ROSIERES | FO FE6163 PN | ROSIERES FO FE6163 PN Manual do usuário

ROSIERES FO FE6163 PN Manual do usuário
ÍNDICE
INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA ----------------------------------------------- 99
RECOMENDAÇÕES ---------------------------------------------------------------- 99
PARTE RELATIVA À INSTALAÇÃO
1 • INSTALAÇÃO DO FORNO
Encastramento do forno --------------------------------------------- 100/101
Ligação eléctrica do forno ------------------------------------------- 102/103
Ficha técnica ------------------------------------------------------------------- 104
PARTE RELATIVA À UTILIZAÇÃO
2 • O FORNO
Apresentação do painel de comandos ---------------------------------- 105
Equipamento do forno ------------------------------------------------------ 106
Os vários modos de cozedura -------------------------------------- 107/108
3 • UTILIZAÇÃO DO FORNO
Antes da primeira utilização
. Primeira limpeza ------------------------------------------------------ 109
. O que é preciso saber ----------------------------------------------- 109
. Acerto das horas ------------------------------------------------------ 109
Utilização do forno
1 – Como fazer uma cozedura rápida ---------------------------- 110
2 – A programação do forno
Programação com funcionamento imediato ----- 111/112
Programação com funcionamento em diferido -------- 113
O conta-minutos ----------------------------------------------- 114
4 • NOTAS CULINÁRIAS
Os peixes ------------------------------------------------------------------ 115
As carnes ----------------------------------------------------------- 116/117
Os legumes - diversos ------------------------------------------------- 118
Os doces ------------------------------------------------------------------ 119
5 • LIMPEZA DO FORNO
Limpeza geral do forno ----------------------------------------------- 120/121
O forno de esmalte ---------------------------------------------------------- 121
98
INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA
• Ler atentamente este manual, para poder tirar todo o partido do forno. Aconselhamos
que este manual seja guardado para posterior consulta e que nele seja anotado, antes da
instalação do aparelho, o respectivo número de série para os casos em que, eventualmente,
seja necessário recorrer à intervenção do Serviço Após Venda.
. Placa de identificação
(ao lado do forno)
Declinamos toda a responsabilidade em caso de incumprimento das instruções deste
ma
nual.
man
• A instalação do aparelho, bem como a ligação eléctrica devem ser efectuadas por um
instalador acreditado ou por um técnico com qualificação similar.
• O forno que acaba de adquirir tem características técnicas bem definidas e, por isso,
não pode sofrer quaisquer modificações.
• A porta do forno integra vários vidros para evitar o risco de queimadura quando em
funcionamento. Todavia, aconselhamos a manter as crianças afastadas.
• Nunca limpar o forno com aparelhos a vapor ou a alta pressão.
• Se o forno apresentar qualquer avaria, não o ligar ou desligá-lo da corrente e contactar
directamente os serviços técnicos acreditados pelo fabricante ROSIÈRES.
• Não guardar produtos inflamáveis no forno; podem inflamar-se por activação
involuntária do forno.
• Não se apoie nem deixe que as crianças se sentem na porta do forno.
• Utilizar luvas térmicas de cozinha, para introduzir ou retirar qualquer recipiente do
forno.
RECOMENDAÇÕES
• Sempre que o forno for utilizado, fazer uma pequena limpeza para que este se mantenha
em perfeitas condições.
• Não forrar as paredes do forno com folha de alumínio ou com qualquer protecção
descartável vulgarmente à venda, pois pode fundir em contacto directo com o esmalte
quente e danificar o forno.
• Para evitar que o forno se suje excessivamente e também o fumo e cheiro que daí
podem resultar, não o usar a temperaturas demasiado altas. É preferível demorar mais o
tempo e baixar um pouco o nível térmico.
• Para além dos acessórios fornecidos conjuntamente com o forno, aconselhamos a
utilizar apenas recipientes resistentes a altas temperaturas.
99
1 – INSTALAÇÃO DO FORNO
A INSTALAÇÃO DO FORNO DEVE SER EFECTUADA POR UM INSTALADOR
ACREDITADO OU POR UM TÉCNICO COM QUALIFICAÇÃO SEMELHANTE.
O móvel em que o forno vai ser encastrado devem ser resistente a temperaturas de
70°C no mínimo.
O forno pode ser encaixado por baixo de uma bancada ou colocado em plano superior em
coluna adequada.
Antes da fixação
fixação: É indispensável certificar-se de que o nicho de encastramento tem
bom arejamento, para circulação do ar frio necessário à refrigeração e à protecção dos
órgãos internos. Para isso, fazer a uma abertura própria, conforme indicado nas páginas
100 ou 101, consoante com o tipo de encastramento.
1 - Forno em coluna
(dimensões em mm)
Abertura para
passagem do cabo
de alimentação
Abertura 500 x 50
Abertura 500 x 10
100
1 – INSTALAÇÃO DO FORNO
2 - Forno por baixo de bancada
(dimensões em mm)
MESA
FORNO
Abertura
500 x 10
Abertura
500 x 10
3 - Fixação em nicho de encastramento
No interior no forno, existe uma bolsa com parafusos de fixação.
Para fixação:
Quando se abre a porta do forno, pode
aceder-se a dois orifícios de cada
lado dos montantes laterais.
Usar os parafusos fornecidos para fixar o
forno.
PARAFUSOS
101
1 - LIGAÇÃO ELÉCTRICA
A LIGAÇÃO ELÉCTRICA DO FORNO DEVE SER EFECTUADA POR UM
INSTALADOR ACREDITADO OU POR UM TÉCNICO COM QUALIFICAÇÃO
SEMELHANTE.
A instalação eléctrica a que o forno vai ser ligado deve estar de acordo com as normas
vigentes no país de instalação.
O fabricante ROSIERES declina a sua responsabilidade em caso de incumprimento desta
exigência.
A ligação à rede deve ser feita através de tomada de corrente com ligação à terra ou
através de um dispositivo de corte omnipolar, com uma distância de abertura dos
contactos de pelo menos 3 mm.
A instalação deve obrigatoriamente ser protegida por fusíveis apropriados e possuir fios
com secção suficiente para a alimentação normal do aparelho
LIGAÇ
ÃO:
LIGAÇÃO:
Este aparelho tem um cabo de alimentação que permite apenas a sua ligação a corrente
de 230 V~, entre fases ou entre fase e neutro.
A ligação deve ser efectuada de acordo com o esquema da página seguinte, depois de
verificada:
. a tensão de alimentação do contador,
. a regulação do disjuntor.
O fio de protecção do cabo (verde/amarelo), ligado ao borne Terra do aparelho, deve ser
ligado ao borne Terra da instalação.
Atenção:
. Mandar verificar por um profissional a continuidade da terra da
instalação, antes de proceder à ligação.
. Declinamos qualquer responsabilidade por acidentes ou pelas
suas eventuais consequências, em caso de não ligação à terra
do aparelho ou por ligação a terra com deficiente continuidade.
NOTA: Não esquecer que o aparelho pode necessitar de qualquer intervenção por parte do
Serviço Após Venda. Por isso, mandar colocar a tomada de corrente de forma a poder ligar-se
o forno, quando fora do nicho.
Cabo de alimentação
alimentação: Se for necessário, substituir o cabo de alimentação; essa substituição
deve ser efectuada pelo Serviço Após Venda ou por pessoas com qualificação idêntica.
102
1 - LIGAÇÃO ELÉCTRICA
103
1- FICHA TÉCNICA
Todas as características são dadas a título meramente indicativo.
O fabricante ROSIÈRES, sempre com a constante preocupação de melhorar a qualidade da
sua produção, pode modificar os aparelhos por evolução da técnica, no estrito cumprimento
das normas de consumo em vigor.
Aparelho conforme as directivas 89/336/CEE, 73/23/CEE e 89/109/CEE.
FE 6163
Dimensões totais
Dimensões interiores do forno (em cm)
Altura x Largura x Profundidade
Volume em litros
Largura x Altura x Profundidade
59,6 X 59 X 56,4 cm
30x43x39
50
Potência em Watt
Iluminação
Cozedura comum
Circulação de ar quente
Base ventilada
Descongelação
Grelhador
Turbogrelhador
Espeto
25
2430
2460
1600
70
2150
2180
2150
Consumo em cozedura comum (kWh)
. subida de temperatura a 200°C
. manutenção a 200°C, durante 1 hora
0,50
0,60
Ligação eléctrica
Fusível
104
Monofásica 230 V~ + Terra
16 A
2-"
APRESENTAÇÃO „Painel de comandos”
"APRESENTAÇÃO
2.Ecrã de afixação
3.Testemunho
de regulação
1.Botão de selecção
da temperatura
4.Testemunho de
ligação do forno
5.Teclas de programação.
6.Botão de selecção
das funções
1 . Botão de selecção da temperatura através do qual se pode seleccionar a temperatura
entre os 60°C e os 280°C.
2 . Ecrã de afixação: afixação da hora actual.
3 . Testemunho de regulação que indica o funcionamento do termóstato do forno.
Acende e apaga regularmente enquanto dura o cozinhado.
4 . Testemunho de ligação do forno que acende assim que o forno começa a
funcionar e permanece aceso enquanto dura o cozinhado.
5 . Teclas de programação.
1
2
3
4
.
.
.
.
Conta-minutos: conta-minutos sonoro independente do forno
Duração: afixação de um tempo de duração de cozedura ou pirólise
Final:
afixação de uma hora de final de cozedura ou pirólise
Autom/Manual: Auto “aceso”: o programador controla o funcionamento do
forno
Auto “apagado”: forno a funcionar em posição manual
5/6 . Teclas de regulação “– “ e “+” da programação
6 . Botão de selecção das funções para escolha do modo de cozedura pretendido.
105
2 - EQUIPAMENTO DO FORNO
A grelha simples serve de suporte para formas,
travessas, etc.
A grelha porta-recipientes serve mais particularmente
para grelhados; associa-se ao tabuleiro de recolha de
sucos.
Devido ao seu perfil especial, as grelhas permanecem na horizontal mesmo quando
puxadas ao máximo para o exterior, pelo que não existe qualquer
risco do recipiente que contêm escorregar ou transbordar.
O ttaabuleiro de recolha de sucos serve para aparar o suco dos
grelhados. Pode ser colocado por cima da grelha ou introduzido nas calhas. Só se utiliza
com o Grelhador, o Espeto ou o Turbogrelhador. Nos outros modos de cozedura deve
ser retirado do forno. Nunca utilizar este tabuleiro como recipiente para assar, pois
causaria salpicos de gordura e fumos, e rapidamente sujaria o forno.
Durante a utilização do forno, os acessórios não usados devem ser retirados do forno.
O espeto é formado pelo espeto propriamente dito, por dois garfos e por um suporte.
. Retirar do forno todos os acessórios.
. Colocar o tabuleiro de recolha de sucos na base do forno.
. Introduzir a peça a cozinhar no espeto bem centrada entre os dois garfos.
. Colocar o espeto no suporte.
. Colocar o suporte e o espeto no segundo patamar a contar de baixo.
. A extremidade do espeto deve ficar então em frente da abertura quadrangular de
accionamento.
. Encaixar o espeto na abertura quadrangular de accionamento.
n
oSaliência atrás
p
q Abertura quadrangular de
106
accionamento
Não é preciso pré-aquecer o forno para utilizar o espeto.
Os cozinhados no espeto fazem-se com a porta fechada.
2 - OS VÁRIOS MODOS DE COZEDURA
Botão de selecção das
funções
107
2 - OS VÁRIOS MODOS DE COZEDURA
DESCONGELAÇÃO Funcionamento da turbina de cozedura que ventila o ar no
interior do forno. Óptimo para descongelar os alimentos antes de serem cozinhados.
COZEDURA COMUM Utilização simultânea da resistência da base e da parte
superior. Pré-aquecer o forno durante cerca de dez minutos. Esta função é ideal para
qualquer cozinhado à maneira antiga, alourar e assar carnes vermelhas, rosbife, perna de
cabrito, caça, pão, massa folhada... Colocar o recipiente com o alimento a cozinhar ao nível
do patamar central.
CIRCULAÇÃO DE AR QUENTE Utilização simultânea da resistência da base e da
parte superior do forno e ainda da turbina que ventila o ar pelo interior do forno. Esta
função é recomendada para aves, bolos, peixes, legumes... O calor penetra melhor no
interior do alimento e reduz o tempo de cozedura, assim como o tempo de préaquecimento. Pode proceder-se a cozeduras simultâneas com preparação idêntica ou não,
num ou em dois patamares do forno. Este modo de cozedura garante efectivamente uma
repartição homogénea do ar quente e não mistura os cheiros. Prever cerca de 10 minutos a
mais no caso de cozedura em conjunto.
BASE VENTILADA Utilização da resistência da base mais da turbina que ventila o
ar pelo interior do forno. Esta função é ideal para tartes de frutos sumarentos, quiches,
empadas...., pois evita que os alimentos sequem e faz com que estes cresçam melhor, como
no caso de bolo inglês, da massa e de outras cozeduras por baixo. Colocar o alimento no
patamar inferior do forno.
GRELHADOR utiliza-se com a porta fechada: Utilização da resistência da parte
superior do forno, com a possibilidade de regular o nível da temperatura. É preciso préaquecer o forno durante 5 minutos, para que a resistência fique ao rubro. É o sucesso seguro
de grelhados, espetadas e gratinados. As carnes brancas devem ficar afastadas do grelhador; o
tempo de cozedura será maior, mas a carne fica mais saborosa. No que se refere às carnes
vermelhas e filetes de peixe, podem ser colocados na grelha com o tabuleiro de recolha de
sucos por baixo.
TURBOGRELHADOR utiliza-se com a porta fechada: Utilização da resistência da
parte superior do forno mais da turbina que ventila o ar pelo interior do forno. É preciso
pré-aquecer o forno para as carnes vermelhas; para as carnes brancas não é necessário. Ideal
para alimentos espessos, peças inteiras, tais como: lombo de porco, aves, etc. Colocar o
alimento directamente na grelha ao centro do forno, num nível médio. Introduzir o tabuleiro
de recolha de sucos por baixo da grelha, de forma a recuperar a gordura. Certificar-se de que
o alimento não fica demasiado perto do grelhador. Voltar a peça a meio da cozedura.
TURBOESPETO utiliza-se com a porta fechada: Utilização da resistência da parte
superior do forno, e do turboespeto que faz a rotação do alimento. A temperatura de
aquecimento pode ser modificada, consoante a necessidade. É preferível utilizar esta função
apenas em peças de tamanho médio, devendo para as maiores utilizar-se o forno na sua
função de turbogrelhador, pois ficarão melhor. Ideal para proporcionar todos os sabores de
um cozinhado à maneira antiga. Não é necessário qualquer pré-aquecimento para utilização
108 do turboespeto.
3 - ANTES DA PRIMEIRA UTILIZAÇÃO
h
PRIMEIRA LIMPEZA
. Limpar o forno antes de o utilizar pela primeira vez.
Passar uma pano macio e húmido pela parte externa do aparelho.
Limpar os acessórios e o interior do forno com uma esponja, impregnada num
produto de limpeza.
Aquecer o forno em vazio e à temperatura máxima, durante uma hora bem contada,
para que o cheiro a novo seja eliminado. Durante esta operação, arejar bem o local
onde se encontra instalado o aparelho.
y
O QUE É PRECISO SABER
Turbina
de cozedura
• Turbina de cozedura
Faz cozinhados por meio do ar
ventilado no interior do forno.
• Turbina de refrigeração
Faz a refrigeração da face dianteira do forno e dos componentes electrónicos.
Está ligada ao funcionamento do botão de selecção das funções.
• Iluminação do forno
Funciona em modo de cozedura ou quando se posiciona o botão de selecção das funções
no símbolo “
”.
ACERTO DAS HORAS
Assim que se liga o forno à corrente, no programador aparece:
Afixação a piscar
1 2
5 6
n Carregar ao mesmo tempo nas teclas “1” e “2” e depois deixar de nelas
carregar.
o Com as teclas de regulação “– “ ou “+” seleccionar a hora actual.
109
3 - UTILIZAÇÃO DO FORNO
n COMO FAZER DE IMEDIATO UM COZINHADO?
D O forno deve estar na posição Manual (símbolo Auto apagado); se assim não
for, carregar na tecla “
”.
D Colocar o botão de selecção das funções na posição de cozedura que pretende
seleccionar.
O forno acende.
O testemunho de ligação do forno aparece.
D Colocar o botão do termóstato na temperatura desejada e recorrer às indicações a
seguir:
MODO DE COZEDURA
TEMPERATURAS RECOMENDADAS
Descongelação
Botão da temperatura na posição de paragem
Cozedura comum
de 60 a 280°C
Circulação de ar quente
de 60 a 230°C
Base ventilada
de 60 a 240°C
Grelhador
de 220 a 275°C
Turbogrelhador
de 180 a 230°C
Espeto
de 220 a 275°C
O testemunho de regulação acende e apaga regularmente durante o cozinhado.
D O forno inicia a cozedura.
D Quando julgar necessário, parar o forno; para tal, colocar o botão de regulação
da temperatura e de selecção das funções na posição de paragem.
A iluminação do forno e dos testemunhos apaga-se.
110
3 - UTILIZAÇÃO DO FORNO
o A PROGRAMAÇÃO
Comment programmer le four avec une durée et un départ immédiat?
D O forno deve estar na posição Manual (símbolo Auto apagado); se assim não for,
carregar na tecla «
».
D Seleccionar um modo de cozedura e a temperatura adequada.
Os testemunhos surgem afixados.
D Programar uma duração de cozedura:
. Carregar na tecla “2”.
O símbolo “
” aparece.
. Com as teclas “+” e “–”, regular a
duração pretendida (máx. 24 horas)
. O programador regista a duração e
calcula automaticamente a hora de
final de cozedura.
O forno fica em modo Auto
(Automático).
A hora actual aparece.
2
5 6
D Durante o cozinhado, pode ver-se ou modificar-se:
. a duração da programação: apoio na tecla “2”.
. a hora do final do cozinhado: apoio na tecla “3”.
D O forno pára automaticamente assim que o tempo se esgota. O símbolo “
”
desaparece. A iluminação do forno e dos testemunhos apaga-se. É emitido um
sinal sonoro de advertência. Para o parar, carregar numa das teclas “1”, “2”, “3”
ou “4”.
O símbolo “Auto” fica a piscar; para o parar voltar à posição Manual com a tecla “
”.
DColocar os dois botões na posição de paragem.
111
3 - UTILIZAÇÃO DO FORNO
o A PROGRAMAÇÃO
Como programar o forno com uma hora de final e de arranque imediatos?
DO forno deve estar na posição Manual (símbolo Auto apagado); se assim não for,
carregar na tecla “
”.
D Seleccionar um modo de cozedura e a temperatura adequada.
Os testemunhos surgem afixados.
D Programar uma hora de final
de cozedura:
. Carregar na tecla “3”.
O símbolo
aparece.
. Carregar na tecla “+”:
o programador afixa a hora
actual e o símbolo Auto.
. Com as teclas “–” e “+”,
regular uma hora de final de cozedura
(hora actual + máx. 24 horas)
3
6
5 6
O programador regista a hora de final de cozedura e calcula automaticamente
a duração da cozedura. O forno fica em modo Auto (Automático). A hora actual
aparece.
D Durante o cozinhado, pode ver-se ou modificar-se:
. a duração de programação: apoio na tecla “2”.
. a hora de final do cozinhado: apoio na tecla “3”.
D O forno pára automaticamente assim que o tempo de cozedura se esgota. O
símbolo “
” desaparece. A iluminação do forno e dos testemunhos apaga-se.
É emitido um sinal sonoro de advertência. Para o parar, carregar numa das teclas
“1”, “2”, “3” ou “4”.
O símbolo “Auto” fica a piscar; para o parar voltar à posição Manual com a tecla “
DColocar os dois botões na posição de paragem.
112
”.
3 - UTILIZAÇÃO DO FORNO
o A PROGRAMAÇÃO
Como programar o forno para funcionar mais tarde?
D O forno deve estar na posição Manual (símbolo Auto apagado); se assim não for,
carregar na tecla “
”.
DSeleccionar um modo de cozedura e a temperatura adequada.
Os testemunhos surgem afixados.
DProgramar a duração de cozedura:
. Carregar na tecla “2” e depois seleccionar uma duração com as teclas “–” e
“+”.
DProgramar uma hora de final de cozedura:
. Carregar na tecla “3” e depois na tecla “+”: o programador afixa a hora
actual e o símbolo Auto.
. Com as teclas “–” e “+”, seleccionar uma hora de final de cozedura (hora
actual + máx. 24 horas).
O símbolo Auto fica afixado e símbolo “
também surge afixada.
” desaparece. A hora actual
D O programador calcula a hora de início de cozedura e inicia-a automaticamente,
surgindo então o símbolo “
”.
DA qualquer momento pode ver-se ou modificar-se a duração programada (apoio
na tecla “2”), ou ainda a hora final do cozinhado (apoio na tecla “3”).
D O forno pára automaticamente assim que o tempo de cozedura se esgota. O
símbolo “
” desaparece. A iluminação do forno e dos testemunhos apaga-se.
É emitido um sinal sonoro de advertência. Para o parar, carregar numa das teclas
“1”, “2”, “3” ou “4”.
O símbolo “Auto” fica a piscar; para o parar voltar à posição Manual com a tecla “
”.
DColocar os dois botões na posição de paragem.
113
3 - UTILIZAÇÃO DO FORNO
o A PROGRAMAÇÃO
O CONTA-MINUTOS
O funcionamento do conta-minutos é independente, pelo que não tem qualquer incidência
no funcionamento do forno; serve apenas como auxílio sonoro. Pode entretanto utilizar-se
numa cozedura.
D Carregar na tecla “1” e depois deixar de nela carregar.
O símbolo “
” aparece e o relógio indica:
D Com as teclas “+” e “–”, seleccionar o tempo pretendido (máx. 24 horas).
D No ecrã aparece novamente a hora actual com o símbolo do conta-minutos
“
”.
Assim que o tempo se esgota é emitido um sinal sonoro de advertência durante
60 segundos.
Para o parar, carregar numa das teclas “1”, “2”, “3” ou “4”.
A afixação “
” desaparece.
Para consulta ou modificação do tempo programado, carregar novamente na tecla “1”.
114
4 - CONSELHOS DE COZEDURA
As temperaturas bem como o tempo de cozedura que a seguir se indicam são dados apenas
com o fim de facilitar o uso inicial do aparelho. A experiência pessoal ditará depois a
adaptação destes tempos ao gosto e aos hábitos de cada um.
Convém notar que quanto mais alta for a temperatura de um cozinhado, mais serão os
salpicos que irão sujar o forno e provocar fumos. É pois preferível baixar ligeiramente a
temperatura, mesmo que para tal seja necessário despender mais tempo.
As paredes do forno tem vários níveis
de patamar numerados a contar de
baixo.
NÍVEL DE PATAMAR
.5
.4
.3
.2
.1
PEIXES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Pratos
Modo
de cozedura
Quantidade
°C
cozedura
Tempo
de cozedura
Nível de patamar
a contar de baixo
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Robalo ou
dourada
Cozed. comum
1kg inteiro
220°C
30 minutos
1
Pargo ou salmão Cozed. comum
1kg assado
220°C
30 minutos
1
Posta de salmão
Circ. ar quente
6 postas
140-160°C 10-15 mins
1
Filete de solha
Cir. ar quente
6 filtes
160°C
15-20 mins
1
Peixe grelahdo
Grelhador
6 filetes
275°C
2 X 5 mins
4
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
115
4 - CONSELHOS DE COZEDURA
CARNES
——————————————————————————————————————
É preferível só salgar as carnes no final da cozedura, porque o sal contribui para os
salpicos de gordura com os consequentes fumos, e assim o forno suja-se rapidamente.
Os assados de carne branca, porco, vitela, cabrito e peixes podem ser postos no forno a
frio. A cozedura é mais demorada do que em forno previamente aquecido, mas o interior
da peça coze melhor, pois o ar quente tem mais tempo para se propagar até ao centro do
alimento.
Um bom prévio aquecimento está sempre na origem do êxito da cozedura de uma
carne vermelha.
PARA OS GRELHADOS
• Antes de colocar a carne no forno:
Retirar a carne do frigorífico algumas horas antes de a grelhar. Colocá-la sobre várias
camadas de papel absorvente; ficará mais tenra, mais saborosa e não haverá o risco de
ficar gelada no interior.
Juntar pimenta e especiarias, antes de a grelhar, mas só a salgar depois de cozinhada,
caso contrário ficará menos tenra e gostosa. Pincelar cada peça com um pouco de óleo.
É melhor utilizar um pincel largo e achatado. Juntar seguidamente pimenta e algumas
ervas (tomilho, etc.).
Meter a carne no forno.
• Durante a cozedura:
Nunca picar os alimentos enquanto estão a ser cozinhados, nem quando os voltar: o suco
escorreria e ficariam secos.
116
CARNES
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Pratos
Modo
de cozedura
Quantidade
°C
cozedura
Tempso
de cozedura
Conselhos
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4
Carne de vaca
guidada
Coz. comum
6 pessoas
Pato
Coz. comum
1,5 kg
200-220°C 1 h 30
Perú
Coz. comum
5/6 kg
160-180°C 2 h 30 – 3 h
Ganso
Coz. comum
3/4 kg
160-180°C 2 – 2h30
Perna de cabrito
Coz. comum
Frango asado
Coz. comum
Carne de vaca
assada
Coz. comum
Coelho assado
Circ. ar quente
Carne branca
assada
Circ. ar quente
Vitela / aves
Espeto
1kg 200
275°C
60-70min./kg
Sem préaquecimento
Vitela / aves
Espeto
1 kg
275°C
45-50 minutos
Sem préaquecimento
Vaca
Espeto
1 kg
275°C
15-20 minutos
Sem préaquecimento
Cabrito / Borrego Espeto
1 kg
275°C
20-25 minutos
Sem préaquecimento
Porco
Espeto
1 kg
275°C
45-50 minutos
Sem préaquecimento
Espetadas
Grelhador
6 peças
275°C
2 X 8 minutos
Virar a meio
da cozedura
Costeletas de
porco
Grelhador
6 peças
275°C
2 X 8 minutos
200-220°C cerca de 4 h
200-220°C 15 min./libra
1/1,5 kg
800-1 kg
220°C
cerca de 1 h
240°C
15 mins/libra
200-220°C 50-60 minutos
200-220°C 40-50 min./kg
Virar a meio
da cozedura
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Todos os cozinhados foram executados no nível de patamar “1”.
117
LEGUMES - DIVERSOS
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Modo
de cozedura
Quantidade
Couves estufadas
Coz. comum
6 pessoas
Empadões
Coz. comum
200-220°C 1 hora/kg
Endivas com
gruyère
Circ. ar quente 6 pessoas
180-200°C 25-30 minutos
Batatas com
casca
Circ. ar quente 6 pessoas
200-220°
Suflés salgados/
doces
Circ. ar quente 6 pessoas
180-200°C 50-60 minutos
Tomates
recheados
Circ. ar quente 6-8 peças
200-220°C 40-45 minutos
Flamiche de
pêras
Base ventilada
6 pessoas
220°C
35-40 minutos
Quiche Lorraine
Base ventilada
6 pessoas
220°C
45-50 minutos
Tostas de queijo* Turbogrelhador 6 tostas
210°C
3 min. para
Grelhador
torrar um lado + liso
4 min. com queijo
Esparguete gratinado a bolonhesa
Turbogrelhador 6 peças
200°C
45 minutos
Turbogrelhador 4 peças
210°C
2 vezes 10 min.
voltar a meio
da cozedura
Pratos
°C
cozedura
Tempo
de cozedura
Conselhos
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Salchichas de
alemãs*
200-220°C 1 h
cerca de 1 hora
Ø 22
Grelhador
liso
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Todos os cozinhados foram executados no nível de patamar «1» excepto os pratos
marcados com o símbolo «*» que necessitam de cozedura a nível médio.
118
DOCES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Evitar utilizar formas brilhantes, porque reflectem o calor e podem prejudicar a cozedura
dos bolos. Se estes alourarem demasiadamente depressa, cubra-os com papel de alumínio
ou papel vegetal.
Atenção: Utilizar o papel de alumínio no sentido correcto, ou seja – com a face brilhante
voltada para o bolo. Caso contrário, a face brilhante reflectiria o calor, não deixando que
este penetrasse no interior.
Evitar abrir a porta do forno durante os primeiros 20 a 25 minutos: os suflés, bolos...
ficariam espalmados.
Para verificar se o bolo se encontra devidamente cozido, picá-lo no centro com a lâmina
de uma faca ou com uma agulha de tricô. Se estas saírem secas, o bolo está cozido, mas
se saírem húmidas ou com algumas partículas de bolo agarradas, continuar a cozedura,
mas baixar ligeiramente a temperatura para que o bolo acabe de cozer sem queimar.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------Mode
de cozedura
Quantidade °C
cozedura
Bolo inglês
Coz. comum
1,5 kg
Bolo de frutas
Coz. comum
6 pessoas 200-220°C 40-50 min. 1
Bolo mármore
Coz. comum
1,5 kg
Receitas
Tempo
Nível
de cozedura patamar
Conselhos
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Tarte guarnecida Coz. comum
180-200°C 50-60 min. 1
Ø 27
200-220°C 45-50 min. 1
6 pessoas 200-220°C 40-45 min. 1
Ø 27
Brioches
Circ. ar quente 800 grs
200°C
Pão-de-ló
Circ. ar quente
180-200°C 35-40 min. 1
forma Ø27
Pudim flã
Circ. ar quente
180-200°C 30-35 min. 1
forma Ø27
Biscoitos
Circ. ar quente 40 peças 190°C
Fundo de tarte
Circ. ar quente 6 pessoas 180-200°C 20-30 min. 1
Massa folhada
Circ. ar quente 6 peças
200°C
15-20 min. 1
Merengues
Base ventilada* 1 placa
80-85°C
4 h 30
Tarte de frutos
Base ventilada* 6 pessoas 220°C
35-40 min. 1
Queijadas
Base ventilada* 6 peças
30-35 min. 1
190°C
40-45 min. 1
35 min.
1/3
1
2 placas
Ø 27
Øprofiteroles
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* Em base ventilada, recomenda-se um pré-aquecimento em modo de circulação de ar
quente, para ganhar tempo.
119
5 - LIMPEZA DO FORNO
. Esperar que o forno arrefeça, antes de proceder à sua limpeza manual.
. Nunca utilizar produtos abrasivos, esfregões de arame ou objectos cortantes, para
limpar o forno, pois danificariam irremediavelmente o esmalte.
. Utilizar apenas água e sabão ou produtos líquidos amoniacais.
A PARTE ENVIDRAÇADA
Sempre que o forno for utilizado, aconselhamos a limpar o vidro da porta com papel
absorvente. Se houver demasiados salpicos, pode limpar depois com uma esponja seca e
detergente. Nunca utilizar produtos abrasivos ou objectos cortantes.
A PORTA DO FORNO:
A limpeza da porta do forno pode fazer-se com esta montada no aparelho ou então
desmontada.
Na desmontagem, proceder como a seguir indicado:
. abrir completamente a porta,
. a articulação apresenta-se como mostra a foto 1,
. levantar os ganchos das articulações (foto 2),
. puxar a porta para cima, fechando-a parcialmente até desencaixar.
Na montagem, ter o cuidado de colocar devidamente as articulações; para tal, existe um
encaixe por baixo das referidas articulações (foto 3) que permite o seu correcto
posicionamento.
Depois de aplicada a porta nos respectivos suportes, pôr os ganchos das articulações na
sua posição inicial, como indicado na foto 4.
1 : posição inicial
2 : levantar o gancho
ganchos para abaixo
Desmontagem
3 : encaixe
articulação
4 : posição inicial
Encaixe
Montagem
A JUNTA DA PORTA DO FORNO
Se estiver muito suja, limpá-la com uma esponja ligeiramente húmida.
OS AC
ESSÓRIOS
ACESSÓRIOS
Limpá-los com uma esponja embebida em água e sabão. Enxaguar com água limpa e secar.
Evitar produtos abrasivos.
120
5 - LIMPEZA DO FORNO
O TABULEIRO DE RECOLHA DE SUCOS
Depois de grelhar, retirar do forno este tabuleiro. Ter o cuidado de deitar a gordura num
recipiente. Lavar e enxaguar o tabuleiro de recolha de sucos com água quente, utilizando
uma esponja com detergente.
Se os resíduos ficarem colados, mergulhá-lo em água com detergente.
Também pode ser limpo na máquina de lavar ou com um dos produtos habitualmente
vendidos para este fim.
Nunca voltar a utilizar, no forno, o tabuleiro de recolha de sucos sujo.
Nunca utilizar o processo de pirólise no tabuleiro de recolha de sucos.
LUZ DO FORNO
Desligar o aparelho da corrente, antes de fazer qualquer operação de limpeza ou de
substituição.
A lâmpada e a respectiva tampa são de material resistente a temperaturas bastante altas.
Características da lâmpada:
230 V~ - 25 W - Casquilho E 14 Temperatura 300°C
Para substituir uma lâmpada fundida, basta:
. desapertar a tampa de vidro,
. desapertar a lâmpada,
. substituí-la por outra idêntica (ver
características acima),
. após substituição da lâmpada, voltar a
apertar a tampa de vidro que serve de
protecção,
INTERIOR DO FORNO DE ESMALTE
Qualquer que seja o modo de limpeza, aconselhamos a não deixar que os resíduos de
gordura se acumulem no interior do forno, pelo que este deve ser limpo regularmente.
. Nunca utilizar produtos abrasivos, esfregões de arame ou objectos cortantes, para
limpar o forno, pois danificariam irremediavelmente o esmalte.
. Utilizar apenas água e sabão ou produtos líquidos amoniacais.
. Nunca forrar as paredes do forno com papel de alumínio; a acção concentrada do
calor danificaria o forno.
Limpeza regular:
Limpar o interior do forno com uma esponja com detergente e água muito quente para
retirar as manchas de gordura mais resistentes.
Se houver bastante salpicos, usar os produtos comuns vulgarmente à venda.
121
122
123
USINES DE ROSIERES - SAS au Capital de 4 498 375 €
RCS Bourges B 324 479 302
30, rue Y. LACELLE - Rosières - 18400 LUNERY
Tél. 02.48.55.78.00 - Fax : 02.48.68.01.75
124
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Related manuals

Download PDF

advertising