ROSIERES | FG 9010 CIN | ROSIERES FG 9010 CIN Manuale utente

ROSIERES FG 9010 CIN Manuale utente
MANUAL
DE
INSTRUÇÕES
MANUTENÇÃO E INSTALAÇÃO
FORNO
FG9010
DE
USO,
INSTRUÇÕES PARA O UTILIZADOR
Agradecemos muito ter escolhido um dos nossos produtos e
esperamos que possa obter o melhor rendimento deste
electrodoméstico.
Aconselhamos para isso uma leitura atenta das instruções e sugestões
deste manual para uma utilização correcta dos nossos produtos. O
Fabricante não se responsabiliza por danos em pessoas ou bens
devidos a uma instalação incorrecta e imprópria deste aparelho. O
Fabricante reserva-se o direito de efectuar nos seus produtos as
modificações que julgar necessárias sem aviso prévio.
IMPORTANTE: durante a utilização do forno o aparelho é
submetido a um aquecimento considerável da parte frontal e do
vidro externo da porta. Recomenda-se portanto de manter as
crianças afastadas pois poderão querer utilizar o aparelho para
brincar.
ATENÇÃO
Este aparelho só pode ser instalado e posto em funcionamento em
locais permanentemente arejados de acordo com UNI 7129/UNI 7131
(fig. 2).
Qualquer manutenção deverá ser executada por pessoal especializado
com o aparelho desligado da tomada de corrente eléctrica e com a
torneira do gás fechada.
N.B.: Chamamos a atenção para o facto que nos móveis de embutir as
camadas de material plástico em madeira de fórmica devem ser colados com cola resistente ao calor (120ºC).
2
INSTRUÇÕES PARA O INSTALADOR
A instalação é a cargo do comprador e as possíveis intervenções
requeridas ao fabricante que derivem de uma instalação errada não serão
abrangidas pela garantia. É importante que todas as operações relativas à
instalação e à regulação sejam executadas por pessoal qualificado, com
requisitos específicos técnicos e profissionais, o qual deverá passar uma
declaração de conformidade no final do trabalho. Esse deverá
considerar-se responsável danos em pessoas ou bens que possam derivar
de ligações que não tenham sido executadas segundo as normas em
vigor.
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Este aparelho está em conformidade com a circular 82/499 da CEE
relativa à limitação de interferências radioeléctricas.
Este aparelho, nas partes destinadas a entrar em contacto com substâncias
alimentares está em conformidade com O D.L. n.º 108 de 25/01/92
(Directiva 89/109/CEE).
3
INSTALAÇÃO NO MÓVEL (fig. 1)
É importante que todas as operações relativas à instalação do aparelho sejam
executadas por pessoal especializado.
O aparelho pode ser embutido por baixo de um balcão de trabalho ou numa
coluna. Em ambos os casos devem ser respeitadas as dimensões indicadas na
Tab. 1.
· A fixação do forno ao móvel efectua-se do seguinte modo (fig. 1):
1. retirar a moldura retirando os parafusos A;
2. introduzir o forno, ligado à instalação eléctrica e ao gás, no móvel;
3. fixar o forno ao móvel com 4 parafusos para madeira;
4. fixar a moldura.
· Tomar atenção para não usar a porta como alavanca para instalar o forno.
· Não fazer força na porta do forno quando está aberta.
·
ATENÇÃO: não obstruir as aberturas ou ranhuras de arrefecimento ou
de saída dos gases da combustão.
Fig. 1
4
LOCAL DE INSTALAÇÃO (fig. 2)
Para um correcto funcionamento do aparelho a gás é indispensável que no
local possa afluir, de modo natural, o ar necessário para a combustão do gás.
O instalador deve obedecer às normas de segurança em vigor no país (UNICIG 7129 e 7131). O afluxo de ar no local deve ser efectuado directamente
através de aberturas efectuadas nas paredes exteriores (fig. 2).
Estas aberturas devem ter uma secção livre de passagem de pelo menos 100
cm2 (podem ser efectuadas uma ou mais aberturas).
A exaustão dos produtos da combustão deve ser efectuada por meios de
chaminés ou directamente para o exterior (fig. 2).
Se não for possível instalar uma chaminé é necessário empregar um
ventilador eléctrico aplicado à parede externa ou na janela do local de modo
que existam no local as aberturas para a entrada do ar de acordo com as
normas em vigor. Este ventilador eléctrico deverá ter uma capacidade tal que
garanta uma renovação do ar do local equivalente a 3-5 vezes o seu volume
por hora.
Fig. 2
5
LIGAÇÃO
Na parte inferior da moldura do forno encontra-se uma placa das
características que indicará para que gás foi regulado o forno. Se a
instalação do local tiver o mesmo tipo de gás indicado, seguir
atentamente as indicações de ligação. Caso contrário, adaptar primeiro
o forno aos diferentes tipos de gás antes de ler as indicações de
ligação.
Indicações de ligação (fig. 3)
O aparelho deve ser ligado à instalação do gás por meio de um tubo
metálico rígido ou por um tubo flexível metálico em conformidade
com as normas em vigor no país (UNI 9891).
A ligação deve ser efectuada entre a rosca da rampa do gás e o tubo,
do seguinte modo:
1. união cónica (ISOR7) com vedação na rosca e com um produto
vedante adequado;
2. Intercalando uma anilha de vedação (alumínio, cobre, borracha)
aprovada para este tipo de utilização.
ADVERTÊNCIA: A utilização de um tubo flexível em borracha
fixado no suporte da borracha é proibida por que não consente a
inspecção.
Fig. 3
6
em verificar no final da operação se há fugas de gás usando água
com sabão ou líquidos equivalentes. NÃO UTILIZAR AS CHAMAS
PARA PROCURAR FUGAS DE GÁS
Atenção
LIGAÇÃO ELÉCTRICA
Antes de ligar o aparelho à corrente eléctrica, verificar se:
A voltagem corresponde à indicada na placa das características situada
na parte inferior da moldura do forno.
· A válvula limitadora e a instalação doméstica possam suportar a carga do
aparelho (consultar a placa das características).
· A instalação de alimentação tenha uma ligação à terra eficaz. A tomada
ou o interruptor disjuntor, com uma abertura mínima de contacto de 3 mm,
seja de fácil acesso depois do aparelho instalado.
· No caso em que a ficha não esteja de fácil acesso, o instalador deve
instalar um interruptor disjuntor com distância de abertura dos contactos
igual ou superior a 3 mm.
·
O cabo de alimentação deverá ser posicionado de modo tal que em nenhum
ponto atinja uma temperatura 50º superior à ambiente.
PT - O aparelho é fornecido com um cabo
sem ficha.
A ficha a utilizar deverá ser do tipo
normalizado tendo em linha de conta que:
- amarelo-verde = terra
- azul = neutro
- castanho = fase
Fig.4
7
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS (TAB. 2)
Transformação para gás diferente do gás calibrado de fábrica.
Æ Injector para gás
G30/G31 (Gás líq. GPL)
Æ Injector para gás
G20 (Gás natural)
Æ Injector para gás
G110 (Gás de cidade)
Æ By-pass para gás G30/G31
Æ By-pass para gás G20/G25
Capacidade nominal
Capacidade mínima
Consumo nominal G30
Consumo nominal G20
Consumo nominal G110
Regulação do ar
“X” G30/G31
Regulação do ar
“X” G20/G25
Regulação do ar
“X” G110
Pressão de alim. G20
Pressão de alim. G30/31
Pressão de alim. G110
Tensão de alimentação
Potência instalada
(forno com grelhador a gás)
Potência instalada
(forno com grelhador eléctrico)
A renovação de ar necessária para a combustão é
de 4,8 m3/h
* Regulado de fábrica
8
Forno
Grelhador
mm
0,95
0,95
mm
1,45
1,45
mm
mm
mm
kW
kW
Kg/h
m3/h
m3/h
3,00
0,52
* reg.
4
3,00
4
0,29
0,36
0,80
0,29
0,36
0,80
mm
aberta
aberta
mm
2
aberta
mm
mbar
mbar
mbar
V
2
20
28/37
8
230
aberta
kW
0,050
kW
2,550
TROCA DE INJECTOR DO QUEIMADOR DO FORNO (fig. 5)
· Assegurar-se que o forno não esteja ligado à corrente eléctrica;
· abrir completamente a porta do forno;
· extrair a placa do fundo (fig. 5);
· desenfiar o queimador do seguinte modo:
1. retirar a parábola de difusão C desapertando as porcas D;
2. deslocar o esquadro E de suporte das velas mais o termopar;
3. retirar o parafuso B e desenfiar o tubo queimador;
4. retirar o injector F com uma chave de 7 e substituí-lo de acordo com as
instruções da tab. 2 (o injector deve ser apertado com uma força
adequada para evitar que se possa desenfiar).
· montar novamente o queimador do forno seguindo as operações acima no
sentido inverso;
· colocar novamente a placa do fundo.
Atenção aos cabos da velas e aos tubos dos termopares.
Fig. 5
9
TROCA DE INJECTOR DO QUEIMADOR DO GRELHADOR
(fig. 6)
· Assegurar-se que o forno não esteja ligado à corrente eléctrica;
· abrir completamente a porta do forno;
· desenfiar o queimador do grelhador situado na parte superior
seguinte modo:
do forno, do
1. desencaixar a vela da ignição e a ampola do termopar do queimador
grelhador;
2. retirar o parafuso de fixação do queimador grelhador e desenfiá-lo para a
direita;
3. retirar o injector D com uma chave de 7 e substituí-lo de acordo com as
instruções da tab. 2 (o injector deve ser apertado com uma força adequada
para evitar que se possa desenfiar);
4. montar novamente o queimador seguindo as operações acima no sentido
inverso.
Atenção aos cabos da velas e aos tubos do termopar.
Fig. 6
10
REGULAÇÃO DO AR DOS QUEIMADORES (fig. 7)
Devido às diferentes características dos tipos de gás usados, podem-se verificar
chamas com falta ou excesso de ar. Nesse caso executar a regulação do seguinte
modo:
Aliviar o parafuso C que se encontra no queimador (para retirar o
queimador seguir as indicações das pág. 10-11).
· girar a roda D para a posição N para o gás metano ou natural e para a
posição G para o gás líquido, alinhando o indicador móvel da roda com o
indicador fixo do queimador obtendo assim uma chama regular (fig. 8).
·
Exemplos:
a) chama com excesso de ar; pequena e fina: girar a roda D de modo a
diminuir a distância X (contrário aos ponteiros do relógio).
b) chama com falta de ar; irregular com pontas amarelas: girar a roda D de
modo a aumentar a distância X (sentido dos ponteiros do relógio).
c) chama normal: a sua cor é azul.
Fig. 7
Fig. 8
11
REGULAÇÃO DO MÍNIMO DO TERMÓSTATO
Esta operação é executada com o forno no móvel e depois de se ter
executado a ligação eléctrica e do gás por pessoal especializado. A
operação é necessária quando se troca de tipo de gás (de gás natural G20 a
gás líquido G30) de modo a garantir uma temperatura mínima próxima
dos 150ºC.
Sequência com painel em metal
· abrir a porta do forno (o acendimento do queimador só se dá com a porta
aberta);
· retirar a placa (fundo) do forno;
· acender o forno na posição da temperatura máxima durante pelo menos
20 a 30 minutos;
· depois de aceso, fechar a porta;
· levar o botão do termóstato para os 150ºC;
· retirar o botão A (fig. 9);
· introduzir uma chave de fendas no furo B paralelamente à haste do
termóstato e regular o by-pass até se obter uma chama reduzida mas
estabilizada. Esta operação deve ser executada com a porta do forno
fechada.
· actuar com a chave de fendas (fig. 9) no parafuso by-pass. Basta
desapertar o by-pass para regular o mínimo passando de gás líquido a gás
metano.
· para o funcionamento com G30/G31 (LPG) o parafuso de regulação do
by-pass deve ser apertado a fundo
12
IMPORTANTE
Depois de ter regulado o queimador verificar se a chama se mantém no
mínimo do seguinte modo:
1. girar o botão da posição mín. à posição máx. 2-3 vezes;
2. abrir e fechar a porta do forno continuamente (nem muito depressa
nem muito devagar)
3. no caso em que se apague, ajustar a regulação do by-pass (aumentar
ligeiramente o mínimo).
Terminadas as operações (substituição do injector, regulação do ar e
mínimo) desligar o forno, aplicar a nova placa das características (que
indica o gás utilizado) na posição indicada na fig. 1, pág. 4.
Fig. 9
13
PRIMEIRA UTILIZAÇÃO DO FORNO
Antes de usar o forno pela primeira vez é necessário retirar os acessórios, laválos com detergente para louça e depois enxugá-los e montá-los novamente no
forno. Aquecer à temperatura máxima durante cerca de 20 a 30 minutos de
modo a eliminar os cheiros desagradáveis causados pela primeira ligação.
DESCRIÇÃO DOS COMANDOS (fig. 10)
A.
B.
C.
P.
E.
Termóstato gás
Contador de minutos
Selector do forno
Relógio analógico
Relógio digital
Fig. 10
BOTÃO DO TERMÓSTATO DO FORNO (fig. 11)
Permite seleccionar a temperatura necessária às exigências doas alimentos a
cozinhar.
Girando o botão no sentido contrário aos ponteiros do relógio selecciona-se a
temperatura, levando-a até ao valor desejado entre 150 e 250ºC.
Fig.11
14
LIGAÇÃO DO FORNO A GÁS
O forno deve ser ligado com a PORTA ABERTA e do seguinte modo:
carregar levemente no botão do termóstato A (fig. 10) e girá-lo no sentido
contrário aos ponteiros do relógio para a posição de máximo.
Carregar a fundo o botão A para accionar a ignição eléctrica e mantê-lo
premido por alguns segundos até que o dispositivo de segurança se active
·
· colocar depois o botão na temperatura desejada.
Verificar se o queimador se acendeu observando-o através das ranhuras na
parte da frente do prato do forno e verificar se largando o botão do termóstato
a chama fica acesa. Caso contrário repetir a operação.
Verificar sempre se o queimador fica aceso depois de fechar a porta.
Fig. 12
15
LIGAÇÃO DO FORNO SEM IGNIÇÃO ELECTRÓNICA
Se a ignição electrónica não funcionar ou o forno não estiver equipado com
esse dispositivo, proceder do seguinte modo: aproximar a chama de um
fósforo ou de um acendedor de gás ao furo de acendimento que se encontra na
parte da frente da placa do fundo do forno e ao mesmo tempo carregar a fundo
no botão do termóstato já girado, no sentido contrário aos ponteiros do
relógio, para a posição de máximo e mantê-lo carregado durante alguns
segundos para que o dispositivo de segurança se active e colocar depois o
botão na temperatura desejada.
USO DO GRELHADOR ELÉCTRICO SÍMBOLOS (fig. 13)
Pos. 0
APAGADO
Pos. 1
LUZ DO FORNO
Pos. 2
ESPETO
Acender o forno a gás e seleccionar o botão do termóstato como desejado
entre os 150ºC e os 270ºC. Este tipo de cozedura efectua-se com a porta do
forno fechada.
Pos. 3
GRELHADOR + ESPETO
Este tipo de cozedura permite gratinar os alimentos. Para este tipo de cozedura
é necessário manter a porta do forno aberta e usar a protecção dos botões. O
selector nesta posição permite a ligação automática do grelhador em conjunto
com o espeto.
Pos. 4
GRELHADOR CENTRAL
Este tipo de cozedura é especialmente indicado para gratinar rapidamente os
alimentos. Neste tipo de cozedura também é necessário ter a porta do forno
aberta e usar a protecção dos botões (fig. 14).
16
Fig.13
Fig. 14
17
ADVERTÊNCIA:
Se, durante o funcionamento do grelhador eléctrico, se girar por erro o
botão do termóstato do forno, um dispositivo de segurança interrompe a
função grelhador. Para recomeçar bastará girar o botão do forno até
alinhar o ponteiro móvel do botão com o ponteiro fixo do painel frontal
(fechado).
USO DO SELECTOR DO GRELHADOR ELÉCTRICO
Girar o botão C para a função desejada (fig. 12)
3. Grelhador + Espeto
4. Grelhador
É aconselhável aquecer previamente o grelhador durante 5 minutos antes
de introduzir os alimentos.
Colocar os alimentos a grelhar na respectiva grelha ou num recipiente
com os bordos muito baixos. A grelha deve ser introduzida na posição
mais alta (dependendo do volume dos alimentos a cozinhar), enquanto
que a pingadeira para a recolha da gordura deverá ser colocada na
posição logo abaixo. Neste tipo de cozedura é necessário manter a porta
do forno aberta, portanto deixá-la entreaberta. Dependendo do tipo de
alimentos (carne, peixe, aves, etc.) é necessário voltar os alimentos para
expor os dois lados aos raios infravermelhos.
18
A cozedura com o grelhador não deverá ultrapassar os 30 minutos.
ATENÇÃO: o grelhador não funciona quando está ligada a função
gás do forno.
LIGAÇÃO DO GRELHADOR A GÁS
Para ligar o grelhador a gás, proceder do seguinte modo:
· Abrir a porta do forno;
· carregar ligeiramente no botão e girá-lo no sentido dos ponteiros do
relógio para a posição grelhador (fig. 15).
· carregar a fundo no botão para accionar a ignição eléctrica e mantê-lo
premido por alguns segundos para que o dispositivo de segurança se
activa.
Fig. 15
Fig. 16
19
LIGAÇÃO DO GRELHADOR DO FORNO NÃO EQUIPADO COM
IGNIÇÃO ELECTRÓNICA
Se o forno não estiver equipado com o dispositivo de acendimento, proceder do
seguinte modo: para acender o queimador grelhador aproximar a chama de um
fósforo ou o acendedor de gás ao queimador instalado na parte superior do forno,
carregar ao mesmo tempo no botão A do termóstato girando-o no sentido dos
ponteiros do relógio e levando-o para o símbolo grelhador.
Pos. 1
LUZ DO FORNO
Pos. 2
ESPETO
Acender o forno a gás e seleccionar com o botão do termóstato entre os 150 e os
270ºC. Este tipo de cozedura deve ser executada com a porta do forno fechada.
BOTÃO DO CONTADOR DE MINUTOS (fig. 19)
O contador de minutos pode ser regulado para um período máximo de 60
minutos. O botão de regulação (fig. 19), deve ser girado no sentido dos ponteiros
do relógio até à posição de máximo e depois girado no sentido contrários aos
ponteiros do relógio até alinhar o seu ponteiro com o tempo desejado. Decorrido
o tempo pré-definido, intervém um sinal acústico que cessará imediatamente. O
contador de minutos, no momento do sinal acústico não interrompe o
funcionamento do forno.
Fig. 17
Fig. 18
Fig. 19
20
RELÓGIO ANALÓGICO SÉRIE RÚSTICO (fig. 20)
Regulação do relógio: as horas podem ser reguladas carregando e girando no
sentido contrário aos ponteiros do relógio o botão P.
Regulação do contador de minutos: girar o botão P (sem o carregar) no sentido dos
ponteiros do relógio até alinhar o ponteiro com o tempo desejado. Decorrido o
tempo pré-definido entra em função uma campainha que ficará a tocar até que o
ponteiro seja deslocado para ao símbolo “CAMPAINHA CRUZADA”.
O sinal acústico não interrompe o funcionamento do forno.
Fig. 20
RELÓGIO ELECTRÓNICO (fig. 21)
O relógio electrónico tem um ponteiro luminoso que assinala as horas e os minutos.
Quando se liga pela primeira vez o forno à corrente eléctrica ou depois de uma falta
de corrente, aparecem três zeros a piscar no visor do relógio. Para seleccionar as
horas é necessário carregar no botão com o símbolo
e ao mesmo tempo no
botão + ou - até aparecerem as horas actuais no visor.
Fig. 21
21
A velocidade da regulação depende da pressão exercitada nos botões +
ou -. O contador de minutos electrónico tem a função de programar o
tempo desejado de cozedura no final do qual um sinalizador acústico
indica que terminou o tempo programado.
O temporizador tem a possibilidade de ser programado até um máximo
de 99’ e 59’’. O sinal acústico pode ser regulado com três níveis de
volume diferentes. Para regular o volume desejado, carregar no botão -.
Esta operação deve ser efectuada depois de se terem programado as
horas.
Para programar o tempo de cozedura
Carregar no botão +, os números começam a avançar e aparecerá um
sinal luminoso no visor.
Depois de aparecer o sinal luminoso, carregar nos botões + ou - para
seleccionar o tempo de cozedura desejado. O tempo seleccionado será
memorizado após 10’’ da operação e aparecerá no visor RESET
TIMER. Para anular o tempo programado, carregar ao mesmo tempo
nos botões + e -, depois levantar primeiro o dedo do botão +.
No final do tempo programado para a cozedura, o sinalizador acústico
entrará em funcionamento por um período de 7’. O sinal acústico pode
ser interrompido carregando uma vez no botão +.
22
COMO USAR O ESPETO (fig. 22)
Enfiar no espeto (1) entre os dois garfos (2) os alimentos a cozinhar
fixando-os com estes em posição de equilíbrio de modo a evitar esforços
do motor. Encaixar o espeto no motor (3) e apoiá-lo no respectivo suporte.
Colocar a pingadeira na posição mais baixa. Acender o grelhador (botão
C, na posição 2, pág. 20).
SUPORTE
Fig. 22
MANUTENÇÃO
É necessário chamar o Serviço de Assistência e mandar substituir a peças
estragada. Aconselha-se também mandar verificar o aparelho pelo Serviço
de Assistência mais ou menos uma vez por ano.
IMPORTANTE:
Aconselha-se também verificar periodicamente o estado do tubo de
ligação do gás e de substituí-lo imediatamente quando apresentar
anomalias.
23
SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA DO FORNO
Caso se tornasse necessário substituir a lâmpada de iluminação do forno, é
necessário retirar a cobertura de protecção A desapertando-a no sentido
contrário aos ponteiros do relógio. Depois de substituir a lâmpada é
necessário montar novamente a cobertura de protecção A (fig. 23).
Fig. 23
DESMONTAGEM DA PORTA DO FORNO
Para facilitar a limpeza do forno é possível desmontar a porta do seguinte
modo:
Dobradiça com cavaletes móveis (fig. 25)
As dobradiças A têm dois cavaletes móveis B que se encaixadas nos sectores C
das dobradiças seguram a porta quando esta está completamente aberta. Depois
disto é necessário levantar a porta para cima e extrai-la para fora, para isso
deve-se pegar nos lados da porta junto das dobradiças. Para montar a porta
novamente, enfiar em primeiro lugar as dobradiças nas suas cavidades D. Por
fim, antes de fechar a porta NÃO esquecer de abaixar os cavaletes móveis B
que serviram para encaixar as duas dobradiças.
O vidro da porta pode ser facilmente tirado desapertando os 4 parafusos laterais
(fig. 24).
N.B.: os parafusos não devem ser apertados a fundo para evitar de estragar a
junta de vedação.
24
Fig. 24
Fig. 25
Fig. 26
25
Acessórios fornecidos com o forno
O aparelho pode ser equipado com calhas laterais que são encaixadas na
parede do forno. Enfiar nas guias laterais a grelha e o tabuleiro
fornecidos.
Para retirar as calhas laterais basta fazer uma leve pressão para baixo na
peça (fig. 26).
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
Antes de chamar o Serviço de Assistência Técnica se o forno não
funcionar, aconselhamos:
verificar se a ficha está bem introduzida na tomada de corrente eléctrica;
Verificar se o afluxo de gás é regular e se o tubo está estrangulado ou
tem interrupções.
LIMPEZA E CUIDADOS
Antes de qualquer operação, desligar a alimentação eléctrica do
aparelho. As partes esmaltadas ou pintadas devem ser limpas depois de
cada utilização.
Aguardar que o forno arrefeça e lavá-lo com água morna e detergente
não corrosivo. Nunca usar facas, esfregões de metal, etc. para raspar.
Fazer de modo que não se depositem gorduras nas paredes para evitar a
formação de cheiros desagradáveis durante as utilizações seguintes.
Pode-se desmontar a porta bem como o vidro para facilitar algumas
operações de limpeza.
26
30
29
28
27
26
25
24
23
22
21
20
19
18
17
16
15
14
13
12
11
10
9
8
7
6
5
4
3
2
1
FG9010
COD. 1230002055 Ed. 0
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Related manuals

Download PDF

advertising