HP | 730399-001 | Specifications | HP 730399-001 Specifications

Centrífuga DE-1000
De Acionamento Por
Caixa de Engrenagens
Emitido em 04 de Maio de 2009
Revisado em 31 de Março de 2010
Manual de Manutenção e Operação
Aplicações de Petróleo & Gás
Companhia de Equipamentos Derrick
15630 Export Plaza Drive
Houston, Texas 77032
Telefone: 281.590.3003
Ligação Gratuita: 1.866.DERRICK
Fax: 281.442.6948
www.derrickequipment.com
O NÚMERO DE UNIDADE É A CHAVE PARA O SERVIÇO DERRICK
Todos os pedidos para Derrick devem incluir o número da unidade do
equipamento. A placa de aço inoxidável do numero da unidade, anexada a
cada peça do equipamento Derrick é a chave para um serviço e suporte
eficiente.
Típico Número de Unidade Derrick
Esse número único dá informações vitais para o pessoal de serviço que
utilizar tais informações para identificação das peças corretas no ato do
preenchimento da ordem de serviço, para dar respostas precisas a
perguntas de serviços, para o rastreio de documentação, e para traçar o
histórico do equipamento ou da configuração. Em suma, o número da
unidade fornece as informações vitais necessárias para assegurar que
os clientes Derrick recebam o melhor serviço possível.
O número da unidade é constituído por um prefixo de dois caracteres
alfabéticos que identificam o tipo de equipamento e uma série de caracteres
numéricos que significam a seqüência de fabricação da máquina. Por
exemplo, o número da unidade MA000001 seria a primeira máquina de
triagem fabricada por Derrick. Prefixos alfabéticos atualmente em uso são:
MA - Máquina de Triagem AD - Destiladora e Desareiadora
DG - Desgasificador
AG - Agitador de Lama/pasta
CF - Centrífuga
SF - Moldura de Tela
Para garantir que ele permanecerá intacto ao longo de muitos anos de
serviço rigoroso, a placa pesada é rebitada em um membro estrutural, como
a estrutura de apoio do vibrador. Não deve ser confundida com qualquer
outra identificação na máquina, como um número de série do motor
vibrador.
Para um acesso conveniente, o número da unidade também é registrado no
Manual de Operação e Manutenção fornecido com o equipamento. Quando
entrar em contato com Derrick para qualquer pergunta ou necessidade,
tenha sempre o número da unidade em mãos. É a melhor maneira de
conseguir o serviço mais eficiente dos nossos dedicados funcionários de
Serviços e Engenharia.
SOBRE ESTE MANUAL
Este documento foi publicado em formato impresso e eletrônico. No manual de
formato eletrônico, todas as seções e parágrafos listados no ÍNDICE estão
lincados ao texto correspondente.
Navegue no manual eletrônico do seguinte modo:
1. Para ver quaisquer informações desejadas, exiba a página ÍNDICE e mova o
cursor para o título do parágrafo ou seção desejado.
2. Para exibir as informações desejadas, clique no título quando o dedo
indicador aparecer sobre o texto.
3. Quando terminar de visualizar o texto, pressione Alt + tecla de seta para a
esquerda para retornar à página do ÍNDICE.
4. Se desejar voltar para a mesma informação, pressione Alt + seta para a
direita. Para localizar um item diferente, repita as etapas 1 e 2.
O conteúdo destes documentos está sujeito a alterações a qualquer momento. As informações fornecidas não abrangem todos os
detalhes ou variações possíveis do equipamento DERRICK, nem abrange todas as contingências que podem ser satisfeitas em
conjunto com a instalação, operação, manutenção ou resolução de problemas do equipamento. Caso seja necessário obter
informações adicionais, ou se surgirem situações que não foram abordadas neste manual, trazer o assunto à atenção de seu
representante local DERRECK ou ao Departamento de Assistência da Corporação DERRICK em Buffalo, Nova York.
Direitos autorais, 2008 por DERRICK CORPORATION.
ÍNDICE
Seção
Página
1 - Introdução ................................................................................................................. 1-1
Visão Geral ............................................................................................................... 1-1
Segurança ................................................................................................................. 1-1
Utilização do Equipamento........................................................................................ 1-2
Descrição .................................................................................................................. 1-2
Operação Mecânica .................................................................................................. 1-6
Operação do Sistema de Controle Elétrico ............................................................... 1-8
Informação de Contato.............................................................................................. 1-9
Suporte Técnico ........................................................................................................ 1-9
2 - Segurança.................................................................................................................. 2-1
Geral ......................................................................................................................... 2-1
Avisos........................................................................................................................ 2-1
Fichas com Dados de Segurança do Material (MSDSs)........................................... 2-3
3 - Instalação .................................................................................................................. 3-1
Geral ......................................................................................................................... 3-1
Segurança ................................................................................................................. 3-1
Sequência de instalação ........................................................................................... 3-2
Requisitos de Preparação do Local e Espaço Livre.................................................. 3-2
Manipulação do Equipamento................................................................................... 3-3
Posicionamento e Nivelamento do Equipamento...................................................... 3-4
Descida e Fixação de Conjunto Rotativo .................................................................. 3-4
Conexões de Alimentação e Descarga ..................................................................... 3-6
Bomba de Alimentação ............................................................................................. 3-6
Conexões de Força Elétrica ...................................................................................... 3-6
Inicialização de Máquina ........................................................................................... 3-8
31 de Março de 2010
TOC-1
Centrifuga DE-1000GBD
ÍNDICE
Seção
Página
4 - Instruções Operacionais.......................................................................................... 4-1
Geral ......................................................................................................................... 4-1
Segurança Operacional ............................................................................................ 4-1
Primeira Inicialização ................................................................................................ 4-1
Inicialização Normal.................................................................................................. 4-2
Operação .................................................................................................................. 4-2
Ajuste da Taxa de Alimentação ................................................................................ 4-3
Ajuste de Profundidade do Poço .............................................................................. 4-3
Ajustes da Velocidade do Recipiente e do Transportador........................................ 4-4
Taxas da Caixa de Engrenagens.............................................................................. 4-5
Ajuste de torque de Embreagem de Lançamento de Sobrecarga............................ 4-5
Desligamentos Automáticos ..................................................................................... 4-6
Desligamento Normal ............................................................................................... 4-6
Desligamento de Emergência................................................................................... 4-7
5 - Manutenção............................................................................................................... 5-1
Geral ......................................................................................................................... 5-1
Manutenção Preventiva ............................................................................................ 5-1
Nível de Óleo do Acoplamento de Fluidos................................................................ 5-3
Lubrificantes Aprovados ........................................................................................... 5-5
Substituição da Correia Motriz.................................................................................. 5-5
Manutenção do Conjunto Rotativo............................................................................ 5-6
Substituição do Rolamento Principal ........................................................................ 5-14
Substituição do Rolamento do Transportador Contínuo........................................... 5-24
Ajuste de Velocidade do Recipiente ......................................................................... 5-26
Ajuste da Embreagem de Lançamento de Sobrecarga ............................................ 5-27
Lista de Ferramentas ................................................................................................ 5-30
Especificações de Torque das Ferragens ................................................................ 5-31
Peças sobressalentes Recomendadas..................................................................... 5-36
Solução de Problemas.............................................................................................. 5-37
6-7 - Não Usado
8 - Desenhos de Referência ............................................................................. 8-1
9 - Registos de Instalação e Manutenção ....................................................... 9-1
10 - Dados do Fornecedor ..................................................................................... 10-1
TOC-2
31 de Março de 2010
SEÇÃO 1 - INTRODUÇÃO
VISÃO GERAL
Este manual fornece instruções para instalação, operação e manutenção da centrífuga DE-1000
de Acionamento por Caixa de Engrenagem (GBD) (Figura 1-1). O manual está dividido em várias
seções para ajudar. Os funcionários responsáveis pelo transporte, instalação, operação ou
realização de manutenção deste equipamento são obrigados a ler e compreender as informações
e instruções contidas neste manual. Uma cópia deste manual deve estar disponível e acessível
no local do equipamento.
Para segurança e desempenho máximo, nem acréscimos e/ou alterações podem ser feitos no
equipamento sem a permissão explícita por escrito da Corporação Derrick. Peças de
reparo/reposição Originais da Derrick são exigidas.
Figura 1-1 Centrífuga DE-1000 de Acionamento por Caixa de Engrenagem (GBD)
SEGURANÇA
A seção 2 deste manual contém informações de segurança pertinentes para tanto operação
quanto manutenção deste equipamento. Assegure-se que esta informação seja lida e
compreendida por todos os funcionários.
NÃO opere o equipamento em caso de defeito ou falha mecânica ou em componentes elétricos
serem detectados.
04 de Maio de 2009
1-1
Centrífuga DE-1000GBD
INTRODUÇÃO
UTILIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO
A centrífuga DE-1000 GBD foi designada expressamente para a remoção de sólidos de
lama/pasta de baixa gravidade especifica. Em um tipo de processamento, sólidos são removidos
e o líquido é devolvido para recirculação. Alternativamente, os sólidos são retornados para o
sistema ativo e o líquido é descartado.
A Corporação Derrick não autoriza nenhuma outra utilização para este equipamento. O uso
pretendido do equipamento inclui o cumprimento com a operação, manutenção e procedimentos
de segurança inclusos neste manual.
DESCRIÇÃO
Os principais componentes da centrífuga (Figura 1-2) consistem no conjunto rotativo; conjunto de
acionamento da caixa de engrenagem; acoplamento de fluido; Caixa de controle elétrico, motor
de acionamento, interruptor de vibração, e involucro, base, e Estrado. Os parágrafos seguintes
descrevem estes componentes.
Figura 1-2 Centrífuga DE-1000 GBD, Principais Componentes.
Conjunto Rotativo
O Conjunto rotativo consiste em um reservatório cilíndrico de aço inoxidável, conjunto do
transportador contínuo, e componentes relacionados. O Reservatório possui aberturas nas duas
extremidades: Uma parte superior cônica na extremidade de descarga de sólido e uma plana na
parte superior do reservatório de líquido na extremidade oposta. As extremidades do recipiente
são suportadas por rolamentos de esfera lubrificados.
Conjunto do Recipiente
O conjunto do recipiente consiste em um recipiente cilíndrico fechado em uma extremidade pela
parte superior do recipiente de líquido e na outro pela parte superior do recipiente de sólido.
Vertedores ajustáveis na parte superior do recipiente de líquido permitem o ajuste manual da
profundidade do poço. Marcas de índice são apresentadas nos poços para facilitar o ajuste
preciso. A profundidade do poço, juntamente com outros fatores, ajuda a determinar o teor de
líquidos nos sólidos descartados. A extensão do recipiente cônico na extremidade dos sólidos
forma uma praia inclinada para cima, onde os sólidos são coletados e descarregados
continuamente através da saída de descarga de sólidos. Quatro aberturas estão disponíveis para
1-2
04 de Maio de 2009
INTRODUÇÃO
descarga de sólidos na parte superior do recipiente dos sólidos. Peças descartáveis que podem
ser substituídas protegem as aberturas da parte superior do recipiente de sólido de desgastes de
peças.
Transportador Contínuo
O conjunto do transportador contínuo é uma cavidade cilíndrica oca, que recebe a lama/pasta de
entrada em seu interior, os dispersa através de bocais para o conjunto do Recipiente, e
transporta os sólidos para a saída de descarga de sólidos. Girado por uma caixa de engrenagens
diferencial, o transportador contínuo gira na mesma direção, mas a um ritmo mais lento do que o
recipiente. Um eixo de transmissão que se estende através do recipiente principal transfere
movimento da caixa de embreagem para o transportador contínuo. O tubo de alimentação
inserido na extremidade de sólidos no transportador contínuo dirige a lama/pasta em direção ao
acelerador de alimentação, que rapidamente dispersa o material através de bocais de
alimentação no transportador contínuo. Inserções de carbonetos nos bocais de alimentação e
ladrilhos de carboneto nas bordas das correias do transportador contínuo podem proporcionar
resistência ao desgaste. Ambas as extremidades do transportador contínuo são suportadas por
rolamentos de esfera lubrificados montados em pillow blocks.
Acionador de Caixa de Engrenagens
O acionador da caixa de engrenagens é uma caixa de engrenagens de redução diferencial que
rotaciona o transportador com uma velocidade proporcionalmente mais lenta à velocidade do
conjunto do recipiente; as proporções disponíveis são 52:1 e 125:1. Montada na extremidade de
líquidos do transportador, a caixa de engrenagens é suportada pelo rolamento da extremidade de
líquidos no transportador.
O sistema de engrenagem planetário de duas fases transfere movimentação da coroa para o
pinhão de segunda fase que gira o eixo do transportador. A velocidade de rotação do
transportador varia diretamente da velocidade do recipiente, mantendo um relacionamento
diferenciado consistente para o transporte de sólidos. Se os sólidos em excesso restringirem a
rotação do transportador, a coroa começa a girar mais lentamente causando a rotação da
engrenagem central de primeira fase. Após atingir o limite de torque do transportador, a
engrenagem central gira o suficiente para acionar o conjunto de lançamento de sobrecarga,
desligando automaticamente a centrifugação.
Embreagem de Lançamento de Sobrecarga
A embreagem de lançamento de sobrecarga (Figura 1-3) protege a centrífuga desligando a força
elétrica do motor de acionamento e do motor da bomba de alimentação se torque excessivo for
necessário para rodar o transportador (caixa de engrenagem de 52:1 - 335 pol-lb, caixa de
engrenagem 125:1 - 200 pol-lb). O braço do torque, que está suspenso entre dois pontos, está
ligado à embreagem para evitar que ela gire com a coroa da caixa de engrenagem. O came de
torque excêntrico é introduzido na engrenagem principal de primeira fase da caixa de
engrenagem. Se o torque do transportador sobe excessivamente, a engrenagem sol de primeira
fase gira com o transportador, fazendo com que o came de torque rotacione. Quando o came do
torque gira suficientemente para desviar o braço de rolete, o interruptor normalmente fechado de
limite de excesso de toque é aberto, interrompendo a alimentação do motor de acionamento e do
motor da bomba de alimentação, desligando a centrífuga. Depois de um lançamento de
sobrecarga, a embreagem deve ser reinicializada manualmente (consulte a seção 5) antes da
centrífuga poder voltar a suas operações.
04 de Maio de 2009
1-3
Centrífuga DE-1000GBD
INTRODUÇÃO
Figura 1-3 Embreagem de Lançamento de Sobrecarga
Acoplamento de Fluido
A inicialização do torque para o motor de acionamento é amortecida pelo acoplamento de fluido
montado no eixo do motor. O movimento rotativo do eixo do motor é transmitido para o interior do
núcleo do acoplamento de fluido, enquanto o núcleo externo do acoplador está conectado à
polia. Fluido pressurizado no acoplador faz com que a polia gire, ultrapassando assim,
lentamente, a inércia do conjunto rotativo e permitindo de forma progressiva a aceleração
contínua do recipiente.
Caixa de controle elétrico
O funcionamento da centrífuga é controlado na caixa de controle elétrico (Figura 1-4), que
contém componentes que controlam as operações do motor de acionamento e a bomba de
alimentação de lama/pasta. Os interruptores de LIGAR/DESLIGAR A CENTRÍFUGA E BOMBA e
um indicador de horas de funcionamento estão instalados no painel dianteiro. Ambos
interruptores de LIGAR/DESLIGAR são divididos verticalmente, com o LIGAR posicionado à
esquerda e o DESLIGAR à direita. Botões de RESTAURAR estão disponíveis para permitir a
restauração manual da centrífuga e a bomba executa relés no decorrer do processo.
Sobrecargas térmicas são incorporadas aos relés para desligar o motor da centrífuga ou da
bomba de alimentação em caso de consumo excessivo de corrente. O botão mecanicamente
pressiona o botão de restaurar no seu relé correspondente. Interruptores de pressão desligam a
bomba de alimentação quando a demanda de pressão do transportador atinge 1500 PSI e
reinicia a bomba de alimentação quando a pressão cai para 700 PSI.
1-4
04 de Maio de 2009
INTRODUÇÃO
Caixa de Controle Elétrico (Cont.)
Figura 1-4 Caixa de Controle Elétrico
Motor de Acionamento
O HP50, 460 Vac 60 Hz ou 380 Vac 50 Hz, trifásico, motor de acionamento elétrico à prova de
explosão está ligado ao conjunto do recipiente de líquidos por uma roldana e uma correia motriz.
O movimento é transmitido à roldana por um acoplamento de fluido, que é ligado diretamente ao
eixo do motor. Barreiras protetoras cobrem as roldanas e correias motrizes para proteção dos
funcionários.
O motor de 60 Hz funciona com 1760 RPM e a unidade de 50 Hz funciona com 1475 RPM. Um
elemento sensor de temperatura no enrolamento do estator do motor faz com que o motor se
desligue caso venha a atingir uma temperatura demasiadamente elevada.
Interruptor De Vibração
O interruptor de vibração (Figura 1-5) é um dispositivo de segurança para proteger os
funcionários e equipamentos, desligando a centrífuga em caso de vibração excessiva.
Normalmente os contatos do interruptor são mantidos fechados por uma trava mecânica. No
entanto, vibração forte ou um choque de 2Gs irá sobrecarregar o fecho magnético, fazendo a
armadura do interruptor romper com a posição normalmente fechada, interrompendo a energia
para o relé de execução da centrífuga CR1. Um botão de restaurar do lado do interruptor deve
ser pressionado manualmente para fechar os contatos e restaurar o fecho magnético. O nível de
acionamento da vibração é ajustável por meio de um controle de ponto de ajuste, que ajusta o
espaço de ar entre o arm-plate de imã e de trava. Girar o parafuso no sentido anti-horário diminui
o ponto definido de vibração em termos de força G necessário para o acionamento da armadura.
Quando o controle é girado totalmente no sentido horário, o interruptor acionará no nível de
vibração máxima.
04 de Maio de 2009
1-5
Centrífuga DE-1000GBD
INTRODUÇÃO
O interruptor de vibração fica montado sobre a armação da centrífuga em uma orientação que é
mais afetada por vibração fora-de-equilíbrio do conjunto do recipiente. Entupimento do
transportador ou rolamentos gastos podem produzir vibrações suficientemente elevadas para
acionar o interruptor.
Figura 1-5 Interruptor de Vibração
Invólucro, Base e Estrado.
Os invólucros superior e inferior de aço inoxidável semi-asseguram uma vedação, é este
gabinete protetor que envolve totalmente o conjunto do recipiente. O tubo de descarga de
líquidos e a calha de descarga de sólidos são instalados na parte inferior da metade de baixo.
Defletores de contato instalados dentro das metades superior e inferior do gabinete separam os
sólidos e líquidos. Parafusos prendem as metades superior e inferior e uma junta de borracha no
invólucro superior sela as duas metades. Um gabinete separado por duas peças é fornecido para
a caixa de engrenagem na extremidade de líquidos do conjunto do recipiente.
O invólucro é parafusado no conjunto da base de aço soldado, que contém disposições de
montagem para os rolamentos pillow block e suporte para tubos de alimentação. O conjunto da
base é parafusado ao estrado de aço soldado.
OPERAÇÃO MECÂNICA
A centrífuga recebe lama/pasta na extremidade da roldana (extremidade de descarga de sólidos)
da máquina. Para melhor desempenho, a lama/pasta deve ser examinada a 74 micros em
máquinas de triagem vibratória antes de passar para a centrífuga para processamento.
A lama/pasta flui através de um tubo de alimentação para dentro do recipiente rotativo, onde a
força centrífuga separa líquidos dos sólidos. O líquido flui para fora da conexão de descarga de
líquidos na extremidade da caixa de engrenagem da centrífuga, enquanto os sólidos são
1-6
04 de Maio de 2009
INTRODUÇÃO
encaminhados para a descarga de sólidos onde eles caem em uma calha na parte inferior da
máquina.
A centrífuga é configurada de fábrica para funcionar com uma tensão AC específica de sistema
trifásico, em 50Hz ou 60Hz. Controles elétricos são montados na caixa de controle elétrica
localizada na extremidade de descarga de líquidos da máquina. Dispositivos de segurança
incorporados à centrífuga protegem funcionários e equipamento através do desligamento do
motor de acionamento em caso de pressão excessiva do transportador, alta temperatura do
motor, vibração ou outro mau funcionamento.
Forças G produzidas pela rotação de alta velocidade de um recipiente cilíndrico separam sólidos
da lama/pasta inicial. O desempenho da centrífuga é baseado em três fatores variáveis:

Força G exercida sobre o fluido - Força Gravitacional puxando líquido contra a parede
externa da centrífuga

Tempo de retenção na centrífuga - Quanto mais tempo a lama/pasta permanece na
centrífuga menor a partícula que possam ser separada

Velocidade diferencial do transportador - Quanto mais rápido o transportador girar mais
úmidos os sólidos ficaram e os mais sólidos serão descartados
Todos os três fatores podem ser manipulados para alterar a descarga de líquidos e sólidos. Ao
alterar o diâmetro da roldana do motor, o RPM da recipiente é alterado. O Tempo de retenção é
controlado pelo ajuste das portas de descarga de líquidos na parte superior do recipiente de
líquidos para mudar a profundidade do poço (nível de líquido), e a velocidade diferencial do
transportador pode ser alterada mudando a proporção da caixa de engrenagem. O transportador
opera a uma velocidade inferior à do recipiente, sua velocidade é derivada da proporção de caixa
de engrenagem. A velocidade de transporte é a diferença entre as velocidades do recipiente e do
transportador.
O ajuste de qualquer parâmetro—profundidade do poço, e velocidade do recipiente e velocidade
diferencial do transportador—requer o desligamento do equipamento. Outro método de alterar os
resultados de descarga é mudar a taxa de alimentação.
Durante a operação da centrífuga, a lama/pasta é bombeada através do tubo de alimentação no
centro do transportador rotativo (Figura 1-6), onde se espirra contra o acelerador de alimentação.
A lama/pasta em alta velocidade é, então, dispersa por quatro bocais de alimentação na periferia
do cilindro de transporte. Girando a uma velocidade maior do que a do transportador, o recipiente
cria um efeito de corte adicional, que aumenta ainda mais a aceleração da lama/pasta.
À medida que a lama/pasta flui nos canais entre as correias do transportador, as partículas
pesadas assentam em um ritmo acelerado devido à força G imposta pelo recipiente rotativo. As
partículas de areia assentam quase instantaneamente, em seguida, as partículas mais finas e
leves. As partículas que não puderem ser assentadas na configuração atual serão descartadas
com o líquido através das barreiras ajustáveis na extremidade do recipiente de líquidos. O líquido
saído da parte superior do recipiente de líquidos é dirigido através da saída de descarga de
líquidos.
Os sólidos depositados formam um bolo dentro do recipiente e são transportadas pelo
transportador contínuo para a extremidade estreita do recipiente (praia). Como os sólidos
viajando ao longo da praia, a película de líquido livre é perdida devido à compressão e drenagem
da centrífuga. Quando eles são descartados em alta velocidade através das portas de descarga
de sólidos no recipiente, eles contêm apenas a umidade adsorvida.
04 de Maio de 2009
1-7
Centrífuga DE-1000GBD
INTRODUÇÃO
Figura 1-6 Operação da Centrífuga
OPERAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE ELÉTRICO
Os parágrafos seguintes descrevem a operação do sistema de controle elétrico. Esta informação
é fornecida como uma ajuda tanto para a compreensão do funcionamento da centrífuga, quanto
para resolução de problemas. Os parágrafos seguintes descrevem a operação do sistema de
controle do motor de acionamento e da bomba de alimentação.
Motor de Acionamento
Com a energia elétrica fornecida à centrífuga, pressionando o botão LIGAR da CENTRÍFUGA
aplicando energia através dos contatos normalmente abertos (N/A), contatos normalmente
fechados (N/F) de sobrecarga térmica, Contatos N/F do interruptor de sobrecarga de torque,
contatos do interruptor de vibração, e contatos (N/F) do interruptor de excesso de temperatura do
motor, energizando o relé CR1 de funcionamento da centrífuga. Com o relé CR1 de
funcionamento energizado, a energia é aplicada no motor de acionamento elétrico de 50HP.
Além disso, o circuito da bomba de alimentação é habilitado, permitindo a inicialização da bomba
de alimentação de lama/pasta, e o contador do tempo decorrido é energizado.
Bomba de Alimentação
Pressionar o botão LIGAR da BOMBA aplica energia através dos contatos N/A e contatos
normalmente fechados do Interruptor de sobrecarga térmica, energizando o relé CR2 de
inicialização da bomba. Depois que o botão é liberado, a energia é mantida ao CR1 através dos
contatos NF e no circuito paralelo formado pelo contato N/A do relé CR1 e CR2 do botão.
Pressionando o botão DESLIGAR da BOMBA des-energiza o relé CR2, desligando o motor da
bomba de alimentação e o motor de acionamento da centrífuga.
Segurança
O sistema de controle de centrifugação protege-a em caso de qualquer uma das seguintes
condições:
 Demanda excessivamente atual do motor de acionamento
 Torque do transportador excessivamente alto
 Vibração excessiva
 Excesso de temperatura do motor de acionamento
1-8
04 de Maio de 2009
INTRODUÇÃO
Qualquer uma das condições acima des-energiza o relé CR1. Os contatos N/F do relé abrem,
que des-energizam o relé CR1 de funcionamento da centrífuga, desligando o motor elétrico 50
HP e incapacitando a centrífuga. Uma vez desligada por qualquer uma destas condições, a
centrífuga pode ser reiniciada após a remoção da causa do desligamento e pressão no botão
LIGAR da CENTRÍFUGA.
Sobrecarga Térmica
Se o motor de acionamento ou motor de alimentação da bomba puxa corrente excessiva, a
sobrecarga térmica correspondente irá disparar no painel de controle elétrico. A centrífuga só
poderá ser reiniciada após a remoção da causa da sobrecarga e por pressão no botão de
inicialização da RESTAURAÇÃO da bomba e da centrífuga.
Vibração
O interruptor de vibração interrompe a energia que vai para o relé CR1 de funcionamento da
centrífuga em caso de vibração excessiva.
Após a remoção da causa da vibração anormal, a energia é restaurada por pressão no botão
externo da caixa do interruptor de vibração para fechar magneticamente os contatos do
interruptor. A centrífuga pode ser reiniciada por pressão no botão LIGAR da CENTRÍFUGA.
Sobreaquecimento do Motor
O Interruptor de sobrecarga de temperatura do motor interrompe a energia enviada para o relé
CR1 de funcionamento se o motor de acionamento torna-se excessivamente aquecido. Depois
de permitir que o motor esfrie e remover a causa do aquecimento, a centrífuga é reiniciada por
pressão no botão LIGAR da CENTRÍFUGA.
INFORMAÇÕES DE CONTATO
INFORMAÇÕES DE CONTATO
Localização
Telefone
Fac-símile (FAX)
Corporação Derrick
590 Duke Road
Buffalo, Nova York 14225
E.U.A.
716.683.9010
716.683.4991
Companhia de Equipamentos
Derrick
15630 Export Plaza Drive
Houston, Texas 77032
E.U.A.
281.590.3003
Derrick GmbH & Co. KG
Bockhorner Weg 6
29.683 Fallingbostel
ALEMANHA
E-mail / Website
Gerente de Serviço Geral
toconnor@derrickcorp.com
281.442.6948
Gerente Geral
rerice@derrickequipment.com
+49 5162 98580
+49 5162 985821
Info@derrickinternational.com
www.derrickinternational.com
SUPORTE TÉCNICO
A Corporação Derrick oferece suporte técnico 24-horas por dia, 7 dias por semana. O suporte
técnico inclui a substituição de tela/informação do pedido e reparação/reposição de peças e
serviços para toda a linha de produtos. Consulte a tabela a seguir para achar o centro de
peças/serviço mais próximo de você.
04 de Maio de 2009
1-9
Centrífuga DE-1000GBD
INTRODUÇÃO
LOCALIZAÇÕES DE VENDAS DE PEÇAS & SERVIÇOS
Colorado - 970.241.2417
Louisiana
Broussard - 877.635.3354
Mississippi
Laurie - 877.635.3354
Nova York - Sede Corporativa
Buffalo - 716.683.9010
Oklahoma
Oklahoma City - 405.208.4070
Texas
Houston (sede Oilfield) - 866.DERRICK (337,7425)
Bridgeport - 940.210.9975
Corpus Christi - 361.664.2410
Longview - 337.298.9411
Midland - 432.230.3720
Wyoming - 307.265.0445
Alemanha - 011.49.5162.98580
1-10
04 de Maio de 2009
SEÇÃO 2 - SEGURANÇA
GERAL
Esta seção contém um resumo dos AVISOS utilizados neste manual e uma lista de Fichas com
Dados de Segurança do Material (MSDSs) aplicável ao equipamento. A centrífuga foi projetada
para desempenhar as funções estabelecidas com segurança.
AVISOS
Todos os funcionários responsáveis pela operação e manutenção deste equipamento devem ler
e entender todas as informações de segurança contidas neste manual antes de operar e/ou fazer
manutenção do equipamento. Os avisos de segurança enumerados a seguir estão incluídos nos
procedimentos aplicáveis ao longo deste manual.
Som
ATENÇÃO! PARA PROTEÇÃO CONTRA PERDA DE AUDIÇÃO, PROTETORES
DE OUVINDO DEVEM SER USADOS SEMPRE E POR QUALQUER
FUNCIONÁRIO QUE ESTEJA PERTO OU TRABALHANDO EM UMA MÁQUINA
DERRICK.
Riscos Eléctricos
ATENÇÃO! PARA EVITAR SÉRIAS LESÕES FISICAS CERTIFIQUI-SE DE QUE
O EQUIPAMENTO ESTÁ BLOQUEADO E ETIQUETADO (LOTO),
DESENERGISADO, E TENHA PARADO DE GIRAR ANTES DE EXECUTAR
AJUSTES E/OU MANUTENÇÃO.
ATENÇÃO! O MOTOR DE ACIONAMENTO DEVE SER OPERADO NA
VOLTAGEM DE FORNECIMENTO DESIGNADA.
ATENÇÃO! ALTA TENSÃO PODE ESTAR PRESENTE. TENHA CERTEZA QUE
O FUSÍVEL QUE DISCONECTA O FORNECIMENTO DE ENERGIA ELETRICA
DESTE EQUIPAMENTO ESTÁ ABERTO. BLOQUEI E ETIQUETE (LOTO) O
SUPRIMENTO DE ENERGIA PARA PREVENIR APLICAÇÃO ACIDENTAL DE
ENERGIA ENQUANTO AJUSTES E/OU MANUTENÇÃO ESTÃO EM
PROGRESSO.
ATENÇÃO! CONEXÕES ELÉTRICAS DEVEM SER FEITAS DE ACORDO COM
O CÓDIGO ELÉTRICO NACIONAL (NEC) E TODOS OS CÓDIGOS LOCAIS
APLICÁVEIS. FALHA NO CUMPRIMENTO PODE RESULTAR NUMA
CONDIÇÃO PERIGOSA QUE PODERIA MACHUCAR ALGUEM OU DANIFICA
O EQUIPAMENTO. ASSEGURAR-SE QUE TODAS AS CONEXÕES
ELÉTRICAS E DE CONDUITES ESTÃO SEGURAS.
4 de Maio de 2009
2-1
Centrífuga DE-1000GBD
SEGURANÇA
Manipulação do Equipamento
ATENÇÃO! USE BARRAS ESPAÇADORAS PARA PREVENIR DANOS AO
LEVANTAR O EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! PARA ASSEGURAR O EQUILÍBRIO E ORIENTAÇÃO
ADEQUADOS E PREVENIR DANOS AOS COMPONENTES QUANDO A
UNIDADE FOR LEVANTADA, SÓ FIXAR AS CORRENTES DE
LEVANTAMENTO NOS PONTOS DE ELEVAÇÃO DESIGNADOS. NÃO
TENTAR A SUSPENÇÃO POR FIXAÇÃO NO MOTOR OU EM NENHUM OUTRO
LOCAL.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE O DISPOSITIVO DE SUPORTE TENHA
CAPACIDADE DE LEVANTAMENTO SUFICIENTE PARA COM SEGURANÇA
AGUENTAR O PESO DO EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! NÃO RETIRAR OS SUPORTES DE TRANPORTE ATÉ QUE O
EQUIPAMENTO ESTEJA POSICIONADO NO LOCAL FINAL DA INSTALAÇÃO.
Operação
ATENÇÃO! TODO PESSOAL DE OPERAÇÃO E DE MANUTENÇÃO DEVE LER
E ENTENDER TODAS AS INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DESTE MANUAL
ANTES DE TRABALHAR COM O EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE TODAS AS TAMPAS SUPERIORES ESTÃO
FECHADAS E PRESAS E TODOS OS FUNCIONÁRIOS FORAM REMOVIDO
ANTES DA MÁQUINA COMEÇAR A FUNCIONAR.
ATENÇÃO! ANTES DA CENTRÍFUGA COMEÇAR A FUNCIONAR ASSEGURESE QUE TODOS OS SUPORTES DE TRANSPORTE FORAM RETIRADOS E OS
ROLAMENTOS PILLOW BLOCKS ESTÃO DEVIDAMENTE APERTADOS.
ATENÇÃO! SEMPRE PERMITA QUE A MÁQUINA DESACELERE ATÉ UMA
PARADA COMPLETA ANTES DE ABRIR A TAMPA SUPERIOR OU REMOVER
OS PROTETORES.
ATENÇÃO! NÃO OPERAR A CENTRÍFUGA SE ELA DESENVOLVER
BARULHO OU VIBRAÇÃO EXCESSIVA. SEMPRE CONFIRME QUE O
INTERRUPTOR DE VIBRAÇÃO E OUTROS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA
ESTÃO FUNCIONANDO.
Manutenção
ATENÇÃO! ALTA TENSÃO PODE ESTAR PRESENTE. SEMPRE ABRA O
FUSÍVEL QUE DESCONECTA O FORNECIMENTO DE ELETRICIDADE AO
EQUIPAMENTO, E BLOQUEI E ETIQUETE (LOTO) O SUPRIMENTO DE
ENERGIA ANTES DE EXECUTAR QUALQUER AJUSTE DE E/OU DE
MANUTENÇÃO NO EQUIPAMENTO.
2-2
4 de Maio de 2009
SEGURANÇA
Armazenamento
ATENÇÃO! A CENTRÍFUGA PODE SER DANIFICADA POR SER
ARMAZENANDA EM AMBIENTE DE ALTA UMIDADE (MAIOR QUE 50% UR). O
EQUIPAMENTO DEVE SER ARMAZENADO NUM AMBIENTE DE BAIXAUMIDADE.
FICHAS COM DADOS DE SEGURANÇA DO MATERIAL (MSDSs)
As Fichas com Dados de Segurança do Material (MSDSs) para produtos de acabamento externo
são incluídas nas páginas seguintes para aconselhar o pessoal sobre as propriedades e
possíveis perigos destes materiais. Estes documentos foram elaborados pelos fabricantes dos
produtos, que tem exclusiva responsabilidade pela exatidão das informações.
Os MSDSs inclusos estão atualizados com a data de publicação do presente manual e são
fornecidos somente como referência. É de responsabilidade do cliente entrar em contato com o
fabricante do produto para obtenção dos documentos mais recentes.
Além da documentação do produto final, MSDSs estão listados para outros produtos utilizados no
equipamento. Para garantir que a informação atual encontra-se disponível, o MSDS de cada
produto deve ser obtido no momento da compra. Note que os produtos equivalentes, para os
materiais listados são aprovados por Derrick para as aplicações correspondentes.
APLICAÇÃO - DESCRIÇÃO
Nº do MSDS / Data
Tintas
Devoe Devthane 359 - Top Coat
359 / 05-06-08
Devoe Epoxy Primer - Undercoat
313K / 08-02-04
Lubrificantes
Ambiente Ártico
Todos os Rolamentos - Shell Aeroshell GR-14
56200E-9 / 10-23-03*
Caixa de Engrenagem- SH Mobil 220
Entre em contato com o
fabricante*
Acoplador hidráulico - SCH Mobil 626
Entre em contato com o
fabricante*
Embreagem de Lançamento de Sobrecarga - GR Shell
Aeroshell 14
56200E-9 / 10-23-03*
Ambiente Normal
Todos os Rolamentos - Chevron SRI NLGI 2
6979 / 08-03-04*
Caixa de Engrenagem - Shell Omala 320
*
Acoplador hidráulico - Chevron GST ISO-32
*
Embreagem de Lançamento de Sobrecarga - GR Shell
Aeroshell 14
56200E-9 / 10-23-03*
Grau Alimentício
Só os Rolamentos Principais - Chevron SRI NLGI 2
6979 / 08-03-04*
Só os Rolamentos de Transporte - Mobil FM 102
642363-00 / 01-17-02*
4 de Maio de 2009
2-3
Centrífuga DE-1000GBD
SEGURANÇA
APLICAÇÃO - DESCRIÇÃO
Nº do MSDS / Data
Vedação
Lubrificantes Antiengripante da Loctite - Fechos
76764 / 09-27-04*
* MSDS não incluída; contate o fabricante para a última revisão.
2-4
4 de Maio de 2009
(ANSI Section 4)
FIRE-FIGHTING MEASURES
(ANSI Section 5)
Fire extinguishing media : Dry chemical or foam water fog. Carbon dioxide. Closed containers may
explode when exposed to extreme heat or fire. Vapors may ignite explosively at ambient
temperatures. Vapors are heavier than air and may travel long distances to a source of ignition and
flash back. Vapors can form explosive mixtures in air at elevated temperatures. Closed containers
may burst if exposed to extreme heat or fire. Dust explosion hazard. May decompose under fire
conditions emitting irritant and/or toxic gases.
Fire fighting procedures : Water may be used to cool and protect exposed containers. Firefighters
should use full protective clothing, eye protection, and self-contained breathing apparatus. Selfcontained breathing apparatus recommended.
(ANSI Section 6)
Steps to be taken in case material is released or spilled : Comply with all applicable health and
environmental regulations. Eliminate all sources of ignition. Ventilate area. Ventilate area with
explosion-proof equipment. Spills may be collected with absorbent materials. Use non-sparking
tools. Evacuate all unnecessary personnel. Place collected material in proper container. Complete
personal protective equipment must be used during cleanup. Large spills - shut off leak if safe to do
so. Dike and contain spill. Pump to storage or salvage vessels. Use absorbent to pick up excess
residue. Keep salvageable material and rinse water out of sewers and water courses. Small spills use absorbent to pick up residue and dispose of properly.
HANDLING AND STORAGE
(ANSI Section 7)
Handling and storage : Store below 80f. Store below 100f (38c). Keep away from heat, sparks and
open flame. Store in original container. Keep away from direct sunlight, heat and all sources of
ignition. Keep container tightly closed in a well-ventilated area.
Other precautions : Use only with adequate ventilation. Do not take internally. Keep out of reach of
children. Avoid contact with skin and eyes, and breathing of vapors. Wash hands thoroughly after
handling, especially before eating or smoking. Keep containers tightly closed and upright when not
in use. Empty containers may contain hazardous residues. Ground equipment when transferring to
prevent accumulation of static charge.
EXPOSURE CONTROLS/PERSONAL PROTECTION
(ANSI Section 8)
Respiratory protection : Respiratory protection is required for use in isocyanate containing
environments. Consider type of application and environmental concentrations when selecting
respiratory protection. Observe governmental regulations for respirator use. (29 CFR
1910.134(OSHA))(Canadian z94.4) The use of positive pressure supplied air respirator is
mandatory when the airborne isocyanate concentrations are not known. Note: isocyanate based
materials have been determined to cause allergic sensitization in humans. Avoid inhalation and
dermal (skin) contact with the uncured material.
Ventilation : Provide dilution ventilation or local exhaust to prevent build-up of vapors. Use explosionproof equipment. Use non-sparking equipment.
Personal protective equipment : Eye wash, safety shower, safety glasses or goggles. Impervious
gloves, impervious clothing, face shield, apron, boots.
STABILITY AND REACTIVITY
(ANSI Section 10)
Under normal conditions : Stable see section 5 fire fighting measures
Materials to avoid : Oxidizers, acids, reducing agents, bases, aldehydes, halogens, amines, alkalis,
water, peroxides, nitric acid, alcohols, combustible materials, caustics, mineral acids. Nitrates.
Conditions to avoid : Sunlight, elevated temperatures, moisture, contact with oxidizing agent, storage
near acids, sparks, open flame, ignition sources.
Hazardous polymerization : Will not occur
359D
The information contained herein is based on data available at the time of preparation of this data sheet which ICI Paints believes to be reliable. However, no warranty is expressed or implied regarding the accuracy of this
data. ICI Paints shall not be responsible for the use of this information, or of any product, method or apparatus mentioned and you must make your own determination of its suitability and completeness for your own use,
for the protection of the environment, and the health and safety of your employees and the users of this material.
Complies with OSHA hazard communication standard 29CFR1910.1200.
EMERGENCY TELEPHONE NO. (800) 545-2643
Inhalation : Remove to fresh air. Restore and support continued breathing. Get emergency medical
attention. Have trained person give oxygen if necessary. Get medical help for any breathing
difficulty. Remove to fresh air if inhalation causes eye watering, headaches, dizziness, or other
discomfort.
Skin contact : Wash thoroughly with soap and water. If any product remains, gently rub petroleum
jelly, vegetable or mineral/baby oil onto skin. Repeated applications may be needed. Remove
contaminated clothing. Wash contaminated clothing before re-use. Dispose of contaminated
leather items, such as shoes and belts. If irritation occurs, consult a physician.
Eye contact : Flush immediately with large amounts of water, especially under lids for at least 15
minutes. If irritation or other effects persist, obtain medical treatment.
Ingestion : If swallowed, obtain medical treatment immediately.
ACCIDENTAL RELEASE MEASURES
15885 Sprague Road Strongsville, Ohio 44136
FIRST-AID MEASURES
Hazardous decomposition or combustion products : Carbon monoxide, carbon dioxide, oxides of
nitrogen, oxides of sulfur, ammonia, hydrogen chloride, toxic gases, barium compounds. Cyanides.
DEVTHANE 359 DERRICK GREEN
HAZARDS IDENTIFICATION (ANSI Section 3)
Primary route(s) of exposure : Inhalation, skin contact, eye contact, ingestion.
Effects of overexposure :
Inhalation : Irritation of respiratory tract. Prolonged inhalation may lead to. Inhalation of spray mist
may cause irritation of respiratory tract. Mucous membrane irritation, fatigue, drowsiness,
dizziness and/or lightheadedness, headache, uncoordination, nausea, vomiting, abdominal pain,
chest pain, coughing, apathy, central nervous system depression, intoxication, anesthetic effect
or narcosis, difficulty of breathing, allergic response, tremors, severe lung irritation or damage,
pulmonary edema, pneumoconiosis, loss of consciousness, respiratory failure, death. Possible
sensitization to respiratory tract.
Skin contact : Irritation of skin. Prolonged or repeated contact can cause dermatitis, defatting, severe
skin irritation. Possible sensitization to skin.
Eye contact : Irritation of eyes. Prolonged or repeated contact can cause conjunctivitis, blurred vision,
tearing of eyes, redness of eyes, severe eye irritation, corneal injury.
Ingestion : Ingestion may cause lung inflammation and damage due to aspiration of material into
lungs, mouth and throat irritation, drowsiness, dizziness and/or lightheadedness, headache,
uncoordination, nausea, vomiting, diarrhea, gastro-intestinal disturbances, abdominal pain,
visual disturbances, apathy, central nervous system depression, intoxication, anesthetic effect or
narcosis, burns of the mouth, throat, stomach, pulmonary edema, loss of consciousness,
respiratory failure, death.
Medical conditions aggravated by exposure : Eye, skin, respiratory disorders, kidney disorders, liver
disorders, nervous system disorders, respiratory disorders.
prepared 05/06/08
ICI Paints North America
MATERIAL SAFETY DATA SHEET
TOXICOLOGICAL INFORMATION
(ANSI Section 11)
Supplemental health information : Contains a chemical that is moderately toxic by ingestion. Contains a
chemical that is toxic by inhalation. Contains a chemical that may be absorbed through skin. Free
diisocyanate may cause allergic reaction in susceptible persons. Notice - reports have associated
repeated and prolonged occupational overexposure to solvents with permanent brain and nervous system
damage. Intentional misuse by deliberately concentrating and inhaling the contents may be harmful or
fatal. Contains iron oxide, repeated or prolonged exposure to iron oxide dust may cause siderosis, a
benign pneumoconiosis. Other effects of overexposure may include toxicity to liver, kidney, central
nervous system, blood.
Carcinogenicity : Contains formaldehyde, a potential cancer hazard. Rats exposed to formaldehyde via
inhalation developed cancer of the nasal cavity. Evidence in humans is limited (nasal and
nasopharyngeal cancer). Formaldehyde is listed as a carcinogen by OSHA, probable human carcinogen
(group 2a) by IARC, and anticipated human carcinogen by NTP. Overexposure can cause eye, skin, and
respiratory tract irritation, and skin and respiratory sensitization. In a lifetime inhalation study, exposure
to 250 mg/m3 titanium dioxide resulted in the development of lung tumors in rats. These tumors
occurred only at dust levels that overwhelmed the animals' lung clearance mechanisms and were
different from common human lung tumors in both type and location. The relevance of these findings to
humans is unknown but questionable. The international agency for research on cancer (IARC) has
classified titanium dioxide as possibly carcinogenic to humans (group 2b) based on inadequate evidence
of carcinogenicity in humans and sufficient evidence of carcinogenicity in experimental animals.
Physical Data
Product
Code
359F65DGF
379C0910
ECOLOGICAL INFORMATION
(ANSI Section 12)
No ecological testing has been done by ICI paints on this product as a whole.
DISPOSAL CONSIDERATIONS
(ANSI Section 13)
Waste disposal : Dispose in accordance with all applicable regulations. Avoid discharge to natural waters.
REGULATORY INFORMATION
(ANSI Section 15)
As of the date of this MSDS, all of the components in this product are listed (or are otherwise exempt from
listing) on the TSCA inventory. This product has been classified in accordance with the hazard criteria of the
CPR (controlled products regulations) and the MSDS contains all the information required by the CPR.
(ANSI Sections 1, 9, and 14)
Description
Wt. / Gal.
devthane 359h (no organic haps) derrick green
devthane 379 hs converter
Ingredients
Reproductive effects : High exposures to xylene in some animal studies, often at maternally toxic levels, have
affected embryo/fetal development. The significance of this finding to humans is not known.
Mutagenicity : No mutagenic effects are anticipated
Teratogenicity : No teratogenic effects are anticipated
9.02
9.40
VOC
gr. / ltr.
291.43
112.85
% Volatile
by Volume
34.96
13.00
Flash
Point
80 f
135 f
Boiling
Range
208-595
293-293
HMIS
*330
*321
DOT, proper shipping name
UN1263, paint, 3, PGIII
UN1866, resin solution, combustible liquid, PGIII
Product Codes with % by Weight (ANSI Section 2)
Chemical Name
4-heptanone, 2,6-dimethylethane, 1,1',1''-methylidenetris(oxy)-trisacetic acid, butyl ester
c.i. pigment green 7
benzene, dimethyltitanium oxide
2-propenoic acid, 2-methyl-, 2-hydroxyethyl ester, polymer with ethenylbenzene, 2-ethylhexyl 2-propeno and methyl 2-methyl-2propenoate
hexane, 1,6-diisocyanato-, homopolymer
formaldehyde
c.i. pigment yellow 42
acetic acid, 1,1-dimethylethyl ester
butanamide, 2-((2-methoxy-4-nitrophenyl)azo) -n-(2-methoxyphenyl)-3-oxosolvent naphtha (petroleum), light aromatic
1-butanol
propanoic acid, 3-ethoxy-, ethyl ester
sulfuric acid, barium salt
castor oil
hexane, 1,6-diisocyanatoacetic acid, c6-8-branched alkyl esters
benzene,1,2,4-trimethylanti-settling agent
polyamide
Common Name
diisobutyl ketone
ethyl orthoformate
butyl acetate
phthalo green pigment
xylene
titanium dioxide
acrylic polymer
CAS. No.
108-83-8
122-51-0
123-86-4
1328-53-6
1330-20-7
13463-67-7
26916-05-2
aliphatic polyisocyanate
formaldehyde
yellow iron oxide
tert-butyl acetate
pigment yellow 74
light aromatic solvent naphtha
n-butanol
ethyl 3-ethoxypropionate
barium sulfate
castor oil, raw
hexamethylene diisocyanate
oxo-heptyl acetate
pseudocumene
anti-settling agent
rheological additive
28182-81-2
50-00-0
51274-00-1
540-88-5
6358-31-2
64742-95-6
71-36-3
763-69-9
7727-43-7
8001-79-4
822-06-0
90438-79-2
95-63-6
Sup. Conf.
Sup. Conf.
Form: 359D, Page 2 of 3, prepared 05/06/08
359F65DGF
1-5
1-5
5-10
1-5
.1-1.0
1-5
40-50
379C0910
5-10
.1-1.0
90-95
LT .01
1-5
1-5
1-5
1-5
1-5
5-10
1-5
10-20
.1-1.0
1-5
.1-1.0
1-5
1-5
1-5
Chemical Hazard Data
Common Name
diisobutyl ketone
ethyl orthoformate
butyl acetate
phthalo green pigment
xylene
titanium dioxide
acrylic polymer
aliphatic polyisocyanate
formaldehyde
yellow iron oxide
tert-butyl acetate
pigment yellow 74
light aromatic solvent naphtha
n-butanol
ethyl 3-ethoxypropionate
barium sulfate
castor oil, raw
hexamethylene diisocyanate
oxo-heptyl acetate
pseudocumene
anti-settling agent
rheological additive
Footnotes:
C=Ceiling - Concentration that
should not be exceeded,
even instantaneously.
(ANSI Sections 2, 8, 11, and 15)
CAS. No.
108-83-8
122-51-0
123-86-4
1328-53-6
1330-20-7
13463-67-7
26916-05-2
28182-81-2
50-00-0
51274-00-1
540-88-5
6358-31-2
64742-95-6
71-36-3
763-69-9
7727-43-7
8001-79-4
822-06-0
90438-79-2
95-63-6
Sup. Conf.
Sup. Conf.
S=Skin - Additional exposure,
over and above airborn exposure,
may result from skin absorption.
8-Hour TWA
25 ppm
not est.
150 ppm
not est.
100 ppm
10 mg/m3
not est.
not est.
not est.
5 mg/m3
200 ppm
not est.
not est.
20 ppm
not est.
10 mg/m3
not est.
0.005 ppm
not est.
25 ppm
not est.
10 mg/m3
ACGIH-TLV
STEL
C
not est.
not est.
not est.
not est.
200 ppm
not est.
not est.
not est.
150 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
0.3 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
n/a=not applicable
not est=not established
CC=CERCLA Chemical
S
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
8-Hour TWA
50 ppm
not est.
150 ppm
not est.
100 ppm
10 mg/m3
not est.
not est.
0.75 ppm
10 mg/m3
200 ppm
not est.
500x ppm
100 ppm
not est.
5 mg/m3
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
5 mg/m3
ppm=parts per million
mg/m3=milligrams per cubic meter
Sup Conf=Supplier Confidential
Form: 359D, Page 3 of 3, prepared 05/06/08
OSHA-PEL
STEL
C
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
2 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S2=Sara Section 302 EHS
S3=Sara Section 313 Chemical
S.R.Std.=Supplier Recommended Standard
S.R.
Std.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S2 S3 CC
n
n
n
n
n
n
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
y
n
n
n
y
n
n
n
n
y
n
n
n
y
n
y
n
n
n
n
y
n
y
n
n
n
y
n
y
n
n
y
n
n
n
y
n
n
n
n
H
n
n
n
n
y
n
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
n
y
n
n
n
n
M
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
N
n
n
n
n
n
y
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
I
n
n
n
n
n
y
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
O
n
n
n
n
n
n
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
H=Hazardous Air Pollutant, M=Marine Pollutant
P=Pollutant, S=Severe Pollutant
Carcinogenicity Listed By:
N=NTP, I=IARC, O=OSHA, y=yes, n=no
(ANSI Section 3)
(ANSI Section 4)
Inhalation : Remove to fresh air. Restore and support continued breathing. Get emergency medical
attention. Have trained person give oxygen if necessary. Get medical help for any breathing
difficulty.
Skin contact : Wash thoroughly with soap and water. If any product remains, gently rub petroleum
jelly, vegetable or mineral/baby oil onto skin. Repeated applications may be needed. Remove
contaminated clothing. Wash contaminated clothing before re-use. Dispose of contaminated
leather items, such as shoes and belts. If irritation occurs, consult a physician.
Eye contact : Flush immediately with large amounts of water, especially under lids for at least 15
minutes. If irritation or other effects persist, obtain medical treatment.
Ingestion : If swallowed, obtain medical treatment immediately.
FIRE-FIGHTING MEASURES
(ANSI Section 5)
Fire extinguishing media : Dry chemical or foam water fog. Carbon dioxide. Closed containers may
explode when exposed to extreme heat or fire. Vapors may ignite explosively at ambient
temperatures. Vapors are heavier than air and may travel long distances to a source of ignition and
flash back. Vapors can form explosive mixtures in air at elevated temperatures. Closed containers
may burst if exposed to extreme heat or fire. May decompose under fire conditions emitting irritant
and/or toxic gases.
Fire fighting procedures : Water may be used to cool and protect exposed containers. Firefighters
should use full protective clothing, eye protection, and self-contained breathing apparatus. Selfcontained breathing apparatus recommended.
Hazardous decomposition or combustion products : Carbon monoxide, carbon dioxide, oxides of
nitrogen, oxides of sulfur, ammonia, aldehydes, toxic gases, barium compounds. Cyanides.
(ANSI Section 6)
HANDLING AND STORAGE
(ANSI Section 7)
Handling and storage : Store below 80f. Store below 100f (38c). Keep away from heat, sparks and
open flame. Keep away from direct sunlight, heat and all sources of ignition.
Other precautions : Use only with adequate ventilation. Do not take internally. Keep out of reach of
children. Avoid contact with skin and eyes, and breathing of vapors. Wash hands thoroughly after
handling, especially before eating or smoking. Keep containers tightly closed and upright when not
in use. Empty containers may contain hazardous residues. Ground equipment when transferring to
prevent accumulation of static charge.
EXPOSURE CONTROLS/PERSONAL PROTECTION
(ANSI Section 8)
Respiratory protection : Control environmental concentrations below applicable exposure standards
when using this material. When respiratory protection is determined to be necessary, use a
NIOSH/MSHA (Canadian z94.4) Approved elastomeric sealing- surface facepiece respirator
outfitted with organic vapor cartridges and paint spray (dust/mist) prefilters. Determine the proper
level of protection by conducting appropriate air monitoring. Consult 29CFR1910.134 For selection
of respirators (Canadian z94.4).
Ventilation : Provide dilution ventilation or local exhaust to prevent build-up of vapors. Use explosionproof equipment. Use non-sparking equipment.
Personal protective equipment : Eye wash, safety shower, safety glasses or goggles. Impervious
gloves, impervious clothing, face shield, apron.
STABILITY AND REACTIVITY
(ANSI Section 10)
Under normal conditions : Stable see section 5 fire fighting measures
Materials to avoid : Oxidizers, acids, reducing agents, bases, aldehydes, ketones, halogens, amines,
carbon tetrachloride (at elevated temperatures), aluminum, nitric acid, metal compounds, lewis acids,
mineral acids.
Conditions to avoid : Elevated temperatures, moisture, contact with oxidizing agent, storage near
acids, sparks, open flame, ignition sources.
Hazardous polymerization : Will not occur may polymerize in presence of aliphatic amines.
TOXICOLOGICAL INFORMATION
(ANSI Section 11)
Supplemental health information : Contains a chemical that is moderately toxic by ingestion.
Contains a chemical that may be absorbed through skin. Excessive inhalation of fumes may lead
to metal fume fever characterized by a metallic taste in mouth, excessive thirst, coughing,
weakness, fatigue, muscular pain, nausea, chills and fever. Notice - reports have associated
repeated and prolonged occupational overexposure to solvents with permanent brain and
nervous system damage. Intentional misuse by deliberately concentrating and inhaling the
contents may be harmful or fatal. Other effects of overexposure may include toxicity to liver,
kidney, central nervous system, blood.
313K
The information contained herein is based on data available at the time of preparation of this data sheet which ICI Paints believes to be reliable. However, no warranty is expressed or implied regarding the accuracy of this
data. ICI Paints shall not be responsible for the use of this information, or of any product, method or apparatus mentioned and you must make your own determination of its suitability and completeness for your own use,
for the protection of the environment, and the health and safety of your employees and the users of this material.
Complies with OSHA hazard communication standard 29CFR1910.1200.
EMERGENCY TELEPHONE NO. (800) 545-2643
FIRST-AID MEASURES
ACCIDENTAL RELEASE MEASURES
Steps to be taken in case material is released or spilled : Comply with all applicable health and
environmental regulations. Eliminate all sources of ignition. Ventilate area. Ventilate area with
explosion-proof equipment. Spills may be collected with absorbent materials. Use non-sparking
tools. Evacuate all unnecessary personnel. Place collected material in proper container. Complete
personal protective equipment must be used during cleanup. Large spills - shut off leak if safe to do
so. Dike and contain spill. Pump to storage or salvage vessels. Use absorbent to pick up excess
residue. Keep salvageable material and rinse water out of sewers and water courses. Small spills use absorbent to pick up residue and dispose of properly.
925 Euclid Avenue Cleveland, Ohio 44115
Primary route(s) of exposure : Inhalation, skin contact, eye contact, ingestion.
Effects of overexposure :
Inhalation : Irritation of respiratory tract. Prolonged inhalation may lead to mucous membrane
irritation, fatigue, drowsiness, dizziness and/or lightheadedness, headache, uncoordination,
nausea, vomiting, diarrhea, abdominal pain, chest pain, blurred vision, flu-like symptoms,
coughing, sneezing, difficulty with speech, apathy, central nervous system depression,
anesthetic effect or narcosis, difficulty of breathing, allergic response, fever and chills, tremors,
abnormal blood pressure, severe lung irritation or damage, liver damage, kidney damage,
pulmonary edema, pneumoconiosis, loss of consciousness, respiratory failure, asphyxiation,
death. Possible sensitization to respiratory tract.
Skin contact : Irritation of skin. Prolonged or repeated contact can cause dermatitis, defatting,
blistering, allergic response, severe skin irritation, severe skin irritation or burns. Possible
sensitization to skin.
Eye contact : Irritation of eyes. Prolonged or repeated contact can cause conjunctivitis, blurred vision,
tearing of eyes, redness of eyes, severe eye irritation, severe eye irritation or burns, corneal
injury.
Ingestion : Ingestion may cause lung inflammation and damage due to aspiration of material into
lungs, mouth and throat irritation, drowsiness, dizziness and/or lightheadedness, headache,
uncoordination, nausea, vomiting, diarrhea, gastro-intestinal disturbances, abdominal pain,
visual disturbances, apathy, central nervous system depression, anesthetic effect or narcosis,
burns of the mouth, throat, stomach, liver damage, kidney damage, pulmonary edema, loss of
consciousness, respiratory failure, death.
Medical conditions aggravated by exposure : Eye, skin, respiratory disorders, lung disorders,
asthma-like conditions, respiratory disorders.
ORGANIC ZINC-RICH EPOXY PRIMER
HAZARDS IDENTIFICATION
prepared 08/02/04
ICI Paints North America
MATERIAL SAFETY DATA SHEET
Carcinogenicity : The international agency for research on cancer (IARC) has evaluated ethylbenzene and
classified it as a possible human carcinogen (group 2b) based on sufficient evidence for carcinogenicity
in experimental animals, but inadequate evidence for cancer in exposed humans. In a 2 year inhalation
study conducted by the national toxicology program (NTP), ethylbenzene vapor at 750 ppm produced
kidney and testicular tumors in rats and lung and liver tumors in mice. Genetic toxicity studies showed
no genotoxic effects. The relevance of these results to humans is not known.
Reproductive effects : High exposures to xylene in some animal studies, often at maternally toxic levels, have
affected embryo/fetal development. The significance of this finding to humans is not known.
Mutagenicity : Triethylenetetramine has demonstrated weak mutagenic activity in standard in vitro tests, and
has caused embryo- fetal toxicity and fetal malformations when fed to rats. Triethylenetetramine did not
exhibit carcinogenic potential in life-time mouse skin painting studies.
Teratogenicity : No teratogenic effects are anticipated
Physical Data
Product
Code
313B0250
313C0910
ECOLOGICAL INFORMATION
(ANSI Section 12)
No ecological testing has been done by ICI paints on this product as a whole.
DISPOSAL CONSIDERATIONS
(ANSI Section 13)
Waste disposal : Dispose in accordance with all applicable regulations. Avoid discharge to natural waters.
REGULATORY INFORMATION
(ANSI Section 15)
As of the date of this MSDS, all of the components in this product are listed (or are otherwise exempt from
listing) on the TSCA inventory. This product has been classified in accordance with the hazard criteria of the
CPR (controlled products regulations) and the MSDS contains all the information required by the CPR.
(ANSI Sections 1, 9, and 14)
Description
Wt. / Gal.
do not use, use dc313b0250d instead
catha coat 313 organic zinc-rich epoxy primer clear converter
Ingredients
24.77
7.54
VOC
gr. / ltr.
334.95
338.66
% Volatile
by Volume
41.44
41.11
Flash
Point
90 f
110 f
Boiling
Range
244-304
243-304
HMIS
*231
*320
DOT, proper shipping name
paint, 3, UN1263, PGIII
paint, combustible liquid, UN 1263, PGIII
Product Codes with % by Weight (ANSI Section 2)
Chemical Name
benzene, ethyl2-heptanone
1,2,-ethanediamine, n,n'-bis(2-aminoethyl)zinc oxide
benzene, dimethyloxirane,2,2'-(( (1-methylethylidene) bis (4,1-phenyleneoxymethylene) )) bisphenol, 4,4'-(1-methylethylidene)bis-, polymer with 2,2'-((1-methylethylidene)bis (4,1-phenyleneoxymethylene))bis(oxirane)
fatty acids, c18-unsatd., dimers, reaction products with polyethylenepolyamines
1-butanol
zinc
sulfuric acid, barium salt
amine adduct
Chemical Hazard Data
Common Name
ethylbenzene
methyl amyl ketone
triethylenetetramine
zinc oxide
xylene
diglycidyl ether of bisphenol a
epoxy resin
polyamide resin
n-butanol
zinc
barium sulfate
amine adduct
Footnotes:
C=Ceiling - Concentration that
should not be exceeded,
even instantaneously.
Common Name
ethylbenzene
methyl amyl ketone
triethylenetetramine
zinc oxide
xylene
diglycidyl ether of bisphenol a
epoxy resin
polyamide resin
n-butanol
zinc
barium sulfate
amine adduct
CAS. No.
100-41-4
110-43-0
112-24-3
1314-13-2
1330-20-7
1675-54-3
25036-25-3
68410-23-1
71-36-3
7440-66-6
7727-43-7
Sup. Conf.
313B0250
.1-1.0
5-10
313C0910
20-30
1-5
1-5
1-5
1-5
1-5
40-50
10-20
70-80
1-5
10-20
(ANSI Sections 2, 8, 11, and 15)
CAS. No.
100-41-4
110-43-0
112-24-3
1314-13-2
1330-20-7
1675-54-3
25036-25-3
68410-23-1
71-36-3
7440-66-6
7727-43-7
Sup. Conf.
S=Skin - Additional exposure,
over and above airborn exposure,
may result from skin absorption.
ACGIH-TLV
8-Hour TWA
STEL
C
100 ppm
125 ppm
not est.
50 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
2 mg/m3 10 mg/m3
not est.
100 ppm
150 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
20 ppm
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
10 mg/m3
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
n/a=not applicable
not est=not established
CC=CERCLA Chemical
S
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
8-Hour TWA
100 ppm
100 ppm
not est.
5 mg/m3
100 ppm
not est.
not est.
not est.
100 ppm
not est.
5 mg/m3
not est.
ppm=parts per million
mg/m3=milligrams per cubic meter
Sup Conf=Supplier Confidential
Form: 313K, Page 2 of 2, prepared 08/02/04
OSHA-PEL
STEL
C
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S2=Sara Section 302 EHS
S3=Sara Section 313 Chemical
S.R.Std.=Supplier Recommended Standard
S.R.
Std.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
not est.
S2 S3 CC
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
y
n
n
y
y
n
n
n
y
y
n
n
y
n
n
n
y
n
n
n
y
y
n
n
H
y
n
n
n
y
n
n
n
n
n
n
n
M
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
N
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
I
y
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
O
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
n
H=Hazardous Air Pollutant, M=Marine Pollutant
P=Pollutant, S=Severe Pollutant
Carcinogenicity Listed By:
N=NTP, I=IARC, O=OSHA, y=yes, n=no
SEÇÃO 3 - INSTALAÇÃO
GERAL
Esta seção descreve o procedimento recomendado de instalação para a centrífuga DE-1000
GBD da Derrick. A centrífuga é enviada completamente montado. Portanto, para segurança
durante o transporte, o conjunto rotatório é sustentado pelos suportes de transporte. Este deve
ser abaixado até a base e, em seguida os rolamentos pillow blocks principais deve ser presos à
base.
SEGURANÇA
Ler e compreender TODAS as informações de segurança apresentadas neste manual antes de
instalar e operar este equipamento. Consulte a Seção 2 para um resumo dos Avisos
direcionados à instalação, operação e manutenção deste equipamento.
Antes de iniciar a instalação, revise as informações de manipulação do equipamento nesta
seção. De atenção especial às informações relativas aos “pontos de suspensão" e ao uso de
barras de içamento antes de levantar ou mover o equipamento.
Falha em observar a forma adequada de manejo do equipamento pode resultar em serias lesões
ou morte de funcionários e/ou danos ao equipamento.
ATENÇÃO! PARA ASSEGURAR O EQUILÍBRIO E ORIENTAÇÃO
ADEQUADOS E PREVENIR DANOS AOS COMPONENTES QUANDO A
UNIDADE FOR LEVANTADA, SÓ FIXAR AS CORRENTES DE
LEVANTAMENTO NOS PONTOS DE ELEVAÇÃO DESIGNADOS. NÃO
TENTAR A SUSPENÇÃO POR FIXAÇÃO EM NENHUM OUTRO LOCAL.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE O DISPOSITIVO DE SUPORTE TENHA
CAPACIDADE DE LEVANTAMENTO SUFICIENTE PARA COM SEGURANÇA
AGUENTAR O PESO DO EQUIPAMENTO. ABAIXE A CENTRÍFUGA
SUAVEMENTE ATÉ SEU LUGAR, VISTO QUE CHOQUES PODEM CAUSAR
DANOS.
ATENÇÃO! NÃO RETIRAR OS SUPORTES DE TRANPORTE ATÉ QUE A
CENTRÍFUGA ESTEJA POSICIONADA NO LOCAL FINAL DA INSTALAÇÃO.
4 de Maio de 2009
3-1
Centrífuga DE-1000GBD
INSTALAÇÃO
SEQUÊNCIA DE INSTALAÇÃO
A seguir a sequência de passos para a instalação da centrífuga. A sequência de apresentadas
pode variar, dependendo das instalações do utilizador e da experiência anterior com esse tipo de
equipamento.
1. Ler e compreender TODAS as informações de segurança na seção 2 antes de instalar e
operar este equipamento.
2. Posicione e nivele o equipamento no local da instalação.
3. Remover os componentes de transporte, e baixar e fixar o conjunto rotativo na base.
4. Ajuste a correia motriz.
5. Ligue a linha de descarga de líquido.
6. Se o duto de descarga deve ser utilizado, conecte-o à calha de descarga de sólidos.
7. Instale o tubo de alimentação, e conecte a linha de alimentação flexível no tubo de
alimentação.
8. Conecte o fornecimento de energia elétrica no equipamento, e conecte a bomba de
alimentação ao circuito de controle da centrífuga.
9. Consulte a Seção 4 - Instruções de Operação para procedimentos de inicialização e
funcionamento.
REQUISITOS DE PREPARAÇÃO DO LOCAL E ESPAÇO LIVRE
Antes da colocação do equipamento, verificar se a eletricidade está disponível no local do
equipamento e que a linha de alimentação e a calha de descarga (se houver) foram fornecidas.
Também se certifique que a área livre ao redor do equipamento seja adequada. Preparar o local
de instalação da seguinte forma:
1. Disponibilize área livre adequada para realizar as seguintes atividades:
a. Opere os controles no painel elétrico
b. Abrir e fechar a tampa superior.
c. Lubrificar os rolamentos principais e da caixa de engrenagem.
d. Verifique a caixa de engrenagens e os níveis de óleo da embreagem propulsora.
e. Conectar e desconectar as linhas de alimentação e de descarga.
2. Confirmar que a estrutura de montagem está posicionada corretamente e adequadamente
para suportar o peso da centrífuga.
3. Verifique se o fornecimento de energia elétrica disponível no local corresponde às exigências
da centrifuga.
4. Verifique se a flange da linha de descarga de liquido é compatível com a conexão de
descarga de líquidos na maquina.
3-2
04 de Maio de 2009
INSTALAÇÃO
MANIPULAÇÃO DO EQUIPAMENTO
ATENÇÃO! USE BARRAS ESPAÇADORAS PARA PREVENIR DANOS AO
LEVANTAR O EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! PARA ASSEGURAR O EQUILÍBRIO E ORIENTAÇÃO
ADEQUADOS QUANDO A UNIDADE FOR LEVANTADA E PREVENIR DANOS
AOS COMPONENTES, SÓ FIXAR AS CORRENTES DE LEVANTAMENTO NOS
PONTOS DE ELEVAÇÃO DESIGNADOS. NÃO TENTAR A SUSPENÇÃO POR
FIXAÇÃO EM NENHUM OUTRO LOCAL.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE O DISPOSITIVO DE SUPORTE TENHA
CAPACIDADE DE LEVANTAMENTO SUFICIENTE PARA COM SEGURANÇA
AGUENTAR O PESO DO EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! NÃO RETIRAR OS SUPORTES DE TRANPORTE ATÉ QUE O
EQUIPAMENTO ESTEJA POSICIONADO NO LOCAL FINAL DA INSTALAÇÃO.
ATENÇÃO! AO USAR UM DISPOSITIVO DE ELEVAÇÃO DE CARGA, USE
TODOS OS QUATRO PONTOS DE LEVANTAMENTO FORNECIDOS.
A centrífuga é enviada completamente montada e instalada em um estrado de transporte. A
etiqueta que indica o peso da unidade é fixada na máquina. Consulte o desenho de arranjo geral
na secção 8 para peso do equipamento e outros dados técnicos.
Enquanto a centrífuga ainda está montado no estrado de transporte, ela pode ser transportada
no solo usando uma empilhadeira. Depois que a máquina for removida do estrado de transporte,
um dispositivo de elevação de carga é necessário.
Quatro alças de suspensão reforçadas são incorporadas à estrutura do equipamento para
permitir a fixação de um dispositivo de elevação de carga (Figura 3-1). Pontos de suspensão são
marcados com “SÓ SUSPENDER POR AQUI”. NÃO tente suspender o equipamento por
anexação de estropos ou auxiliares de elevação similares no motor de acionamento elétrico ou
outra parte não designada da unidade. A utilização de barras espaçadoras é recomendada.
4 de Maio de 2009
3-3
Centrífuga DE-1000GBD
INSTALAÇÃO
Figura 3-1 Esquema de Elevação
POSICIONAMENTO E NIVELAMENTO DO EQUIPAMENTO
A centrífuga deve estar bem nivelada para um funcionamento satisfatório. O equipamento deve
ser nivelado por todo o comprimento e largura da unidade (Figura 3-2). Um nivelador 2-foot ou
torpedo nível é recomendado. Calços não compressíveis devem ser usados, caso seja
necessário, para o nivelamento da máquina.
Figura 3-2 Nivelamento da Centrífuga
DESCIDA E FIXAÇÃO DE CONJUNTO ROTATIVO
Note! Guarde os suportes de transporte que apóiam o conjunto rotativo após a
remoção. Os suportes devem ser reinstalados sempre que a máquina for
movida, visto que evitam danos aos rolamentos do conjunto rotativo durante o
transporte.
3-4
04 de Maio de 2009
INSTALAÇÃO
Os suportes de transporte evitam danos aos rolamentos durante o transporte, e as tiras de
borracha protegem as superfícies de montagem do pillow block. Após o posicionamento e
nivelamento final da centrífuga, os suportes de transporte e tampas devem ser removidos e o
conjunto rotativo fixado à base.
Cada componente de transporte é etiquetado DESCONECTE ANTES DE INICIALIZAR. Para
remover os componentes de transporte, faça o seguinte:
1. Remova o protetor da correia e o protetor da caixa de engrenagens.
2. Usando um guindaste de 1-tonelada, eleve o conjunto rotativo lentamente e niveladamente
até cerca de 5".
3. Remova os suportes de transporte sob o conjunto rotativo.
4. Retire as tiras de borracha de transporte sob o conjunto rotativo e rolamentos pillow block
(Figura 3-3).
5. Usando um solvente adequado, limpe as superfícies de montagem do pillow block e furos de
alinhamento. Verifique e remova quaisquer entalhes ou rebarbas.
6. Lentamente abaixe o conjunto rotativo até a base de contato do pillow block, mas o mantenha
suportado pelo guindaste.
7. Aplique composto antiaderente nos parafusos do pillow block e pinos de alinhamento afilados
e insira através de pillow blocks. Bata os pinos de alinhamento no lugar.
8. Aperte os parafusos do pillow block e solte o guindaste. Aperte os parafusos do pillow block
de acordo com a especificação de torque aplicável encontrada na Seção 5.
9. Ajuste as portas efluentes, se necessário, da configuração de fábrica de 3.4.
10. Feche a tampa do invólucro e uniformemente aperte todos os parafusos de cobertura
sequencialmente começando no centro e se deslocando em direção às extremidades.
11. Gire manualmente o recipiente para confirmar que nenhuma ligação ou esfregão está
presente.
Figura 3-3 Localização dos Componentes de Transporte
4 de Maio de 2009
3-5
Centrífuga DE-1000GBD
INSTALAÇÃO
12. Ajuste a tensão das correias motrizes de acordo com a Manutenção Preventiva na Seção 5.
13. Instale o protetor das correias e o protetor da caixa de engrenagem.
CONEXÕES DE ALIMENTAÇÃO E DESCARGA
Para o isolamento de vibração, uma linha flexível deve ser conectada ao tubo de alimentação.
Uma fonte de água fresca é necessária para um enxague na centrífuga antes de desliga-la. Para
conectar a linha de enxague, instale uma conexão em T na linha de alimentação com válvulas de
corte para permitir a seleção ou da linha de alimentação ou da linha de enxague (Figura 3-4). As
válvulas de fechamento são necessárias para evitar que a água de enxague retorne à
alimentação da centrífuga.
Se uma linha de descarga de líquidos (fornecido pelo cliente) é usada, uma linha flexível é
necessária para o isolamento de vibração. Visto que o bolo descartado é muito pesado e viscoso
por causa da falta de líquido livre, a centrífuga deve ser instalada sobre o recipiente que vai
receber os sólidos descartados. Se isso não for possível, um escorregador ou calha é necessário
para transportar os sólidos. Um ângulo de pelo menos 45 graus é necessário para garantir a
auto-limpeza, ou um sistema de lavagem deve ser fornecido para evitar acúmulo de material.
BOMBA DE ALIMENTAÇÃO
O cliente deve fornecer uma bomba de alimentação de deslocamento positivo de até 15HP para
alimentar a centrífuga com lama. A bomba deve ser conectada ao sistema de controle elétrico da
centrífuga, conforme descrito neste documento para que o seu funcionamento possa ser
controlado pela centrífuga.
Figura 3-4 Conexões de Alimentação e enxague
CONEXÕES DE FORÇA ELÉTRICA
Alimentação elétrica trifásica e conexões de aterramento são necessárias. Além disso, a bomba
alimentação do cliente deve ser ligada ao circuito de controle da centrífuga. Todas as outras
ligações foram feitas na fábrica. Ligue a fonte de alimentação elétrica trifásica das instalações e a
bomba de alimentação do cliente na caixa de conexões de acordo com a Figura 3-5. Consulte os
diagramas elétricos na seção 8 para obter ajuda e informações adicionais sobre as conexões
elétricas.
3-6
04 de Maio de 2009
INSTALAÇÃO
A potência de entrada para a centrífuga é trifásica de 50 ou 60 Hz fornecida na tensão definida
pelo cliente. O motor de acionamento não é bivolt e deve ser operado na tensão projetada.
Para obter as especificações do motor, consulte a Seção 7.
ATENÇÃO! O MOTOR DE ACIONAMENTO DEVE SER OPERADO NA
VOLTAGEM DE FORNECIMENTO DESIGNADA.
ATENÇÃO! ALTA TENSÃO PODE ESTAR PRESENTE. TENHA CERTEZA QUE
O FUSÍVEL QUE DISCONECTA O FORNECIMENTO DE ENERGIA ELETRICA
DESTE EQUIPAMENTO ESTÁ ABERTO. BLOQUEI E ETIQUETE (LOTO) O
SUPRIMENTO DE ENERGIA PARA PREVENIR APLICAÇÃO ACIDENTAL DE
ENERGIA ENQUANTO CONEXÕES ELETRICAS SÃO FEITAS.
ATENÇÃO! CONEXÕES ELÉTRICAS DEVEM SER FEITAS DE ACORDO COM
O CÓDIGO ELÉTRICO NACIONAL (NEC) E TODOS OS CÓDIGOS LOCAIS
APLICÁVEIS. FALHA NO CUMPRIMENTO PODE RESULTAR NUMA
CONDIÇÃO PERIGOSA QUE PODERIA MACHUCAR ALGUEM OU DANIFICA
O EQUIPAMENTO. ASSEGURAR-SE QUE TODAS AS CONEXÕES
ELÉTRICAS E DE CONDUITES ESTÃO SEGURAS.
Figura 3-5 Energia Elétrica e Conexões de Bomba de Alimentação
4 de Maio de 2009
3-7
Centrífuga DE-1000GBD
INSTALAÇÃO
Uma fonte de alimentação primaria desconectada por fusível é necessário para este
equipamento. A fonte de alimentação primaria desconectada por um fusível e os cabos de
interligação com o equipamento devem ser de tamanho adequado e em conformidade com o
Código Elétrico Nacional (NEC) e todas as normas estaduais e municipais aplicáveis.
Os requisitos adicionais de cabeamento são os seguintes:
1. O dispositivo de desconexão por fusível deve ter capacidade de interrupção suficiente para
segurar a falta máxima de capacidade de corrente do sistema de abastecimento de energia.
2. A ligação GND na caixa de conexão de alimentação elétrica deve ser conectada a um terreno
conhecido.
3. As conexões da bomba de alimentação são feitas nos terminais na caixa de conexões, como
mostrado. A ignição da bomba de alimentação pode operar um motor de acionamento de
bomba de alimentação de até 15HP.
INICIALIZAÇÃO DE MÁQUINA
Consulte a Seção 4 para a primeira inicialização e procedimentos de operação para a centrífuga.
ATENÇÃO! NÃO TENTE OPERAR A MÁQUINA COM COMPONENTES DE
TRANSPORTE INSTALADOS.
3-8
04 de Maio de 2009
SEÇÃO 4 - INSTRUÇÕES OPERACIONAIS
GERAL
Esta seção inclui primeira inicialização e inicialização normal, operação, encerramento e
procedimentos de emergência para o desligamento da centrífuga. Estes procedimentos são para
uso apenas por pessoal treinado qualificado para operar equipamento de alta velocidade de
rotação.
SEGURANÇA OPERACIONAL
ATENÇÃO! TODOS OS FUNCIONARIOS DE OPERAÇÃO E DE MANUTENÇÃO
DEVE LER E ENTENDER TODAS AS INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA
DESTE MANUAL ANTES DE TRABALHAR COM O EQUIPAMENTO.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE TODAS AS TAMPAS ESTÃO FECHADAS E
SEGURAS E TODOS OS FUNCIONÁRIOS FORAM REMOVIDO ANTES DA
MÁQUINA COMEÇAR A FUNCIONAR.
ATENÇÃO! ASSEGURE-SE QUE TODOS OS SUPORTES DE TRANSPORTE
FORAM RETIRADOS E OS ROLAMENTOS PILLOW BLOCKS ESTÃO
DEVIDAMENTE APERTADOS.
ATENÇÃO! SEMPRE PERMITA QUE A MÁQUINA DESACELERE ATÉ UMA
PARADA COMPLETA ANTES DE ABRIR A TAMPA SUPERIOR OU REMOVER
OS PROTETORES.
ATENÇÃO! NÃO OPERAR A CENTRÍFUGA SE ELA DESENVOLVER
BARULHO OU VIBRAÇÃO EXCESSIVA. SEMPRE CONFIRME QUE O
INTERRUPTOR DE VIBRAÇÃO E OUTROS DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA
ESTÃO FUNCIONANDO.
PRIMEIRA INICIALIZAÇÃO
Execute o procedimento de Primeira Inicialização quando a máquina estiver sendo iniciada pela
primeira vez ou depois que a máquina for retirada de serviço por um período prolongado.
Antes de iniciar o procedimento, verifique o seguinte:
1. Todas as ferramentas, documentos e componentes de transporte foram removidos e não
existem obstáculos para a operação.
2. Todo o pessoal está longe do equipamento.
4 de Maio de 2009
4-1
Centrífuga DE-1000GBD
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
PROCESSO DE PRIMEIRA INICIALIZAÇÃO
Passo
Procedimento
1
Confirme que todos os funcionários de operação e manutenção leram e
compreenderam todas as informações sobre o funcionamento e segurança na Seção
2.
2
Verifique se o equipamento foi instalado corretamente, todos os suportes de
transporte foram removidos e os rolamentos pillow block foram apertados com o
torque especificado.
3
Verifique se os serviços e utilitários estão disponíveis no local da instalação.
4
Verifique se a tampa está fechada, todos os parafusos estão bem apertados e todas
as proteções estão no local.
5
Iniciar centrífuga de acordo com procedimento de Inicialização Normal abaixo.
INICIALIZAÇÃO NORMAL
O procedimento a seguir deve ser realizado a cada inicialização da máquina:
PROCESSO DE INICIALIZAÇÃO NORMAL
Passo
Procedimento
1
Verifique se a tampa está fechada, todos os parafusos estão bem apertados e todas
as proteções estão no local.
2
Gire o conjunto do recipiente manualmente para verificar se o conjunto rotativo gira
livremente e nenhum atrito é sentido.
3
Verifique se todos os funcionários estão longe da centrífuga e todas as proteções
estão nos seus locais antes de fornecer energia elétrica para o equipamento.
4
Pressione LIGAR CENTRÍFUGA para iniciar o motor de acionamento da centrífuga.
Confirme que o transportador está girando no sentido anti-horário olhando em
direção à extremidade superior do recipiente de líquidos.
5
Pressione o botão LIGAR BOMBA para iniciar a bomba de alimentação e lentamente
introduzir alimentação à centrífuga.
OPERAÇÃO
Monitore as descargas de líquido e sólido continuamente para determinar o status de
funcionamento da centrífuga. Tomar medidas corretivas se for detectada alguma anomalia, como
descarga de sólidos insuficiente e/ou repetitivo acionamento da embreagem de lançamento de
sobrecarga. Perceba que qualquer mudança na taxa de alimentação ou ajuste de profundidade
do poço não irá produzir uma resposta imediata da centrifugação. Pode demorar uma ou mais
horas de operação contínua antes de uma mudança aparece na descarda de líquidos e/ou
sólidos. Monitorar continuamente o estado de alimentação e descarga dos líquidos e sólidos para
detectar qualquer tendência de sobrecarga do transportador, que podem provocar o acionamento
da embreagem de lançamento de sobrecarga.
4-2
4 de Maio de 2009
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
Os seguintes parâmetros afetam a operação da centrífuga:
 Taxa de alimentação
 Profundidade do poço
 Velocidade do reservatório
 Velocidade do transportador contínuo
A taxa de alimentação e profundidade do poço deve ser ajustada, se necessário, para otimizar a
operação da centrífuga e evitar o acionamento do conjunto de lançamento de sobrecarga.
Tropeços indicam que o transportador está ficando sobrecarregado na movimentação de sólidos.
A velocidade do transportador é fixada pela taxa de redução da caixa de engrenagens e varia
diretamente com a velocidade do recipiente. Consequentemente, a alteração do diâmetro da
polia do motor altera tanto a velocidade do recipiente quanto a velocidade correspondente do
transportador, um grande diâmetro aumenta a velocidade do recipiente, enquanto um menor
diâmetro reduz a velocidade. A polia do motor deve ser alterada somente após os ajustes da taxa
de alimentação e profundidade do poço tenham sido malsucedidos na obtenção do desempenho
satisfatório da centrífuga.
Mudar a taxa de alimentação e/ou a profundidade do poço pode produzir a clareza do efluente
líquido ou a aridez de sólidos desejados. A taxa de alimentação pode ser alterada quando a
centrífuga estiver operando, mas a profundidade da lagoa só pode ser ajustada com a centrífuga
desligada, e bloqueada e etiquetada (LOTO).
A velocidade diferencial da velocidade entre o recipiente e o transportador de líquidos pode ser
mudada apenas pela substituição da caixa de engrenagens. Duas proporções para caixa de
engrenagens estão disponíveis: 52:1 e 125:1. A mudança da caixa de engrenagens para a
proporção alternativa deve ser feita somente após as outras opções terem sido mal sucedidas
na obtenção de um funcionamento satisfatório da centrífuga, e após consulta ao departamento
de Serviço Derrick.
AJUSTE DA TAXA DE ALIMENTAÇÃO
Se a lama/pasta for fina, aumentar a taxa de alimentação pode permitir uma maior taxa de
processamento. No entanto, como a taxa de alimentação é aumentada, o operador deve verificar
se o transportador está se movendo com o volume dos sólidos aumentado. A taxa de
alimentação deve ser reduzida se a embreagem de lançamento de sobrecarga for acionada
repetidamente.
AJUSTE DE PROFUNDIDADE DO POÇO
A profundidade do poço só pode ser ajustada com a centrífuga totalmente parada e bloqueada e
etiquetada (LOTO). Por esta razão, a profundidade do poço é normalmente ajustada depois da
taxa de alimentação ser ajustada. A definição de fabrica da profundidade do poço em 3.4 é
geralmente satisfatória quando utilizada em conjunto com o ajuste da taxa de alimentação. No
entanto, se os resultados desejados não podem ser alcançados por ajuste na taxa de
alimentação, mudar a profundidade do poço pode ajudar.
Quatro portas de efluente ajustáveis (Figura 4-1) na parte superior do recipiente de líquidos são
utilizadas para ajustar a profundidade do poço, todas as portas devem ser ajustadas igualmente.
Uma profundidade maior do poço aumenta o tempo de assentamento, permitindo que mais
líquido permaneça no recipiente. No entanto, uma profundidade maior do poço também reduz a
área da praia na extremidade de descarga de sólidos do recipiente, que irá resultar em uma
descarga de sólidos mais úmidos.
4 de Maio de 2009
4-3
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
Para ajustar a profundidade do poço, faça o seguinte:
ATENÇÃO! NÃO ABRA A TAMPA OU TENTE QUALQUER AJUSTE OU
MANUTENÇÃO NA CENTRÍFUGA A MENOS QUE O RECIPIENTE ESTEJA
COMPLETAMENTE PARADO.
1. Desligue, bloqueie e etiquete (LOTO) a centrífuga usando o procedimento de Desligamento
Normal descrito posteriormente nesta seção.
2. Abra a tampa do invólucro.
3. Solte três parafusos que fixam o anel de montagem da parte superiora do recipiente de
líquidos, gire a porta de efluentes até que a configuração desejada esteja posicionada na
marca de alinhamento e aperte os parafusos. Todas as quatro portas de efluentes devem ser
definidas para a mesma posição.
4. Feche a tampa do invólucro depois de completar os ajustes.
Figura 4-1 Ajustes das Portas de Efluentes
AJUSTES DA VELOCIDADE DO RECIPIENTE E DO TRANSPORTADOR
A velocidade do recipiente só pode ser alterada por substituição da polia do motor. Como a
velocidade do transportador é diretamente proporcional à velocidade do recipiente, o aumento da
velocidade do recipiente também aumentará a velocidade do transportador. A tabela anexada
lista as polias do motor disponíveis, as velocidades do recipiente correspondente, e tamanho
adequado das correias motrizes. Quanto mais rápida a velocidade do recipiente, mais rápido os
sólidos são transportados para fora da centrífuga, mas o processamento mais rápido resulta na
descarga de sólidos úmidos. Para reduzir a umidade, a lama/pasta deve permanecer no
recipiente por mais tempo, submetendo-a ao processo determinado por um maior período antes
de ser transportada para fora da descarga de sólidos. Por outro lado, reduzir a velocidade do
recipiente pode ser adequado quando a lama for grossa e pesada para, assim maximizar a
extração de líquido.
4-4
4 de Maio de 2009
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
Como mudar a velocidade do recipiente exige a desmontagem parcial da centrífuga, só deve ser
feita após os ajustes da taxa de alimentação e profundidade da poça não produzirem os
resultados desejados. Consulte a Seção 5 para procedimentos de instalação e de remoção de
polias.
TAXAS DA CAIXA DE ENGRENAGENS
Um diâmetro da polia do motor maior aumenta a velocidade do recipiente, mas reduz o torque.
Portanto, para proporcionar o torque adequado, a taxa de alimentação pode ter que ser reduzida
ou a caixa de engrenagens alterada para uma proporção mais elevada. Por exemplo, se uma
caixa de engrenagens de 125:1 for substituída por uma caixa de engrenagens de proporção 52:1,
a taxa de alimentação deve ser reduzida em 10 por cento para evitar sobrecarregar a centrífuga.
Como a substituição da caixa de engrenagens é uma alteração importante, a mesma só deve ser
considerada após todas as outras opções terem sido incapazes de produzir resultados
satisfatórios e após a consulta do departamento de Serviço Derrick.
AJUSTE DE TORQUE DE EMBREAGEM DE LANÇAMENTO DE
SOBRECARGA
Frequente acionamento de sobrecarga que não possa ser corrigido pela taxa de alimentação
e/ou ajustes de profundidade do poço pode ser devido a uma incorreta configuração de torque do
conjunto de lançamento de sobrecarga. Para verificar e ajustar o torque do conjunto de
lançamento de sobrecarga consulte a seção 5.
Correias Motrizes e Polias do Motor da Centrífuga DE-1000 GBD
Diâmetro da Polia
Velocidade do
Recipiente (RPM)
Nº da Peça da Polia
Nº da peça da
Correia
8".
2450
10603-00
5G3V1000
9".
2750
10603-05
5G3V1000
9,9".
3000
10603-01
5G3V1000
10,6".
3225
10603-02
5G3V1000
11,1".
3400
10603-06
5G3V1060
11,5".
3500
10603-03
5G3V1060
13,1".
4000
10603-04
5G3V1060
8".
2000
10603-00
5G3V1000
9".
2250
10603-05
5G3V1000
9,9".
2450
10603-01
5G3V1000
10,6".
2600
10603-02
5G3V1000
11,1".
2750
10603-06
5G3V1060
11,5".
2850
10603-03
5G3V1060
13,1".
3250
10603-04
5G3V1060
Motor de 60 Hz
Motor de 50 Hz
4 de Maio de 2009
4-5
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
DESLIGAMENTOS AUTOMÁTICOS
A centrífuga foi construída com recursos de segurança para proteger o equipamento. Esses
recursos irão resultar em desligamento automático da centrífuga antes que ocorram danos. Os
parágrafos seguintes descrevem estes desligamentos automáticos.
Vibração Excessiva
Um nível de vibração de 2Gs fará com que o interruptor de vibração interrompa a energia elétrica
para o relé de execução da centrífuga, desligando a máquina. Vibração excessiva como essa
pode ocorrer durante a inicialização ou o funcionamento normal devido à queda de um paredão
formado pelo bolo ou outra condição desequilibrada do recipiente. A máquina poderá ser
reiniciada pressionando o botão restaurar do interruptor de vibração e, em seguida, usando o
procedimento de Inicialização Normal.
Se ocorrer um falso acionamento durante a inicialização normal, o botão de restaurar pode ser
mantido pressionado até a velocidade máxima ser atingida.
Sobrecargas Térmicas
Sobrecargas térmicas protegem os circuitos que fornecem energia elétrica para o motor de
acionamento da centrífuga e o motor da bomba de alimentação. Em caso de consumo excessivo
de corrente através do circuito de acionamento do motor da centrífuga, a sobrecarga térmica
desativa o relé de execução da centrífuga e desliga o motor. Consumo excessivo de corrente
através do circuito de acionamento da bomba ativa a sobrecarga térmica, que de-energiza o relé
de acionamento da bomba para desativar o motor da bomba de alimentação. Para reiniciar a
centrífuga após desligamento devido a uma sobrecarga térmica, elimine a causa do consumo de
corrente excessiva, pressione ambos os botões de RESTAURAR e em seguida reinicie a
máquina com o procedimento de Inicialização Normal.
Super-Aquecimento do Motor
Se a temperatura alta é sentida pelo termopar embutido no enrolamento do motor de
acionamento, o interruptor de superaquecimento do motor no enrolamento do motor abre,
desativando o relé de execução da centrífuga desligando o motor. Para reiniciar a centrífuga,
espere o motor esfriar, inspecione e remova a causa do excesso de temperatura e então re-inicie
a máquina usando a Inicialização Normal.
Excesso de Torque do Transportador
Se excessivo torque do transportador (335 pol-lb para caixa de engrenagens de 52:1, 200 pol-lb
para caixa de engrenagens de 125:1) for desenvolvido, a embreagem de lançamento de
sobrecarga desengata o transportador da caixa de engrenagens. Simultaneamente, os contatos
normalmente fechados do interruptor de limite de excesso de torque são abertos pelo braço do
rolete de lançamento de sobrecarga, interrompendo a alimentação do motor de acionamento e
do motor da bomba de alimentação. Depois de um lançamento, a embreagem deve ser
restaurada manualmente (consulte a seção 5) antes da centrífuga poder voltar a suas operações.
DESLIGAMENTO NORMAL
O procedimento de desligamento normal deve ser usado para uma parada de operação
controlada. O desligamento normal é executado para as atividades de rotina, tais como a
limpeza, lubrificação, inspeção ou ajuste.
4-6
4 de Maio de 2009
INTRUÇÕES OPERACIONAIS
ATENÇÃO! A CENTRÍFUGA DEVE SER DESCARGADA COMPLETAMENTE NO
FIM DO DIA. A MENOS QUE SEJA LAVADO, O MATERIAL PROCESSADO IRÁ
RESSECAR, CAUSANDO GRAVES DESNÍVEIS DE EQUILIBRIO. QUANDO
REINICIADA A CENTRÍFUGA PRODUZIRÁ GRAVES VIBRAÇÕES
RESULTANDO EM DESLIGAMENTO AUTOMÁTICO.
PROCESSO DE DESLIGAMENTO NORMAL
Passo
Procedimento
1
Pressione o botão BOMBA DESLIGADA para interromper a alimentação da
centrífuga.
2
Se o desligamento se estender por várias horas (como ao final do dia), dê descarga
na centrífuga com um líquido para limpar por 2 a 3 minutos. A MENOS QUE SEJA
ELIMINADO POR DESCARGA O MATERIAL PROCESSADO IRÁ RESSECAR,
CAUSANDO UMA GRAVE CONDIÇÃO DE DESNÍVEL DE EQUILIBRIO.
3
Pressione o botão DESLIGAR CENTRÍFUGA para desligar a energia elétrica da
centrífuga. Desligue o suprimento de energia elétrica da máquina..
4
Bloquei e Etiquete (LOTO) a máquina.
DESLIGAMENTO DE EMERGÊNCIA
Para interromper imediatamente a centrífuga em caso de emergência, desligue o suprimento de
energia elétrica da máquina.
4 de Maio de 2009
4-7
SEÇÃO 5 - MANUTENÇÃO
GERAL
Esta seção descreve os procedimentos preventivos e de manutenção corretiva da centrífuga DE1000 GBD. Procedimentos óbvios foram omitidos. Antes de inicializar qualquer manutenção da
centrífuga, desligar, bloquear (LO), e etiquetar (TO) o equipamento.
ATENÇÃO! ALTA TENSÃO PODE ESTAR PRESENTE. SEMPRE ABRA O
FUSÍVEL QUE DESCONECTA O FORNECIMENTO DE ELETRICIDADE AO
EQUIPAMENTO, E FECHE E DESLIGUE O SUPRIMENTO DE ENERGIA ANTES
DE EXECUTAR QUALQUER PROCEDIMENTO DE MANUTENÇÃO.
ATENÇÃO! A FALHA NO USO DE ÓCULOS DE SEGURANÇA PODE
RESULTAR EM LESÃO SÉRIA NO OLHO OU PERDA PERMANENTE DA
VISÃO. OS ÓCULOS DE SEGURANÇA DEVEM SER USADOS SEMPRE QUE
QUALQUER PROCEDIMENTO DE MANUTENÇÃO FOR EXECUTADO.
MANUTENÇÃO PREVENTIVA
A manutenção preventiva consiste em inspeção, limpeza e lubrificação. Estes procedimentos de
rotina vão garantir máxima vida útil e operação livre de problemas. Enquanto a programação de
manutenção apresentada nesta seção deve ser flexível, as modificações devem ser baseadas na
experiência de operação do equipamento em suas instalações. Um registo de manutenção deve
ser mantido para ajudar a estabelecer um cronograma de manutenção preventiva, bem como
monitorar e ajustar o cronograma conforme necessário durante a vida útil do equipamento.
Considere os seguintes fatores ao estabelecer um cronograma de manutenção preventiva:
 Ciclo de serviço
 Temperatura ambiente
 Ambiente Operacional
O cronograma de manutenção preventiva recomendado é apresentado na tabela abaixo.
Consulte a tabela de lubrificação na página seguinte para lubrificantes aplicáveis e as
quantidades.
CRONOGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA
Ação
Frequência
Verifique se há vazamentos nas conexões do tubo de alimentação e
aperte os grampos das conexões conforme necessário.
A cada turno
Inspecione se há vazamentos nas conexões de descarga de líquidos.
Aperte a ligação e/ou adicione silicone selante para evitar vazamentos.
A cada turno
Engraxe os rolamentos do conjunto rotativo (Figura 5-1).
Uma tiragem por
turno
Remova o tubo de alimentação, limpe o interior do tubo, e reinstale.
Semanalmente
31 de Março de 2010
5-1
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
MANUTENÇÃO PREVENTIVA (CONT.)
PROGRAMAÇÃO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA
Ação
Frequência
Verifique o nível de fluido da caixa de engrenagem com o dispositivo de
recarga na posição 12 horas.
A cada 2 semanas
Verifique o nível do acoplamento de fluido (Figura 5-2).
A cada 2 semanas
Verifique as partes interiores e exteriores do gabinete procurando por
sólidos acumulados e limpe se necessário.
Semanalmente
Limpe os rolamento do transportador com enxague com água de água.
A cada 2 semanas
Remova a cobertura da correia, examine a correia para danos, e
verifique/ajuste a tensão.
Mensalmente
Remova e limpe as tampas do defletor.
Mensalmente
Verifique as definições de torque da embreagem de lançamento de
sobrecarga.
A cada 250 horas
Engraxe a embreagem de lançamento de sobrecarga.
A cada 1000 horas
5-2
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
Figura 5-1 Pontos de Lubrificação do Conjunto Rotativo
NÍVEL DE ÓLEO DO ACOPLAMENTO DE FLUIDOS
A reposição do óleo de acoplamento de fluidos normalmente não é necessária. Se o nível do
óleo for considerado baixo, inspecione a unidade em busca de vazamento no plugue fusível e ao
redor do dispositivo de recarga. Lacre novamente e aperte o dispositivo de recarga se o plugue
estiver vazando. Se vazamento for detectado no plugue fusível ou em outra área, contate o
departamento de Serviços Derrick para obter assistência.
Para verificar o nível de óleo no acoplamento de fluidos, faça o seguinte:
1. Gire o acoplamento até que o número "2" no alojamento esteja na posição das 12 horas
(Figura 5-2).
2. Folgue e retire o dispositivo de recarga. Se o nível estiver baixo, entre em contato com o
departamento de Serviços Derrick para obter assistência na determinação e correção da
fonte de vazamento antes de voltar a encher.
31 de Março de 2010
5-3
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
3. Depois de corrigir a causa do vazamento, gire o acoplamento até o número "2" estar na
posição 12 horas e adicione uma quantidade suficiente do óleo apropriado (ver Gráfico de
Lubrificantes na página seguinte) para elevar o nível até a abertura de preenchimento.
4. Após a confirmação de que o nível chegou até a abertura de preenchimento, instale e aperte
o dispositivo de recarga.
Figura 5-2 Verificação e Preenchimento do Acoplamento de Fluidos
5-4
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
LUBRIFICANTES APROVADOS
O gráfico de lubrificantes abaixo lista os lubrificantes aprovadores pela Derrick para a centrífuga.
LUBRIFICANTES APROVADOS PELA DERRICK - CENTRÍFUGA DE-1000 GBD
Fabricante
Produto
Uso
Quantidade
Temp
ÓLEOS
Chevron
GST ISO 32
Acoplamento de
Fluido
112 Oz. (3.3 L)
Padrão
Mobil
Synthetic SHC 626
Acoplamento de
Fluido
112 Oz. (3.3 L)
Ártico
Texaco
Meropa 320
Caixa de
Engrenagem
80 O z. (2.4 L)
Padrão
Mobil
SHC 220
Caixa de
Engrenagem
80 O z. (2.4 L)
Árticos
GRAXAS
Chevron
SRI NLGI 2 SRI-2
Rolamentos
Principais & do
transportador
A/R
Padrão
Shell
Aeroshell 14
Rolamentos
Principais & do
transportador
A/R
Ártico
Centrilube
1000 (Nyogel 760D)
Só Rolamentos
Principais
A/R
4000 RPM
Mobil
FM 102 (Grau
Alimentício)
Só Rolamentos do
Transportador
A/R
Padrão
SUBSTITUIÇÃO DA CORREIA MOTRIZ
A correia motriz deve ser substituída se a inspeção revelar danos ou deterioração. Para substituir
a correia, faça o seguinte:
1. Folgue os parafusos que fixam a braçadeira do tubo de alimentação e deslize o tubo de
alimentação para fora.
2. Solte as travas e remova a proteção da correia que cobri as polias e acoplamento de fluidos.
3. Folgue/solte as porcas de travamento que prendem os pés do motor de acionamento do
recipiente à base (Figura 5-3), gire os parafusos de ajuste no sentido anti-horário para
afrouxar a correia e então remova a correia das roldanas.
4. Verifique o alinhamento paralelo das polias utilizando a extremidade reta. Ajuste a(s)
posição(ões) da(s) polia(s) para atingir um alinhamento paralelo de aproximadamente 0,0156
polegadas.
31 de Março de 2010
5-5
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
5. Instale uma nova correia no motor de acionamento e nas polias do conjunto do recipiente.
Figura 5-3 Tencionamento da Correia Motriz
6. Aperte os parafusos de ajuste da montagem do motor para aplicar tensão à correia suficiente
para permitir uma deformação de 5/8” com 20 lb de pressão exercida no ponto médio da
correia. Depois da tensão correta ser definida, aperte os parafusos de montagem do motor.
7. Instale a proteção das correias e trave no lugar.
8. Insira os tubos de alimentação no apoio de tubo de alimentação até o ombro entrar em
contato completamente com o apoio e aperte os parafusos até a especificação listada em
Especificações de Torque de Materiais mais a frente nesta seção.
MANUTENÇÃO DO CONJUNTO ROTATIVO
A manutenção do conjunto rotativo requer desmontagem e só pode ser realizada com o conjunto
fora do invólucro. Após a remoção de dentro do invólucro, o conjunto rotativo é orientado com a
extremidade de sólidos para baixo e colocado na plataforma de apoio para facilitar a remoção da
extremidade superior do recipiente de líquidos e transportador. Os parágrafos a seguir
descrevem os procedimentos de manutenção para o conjunto rotativo.
Remoção e Desmontagem
1. Desligue, bloqueie (LO) e etiquete (TO) energia elétrica para a centrífuga.
ATENÇÃO! SEMPRE PERMITA QUE A MÁQUINA DESACELERE ATÉ UMA
PARADA COMPLETA ANTES DE ABRIR A TAMPA SUPERIOR OU REMOVER
OS PROTETORES.
2. Após o conjunto do recipiente ter parado completamente, folgue os parafusos que fixam a
tampa do invólucro até que os parafusos se soltem do invólucro inferior e levante a tampa.
3. Retire o tubo de alimentação e a correia motriz.
5-6
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
4. Remova a tampa superior do gabinete da caixa de engrenagem.
5. Retire a caixa de engrenagem do seguinte modo:
a. Remova seis parafusos que fixam a caixa de engrenagem (Figura 5-4) ao flange.
b. Instale dois parafusos jack de 3/8"-16 nos orifícios com folga do flange da caixa de
engrenagem e alternadamente gire os dois parafusos jack algumas voltas por vez para
começar a separar a caixa de engrenagem do flange.
c. Apoie a caixa de engrenagem durante o restante do procedimento usando uma correia de
elevação e um guincho apropriado.
d. Separe completamente a caixa de engrenagem do flange folgando alternadamente os
parafusos jack até a unidade se soltar totalmente.
e. Com a caixa de engrenagem apoiado pela cinta de levantamento e pelo dispositivo de
levantamento, CUIDADOSAMENTE deslize a caixa de engrenagem para fora até que
esteja solta do eixo estriado. Coloque a caixa de engrenagem em um saco plástico para
evitar contaminação.
Figura 5-4 Remoção da Caixa de Engrenagem
6. Aperte as porcas dos pinos de alinhamento do pillow block para forçar os pinos para fora e
remova os pinos.
7. Remova os parafusos que fixam os pillow blocks às almofadas da montagem da base.
8. Anexe cintas de elevação em dois locais no conjunto rotativo e utilize um guindaste capaz de
suportar aproximadamente 2000 libras, eleve e remova o conjunto rotativo do invólucro.
9. Marque a localização de todos os calços encontrados entre os pillow blocks e as almofadas
de montagem da base e retenha os calços.
10. Aplique um revestimento protetor nas superfícies de acoplagem dos pillow blocks e base.
11. Retire o conjunto da parte superior do recipiente de líquidos do seguinte modo:
a. Erga e oriente o conjunto rotativo verticalmente com a extremidade de sólidos para baixo
e insera a extremidade no slot de apoio vertical (Figura 5-5) enquanto continua a apoiar o
peso com o guindaste.
31 de Março de 2010
5-7
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
b. Registre a localização das marcas de alinhamento na parte superior do recipiente de
líquidos para garantir orientação adequada durante a remontagem.
c. Remova 12 parafusos (Figura 5-6) que fixam a parte superior do recipiente de líquidos ao
conjunto do recipiente.
d. Alinhe quatro parafusos jack em quatro orifícios enroscados de parafuso jack na parte
superior do recipiente e aperte uniformemente até que a parte superior se separe do
recipiente.
e. Conecte um segundo guindaste ao flange da parte superior do recipiente de líquidos e
comece a levantar a parte superior do recipiente para fora do recipiente com o pillow
block e o eixo estriado conectado. Se a parte superior do recipiente não se separar do
conjunto rotativo completamente, abaixe a parte superior até que haja o mínimo espaço
suficiente para inserir uma barra de alavanca. Cuidadosamente force a parte superior do
recipiente até que este se solto do recipiente, então erga e remova a parte superior do
recipiente. Remova e descarte o anel em O da parte superior do recipiente.
Figura 5-5 Colocação da Extremidade de Sólidos do Conjunto Rotativo no Apoio Vertical
12. Retire o conjunto do transportador do seguinte modo:
a. Retire quatro parafusos que fixam o alojamento do retentor da extremidade de líquidos ao
transportador e, utilizando parafusos jack separe o alojamento do retentor do alojamento
de rolamento, remova o alojamento de retenção. Descarte o retentor.
b. Posicione o suporte de elevação vertical no transportador (Figura 5-7), e fixe com quatro
parafusos.
5-8
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
c. Conecte um guindaste capaz de levantar pelo menos 750 libras ao suporte de elevação
vertical.
d. Levante lentamente o transportador separando-o do conjunto do recipiente, tomando
cuidado em evitar que o transportador entre em contato com o interior do recipiente.
e. Oriente o transportador horizontalmente e coloque-o sobre um apoio que não entre em
contato com os ladrilhos.
Figura 5-6 Remoção da Parte Superior do Recipiente de Líquidos
31 de Março de 2010
5-9
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Figura 5-7 Conectando Suporte de Elevação Vertical ao Transportador
Limpeza, Inspeção e Reparo.
Depois de retirar e desmontar o conjunto rotativo, limpe, inspecione e concerte da seguinte
forma:
1. Lave e remova a lama/pasta e os detritos do transportador e as partes interiores e exteriores
do conjunto do recipiente.
2. Inspecione o transportador em busca de ladrilhos faltando, correias distorcidas ou
arrancadas, rebarbas ou outros danos visíveis. Substitua o transportador se defeitos graves
forem encontrados.
3. Inspecione bocais de alimentação do transportador em busca de desgaste evidente. Gire 180
graus e reinstale se o dano for visível, mas não grave. Substitua os bocais se estiverem muito
danificados. Para ajudar a preservar o equilíbrio dinâmico, sempre substitua os bocais em
pares que sejam opostos.
4. Inspecione o acelerador de alimentação dentro do transportador em busca de ranhuras,
fraturas ou distorção. Se a substituição for necessária, remova três parafusos de ajuste que
fixam o acelerador de alimentação e dê uma bata leve na extremidade de sólidos para
remover o acelerador.
5. Inspecione as inserções desgastáveis da descarga de sólidos no conjunto do recipiente em
busca de rachaduras, fraturas ou outros danos e substitua se seriamente danificados.
6. Inspecione o interior e o exterior do recipiente em busca de ranhuras, arranhões ou outros
danos que possam afetar o desempenho.
7. Verifique nos rolamentos pillow block e nos rolamentos do transportador se há soltura, ruído
ou atrito. Substitua todos os rolamentos defeituosos, de acordo com Substituição de
Rolamentos nesta seção.
Remontagem e Instalação
A remontagem e instalação do conjunto rotativo são basicamente o inverso da remoção. Faça o
seguinte para remontar e instalar o conjunto rotativo:
1. Concerte e instale o transportador no conjunto do recipiente do seguinte modo:
5-10
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
a. Aplique uma leve camada de graxa ao assento do rolamento e sele as superfícies do
transportador para facilitar a instalação.
b. Com o recipiente na posição vertical no suporte vertical, eleve o transportador acima do
recipiente e cuidadosamente abaixe para dentro do recipiente.
c. Remova o suporte de elevação vertical do transportador.
d. Instale o novo retentor no alojamento de retenção (Figura 5-6), aplique uma leve camada
de graxa para vedar e instale o alojamento de retenção sobre o alojamento de rolamento.
Aplique um composto antiaderente nos parafusos, insira os parafusos através dos
orifícios do alojamento de retenção e aperte para dentro do alojamento de rolamento em
conformidade com Especificações de Torque das ferragens nesta seção.
2. Instale o novo anel em O na ranhura da parte superior do recipiente de líquidos, aplique uma
leve camada de graxa no anel em O e instale a parte superior do recipiente de líquidos no
recipiente. Oriente a parte superior do recipiente de modo que as marcas de alinhamento
combinem, e prenda a parte superior do recipiente de líquidos ao recipiente com parafusos.
Aperte os parafusos de acordo com as Especificações do Torque das Ferragens nesta seção.
3. Remova todos os entalhes e/ou rebarbas dos pollow blocks e superfícies correspondentes.
Limpe todas as superfícies de qualquer camada protetora aplicada após a remoção.
4. Reinstale calços em locais apropriados, como foi observado durante a remoção.
5. Limpe os pinos de alinhamento antes de reinstala-los, e aplique um composto antiaderente.
6. Direcione o conjunto rotativo para a posição horizontal, e cuidadosamente abaixe-o para
dentro do invólucro até cerca de 1/2" acima da base.
7. Insira os parafusos através dos pillow blocks, e comece a enroscar-los na base. Não aperte
os parafusos.
8. Conjunto de rolagem baixa totalmente na base.
9. Insira pinos de alinhamento através dos pillow blocks, e bata levemente para dentro dos
buracos a fim de alinhar totalmente os pillow blocks com os buracos da base de montagem.
10. Aperte os parafusos de acordo com as especificações referente em Especificações de
Torque das Ferragens nesta seção, para prender os pillow blocks à base.
11. Instale a caixa de engrenagem da seguinte forma:
31 de Março de 2010
5-11
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
11 a. - Inserir o novo anel em O na ranhura
virada para o Rotodiff, e aplique graxa no eixo
para facilitar a instalação. Coloque a cinta de
elevação na caixa de engrenagem e, usando
um dispositivo de levantamento de carga
CUIDADOSAMENTE suspenda a caixa de
engrenagem para engatar o eixo estriado com
as ranhuras internas da caixa de engrenagem.
11b. - Coloque seis novos parafusos de
cabeça sextavada através do flange da caixa
de engrenagem e para dentro dos buracos de
montagem roscados da caixa de engrenagem.
Alternadamente gire cada parafuso algumas
voltas por vez para uniformemente juntar a
caixa de engrenagem e o flange.
Aperte os parafusos de montagem usando
um padrão de estrela típico para modelos
de parafuso circular. Consulte
Especificações de Torque das ferragens
nesta seção para os valores de torque.
12. Injetar graxa nos rolamentos do transportador até escapar graxa do furo de drenagem
localizado entre o pillow block e a parte superior do recipiente de líquido. Limpe a graxa
excedente e distribua graxa pela parte superior do recipiente liquido rotativo em uma rotação
no sentido horário e depois uma rotação no sentido anti-horário.
5-12
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
13. Verifique e ajuste o desvio externo da caixa de engrenagem como descrito nas etapas
abaixo. O desvio axial não poderá exceder a leitura total do indicador (TIR) de 0.002". Para
medir e ajustar o desvio, faça o seguinte:
a. Limpe a superfície da caixa de
engrenagem onde a ponta de contato
do relógio comparador fará contato.
b. Instale o suporte com base magnética
do relógio comparador em qualquer
posição indicada.
c. Posicione a ponta de contato do
relógio comparador em contacto com
o diâmetro externo na linha-central
horizontal da caixa de engrenagem.
d. Gire manualmente a caixa de
engrenagem até que o relógio
comparador esteja na sua leitura mais
baixa, e zere o relógio comparador.
e. Gire manualmente a caixa de engrenagem
até que a leitura do relógio comparador
fique maior; marque através da caixa de
engrenagem e flange ao longo da linha
central axial onde as superfícies se unem.
31 de Março de 2010
5-13
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Remontagem e Instalação (Cont.)
f.
Gire manualmente a caixa de engrenagem
até a marca feita na etapa "e" esteja no
topo.
g. Soltar o parafuso de cabeça sextavada mais
próximo da marca, assim como aos dois
parafusos de cada lado da marca.
h. Insira o calço que tenha a espessura
aproximada da medição do relógio
comparador entre o flange e a caixa de
engrenagem. O calço deve apenas fazer
contato com a rosca do buraco do parafuso
mais próximo da marca feita na etapa "e".
i. Apertar os parafusos afrouxados na etapa
"g".
j.
Repita as etapas "d" até "i", se necessário, até o TIR não exceder 0.002".
k. Recorte o excesso do calço.
14. Após concluir a instalação da caixa de engrenagem, instale as tampas superiores sobre a
caixa de engrenagem.
15. Instale a correia motriz, e aplique a tensão adequada para evitar derrapagens.
16. Instale o tubo de alimentação e o prenda em seu suporte.
17. Feche a tampa e a prenda com parafusos apertados.
SUBSTITUIÇÃO DO ROLAMENTO PRINCIPAL
Este procedimento descreve a substituição dos rolamentos principais instalados nos pillow
blocks. Consulte Ferramentas e Equipamentos nesta seção para as ferramentas utilizadas na
remoção e os procedimentos de instalação.
Vibração ou ruído excessivo durante o funcionamento da centrifuga pode indicar rolamentos
defeituosos. Se essas condições são evidentes, os rolamentos devem ser inspecionados a
procura de folgas e substituídos se necessário.
A substituição do rolamento deve ser realizada por pessoal devidamente treinado e qualificado.
Para evitar a contaminação dos rolamentos novos e componentes internos da centrífuga, o
procedimento de substituição deve ser realizado em um ambiente limpo.
As extremidades do conjunto rotativo são apoiadas por rolamentos de rolete montados dentro
dos pillow blocks. Componentes em cada lado do pillow block formam uma cavidade de graxa
em labirinto, que impede a entrada de contaminantes. O rolamento de rolete tem um trilho interno
separado que deve ser removido do eixo da parte superior do recipiente após a remoção do
rolamento.
Os rolamentos do pillow block devem ser substituídos como um conjunto. Consequentemente, se
um rolamento estiver com defeito, troque sempre os dois rolamentos.
5-14
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
Substituição do Rolamento Principal
Qualquer rolamento pode ser removido primeiro. No procedimento a seguir, no entanto, o
rolamento do pillow block da extremidade de líquidos é removido em primeiro lugar, seguido pela
remoção do rolamento da extremidade de sólidos. Se qualquer um dos rolamentos apresentar
defeitos, ambos devem ser substituídos como um conjunto.
Rolamento da Extremidade de Líquidos
Para remover o rolamento da extremidade de líquidos, faça o seguinte:
ATENÇÃO! PARA EVITAR SÉRIAS LESÕES FISICAS CERTIFIQUI-SE DE QUE
O EQUIPAMENTO ESTÁ BLOQUEADO E ETIQUETADO (LOTO),
DESENERGISADO, E TENHA PARADO DE GIRAR ANTES DE EXECUTAR
AJUSTES E/OU MANUTENÇÃO.
1. Desligue, bloqueie (LO) e etiquete (TO) energia elétrica para a centrífuga. Permita ao
conjunto rotativo parar completamente.
2. Abra a tampa do invólucro e remova os parafusos que fixam os pillow blocks nas
extremidades de líquidos e sólidos ao invólucro.
3. Usando um guindaste adequado, eleve o conjunto rotativo para separar os pillow blocks do
fundo do invólucro deixando espaço suficiente para permitir a remoção dos pillow blocks.
4. Remova a caixa de engrenagem da parte superior do recipiente de líquidos (Figura 5-9) da
seguinte forma:
a. Trace uma linha entre a caixa de engrenagem e o flange para garantir o posicionamento
correto durante a instalação. Usando uma chave sextavada de 14mm, remova seis
parafusos de fixação da caixa de engrenagem ao flange.
b. Para assegurar a colocação correta do(s) calço(s), marque a localização do(s) calço(s)
entre o flange e a caixa de engrenagem. Instale dois parafusos jack de 3/8"-16 nos
orifícios com folga do flange que ficam separados por 180°. Usando um chave estrela
9/16", alternadamente gire os dois parafusos jack algumas voltas por vez para começar a
separar a caixa de engrenagem do flange.
c. Para apoiar a unidade durante o restante do procedimento de remoção, coloque a cinta
de levantamento em torno da caixa de engrenagem e prenda a cinta no dispositivo de
levantamento. Separe completamente a unidade do flange folgando alternadamente os
parafusos jack até a unidade se soltar totalmente.
d. Com a caixa de engrenagem apoiado pela cinta de levantamento e pelo dispositivo de
levantamento, CUIDADOSAMENTE deslize a unidade para fora até que esteja solta do
eixo estriado. Coloque a caixa de engrenagem em um saco plástico para evitar
contaminação.
31 de Março de 2010
5-15
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Rolamento da Extremidade de Liquido (Cont.)
Passo 4a - Parafusos de Fixação da caixa de
engrenagem
Passo 4b - Usando Parafusos Jack para
separar a Caixa de Engrenagem do Flange
Passo 4c - Usando uma Eslinga para Apoiar a Caixa de Engrenagem Durante a Remoção
Figura 5-9 Remoção da Caixa de Engrenagem
12. Gire o flange (Figura 5-10) até que grandes orifícios de acesso no flange se alinhem com
parafusos de retenção para a tampa do defletor externo. Retire os parafusos que fixam a
tampa do defletor externo ao pillow block e levante e remova a tampa do defletor.
13. Retire os parafusos que fixam o flange à parte superior do recipiente de líquidos e solte o
parafuso de fixação que prende o flange à parte superior do recipiente de líquidos.
Figura 5-10 Conexão da Caixa de Engrenagem ao flange
5-16
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
14. Enrosque dois parafusos jack no flange e gire alternadamente cada parafuso algumas voltas
por vez até o flange for separada da parte superior do recipiente de líquidos, em seguida,
segure o flange e puxe da parte superior do recipiente de líquidos.
Note! Defletor externo permanecerá ligado ao flange.
15. Remova os parafusos de cabeça chata segurando a tampa externa do pillow block (Figura 511) ao pillow block e retire a tampa. Separe o anel em O da tampa do pillow block e remova o
anel em O.
16. Retire os parafusos de cabeça chata que fixam a tampa do pillow block interno ao pillow block
e deslize o pillow block (Figura 5-12) e pista externa e os roletes do rolamento da parte
superior do recipiente de líquidos.
17. Solte o parafuso de fixação prendendo o defletor interno à parte superior do recipiente de
líquidos.
18. Usando um extrator apropriado e cuidado extremo para evitar danos ao apoio ou ombro dos
rolamentos na parte superior do recipiente de líquidos, remova a pista interna dos rolamentos
da parte superior do recipiente. Descarte a pista interna.
19. Deslize a tampa e o defletor internos do pillow block para fora da parte superior do recipiente.
Separe o anel em O da tampa do pillow block e remova o anel em O.
20. Usando um extrator adequado, remova a pista externa e roletes dos rolamentos do pillow
block. Descarte a pista externa e roletes.
Figura 5-11 Localização do Pillow Block da Extremidade de Líquidos e dos Componentes
do alojamento do Rolamento
31 de Março de 2010
5-17
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Rolamento da Extremidade de Liquido (Cont.)
Figura 5-12 Seção Cruzada da Extremidade de Líquidos
Rolamento da Extremidade de Sólidos
Com o rolamento do pillow block da extremidade de líquido previamente removido e conjunto
rotativo ainda suspenso, remova o rolamento da extremidade de sólidos (Figura 5-13) como
segue:
1. Retire os parafusos que fixam as tampas interna e externa do defletor ao pillow block e
levante e remova a tampa do defletor interno.
2. Registre marcações de alinhamento na polia e então remova os parafusos prendendo a polia
à parte superior do recipiente de sólidos.
3. Enrosque dois parafusos jack na polia e gire alternadamente cada parafuso algumas voltas
por vez até a polia ser separada da parte superior do recipiente de sólidos, remova a polia e a
tampa do defletor externo.
4. Segure a polia e puxe da parte superior do recipiente de líquidos.
Note! O deflector externo permanecerá preso à polia.
5. Remova os parafusos de cabeça chata segurando a tampa do pillow block externo ao pillow
block e retire a tampa. Separe o anel em O da tampa do pillow block e remova o anel em O.
5-18
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
6. Retire os parafusos de cabeça chata que fixam a tampa interna do pillow block ao pillow block
e deslize o pillow block e pista externa e os roletes dos rolamentos da parte superior do
recipiente de sólidos.
7. Solte o parafuso de fixação prendendo o defletor interno à parte superior do recipiente de
sólidos.
8. Usando um extrator apropriado e cuidado extremo para evitar danos ao apoio ou ombro do
rolamento na parte superior do recipiente de sólidos, remova a pista interna do rolamento da
parte superior do recipiente. Descarte a pista interna.
9. Deslize a tampa e o defletor internos do pillow block para fora da parte superior do recipiente.
Separe o anel em O da tampa do pillow block e remova o anel em O.
10. Usando um extrator adequado, remova a pista externa e roletes dos rolamentos do pillow
block. Descarte a pista externa e roletes.
Figura 5-13 Seção Cruzada da Extremidade de Sólidos
31 de Março de 2010
5-19
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Limpeza, Inspeção e Reparo.
1. Limpe todos os componentes com um limpador adequado/desengraxante, e seque com ar
comprimido filtrado. Remova qualquer corrosão para facilitar a inspeção.
2. Inspecione a parte superior dos recipientes em busca de arranhões, amassados, rebarbas ou
deformações que possam afetar aptidão para retornar ao serviço. Uniformize quaisquer
menores defeitos de superfície. Substitua a parte superior do recipiente se o eixo estiver
claramente deformado ou falhas graves forem encontradas que impossibilitem a manutenção
da parte superior do recipiente.
3. Teste o ajuste de uma nova pista interna dos mancais de rolamento principais de ambas as
partes superiores dos recipientes. Se o mancal for pequeno, a pista interna irá deslizar
facilmente para o mancal. Substitua a parte superior do recipiente se o mancal for pequeno
demais.
4. Inspecione as tampas do pillow block, defletores e tampas de defletores em busca de
corrosão, distorção, amassados, rachaduras, rebarbas, fraturas ou outros defeitos. Conserte
quaisquer defeitos menores.
5. Substitua qualquer componente que não possa ser facilmente reparado. Substitua todos os
O-rings, vedações e rolamentos.
6. Coloque todos os componentes limpos em sacos plásticos para evitar contaminação.
Instalação
O procesimento descreve a instalação do rolamento principal da extremidade de líquidos
primeiro, seguido pelo procedimento da extremidade de sólidos. No entanto, qualquer rolamento
pode ser instalado primeiro vez em sua respectiva parte superior do recipiente.
Rolamento da Extremidade de Líquidos
ATENÇÃO! NO PASSO A SEGUIR, USE UM AQUECEDOR DE ROLAMENTO
OU UM BANHO DE ÓLEO LIMPO AQUECIDO PARA AQUECER A PISTA
INTERNA DO ROLAMENTO. NÃO USE UM MAÇARICO POIS ASSIM
DANIFICARÁ O ROLAMENTO.
1. Coloque pista interna do rolamento da extremidade de líquidos em um aquecedor de
rolamentos ou em um banho de óleo limpo aquecido e aqueça até aproximadamente 230°F
(Figura 5-14). Não use um maçarico para aquecer a pista interior, pois assim danificará a
pista.
2. Usando luvas de isolamento, remova a pista interna aquecida do aquecedor de rolamentos, e
logo em seguida deslize no mancal de rolamento até que se encaixe no ombro da parte
superior do recipiente. Permita que a pista interna refrigere até ficar imóvel sobre a parte
superior do recipiente de líquidos.
3. Deslize o defletor do pillow block interno no eixo, seguido pela tampa do pillow block. Não
aperte o parafuso de ajuste do defletor neste momento.
4. Posicione a pista externa do rolamento e roletes no chanfro do pillow block. Usando uma
ferramenta adequada que entre em contato apenas a pista externa, cuidadosamente escoste
a pista externa no pillow block até aproximadamente 1/8 de polegada abaixo da superfície do
pillow block.
5-20
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
5. Instale um novo anel em O no ombro da tampa interna do pillow block e deslize a tampa do
pillow block no eixo.
6. Aplique quantidade suficiente da graxa de rolamento listada na especificação do cliente para
cobrir completamente os rolamentos de rolete.
7. Deslize o conjunto do pillow block e pista externa do rolamento para a pista interna
previamente instalada no rolamento de rolete.
8. Instale um novo anel em O contra o ombro da tampa externa do pillow block, deslize a tampa
do pillow block no eixo e apóie no pillow block.
9. Oriente a tampa interna do pillow block de modo que a borda plana esteja alinhada com a
parte inferior do pillow block.
10. Aplique um composto antiaderente a quatro parafusos de cabeça chata e instale parafusos
para fixar a tampa interna do pillow block ao pillow block. Aperte os parafusos de acordo com
as Especificações do Torque das Ferragens nesta seção.
11. Oriente a tampa externa do pillow block de modo que a borda plana esteja alinhada com a
parte inferior do pillow block.
12. Aplique um composto antiaderente a quatro parafusos de cabeça chata e instale parafusos
para fixar a tampa externa do pillow block ao pillow block e puxe o rolamento à posição
adequada dentro do pillow block. Aperte os parafusos de acordo com as Especificações do
Torque das Ferragens nesta seção.
13. Aplique uma camada fina de graxa na superfície do eixo do recipiente onde o flange da caixa
de engrenagem é montada.
14. Aqueça o flange a 200°F. Durante o manuseio com luvas isoladas, oriente o encaixe do
flange com a chave no eixo da parte superior do recipiente de líquidos e instale o flange no
eixo. Aperte o parafuso de ajuste para prender o flange.
15. Aqueça a flange a 200°F. Durante o manuseio com luvas isoladas, oriente o encaixe da
flange com a chave no eixo da parte superior do recipiente de líquidos e instale a flange no
eixo. Aperte o parafuso de ajuste para prender a flange.
16. Deslize os defletores de pillow block internos e externos próximo às tampas dos pillow blocks,
deixando cerca de 1/16 polegada de espaço livre e aperte os parafusos de ajuste em ambos
os defletores.
17. Instale as tampas dos defletores e prenda com parafusos.
18. Usando uma correia de suspensão e um dispositivo de elevação, alinhe a caixa de
engrenagem com as linhas rabiscadas durante a remoção e então deslize a caixa de
engrenagem no eixo estriado. Insira parafusos através do flange e para dentro do Rotodiff,
insira calços de em locais marcados durante a remoção, e aperte os parafusos.
Rolamento da Extremidade de Sólidos
ATENÇÃO! NO PASSO A SEGUIR, USE UM AQUECEDOR DE ROLAMENTO
OU UM BANHO DE ÓLEO LIMPO AQUECIDO PARA AQUECER A PISTA
INTERNA DO ROLAMENTO. NÃO USE UM MAÇARICO POIS ASSIM
DANIFICARÁ O ROLAMENTO.
31 de Março de 2010
5-21
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
1. Coloque a pista interna do rolamento em um aquecedor de rolamentos ou em um banho de
óleo limpo aquecido e aqueça até aproximadamente 230°F (Figura 5-14). Não use um
maçarico para aquecer a pista interior, pois assim danificará a pista.
2. Usando luvas de isolamento, remova a pista interna aquecida do aquecedor de rolamentos, e
logo em seguida deslize no mancal de rolamento até que se encaixe no ombro da parte
superior do recipiente. Permita que a pista interna refrigere até ficar imóvel sobre a parte
superior do recipiente de sólidos.
3. Deslize o defletor do pillow block interno no eixo, seguido pela tampa do pillow block. Não
aperte o parafuso de ajuste do defletor neste momento.
4. Posicione a pista externa do rolamento e roletes no chanfro do pillow block. Usando uma
ferramenta adequada que entre em contato apenas a pista externa, cuidadosamente escoste
a pista externa no pillow block até aproximadamente 1/8" abaixo da superfície do pillow block.
5. Instale um novo anel em O de pequena seção cruzada no ombro da tampa interna do pillow
block e deslize a tampa do pillow block no eixo.
6. Aplique quantidade suficiente da graxa de rolamento listada na especificação do cliente para
cobrir completamente os rolamentos de rolete.
7. Deslize o conjunto do pillow block e pista externa do rolamento para a pista interna
previamente instalada no rolamento de rolete.
8. Instale um novo anel em O de seção cruzada contra o ombro da tampa externa do pillow
block, deslize a tampa do pillow block no eixo e apóie no pillow block.
9. Oriente a tampa interna do pillow block de modo que a borda plana esteja alinhada com a
parte inferior do pillow block.
5-22
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
Figura 5-14 Detalhes da Instalação do Rolamento Principal
10. Aplique um composto antiaderente a quatro parafusos de cabeça chata e instale parafusos
para fixar a tampa interna do pillow block ao pillow block. Aperte os parafusos de acordo com
as Especificações do Torque das Ferragens nesta seção.
11. Oriente a tampa externa do pillow block de modo que a borda plana esteja alinhada com a
parte inferior do pillow block.
12. Aplique um composto antiaderente a quatro parafusos de cabeça chata e instale parafusos
para fixar a tampa externa do pillow block ao pillow block e puxe o rolamento à posição
adequada dentro do pillow block. Aperte os parafusos de acordo com as Especificações do
Torque das Ferragens nesta seção.
13. Deslize o defletor externo do rolamento na polia, mas deixe o parafuso folgado.
14. Aplique uma camada fina de graxa na superfície do eixo do recipiente onde a polia é
montada.
15. Aqueça a polia a 200°F. Durante o manuseio com luvas isoladas, oriente o encaixe da polia
com a chave no eixo da parte superior do recipiente de sólidos e instale a polia no eixo. Fixe
a polia com parafusos.
31 de Março de 2010
5-23
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
16. Deslize os defletores de pillow block internos e externos próximo às tampas dos pillow blocks,
deixando cerca de 1/16 polegada de espaço livre e aperte os parafusos de ajuste em ambos
os defletores.
17. Instale as tampas dos defletores e fixe os parafusos.
18. Opere o guincho para abaixar o conjunto rotativo para dentro da centrífuga até que os pillow
blocks entrem em contato com a base.
19. Insita os pinos de alinhamento nos buracos de alinhamento do pillow block e introduza os
parafusos. Remova os parafusos do pillow block de acordo com as Especificações do Torque
das Ferragens nesta seção.
SUBSTITUIÇÃO DO ROLAMENTO DO TRANSPORTADOR CONTÍNUO
Este procedimento exige a remoção do conjunto do transportador do conjunto do recipiente. A
substituição do rolamento do transportador deve ser realizada em local limpo e por pessoal
devidamente treinado e qualificado.
Se os rolamentos do transportador estiverem defeituosos, é provável que o transportador vá
precisar de uma revisão completa. Por conseguinte, todas as peças devem ser cuidadosamente
inspecionadas, e encaixes e folgas devem ser medidos para determinar a adequação de peças
para reutilização.
Remoção
A extremidade de líquidos contém dois rolamentos de pressão, e um rolamento de esferas
individuais é instalado na extremidade de sólidos do transportador. Substitua todos os
rolamentos do transportador como um conjunto se vibração excessiva, folga axial ou folgas
radiais forem encontradas. O procedimento seguinte descreve a remoção do rolamento da
extremidade de líquidos e, em seguida, o rolamento da extremidade de sólidos. Para remover os
rolamentos do transportador, faça o seguinte:
1. Retire o transportador do conjunto rotativo em conformidade com a Manutenção Preventiva
nesta seção.
2. Com o transportador apoiado, remova os parafusos que prendem o suporte de elevação ao
transportador e remova o suporte de elevação.
3. Retire o rolamento de encosto da extremidade de líquidos do seguinte modo:
a. Retire os parafusos que prendem o alojamento de retenção da extremidade de líquidos
(Figura 5-12) ao alojamento do rolamento e remova o alojamento de retenção. Remova e
descarte os anéis em O instalados nas ranhuras externas do alojamento de retenção.
b. Usando um extrator adequado do tipo martelo, remova ambos os rolamentos do
alojamento de rolamentos da extremidade de líquidos. Descarte os rolamentos.
c. Remova o anel de retenção que prende o retentor no alojamento de retenção e remova e
descarte o retentor.
4. Retire o rolamento de pressão da extremidade de sólidos do seguinte modo:
a. Retire os parafusos que prendem o alojamento de retenção e o alojamento de rolamentos
(Figura 5-13) ao transportador e remova o alojamento de retenção e o alojamento de
rolamentos. Separe o alojamento de retenção do alojamento de rolamentos.
5-24
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
b. Remova o anel de retenção que prende o alojamento de retenção. Remova e descarte de
o retentor e o anel em O do alojamento de retenção.
c. Extraia o rolamento do alojamento de rolamento e descarte o rolamento.
d. Remova o anel de retenção que prende o retentor no alojamento de rolamento e remova
e descarte o retentor.
e. Retire a mola ondulada do eixo da parte superiora do recipiente de sólidos.
Limpeza, Inspeção e Reparo.
1. Limpe todos os componentes com um limpador adequado/desengraxante, e seque com ar
comprimido filtrado. Remova qualquer corrosão para facilitar a inspeção.
2. Inspecione os eixos da parte superior dos recipientes em busca de arranhões, amassados,
rebarbas ou deformações que possam afetar aptidão para retornar ao serviço. Uniformize
quaisquer menores defeitos de superfície. Substitua a parte superior do recipiente se o eixo
estiver claramente deformado ou falhas graves forem encontradas que impossibilitem a
manutenção da parte superior do recipiente.
3. Inspecione alojamentos de rolamentos e de retenção em busca de corrosão, distorção,
amassados, rachaduras, rebarbas, fraturas ou outros defeitos. Conserte quaisquer defeitos
menores.
4. Verifique se a mola ondulada da parte superior do recipiente de sólidos manteve a sua
tensão. Substitua se a tensão danificada for insuficiente.
5. Substitua qualquer componente que apresente dano que não possa ser facilmente reparado.
Substitua todos os retentores, anéis em O e rolamentos.
6. Teste o ajuste de uma nova pista interna de rolamentos no alojamento de rolamentos de
ambas as partes superiores dos recipientes. Se o furo for pequeno, a pista interna irá deslizar
facilmente para o furo. Substitua o alojamento(s) de rolamento se o buraco estiver folgado.
7. Coloque todos os componentes limpos em sacos plásticos para evitar contaminação.
Instalação
A instalação do rolamento é o inverso da remoção. As peças devem estar limpas e o
procedimento deve ser realizado em um ambiente limpo para evitar a contaminação dos
rolamentos novos. Certifique-se de substituir todos os rolamentos do transportador como um
conjunto. Os rolamentos de encosto da extremidade de líquidos são instalados primeiro,
seguidos da instalação do rolamento da extremidade de sólidos.
1. Para instalar o rolamento da extremidade de líquidos, faça o seguinte:
a. Inserir um novo retentor no alojamento de retenção da extremidade de líquidos (Figura 512), e prenda com anel de retenção. Instale novos anéis em O nas ranhuras externas do
alojamento de retenção.
b. Coloque um novo rolamento de encosto no furo do alojamento de rolamento e, utilizando
uma ferramenta adequada, bata no rolamento uniformemente para dentro do lugar oposto
ao ombro do alojamento de rolamento. Oriente o segundo rolamento de encosto com um
número da peça virado para cima para facilitar a identificação e instalar no alojamento em
cima do rolamento anterior.
c. Instale novos anéis em O nas ranhuras externas do alojamento de retenção.
31 de Março de 2010
5-25
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
d. Posiciono o alojamento de retenção no alojamento de rolamento e prenda com parafusos.
Aperte os parafusos de acordo com as Especificações do Torque das Ferragens nesta
seção.
2. Para instalar o rolamento do transportador da extremidade de sólidos, proceda da seguinte
forma:
a. Inserir um novo selo no alojamento de vedação da extremidade de sólidos (Figura 5-13),
e prenda com anel de retenção.
b. Instale um novo anel em O na ranhura externas do alojamento de retenção.
c. Insira um novo retentor no alojamento de rolamento e prenda com anel de retenção.
d. Insira um novo rolamento no alojamento de rolamento e assente completamente contra o
ombro.
e. Insira o alojamento de rolamento na abertura do transportador, coloque os retentores
sobre o alojamento do rolamento e prenda ambos os alojamentos ao transportador com
parafusos. Aperte os parafusos de acordo com as Especificações do Torque das
Ferragens nesta seção.
3. Reinstale o transportador no conjunto do recipiente e instale o conjunto do recipiente na
centrífuga de acordo com a Manutenção Preventiva nesta seção.
AJUSTE DE VELOCIDADE DO RECIPIENTE
A velocidade do recipiente é alterada por substituição da polia do motor. As polias disponíveis
estão listadas na Seção 4. Após selecionar a polia desejada, use o seguinte procedimento para
substituir a polia.
ATENÇÃO! ESTE PROCEDIMENTO DEVE SER REALIZADO APENAS POR
PESSOAL TÉCNICO QUALIFICADO. NÃO PERMITA QUE PESSOAL NÃO
QUALIFICADO TENTE EXECUTAR ESTE PROCEDIMENTO.
1. Desligue, bloqueie (LO) e etiquete (TO) a centrífuga.
2. Folgue os parafusos que fixam a braçadeira do tubo de alimentação e deslize o tubo de
alimentação para fora.
3. Solte as travas e remova a proteção da correia que cobri as polias e acoplamento de fluidos.
4. Solte quatro porcas de fixação que predem o pé do motor à base de montagem (Figura 5-15).
5. Gire os parafusos de ajuste igualmente no sentido anti-horário até que o motor móvel movase o suficiente para dentro liberando a tensão da correia.
6. Deslize a correia de acionamento para fora da polia do motor.
7. Remova os parafusos prendendo a polia do motor à parte superior do recipiente de sólidos e
remover a polia.
8. Instale uma nova polia de motor na parte superior do recipiente de sólidos e prenda com
parafusos hexagonais. Aperte os parafusos com os toques de acordo com as Especificações
do Torque das Ferragens nesta seção.
9. Reinstale a correia na polia do motor.
10. Aperte os parafusos de ajuste da plataforma de montagem do motor para aplicar tensão
suficiente da correia para permitir uma deformação de 5/8" quando pressionado no ponto
5-26
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
médio da correia. A tensão correta vai evitar derrapagens sem sobrecarregar os rolamentos.
Depois de tensão correta ser definida, verifique o alinhamento da polia, colocando uma régua
cruzando o recipiente e as polias de motor. Polias devem ser alinhadas dentro de 0,0156 ".
Se não alinhadas, aperte ou folgue um parafuso de ajuste, como necessário. Uma vez que o
alinhamento das polias é alcançado, aperte todas as quatro porcas de fixação do motor no
lugar.
11. Reinstale o protetor da correia e acople as travas para prender o protetor no local.
12. Insira os tubos de alimentação no apoio de tubo de alimentação até o ombro entrar em
contato completamente com o apoio e aperte os parafusos até a especificação listada em
Especificações de Torque de Materiais nesta seção.
Figura 5-15 Ajuste de Tensão da Correia Motriz
AJUSTE DE EMBREAGEM DE LANÇAMENTO DE SOBRECARGA
ATENÇÃO! ESTE PROCEDIMENTO DEVE SER REALIZADO APENAS POR
PESSOAL TÉCNICO QUALIFICADO. NÃO PERMITA QUE PESSOAL NÃO
QUALIFICADO TENTE EXECUTAR ESTE PROCEDIMENTO.
Frequente acionamento de sobrecarga que não possa ser corrigido pela taxa de alimentação
e/ou ajustes de profundidade do poço pode ser devido a uma incorreta configuração de torque do
conjunto de lançamento de sobrecarga. O torque do conjunto de lançamento deve ser verificado
e ajustado, se necessário, da seguinte forma:
1. Remova a tampa do acionador da caixa de engrenagem.
2. Remova o torque do came da embreagem de liberação de sobrecarga.
3. Insira o soquete de chave de torque, 13147-00 (incluído no kit de ferramentas 14795-00), no
rasgo para chaveta da embreagem de liberação de sobrecarga. Exerça força suficiente na
chave de torque no sentido horário (quando de frente para a embreagem) para liberar a
embreagem. A liberação deve acontecer às 335 pol-lb para a caixa de engrenagem de 52:1
ou 200 po-lb para uma caixa de engrenagem de 125:1.
4. Restaure a embreagem da seguinte forma:
31 de Março de 2010
5-27
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
a. Gire o cubo da embreagem até o orifício de pino do rolete came e o cubo de chaveta
estarem alinhados com o orifício do parafuso de fixação (estampado 22 no alojamento da
embreagem de sobrecarga).
b. Gire o parafuso de reajuste do Cabo em T (Figura 5-16) no sentido horário (para dentro),
aproximadamente 2-1/2 voltas até ouvir um clique, indicando que a embreagem foi
reajustada.
CUIDADO! Ao Girar O Parafuso De Reajuste No Sentido Horário, Não Exceda
Três Voltas Após Ligeira Resistência, Visto Que Aperto Excessivo Pode
Danificar Os Componentes Internos Da Embreagem.
c. Verifique se a embreagem foi reajustada ao tentar girar o came/conjunto do cubo. Se a
rotação for possível, repita as etapas a e b, acima.
CUIDADO! Na Etapa Seguinte, O Parafuse De Reajuste Do Cabo Em T Deve
Ser Revertido Completamente À Sua Posição Original Antes De Retornar A
Operação Da Centrífuga.
d. Após a confirmação de que a embreagem foi reajustada, volte o parafuso de ajuste do
cabo em T a sua posição original girando-o no sentido anti-horário (para fora).
e. Retorne o rolete interruptor de limite de sobre-torque em contato com a came de torque.
5. Se o torque necessário é menor do que o valor especificado no passo 3, acima, aumente o
torque girando o parafuso de ajuste (Figura 5-17) no sentido horário até que esteja alinhado
com a próxima profundidade da lâmina na carcaça de embreagem e as linhas rabiscadas
estão alinhadas, então o verifique o torque novamente. Não aumente a configuração de
torque para além de 335 pol-lb para uma caixa de engrenagem de 52:1 ou 200 pol-lb para
uma caixa de engrenagem de 125:1.
5-28
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
Figura 5-16 Componentes da Embreagem de Lançamento de Sobrecarga
ATENÇÃO! UMA CONFIGURAÇÃO DE UM TORQUE EXCESSIVO PODE
RESULTAR EM DANOS À CENTRÍFUGA. NÃO CONFIGURE A EMBREAGEM
PARA LANÇAMENTO EM UMA CONFIGURAÇÃO MAIS ALTA QUE 335 POLLB. PARA CAIXA DE ENGRENAGEM DE 52:1 OU 200 POL- LB. PARA CAIXA
DE ENGRENAGEM DE 125:1.
Figura 5-17 Definindo o Torque de Lançamento de Sobrecarga
31 de Março de 2010
5-29
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
LISTA DE FERRAMENTAS
A lista ferramentas a seguir inclui todas as ferramentas e equipamentos fornecidos para facilitar a
manutenção da centrífuga DE-1000 GBD. Cada componente é listado com o número da peça,
quantidade fornecida, e utilização ou aplicação.
LISTA DE FERRAMENTAS DA CENTRÍFUGA DE-1000 GBD
Nº DA PEÇA.
DESCRIÇÃO/APLICAÇÃO
QTD
Allen 33212
Chaves Allen de braço Longo, 3/32" a 1/2"
Várias peças do conjunto rotativo
1
Allen 41216
Soquete Allen, de Parafusadeira 1/2" x 1/2"
Várias peças do conjunto rotativo
1
Parafuso
14MM
Allen Chave Allen, 14 MM
Várias peças do conjunto rotativo
1
OTC-1039
Extrator para Rolamentos, 2-Garra, Alcance de 10", Abertura
máxima das garras 0" a 12"
Remover a pista interna do rolamento principal do eixo da
parte superior do recipiente de líquido
1
HXCBF03816X250
Parafuso Jack de cabeça sextavada, com 3/8-16 x 2-1/2" de
comprimento
Separar a caixa de engrenagens do flange
2
HXCBF03118X400
Parafuso Jack de cabeça sextavada, com 5/16-18 x 4” de
comprimento
Separar a alojamento do rolamento do transportador do eixo
da parte superior do recipiente da extremidade de líquido
4
HXCBF03816X400
Parafuso Jack de cabeça sextavada, com 3/8-16 x 4” de
comprimento
Separar o alojamento do rolamento do transportador do eixo
da parte superior do recipiente da extremidade de Sólido
4
10792-00
Suporte de Elevação Vertical
Suspender o transportador do conjunto do recipiente de líquido
1
10791-00
Suporte Vertical
Apóia o conjunto do recipiente de líquido verticalmente durante
a manutenção
1
WFSS-31
Arruelas Lisas de 5/16"
Prender o suporte de elevação vertical ao flange da caixa de
engrenagens
6
NHHS-31-18
Porca sextavada, pesado, 5/16-18
Prender o suporte de elevação vertical ao flange da caixa de
engrenagens
6
5-30
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
LISTA DE FERRAMENTAS DA CENTRÍFUGA DE-1000 GBD
Nº DA PEÇA.
DESCRIÇÃO/APLICAÇÃO
QTD
SKCS-38-16x175
Parafuso de Cabeça Cilíndrica, 3/8-16 x 1-3/4 "
Prender o suporte de elevação vertical ao flange da caixa de
engrenagens
4
RED-B150X125
Bucha, sextavada, 1-1/4 "x 1-1/2"
Reduzir a abertura do tubo de alimentação
1
CHE-SRI-2
Graxa, Padão*
Lubrificar Rolamentos principais e ranhuras da caixa de
engrenagens
1
Aeroshell GR-14
Graxa, Ártico*
Lubrificar Rolamentos principais e ranhuras da caixa de
engrenagens
1
OLHAL-S3118X113
Parafuso Olhal, 3/8 "x 1-1/8"
Suspender o conjunto rotativo pelo flange da caixa de
engrenagens
2
PP1127
Bomba de Graxa, Diâmetro do tubo 1/2”, 14.5 Oz
Injetar graxa dentro da caixa de engrenagens e nos encaixes
do rolamento principal
2
ESPECIFICAÇÕES DE TORQUE DAS FERRAGENS
Use apenas as ferragens que são aprovadas pela Corporação Derrick. O uso de ferragens não
aprovado pela Derrick e possivelmente inferior pode resultar em lesões graves aos funcionários e
/ ou danos ao equipamento. Além disso, qualquer garantia em vigor, seja escrita ou implícita,
pode ser anulada por uso de ferragens não aprovada. Entre em contato com a Derrick
Corporation com perguntas relativas ao tipo de equipamento e o uso associado a centrífugas
Derrick.
ATENÇÃO! O USO DE FERRAGENS NÃO APROVADO PELA DERRICK E
POSSIVELMENTE INFERIOR PODE RESULTAR EM LESÕES GRAVES AOS
FUNCIONÁRIOS E / OU DANOS AO EQUIPAMENTO.
Especificações recomendadas de torque de assentamento, lubrificantes e outras especificações
de instalações de equipamentos para os vários tipos e tamanhos de equipamentos usados na
centrífuga são mostradas nas Figuras 5-18 e 5-19.
Use o procedimento a seguir quando apertar equipamentos:
1. Use apenas um torquímetro calibrado.
2. Aplique lubrificante especificado no equipamento antes de instalar.
3. Ao apertar mais de um parafuso, alterne entre os parafusos.
4. Sempre aborde o torque final em várias fases.
31 de Março de 2010
5-31
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Figura 5-18 Localização do Equipamento do Conjunto Rotativo - Extremidade de Sólidos
5-32
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
ESPECIFICAÇÕES DE TORQUE DAS FERRAGENS DA EXTREMIDADE DE SÓLIDOS
Nº
Descrição
Qtd
Lubrificante
Torque
Localização
6
Pino de 1/4 x 1-1/4
4
Loctite 680
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Sólido
7
Parafuso de ajuste de
5/16-18 x 1/2
2
Loctite 262
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Sólido
8
Graxeira 1/8 NPT x 3/4
2
N/A
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Sólido
10 3/8-16 x 1 Hx Skt Hd
8
Antiengripante
252 pol-lb
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Sólido
11 5/16-18 x 3 Hx Skt Hd
6
Antiengripante
144 pol-lb
Alojamento de Retenção da
Extremidade de Sólido
12 Pino de 1/4 x 1
1
Loctite 680
N/A
Alojamento do Rolamento da
Extremidade de Sólido
13 1-4-20 x 1 Hx Skt Hd
8
Antiengripante
83 pol-lb
Polia (Roldana)
14 5/16-18 x 4 Hx Hd
6
Antiengripante
Sem
Tampa do Defletor
especificação
15 3/8-16 x 1 Flt Hd Hx Skt
16 Antiengripante
183 pol-lb
Tampa do Pillow Block
17 1/4-20 x 5/8 Hx Skt Hd
4
Antiengripante
144 pol-lb
Defletor do Pillow Block
18 3/8-16 x 3/4 Hx Skt Hd
8
Antiengripante
252 pol-lb
Arado de invólucro
19 Parafuso de ajuste de
3/8-16 x 1
2
Antiengripante
75 pol-lb
Bomba
de
Acelerada
Alimentação
20 Parafuso de ajuste de
1/2-13 x 1
1
Antiengripante
265 pol-lb
Bomba
de
Acelerada
Alimentação
22 3/8-16 x 1 Hx Skt Hd
12 Antiengripante
252 pol-lb
Extensão do Recipiente
23 Parafuso de ajuste de
10-24 x 1/4
2
N/A
Defletor de Involucro
24 5/16-18 x 3/4 Hx Skt Hd
32 Antiengripante
144 pol-lb
Inserções Desgastáveis
25 3/8-16 x 3/4 Flt Hd Hx
Skt
4
Antiengripante
183 pol-lb
Arado da parte superior de
sólidos
27 1/2-13 x 1 Hx Skt Hd
8
Antiengripante
53 pol-lb
Bocal de Alimentação
29 5/8-11 x 2-1/4 Hx Hd
4
Antiengripante
197 pol-lb
Pillow Block
30 Pino #8 (7/16-20 x 2-1/2)
4
Antiengripante
N/A
Pillow Block
31 Pino #7 (3/8-24 x 2-1/2)
4
Antiengripante
N/A
Pillow Block
32 Drenagem #8
1
Antiengripante
35 pol-lb
Extensão do Recipiente
38 3/8-16 x 2-1/2 Hx Hd
4
Antiengripante
Sem
Bloco de Montagem do Tubo
especificação de Alimentação
41 3/8-16 x 1-1/2 Hx Hd
4
Antiengripante
Sem
Flage de Suporte do Tubo
especificação de Alimentação
31 de Março de 2010
Antiengripante
5-33
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
Figura 5-19 Localização do Equipamento do Conjunto Rotativo - Extremidade de
Líquidos
5-34
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
ESPECIFICAÇÕES DE TORQUE DAS FERRAGENS DA EXTREMIDADE DE LÍQUIDOS
Nº
Descrição
Qtd
1
3/8-16 x 1-1/4 Hx Skt Hd
12
2
Pino de 5/16 x 1
3
Lubrificante
Torque
Localização
Antiengripante 252 pol-lb
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Líquido
*
Loctite 680
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Líquido
Chave de 5/16 x 5/16 x
3
1
N/A
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Líquido
4
3/8-16 x 1-1/2 Hx Skt Hd
8
Antiengripante 252 pol-lb
Alojamento do Rolamento da
Extremidade de Líquido
5
3/8-16 x 1 Hx Skt Hd
4
Antiengripante 252 pol-lb
Alojamento de Retenção da
Extremidade de Líquido
8
1/4 NPT x 3/4 Gr.
Ajustando
2
N/A
Parte Superior do Recipiente
da extremidade de Líquido
13 1/4-20 x 1 Hx Skt Hd
8
Antiengripante 83 pol-lb
14 5/16-18 x 4 Hx Hd
6
15 3/8-16 x 1 Flt Hx Skt Hd
16
Antiengripante Sem
Tampa do Defletor
especificação
Antiengripante 183 pol-lb
Tampa do Pillow Block
16 3/8-16 x 1 Hx Skt Hd
8
Antiengripante 252 pol-lb
Orifício Estriado
17 1/4-20 x 5/8 Hx Skt Hd
4
Antiengripante 144 pol-lb
Defletor do Pillow Block
21 5/16-18 x 1 Hx Skt Hd
*
Loctite 262
Flange Do Rotodiff/Caixa De
Engrenagem
23 Parafuso de ajuste de
10-24 x 1/4
2
Antiengripante N/A
Defletor de Involucro
26 5/16-18 x 7/8 Hx Skt Hd
12
Antiengripante 144 pol-lb
Porto Efluente
28 Parafuso de ajuste de
3/8-16 x 1/2
2
Antiengripante N/A
Alojamento de Retenção
29 5/8-11 x 2-1/4 Hx Hd
4
Antiengripante 197 pol-lb
Pillow Block
30 Pino #8 (7/16-20 x 2-1/2)
4
Antiengripante N/A
Pillow Block
31 Pino #7 (3/24-20 x 2-1/2)
4
Antiengripante N/A
Pillow Block
34 5/16-18 x 3/4 Hx Skt Hd
6
Antiengripante N/A
Flange
de
Caixa
de
Engrenagens a Caixa de
Engrenagens
35 Parafuso de ajuste de 3
mm
**
Antiengripante N/A
Bloqueio de Porta
36 Pino de 3/8 x 1
2
Loctite 680
N/A
Orifício Estriado
37 Anel de Pressão 30 x
1.5mm x 1.4
**
N/A
N/A
Bloqueio de Porta Rotodiff
40 Parafuso de ajuste de
5/16-18 x 1/2
1
Antiengripante N/A
31 de Março de 2010
N/A
300 pol-lb
Polia (Roldana)
Flange para Chave
5-35
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
*2 - 4 nos número de série abaixo de CF000272
2 nos números de série de CF000272 a CF000678
0 nos números de série acima de CF000979
*21 - 4 nos número de série abaixo de CF000272
6 nos números de série de CF000272 a CF000678
9 nos números de série acima de CF000979
**35 & 37 - Não utilizado em números de série acima de CF000678
PEÇAS SOBRESSALENTES RECOMENDADAS
A tabela a seguir lista as peças sobressalentes recomendadas necessárias para apoiar uma
única Centrífuga DE-1000 GBD durante dois anos. No entanto, uma vez que todas as
substituições de peças em potencial não podem ser previstas, o estoque completo de peças
sobressalentes deve ser baseado na experiência do usuário com equipamentos similares.
PEÇAS SOBRESSALENTES RECOMENDADAS - CENTRÍFUGA DE-1000 GBD
Nº da Peça
2 Anos
Qtd
Descrição
Validade
Correia Motriz, Polias de 8" a 10,6” de
Diâmetro
Correia Motriz, Polias de 11,1" a 13,1” de
Diâmetro
Sim
BSS-FNQ2
Fusível, Secundário, CPT
Não
4
BSS-LPCC30
Fusível, Baixo Pico, 30 A, Classe CC
Não
1
C000-RA-110-00
Graxa, Alta Velocidade, Rolamento Principal,
16 Oz.
Sim
CA1595X1/2-6
Base de Montagem do Isolador
Não
4
CHE-SRI-2
Graxa,
Padrão,
Rolamento
Principal/Transportador, Tubo de 14,5 Oz.
Sim
12
CHE-GST-ISO-32
Óleo, Acoplamento de Fluido
Sim
1
CS10-EL-725-00
Fusível, Tempo de Atraso, 1 A, Classe CC
Não
4
CS10-RA-310-00
Retentores do Rolamento Interno de Apoio
Não
2
CS10-RA-311-00
Retentores do Rolamento Interno de Apoio
Não
2
CS10-RA-312-00
Retentores do Rolamento de Encosto
Não
2
CS10-RA-316-00
Anel em O, Parte Superior do Recipiente de
Líquidos
Não
CS10-RA-321-00
Anel em O, Extremidade Externa de Líquidos
Não
1
CS10-RA-322-00
Anel em O, Extremidade Interna de Líquidos
Não
1
CS10-RA-323-00
Anel em O, Acelerador de Alimentação
Não
1
CS10-RA-324-00
Anel em O do Bocal de Alimentação
Não
4
BELT-5G3V-1000
BELT-5G3V-1060
5-36
Sim
1
1
4
2
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
PEÇAS SOBRESSALENTES RECOMENDADAS - CENTRÍFUGA DE-1000 GBD
Nº da Peça
Descrição
Validade
2 Anos
Qtd
CS10-RA-325-00
Anel em O, Extremidade de Sólidos
Não
1
CS10-RA-510-00
Rolamento de Encosto do Transportador
Não
2
CS10-RA-511-00
Rolamento de Apoio ao Transportador
Não
1
CS10-RA-512-00
CS10-RA-513-00
Rolamento
Sólidos
Rolamento
Líquidos
Principal
da
Extremidade
de
Não
Principal
da
Extremidade
de
Não
1
1
CS10-RA-629-TC
Bocal de Alimentação de Tungstênio
Não
4
CS10-RA-630-IC
Inserções Desgastáveis da Descarga de
Sólidos (8 unidades)
Sim
2
Conjuntos
CS10-RA-634-IC
Arado de invólucro
Sim
2 Pares
CS10-RA-650-IC
Arado da parte superior do recipiente
Sim
4 Pares
SHELLOMALA320G
Óleo, Caixa de Engrenagem.
Sim
9537-00
Acelerador de Alimentação
Sim
1
9540-00
Tubo de Alimentação
Não
1
1
SOLUÇÃO DE PROBLEMAS
Embora a falha de equipamento seja improvável, avarias devido a um erro operacional ou outro
problema podem resultar em paralização desnecessária da máquina e deve ser corrigido o mais
rapidamente possível. Os procedimentos de solução de problemas apresentados nesta seção
ajudarão os técnicos a isolar e corrigir avarias.
Procedimento de Solução de Problemas
A análise de falhas deve proceder logicamente da causa mais simples à mais complexa. O
problema mais difícil é um desligamento inesperado ou incapacidade de iniciar. Sempre elimine as
causas óbvias de mau funcionamento antes de prosseguir com possibilidades mais complexas.
Uma vez que mais de uma causa pode ser responsável por mau funcionamento, o técnico deve
proceder metodicamente para eliminar todas as possíveis causas e tomar todas as ações
corretivas a cada passo do processo de solução de problemas. Onde mudanças nos
procedimentos operacionais é o melhor plano de ação, recomendações adequadas estão
incluídas.
Em geral, um desligamento inesperado da centrífuga é devido a uma interrupção de energia
elétrica que tenha desligado o motor de acionamento de 50HP. Componentes de segurança são
instaladas em áreas-chave do sistema de controle elétrico da centrífuga para desligar o motor
elétrico se os parâmetros de segurança, tais como temperatura do motor, vibrações ou torque do
31 de Março de 2010
5-37
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
transportador são excedidas. A interrupção de energia pode ser devido a um ou mais fatores,
incluindo uma falha de energia local.
O gráfico de solução de problemas consiste em modos de falha, possível(eis) causa(s), e plano(s)
de ação recomendado(s). Todas as verificações de continuidade elétrica neste procedimento são
executadas sem o fornecimento de energia elétrica para a centrífuga. Bloqueie (LO) e etiquete
(TO) o equipamento antes de tentar realizar qualquer verificação de continuidade.
ATENÇÃO! VERIFICAÇÕES DE CONTINUIDADE DEVEM SER REALIZADAS
SEM ELETRICIDADE FORNECIDA À CENTRÍFUGA. BLOQUEIE (LO) E
ETIQUETE (TO) ENERGIA ELÉTRICA ANTES DE TENTAR VERIFICAR A
CONTINUIDADE.
Além do gráfico de solução de problemas, o técnico deve consultar a os diagramas esquemáticos e
de fiação na Seção 6, e a descrição e teoria de funcionamento da Seção 1 para obter ajuda
adicional na solução de problemas.
Verificar Se Há Transportadores Entupidos
A solução de problemas deve começar com a determinação se o transportador está entupido. Para
verificar um transportador entupido, proceda da seguinte forma:
1. Desligue, bloqueie (LO) e etiquete (TO) a centrífuga.
2. Remova o conjunto de liberação de sobrecarga da caixa de velocidades e tente girar o eixo do
pinhão redutor enquanto impede o recipiente de girar. Se o pinhão pode ser girado de forma
independente do recipiente, o transportador não está entupido.
3. Limpe o entupimento de transportador através de lavagem com água ou vapor. Se o
transportador não estiver obstruído, continue com os passos da solução de problemas no
respectivo gráfico a seguir.
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DA CENTRÍFUGA - ACIONADOR DA CAIXA DE
ENGRENAGEM
Causa Possível
Procedimento de Isolamento & Ação Corretiva
Modo de Falha 1: Centrífuga Não Inicia
Não há energia elétrica.
Confirme se a alimentação correta é fornecida para centrífuga e que
o contator principal está fechado. Corrija quaisquer defeitos.
Interruptor de vibração
acionado.
Pressione e segure a o botão de reinicialização do interruptor de
vibração, e tente iniciar a centrífuga novamente (consulte a Seção 4
- Operação). Se a máquina falhar ao iniciar ou desligar logo depois
de iniciar, continuar a solução de problemas.
Interruptor de excesso de
torque não reinicia depois
de ativado.
Reinicie a liberação de sobrecarga e o interruptor de excesso de
torque (consulte DER05104). Tente iniciar a centrífuga (consulte a
Seção 4) e monitore vibrações e descargas observando qualquer
anormalidade. Desligue a centrífuga imediatamente ao descobrir
qualquer condição anormal, tal como nenhuma descarga de sólidos.
5-38
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DA CENTRÍFUGA - ACIONADOR DA CAIXA DE
ENGRENAGEM
Causa Possível
Procedimento de Isolamento & Ação Corretiva
Modo de Falha 2: A Centrífuga Inicia, Mas Desliga Logo Após Iniciar
Interruptor de vibração
acionado devido a
vibração excessiva
durante a inicialização.
Pressione e segure a o botão de reinicialização do interruptor de
vibração, e tente iniciar a centrífuga novamente (consulte a Seção 4
- Operação). Se a máquina falhar ao iniciar ou desligar logo depois
de iniciar, continuar a solução de problemas.
Interruptor de excesso de
torque acionado devido
ao torque excessivo do
transportador.
Com a centrífuga totalmente parada, abra a tampa e inspecione o
interior do recipiente e o transportador em busca de sólidos
acumulados obstruindo a rotação. Se a obstrução for evidente, lave
o recipiente e o transportador com água até que a descarga de
líquidos esteja livre de sólidos. Se a água a temperatura ambiente
falhar em eliminar a obstrução, tentar limpar com água quente ou
vapor. Se o enxague com jato de agua falhar em limpar o recipiente
de sólidos, remova o conjunto rotativo, remova o transportador e
limpe manualmente todos os sólidos do transportador e interior do
recipiente. Após a limpeza, reinstale o transportador no recipiente e
reinstale o conjunto rotativo. Inicie a centrífuga novamente (consulte
a Seção 4), e monitore vibrações e descargas observando qualquer
anormalidade. Desligue a centrífuga imediatamente ao descobrir
qualquer condição anormal, tal como nenhuma descarga de sólidos
e continue a solução de problemas.
Modo de Falha 3: Centrífuga Desligou-se Automaticamente
Não há energia elétrica.
Verifique se energia eléctrica está sendo fornecida à centrífuga, e
verifique os fusíveis. Corrija a falta de energia; substitua qualquer
fusível queimado.
Conexões elétricas
incorretas.
Verifique novamente as conexões elétricas (consulte a Seção 3), e
corrija eventuais defeitos.
Interruptor de vibração
acionado.
Pressione e segure a o botão de reinicialização do interruptor de
vibração, e tente iniciar a centrífuga novamente (consulte a Seção
4). Se a máquina falhar ao iniciar ou desligar logo depois de iniciar,
continuar a solução de problemas.
Recipiente entupido com
sólidos causando o
interruptor de excesso de
torque acionar devido ao
torque excessivo do
transportador.
Com a centrífuga totalmente parada, abra a tampa e inspecione o
interior do recipiente e o transportador em busca de sólidos
acumulados obstruindo a rotação. Se a obstrução for evidente, lave
o recipiente e o transportador com água até que a descarga de
líquidos esteja livre de sólidos. Se não for possível limpar o
recipiente de sólidos, remova o conjunto rotativo, remova o
transportador e limpe manualmente todos os sólidos do
transportador e interior do recipiente. Após a limpeza, reinstale o
transportador no recipiente e reinstale o conjunto rotativo. Reinicie a
liberação de sobrecarga e o interruptor de limite de excesso de
torque.
31 de Março de 2010
5-39
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DA CENTRÍFUGA - ACIONADOR DA CAIXA DE
ENGRENAGEM
Causa Possível
Procedimento de Isolamento & Ação Corretiva
Motor de acionamento
superaquecido e / ou
sobrecargas térmicas do
inicializador ativado
devido ao excessivo
consumo de corrente.
Espere tempo suficiente para que a sobrecarga restaure-se, e
depois pressione o botão de RESTAURAÇÂO do inicializador da
centrífuga. Pressione o botão LIGAR CENTRÍFUGA para tentar
iniciar a centrífuga novamente. Se a máquina inicializar, monitore
vibração e descargas observando qualquer anormalidade. Desligue
a centrífuga imediatamente ao descobrir qualquer condição anormal,
tal como pressão alta e / ou alta temperatura do fluido. Determine a
causa da anomalia e corrija antes de tentar iniciar a centrífuga
novamente.
Com a energia desligada e o botão CENTRÍFUGA LIGADA
pressionado, verifique a continuidade elétrica a partir do fio número
X1 do interruptor CENTRÍFUGA LIGADA ao aterramento. Se um
circuito aberto for encontrado, verifique se há continuidade até o
aterramento dos componentes do sistema de controle nos seguintes
números de fios:
De
Para Se Não Há Continuidade
X1
2
Pressione CENTRÍFUGA LIGADA & repita verificação
2
4
Pressione os botões RESTAURAR & repita
verificação
4
5
Pressione o botão de restauração do interruptor de
vibração
5A
6
Espere o motor esfriar & repita verificação
Se qualquer teste falhar, substitua o componente entre os pontos
de teste afetados.
Se a continuidade for encontrada em todos os pontos acima,
verifique a continuidade a partir do fio número 6 para o aterramento.
Se a continuidade não for encontrada, substitua o relé CR1 da
centrífuga.
Verifique a continuidade entre os terminais de enrolamento do motor
T1, T2 e T3 em separado ao aterramento. Substitua o motor se a
continuidade não for encontrada a partir de qualquer enrolamento ao
aterramento. Se a continuidade for encontrada de todos os
enrolamentos ao aterramento, repita todos os testes de continuidade
para localizar o(s) componente(s) do sistema de controle com
defeito. Substitua o(s) componente(s) defeituoso(s).
Pressione o botão RESTAURAR inicializador da centrífuga e então
tente iniciar a centrífuga novamente. Se a máquina inicializar,
monitore vibração e descargas observando qualquer anormalidade.
Desligue a centrífuga imediatamente ao descobrir qualquer condição
anormal, tal como pressão alta e / ou alta temperatura do fluido.
Determine a causa da anomalia e corrija antes de tentar iniciar a
centrífuga novamente.
5-40
31 de Março de 2010
MANUTENÇÃO
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DA CENTRÍFUGA - ACIONADOR DA CAIXA DE
ENGRENAGEM
Causa Possível
Procedimento de Isolamento & Ação Corretiva
Modo de Falha 4: A Bomba de Alimentação Falha em Iniciar
Motor da bomba de
alimentação
sobreaquecido devido à
excessivo consumo de
corrente.
Espere tempo suficiente para o motor esfriar e, em seguida,
pressione o botão LIGAR BOMBA para tentar iniciar a bomba de
alimentação novamente. Se a bomba inicializar, ajuste a taxa de
alimentação para evitar sobrecarga e monitore a operação até estar
confiante de nenhuma nova ocorrência.
Motor da bomba
superaquecido e / ou
sobrecargas térmicas de
acionador ativadas
devido ao excessivo
consumo de corrente.
Espere tempo suficiente para que a sobrecarga do inicializador esfrie
e depois pressione o botão de RESTAURAÇÂO do inicializador da
bomba. Pressione o botão LIGAR BOMBA para tentar iniciar a
bomba de alimentação novamente. Se a bomba inicializar, ajuste a
taxa de alimentação para evitar sobrecarga e monitore a operação
até estar confiante de nenhuma nova ocorrência.
Relé de execução de
bomba CR2 com defeito.
Desligue, bloqueie (LO) e etiquete (TO) energia elétrica para a
centrífuga. Desligue o fio 10 do relé CR1 da centrífuga e verifique a
continuidade a partir do terminal 10 ao aterramento. Se a
continuidade não for encontrada, substitua o relé.
Modo de Falha 5: Vibração Excessiva Faz o Interruptor de Vibração Acionar
Queda do reboco ou
ladrilhos desalojado
causando desequilíbrio
do recipiente.
Com a centrífuga totalmente parada, abra a tampa e inspecione o
interior do recipiente e o transportador em busca de sólidos
acumulados em um lado do recipiente. Lave o recipiente e o
transportador com água até que a descarga de líquidos esteja livre
de sólidos. Se não for possível limpar o recipiente de sólidos ou se
ladrilhos desalojados forem encontrados, remova o conjunto rotativo,
remova o transportador e limpe manualmente todos os sólidos e
ladrilhos desalojados do transportador e interior do recipiente. Após
a limpeza, reinstale o transportador no recipiente e reinstale o
conjunto rotativo.
Caixa de engrenagens
desalinhada
Calçe a caixa de engrenagem em conformidade com Manutenção
Preventiva.
Componentes
folgados/soltos.
Verifique se há componentes folgados ou soltos e reaperte se
necessário.
Rolamentos desgastados
Inspecione e substitua os rolamentos, se gastos.
Conexões flexíveis não
instaladas
Instale conexões flexíveis onde forem necessárias.
Modo de Falha 6: Aridez Incompleta
Profundidade do poço
funda demais
Ajuste as portas de descarga de líquidos na parte superior do
recipiente.
Velocidade do
transportador alta demais
Reduza a velocidade do transportador.
31 de Março de 2010
5-41
Centrífuga DE-1000GBD
MANUTENÇÃO
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DA CENTRÍFUGA - ACIONADOR DA CAIXA DE
ENGRENAGEM
Causa Possível
Procedimento de Isolamento & Ação Corretiva
Taxa de alimentação alta
demais
Reduza a taxa de alimentação.
Velocidade do recipiente
baixa demais.
Aumente a velocidade do recipiente.
Modo de Falha 7: Clareza do Líquido de Descarga Inaceitável
Profundidade do poço
rasa demais
Ajuste as portas de descarga de líquidos na parte superior do
recipiente.
Temperatura de
alimentação alta demais.
Ajuste a temperatura
Degradação da
alimentação.
Verifique tamanho da partícula da alimentação. Se for muito grande,
desligue a alimentação à centrífuga até que a alimentação seja
satisfatória.
5-42
31 de Março de 2010
SEÇÃO 8 - DESENHOS DE REFERÊNCIA
GERAL
Esta seção contém desenhos de engenharia Derrick para o seu equipamento. Estes desenhos
são incluídos para fornecer assistência na solução de problemas, reparo e encomenda de peças.
Número
Título
13744-00 - Arranjo Geral - Centrífuga DE-1000 GBD
9587-00-001 - Conjunto Rotativo - Centrífuga DE-1000 (Fluxo Radial)
9587-00-003 - Conjunto Rotativo - Centrífuga DE-1000 (Fluxo Axial)
11372-01 - Unidade da Engrenagem - Centrífuga DE-1000 GBD - 52:1
11372-02 - Unidade da Engrenagem - Centrífuga DE-1000 GBD - 125:1
13223-00 - Conjunto de Lançamento de Sobrecarga - Centrífuga DE-1000 GBD 125:1 & 52:1
10147-00 - Esquema do Controle Elétrico - Centrífuga DE-1000 GBD
10141-00-001 - Diagrama do Cabeamento Elétrico - Centrífuga DE-1000
10647-00-002 - Programação da Manutenção e Lubrificação - Centrífuga DE-1000
10785-00-006 - Diagrama dos Cabos elétricos/Eletrodutos
11171-00 - Diagrama esquemático da Alta Voltagem - Centrífuga DE-1000 (50/60
Hz)
13275-00-004 - Conjunto de Caixa de Controle - Centrífuga DE-1000 GBD
14894-00 - Conjunto Rotativo - Lista de peças
15 de Fevereiro de 2010
8-1
Centrífuga DE-1000GBD
SEÇÃO 9 - REGISTOS DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO
OBJETIVO
Esta seção deve ser utilizada pelos funcionários de operação e manutenção para registrar
informações históricas recolhidas durante a instalação e operação do equipamento Derrick. Se
for devidamente mantido, o registro será útil para alterar os intervalos de manutenção e
interceptar as tendências que podem indicar a necessidade de alterar procedimentos
operacionais. Cada entrada no registro deve ser datada para futuras referências e
monitoramento. Se necessário, páginas adicionais podem ser acrescentadas ao registo
copiando-se uma página em branco ou simplesmente inserindo-se papel pautado na parte
traseira da seção.
Notas de Instalação e Manutenção:
04 de Maio de 2009
9-1
Centrífuga DE-1000GBD
REGISTRO DE INSTALAÇÃO & MANUTENÇÃO
9-2
04 de Maio de 2009
REGISTRO DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO
04 de Maio de 2009
9-3
Centrífuga DE-1000GBD
REGISTRO DE INSTALAÇÃO & MANUTENÇÃO
9-4
04 de Maio de 2009
REGISTRO DE INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO
04 de Maio de 2009
9-5
Centrífuga DE-1000GBD
REGISTRO DE INSTALAÇÃO & MANUTENÇÃO
9-6
04 de Maio de 2009
SEÇÃO 10 - DADOS DO FORNECEDOR
GERAL
Esta seção contém manuais, boletins, instruções e outros dados técnicos dos fabricantes para
componentes instalados na centrífuga. Consulte a Seção 8 para os desenhos do conjunto
Derrick, listas de peças e diagramas elétricos.
COMPONENTES ELÉTRICOS
COMPONENTE
DESCRIÇÃO
Motor Modelo M7064T-I da Baldor
Interruptor Absorvedor de
Choque/Vibração Modelo VS2EX
DOCUMENTO
Desenho do Layout
12LYS077
Diagrama de Conexão
CD1080
Dados & Especificações de
Desempenho
Sem Número
Instruções de instalação
VS-7037N
COMPONENTES MECÂNICOS
COMPONENTE
DESCRIÇÃO
DOCUMENT
O
Embreagem de Lançamento de
Sobrecarga Gear Boston
Instruções de Instalação &
Manutenção
ORC Série S
Acoplamento de Fluido de Kraft
Transfluid
Instruções de Instalação &
Manutenção
0603-148US
04 de Maio de 2009
10-1
Centrifuga DE-1000GBD
Performance Data: CL5001A
Product Nameplate Data :
Rated Output
.33 HP
Hertz
60
NEMA Nom. Eff.
60
Volts
115/208-230
Phase
1
Power Factor
60
Full Load Amps 6/3.2-3
NEMA Design Code N
Service Factor
1
Speed
LR KVA Code
Rating - Duty
40C AMB-CONT
1725
L
(Typical performance - Not guaranteed values)
General Characterstics at 230 V, 60 Hz, 0.33 HP
Full Load Torque
1 LB-FT
Starting Current
13 Amps
Start Configuration
DOL
No-Load Current
2.6 Amps
Break Down Torque
2.95 LB-FT
Line-line Resistance @ 25° C
6.32 Ohms
Pull-Up Torque
2.55 LB-FT
Temperature Rise, C @ FL (in deg)
59
Locked-Roter Torque
3.6 LB-FT
Temp. Rise @ S.F. Load (in deg)
0
Load Characteristics at 230 V, 60 Hz , 0.33 HP
% of Rated Load
25
50
75
100
Power Factor
31
41
52
60
Efficiency
33
41
52
60
Speed (rpm)
1780
1760
1745
1725
Line Amperes
2.6
2.7
2.8
3
* For certified information, contact your local Baldor office.
125
150
S.F.
67
73
0
61.5
61.5
0
1705
1680
0
3.3
3.7
0
Boston Gear®
ORC Series
Trig-O-Matic™
Overload Release Clutches
Installation and Maintenance Instructions
Doc. No.
ORC Series
Model S
www.bostongear.com
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
ORC SERIES
TRIG-O-MATIC™
OVERLOAD RELEASE CLUTCHES –
STANDARD MODEL S
INSTALLATION AND MAINTENANCE
INSTRUCTIONS
Reset Spring
Housing
I. INTRODUCTION
A. Operating Principle
The ORC Series, Model S Overload Release Clutch
consists of two basic components: the rotor and the
housing assembly. The clutch rotor is keyed and
secured to a shaft with a setscrew.
The housing assembly includes a drive pawl and a reset
pawl which are pivoted within the clutch housing. The
drive pawl is held engaged in the rotor notch by the
combined compression of the drive and reset springs as
shown in Figure 1. The combined compression of these
two springs determines the maximum torque which will be
transmitted without overload. With the clutch in the
engaged position shown in Figure 1, the rotor and the
housing are held together and the entire unit rotates with
the drive shaft at the same speed.
Drive Pawl
Engaged With
Rotor
Limit Switch Pin
Retracted
Rotor
Drive Spring
FIGURE 1 ENGAGED
TABLE OF CONTENTS
I. Introduction
A. Operating Principle
B. Resetting Instructions . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
C. Torque Adjustment . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2
Il. Mounting Sprockets or Sheaves to Clutch
A. Type T Housing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3, 4
B. Type B Housing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3, 4
Ill. Locating and Mounting Clutch and Couplings to Shaft
A. Location . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
B. Mounting the Basic Clutch . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
C. Mounting Type “C” Flexible Coupling. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
D. Mounting Type “N” Index and Type “R” Rigid Coupling . . . . . . . . . . . . . . 7
IV. Limit Switches . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
V. General Maintenance
A. Lubrication. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
B. Annual Inspection . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8
Vl. Repair Instructions
A. General Disassembly . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
B. Basic Unit Assembly. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9
C. Torque Verification . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
D. Limit Switch Actuating Mechanism Assembly . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11
Catalog Numbers . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13, 15
Exploded View Drawing . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12, 14
1
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
When an overload occurs, the rotor rotates from its
normal position within the housing. At this instant, the
combined compression of the drive and reset springs is
overcome. For a manual reset clutch, the drive pawl is
forced out of its engaged position from the rotor and as it
pivots up, the reset pawl lifts and locks the drive pawl out
of contact with the rotor as shown in Figure 2. The clutch
is then free to rotate until it is reset. For a clutch with the
automatic reset feature, the reset pawl applies pressure
to the top of the drive pawl, holding it in contact with the
rotor as shown in Figure 3.
Reset Pawl
Engages Notch
in Drive Pawl
Limit Switch Pin
Extended
2. Automatic Reset
After one complete revolution the drive pawl will
automatically return to its original engaged position.
After the overload condition has been corrected “jog”
the drive until the drive pawl engages with the rotor.
C. Torque Adjustment
The clutch is supplied with a torque selector dial. This dial
makes torque adjustments on the clutch possible. There
are mill marks on the housing near the hole stamped 9 on
the outside diameter of the housing. The mill marks have
stamped values indicating a set, or minimum and
maximum torque (see Figure 5). If a drastic change in
torque is desired, it may be necessary to change springs.
See Section Vl for spring replacement.
1. Increasing the Torque.
a. Disengage the clutch.
Manual
Reset Screw
Drive Pawl Locked
Out Of Contact
with Rotor
b. Turn the torque adjustment screw clockwise until it
is flush with the milled depth of the desired torque
setting and the red scribed lines are in line with
each other.
c. Reset the clutch and check its operation.
2. Decreasing the Torque.
a. Make sure that the clutch is engaged.
FIGURE 2 DISENGAGED MANUAL
Reset Pawl Holds
Drive Pawl in Contact
With Rotor
Limit Switch Pin
Extended
Drive Pawl
Disengaged From
Rotor
b. Turn the torque adjustment screw counterclockwise until it is flush with the milled depth of the
desired torque setting and the red scribed lines are
in line with each other.
c. Disengage the clutch and check its operation.
3. See Figure 6 for Limit Switch Actuating Mechanism
adjustment.
(Stamped 9)
Actuating
Pin
Drive Pawl
Reset Spring Screw
Reset Spring
Housing
Reset Pawl
Rotor
(Stamped 20)
(Stamped 22)
Access Screw
FIGURE 3 DISENGAGED AUTOMATIC
B. Resetting Instructions
1. Manual Reset
a. After the overload condition has been corrected,
rotate the drive until the rotor keyway is in
alignment with the hole stamped 22 located on the
outside diameter of the housing (see Figure 4).
b. Reset the clutch by inserting a hex wrench into the
reset screw shown in Figure 4, and turn the screw
clockwise until the reset pawl releases the drive
pawl. Refer to Table 5 for the proper wrench size.
Note:
Be sure not to use a powered wrench as it may
cause damage to the reset pawl and/or reset
spring!
c. When the drive pawl enters the rotor notch, turn the
wrench counterclockwise until the reset screw has
stopped at its original position, which is
approximately flush with the O.D. of the clutch
housing. This is essential to restore the torque to its
original setting.
BOSTON GEAR ®
Rotor Setscrew
Drive Spring Screw
(Stamped 26)
Drive Spring
(Stamped 8)
FIGURE 4 – CLUTCH INTERNAL COMPONENTS
Milled Depth For
Set or Min. Torque
Torque Adjusting Screw
Square Wrench Socket
Reset Spring
Disc
Milled Depth
For Max. Torque
Lock Screw
Maximum Torque
Limit Stop Pin
FIGURE 5
ORC Series, Model S
2
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
LIMIT SWITCH ACTUATING MECHANISM (LSAM)
If the torque output of the
clutch is altered, it may be
necessary to adjust the
actuating mechanism. This
is accomplished by first
disengaging the clutch,
then removing access plug
#5 and inserting an allen
wrench into the actuating
adjusting screw #29. (Refer
to Table 5 for wrench
sizes). Rotate adjusting
screw #29 until the spring
pressure applied by the
actuating spring #28
against the actuating stud
32
nut #39 is sufficient to
release the actuating
plate #31. The
adjustment should then
be tested by resetting the
clutch and then
disengaging it. If the
adjustment is correct, the
actuating plate will
release at the exact time
of clutch disengagement.
38
Replace plug #5.
5 Adjustment
Access Plug
35
35 Release Ring
31
31 Actuating Plate
32 Trip Pin
38 Return Spring
39 Actuating Stud
Nut
28 Actuating Spring
29 Actuating
Adjusting Screw
30 Spring Mounting
Screw
5
43 30
39
28
43 Spring Terminal
29
FIGURE 6
TABLE 1 - SPROCKET MOUNTING SCREW SEATING TORQUES
II. MOUNTING SPROCKETS OR SHEAVES
TO CLUTCH
Size
A. Type T Housing (Refer to Figure 7)
1. Inspect mating pilots on clutch and sprocket or
sheave for nicks or burrs and remove as required.
Screw
Size Qty.
Dowel
Size
Qty.
Seating
Torque
Ream
Size
1
1/4-20
3
1/4
1
150 in-lb
.2495
2
5/16-18
3
5/16
1
305 in-lb
.3120
2. Position sprocket or sheave on housing and align
dowel pin holes.
3
3/8-16
4
3/8
1
545 in-lb
.3745
4
1/2-13
4
1/2
1
1,300 in-lb
.4995
3. Attach sprocket or sheave to housing with mounting
bolts and high collar lock washers. Refer to Table 1
for recommended seating torques.
5
5/8-11
6
5/8
1
2,530 in-lb
.6245
6
5/8-11
6
5/8
1
2,530 in-lb
.6245
4. Finish ream sprocket or sheave for dowel pin. Refer
to Table 1 for dowel pin and recommended ream
sizes.
B. Type B Housing
A Type B is a basic unit and is sold without any
mounting hole arrangement. It is modified by the
customer for special applications. Refer to Figure 8.
5. Install dowel pins to a point where they bottom in
housing.
TABLE 2 - MINIMUM NUMBER OF TEETH OF STANDARD PLATE SPROCKETS ADAPTABLE TO TYPE T CLUTCH
CHAIN SIZE AND PITCH
#60
#80
3/4
1
Pitch
Pitch
Clutch
Size
#25
1/4
Pitch
#35
3/8
Pitch
#40
1/2
Pitch
#41
1/2
Pitch
#50
5/8
Pitch
#100
1-1/4
Pitch
#120
1-1/2
Pitch
#140
1-3/4
Pitch
#180
2
Pitch
1
40
28
22
22
18
—
—
—
—
—
—
2
54
36
28
28
22
19
—
—
—
—
—
3
X
45
34
36
28
25
19
—
—
—
—
4
X
X
42
45
36
30
23
19
—
—
—
5
X
X
X
X
42
36
30
22
19
17
—
6
—
—
X
X
X
48
36
30
24
21
19
Notes:
1. X - On Application Only.
2. For smaller sprockets consult factory. As in most cases, a design modification can be made.
3
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
6 Tapped Holes at 60º
4 Tapped Holes at 90º
3 Tapped Holes at 120º
60º Typ.
0 Typ.
20 Typ.
14ú
º
15º
20º
60º
20º
60º
1 Dowel Hole at 60º
30º
1 Dowel Hole at 30º
14º
Sizes 3 and 4 Mounting Hole Pattern
Sizes 1 and 2 Mounting Hole Pattern
1 Dowel Hole at 14º
Sizes 5 and 6 Mounting Hole Pattern
FIGURE 7 – TYPE T STANDARD MOUNTING HOLE PATTERNS
TABLE 3 - TYPE T MOUNTING HOLE PATTERNS
Size
Thread
Depth
Bolt
Circle
1
2
3
4
5
6
1/4-20
5/16-18
3/8-16
1/2-13
5/8-11
5/8-11
.50
.50
.62
.87
1.00
1.00
2.375
3.000
4.125
5.000
6.250
8.750
TABLE 4 - TYPE B HOUSING DIMENSIONS
Pilot Dia.
+.000
-.002
1.875
2.250
3.250
3.203
4.125
6.000
Notes:
1. Mounting bolts must be minimum 160,000 PSI tensile, Rc 36-43.
2. Dowel pins must be minimum 150,000 PSI shear, Rc 50-58 core
hardness.
"B"
Size
A
B
C
D
E
1
2
3
4
5
6
.81
.90
1.25
1.56
1.94
2.62
.81
1.25
1.62
2.12
2.62
3.50
1.06
1.37
1.94
2.37
3.00
3.87
.11
.18
.29
.43
.58
.90
.31
.37
.50
.56
.69
.87
F
+.000
-.002
1.500
1.875
2.750
2.828
4.000
5.500
G
.69
.81
.94
1.48
1.62
2.00
Note:
The “E” Dimension on Table 4 shows pawl trunnion holes. These
holes are not through holes and they should be avoided when
mounting a coupling, sprocket, etc. to the clutch.
"C"
"E" Dia. Typ.
"G"
"A"
"D"
"F"
Dia.
FIGURE 8 – TYPE B HOUSING CONFIGURATION
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
4
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
III. LOCATING AND MOUNTING CLUTCH
AND COUPLINGS TO SHAFT
Flexible Coupling
A. Location
The clutch should always be located as close as
possible to the source of an overload condition. Figures
9 through 12 indicate both preferred and not preferred
locations for mounting an ORC Series, Model S
Overload Release Clutch.
Note:
Clutch mounted sprockets, etc. and couplings
should be positioned as close to a supporting
bearing as possible to minimize overhung loads. A
minimum shaft engagement of 1-1/2 times the shaft
diameter is recommended for clutch and coupling
flange installation.
1. Direct Drives
a. Figure 9 shows the preferred location for
mounting in a direct drive application. The clutch
is mounted on the low speed side of the reducer,
and transmits power from its housing, through its
rotor to the driven shaft.
Overload Clutch
Coupling
Half
Motor
Reducer
Machine
FIGURE 9
Coupling Half
Overload Clutch
Flexible Coupling
b. Locating the clutch as shown in Figure 10 is not
preferred. Here the clutch is mounted on the
high-speed side of the reducer. Generally,
mounting in this manner requires the clutch to be
hypersensitive to perform satisfactorily.
Motor
Reducer
2. Indirect Drives
a. Either location of the clutch shown in Figure 11 is
preferred in indirect drive applications.
FIGURE 10
b. The mounting location in Figure 12 is not
preferred for the same reasons as those for
Figure 10. Always consult the factory when a
mounting of this type is necessary.
B. Mounting Basic Clutch
1. Inspect shaft and key for any nicks or burrs and
remove any that may be present.
2. Remove the access screw from the hole stamped 22
outside of the clutch housing. Make sure that the
clutch is engaged where the rotor keyway is in line
with the hole stamped 22.
Machine
Driving
Member
Driven Machinery
Overload Clutch
Location
Driving
Member
3. Position shaft key and slide clutch onto shaft.
4. Align sprocket or sheave mounted to clutch with
mating sprocket or sheave in drive train. Refer to
installation and alignment instructions furnished with
sprocket or sheave.
FIGURE 11
Overload Clutch
Motor
Reducer
FIGURE 12
5
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
TABLE 5 - WRENCH SIZE CHART
Clutch
Size
1
2
3
4
5
6
Drive
Spring
Screw
Hex
Wrench
3/16
1/4
5/16
5/16
3/8
3/4
Reset
Spring
Screw
Square
Wrench
3/8
3/8
1/2
1/2
1/2
3/4
Manual
Reset
Screw
Hex
Wrench
3/16
1/4
5/16
3/8
1/2
1/2
5. Select the correct hex wrench from Table 5 and
insert it through the hole stamped 22 in the housing.
Tighten the rotor setscrew securing the clutch to the
shaft.
Note:
Turn wrench clockwise only! Do not remove
setscrew from rotor!
Refer to Table 6 for recommended setscrew seating
torques.
6. Remove the hex wrench and replace access screw
in the housing.
C. Mounting Type “C” Flexible Coupling
1. After the clutch has been mounted on its shaft as
explained in Section lll, inspect the coupling shaft
and key for any nicks or burrs and remove any that
are present.
2. Make sure that the coupling shaft keyway is in
alignment with the clutch shaft keyway. Position shaft
key and slide coupling onto the appropriate shaft.
3. Slide the coupling flange onto the coupling studs.
The coupling flange and adapter should be
separated by a gap of 1/8”.
4. Secure the coupling to drive shaft by tightening the
two setscrews located in the hub of the flange. Refer
to Table 7 for recommended coupling setscrew
seating torques.
Rotor
Setscrew
Hex
Wrench
Access
Screws
Hex
Wrench
Locking
Screw
Hex
Wrench
Adjustment
Screw
Hex
Wrench
3/32
1/8
3/16
1/4
5/16
5/16
1/8
5/32
3/16
5/16
5/16
5/16
3/32
3/32
1/8
1/8
1/8
1/8
1/16
5/64
1/8
1/8
1/8
1/8
TABLE 6 - ROTOR SETSCREW SEATING TORQUES
Size
l
2
3
4
5
6
Screw Size
10-32
1/4-28
3/8-24
1/2-20
5/8-18
5/8-18
Seating Torque
36 in-lb
87 in-lb
290 in-lb
620 in-lb
1,325 in-lb
1,325 in-lb
TABLE 7- COUPLING SETSCREW SEATING TORQUES
Size
1
2
3
4
5
6
Setscrew Size
5116-18
3/8-16
3/8-16
1/2-13
1/2-13
1/2-13
Seating Torque
165 in-lb
290 in-lb
290 in-lb
620 in-lb
620 in-lb
620 in-lb
Straightedge
Coupling Parallel Alignment
1
2
3
4
5
Offset
5. Parallel Alignment
a. Place a straightedge across the clutch housing
and coupling flange as shown in Figure 13.
b. Measure the offset around the periphery of these
two components without rotating the shafts.
c. If the difference in offset from any two points 180
degrees apart exceeds the maximum value
shown in Table 8, the shafts must be realigned.
6. Angular Alignment
a. Measure the gap around the periphery between
the coupling flange and the clutch housing
without rotating the shafts. Refer to Figure 14.
FIGURE 13
b. If the difference between any two points 180
degrees apart exceeds the maximum angular
misalignment shown in Table 8, the shafts must
be realigned.
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
6
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
c. If a correction is required to satisfy angular
alignment requirements, then recheck the parallel
alignment.
TABLE 8 - TYPE “C” MISALIGNMENT
Maximum Allowable Misalignment
5. Secure the coupling to the drive shaft by tightening
the two setscrews located in the hub of the flange.
Refer to Table 7 for recommended setscrew seating
torques.
6. Parallel Alignment
Parallel
Angular
a. Place a straightedge across the clutch housing
and coupling flange as shown in Figure 13.
1
.012”
.074”
b. Measure the offset around the periphery of these
two components without rotating the shafts.
2
.015”
.091”
c. The shafts must be aligned until no offset exists or
is equal at all points around the periphery.
3
.016”
.102”
4
.027"
.159”
5
.031"
.183”
7. Angular Alignment
a. Measure the gap around the periphery between
the coupling flange and clutch housing without
rotating the shafts. Refer to Figure 14.
6
.045”
.231”
b. The shafts must be aligned until no gap exists or
is equal at all points around the periphery.
Size
c. If a correction is required to satisfy angular
alignment requirements, then recheck the parallel
alignment.
Note:
The Type “N” and “R” coupling connection is
rigid and does not allow for forgiveness of
parallel or angular misalignment. To eliminate
unnecessary bearing loads, both shafts must be
in near perfect alignment.
8. Loosen the coupling setscrews and attach coupling
to clutch with hex head bolts and flat washers. Refer
to Table 9 for recommended bolt seating torques.
Secure coupling to drive shaft by tightening the
setscrews to the recommended seating torques in
Table 7.
TABLE 10 - COUPLING MOUNTING BOLT SEATING TORQUES
Size
Bolt Size
Seating Torque
1
5/16-18
160 in-lb
FIGURE 14
2
3/8-16
280 in-lb
D. Mounting the “N” Index Coupling and Type “R” Rigid
Coupling
1. After the clutch has been mounted on its shaft as
explained in Section lll, inspect mating pilots of clutch
and coupling for any nicks or burrs and remove any
that are present.
3
1/2-13
700 in-lb
4
5/8-11
1,200 in-lb
5
5/8-11
1,200 in-lb
2. Inspect coupling shaft and key for any nicks or burrs
and remove any that are present.
6
5/8-11
1,200 in-lb
Feeler Gage
3. In the case of a Type “R”, make sure that the
coupling shaft keyway is in alignment with the clutch
shaft keyway. Position the shaft key and slide the
coupling flange onto the shaft.
4. Slide the coupling onto the clutch housing making
sure that the coupling pilot fits into the housing pilot
and that the mounting holes are aligned. In the case
of a Type “N” index coupling, make sure that the
desired mounting slots are aligned with the clutch
housing mounting holes.
7
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
The actuating plate must be reset by manually pushing
it back into position. The clutch must be engaged when
resetting the plate or the plate will not reset when the
clutch is disengaged.
IV. LIMIT SWITCHES
The ORC Series, Model S Overload Release Clutch is
available with two types of limit switch actuators, a limit
switch pin (LSAP) and a limit switch actuating mechanism
(LSAM).
A. Limit Switch Pin
A Limit Switch Pin is furnished as a standard item to
activate a limit switch that triggers the electrical controls.
The Limit Switch Pin protrudes radially from the clutch
housing and its travel is controlled by the drive pawl
motion upon disengagement. The Limit Switch Pin can
be used if the housing continues to rotate when an
overload occurs and the rotor stops, i.e, the housing is
the driver and the rotor is the driven. Housing RPM has
to be considered to determine the time for the Limit
Switch Pin to revolve around before contacting the limit
switch. See Figure 15 for Limit Switch Pin Travel.
The standard Limit Switch Pin extension is 1 inch from
the outside diameter of the clutch housing. It can also
be made flush with the surface of the housing in an
engaged position.
B. Limit Switch Actuating Mechanism
A Limit Switch Actuating Mechanism provides instant
operation of a limit switch to immediately shut down the
drive or actuate an alarm should an overload occur.
The mechanism is entirely contained in the clutch cover
and is actuated by the motion of the drive pawl. When
an overload occurs, the drive pawl motion releases the
actuating plate and it trips a limit switch. The total travel
of the plate is 5/16 of an inch (see Figure 15).
A limit switch should be able to operate within the plate
travel of 5/16 of an inch. The switch should be wired in
parallel with a jog circuit so that the drive can then be
indexed to the start/run circuit.
V. GENERAL MAINTENANCE
A. Lubrication
The Overload Release Clutch is prelubricated at the
factory and is also equipped with a grease pack fitting.
For optimum performance and wear resistance it is
suggested that the clutch be lubricated with a Bentone
type, NLGI grade 0 grease. The lubrication schedule
should be in accordance with good operating practices
for the equipment on which the clutch is mounted. The
clutch is also supplied with a grease relief fitting. When
there is enough grease in the clutch any excess grease
will be extruded through the relief fitting.
B. Annual Inspection
The Overload Release Clutch is constructed of heavy
duty materials. Under reasonably clean conditions the
unit will operate with a minimum of maintenance. A
scheduled annual inspection of bearings, pawls, rotor,
springs, tripping mechanism, and other internal
components is suggested. However, the actual
frequency should be in accordance with good operating
practices for the equipment on which the clutch is
installed.
Limit Switch Pin Travel
Size
Travel
Limit Switch Pin
Standard
Limit
Switch
Pin
1
.13"
2
.13"
3
.13"
4
.13"
5
.13"
6
.25"
Limit
Switch
Limit
Switch
Optional
Limit
Switch
Actuating
Mechanism
Start
Jog
Start
Jog
Stop
ORC
Overload
Clutch
Limit Switch Actuating Mechanism
Stop
To Motor
ORC
Overload
Clutch
To Motor
FIGURE 15 – LIMIT SWITCH LAYOUT
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
8
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
11. Remove the housing (1) from the mounting surface
and press out the rotor (12).
VI. REPAIR INSTRUCTIONS
A. General Disassembly
1. All item numbers in parenthesis will refer to the key
numbers shown in the clutch exploded view drawing
and parts identification tables.
2. Place the clutch preferably in a three-jaw chuck with
the actuating plate or cover facing up.
12. If clutch is manual reset, remove the reset screw (24)
by turning clockwise into the housing.
13. Inspect hardened bushings (3) in housing (1) and
cover (8) for excessive wear.
14. Replace any worn or broken parts.
3. There are two locking screws (25) located on the
face of the cover which lock down the reset spring
screw (14) and the drive spring screw (21). Loosen
these screws to relieve the pressure on the drive
spring screw and reset spring screw.
B. Basic Unit Assembly
1. If clutch is manual reset, install the reset screw (24)
from the inside of the housing turning counterclockwise until the reset screw pin stops the screw
from turning.
4. Turn the reset spring screw (14) counterclockwise to
relieve the compression on the reset spring (19).
2. Press the long end of rotor (12) into housing
bearing (2).
5. Remove the sealing wax from the drive spring screw
(21) and turn the screw counterclockwise to relieve
the compression on the drive spring (18).
3. This step is for manual reset only. Go to next step
for automatic reset. Install the drive pawl (10) into
the appropriate hole in the housing (1), and the
reset pawl (11) into its appropriate hole in the
housing. Check the fit of the reset pawl into the
notch of the drive pawl with the clutch disengaged.
The reset pawl should fit approximately one-third of
the way into the notch. Grinding the nose of the
reset pawl may be necessary to obtain the proper fit
(see Figure 17).
6. Remove the cover screws (27).
7. Pry off the cover (8). Use care not to break the inner
pilot of the cover (see Figure 16).
8. Remove the reset screw (14) and take out the reset
spring (19), and the ball thrust (20) through the hole
stamped 9.
Cover
Excessive Force
May Break Inner
Pilot of Cover
Reset Pawl About 1/3
into Notch of Drive Pawl
14
Reset Screw Flush With
Surface of Housing
15
11
Pry Bar
Pry Bar
1
24
Housing
10
21
12
FIGURE 16
9. Remove the reset pawl (11 ) by simply lifting out.
18
FIGURE 17
10. Remove the drive pawl (10) and the drive spring
(18). This will require a little more effort because of
the slight pressure on the drive spring.
9
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
4. Remove the drive pawl (10). The drive pawl and the
drive spring (18) will have to be installed
simultaneously. If a drastic change in torque is
desired, use this step to change the drive spring.
Place one end of the drive spring over the drive
spring thrust washer (22). Insert the knob of the drive
pawl into the other end of the drive spring. Insert the
trunnion of the drive pawl into the hardened bushing
in the housing, while the nose of the drive pawl fits
into the notch of the rotor (12).
C. Torque Verification
1. Place the clutch in a chuck or vise with the cover
facing upward.
2. Insert the appropriate size arbor and key into rotor
(see Figure 18).
5. Coat the inside of the housing and all components
with a quality all-purpose grease. A Bentone type,
NLGI grade 0 grease or equivalent is recommended.
6. Insert the reset spring disc (15) inside the reset
spring screw (14). Apply grease to the surface of the
disc.
7. If a drastic change in torque is desired, use this step
to change the reset spring. Place the reset spring
(19) on the surface of the reset spring disc. Apply
grease to the end of the ball thrust (20) and insert
ball thrust into the reset spring.
8. Apply grease to the threads of the reset spring screw
(14) and insert the assembly of the reset spring
screw, reset spring disc (15), reset spring (19), and
ball thrust (20) through the hole stamped 9 on the
housing. Tighten the reset spring screw until it is
flush with the surface of the housing (Figure 17).
Torque Wrench
Arbor
Trig-O-Matic Clutch
Vice or Chuck Jaws
FIGURE 18
9. Fill the entire housing cavity with grease to ensure a
proper grease packing.
3. Turn the drive spring screw (21) clockwise until it is
flush with the surface of the housing.
10. Press the cover on to the housing assembly. Make
sure that the trunnion holes and the cover screw
holes line up.
4. The clutch is supplied with a torque selector dial. The
torque selector dial is the mill marks located at the
hole stamped 9 on the housing. If a drive spring (18),
reset spring (19), and/or a reset spring screw (14)
were replaced, chances are that the stamped torque
values on the dial are no longer valid. It may be
necessary to grind the old numbers off and to stamp
new ones.
11. Install the cover screws and tighten to the
recommended seating torques in Table 13.
TABLE 13 - COVER SCREW SEATING TORQUES
Clutch
Size
Screw
Size
Qty.
Seating
Torque
1
1/4-20
3
100 in-lb
2
5/16-18
3
200 in-lb
3
3/8-16
3
350 in-lb
4
1/2-13
4
850 in-lb
5
5/8-11
4
1,700 in-lb
6
5/8-11
4
1,700 in-lb
5. Tighten the reset spring screw (14) until it reaches
the limit stop pin (4). This will be the maximum torque
position. If the maximum torque is not desired,
tighten the reset spring screw to one of the locations
on the torque selector dial.
6. Disengage the clutch with a torque wrench. Fine tune
the torque by turning the drive spring screw (21) until
the desired release torque is obtained.
7. Refer to Section I, C for further details on torque
adjustment.
8. Once the desired release torque is obtained, tighten
the locking screws (25) located over the drive spring
and reset spring screws to ensure that they will not
move. The unit is now ready for installation. Refer to
Section lll for installation of basic clutch.
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
10
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
D. Limit Switch Actuating Mechanism (LSAM)
Assembly
1. Apply a graphite lubricant to the release ring groove
of the cover (8).
2. Insert the actuating stud (40) through the appropriate
hole in the release ring (35). To identify this hole
place the release ring in the groove of the cover.
When the trip pin holes line up with the through holes
of the cover, the actuating stud hole will line up with
the counterbored hole in the groove of the cover.
3. Install the actuating stud nut (39) onto the actuating
stud (40) and tighten.
4. Install a spring terminal (43) on each end of the
return spring (38). Clutch sizes 5 & 6 require two
return springs.
5. Insert a spring terminal screw (41) through the hole
of the spring terminal (43), and place a spacer collar
(36) on the end of the screw. Insert the end of the
screw into the threaded hole of the release ring (35)
and tighten. The end of the screw may protrude past
the release ring. Grind the end of the screw flush with
the surface of the release ring. Install second spring
terminal screw on clutch sizes 5 & 6 as just
described. Move to Step 13 for clutch sizes 5 & 6.
6. Press the trip pins (32) into the trip plate (31).
15. Slide the release ring (35) counterclockwise so that
the ring engages into the grooves of the trip pins.
16. Insert a spring terminal screw (41) through the other
spring terminal (43) and place a spacer collar (36) on
the end of the screw. Insert the screw into the tapped
hole in the cover and tighten. Repeat this process for
the other return spring .
17. Turn the cover over so that the release ring is facing
down against the surface of the table.
18. Insert the thrust springs (37) into the counterbores of
the cover.
19. Place the trip plate (31) over the cover making sure
that the springs will sit in the counterbores of the trip
plate and that all the holes properly line up.
20. Press down on the trip plate (31) until it stops against
the trip pins.
21. While pressing down on the trip plate (31) insert the
plate mounting screws (42) into the tapped holes of
the trip pins and tighten.
22. Press the cover assembly onto the housing
assembly (1). Make sure that the trunnion holes and
the mounting screw holes line up.
23. Install the cover screws (27) and tighten to the
recommended seating torques shown in Table 13.
7. Install a bowed snap ring (34) into the groove of each
trip pin located next to the trip plate.
8. Place the trip plate flat on a table with counterbored
holes facing up. Insert the thrust springs (37) into the
counterbores.
9. Place the cover (8) over the trip plate, lining up the
counterbores in the cover with the springs.
10. Place the release ring (35) into the groove of the
cover. Make sure that all of the holes line up
properly.
11. Insert a spring terminal screw (41) through the hole
of the other spring terminal (43) and place a spacer
collar (36) on the end of the screw. Insert the end of
the screw into the tapped hole of the cover and
tighten.
12. Push down on the cover and release ring until the
release ring engages into the grooves of the trip pins.
Install two snap rings (33) into the grooves of each
trip pin. Move to Step 22.
13. Place the release ring (35) into the groove of the
cover. Make sure that all of the holes are properly
aligned.
14. Insert the trip pins (32) through the matching holes in
the release ring (35) and cover (8). Make sure that
the tapped hole of the trip pin is inserted first.
11
ORC Series, Model S
BOSTON GEAR ®
27
9
12
11
17
3
5
1
7
24
26
16
25
10
5
25
26
3
4
6
2
18
23
22
21
20
19
15
14
13
8
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
ORC SERIES, MODEL S WITH LIMIT SWITCH PIN (LSAP) TYPES SA & SM
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
12
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
PART IDENTIFICATION - MODEL S WITH LIMIT SWITCH PIN (LSAP) TYPES SA & SM
Key No.
*1
2
3
4
5
6
7
8
9
3
10
*11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
Name
T Housing Ass’y., or
B Housing Ass’y.,or
C Housing Ass’y.,or
N/R Housing Ass’y,
Housing Bearing
Hardened Bushing
Limit Stop Pin
Access Screws
Grease Fitting
Relief Fitting
CoverAss’y
Cover Bearing
Hardened Bushing
Drive Pawl
Reset Pawl
Rotor Assembly
Rotor Setscrew
Reset Spring Screw
Reset Spring Disc
LSAP Assembly
Actuating Pin
Roll Pin
A-Drive Spring or
B-Drive Spring or
C-Drive Spring
A-Reset Spring, or
B-Reset Spring, or
C-Reset Spring, or
D-Reset Spring
Ball Thrust
Drive Spring Screw
Drive Spring Washer
Snap Ring
Reset Screw Ass’y.
Locking Screw
Locking Insert
Cover Screw
Size 1 (Qty.) Size 2 (Qty.) Size 3 (Qty.) Size 4 (Qty.)
711257-XXX (1) 711148-XXX (1) 711180-XXX (1) 711223-XXX (1)
711258-XXX (1) 711149-XXX (1) 711181-XXX (1) 711224-XXX (1)
711259-XXX (1) 711150-XXX (1) 711182-XXX (1) 711225-XXX (1)
711260-XXX (1) 711151-XXX (1) 711183-XXX (1) 711226-XXX (1)
039273-041 (1) 039273-043 (1) 039273-044 (2) 039273-038 (1)
—
730634-002 (2) 730634-003 (2) 730634-004 (2)
730422-001 (1) 730422-001 (1) 730422-002 (1) 730422-002 (1)
040940-031 (2) 040940-042 (2) 074102-003 (2) 074102-078 (2)
034186-029 (1) 034186-029 (1) 034186-029 (1) 034186-029 (1)
034186-028 (1) 034186-028 (1) 034186-028 (1) 034186-028 (1)
711261-001 (1) 711146-001 (1) 711185-001 (1) 711219-001 (1)
039273-040 (1) 039273-042 (1) 039273-045 (1) 039273-038 (1)
—
730634-002 (2) 730634-003 (2) 730634-004 (2)
730429-001 (1) 730430-001 (1) 730431-001 (1) 730432-001 (1)
730367-XXX (1) 730368-XXX (1) 730369-XXX (1) 730370-XXX (1)
710354-001 (1) 710354-002 (1) 710354-003 (1) 710354-004 (1)
043243-012 (1) 043243-022 (1) 043243-041 (1)
**
(1)
730382-001 (1) 730382-002 (1) 730382-003 (1) 730382-004 (1)
730383-001 (1) 730383-002 (1) 730383-003 (1) 730383-004 (1)
710355-001 (1) 710355-002 (1) 710355-003 (1) 710355-004 (1)
730384-001 (1) 730384-002 (1) 730384-003 (1) 730384-004 (1)
040942-044 (1) 040942-044 (1) 040942-045 (1) 040942-045 (1)
730385-001 (1) 730385-007 (1) 730385-014 (1) 730385-020 (1)
730385-002 (1) 730385-008 (1) 730385-015 (1) 730385-021 (1)
730385-003 (1) 730385-009 (1) 730385-016 (1) 730385-022 (1)
730385-004 (1) 730385-010 (1) 730385-017 (1) 730385-023 (1)
730385-005 (1) 730385-011 (1) 730385-018 (1) 730385-024 (1)
730385-006 (1) 730385-012 (1) 730385-019 (1) 730385-025 (1)
—
730385-013 (1)
—
—
—
730386-001 (1) 730386-002 (1) 730386-003 (1)
730379-001 (1) 730379-002 (1) 730379-003 (1) 730379-003 (1)
730388-001 (1) 730388-002 (1) 730388-003 (1) 730388-003 (1)
—
040682-029 (1) 040682-030 (1) 040682-030 (1)
710356-001 (1) 710356-002 (1) 710356-003 (1) 710356-004 (1)
074102-015 (2) 074102-015 (2) 074102-031 (2) 074102-031 (2)
730389-001 (2) 730389-001 (2) 730389-002 (2) 730389-002 (2)
041315-048 (3) 041315-062 (3) 041315-077 (3) 041315-106 (4)
*Dash Numbers Are:
T Housing Ass’y.
B Housing Ass’y.
C Housing Ass’y.
N/R Housing Ass’y.
Reset Pawl
SA/SB/SC
Automatic
-001
-001
-001
-001
-001
SM/SP/SS
Manual
-002
-002
-002
-002
-003
CAUTION!
Rotating equipment is potentially dangerous and could
cause injury or damage if not properly protected. Follow all
13
ORC Series, Model S
Size 5 (Qty.)
711238-XXX (1)
711239-XXX (1)
711240-XXX (1)
O/A
711900-006 (1)
730634-005 (2)
730422-003 (1)
074102-078 (2)
034186-029 (1)
034186-028 (1)
711242-001 (1)
711900-005 (1)
730634-005 (2)
730433-001 (1)
730371-XXX (1)
710354-005 (1)
043243-058 (1)
730382-005 (1)
730383-005 (1)
710355-005 (1)
730384-005 (1)
040942-046 (1)
730385-026 (1)
730385-027 (1)
730385-028 (1)
730385-029 (1)
730385-030 (1)
730385-031 (1)
—
730387-001 (2)
730380-001 (1)
730388-004 (1)
040682-030 (1)
710356-005 (1)
074102-027 (2)
730389-003 (2)
041315-121 (4)
Size 6 (Qty.)
711266-XXX (1)
711267-XXX (1)
711268-XXX (1)
O/A
711900-008 (1)
—
730422-003 (1)
040940-078 (2)
034186-029 (1)
034186-028 (1)
711269-001 (1)
711900-007 (1)
—
730434-001 (1)
730372-XXX (1)
710354-006 (1)
043243-058 (1)
730382-006 (1)
730383-006 (1)
710355-006 (1)
730384-006 (1)
040942-045 (1)
730385-032 (1)
730385-033 (1)
730385-034 (1)
730385-035 (1)
730385-036 (1)
730385-037 (1)
—
730387-002 (2)
730381-001 (1)
730388-005 (1)
040682-031 (1)
710356-006 (1)
074102-027 (2)
730389-003 (2)
041315-021 (4)
**Dependent upon bore—consult the factory.
Note:
Please include clutch catalog number when ordering any spare
parts.
In accordance with our established policy to constantly
improve our products, the specifications contained herein
are subject to change without notice.
BOSTON GEAR ®
41
40
11
43
18
28
7
5
24
26
25
29
5
1
4
10
25
3
26
2
6
23
22
41
39
20
19
15
14
35
36
12
38
37
3
9
13
33
36
43
27
8
31
34
32
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
ORC SERIES, MODEL S WITH LIMIT SWITCH ACTUATING MECHANISM (LSAM) TYPES SB, SC, SP & SS
BOSTON GEAR ®
ORC Series, Model S
14
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
PART IDENTIFICATION - MODEL S WITH LIMIT SWITCH ACTUATING MECHANISM (LSAM) TYPES SB, SC, SP & SS
Key No.
8
9
3
10
28
29
30
Name
Cover Ass’y. (LSAM)
Cover Bearing
Hardened Bushing
Drive Pawl (LSAM)
Actuating Spring
Adjustment Screw
Mounting Rivet/Screw
Plate Ass’y (SB/SP), or
Plate Ass’y (SC/SS)
Plate (SB/SP), or
Plate (SC/SS)
Trip Pin
Snap Ring
Bowed Snap Ring
Release Ring
Spacer Collar
Thrust Spring
Return Spring
Actuating Stud Nut
Actuating Stud
Terminal Screw
Plate Mounting Screw
Spring Terminal
C Coupling Ass’y.
Coupling Bushing
Setscrew
Coupling Pin
N/R Coupling Ass’y.
Mounting Screw
Flat Washer
Setscrew
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
Size 1 (Qty.)
711262-001 (1)
039273-040 (1)
—
710290-001 (1)
730414-001 (1)
018006-004 (1)
730420-001 (2)
710204-001 (1)
710204-002 (1)
730397-001 (1)
730397-002 (1)
730403-001 (3)
040682-035 (6)
040682-032 (3)
730391-001 (1)
730409-001 (2)
730410-001 (3)
730411-002 (1)
730412-001 (1)
074111-126 (1)
074110-003 (2)
—
730421-001 (2)
710296-001 (1)
730275-001 (3)
040940 041 (2)
730278-001 (3)
710301-001 (1)
074118-062 (3)
074117-004 (3)
040940-041 (2)
Size 2 (Qty.)
711187-001 (1)
039273-042 (1)
730634-002 (2)
710291-001 (1)
730415-001 (1)
018006-017 (1)
730420-001 (2)
710205-001 (1)
710205-002 (1)
730398-001 (1)
730398-002 (1)
730404-001 (3)
040682-035 (6)
040682-032 (3)
730392-001 (1)
730409-002 (2)
730410-002 (3)
730411-001 (1)
730412-002 (1)
074111-126 (1)
074110-017 (2)
—
730421-002 (2)
710297-001 (1)
730275-002 (3)
040940-003 (2)
730278-002 (3)
710302-001 (1)
074118-077 (3)
074117-006 (3)
040940-003 (2)
Size 3 (Qty.) Size 4 (Qty.)
711108-001 (1) 710766-001 (1)
039273-045 (1) 039273-038 (1)
730634-003 (2) 730634-004 (2)
710292-001 (1) 710293-001 (1)
730416-001 (1) 730417-001 (1)
018006-047 (1) 018006-047 (1)
730420-002 (2) 730420-002 (2)
710206-001 (1) 710207-001 (1)
710206-002 (1) 710207-002 (1)
730399-001 (1) 730400-001 (1)
730399-002 (1) 730400-002 (1)
730405-001 (3) 730406-001 (4)
040682-036 (6) 040682-030 (8)
040682-033 (3) 040682-034 (4)
730393-001 (1) 730394-001 (1)
730409-002 (2) 730409-002 (2)
730410-002 (3) 730410-002 (4)
730411-002 (1) 730411-001 (1)
730412-003 (1) 730412-004 (1)
730413-001 (1) 730413-002 (1)
074110-017 (2) 074110-017 (2)
—
—
730421-002 (2) 730421-002 (2)
710298-001 (1) 710299-001 (1)
730275-003 (4) 730275-004 (4)
040940-003 (2) 040940-067 (2)
730278-003 (4) 730278-004 (4)
710303-001 (1) 710334-001 (1)
074118-093 (4) 074118-110 (4)
074117-009 (4) 074117-013 (4)
040940-003 (2) 040940-067 (2)
Size 5 (Qty.)
711190-001 (1)
711900-005 (1)
730634-005 (2)
710294-001 (1)
730418-001 (1)
018006-047 (1)
730420-002 (2)
—
—
730401-001 (1)
730401-002 (1)
730407-001 (4)
—
—
730395-001 (1)
730409-002 (4)
730410-002 (4)
730411-002 (2)
730412-004 (1)
730413-002 (1)
074110-017 (4)
730561-001 (4)
730421-002 (4)
O/A
—
—
—
O/A
—
—
—
Size 6 (Qty.)
711270-001 (1)
711900-007 (1)
—
710295-001 (1)
730419-001 (1)
018006-047 (1)
074110-018 (2)
—
—
730402-001 (1)
730402-002 (1)
730408-001 (4)
—
—
730396-001 (1)
730409-002 (4)
730410-003 (4)
730411-001 (2)
730412-004 (1)
730413-002 (1)
074110-017 (4)
730561-002 (4)
730421-002 (4)
O/A
—
—
—
O/A
—
—
—
Note:
Please include clutch catalog number when ordering any spare parts.
ORC MODEL S SERIES PART NUMBERING SYSTEM
ORC
2
Series
Overload
Release Clutch
Size
1
2
3
4
5
6
15
SA
Model
SA = Standard Model,
Automatic Reset
with Pin Actuator
SB = Standard Model,
Automatic Reset
with Plate Actuator
SM = Standard Model,
Manual Reset
with Pin Actuator
SP = Standard Model,
Manual Reset
with Plate Actuator
ORC Series, Model S
C
-
L
P16
Type
Torque Range
B = Basic
L = Light
C = Flexible Coupling
M = Medium
N = Indexing Coupling H = Heavy
R = Rigid Coupling
T = Sprocket Mount
-
P16
Coupling Bore (Type C, N or R Only)
P = Bored to Size (in 1/16”)
M = Metric Bored to Size (mm)
(Leave Blank for Non-Coupled Units)
Unit Bore
P = Bored to Size (in 1/16”)
M = Metric Bored to Size (mm)
ORC SERIES, MODEL S CLUTCHES
COUPLINGS
Boston Gear
14 Hayward Street
Quincy, MA 02171
Tel 617.328.3300
fax 617.479.6238
www.bostongear.com
CLUTCHES
Boston Gear
14 Hayward Street
Quincy, MA 02171
Tel 617.328.3300
fax 617.479.6238
www.bostongear.com
Boston Gear
14 Hayward St.
Quincy, MA 02171
tel
fax
www
email
BOSTON GEAR ®
617.328.3300
617.479.6238
bostongear.com
info@bostongear.com
ORC Series, Model S
17
Document No.: PE-S-069-03-03
®
CERTIFICATE OF ORIGIN
Equipment:
Centrifuge
Model:
DE-1000™ GBD, DE-1000™ FHD, DE-1000™
VFD
Characteristics:
0-600VAC, 50/60Hz, 3PH
Derrick Corporation acknowledges that the above set-forth product is manufactured in the United States of
America as of the data of this certificate. This certificate is governed by the applicable purchase order terms
in effect at the time of Derrick Corporation’s original shipment of the referenced product.
Date: 29-December-2011
http://dmc-sps/qc/Certificates/Origin Standard/PE-S-069-03-03.doc
Revison Number 2
Revision Date: 29-December-2011
Signature: Jennifer J. Polanowski
Derrick Corporation
Document No.: PE-S-073-04-00
®
SHIPPING FINAL INSPECTION
AND RUN TEST CERTIFICATE
Equipment:
Centrifuges
Model:
DE-1000™ GBD, DE-1000™ FHD, DE-1000™
VFD, DE-7200 VFD
Characteristics:
0-600VAC, 50/60Hz, 3PH
The product listed above was inspected and found to be in conformance with Derrick Corporation’s internal
coating, run test, and assembly inspection documents that were required for the type of equipment
manufactured in accordance with the Derrick quality system. This certificate is governed by the applicable
purchase order terms in effect at the time of Derrick Corporation’s original shipment of the referenced
product.
Date: 29-December-2011
Signature: Jennifer J. Polanowski
Derrick Corporation
http://dmc-sps/qc/Certificates/Shipping Final Inspection and Run Test/PE-S-073-04-00.doc
Revison Number 2
Revision Date: 29-December-2011
Download PDF

advertising