:
Introdução: O risco de adoecimento é cada vez mais prevalente entre os funcionários da saúde. Entre os fatores de
risco importantes e modificáveis temos o estresse, a obesidade, o tabagismo e o sedentarismo, estes estão
diretamente ligados à sobrecarga e ao autocuidado destes trabalhadores.
Objetivo: Comparar o autocuidado e o stress entre os funcionários de saúde de BH e seus pacientes.
Metodologia: Durante o mês de abril de 2008, foram entrevistados 29 funcionários da atenção primária à saúde de
diversas profissões e 38 usuários no centro de saúde Vila Pinho, na cidade de Belo Horizonte. As entrevistas foram
realizadas através de duas escalas: Inventário de Sintomas de Estresse para Adultos de LIPP (ISSL) e Risco
cardiovascular da Associação Americana de Cardiologia (AHA). A escala de Lipp classifica o estressse como:(1)
insignificante, (2)alerta (na ocorrência de sete ou mais itens na fase I), (3)resistência (na ocorrência de quatro ou mais
dos itens na fase II), (4)exaustão (na ocorrência de nove ou mais itens na fase III). A escala de AHA consiste na
pesquisa dos seguintes fatores: sexo/idade, tabagismo, peso, atividade física, antecedentes familiares, pressão arterial
sistólica, glicemia e colesterol total. A classificação é feita de acordo com a seguinte pontuação: sem risco (0 a 8), risco
potencial (9 a 17), risco moderado (18 a 40), risco alto (41 a 59), risco de perigo (60 a 67) e risco máximo (68).
Resultados: Em relação ao estresse dos 67 entrevistados tiveram pontuação insignificante 20 pessoas (29,85%), sendo
27,58% dos funcionários e 31,57% dos usuários. Com diagnóstico de alerta encontrou-se apenas um usuário
(2,63%). Com diagnóstico de resistência encontraram-se 28 pessoas (41,79%), sendo 31,04% dos funcionários e
42,1% dos usuários. Em fase de exaustão encontrou-se um total de 21 pessoas (31,34%), sendo 41,38% dos
funcionários e 23,7% dos usuários C. Desses 67 entrevistados foi possível verificar a presença de dor e tensão
muscular em 37 pessoas (55,22%), sendo 44,82% dos funcionários e 63,15% dos usuários. Na avaliação do risco
cardiovascular dentre os 67 entrevistados, 24 (35,82%) não apresentaram risco cardiovascular, sendo 55,55% dos
funcionários e 22,5% dos usuários. Para o risco potencial foram encontradas 25 (37,3%) pessoas, sendo 33,33% dos
funcionários e 40% dos pacientes. Na análise do risco moderado encontrou-se 17 (25,37%) dos entrevistados sendo
11,11% funcionários e 35% usuários. Apenas um (2,5%) usuário foi classificado como alto risco. Não encontrou-se
entrevistados em riscos de perigo e máximo.
Considerações finais com recomendações: Nota-se a importância de cuidar de quem cuida, o estresse entre os
funcionários do Centro de Saúde é bem maior que o da população que ela atende, apesar de ser a área de
abrangência classificada como muito alto risco e os usuários terem um maior risco cardiovascular.
Observação:
Autores de 1 a 5 - acadêmicos do 11º período da faculdade de medicina Unifenas, câmpus Belo Horizonte.
Autora n°6 - professora e supervisora do internato de atenção integral à saúde de faculdade de medicina Unifenas,
câmpus Belo Horizonte.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4392
Código do Autor Principal:3601
Nome do Autor Principal: MARIA JOSÉ PRADO
Autores:
MARIA JOSÉ PRADO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-031
Onde o trabalho foi realizado? APUCARANA - PR
Titulo:
O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NAS AÇÕES EM SAÚDE E NO TRABALHO DO ENFERMEIRO DO PSF
Resumo:
O atual sistema de saúde do Brasil tem como marco teórico a Constituição da República Federativa do Brasil de
1988, que instituiu o Sistema Único de Saúde - SUS, segundo o qual a saúde é direito de todo cidadão e dever do
Estado. O SUS propõe uma mudança na forma de entender o processo saúde-doença das populações, integrando
ações de prevenção e promoção na prática dos profissionais de saúde e tornando os serviços acessíveis a todos os
cidadãos. A principal estratégia do SUS para essa mudança paradigmática é o Programa de Saúde da Família, cujo
eixo são equipes multiprofissionais (Equipes de Saúde da Família - ESF), que trabalhem com área adstrita e conheçam
de perto a realidade da sua população, para poder planejar ações de saúde compatíveis com suas necessidades.
Essas equipes se concentram nas Unidades Básicas de Saúde - UBS, instituição que na quase absoluta maioria das
vezes é administrada por um enfermeiro, embora o possa ser por outros profissionais. Ao enfermeiro cabe a tarefa de
gerenciar a UBS e, muitas vezes, também comandar a ESF. Entretanto, esse profissional não tem uma formação sólida
em Administração, e desenvolve essa habilidade pela experimentação empírica, por erros e acertos. Sendo o
Planejamento Estratégico um recurso bastante utilizado pela Administração para gerir instituições, com objetivo de
melhorar seu desempenho, nossa intenção é verificar a possibilidade da sua utilização pelo enfermeiro do PSF, para
acrescentar valores na sua prática profissional e contribuir para a formação da identidade do enfermeiro como
profissional competente e imprescindível para a solidificação do SUS como um sistema funcional e equânime. Esse
trabalho constitui-se um estudo de caso, em que a realidade percebida é analisada á luz das teorias utilizadas para
explicá-la. Ao final, concluímos que o Planejamento Estratégico, pela sua conceituação, não pode ser aplicado à
realidade de uma UBS, mas pode oferecer suporte para proposição e implementação de ações que busquem
melhorias na prática do profissional que atua nesse contexto.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4393
Código do Autor Principal:3602
Nome do Autor Principal: FLAVIA GHELLER SCHAIDHAUER
Autores:
SCHAIDHAUER, FLAVIA;BERNARDO, CLAUDIA; SANTOS, MARLENE; NANDES, ELIANE; SILVA, ADRIANA;
RIBEIRO,
ROSANGELA;
SALES,
MARIA
BENEDITA;NANDES,
ELIAMAR;
FERREIRA,IVONETE;GOMES,SUZANA;DIAS,RAFAEL; BARROSO, DANIELLE; DA BARRA, VANESSA.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-057
Onde o trabalho foi realizado? TACIBA - SP
Titulo:
COZINHANDO DO SAUDE
Resumo:
a) Introdução: Devido a baixa aderência dos pacientes diabeticos e hipertensos ao controle alimentar, em nossa
área, mesmo com a realização do controle das medicações e palestras sobre orientações de dieta, percebemos que a
informação não chegava as casas destes pacientes, principalmente pela falta de entendimento e pela cultura de cada
um.Por isso decidimos mostras nos grupos como fazer uma comida saudável, e não apenas dizer como fazer.
b) Objetivos: Aumentar a adesão dos pacientes hipertensos e diabéticos a educação alimentar, ensinando como fazer e
mostrando que e possível cozinhar com saúde.
c) Metodologia: os grupos de hipertensos e diabéticos de cada microarea foram convidados a participar dos grupos,
como feito mensalmente, mas desta vez, alem de receberem orientações sobre medição e alimentação, eles foram
surpreendidos com o fogão e ingredientes para cozinhar uma receita de carne com legumes. Foi mostrado passo a
passo como cozinhar com pouco óleo e sal, os temperos que podem ser utilizados para dar gosto na comida, sem ter
que usar temperos industrializados ricos em sódio; enquanto cozinhávamos, iamos ressaltando a importancia do
controle alimentar, da atividade fisica regular; também tiramos a duvidas sobre medicações. Com a participação dos
pacientes, fomos descobrindo o habito alimentar de cada um, e consequentemente, a quantidade que cada um usava
de óleo e sal na comida; muitos ficaram perplexos em saber que a quantia que achavam pouca, ainda era considerada
muita, e por isso não conseguiam controle alimentar adequado. Durtante a peparacao do prato, eles foram participando
e modificando o seu pensamento sobre como cozinhar alguns alimentos. Após o prato estar pronto eles provaram e
aprovaram a receita. A partir deste primeiro passo, começamos a fazer receitas simples, do cotidiano deles, facilitando
a adesao as orientacoes alimentares.
d) Resultados alcançados: Com a maior adesão dos hipertensos e diabeticos a dieta, conseguimos ter um controle
maior da glicemia em 32% dos casos de diabetes, e diminuição para monoterapia de 14% dos casos de hipertensos.
No inicio do programa apenas 36% dos pacientes participavam dos grupos, após o inicio deste processo, 47% dos
pacientes estão participando; e a cada mês este numero aumenta.
e) Lições aprendidas com a experiência: Muitas vezes apenas falar e repetir algo para pessoas não e suficiente para
modifica-las, mas ensinando, mostrando e as fazendo participar do processo, essa mudança se faz mais fácil. Quando
o paciente percebe o poder que ele exerce sobre si mesmo e sobre o seu tratamento conseguimos resultados muito
melhores nos tratamentos.
f) Recomendações: Sempre usar receitas que fazem parte da realidade da sua comunidade, ingredientes que os
pacientes tem em casa ou são de fácil acesso, sempre pensando em uma alimentação saudável e simples.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4395
Código do Autor Principal:1160
Nome do Autor Principal: MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES
Autores:
MARIA TERESINHA DE OLIVEIRA FERNANDES [1]
ÉRICA SILVA FIGUEIREDO [2]
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-115
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
ACOLHIMENTO, DEMANDAS E RESPOSTAS: UM DESAFIO PARA AS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Trata-se de um estudo descritivo exploratório que buscou conhecer a demanda do acolhimento, as respostas à
demanda, a procedência dos usuários atendidos por uma equipe de saúde da família de uma das Unidades Básicas de
Saúde, regional Noroeste do Município de Belo Horizonte. O contexto do atendimento à demanda espontânea tem
retratado a influência dos fatores históricos, sociais crenças e valores do modelo biomédico onde ainda prevalece a
queixa-atendimento. Assim, o interesse em realizar este estudo surgiu a partir da vivência do acolhimento, percebido
em sua a dinamicidade por todos os membros da equipe. Os dados foram coletados no período de Setembro/06 a
Outubro/06, por meio de um instrumento confeccionado previamente, testado e aprovado pela equipe para registrar
toda a demanda do acolhimento da primeira hora, recebida pela enfermeira e auxiliar de enfermagem, tendo a
retarguarda médica para casos com possibilidade de resolução no momento. Os resultados foram classificados em
casos agudos, crônicos, controle/acompanhamento, eletivos, sem necessidade de reavaliação médica e de
enfermagem naquele momento. Estes apontaram a prevalência de demanda das microáreas 1 e 9, locais de situação
sócio-econômica mais precária. Encontrou-se que 33% dos usuários passam no acolhimento com o generalista, e que
37% foram agendadas consultas médicas (generalista e apoios). Esses resultados demonstram a tendência ainda, do
atendimento centrado no modelo biomédico que dificulta o deslocamento das equipes para outras atividades a serem
programadas. Um achado interessante é que a enfermagem emergiu com 12% das consultas, e 15% dos casos foram
resolvidos com orientações, o que sinaliza para a mudança do paradigma da medicalização do atendimento. Portanto,
este estudo possibilitou o reconhecimento da demanda, uma aproximação com o usuário, uma vez que buscar os
dados demandou tempo e abriu portas para um pequeno e breve diálogo. Isso favoreceu qualificação da escuta,
repercutindo como uma revisão da equipe, estabelecendo uma postura acolhedora independente de espaço físico
adequado, a identificação de hiperutilizadores do serviço, em contra ponto às áreas de maior carência e que
demandam mais da equipe. Este estudo ainda mostrou a necessidade de sempre se rever a demanda que se
apresenta, uma vez que essa é dinâmica e a equipe precisa estar atenta e se preparar para esse enfrentamento,
participação e autonomia do usuário.
Observação:
[1]Enfª UBS JOÃO PINHEIRO/BH/MG, Mestra em Enf./UFMG, docente do Inst. Metodista Izabela Hendrix, esp. em
Adm. da Assist. de Enfer. e SF, integrante do NEPCDH - mtofernandes@gmail.com [2] Médica, residente em Medicina
da Família e Comunidade no Hospital Municipal Odilon Behrens, generalista da Saúde da Família de Belo
Horizonte/MG-UBS João Pinheiro
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4396
Código do Autor Principal:3604
Nome do Autor Principal: LUCIMEIRE DE MATTOS SCHONS
Autores:
LUCIMEIRE DE MATTOS SCHONS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-232
Onde o trabalho foi realizado? LUCAS DO RIO VERDE - MT
Titulo:
PREVENÇAO EM SAÚDE:PLANEJAMENTO FAMILIAR
Resumo:
Introdução: Este trabalho partiu da necessidade de investigar mulheres com grande número de filhos, sempre
referindo que era gravidez não planejada. Com isso, a pesquisa visou analisar o conhecimento que as mulheres tem
sobre planejamento familiar, bem como o uso dos métodos contraceptíveis.
Metodologia-Feito por amostragem. Escolhido, a princípio, mulheres com maior número de filhos e adolescentes que
tiveram filhos recentemente. As demais foram escolhidas aleatoriamente. Num total de 100 mulheres entrevistadas. O
instrumento utilizado foi uma entrevista com questionário estruturado com questões abertas.
Resultados
-75% não sabem como funciona seu ciclo menstrual;
-das que referiam saber (25%), apenas duas acertaram, a qual, uma possuía segundo grau completo, e outra com
terceiro grau completo.
-2,4% não sabem como evitar a gravidez.
-93% usam de forma incorretos métodos contraceptiveis, e as que usam corretamente 6,2% tinham nível superior
completo e incompleto;
-53% das que usam algum tipo de contraceptível foram orientadas por médicos 23% por amigas e outros 23% por
bulas;
-100% referem que o companheiro não sabe como funciona o ciclo menstrual da mulher;
- 98% refere que o companheiro não sabe usar outro contracepítivel que não seja a caminha.
-56% possuem primeiro grau incompleto;
-12% são analfabetas;
-6,2% têm o segundo grau incompleto;
-18,7% têm o segundo grau completo;
-6,2% têm nível superior completo e incompleto;
Considerações finais
Observamos que há falta de conhecimento das mulheres em relação a fisiologia do seu corpo ao planejamento familiar
e a atribuição à mulher a responsabilidade de evitar gravidez. Tal desconhecimento está ligado ao baixo nível de
escolaridade.Isso nos leva a rever as políticas de saúde. Que não sejam apenas políticas de saúde da mulher votada
para mulheres, e sim ao casal.
Este trabalho foi importante
porque nos fez rever as nossas falhas nas orientações feitas a as
mulheres,atribuindo-lhes, de certa forma a responsabilidade do planejamento familiar esquecendo de envolver o casal
nesta decisão.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4400
Código do Autor Principal:2956
Nome do Autor Principal: JECIANE FERNANDES GOMES
Autores:
JECIANE FERNANDES GOMES, EVANEIDE COSTA DOS SANTOS DINIZ, MARILIA PERREIRA DIAS, FRANCISCA
EDERLINDA PERREIRA DIAS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-092
Onde o trabalho foi realizado? MACAÍBA - RN
Titulo:
ADOLESCER PARA O SABER
Resumo:
Segundo a Organização Mundial de Saúde, adolescente é o indivíduo que se encontra entre os dez e vinte anos de
idade.No Brasil, o Estatuto de Criança e do Adolescente estabelece outra faixa etária: dos doze aos dezoito anos. Os
aspectos físicos da adolescência são os componentes da puberdade, vivenciados de forma semelhante por todos os
indivíduos.Quanto às dimensões psicológicas, estas são vivenciadas de maneira diferente em cada sociedade, em
cada geração e em cada família, sendo singulares até mesmo para cada indivíduo.
É neste contexto de alteração do próprio corpo e também de uma maturação ao nível do intelecto, que o adolescente
procura entender quem é e qual o seu papel na sociedade em que vive, e neste cenário é que a ESF da Unidade de
Saúde Potengi, do Município de Macaíba-RN procura interferir nos adolescentes de nossa comunidade.Criando um
grupo de apoio,"Adolescer para o saber", que tem como principal objetivo interagir com os adolescentes da nossa área
de abrangência, promovendo encontros, palestras , atendimentos clínicos e eventos socias.
O ACS faz uma busca ativa na comunidade em busca de adolescentes, em um primeiro momento é feita uma reunão
com pais e responsáveis pare esclarecer possíveis dúvidas quanto os objetivos do grupo e conseguir autorizações(por
escrito) para que seus filhos possam participar dos encontros. Após esta primeira reunão, são marcados reuniões
quinzenais com os adolescentes, onde são tratados assuntos dos mais variados, com a presença de toda equipe e de
outros profissionais da saúde(psicológos, terapeutas ocupacionais, assistentes socias, etc.), o diferêncial deste grupo é
que não limita-se apenas em palestras e eventos socias, mas mensalmente são marcados um dia inteiro para
atendimento clínico específico ao adolescente, onde são feitos atendimentos médicos e de enfermagem( planejamento
familiar, preventivos e etc )e atendimentos odontológicos.
Os resultados alcançados foram os melhores, os adolescentes passaram a ter mais confiança na equipe, bem como os
pais e responsáveis, o índice de gravidez indesejada diminuiu, eles encontraram na unidade de Saúde um local seguro,
onde se pode ter informações e procedimentos seguros que possam ajuda-los durante essa fase da vida.
A lição principal aprendida foi a persisteência, pois foram várias as tentativas de se conquistar esta fatia de nossa
comunidade, observamos que através da facilidade de acesso ao atendimento clínico foi o fator primordial ao nossa
sucesso quanto grupo.
Este grupo tem caracteristicas bem especifícas e trabalhosas peculiares da idade,portanto recomendamos um bom
trabalho interno de equipe, um bom planejamento de "ataque" e persistência, pois quando o objetivo é alcançado é
muito gratificante.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4401
Código do Autor Principal:3607
Nome do Autor Principal: DENISE GALHARDI MOTTER
Autores:
WILMA DELALIBERA BATISTUTI: ENFERMEIRA UBS PANISSA; NILVA: ENFERMEIRA E COORDENADORA DA
UBS; ANA MARIA: ACS/UBS; LUCILENE: AE/UBS; BRUNA: ASSESSORA TÉCNICA; DENISE GALHARDI MOTTER:
ASSISTENTE SOCIAL; SONIA MARIA COUTINHO ORQUIZA: MÉDICA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE; TATIANE DOS
SANTOS ALIGLERI: NUTRICIONISTA POLICLÍNICA MUNICIPAL; JONATHAN SANTOS GALVÃO: EDUCADOR
FÍSICO.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-127
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
RELATO DE EXPERIÊNCIA INTERDISCIPLINAR SOBRE A INSERÇÃO DE UM GRUPO DE OBESOS NA
UNIDADE DE SAÚDE DA
Resumo:
Justificativa: No decorrer dos anos, a sociedade vem passando por diversos processos de mudança de hábitos de
vida, desde os nutricionais, com a adoção dos fast foods, que substituíram o nutritivo -feijão com arroz-, passando pela
redução de atividades físicas que leva ao sedentarismo, característica da vida moderna, chegando até a sofrimentos
psíquicos como a tristeza, angústia, depressão, típicos da vida moderna. O Brasil e o mundo vivem uma verdadeira
epidemia de obesidade, cerca de 70 milhões de brasileiros ou 40% da população esta com excesso de peso, segundo
a Organização Mundial da Saúde (OMS). A prevalência da obesidade vem aumentando, haja vista que, 12,7% das
mulheres e 8,8% dos homens adultos brasileiros são obesos (IBGE, 2004), em 1996-97, observou 14% de excesso de
peso entre 6 a 18 anos em nosso país (WANG et al., 2002). Por isso a obesidade é encarada como fator de risco em
desenvolver doenças crônicas e até morrer. Em Londrina, em 2007, a Autarquia Municipal de Saúde (AMS), iniciou
uma proposta de trabalho através da Assessoria Técnica, com objetivo de construir um protocolo de atendimento a
usuários com sobrepeso e obesidade que aguardavam consulta com endocrinologista visando aprimorar o grau de
resolutividade da atenção primária, sua relação com a rede de cuidados e, melhorar a qualidade de vida destes
usuários. Selecionou a UBS/Panissa para iniciar este trabalho. Metodologia: Dado a concepção multifatorial da
obesidade, a UBS Panissa, preocupada com os usuários sobrepeso e obesos do seu território, implantou o grupo com
a participação da equipe multidisciplinar da AMS-nível central; UBS e da residência multiprofissional em saúde da
família-tais como: médico, enfermeiro, assistente social, nutricionista, psicólogo, educador físico, odontólogo, agente
comunitário de saúde, auxiliar de enfermagem. Definiu-se no protocolo, IMC entre 25 e 40; realização de visitas
domiciliares por assistente social e educador físico; apresentação da proposta e convite aos usuários com
orientação/encaminhamento para exames laboratoriais; consultas médica e nutricional para avaliação e identificação de
co-morbidades. Na seqüência, formou-se o grupo com 20 usuários, realizando-se 7 reuniões semanais e 3 quinzenais
com atividades programadas. Posteriormente os usuários foram inseridos em projetos comunitários: atividades físicas e
Terapia Comunitária, com possibilidade de participação no novo grupo de obesos. Os resultados obtidos: melhora da
auto-estima, mudança de hábitos alimentares estendidos aos familiares, incorporação de atividades física, perda de
peso. Houve desistências e os casos que não se enquadraram no protocolo encaminhados para atendimento
especializado do Hospital das Clínicas. Recomendação: Esta experiência deve ser implementada nas UBSs do
município, assistindo os obesos com ações que possam melhorar a qualidade de vida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4402
Código do Autor Principal:3115
Nome do Autor Principal: VANIA CRISTINA DO MONTE COSTA
Autores:
ELYSÂNGELA ALCOFORADO SALGUES CARVALHO
VÂNIA CRISTINA DO MONTE COSTA
ANTONIO CARLOS BORBA CABRAL
LUIZ HENRIQUE CAMPELO DE LIRA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-007
Onde o trabalho foi realizado? CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE
Titulo:
IMPACTO DO SAMU NA ATENÇÃO BÁSICA
Resumo:
Título:Impacto do SAMU na Atenção básica
Modalidade: Relato de Experiência
Área Temática: 1 - Assistência na AB/SF
Introdução
O acelerado avanço tecnológico em diversas areas do conhecimento humano, especialmente na área médica, tem
proporcionado a realização de diagnósticos e tratamentos mais eficientes do ponto de vista médico e mais humano do
ponto de vista do paciente. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU/192) é um programa que tem por
finalidade prestar socorro à população em casos de emergência com qualidade e segurança.
Um problema relevante é o número elevado de atendimentos clínicos no pré - hospitalar móvel que demanda aumento
nos atendimentos de urgência e emergência da rede municipal.
Objetivos
O nosso objetivo é mostrar a importância da função de observatório a que o samu 192 se inseriu ,e através do seu
contexto educador integrado e participativo junto à atenção básica melhorar a saúde da população cabense,reduzindo
a demanda espontânea à rede de urgência do município.
Metodologia
Avaliação de dados estatísticos de atendimentos clínicos por tipo de atendimento e bairros mais atendidos pelo samu
192 no município de cabo de santo agostinho e cobertos pela rede de atenção básica (PSF) durante o ano de 2007.
Resultados
Após as atividades realizadas de conscientização,divulgação,educação pactuados com a equipe de atenção
básica,observamos a redução de solicitações de atendimentos clínicos para o serviço de atendimento móvel de
urgência no município, reduzindo as remoções para as unidades de urgência além da redução espontânea dos trotes.
Conclusão
A constatação dos resultados nos mostra o impacto da integração SAMU e Atenção Básica confirmando que é de
fundamental importância a integralidade nas ações assistenciais para o fortalecimento da rede de atenção à saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4404
Código do Autor Principal:3608
Nome do Autor Principal: FRANCIDALMA SOARS SOUSA CARVALHO FILHA
Autores:
FRANCIDALMA SOARES SOUSA CARVALHO FILHA
RONALDO ALVES PINHEIRO
REVANILDO ALVES PINHEIRO
JOSÉ DE RIBAMAR ROSS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-188
Onde o trabalho foi realizado? CAXIAS - MA
Titulo:
ATUAÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NAS AÇÕES DE PREVENÇÃO AO HIV/AIDS EM
PROSTÍBULOS DE CAXIASResumo:
Introdução: lembrando que a Aids atualmente é considerada um dos principais problemas inerentes à saúde pública
no Brasil e da marginalidade em que as profissionais do sexo ainda vivem, potencializando os riscos derivados das
diversas expressões da violência social e do perigo pela contaminação pelo HIV; esta problemática requer novas
abordagens em relação a prevenção do HIV/Aids, necessitando buscar outras estratégias que permitam implementar
ações diferenciadas e efetivas. Objetivo: identificar o nível de atuação das Equipes de Saúde da Família (ESF) na
prevenção ao HIV/Aids em prostíbulos de Caxias-MA, com o intuito de melhorar a assistência de saúde às profissionais
do sexo e aos usuários dos prostíbulos. Metodologia: estudo exploratório descritivo, com abordagem quanti-qualitativa.
O universo da pesquisado constou de 20 mulheres, profissionais do sexo, atuantes em prostíbulos selecionados em
áreas estratégicas e 20 enfermeiros supervisores das ESF´s nas referidas áreas. Para coleta de dados, realizada in
loco, utilizou-se um formulário direcionado às profissionais do sexo e um questionário aplicado aos enfermeiros.
Resultados: a maioria das profissionais do sexo (75%) tinha entre 21 a 30 anos de idade; 40% possuía ensino
fundamental incompleto; 55% referiu 1 salário mínimo como renda mensal. Quanto ao uso do preservativo,
constatou-se um uso sistemático (65%) e uso infrequente e preocupante com parceiros estáveis 57,14%. Identificou-se
uma grande lacuna entre esse grupo de mulheres e as ESF´s, distância esta que vai de encontro aos princípios do
SUS. Observou-se que 80% das profissionais do sexo já participaram de atividades educativas sobre a prevenção do
HIV/Aids e que 42,85% dos enfermeiros do PSF que relataram a existência de prostíbulos em sua área de abrangência
não souberam informar a quantidade. Constatou-se que 80% dos enfermeiros do PSF não realizaram nenhuma visita a
prostíbulos de sua área, que segundo os mesmos é justificado pela negação da condição do estabelecimento pelo
proprietário, da falta de tempo e dedicação a outros programas. Conclusão: ficou demonstrado a necessidade das
ESF´s se organizarem para dar assistência a grupos de mulheres que sobrevivem da venda do corpo e que por esse
motivo e objetivando a prevenção das DST´s e HIV/Aids necessitam de um olhar diferenciado dos profissionais de
saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4406
Código do Autor Principal:3443
Nome do Autor Principal: MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE DE OLIVEIRA
Autores:
MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE DE OLIVEIRA;
JOÃO LUÍS DA SILVA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-171
Onde o trabalho foi realizado? Em todo o país
Titulo:
PROMOÇÃO DA SAÚDE E OS PROGRAMAS NACIONAIS DE SAÚDE
Resumo:
A promoção de saúde - definida na I Conferência Internacional de Promoção de Saúde como -um processo que
confere à população os meios para assegurar um maior controle e melhoria de sua própria saúde, não se limitando a
ações de responsabilidades do setor saúde-, propõe a capacitação das pessoas para uma gestão mais autônoma da
saúde e dos determinantes desta. A promoção da saúde surge como uma reação à acentuada medicalização da saúde
na sociedade e no interior do sistema de saúde. Esse termo que inicialmente foi usado para caracterizar um -nível de
prevenção- vem mudando seu significado ao longo do tempo, passando a representar um enfoque político e técnico em
torno do processo saúde-doença. Três importantes conferências internacionais sobre o tema foram realizadas entre
1986 e 1991, em Otawa (1986), Adelaide (1988) e Sundsval (1991), as quais estabeleceram as bases conceituais e
políticas da promoção da saúde. A OMS estabelece que o desenvolvimento das ações de Promoção da Saúde devem
ser formuladas e implementadas em torno de cinco pontos: Desenvolvimento de políticas públicas articuladas e
saudáveis; o incremento do poder técnico e político das comunidades; desenvolvimento de habilidades e atitudes
pessoais favoráveis á saúde em todas as etapas da vida; a reorientação dos serviços de saúde; a criação de ambientes
favoráveis à saúde. Dentro deste contexto elegemos cinco Programas Nacionais de Saúde que nos parecem
pertinentes: Farmácia Popular do Brasil; Brasil Sorridente; Programa Nacional de DST-AIDS; Programa Saúde da
Família e o Programa Nacional de Controle da Dengue. Neste trabalho faremos uma breve descrição sobre estes
programas e suas diretrizes, verificando o grau de importância destes. Concluímos que a promoção da saúde, vista
como um modo de pensar e de operar articulado aos demais programas e tecnologias desenvolvidos no sistema de
saúde brasileiro, contribui na construção de ações que possibilitam responder às necessidades sociais em saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4408
Código do Autor Principal:2537
Nome do Autor Principal: GLÁUCIA MARGARIDA BEZERRA BISPO
Autores:
GLÁUCIA MARGARIDA BEZERRA BISPO
JULIANA DE CARVALHO GOMES
PAULO CESAR JORGE VIEIRA DOS SANTOS
MILENA SILVA COSTA
HELDER OLIVEIRA E SILVA
LEILA VIEIRA RODRIGUES
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-075
Onde o trabalho foi realizado? IGUATU - CE
Titulo:
SALA DE CURATIVO: NORMAS E ROTINAS NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
O curativo é um procedimento realizado no ambulatório das Unidades do Programa Saúde da Família (PSF) junto
aos usuários do território. O manual de normas e rotinas descreve a padronização das técnicas, materiais e etapas
necessárias na execução do mesmo. A qualidade da assistência de Enfermagem está diretamente relacionada à
adoção das medidas de biossegurança e da avaliação clínica de cada caso atendido no serviço de saúde. Objetivou-se
descrever o processo de elaboração do manual de normas e rotinas de curativo para o ambulatório de uma Unidade do
PSF. O período da atividade foi entre os meses de setembro e novembro de 2007 durante a disciplina de Enfermagem
em Saúde Coletiva da Universidade Regional do Cariri (URCA) na Unidade de Saúde da Família do Bairro Santo
Antonio na cidade de Iguatu-CE. A proposta teve o intuito de otimizar as ações de enfermagem no âmbito assistencial e
gerencial. Os acadêmicos foram orientados a buscar a literatura sobre curativo (epidemiologia, clínica e assistência). A
importância do instrumento se dá na medida em que os profissionais de enfermagem conheçam a definição e o papel
de cada membro da equipe e os meios mais utilizados e eficazes no tratamento de afecções. A função protetora da
pele do paciente condiciona o meio favorável para se recuperar a lesão sofrida. O melhor curativo pode ser criado pela
combinação de produtos de diferentes categorias para alcançar várias metas ao mesmo tempo. O processo de
cicatrização normal da lesão deve ser interrompido o mínimo possível, a menos que a mesma esteja infectada ou que
apresente secreção intensa. O profissional deve estar capacitado para orientar sobre o auto-cuidado do paciente e
familiares. A elaboração do manual obedeceu as seguintes etapas: diagnóstico da situação; estrutura organizacional;
análise das informações; confecção dos instrumentos; implantação; avaliação e implementação. O conteúdo foi
organizado em tópicos apresentados em regulamento; regimento; normas; rotinas; e procedimentos. A elaboração do
manual da sala de curativos esquematizou e viabilizou a produção qualificada do cuidado e da assistência de
enfermagem. O planejamento foi discutido entre toda a equipe e tornou-se um veículo normativo, funcional e formativo.
Ressalta-se ainda o caráter dinâmico a partir das necessidades de saúde enfrentadas e a sua revisão e reformulação
deve ocorrer sempre que necessário para adequação da realidade operacional da unidade de PSF.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4410
Código do Autor Principal:471
Nome do Autor Principal: JOVELINA FERREIRA DA SILVA AGUIAR
Autores:
1-JOVELINA FERREIRA DA SILVA AGUIAR
2-MARRINELI MESAQUE EMILIA E SILVA
3-DANIELLE FERREIRA AGUIAR DOS SANTOS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-153
Onde o trabalho foi realizado? MUNIZ FREIRE - ES
Titulo:
CUIDANDO DA VOZ DO PROFESSOR- UMA QUESTÃO DE PARCERIA
Resumo:
Introdução: O uso da voz é importantíssimo, seja no trabalho, na escola ou nas interações sociais. Mesmo assim muita
gente abusa desse vital instrumento, fumando, gritando, bebendo ou usando a voz profissionalmente sem treinamento
ou técnica. Além disso, é comum os problemas na voz, quando surgem, serem ignorados, o que leva a problemas
ainda maiores. Na maioria dos casos, as pessoas deixam de conservar sua voz saudável por pura falta de informação.
O Brasil é um dos países com maior incidência dessa doença, que tem grande possibilidade de cura quando
diagnostica dano início.Segundo dados do Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa), confirmados pela
Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os distúrbios da voz são uma das principais causas
de afastamento e pedidos de licenças-médicas dos professores. Os problemas da voz afetam demais os professores.
Cada licença-médica significa cerca de três meses fora da sala de aula. Isso causa um desfalque no sistema e é um
problema difícil de controlar. Os professores falam muito, cada vez mais alto, forçando cada vez mais a
voz.Reconhecedores do cenário de parceria junto à estratégia saúde da família,a escola, sendo um de seus atores, os
professores,nos preocupamos em levar informações a sua saúde.Objetivo: Proporcionar ao professores da área de
atuação informações de saúde, afim de que ele tenha condições de melhor desempenhar seu papel de
educador.Metodologia: A Equipe de saúde de menino Jesus- Muniz Freire-ES,em sem convívio com a escola, através
da percepção e da escuta dos professores, percebe a necessidade em relação a informações a respeito de sua saúde
física e emocional. tão logo foi possível,agendamos com a direção da escola em uma de suas reuniões de
planejamento a primeira reunião da equipe da saúde, onde o público alvo é o professor, e o primeiro tema abordado foi
-Afine sua saúde,Cuide da sua voz-, CAMPANHA DA VOZ 2008. A palestra Foi ministrada por uma fonoaudióloga, que
ao final ensinou alguns exercícios de aquecimento e relaxamento.Resultados Alcançados: o primeiro resultado
alcançado foi à gratidão dos professores, pela equipe se preocupar com eles, relatado em algumas falas: -pela primeira
vez, alguém se lembrou da nossa saúde-; -Foi muito bom, aprendi muita coisa que não sabia-; -Vou tentar fazer esse
exercícios-. Lições Aprendidas: Quem educa, precisa ser cuidado e a equipe de saúde precisa está atenta à
necessidade desta a população, uma vez que a escola é um dos cenários de parceria, de maior difusão das
informações em saúde.Recomendações: A equipe espera contribuir de forma significativa na comunidade docente do
seu território, articulando ações de promoção da saúde, estreitando vínculos em busca do objetivo primordial, a
melhoria da qualidade de vida.
Observação:
Formação dos autores:
1- DENTISTA DO PSF
2-ENFERMEIRA DO PSF
3- FONOAUDIOLOGA
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4411
Código do Autor Principal:3608
Nome do Autor Principal: FRANCIDALMA SOARS SOUSA CARVALHO FILHA
Autores:
FRANCIDALMA SOARES SOUSA CARVALHO FILHA
CÍNTIA DE LARA ALMEIDA SOUZA
REVANILDO ALVES PINHEIRO
MARIA BEATRIZ PEREIRA DA SILVA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-145
Onde o trabalho foi realizado? BACABAL - MA
Titulo:
ABORTO PROVOCADO: PERFIL DAS MULHERES ATENDIDAS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DO SUS DA
CIDADE DE BACABAL
Resumo:
Introdução: as mulheres em idade reprodutiva sabem o que significa a angústia do atraso da menstruação quando
não se pretendem engravidar. Por mais segura que esteja quanto ao método anticoncepcional adotado, é impossível
não ficar temerosa, pois nenhum método pode ser considerado 100% seguro. Apesar dessa realidade, é irrefutável que
o uso desses meios reduz a possibilidade de gravidez indesejada. No entanto, quando a gestação acontece só existem
dois caminhos: o parto ou o aborto. Inúmeros são os motivos que levam as mulheres a provocarem um aborto: fatores
econômicos, sociais, culturais e/ou psicológicos, insegurança, medo de exclusão por parte da família e até mesmo
desespero, pois a gravidez não estava nos seus planos. O aborto torna-se, então, a única saída para elas e, neste
desafio, elas arriscam suas próprias vidas, quando decidem interromper a gravidez utilizando-se de quaisquer recursos.
Objetivo: traçar e analisar o perfil de mulheres que provocaram aborto, procurando elucidar as razões que as levaram a
praticar tal ato. Metodologia: estudo exploratório-descritivo com enfoque quantitativo. As observações foram feitas a
partir de uma amostra de 42 mulheres que se submeteram à curetagem em uma unidade de saúde, conveniada ao
SUS. Resultados: observou-se que 59% das entrevistadas tinham menos de 20 anos; 50% possuíam apenas o ensino
fundamental; 64% residiam na zona urbana; 88% eram solteiras; 78% moravam com os pais; 64% ratificaram renda
abaixo de um salário mínimo. Dentre os métodos utilizados para provocar o aborto, o mais afirmado foi o Cytotec
(52%). Quanto ao motivo pelo qual provocaram o aborto, 52% afirmaram o medo de exclusão por parte da família. 43%
referiram um mal-estar psicológico após ter provocado o aborto, porém, 50% delas encaram o aborto como única
solução para negligenciar sua responsabilidade sobre a gravidez. Conclusão: evidencia-se a problemática provocada
pela falta de um plano assistencial de educação em planejamento familiar para mulheres em idade fértil e de classe
socioeconômica mais baixa. Portanto, devem-se buscar, através de um programa de educação em saúde da mulher,
estratégias que visem reduzir o número de gestações não planejadas, diminuindo assim o percentual de aborto
provocado e suas possíveis complicações, o que ocasionará uma redução nos gastos dispendidos sobre as
internações obstétricas por aborto.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4412
Código do Autor Principal:3612
Nome do Autor Principal: JULIANA OLIVEIRA SOARES
Autores:
JULIANA OLIVEIRA SOARES;
JULIANA FERREIRA NOZUE;
FERNANDO MASSAYUKI NAKAJIMA;
AGRIMERON CAVALCANTE DA COSTA;
SÔNIA MARIA DE ALMEIDA FIGUEIRA
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-067
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
OFICINA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM SAÚDE PARA A RESIDÊNCIA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E
COMUNIDADE
Resumo:
A Estratégia de Saúda da Família (ESF) transformou o modo de se pensar saúde através da formação de equipes de
saúde interdisciplinares e com o reconhecimento e valorização da atenção primária como primordial para a
reestruturação da saúde pública no Brasil. E para que esta realidade fosse apropriada e assim houvesse uma
reorganização da prática assistencial, o Planejamento Estratégico e Situacional, tem se mostrado um instrumento
bastante eficaz.
A Residência de Medicina de Família e Comunidade da UNIFESP desde 2004 realiza trabalhos baseados em
Planejamento Estratégico nas Unidades de Saúde Escola regido pela mesma. E esta atividade tem como objetivo
capacitar os residentes deste programa em identificar, organizar e desenvolver ações de saúde na ESF, e assim
chegar ao atendimento integral do paciente.
Neste ano de 2007, foi escolhido pelos participantes o território da comunidade Jurandir, localizado na Micro-área cinco
da equipe 128 da área de abrangência da Unidade de Saúde de Família Milton Santos (USF-MS) em São Paulo e o
objeto do trabalho foi o Diabetes melitus, escolhido a partir de informações epidemiológicas de mortalidade, morbidade,
dados do serviço e de informações da população.
Iniciou-se então, a construção da rede explicativa, que se justificou através de dados de prevalência mundial, taxas de
mortalidade precoce, incapacidades geradas, demandas dos serviços, internações hospitalares decorrentes da doença
e custos para tratamento e reabilitação.
No Plano dos Fatos, discutiu-se os fatores relacionado aos serviços, aos profissionais de saúde e a população que
dificultam o enfrentamento da doença. Deste modo, chegamos aos determinantes estruturais, sócio-econômicos,
culturais e biológicos dos fatos analisados.
Já na construção do plano operativo, a partir da rede explicativa, os nós críticos a serem superados foram definidos e
com isto, os objetivos e metas a serem atingidos. Assim iniciou-se o plano de ação, finalizando o planejamento
estratégico.
Os resultados alcançados pela oficina foram: Análise de informações sócio-econômicas e epidemiológicas coletadas
junto à população e em fontes de dados oficiais; identificação e priorização dos problemas de saúde da área de
abrangência; aprofundamento do conhecimento teórico da ESF e do problema priorizado, no caso a Diabetes melitus;
elaboração de Plano de Ação para tal problema; construção de indicadores para monitorar e avaliar as ações de saúde;
elaboração de trabalhos científicos.
Como esta oficina foi baseada em uma situação real, as operações apontadas dizem respeito a limitações reais da USF
estudada e por isso foram apresentadas em seminário para alguns membros das equipes de saúde da família, a
coordenação da Residência e à gerência da unidade. Já sua prática dependerá da incorporação das mudanças
propostas pelas próprias equipes daquela USF.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4413
Código do Autor Principal:3597
Nome do Autor Principal: MARIA DE FATIMA RODRIGUES MENDES
Autores:
ERIVELTON CORDEIRO CARVALHO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-015
Onde o trabalho foi realizado? RIBEIRÃO DAS NEVES - MG
Titulo:
GESTÃO COMPARTILHADA NO GERENCIAMENTO DO PSF SANTINHO EM RIBEIRÃO DAS NEVES
Resumo:
GESTÃO COMPARTILHADA NO GERENCIAMENTO DO PSF-SANTINHO EM RIBEIRÃO DAS NEVES
INTRODUÇÃO:Trabalhando há algum tempo em serviços de saúde pública, por um motivo ou por outro,observa-se que
a organização do serviço, o dia a dia, a ordem dos arquivos, etc paralelamente ao trabalho assistencial é um grande
desafio.Oficialmente o gestor é o enfermeiro.É o profissional responsável pela burocracia e por atendimento
assistencial (pré-natal,puericultura,etc).O problema que se colocava então era manter a organização do serviço
enquanto o serviço assistencial acontece paralelamente a treinamentos, relatórios de produção, supervisão a
acadêmicos do curso de enfermagem,etc.Foi então que pensamos uma forma diferente de coordenar a unidade do
PSF.O modelo seguido até então sobrecarregava uma pessoa, era pouco eficiente e isolava o comando dos
comandados.
OBJETIVOS:Os objetivos eram:Melhorar o nível de organização do serviço: arquivos, registros dos trabalhos, limpeza,
grupos de hipertensos e diabéticos, etc.
1)Encontrar soluções para problemas que se colocam no dia a dia do serviço.
2)Mobilizar, apoiar e motivar a equipe.
3)Planejar ações de combate a dengue.
4)Aferir andamento de tarefas.
METODOLOGIA:1)Instituição de reuniões de equipe diárias de 30 minutos com o objetivo de discutir questões práticas
da rotina, estratégias para abordagem de atendimentos específicos( gestantes que deram a luz, psicótico em crise, PC.
Internado, etc)2)Descentralização do gerenciamento da unidade. Cada membro da equipe responsabiliza-se por uma
tarefa. Por exemplo, uma ACS responsabilizou-se pela organização da agenda da unidade ( agenda do médico e do
enfermeiro )
RESULTADOS ALCANÇADOS:1) Melhora da organização do serviço.2) Maior envolvimento da equipe com o trabalho
como um todo.3) Melhora da autoestima da equipe.4)Descentralização das soluções dos problemas.
LIÇÕES APRENDIDAS COM A EXPERIÊNCIA:1- Pequenas reuniões diárias são muito produtivas na organização da
rotina.2-A descentralização trouxe ganho em eficiência e no engajamento da equipe pela valorização do profissional.
Dificuldades- Num primeiro momento houve resistência da equipe para aceitar reuniões diárias.Hoje aguardam este
momento para trazer suas questões.
RECOMENDAÇÕES:Embora a coordenação continue sendo do enfermeiro e todas as ações referendadas por ele, a
gestão compartilhada mostrou-se um instrumento interessante como ferramenta para o gestor e uma experiência a ser
testada em unidades com as mesmas dificuldades que enfrentamos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4414
Código do Autor Principal:3609
Nome do Autor Principal: VERONICA ALCOFORADO DE MIRANDA
Autores:
TEIXEIRA, S. C. S.; ROCHA, P. C. X.; BARQUETE, M.; FONSECA, L. N.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-053
Onde o trabalho foi realizado? NITERÓI - RJ
Titulo:
ESTRATÉGIAS DE ACOMPANHAMENTO DA CRIANÇA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA
Resumo:
Pautado no princípio da integralidade, adotamos no cuidado as crianças menores de cinco anos, acompanhadas no
Programa Médico de Família de Niterói (PMF), estratégias de acompanhamento da equipe multiprofissional, através de
critérios sócio - familiares e de saúde, disparando processos de vigilância, a partir da identificação de risco dos casos
individuais/ familiares Além da Caderneta da Criança preconizada pelo Ministério da Saúde (gráficos de crescimento,
marcos de desenvolvimento, espelho de vacinação), entendemos pela implantação de instrumento adicional de
monitoramento denominado Ficha de Gerência da Saúde da Criança (FGSC)acompanhados.
Observação:
a) constituição de parâmetros de orientação a ação individual / familiar para o diagnóstico e orientação do cuidado; b)
organizar material de avaliação e acompanhamento, capaz de espelhar o indivíduo e o coletivo, através de dados
gerenciais facilitando a vigilância, c) identificar, planejar, gerenciar e monitorar situações de risco existentes,
implementando intervenções, caso a caso; d) disponibi
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4415
Código do Autor Principal:3613
Nome do Autor Principal: VÂNIA MARIA MAIMONE RIBEIRO
Autores:
VÂNIA MARIA MAIMONE RIBEIRO
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-014
Onde o trabalho foi realizado? ITABIRA - MG
Titulo:
INDICADORES DE SAÚDE DA CRIANÇA EM UMA CRECHE ASSISTIDA PELO PSF
Resumo:
Introdução
Frente ao novo contexto social, muitas mães optam por colocar seus filhos em creches para poderem trabalhar, fato
que dificulta o comparecimento da mãe com seus filhos a unidade de saúde da família para acompanhar o crescimento
e desenvolvimento da criança. Foi neste contexto que surgiu a necessidade de avaliar as crianças albergadas em
creche.
Objetivo
Analisar alguns indicadores de saúde das crianças atendidas por uma creche, situada na área de abrangência do PSF
Juca Rosa, no município de Itabira-MG.
Metodologia
Trata-se uma pesquisa exploratória e descritiva de natureza quantitativa. A amostra do estudo foi composta por 32
crianças matriculadas na creche.
Os dados foram coletados com autorização prévia dos responsáveis, através de consulta de enfermagem feita pelos
profissionais da equipe de saúde da família, no período de março a setembro de 2004.
Foi realizada avaliação da situação de saúde e exames laboratoriais para análise.
Resultados e Discussão
A faixa etária correspondente ao estudo foi de quatro meses a seis anos. Das 32 crianças estudadas 65,6% eram do
sexo masculino e 34,4% do sexo feminino.
Como o crescimento e desenvolvimento da criança no seu primeiro ano de vida estão baseados fundamentalmente na
amamentação (REIS et al., 2004) constatou-se que 81,2% do grupo estudado foram amamentados, no entanto, apenas
12,5% das mães seguiram a recomendação da OMS de amamentar o filho até 2 anos.
No presente estudo, 25% das crianças apresentavam cáries na oroscopia, que quando em estágio avançado pode
prejudicar o processo de mastigação chegando a interferir no seu estado nutricional. A situação nutricional é um
indicador de saúde global e de qualidade de vida no Brasil (REIS et al., 2004), neste contexto, 15,6% das crianças
apresentaram déficit nutricional.
Todas as crianças que fizeram parte do estudo realizaram o eritrograma, sendo que 15,6% apresentaram níveis de
hemoglobina menor que 11 g/dl, o que caracteriza quadro anêmico. Cabe ressaltar que alguns casos de deficiência de
ferro no organismo podem ser provocados por enteroparasitas. De 21 crianças que realizaram exame de fezes, 52,4%
apresentaram alguma parasitose.
Em relação ao calendário vacinal do Ministério da Saúde, 9,4% das crianças estudadas apresentaram esquema
vacinal incompleto.
Considerações Finais
As informações obtidas no presente estudo, baseadas no diagnóstico de saúde de crianças albergadas em creches,
apontam para uma realidade possível de ser modificada através das ações da estratégia saúde da família. Através de
trabalhos educativos associado a projetos pedagógicos, profissionais da unidade de saúde da família e educadores
podem minimizar os agravos à saúde do infanto e garantir uma assistência integral e efetiva.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4416
Código do Autor Principal:3614
Nome do Autor Principal: POLLYANNA OLIVEIRA FORMIGA
Autores:
FORMIGA, POLLYANNA OLIVEIRA; OLIVEIRA, ELLEN CORREIA FONSÊCA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-223
Onde o trabalho foi realizado? JOÃO PESSOA - PB
Titulo:
PILATES: BENEFÍCIOS OCORRIDOS NO PROJETO JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL, NA CIDADE DE JOÃO
PESSOA.
Resumo:
O método Pilates está sendo uma técnica bastante utilizada entre pessoas de todas as idades e sexos, pois dentre
os inúmeros benefícios ele reeduca os movimentos, aumenta a flexibilidade e a força muscular, melhora a respiração,
corrige a postura e previne lesões. O objetivo desse estudo foi investigar os benefícios de aulas de Pilates em um
projeto comunitário (João Pessoa Vida Saudável) na cidade de João Pessoa. Foi feita uma análise experimental com
os freqüentadores com idades entre 25 e 72 anos e, a partir de aulas de Pilates de solo (com utilização de colchonetes,
bastão, pesinho e rubber band), com o grupo e por meio de uma observação criteriosa foi possível avaliar o estado
inicial de cada sujeito. E, após quatro meses foi feita outra avaliação seguindo os mesmos critérios da avaliação inicial,
e com conversas informais pode comprovar o efeito benéfico das aulas de Pilates. O publico atingido estava com uma
melhora significativa de suas capacidades físicas (força e resistência), melhora das habilidades motoras (coordenação,
agilidade), à postura que está bem melhor, sem falar da auto-estima, que cada dia cresce. Comprovando os benefícios
do pilates em aulas alternativas.
Palavras chave: Pilates; benefícios e projeto comunitário
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4417
Código do Autor Principal:3615
Nome do Autor Principal: CLEIDE HENRIQUETA OLIVEIRA PRAXEDES
Autores:
CLEIDE HENRIQUETA OLIVEIRA PRAXEDES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-068
Onde o trabalho foi realizado? GOVERNADOR MANGABEIRA - BA
Titulo:
AS IMPLICAÇÕES DO TRABALHO SOBRE A VIDA SOCIAL E A SAÚDE NA VISÃO DOS PROFISSIONAIS DO
PSF
Resumo:
O Programa de Saúde da Família é uma estratégia que visa à reorganização da prática de assistência à saúde,
priorizando as atividades preventivas frente às ações curativas. Baseia-se na interdisciplinaridade, onde membros de
uma equipe desenvolvem ações integradas e articuladas, o que configura a necessidade de estabelecer uma nova
relação entre os trabalhadores buscando permanentemente o consenso que irá alicerçar suas atividades.
Considerando a necessidade da realização de estudos sobre os profissionais que atuam na Atenção Básica, este
estudo teve como objetivo identificar os efeitos causados pelo trabalho sobre a vida social e a saúde de profissionais do
Programa de Saúde da Família. Para isso pretendeu-se especificamente identificar o perfil de saúde, caracterizar a vida
social, bem como relatar os efeitos do trabalho sobre a vida social e a saúde dos profissionais do Programa de Saúde
da Família. A experiência como Enfermeira do Programa de Saúde da Família contribuiu para refletir sobre como os
profissionais que atuam nas Unidades de Saúde da Família enxergam as influências exercidas pelo seu trabalho sobre
sua vida social e sua saúde. Entendendo que a saúde dos trabalhadores possui diversos fatores determinantes e que o
trabalho pode exercer influência tanto na saúde quanto na vida social, torna-se relevante o estudo. Trata-se de um
trabalho do tipo descritivo, com abordagem qualitativa, onde o questionário foi utilizado como técnica metodológica,
entretanto também recorreu-se a dados e análise quantitativa para melhor exploração do tema em questão. O campo
escolhido foram Unidades de Saúde da Família localizadas em um município do Estado da Bahia. Abrangeu uma
população de profissionais que atuam em Unidades de Saúde da Família: médicos, enfermeiros, odontológos, técnicos
de enfermagem e agentes comunitários de saúde. No processo da análise dos dados, buscou-se identificar as
dimensões, relações e tendência de cada resposta do sujeito da pesquisa, na tentativa de desvendar o significado.
Obteve-se que grande parte dos sujeitos estudados consideram que suas atividades domésticas e o convívio com a
família sofrem pouca influência do trabalho, embora questões relacionadas com as suas atividades no ambiente de
trabalho façam constantemente parte de suas conversas com amigos e familiares. No que se refere à saúde, queixas
como distúrbios no sono e alterações osteomusculares estavam presente nos discursos, e o estresse é citado como
uma das principais influências do trabalho sobre a saúde. Sugere-se a realização de mais estudos sobre a saúde dos
trabalhadores do Programa de Saúde da Família, visando-se encontrar estratégias que auxiliem na redução dos efeitos
do trabalho sobre a saúde e a vida social destes profissionais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4418
Código do Autor Principal:815
Nome do Autor Principal: SIMONE DE PINHO BARBOSA
Autores:
PRISCILA APARECIDA LEMOS NEVES; SIMONE DE PINHO BARBOSA.
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE7-007
Onde o trabalho foi realizado? JAGUARAÇU - MG
Titulo:
A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA E A PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA: O CASO DE
JAGUARAÇU-MG.
Resumo:
Introdução: O PSF tem sido divulgado pelo Ministério da Saúde como principal estratégia de reorganização do
modelo de atenção á saúde no país. A participação comunitária é essencial para a implantação além da
municipalização de acordo com os critérios da legislação em vigor, adesão do prefeito ao Programa Saúde da Família e
ter um projeto aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde, onde conste o PSF como uma estratégia de reorganização
da rede assistencial.Objetivo:O presente estudo tem por objetivo analisar a percepção dos usuários residentes no
município de Jaguaraçu-MG, a respeito do processo de implantação do PSF no sentido da efetivação da reorganização
da atenção básica. Metodologia: Adotou-se a qualitativa, exploratória, onde os dados foram coletados por meio de um
questionário semi-estruturado tendo como público alvo os usuários cadastrados na equipe de Saúde da Família do
referido município moradores nas três micro-áreas urbanas relativas a única equipe existente no município. Resultados:
A partir dos resultados dessa pesquisa notou-se que os usuários não são conhecedores do assunto abordado, mas
cabe ressaltar que os mesmos têm participação ativa no serviço de saúde e que reconhecem a existência do programa
no município. Quando se refere ao PSF no município de Jaguaraçu, os entrevistados divergem sobre o conhecimento
do programa, mas afirmam que o atendimento de saúde no município é bom e que o mesmo é realizado em casa pelas
-meninas- que são como os usuários se referem as agentes comunitárias de saúde, ponto importante da assistência e
diferencial no acompanhamento da saúde dessa população. Outros já definem o programa diretamente na forma de
prevenção de doenças e promoção de saúde, demonstrando um entendimento mais próximo da proposta de trabalho
do PSF. Para entender o processo de implantação do PSF no município de Jaguaraçu-MG, os usuários entrevistados
relatam participação no momento de implantação e que a mesma foi divulgado através de palestras, reuniões, visitas
domiciliares feitas pelas agentes, funcionários da unidade de saúde e da própria prefeitura. Os entrevistados relatam
como tem sido a forma de atendimento do serviço de saúde a partir da data implantada. Alguns indagam que o serviço
de saúde depois da implantação do PSF no município melhorou muito devido à ampliação da equipe de saúde,
aumento do acesso a medicamentos e exames que antes a unidade de saúde não satisfazia. Conclusão: Em relação
às concepções dos usuários, o presente estudo apontou importantes revelações a respeito da implantação e seus
respectivos contrapontos. A maioria relata que participou do processo da implantação, mas ressalta de forma clara a
falta de conhecimento sobre do que se trata o PSF. Considera as visitas realizadas pelas agentes um grande
diferencial da assistência prestada, mas não demonstram compreender o verdadeiro papel desse profissional dentro do
programa.
Observação:
Trata-se de um artigo de conclusao de curso realizado por uma acadêmica de enfermagem e uma professora
orientadora ambas do Centro universitário do Leste de Minas Gerais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4420
Código do Autor Principal:979
Nome do Autor Principal: DANIELLA PIRES NUNES
Autores:
DANIELLA PIRES NUNES
WALQUÍRIA LENE DOS SANTOS
ADÉLIA YAEKO KYOSEN NAKATANI
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-032
Onde o trabalho foi realizado? GUAPÓ - GO
Titulo:
ATIVIDADES EDUCATIVAS SOBRE DST/AIDS PARA OS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DE GUAPÓ, GO
Resumo:
Introdução: A prevalência elevada de doenças sexualmente transmissíveis (DST/AIDS), principalmente, entre as
mulheres nos países em desenvolvimento tem sugerido a necessidade da expansão dos métodos de detecção. Essa
crescente importância da transmissão heterossexual das DST/AIDS no Brasil sugere a necessidade de se qualificar os
Agentes Comunitários de Saúde (ACS) a ensinar e orientar as familias em sua area adscrita para profilaxia das
DST/AIDS. Objetivos: Promover a educação continuada aos Agentes Comunitários de Saúde sobre os sinais e
sintomas das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST/AIDS), no muncipio de Guapó, GO. Metodologia:
Particaparam da oficina 38 agentes comunitários de saúde. A oficina foi realizada no Centro de Saúde do município de
Guapó-Go, com duração de quatro horas. A oficina consistiu de uma apresentação do Show da Xuxa, no qual havia
uma apresentadora Xuxa e dois convidados (Vaginilda e Penildo) que relataram as principais DST/AIDS por meio de
estórias cotidianas e visualização de slides. No final do show teve a participação da dupla Cancro Mole e Cancro Duro
cantando uma paródia sobre as DST/AIDS. Resultados Alcançados: A abordagem das DST/AIDS por meio dessa
atividade educativa, criativa e lúdica proporcionou aos agentes comunitários de saúde, participação mediante ao tema
proposto e uma aprendizagem clara e dinâmica. Lições aprendidas com a Experiência: Observou-se que os agentes
comunitários não suportam a educação bancária, necessitando de uma educação problematizadora que relaciona as
experiências vivenciadas no cotidiano. Recomendações: Essa abordagem de atidvidades educativas pode ser realizada
para qualquer grupo e com diversos temas desde que os coordenadores tenham criatividade e dinâmica com o grupo.
Observação:
Este trabalho foi elaborado por:
Daniella Pires Nunes - acadêmica do 5º ano de enfermagem da Universidade Federal de Goiás.
Walquíria Lene dos Santos - Enfermeira da Unidade Básica de Saúde do município de Guápó, GO e mestranda da
Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás.
Adélia Y. K. Nakatani - profa. Dra. da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4426
Código do Autor Principal:1352
Nome do Autor Principal: MARIA DE FATIMA ARAUJO SOARES BARROSO
Autores:
MARCOLINA ALVES SANTOS/ EVANILDE MARIA SOARES SANTOS/ MARIA DE FATIMA ARAUJO SOARES
BARROSO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-011
Onde o trabalho foi realizado? GLAUCILÂNDIA - MG
Titulo:
ESTRUTURANDO A ATENÇÃO PRIMARIA NO MUNICIPIO DE GLAUCILANDIA
Resumo:
O Plano Diretor da Atenção Primária é um projeto estruturador da atenção primaria, que faz parte do Programa
Saúde em Casa. Objetivando a redução das internações por causas sensíveis a atenção primaria. A gerencia Regional
de Saúde ( GRS) de Montes Claros, organizou a implantação deste projeto, na Microrregião Montes Claros Bocaiúva,
na qual faz parte o município de Glaucilandia.
Observação:
Este trabalho foi realizado durante dois anos, foram realizadas sete oficinas bimestrais. Por ser um projeto didático
pedagógico a partir da segunda oficina os facilitadores tinham tarefas a serem realizadas no período de dispersão. As
atividades foram iniciadas com uma reflexão sobre o serviço prestado no município e a ultima oficina foi a avaliação do
serviço prestados as usuários.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4427
Código do Autor Principal:3620
Nome do Autor Principal: GABRIELLE BARBOSA DO NASCIMENTO
Autores:
JONES, DÉBORA PASSOS DA SILVA
MESTRANDA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO - ENFERMEIRA,
DOCENTE DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS - FESO.
SALVIO, RITA DE CÁSSIA NASCIMENTO DA SILVA
MÉDICA ESPECIALISTA EM SAÚDE DA FAMÍLIA E COMUNIDADE - UERJ
DA COSTA, JULIANA BRAGA
ENFERMEIRA PÓS GRADUADA EM SAÚDE DA FAMILIA
DO NASCIMENTO, GABRIELLE BARBOSA
INTERNA DE ENFERMAGEM DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS - FESO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-157
Onde o trabalho foi realizado? TERESÓPOLIS - RJ
Titulo:
ALEITAMENTO MATERNO: DO INCENTIVO À PRÁTICA
Resumo:
INTRODUÇÃO:
O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e, a partir daí, completado com outros alimentos por
dois anos ou mais é o preconizado pela organização mundial de saúde (OMS) e UNICEF. A amamentação envolve um
processo complexo, pois é um momento mágico onde mães e bebês interagem e fortalecem os laços afetivos. A
amamentação envolve outras pessoas do entorno da nutriz que podem estar favorecendo ou não esse processo.
OBJETIVOS:
Incentivar as pessoas da comunidade e que são capazes de dar orientações ás nutrizes, sobre a importância do
aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida. (contribuindo assim para o crescimento e
fortalecimento dos bebês)
METODOLOGIA:
Tratou-se de um estudo de caso com abordagem qualitativa, no contexto de uma Unidade Básica de Saúde da Família,
que recebeu O TÍTULO DE -Unidade Amiga da Amamentação-. Foram sujeitos 30 pessoas de diferente profissões,
entre eles, comerciários, donas de casa, músicos, trabalhadores de obra, entre outros. O cenário foi uma classe de
ensino profissionalizante em Teresópolis-RJ. Aplicou-se um questionário semi-estruturado com 3 perguntas abertas. A
coleta de dados foi realizada no período de março/abril de 2006. a analise emergiu das respostas dos sujeitos que
contribuíram para a formação de categorias temáticas para análise.
RESULTADOS:
Foi feito questionamento sobre o conhecimento a respeito do aleitamento materno. Emergiram dessa pergunta duas
categorias: -o aleitamento é importante para o bebê e mãe-; Na segunda pergunta, em relação aos mitos do
aleitamento materno foram:-leite fraco, pouco leite, seio pequeno, bico do seio para dentro-. Na terceira pergunta, as
vantagens foram descritas tanto para a mãe quanto para o bebê e família.
CONCLUSÃO:
O incentivo das pessoas da comunidade sobre a importância do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de
idade do bebê é um desafio para a equipe multiprofissional de saúde. É exercitado no momento em que o dialogo é
estabelecido para tal fim. No desenvolvimento dessa capacitação é importante a escuta sensível para detectar os mitos
e crenças, preconceitos que vem da tradição oral perpetuando-se ao longo da história. O interesse das pessoas do
entorno da nutriz fez-se presente nessa pesquisa, com pessoas de gêneros, idades e profissões variadas. O grupo
manifestou querer conhecer sobre o aleitamento materno e ser transmissor deste conhecimento nas comunidades.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4428
Código do Autor Principal:3621
Nome do Autor Principal: JOSEFINA SANCHES COSTA
Autores:
ADRIANA BUDIM
ANDRÉA BONAMIGO
ÂNGELA FERNANDEZ
CLAUDIA TOTH
CRISTINA VILAÇA
DURVALINA AMARAL
IVONE M. SILVA
JOSEFINA COSTA
Mª BETANIA LIMA
Mª CARMO ALENCAR
Mª VILMA JESUS
MARINELLA BASSO
MARLENE BUENO
MONICA FONSECA
RAQUEL MALAQUIAS
REGINA COSTA
THAIS C. BRANCO
YARA OLIVEIRA.
ACS: ADENICE, CLAUDIO, DALVA, DILMA, DIRCE, ELAINE, ELIZABETH, FERNANDA, LOURDES, Mª BARBOSA,
Mª CÍCERA, Mª MERCÊS,
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-194
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
SANTO ELIAS: UMA REDE PELO ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA E PELA PROMOÇÃO DE UMA
CULTURA DE PAZ
Resumo:
A Supervisão de Saúde Pirituba/Perus implantou um projeto de Prevenção e Atendimento às Vítimas de Violência e
uma das estratégias de sua operacionalização é a reunião de estudos de casos. Em 2006, uma médica da UBS Santo
Elias relatou um caso de violência contra crianças e a análise desse problema revelou uma população que necessita de
diferentes tipos de atendimento social. Este fato foi determinante para que se procurasse outras instituições da
comunidade para formar uma rede de parceiros com o objetivo de implantar ações que visassem solucionar essa
questão da violência, incentivar a vivência para a implantação de uma cultura de paz e estimular a inclusão
sócio-cultural e a organização comunitária.
A metodologia se constituiu num processo educativo, dinâmico, contínuo e permanente, fundamentada nos seguintes
conceitos: o paradigma da complexidade, a perspectiva criativa do conflito e a transdiciplinariedade. A partir desses
conceitos, o problema da violência será analisado dentro de uma perspectiva intersetorial, através de uma rede de
parceiros, que objetiva um desenvolvimento integral e sustentado.
São resultados alcançados: 1) Ações que proporcionaram atendimento a 16 crianças e possibilitaram uma expressiva
diminuição do número desse tipo de violência; 2) Ações de capacitação e a possibilidade de servir de exemplo para
outras unidades; 3). Um mutirão de limpeza em locais onde havia lixo abandonado e a criação de um jardim; 4) Uma
campanha de adoção e castração de animais.
Das lições aprendidas sobressaem: a) A complexidade dos casos de violência faz com que o trabalho em rede seja
fundamental; b) É fácil, eficaz e eficiente trabalhar em rede com as instituições de ensino e educação. c) A participação
de um hospital na rede de atendimento às crianças vítimas de violência doméstica é possível e fundamental. d) Quando
há trocas de informações entre os profissionais sobre as crianças agredidas, estes perdem o medo de notificar e
denunciar. e) Trabalhar com a Vara da Infância e Juventude não é difícil, nem burocrático. f) As capacitações e as
discussões de caso fazem com que a equipe adquira um olhar alerta, crítico e, cuidadoso (sem envolvimento
emocional) para os casos de violência.
As recomendações são: A) Os setores da saúde e da educação precisam falar a mesma linguagem em relação a
fenômeno tão complexo como a violência; B) É necessário muito cuidado nas ações de prevenção e orientação, para
que não sejam generalizadoras, simplistas e autoritárias. Este problema pode ser solucionado com projetos de
educação continuada. C) O atendimento às vítimas de violência não é só encaminhamento à psicologia e psiquiatria;
também, não é possível atuar nessa questão com eficiência sem um suporte da saúde mental; D) É importante para
uma rede: a elaboração de um fluxo, a pactuação da participação dos atores e uma boa comunicação entre eles.
Observação:
O conjunto dos autores é formado por profissionais da Supervisão de Saúde, Coordenadoria de Educação, escolas,
unidade básica de saúde, instituição social e psicóloga voluntaria.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4429
Código do Autor Principal:3622
Nome do Autor Principal: BRUNA DA SILVA FERREIRA
Autores:
BRUNA DA SILVA FERREIRA
JAKELLYNE KELLY BUENO DE OLIVEIRA
ANA LÚCIA ALVES CARNEIRO DA SILVA
KARINA SIQUEIRA MACHADO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-168
Onde o trabalho foi realizado? GOIÂNIA - GO
Titulo:
CONSULTA COLETIVA DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO: UMA VISÃO DE ACADÊMICAS DE
ENFERMAGEM.
Resumo:
Este trabalho foi desenvolvido em uma Unidade de Saúde da Família localizada na Vila Pedroso do município de
Goiânia-GO,com início no ano de 2006, desenvolvido por uma das enfermeiras da unidade e pelos agentes
comunitários de saúde.Teve como objetivo:maior abrangência do número de crianças que passam pela consulta de
enfermagem e com isso o aumento na detecção de crianças com baixo peso e sobrepeso proporcionando o
acompanhamento da desta. A metodologia constou da divisão da área de uma das equipes da unidade em três grupos,
que eram compostos de duas micro-áreas cada. Estas eram convidadas a participar das reuniões que acontecem uma
vez por mês para cada grupo em uma igreja localizada na área.Obtivemos como resultado o aumento na detecção de
baixo peso e sobrepeso entre as crianças entre outras doenças detectadas; aumento na oferta de consultas; melhoria
no acompanhamento das crianças; maiores chances da mãe ou acompanhante tirar suas dúvidas e receber
orientações. A relevância deste trabalho está no fato de não ser uma experiência comum entre as equipes de saúde da
família, podendo servir como exemplo e ponto de partida para discussão sobre o aumento da oferta de consultas de
crescimento e desenvolvimento e para a maior detecção de crianças de baixo peso, sobrepeso entre outras doenças,
aliado a adequação no atendimento.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4430
Código do Autor Principal:3623
Nome do Autor Principal: MARIA DA ASSUNÇÃO SAPUCAIA FRAGA
Autores:
MARIA DA ASSUNÇÃO SAPUCAIA FRAGA
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-002
Onde o trabalho foi realizado? LAURO DE FREITAS - BA
Titulo:
ADESÃO DE USUÁRIOS ÀS AÇÕES DE SAÚDE DO PSF ATRAVÉS DA RELIGIOSIDADE
Resumo:
O município do Rio do Antônio tem 15.000 habitantes, situa-se na região Sudoeste da Bahia e apresenta baixa
qualidade de vida: IDH de 0,59 e esperança de vida ao nascer de 61,8 anos.
Em 2002 o município implantou 3 equipes de PSF, atendendo à demanda espontânea e em 2005 ampliou para 4,
reestruturando o desenho organizativo da atenção primária à saúde.
Este trabalho descreve a estratégia utilizada pela equipe de saúde da área B para construção de vínculo e adesão do
coletivo e dos usuários às ações de saúde.
A área é composta por 815 famílias, das quais 50% têm energia elétrica e abastecimento público de água, 29% coleta
de lixo e 0,86% esgotamento público. A área tem 15 igrejas católicas e 4 evangélicos.
Identificou-se como nó crítico a baixa credibilidade nos serviços de saúde e dificuldade de aceitação da ESF pela
população. Decidiu-se utilizar como estratégia de superação do problema, discussões sobre a saúde da população,
política e conceito de saúde, através da religiosidade. A escolha da estratégia: abordar saúde através da religiosidade
existente na comunidade pressupõe a forte influência desta condição (religião) nas práticas e crenças da população
adstrita. Organizou-se uma -Missão de Saúde- no período de 12 a 15 de outubro de 2005, com a participação de
trabalhadores de saúde, usuários, missionários e freiras, com visitas domiciliares e reuniões educativas, usando a
Bíblia para mostrar como viver com saúde, com o presságio de Jesus Cristo: -Eu Vim para que todos tenham Vida, e a
tenham em abundância- (Jo10,10). Os fatores determinantes e condicionantes da saúde foram abordados a partir de
textos Bíblicos, como exemplo: Alimentação - Jesus tomou os pães, deu graças e os distribuiu aos convivas. (Jo6,11);
Saneamento/Higiene:Jesus disse vai lavar-te na piscina de Siloé (Jo9,7); Trabalho - Trabalhai não pela comida que
perece , mais pela comida que permanece pela vida eterna (Jo6,27); Lazer - O Senhor respondeu: Eu irei
pessoalmente e te darei descanso (Ex 33,14). Adicionalmente discutiu-se auto-estima, família e violência.
Foram realizadas 112 visitas domiciliares e 16 reuniões educativas, identificados pacientes com adoecimentos e
conquistados os usuários para freqüentarem o serviço.
Observação:
Obs: Atualmente resido em Lauro de Freitas e o trabalho foi realizado em Rio do Antonio
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4431
Código do Autor Principal:3541
Nome do Autor Principal: ÉRIKA SOARES CALDEIRA
Autores:
ÉRIKA SOARES CALDEIRA; ELIANA MARIA GUIMARÃES COSTA MAIA; FREDERICO DE QUADROS LOPES; IGOR
CALDEIRA SOARES
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-030
Onde o trabalho foi realizado? MONTES CLAROS - MG
Titulo:
PROTOCOLO PARA MANEJO DO CLIMATÉRIO EM APS
Resumo:
Introdução: O desenvolvimento de melhores condições de assistência à saúde vem proporcionando uma maior
expectativa de vida às mulheres. Conseqüentemente, a síndrome climatérica é um problema freqüente nos serviços de
APS.
Objetivos: Elaborar um protocolo para manejo das pacientes em síndrome do climatério e/ou idade entre 40 a 65 anos,
que procurarem atendimento médico nas ESFs Santa Lúcia I/Monte Carmelo II.
Metolologia: Foram selecionados artigos publicados nas bases de dados Lilacs, MEDLINE entre 1993 e 2007,
Cochrane Library e Guidelines.gov. Utilizaram-se as palavras chaves climatério, terapia hormonal, estrógeno, ultra-som
e endométrio (e suas versões em inglês) e os artigos sobre terapia hormonal publicados antes de 2002 foram
desconsiderados. Foram também consultados livros clássicos, consensos de especialistas das diversas áreas
envolvidas na atenção integral à mulher climatérica, além do Canadian Task Force e do U.S. Preventive Services Task
Force.
Apresentação e discussão dos resultados: Os estudos empíricos bem como de validade de testes diagnósticos, a cerca
deste tema, são relativamente escassos. O estudo controlado mais importante até os dias de hoje sobre a terapêutica
hormonal no climatério foi o Women-s Health Iniciative (WHI), precedido por outro menor, porém de grande
repercussão internacional, o estudo HERS - Heart and Estrogen/Progestin Replacement Study. Ambos testaram a
eficácia do uso de uma específica associação de estrogênio-progestagênio não permitindo, portanto extrapolar as
conclusões para outras drogas e dosagens disponíveis. Além disso, faltam evidências aconselhando a freqüência ideal
de alguns testes de rastreamento.
Considerações finais: Os estudos disponíveis até o momento confirmam o alívio da sintomatologia climatérica e
prevenção de câncer colo-retal com a terapia hormonal e a necessidade de realização de alguns testes de screening
para as mulheres na faixa etária definida por este estudo. No entanto, faltam estudos comprovando a necessidade de
alguns testes diagnósticos bem como o intervalo de repetição. A maioria das drogas utilizadas atualmente necessita de
outros estudos controlados para que sejam avaliados o tempo de tratamento e as dosagens ideais que trariam os
benefícios da terapia hormonal com os menores riscos para a paciente. No contexto atual, portanto, as pacientes
devem ser individualizadas segundo seus fatores de risco, queixas e expectativas quanto ao tratamento. O médico de
atenção primária deve ser capaz de perceber as nuances de cada caso, encorajando a paciente a adotar práticas de
saúde adequadas, ajudando-a a escolher o seu tratamento e, caso necessário, encaminhado-a ao especialista.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4432
Código do Autor Principal:3624
Nome do Autor Principal: PATRICIA SALVIANO MURATA
Autores:
PATRÍCIA SALVIANO MURATA¹
ESTER MASSAE OKAMOTO DALLA COSTA²
ELIANE HASHIMOTO¹
FLÁVIO HENRIQUE MUZZI SANT'ANNA¹
JULIANA RONCARATTI DE TOLEDO¹
PAULA ROCHA BARBOSA¹
PRISCILA RIBAS MACHADO¹
TATIANA NASCIMENTO RIBEIRO¹
WELINGTON BERBEL¹
¹ RESIDENTES EM RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA
² DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE SAÚDE COLETIVA - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-008
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
O PAPEL DO FARMACÊUTICO NA PERSPECTIVA DE UMA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA.
Resumo:
Introdução: A profissão farmacêutica vem sofrendo inúmeras transformações ao longo dos tempos. Nos primórdios,
os boticários eram os profissionais que dominavam todo o processo de pesquisa e produção dos medicamentos, de
acordo com as necessidades individuais de seus pacientes, e mantinha com estes um relacionamento de confiança. No
entanto, com o advento da industrialização, as boticas foram substituídas pelas indústrias farmacêuticas e as
farmácias. Simultaneamente, a saúde se transforma em um bem de consumo, materializado na figura do medicamento.
Desta forma, o complexo médico-industrial passa a mercantilizar a saúde e subordinar os profissionais a seus
interesses. Assim, a atuação do farmacêutico foi reduzida à entrega de medicamentos produzidos em escala industrial,
resultando no início da perda de sua identidade e na conseqüente busca por outras áreas de atuação. O resultado
deste processo é a desvalorização, e o desconhecimento por parte da população e da equipe de saúde, do real papel
do farmacêutico. Objetivo: Relatar as percepções preliminares da experiência de inserção do farmacêutico na atenção
básica no município de Londrina - PR. Metodologia: A inclusão do farmacêutico se deu através da Residência
Multiprofissional em Saúde da Família, ofertada pela Universidade Estadual de Londrina. Em março de 2008, uma
equipe com oito profissionais iniciou suas atividades em uma Unidade de Saúde no Município de Londrina - PR.
Resultados alcançados: Alguns projetos já foram iniciados, como a territorialização, grupo de idosos e prontuário
multiprofissional. Mas, em relação às ações especificas do farmacêutico, este vem enfrentando algumas dificuldades.
Lições aprendidas com a experiência: Em momento de teorização do grupo de residentes, percebeu-se que a
representação social do farmacêutico dificulta a sua inserção na equipe de saúde, pois, muitos de seus membros,
reproduzindo a representação social, relatam desconhecer sua função, associam-no a balconista, vendedor ou
-desvendador- de receitas - quando não é tido como desnecessário. Na USF, a dispensação se dá por uma abertura na
divisória que separa o ambiente do dispensário de medicamentos daquele destinado ao usuário, dificultando a
interação farmacêutico-paciente e realização da atenção farmacêutica. Recomendações: Embora exista dificuldade de
compreensão por parte da equipe em relação a outras categorias profissionais, foi evidente esta condição em relação
ao farmacêutico. Para que se consolide a inclusão do farmacêutico na equipe faz-se necessária uma análise mais
aprofundada sobre o tema e a identificação dos principais nós críticos para seu efetivo enfrentamento. Entre as ações,
a mais desafiadora é a reversão da percepção existente (ou a falta de) do papel do farmacêutico na rede de cuidados
em saúde, além da necessidade de formação adequada para assunção de seu papel na equipe de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4433
Código do Autor Principal:1669
Nome do Autor Principal: MARIA ZOÉ HENRIQUES ZIMPEL
Autores:
MARIA ZOÉ HENRIQUES ZIMPEL- IRONIDES LAZZARI RICHTER - MARIZA RODRIGUES GONSALVES LEONICE CLAIR BORGES - ANDREIA VANESSA GRIESANG -EVANI HEISSLER - INES MERIDIANA TORMES
KAMPHORST -CARMEM ROBERTI CORSO
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-027
Onde o trabalho foi realizado? HORIZONTINA - RS
Titulo:
PROGRAMA DE ATENDIMENTO AO USUARIO DE ALCOOL E/OU OUTRAS DROGAS COM APOIO FAMILIAR
Resumo:
O programa surgiu pela necessidade de haver um centro de referência para atendimento da demanda da
comunidade. Anteriormente quando comprometidas com a doença do alcoolismo eram conduzidos de uma forma única
para tratamento em clinicas psiquiátricas, sendo que quando voltavam após 30 ou 60 dias de internação não havia
continuidade do atendimento. Podemos pensar que ao internar o usuário de álcool não acorria o suporte necessário por
não haver interlocução entre família, equipe de saúde e individuo. Diante desse problema de saúde publica, sendo o
consumo de álcool uma forma de toxicomania muito tolerada socialmente em nossa comunidade que as equipes de
saúde de Horizontina se reuniram para construir O PROGRAMA DE ATENDIMENTO AO USUÁRIO DE ALCOOL E/OU
OUTRAS DROGAS COM APOIO FAMILIAR. Com uma nova ótica de enfrentamento na atenção básica, tendo a saúde
mental como eixo norteador.
Ficou definido o Centro de Atenção a Saúde Coletiva - CASC como o local de referencia das atividades desenvolvidas
no programa. A equipe compõe-se de Enfermeiras, Psicólogas, Agentes de Saúde, Médicos, formando uma equipe
interdisciplinar. Conforme a necessidade a equipe definiu que os eixos de trabalho são a prevenção, tratamento,
reabilitação e a inserção social.
Na prevenção desenvolve-se um trabalho de informação que passa desde as visitas domiciliares das Agentes
Comunitárias de Saúde, na orientação e no acolhimento de demanda espontânea das famílias permeando todos os
trabalhadores. É entendimento da equipe que a intervenção na fase inicial promove a prevenção reduzindo danos.
Quanto ao tratamento a equipe formou três formas de atendimento: individual, familiar e em grupos. Os grupos são
divididos em: Grupo Familiar, Grupo Terapêutico I eII.
A adesão ao programa se inicia os devidos encaminhamentos feitos do usuário através das agentes comunitárias de
saúde, outros profissionais inclusive promotoria publica, familiares. A equipe do programa esta levando em conta que
nos atos de usuário de substancias se expressa um humano que sofre. Com esse principio norteador a equipe acolhe
quem encontrou o desamparo social e subjetivo e oferece o seu serviço a um sujeito que precisa criar novos espaços
de circulação e reconhecimento, fazendo seus laços familiares e de trabalho, ou seja, trabalhando com a reinserção
social.
Percebe-se com os relutados obtidos (diminuição de internações por recaídas) a possibilidade de executar este
programa a nível de atenção básica contando com saúde mental como eixo norteador .
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4434
Código do Autor Principal:3513
Nome do Autor Principal: DANUZI SALES ARAUJO SOUSA
Autores:
DANUZI SALES ARAUJO SOUSA
MARDUCE PEREIRA MARQUES
TAMARA ARAUJO PEREIRA DOS SANTOS
MARIA ELISANDRA DANTAS MATOS
DOUGLAS MAIA SANTOS
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-029
Onde o trabalho foi realizado? COARI - AM
Titulo:
ESTADO NUTRICIONAL DE HIPERTENSOS E DIABÉTICOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA HIPERDIA DA
UBS D. LUIZA TE
Resumo:
O índice de massa corporal é obtido a partir da divisão do peso em quilogramas pelo quadrado da altura em metros
(kg/m2). Valores de IMC acima de 25,0 kg/m2 caracterizam excesso de peso, sendo que, de 25,0 kg/m2 a 29,9 kg/m2
correspondem a sobrepeso e de 30,0 kg/m2 à obesidade. Essas definições são baseadas em evidências que
sugerem que estes valores de IMC estão associados ao risco de doenças como hipertensão arterial,
hipercolesterolemia, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares e morte prematura. O objetivo desse trabalho foi
avaliar o estado nutricional através do IMC. O estudo foi baseado em análise do formulário de inscrição do programa
saúde da família Hiperdia. Na UBS existem 111 pacientes inscritos no programa, porém somente foram avaliados 95
participantes do programa em função do domicílio dos demais ser na zona rural, sendo 48 do sexo masculino e 47 do
sexo feminino, em relação a idade 5,3 % com idade entre 30 a 40 anos, 12,6 %, entre 40 a 50 anos, 31,6 %, entre 50
a 60 anos, 20 % entre 60 a 70 anos, 12,6 %, entre 70 a 80 anos, 15,8 % entre 80 a 90 anos e 2,1 % entre 90 a 100
anos, dos quais 11,58 % são de raça branca, 2,11 % de raça preta e 86,32 % de raça parda. Quanto ao estado
nutricional 2,13 % encontra-se com baixo peso, 20,21 % estão com peso normal, 39,36 % com sobrepeso, 26,60 %
obesidade I, 9,57 % obesidade II, 2,13 % obesidade III. De acordo com os resultados observou-se uma grande
prevalência de obesos nos diversos níveis de obesidade e uma preocupante quantidade de pacientes com sobrepeso,
situação agravante nas patologias de hipertensão e diabetes levando ao aparecimento de co-morbidades associadas.
Dessa forma fica clara a necessidade do acréscimo do profissional nutricionista na equipe de profissionais do programa
de saúde na família, afim de evitar os agravos à saúde associados ao estado nutricional desequilibrado. Em vista de
50,5 % de a população estudada ser composta de idosos, e essa população necessita de acompanhamento nutricional
devido às modificações na alimentação em função própria do processo de envelhecimento, falta de informação sobre
alimentação adequada, limitações financeiras, incapacidade física que interferem com a compra e preparo de
alimentos, isolamento social e o uso à longo prazo de certas drogas terapêuticas que interferem com a absorção e o
metabolismo de nutrientes, pode também causar desnutrição nos idosos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4435
Código do Autor Principal:1646
Nome do Autor Principal: ARIANE ROSE SOUZA
Autores:
ARIANE ROSE SOUZA DE MACEDO OLIVEIRA
LORRAINY DA CRUZ SOLANO
ROSALBA PESSOA DE SOUZA TIMÓTEO
SORAIA MARIA DE MESQUITA NUNES
ROSALBA PESSOA DE SOUZA TIMÓTEO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-114
Onde o trabalho foi realizado? FELIPE GUERRA - RN
Titulo:
ANALISANDO A EXPERIÊNCIA COM GRUPO DE GESTANTES NO CENÁRIO DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA
FAMÍLIA.
Resumo:
(INTRODUÇÃO) A assistência pré-natal tem como principal objetivo acolher a mulher desde o início da gravidez,
procurando entender como cada gestante vivencia esse momento. Ademais, o pré-natal está na agenda da atenção à
saúde da criança e pertence a política de atenção à saúde da mulher, sendo um dos pilares do trabalho da Estratégia
Saúde da Família. Com esse ideário em mente foi oferecido um espaço para troca de experiências denominado grupo
de gestantes, para as mulheres cadastradas no pré-natal do município de Felipe Guerra/RN. (OBJETIVO) O intuito é
tentar uma aproximação com o público alvo, para reforçar os vínculos entre as mesmas e a equipe, como também
buscar compreender os vários significados da gestação para cada mulher. (METODOLOGIA) Com base nos dados do
SISPRENATAL, foi vislumbrado o número total de gestantes cadastradas no município, sendo 17 da equipe PSF I e 12
da equipe PSF II. Foram idealizados encontros mensais onde mediante atividades lúdicas, dinâmicas de grupo,
discussões em grande grupo, exposição oral, produção de cartazes/desenhos e rodas de conversa. Foram trabalhadas
as seguintes temáticas: importância do pré-natal, sexualidade e afetividade, aleitamento materno, parto e pós-parto,
cuidados com o recém-nascido, planejamento familiar e prevenção de DST/AIDS, para serem executados ao longo de
seis meses. (RESULTADOS ALCANÇADOS) Os encontros foram lições de vida, já que as falas, os gestos, traduziam a
sabedoria que está longe dos palcos institucionais do saber científico. A história de vida e o cotidiano de cada
participante, quando verbalizado proporcionava reflexões sobre os anseios, medos, emoções, angústias de cada
mulher diante do fato de estarem grávidas. O espaço foi de troca, aprendemos/ensinamos e ficou mais nítido que o
acolher transpõe o processo de trabalho assistencial clínico. (LIÇÕES APRENDIDAS COM A EXPERIÊNCIA) Não
podemos subestimar a sabedoria popular, nem menosprezar as construções históricas de cada uma das gestantes
participantes. Nosso conhecimento verticalizado prevê que sabemos o certo, sem procurar entender o que elas
entendem por certo. Temos muito que aprender, e a experiência de trabalhar com grupos é um dos possíveis caminhos
na busca dessa aprendizagem. (RECOMENDAÇÕES) Os cenários podem ser os mais diversos, os enredos também,
mas os principais elementos, dessa prática de acolhimento para a gestante, pode ser desenvolvida por qualquer equipe
da estratégia saúde da família. A formação desse espaço é uma oportunidade de amadurecimento, enquanto ator
nesse cenário de re-orientação das práticas em saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4436
Código do Autor Principal:3193
Nome do Autor Principal: ANA LUCIA LIMA GOMES
Autores:
1-ANA LUCIA LIMA GOMES 2-MARIA DO ESPÍRITO SANTO GALINO 3-JORCILENE VELOSO 4-KELLY CRISTINA
5-ODETE 6-ANA CRISTINA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-232
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO - RJ
Titulo:
OFICINAS DE IDÉIAS EM PROMOÇÃO DA SAÚDE:MUDANDO E TRANSFORMANDO VIDAS!
Resumo:
A idéia de realização das Oficinas de Idéias em Promoção da Saúde, surgiu a partir do desenvolvimento da
Estratégia Saúde da Família do Canal do Anil, no atendimento diário e integral às famílias, compreendendo a luz do
referencial que embasa as ações da Atenção Básica à Saúde como,
-um conjunto de ações, de caráter individual e coletivo, que engloba a promoção da saúde, a prevenção de agravos, o
tratamento e a reabilitação, e constitui o primeiro nível da atenção do Sistema Único de Saúde-.
Procuramos com as Oficinas de Idéias o fortalecimento da atenção das famílias do PSF Canal do Anil, por meio da
ampliação do acesso, a qualificação e reorientação das práticas de saúde embasadas na Promoção da Saúde.
Acreditando no potencial da comunidade, pensamos em desenvolver as Oficinas, considerando sobretudo, a aspiração
dos moradores como voluntários do projeto, e a necessidade de estarem engajados em atividades práticas, lúdicas, e
de promoção e prevenção da saúde.
Palavras chaves como, o direito à saúde, à educação, ao trabalho, companheirismo, solidariedade, respeito próprio,
participação, são estratégias que serão utilizada no planejamento das ações, e que buscamos transformar em realidade
na vida diária dos grupos que elegeram as Oficinas de Idéias para compartilhar seu crescimento como cidadãos.
Com a implantação de um conjunto de atividades integradas e solidárias as Oficinas de Idéias busca oferecer
oportunidades com ações de caráter pedagógico e social, com núcleos de desenhos e arte, centro de referência para
cuidar da saúde dos jovens e adultos(a grande família)com trabalhos artesanais.
As Oficinas tem como objetivos:
1-Fortalecer a participação e a organização política comunitária,
2-Criar oficinas de produção, privilegiando a idéia do aprender fazendo,
3- Dar oportunidade às famílias de crescimento de forma global exercitando a cidadania de forma plena,
4- Promover a participação em feiras e eventos, possibilitando a troca de experiência,
5-Criar alguns instrumentos para avaliação
As Oficinas de Idéias em Promoção da Saúde, visam através da Metodologia da Problematização, desenvolver ações
para melhorar as condições de vida das famílias da comunidades adscritas com atendimento integral, através de
equipe multiprofissional, dando ênfase ao:
Diálogo - reconhecimento das famílias com poder de fala
Respeito- ao saber popular
Participação popular: incentivo a co-participação da comunidade às ações desenvolvidas, e pela melhoria da qualidade
de vida dos moradores.
A luz de Paulo Freire entendemos, que -o sentir e o pensar jamais se dissociam-, sendo este referencial a base
fundamental para o desenvolvimento de todas as ações nas Oficinas de Idéias.
Os conteúdos são divididos e dois módulos: básico e especifico de forma integrada e participativa, incentivando o
trabalho coletivo, através de temas geradores.
Observação:
Através do módulo básico e específico os participantes têm conhecimentos de leitura escrita, através de dinâmicas e
dramatizações, teatro, incluindo saúde, educação, meio ambiente, educação popular. Serão estimulados os canais de
comunicação e expressão, contribuindo para o aprendizado.As avaliações são constantes, através de reuniões parciais
com a equipe e todos os participantes
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4437
Código do Autor Principal:3625
Nome do Autor Principal: ESTEFANIA_RAMIRES REIS
Autores:
ESTEFANIA RAMIRES REIS
TICIANE R. DE CARVALHO COSTA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-019
Onde o trabalho foi realizado? MACEIÓ - AL
Titulo:
" MEXENDO A VIDA"
Resumo:
Esta experiência relata as atividades desenvolvidas por duas enfermeiras e os demais profissionais que
trabalham na Estratégia Saúde da Família, de um bairro da periferia de Maceió. Identificamos na nossa área de
abrangência um alto índice de adultos ociosos e dentre estes um número elevado de hipertensos e diabéticos. As
equipes que integram o Saúde da Família formaram o grupo - Mexendo a vida-, com o objetivo de incentivá-los à
promoção da qualidade de vida através de reuniões, encontros,exercícios,caminhadas e dança. A realização das
atividades acontece na Unidade Básica de Saúde, clube, praia dependendo onde for desenvolvida as ações. As
reuniões são feitas quinzenalmente onde definimos qual a atividade a ser realizada e nessas atividades contamos com
a participação dos profissionais de saúde das equipes, professor de dança e quando necessário um professor de
educação física, facilitando assim a integração, socialização, confiabilidade, cumplicidade, adesão aos tratamentos,
entre profissionais e clientes. Percebemos várias modificações no comportamento e na qualidade de vida desse grupo
envolvido. Com isso, estamos iniciando a aplicação dessa experiência em outras faixas etárias como o grupo de
adolescentes.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4440
Código do Autor Principal:3628
Nome do Autor Principal: SANDRA REGINA LEAL ARDUINE
Autores:
SANDRA REGINA LEAL ARDUINE; SIVIA HELENA IBA GOMES; APARECIDA DA CONCEIÇÃO M. AMBRÓSIO;
LUCIANE LOURES SANTOS; RAFAELA AZENHA TEIXEIRA
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-019
Onde o trabalho foi realizado? RIBEIRÃO PRETO - SP
Titulo:
COMUNIDADE E EQUIPE, AUMENTANDO A AUTO-ESTIMA E PROMOVENDO SAÚDE ATRAVÉS DA DANÇA.
Resumo:
Introdução: O NSF 3 (Núcleo de Saúde da Família 3) inaugurado em 2001 é uma unidade de saúde da família que
assiste uma comunidade de aproximadamente 4000 pessoas, com cerca de 50% da população acima de 40 anos.
Busca desenvolver ações de prevenção, promoção, além do atendimento clínico da população adscrita. Objetivo:
descrever a experiência de um grupo de dança. Metodologia: Este grupo, formado por trabalhadores da equipe e
usuários se reúne semanalmente para montar e ensaiar coreografias com vistas a participar do Olimpic, uma
competição de âmbito regional que acontece anualmente no município de Ribeirão Preto, com apresentação de
coreografias de vários grupos do Programa de Integração Comunitária - PIC. Resultados Alcançados: Durante os
últimos sete anos o grupo participou do Olimpic, ficando várias vezes entre os três primeiros colocados e sendo
convidados frequentemente para eventos do município e região. Os participantes atuam ativamente de todo o processo
desde a coreografia, construção dos cenários, busca por recursos, elaboração do figurino, maquiagem até a
composição de personagens. Ademais nota-se uma melhora visível na auto-estima dos participantes do grupo e um
envolvimento dos familiares, comunidade e serviço tanto na preparação quanto na torcida durante a competição. O
processo de discussão, a criatividade na organização da dança e mesmo para a obtenção de recursos é um exemplo
do processo de desenvolvimento de potencialidades da comunidade. Lições aprendidas com a experiência: Um dos
obstáculos é a busca pelos recursos para criação dos figurinos e cenários que o grupo consegue ultrapassar através de
soluções criativas, como rifas, ações entre amigos e festas na comunidade que arrecadam fundos para este fim. E um
dos fatores que impulsionam e facilitam o projeto é o espírito de equipe que motiva os usuários e os que estão ao seu
redor. Recomendações: É perfeitamente factível sua realização em outros serviços, pois depende apenas do interesse
e interação entre profissionais e comunidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4441
Código do Autor Principal:3527
Nome do Autor Principal: THAÍSA SIMPLÍCIO CARNEIRO
Autores:
THAÍSA SIMPLÍCIO CARNEIRO;
KATHLEEN ELANE LEAL VASCONCELOS
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-061
Onde o trabalho foi realizado? CAMPINA GRANDE - PB
Titulo:
AVALIANDO A SAÚDE DA FAMÍLIA DE CAMPINA GRANDE/PB: UM -NEO-PSF ÀS AVESSAS"?
Resumo:
A estratégia Saúde da Família (SF) se constitui atualmente em um dos atuais pilares da saúde pública brasileira.
Destarte, torna-se extremamente importante a realização de estudos sobre sua contribuição para a atenção à saúde e
inversão do modelo assistencial, inclusive em Campina Grande/PB que, por muito tempo, teve destaque nacional
dentre as experiências da estratégia em tela. Este trabalho objetiva analisar a implementação da SF de Campina
Grande/PB, a partir da avaliação dos seus profissionais. Para tanto, este estudo qualitativo fez uso da pesquisa
bibliográfica, documental e da pesquisa de campo (realizada entre dez/2006 e jun/2007). Teve como sujeitos
profissionais de nível superior que atuam na SF de Campina Grande e como amostra uma equipe básica completa de
cada um dos seis Distritos Sanitários. Na coleta de dados, utilizou a entrevista (gravada) com roteiro semi-estruturado
junto a 23 profissionais (de Medicina, Enfermagem, Odontologia e Serviço Social) e a análise de conteúdo. Esta
pesquisa possibilitou a sistematização de análises acerca da implementação da estratégia no município no atual
contexto. Na avaliação das entrevistadas, a SF traz importantes impactos para as comunidades atendidas,
concretizando alguns princípios apregoados pelo SUS/SF, como a melhoria nos indicadores de morbi-mortalidade, a
diminuição de internações hospitalares, o acesso aos serviços com humanização e vínculo. Entretanto, os depoimentos
indicam que, embora a principal justificativa para a adoção da estratégia seja a reorganização do SUS, se percebe a
ampliação do acesso da população apenas à atenção básica: os demais níveis continuam deficitários e a continuidade
da atenção é comprometida; a intersetorialidade e o controle social ainda são muito frágeis no município; ocorre
escassez, inadequação de insumos, de medicação, e o aviltamento das condições de trabalho. Outro desafio sinalizado
pelas profissionais foi a (in)compreensão da atual gestão municipal em relação à SF: na avaliação dessas, a SF de
Campina Grande, atualmente, em lugar de avançar no sentido de concretizar os princípios do SUS, está retrocedendo
em termos das características históricas que tinha no município, havendo indagações se não estaria se configurando
em um -neo-PSF às avessas-, quando a gestão não prioriza mais a promoção da saúde, a intersetorialidade, o controle
social, o trabalho em equipe, entre outros importantes elementos para superação do modelo assistencial tradicional.
Diante da experiência vivenciada pelo município, percebe-se que a inversão do modelo de atenção à saúde é um
processo lento e sinuoso, configurando-se como verdadeiro palco de embates que envolvem a população, profissionais
e gestão, sem desconsiderar, contudo, o contexto macroestrutural que permeia o modelo de saúde. Anuncia-se,
portanto, como necessidade, o resgate da -alma- da SF, no município, por parte
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4442
Código do Autor Principal:3629
Nome do Autor Principal: ERNESTO JOSÉ HOFFMANN
Autores:
HOFFMANN, ERNESTO JOSÉ; MENDES, ANA LUISA G.; DINIZ, DANIELLA V. M.; LACERDA, ELTON C.;
CARDOSO, FERNANDA C.; BICALHO, LUCAS F.; ANTUNES, LUDMILA A.; AGUIAR JR., MÁRCIO F.; CARNEIRO,
MONIQUE C.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-060
Onde o trabalho foi realizado? MONTES CLAROS - MG
Titulo:
CONTRIBUIÇÃO DE ALUNOS DE MEDICINA A AÇÕES PREVENTIVAS PARA A SAÚDE DE IDOSOS BASEADAS
EM EVIDÊNCIAS
Resumo:
INTRODUÇÃO - Os idosos constituem a parcela da população que mais cresce no mundo, sendo este crescimento
maior nos países em desenvolvimento. No Brasil consideramos idosos os indivíduos com 60 anos ou mais (IBGE
2000). Muitos destes dependem das Unidades de Saúde da Família (USF) para receber atendimento ou informações
em saúde. Na USF Cintra II, localizada no município de Montes Claros - MG, existem 315 idosos moradores em sua
área adscrita, número grande comparado às outras USF do município. A USF Cintra II recebe alunos do 4º. período de
Medicina da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), que realizam atividades teóricas e práticas, tendo
aprendizado com um olhar voltado para a realidade local. Identificado o número de idosos e a necessidade de saber
orientar estes sobre práticas preventivas de saúde acerca das condições mais prevalentes em sua faixa etária, os
alunos, sob supervisão, realizaram seu trabalho do semestre sobre o tema. Para redigi-lo, lançaram mão das técnicas
de Medicina Baseada em Evidências (MBE).
OBJETIVOS - Elaborar um Menu Preventivo, ou seja, trabalho escrito, baseado em evidências científicas, que sirva de
suporte teórico para as ações de prevenção primária com os idosos residentes na área de abrangência da USF Cintra
II.
METODOLOGIA - Foi realizada revisão bibliográfica. Identificaram-se as doenças e condições de risco as quais os
idosos encontram-se mais expostos, sejam elas: Déficit Auditivo; Déficit Visual; Diabetes mellitus; Distúrbios da tireóide;
Distúrbios do Sono; Doença cardiovascular; Fragilidade; Hipertensão arterial sistêmica; Iatrogenia; Imobilidade;
Incontinências; Instabilidade Postural; Insuficiência Cerebral; Deficiências Nutricionais; Osteoporose. As orientações
preventivas foram buscadas visando os melhores níveis de Evidências Científicas e Recomendações, princípios que
norteiam a MBE. Utilizou-se a Internet para o acesso a sítios de pesquisa, como os do Canadian Task Force, U.S. Task
Force e Bireme.
RESULTADOS - Foram encontradas evidências científicas relevantes para a maioria das condições estudadas; porém,
para a prevenção de Distúrbios do Sono, Fragilidade, Iatrogenia e Incontinência Urinária não se encontraram
evidências de maior força. O Menu Preventivo foi redigido e encontra-se na USF Cintra II para consulta.
RECOMENDAÇÕES - Devem-se realizar mais pesquisas no meio científico com relação à prevenção primária. Apesar
da MBE nortear as práticas atuais no Cuidado Primário à Saúde, percebe-se a abundância de material sobre medidas
curativas, havendo dificuldade em encontrar evidências para práticas preventivas. Muitas práticas preventivas
baseadas em evidência podem ser realizadas nas USF, muitas delas de custo e complexidade baixos. Trabalhos
futuros podem comparar a qualidade de vida de idosos de USF que adotam condutas preventivas baseadas em
evidência com as que não realizam.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4444
Código do Autor Principal:1882
Nome do Autor Principal: MARINALVA NOVAIS
Autores:
MARINALVA NOVAIS E
REGIANE BURALHO SANTOS FRANÇA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-108
Onde o trabalho foi realizado? ITABUNA - BA
Titulo:
PROJETO ARTE PELA VIDA - ACÕES DE PROMOÇÃO DA SAÚDE PARA MULHERES DE BAIXA RENDA
Resumo:
O presente trabalho justificou-se diante do diagnóstico levantado numa Comunidade de baixa renda do bairro São
Lourenço, em Itabuna, situada na região Sul da Bahia. Foi observado que um número considerável de mulheres da
comunidade que não teve a oportunidade de se preparar formalmente para ser inserido no contexto produtivo e
econômico, vivendo ociosas devido à falta de trabalho, consequentemente, a ausência de renda fixa, implicando no
comprometimento do cuidado da saúde, como foi relatado por muitas delas, justificando-se sempre na falta de recursos
financeiros para os cuidados com a saúde, dentre eles dieta alimentar adequada. Segundo a Organização Mundial de
Saúde, a saúde incorpora todos os elementos e fatores que, posteriormente, afetam o bem-estar e a saúde humana.
Buscando intervir na realidade local, foi desenvolvido um programa de produção de trabalho manual, que venha a
possibilitar a comercialização, gerando renda e transformando os momentos ociosos de muitas moradoras em
produtivos, além de desenvolver atitudes de iniciativa, determinação, confiança, afeto e respeito entre os sujeitos
envolvidos nessa comunidade. Para a execução do projeto, contou-se inicialmente com 12 mulheres entre 16-45 anos,
sendo realizados 4 horas-aulas de Crochê semanalmente na Unidade de Saúde da Família - PSF - Aurivaldo Peixoto
Sampaio. As aulas são oferecidas por Agentes Comunitários da Saúde sob a coordenação da equipe de Saúde da
Família. Tendo como custo aproximado de cento e vinte e cinco reais entre agulhas e linhas. O trabalho teve início em
novembro de 2007 e será concluído em maio de 2008. Alguns resultados parciais já aparecem tanto nas falas das
participantes, bem como na avaliação da equipe, tais como: Oportunidade de trabalhar em casa, cuidando da família e
gerando renda, momento de terapia, valorização da capacidade de produzir e se sentir útil. Podemos considerar que
pequenas iniciativas fazem uma grande diferença, rumo ao bem estar social de uma comunidade, mesmo diante das
tantas dificuldades como falta de recursos financeiros e humanos, principalmente no que se refere à ampliação de
diferentes possibilidades de cursos que atendam a tantas outras necessidades. Assim, a partir dessa experiência
inicial, esperamos desenvolver futuramente um pólo de iniciativas que garantam o nível primário de atenção, enquanto
promoção da saúde emocional e física dos sujeitos sociais, através do desenvolvimento de algumas atitudes positivas e
práticas na comunidade, tais como determinação, confiança, auto-estima, afeto e respeito e geração de renda.
Acreditamos que tais iniciativas servirão como tomada de posição em diferentes espaços de promoção da saúde no
Brasil.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4446
Código do Autor Principal:3459
Nome do Autor Principal: SHANA VIEIRA TELO
Autores:
TELO, SHANA; TRESSOLDI, ADRIANA; KOHN, ELIS; MOTA, ELSA; MESQUITA, LUCIANA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-088
Onde o trabalho foi realizado? ESTEIO - RS
Titulo:
A EXPERIÊNCIA DA CRIAÇÃO DE UM GRUPO DE ARTESANATO COMO ALTERNATIVA PARA A PROMOÇÃO
DE SAÚDE
Resumo:
Introdução: A Educação em Saúde mostra-se como uma ferramenta indispensável para o trabalho comunitário. No
entanto, em algumas instituições, essa prática trata-se de uma abordagem educativa e preventiva que visa a mudança
do comportamento individual e/ou tem seu enfoque nos riscos à saúde, desconsiderando o saber popular e valorizando
apenas o saber biomédico. A idéia de que houvesse um grupo centrado na geração de saúde entre os usuários do
território do PSF Votorantim/Três Marias do município de Esteio surgiu da equipe dos Agentes Comunitários de Saúde
que atuam nesta área. Nesse sentido, o espaço do grupo seria destinado a usuários que chegam aos profissionais da
equipe com demandas que não se encaixam nas atividades já existentes e, com isso, teriam suas necessidades
atendidas neste espaço.O grupo de artesanato atua valorizando os sujeitos envolvidos e suas histórias, abordando
aspectos biopsicossociais e culturais através de uma construção compartilhada do saber. Objetivos: Relatar a
experiência de criação de um grupo de artesanato por uma equipe de PSF do município de Esteio como alternativa de
promoção de saúde e geração de renda. Metodologia: O grupo ocorre semanalmente na Associação de
Moradores.Tem duração de aproximadamente 2 horas e 30 minutos. O público se constitui de uma média de 25
participantes, na maioria mulheres, com idades variadas. Desde o início foi definido que não haveriam líderes
institucionais para organizar o grupo, assim emergiram lideranças entre os próprios participantes. As atividades
realizadas seriam relacionadas a artes manuais ou com outros tipos de arte que surgisse como demanda das
participantes. Foram definidas as atividades que seriam realizadas, bem como os responsáveis em ensina-las, sempre
valorizando os saberes das participantes. Além disso, definiu-se uma contribuição mensal para a compra dos materiais
necessários para a realização das aulas. Resultados Alcançados: Percebe-se uma melhora no estado de saúde dos
participantes. Aos poucos o grupo está criando sua própria identidade. O grupo não está contratado como um grupo de
sentimentos, ou operativo, entretanto desempenha um papel terapêutico. Lições aprendidas com a experiência: A
evolução do comportamento e estado de espírito de algumas das pacientes é visível e, inclusive, verbalizado. O grupo
vem se mostrando como uma alternativa de geração de renda para as usuárias que estão aprendendo a realizar
artesanato e podem utilizar este aprendizado para melhorar a situação financeira e social de suas famílias. Nas
reuniões, está sendo discutida a possibilidade do grupo expor seus trabalhos em feiras e atividades organizadas pela
Prefeitura Municipal de Esteio, como alternativa de geração de renda.Recomendações: Os profissionais de saúde
devem ter como objetivo promover e otimizar estilos de vida saudáveis, utilizando os recursos comunitários e
individuais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4447
Código do Autor Principal:3630
Nome do Autor Principal: LEDA MARIA ALVES MESQUITA
Autores:
LEDA MARIA ALVES MESQUITA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-047
Onde o trabalho foi realizado? CAUCAIA - CE
Titulo:
PSF E COBERTURA VACINAL: UMA EXPERIÊNCIA EXITOSA EM ARATURI, CAUCAIA, CEARÁ
Resumo:
Após século de luta para alcançar uma saúde pública eficaz e com aspectos que proporcione uma maior prevenção
e tratamento de doenças, conseguimos erradicar uma das piores doenças que aterrorizava o mundo, a varíola humana,
porém muitas outras doenças assolam a nossa população. Com o objetivo de realizar uma promoção à saúde
eficazmente foi proposto o Programa Saúde da Família (PSF), onde presta atenção básica para as comunidades
brasileiras. O surgimento do Programa Nacional de Imunização (PNI) fez da prevenção de doenças um enfoque
importante da atenção básica. O Araturi é um bairro população, onde moram pessoas carentes, além de conter em sua
extensão uma área de risco pela falta de segurança. Este bairro conta com uma população de mais de 20 mil
habitantes (IBGE-2000), sendo uma problemática o controle da imunização de crianças menores de 2 anos, pois nosso
bairro é dormitório e a maioria da população só retornam aos seus domicílios no período noturno. Além deste
empecilho ainda haviam vacinações realizadas em outros municípios que dificultava o alcance das metas. Este estudo
baseou-se pelos métodos administrativos (através de notificações da unidade de saúde) e estatísticos (com as visitas
domiciliares dos agentes comunitários de saúde). Contudo, graças aos esforços de uma equipe multidisciplinar e a
cooperação da comunidade conseguimos vacinar com êxito todas as crianças menores de dois anos. Atingindo assim
uma cobertura vacinal de cem por cento, esta que é calculada pela percentagem da relação do número de pessoas
vacinadas em uma determinada faixa etária e o número de pessoas dessa faixa etária.
Palavras-chave: P.S.F., Cobertura Vacinal, Equipe Multidisciplinar.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4450
Código do Autor Principal:3200
Nome do Autor Principal: GEIZA PIMENTEL PINTO
Autores:
GEIZA PIMENTEL PINTO
DEIZIANE MESSIAS MARQUES
ÍRIS CARDOSO MOREIRA
RICARDO FRANKLIN DE FREITAS MUSSI
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-061
Onde o trabalho foi realizado? GUANAMBI - BA
Titulo:
INFLUÊNCIAS SOCIAIS NA PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE ATIVIDADE FÍSICA DE PSF EM GUANAMBIBAHIA
Resumo:
Devido ao acentuado aumento do desenvolvimento das patologias crônico-degenerativas a prática de atividade física
vem se apresentando como imprescindível na vida do ser humano. Já na atenção à saúde seja de maneira preventiva,
como na promoção de saúde, bem-estar e qualidade de vida, ou até mesmo como terapia auxiliar no tratamento, esta
vem tomando dimensões sociais e clínicas até então inimagináveis. No entanto, antes da implementação de política
pública nesta área parece de suma importância o reconhecimento, o mais detalhado possível, do grupo social a usufruir
de suas proposições, buscando contextualizar o programa. Assim, este estudo visou caracterizar o perfil social da
população freqüentadora do projeto -Atividade Física no PSF-, referindo-se à unidade do bairro Vomitamel no município
de Guanambi/BA durante o ano 2007, sendo suas atividades práticas desenvolvidas na quadra coberta da igreja
católica do bairro. Para a coleta de dados foi utilizado como instrumento de pesquisa entrevistas semi-estruturadas, tipo
anamnese, que buscaram obter informações relacionadas a identificação do entrevistado, além de estabelecer a
presença de patologias, sendo importante apontar que estas são auto-referidas. Já tratando da análise dos dados foi
possível observar que a atividade tinha como público 44 participantes, sendo 43 do sexo feminino e apenas 1 do
masculino, com idades variando dos 25 aos 87 anos. Quanto ao estado civil o projeto era freqüentado por 5 solteiros,
23 casados e 16 viúvos. Em relação à religião foram identificados 38 católicos e 6 evangélicos. Ao tratar da ocupação
profissional foi possível constatar que 33 pessoas eram donas de casa/aposentada (dedicando-se aos afazeres
domésticos) e 11 trabalhava no comércio. Em relação à manifestação de patologias entre os participantes da proposta,
exclusivamente as doenças crônico-degenerativas não transmissíveis, identificou-se a incidência de 30 casos de
hipertensão e mais 10 manifestações de Diabetes Mellitus. Sendo assim, pode-se entender que a presença de homens
adultos participando das atividades comunitárias ainda representa um tabu, mesmo tratando da prática de exercícios.
No entanto, não se pode entender uma participação voluntária e preventiva entre as mulheres, visto que essa se fez
presente predominantemente associada à doença crônico-degenerativa, caracterizando inclusive que sua presença
parece ser marcadamente evitada em espaços que não corroboram com o seu culto religioso, representando uma forte
interferência de cunho social como condicionante para a participação de práticas de atenção em saúde. Finalmente fica
esclarecido que a intervenção proposta em atenção básica enfrenta resistência cultural, associado ao sexismo, além do
pouco esclarecimento quanto à participação preventiva em programas de educação em saúde.
Palavras-chaves: sociedade, atividade física, atenção básica.
Observação:
Acadêmica do 8º Bloco do curso de Licenciatura Plena em Educação Física, UNEB - Campus XII
Acadêmica do 4º Bloco do curso de Licenciatura Plena em Educação Física, UNEB - Campus XII
Professor da UNEB - Campus XII
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4452
Código do Autor Principal:3449
Nome do Autor Principal: INDIARA CARVALHO DOS SANTOS
Autores:
INDIARA CARVALHO DOS SANTOS;
MARCELLE DE JESUS OLIVEIRA;
MÁRCIA REIS ROCHA ROSA;
VALÉRIA OLIVEIRA BORGES
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-074
Onde o trabalho foi realizado? SANTO ANTÔNIO DE JESUS - BA
Titulo:
GRUPO DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO: USF CALABAR/URBIS I
Resumo:
O Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo (GIAME) é um grupo interinstitucional de organizações
governamentais e não governamentais criado no ano de 1998, a partir da implantação municipal da iniciativa do
Hospital Amigo da Criança: Hospital e Maternidade Luis Argolo, na cidade de Santo Antonio de Jesus-Bahia. Tendo
como principais objetivos a prevenção de doenças orais e sistêmicas, desenvolvendo programas de atenção precoce,
voltados à prevenção de doenças, à promoção e manutenção da saúde, visando à prestação de serviços à
comunidade, capacitando os profissionais de áreas da saúde para a atuação junto ao paciente. A Unidade de Saúde da
Família (USF) do Calabar/URBIS I foi inaugurada em 26 de agosto de 2005, em 02 de setembro de 2005 foi criado o
Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo (GIAME). O grupo dessa USF tenta realizar ações educativas
diferenciada prevenindo o desmame precoce das puérperas assistidas no pré-natal ou que tenha interesse em
amamentar seus neonatos e lactentes exclusivamente até os seis meses de idade. O GIAME começou a trabalhar
inicialmente com as gestantes, oferecendo orientações sobre o período gestacional e sobre a importância da
amamentação exclusiva. A criança chegava ao serviço no primeiro mês de vida. Entretanto, mesmo ingressando
precocemente no Programa, alguns hábitos inadequados (tais como o uso de chupeta e mamadeira e a introdução
precoce de alimentos na dieta da criança) eram instalados. Estes hábitos acabavam por levar ao desmame precoce,
problemas respiratórios, alterações de fala e deglutição, sobrepeso e obesidade. Com o objetivo de disponibilizar apoio
informativo, instrumental e afetivo à gestante/puérpera/mãe, para que ela pudesse adquirir condições de manter o
aleitamento materno exclusivo, até o sexto mês de vida, foram feitas adequações ao serviço, atualizando temas
trabalhados no grupo e incentivando a participação de pais, familiares e cuidadores. Com a reestruturação, as
gestantes passaram a participar das palestras e envolveram familiares e cuidadores no processo da amamentação. O
que se constata, é que o assunto -aleitamento materno- pode ser abordado e divulgado por qualquer profissional das
áreas de saúde ou social. Entretanto, há que se estudar profundamente o assunto, vivenciar experiências com mães
que apresentam dificuldades para manter o aleitamento e buscar soluções, muitas vezes improvisadas, para resolver
todo tipo de problema. Além disso, a motivação e a qualidade do profissional que defende o aleitamento materno, uma
vez que é muito mais trabalhoso estimular a mãe a alimentar o seu bebê ao peito, em especial em face de possíveis
problemas, do que orientá-la para soluções mais simples e rápidas, tais como a introdução precoce de alimentos e o
uso de chupeta, chucas e mamadeira.
Observação:
O Título do trabalho é: GRUPO DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO: AÇÕES
EDUCATIVAS PREVENINDO O DESMAME PRECOCE NA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA CALABAR/URBIS I NA
CIDADE DE SANTO ANTONIO DE JESUS - BAHIA.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4454
Código do Autor Principal:3633
Nome do Autor Principal: ALESSANDRA DE SOUZA GUIMARÃES LOBATO
Autores:
ALESSANDRA DE SOUZA GUIMARÃES LOBATO - SHEILA SILVEIRA BARBOSA - MARIA GILDA SANT´ANA ZILDA DA CONCEIÇÃO
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-026
Onde o trabalho foi realizado? UBATUBA - SP
Titulo:
PROGRAMA DE CONTROLE DA TUBERCULOSE NO CAMBURI
Resumo:
O Camburi está situado ao norte da cidade litorânea de Ubatuba-SP, à 50 km do centro, faz divisa com Paraty-RJ,
está inserida na área do Parque Estadual da Serra do Mar. Trata-se de uma comunidade isolada de 369 habitantes (92
famílias), sem saneamento básico, com deficiente nível sócio-econômico, configurando uma população de risco, onde
nos últimos anos dobrou o número de casos diagnosticados de tuberculose (2005=02, 2006=04, 2007= 08 casos). A
incidência do município em 2006 foi de 53,75/100 mil hab., e no bairro do Camburi foi de 1126/100 mil hab. O município
de Ubatuba possui um serviço estruturado e centralizado para acompanhamento dos casos diagnosticados de
tuberculose, que juntamente com a coordenação da atenção básica e a Equipe de Saúde da Família do bairro
estabeleceram a necessidade de uma estratégia de controle da tuberculose no Camburi.
Com o objetivo de diagnóstico precoce e identificação dos sintomáticos respiratórios,o trabalho da ESF foi
reestruturado, passando a considerar todos os moradores como comunicantes de tuberculose. Realizada reunião com
a comunidade a fim de explicitar a situação epidemiológica do bairro, fornecer informações e esclarecer dúvidas sobre
a tuberculose. Estabelecido mais um dia de atendimento médico no bairro, com a finalidade de avaliar todos os
moradores a cada 3 meses, através de anamnese, exame físico e radiológico, registrados em impresso confeccionado
para facilitar e organizar a investigação, anexados aos prontuários. A ESF responsabilizou-se pelo envio das amostras
para baciloscopia, e recolhimento dos resultados no laboratório para entrega aos moradores. O tempo estabelecido
para colheita do escarro diminuiu de 3 para 1 semana de tosse produtiva. A ESF intensificou a busca ativa por
sintomáticos respiratórios através, principalmente, da agente comunitária de saúde e auxiliar de enfermagem, que
também têm papel fundamental na convocação das famílias para consultas médicas do programa. Esse controle é
possível através de planilhas das famílias mostrando a freqüência com que cada membro passou no programa,
facilitando a convocação dos faltosos. São realizadas reuniões mensais, entre a ESF, coordenação da atenção básica
e equipe de controle da tuberculose do município, com o propósito de planejar e avaliar o trabalho em desenvolvimento.
Do início do programa em 24-08-07 à 25-03-08 foram 31 semanas de atendimento direcionado, 441 consultas médicas
do programa, 48 baciloscopias negativas, 02 culturas positivas. A comunidade de maneira geral reconhece os sintomas
da tuberculose pulmonar, mas muitos ainda demonstram demonstram resistência à consulta médica preventiva pois
alegam que não estão doentes, com isso, 46 pessoas ainda não compareceram à consulta médica nesse período.
Outra dificuldade é a resistência e demora, por parte da comunidade, às consultas de retorno no programa e realização
de RX
Observação:
(continuação) O fortalecimento do vínculo entre comunidade e equipe, tem sido importante para estabelecer a
confiança da comunidade pela equipe, além do esforço pelo aprimoramento do trabalho. Para a ESF, esse vínculo
possibilita entender a dinâmica dessa comunidade, suas dificuldades e possibilidades de co-responsabilização.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4455
Código do Autor Principal:3634
Nome do Autor Principal: ALESSANDRA PITLOVANCIV
Autores:
ALESSANDRA PITLOVANCIV,DAISY LUCIANA P. NEVES, MAURO CEZAR TIVERON JUNIOR,HEBERT PEREZ
FERRÁ
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-017
Onde o trabalho foi realizado? ITAJAÍ - SC
Titulo:
LEVANTAMENTO DOS CASOS DE TUBERCULOSE EM UMA UNIDADE DE SAÚDE COM ESTRATÉGIA DOS
AGENTES COMUNITÁRIO
Resumo:
Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) a tuberculose ainda é um sério problema de saúde pública, com
profundas raízes sociais.Está relacionada à pobreza e a má distribuição de renda, além do estigma que implica á não
adesão ao tratamento dos portadores de tuberculose.Este trabalho teve como objetivo identificar, analisar e caracterizar
a tuberculose, no bairro Fazenda, do município de Itajaí, com Estratégia dos Agentes Comunitários de Saúde, no
período de 2000 a 2007. Metodologia: estudo retrospectivo de prontuários de pacientes com diagnostico de
tuberculose. Foram registrados 70 casos de tuberculose no período de oito anos considerado pelo estudo desta área,
revelando um coeficiente de prevalência de 58,3 (por 100.000 habitantes), contrastando com os coeficientes municipal
de 128,2, estadual de 28,6 e brasileiro de 47,2. Destes, 51,42% correspondem ao sexo masculino e 48,58% ao
feminino, corroborando com os dados da literatura que apontam uma prevalência ligeiramente maior no sexo masculino
(56,5%). Houve maior incidência da doença nos anos de 2003 e 2007, agrupando 37,14% dos pacientes tuberculosos
nestes dois anos. Com relação à faixa etária dos pacientes estudados, 10% dos casos ocorreram em pacientes com
idade inferior a 20 anos; 30%, entre 21 e 30 anos; 14,28%, entre 31 e 40 anos; 30%, entre 41 e 50 anos; 7,14%, entre
51 e 60 anos; e 8,58% correspondem aos pacientes com mais de 60 anos de idade. Desta forma, fica evidenciado que
a grande maioria dos pacientes com tuberculose analisados encontram-se entre 21 a 50 anos, correspondendo a
74,28% do total de casos. Os doentes tinham baixa escolaridade, com taxa de analfabetismo de 9,3% e ocupações
eram de pouca qualificação, com predomínio dos inativos Dentre o total de casos, 14 (20%) encontravam-se sob a
forma extra-pulmonar, enquanto 56 (80%) estavam sob a forma pulmonar, dados estes compatíveis com os da
literatura (84% sob forma pulmonar e 16% extra-pulmonar). Já em relação à intensidade da baciloscopia destes
pacientes analisados, 34,30% correspondem a +/+++; 15,71% com ++/+++; 18,57% com +++/+++; 30% com
baciloscopia negativa; e somente 1 paciente sem realização do exame citado. Com relação ao tratamento, 81,43%
receberam alta por cura (superando a taxa de cura brasileira de 72,2%); 12,85% abandonaram o tratamento
(compatível com a taxa nacional de 11,7%); 4,30% receberam alta por transferência; e 1,42% evoluiu para óbito
(constituindo uma mortalidade significativamente inferior à média nacional de 7%).Conclui-se que a incidência de
tuberculose no município de Itajaí,bairro Fazenda, é elevada e que a maioria dos fatores de risco são passíveis de
prevenção ou redução.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4456
Código do Autor Principal:3635
Nome do Autor Principal: VIVIANE ALMEIDA DO CARMO
Autores:
VIVIANE ALMEIDA DO CARMO
CAMILA ANTONINI DE ASSIS
JULIANA APARECIDA SEGRÉ
TATIANE ALMEIDA DO CARMO
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-003
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
CONTROLE AMBIENTAL: ESTUDO DA ADESÃO POR ASMÁTICOS INSCRITOS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE
DA FAMÍLIA
Resumo:
A asma é um problema de saúde pública, no Brasil sua prevalência é estimada em torno de 20% em todas as faixas
etárias, sendo mais elevada em crianças e adultos jovens. É responsável por cerca de 350.000 hospitalizações por ano
em nosso país, sendo a quarta causa de internação pelo Sistema Único de Saúde. No município de Londrina o
programa de assistência aos asmáticos, denominado Programa Respira Londrina teve início em 2002 em uma Unidade
de Saúde da Família. As equipes foram capacitadas por meio de aula teórica e treinamento prático com o objetivo de
acompanhar os pacientes asmáticos integralmente. Já no final do ano de 2004 todas as equipes do PSF estavam
treinadas para atender os pacientes asmáticos. Estudos vêm demonstrando uma elevação da prevalência da asma e
esse aumento pode estar relacionado a uma maior exposição aos alérgenos e aos poluentes domiciliares como a
poeira doméstica, ácaros, mofos, fumaça de cigarros, pêlos de animais e irritantes químicos. As medidas de controle
ambiental fazem parte de um dos eixos do tratamento da asma e essas medidas são preconizadas para um tratamento
adequado dos asmáticos. Este estudo teve como objetivo verificar a adesão às medidas de controle ambiental de
pacientes asmáticos cadastrados em uma Unidade de Saúde da Família do município de Londrina, PR. Trata-se de um
estudo descritivo, exploratório, com abordagem quantitativa realizado em agosto de 2007. A amostra foi constituída por
35 asmáticos inscritos em uma USF selecionados aleatoriamente. Os resultados encontrados mostraram que 97% dos
asmáticos reconhecem a importância da realização do controle ambiental e 94% referiram realizar alguma medida de
controle ambiental em seus domicílios, porém, observou-se que a adesão foi parcial, pois nenhum dos entrevistados
referiu realizar todas as medidas necessárias em suas residências para um controle ambiental adequado. Sabe-se que
o controle ambiental é uma medida educativa e requer mudança de atitude e comportamento. Cabe ao profissional de
saúde detectar os fatores que podem estar agravando a doença para que se estimule a realizar mudanças necessárias,
se tornando uma rotina e incorporado aos hábitos da família. Com a realização deste trabalho verificamos a
necessidade de intervenção dos profissionais de saúde com melhores estratégias para a orientação dos pacientes
asmáticos sobre o controle ambiental, definindo a importância da completa adesão dessas medidas e a sua importância
no tratamento adequado da asma.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4457
Código do Autor Principal:2061
Nome do Autor Principal: CAROLINA LINARD DE OLIVEIRA
Autores:
FRANCISCA POLIANA ALVES DE SOUSA;
MARIA REGILÂNIA LOPES MOREIRA;
ANA PAULA CÂNDIDO DE OLIVEIRA;
JAMILLE CANSANÇÃO TORRES;
CAROLINA LINARD DE OLIVEIRA;
MIRNA NEYARA ALEXANDRE DE SÁ BARRETO MARINHO;
MARIA DE FÁTIMA ANTERO SOUSA MACHADO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-074
Onde o trabalho foi realizado? JUAZEIRO DO NORTE - CE
Titulo:
INCENTIVO À ADESÃO TERAPÊUTICA DA HAS ATRAVÉS DE ESTRATÉGIAS EDUCATIVAS
Resumo:
A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) se destaca dentre as principais doenças cardiovasculares, tanto pela sua
relevante prevalência em dados epidemiológicos, bem como pela gravidade de sua evolução para complicações
incapacitantes. Diante da problemática, a Educação em Saúde se apresenta como uma valiosa ferramenta de
intervenção da Equipe de Saúde da Família na comunidade hipertensa, em que a aplicação de estratégias educativas
visa à motivação ao tratamento regular, proporcionando controle da Hipertensão e suas complicações, e a conseqüente
melhoria da qualidade de vida. Por isso, a presente proposta enfoca as ações educativas de saúde prestadas ao
paciente hipertenso, analisando o impacto dessas interações entre profissional e paciente no controle da Hipertensão
Arterial. Os objetivos do trabalho se destinam à compreensão dos hipertensos quanto à doença e seus fatores de risco,
além de incentivar a adesão terapêutica medicamentosa e não-medicamentosa no controle da Hipertensão. Para isso,
foram utilizadas estratégias educativas (rodas de conversa, palestras, dinâmicas) em hipertensos de uma comunidade
periférica de Juazeiro do Norte - Ceará na realização de relato de experiência por acadêmicas de Enfermagem, em
Março de 2008. A implementação de tais estratégias se deu em dois encontros, nos quais foram abordados subtemas
relacionados à hipertensão. Ao final dos encontros, aspectos positivos e negativos puderam ser percebidos. Entre os
aspectos positivos pode-se destacar a participação dos hipertensos e também de não-hipertensos que demonstraram
interesse na temática; a interação na roda de conversa evidenciando o entusiasmo por parte do público-alvo; além da
expectativa por novos encontros. O principal aspecto negativo consistiu na freqüência diminuída de pessoas no
segundo encontro, fato que não sobrepujou os bons resultados da ação educativa. Os resultados apontam para o
desenvolvimento da ação educativa através do contato cotidiano da equipe com os usuários e a comunidade,
viabilizando a informação e a motivação da população-alvo ao tratamento regular da HAS.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4460
Código do Autor Principal:3637
Nome do Autor Principal: CHARMENE DE ALCANTARA MARQUES MENEZES
Autores:
CHARMENE DE ALCÂNTARA MARQUES MENEZES
FÁBIA DE OLIVEIRA QUEIROGA
VALÉRIA CUNHA ALMEIDA CARNEIRO ALVARENGA
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-009
Onde o trabalho foi realizado? BRASÍLIA - DF
Titulo:
CONVERSÃO DE CENTRO DE SAÚDE TRADICIONAL EM UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA
EXPERIÊNCIA INOVADORA
Resumo:
Introdução: O estudo em questão trata da descrição da conversão do Centro de Saúde nº 03 de Samambaia - Distrito
Federal que funcionava com um modelo de atenção primária à saúde tradicional e foi transformado em estratégia
saúde da família. Este relato é feito com a descrição do impacto na atuação profissional e análise das estatísticas de
produção. Objetivo Geral: apresentar a experiência da conversão. Objetivos específicos: demonstrar o impacto na
atuação profissional; analisar as estatísticas de produção e sugerir um modelo a ser seguido para a reestruturação da
saúde pública no Distrito Federal. Metodologia: Para tanto, buscou-se descrever o processo da conversão através da
formação de três grupos focais de servidores que participaram do processo e expuseram as dificuldades e as melhorias
alcançadas com esta conversão, explicitando qual foi o impacto na sua atuação profissional. Além disto, foram
apresentadas também análises das estatísticas de produção de serviços de antes e depois deste processo. Resultados
alcançados: Os principais resultados encontrados foram: melhoria da qualidade do atendimento prestado à
comunidade, maior satisfação profissional, aumento da produtividade, e ainda dificuldades no relacionamento entre os
profissionais das diversas equipes e dificuldades em acertar a forma de trabalho diário das equipes de Programa Saúde
da Família (PSF) na estrutura física e organizacional de Centro de Saúde. Lições aprendidas com a experiência:
Concluiu-se que a conversão ampliou as formas de atuação profissional, valorizando o desempenho da enfermagem na
atenção primária. Observou-se ainda aumento do envolvimento dos profissionais com a população, refletindo em
grande contribuição na resolutividade da atenção ao paciente, mas também em várias cobranças a todos os níveis de
gestão para solução de problemas no sistema de saúde. Além disto, a conversão só teve êxito pelo compromisso,
envolvimento e atuação de todos os profissionais que participaram deste processo. Recomendações: A experiência
nos permite recomendar com segurança a Estratégia Saúde da Família como modelo a ser seguido para a
reorganização da atenção primária à saúde, porém no caso de uma conversão o cuidado a ser tomado é um
planejamento estratégico cauteloso para não permitir a coexistência de dois modelos de atenção no mesmo espaço
físico.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4462
Código do Autor Principal:3639
Nome do Autor Principal: LETICIA THOMAZ DE ALMEIDA
Autores:
MÁRCIA PIRES
SALETE MARIA DA SILVA
ZILDA MARIA DE ALMEIDA FRANÇA SANTOS
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-030
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO - RJ
Titulo:
ARTESANATO, ALEGRIA, CRIATIVIDADE,
PRÉ-ADOLESCENTES DA COMUNID
ARTE
E
SAÚDE:
GRUPO
DE
ARTESANATO
COM
Resumo:
Este trabalho tem o objetivo de descrever a experiência do trabalho da Agente Comunitária de Saúde M.P. na equipe
de Saúde da Família do Sereno no Município do Rio de Janeiro na assistência aos pré-adolescentes de sua área de
abrangência. -Nossas crianças e nossos adolescentes, todos os dias são vítimas de diversos tipos de violência. Têm
seus direitos violados, sua vida ameaçada, seus sonhos interrompidos. O cenário de violência começa muitas vezes,
na casa da criança, passa por escolas e suas redondezas, pela comunidade, por outras instituições. Além das marcas
físicas quando não leva à morte, a violência deixa seqüelas emocionais que podem comprometer de forma permanente
as crianças e os adolescentes. Ela prejudica o aprendizado, as relações sociais, o pleno desenvolvimento. Seus efeitos
perversos podem se manifestar, ainda, na construção de um círculo de reprodução e retro-alimentação de práticas
violentas, em que, novamente meninos e meninas serão as principais vítimas.- (Brasil,2004).
Assim, a idéia de formar este grupo de adolescentes foi resultado de dois outros grupos, do grupo de artesanato da
Comunidade da Fé e do Grupo de Crianças do Sereno. Criamos o grupo de artesanato com pré-adolescentes de 10 a
13 anos de idade do Sereno. O grupo tem o objetivo de tirar o adolescente da rua durante a tarde, valorizar a educação
e o respeito, aumento da auto-estima, diminuir o sedentarismo, promover cidadania, gerar renda para manter as
atividades do grupo e incentivar a sua própria renda. Nesta atividade realizada pela agente comunitária de saúde e pela
técnica de enfermagem, no módulo de Saúde da Família, semanalmente, com duração média de 2 horas, onde não
podem existir mais de 3 faltas consecutivas. Onde o grupo é de 12 adolescentes que realizam artesanato através de:
Pintura em MDF, vidro e tecido, armadilha para o mosquito da dengue com garrafas pet, teatro, dança, flores de papel,
bijuteria, artesanato com caixas de leite e de sabão. Os resultados foram pré-adolescentes os mais agitados e de difícil
relacionamento, com responsabilidade, se sentindo úteis e aumento de auto-estima porque conseguiram fazer um
trabalho bom, bonito e lucrativo. Esta experiência levou-nos a concluir que atividade educativa em grupo é uma
estratégia para o fortalecimento do vínculo da equipe de saúde com os pré-adolescentes que apesar de trabalhosa e
exaustiva, eles se sentem responsáveis pela conquista do seu espaço.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4463
Código do Autor Principal:3640
Nome do Autor Principal: MÁRCIA SIMONE SALATIEL NASCIMENTO
Autores:
NASCIMENTO,M.S.S.;NASCIMENTO,E.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-138
Onde o trabalho foi realizado? PASSOS - MG
Titulo:
MOTIVOS QUE LEVARAM AS MULHERES CADASTRADAS NO PSF ESCOLA A FALTAREM AO EXAME
PAPANICOLAOU
Resumo:
O câncer do colo uterino constitui sério problema de saúde pública, visto que a maior incidência está na faixa
etária economicamente ativa e a detecção tardia implica em aumento da mortalidade. Por outro lado, chama-nos
atenção, que uma das características do câncer do colo do útero é sua associação com baixo nível sócio-econômico,
tornando as mulheres destes grupos mais vulneráveis, envolvendo neste contexto, também, o preconceito dos
parceiros, medo, a falta de informação.Assim, o objetivo desta pesquisa foi avaliar quais os motivos que fizeram com
que as mulheres cadastradas no PSF Escola, de Passos-MG faltassem ao Papanicolaou. Utilizou-se como eixo
norteador a pesquisa de cunho quanti-qualitativa, exploratória e descritiva, tendo como local, o Programa de Saúde da
Família Escola, que conta com 06 microáreas e um população total de 4.428 pessoas dentre as quais existem 1.884
mulheres na faixa etária de 10 a 70 anos, sendo 571 mulheres na faixa etária de 40 a 60 anos, estas consideradas
pelo Ministério da Saúde como prioridade no controle do câncer ginecológico. A amostra foi aleatória e intencional, uma
vez que o foco foram às mulheres na faixa etária de risco que deixaram de comparecer ao exame. O instrumento foi
uma entrevista estruturada, aplicada pela própria pesquisadora nos domicílios das usuárias, no período de 08 a 10 de
agosto de 2007; e, para análise dos dados quantitativos lançamos mão da estatística descritiva percentual e os dados
qualitativos, foram tratados através da análise de conteúdo preconizada por Bardin (1979). Os resultados nos
permitiram verificar que o acesso as mulheres ao exame de Papanicolaou foi favorecido com a implantação do PSF e
a abertura da Unidade em horário alternativo noturno, veio para facilitar ainda mais o acesso a aquelas mulheres que
trabalham durante o dia e não tem tempo em fazer o exame, porém mesmo com estas facilidades ainda há
absenteísmo em se tratando deste exame, este estudo nos possibilitou conhecer os motivos apontados como sendo
dificultadores para o comparecimento ao exame de Papanicolaou.
Observação:
Artigo realizado como pré requisito para obtenção e conclusão do curso de especialização em saúde da família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4464
Código do Autor Principal:3641
Nome do Autor Principal: MARIA DE LOURDES LIMA FERREIRA
Autores:
MARIA DE LOURDES LIMA FERREIRA; TELIANNE MARIA DE ANDRADE CASTRO; ARACY DE OLIVEIRA LIMA
CÂNDIDO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-038
Onde o trabalho foi realizado? ARACATI - CE
Titulo:
PROJETO VIDA ATIVA
Resumo:
O sedentarismo é considerado atualmente um problema de saúde mundial dada à quantidade de pessoas que não
praticam nenhuma modalidade de atividade física.A inatividade física é uma importante causa subjacente de morte,
doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade e incapacidades apontadas por dados da OMS (Organização Mundial
de Saúde). Na cidade de Aracati, observa-se que a grande maioria da população é também inativa fisicamente, o que
nos incentivou a desenvolver este projeto. OBJETIVO: com o objetivo de garantir às pessoas da terceira idade,
hipertensos e diabéticos, uma vida mais saudável, um estado de bem estar físico, emocional, social e capacidade de
vencer obstáculos; criando e acompanhando grupos de idosos atendidos pelos PSF-s da sede do município de Aracati
em suas atividades físicas, verificando sua evolução individual biopsicossocial, as descobertas e mudanças de
atividade perante a vida. METODOLOGIA: o projeto atua desenvolvendo atividades físicas e de lazer em parceria com
os PSF-s da sede do referido município, com amostra de 100 pessoas por grupo, estes sendo idosos, hipertensos e
diabéticos, totalizando cerca de 800 pessoas; trabalhando temas que norteiam a vida humana, através de palestras
relacionadas com a saúde. RESULTADOS: evidenciamos com a análise das avaliações trimestrais que houve melhoria
do aparelho locomotor e cardiorrespiratório, controle da glicemia e da hipertensão, aumento da massa óssea, melhora
da qualidade de vida, facilidade de realização das AVD-s (Atividade da Vida Diária), melhoria de conhecimentos gerais,
dos relacionamentos interpessoais, da auto-estima e afetividade. CONCLUSÃO: acredita-se com as evidencias que a
atividade física regular e bem orientada melhora a qualidade e expectativa de vida das pessoas. Políticas
governamentais devem divulgar o conceito de que a atividade física é fundamental para a promoção da saúde da
população e desenvolver ações objetivas e concretas para viabilizar a prática regular dessa atividade, tendo em vista o
baixo custo para os praticantes, o que acarreta também uma grande economia na compra de medicamentos. Vida
saudável, corpo saudável resultam em envelhecimento sem restrições.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4465
Código do Autor Principal:3642
Nome do Autor Principal: LOURENÇO HENRIQUE AUAÚJO DE HOLANDA SÁ
Autores:
LOURENÇO HENRIQUE ARAUJO DE HOLANDA SÁ
MARILENE SALES DE SOUZA
SELMA SALGUEIRO CAVALCANTI
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-043
Onde o trabalho foi realizado? JOÃO PESSOA - PB
Titulo:
ATENÇÃO PRÉ-NATAL EM SAÚDE BUCAL - UM OLHAR CRÍTICO, UMA AÇÃO INTEGRAL.
Resumo:
As gestantes fazem parte de um grupo envolvido em muitos tabus e expectativas negativas a respeito dos
tratamentos odontológicos. O medo de perder o bebê e a falta de informação são motivos de desconfiança em relação
procura e a realização de procedimentos odontológicos. Essas dificuldades fazem com que a equipe busque novas
formas de se aproximar e permitir maior conscientização dessas mulheres para a aceitação dos procedimentos
odontológicos. Esta experiência vivida na Unidade de Saúde da Família Roger I nos fez buscar novas alternativas
objetivando realizar um acompanhamento no qual as gestantes fossem vistas integramente por todos os profissionais
da equipe de forma acolhedora, integral e humanizada. A partir de oficinas de planejamento estratégico definiram-se
problemas e dificuldades para posteriormente definirmos ações, prazos para sua realização e o responsável por sua
execução. Os resultados foram alcançados depois da efetivação das ações definidas na oficina. A busca e o
acompanhamento aumentaram devido a maior interação da equipe que passou a trocar experiências e informações
sobre as pacientes, que por sua vez passaram a receber uma atenção integral em todas as suas necessidades. A
avaliação constante da equipe, pela própria equipe, passou a ser instrumento para modificações na rotina e no próprio
processo de trabalho vindo a modificar e trazer melhorias significativas não apenas para a qualidade do atendimento
odontológico, mas também para o atendimento médico e de enfermagem. A realidade da atenção pré-natal que gerou
toda essa modificação no trabalho da equipe não está presente apenas na abrangência desta Unidade, os tabus estão
presentes na sociedade. As ferramentas usadas para diagnosticar, traçar planos e metas podem ser utilizadas em
qualquer situação ou dificuldade vivida dentro da assistência à saúde dos nossos usuários.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4466
Código do Autor Principal:1646
Nome do Autor Principal: ARIANE ROSE SOUZA
Autores:
ARIANE ROSE SOUZA DE MACEDO OLIVEIRA
LORRAINY DA CRUZ SOLANO
ROSANGELA DINIZ CAVALCANTE
ROSALBA PESSOA DE SOUZA TIMÓTEO
SORAIA MARIA DE MESQUITA NUNES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-009
Onde o trabalho foi realizado? FELIPE GUERRA - RN
Titulo:
-IDADE NÃO É DOCUMENTO-: RELATO DE EXPERIÊNCIA COM GRUPO DE IDOSOS.
Resumo:
(INTRODUÇÃO) O fenômeno de envelhecimento da população brasileira é uma realidade vivenciada, atualmente, no
município de Felipe Guerra/RN, onde nosso trabalho enquanto enfermeira da Equipe Saúde da Família I está inserido.
Esse fato gera necessidades particulares que direcionam as ações do processo de trabalho da equipe, redefinindo as
prioridades selecionadas. O Pacto pela Vida e o Estatuto do Idoso confluem para esse panorama, já que traduzem
nossos anseios e orientam nossas práticas, sendo instrumentos essenciais na promoção do envelhecimento ativo e
saudável. (OBJETIVO) Relatar a experiência de trabalho em grupo com idosos, como estratégia para levantar suas
reais necessidades de saúde, expectativas diante desse momento do ciclo de vida e acompanhar os avanços e
obstáculos ao longo de seis anos de existência do grupo, denominado Grupo Vida. (METODOLOGIA) Este pretende
ser de cunho descritivo através da observação/participação das atividades do grupo. O grupo foi criado em 2002 pela
equipe então responsável. O período ora exposto será dos últimos 18 meses referentes ao quadro de trabalhadores
atuais que compõem a equipe. Participam como co-responsáveis na operacionalização dos encontros: a Secretaria
Municipal de Assistência Social, a nutricionista e alguns voluntários como educador físico e artesã locais. Os encontros
são semanais com planejamentos e avaliações periódicos, buscando flexibilizá-los de acordo com as necessidades
apontadas. (RESULTADOS ALCANÇADOS) As reuniões conseguem envolver e aproximar os atores envolvidos, muito
embora um outro fenômeno social interfira nesse aspecto, o aumento do número de evangélicos, isto gerou dois
subgrupos: evangélicos e católicos. Essa cisão ideológica limita o planejamento e execução das ações desenvolvidas,
já que cada um impõe seus interesses. Isto interfere na freqüência aos encontros, produzindo uma disparidade de
acordo com a atividade proposta. Outro ponto relevante é a insipiente mudança comportamental destes no
estabelecimento de hábitos saudáveis de vida. A maioria do grupo, ainda reivindica ações assistenciais clínicas
imediatas e palestras. Não foi percebido a internalização do trabalho da Equipe de Saúde da Família como
re-orientador das práticas sanitárias, nem a responsabilidade individual dos idosos frente à conjuntura que os cerca.
(LIÇÕES) Entendendo que há várias formas de envelhecer é que se faz necessário pensar em outras abordagens
metodológicas de sensibilização e aproximação voltadas para esse público específico. Como também, refletir sobre as
questões culturais e o próprio aumento do número de evangélicos.(RECOMENDAÇÕES) O trabalho em grupo como
ferramenta de aproximação das reais necessidades de saúde dos idosos é um possível caminho. Para tanto, as
singularidades do contexto onde estão inseridos deve ser um norteador nesse desafio que é envelhecer nessa era
planetária, cercada de problemáticas que transitam em todos os ciclos de vida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4469
Código do Autor Principal:3645
Nome do Autor Principal: ROBECIA MORAIS DE ASSUNÇÃO
Autores:
ROBECIA MORAIS DE ASSUNÇÃO E LUZIA CORDEIRO DA SILVA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-118
Onde o trabalho foi realizado? GARANHUNS - PE
Titulo:
IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO INTERDISCIPLINAR RELACIONADA A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DE
UMA COMUNIDADE
Resumo:
A Equipe do PSF do sítio Muchila (comunidade rural do município de Garanhns -PE) formou, há oito anos, o grupo
de idosos Geração Viva, visando proporcionar aos idosos bem estar físico, psíquico e social, onde dentre as mais
variadas atividades o grupo realiza os seguintes trabalhos: viagens, trabalhos artesanais, encontros mensais, peças
teatrais, construção de centro de convivencia para idosos. O trabalho realizado pela equipe do PSF, tem trazido aos
idosos da comunidade do sítio Muchila, aumento da qualidade de vida, maior participação dos idosos nas atividades
sociais da comunidade, participação no ambiente familiar e melhor entendimento do processo de envelhecimento e
controle e prevenção de doenças crônico-degenerativas.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4470
Código do Autor Principal:3634
Nome do Autor Principal: ALESSANDRA PITLOVANCIV
Autores:
ALESSANDRA PITLOVANCIV, ELOÍSA HELENA R. DE O. TEIXEIRA, SABRINA JULIANA NOVAES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-093
Onde o trabalho foi realizado? ITAJAÍ - SC
Titulo:
ADOLESCÊNCIA E SAÚDE BUCAL
Resumo:
A saúde bucal é importante para adolescentes em vários contextos de suas vidas, como na aparência pessoal, na
sexualidade, no emprego e em sua saúde geral. A grande maioria dos adolescentes não tem consciência da
importância do cuidado com sua higiene oral, pensando que o único problema que pode ocorrer é a presença de cárie
em alguns dentes. Desconhecem a gama de doenças que podem adquirir através de certos hábitos aliados com a falta
de higienização. Este trabalho teve como objetivo identificar situações que podem comprometer a saúde bucal de
adolescentes. Metodologia: aplicação de um questionário a cem adolescentes em uma escola de ensino básico,
adscrita a Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde, sobre seus hábitos alimentares, higiene bucal, tabagismo
entre outros. Os resultados obtidos mostram que 54% escovam os dentes três vezes ao dia, 59% não usam fio dental,
70% não apresentam sangramento gengival, 50% ingerem açucares diariamente e não fazem higiene, 56% relatam
beijar muito (> 3 bocas diferentes por semana), 81% não utilizam piercing oral, 82% não fuman, 30% vão ao dentista
apenas quando sentem dor. Concluímos que a falta de conhecimento do adolescente em relação aos seus hábitos
podem comprometer a sua saúde bucal, a qual pode interferir em sua auto-estima. Nós profissionais de saúde
devemos buscar desenvolver atividades que venham a contribuir na saúde bucal dos adolescentes.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4471
Código do Autor Principal:973
Nome do Autor Principal: WALQUÍRIA LENE DOS SANTOS
Autores:
MARIA AURENI LAVOR MIRANDA;
CRISTILENE AKIKO KIMURA;
WALQUIRIA LENE DOS SANTOS
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-039
Onde o trabalho foi realizado? VALPARAÍSO DE GOIÁS - GO
Titulo:
: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA DE EXTENSÃO BENJAMIM - FACESA - PARCERIA ATENÇÃO BÁSICA E
EDUCAÇÃO
Resumo:
Introdução O processo ensino aprendizagem deve sempre associar teoria e prática. A preocupação com a temática
da cidadania para a criança é uma abordagem inovadora principalmente quando diz respeito a inclusão de estratégias
que envolvam educação e saúde, por isso se faz necessário conhecer o programa Benjamim. Objetivo Relatar os
serviços realizados pelo referido programa de extensão e seu impacto para formação acadêmica e para a população de
Valparaíso de Goiás e circunvizinha. Metodologia Foram estruturados diversos tipos de atividades lúdicas com filmes
educativos e histórias infantis; realização de palestras; atividades para a busca de temas infantis; noções de
informática; atendimento de enfermagem, médico e odontológico para as crianças do programa. Todas as atividades
inerentes ao Programa foram desenvolvidas pelo corpo docente e discente do quinto período do Curso de Enfermagem
(disciplina Enfermagem na Saúde da Criança e Adolescente). O Programa foi iniciado com as crianças do orfanato
-Recanto Cristo Vivo- e da -Associação Beneficente El Shaddai- situado ao Setor de Chácaras Anhanguera e no bairro
Céu Azul, na cidade de Valparaíso de Goiás, perfazendo um total de 198 crianças. Cerca de quatro docentes e 48
discentes participaram ativamente no projeto. Foram realizados cerca de 621 atendimentos (consultas de enfermagem,
atendimentos médicos e odontológicos), durante os anos de 2005, 2006 e 2007. Resultados alcançados: As atividades
desenvolvidas no decorrer do Programa foram organizadas de maneira a possibilitar ao acadêmico de enfermagem da
FACESA um confronto entre teoria e prática. Os alunos puderam ampliar a forma de teorizar o cuidado de forma a
vivenciá-lo. Modificando e alterando o treinamento para a educação, a técnica para a vivência, do conteúdo teórico
para a tomada de decisões, havendo formação de profissionais conscientes da importância da cidadania,
independentes de pensamento e capacidade crítica. Lições aprendidas: Grandes obstáculos existem na implantação e
efetivação de programas que :atendam a criança, devido a questões financeiras e políticas, mas felizmente temos
fortes aliados como a estratégia de saúde da família. Recomendações: a instituição de ensino deve sempre estar ciente
de seu papel social, desenvolvendo políticas que busquem contemplar a criança com respeito, dignidade e
solidariedade, além de adequar seu currículo mínimo com conteúdos voltados ao crescimento e desenvolvimento
saudáveis da criança, inserindo a atenção básica como cenário de aprendizagem. Sendo assim esta pesquisa pode ser
aplicado em outros cenários e em outros contextos.
Observação:
MARIA AURENI LAVOR MIRANDA- MESTRE EM SAUDE PUBLICA E COORDENADORA TCC-FACESA
CRISTILENE AKIKO KIMURA COORDENADORA DO CURSO DE ENFERMAGEM DA FACESA
WALQUIRIA LENE DOS SANTOS- COORDENADORA DA EQUIPE 301 PSF MUNICIPIO DE GUAPÓ, MESTRANDA
PELA UFG
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4472
Código do Autor Principal:3646
Nome do Autor Principal: TATIANA VIEIRA DE MELO
Autores:
TATIANA VIEIRA DE MELO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-070
Onde o trabalho foi realizado? DUQUE DE CAXIAS - RJ
Titulo:
IMPACTO DE ATIVIDADE FEITA NO PSF SANTA LUCIA I
Resumo:
AO NASCER UMA CRIANCA REALIZO UMA VISITA DOMICILIAR ACOMPANHADA DA AGENTE COMUNITARIA
DA RESPECTIVA MICROAREA, CHEGANDO NA RESIDENCIA FACO UM QUESTIONARIO SOBRE ALEITAMENTO
MATERNO E AS CONDICOES DEVIDA DO RECEM-NATO E TAMBEM DA PUERPERA, MUITAS DAS VEZES A MAE
NUNCA OUVIU FALAR SOBRE O CUIDADO DA LIMPEZA ORAL DO BEBE. EXPLICO COMO PROCEDER A
LIMPEZA E APOS ALGUNS MESES PECO PARA RETORNAR A UNIDADE PSF SANTA LUCIA I PARA NOVA
AVALIACAO. ESTE PEQUENO CUIDADO RESULTA EM UMA CAVIDADE ORAL LIMPA, LIVRE DE BACTERIAS, DE
INFECCOES E SEM DOENCAS, E AO NASCIMENTO DOS PRIMEIROS DENTES A CRIANCA JA TEM O
ENTENDIMENTO DO CUIDADO BUCAL, FACILITANDO A HIGIENE BUCAL REALIZADA PELA MAE. DE SEIS EM
SEIS MESES PECO PARA O AGENTE COMUNITARIO PARA MARCAR NOVA CONSULTA PARA AVALIACAO
BUCAL FREQUENTE.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4476
Código do Autor Principal:3649
Nome do Autor Principal: ROSIANE AZEVEDO DA SILVA
Autores:
ROSIANE AZEVEDO DA SILVA;
CRISTIANE CARVALHO SANTOS MELO;
ROSANA APOLONIO REIS
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-035
Onde o trabalho foi realizado? SERGIPE
Titulo:
CONSTRUÇÃO DA POLÍTICA ESTADUAL DE SAÚDE BUCAL: DO CASULO À OPERACIONALIZAÇÃO - NA
BUSCA PELA GARANT
Resumo:
CONSTRUÇÃO DA POLIÍTICA ESTADUAL DE SAÚDE BUCAL: DO CASULO À OPERACIONALIZAÇÃO- NA BUSCA
PELA GARANTIA DO CUIDADO INTEGRAL
INTRODUÇÃO: Este texto pretende discutir e apresentar o modo como se deu o caminhar da construção da Política
Estadual de Saúde Bucal. Essa trajetória teve como ponto de partida o diagnóstico das redes assistenciais. Esse
dispositivo de compreensão desses territórios nos permitiu avançar num processo de aproximação com os diversos
atores e cenários. Com isso, ouvimos trabalhadores, gestores e usuários em encontros diferenciados. As escutas e os
registros feitos, produziram um sentimento forte de necessidade de pensar a formulação e implantação de uma política
de saúde bucal voltada para essa realidade, produzindo vínculo, cuidado, reorientação dos sistemas de saúde e
pautando saúde como direito do cidadão. E acima de tudo, produzir em cada ação autonomia definindo com isso o
objeto de trabalho a partir da necessidade de saúde dos indivíduos e coletivos e nos princípios constitucionais do SUS.
OBJETIVOS: esse objeto se propõe a tentar ampliar o acesso aos serviços odontológicos para produzir ações
necessárias que garantam as necessidades de saúde bucal e produzam melhorias na qualidade de vida dos cidadãos
sergipanos.
METODOLOGIA: Para esse objeto ser descrito foi feita associação de vários procedimentos metodológicos realizados
da seguinte forma:
a) Mapeamento da rede básica a partir da realização de um questionário realizado nas 600 unidades de saúde e para
os todos gestores. b) Diagnóstico das redes secundária e terciária foi realizado através de visitas e conversas com
profissionais e coordenadores dos diversos setores, c) O acolhimento das necessidades dos usuários através
participação de discussão do Plano de Desenvolvimento Territorial. d) Desdobramentos da Gestão Estadual: A partir do
olhar da Cartografia construída, realizamos o mapeamento de necessidades e o delineamento das prioridades.
RESULTADOS: É imperioso salientar, que os resultados registrados são inicias e que ainda temos várias lacunas para
preencher e diversos obstáculos a superar. Mas, já trazemos alguns ganhos sumamente destacável: conhecimento do
Território, qualificação da atenção básica, implantação de Centros de Especialidade Odontológicas, sensibilizamos os
gestores para o papel do controle social, formulação de Programa de Saúde Bucal e Protocolos Clínicos, Definição de
padrão de ambiência,
RECOMENDAÇÕES: É bastante notório, que temos muitos desafios e barreiras a serem rompidas e que percebemos
que este caminhar esteve e esta condicionado pela conjuntura política favorável. No entanto, acreditamos que em
outras arenas é possível partir para construção de um objeto que contemple a construção de uma política. E com isso,
caminhar para reorientação e reorganização dos serviços de forma a garantir a atenção saúde bucal como uma prática
pautada no
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4478
Código do Autor Principal:3650
Nome do Autor Principal: PAULA ROCHA BARBOSA
Autores:
PAULA ROCHA BARBOSA, EDNA VIANA DA SILVA, ALAÍDE MARIA MORITA FERNANDES DA SILVA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-072
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
O SERVIÇO SOCIAL NO CENÁRIO DA ATENÇÃO BÁSICA: UM TRABALHO EM CONSTRUÇÃO.
Resumo:
Justificativa: Integrando equipes multiprofissionais na Estratégia de Saúde da Família (ESF) no município de
Londrina (PR), a atuação do serviço social tem se caracterizado por ações no âmbito da promoção à saúde voltada à
garantia de direitos e resgate de cidadanias. Contribuindo para o diagnóstico de fatores que incidem no processo saúde
doença, o assistente social trabalha para que esses sejam combatidos, tanto com práticas multiprofissionais - grupos
(idoso e terapia comunitária), visitas domiciliares, discussão com as diferentes áreas sobre os casos - quanto com
atendimentos específicos e individualizados - atendimentos a famílias e individuais, encaminhamentos,
acompanhamento social. Partindo do pressuposto de que saúde é direito de todos e dever do Estado e, considerando
que apesar das garantias constitucionais e dos avanços alcançados no processo de construção do SUS, esse direito
precisa ser buscado e reafirmado nas ações cotidianas dos profissionais de saúde. Objetivo: Construir o trabalho do
assistente social na Unidade de Saúde da Família do Jardim do Sol em Londrina (PR), alocando práticas
multiprofissionais e interdisciplinares, de maneira a garantir a saúde coletiva. Metodologia: Na residência
multiprofissional em saúde da família, composta por oito profissões, o serviço social unido à medicina, psicologia,
enfermagem, odontologia, educação física, farmácia e fisioterapia, tem se inserido de forma a dar suporte para a
equipe de saúde, trabalhando com famílias vulnerabilizadas, grupos, conselhos locais de saúde e se articulando com a
rede de serviços. O serviço social tem encontrado seu espaço na medida que conhece a realidade das famílias
atendidas pela USF, e a área de abrangência da mesma. Resultado: Apesar de o trabalho estar em construção - desde
março de 2008 - algumas conquistas já tem sido alcançadas. Conselhos locais estão em fase de implantação,
lideranças tem sido descobertas através dos grupos, famílias que estavam sem apoio social têm sido atendidas, e o
trabalho com a rede de serviços tem sido priorizado. Lições aprendidas: Essa experiência tem gerado avanços no
cenário da atenção básica, contudo, o trabalho é um desafio, tanto para a equipe multiprofissional que se dispõe a
realizá-lo de maneira inovadora e diferenciada na promoção da saúde, tanto para as equipes da USF que compõem a
atenção básica, cenário que tem se modificado e aprofundado seu trabalho. Até o presente momento não encontramos
dificuldades, fomos bem recebidos pela equipe de saúde, que se mostra aberta aos trabalhos da equipe
multiprofissional e do serviço social, especificamente. Recomendações: Vale a implementação desta experiência nos
diferentes municípios brasileiros, para que profissionais sejam formados na perspectiva da Estratégia da Saúde da
Família, e para que a população seja a maior beneficiária dessa experiência.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4480
Código do Autor Principal:3620
Nome do Autor Principal: GABRIELLE BARBOSA DO NASCIMENTO
Autores:
JONES, DÉBORA PASSOS DA SILVA
MESTRANDA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO - ENFERMEIRA,
DOCENTE DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS - FESO.
SALVIO, RITA DE CÁSSIA NASCIMENTO DA SILVA
MÉDICA ESPECIALISTA EM SAÚDE DA FAMÍLIA E COMUNIDADE - UERJ
DA COSTA, JULIANA BRAGA
ENFERMEIRA PÓS GRADUADA EM SAÚDE DA FAMILIA
DO NASCIMENTO, GABRIELLE BARBOSA
INTERNA DE ENFERMAGEM DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS - FESO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-030
Onde o trabalho foi realizado? TERESÓPOLIS - RJ
Titulo:
UNIDADE AMIGA DA AMAMENTAÇÃO: EDUCAÇÃO EM SAÚDE
Resumo:
INTRODUÇÃO:
O aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida e, a partir daí, completado com outros alimentos por
dois anos ou mais é o preconizado pela organização mundial de saúde (OMS) e UNICEF. A amamentação envolve um
processo complexo, pois é um momento mágico onde mães e bebês interagem e fortalecem os laços afetivos. A
amamentação envolve outras pessoas do entorno da nutriz que podem estar favorecendo ou não esse processo.
OBJETIVOS:
Incentivar as pessoas da comunidade e que são capazes de dar orientações ás nutrizes, sobre a importância do
aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida. (contribuindo assim para o crescimento e
fortalecimento dos bebês)
METODOLOGIA:
Tratou-se de um estudo de caso com abordagem qualitativa, no contexto de uma Unidade Básica de Saúde da Família,
que recebeu O TÍTULO DE -Unidade Amiga da Amamentação-. Foram sujeitos 30 pessoas de diferente profissões,
entre eles, comerciários, donas de casa, músicos, trabalhadores de obra, entre outros. O cenário foi uma classe de
ensino profissionalizante em Teresópolis-RJ. Aplicou-se um questionário semi-estruturado com 3 perguntas abertas. A
coleta de dados foi realizada no período de março/abril de 2006. a analise emergiu das respostas dos sujeitos que
contribuíram para a formação de categorias temáticas para análise.
RESULTADOS:
Foi feito questionamento sobre o conhecimento a respeito do aleitamento materno. Emergiram dessa pergunta duas
categorias: -o aleitamento é importante para o bebê e mãe-; Na segunda pergunta, em relação aos mitos do
aleitamento materno foram:-leite fraco, pouco leite, seio pequeno, bico do seio para dentro-. Na terceira pergunta, as
vantagens foram descritas tanto para a mãe quanto para o bebê e família.
CONCLUSÃO:
O incentivo das pessoas da comunidade sobre a importância do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de
idade do bebê é um desafio para a equipe multiprofissional de saúde. É exercitado no momento em que o dialogo é
estabelecido para tal fim. No desenvolvimento dessa capacitação é importante a escuta sensível para detectar os mitos
e crenças, preconceitos que vem da tradição oral perpetuando-se ao longo da história. O interesse das pessoas do
entorno da nutriz fez-se presente nessa pesquisa, com pessoas de gêneros, idades e profissões variadas. O grupo
manifestou querer conhecer sobre o aleitamento materno e ser transmissor deste conhecimento nas comunidades.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4481
Código do Autor Principal:3651
Nome do Autor Principal: ROBERSON JUN KITAMURA
Autores:
ROBERSON JUN KITAMURA
PATRÍCIA SAMPAIO CHUEIRI
ANETE AUGUSTA FIORANELLI DE PAULA
MARIA DA GLÓRIA ZENHA WIELICZKA
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-019
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
INTEGRAÇÃO ASSISTÊNCIA/COORDENAÇÃO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Introdução: A Estratégia de Saúde da Família (ESF), principal atuação da Medicina de Família e Comunidade na
Atenção Primária, pode ser dividida em parte assistencial e assessoria técnica. A parte assistencial abrange os
médicos que atuam na rede de serviços, com contato direto com pacientes e com as necessidades locais, e exige de
seus médicos dedicação de 40 horas semanais, para melhorar o vínculo e manter o domínio de território de sua
atuação. Por outro lado, a parte de assessoria abrange médicos que atuam na organização do serviço, sem contato
direto com pacientes da rede. Uma coordenação adequada facilita e promove melhor atuação do Médico de Família e
Comunidade na ESF, através da organização de educações permanentes, assessoria a questões médicas e éticas,
coordenação da atuação do médico na rede.
Entendendo a importância de todos estes fatores, a Associação Congregação de Santa Catarina, importante parceira
da Prefeitura do Município de São Paulo para a ESF e recentemente levada à Organização Social, promoveu uma
experiência única, onde desmembrou uma equipe de saúde da família de modo a ter 2 médicos de carga horária
reduzida, ficando metade do período na Unidade Básica de Saúde e metade do período na assessoria técnica médica.
Tal atitude teve autorização da Coordenadoria de Saúde local.
Objetivos: Os principais objetivos desta experiência são averiguar a possibilidade de criação de vínculo adequado com
uma comunidade através de somente 20 horas semanais em Unidade de Saúde, verificar se é possível o manejo de
uma equipe por 2 médicos em horários complementares, e melhorar a atuação da assessoria, através da experiência
de médicos que estão atuando diretamente no local de influência da assessoria.
Metodologia: Desmembramos uma equipe de saúde da família na UBS Vila Aparecida, onde passaram a atuar os
médicos Patrícia S. Chueiri e Roberson J. Kitamura a partir de abril/07. A análise foi feita de maneira subjetiva, a partir
da percepção dos envolvidos na experiência.
Resultados alcançados: Neste primeiro ano de experiência, vimos de maneira subjetiva que foi criado um vínculo
adequado entre médicos e pacientes, e estes entenderam a divisão da equipe. Além disso, vimos que as discussões da
assessoria técnica ficaram mais ricas, através de exemplos práticos de atuação.
Lições aprendidas com a experiência: Esta experiência teve sucesso, e será mantida para a melhorar cada vez mais a
integração entre serviço e coordenação do serviço. Porém, tivemos algumas dificuldades para a execução da
experiência, como a adequada integração entre os médicos participantes, uma vez que há pouco contato entre eles.
Recomendações: Entendemos que esta experiência pode ser bastante útil para a organização da rede de serviços e da
assessoria, e poderia ser ampliada de modo a captar mais médicos para a atenção primária e melhorar a qualidade da
coordenação.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4483
Código do Autor Principal:3653
Nome do Autor Principal: CLÉCIA YURIE NAKAYAMA
Autores:
CLÉCIA YURIE NAKAYAMA; ALAÍDE MARIA MORITA FERNANDES DA SILVA
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-010
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL
Resumo:
O modelo de atenção em saúde vem sendo discutido há várias décadas e com a Estratégia Saúde da Família (ESF)
o debate amplia os espaços de discussão, valorizando seus princípios e diretrizes. Percebe-se que trabalhar o conceito
ampliado de saúde necessita pensar em ações realizadas por uma equipe multiprofissional. Desde 1997, pela
Resolução nº. 218 do Ministério da Saúde, o assistente social está inserido como profissional da área da Saúde,
aprimorando suas ações para atender as necessidades dos serviços de saúde e, assim, ampliando o mercado de
trabalho. A residente de Serviço Social da Residência Multiprofissional em Saúde da Família do município de Londrina PR foi inserida em uma Unidade de Saúde da Família (USF), em Abril de 2007, para atuar junto à equipe. O objetivo
desse trabalho é apresentar possibilidades de atuação do Serviço Social na ESF, pautado na experiência da residente
de Serviço Social. A residente acompanhou os profissionais da USF em diversas atividades, tais como: visitas
domiciliares, discussões de caso, puericultura, pré-natal, planejamento familiar, atividades educativas nas escolas e
realizou o conhecimento do território de abrangência da USF, analisando as possibilidades de atuação. Verificaram-se
ações específicas do assistente social, dentre elas: contribuição nas discussões de caso, analisando aspectos do
contexto sócio-econômico que envolvem o indivíduo e interferem no processo de adoecer; o conhecimento da rede de
serviços e equipamentos sociais propiciou suporte à equipe nos encaminhamentos necessários; fortalecimento de
vínculos com a população local e profissionais de saúde; planejamento das ações para o atendimento da população e
organização dos serviços internos junto à coordenação da USF; desenvolvimento de atividades de cunho
político-organizativos e sócio-educativas como: contato e articulação junto às lideranças do bairro estimulando a
participação em conselhos locais e municipais de saúde. Uma das dificuldades enfrentadas pela residente foi inserir as
atividades do assistente social dentro de uma rotina já estabelecida, abrir espaços para implantar uma área nova de
atuação na atenção básica, está sendo um grande desafio. A preceptoria e tutoria de núcleo facilitam este processo
com orientações e discussões sobre a prática profissional, a coordenadora da USF ocupa um papel fundamental,
mediar às ações proposta com a realidade vivenciada. Diante da necessidade da saúde ser entendida em sua
totalidade e não somente como ausência de doenças, a participação do assistente social na ESF pode contribuir para
um olhar mais amplo dos fatores que determinam o processo saúde doença e a introdução de práticas mais centradas
nas necessidades dos usuários. Olhar este que não está focado somente no parecer médico, mas de todos os
profissionais da saúde comprometidos com a perspectiva do cuidado integral à saúde.
Observação:
Palavras-chave: Estratégia Saúda da Família, Residência Multiprofissional em Saúde da Família e Práticas do
Assistente Social
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4484
Código do Autor Principal:3654
Nome do Autor Principal: SUDERLAN SABINO LEANDRO
Autores:
SUDERLAN SABINO LEANDRO, MARIA DJAIR DIAS, LENILDE DUARTE DE SÁ E MARIA PATRICIA LOPES
GOLDFARB.
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-022
Onde o trabalho foi realizado? SOUSA - PB
Titulo:
DIAGNÓSTICO DE SAÚDE DA COMUNIDADE CIGANA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA XXIV,
SOUSA-PB.
Resumo:
O Programa Saúde da Família (PSF) é a porta de entrada dos serviços de saúde do SUS, essa é uma estratégia de
reorientação do modelo de atenção à saúde da população brasileira. O trabalho das Equipes de Saúde da Família
(ESF) deve ser realizado dentro de uma perspectiva de ação integral, em que o cuidado às famílias acompanhadas
pela equipe envolva tanto ações na unidade de saúde como no domicílio das mesmas. Em 2004, foi implantada a ESF
XXIV no município de Sousa-PB, a qual ficou responsável pelo acompanhamento de 440 famílias, sendo 73 famílias
pertencentes ao grupo cigano, que desde a década de 80 estavam sedentarizados na periferia da cidade.
Considerando o contexto do povo cigano possuído de peculiaridades como a cultura, costumes e valores diferentes dos
nossos, é cabível um olhar diferenciado com esse povo na perspectiva de garantia dos princípios do SUS. Assim, a
ESF viu a necessidade de traçar o perfil da comunidade dos ciganos que estava sob sua responsabilidade, e para
identificar o diagnóstico de saúde local foi preciso realizar o levantamento dos dados pela equipe, utilizando como
principal instrumento a ficha de cadastramento das famílias. Dessa maneira identificamos os componentes familiares,
diagnóstico demográficos, situação socioeconômica, equipamentos sociais, condições de habitação, saneamento e
doenças referidas. Quanto ao total da população, 64,50% se encontram na Faixa etária de 15 e + anos, sendo 32% de
20-39 anos. Quanto à situação de trabalho e renda a maior parte da população masculina encontra-se sem emprego,
no entanto alguns homens e mulheres viajam para outras cidades para pedir esmolas ou negociar pequenos objetos.
Em relação às condições de moradia a maior parte das casas 71% são construídas de tijolo; 100% das casas estão
ligadas a rede publica, mas nenhuma delas tem banheiro, não existe coleta de lixo, nem fossa, e nem rede de esgotos.
Os dados das doenças referidas a mais comum foi à hipertensão, não temos registro de diabetes ou hanseníase. Um
outro dado que nos chamou atenção foi quanto ao grande número de crianças com o cartão vacinal incompleto. A partir
desta aproximação com o povo cigano podemos observar as condições de extrema pobreza, a falta de acesso aos
serviços e alto índice de desemprego, o que demonstra que a situação das famílias ciganas não difere da realidade
enfrentada por muitos brasileiros pobres nas periferias das cidades. Sabemos que esses fatores interferem diretamente
na saúde de um povo. Assim, estes dados deram subsídios a ESF para planejar suas ações traçando um cronograma
de atividades respeitando as necessidades dos ciganos. Além do que os profissionais tiveram a oportunidade de refletir
sobre as práticas de cuidado e dessa forma diminuir os preconceitos e as desigualdades sociais.
Observação:
O autor Suderlan S. leandro atuou como enfermeiro da ESF XXIV, no município de Sousa- PB, no período de maio
de 2004 a janeiro de 2006.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4486
Código do Autor Principal:17
Nome do Autor Principal: LUCELIA BORGES DE ABREU FERREIRA
Autores:
LUCÉLIA BORGES DE ABREU FERREIRA
CÉLIA ALVES BARROS
VALDECI JOSE DE LIMA
Área Temática: Controle Social e Cidadania na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-018
Onde o trabalho foi realizado? IPORÁ - GO
Titulo:
FORTALECENDO A PARTICIPAÇAO E O CONTROLE SOCIAL E ACONSTRUÇAO DE CIDADANIA EM IPORÁ GO
Resumo:
Iporá é um município de 32.610 habitantes que possue mais de 20 conselhos, participação na grande maioria, das
mesmas pessoas representando as poucas entidades e instituições organizadas, pelo pouco associativismo e por
motivações política partidária que -impede- a aplicação da participação e da efetiva participação de novo ou antigos
conselheiros pelo desconhecimento da função e/ou descrito dos resultados de sua participação e quase inexistência de
envolvimento de trabalhadores e profissionais de saúde, a não ser quando querem que o CMS atue como -sindicato de
trabalhadores de saúde-.
Como intervenção nessa realidade realizou-se pré-conferencias descentralização em cada área das USF que
antecederam ao II Conferencia Municipal de Saúde e após a eleição da diretoria do CMS a realização de reuniões
também descentralizadas do CMS em cada área das ESF como germem incentivador para a criação de conselho
locais de Saúde e Conselho Gestor com a participação da comunidade
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4487
Código do Autor Principal:1083
Nome do Autor Principal: SILVIA MALENA DAMRAT
Autores:
1. SILVIA MALENA DAMRAT
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-122
Onde o trabalho foi realizado? PONTA GROSSA - PR
Titulo:
AVALIANDO E ACOMPANHANDO USUARIOS COM SOBREPESO E OBESIDADE
Resumo:
A prevalência do sobrepeso e obesidade vem tomando vultos de epidemia em todo mundo, atingindo crianças e
adultos de todos os estratos sociais e, de acordo com Oliveira, os dados contidos na Pesquisa Nacional de Alimentação
e Nutrição realizada em 2003, evidenciaram que cerca de 32% da população adulta brasileira tinha algum grau de
sobrepeso. As condições de peso da população revelam que o sobrepeso e a obesidade, vêm tornando-se uma
epidemia com alta incidência e prognóstico ruim para a saúde pública. Deste problema decorrem várias considerações
importantes, dentre as quais, podemos citar a existência de uma série de agravos à saúde, uma vez que a obesidade
contribui para surgimento de doenças crônicas, como a hipertensão, diabetes bem como, o grande investimento
financeiro e de recursos humanos que são aplicados para a recuperação dessa situação. Atualmentente as condições
de peso da população mostram que o sobrepeso e a obesidade vêm aumentando, principalmente nas classes sociais
menos favorecidas, constituindo um problema de saúde pública. Visando melhorar a qualidade de vida dos usuários, e
a diminuição de incidência de doenças crônica degenerativas, favorecida pela obesidade, vê-se a necessidade de
contribuir para a promoção da saúde da comunidade. Diante do relato concluímos que a educação alimentar aliado a
pratica de atividade física, vem demonstrando resultados significativos no controle da obesidade, conseqüentemente,
uma melhor qualidade de vida se proporciona à comunidade. Temos como objetivos detectar, avaliar e acompanhar
usuários com sobrepeso, obesidade, da Unidade de estratégia de Saúde da Família Jose da Silva Ribeiro, orientando a
reeducação alimentar e a execução de atividades físicas. Teremos disponibilizado à população 07 consultas medicas
semanais para avaliação e controle da obesidade. Será realizado questionário para investigação de hábitos
alimentares, atividades físicas e aferição de dados antropométricos e orientações de enfermagem. Caminhadas serão
realizadas três (3) vezes por semana, com acompanhamento da equipe. O presente trabalho irá permitir reconhecer a
complexidade dos aspectos envolvidos no processo de orientação com vistas à mudança de hábito alimentar e estilo de
vida mais saudável; bem como, a importância de um trabalho integrado com a equipe multiprofissional de saúde e os
usuários.
Referencia Bibliografica:
Oliveira AMA, Cerqueira EMM, Souza JS, Oliveira AC. Sobrepeso e Obesidade Infantil:
biológicos e ambientais em feira de Santana, BA. Arq Bras endocrinol Metab 2003; 47:144-150.
influência de fatores
Observação:
1. Enf. programa estrategia de saude da familia
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4488
Código do Autor Principal:3656
Nome do Autor Principal: MARCELI DIANA HELFENSTEIN ALBEIRICE DA ROCHA
Autores:
MARCELI DIANA HELFENSTEIN ALBEIRICE DA ROCHA
MARIA HÉLIDA FEITOSA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-090
Onde o trabalho foi realizado? MIRACEMA DO TOCANTINS - TO
Titulo:
O CADERNO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE COMO ESTRATÉGIA PARA O MELHORAMENTO DOS
SERVIÇOS DE SAÚDE
Resumo:
A fim de que a estratégia da saúde da família cumpra seu papel, é imprescindível a organização do serviço. Assim,
vivencia-se uma experiência peculiar em um município do estado do Tocantins: a criação do Caderno do Agente
Comunitário de Saúde, com a finalidade de facilitar o trabalho de toda a equipe e melhorar a qualidade do atendimento
prestado. Os resultados têm se mostrado muito positivos e de muita valia, agradando tanto os membros da equipe de
saúde quanto à comunidade de uma forma geral, já que o trabalho dos ACS tornou-se mais organizado e
sistematizado. Sabe-se da grande burocracia que permeia a Estratégia de Saúde da Família, no que tange a
preenchimento de papéis (fichas, relatórios e afins), por isso entendemos a necessidade da compactação das
informações de uma forma mais fácil e ágil. O Caderno do Agente Comunitário de Saúde consiste em um grande
caderno onde são incluídas todas as fichas necessárias para o bom trabalho do ACS, de maneira que ele possa
atender toda a comunidade gerando maior satisfação e reconhecimento. Desde a implantação do referido caderno, os
resultados alcançados são mais rentáveis e visíveis. Sistematizar um sistema não é nada fácil, porém, os resultados
são muito positivos. É importantíssima a parceria com a Secretaria Municipal de Saúde/Coordenação do ESF/Gestor
Municipal para que essa organização seja efetivada. Trabalhar em Saúde é trabalhar em parceria.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4489
Código do Autor Principal:3657
Nome do Autor Principal: LUCIANA MARIA PEREIRA DOS SANTOS
Autores:
LUCIANA MARIA PEREIRA DOS SANTOS E KARLA JIMENA DE JESUS ARAÚJO SAMPAIO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-105
Onde o trabalho foi realizado? JUAZEIRO DO NORTE - CE
Titulo:
PUERICULTURA: DIFICULDADES E FACILIDADES ENCONTRADAS POR PARTE DOS (AS) ENFERMEIROS (AS)
DO PROGRAMA
Resumo:
O Programa Saúde da Família - PSF vem atualmente atingindo uma expansão grandiosa dentro do território
brasileiro e dentre suas atividades têm a Puericultura, que desenvolve ações de saúde da criança, viabilizando o
crescimento saudável delas evitando patologias fatais nas crianças menores de cinco anos. Dessa forma, esse estudo
foi realizado em Unidades Básicas de Saúde da Família do Município de Juazeiro do Norte - CE, com o objetivo de
identificar as dificuldades que interferem, e facilidades, que auxiliam os (as) enfermeiros (as) na execução da
Puericultura do PSF. Trata-se de um estudo do tipo descritivo-exploratório de natureza qualitativa porque está centrada
na subjetividade e na descrição real das características de uma determinada população. A coleta de dados realizada no
mês de fevereiro de 2006 foi com trinta enfermeiras que trabalham no PSF deste município. Para análise dos dados, foi
utilizada a análise categorial de Bardin que assim denominaram-se: 1. Definindo a Puericultura no PSF segundo os
sujeitos do estudo, 2. Caracterizando a Puericultura do PSF - um enfoque nas facilidades e dificuldades apresentadas,
3. O papel do (a) enfermeiro (a) na Puericultura do PSF - metodologias e assistência desenvolvidas, 4. Sugestões para
melhorar a assistência do (a) enfermeiro (a) na Puericultura do PSF. As reflexões revelaram que alguns profissionais de
enfermagem não se conscientizaram sobre a importância da Puericultura deixando-a em segundo plano e até mesmo
de não realizá-la pela simples falta de um recurso físico. Conclui-se que não só são necessárias capacitações para
mudar essa realidade, mas também a necessidade de despertar o interesse e o compromisso de todos os profissionais
de Saúde da Família para prestarem uma assistência qualificada às suas crianças.
Palavras-chave: Puericultura, Programa Saúde da Família - PSF, Enfermagem.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4490
Código do Autor Principal:3658
Nome do Autor Principal: ADRIANA CLARO CARDOSO
Autores:
ADRIANA CLARO CARDOSO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-114
Onde o trabalho foi realizado? DUQUE DE CAXIAS - RJ
Titulo:
CANDIDIASE
Resumo:
AO COMECAR A TRABALHAR NO POSTO DE SANTA LUCIA, NOTEI QUE ESTAVA REALIZANDO DE 3 A 4
ATENDIMENTOS DE URGENCIA, NOS QUAIS OS PACIENTES ERAM BEBES DE 0 A MAIS OU MENOS 6 MESES,
COM CANDIDIASE PSEUDOMENBRANOSA, AS MAES DOS MESMOS, JA VINHAM RELATANDO QUE ELES
ESTAVAM COM "SAPINHO", E QUE NAO HAVIAM RECEBIDO INSTRUCOES DE HIGIENE ORAL NA
MATERNIDADE, JA ESTAVAM UTILIZANDO MEL ROSADO, AO PERCEBER QUE O PROBLEMA ESTAVA SE
TORNANDO CONSTANTE CONVERSEI COM A ENFERMEIRA DA EQUIPE, E PEDI PARA QUE PUDESSE IR AS
VISITAS DOMICILIARES JUNTAMENTE COM ELA, ORIENTAR AS PUERPERAS QUANTO A IMPORTANCIA DA
AMAMENTACAO NA FORMACAO E EXPANSAO CORRETA DOS MAXILARES, POSICIONAMENTO CORRETO DA
LINGUA PARA FUTURA MASTIGACAO, FONETICA E ESTETICA E PRINCIPALMENTE QUANTO A HIGIENE, APOS
CADA AMAMENTACAO. AO INICIARMOS ESTE TRABALHO, NOTEI QUE NAO ATENDIA MAIS NENHUM
PACIENTE COM CANDIDIASE, E AO REALIZAR O ACOMPANHAMENTO MENSAL DOS BEBES, PUDE
COMPROVAR A RESOLUTIVIDADE ALCANCADA COM O TRABALHO.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4492
Código do Autor Principal:3660
Nome do Autor Principal: MARIA CLEIDE ARAUJO DE MEDEIROS MORAIS
Autores:
MARIA CLEIDE ARAÚJO DE MEDEIROS MORAIS
EDGARDO BENAVIDES CARRASCO
MARIA DIJANIRA TAVARES
EMÍLIA CRISTINA BARBOSA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-101
Onde o trabalho foi realizado? MOSSORÓ - RN
Titulo:
ASSISTÊNCIA INTEGRAL À SAÚDE DA MULHER PRESTADA PELAS EQUIPES DE PSF DA UBS BR. ILDONE C.
DE FREITAS
Resumo:
Trata-se de um relato de experiência desenvolvido pelas Equipes de Saúde da Família da Unidade Básica de Saúde
Dr. Ildone Cavalcante de Freitas,localizada no Bairro Barrocas- Município de Mossoró/RN ,no que se refere à
assistência à saúde da mulher, especificamente, aos exames preventivo e colpocitológico.O exame Papanicolaou é
realizado pelas enfermeiras que no momento da coleta faz a inspeção da vulva,vagina e colo do útero e caso seja
detectado alguma alteração a mulher é encaminhada imediatamente para o médico integrante do PSF,na própria
Unidade de Saúde ,sem maiores burocracias, para realização do exame colpocitológico.Esta experiência é
desenvolvida desde janeiro de 2005 até o momento atual, e já obteve diversos resultados positivos,dentre eles
destacam-se: detecção precoce de neoplasias,cervicites e pólipos que puderam ser solucionados previamente sem
correr o risco de progredir para outras patologias.De acordo com dados coletados nesta Unidade Básica de Saúde já
foram realizados ,no período compreendido entre janeiro de 2005 a março de 2008: 2.900 exames Papanicolaou,1.700
colposcopias e 715 eletrocauterizações.Acredita-se que desse número de colposcopias realizadas,70% das mulheres
não teriam procurado Unidades de referências para submeterem-se a este tipo de exame. A título de sugestão:todos os
médicos integrantes do PSF,deveriam se qualificar na realização do exame colpocitológico na perspectiva de facilitar o
acesso das mulheres, a este tipo de exame, e conseqüentemente a melhoria da assistência à saúde da mulher.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4493
Código do Autor Principal:3225
Nome do Autor Principal: FERNANDA CORREA PIRES QUINTAO
Autores:
ALEXANDRE SENA, FERNANDA QUINTÃO
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-074
Onde o trabalho foi realizado? NITERÓI - RJ
Titulo:
INTERAÇÃO ENSINO-SERVIÇO DE SAÚDE: TRABALHO COM OS ALUNOS DE ODONTOLOGIA DA UFF NO
PMF MORRO DO CEU
Resumo:
Introdução: A Lei 8080/90 que rege o SUS definiu como atribuição do setor Saúde a participação na formação de
recursos humanos dos seus profissionais. As diretrizes curriculares nacionais de graduação propõem mudanças na
área da saúde, onde um dos espaços utilizados para o processo de aprendizado seja o serviço público de saúde. Neste
trabalho relatamos a experiência da disciplina de Odontologia Social e Preventiva VI da Graduação em Odontologia da
Universidade Federal Fluminense (UFF) como uma articulação ensino-serviço. Grupos de alunos acompanham equipes
do Programa Médico de Família (PMF) no território e elaboram um trabalho orientados pelos profissionais do PMF e da
UFF. Objetivos: Capacitar os alunos ao exercício de atividades referentes à saúde da população com uma abordagem
generalista e multidisciplinar. Mudança do olhar sobre o processo saúde-doença pautado na compreensão da realidade
social, cultural e econômica do meio. Atuação dirigida para a transformação da realidade em benefício da sociedade.
Elaboração de um projeto terapêutico de uma família selecionada e apresentação deste para a equipe do PMF e
docentes da UFF. Metodologia: Inicialmente foi feita a leitura e discussão de um texto que se refere aos princípios do
SUS. A partir dessa compreensão, os alunos foram levados à comunidade para o conhecimento da área adscrita.
Através de visita domiciliar, discussão entre a equipe e os alunos e análise de prontuários, foi eleita uma família para
estudo e, entre seus membros, um ator-chave. Após as ações sobre a família e a percepção das necessidades de
saúde, o caso foi transmitido aos professores da disciplina. Com base no texto sobre instrumentos para análise de
serviços de saúde e o material elaborado, os alunos e os profissionais do PMF se reuniram para identificação dos
problemas, sugestão de possíveis intervenções e formulação do Projeto Terapêutico para aqueles usuários. Por fim o
trabalho criado é levado aos docentes da UFF para avaliação. Resultados: Os alunos receberam uma visão ampliada
do processo saúde-doença e noção de abordagem multidisciplinar. Os profissionais do PMF tiveram oportunidade de
conhecer outros olhares das questões de saúde da família estudada e abertura de espaço de discussão. Por fim, a
família teve maior autonomia frente aos seus problemas e aumento do vínculo com os profissionais de saúde. Lições
aprendidas: Como facilidades, destaca-se o bom relacionamento entre PMF e UFF, permitindo que as atividades
fossem realizadas sem entraves. A carga horária fixa dos alunos foi um dificultador das ações, pois a família-chave tem
que estar disponível para contato nos horários determinados pelos estudantes. Recomendações: Esse tipo de exercício
contempla os princípios do SUS e pode ser aplicado com alunos de todo o setor saúde, uma vez que não são
necessários conhecimentos específicos para sua realização.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4494
Código do Autor Principal:3661
Nome do Autor Principal: ÁLVARO HENRIQUE GURGEL MAIA
Autores:
ÁLVARO HENRIQUE GURGEL MAIA, JULIANA ELLER TOVAR
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-006
Onde o trabalho foi realizado? CEARÁ
Titulo:
AVALIAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF SOB A ÓPTICA DOS GESTORES...
Resumo:
AVALIAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF SOB A ÓPTICA DOS GESTORES
MUNICIPAIS DE SAÚDE DO CEARÁ.
O Programa Saúde da Família (PSF) foi implantado pelo Ministério da Saúde, a partir de 1994, como modelo de
atenção para todo país a ser desenvolvido fundamentalmente pelos seus municípios e tem por objetivo implantar a
cobertura de atenção à saúde da família e atingir uma melhora na qualidade de atendimento à população em geral. A
implementação da Portaria n° 1.065, de 4 de julho de 2005 do Ministério da Saúde, que cria os núcleos de atenção
integral na Saúde da Família, com a finalidade de ampliar a integralidade e a resolubilidade da Atenção à Saúde, torna
possível a inclusão do fisioterapeuta e de outros profissionais de saúde nas equipes do PSF dos municípios brasileiros.
Este estudo tem por objetivo analisar a atuação da Fisioterapia no Programa Saúde da Família - PSF sob a óptica dos
gestores municipais de saúde do Ceará. Investigar o grau de conhecimento dos gestores municipais de saúde sobre a
Fisioterapia. Detectar a existência da assistência fisioterapêutica no PSF nos municípios em estudo. Relatar as
principais vantagens e desvantagens da presença do fisioterapeuta no PSF dos municípios estudados. Trata-se de um
estudo observacional, descritivo e transversal com estratégia quantitativa dos dados encontrados, realizado no período
de agosto a novembro de 2007, composto por uma amostra de 23 gestores municipais de saúde do Estado do Ceará
de cidades diversas com faixa etária entre 28 e 72 anos e que concordaram em participar do estudo respondendo a um
formulário contendo questões objetivas e subjetivas a respeito do PSF, da Fisioterapia e sua aplicações dentro do PSF.
O sexo que prevaleceu foi o masculino com 52% dos participantes, 96% (n=22) são graduados e 78% (n=18) tem sua
formação como profissionais da área da saúde, apenas 9% (n=2) dos entrevistados são Fisioterapeutas e tendo em sua
maioria 27% (n=6) Enfermeiros, 87% (n=20) referem que esse serviço teria muita importância para o município se
estivesse vinculado ao PSF, 13% (n=3), afirmaram que tem pouca importância, 96% (n=22) afirmaram que tem
intenção em incluir esse serviço no PSF de seu município, 57% (n=13) responderam que sabem como bancar e como
solicitar verba para esse serviço. Dentre os entrevistados 100% afirmam saber o que é fisioterapia e como esse
trabalha e 100% acham muito importante, a fisioterapia atuar no PSF. Os resultados mostraram que entre os gestores
entrevistados são graduados e tem sua formação como profissionais da área da saúde. A partir da analise das
entrevistas, constatou-se o interesse por parte dos gestores em aderir esse serviço no programa, sendo difícil à
implantação devido à falta de verbas direcionadas a esse serviço.
Palavras-chaves:Programa Saúde da Família, Gestores de Saúde, Fisioterapia (especialidade).
Observação:
Titulo: AVALIAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF SOB A ÓPTICA DOS
GESTORES MUNICIPAIS DE SAÚDE DO CEARÁ.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4497
Código do Autor Principal:3663
Nome do Autor Principal: MEIRE MARIA DE SOUSA E SILVA
Autores:
FRANCISCA MARIA DA S.FREITAS
KÁTIA MARIA PEREIRA
MARIA LUIZA DA S. SÁ
MEIRE MARIA DE SOUSA E SILVA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-046
Onde o trabalho foi realizado? TIMON - MA
Titulo:
ADOLESC. DA COMUN. PEDRO PATRÍCIO FATORES QUE DETER, SUA ADESÃO AS ATIVID.EDUC. DESENV.
PELA ESF
Resumo:
Diante da context. em q/ o adolesc. está inserido e aliado a um novo modelo de assist. ,voltado para atenção prim. à
saúde,observou-se a baixa adesão deste grupo nas ativ. educ.. desenv, pela equipe de saúde.A vulnerab. dos adolesc.
aliada à receptividade aos fator. internos e externos q/ influenciam na form. de sua identidade marca o pleno desenvolv.
biopsicossocial comum na adolescência.Finalmente,há q/ se enfatizar a extrema import. de q/ todas as ações educ.
sejam efetuadas levando-se em conta a individualidade,respeitando-a e estimulando a liberdade de pensar e decidir do
ser humano.A justif. da realização desse trab. surgiu da import. das reuniões educ. como prevenção e socialização
como proposta de buscar respostas q/ identifiquem as possíveis motivações e dific. do adolesc. na participação das
ativ. desenv. pela ESF.O obj. do estudo foi avaliar os fat. q/ influenc. na adesão do adolesc. às ativid. educ. desenv.
pela ESF,buscando subsídios para promover a inserção de jovens no processo e melhorar a prát. educativa.Como
obj.específ.,o estudo visa caract. o perfil sócio-econ.,cultural e epidemiológico dos adolesc.;verificar o conhec. dos
adolesc. sobre as ativ. existentes no Centro de Saúde e motivações e dificuldades. dos adolesc. na particip. das ativ.
desenvolvidas.A metodol. aplicada foi de natureza quantit. realizada em área coberta pelo PSF, na cidade de
Timon-MA.A amostragem foi da pop. de 728 famílias;o universo de 513 adolesc. e o cálculo final em torno de 220
adolesc..As variáveis estudadas foram relativ. às caract. sócio-econ.,culturais,epidemiológicas;o conhec. das ativ.
propostas pelo centro de saúde e as possíveis motivações e dific. dos adolesc. na participação dessas
atividades.Prevaleceu o sexo fem. convivendo com o núm . de 4 a 6 pessoas na fam. e renda até um sal.
mínimo,40,3%.O resultado mostrou q/ 52,7% desconhecem a ESF,entretanto, 55,4% têm conhecimento das ativi. educ.
desenv. Observou-se q/55,9% não freqüentam as ativ. educ.,no entanto, 60,9% apontaram o interesse em aprender
como motivação mais relevante para sua particip. nas ativ. propostas.Dos assuntos que gostariam que fossem
abordados,36,4% apontaram as drogas.O horário foi indicado por 35% como dific. e a entrega de material educ.(36%),
seguida da entrega de brindes(28,6%) como possíveis facilitadores.Considerando q/ a adolesc. é uma fase de
transform. mediadas p/ conflitos e pela busca de auto- afirmação esta fase rompe c/ padrões sócio-culturais
preexistentes,procurando estabelecer seus próprios modelos.Assim sendo,faz-se necessário q/ as ESF, reestruturem
as ações de atenção prim. à saúde do indiv . e da comun,especificamente,às dos adolesc.,utilizando como estrat.
mudanças de ações educ. direcionadas a esse grupo,inserindo-os nestas prát. e atribuindo-lhes responsab. como
agentes multiplicadores de inform. e transformações de ações no projeto social.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4500
Código do Autor Principal:3666
Nome do Autor Principal: ANA VALESCA FERNANDES GILSON SILVA
Autores:
ANA VALESCA FERNANDES GILSON SILVA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-036
Onde o trabalho foi realizado? BETIM - MG
Titulo:
A INTERSETORIALIDADE É POSSÍVEL?
Resumo:
INTRODUÇÂO:A UBS Petrovale está localizada na área industrial de Betim, próxima a Refinaria Gabriel Passos
(REGAP), área com riscos de explosões, incêndios e vazamentos na refinaria, nos dutos e nas distribuidoras dos
derivados de petróleo.A população vizinha à área industrial da REGAP está exposta ao risco de acidentes industriais
ampliados.A participação em um exercício simulado de um acidente na REGAP, causou impacto e apontou a
importância do trabalho dos ACS na prevenção, resposta e acompanhamento da comunidade em casos de acidentes
industriais. Com os ACS iniciou-se um trabalho inédito em parceria com REGAP, a Defesa Civil e Corpo de
Bombeiros.O trabalho do ACS adquiriu um novo valor: o trabalho intersetorial.Os ACS foram treinados em um curso
básico de Resgate, pelo Corpo de Bombeiros. Além de participarem de seminários organizados pela REGAP, eles
participam mensalmente das reuniões entre a empresa e a comunidade onde são discutidas questões sobre riscos. Um
grupo de ACS participou de um curso de voluntários da Defesa Civil Municipal, com o objetivo de formar núcleos de
defesa civil na comunidade (NUDECS). OBJETIVOS: Reconhecer o território como um espaço com características
específicas, de uma área industrial, que envolve os riscos decorrentes das atividades de refino do petróleo e
distribuição de seus derivados.Utilizar o mapeamento da área como estratégia para resposta em casos de acidentes
industriais.Relacionar as informações do SIAB para uma atuação conjunta com os diversos órgãos envolvidos em
emergência. Reconhecer a importância de ações intersetoriais para o planejamento e desenvolvimento de ações de
prevenção e resposta aos acidentes industriais. METODOLOGIA: Os ACS construíram maquetes representando suas
micro áreas. As maquetes com as características de cada micro área e suas condições sanitárias, foram apresentadas
aos representantes da REGAP e diversos órgãos envolvidos em acidentes industriais. As informações como condições
de acesso das ruas e de acesso aos domicílios também foram consideradas importantes para casos de
evacuação.Além disso, foi criada uma planilha que informa por logradouro, as condições de acesso e quais os
domicílios possuem moradores em condições que necessitam de cuidados especiais.Estas informações fornecidas
pelos ACS possibilitam uma resposta rápida e facilitam uma evacuação adequada agilizando as ações dos órgãos
envolvidos.RESULTADOS: Este trabalho propiciou uma integração entre a UBS, a REGAP e órgãos envolvidos na
resposta a acidentes industriais além de uma participação efetiva e atuante dos ACS. Apresentou a vulnerabilidade da
população e uma valorização do ACS.CONCLUSÃO: O trabalho dos ACS e a relação estabelecida com a empresa
possibilitou avançar as práticas intersetoriais, estendendo-a para outros órgãos públicos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4501
Código do Autor Principal:3667
Nome do Autor Principal: STELLA ROSA DE SOUSA LEAL
Autores:
JAPHIA RAYANNE DE MEDEIROS
GIZELDA VALÉRIO RODRIGUES
BENÍCIA DE ASSIS BEZERRA DE OLIVEIRA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-146
Onde o trabalho foi realizado? SENADOR GEORGINO AVELINO - RN
Titulo:
A INTERSETORIALIDADE NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA
Resumo:
INTRODUÇÃO: Tentando romper com o paradigma da Odontologia Científica, no qual sua prática é auto-suficiente e
não interage com as demais setores da sociedade, a intersetorialidade surge na perspectiva de ampliar os espaços
sociais nos quais são veiculadas informações de promoção de saúde bucal.
OBJETIVOS: Este trabalho destina-se a relatar a experiência resultante de uma parceria entre os setores da Educação
e da Saúde, possibilitando o desenvolvimento do Programa Agrinho, no Município de Senador Georgino Avelino, no
estado do Rio Grande do Norte. Tal parceria contribui imensamente para o desenvolvimento da Educação em Saúde
Bucal, principalmente com a recente da incorporação da Saúde bucal na Estratégia de Saúde da Família, e o seu
respectivo documento (Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal-2004), que a coloca como uma de suas
atividades estratégicas.
METODOLOGIA: No período de Outubro a Novembro de 2007, foram desenvolvidas as seguintes atividades: reuniões
de planejamento com os professores, oficina de confecção de macromodelos, caminhada, gincanas e palestras
educativas com pais e alunos, escovações dentais supervisionadas e aplicação tópica de Fluoreto Fosfato Acidulado.
Juntamente com essas atividades, os professores das escolas do município colocaram o tema da saúde bucal como
foco atividades pedagógicas realizadas em sala de aula.
RESULTADOS ALCANÇADOS: Esta parceria teve um resultado extremamente positivo, tanto pela capacitação dos
professores para trabalharem com multiplicadores de informações sobre saúde bucal, quanto pela incorporação de
hábitos saudáveis pelos alunos.
LIÇÕES APRENDIDAS COM A EXPERIÊNCIA: De uma forma geral, mostrou que esta parceria é possível de ser
realizada na grande maioria dos municípios brasileiros, e permite atuar na formação de uma -geração saudável-, sem
deixar de seguir o foco na família, ao se trabalhar em um espaço social de extremo valor educacional e que reúne os
alunos e seus respectivos pais e responsáveis.
RECOMENDAÇÕES: Experiências como esta são recomendadas em diferentes realidades de municípios brasileiros, já
que as escolas estão presentes na maioria esmagadora destes, dependendo o sucesso de tal parceria da forma como
a Equipe de Saúde Bucal se insere nas escolas, de forma que não haja atraso da transmissão do conteúdo pedagógico
a ser transmitido aos alunos. Esta parceria não deve se restringir a experiências pontuais, inserida em programas
específicos, como o Programa Agrinho, mas sim fazer da prática cotidiana das milhares de Equipes de Saúde Bucal
implantadas no país.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4502
Código do Autor Principal:3668
Nome do Autor Principal: KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA
Autores:
KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA ; FERNANDA DE OLIVEIRA; MARCELO ALEXANDRE ANDRADE;
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-212
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
ADOLE-SER - PROMOÇÃO À SAÚDE DOS ADOLESCENTES DO VILA PINHO
Resumo:
INTRODUÇÃO: O Projeto Adole-SER, criado em parceria com acadêmicos da Faculdade UNA-BH, vem com o
propósito de efetivar a promoção de saúde aos usuários adolescentes, abordando temas relacionados à sexualidade e
cidadania, prevenção de DST/AIDS e aumentar a inserção destes às atividades relacionadas ao Centro de Saúde Vila
Pinho.
OBJETIVOS: Aumentar a inserção dos usuários adolescentes às atividades do Centro de Saúde Vila Pinho; Quebrar
paradigmas e mitos existentes na comunidade que desfavorecem a promoção de saúde destes; Educação continuada
e treinamento da ESF, para um melhor desempenho em seu trabalho; Formação de parcerias com as Escolas da
região e PBH, a fim de manter uma atenção integrada e sistematizada.
METODOLOGIA: Foi realizada uma parceria com a escola CIAC, Centro Integrado de Apoio à criança, que já possui o
projeto Escola Integrada. Foram selecionados 50 adolescentes na faixa etária de 14 anos, pela coordenadora da
escola, de acordo com a disponibilidade destes e propostos dois encontros, com dinâmicas, rodas de conversas e
debates sobre os temas propostos.
PRINCIPAIS RESULTADOS : Capacitação da equipe na abordagem da sexualidade/prevenção de doenças/cidadania
na relação com os adolescentes; Intersetorialidade com escola CIAC e parceria com escola Integrada; inserção dos
adolescentes em atividades de promoção à saúde.
LIÇÕES APRENDIDAS: O projeto Adole-Ser reforça a necessidade de que, na relação com o adolescente, os
profissionais sejam capazes de transcender os riscos aos quais os adolescentes estão expostos, os conhecimentos
científicos sobre agravos à saúde, buscando compreender o outro em sua individualidade. Necessitam ser refletidas
com o jovem, de maneira conjunta, as demandas e necessidades que não estão muitas vezes visíveis, mas que são
fundamentais na promoção da saúde e no cuidado humano.
RECOMENDAÇÕES: O projeto tem a capacidade de quebrar barreiras existentes entre profissionais e adolescentes, e
deve ser estendido a outras experiências, como até mesmo em grupos comunitários, escolas, onde possa ser uma
forma de aproximação entre aluno-educador, tarefa difícil, mas possível através de uma nova forma de abordar esses
-Adole- SERES-.
Observação:
Esse projeto teve início em 2007 e tem continuidade em 2008, sendo possível até a data do congresso apresentação
de mais resultados, com outros encontros e temas abordados, pois se torma uma experiência de sucesso com proposta
de continuidade em outras escolas da região.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4503
Código do Autor Principal:2779
Nome do Autor Principal: MAIRA SAYURI SAKAY BORTOLETTO
Autores:
MAIRA SAYURI SAKAY BORTOLETTO, ENFERMEIRA - AMS; MARILDA KOHATSU, ENFERMEIRA - AMS;
DENÍLSON TEIXEIRA - EDUCADOR FÍSICO - UNIVERSIDADE DO NORTE DO PARANÁ (UNOPAR); EUNICE
HOKAMA - ENFERMEIRA - SMS; LÍDIA HOKAMA - ENFERMEIRA - SMS; MARIA EMÍLIA ALENCAR - EDUCADOR
FÍSICO - SECRETARIA MUNICIPAL DO IDOSO; DOREEN EMIKA NONAKA TUNOUTI - FISIOTERAPEUTA
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-023
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DE AÇÕES INTEGRADAS NA ATENÇÃO À SAÚDE DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE
LONDRINA -PR
Resumo:
Introdução: os idosos têm-se se convertido, nas últimas décadas em um grupo etário de grande crescimento
demográfico. estima-se que entre 10 a 14% da população nos países em via de desenvolvimento e desenvolvidos têm
mais de 65 anos. em londrina, segundo dados de 2005, a população acima de 60 anos representa 9,34 % da
população, sendo que em algumas áreas como a região central da cidade, este percentual aumenta para 27%.
essa transição demográfica tem gerado grande impacto na área da saúde. pacientes idosos tem mais doenças
crônicas, portanto consultam mais. além disso, apresentam características normais próprias do envelhecimento, sendo
importante diferenciá-las do que é patológico.
o aumento da longevidade, nem sempre vem acompanhado por uma vida saudável e melhores condições de vida; ao
contrário, ele pode trazer consigo um aumento dos estados patológicos e de morbidade da pessoa idosa, levando o
indivíduo a viver durante muitos anos com uma baixíssima qualidade de vida. envelhecer nessas condições acarreta
custos pessoais, sociais e médicos de amplas dimensões, levando o indivíduo ao sofrimento físico, psicológico e social
de enormes proporções.
Objetivo: melhorar a assistência prestada ao idoso na atenção básica, buscando integralidade nas ações, através de
uma política intersetorial e atuação mutliprofissional, com priorização de estratégias de prevenção e promoção da
saúde. a proposta foi a consolidação de ações intersetoriais através da estruturação de um centro de convivência para
idosos, na região oeste, sendo que este local serviu para desenvolvimento de diversas ações de parceria entre a
secretaria de saúde e a secretaria do idoso.
Metodologia: optou-se por iniciar pela região oeste, pois é nesta região que a secretaria do idoso, está em fase de
conclusão de construção do primeiro centro de convivência do idoso em londrina. onde a idéia foi que este local fosse
um espaço de integração e que permitisse o desenvolvimento de ações que, efetivamente impactuassem sobre a
qualidade de vida dos idosos e de sua família.
Resultados alcançados:melhora da capacidade funcional dos idosos que freqüentarem os grupos de atividade física,
medida através dos instrumentos de avaliação. diminuição do número de internações de idosos das áreas atendidas,
diminuição do consumo de antiinflamatórios nas unidades de saúde, melhora no controle dos níveis pressóricos e de
glicemia de idosos portadores de hipertensão arterial e diabetes e alto grau de adesão e participação nos grupos.
Lições aprendidas: trabalhar interdisciplinarmente não é uma ação fácil, ainda mais quando envolve varias secretarias
distintas. Mas a busca pela melhoria da qualidade da assistência deve sempre ser norteadora das ações em saúde, por
isso este desafio se faz valido.
Recomendações; Que a avaliação seja sistematica e seja realizada no inicio da atividade e com uma periodicidade de
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4504
Código do Autor Principal:3644
Nome do Autor Principal: JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Autores:
ERIKA CAVALHEIRO
JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-023
Onde o trabalho foi realizado? MATO QUEIMADO - RS
Titulo:
VIVÊNCIA EXTRA-CURRICULAR: A EXPERIÊNCIA COM A FISIOTERAPIA
Resumo:
Introdução: O presente trabalho relata a experiência de estágio de fisioterapia no Programa Saúde da Família (PSF)
do município de Mato Queimado-RS, durante o mês de fevereiro do presente ano. O estágio extra-curricular existe
como forma de complementação da formação do estudante, podendo então familiarizar-se com o funcionamento de um
serviço de atenção primária dentro dos princípios norteadores do Sistema Único de Saúde (SUS). Cumprindo com
diretrizes da 12ª Conferencia Nacional de Saúde que determina obrigatória a criação de convênios para realização de
estágios de graduação entre universidades públicas e unidades e serviços de saúde do SUS.
Metodologia: As atividades da estagiária contemplavam visitas domiciliares na zona rural do município e de
atendimentos ambulatoriais, sempre acompanhando o fisioterapeuta da equipe. Os atendimentos quando realizados na
unidade foram organizados de modo a viabilizar o acesso a outros serviços dispostos na unidade. Realizou-se debates
sobre o caso de cada usuário, além de análise conjunta de artigos científicos da área antecipando cada turno de
trabalho.
Objetivos: Vivenciar experiências de trabalho da realidade do SUS numa equipe de PSF bem como inserir-se na
realidade de uma cidade, sendo que a maioria dos munícipes residem em zona rural. Objetivo especifico: possibilitar
uma visão mais global acerca das atividades de um fisioterapeuta no SUS podendo sentir as dificuldades que se
apresentam e a necessidade da plasticidade do profissional nos atendimentos.
Resultados alcançados: A acadêmica deparou-se com situações diferentes de sua realidade urbana e acadêmica
podendo ter contato com a prática da saúde pública em uma cidade pequena, essencialmente rural com população
idosa. Assim, atende integralmente uma das diretrizes da 12ª Conferencia Nacional de Saúde no Eixo temáticoVII:
formação dos profissionais de saúde para projetos de estágios de vivências no SUS priorizando ações em cidades do
interior, zonas rurais, e terras indígenas.
Lições aprendidas com a experiência: Certamente a experiência foi inovadora por estar acostumada a vivenciar
realidades de PSFs na zona urbana de Santa Maria e atuar no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) com
atendimentos de alta complexidade. Deparar-se com realidades distintas da minha foi um aprendizado pessoal intenso
e contribuindo de forma significativa para a futura vida profissional. O interesse pela saúde publica já despertado na
academia pôde assim, ser ratificado através da mesma.
Recomendações: O estágio é uma forma de antecipar o que vivenciaremos na atuação profissional contribuindo então
na inserção do acadêmico, aperfeiçoando e complementando o aprendizado teórico acumulado durante toda a
graduação. Como acadêmica pude sentir e comprovar que unidades de PSFs são além do que aprendemos na teoria.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4506
Código do Autor Principal:3669
Nome do Autor Principal: LAURA TAÍS LOUREIRO SIMAS
Autores:
SIMAS², LAURA TAÍS LOUREIRO; DURAND³, MICHELLE KUNTZ
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-060
Onde o trabalho foi realizado? SANTA MARIA - RS
Titulo:
O ENFERMEIRO EM SEU NÚCLEO DE ATENÇÃO¹
Resumo:
O ENFERMEIRO EM SEU NÚCLEO DE ATENÇÃO
INTRODUÇÃO: Com o advento do SUS, vieram também muitas construções e caminhos para sua implantação. Um
desses à trilhar é a estratégia saúde da família, a qual tem como formação uma equipe básica, sendo enfermeiro,
técnico enfermagem, médico e agente comunitário de saúde. Com isso, o papel que o enfermeiro vem assumindo é
cada vez mais abrangente e preponderante dentro de todas as ações. Baseado na importância do papel desenvolvido
pelo enfermeiro, questiona-se se, esse profissional conhece ou desconhece sobre seu papel dentro da atenção básica.
Também, até onde vão as ações do enfermeiro (núcleo X campo) que não interfiram nas ações de outros profissionais
e vice-versa. Uma vez que o próprio profissional entenda a relevância de seu papel, os usuários, colegas de área e
gestores passarão a valorizar e conhecer a profissão.
OBJETIVOS: Identificar o que o enfermeiro (re) conhece como sendo seu papel na atenção básica e em especial na
ESF. Identificar suas atividades e funções dentro das Unidades Básicas, incluindo as equipes de saúde da família.
METODOLOGIA : Participaram da pesquisa os enfermeiros das unidades básicas de saúde e unidades de saúde da
família. Os questionários foram distribuídos pelas autoras e explicados anteriormente à distribuição. Após a distribuição,
foram respondidos pelos colegas. As respostas foram recolhidas e catalogadas pelas autoras.
RESULTADOS OBTIDOS : A pesquisa possibilitou conhecer o quanto o enfermeiro conhecia ou desconhecia como seu
núcleo, seu papel dentro da atenção básica. Sendo que dentro da atenção básica as ações se entrelaçam, se
influenciam e muitas vezes se confundem.
LIÇÕES APRENDIDAS : Contudo, fica ainda a pergunta e a reflexão do quanto os papéis se confundem e influenciam
uns nos outros. Pois dentro da interdisciplinariedade e agora transdisciplinariedade, os profissionais tendem a organizar
planos clínicos cada vez mais juntos. Fazendo com que os planos construídos para os usuários se entrelacem, onde
cada um dá sua contribuição, conhecimento e experiência.
RECOMENDAÇÕES : Como há uma tendência do profissional e da população, bem como, gestores , a confundir e/ou
desconhecer os papéis dos profissionais enfermeiros na atenção básica; Salienta-se que essa temática seja trabalhada
e discutida entre os enfermeiros da rede municipal de Santa Maria.
Observação:
1 Relato de Experiência
2 Relatora e autora do trabalho.Enfemeira da Unidade Saúde da Família Parque Pinheiro, Santa Maria-RS
3 Autora do trabalho. Enfermeira da Unidade Saúde da Família Roberto Binato, Santa Maira-RS
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4507
Código do Autor Principal:3668
Nome do Autor Principal: KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA
Autores:
KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA; MARIA REGINA A. PASSOS.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-002
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
APRENDER PARA MULTIPLICAR, MULTIPLICAR PARA CUIDAR.
Resumo:
INTRODUÇÃO: A população adscrita ao CS Vila Pinho - Barreiro é classificada como de elevado e muito elevado
risco socioeconômico e de agravos à saúde. Segundo dados da OMS um terço dos soropositivos na América Latina
está no Brasil. Torna-se evidente a importância de uma estratégia inovadora para a prevenção das DST-s e infecção
pelo HIV na nossa comunidade.
OBJETIVO: Formar multiplicadores na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e da infecção pelo HIV,
para que sejam capazes de realizar uma abordagem de qualidade que sensibilize e -contamine- nossa comunidade.
METODOLOGIA: Encontros semanais com monitores e convidados da SMSA e equipe (ACSs, enfermeiros, auxiliares
de enfermagem, acadêmicos de enfermagem).
Foram realizados 13 encontros no formato de rodas de conversas supervisionadas, dinâmicas, leituras e discussões
em grupo, propiciando a participação de todos. Dentre os temas abordados, destacam-se a sexualidade, auto-estima,
diversidades feminina e masculina, sensibilização e reflexões sobre HIV/DST/AIDS, drogas e redução de danos, dentre
outros.
PRINCIPAIS RESULTADOS: Sensibilização da equipe do centro de saúde quanto à importância de trabalhar os temas
propostos; enfrentamento dos participantes quanto aos seus preconceitos, mitos e tabus; parcerias nas escolas com
grupos de adolescentes.
LIÇÕES APRENDIDAS: Na escolha pela promoção à saúde a equipe buscou, junto à coordenação de DST/AIDS,
caminhos pioneiros para sua capacitação e qualificação. Este trabalho proporcionará a inclusão de pessoas da
comunidade até então excluídas, pelas quais poucas ações são realizadas, tanto na área profissional quanto política.
-Tornar-se um multiplicador é mais do que um agente de saúde é, na verdade, um agente social de mudanças-. Com
base nesta premissa que a equipe iniciou com satisfação este trabalho, que permitiu uma -parada- para a reflexão
acerca do verdadeiro significado do -cuidar- em saúde.
RECOMENDAÇÕES: O Projeto -Multiplicador- pode ser realizado em outras unidades de saúde, a fim de levar o
-cuidado- para sua comunidade. Uma proposta desafiadora é levar o projeto para as escolas públicas, a fim de
qualificar profissionais responsáveis pela educação da nossa sociedade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4509
Código do Autor Principal:3670
Nome do Autor Principal: EDINEIA DE OLIVEIRA MOREIRA
Autores:
EDINEIA DE OLIVEIRA MOREIRA (RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA) EDUCAÇÃO
FÍSICA;
JOYCE LENZ TELLES (RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA) ENFERMEIRA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-205
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
ADESÃO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Estudos comprovam que o sedentarismo está associado há vários fatores de riscos, entre eles doenças crônicas
degenerativas. A adoção de um estilo de vida ativa com a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação
saudável pode trazer grandes benefícios à saúde além da manutenção da qualidade vida e mudanças de hábitos. O
Programa Saúde da Família tem como estratégica ampliar ações a serem desenvolvidas pelos profissionais envolvidos
no processo de produção social da saúde. Com a inserção da Educação Física, amplia-se as possibilidades de atuação
a promoção à saúde. Os usuários assistindo pelo PSF na UBS do bairro União da Vitória da cidade de Londrina - PR
estão sendo contemplados com um programa de exercícios físicos sistematizados. Os encontros acontecem duas
vezes na semana, reunindo cerca de 30 usuários na própria sede da unidade de saúde. O objetivo desse trabalho é
diminuir os índices de doenças ocasionadas pelo sedentarismo, e um maior controle nas doenças estabelecidas
evitando complicações de patologias como a hipertensão e a diabetes através da atividade física. Para se ter um maior
controle nas atividades desenvolvidas é realizado controle do IMC (peso e altura) e a aferição da pressão antes da
realização do exercício físico e no termino do mesmo. A metodologia abordada foi qualitativa realizada através do
registro (diário de campo) dos passos abordados no decorrer da realização de um mês de intervenção no programa
saúde da família. Os resultados demonstram que a população reconhece a importância e os benefícios de um
programa de atividades físicas sistematizadas, tendo em vista que o programa está sendo desenvolvido há um mês, já
observamos um aumento nos indivíduos assistidos e disposição pela pratica de exercícios físicos semanais e melhora
nos índices pressóricos. Conclui-se que a inserção da educação física, com práticas integrativas no programa saúde da
família, seja capaz de desenvolver ações de promoção, proteção e recuperação da saúde, aumentando suas
possibilidades de atuação numa melhor qualidade de vida da população trazendo resultados diretamente em toda rede
de atenção.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4510
Código do Autor Principal:3671
Nome do Autor Principal: CARLOS EDUARDO MARIZ NEVES
Autores:
MARIZ NEVES, C.E.
BENEVIDES, R.
SANTIAGO, R.
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-025
Onde o trabalho foi realizado? OLINDA - PE
Titulo:
GERÊNCIA DE TERRITÓRIO: UMA FERRAMENTA DE APOIO MATRICIAL AO SAÚDE DA FAMÍLIA. DS VI - SMS RECIFE.
Resumo:
Segundo Milton Santos -o território é o dado essencial da condição da vida cotidiana-. Assumindo esta afirmação do
nosso eminente geógrafo, o DS VI da SMS-Recife, implantou a Gerência de Território como estratégia para, integração
e operacionalização das políticas públicas na área da saúde, buscando efetivamente impactar nos programas e
projetos eleitos como prioritários para a cidade do Recife, sobretudo visando apoiar a estratégia de Saúde da Família
como pilar estruturante da atenção primária em nossa capital.
A territorialização consiste numa das práticas mais importantes para a os processos de trabalho em saúde, e vem
sendo utilizada por diversas iniciativas no âmbito do SUS, entre as quais a estratégia do Programa de Saúde da
Família deve ser citada como um de seus principais exemplos. Com a preocupação de não encarar o território apenas
como uma unidade administrativa, negligenciando toda a riqueza de possibilidades que o espaço social pode oferecer,
a nova estratégia de organização da atenção primária no DS VI, busca resgatar o conceito de espaço, privilegiando as
ações de saúde no território.
Tendo como pressuposto as afirmações de Castellanos que considera não ocorrer ao acaso a ocupação do espaço, e
sim tendendo a conformar conglomerados relativamente homogêneos do ponto de vista de suas condições de vida, e
de expressão do binômio saúde-doença. Devemos frisar que o espaço tem como característica essencial ser dialético
estando a exigir dos gestores e das equipes de saúde da família, a todo o momento estratégias que dêem conta de
trabalhá-lo na perspectiva da construção e reconstrução permanente da práxis. Assim o Saúde da Família é a
estratégia basilar para a consecução de tais objetivos, pois esta estrutura traz em sua concepção a idéia do
território-população, abrangendo as práticas sanitárias e a clínica ampliada como partes de um processo mais amplo
tendo como norteador a lógica epidemiológica.
O processo de implantação desta estratégia em nossa realidade local, passou necessariamente pela apropriação da
realidade no território, a partir de um diagnóstico político, social e sanitário. Não é, e não foi tarefa fácil a realização
deste diagnóstico, as questões são complexas e a realidade de nossas equipes de saúde da família extremamente
heterogêneas. Apesar do pouco amadurecimento da Gerência de Território como estratégia matricial de apoio as
equipes de saúde da família, podemos avaliar empiricamente os bons resultados alcançados, especialmente no tocante
a maior aproximação e integração entre o gestor e os profissionais de saúde no território.
Os resultados alcançados em pouco tempo, nos animam a recomendar e difundir nossa experiência. Deixamos como
recomendação à realização de pesquisas mais aprofundadas, utilizando-se de ferramentas epidemiológicas e
estatísticas para avaliação do impacto da implantação desta nova estratégia.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4511
Código do Autor Principal:3668
Nome do Autor Principal: KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA
Autores:
KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA; MARIA REGINA A. PASSOS
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-098
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
APRENDER PARA MULTIPLICAR, MULTIPLICAR PARA CUIDAR.
Resumo:
INTRODUÇÃO: A população adscrita ao CS Vila Pinho - Barreiro é classificada como de elevado e muito elevado
risco socioeconômico e de agravos à saúde. Segundo dados da OMS um terço dos soropositivos na América Latina
está no Brasil. Torna-se evidente a importância de uma estratégia inovadora para a prevenção das DST-s e infecção
pelo HIV na nossa comunidade.
OBJETIVO: Formar multiplicadores na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis e da infecção pelo HIV,
para que sejam capazes de realizar uma abordagem de qualidade que sensibilize e -contamine- nossa comunidade.
METODOLOGIA: Encontros semanais com monitores e convidados da SMSA e equipe (ACSs, enfermeiros, auxiliares
de enfermagem, acadêmicos de enfermagem).
Foram realizados 13 encontros no formato de rodas de conversas supervisionadas, dinâmicas, leituras e discussões
em grupo, propiciando a participação de todos. Dentre os temas abordados, destacam-se a sexualidade, auto-estima,
diversidades feminina e masculina, sensibilização e reflexões sobre HIV/DST/AIDS, drogas e redução de danos, dentre
outros.
PRINCIPAIS RESULTADOS: Sensibilização da equipe do centro de saúde quanto à importância de trabalhar os temas
propostos; enfrentamento dos participantes quanto aos seus preconceitos, mitos e tabus; parcerias nas escolas com
grupos de adolescentes.
LIÇÕES APRENDIDAS: Na escolha pela promoção à saúde a equipe buscou, junto à coordenação de DST/AIDS,
caminhos pioneiros para sua capacitação e qualificação. Este trabalho proporcionará a inclusão de pessoas da
comunidade até então excluídas, pelas quais poucas ações são realizadas, tanto na área profissional quanto política.
-Tornar-se um multiplicador é mais do que um agente de saúde é, na verdade, um agente social de mudanças-. Com
base nesta premissa que a equipe iniciou com satisfação este trabalho, que permitiu uma -parada- para a reflexão
acerca do verdadeiro significado do -cuidar- em saúde.
RECOMENDAÇÕES: O Projeto -Multiplicador- pode ser realizado em outras unidades de saúde, a fim de levar o
-cuidado- para sua comunidade. Uma proposta desafiadora é levar o projeto para as escolas públicas, a fim de
qualificar profissionais responsáveis pela educação da nossa sociedade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4512
Código do Autor Principal:3612
Nome do Autor Principal: JULIANA OLIVEIRA SOARES
Autores:
JULIANA OLIVEIRA SOARES;
JUDITE MARIA DO VALE;
LÚCIA YASUKO IZUMI NICHIATA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-031
Onde o trabalho foi realizado? Em todo o país
Titulo:
O SIGILO DAS INFORMAÇÕE NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
A equipe do Programa Saúde da Família (PSF) tem como finalidade o desenvolvimento de ações de prevenção de
doenças e agravos e promoção da saúde de uma determinada comunidade adstrita a um dado território. Neste
contexto, todos os membros da equipe de PSF devem respeitar o direito dos usuários no que diz respeito a assegurar a
confidencialidade das informações dos mesmos.
Dado que a experiência de PSF é recente, o presente estudo tem como objetivo descrever, através de publicações
científicas, quais os nós críticos envolvidos no tema 'privacidade das informações de usuários pelas equipes do PSF',
Trata-se de um estudo exploratório, desenvolvido com base na revisão da literatura científica, pesquisada nas bases de
dados Dedalus da Universidade de São Paulo, Medline e Lilacs, estes dois últimos constantes no Banco Internacional
de Referências Médicas (Bireme), de 1996 a 2006. Também foram acessados os Anais dos Congressos Mundial e
Brasileiro de Bioética, de 2002 e 2005, respectivamente.
Na busca de publicações científicas nas bases de dados selecionadas foram encontrados somente doze trabalhos,
sendo que destes, apenas oito estavam relacionados a temática em estudo.
Verifica-se na leitura dos artigos que o sigilo das informações dos usuários dos serviços é uma preocupação presente
nas equipes de PSF, principalmente em relação ao Agente Comunitário de Saúde (ACS), por ser um elemento da
comunidade inserido nas equipes de saúde. Além disto, o manuseio dos prontuários convencionais e os eletrônicos
também podem ter potenciais para a quebra de sigilo.
Após a leitura dos artigos encontrados, pode-se concluir que o sigilo das informações é uma preocupação constante
nas equipes de saúde envolvendo todos os membros, ao mesmo tempo, verificou-se que são necessários estudos que
aprofundem melhor a discussão, pois há poucos trabalhos que abordam a temática e suas diversas ramificações.
Sugere-se que questões que envolvem a privacidade e o sigilo possam ser objeto de educação permanente, nas
capacitações introdutórias, ou fazendo parte das discussões diárias nas reuniões de equipe, em discussões de casos
com especialistas em bioética e no desenvolvimento de estudos nas equipes.
Observação:
Trabalho de Conclusão do Curso de Especialização em Saúde Coletiva com ênfase no Programa de Saúde da
Família, promovido pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EE-USP), no anno de 2006.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4514
Código do Autor Principal:3672
Nome do Autor Principal: ANDERLUCIA CORREA GUEDES
Autores:
ANDERLÚCIA CORREA GUEDES, ALBANÉA BAYLÃO TREVISAN E RIZIERE MEZAQUE
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-146
Onde o trabalho foi realizado? PIRAÍ - RJ
Titulo:
AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO A SAÚDE PRESTADA A PORTADORES DE HIPERTENSÃO ARTERIAL
Resumo:
Modelos de atenção à saúde que incorporem estratégias diversas, para melhorar a atenção e alcançar o controle
adequado da Hipertensão Arterial Sistêmica -HAS, tem sido uma prioridade de gestão em Piraí. A conseqüência dessa
definição destaca resultados derivados de uma estruturação da rede de serviços de saúde, onde se destaca a
cobertura de 100% do Programa de Saúde da Família/PSF. A gestão local aproveitou oportunidades para conseguir
recursos, ampliando e melhorando a estrutura física das unidades de saúde. A HAS é um dos graves problemas de
saúde pública no país. Atinge 35% da população de 40 anos e mais. Em Piraí a Doença do aparelho circulatório é a
segunda causa de internação há vários anos. Em 2007 esta taxa foi de 100,37/10.000 hab. Com relação aos óbitos, a
Doença cardiovascular é a primeira causa de óbito e representou 30% do total das causas básicas. O objetivo da
pesquisa é avaliar o impacto da organização dos serviços de Saúde, no óbito por doença cardiovascular da população
residente de Piraí, com menos de 70 anos de idade. Analisar a qualidade da atenção à saúde prestada a esta
população que era portadora de HAS, que foram a óbito no ano de 2007, identificando os nós críticos, tomando por
base as recomendações do Caderno de Atenção Básica do Ministério da Saúde, 2006, a partir da DO e do prontuário
da APS, favorecendo a adequação as necessidades da população. O impacto dos investimentos realizados , no
controle da HAS foi notório. Houve diminuição dos óbitos por doença cardiovascular, em pacientes com menos de 70
anos. Dentre as ações que contribuíram para os resultados destacamos: captação, vinculação e monitoramento destes
pacientes pela APS. O Acesso a médicos, exames e medicamentos, também foi essencial para os resultados positivos.
Podemos ver que a estratégia do PSF, foi primordial para o acompanhamento dos pacientes. Se quisermos construir
um Serviço de APS, dirigido à dignidade humana, equidade, solidariedade, para a proteção e promoção da saúde,
centrada nas pessoas e focada na qualidade, ainda temos um longo caminho a percorrer e é necessário investimento
em pessoas. Algumas ações deverão ser implementadas para impactar ainda mais, na redução deste óbito, pois são
crescentes as iniqüidades sociais. A baixa escolaridade foi um fator que influenciou fortemente, nos óbitos de Piraí.
Nada pode estar mais longe da verdade. Dentre essas ações a serem implementadas se destaca o papel da atenção
primária na coordenação e integralidade do cuidado. Precisamos implementar protocolos, discutí-los, avançar no
processo de avaliação e desenvolvimento de pesquisa. A ampliação do acesso a tratamentos não farmacológicos é
fundamental no controle de fatores predisponentes.É primordial estabelecer processos para contra referencia,
priorização de risco, acompanhamento e discussão multidisciplinar.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4515
Código do Autor Principal:3673
Nome do Autor Principal: DENISE DA MATA ALVES
Autores:
DENISE DA MATA ALVES; GRAZIANE RIBEIRO COUTO; IZABEL CRISTINA LEITE ALBUQUERQUE; MANOEL
GONÇALVES DA SILVA NETO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-213
Onde o trabalho foi realizado? ESTÂNCIA - SE
Titulo:
MOSTRA DE SAUDE BUCAL: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE NAS AÇÕES ODONTOLOGICAS EM
ESTANCIA-SE
Resumo:
O Programa Saúde da Família, criado pelo Ministério da Saúde em 1994, trata-se da reorganização da Atenção Básica,
onde se implantou um novo modelo de atuação dos serviços de saúde seguindo os princípios do SUS. A necessidade
de melhorar os indicadores epidemiológicos em saúde bucal e de ampliar o acesso da população às ações
odontológica educativa e preventiva impulsionou a reorientar as práticas de intervenção, valendo-se, para tanto, de sua
inclusão, em 2001, na estratégia de Saúde da Família. A introdução da Saúde Bucal nesta estratégia envolve
mudanças não só no modelo de atenção, como também na organização do sistema de saúde bucal com um maior
envolvimento da comunidade assistida. Dentro deste contexto, o presente trabalho tem como objetivo retratar uma
experiência de promoção de saúde bucal diferenciado, por meio de Mostras de Saúde Bucal realizadas anualmente,
desde 2005, no município de Estância-SE. Frente a estas mudanças, as atividades das Mostras de Saúde Bucal vêm
no sentido de desenvolver ações curativas através do atendimento da população no consultório da Unidade Móvel e
reforçar principalmente as ações preventivas e educativas para a população adstrita, por meio de palestras, peças
teatrais, oficinas de trabalho, ações recreativas e aplicação tópica de flúor. A diversidade e o impacto das atividades
desenvolvidas durante estes eventos no município de Estância-SE são de extrema importância tanto para a população
quanto para os profissionais. Para a população, por permitir com que esta se torne cada vez mais consciente e
estimulada a desenvolver hábitos de saúde bucal saudáveis, através da orientação e do esclarecimento sobre a
importância da manutenção da saúde oral reforçada pela Educação em Saúde. Para os profissionais, por possibilitar
avaliar anualmente as atividades e os serviços odontológicos prestados neste território, bem como estimular o debate
acerca de novas estratégias para a reorganização e conversão do novo modelo de Saúde Bucal.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4516
Código do Autor Principal:3674
Nome do Autor Principal: JOÃO LUÍS DA SILVA
Autores:
JOÃO LUÍS DA SILVA;
MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE DE OLIVEIRA.
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-026
Onde o trabalho foi realizado? RECIFE - PE
Titulo:
CRITÉRIOS PARA TOMADA DE DECISÃO NOS CASOS DE ENDODONTIA EM SESSÃO ÚNICA NOS CEO-S DO
RECIFE
Resumo:
Desde que criou o Programa Brasil Sorridente, o Ministério da Saúde já implementou 503 Centros de Especialidades
Odontológicas (CEO-s) no país. Como o programa ainda não possui um protocolo clínico definido para as terapêuticas
endodônticas, este estudo buscou avaliar os critérios para a decisão de tratamento endodôntico em única sessão.
Foram realizadas entrevistas com os cirurgiões-dentistas em atividade nos CEO-s da cidade do Recife, através de um
formulário. A média de idade dos profissionais entrevistados foi de 37 anos, com média de 14,1 anos de formação;
sendo 11% da amostra pertencente ao gênero masculino e 89% ao feminino. A maior parte destes (85,7%) realiza
endodontia em sessão única em alguma situação. Todos os profissionais adeptos à sessão única executam tal
procedimento nos casos de polpa viva. Cinqüenta por cento dos entrevistados realizam sessão única, nos casos de
polpa mortificada sem lesão periapical. Nos casos em que a polpa apresenta-se mortificada e associada a uma lesão
periapical e nos casos de retratamento, verificou-se que 100% dos profissionais entrevistados não realizam endodontia
em sessão única. Quanto a proservação, 86% responderam que realizam controle clínico e radiográfico, com um
intervalo de 6 meses entre um controle e outro. Concluiu-se que a decisão de se realizar o tratamento de canal em uma
única sessão depende do estado pulpar e/ou perirradicular do dente envolvido.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4517
Código do Autor Principal:3675
Nome do Autor Principal: ANA RAELMA MENDES DE SOUSA
Autores:
ELAINE SILVA DA PENHA - NUTRICIONISTA
ANA RAELMA MENDES DE SOUSA - MÉDICA VETERINÁRIA
ELIZANDRA SILVA DA PENHA - DENTISTA
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-017
Onde o trabalho foi realizado? MATURÉIA - PB
Titulo:
RESGATANDO A SAÚDE ATRAVÉS DA ALIMENTAÇÃO
Resumo:
Atualmente, a obesidade doença crônica não-transmissível, é um problema de saúde pública mundial. A
modernização determinou uma mudança nos padrões de comportamento alimentar que, juntamente com a redução da
atividade física nas populações e sobrepeso, vem determinando um aumento na incidência de doenças
cardiovasculares. O aumento da prevalência da obesidade no Brasil é relevante e proporcionalmente mais elevado nas
famílias de baixa renda. No período de 1999 a 2005 ocorreram no município de Maturéia 64 óbitos por doenças do
aparelho circulatório. Sabendo-se que entre hipertensão e obesidade existe uma relação bem estabelecida: as pessoas
obesas têm três vezes mais probabilidade de desenvolver hipertensão. Tal estudo objetivou orientar a população da
zona rural, sobre adoção de um estilo de vida saudável - através de mudanças nos hábitos alimentares, prática de uma
atividade física - e resgatar o consumo de alimentos funcionais cultivados na região, ao invés do consumo de produtos
industrializados e pré-processados, através de cursos de culinária com alimentos alternativos. O experimento foi
conduzido nas 19 Associações Comunitárias da Zona Rural do município de Maturéia - PB no ano de 2006,
utilizando-se coleta de dados a cerca dos hábitos alimentares da população em estudo. Foram utilizados questionários
a fim de identificar os alimentos produzidos na região e elaborar receitas de alto valor nutricional. Foi agendado visitas
as comunidades para repasse das receitas elaboradas com os alimentos cultivados. As mulheres foram escolhidas
para as aulas práticas de arte culinária. O estudo prospectivo teve duração de 20 semanas durante as quais as
usuárias recebiam orientações acerca do valor nutricional do alimento, sua ação terapêutica, dicas de alimentação
saudável e reaproveitamento dos alimentos. Os resultados referentes às mudanças nas práticas alimentares foram
satisfatórios, já que as receitas foram bem aceitas entre os consumidores pela sua boa palatabilidade. As informações
sobre a importância de consumir alimentos saudáveis e a prática regular de uma atividade física foram bem assimiladas
e difundidas entre as comunidades, principalmente entre aqueles com agravos decorrentes do sobrepeso/obesidade e
hipertensão arterial. Houve a adoção de bons hábitos alimentares na dieta dos participantes com a inserção de
vegetais folhosos, frutas e verduras, produtos não valorizados e pouco consumidos anteriormente. Desde então
passaram também a conhecer a importância do consumo regular de alimentos funcionais, tais como a soja e o alho. Foi
relatado pelas participantes do curso de culinária, que não havia o consumo regular desses alimentos, porque as
mesmas não gostavam e não sabiam preparar receitas gostosas e variadas.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4518
Código do Autor Principal:3676
Nome do Autor Principal: ANA LÚCIA BONIFÁCIO REIS
Autores:
ANA LÚCIA BONIFÁCIO REIS
CLEUSA DE FÁTIMA FERREIRA DA SILVA
SOLANGE DO ROCIO SANTANA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-150
Onde o trabalho foi realizado? CURITIBA - PR
Titulo:
PROGRAMA COMUNIDADE ATIVA
Resumo:
O envelhecimento populacional requer o desenvolvimento de ações planejadas, principalmente no âmbito da saúde,
visando atuações específicas no que implica a este fenômeno. O envelhecimento bem sucedido está relacionado à
saúde física e à capacidade do indivíduo de lidar com os desafios. O processo do envelhecimento é visto como
potencializador de inúmeras perdas, que habitualmente não estão relacionadas diretamente às limitações funcionais,
mas à perda dos papéis sociais que estas implicam. As habilidades individuais na realização das atividades diárias
envolvem uma demanda física, tal como levantar e sentar de uma cadeira, que depende do desempenho muscular,
assim como de fatores cognitivos e ambientais. O ambiente desempenha um importante papel na manifestação e
manutenção da independência dos idosos. Portanto, a promoção do envelhecimento saudável e a manutenção da
capacidade funcional do idoso - foco central deste Programa - equivalem à valorização da autonomia, da
autodeterminação e da preservação da independência física e mental do idoso. O propósito deste estudo é relatar a
experiência de um programa que há 2 anos desenvolve atividades direcionadas, inserido em um modelo de assistência
à saúde da família. O programa tem como objetivo criar estratégias na melhora das habilidades funcionais, constituir
um espaço de autoconhecimento, constituir um ambiente de socialização e discussão sobre questões inerentes ao
envelhecimento, assim como conscientizar a responsabilidade do indivíduo na prevenção de doenças e no seu
tratamento. Os encaminhamentos ao programa são feitos pelos membros da própria equipe, enfocando os indivíduos
com doenças crônicas, como HAS, diabetes, osteoartrose, depressão, e quedas. O programa é realizado 3 vezes por
semana, conduzido por 2 auxiliares de enfermagem e orientados pelo fisioterapeuta. São feitas caminhadas na área de
abrangência do PSF e exercícios de cunho educativo e reabilitativo no espaço saúde da unidade, além de palestras e
passeios e, mensalmente, os participantes são acompanhados por meio da aferição da PA e do peso. A aderência ao
grupo é alta (80 participantes), tornando difícil a inclusão de novos participantes, bem como a sistematização do espaço
alocado. As atividades corporais coletivas são significantes para o idoso manter-se ativo, aprendendo e interagindo
com o ambiente e as pessoas que os rodeiam, contribuindo para a manutenção física e funcional não só do organismo
do indivíduo como também do seu estado psicológico e social. A implantação do programa direcionou o olhar da equipe
aos fatores que potencializam riscos à saúde, identificando os problemas e necessidades de cada indivíduo,
melhorando o vínculo e à aderência a tratamentos propostos. O enfoque na manutenção da capacidade funcional e da
autonomia é primordial nestas estratégias, ocasionando um significante impacto na Qualidade de Vida.
Observação:
PROGRAMA REALIZADO NA UNIDADE DE SAÚDE TAIZ VIVIANE MACHADO NO DISTRITO SANITÁRIO DA
CIDADE INDUSTRIAL DO MUNICÍPIO DE CURITIBA.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4519
Código do Autor Principal:3200
Nome do Autor Principal: GEIZA PIMENTEL PINTO
Autores:
GEIZA PIMENTEL PINTO*
DEIZIANE MESSIAS MARQUES*
FÁBIO FERNANDES FLORES*
MARIA CLÁUDIA GONÇALVES DA SILVA*
RICARDO FRANKLIN DE FREITAS MUSSI**
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-063
Onde o trabalho foi realizado? GUANAMBI - BA
Titulo:
EDUCAÇÃO E SAÚDE PARA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA NO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
O Programa de Saúde da Família (PSF) tem como proposta ações de prevenção, recuperação e promoção da saúde
visando uma melhoria na qualidade de vida da população. Entendendo a pratica de atividade física como importante
nas ações relacionadas atenção primária em saúde, surgiu a proposta de sua inserção nesse espaço através do
-PROJETO AÇÃO E SAÚDE - Educar, Conscientizar, Praticar e Multiplicar-, sendo uma iniciativa da Linha de Estudo,
Pesquisa e Extensão em Atividade Física (LEPEAF) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em parceria com a
Secretaria Municipal de Saúde de Guanambi/Ba. Dessa maneira, vem sendo desenvolvidas atividades físicas
orientadas e permanentes na unidade básica do bairro Vomitamel, desde o início do ano 2007, proporcionando
momentos reflexivos sobre educação preventiva e promoção da saúde, melhoria da qualidade de vida e bem-estar. No
que se refere ao local de realização das atividades, é utilizada à quadra coberta do centro comunitário da Igreja católica
do bairro, ocorrendo nas segundas e quintas-feiras das 16 às 18 horas, atendendo a um público heterogêneo de 44
participantes com idade entre 25 a 87 anos. Toda a proposta inicia-se com aplicação de anamnese, para identificação
do freqüentador, estabelecer a presença de patologias, ou seja, conhecer o público e propor contextualizadamente uma
intervenção. Em relação às atividades propostas para a população se destacam: danças, esportes adaptados,
brincadeiras, caminhada, ginásticas diversas, alongamentos e momentos de orientação educacional. Com o
desenvolvimento dessas práticas é possível perceber uma melhoria significativa na vida dos participantes, pois os
mesmos relatam verbalmente satisfação e motivação para a realização de tarefas diárias, bem como melhora na
auto-estima e bem-estar, diminuindo a ansiedade e o uso de medicamentos. A intervenção vem contribuindo
principalmente no sentido de despertar entre os participantes o interesse pela prática da atividade física, isto porque
alguns começaram a se exercitar por recomendação médica, enquanto hoje são adeptos da prática por entenderem os
benefícios trazidos pela pratica de exercícios regulares. Entretanto, no decorrer do trabalho, foram encontradas
algumas dificuldades, como à adequação das atividades para o público heterogêneo e a falta de recursos materiais.
Como vantagens é possível apontar entre os indivíduos grande receptividade com a realização das atividades num
espaço amplo, arejado e diversificado. Sendo assim, parece justificar-se a importância da presença dos professores de
educação física diretamente nas unidades básicas de saúde, sendo o responsável por atividades físicas e educativas
na atenção básica capazes de proporcionar mudanças positivas nos hábitos populacionais, promovendo uma melhora
em sua qualidade de vida e longevidade.
Observação:
*Acadêmicos do curso de Educação Física - UNEB Campus XII
** Professor orientador UNEB Campus XII
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4520
Código do Autor Principal:2779
Nome do Autor Principal: MAIRA SAYURI SAKAY BORTOLETTO
Autores:
MAIRA SAYURI SAKAY BORTOLETTO, ENFERMEIRA - AMS; MARILDA KOHATSU, ENFERMEIRA - AMS; EUNICE
HOKAMA - ENFERMEIRA - SMS; LÍDIA HOKAMA - ENFERMEIRA - SMS; MARIA EMÍLIA ALENCAR - EDUCADOR
FÍSICO - SECRETARIA MUNICIPAL DO IDOSO; DOREEN EMIKA NONAKA TUNOUTI - FISIOTERAPEUTA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-162
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA ATIVIDADE FÍSICA COM IDOSOS PARTICIPANTES DE UM GRUPO DE
CONVIVÊNCIA
Resumo:
Introdução:O Ministério da Saúde estabelece por meio da política nacional de promoção da saúde, o incentivo a
atividades de Práticas Corporais/Atividade Física como estratégia de promoção de saúde e prevenção de agravos, e
tendo em vista a busca da redução da alta taxa de mortalidade por complicações decorrentes das Doenças Crônicas
não transmissíveis, como Diabetes, Hipertensão Arterial, Doenças cerebrovasculares, etc. As Doenças Crônica Não
Transmissíveis (DCNT) são de etiologia multifatorial e compartilham vários fatores de risco modificáveis como o
tabagismo, a inatividade física, alimentação inadequada, a obesidade e a dislipidemia. O seu crescimento alarmante
nos últimos anos apresenta diversos determinantes: o aumento na intensidade e freqüência da exposição aos fatores
de risco; a mudança na pirâmide demográfica, com crescimento importante da população idosa; o aumento da
longevidade. Atualmente já se têm estudos comprovando que uma mudança nos hábitos alimentares e na atividade
física pode influenciar fortemente vários desses fatores de risco na população. A Organização Mundial de Saúde (OMS)
aponta estas ações de promoção á saúde como principal estratégia de enfrentamento das DCNT.
Neste sentido a atividade física regular é considerada um aspecto fundamental de um estilo de vida saudavel e sendo
de responsabilidade da equipe de saúde o estímulo e orientação dos pacientes.
Objetivo: Trata-se de uma pesquisa qualitativa que objetivou compreender as representações sociais de se participar
de um Projeto de Ações Integradas na Atenção a Saúde do Idoso no município de Londrina -Pr. Foram realizadas
entrevistas semi-estruturadas, com as pessoas idosas que participam de um grupo de convivência.
Metodologia: Foram aplicados questionários semi estruturados ao idosos participantes do grupo de convivência a um
ano.
Resultados alcançados: Da análise de conteúdo emergiram duas categorias resignificação da prática de exercício
físico, melhoria da auto estima como o cuidado que deve ser tomado rotineiramente na busca de um futuro com maior
qualidade de vida. Os resultados mostraram que movidos pelas representações de alterações e ameaças os sujeitos
buscam no cuidado através de uma atividade fisica a esperança de não desenvolver pioras na qualidade de vida que
muitos viam anteriormente a atividade como ruim ou quando não se estimulavam na busca controlar a situação.
Quando ocorre o não cuidado surge o sentimento de culpa por terem conhecimentos e não se cuidarem.
Lições aprendidas com a experiência: As representações sociais contribuíram na busca da compreensão do modo
como os sujeitos idosos constroem saberes que expressam sua identidade e guiam seus comportamentos,
especialmente vinculado a prática de atividade física.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4522
Código do Autor Principal:3677
Nome do Autor Principal: DANIELLY ACIOLI GALVÃO DE SOUZA
Autores:
DANIELLY ACIOLI GALVÃO DE SOUZA
CAMILA SILVA BARROS
MARIA CONCEIÇÃO CARVALHO MACIEL
PATRÍCIA MICHELLY SANTOS LIMA
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-054
Onde o trabalho foi realizado? SANHARÓ - PE
Titulo:
MORTALIDADE DE MENORES DE UM ANO NO MUNICÍPIO DE SANHARÓ, PERNAMBUCO, NO PERÍODO DE
2002 A 2006.
Resumo:
A mortalidade infantil tem sido considerada um bom indicador das condições de vida refletindo os níveis de saúde e
de desenvolvimento socioeconômico de uma determinada área. É simples de ser calculada sendo considerada um dos
mais importantes indicadores epidemiológicos utilizados internacionalmente. A sua redução é ainda um grande desafio
para o Brasil. Essa situação é agravada quando se reconhece que mais de 90% das mortes de menores de um ano
poderiam ser evitadas por ações de prevenção, diagnóstico e tratamento precoces ou por meio de parcerias com outros
setores. Portanto, o estudo em questão é relevante já que fornece subsídios a uma melhoria da eficácia das ações do
programa materno-infantil na redução da mortalidade dos menores de um ano no município de Sanharó.
Tendo como objetivo investigar a freqüência dos óbitos segundo a causa, no período de 2002 a 2006 no município de
Sanharó.Trata-se de um estudo descritivo exploratório de caráter quantitativo. Os dados foram coletados através do
sistema de informação de mortalidade (SIM), no período de 2002 a 2006. A amostra foi composta de todos os óbitos de
menores de um ano dos residentes do município de Sanharó - PE, incluindo aqueles em que os óbitos ocorreram fora
do município, totalizando 45 óbitos infantis. Em relação ao processamento e análise dos dados, os resultados foram
tabulados através do Tab-win resultando na apresentação gráfica e tabular dos dados, correlacionando com base na
literatura pesquisada.
Para avaliação da mortalidade infantil foram estudadas as causas do óbito, dessa forma, será possível conhecer como
se distribuem os óbitos no primeiro ano de vida, segundo as causas básicas de morte e os fatores de risco associados
a sua prevalência no Município de Sanharó. Entre os anos 2002 e 2006 ocorreram 45 óbitos infantis, desses 71,11%
foram por causas evitáveis em crianças menores de um ano. Assim como em outros estudos é notória a elevada
ocorrência de óbitos do grupamento "diarréia-pneumonia-desnutrição-. As diarréias representam a maior causa de
morte com 17,78% seguido da desnutrição e das afecções respiratórias com 13,33%. Foi observado que no município
de Sanharó a freqüência dos óbitos no período de 2002 a 2006 são por causas evitáveis, entretanto pode-se observar
uma redução dos índices de óbitos por essas causas no decorrer do período analisado. O uso de causas básicas de
morte é de grande importância no estudo da mortalidade, pois é intervindo sobre essas que, quase sempre, as ações
poderão ser mais eficientes e eficazes sobre a redução da mortalidade. A prevenção da afecção inicial diminui, com
certeza, um grande número de mortes prematuras e evitáveis, além de reduzir os custos sociais e econômicos
decorrentes de patologias e problemas de saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4524
Código do Autor Principal:3674
Nome do Autor Principal: JOÃO LUÍS DA SILVA
Autores:
JOÃO LUÍS DA SILVA;
MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE DE OLIVEIRA
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-085
Onde o trabalho foi realizado? RECIFE - PE
Titulo:
MUDANÇAS NOS CURSOS DE ODONTOLOGIA VISANDO UMA MAIOR INTERAÇÃO COM O SUS
Resumo:
As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) são orientações para elaboração dos currículos que devem ser adotadas
por todas as instituições de ensino superior. Na área da Saúde, estas precisam ser entendidas dentro de um contexto
maior, o da Reforma Sanitária Brasileira. Embora tenham ocorrido movimentos significativos para uma reflexão crítica
sobre os modelos tradicionais de formação profissional em várias áreas da Saúde, principalmente na Medicina e na
Enfermagem, em relação à Odontologia, existe um atraso histórico destes movimentos de mudança, exigindo um
esforço redobrado para que se possa integrar a saúde bucal num novo contexto de ação interdisciplinar e
multiprofissional. Na maior parte das instituições, as clínicas de ensino continuam sendo o local privilegiado para o
desenvolvimento prático dos acadêmicos. No entanto, os movimentos atuais de reorganização da prática clínica
odontológica indicam uma tendência progressiva à antecipação das clínicas integradas, envolvendo o aluno desde os
primeiros anos na visão integral do paciente. Práticas de ensino também podem ser trabalhadas, com eficácia e
eficiência, em Unidades Básicas de Saúde, na comunidade e nos domicílios, permitindo ao aluno um melhor
conhecimento da população que será atendida. Os cenários de ensino, portanto, devem ser diversificados,
agregando-se ao processo, além dos equipamentos de saúde, os equipamentos educacionais e comunitários. Dois
objetivos não podem ser perdidos de vista na implementação das DCN: a integração curricular e a integralidade da
atenção. As Diretrizes indicam a necessidade de transformar o modelo de atenção, fortalecendo a promoção e
prevenção, oferecendo atenção integral e fortalecendo a autonomia dos sujeitos na produção da saúde. Assim sendo,
concluímos que o grande desafio está em sair de um modelo de ensino centrado no diagnóstico, tratamento e
recuperação de doenças para outro centrado na promoção de saúde, prevenção e cura de pessoas de maneira mais
holística.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4525
Código do Autor Principal:3668
Nome do Autor Principal: KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA
Autores:
MARISTELA DO NASCIMENTO SILVA /KARINA MICHELLE MENEZES FONSECA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-078
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
ACOLHIMENTO EM SAÚDE E ORGANIZAÇÃO DE DEMANDA COM AVALIAÇÃO DE RISCO
Resumo:
INTRODUÇÃO: O trabalho surgiu como resultado das Oficinas de Humanização e necessidade de repensar o
Acolhimento, com a formulação de propostas de organização da -porta de entrada -da demanda espontânea.
OBJETIVOS: Organizar o Acolhimento, tendo como base a avaliação de risco, promovendo o acesso, eliminado as
filas; Reorganizar o processo de trabalho com a implementação de novas práticas de saúde; Qualificar a relação entre
trabalhadores e usuários evitando conflitos
METODOLOGIA: Através de -rodas de debates-, analisamos a organização do Acolhimento, a partir da prática
profissional e dos problemas do cotidiano. Visando conhecer o perfil dos usuários, realizamos um levantamento de
dados da população atendida com informações referente ao sexo, faixa etária e motivo de procura. Para a reflexão
utilizamos textos da PNH, o doc: A Atenção Básica de Saúde e outros textos afins.
PRINCIPAIS RESULTADOS: Definiu-se o horário para organizar a demanda diária de cada equipe, duas vezes por
semana, em períodos alternados, com ampliação dos mesmos e maior opção para o usuário. A equipe ficou com mais
tempo disponível para realizar atividades programadas: grupo operativo, de convivência, caminhadas, roda de
conversas, educação em saúde, atividades de sala de espera, entre outros. As equipes de zoonose, saúde bucal, o
serviço social passaram a ter maior participação nas atividades programadas. Tivemos uma análise positiva em relação
à satisfação do usuário.
LIÇÕES APRENDIDAS: Este trabalho foi desenvolvido com a participação de todos os profissionais do CS Vila Pinho.
Apesar das adversidades por que passa esta unidade, a construção coletiva, pactuada em consonância com a PNH e o
documento da SMSA, possibilitou que, ontem apenas um conjunto de profissionais, traduza hoje o real sentido de
equipe, o que tem facilitado a implementação das propostas.
RECOMENDAÇÕES: -Acolher- no sentido de escutar e humanizar o atendimento é uma proposta que não somente
valoriza o usuário, mas também o profissional, sendo essa proposta viável em todas as unidades que prestam esse tipo
de assistência, como unidades de pronto-atendimento e outras unidades básicas de saúde. Promover debates e
discussões sobre a qualificação na identificação da demanda e priorização das ações em equipe favorece o trabalho
em locais que vivem a constante pressão por atendimento aos usuários, beneficiando a harmonia e eficácia das ações.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4526
Código do Autor Principal:3678
Nome do Autor Principal: GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Autores:
GEORGIA MEDEIROS PAIVA.
ORIENTADORA: PROFA. MS. CIBELLY ALINY SIQUEIRA LIMA FREITAS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-034
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
QUALIDADE DE VIDA DE UM GRUPO DE ALONGAMENTO EM SOBRAL-CE.
Resumo:
A importância e estimativa de avanço dado ao aspecto da saúde para população humana em geral deu-se devido ao
componente central chamado de Qualidade de Vida. Esse termo por ser bastante amplo e complexo, com diferentes
interpretações e atribuídas a dimensões subjetivas nos levou a realizar uma pesquisa de caráter exploratório-descritivo
com uma abordagem quanti-qualitativa e que teve por objetivo analisar a Qualidade de Vida de um Grupo de
Alongamento da ESF, no território da Estação, no município de Sobral-CE. Fizeram parte da pesquisa 30 pessoas
acima de 25 anos de idade que praticam Atividade Física Regular em um Grupo de Alongamento e são acompanhadas
pela Equipe do Centro de Saúde da Família (CSF) Estação, em Sobral-CE. Como técnica para obtenção dos dados
aplicamos uma entrevista estruturada e um formulário sobre qualidade de vida, versão traduzida, proposta pela OMS
chamado de WHOQOL - Bref, dentro de uma perspectiva genuinamente internacional. As informações foram
analisadas e apresentadas em forma de tabelas, já os depoimentos dos atores sociais deram-se de forma subjetiva
com categorização. As informações mais evidentes referem-se ao sentido que dão às suas vidas, a satisfação com a
auto-estima e imagem corporal, as mudanças no convívio social, capacidade funcional e as relações com o ambiente.
Os participantes do grupo mostraram que existe uma harmonia entre a atividade física e o resultado que proporciona no
cotidiano destas pessoas. Vale ressaltar, a seriedade deste profissional como um ator na intervenção do processo
saúde/doença, o qual sensibilizou o grupo para a prática da atividade física, com a finalidade de promover estilo de vida
saudável e melhoria da qualidade de vida desta população.
Palavras-chaves: Qualidade de Vida; Atividade Física; Participantes de um Grupo de Alongamento.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4527
Código do Autor Principal:3679
Nome do Autor Principal: MANUELA BARRETO DE ARAUJO GOMES
Autores:
MARCIUS DE ALMEIDA GOMES, MANUELA BARRETO DE ARAÚJO GOMES E MARIA DE FÁTIMA DA SILVA
DUARTE
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-035
Onde o trabalho foi realizado? FLORIANÓPOLIS - SC
Titulo:
ORIENTAÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA PROPOSTA DE AÇÃO
Resumo:
Considerando os princípios e estratégias apresentadas pelo PSF e as bases conceituais para a promoção da saúde
(Otawa,1986), com destaque para a construção do emponderamento (empowerment), ampliar as ações da atividade
física para além das questões comportamentais se torna algo essencial para as iniciativas da educação física na saúde
pública. Portanto, diante das significativas contribuições da atividade física regular para a saúde, democratizar o acesso
desta atividade para toda a população, independente de cor, raça e condição social, representa um desafio para as
políticas públicas de saúde. Este trabalho tem como objetivo propor e recomendar estratégias para orientação de
atividade física em Programa de Saúde da Família, e refletir sobre as possibilidades de atuação do profissional de
educação física no Sistema Único de Saúde (SUS).O estudo foi caracterizado como desenvolvimental, com
delineamento de pré e pós-teste, com grupo controle. Para o desenvolvimento do protocolo, utilizou-se o Modelo
Transteorético e a Teoria Educacional de Paulo Freire, sendo aplicado em três fases distintas. Para a participação da
fase de intervenção do protocolo, a amostra foi composta por 51 adultos no grupo experimental (GE) e 52 adultos no
grupo controle (GC), com idade entre 30 e 65 anos, pertencentes às áreas de cobertura do PSF das unidades locais de
saúde selecionadas. Após a aplicação do protocolo, o GE apresentou resultados significativos para o aumento na
percepção da saúde positiva, no nível de AF habitual no exercício e nos EMCAFE e, diminuição para a percepção da
barreira da falta de conhecimento e/ou orientação para AF. Para a avaliação processual, observou-se aprovação
superior a 80% na maioria dos itens que representaram as cinco dimensões avaliadas. Por fim, conclui-se que as
estratégias e os procedimentos apresentados pelo Modelo Transteorético e pela Teoria Educacional de Paulo Freire,
representam bons instrumentos para intervenções de atividade física para a promoção da saúde de adultos
aparentemente saudáveis, tornando-os viáveis a sua aplicabilidade para o contexto do Programa de Saúde da Família
(PSF).
Observação:
Este estudo é resultado da dissertação de mestrado, onde foi desenvolvida uma intevenção em duas unidades de
saúde da failia respeitando as propostas de promoção da saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4529
Código do Autor Principal:3681
Nome do Autor Principal: MIRVAINE PANIZZI
Autores:
MIRVAINE PANIZZI;
GLÓRIA RIBEIRO FREYESLEBEN;
JOÃO CARLOS CAETANO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-008
Onde o trabalho foi realizado? SANTA CATARINA
Titulo:
CONSTRUÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL A PARTIR DA ATENÇÃO BÁSICA NO ESTADO DE
SANTA CATARINA
Resumo:
Introdução: A estratégia de Saúde da Família tem sido proposta pelo Ministério da Saúde como reorientadora do
modelo de atenção à saúde no Brasil. A recente discussão da articulação da atenção básica aos demais níveis de
atenção à saúde está fundamentada nos eixos transversais da universalidade, integralidade e eqüidade, em um
contexto de descentralização e controle social da gestão e propõe a construção das Redes de Atenção à Saúde. Estas
Redes conformam-se socialmente pela integração de três elementos: uma população definida, uma estrutura
operacional (pontos de atenção, centro de comunicação, sistemas de apoio, sistemas logísticos e governança) e o
modelo assistencial adotado.
Objetivo: Descrever o processo de construção de uma Rede de Atenção à Saúde Bucal no Estado de Santa Catarina
(SC).
Metodologia: Realizou-se a análise situacional das condições de Saúde Bucal em SC; desenhou-se o fluxo dos
usuários pelos pontos de atenção à saúde na atenção primária, secundária e terciária, com descrição das
competências de cada ponto e seus principais problemas, definindo o território sanitário de inserção. Elaborou-se uma
matriz de desenho de rede ideal de atenção à saúde bucal; levantamento dos protocolos clínicos e normativas do
Ministério da Saúde; construiu-se uma planilha de programação em função dos parâmetros estabelecidos e a
identificação de vazios assistenciais. Procedeu-se a modelagem dos sistemas de apoio (diagnóstico terapêutico e
assistência farmacêutica), dos sistemas logísticos (cartão dos usuários, prontuário eletrônico único, sistemas de
regulação e de transportes sanitários) e da governança da Rede (modelagem institucional, gerencial e do sistema de
financiamento).
Resultados: Na atenção básica, em março de 2008, eram 665 equipes de Saúde Bucal na estratégia Saúde da Família,
com uma cobertura populacional de 43%. Na atenção secundária o Estado coordenou o processo de implantação dos
Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), obedecendo ao Plano Diretor de Regionalização e aos critérios de
divisão político administrativa, distância e acesso dos usuários e necessidade do serviço. São atualmente 41 CEOs,
correspondendo a um para cada 147.500 habitantes; todos os municípios estão inseridos no processo e a coordenação
da referência e contra-referência é da rede básica. A construção da rede está em processo e a inserção da atenção
terciária na Rede ainda se constitui em desafio.
Lições aprendidas: O processo de construção de Redes de Atenção à Saúde reorganiza os serviços a partir das
equipes de Saúde Bucal, com economia de escala e melhoria do acesso, e caminha no sentido da integralidade da
atenção.
Recomendações: Esta construção se configura num processo contínuo e permanente que pretende caminhar no
sentido de efetivar os princípios constitucionais do Sistema Único de Saúde, sendo o apoio institucional condição
determinante para tal.
Observação:
ÁREA TEMÁTICA
Área 8. Integralidade da Atenção na AB/SF
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4530
Código do Autor Principal:3682
Nome do Autor Principal: IVANÍZIA MARTINS ALBUQUERQUE RODRIGUES
Autores:
IVANÍZIA MARTINS ALBUQUERQUE;
MARIA RONISE DE PAIVA CARTAXO;
ROSILENE PEREIRA NEVES.
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-060
Onde o trabalho foi realizado? TIMBAÚBA - PE
Titulo:
PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA:UMA VISÃO BIO-PSICO-SOCIAL NO MUNICÍPIO DE TIMBAÚBA - PE
Resumo:
A qualidade de saúde da população brasileira nas últimas décadas emergiu com uma melhora importante com a
implementação do Sistema Único de Saúde (SUS) e a implantação da estratégia Saúde da Família, promovendo um
processo de mudança da prática da atenção à saúde, envolvendo profissionais, gestores e usuários, ampliando a visão
bio-psico-social do ser humano, presente atualmente no Novo Modelo de Atenção à saúde brasileira, resultando em
melhoria do cuidado prestado as populações que procuram o serviço básico de saúde. O presente estudo tem como
objetivo investigar o reorganização do sistema de saúde da Unidade Saúde da Família Campo do Sete, Timbaúba-PE,
frente a estratégia do Programa Saúde da Família, na perspectiva do Novo Modelo de Atenção à saúde. Como
metodologia, trata-se de uma pesquisa exploratória, descritiva de natureza quanti-qualitativa, onde foram analisados
aspectos da mudança do paradigma da saúde naquela comunidade. A coleta de dados foi realizada no período de
março a maio de 2005, utilizando como amostra a ficha de atendimento dos usuários (prontuário) e consolidado do
Sistema de Informação de Atenção Básica (SIAB), presentes no ambiente de trabalho. Foi feito um levantamento do
perfil epidemiológico e social da área de abrangência da unidade acima citada, sendo observado aspectos de mudança
da qualidade da atenção básica como: capacitação dos profissionais envolvidos no processo de atenção à saúde,
articulação dos diversos setores (intersetorialidade), saneamento básico ampliado, atenção à saúde materno-infantil,
controle de doenças crônico-degenerativas, priorização da educação em saúde (educação permanente), ampliação do
controle de imunização, diminuição do número de hospitalizações, diminuição da morbi-mortalidade, visualização do
usuário obedecendo aos princípios do Sistema Único de Saúde.
Observação:
Orientador:Prof. Ms José Frankiln Alves de Lacerda.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4531
Código do Autor Principal:3674
Nome do Autor Principal: JOÃO LUÍS DA SILVA
Autores:
JOÃO LUÍS DA SILVA;
MARIA DA CONCEIÇÃO ANDRADE DE OLIVEIRA
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-029
Onde o trabalho foi realizado? RECIFE - PE
Titulo:
O IMPACTO SOCIAL CAUSADO PELA IMPLANTAÇÃO DOS LABORATÓRIOS REGIONAIS DE PRÓTESE
DENTÁRIA
Resumo:
Cobrir a boca com a mão ao sorrir é um claro sinal de timidez, mas esse não é um hábito exclusivo de
envergonhados por natureza. É também um recurso daqueles que sofrem apenas de uma vergonha específica: da
própria boca. Dentes tortos, estragados ou em falta são como cáries para a auto-estima, corroem a vontade de sorrir.
Vários são os motivos que podem provocar a perda parcial ou total dos dentes, desde doenças até traumatismos. Esse
problema prejudica a mastigação e afeta diretamente a auto-estima da pessoa, inibindo o sorriso. No Brasil, apenas
55% dos adolescentes têm todos os dentes. Entre os adultos, o número cai para 54% e, entre idosos, para 10%. Ao
todo, são 30 milhões de brasileiros desdentados, segundo pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, que aponta
ainda a existência de cerca de 8 milhões de pessoas com necessidade de reabilitação protética completa. A
implantação dos Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD), que são unidades próprias dos municípios ou
unidades terceirizadas credenciadas para confecção de próteses totais ou parciais removíveis, se tornou realidade no
Brasil, através da concretização do Programa Brasil Sorridente. Além de todas as vantagens estéticas, a função
mastigatória reabilitada por qualquer dos tratamentos citados é o maior benefício à saúde geral, pois uma melhor
mastigação promove uma trituração dos alimentos mais eficiente, iniciando uma boa digestão e proporcionando um real
aproveitamento dos nutrientes pelo organismo aumentando em muito a qualidade de vida desses pacientes. Nosso
trabalho se propõe a avaliar, de forma sucinta, o impacto social relacionado a melhoria da auto-estima e
consequentemente da qualidade de vida das pessoas atendidas pelos LRPD.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4534
Código do Autor Principal:3684
Nome do Autor Principal: HERTA ELOÁ RISSE
Autores:
HERTA ELOÁ RISSE
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-047
Onde o trabalho foi realizado? CASCAVEL - PR
Titulo:
UMA INTERVENÇÂO AMBIENTAL NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - PSF
Resumo:
O artigo apresenta uma intervenção do serviço social na questão ambiental na estratégia de atuação no Programa
Saúde da Família-PSF., no distrito de São Salvador - Cascavel/PR. Em outubro de 2003 iniciamos o projeto intitulado
-Proteção de Fontes: água é vida- com o envolvimento da equipe. O trabalho consiste em proteger fontes de água com
a técnica à base de solo-cimento, apontando uma alternativa econômica de baixo custo, inovando ações tradicionais de
serviços em saúde centrados na doença. A experiência vem sendo desenvolvida na área rural do distrito considerando
a falta de saneamento básico ambiental, a contaminação e poluição da água consumida por agrotóxicos e lixo,
desmatamentos e queimadas. O diagnóstico da realidade social vivenciada pelas famílias que utilizam água de fontes
ou poços sem tratamento, revelou as queixas clínicas associadas a gastrenterites, diarréias, verminose. A atual política
de assistência prevista no PSF propõe a integralidade da atenção, evidenciando uma prática sanitária voltada para a
prevenção. A água é um bem vital e um recurso natural cada vez mais escasso, comprovado pela quantidade de água
existente no planeta, sendo que 3% é doce e apenas 0,25% está disponível para o consumo humano. O projeto foi
desenvolvido em várias fases: mapeamento das nascentes, coleta e análise da água consumida em parceria com a
Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE, campus Cascavel. Na análise microbiológica da água
coletada nas fontes, os resultados obtidos foram contaminação por coliformes termotolerantes e totais em 100% das
fontes, resultando em água imprópria para o consumo humano. Diversas doenças podem ser transmitidas pela água,
dentre elas: cólera, tifo,
hepatite,
paratifóide, poliomielite entre outros. E transmitidas indiretamente:
esquistossomose, fluorose, malária, febre amarela, dengue, tracoma, leptospirose, perturbações gastrintestinais,
infecções nos olhos, ouvidos, garganta e nariz. Realizaram-se reuniões com líderes e população local, bem como
palestras de educação em saúde sobre a qualidade da água consumida pela população, com adesão inicial de 13
famílias. Em 2005, dentre as diversas propostas apresentadas na Pré-conferência local e Conferência Municipal de
Saúde este projeto foi aprovado, onde se solicitou maior apoio do gestor. Em 2006 constituímos o Conselho Local de
Saúde quando ampliamos parcerias com a Secretaria Municipal da Agricultura, Meio Ambiente e EMATER (Empresa
de Assistência Técnica de Extensão Rural - PR). Os resultados foram: 30 fontes protegidas e liberação do uso da água
para consumo após análise, prevenção de doenças, preservação do meio ambiente, da saúde e o surgimento do
projeto parceiro -CASCAVEL É MAIS NASCENTES- e o reconhecimento da importância do trabalho pela população
atendida e gestores públicos, destacando a contínua adesão das famílias à proposta.
Palavras chave: saúde, Programa Saúde da Família, meio ambiente.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4540
Código do Autor Principal:3688
Nome do Autor Principal: HELIANA MARA SOUZA FONSECA
Autores:
AUTOR PRINCIPAL: HELIANA MARA SOUZA FONSECA
OUTROS AUTORES: IVANA CARDOSO MACEDO; MARY CRISTINA FONSECA; FABIOLA B. PAZINATTO
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-076
Onde o trabalho foi realizado? VITÓRIA - ES
Titulo:
DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PERMANENTE COMO ESTRATRATÉGIA DA GESTÃO EM SAÚDE
Resumo:
INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA
O trabalho foi desenvolvido na Unidade de Saúde da Família Vitória,em um cenário onde a condição relevante
considerada,refere-se ao contexto político e social das necessidades em saúde da população da nossa locorregião.
Tivemos a política de educação permanente como eixo norteador da gestão em saúde, pois nos permitiu resgatar a
importância do conhecimento significativo,de construir o conhecimento e os processos de ensino e aprendizagem,tendo
como motivações fundamentais,as experiências dos trabalhadores e o contexto em que ocorrem as políticas de
saúde,na Secretaria Municipal de Saúde em Vitória, Espírito Santo.
OBJETIVOS/PROPÓSITOS
A política de educação permanente em saúde é relevante devido à possibilidade de transformação de processos de
trabalho nos serviços e na formação para a saúde.
Temos como meta mobilizadora utilizando como modelo de gestão à educação permanente a melhoria das relações
interpessoais,de forma multidisciplinar e multiprofissional,articuladas dentro do processo de trabalho,e resgate do
conselho local de saúde, já existente na locorregião, porém desarticulado e não atuante.
METODOLOGIA
O primeiro momento foi à realização de Seminário de Integração entre as profissionais da Unidade de Saúde,onde foi
tirado como encaminhamento a realização de duas Oficinas. Nas oficinas foram formados sete grupos de trabalho que
estão atuando na Unidade durante o processo de trabalho.
RESULTADOS ALCANÇADOS
Nas oficinas foram discutidos os seguintes temas: habilidades para o trabalho em equipe; fortalezas,
oportunidades,fraquezas e ameaças para o trabalho encontrados na USF Vitória;estabelecimentos de prioridades para
trabalhar na Educação Permanente; formação de grupos de trabalho.
Os temas escolhidos,definidos após sistematização dos trabalhos realizados pelos grupos foram:Organização do
Atendimento; Referência e Contra-referência. Sobrecarga de Equipes e Profissionais; Falta de Integração entre as
Equipes/ Setores; Humanização; Definição dos Papéis dos Profissionais; Falta de Informação da População sobre a
ESF.
APRENDIZADO COM A VIVÊNCIA - FACILIDADES E DIFICULDADES
Considerando que os profissionais da Unidade estavam habituados a executar ordens e tarefas, e que na atualidade
estão construindo de forma coletiva as relações de trabalho, a relação com o usuário, está sendo bastante positivo,
apesar de em alguns momentos e situações, ser necessário, parar e (re)discutir, e reconstruir o quer foi pactuado
RECOMENDAÇÕES
Todos os profissionais da Unidade estão acreditando na forma como está sendo construído, a proposta dentro da ótica
da Educação Permanente em Saúde.
Acreditamos que com a Política da Educação Permanente, esta experiência poderá ser aplicada em outras Unidades
de Saúde, desde que seja considerada a realidade daquele lugar.
Observação:
O presente trabalho vem sendo aplicado como estratégia de gestão, utilizando a política de Educação Permanente,
onde os resultados tem sido eficazes, melhorando desta forma o processo de trabalho e as relações entre usuários e
servidores da Unidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4544
Código do Autor Principal:655
Nome do Autor Principal: MARIANA LINARD DE OLIVEIRA
Autores:
MARIANA LINARD DE OLIVEIRA;
CAROLINA LINARD DE OLIVEIRA;
GLÁUCIA MARGARIDA BEZERRA BISPO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-034
Onde o trabalho foi realizado? JUAZEIRO DO NORTE - CE
Titulo:
TERRITORIALIZAÇÃO: ESTRATÉGIA DE IMPLANTAÇÃO DA SAÚDE NA COMUNIDADE
Resumo:
De acordo com Haesbaert (2004b) apud Pereira & Barcellos (2006) o processo de territorialização é algo contínuo,
sujeito a mudanças e composto não só pelo ambiente em si, mas por todos os fatores que o permeiam, tornando-se,
portanto, uma importante ferramenta para o conhecimento da realidade comunitária, papel do Programa de Saúde da
Família (PSF). Objetivou-se realizar o Processo de Territorialização no bairro Vila Fátima da Cidade de Juazeiro do
Norte - CE. Trata-se de um estudo quanti-qualitativo do tipo descritivo-exploratório, ocorrido nos meses de Abril a
Agosto de 2006, com trabalhadores da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro lócus e moradores do mesmo
ambiente, tendo por instrumentos de coleta de dados dois roteiros de entrevista semi-estruturada. O exame dos
resultados ocorreu através de uma descrição crítica das entrevistas realizadas e da confecção de mapas temáticos, e
de discussões embasadas na literatura. Obedeceu-se às regras para pesquisas com seres humanos e as normas da
ABNT (2006). Seguiram-se os passos do processo de Territorialização, a saber: mapeamento da área escolhida; Coleta
de dados (Identificação dos recursos do local e das micro-áreas existentes; Seleção e entrevista com os
informantes-chaves); e Tabulação dos dados. Com base nisso identificou-se os problemas existentes, dentre eles
destacam-se: falta de saneamento básico; limpeza urbana inadequada; excesso de terrenos abandonados; falta de
áreas de lazer; localização inadequada da UBS; divisão desigual do número de famílias acompanhadas por cada
agente comunitário de saúde; alta prevalência de casos de Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus, alto consumo de
drogas ilícitas e altos índices de violência. Conclui-se que o Processo de Territorialização é extremamente importante
para a implantação de um serviço de Programa de Saúde da Família, pois permite à equipe multidisciplinar estar a par
de todos os aspectos da vida das pessoas às quais se propõe a atender.
Unitermos: Territorialização, Programa de Saúde da Família, Comunidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4546
Código do Autor Principal:3644
Nome do Autor Principal: JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Autores:
JONAS ALÉXIS SKUPIEN - AUTOR
MARINE BORCHERT - CO-AUTORA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-070
Onde o trabalho foi realizado? MATO QUEIMADO - RS
Titulo:
FISIOTERAPIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA - A EXPERIÊNCIA DE MATO QUEIMADO - RS
Resumo:
As demandas existentes, e variáveis no que diz respeito à aspectos sociais, culturais e políticos, fizeram com que se
fizesse necessário a inserção do fisioterapeuta na equipe do Programa Saúde da Família (PSF) no município de Mato
Queimado, região noroeste do estado do Rio Grande do Sul. Sendo assim, a importância do presente relato é o de
apresentar essa experiência inovadora, uma vez que a categoria não faz parte da equipe mínima.
A mudança da concepção de saúde, vista atualmente não só como a ausência de doença, faz com que as ações em
saúde voltem-se a uma visão integral dos sujeitos, e a importância deste profissional atuando através de ações de
caráter preventivo, educativo e de promoção à saúde confere um caráter distinto à categoria, justificando assim a
inserção deste profissional na equipe, e auxiliando desta forma a ruptura paradigmática unicamente reabilitadora
associada à profissão.
Assim, os objetivos deste estudo são o de expor uma experiência vivenciada, no qual a fisioterapia, inserida dentro da
equipe do PSF, passou a desenvolver ações de promoção e prevenção em saúde, através de visitas domiciliares (VDs)
e atendimentos ambulatoriais.
A experiência iniciou em outubro de 2007 tendo continuidade até hoje. A necessidade de realizar visitas domiciliares
surgiu dentre tantos aspectos, pelo fato de que muitas pessoas residem no interior, não tendo condições de irem até o
PSF.
As residências que receberiam as VDs, semanalmente, foram elencadas a partir de reuniões da equipe. Durante as
visitas, além do atendimento fisioterapêutico propriamente dito, o momento era quase que preconizado pelo diálogo
com os usuários e seus familiares. Através da troca de informações nas conversas, trabalhavam-se as questões de
educação em saúde, com orientações, explicações e sugestões de mudanças visando uma melhor da qualidade de
vida das famílias.
A própria localização dos assistidos (zona rural) já conferia um caráter de terapêutico ao encontro semanal. Além disso,
com esta prática, tornou-se possível conhecer e traçar um perfil dos hábitos e da cultura da comunidade e, desta forma,
direcionar as ações em saúde que poderiam vir a serem desenvolvidas, conforme as prioridades dos munícipes. As
informações obtidas nas VDs, eram levadas até a equipe, onde eram debatidas de forma interdisciplinar, e assim, o
cuidado tornava-se cada vez mais integral. Por vezes, deslocamentos de outros profissionais da equipe aos assistidos
pela fisioterapeuta eram sugeridos por este.
Enfim concluiu-se que, a prática domiciliar tende a engrandecer o caráter coletivo, interdisciplinar e integral à nível
primário. Portanto, assim como neste município, demais regiões poderiam adotar esta conduta, e assim otimizar as
ações em saúde pública, em especial as de promoção e prevenção, que certamente necessitam ser mais
desenvolvidas em nosso país.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4551
Código do Autor Principal:2529
Nome do Autor Principal: CINTHIA KALYNE DE ALMEIDA ALVES
Autores:
CINTHIA KALYNE DE ALMEIDA ALVES
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-022
Onde o trabalho foi realizado? RECIFE - PE
Titulo:
UMA EXPERIENCIA DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL NO APOIO AS ESF
Resumo:
Um dos mais importantes papéis de uma Universidade Comunitária é formar profissionais com habilidades de
elaborar intervenções capazes de dar respostas às necessidades sociais das populações. O objetivo deste trabalho é
relatar a cooperação ensino-serviço para a formação profissional do Terapeuta Ocupacional no âmbito da Saúde
Coletiva na Universidade Católica de Pernambuco. São objetivos desta parceria: promover a integração entre o serviço
de saúde e academia; proporcionar a vivência de intervenções comunitárias ao aluno, no que diz respeito aos níveis do
cuidado promoção, prevenção, tratamento, reabilitação e inclusão social ;cooperar com o trabalho das equipes de
saúde da família na lógica da educação permanente em saúde, a partir das necessidades da equipe. O trabalho
realizado pelos alunos do 5º período em parceria com o Programa de Extensão Comunitária do IMIP nas atividades
práticas da disciplina Terapia Ocupacional aplicada à Saúde Pública. Nela são trabalhados conteúdos sobre a
organização do
SUS e
discutidos os princípios da atenção básica (humanização, vínculo, adscrição,
responsabilização, integralidade, coordenação e logitudinalidade), o papel da rede básica na organização dos sistemas
locais de saúde, e as ações de promoção à saúde e prevenção de doenças. Após o diagnóstico das necessidades junto
à equipe, são realizados trabalhos tanto com os usuários quanto com a própria equipe. São feitas visitas domiciliares,
avaliação, orientações, confecção de dispositivos de ajudoa com o uso de Tecnoliga Assistiva, e tc. São trabalhadas
as competencias específicas do Terapeuta Ocupacional no que se refere ao desempenho ocupacional humano quanto
à saúde práxica dos beneficiários. A melhoria da qualidade da atenção prestada pelas Equipes e a troca de
experiências entre o serviço de saúde e a universidade são resultados expressivos. Esta ação contribui com construção
de práticas de saúde cada vez mais humanas e resolutivas, de acordo com as necessidades da comunidade, dos
serviços de saúde e as de ensino. A iniciativa vem ao encontro das diretrizes para formação do Terapeuta Ocupacional
e com as Políticas de Saúde no âmbito Federal. Tem -se a possibilidade do acadêmico, em cada território,
aproximar-se das pessoas e tentar conhecê-las: suas condições de vida, as representações e as concepções que têm
acerca de sua saúde e o que fazem para evitar enfermidades ou para lidar com situação de incapacidade, perda de
autonomia, que trazem prejuízo ao desempenho ocupacional e à saúde práxica. A institucionalização de parcerias
como esta é muito desejável pava melhoria da atenção prestado hoje e no futuro.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4552
Código do Autor Principal:1757
Nome do Autor Principal: CARLOS ANDRÉ MOURA ARRUDA
Autores:
MÁRCIA MARIA TAVARES MACHADO; LUCAS ROCHA CAVALCANTI; BIRGER FORSBERG; JOÃO JOAQUIM
FREITAS AMARAL; PETER ALLEBECK.
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-055
Onde o trabalho foi realizado? CEARÁ
Titulo:
DIMINUIÇÃO DA DIARRÉIA NO ESTADO DO CEARÁ: PERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS DA ESTRATÉGIA
SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Nas últimas décadas houve uma melhora na saúde como um todo e especialmente na saúde da criança no Brasil.
Uma das áreas no qual houve melhora significativa foi o controle das doenças diarréicas agudas. A saúde tem sido
uma área de alta prioridade no Ceará e um número de iniciativas têm sido implantadas no estado nos últimos anos por
intermédio de estratégias que promovem a saúde e melhora nos serviços de saúde. Assim, este estudo objetiva avaliar
a evolução da diarréia no Ceará sob a ótica dos profissionais de saúde. Em termos metodológicos, a pesquisa envolve
a dimensão qualitativa visando analisar os aspectos culturais relacionados à prevenção e tratamento da diarréia nas
crianças, a partir de uma abordagem histórica, nos últimos vinte anos (1985-2005). Foram realizadas 23 entrevistas
individuais semi-estruturadas com profissionais de saúde (médicos, enfermeiros e agentes comunitários de saúde-ACS)
de 06 municípios do Ceará, entre os quais alguns possuíam Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo e outros
alto. Dentre os resultados observamos que a orientação do ACS junto à família em relação aos cuidados básicos com a
criança, a implantação e implementação das equipes do Programa Saúde da Família-PSF nas comunidades do estado,
a introdução do soro de reidratação oral, bem como, sua utilização e aceitação por parte da família, mudanças no
tratamento e distribuição de água potável à comunidade e mais sensibilidade e dedicação dos profissionais de saúde
às famílias, têm contribuído de forma significativa para a diminuição de casos de diarréia no estado. Concluímos que o
papel desempenhado pelo Estado do Ceará poderá subsidiar outros estados brasileiros e outros países que ainda
possuem alto índice de morbi-mortalidade por diarréia, tendo em vista o uso de estratégias em nível nacional e regional
por intermédio de campanhas educativas de massa em terapia de reidratação oral (TRO) e aleitamento materno;
construção de unidades de saúde primárias; capacitação de agentes comunitários de saúde e a implantação do
Programa de Saúde da Família (PSF).
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4555
Código do Autor Principal:3695
Nome do Autor Principal: MARIA CRISTINA OLIVEIRA REIS
Autores:
MARIA CRISTINA OLIVEIRA REIS
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-018
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
ATENDIMENTO AO ADOLESCENTE NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE
Resumo:
A Equipe Saúde da Familia (04) do Centro de Saúde Andradas em Belo Horizonte ao perceber que o atendimento ao
adolescente não estava estruturado de forma integral, se propôs a desenvolver um trabalho que de fato atendesse as
suas necessidades. Constatou-se que estes usuários eram atendidos como os demais, de forma pontual, como em
salas de vacinas, de procedimentos, até mesmo em pré-natais. Um dos fatos que motivou mais ainda a Equipe a
realizar um projeto voltado para esta faixa etária, foi quando a direção de uma escola pública procurou a Unidade de
Saúde para realizar um serviço de orientações aos adolescentes sobre: Gravidez na adolescência, Doenças
Sexualmente Transmissíveis. Constatou-se que a Equipe precisava criar um trabalho mais abrangente. Objetivos:
Conhecer os adolescentes da área de abrangência da Unidade, identificar suas demandas e questionamentos
enfrentados no dia-a-dia, estreitar as relações da ESF/adolescentes, organizar parcerias com escolas da área adscrita,
organizar espaço para realização de orientações para a promoção da saúde do adolescente. Trabalhar com os temas
sugeridos por eles como: Mudanças no corpo, Gravidez na adolescência, Doenças Sexualmente Transmissíveis e
outros. Metodologia: Aplicado um questionário com adolescentes, a fim de estabelecer um diagnóstico do público alvo,
com identificação, escolaridade, turno de estudo, se gostaria de participar de encontros e sugestões de assuntos.
Análise dos dados, planejamento das atividades, escolha de dinâmicas para trabalhar em grupo com temas sugeridos
por eles. Avaliações com os adolescentes, após cada encontro.Resultados alcançados: A Equipe procurou
capacitações para atuar junto a essa clientela, o vínculo das Equipes e adolescentes melhorou, a metodologia com
dinâmicas de grupos favoreceu participação mais interativa e possibilitou reflexões para os temas propostos. Lições
Aprendidas: É imprescindível espaço para atender adolescentes. A motivação dos profissionais em avançar neste
trabalho é uma constante. A dificuldade inicial foi a falta de capacitação desde o início, mas não foi impedidor para que
a Equipe buscasse a qualificação. Recomendações: Foi necessário a Equipe Saúde da Família escutasse os
adolescentes em suas demandas para então buscar se qualificar para atendê-los adequadamente. Faz-se necessário,
de forma frequente a criação de espaços na Instituição para as trocas de experiências e qualificação dos profissionais,
visando um trabalho com resultados satisfatórios.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4556
Código do Autor Principal:3696
Nome do Autor Principal: SAMUEL JOSÉ DA SILVA NETO
Autores:
SAMUEL JOSÉ DA SILVA NETO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-016
Onde o trabalho foi realizado? CACHOEIRA - BA
Titulo:
ALEITAMENTO MATERNO: UMA EXPERIÊNCIA EM SAÚDE DA FAMÍLIA NO MUNICÍPIO DE CACHOEIRA-BAHIA
Resumo:
A ESF de Murutuba, distrito de Cachoeira, no estado da Bahia, desenvolveu uma estratégia para identificar todas as
gestantes e lactantes com bebês de até 6 meses de vida da sua área de abrangência, com a finalidade de orientá-las
sobre as vantagens do aleitamento materno (AM) para a mãe e para o bebê, esclarecer dúvidas e desmistificar tabus,
assim como treiná-las nas técnicas adequadas de amamentação, procurando alcançar uma cobertura de 100% de AM
exclusivo neste período.
Após reunião com os ACS, foram identificadas 16 gestantes e 8 lactantes, distribuídas nas 6 microáreas cobertas pela
USF, numa população total de 648 famílias. A ESF, então, entrou em contato com a Coordenação local do PSF e com
a Secretaria de Saúde do Município, para que fossem disponibilizadas vans para busca ativa das clientes, material
áudio-visual e verba para um coffee-break, pois seria organizado um evento multidisciplinar sobre o tema na própria
USF. O evento constituiu-se numa palestra e numa atividade em grupo com as clientes, promovendo um entrosamento
entre as mesmas e um debate bastante interativo com toda a Equipe, onde foram discutidos os objetivos supra-citados.
O Médico já havia, há alguns meses, escrito um texto sobre o tema, o qual fora publicado no jornal da AEBA
(Associação de Ex-Bolsistas na Alemanha), que serviu de material bibliográfico para a palestra. Houve, também, a
participação de uma jornalista, que se encarregou de fotografar e publicar o evento no jornal e no site do município,
para que este servisse de exemplo para todas as ESFs e para a Comunidade em geral.
A equipe conseguiu fazer o follow-up de todas as gestantes após o parto, na consulta puerperal e nas subseqüentes, e
destas, 12 (75 %) mantiveram o AM exclusivo até os 6 meses. As demais obtiveram informações de como promover
adequadamente o AM misto. Das 8 lactantes presentes no evento, 4 ainda se encontravam em AM exclusivo, e 3 (75%)
conseguiram mantê-lo até os 6 meses.
Meses após, foi promovido no Rio de Janeiro, sob a iniciativa da AEBA, do Goethe-Institut e da UFRJ, o Seminário
Internacional sobre Desenvolvimento Sustentável em Saúde Materno-Infantil, onde estiveram presentes, entre os
palestrantes, médicos do corpo docente da UFRJ, da Faculdade de Medicina de Ulm, na Alemanha, e membros das
AEBAs de vários estados do país, entre os quais o médico da ESF de Murutuba/Cachoeira, que relatou a experiência
da equipe, havendo grande troca de informações e resultando na publicação de um livro pela editora 7 letras.
Tudo isto mostra que iniciativas deste tipo podem ser realizadas para abordar os mais diversos temas em Educação em
Saúde na Estratégia da Saúde da Família, com resultados bastante positivos para a população, assim como promover
o intercâmbio entre todos os níveis de Atenção à Saúde, ressaltando, assim, a importância da Atenção Básica, tendo
como modelo principal o PSF.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4557
Código do Autor Principal:3697
Nome do Autor Principal: SÍLVIA NÓBREGA COSTA
Autores:
ANDRADE, JAYVSON M. S. DE; AMARAL, JOANE L. DO; AZEVEDO, LARISSA N.; AZEVEDO, LAYSE N.; BASTOS,
SILVIA H. V.; BRITO, JACQUELINE F. DE; COSTA, SÍLVIA N.;LACERDA, DAILTON A. LUCAS DE; LIMA, EMERSON
O. DE; MARTINS, DIANA L. L.; SILVA, LARISSA V. L. A.; SOUZA, ANDRÉIA P. DE.
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-033
Onde o trabalho foi realizado? JOÃO PESSOA - PB
Titulo:
PROJETO EDUCAÇÃO POPULAR E ATENÇÃO À SAÚDE DO TRABALHADOR - PEPAST
Resumo:
O Projeto Educação Popular e Atenção à Saúde do Trabalhador (PEPAST) é uma atividade extensionista da
Universidade Federal da Paraíba (UFPB) que tem como proposta a assistência à saúde do trabalhador numa
perspectiva de abordagem integral, intersetorial, interinstitucional e interdisciplinar, sendo integrado por estudantes de
fisioterapia, enfermagem, medicina, nutrição e direito. Tem como orientação a educação popular em saúde e contribui
para a construção de uma nova visão na área da saúde do trabalhador, centrada no usuário/sujeito. O objetivo é
desenvolver ações de promoção e proteção da saúde, prevenção de doenças e reabilitação no campo da saúde do
trabalhador. As atividades do projeto incluem a teoria e a prática. Entre as atividades práticas, destacam-se a individual,
através dos atendimentos de fisioterapia, e a coletiva através do Grupo Terapêutico Relacional Interdisciplinar (GTRI),
composto por usuários referenciados pelo Programa de Referência Assistencial em Saúde do Trabalhador (PROSAT),
e no ambiente em que se realiza semanalmente esses encontros, Centro de Referência Regional em Saúde do
Trabalhador (CEREST), são desenvolvidas discussões horizontalizadas e dialógicas, em -rodas de conversas- sobre
diversos temas de interesse dos trabalhadores-usuários. Com este grupo também é desenvolvido um trabalho de
hidroterapia em piscina, na UFPB, visando à prevenção de agravos e promoção da saúde, em um espaço favorável
para atividades e dinâmicas integrativas. Semanalmente, são realizadas reuniões teórica, organizativa e de avaliação
na UFPB entre os extensionistas e professor orientador para a fundamentação teórica e sistematização das práticas. O
projeto permite uma nova compreensão do processo saúde-doença, possibilitando aos usuários/sujeitos se
reconhecerem nesse espaço favorecendo o empoderamento e a autonomia no campo da saúde do trabalhador. A
experiência tem fomentado o protagonismo estudantil, o planejamento participativo, o embasamento teórico e as
pesquisas em saúde coletiva permitindo uma maior sensibilização dos futuros profissionais que irão atuar neste campo,
na perspectiva de uma nova concepção no processo do cuidar em Saúde do Trabalhador. O PEPAST, no seu processo
de construção e caminhada aponta para outras perspectivas. No momento o grupo debate a entrada na atenção básica
de saúde na comunidade, onde, numa parceria com a Estratégia de Saúde da Família e uma articulação com as
-Unidades Sentinelas-- de referência e contra-referência - do município de João Pessoa, permitiria ações em
comunidades alvos, em que o diagnóstico da situação dos trabalhadores de determinado território pudesse servir de
campo de prática nesta linha de cuidado.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4564
Código do Autor Principal:3703
Nome do Autor Principal: CLAUDIA SIMONE CERVI
Autores:
CLAUDIA SIMONE CERVI; LORENA TERESINHA CONSALTER GEIB
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-028
Onde o trabalho foi realizado? PASSO FUNDO - RS
Titulo:
BRUXISMO E SUA ASSOCIAÇÃO COM TRANSTORNOS MENTAIS COMUNS NAS EQUIPES SAÚDE DA
FAMÍLIA,PASSO FUNDO,RS
Resumo:
Com o objetivo de determinar a prevalência de bruxismo, sua relação com as variáveis sócio-demográficas e com os
transtornos mentais comuns nas Equipes Saúde da Família de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, realizou-se este
estudo de corte transversal. Participaram 71 profissionais de saúde em exercício efetivo nas 10 Unidades Saúde da
Família providas de consultório odontológico. Os dados foram provenientes de história e exame clínico e da aplicação
do General Health Questionnaire-12(GHQ-12). A prevalência de bruxismo foi de 76,1% e a de transtornos mentais
comuns de 100% para escores ¾ e de 86% para escores 5/6. Não houve associação significativa desses eventos entre
si, nem com sexo, idade, escolaridade, raça, estado civil e número de filhos. É alta a prevalência de bruxismo e de
transtornos mentais comuns nos profissionais das Equipes Saúde da Família. O bruxismo independe dos transtornos
mentais comuns e ambos independem das características sócio-demográficas.
Observação:
Palavras-chave:saúde bucal; saúde mental; saúde da família
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4565
Código do Autor Principal:3313
Nome do Autor Principal: PATRÍCIA MADALENA VIEIRA HERMIDA
Autores:
PATRÍCIA MADALENA VIEIRA HERMIDA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-001
Onde o trabalho foi realizado? INDAIATUBA - SP
Titulo:
GESTAÇÃO DE ALTO RISCO EM SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
A gestação pode ser considerada um processo fisiológico do ciclo de vida da mulher, entretanto, alguns critérios na
avaliação da gestante durante o acompanhamento de pré-natal podem indicar a gestação como sendo de baixo ou alto
risco para complicações. Nesse sentido, este estudo exploratório e descritivo, realizado em um bairro periférico do
município de Indaiatuba/SP, tem o objetivo de caracterizar as gestações de alto risco em uma Unidade de Saúde da
Família. Utilizou-se como método de coleta de dados a análise documental, por meio do caderno de registro de todo o
pré-natal iniciado no respectivo serviço de saúde e prontuário das gestantes. A amostra da pesquisa compreende o
total de gestantes que iniciaram o pré-natal durante os anos de 2006 e 2007. As variáveis analisadas foram: número de
gestantes por ano; idade das gestantes; gestações de alto risco por ano; critérios de indicação do alto risco gestacional.
Os resultados mais relevantes mostram que 78 gestantes iniciaram o pré-natal na Unidade de saúde estudada, sendo
33 no ano de 2006 e 45 em 2007. A maioria das gestantes (n.65) tinha menos de 30 anos, sendo que 28,2% do total
delas eram menores de 20 anos. Destaca-se que houve um aumento significativo no número de gestantes nessa faixa
etária (menor de 20 anos), passando de seis para 16 entre os anos de 2006 e 2007. Identificou-se que 28,2% das
gestantes foram classificadas como de alto risco gestacional, tendo como principais critérios de indicação desse risco, a
adolescência e o tabagismo. Se por um lado, identificou-se positivamente que as gestações de alto risco não vêm
ocorrendo de forma predominante na realidade da Unidade de Saúde em questão, por outro lado, de forma negativa, os
critérios mais prevalentes de indicação do alto risco gestacional tratam-se de aspectos modificáveis, uma vez que é
possível prevenir a gravidez na adolescência e o uso do cigarro na gestação. Este estudo possibilitou investigar os
principais aspectos relacionados à gestação de alto risco, no contexto determinado de uma Unidade de Saúde da
Família, permitindo que a equipe de saúde possa se apropriar da forma como esse fenômeno vem ocorrendo na
realidade em que trabalham, e assim propor possíveis medidas para a prevenção desse tipo de gestação. Sugere-se
especialmente que sejam elaboradas estratégias para prevenir as gestações em adolescentes e mulheres tabagistas, o
que contribuirá conseqüentemente para evitar complicações ao binômio mãe-filho.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4567
Código do Autor Principal:3678
Nome do Autor Principal: GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Autores:
GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-010
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL NO MUNICÍPIO DE SOBRAL - CE.
Resumo:
O município de Sobral - Ce destaca-se nas ações de saúde pública por ser pioneiro na implementação do Núcleo de
Atenção Integral à Saúde da Família - NAISF em cinco territórios que abrange todo o município e distritos, através da
Residência Multiprofissional em Saúde da Família. A equipe multiprofissional atuante no NAISF que abrange o
Território I, ao se apropriar da complexidade do território conheceu as Unidades Básicas de Saúde - UBS, bem como
suas equipes, estudou mapas territoriais, percorreu os bairros, identificando e conhecendo equipamentos sociais
potencialmente parceiros, conhecendo lideranças locais, identificando dificuldades, problemas sócio-econômicos, mas
também potencialidades possivelmente engrandecedoras dessa proposta de promoção à saúde. Ao se construir o
plano de ações, juntamente com a Equipe Básica de Saúde da Família e moradores do território, percebeu-se o desejo
pelo fortalecimento da atenção voltado a melhor idade. As Atividades desenvolvidas com esta clientela são
consideradas formas de intervenções com o objetivo de manter e alcançar uma vida saudável e integrada socialmente,
proporcionando aos participantes uma melhor qualidade de vida, ajudando-os a se conservarem sadios, independentes
e ativos socialmente. As categorias profissionais envolvidas nesta ação são Educação Física, Fisioterapia e Terapia
Ocupacional, atuando de forma interdisciplinar, reformulando espaços de convivência com atividades diversificadas
com ênfase em ação protagônica (grupo de caminhada, atividades de alongamento, relaxamento, correção postural e
encontros de convivência).
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4568
Código do Autor Principal:2661
Nome do Autor Principal: LIÉGE TEIXEIRA FONTANIVE
Autores:
LIÉGE T.FONTANIVE*, ROSANARA M.TRINDADE, PAULO V.N.FONTANIVE
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-029
Onde o trabalho foi realizado? SANTA MARIA - RS
Titulo:
DIAGNÓSTICO E PLANEJAMENTO LOCAL EM SAÚDE BUCAL: EXPERIÊNCIAS EM UMA USF DE SANTA
MARIA, RS
Resumo:
A partir da portaria 1.444 do Ministério da Saúde de 2000, os profissionais da área de Saúde Bucal passaram a
integrar a equipe mínima do Programa Saúde da Família. Dentre suas atribuições, está a de realizar ações de
promoção, prevenção e reabilitação que vão ao encontro das necessidades epidemiológicas da população adstrita,
dentro da Atenção Primária em Saúde. O diagnóstico operacional é necessário para se identificar a busca espontânea
por atendimento na Unidade de Saúde objetivando a adequação às necessidades de saúde dos usuários. O objetivo
deste estudo é descrever o perfil do usuário atendido pelo serviço de saúde bucal dos PSF 15 e 16 de Santa Maria e as
possibilidades de aprimoramento da atenção frente aos indicadores operacionais encontrados. Trata-se de um
diagnóstico situacional, cujas variáveis são: o sexo, idade, endereço do usuário, equipe de saúde a que este esta
vinculado e os procedimentos odontológicos realizados. Os dados foram coletados das fichas SIA-SUS no período de
setembro de 2004 à agosto de 2005, totalizando 1384 consultas avaliadas e alimentaram planilhas e gráficos criados
em ambiente Excel XP. Das consultas avaliadas, 68% foram para mulheres e 32% para homens. Sendo que 66% foram
da área 16 e 34% da área 15, onde duas micro-áreas apresentaram maior representatividade do total da área (área 15,
micro-área 1 (51%); área 16, micro-área 3 (40%). Aproximadamente 40% das consultas foram de usuários de algumas
ruas: Lauro Soares, Pedro Figueira, João Franciscatto, João Mazzaro e Major João Scherer). Cerca de 19,8% das
consultas dirigiram-se aos usuários de 0-14 anos, 33,5% das consultas dirigiram-se a mulheres entre 20 a 39 anos,
destas 50% eram gestantes (binômio mãe-bebê). No período foram realizados 4721 procedimentos odontológicos, com
média de 391 procedimentos mensais. Daí conclui-se, que é necessário desenvolver ações que oportunizem aos
homens acesso ao serviço odontológico (terceiro turno, promoção em grupo antitabagismo, de pais e outros). É
necessário também desenvolver ações para os idosos: no diagnóstico precoce do câncer de boca e por meio do
tratamento cirúrgico-restaurador adequado as condições fisiológicas específicas. Os adultos devem receber ações de
promoção da saúde nos grupos comunitários e um espaço para atendimento agendado.
Observação:
Secretaria Municipal da Saúde de Santa Maria, RS
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4569
Código do Autor Principal:3704
Nome do Autor Principal: MARÍLIA FOGAÇA GALA RAMOS
Autores:
CLÁUDIA REGINA R DE LIMA,
CREUZAMIRA A OLIVEIRA DEGAN,
EDILENE MARIA DA SILVA,
ELLEN GUSMÃO,
FABIANA PIRES DE CAMPOS R ALVES,
FABIANE DO CARMO,
LUCIA TATIANA DOS S PEVERARI,
LUZIA GIOZA GRACIANO,
MANOEL FLORIANO DE LIMA,
MARÍLIA FOGAÇA GALA RAMOS,
PABLA CLOTILDE O DE OLIVEIRA,
PAULO TADEU P DA SILVA,
SILVANA DE JESUS SANTOS,
SIMONE NOFUENTES RODRIGUES,
SIMONE REGINA DE S MARCOLINO
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-021
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
A PRÁTICA DOS GRUPOS PROGRAMÁTICAS DE DOENÇAS CRÔNICAS E CICLOS DE VIDA DIVERSOS E
FAMÍLIAS
Resumo:
Introdução: A construção de um novo modelo de atenção junto com a comunidade estimulou a participação efetiva
dos usuários nas atividades propostas pela Unidade de Saúde. A abordagem dos temas discutidos em grupos
direcionados a doentes crônicos e ciclos de vida diversos e famílias condiz com as necessidades da população. Assim
sendo, a qualidade dos momentos de democratização do conhecimento motiva e sensibiliza participantes, aumentando
a adesão às propostas de promoção e proteção a saúde.
Objetivo: Oferecer autonomia relativa no que se refere aos cuidados com a saúde da população através da motivação e
sensibilização em grupos periódicos planejados anualmente.
Metodologia: Considera-se o relato das necessidades da população da área de abrangência e o parecer técnico das
Equipes de Saúde da Família para o planejamento do conteúdo temático dos grupos durante reuniões semanais e
anualmente elabora-se cronograma relativo à periodicidade destes grupos e avalia-se a inclusão de temas atualizados
e importantes para a realidade atual.
Resultados alcançados: Aumento significativo do número de participantes das atividades desenvolvidas em grupo.
Lições aprendidas com a experiência: O trabalho em conjunto com a comunidade de fato torna-se útil para modificar
hábitos e promover a melhora da qualidade de vida da população.
Recomendações: A democratização do conhecimento somente funciona quando realizada através de ações integradas,
planejamento e avaliação dos diversos momentos propostos. Divulgar experiências é fundamental para demonstrar
que, por vezes, métodos utilizados de maneira eficaz são úteis e podem ser aplicados em todas as Unidades de Saúde,
observando particularidades locais.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4573
Código do Autor Principal:3678
Nome do Autor Principal: GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Autores:
GEORGIA MEDEIROS PAIVA.
ORIENTADORA: MS. DANIELE FÉLIX ARRUDA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-137
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
ATIVIDADES RECREATIVAS COM UM GRUPO DE IDOSOS DO SEXO MASCULINO: RELATO DE EXPERIÊNCIA.
Resumo:
A atividade recreativa é proposta ao público da terceira idade como uma forma de elevar e manter os níveis de
saúde física e mental, estimulando a integração e aumentando a capacidade pulmonar e adaptação cardíaca. Assim,
realizou-se um estudo qualitativo com o objetivo de conhecer o perfil sócio-econômico e o cotidiano dos idosos;
investigar a relação de convívio desses idosos com seus familiares e, finalmente, formar um grupo para com eles
desenvolver atividades recreativas, como forma de proporcionar-lhes momentos de socialização e lazer. Participaram
da pesquisa seis idosos masculinos do Grupo Feliz Idade, da Sociedade de Apoio à Família Sobralense (SAFS), do
Bairro Dom José em Sobral-CE, durante o período de setembro a dezembro/2004 utilizando-se como instrumento uma
entrevista semi-estruturada. Nos resultados, identificamos a necessidade e a carência de atividades recreativas na
comunidade configurando um importante espaço de atuação do Educador Físico inserido na Estratégia Saúde da
Família.
Palavras-chave: idosos, atividades recreativas, socialização.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4574
Código do Autor Principal:434
Nome do Autor Principal: ROSANE GUIMARÃES BACHILLI
Autores:
BACHILLI, ROSANE GUIMARÃES
DA HORA, ELIANE BRIGATTI
MARTINS, OLGA MACEDO
MENDES, DANIELA VIEIRA
OLIVEIRA, REGIANE
SILVA, ELISABETE LOURDES DA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-008
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
GRUPO DA PAZ: UM GRUPO DE SAÚDE MENTAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Este é o relato de uma experiência com agentes comunitários de saúde do município de São Paulo, na zona leste,
onde a referência de serviços ambulatoriais de saúde mental ainda não dá cobertura à demanda. A experiência deste
grupo já começa a ser reproduzida em outra unidade. Trata-se de atividades dirigidas à atenção primária em saúde
mental para os pacientes cadastrados nas equipes de saúde da família em uso de psicotrópicos, que dependem do
nosso serviço para prescrição de medicamentos. Os objetivos são: melhorar a qualidade e o acesso ao atendimento na
área de saúde mental; garantir a equidade na atenção ao paciente com problema mental pois tem necessidades
especiais, que o fluxo normal de agendamento não contempla;aprofundar o conhecimento da mente humana entre os
membros da equipe; organizar grupos diferenciados pelo tipo de comprometimento;desenvolver dinâmicas de
reconhecimento das emoções do dia-a-dia e os processos de superação utilizando técnicas de recortes e colagens,
reciclagem de sucata e confecção de bijuterias; compartilhar saberes sobre as vias de comunicação cerebral visual,
auditiva e sinestésica, através de dinâmicas de grupo de acordo com a sensibilidade dos pacientes; organizar arquivos
com os resultados do grupo através dos seguintes indicadores( diminuição da necessidade de medicamento; melhoria
da qualidade de vida; melhoria da comunicação; melhoria dos relacionamentos; capacidades produtivas)
Observação:
A finalidade principal é aplicar novas metodologias de atenção primária dentro da estratégia saúde da família
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4575
Código do Autor Principal:3705
Nome do Autor Principal: CLEIDE FIRMIANO DA SILVA
Autores:
CLEIDE FIRMIANO DA SILVA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-164
Onde o trabalho foi realizado? ARAPIRACA - AL
Titulo:
O PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL NA PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DA SAÚDE NA ESF.
Resumo:
O trabalho mostra a atuação do Assistente Social na promoção da saúde e prevenção de doenças dentro da ESF, no
seu dia-a-dia, nas ações de educação em saúde que realiza dentro da Unidade de Saúde e na comunidade; mostra sua
participação na formação dos grupos trabalhados e a importância que tem como peça na integração com as famílias
pelas quais a ESF é responsável. Auxilia no desenvolvimento de ações educativas para o enfrentamento dos
problemas de saúde identificados no diagnostico local, fazendo parte também neste diagnostico, e no Controle Social.
Observação:
A credibilidade e integração da Equipe de Saúde da Família são de fundamental importância para esta atuação.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4578
Código do Autor Principal:3665
Nome do Autor Principal: LEONARDO FERREIRA FONTENELLE
Autores:
LEONARDO FERREIRA FONTENELLE
CLEITON LUIZ DE ANDRADE
ALDAISA CASSANHO FORSTER
LUCIANA MARTINS VERSIANI
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-036
Onde o trabalho foi realizado? PONTAL - SP
Titulo:
ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: REDUÇÃO DO USO DO HOSPITAL DE REFERÊNCIA
Resumo:
Introdução: Avaliou-se o possível efeito da ampliação da Estratégia de
Saúde da Família (ESF) sobre a utilização do hospital de pequeno porte
do município de Pontal, no interior do estado de São Paulo. A ESF foi
implantada em abril de 2006, e em abril de 2007 sua cobertura foi
ampliada de 8% para 32%, além de 22% de cobertura por equipes de
agentes comunitários de saúde. A rede municipal de saúde conta com 6
unidades básicas, um ambulatório de especialidades e um hospital
filantrópico de pequeno porte, conveniado tanto com o Sistema Único de
Saúde (SUS) quanto com o setor privado. A população é de 34 mil
habitantes, além de 6 mil moradores temporários vindos para a safra da
cana-de-açúcar e cobertos por um plano de saúde.
Metodologia: A quantidade de internações hospitalares e atendimentos
de pronto-socorro foi analisada quanto aos trimestres (1º e 2º de 2006
e 2007) e ao financiamento (SUS e privado). As internações foram ainda
analisadas quanto ao dia da semana (dia útil e fins de semana e
feriados), o que não foi possível para os atendimentos de
pronto-socorro de 2006.
Resultados: Nos dois primeiros trimestres de 2006 e 2007 foram
realizadas 2786 internações hospitalares e 65806 atendimentos de
pronto-socorro, sendo o SUS responsável por 59% das internações e 63%
dos atendimentos de pronto-socorro. Comparando-se o 2º trimestre de
2006 e o mesmo período de 2007, o número de internações diminuiu 22%,
com pouca diferença entre o SUS (20%) e o setor privado (24%). Os
atendimentos de pronto-socorro diminuíram em média 1%, com um aumento
de 6% no SUS e uma diminuição de 10% no privado. Do 1º trimestre de
2006 para o 1º de 2007 tinha ocorrido um aumento de 10% no número de
atendimentos de pronto-socorro, com um aumento de 12% nos atendimentos
pelo SUS e 8% nos privados. As internações tinham diminuído em média
6%, com queda de 16% nas pelo SUS e aumento de 12% nas pelo setor
privado.
Conclusões: Os três primeiros da expansão da estratégia Saúde da Família tiveram uma queda do número de
atendimentos de pronto-socorro e do número de internações hospitalares. Essa queda não se restringiu aos usuários
de plano de saúde, sugerindo uma contribuição da ESF.
Observação:
Pôster previamente apresentado no 2º Congresso Paulista de Medicina de Família e Comunidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4579
Código do Autor Principal:695
Nome do Autor Principal: VIVIANE SIDOR
Autores:
SIDOR, VIVIANE, CIRURGIÃ DENTISTA, EQUIPE SAÚDE DA FAMÍLIA, USF CLESSIE CUMMINS, CUMBICA
GUARULHOS. COLABORADORES: ACD- CAVALCANTE, SONIA B.; ACS- PEREIRA, EUSAMAR S.; SILVA, INGRID
B. DOS SANTOS; LISBOA, LEILA SILVA; OLIVEIRA, RODRIGO A.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-109
Onde o trabalho foi realizado? GUARULHOS - SP
Titulo:
MODELO DE ESTRATÉGIA APLICADO PARA FAMÍLIAS ONDE ATUA A EQUIPE DE SAÚDE BUCAL.
Resumo:
Os resultados esperados desta pesquisa é conhecer a população onde o cirurgião dentista atuará. O cirurgião
dentista atendera os pacientes de acordo com os programas relacionados as faixas etárias, doenças e/ou condição
referida. Conhecer nível de alfabetização, as condições de moradia, saneamento básico, renda mensal, tipo de
alimentação, ou seja, informações nutricionais, higiene pessoal e saúde bucal.
De acordo com a pesquisa realizada, os munícipes da comunidade Cidade de Deus tiveram pouco acesso a
tratamentos curativos e preventivos e o intuito é que essas pessoas tenham prioridades de acordo com as normas de
atenção básica, ou seja, conjunto de ações de saúde no âmbito individual e coletivo que abrangem a promoção e a
proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnostico, o tratamento, a reabilitação e a manutenção da saúde.
Orienta-se pelos princípios da Universalidade, da acessibilidade e da coordenação do cuidado, do vinculo e
continuidade, da integralidade, da responsabilização, a humanização e principalmente da equidade e participação
social. Atenção básica considera o sujeito em sua singularidade, na complexidade, na integralidade e na inserção
sócio-cultural e busca a promoção de sua saúde, a prevenção e tratamento de doenças e a redução de danos ou de
sofrimentos que possam comprometer suas possibilidades de viver de modo saudável.
Finalizando, a intenção é que -um dia o sertão vire o mar-.
Observação:
Esse projeto esta construído sobre os parâmetros de atenção primaria em saúde, incluindo visitas domiciliares,
cadastramentos , diagnósticos sócio-sanitário da população, orientação sobre conhecimentos básicos de higiene e
algumas doenças, atuação comunitária no sentido amplo e tratamentos clínicos básicos na Unidade Saúde da Família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4580
Código do Autor Principal:3708
Nome do Autor Principal: FABIANA BREITENBACH
Autores:
FABIANA BREITENBACH
LUÍS ANTÔNIO BENVEGNÚ
EDILÉIA VENSKE FISHER
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-043
Onde o trabalho foi realizado? SANTA ROSA - RS
Titulo:
DISTRIBUIÇÃO DOS FATORES DE RISCO PARA INTERNAÇÕES REPETIDAS EM IDOSOS RESIDENTES EM
ÁREA
Resumo:
O envelhecimento da população e seus desdobramentos na área da saúde são um desafio para os profissionais que
atuam em Atenção Básica. A mudança da assistência e a sua organização baseada em informações sobre as
condições de saúde desta população e seus determinantes são fundamentais. Este artigo analisa a distribuição da
população idosa rural quanto a oito fatores de risco para internações repetidas, são eles: diabetes, doença cardíaca,
sexo, número de consultas, faixa etária, presença ou não de apoio social, autopercepção da saúde e internação no
últmo ano. Utilizaram-se de dados secundários provenientes de informações existentes nos prontuários de 176 idosos
cadastrados em um PSF localizado em área rural do município de Santa Rosa, RS. Na análise dos dados
evidenciou-se predomínio de idosos na faixa etária de 60-69 anos de idade composta em sua maioria de mulheres, a
autopercepção de saúde foi considerada média por 63,6% dos analisados. O objetivo deste estudo foi o de conhecer a
população idosa rural da ESF para um melhor planejamento das ações propostas a esta população. Novas concepções
de assistência à saúde dos idosos devem ser agregadas as ESF, com a utilização de novas tecnologias voltadas para a
qualificação da asistência ao idoso.
Observação:
Trabalho apresentado como monografia do Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade
UNIJUÍ/FUMSSAR.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4582
Código do Autor Principal:3673
Nome do Autor Principal: DENISE DA MATA ALVES
Autores:
DENISE DA MATA ALVES; GRAZIANE RIBEIRO COUTO; IZABEL CRISTINA LEITE ALBUQUERQUE; MANOEL
GONÇALVES DA SILVA NETO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-037
Onde o trabalho foi realizado? ESTÂNCIA - SE
Titulo:
AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE MÉTODOS ALTERNATIVOS UTILIZADAS NA HIGIENIZAÇÃO BUCAL
Resumo:
O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia de uma escova e fita dentais alternativas, utilizadas na higienização
bucal em 30 crianças na faixa etária de 11 a 12 anos, alunos da escola pública no município de Estância- SE. O
trabalho foi composto por duas etapas de evidenciação do biofilme bacteriano: Evidenciação X e Evidenciação Y, com
intervalo de sete dias entre elas. O índice PHP - Modificado foi utilizado para quantificar o biofilme nas duas fases do
experimento. Na 1ª etapa, Evidenciação X , a higienização foi realizada com o Kit convencional (escova e fita dentais
convencionais) e na 2ª etapa, Evidenciação Y, utilizou-se o Kit alternativo (escova e fita dentais alternativas, ambos
confeccionados com material de fácil acesso e aquisição pela própria comunidade). Os resultados analisados
demonstraram que não houve diferença estatisticamente significante entre os kits de higienização empregados para
remoção do biofilme bacteriano. Concluiu-se que o Kit alternativo pode ser utilizado como um meio opcional, econômico
e eficaz para a higienização bucal. Além disso, o kit alternativo é uma proposta de higienização para a população de
baixa renda, visto que a matéria-prima pode ser facilmente encontrada sendo também de fácil confecção. Não visa
substituir a escova e o fio/fita dental convencional, mas sim oferecer alternativas acessíveis de higiene bucal à
população carente.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4583
Código do Autor Principal:3709
Nome do Autor Principal: TONY WENDELL PAULINO DA FONSECA
Autores:
TONY WENDELL PAULINO DA FONSECA
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-011
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
AÇÃO INTEGRADA ENTRE A EQUIPE C DO PSF HUMAITÁ E PROFISSIONAIS DO CAPS ITAPEVA
Resumo:
O relato descreve a experiência de ação integrada entre a equipe C do PSF Humaitá e os profissionais do CAPS
Itaveva, no atendimento de paciente esquizofrênico.
Reuniões mensais entre profissionais dos dois serviços, culminaram em um atendimento rápido para um paciente de
patologia de difícil detecção precoce. A brevidade em que o caso teve resolução, desde a suspeita até o
acompanhamento no CAPS, passando por uma internação em Hospital Psiquiátrico, mostra a importância da
integração entre os serviços. Agilidade na detecção do problema e a rápida resolução, gera benefícios em todas as
esferas da saúde, desde o paciente que poderá ter um melhor prognóstico, até o Estado que terá custos reduzidos com
internações e auxílio-doença, entre outros.
A importância de implantação de serviços integrados mesmo nas grandes cidades se faz necessário. Deve se suplantar
os problemas que tem as grandes aglomerações, para que iniciativas como esta possam vingar. A possibilidade de
usar o PSF como modelo inicial para atuação destas parcerias, é bastante válida uma vez que a população atendida
pelo PSF tem um entendimento melhor do funcionamento dos setores de saúde, por vivenciar na prática de seus
atendimentos. Esta seria uma barreira a menos a ser transpassada, na tentativa de integração dos serviços.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4584
Código do Autor Principal:3710
Nome do Autor Principal: RENILDA ROSA DIAS FERREIRA DE ARAÚJO
Autores:
ARAÚJO, R.R.D.F.2; SANTOS, A.F. 1.; MARINO, A.G. 1.; FERREIRA, A.G.1.; BRAÇAL, A.C.P.1.; UNTEM, A.C.1.;
SOLER, A.C.P. 1.;; BARBOZA, D.B. 2;
1. ACADÊMICOS DO CURSO DE ENFERMAGEM; 2. DOCENTES DO CURSO DE ENFERMAGEM
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-003
Onde o trabalho foi realizado? SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
Titulo:
VIVENCIANDO A EDUCAÇÃO PERMANENTE COM UM GRUPO DE AGENTES COMUNITÁRIOS EM SAÚDE: UM
DESAFIO TEORIA X
Resumo:
Introdução: O fato de os Agentes Comunitários em Saúde serem considerados elementos essenciais na
universalização de cuidados básicos em saúde, de maneira a garantir sua efetividade e eficácia, acompanhando
continuamente os usuários, estabelecendo vínculo entre a comunidade e a equipe de saúde e viabilizando o
planejamento das ações em saúde, promovendo assim, a resolutividade das mesmas. Emerge assim, a necessidade
de manter o conhecimento dos agentes atualizado, evidenciando a educação permanente, que tem como objeto de
transformação o processo de trabalho, orientado para a melhoria da qualidade dos serviços e para a eqüidade no
cuidado e acesso aos serviços de saúde. Objetivo: Relatar as vivências de acadêmicos do 4º ano de enfermagem na
Unidade de Saúde da Família -Cidade Jardim-- São José do Rio Preto/SP, no processo de educação permanente dos
agentes comunitários de saúde. Metodologia: Esta etapa da educação permanente foi desenvolvida em quatro
encontros com carga horária de 80 horas entre atividades de concentração e de dispersão, sendo contextualizados os
temas: territorialização em saúde; perfil, atribuições, habilidades e competências dos agentes; acolhimento e
humanização nas práticas em saúde. Os temas foram ancorados na educação popular, utilizando estratégias de
ensino-aprendizagem como aulas interativas e dialógicas, dinâmicas de grupo, trabalhos em grupo, Resultados:
Ressaltamos que os participantes foram sujeitos ativos do processo, criando vínculos de co-responsabilidade com as
acadêmicas e os docentes. Realizamos atividades de territorialização, onde os agentes reconstruíram os mapas das
micro-áreas, identificando os grupos e áreas de risco de acordo com o preconizado da política de atenção básica;
discutiram com propriedade suas habilidades e competências necessárias ao desempenho satisfatório de suas
funções; as dinâmicas atuaram como válvula propulsora no decorrer das atividades, ora motivando-os, ora levando-os
a reflexão sobre o processo de trabalho em equipe e os aspectos ético-humanitários. Conclusão: Possibilitar a
participação ativa do educando no processo da aprendizagem, propiciando o desenvolvimento contínuo das habilidades
humanas tanto dos agentes comunitários em saúde quanto dos acadêmicos. A aprendizagem se deu por meio de uma
ação motivada, da codificação de uma situação problema, da qual se distancia para analisá-la criticamente. O que é
aprendido não decorre da imposição ou memorização, mas do nível crítico de conhecimento ao qual se chega pelo
processo de compreensão, reflexão e crítica. Esta experiência possibilitou a certificação do quanto é necessária a
consolidação da prática, favorecendo aos estudantes não só o crescimento profissional, mas o crescimento humano,
fortalecendo o vínculo ensino-serviço.
Observação:
no título ficou faltando a palavra prática
VIVENCIANDO A EDUCAÇÃO PERMANENTE COM UM GRUPO DE AGENTES COMUNITÁRIOS EM SAÚDE: UM
DESAFIO TEORIA X PRÁTIC
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4586
Código do Autor Principal:1571
Nome do Autor Principal: LETICIA SILVEIRA CARDOSO
Autores:
CARDOSO, LETICIA SILVEIRA; NICOLETTI, CRISTIANNI CHAVES; HAMILTON, CLARICE DALLA VÉCCHIA;
CARDONE, SHIRLEI; BRANCO, ZELIONARA PEREIRA
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-037
Onde o trabalho foi realizado? RIO GRANDE - RS
Titulo:
SAÚDE DA FAMÍLIA: INSTRUMENTO TECNOLÓGICO PARA O CONTROLE DA MORTALIDADE MATERNA E
INFANTIL.
Resumo:
Introdução: Estudo da temática Saúde da Família (SF) com enfoque de tecnologia instrumental para controle da
mortalidade materna e infantil (MMI). Estratégia que apresenta como diretriz, o controle e a participação popular,
efetivando-se pelas ações dos trabalhadores da SF junto às comunidades na realização dos grupos de planejamento
familiar, de gestante e de puericultura. Objetivo: conhecer os fatores causadores da MMI, em particular, em
recém-nascidos (RN) de zero a um ano de idade visando aprimorar as ações da SF. Metodologia: estudo
epidemiológico, realizado com dados do Sistema de Informação de Mortalidade do município do Rio Grande/RS do
período de 2003 a 2007. Resultados: o coeficiente de mortalidade infantil (CMI) mostra significativo decréscimo com
valores respectivos: (22,67); (18,4); (14,42); (15,16); (9,32), acompanhando a tendência nacional. Índice igualmente
acompanhado pelo CMI neonatal, RN de zero a 27 dias de vida, com valores respectivos de (13,12); (11,54); (9,39);
(10,6); (5,87). Conseqüentemente, o CMI tardio, RN de 28 dias a 1 ano de idade apresenta decréscimo de (9,48);
(6,85); (5,26); (4,54); (3,45). Outro dado relevante está na relação entre número de óbitos e causas evitáveis, com
redução respectiva dos óbitos por causas evitáveis em 21, 14, 14, 15 e 10. Considerando, todas as prováveis causa de
óbito infantil nos 2 últimos anos, 2006 e 2007, as doenças infecciosas e de causas externas tem apresentado elevação
nos índices contrapondo-se a redução nos óbitos por doenças perinatais, respiratórias e congênitas. Discussão:
observa-se permanência elevada do CMI neonatal devido as afecções neonatais, representando mais de 70% dos
óbitos infantis no Rio Grande/RS. Esta condição remete à avaliação do pré-natal, da assistência à gestante no parto e
ao RN, apontando limites no trabalho desenvolvido pela SF. Em análise mais profunda do CMI tardio, visualiza-se que
fatores relacionados às afecções decorrentes do período perinatal, as mal-formações, as infecções, a desnutrição e,
especialmente, as causas externas contribuem para manutenção elevada do quadro. Considerações finais: constata-se
que nos 5 anos investigados foi possível conhecer os fatores desencadeantes e desenvolver instrumentos para
erradicar a MMI, ampliando o trabalho intersetorial, envolvendo, não somente a Secretaria Municipal, como também
professores universitários no processo de ensino-aprendizagem junto as mães para o aleitamento materno exclusivo, o
combate as doenças transmissíveis, entre outras ações em saúde. Palavras-Chave: Saúde da Família, Coeficiente de
Mortalidade, Saúde Materno-Infantil.
Observação:
MODALIDADES DE ELABORAÇÃO DOS TRABALHOS:(2) Estudo.
ÁREAS TEMÁTICAS PARA INSCRIÇÃO DOS TRABALHOS:Área 3. Vigilância em Saúde na AB/SF
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4588
Código do Autor Principal:3320
Nome do Autor Principal: CARMEN LIETA RESSURREIÇÃO DOS SANTOS
Autores:
ANA JESSICA CARDOSO;ANDRE SILVA;BARTIRA MELO;CARLISON PIMENTEL;CLAUDIOBELO;ESTEFANIO DE
OLIVEIRA;LUANA FIGUEREDO;TAIALA SOUZA;THIAGO FERNANDO ALMEIDA;VIVIANE CAVALCANTE; KANINE
PAOLLILO
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-043
Onde o trabalho foi realizado? FEIRA DE SANTANA - BA
Titulo:
AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE HIPERTENSO:ESTRUTURA,PROCESSO E RESULTADO
Resumo:
Na prestação de serviços apropriados para os hipertensos, é preciso levar em consideração os componentes do
sistema de saúde.Segundo Pessuto (1998), para haver um controle adequado da hipertensão arterial, não bastam
apenas medidas de orientações; é preciso também, desenvolver estratégias nos serviços de saúde que contribuam
para o controle da doença. De acordo com Donabedian as informações a partir das quais se podem tecer inferências
sobre a qualidade do cuidado podem ser classificadas como provenientes de três categorias: estrutura, processo e
resultado. Baseado nesta proposição desenvolvemos este estudo com alunos do curso de medicina da Universidade
Estadual de Feira de Santana, durante o módulo Práticas Integrada Ensino Serviço Comunidade (PIESC ) em
Unidades da Estratégia Saúde da Família no município de Feira de Santana -BA que teve como objetivo avaliar
o
atendimento ao cliente hipertenso, vislumbrando a integração ensino, serviço e comunidade e o
desenvolvimento de competência para a avaliação de do atendimento do cliente hipertenso na estratégia saúde
da família . No primeiro momento os alunos reavaliaram as atividades realizadas pelo grupo nesta unidade na
PIESC II e após rediscussão com os professores e a equipe que atua na referida unidade de saúde, os
alunos elaboraram um formulário que foi aplicado ao médico e a enfermeira da unidade, além de um roteiro
de observação sistemática. A análise da dimensão estrutura: contemplou a observação dos recursos materiais do
PSF utilizados no atendimento ao cliente; Na dimensão de processo: buscou-se avaliar a busca ativa de clientes,
o fluxograma de atendimento, as características das consultas do médico e da enfermeira, as estratégias
educacionais, de monitoramento e acompanhamento dos clientes; Na dimensão do resultado avaliou-se a cobertura
e estratégias de participação da população do programa e conclui-se que o PSF, como porta de entrada da atenção
básica, não tem a infra-estrutura necessária para atendimento integral do indivíduos e deixa lacunas quanto as
ações de educação permanente. Para produzir mudanças de práticas de gestão e de atenção, é fundamental que o
profissional de saúde seja capaz de dialogar com as práticas e concepções vigentes, e problematizá-las - não em
abstrato, mas no concreto do trabalho de cada equipe - e de construir novos pactos de convivência que aproximem os
serviços de saúde dos conceitos da atenção integral, humanizada e de qualidade, da eqüidade e dos demais marcos
dos processos de reforma do sistema brasileiro de saúde, adequando-os à realidade local.
Observação:
relato de experiência desenvolvida pelo alunos do curso de medicina da UEFS sob a supervisao da prof Carmen
Lieta R dos Santos
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4589
Código do Autor Principal:3327
Nome do Autor Principal: FLÁVIA LOPES GABANI
Autores:
FLÁVIA LOPES GABANI;
CLARICE MARTINS LIMA MAEBARA;
DEBORA DE MIRANDA BARROS;
DEBORA GUEDELHA BLASI;
MARCELA DE OLIVEIRA DEMITTO;
NATALY TSUMURA INOCENCIO SOARES;
ROSÂNGELA APARECIDA PIMENTA FERRARI;
MARIA BENEVENUTO DE OLIVEIRA.
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-098
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
SERVIÇOS DE ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE & ATUAÇÃO DA RESIDÊNCIA DE ENFERMAGEM EM SAÚDE DA
CRIANÇA
Resumo:
Introdução: A criação do Curso de Especialização em Saúde da Criança Modalidade Residência, primeiro em
Universidade Pública do Estado, vem de encontro com as necessidades de qualificação do enfermeiro tanto na área da
Atenção Básica (AB) como na Hospitalar, tendo perspectiva de se formar novos perfis profissionais a serem absorvidos
no mercado de trabalho capacitados à cumprir as diretrizes e regulamentações do Sistema Único de Saúde (SUS) em
prol dos usuários. O Enfermeiro Residente vivencia o atendimento da criança desde à pré-concepção, no serviço de
AB, até a internação em unidades de média e alta complexidade. Destarte, a premissa do atendimento integral da
criança baseia-se na organização de uma rede integrada de assistência nos serviços de saúde do município e região.
Objetivo: Relatar a experiência da efetivação das 900 horas de atuação do Residente de Enfermagem em Saúde da
Criança no campo da Saúde Coletiva. Metodologia: A carga horária da Residência se divide em Assistência Integral à
Saúde da Criança I e II, Assistência Integral à Criança Hospitalizada I e II, Disciplinas do Tronco Comum e Atividades
teórico-práticas. A carga horária total do curso corresponde à 5010 horas ministradas em 2 anos em tempo integral,
divididas em atividades práticas e teóricas correspondendo 52 horas semanais. No 1º ano, das 2505 horas 720 são
destinadas às atividades práticas com enfoque na prevenção e promoção da saúde materno-infantil: Banco de Leite
Humano, Centro de Lactação, Unidade de Lactação, Centro de Educação Infantil, Centro de Referência de Imunização,
Unidade Básica de Saúde e Maternidade. No 2º ano, 180 horas para desenvolver atividades práticas de prevenção,
promoção e reabilitação da saúde nos ambulatórios: Comissão de Suporte Nutricional Enteral e Quimioterapia. Além
disso, há cumprimento de 200 horas teóricas pertinentes ao campo de atuação, embasados na Educação Permanente
em Saúde, com equipe, docentes e comunidade. Resultados: Pode-se observar que a presente grade curricular tem
proporcionado de forma direta e indireta o cumprimento das diretrizes do SUS pressupondo intervenção sobre fatores
de risco dos grupos etários, prestação da atenção integral contínua e de boa qualidade nas especialidades básicas de
saúde, ambulatório e hospital, estabelecimento de parcerias entre serviço e academia buscando desenvolver ações
intersetoriais na área materno-infantil. Lições: A partir da vivência durante a implantação da Residência foram
construídas e reconstruídas, em conjunto, atividades para alcance dos objetivos, garantindo e integrando necessidades
o processo de ensino e aprendizagem nos campos, proporcionando melhoria na qualidade da assistência
materno-infantil.
Observação:
ÁREA 5 - Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4590
Código do Autor Principal:3713
Nome do Autor Principal: RISTÊNIO GALDINO DE ARAÚJO
Autores:
1RISTÊNIO GALDINO DE ARAÚJO
2THAÍS MAÍRA DE MATOS
3JOANA DE ANGELES DANTAS DE MEDEIROS
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-096
Onde o trabalho foi realizado? JOÃO PESSOA - PB
Titulo:
O EFEITO HIPOTENSOR DO EXERCÍCIO AERÓBICO EM USUÁRIOS HIPERTENSOS DO PROGRAMA DE
ATIVIDADE FÍSICA JO
Resumo:
Resumo
Este trabalho tem como objetivo verificar o efeito da atividade física como terapia não medicamentosa na redução da
Pressão arterial de usuários hipertensos do programa de Atividade Física João Pessoa Vida Saudável e se essa
redução da Pressão arterial possibilitou a redução no uso de fármacos anti - hipertensivos. Os sujeitos participantes do
estudo fazem parte do programa de atividade física João Pessoa Vida Saudável (JPVS) da cidade de João Pessoa PB. Foram selecionados 28 sujeitos hipertensos sendo 25 mulheres e 4 homens com idade média de 56,5 (+ 8,5). Os
sujeitos do G1 e G2 participantes do JPVS praticam exercícios aeróbios de 3 a 5 vezes por semana com duração de 20
a 70 minutos, com intensidade compatível com a faixa de 50 a 85% da freqüência cardíaca máxima de reserva. Dos
indivíduos participantes da pesquisa 92,9% n=13 referiram fazer restrições alimentares mesmo antes de ingressar no
JPVS. Quanto ao uso de medicamentos com caráter hipotensor constatou-se que apenas um dos sujeitos do estudo no
G2 não fazia uso desta terapia. Constatou-se que apenas 35,7% n=5 adotavam atividade física como terapia de
controle da hipertensão arterial antes de ingressar no JPVS. Com exceção 3 sujeitos, todos os outros obtiveram
hipotensão tanto para PAS e PAD após seis meses do ingresso no programa de atividade física. Ao comparar a média
final da PAR do G1 com a média inicial da PAR do G2, G1 obteve reduções significativas em seus níveis pressóricos
de -5 e -8 mmHg para PAS e PAD respectivamente. Neste estudo pode-se concluir que o exercício físico aeróbico com
intensidade de 50% a 85% contribuiu para a redução dos níveis pressóricos dos usuários do programa de atividade
física João Pessoa Vida Saudável e que esta terapia não medicamentosa resultou na diminuição e/ou mudança dos
remédios dos usuários estudados.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4591
Código do Autor Principal:3714
Nome do Autor Principal: KÊILLA CRISTIANY DIAS DE MIRANDA
Autores:
KÊILLA CRISTIANY DIAS DE MIRANDA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-169
Onde o trabalho foi realizado? SÃO JOÃO DAS MISSÕES - MG
Titulo:
VISITA DOMICILIAR DO HIPERTENSO
Resumo:
No Polo Rancharia, mensalmente, realizamos a reunião com hipertensos objetivando o controle da doença e a
prevenção de possíveis complicações através de palestras, dinâmicas e utilização de material educativo.
Em cada
reunião sorteamos uma residência para então visitarmos... Médica e agentes indígenas de saúde, juntamente com os
demais hipertensos presentes na reunião, agendamos o dia da visita à casa do hipertenso sorteado. . Inicialmente
informamos aos familiares sobre a doença e o seu tratamento, os cuidados de que o paciente requer, buscando assim
o apoio da família, tão fundamental nesse contexto. E através de dinâmicas, trocas de experiências sobre a doença,
relato de casos e -causos- tornamos tais visitas o momento destinado a informação com descontração e alegria.
Finalizamos a visita com a mobilização de todos para a organização de um lanche de confraternização. Dessa forma,
percebemos que tais momentos contribuem para o tratamento na medida em que os pacientes abstraem de sua rotina
e compartilham suas dificuldades e ansiedades entre si... A comunidade de Rancharia, distrito do município de São
João das Missões, é assistida pela estratégia de Saúde da Família há cerca de 01 ano e meio e tem como
particularidade ser composta por parte dos índios da etnia Xakriabá...
Observação:
A etnia Xakriabá constitui-se na maior reserva indígena de Minas Gerais com cerca de 8.000 índios...
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4592
Código do Autor Principal:3715
Nome do Autor Principal: FRANK JOSE SILVEIRA MIRANDA
Autores:
FRANK JOSE SILVEIRA MIRANDA
ALINE TATIANE FAGUNDES
LEONARDO MACHADO
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-059
Onde o trabalho foi realizado? ARAGUARI - MG
Titulo:
A FORMÇÃO DO AGENTE COMUNITARIO DE SAUDE: CURSO TÉCNICO
Resumo:
O agente comunitário de saúde por intermédio do Programa de saúde da família (PSF) foi colocada diante de um
modelo de assistência centrado na família, o qual prioriza as ações de promoção, proteção e recuperação, e o
enfermeiro têm como função primordial capacitar os agentes comunitários de saúde para que os mesmos possam
executar suas ações baseadas em princípios que norteiam o sistema único de saúde (universalidade, equidade,
Integralidade), por tanto o curso técnico em agente comunitário de saúde uma proposta do Ministério da Saúde que tem
como escopo a formação dos agentes de saúde junto aos seus locais de trabalho. Este estudo teve como objetivo.
Averiguar como o agente reconhece sua formação no curso técnico de agente comunitário de saúde no município de
Araguari Minas Gerais. Fizeram parte deste estudo 69 agentes comunitários de saúde que estavam realizam o curso
técnico de agente comunitário de saúde no segundo semestre de 2007. Os dados sócio demográficos apresentados
destaca-se que mais de 80% dos profissionais são do sexo feminino, 57% tinham idade superior a 30 anos, 51% já
atuam há mais de anos com agente de saúde.quase 90% atua apenas como ACS e não tem outro vinculo
empregatício. Em relação às atividades executadas 35% as atividades representou as citadas que foram executadas
com maior êxito ( dinâmicas e oficinas) formaram um percentual de 35%.Dentro das dificuldades,encontradas pelos
agentes de saúde, durante o curso a conversa paralela representou 17,4% das resposta, e 29,% afirmaram não ter
havido dificuldade.Nas técnicas de ensino aprendizagem 53% dos agentes consideram excelentes, o material didático
utilizado foi considerado ótimo por 46,4% e 42% referiu ser excelente.55% dos alunos trabalhadores afirmaram que os
professores foram excelentes. E quanto a interação com os agentes e a comunidade foi abordada como ótima em
57%.Podemos afirmar que os ACS reconhecem a sua formação como essencial na execução de suas atividades
diárias junto a sua comunidade e que este processo de ensino aprendizagem tem soído benéfico para o sistema de
saúde e suas complexidades.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4594
Código do Autor Principal:3644
Nome do Autor Principal: JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Autores:
JONAS ALÉXIS SKUPIEN - AUTOR
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-108
Onde o trabalho foi realizado? MATO QUEIMADO - RS
Titulo:
VISITA DOMICILIAR: A PRÁTICA FISIOTERAPÊUTICA NO CONTEXTO FAMILIAR
Resumo:
A estratégia do Programa Saúde da Família (PSF) adotada pelo Ministério da Saúde desde 1994, objetiva
reorganizar a prática de atenção em saúde. A inserção do fisioterapeuta nesse nível de atenção é justificado pelo
desenvolvimento de ações que priorizem a prevenção e a promoção de saúde, dentre elas a visita domiciliar (VD),
denotando assim a importância da interpretação no contexto familiar.
A prática fisioterapêutica em nível primário de saúde objetiva, através das VDs delinear as situações de risco da família,
através da construção de uma mobilização familiar frente às interpéries produzidas por algum processo patológico
estabelecido. Além disso, o caráter familiar atribuído à esse tipo de atuação, possibilita a interação com os profissionais
da equipe, afim de aproximar e serem realizados com uma visão integralista a busca da solução adequada para cada
situação.
A realização das VD surgiram a partir da necessidade de serem atendidos usuários do PSF de Mato Queimado - RS,
que residem na zona rural do município e que possuem dificuldades de deslocamento até a unidade. Após serem
elencadas as prioridades familiares em reunião da equipe, agendou-se semanalmente as visitas, sendo as mesmas
realizadas com transporte da Diretoria de Saúde em turno variável de acordo com a estação do ano, dadas as
condições dos assistidos, e seguindo cronograma de agendamento prévio para tal.
Através do uso de tecnologias leves desenvolveram-se mediante o uso do saber científico e acerca de conhecimentos
prévios e indispensáveis do contexto, respeitando assim a história de vida e de saúde dos usuários adscritos. Faz-se
uso de recursos disponíveis no local complementado por ações de educação em saúde, construindo e compartilhando
mutuamente saberes a respeito da realidade de vida e da patologia que acomete o usuário, e certamente, provoca
alterações de rotina e de vida da família.
Focado no conceito ampliado de saúde, e almejando uma melhora na qualidade de vida dos assistidos, é papel
fundamental do fisioterapeuta a análise complexa do ambiente para realização de adequações e o uso de tecnologias
pertinentes para o processo terapêutico. A construção é conjunta e as atividades a serem realizadas pelos usuários em
momentos de ausência do terapeuta, tem por objetivo respeitar a cultura e a realidade de vida dos mesmos
proporcionando o máximo de autonomia no processo de auto-cuidado.
A necessidade de aplicabilidade de cada projeto deve ser adequado às características localistas do PSF. No entanto, o
nível de resolutividade possui relação com a proximidade entre o tipo de atuação que se realiza e o nível de atuação
esperado pelos assistidos no PSF. Dessa forma, a realização de VD mediante a agregação de características familiares
é de vital importância para o processo de recuperação e, portanto, torna-se necessário, não sua reprodução, mas sua
adequação.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4595
Código do Autor Principal:3678
Nome do Autor Principal: GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Autores:
GEORGIA MEDEIROS PAIVA; JORGIANA DE OLIVEIRA MANGUEIRA.
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-118
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
ATIVIDADE FÍSICA E POSTURAL: UMA EXPERIÊNCIA INTERDISCIPLINAR COM GRUPOS DE IDOSOS.
Resumo:
O município de Sobral-Ceará, no ano de 2005, implantou na atenção primária uma proposta do Ministério da Saúde
dos Núcleos de Atenção Integral à Saúde da Família - NAISF que é composto por uma equipe multiprofissional
envolvendo os seguintes profissionais: Assistente Social, Farmacêutico, Fisioterapeuta, Nutricionista, Profissional de
Educação Física, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional. Esses profissionais desenvolvem ações de promoção à saúde,
prevenção de doenças e reabilitação junto à equipe de Saúde da Família. Os profissionais que compõem esses
núcleos priorizam as atividades interdisciplinares. Os Profissionais de educação física e fisioterapia desenvolvem junto
aos grupos de idosos, atividades semanais de alongamento e reeducação postural, visando à melhoria da qualidade de
vida, prevenção e minimização das queixas de dores osteomusculares comuns a este grupo bem como melhorar a
flexibilidade dos participantes. Ao iniciar o processo de territorialização, pode-se perceber através de alguns
depoimentos, encaminhamentos e relatos de alguns profissionais que compõem as equipes de saúde da família um
grande número de pessoas das diversas faixas etárias que procuram o serviço de saúde devido a queixas de dores
osteomusculares. Baseado nesse diagnóstico percebeu-se a necessidade de formar um grupo com atividades voltadas
ao alongamento, relaxamento e educação postural, visando o auto-cuidado assim como minimizar suas queixas de
dores osteomusculares. Tendo como objetivo proporcionar aos participantes do grupo uma melhoria da flexibilidade,
extensibilidade assim como a prevenção de algias através dos exercícios de alongamento, relaxamento e reeducação
postural. Utilizou-se um tipo de estudo descritivo com abordagem qualitativa. Percebeu-se durante os encontros uma
grande motivação dos participantes nas atividades desenvolvidas oportunizando momentos de integração,
sociabilização e melhora da auto-estima. Através dos relatos dos participantes foram ressaltados os benefícios desta
atividade, dentre os quais destacamos: uma maior disposição nas atividades de vida diária, diminuição das queixas de
dores osteomusculares e maior domínio das técnicas durante a execução dos exercícios. A experiência do trabalho
interdisciplinar favoreceu a união de dois saberes que estão interligados e se complementam proporcionando uma
melhoria da qualidade de vida dos participantes a partir da integração dos campos de conhecimentos acumulados nos
campos da Educação Física e da Fisioterapia.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4596
Código do Autor Principal:3691
Nome do Autor Principal: MARILDA KOHATSU
Autores:
EDUARDO MINORU SHIRATORI E MARILDA KOHATSU
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-157
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
ACUPUNTURA NA ATENÇÃO BÁSICA: UMA POSSIBILIDADE EM LONDRINA
Resumo:
a) Introdução: A acupuntura é um dos métodos de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa, que tem como
princípio fundamental o equilíbrio das energias e evitar o desperdício dela através de atividades insalubres. O
atendimento tem sido feito com uma população especifica na Terra Indígena Apucaraninha, onde os pacientes
apresentam dificuldades na continuidade e no uso de medicamentos. As dores são queixas comuns nesta população,
visto que todas as atividades realizadas por eles exigem esforço físico. O entendimento de certos problemas ainda é
difícil para a maior parte deste grupo, sendo que o modo deles encararem determinadas situações é diferente da visão
ocidental.
b) Objetivos: O objetivo deste trabalho foi demonstrar que alguns grupos populacionais apresentam queixas diversas e
às vezes com procedimentos simples, sem necessidade de exames complementares podem ser resolvidos problemas,
que podem tornar o paciente inapto a atividade diária. Além disso, a acupuntura pode minimizar os custos de
tratamento, que é um dos principais objetivos dos administradores de saúde.
c) Metodologia
Foi proposto o tratamento baseado na MTC, após explicação sobre os diversos tipos de tratamento e a ausência de
efeitos colaterais. Realizadas sessões semanais, sendo avaliado a necessidade ou não de mais de uma vez por
semana para cada um dos casos e de acordo com a resposta obtida. Em um grupo foi feito o tratamento antes mesmo
dos exames complementares e em outro com um grupo que já havia feito consulta com especialistas e sendo
orientados para o tratamento, porém ainda com queixas. Realizado o tratamento após orientações sobre o tipo de
tratamento em pacientes com lombalgias, artralgias, cefaléias, tendinites, câimbras. (espondilose, espondiloartrose,
gonartrose, escoliose, hiperlordose).
d) Resultados alcançados: houve melhora importante em jovens e adultos, porém mais inexpressiva em idosos.
Resultados em fase de conclusão.
e) Lições aprendidas com a experiência: esta experiência tem reforçado a experiência com a acupuntura onde reforça a
visão do corpo como um todo, e onde todo e qualquer sinal e sintoma torna-se importante para determinar o
tratamento. E não há ponto definido para tratamento das patologias, estes pontos variam de paciente para paciente e
entre cada uma das sessões. E que é possível o uso da acupuntura na atenção básica, mesmo em grupos tão
específicos como os indígenas.
f) Recomendações: é importante ter em vista a especificidade cultural do grupo, para que não haja choque entre
conhecimentos tão diversos. Superada estas diferenças os benefícios alcançados pelo grupo são bastante
significativos.
Observação:
O Autor principal é o dr. Eduardo Minoru Shiratori, mas como teve problemas na inscrição, encaminho em meu
e-mail
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4597
Código do Autor Principal:453
Nome do Autor Principal: EMERSON VIEIRA DE OLIVEIRA
Autores:
EMERSON VIEIRA DE OLIVEIRA
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-014
Onde o trabalho foi realizado? ARAPIRACA - AL
Titulo:
AÇÕES INTERSETORIAIS DESENVOLVIDAS PELA EQUIPE DE SAÚDE BUCAL NA COMUNIDADE DE MANOEL
TELES.
Resumo:
A COMUNIDADE DE MANOEL TELES FICA SITUADA NA REGIÃO CENTRAL DO MUNICÍPIO DE ARAPIRACA. E
TEM UMA POPULAÇÃ ESTIMADA DE 12.000 HABITANTES. EM GERAL AS FAMÍLIAS DESTA POPULAÇÃO SÃO
DE BAIXA RENDA OU SEM EMPREGO. ESTA COMUNIDADE APRESENTA UMA POPULAÇÃO COM ÍNDICIES
ELEVADOS DO USO DE DROGAS E PROSTITUIÇÃO.
A EQUIPE DE SAUDE BUCAL (ESB) FOI IMPLANTADA, A UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA DE MANOEL TELES NA
COMUNIDADE DE MANOEL TELES, NO ANO DE 1999 NO MODELO DE 01(UMA) ESB PARA 02(DUAS) EQUIPE DE
SAÚDE DA FAMÍLIA.
A PARTIR DAÍ AS AÇÕES DESENVOLVIDAS NO ÂMBITO DA SAÚDE BUCAL FORAM DESENVOLVIDA EM TODA
COMUNIDADE. AÇÕES DE PROMOÇÃO, PREVENÇÃO E AÇÕES CURATIVAS. COM O PASAR DO TEMPO, CADA
VEZ MAIS, ENVOLVÍAMOS AS LIDERANÇAS LOCAIS (ESCOLA,IGREJAS, PASTORAL DA CRIANÇA, LÍDERES
COMUNITÁRIOS...). CENTRAMOS NOSSO MAIOR OBJETIVO NA ESCOLA MUNICIPAL DE 1º GRAU JESUS
REDENTOR JÁ QUE CONSIDERAMOS QUE É LÁ ONDE OS ALUNOS ESTÃO FORMANDO CONCEITOS,
ADQUIRINDO HÁBITOS E POSSIVELMENTE TRANSFORMANDO HÁBITOS JÁ ADQUIRIDOS.
INICIALMENTE PROMOVEMOS UMA CAPACITAÇÃO PARA TODA EQUIPE DA ESCOLA SOBRE SAÚDE BUCAL (A
DOENÇA CÁRIE; PROMOÇÃO E PREVENÇÃO EM SAÚDE BUCAL;). EM 2004 SENTIMOS A NECESSIDADE DE
REALIZAR UM PROJETO DE INTERVENÇÃO NA ESCOLA COM AÇÕES DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO
ENVOLVENDO TODA EQUIPE DOCENTE DA ESCOLA, ALUNOS, PAIS DOS ALUNOS E LIDERANÇAS LOCAIS.
INICIAMOS COM UMA OFICINA PARA PROFESSORES ONDE A PARTIR DAÍ O TEMA -SAÚDE BUCAL- SERIA
TRABALHADO SEMANALMENTE COM TODOS OS ALUNOS E ENVOLVIA TODAS AS DISCIPLINAS.
PARALELAMENTE DESENVOLVÍAMOS AÇÕES DE APLICAÇÕES DE FLÚOR TÓPICO TRIMESTRAMENTE E
ESCOVAÇÕES SUPERVISIONADA SEMANALMENTE; JOGOS E BRINCADEIRAS ENVOLVENDO O MESMO TEMA
DE SAÚDE BUCAL. E AO FINAL DO ANO ACONTECIA A CULMINANCIA DO PROJETO EXPONDO TUDO QUE FOI
PRODUZIDO DURANTE TODO ANO. REALIZAMOS REUNIÕES, INICIALMENTE BIMESTRAL, COM TODOS OS
PAIS E LIDERANÇAS PARA MOSTRAR A IMPORTANCIA DA CONTINUIDADE DAS AÇÕES NOS LARES DAS
FAMÍLIAS E AO MESMO TEMPO CONCIENTIZANDO TODA POPULAÇÃO DA RESPONSIBILIDADE DE CADA UM
NO PROCESSO.APÓS ACOMPANHAR OS ALUNOS POR TRÊS ANOS CONSECUTIVOS DESSE PROJETO
DECIDIMOS REALIZAR UMA FEIRA DE CIÊNCIAS ONDE OS TEMAS ERAM TODOS DE SAÚDE BUCAL. TIVEMOS
A PARTICIPAÇÃO DE 6 TURMAS ( 110 ALUNOS) E A TURMA VENCEDORA GANHOU UMA VAIGEM PARA
CONHECER A CIDADE HISTÓRICA DE PENEDO. A COMISSÃO JULGADORA FOI COMPOSTA DE VÁRIOS
INTEGRANTES DO GOVERNO MUNICIPAL (SECRETARIAS DE SAÚDE, EDUCAÇÃO, AÇÃO SOCIAL,
ADMINISTRAÇÃO), INTEGRANTES DE ESCOLA PARTICULAR, DIRETORES DE VÁRIAS ESCOLAS DA REDE
MUNICÍPAL.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4601
Código do Autor Principal:3699
Nome do Autor Principal: HEIDER AURÉLIO PINTO
Autores:
DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA E HEIDER AURÉLIO PINTO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE6-020
Onde o trabalho foi realizado? BAHIA
Titulo:
UM NOVO PROCESSO DE TRABALHO E MODELO DE GESTÃO NA DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA DA
BAHIA
Resumo:
Introdução
A gestão estadual da atenção básica (AB) da Bahia, caracterizava-se por ser centralizada, burocrática, distante dos
municípios e marcadamente fiscalizatória na relação com os municípios. A nova gestão ocupou-se de colocar em
análise com o conjunto de trabalhadores da DAB-BA o processo de trabalho, as práticas de gestão e a organização
vigente até então. Esse foi um processo rico caracterizado por grande participação que mudou a cara da DAB desde o
processo de trabalho interno, passando pelo organograma e práticas de gestão até a inauguração de uma nova relação
com os municípios e movimentos sociais
Objetivos
Mudança do modelo, das práticas de gestão e do organograma da DAB-BA; busca de maior envolvimento dos
trabalhadores na formulação, decisão, gestão, implementação e avaliação das políticas; e de maior participação e
efetividade da gestão estadual no desenvolvimento municipal da AB
Metodologia
Diversas atividades onde foram trabalhadas: o histórico significativo e linha da vida de cada trabalhador e seu papel na
construção da AB na Bahia; a missão da DAB; compromissos e disposições para um trabalho efetivo e produtor de
satisfação; análise do processo de trabalho com identificação de unidades produtivas, cartografia da tomada de
decisões, tecnologias utilizadas no processo de trabalho, redes de pedidos e compromissos na organização; crítica da
organização e construção de um modelo de gestão que reunia em cada trabalhador e coordenação as funções de
formulação, planejamento, gestão da implementação e avaliação do processo.
Efetivação de um mudança organizacional alicerçada em espaços colegiados, processos de educação permanente,
adoção, como eixos da gestão, o Apoio Institucional e da Educação Permanente ampliadora da autonomia dos
municípios. Mudança das Coordenações da DAB em uma de Apoio Institucional que, tal qual os princípios da estratégia
de SF, acolhe, estabelece vínculo e acompanha longitudinalmente os municípios, segue a lógica da territorialização e
adscrição regional, coordena respostas integradas de gestão votadas para a resolução da s necessidades dos
municípios na AB. Uma Cor de Apoio Matricial que articula linhas de cuidado,sintetiza a avaliação e monitoramento e
matricia as equipes de apoio institucional. Uma Cor de Gestão e Projetos que desenvolve projetos específicos, gere
convênios e oferta apoio e capacitação para projetos junto ao MS e Banco Mundial além de ser reponsável pela política
de financiamento da AB
Resultados
Mudança do modelo e das práticas de Gestão da DAB; maior valorização, envolvimento e produtividade dos
trabalhadores; maior participação e efetividade da gestão estadual no desenvolvimento da AB nos municípios;
participação dos municípios na formulação coletiva. Hegemonia de um entendimento de que: a gestão é dinâmica e em
processo permanente de desenvolvimento institucional.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4602
Código do Autor Principal:3678
Nome do Autor Principal: GEORGIA MEDEIROS PAIVA
Autores:
GEORGIA MEDEIROS PAIVA; ANDRÉ LUIS FAÇANHA DA SILVA; FRANCISCO DANIO BASTOS DE A. SOUSA;
ELIZABETE FARIAS FURTADO; JOSÉ LEONARDO APRÍGIO COSTA SOUSA; MARIA ABIGAIL AGUIAR ARRUDA
COELHO.
Área Temática: Integralidade da Atenção na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE8-003
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
REORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NO SAÚDE DA FAMÍLIA ATRAVÉS DOS NAISF EM SOBRAL.
Resumo:
O município de Sobral/CE implantou, em maio de 2005, o Núcleo de Atenção Integral à Saúde da Família (NAISF),
na Atenção Primária. Cada NAISF é composto por uma equipe de profissionais de categorias diferentes, que atuam nos
território da Estratégia Saúde da Família (ESF). A Educação Física está integrada a este novo modelo, juntamente com
outras áreas de conhecimento da saúde. Trabalhar com a integralidade e a resolubilidade da atenção à saúde é o
objetivo. Nesta perspectiva, esta categoria vem contribuindo com ações de promoção a saúde para efetivar
integralmente a saúde do sujeito e/ou grupo, através do incentivo e adesão a pratica de exercícios físicos sistemáticos,
entre as quais cita-se: Acompanhamento de Grupos de Caminhada e Ginástica Comunitária; Visitas Domiciliares;
Avaliação Sistêmica em casos de Sedentarismo e Portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT);
Educação em Saúde; Articulação Intersetorial em Projetos e Programa do Município, visando objetivos comuns, entre
outras. A contribuição da Educação Física nesse novo arranjo organizacional da Saúde vem sendo marcado por
desafios e conquistas no seu fazer, proporcionando à equipe básica maiores intervenções de promoção e prevenção
em saúde, garantindo a integralidade trabalhando na busca da melhoria da qualidade de vida da população.
Palavras-chaves: Educação Física; Integralidade; Saúde da Família; Formação Profissional e Campo de Trabalho.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4604
Código do Autor Principal:3718
Nome do Autor Principal: VIVIANE OLIVEIRA LISBOA TACLA
Autores:
ALINE SIMÕES SIQUEIRA, ANA CLAUDIA DOS SANTOS LAMAS, ELIANE GIL PEREIRA XIMENES, LEMIR
GIMENEZ PARADELHA, LUCIENE ROCHA DA SILVA, MIRIAM FERNANDES GONÇALVES, MÁRCIA RODRIGUES
MEDEIROS, MARIA HELENA RAMBALDI DA SILVA, MARISTELA CORSINI, ROBERTA BATISTA DE MELO,
VIVIANE OLIVEIRA LISBOA TACLA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-190
Onde o trabalho foi realizado? VILA VELHA - ES
Titulo:
DANDO COR AO JARDIM: A PARTICIPAÇÃO DA EQUIPE DE PSF NO GRUPO DE IDOSOS DE JARDIM
COLORADO
Resumo:
Introdução: No Bairro de Jardim Colorado, no município de Vila Velha atuam uma equipe de PSF , uma equipe de
Saúde Bucal (ESB) e uma equipe de PACS com 7 agentes comunitários de saúde, com uma população cadastrada de
aproximadamente 4.000 pessoas. Objetivos: Inserir-se na comunidade através da participação da equipe num grupo
pré-existente. Metodologia: Há uma grande expectativa de criar -o nosso grupo- quando se inicia uma equipe de PSF,
mas num olhar mais cuidados quando se realiza um bom diagnostico de saúde, observa-se que esses grupos existem
na comunidade e cabe a equipe encontrar estratégias de inserir-se neles, respeitando sua forma de organização e
assumindo o papel que o grupo inicialmente permite. A idade dos participantes do grupo é entre 50 e 86 anos e a
média de participantes por reunião fica em torno de 36 pessoas. O grupo relatado nessa experiência já existia, mas a
inserção da equipe ocorreu há 4 anos, sempre uma vez por mês, às quartas feira. A ação acordada foi as medida de
PA, glicemia e renovação de prescrições, logo ampliou-se para palestra sobre alimentação e qualidade de vida e hoje
já se ensaia uma discussão sobre geração de renda. O grupo sempre promove passeio e festas e aqui também tem
participado de alguns desses eventos patrocinados com recursos do próprio grupo. A rede de apoio é muito forte e
quando alguém é internado ou fica acamado recebe visitas das demais participantes. Outras fazem cursos e o que
aprendem imediatamente ensinam as demais participantes. Resultados: Melhora significativa na relação com a
comunidade, que não tinha forma de inserção, pois as participantes usavam planos de saúde e não freqüentavam a
Unidade de Saúde..
Lições aprendidas: O esforço para se criar um grupo próprio é muito grande pode-se otimizar a participação naqueles já
existem.Recomendações: Um diagnóstico de saúde bem elaborado revela os grupos naturalmente organizados na
comunidade.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4605
Código do Autor Principal:3719
Nome do Autor Principal: STEPHANIE MARGARETH BARBARA BIANCA CARDOSO
Autores:
STEPHANIE MARGARETH BARBARA BIANCA CARDOSO
RENATA LEOPOLDINO RAMOS
ALESSANDRA APARECIDA BARBOSA LEONETTI SOUZA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-035
Onde o trabalho foi realizado? IPUÃ - SP
Titulo:
O PSF NA ESCOLA, UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL
Resumo:
INTRODUÇÃO A população do bairro da Capelinha, na cidade de Ipuã, SP, sofre com a ausência de vários serviços
básicos. Ao assumir o PSF nesta comunidade foi possível observar a carência da população, principalmente de uma
assistência de saúde de qualidade voltada para atenção integral.
Nas visitas que realizamos na única escola do bairro, observamos que aquela população em idade escolar necessita de
cuidado. E decidimos implementar uma -disciplina de saúde-, para todas as crianças do ensino fundamental.
OBJETIVOS É possível trabalhar educação em saúde em locais de trabalho, escolas, ambientes clínicos e
comunidade. Assim, o propósito desta atividade é proporcionar às crianças e adolescentes informações que o conteúdo
programático das disciplinas do ensino fundamental não abrange, e então contribuir na prevenção de agravos
prevalentes nesta faixa etária e, também, na idade adulta.
METODOLOGIA Após a identificação do problema e discussão com a direção da escola, montamos um cronograma,
respeitando a faixa etária. Os conteúdos são trabalhados com o Enfermeiro do PSF. São realizadas aulas expositivas
integradas à prática, com trabalhos e dinâmicas em grupo. Os encontros acontecem semanalmente, durante o horário
das aulas.
RESULTADOS ALCANÇADOS Segundo relatos dos professores os alunos se sentem mais à vontade para tirar as
dúvidas e questionar sobre assuntos relacionados à saúde com um profissional da área. Por se tratar de atividades que
envolvem dinâmicas em grupo e discussões, os alunos ficam mais atentos.
Quando questionados sobre as atividades do PSF na escola, todos os professores relataram ser importante um
profissional de saúde na escola auxiliando no desenvolvimento das crianças e adolescentes, orientando e esclarecendo
dúvidas. E, ainda, que o trabalho em conjunto é enriquecedor para todos: alunos, professores e profissionais de saúde.
LIÇÕES APRENDIDAS COM A EXPERIÊNCIA Cada grupo de alunos reage de uma forma aos conteúdos trabalhados.
É um trabalho gratificante, cada olhar de expectativa é um incentivo. Educação em Saúde trata-se de levar informação,
colaborar com formação da consciência crítica do escolar, contribuir com mudanças, e melhorar a qualidade de vida da
população.A dificuldade maior do profissional é não deixar que suas crenças e valores interfiram no processo.
RECOMENDAÇÕES As intervenções do PSF na comunidade depende do perfil populacional e das necessidades de
cada comunidade. Buscar o apoio da instituição facilita o desenvolvimento das atividades, além do apoio dos
professores que são grandes incentivadores.
Educação em saúde pode ser realizada nos mais locais, esta é apenas uma das muitas possibilidades, estamos
contribuindo para a formação de cidadãos, e essa pequena intervenção irá refletir na vida dessas pessoas tornando-os
capazes de gerar mudanças, o que contribuirá para elevar a qualidade de vida.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4606
Código do Autor Principal:3720
Nome do Autor Principal: ANTONIO AMERICO PAIVA DA SILVA MARTINS
Autores:
DR. ANTONIO AMERICO PAIVA DA SILVA MARTINS
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-130
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
MEDITACAO E AIKIDO COMO TERAPEUTICA NÃO MEDICAMETOSA NA ESF/CSVC
Resumo:
Introdução
Os Seres Humanos estão se tornando, a cada dia, mais doentes, carentes de atenções básicas e cuidados integrais
que os obrigam a buscar, diariamente os centros de saúde, fazendo da Atenção Primária/ESF o primeiro e principal
instrumento de reequilíbrio psicossomático numa sociedade de consumo estressante. Isto obriga o MFC a se atualizar
e até se iniciar em métodos alternativos de facilitação e ajuda ao usuário que está dependente de drogas, remédios e
atendimentos de saúde de péssima qualidade e desumanos.
Objetivo
Tratar holisticamente os pacientes com a prática da Meditação Transcendental (MT) e do AIKIDO (AKD - O Caminho da
Harmonia) através de um Grupo de Convivência, a desremedialização dos usuários, a aproximação/relação do
MFC/paciente como um amigo, respeitoso e medicamentoso (Dr. Balint), espiritualizando-nos.
Metodologia
Optou-se pelo estudo prospectivo de casos-controle (de 6 meses a 6 anos) dos pacientes dos GO de HAS/DM,
convidados para a MT e AKD durante 4 dias/semana. Nos 60- de pratica, inicia-se com 5- de MT no 1º mês,
aumentando progressivamente 5/mês até 20-. O tempo restante, alonga -se e faz-se aquecimentos e as técnicas de
controle do KI (energia vital), em movimentos circulares e espirais do AKD. Estudo em grupo dos 10 Motivos para
Meditar, antes da MT, e nos 10- finais é feita uma avaliação e discussão registradas. Medida da PA antes e depois das
práticas, 1x/semana.
Principais resultados
Os pacientes que mantiveram uma assiduidade de pelo menos 2 dos 4 dias, tiveram redução de PA entre 5 a 20
mmhg, relataram aumento de autoconfiança e alegria de viver. Em pelo menos 50% dos pacientes houve melhora das
mialgias, osteoartralgias e insônias com diminuição das prescrições, acolhimento diminuído em 40 a 50%, criando um
relacionamento paciente/MFC/equipe mais respeitoso e compreensivo da ESF/SUS.
Discussão /Conclusão.
Na relação mais humanizada da ESF, o MFC precisa ter a coragem de conviver com a comunidade, diariamente, num
contexto de saúde integral, alegria e empatia, como facilitador do processo de reencontro com a -perfeição e a
felicidade interiores- e não com a prescrição de remédios que (sozinhos) não curam os nossos pacientes (só
-remediam-) que tanto amamos. A cura pode acontecer ao experimentarmos essas técnicas, como ferramentas de
grupo, terapêuticas não medicamentosas, nos aproximando mais dos pacientes/famílias/comunidades e assim nos
identificando com a Verdade do -Eu e Ele somos Um- e que -Somos células saudáveis de um só Organismo Universal
de AMOR -.
Enfim, com a educação e promoção popular em saúde experimentadas e comprovadas cientificamente com a MT e o
AKD, pode-se alcançar os objetivos da espiritualização e desremedialização.
Observação:
A intenção é implementar em todos os centros de saude para curar espiritualemnte a população e desremedializa-la
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4607
Código do Autor Principal:3721
Nome do Autor Principal: HELOISA BEATRIZ MACHADO
Autores:
HELOISA BEATRIZ MACHADO
ARLETE TERESINHA BESEN SOPRANO
CAROLINA MACHADO
ANA CAROLINA GOMES MOTA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-062
Onde o trabalho foi realizado? ITAJAÍ - SC
Titulo:
GENOGRAMA: METODOLOGIA PARA A ABORDAGEM DA FAMÍLIA PELAS EQUIPES DA ESTRATÉGIA SAÚDE
DA FAMÍLIA
Resumo:
Introdução: Embora utilizado na clínica há muitos anos, com a implantação da Estratégia Saúde da Família, o uso do
genograma como instrumento de abordagem familiar, tem permitido aos profissionais superar a prática centrada
exclusivamente na doença e visualizar a família como recurso e unidade promotora de cuidado. Nessa estratégia a
família passa a ser objeto de atenção e deve ser compreendida a partir do território em que vive, pois é nele que
constrói suas relações sociais intra e extra-familiares e no qual luta cotidianamente para melhorar sua condição de vida.
O genograma é a ferramenta mais importante para obter informações acerca do indivíduo e sua família, permite ainda
uma visão lógica dos padrões de repetição de patologias e relações intrafamiliares, sendo de muita utilidade em
situações de doenças com traço familiar ou hereditário, aquelas influenciadas por fatores psico-sociais e/ou
sócio-ambientais, possibilitando à equipe de saúde e à família uma visão mais nítida dos padrões de relação que se
repetem de geração em geração, sobre os quais se pode preventivamente intervir, envolvendo toda a família nessa
ação. Neste sentido o paciente, o profissional de saúde e a família são co-responsáveis pelos processos assistenciais,
configurando o enfoque triangular profissional-indivíduo-família. Objetivo: com este estudo objetivou-se identificar riscos
intrafamiliares utilizando como instrumento o genograma de pacientes atendidos no Ambulatório de Medicina Familiar e
Comunitária da Univali, no período de 2003 a julho de 2005. Metodologia: a pesquisa foi retrospectiva e documental a
partir da consulta dos dados de identificação e do genograma de 322 pacientes atendidos pela disciplina de Medicina
Familiar e Comunitária. Resultados: os resultados mostraram a presença de grupos de risco como a idade, baixa ou
nenhuma escolaridade e populações vulneráveis (crianças e idosos), tabagismo, alcoolismo, uso de drogas; riscos
psicossociais como separação e divórcio, desestruturação familiar e riscos genéticos, como: morbidade e
co-morbidades, doenças crônicas, principalmente hipertensão e diabetes e que foram também causas de morte na
família. A avaliação da história mórbida pregressa apontou pacientes vulneráveis a cardiopatias e câncer, bem como
fatores de risco para violência intrafamiliar, como etilismo, uso de drogas e relações tumultuosas. Conclusão: o estudo
de riscos a partir do genograma permitiu compreender o contexto familiar e verificar os padrões de repetição de hábitos
de vida e doenças herdadas, padrões de relações intrafamiliares e os riscos genéticos, psicossociais e ambientais que
interferem no processo saúde-doença. Oportuniza adotar estratégias direcionadas aos riscos identificados, propondo
medidas de prevenção considerando os problemas específicos, os recursos disponíveis, as famílias e suas redes de
apoio.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4608
Código do Autor Principal:3722
Nome do Autor Principal: POLIANA XAVIER NUNES BRITO
Autores:
POLIANA XAVIER NUNES BRITO
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-132
Onde o trabalho foi realizado? PATOS - PB
Titulo:
ADESÃO DOS HIPERTENSOS ÀS CONDUTAS TERAPÊUTICAS
Resumo:
INTRODUÇÃO A Hipertensão Arterial (HA) é um importante problema de saúde do mundo industrializado devido a
sua alta prevalência e sua associação com as doenças cardiovasculares e renal, o que a caracteriza como uma das
causas de maior redução da expectativa e da qualidade de vida dos indivíduos. A magnitude da doença, a complexa
interação entre fatores de risco e, por outro lado, o diagnóstico e o tratamento acessível, são alguns elementos que
estimulam a pesquisa, que é de grande valia para a classe científica e estudiosos, uma vez que se compromete em
informar com clareza, a importância do tratamento no controle da hipertensão arterial sistêmica OBJETIVOS estudar os
fatores que motivam e/ou dificultam a adesão dos hipertensos às condutas terapêuticas e sua influência sobre os níveis
tensionais, investigando o cumprimento ou não, da terapêutica medicamentosa e não medicamentosa, identificando as
causas que interferem no tratamento, relacionando a influência da terapêutica com os níveis tensionais, identificando a
presença de complicações e relacionando fatores de risco para o desenvolvimento destas. METODOLOGIA É um
estudo do tipo exploratório-descritivo com abordagem quanti-qualitativa, realizado na USF Dr. Horácio Nóbrega
localizado no bairro São Sebastião, no município de Patos - PB, no período de 29 de março a 03 de maio de 2007. A
amostra foi composta por 62 sujeitos, numa população de 240 hipertensos. A coleta de dados deu-se através de
entrevista com os sujeitos, com aplicação de questionário previamente elaborado, contendo perguntas objetivas e
subjetivas, bem como, através de consultas aos prontuários dos mesmos e ao cartão do hiperdia, a fim de verificar a
resposta destes ao tratamento. RESULTADOS E DISCUSSÕES Dados relevantes foram evidenciados com a pesquisa,
como a predominância do sexo feminino, a baixa renda e escolaridade, o alto índice de sedentários, o excesso de
peso, a presença de co-morbidades, os altos níveis tensionais e o risco muito alto da maioria dos sujeitos para
complicações. Além disso, ficou comprovado que a maioria dos pesquisados não aderem completamente às
orientações do tratamento. Vários fatores foram citados como influenciadores da adesão dos hipertensos às condutas
terapêuticas como preocupação com a saúde, família, informação, dificuldades financeiras etc., tanto motivando, como
dificultando a adesão desses indivíduos às condutas terapêuticas. CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante do exposto, essa
pesquisa evidencia a importância da associação da terapia medicamentosa com a não-medicamentosa, da avaliação
constante da eficácia do tratamento que se dispõe aos enfermos e, sobretudo, demonstra a necessidade da tomada de
atitudes, como ações educativas, voltadas para melhoria da qualidade da assistência, que estimulem a adesão dos
hipertensos ao tratamento e, assim, reduza os risco de complicações desses indivíduos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4609
Código do Autor Principal:3723
Nome do Autor Principal: ALESSANDRA B. H. GALVÃO DE MEDEIROS
Autores:
ALESSANDRA B. H. GALVÃO DE MEDEIROS
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE9-021
Onde o trabalho foi realizado? BLUMENAU - SC
Titulo:
ACOLHENDO SR. P - UMA EXPERIÊNCIA EXITOSA DE INTERVENÇÃO INTERSETORIAL
Resumo:
Relato de experiência de intervenção junto a uma pessoa idosa, em grave sofrimento mental, cuja situação de
abandono e confusão o expunha a sérios riscos. A partir da solicitação de auxílio no manejo de atendimento ao Sr. P,
por parte da equipe de ESF da região onde o mesmo residia, decidi fazer ma visita domiciliar, enquanto psicóloga do
CAPS II, junto de profissional daquela equipe.Ao chegarmos, deparamo-nos com Sr. P sob um rancho de chão batido,
nu, de cócoras, frente a uma pequena fogueira. Totalmente sujo, cabelos compridos e desgrenhados, aspecto
desnutrido. Dizia estar há quatro dias sem se alimentar. Sua casa era uma peça de madeira contendo apenas colchão
velho, travesseiros e coberta imundos e uma mesa onde se via panelas vazias, pacote de farinha e outro de fumo.
Nada mais.O lugar ficava na parte alta de um grande terreno, de difícil acesso e sem as mínimas condições de higiene.
Sem saneamento, exalava forte cheiro de urina e fezes. No mesmo terreno, via-se casas de alvenaria, em condições
habitáveis, com portas fechadas. Apesar de parentes, ninguém apareceu para nos receber. Dizia-se que todo aquele
terreno era de P, mas estava sendo tomado, aos poucos, pela família. O mesmo era aposentado, mas queimou seus
documentos, por mais de uma vez, não conseguindo receber seu salário. Sensibilizados por esta situação, optamos por
enviar relatório ao ministério público, denunciando a situação do sr. P. Concomitantemente, convocamos reuniões de
equipe ampliadas, envolvendo profissionais do ESF, CAPS e Política do Idoso, assim como familiares do usuário, a fim
de criarmos estratégias de intervenção urgentes, que pudessem melhorar sua condição física, mental e de moradia.
Identificamos entre os parentes, uma familiar que nos pareceu mais sensibilizada e interessada em ajudar. A mesma
prometeu fornecer-lhe três refeições diárias e cuidar de suas roupas. Em pouco tempo, conseguimos bons resultados
com a intervenção medicamentosa para conter o surto psicótico. O acompanhamento semanal das equipes de saúde
permitiu melhorar aparência e condição de saúde de P. O mesmo passou a se alimentar adequadamente.
Providenciou-se seus documentos. Com auxílio do M.P., resolveu-se a questão legal do terreno e estabeleceu-se um
curador, que passou a administrar o dinheiro do usuário, podendo construir uma casinha de alvenaria, saneada,
próxima da família, com cama e colchão novos, roupas de cama limpas e alimentação adequada. Do seu jeitinho, sr P.
estava conquistando novo espaço e credibilidade junto à família e comunidade.O resultado desta intervenção conjunta
foi o melhor possível. Encontrar P, meses depois, vinte quilos a mais, aparência saudável, bem vestido e asseado,
rindo e festejando nossa presença, foi uma experiência inesquecível.Ouvi-lo agradecer pela chance de ter renascido
aos setenta anos, foi um presente e deu-nos a certeza dde que ações como esta deveriam ser rotina, em nosso
trabalho!
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4610
Código do Autor Principal:3724
Nome do Autor Principal: IVANY MARIA DO SOCORRO DA COSTA E SILVA
Autores:
IVANY MARIA DO SOCORRO DA COSTA E SILVA
SARA CARVALHO FREITAS
TACIANA LANDIM
ENGELBERTO MOURA
GLECIO ADRIANO
WIMERSON DE SOUSA
RITA DE CASSIA
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-041
Onde o trabalho foi realizado? MARACANAÚ - CE
Titulo:
MANUAL PARA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE TRATAMENTO DO TABAGISMO DE
MARACANAÚ - CE.
Resumo:
No Ceará o consumo de cigarro mata cerca de 4500 pessoas por ano, segundo a Secretaria de Saúde do Estado
(SESA). No Brasil esses registros são de 200 mil anualmente. Entre os principais riscos à saúde, o fumo é diretamente
responsável por 30% de mortes por câncer de pulmão, além de 25% das doenças coronarianas e 85% de doença
pulmonar obstrutiva crônica e 25% das doenças cerebrovascular.
Em Fortaleza, apenas o Hospital de Messejana oferece tratamento gratuito para fumantes. No ínicio deste ano, mais de
800 pessoas entraram na fila à procura de atendimento, enquanto a capacidade máxima por mês, é de 30 pacientes.
Como o tabagismo constitui-se numa doença caracterizada pela dependência química e orgânica, o acompanhamento
através da Abordagem Cognitiva mostra-se bastante importante devido preparar o paciente para a mudanças de
hábito. O medicamento é usado para aliviar a Síndrome de Abstinência.
O tratamento adotado no Brasil para fumantes é regulamentado pelo Ministério da Saúde e consiste na abordagem
cognitiva e comportamental aliado ao uso de medicamentos. Os medicamentos adotados são: adesivos ou gomas de
nicotina e comprimidos à base de bupropiona. A nicotina terapêutica é usada na terapia de reposição durante a
abstinência do cigarro, obtendo-se resultados terapêuticos satisfatórios. Todo o tratamento acontece com supervisão
especializada e acompanhamento prolongado, por equipe multiprofissional.
Em Maracanaú o tratamento dos fumantes que desejam parar de fumar é iniciado após inscrição pelos Agentes de
Saúde ou na própria Unidade Básica por funcionário designado previamente. O funcionário também marcará o dia da
consulta médica. Foi lançado um manual para implantação do serviço de tratamento do tabagismo em 2006, durante
uma capacitação que aconteceu em Fortaleza-Ceará aos profissionais de Maracanaú. Este manual ajudou os
profissionais sobre muitas dúvidas contidas sobre a Implantação do Programa de Tratamento do Tabagismo nas
Unidades Básicas de Saúde (UBASF) em Maracanaú
Após a realização da consulta médica os profissionais da Comissão do Controle do Tabagismo escolherão de 12 a 15
clientes para formar um grupo. Os pacientes selecionados voltarão ao médico para receber a solicitação de dois
exames: pesquisa do bacilo da tuberculose e Rx de tórax. O paciente com a solicitação médica em mãos fará os
exames no Hospital Municipal de Maracanaú.
Após receber os resultados dos exames, o paciente voltará a UBASF para marcar o inicio da abordagem e tratamento
do tabagismo que consiste em acompanhamento cognitivo e terapêutico dos pacientes em 4 secções de grupo durante
um mês. Sendo uma secção por semana, seguida de 2 secções quinzenais e as outras mensalmente até completar um
ano de tratamento.
Observação:
palavras chaves: tabagismo
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4613
Código do Autor Principal:3150
Nome do Autor Principal: ANA CLAUDIA FORIN DOS SANTOS BATISTA
Autores:
ANACLAUDIA FORIN E CLAUDENICE LUISA LIMA
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-003
Onde o trabalho foi realizado? PONTES E LACERDA - MT
Titulo:
AO NOSSO ALCANCE
Resumo:
este prabalho foi desenvolvido para monitorar as 7 unidades de ESF que o municipio de pontes e lacerda possui, foi
criado um sistema de pactuação entre as unidades de saúde compativel com sua população adscrita com o intuito de
traçar metas para as equipes fazendo o municipio atingir 100% de cobertura dos serviços disponiveis. As Equipes que
atingiram a meta proposta recebeu um prémio para a equipe e individual.
Observação:
esta atividade deve um periodo de 6 meses de experiencia, e deu certo.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4615
Código do Autor Principal:3699
Nome do Autor Principal: HEIDER AURÉLIO PINTO
Autores:
DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA E HEIDER AURÉLIO PINTO
Área Temática: Gestão da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-029
Onde o trabalho foi realizado? BAHIA
Titulo:
O APOIO INSTITUCIONAL E A EDUCAÇÃO PERMANENTE COMO DISPOSITIVO DE MUDANÇA DA GESTÃO
ESTDAUAL DA ATEN
Resumo:
Introdução
A adoção do Apoio Institucional (AI) e da Educação Permanente (EP) como eixos das práticas e do modelo de gestão
da DAB-BA provocou um desenvolvimento e re-organização permanente. O AI, a nova proximidade com os municípios,
o teste concreto constante da real efetividade das políticas dirigidas aos municípios trazem permanentes
problematizações das práticas dos gestores estaduais, das políticas propostas pela DAB e da capacidade de sua
organização de responder aos desafios. É uma situação de avaliação constante da política, da organização e da
própria capacidade técnica dos apoiadores além das tecnologias que dispõem em sua caixa de ferramentas. A EP
nesse processo tensiona e potencializa ainda mais essa relação, de um lado por possibilitar espaço de auto-análise e
debate franco e aberto que oportuniza a mudança e a qualificação do processo de trabalho
Objetivos
Garantir abertura institucional para que o processo concreto de trabalho e de implantação das políticas repercuta
positivamente no desenvolvimento institucional e das pessoas, na qualificação do trabalho e na mudança de relação
com os diversos atores sociais de modo que a gestão se aproxime mais de seus macro-objetivos declarados de
participação, de ser um espaço de emancipação e implantação concreta de uma nova AB na Bahia
Metodologia
São realizadas Rodas de Educação Permanente; implantados Grupos de Trabalho com equipes flexíveis e com gestão
por produtos e resultados estimulando a participação criativa na formulação, implementação e avaliação das políticas;
processos de avaliação e planejamento trimestrais; estrutura de gestão colegiada com intensa participação;
assembléias mensais de trabalhadores; avaliação da política junto aos municípios; equipes de AI que operam de
acordo com as demandas, prioridades, capacidades e necessidades da gestão local; análise institucional da equipe de
direção e do conjunto de equipes do AI; desenvolvimento institucional possibilitado por um organograma geral que
comporta grande plasticidade e mudanças permanentes.
Resultados
Desenvolvimento Institucional; melhor e mais próxima relação com os municípios; identificação da gestão com as
práticas pedagógicas; superação de uma postura de acomodação institucional; desburocratização e agilidade da
gestão; aumento dos graus de solidariedade e multifuncionalidae dos trabalhadores de acordo com os princípios de
uma gestão democrática e moderna; gestão por resultados; mudança do modelo e das práticas de gestão e do
organograma da DAB; maior envolvimento dos trabalhadores; assunção de um entendimento de que a gestão é
dinâmica e em processo permanente de desenvolvimento institucional; superação de uma subjetividade que
fragmentava o técnico e o político; proximidade e compromisso com a concretização de ações no Mun.; relação
dinâmica e potencializadora entre EP e AI na DAB e nas práticas das Equipes
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4616
Código do Autor Principal:3727
Nome do Autor Principal: ANDRÉ DE OLIVEIRA LACERDA
Autores:
SUELI SOLDATI ABRANCHES
LUANNA RODRIGUES DE JESUS
DANIELE AMARAL VIEIRA
ANDRÉ DE OLIVEIRA LACERDA
GIULIANNE FERREIRA MANZELLA
CRISTIANE CUNHA DA CONCEIÇÃO
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-069
Onde o trabalho foi realizado? BARRA MANSA - RJ
Titulo:
PRÓ-SAÚDE : RELATO DE EXPERIÊNCIA DE MONITORIA EM UNIDADES DE SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
Os cursos de graduação em saúde tem apresentado dificuldades na aplicação dos princípios do Sistema Único de
Saúde (SUS). O curso de Enfermagem do Centro Universitário de Barra Mansa (UBM) aprovado no Programa de
Reorientação da Formação em Saúde (PRÓ-SAÚDE) pelo Ministério da Saúde (BRASIL, 2005), tem buscado
reorganizar suas metodologias pedagógicas, com o objetivo de fortalecer a transformação do processo de formação.
Assim, a partir de 2006, tem incentivado a participação dos estudantes no cenário de prática das unidades de saúde da
família (USF) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Barra Mansa/RJ. Entre as atividades implementadas instituiu,
por meio de seleção, estudantes monitores (5, 6 e 7 períodos) do Pró-Saúde nas USF. Esses atuam com participação
efetiva nas diversas ações em saúde coletiva e buscam integrar os demais estudantes do curso de períodos iniciantes
na vivencia prática, sob supervisão docente. O relato dessa experiência evidencia uma metodologia ativa, na qual o
estudante é sujeito do processo de formação e da integração ensino-serviço. Inicialmente, com ênfase na estratégia
saúde da família (ESF), no período de outubro de 2007 a abril de 2008, os onze monitores selecionados, participaram
da capacitação: -Pró-Saúde: gerência em saúde da família:-, juntamente com os 24 gerentes das USF da SMS/BM.
Nesse período além da capacitação, atuaram de forma integrada aos gerentes e equipe de ESF, no aprazamento dos
grupos de riscos, territorialização, organização de arquivos e contra-arquivos, do ambiente de trabalho e protocolos,
fechamento do Sistema de Informação (SIAB), acompanhamento de consultas e procedimentos assistenciais. Essa
vivencia concretizou a atuação dos monitores Pró-Saúde nas disciplinas de Epidemiologia e Saúde Coletiva,
possibilitando uma importante troca de saberes com os alunos de 3, 4 e 5 períodos do curso, profissionais, usuários e
docentes envolvidos. Outras ações foram efetivadas, tais como: educação em saúde, monitoramento de distribuição de
fármacos, cobertura vacinal, implantação e implementação do caderno gerencial, leitura e análise dos indicadores de
saúde. Como resultados verificaram-se mudanças qualitativas no processo de trabalho em saúde da família e maior
compreensão por parte dos monitores, estudantes e profissionais sobre as ações em saúde, trabalho em equipe e
vínculo terapêutico com a população. Essa vivência evidenciou também a importância da educação permanente no
processo. As dificuldades em relação ao conhecimento teórico-prático foram superadas motivadas pela grande
inter-relação que se estabeleceu entre os atores. Recomendam-se novas experiências pautadas na ESF, a fim de
superar desafios, com cidadania e união.
Área temática: Área 5: Processos de educação e formação em saúde na AB/SF
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4618
Código do Autor Principal:2250
Nome do Autor Principal: ANTONIA CRISTINA JORGE
Autores:
JORGE, ANTONIA CRISTINA JORGE
JORGE, LIDIANE DA SILVA JORGE
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-043
Onde o trabalho foi realizado? FORTALEZA - CE
Titulo:
INFLUÊNCIA DO TABAGISMO NA PROGRESSÃO DA DOENÇA PERIODONTAL
Resumo:
O tabagismo é considerado um potente modificador na progressão e na gravidade da doença periodontal. Ele
conduz à vasoconstricção periférica produzida pela ação de seus componentes, além de provocar redução da defesa
gengival devido a alterações funcionais dos leucócitos presentes no sulco gengival. O hábito de fumar pode afetar a
resposta do paciente à placa bacteriana, podendo ter efeito prejudicial sobre a cicatrização. Radiograficamente a perda
óssea alveolar progride com o aumento do consumo do tabaco. O objetivo desse estudo foi conhecer a influência do
tabagismo na progressão da doença periodontal, nos pacientes atendidos na unidade de saúde da família João XXIII,
no Município de Fortaleza-Ce. Foi conduzido um estudo transversal, de caráter descritivo. A coleta de dados foi
realizada por levantamento de dados dos prontuários, aplicação de questionário semi-estruturado e exame clínico dos
pacientes com a doença, atendidos de janeiro a setembro de 2007. As variáveis pesquisadas incluíram características
sócio-demográficas e da doença, condições de higiene e presença de tabagismo. O tabagismo foi definido como:
Fumante regular: aquele que consome no mínimo um cigarro diário, por período superior a seis meses; Fumante
ocasional: aquele que fuma menos de um cigarro diário, ou esporadicamente, por período superior a seis meses;
Ex-fumante diário: aquele que fumava diariamente, tendo abandonado o cigarro há pelo menos seis meses; Ex-fumante
ocasional: aquele que fumava ocasionalmente, tendo abandonado o cigarro há pelo menos seis meses; Não fumante:
aquele que nunca fumou e não fuma atualmente. Os resultados evidenciaram que cerca de 68% dos participantes eram
do sexo masculino, e que a maioria dos participantes tinham idade compreendida entre 20 a 49 anos. Identificou-se que
27% dos examinados fumavam mais de 20 cigarros/dia, 31% fumavam entre 11 a 20 cigarros/dia, e 42% fumavam no
máximo 10 cigarros/dia. A maioria apresentava algum estágio de doença periodontal. Aqueles que fumavam mais de 20
cigarros apresentavam a doença em estágio avançado. O mesmo não foi evidenciado nos fumantes de 10 cigarros ou
menos. Nestes, cerca de 90% tinham a doença na fase inicial, o restante não apresentava a patologia. No grupo
intermediário (11 a 20 cigarros), observou-se que a maioria dos participantes (94%) tinha a patologia, no entanto, cerca
de 15% da amostra apresentava a doença no estágio inicial, 26% no estágio avançado, e o restante no estágio
intermediário. O estudo sugere que o hábito de fumar interfere na progressão da doença, observando-se um
comportamento característico dessa doença, conforme o número de cigarros consumidos por dia. Os fumantes de mais
de 20 cigarros/dia apresentam a doença num estágio mais avançado. Nesse sentido, há uma possível associação entre
tabagismo e progressão da doença periodontal, no entanto, faz-se necessária a realizaçã
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4619
Código do Autor Principal:3728
Nome do Autor Principal: TÂNIA MARA MACHADO FONSECA
Autores:
TANIA MARA MACHADO FONSECA
ABRAÃO NASCIMENTO OLIVEIRA
DELAIR BENINCÁ
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-030
Onde o trabalho foi realizado? VITÓRIA - ES
Titulo:
O PROCESSO DE TRABALHO DO ACS EM UMA US DO MUNICÍPO DE VITÓRIA
Resumo:
Trata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem quantitativa que teve como objetivo verificar como se
dá o processo de trabalho do Agente Comunitário de Saúde (ACS) em uma Unidade Saúde da Família no município de
Vitória. O estudo foi realizado na Unidade de Saúde da Família Praia do Suá. A população foi composta pelo universo
de agentes comunitários de saúde que trabalham nesta USF. A amostra foi aleatória intencional, sendo o critério de
inclusão todos os ACS na unidade saúde da família, nos últimos dois anos e que concordarem em participar da
pesquisa. A principal atividade dos ACS foi a visita domiciliar juntamente com a palestra educativa (87.5%) seguido da
prevenção de doenças (62.5%), campanha de vacinação (50%). O cadastramento de família acompanhada
permaneceu com 12.5%. As limitações que os ACS encontraram na realizações de suas tarefas, foram os moradores
não os receberem (37.5 %), a falta de funcionários na Unidade para acompanha-los nas visitas (25%) e a
disponibilidade técnica dos ACS (12.5%) como não saber e nem esta autorizado a verificar pressão arterial dificulta o
seu trabalho.As medidas necessárias para tornar mais eficientes os serviços prestados pelos Agentes Comunitários de
Saúde foram relatadas como sendo a maior divulgação na mídia sobre o processo de trabalho do ACS, assim
melhorando a relação entre estes usuários que não estão cientes sobre a proposta da Estratégia Saúde da Família.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4625
Código do Autor Principal:3728
Nome do Autor Principal: TÂNIA MARA MACHADO FONSECA
Autores:
TÂNIA MARA MACHADO FONSECA
ÉRICA FERNANDES MONTE ALVES
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-062
Onde o trabalho foi realizado? FUNDÃO - ES
Titulo:
CARACTERIZAÇÃO DOS PORTADORES DE DIABETES ATENDIDOS NA USF DO MUNICÍPIO DE FUNDÃO- ES
Resumo:
O Diabetes Mellitus é uma doença crônica não transmissível de caráter degenerativo, caracterizada por
hiperglicemia decorrente da disfunção do pâncreas em produzir insulina e/ou da incapacidade da mesma em exercer
seu efeito. Esta doença traz diversas complicações biopsicossociais à vida do indivíduo, da família, e prejuízos à
sociedade. Entretanto, ela pode ser controlada e a pessoa pode viver bem e por muito tempo com a doença. Devido à
relevância dessa patologia vem-se desenvolvendo pesquisas a cerca dessa temática, como esta que teve como
objetivo traçar o perfil dos diabéticos atendidos na Estratégia Saúde da Família do município de Fundão - ES. Os
preceitos ético-legais da pesquisa com seres humanos foram seguidos. Mediante esse estudo, percebemos que os
diabéticos são na maioria mulheres, casadas, com baixa escolaridade e baixa renda. Em relação à doença, são
portadoras de diabetes tipo II, diagnosticadas há mais de cinco, e se tratam desde então. Mas, já apresenta
complicações e doenças associadas, sendo a hipertensão arterial a mais freqüente. Quanto ao tratamento, o mesmo é
baseado no uso de hipoglicemiantes orais e dieta. Conhecer a realidade dos pacientes portadores de diabetes é de sua
importância para planejar e coordenar o cuidado, bem como contribuir a construção de uma política de atendimento
para esta clientela.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4626
Código do Autor Principal:3644
Nome do Autor Principal: JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Autores:
JONAS ALÉXIS SKUPIEN
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-101
Onde o trabalho foi realizado? MATO QUEIMADO - RS
Titulo:
ESTÁGIO EXTRA-CURRICULAR: CRONOGRAMA VARIÁVEL, INSTIGAÇÃO CONSTANTE
Resumo:
O presente é um relato de experiência mediante a visão do supervisor de estágio extra-curricular com estudantes de
fisioterapia no Programa Saúde da Família no município de Mato Queimado-RS.
O estágio extra-curricular existe como forma de complementar o processo de formação dos estudantes, agregando
assim novas experiências, buscando ser essa a justificativa de realização por parte dos estudantes e conotando a
responsabilidade como caráter primordial para o melhor aproveitamento de ambos.
Almejando que, independente do tempo de duração do estágio extra-curricular, o mesmo seja capaz de impulsionar
questionamentos saudáveis à cerca da compreensão da saúde que se faz e da saúde que se quer fazer é que o
objetivo principal desse é oportunizar aos estagiários diferentes formas de atuação em uma equipe de PSF.
A elaboração de um cronograma ampliado para o aproveitamento íntegro da oportunidade foi elaborado anteriormente
ao início das atividades, mas discutido e complementado com os estagiários. O mesmo foi organizado contemplando
todas as atividades às quais o profissional fisioterapeuta, com carga horária de 20 hs semanais, realiza no PSF. Dentre
elas, os atendimentos ambulatoriais, as visitas domiciliares (VDs) na zona rural do município, as atividades em grupo,
projeto nas escolas e a reunião da equipe.
Além disso, realizou-se leituras prévias com temáticas que possuíam direcionamentos à prática em PSF, atividades
coletivas, interdisciplinaridade e atenção fisioterapêutica no PSF. Com relação à esse última característica, em função
de existir pouco material à respeito, iniciou-se a construção de um artigo buscando apresentar a experiência da
fisioterapia no local.
A importância dos estágios serem supervisionados condicionam aos supervisores uma dedicação relevante ao
processo de amadurecimento dos estagiários. Essa viabilização pode e deve ser adquirida como um hábito através da
elaboração de cronogramas que tenham relação não apenas com a praticidade das atividades dos profissionais do
PSF, mas com a ampliação de momentos de discussões reflexivas acerca de práticas que sejam de saúde e não de
doença.
Dessa forma, faz-se necessário a construção de cronogramas para estágios em PSFs. Pois assim, a instigação forma
(com todos os possíveis prefixos, como por exemplo: trans, de, re), tornando o processo um aprender constante e
variável.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4627
Código do Autor Principal:619
Nome do Autor Principal: EDILA FERREIRA ALEIXO
Autores:
EDILA FERREIRA ALEIXO E AYANE CRUZ LADEIRA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-226
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO - RJ
Titulo:
REINVENTANDO O CUIDADO: A BUSCA DA MEDICINA ALTERNATIVA NA PROMOÇÃO À SAÚDE
Resumo:
Introduçao A prevençao na incidencia de idosos frageis com vistas na autonomia e independenestímulo à realizaçao
de exercícios físicos e práticas corporais, alimentaçao saudavel e auxilio no alívio das queixas mais comuns
referidas.Metodologia: para desenvolvimento desta proposta conta-se com uma enfermeira e um agente comunitario de
saude capacitados, onde realiza-se caminhada, o Pa tuan ching, aplicaçao de auriculoterapia e reflexologia podal, alem
de orientaçoes voltadas para prevençao e controle de agravos que mais atingem esta faixa etaria.Resultados Atraves
da coleta de dados do livro de registro de grupos,depoimentos, atendimentos nas consultas de enfermagem e medica
foi observado que ha apenas 10% de evasao; que 95% dos idosos referiu melhora expressiva de pelo menos uma das
queixas; 60% informou sentir falta dos exercicios fisicos ; e que 40% revela melhora das atividades da vida diaria apos
inicio das ativdades.Percebido estreitamento do vinculo ESF e comunidade, maior frequencia dos idosos em outras
atividades do PSF,promoçao da convivencia.Recomendaçao. Tal experiencia se faz perfeitamente recomendada à
outros PSF e unidades basicas de saude visto que apresenta bom resultado, baixo custo e nao requer mao-de-obra
especializada.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4628
Código do Autor Principal:3731
Nome do Autor Principal: ELLEN SOUZA DE DEUS NETO
Autores:
ELLEN SOUZA DE DEUS NETO
MARIANA CARVALHO DA COSTA
IZAMIR CARNAVALI DE ARAÚJO-ORIENTADOR
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-207
Onde o trabalho foi realizado? BENEVIDES - PA
Titulo:
EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL: UMA PRÁTICA NECESSÁRIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
A prevenção da doença cárie em bebês se inicia com a educação dos pais e a implementação precoce das práticas
preventivas. Cuidar da higiene bucal das crianças desde os primeiros dias de vida é fundamental para que elas
cresçam com um sorriso bonito e saudável. A higiene da boca deve ser feita antes da erupção dos primeiros dentes de
leite. Muitos autores afirmam que o tratamento preventivo precoce reduz em 90% a necessidade de tratamento curativo
no futuro. Quanto antes for a primeira consulta odontológica da criança, mais cedo medidas promocionais vão sendo
implementadas e menor será a possibilidade desta criança vir a desenvolver alterações bucais. A educação em saúde
é um instrumento de transformação social, que visa à reformulação de hábitos e a aceitação de novos valores. O
agente comunitário de saúde é o elo entre os profissionais de saúde e a comunidade e quando bem orientados e
treinados são os principais multiplicadores de conhecimento no PSF, através de seus trabalhos com as famílias, nas
visitas domiciliares. Essa orientação precisa estimular o aprendizado através da prática, respeitando as tradições,
culturas e crenças locais. Deve servir como um auxílio na busca de soluções dos problemas identificados na própria
comunidade com a participação desta. Diante disso, o Programa Saúde da Família Murinin I e II, de Benevides (Pará),
através da Equipe de Saúde Bucal, realizou uma oficina de capacitação sobre a importância da higienização oral dos
bebês, envolvendo a participação dos ACS e da comunidade. A oficina de capacitação foi realizada em dois momentos:
1º momento - teoria: palestra ressaltando a importância da limpeza da boca, bem como a forma correta de higienizá-la;
e 2º momento - prática: demonstração da higiene oral do bebê e aplicação dos conhecimentos adquiridos pelos ACS na
orientação às mães e limpeza da boca dos seus filhos. A capacitação contribuiu de forma significativa para a
qualificação desses profissionais, que agora encontram-se aptos a repassarem o conhecimento adquirido com
segurança e confiança, possibilitando a melhoria da qualidade do serviço prestado à população. O sucesso de um
programa destinado a elevar o nível de saúde bucal depende fundamentalmente de recursos humanos adequadamente
preparados e é por isso que a educação em saúde é tão importante no processo de promoção da saúde em todos os
níveis de atenção no Sistema Único de Saúde.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4630
Código do Autor Principal:99
Nome do Autor Principal: DANIELLE AVINCULA CAMPOS
Autores:
DANIELLE AVÍNCULA CAMPOS
Área Temática: Vigilância em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE3-007
Onde o trabalho foi realizado? RIO DE JANEIRO
Titulo:
ESTUDO DA COBERTURA POPULACIONAL DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA EM 8MUNICÍPIOS DA
BAIXADA FLUMINENSE
Resumo:
A definição de parâmetros de cobertura populacional para os Agentes Comunitários de Saúde e as Equipes de
Saúde da Família, unificada para todos os municípios brasileiros, tem se mostrado inadequada, porque não contempla
as diversidades existentes entre as regiões do país. Na grande maioria das cidades de médio e grande porte, o PSF
persiste com as características de uma estratégia de expansão dos cuidados básicos de saúde, voltada a grupos
populacionais sob maior risco social e expostos a precárias condições sanitárias. Desse modo, a expansão da
Estratégia Saúde da Família (ESF) aos grandes centros urbanos do País constitui-se em um desafio a ser enfrentado e
condição tanto para elevações mais significativas de sua cobertura populacional como para que a estratégia possa
realmente vir a ser um elemento central na transformação do modelo assistencial do País. Com o intuito de conhecer
como se comporta a cobertura da ESF nos municípios com mais de 100.000 habitantes localizados na Baixada
Fluminense, região metropolitana do Estado do Rio de Janeiro. Este estudo tem como objetivo avaliar a cobertura da
estratégia saúde da família em oito municípios da Baixada Fluminense, no período de 2000-2007; Analisar o contexto
político e institucional de implantação e desenvolvimento da ESF e conhecer os fatores facilitadores e dificultadores na
implementação da ESF nestes municípios. A metodologia usada será de estudo de caso dos oito municípios com mais
de 100.000 habitantes, utilizando como recursos pesquisa-ação, trabalho de campo com entrevistas semi-estruturadas
com o gestor e gerentes municipais. A implementação da ESF em grandes centros urbanos tem potencialidades para
desencadear mudanças no modelo assistencial à saúde que efetivam o direito à saúde no cotidiano dos cidadãos. Com
as observações realizadas e os resultados obtidos no processo de pesquisa, pretende-se identificar -boas práticas-,
assinalando caminhos que podem ser percorridos e outros que devem ser evitados, a fim de que possa subsidiar o
planejamento voltado à ampliação/ qualificação da ESF na baixada fluminense. Respeitando a criatividade local e
considerando a diversidade existente nessa região que é ao mesmo tempo nossa maior riqueza e nosso maior desafio.
Observação:
Pesquisa desenvolvida em Trabalho de Conclusão do Curso de MBA em Gestão e Avaliação em Saúde ENSP/FIOCRUZ - (Término:06/2008)
Instituições Parceiras: MS/DAB - Consórcio Intermunicipal de Saúde da Baixada Fluminense (CISBAF) - Consórcio
hospitalar Catalunha
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4632
Código do Autor Principal:2446
Nome do Autor Principal: DAILTON ALENCAR LUCAS DE LACERDA
Autores:
*DAILTON A. L. DE LACERDA, **ANDRÉIA P. DE SOUZA, **DIANA L. L. MARTINS, **EMERSON O. DE LIMA,
**JACQUELINE F. DE BRITO, ***JAYVSON M. S. DE ANDRADE, **JOANE L. DO AMARAL, **LARISSA N. AZEVEDO,
**LARISSA V. L. A. SILVA, **LAYSE N. AZEVEDO, **SILVIA H. V. BASTOS, **SÍLVIA N. COSTA.
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-104
Onde o trabalho foi realizado? JOÃO PESSOA - PB
Titulo:
PROJETO EDUCAÇÃO POPULAR E ATENÇÃO À SAÚDE DO TRABALHADOR - UMA EXPERIÊNCIA
EXTENSIONISTA INTERDISCI
Resumo:
O Projeto Educação Popular e Atenção à Saúde do Trabalhador (PEPAST) é uma atividade extensionista da
Universidade Federal da Paraíba (UFPB) que tem na Educação Popular seu eixo teórico metodológico orientador,
numa perspectiva de abordagem integral, interdisciplinar, interinstitucional e intersetorial no campo da saúde do
trabalhador. Seu objetivo é desenvolver ações de promoção e proteção da saúde, prevenção de doenças e reabilitação
de trabalhadores e suas implicações nesse campo. Compõem interdisciplinarmente o projeto dois professores e dezoito
estudantes das áreas de saúde (Enfermagem, Fisioterapia, Medicina, Nutrição), social (Serviço Social), jurídica (Direito)
e tecnológica (Engenharia de Produção). Um professor orientador e alguns estudantes são de outras Instituições de
Ensino Superior (IES), representando o viés interinstitucional. Entendendo o seu caráter intersetorial, o projeto se
articula com o Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador e a Comissão Interinstitucional de Saúde do
Trabalhador, da qual fazem parte diversos setores como Delegacia Regional do Trabalho, Previdência Social, IES,
Sindicatos, etc. Recebe ainda usuários referenciados do Programa de Saúde do Trabalhador do HU/UFPB.
Metodologicamente o PEPAST se organiza semanalmente em três momentos: 1) o grupo operativo interdisciplinar, que
reúne todos os seus atores (usuários, estudantes e professores), em -rodas de conversas temáticas-, onde são
problematizadas todas as situações vivenciadas pelos usuários e propostos os encaminhamentos possíveis; 2)
reuniões organizativas, onde são avaliadas, planejadas e sistematizadas as estratégias de ações do projeto; 3)
reuniões de suporte, espaço para fundamentação teórica, onde textos, debates e estudos fundamentam a práxis da
educação popular e saúde. Por entender que a saúde do trabalhador envolve múltiplas relações humanas, o projeto
possibilita ao usuário um espaço de acolhimento, autoconfiança e empoderamento, encorajando-o a enfrentar com
mais seriedade seus dilemas. Como também, aos estudantes, uma verdadeira compreensão deste campo e uma
experiência concreta na sua formação.
Palavras-chaves: Educação Popular; Saúde do Trabalhador; Extensão Universitária.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4635
Código do Autor Principal:1739
Nome do Autor Principal: ISABEL JOSEFA DOS SANTOS
Autores:
IZABEL JOSEFA DOS SANTOS
ENFERMEIRA, ESPECIALISTA EM SAÚDE COLETIVA: GESTÃO EM PROGRAMAS DE SAÚDE- PACS/PSF PELO
ISC/UFBª RESPONSÁVEL TÉCNICA PELO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA - SMS DE
EUNÁPOLIS - BAHIA.
EMAIL: BEBELL132004@TERRA.COM.BR
Área Temática: Avaliação e Monitoramento da AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE10-069
Onde o trabalho foi realizado? EUNÁPOLIS - BA
Titulo:
RELATO DE EXPERIÊNCIA: HUMANIZANDO
SUB-REGISTRO DAS AÇÕES
A AVALIAÇÃO
- UM CAMINHO PARA DIMINUIR O
Resumo:
Introdução: A avaliação compreende um conjunto de atividades que consistem em comparar os resultados
efetivamente alcançados em relação às metas previstas além de propiciar informações para corrigir estratégias e
fundamentar novas decisões técnicas, administrativas e político-gerenciais. Objetivos: Apresentar o Instrumento de
Avaliação e Retroalimentação Mensal das Ações Básicas de Saúde, conhecido como: -As Cartinhas- e as planilhas de
registro diário das consultas e procedimentos da Atenção Básica, o Consolidado Mensal da Produção Ambulatorial COMPAB (2005) e as planilhas de Produção Mensal da Atenção Básica - PROMAB (2008), elaboradas pela
Coordenação de Informação em Saúde visando diminuir o sub-registro das ações; Estimular o aumento da produção
individual/equipe; Viabilizar o cumprimento das metas pactuadas com a Secretaria do Estado de Saúde e Ministério da
Saúde; Racionalizar a ação e melhorar o entendimento sobre uma informação correta como ferramenta essencial no
planejamento das práticas de saúde.Metodologia: 1-Análise da síntese de produção ambulatorial mensal da Atenção
Básica e a partir de 2005, retroalimentação comentada da produtividade mensal, por equipe, através das
-CARTINHAS-; 2-Levantamento das dificuldades dos profissionais no preenchimento do BPA diário. 3-Elaboração das
Planilhas do COMPAB, fundamentadas no Manual de Instrumentação do SIA/SUS/MS; 4-Treinamento dos profissionais
de cinco equipes de Saúde da Família para implantação, experimental, do novo instrumento de Registro diário de
Consultas-COMPAB, no período de seis meses; 5-Monitoramento mensal da produção e meta alcançada por equipe de
saúde; 6- Após avaliação da satisfação dos profissionais com o novo instrumento, foi realizado treinamento dos demais
técnicos de Saúde e implantado o COMPAB em toda rede da atenção básica do município, seis meses após a
experiência inicial. Resultados alcançados: Diminuição da resistência dos profissionais, principalmente dos médicos,
em preencher as planilhas do COMPAB diariamente; Em 2005, o percentual de consultas foi equivalente 94,14% para
médicos e 60,99% para enfermeiros, da meta pactuada para o município. Em 2006, a Cobertura geral de consultas da
atenção básica chegou a 89,33% para enfermagem; a Cobertura de Visitas Domiciliares chegou a 97,17% para os
Agentes comunitários de Saúde; 61% para os Enfermeiros e 76,84% em visitas realizadas por médicos. Conclusão:
Houve alguns avanços com relação ao registro correto no COMPAB, das consultas e procedimentos diários. Outro
aspecto importante que tem contribuído para a melhoria da qualidade dos dados é integração e a comunicação efetiva
entre os profissionais que atuam diretamente com a análise crítica das informações e digitação com as equipes das
unidades básicas
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4638
Código do Autor Principal:3735
Nome do Autor Principal: PRISCILLA CIDADE FURLAN
Autores:
PRISCILLA CIDADE FURLAN
SONIA M. G. BETTE MOTTA
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-101
Onde o trabalho foi realizado? LONDRINA - PR
Titulo:
OFICINA MAIS VOCE -"ENRIQUECIMENTO DA VIDA COM TROCA DE EXPERIENCIAS"
Resumo:
OFICINA MAIS VOCE
A Oficina Mais Você nasceu no dia 27 de junho de 2007 no Centro Comunitário da área de abrangência em que atua o
Programa de saúde da Família do Cafezal -Londrina PR, ocorre semanalmente no Salão cedido por uma Igreja do
bairro.
Justificativa: Fatores como o isolamento, falta de apoio familiar, falta de estímulos, sentimentos de incapacidade em
geral levam a um maior fluxo de usuários às consultas médicas, em busca, não só de tratamento terapêutico
medicamentoso, mas também de um momento de interação pessoal. Através das consultas médicas na UBS e visitas
domiciliares foi detectado o interesse significativo de pacientes e também de cuidadores em participarem de atividades
conjuntas para convívio e crescimento.
Objetivo: A Oficina Mais Você foi fundamentada em conceitos de humanização enfocando a interatividade e a inserção,
em especial do idoso, dentro de grupos, nos quais são desenvolvidas atividades informais tais como: atividades físicas,
artísticas, de promoção e prevenção e recuperação da saúde.
Estratégia Metodológica: Como estratégia metodológica utilizamos dinâmicas de socialização, interação e atividades
práticas aplicadas com desenvolvimento de habilidades de coordenação motora grossa e fina, através de movimentos
corporais, exercícios de alongamento e trabalhos manuais. A participação foi voluntária, sem ônus para a instituição;
nesta o participante é aluno e professor.
A formação do grupo visou unir pessoas com as mesmas necessidades permitindo a troca de experiências através de
trabalhos manuais (crochê, bordado, tricô, culinária, musicais, etc.), em um espaço onde os pacientes e cuidadores
poderiam sentirem-se úteis, motivados e com auto-estima elevada.
Resultados: Com a implantação do trabalho observou-se uma significativa diminuição nas incidências de crises
hipertensivas, descompensações diabéticas, consumo de analgésicos e melhora do humor desses pacientes. Outro
ponto foi o fortalecimento do vinculo de confiabilidade entre pacientes e profissionais de saúdes.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4639
Código do Autor Principal:3736
Nome do Autor Principal: MÔNICA DINIZ ALMEIDA
Autores:
MÔNICA DINIZ ALMEIDA
HEBER AUGUSTO LARA CUNHA
Área Temática: Processos de Educação e Formação em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE5-017
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
A EAD COMO ESTRATÉGIA PARA CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO PSF
Resumo:
Introdução
A busca do conhecimento atualizado e adaptado à realidade é importante para a prática da medicina de família e tem
sido fundamental na formação de novas idéias e formas de abordagem ao paciente da atenção primária, para maior
integralidade do saber e das ações.
Por outro lado, o avanço das tecnologias de comunicação e informação reflete na construção do saber, disponibilizando
ambientes virtuais e interativos de aprendizagem, representando novos desafios e alternativas para se pensar os
processos formativos e de capacitação.
A opção de Belo Horizonte pelo programa de educação à distância -Projeto Saúde para Todos na América Latina-, em
parceria com a Fundação Angelo Celli, da Itália e coordenação científica da Universidade Federal de Minas Gerais
levou em consideração avaliações anteriores da Secretaria Municipal de Saúde da necessidade constante de capacitar
suas equipes de saúde e a importância de trocas de experiências internacionais para a resolução de problemas
enfrentados no cotidiano por essas mesmas equipes. Desta forma, aumenta-se as possibilidades de reflexão e de
criação de instrumentos de intervenção na realidade de saúde do município.
Atualmente o curso é oferecido a nível de aperfeiçoamento para 45 equipes, no próprio local de trabalho, por meio de
videoconferência.
Objetivos
Avaliar a educação à distância enquanto estratégia para educação continuada para as ESF, através da experiência
dos alunos no Projeto;
Apontar ações que estão sendo realizadas pelas equipes por estímulo da EAD.
Metodologia
Auto-avaliação dos alunos sobre a experiência obtida durante o curso;
Identificação de ações implantadas, influenciadas direta ou indiretamente pelo Projeto.
Resultados
Quanto às opiniões dos alunos, foram positivas nos aspectos:
-Viabilidade da educação permanente em serviço;
-Facilidades para realização dos exercícios propostos;
-Aplicabilidade no trabalho diário;
-Integração da equipe de trabalho.
Ações incentivadas pelo Projeto:
-Nova abordagem dos usuários nos grupos operativos, centrada no conhecimento do paciente sobre sua doença;
-Otimização do uso dos sistemas de informação disponíveis;
-Interação maior entre ESF, apoios e saúde bucal.
-Maior integração e interesse entre os alunos em discutir os problemas cotidianos relacionados à atenção básica.
Recomendações:
A experiência de construção de uma proposta de EAD para os profissionais do PSF em Belo horizonte ressalta o
potencial daquela no desenvolvimento do processo formativo dos mesmos, inovando o aprendizado, reformulando
conceitos e proporcionando nova abordagem, qualificando, assim, a assistência ao usuário.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4640
Código do Autor Principal:3734
Nome do Autor Principal: ROSICLER A. VIEGAS DI LORENZO
Autores:
ARIETE RAMIREZ, ROSICLER DI LORENZO, PAULO FONTÃO, LUIZ ANTONIO D"ANGELO, MARIA EUGENIA L.
FERNANDES
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-052
Onde o trabalho foi realizado? SÃO PAULO - SP
Titulo:
O ENFERMEIRO E A ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: QUINZE ANOS DE APRENDIZADO
Resumo:
Introdução;O trabalho na ESF deve basear-se fundamentalmente em trabalho em equipe, que deve ser resolutivo e
permitir cuidar das questões de saúde de forma integral, o que implica em desenvolvimento de habilidades e
competências adequadas pela equipe, além de incorporar ações intersetoriais e participação comunitária.
Para dar conta desta tarefa, além das questões referentes ao adequada alocação de equipamentos e insumos é
fundamental a existência de recursos humanos capacitados e motivados para o desenvolvimento do trabalho.
Entretanto, vários estudos têm demonstrado uma alta rotatividade dos profissionais médicos, além de equipes que
permanecem longo tempo sem este profissional acarretando perdas e quebra da continuidade da atenção, já que
grande parte da formação das equipes se dá em serviço pela inexistência de número suficiente de profissionais com
formação adequada par atuar na ESF.
A ONG Associação Saúde da Família (ASF), desde 2001, é uma das instituições parceiras do município de São Paulo
para implantar a estratégia saúde da família (ESF), sendo responsável pela implantação de 117 equipes que atuam em
23 UBS na região de saúde Norte Sudeste. A equipe técnica da ASF acredita que é necessário fortalecer a parte da
equipe que permanece atuando sem rotatividade importante, no sentido de perenizar os princípios e diretrizes da ESF e
entende que o profissional enfermeiro pode desempenhar esta função de tal forma que a rotatividade dos profissionais
médicos possa ser minimizada se os enfermeiros puderem conduzir no decorrer do tempo atribuições essenciais da
ESF, proporcionando processos de trabalho sólidos e adequados.
Com este pensamento a equipe técnica da ASF, resolveu reunir seus 117 enfermeiros e verificar com eles como os
mesmos se viam atuando no momento atual, qual a percepção que eles tinham do seu papel e juntamente com eles
(re) pactuar as questões essenciais para a implementação da ESF.
Objetivo: Identificar quem é hoje o Enfermeiro de Saúde da Família, como ele sente e percebe o seu trabalho, e
conjuntamente (re)-planejar suas atividades contribuindo para a não descaracterização do seu papel na Estratégia
Saúde da Família e desta maneira contribuir para manutenção dos princípios e desenvolvimento desta estratégia.
Metodologia: Estudo de caso descritivo, de caráter exploratório, onde se estuda a característica de um grupo, suas
opiniões, atitudes e crenças e a relação com a atuação prática, através da realização de 5 oficinas de 8h cada com
participação dos 117 enfermeiros. Utilizou-se como instrumento um jogo pedagógico, denominado -Bingo da Saúdecom questões abertas e semi-estruturadas, onde o ganhador apontava no grupo os participantes que deveriam
comentar as questões citadas abaixo. Em seguida, para cada questão, foi aberta a discussão em plenária. Todas as
observações realizadas foram anotadas, sem interferência da equipe de condução da oficina. Posteriormente os
participantes foram divididos em subgrupos para refleti
Observação:
não consegui verificar as orientações de como preencher este campo, site muito ocupado
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4641
Código do Autor Principal:3737
Nome do Autor Principal: MARIA CRISTINA VASCONCELOS
Autores:
VASCONCELOS, MARIA CRISTINA; FIGUEIREDO, SORAIA FERREIRA DE
Área Temática: Assistência na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE1-072
Onde o trabalho foi realizado? BELO HORIZONTE - MG
Titulo:
PRÁTICA DO LIAN GONG EM 18 TERAPIAS NO CENTRO DE SAÚDE CARLOS PRATES
Resumo:
Dentro da perspectiva de trabalhar o coletivo atingindo o individual, foi inserida a prática do Lian Gong em 18
terapias no CSCP, por tratar-se de prática corporal chinesa sabidamente eficaz no tratamento e prevenção de
patologias dolorosas crônicas, estendendo benefícios às doenças internas ( HAS, DM, sofrimento mental), aumentando
e prolongando os benefícios da acupuntura. Objetivos: ofertar a prática do Lian Gong aos usuários e trabalhadores do
CSCP como ação de promoção e recuperação da saúde, prevenção de doenças e complementar à prática da
acupuntura.
Metodologia: aula inaugural em dez/2006, com a efetivação da prática, no início duas vezes por semana, a partir de
fev/2007 e posteriormente, também ás quartas e segundas aàs 16:30hs.
produtos alcançados: A prática do Lian Gong , durante o tratamento por acupuntura e após a alta, como parte do
cuidado permanente na manutenção da saúde, prolonga os benefícios da acupuntura e evita recidivas freqüentes dos
sintomas dolorosos osteomusculares, que se constituem o principal motivo de encaminhamento para tratamento
observamos que houve um grande interesse e adesão dos usuários e dos trabalhadores . Conclusão: este tipo de
prática vem fortalecer o papel da AB na busca da co responsabilização do cuidado, na prevenção de doenças e na
promoção da saúde, além de proporcionar ao trabalhador um cuidado com sua própria saúde.
Observação:
O LIAN GONG em 18 terapias é uma série de exercícios utilizados na Medicina Tradicional Chinesa ( MTC),
junto com outros recursos como Acupuntura, Alimentação, Ervas Medicinais, Massagem e exercícios (Tuiná, Shi BA
Fa) e Meditação. É uma ginástica terapêutica que incorpora os modernos movimentos da medicina ocidental aos
princípios filosóficos das milenares artes chinesas
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4643
Código do Autor Principal:3738
Nome do Autor Principal: DENISE TOLEDO SOARES
Autores:
DENISE TOLEDO SOARES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-134
Onde o trabalho foi realizado? BELMIRO BRAGA - MG
Titulo:
A INSERÇÃO DO NUTRICIONISTA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA
Resumo:
O projeto tem como objetivo apresentar argumentos julgados relevantes para subsidiar a defesa da inserção do
Nutricionista na equipe de Programa Saúde da Família, pondo em relevo sua formação e o arsenal de conhecimento
que detém, bem como seu juramento em melhoria do estado de saúde e nutrição da população. Destacar as ações de
alimentação e nutrição em quaisquer formas de intervenção, como estratégias a todo programa cujo escopo é elevar a
qualidade de vida da população a partir do principio da integralidade. Principal objetivo é a promoção de práticas
alimentares saudáveis, prevenção e controle de distúrbios nutricionais, ações intersetorial nutrição e os programas de
saúde: da criança, do adolescente, do adulto/idoso. E identificação dos aspectos de direito e deveres na área de
alimentação e nutrição.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4647
Código do Autor Principal:3740
Nome do Autor Principal: MARISA DE CARVALHO BASTOS
Autores:
MARISA DE CARVALHO BASTOS
Área Temática: Intersetorialidade na Atenção à Saúde
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE-039
Onde o trabalho foi realizado? CURITIBA - PR
Titulo:
LEVANDO A SAUDE PARA A CRECHE
Resumo:
introdução: a utilização de métodos simples no Programa de Saúde da Família
(PSF) é uma prática que deve ser incentivada. Nesse sentido, elegemos a
avaliação antropométrica de crianças de zero a cinco anos como impacto no
Programa da Saúde da Criança. Objetivo: implementar uma triagem das crianças
quanto ao seu desenvolvimento pondo-estatural, e a partir daí, avaliar o binômio
saúde-doença. Metodologia: foram realizadas duas medidas anuais de um grupo
de cerca de 100(cem) crianças da creche local. Sendo que para os 10% (dez por
cento) que estavam fora dos percentis desejados foram agendados consultas,
exames e encaminhamentos para especialistas quando necessário. A parte
odontológica também foi avaliada, mormente porque o desenvolvimento da saúde
bucal é pressuposto inafastável para a efetivação da saúde como um todo. Nesta
seara, frise-se que a denominada -cárie de mamadeira- impede uma boa
alimentação. Dessa maneira, imprescindível torna-se a cooperação entre a
medicina e a odontologia para a efetividade e desenvolvimento do Programa de
Saúde da Família (PSF). Discussão: a utilização de métodos simples pode ser de
ótimo impacto na atenção básica. As crianças com alteração no percentil, tanto
para cima (obeso) quanto para baixo (desnutrido), tornar-se-ão adultos com
potencial de doença importante. Resultados: foram diagnosticados problemas de
obesidade (inclusive de natureza familiar), anemia, cárie de mamadeira, déficit de
crescimento. Tais problemas quando acompanhados irão minimizar o processo
doença/criança/adulto. Conclusão: em Saúde Pública, a simplicidade pode
superar a alta tecnologia. Métodos simples no Programa de Saúde da Família
(PSF) resultam em bons indicadores de saúde. Pequenos atos podem levar a
grandes feitos.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4648
Código do Autor Principal:3741
Nome do Autor Principal: MARIA DAS GRAÇAS GARCIA E SOUZA
Autores:
CYNTHIA DA SILVA KOMATSU
JOSIMAR ALVES
MARIA DAS GRAÇAS GARCIA E SOUZA
MARIA JOSÉ FERNANDES PEREIRA
RENATO GLÓRIA
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-103
Onde o trabalho foi realizado? ITABORAÍ - RJ
Titulo:
HUMANIZAÇÃO E ACOLHIMENTO NO PSF: A EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ITABORAÍ/RJ
Resumo:
No ano de 2001 foi construído no município de Itaboraí o alicerce necessário para a conversão do modelo
assistencial até então existente. Falamos aqui da implantação da Estratégia Saúde da Família, visando construir uma
rede de referência para garantir o acesso aos Serviços de Saúde necessários à população, tendo como base os
princípios do SUS. Ultimamente, mesmo com o funcionamento do PSF (com cobertura de mais de 70% no município),
percebemos que o Processo de Trabalho não expressava o acesso universal, a integralidade e a resolutividade das
necessidades apresentadas. Este trabalho tem como objetivo abordar a experiência dos autores, convocados pela
Gestão Municipal de Saúde, para lançar novas propostas de trabalho e identificar os -gargalos- existentes nas
Unidades de Saúde da Família, qualificando o processo de trabalho.. Optou-se por utilizar a Política Nacional de
Humanização da Atenção e da Gestão no SUS - o Humaniza SUS - buscando resolutividade no processo de ampliar,
facilitar e qualificar o acesso dos usuários ao sistema público de saúde. É a partir da diretriz do Acolhimento que
iniciamos o novo processo no fluxo do acesso ao PSF. Os resultados demonstraram que o novo Processo de Trabalho
apresentava condições favoráveis e desfavoráveis para a consolidação de uma cultura de Humanização e Acolhimento
no PSF. Algumas questões se interpunham, particularmente no acesso às unidades, e precisavam serem respondidas
de forma criativa e resolutiva. Acolher a demanda espontânea com a agenda aberta da Unidade, racionalizar o fluxo
nas unidades e -pressionar- respostas nos outros níveis de atenção, acabar com as -filas madrugantes-, reativar as
diretrizes do PSF e princípios do SUS, o reconhecimento do trabalho multiprofissional, eram, por exemplo, alguns dos
desafios postos. Percebeu-se que o modo como estava organizado o Processo de Trabalho reduzia em muito a
capacidade de respostas das equipes de saúde, subutilizava a capacidade de trabalho dos profissionais de saúde.
Diante disso, optou-se por reorganizar o Processo de Trabalho, procurando trabalhar com a idéia de inclusão e
humanização do atendimento, acolhendo a todos, dentre outros, com o norte da classificação de risco e da prática da
escuta ativa, direcionando-o para um melhor acesso dos usuários e resolutividade das necessidades apresentadas.
Observação:
Solicitamos a compreensão com relação ao atraso do envio, pois tivemos problemas relativos ao computador.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4650
Código do Autor Principal:3742
Nome do Autor Principal: JANNE RUTH NUNES NOGUEIRA
Autores:
NOGUEIRA, JANNE RUTH NUNES
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-135
Onde o trabalho foi realizado? SOBRAL - CE
Titulo:
ENTARDECER NA MARGEM ESQUERDA: PERCEPÇÃO DOS IDOSOS DO BAIRRO DOM EXPEDITO SOBRE O
ENVELHECIMENTO, A
Resumo:
No Brasil, o envelhecimento populacional caminhou em paralelo à progressiva urbanização e respondeu a um
processo revolução científica e tecnológica nas mais variadas áreas do conhecimento. Portanto, não apenas a estrutura
da população se transformou profundamente, como também suas expectativas e valores. Cientes de que o
envelhecimento, enquanto processo de desenvolvimento, é complexo, heterogêneo e singular para cada sujeito que o
vive, procuramos conhecer as concepções de saúde-doença e do processo de envelhecimento de idosos participantes
do grupo de convivência do bairro do Dom Expedito. O grupo se reunia semanalmente e as temáticas eram trabalhadas
através de oficinas, circulo de cultura e atividades sócio-educativas. Com o desenvolver do grupo, sentimos a
necessidade de adentrar com profundidade nos aspectos do sentir, pensar e agir do idoso em relação à saúde,
envelhecimento e família, para isso realizamos algumas entrevistas individuais. Tivemos como resultado do trabalho a
necessidade de desconstruir os estereótipos em relação às pessoas idosas; percebemos que os limites atribuídos aos
idosos não são definidos por eles e sim por um outro que geralmente segue os parâmetros da juventude; a concepção
de saúde para os participantes da pesquisa oscilou entre o conceito de saúde como ausência de doença e de saúde
como qualidade de vida; a categoria família é o elo de maior importância para o idoso e que dá sustentabilidade e
fragilidade no decorrer de sua trajetória de vida. Estas definições mostram que os idosos estão em constante
movimento, reinventando assim o conceito de velhice.
PALAVRAS CHAVES: ENVELHECIMENTO, SAÚDE E FAMILIA.
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4653
Código do Autor Principal:3744
Nome do Autor Principal: ANDRÉA DOS SANTOS CAPELIN SILVA
Autores:
1-MÉDICO DE FAMÍLIA E COMUNIDADE-ESF 15-PREFEITURA MUNICIPAL DE PATOS DE MINAS-MG
2-ENFERMEIRA-ESF 15-PREFEITURA MUNICIPAL DE PATOS DE MINAS-MG
Área Temática: Tecnologias de Cuidado em Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE4-015
Onde o trabalho foi realizado? PATOS DE MINAS - MG
Titulo:
AVALIAÇÃO DAS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELOS PACIENTES ASSISTIDOS PELA EQUIPE PSF-15 SMS DE PATOS
Resumo:
RESUMO
É sabido que um grande numero de pacientes assistidos pelas equipes de saúde da família em todo o Brasil, é
constituído por analfabetos, idosos com dificuldades visuais, problemas mentais e várias outras deficiências e que
necessitam fazer uso de um ou vários medicamentos prescritos pelo médico e que muitas vezes os mesmos têm sérias
dificuldades no entendimento da posologia, prazo de validade dos medicamentos, letras das bulas muito pequenas,
comprimidos muito semelhantes dentre outras.
Foi feito um estudo aplicando um questionário a 600 pacientes, dos 626 cadastrados pertencentes à área de atuação
do PSF 15 na cidade de Patos de Minas-MG-Brasil após análise desses dados, foi constatado que um número bastante
significativo de pacientes, que tem dificuldade de leitura e visão, compreensão da prescrição e, portanto utilizam
incorretamente os medicamentos prescritos o que poderá acarretar sérios problemas de saúde, levando-se em conta
que muitos são diabéticos, hipertensos, cardiopatias e que necessitam controle rigoroso das suas patologias.
Nossa proposta após a análise dos dados obtidos é a de encaminhar sugestões aos órgãos responsáveis, para a
modificação das bulas, coloração diferente para os vários tipos de medicamentos, letras maiores para o nome dos
medicamentos, dentre outras.
Observação:
AVALIAÇÃO DAS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELOS PACIENTES ASSISTIDOS PELA EQUIPE PSF-15 - SMS
DE PATOS DE MINAS EM RELAÇÃO AO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS PRESCRITOS PELO MÉDICO
(este é titulo completo)
III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família
IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família
III Concurso Nacional de Experiências em Saúde da Família
Código do Trabalho: 4656
Código do Autor Principal:3743
Nome do Autor Principal: CRISTIANE AGUIAR DE CASTRO SÁ COSTA
Autores:
COSTA, C. A. C. S. SAAD, M. B. N. L. & BATISTON, M. B.
Área Temática: Promoção da Saúde na AB/SF
Tipo de apresentação: Pôster
Sessão: PE2-073
Onde o trabalho foi realizado? CAMPO GRANDE - MS
Titulo:
GRUPO EDUCATIVO PARA GESTANTES E PUÉRPERAS - FALANDO COM A MAMÃE
Resumo:
Oficina com manejo de boneco para cuidados com recém nascido. Através de palestras, atividades lúdicas e físicas,
sensibilizar as usuárias grávidas e seus companheiros sobre os temas pertinentes à gravidez, puerpério e cuidados do
bebê. Fornecer informações necessárias para uma gestação saudável e acompanhamento do crescimento e
desenvolvimento do bebê. Orientar cuidados com o recém nascido e prevenção de acidentes domésticos. Incentivar o
aleitamento materno e acompanhamento pré-natal. Minimizar as ansiedades e possíveis intercorrências com a mulher
grávida através da educação continuada durante todo o período da gravidez e puerpério.
Observação:
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES DO GRUPO (3 ENCONTROS COM DURAÇÃO DE 90 MINUTOS CADA)
TEMAS DESENVOLVIDOS AO LONGO DOS ENCONTROS:
Massagem TUI NA - aumentando o vínculo pais e bebê.
Recuperação física da mamãe.
Amamentação.
Como está a nova dinâmica familiar?
Cuidados com o bebê.
Mamãe retornando ao trabalho (questões psicológica e social quais os direitos da mamãe).