ESAB | AristoPendant U8 | Instruction manual | ESAB AristoPendant U8 Manual do usuário

ESAB AristoPendant U8 Manual do usuário
PT
AristoPendant U8
Manual de instruções
0459 310 080
050221
Valid for program version 1.20
1 INTRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5
1.1 Equipamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.2 O primeiro a fazer: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.3 Visor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.3.1
Símbolos no visor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.4 Teclas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.5 Acerca dos parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.5.1
Definir valores numéricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.5.2
Definir opções fixas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.5.3
Parâmetros do tipo ON/OFF ou SIM/NÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1.6 ENTRA e VOLTA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5
5
7
7
8
8
8
9
9
9
2.1 Menu principal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.1
Menu de funções auxiliares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.2
Menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.3
Imagem de medição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.4
Menu de funções da memória . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.1.5
Menu de acesso rápido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2.2 Estrutura de menus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10
10
11
11
12
12
13
3.1 Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.1.1
Soldadura MIG/MAG com dip/spray . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.1.2
Soldadura MIG/MAG com impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2 Explicações das funções para os parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.1
Tensão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.2
Velocidade de alimentação do fio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.3
Indutância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.4
Tipo de regulador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.5
Corrente pulsada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.6
Tempo dos impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.7
Frequência dos impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.8
Corrente base . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.9
Subida (slope) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.10 Ka . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.11 Ki . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.12 Sinergia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.13 Fluxo prévio de gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.14 Início da fluência (creeptstart) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.15 Hot start (Início quente) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.16 Enchimento de crateras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.17 Desprendimento da gota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.18 Tempo de “burnback” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.19 Fluxo posterior do gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.20 Limites . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3.2.21 Soldadura por pontos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
14
14
15
16
16
16
16
16
16
17
17
17
17
17
17
18
18
18
18
18
19
19
19
20
20
4.1 Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2 Explicações das funções para os parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2.1
Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2.2
Força do arco . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2.3
Factor de corrente mín . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2.4
Sinergia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4.2.5
Limites . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
20
20
20
20
20
20
21
2 MENUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10
3 SOLDADURA MIG/MAG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14
4 SOLDADURA SER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
Reservamo−nos o direito de alterar as especificações sem aviso prévio.
TOCp
−2−
5 SOLDADURA TIG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
5.1 Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.1.1
Soldadura TIG sem impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.1.2
Soldadura TIG com impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2 Explicações das funções para os parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.1
HF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.2
Arco de levantamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.3
2 tempos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.4
4 tempos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.5
Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.6
Corrente pulsada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.7
Corrente base . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.8
Tempo dos impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.9
Tempo base . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.10 Subida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.11 Descida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.12 Fluxo prévio de gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.13 Fluxo posterior do gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.2.14 Limites . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.3 Explicações das outras funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5.3.1
Purga de gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
21
21
21
22
22
22
22
23
23
23
23
23
24
24
24
24
24
24
25
25
6 CARBONO, ARC AIR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
6.1 Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
25
6.2 Explicações das funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
25
6.2.1
Tensão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
6.2.2
Indutância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
6.2.3
Tipo de regulador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
7 Aristo SuperPulse . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25
7.1 Combinações de fio e gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
7.2 Diferentes tipos de impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
7.3 Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
7.4 Explicações das funções para os parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
7.4.1
Fase . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27
7.5 Unidade de alimentação do fio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
8 GESTÃO DA MEMÓRIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29
8.1
8.2
8.3
8.4
8.5
Como funciona o controlador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Salvar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Apagar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Chamar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Copiar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
29
30
31
32
33
9 FUNÇÕES AUXILIARES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34
10 FUNÇÕES COM O CARTÃO DE MEMÓRIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35
10.1
Mensagem de erro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Reservamo−nos o direito de alterar as especificações sem aviso prévio.
TOCp
−3−
36
11 MENU DE CONFIGURAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36
11.1 Bloqueio de acesso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.1.1
Modo de código de bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.1.2
Criar/alterar código de bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.2 Configuração do comando à distância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.2.1
Esquecer alterações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.2.2
Configurar um comando à distância digital . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.2.3
Configurar um comando à distância analógico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.2.4
Gama das entradas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.3 Parâmetros MIG/MAG . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.3.1
Função do gatilho (2 tempos / 4 tempos) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.3.2
Configuração das teclas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.3.3
Medição da tensão para dip . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.3.4
Configuração a 4 tempos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.4 Parâmetros em SER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.4.1
Amplitude do início quente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.4.2
Duração do início quente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.4.3
Soldadura gota−a−gota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5 Parâmetros gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5.1
Teclas de acesso rápido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5.2
Comando de início duplo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5.3
Painel remoto activado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5.4
Modo de auto−memorização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.5.5
Comutação de gatilho entre parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.6 Vários alimentadores de fio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.6.1
Parâmetros de soldadura . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11.7 Unidade de medida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
36
37
38
38
38
39
39
40
40
40
41
43
43
44
44
44
44
45
45
45
45
46
46
47
48
48
12 FUNÇÕES DE QUALIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48
13 ESTATÍSTICA DE PRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49
14 LISTA DE ERROS OCORRIDOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
14.1
14.2
14.3
14.4
Apagar mensagens de erro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Analisar o resumo do erro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Lista de códigos de erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Descrições de códigos de erros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
51
51
51
52
15 LINHAS SINÉRGICAS PRÓPRIAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55
15.1 Especificar as coordenadas de tensão/fio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
56
15.1.1 Dip/spray . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56
15.1.2 Impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57
15.2 Especificar a combinação de fio/gás válida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
57
15.3 Criar opções próprias para fio/gás . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
58
15.4 Eliminar uma linha sinérgica definida pelo utilizador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
59
16 LIMITE DE EDIÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
17 OUTRAS INFORMAÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60
17.1
ESAB Logic Pump (Water lock) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
60
COMBINAÇÕES DE FIO E GÁS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61
NÚMEROS DE REFERÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63
Reservamo−nos o direito de alterar as especificações sem aviso prévio.
TOCp
−4−
PT
1
INTRODUÇÃO
A fim de tirar o máximo partido do seu equipamento de soldadura, recomendamos a
leitura deste manual de instruções.
Para obter informações gerais de funcionamento, consulte o manual de instruções
da fonte de alimentação eléctrica.
O texto apresentado no visor encontra−se disponível nas seguintes línguas:
inglês, sueco, finlandês, norueguês, dinamarquês, alemão, francês, italiano,
holandês, espanhol, português, húngaro, polaco, inglês dos EUA e checo.
1.1
Equipamento
O AristoPendant U8 é fornecido com um suporte, 3 parafusos espaçadores e um
manual de instruções em língua inglesa.
As instruções e a lista de peças sobressalentes estão disponíveis noutras línguas na
Internet em www.esab.com
Em ”Products” e ”Welding & cutting equipment” encontrará um link para a página
onde poderá fazer busca e download de instruções e de listas de peças sobressalentes.
1.2
O primeiro a fazer:
Este menu aparece no visor quando inicia a máquina pela primeira vez.
Quando é entregue, o controlador encontra−se definido para inglês. Para
seleccionar a sua língua, faça o seguinte:
Prima
para apresentar o menu principal.
ESAB AristoMig
Utilizando as teclas
das setas, desloque
o cursor até à linha
correspondente a
AUXILIARY
FUNCTIONS
Prima ENTER
PROCESS:
METHOD:
WIRE TYPE:
SHIELDING GAS:
WIRE DIMENSION:
AUXILIARY FUNCTIONS "
SET
bi09dintp
MEASURE
−5−
MIG/MAG
DIP / SPRAY
Fe
Ar+8%CO2
1,2 mm
MEMORY
FAST
MODE
ENTER
PT
AUXILIARY FUNCTIONS
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
CONFIGURATION
Prima ENTER
MEMORY CARD OPERATIONS
CONFIGURATION
QUALITY FUNCTIONS
PRODUCTION STATISTICS
ERROR LOG
USER DEFINED SYNERGIC DATA
LIMIT EDITOR
QUIT
ENTER
AUXILIARY FUNCTIONS – CONFIGURATION
Prima ENTER para
apresentar uma lista das
línguas disponíveis no
controlador.
LANGUAGE:
CODE LOCK
REMOTE CONTROLS
MIG/MAG DEFAULTS
MMA DEFAULTS
TIG DEFAULTS
GENERAL DEFAULTS
MULTIPLE WIRE FEEDERS
UNITE OF LENGTH:
ENGLISH
METRIC
QUIT
Desloque o cursor até à linha correspondente à sua língua e
prima ENTRA.
bi09dintp
−6−
DANSK
DEUTSCH
FRANCAIS
ITALIANO
NEDERLANDS
ESPANOL
PORTUGUES
ENTER
↓
PT
1.3
Visor
ESAB AristoMig
PROCESSO:
MÉTODO:
TIPO DE FIO:
GÁS DE PROTECÇÃO:
DIMENSÃO DO FIO:
FUNÇÕES AUXILIARES
DEFINIR
MEDIDAS
MIG/MAG
DIP / SPRAY
Fe
CO2
1,2 mm
MEMÓRIA
ACESSO
RÁPIDO
ENTRA
O cursor
O cursor no controlador aparece como um campo sombreado em torno do texto, o
que faz com que o texto seleccionado fique branco. O cursor aparece a negrito no
manual de instruções.
Caixas de texto
No fundo do visor existem cinco caixas de texto que contêm texto que explica as
funções actuais das cinco teclas na linha directamente abaixo.
Protecção do ecrã
Para prolongar a vida útil do visor retro−iluminado, este desliga−se após três
minutos sem actividade.
1.3.1
bi09dintp
Símbolos no visor
−7−
A
O conjunto de dados de soldadura
seleccionados
B
Número de posição de memória
carregado
C
Mais informações disponíveis na página
seguinte
D
Seleccione os botões mais/menos
marcados com * para aumentar ou
diminuir o valor do parâmetro
E
Seleccione os botões mais/menos
marcados com # para aumentar ou
diminuir o valor do parâmetro
PT
1.4
Teclas
Pode utilizar as teclas das setas
para deslocar o cursor para as diferentes
linhas no visor.
A tecla de menu
serve sempre para voltar ao menu principal.
As teclas mais/menos
são utilizadas para aumentar (+) ou diminuir (−) o valor
de um parâmetro.
Cada uma das duas teclas mais/menos está marcada com o seu próprio símbolo. A
maioria dos parâmetros podem ser definidos utilizando a tecla mais ou a tecla
menos, mas alguns dos parâmetros têm de ser definidos utilizando a tecla marcada
ou
(os símbolos aparecem no visor).
O facto de premir brevemente uma tecla produz um pequeno aumento/diminuição.
Se premir sem soltar uma tecla por mais tempo, o tamanho desse aumento/diminuição torna−se maior.
Teclas
As cinco teclas que se encontram ordenadas no
fundo do visor possuem várias funções. Estas
teclas podem ter várias funções consoante o
menu em que estão a ser utilizadas. As funções
actuais destas teclas são apresentadas pelo
texto na linha de baixo do visor.
Quando uma função se encontra activa, isto é
indicado por um ponto branco junto do texto
.
Ao activar o modo de controlo remoto no visor
de medição, prima o botão REM, o que faz com
que o texto desapareça do visor. Prima
VOLTA para voltar.
1.5
Acerca dos parâmetros
Existem três tipos principais de parâmetros:
Parâmetros com valores numéricos
Parâmetros com opções fixas
Parâmetros do tipo ON/OFF ou SIM/NÃO
1.5.1
Definir valores numéricos
Quando se define um valor numérico, utiliza−se as teclas mais ou menos para
aumentar ou diminuir um determinado valor. Alguns valores também podem ser
modificados através do controlo remoto.
bi09dintp
−8−
PT
1.5.2
Definir opções fixas
Alguns parâmetros são definidos seleccionando uma opção de uma lista.
A lista poderá ter o seguinte aspecto:
MIG/MAG
SER
TIG
CARBONO, ArcAir
MIG DE SUPER IMPULSO
Neste caso, o cursor encontra−se na linha correspondente a MIG/MAG. Se premir
agora a tecla ENTRA, seleccionará a opção MIG/MAG.
No entanto, se pretende seleccionar outra opção, desloque o cursor para a linha em
questão subindo ou descendo com as teclas das setas.
Em seguida, prima a tecla ENTRA.
Se pretende sair da lista sem fazer uma selecção, prima a tecla VOLTA.
Alguns dos parâmetros têm tantas opções que não é possível apresentá−los todos
na lista ao mesmo tempo. Uma seta na parte de cima ou de baixo de uma lista
indica que poderá aceder a mais opções se percorrer a lista para cima ou para
baixo utilizando as teclas das setas.
1.5.3
Parâmetros do tipo ON/OFF ou SIM/NÃO
No caso de algumas funções, pode definir os valores para ON (ligado) ou OFF
(desligado) ou como SIM ou NÃO. A função sinérgica para a soldadura MIG/MAG e
SER é um exemplo deste tipo de função. Os parâmetros ON/OFF ou SIM/NÃO
podem ser definidos de uma das duas seguintes maneiras:
Pode seleccionar ON ou OFF ou SIM ou NÃO da lista de opções, conforme acima
se descreve.
Também pode utilizar as teclas mais/menos para definir ON/OFF ou SIM/NÃO
(aplica−se a determinadas funções).
1.6
+ (mais) = ON ou SIM
− (menos) = OFF ou NÃO
ENTRA e VOLTA
As duas teclas mais à direita estão reservadas para as funções ENTRA e VOLTA.
Premindo ENTRA, confirma a opção seleccionada num menu ou numa lista.
Premindo VOLTA, volta ao menu ou visualização precedente.
bi09dintp
−9−
PT
2
MENUS
O controlador utiliza uma série de menus diferentes. São estes, o menu principal, o
menu das funções auxiliares, o menu de definição dos dados de soldadura, imagem
de medição, menu de funções de memória e menu de acesso rápido. Durante a
inicialização, também aparece um ecrã de incialização que contém informações
acerca do tipo de versão de programa que está a ser utilizado.
2.1
Menu principal
No MENU PRINCIPAL,
pode alterar o processo de
soldadura, o método de
soltadura, o tipo de fio, etc.
A partir deste menu tem
então acesso a todos os
outros submenus.
ESAB AristoMig
PROCESSO:
MÉTODO:
TIPO DE FIO:
GÁS DE PROTECÇÃO:
DIÂMETRO DO FIO:
FUNÇÕES AUXILIARES
DEFINIR
2.1.1
MEDIDAS
MIG/MAG
DIP / SPRAY
Fe
Ar+8%CO2
1,2 mm
MEMÓRIA
ACESSO
RÁPIDO
ENTRA
Menu de funções auxiliares
No MENU DE FUNÇÕES
AUXILIARES
pode visualizar as funções
do cartão de memória.
Também pode passar para
o menu de configuração,
visualizar funções de
qualidade, estatísticas de
produção, a lista de erros
ocorridos, etc.
FUNÇÕES AUXILIARES
OPERAÇÕES COM O CARTÃO DE MEMÓRIA
CONFIGURAÇÃO
FUNÇÕES DE QUALIDADE
ESTATÍSTICAS DE PRODUÇÃO
LISTA DE ERROS OCORRIDOS
LINHAS SINÉRGICAS PRÓPRIAS
LIMITE DE EDIÇÃO
VOLTA
ENTRA
2.1.1.1 Menu de configuração
No MENU DE CONFIGURAÇÃO
pode mudar de língua,
alterar outros parâmetros
básicos, a unidade de
medida, etc.
FUNÇÕES AUXILIARES – CONFIGURAÇÃO
LÍNGUA:
FUNÇÃO DE BLOQUEIO
CONTROLES REMOTOS
PARÂMETROS EM MIG/MAG
PARÂMETROS EM SER
PARÂMETROS EM TIG
PARÂMETROS GERAIS
DOIS ALIMENT. DE FIO
UNIDADE DE MEDIDA:
PORTUGUÊS
MÉTRICO
VOLTA
bi09dintp
− 10 −
ENTRA
PT
2.1.2
Menu de parâmetros de soldadura
No MENU DE PARÂMETROS DE SOLDADURA,
SOLDADURA
pode alterar vários
parâmetros
de soldadura. O aspecto do
menu varia consoante o
processo de soldadura que
foi seleccionado. Neste
exemplo, é a soldadura
MIG/MAG com dip/spray.
PARÂMETRO DE SOLDADURA
TENSÃO:
VELOC. DO FIO:
INDUCTÂNCIA:
MODO SINÉRGICO
PARÂM. DE INÍCIO...
PARÂM. DE FIM...
LIMITES
ENCH.
CRATER.
2.1.3
HOT
START
# 26,8
*
4−
TEMPOS
(+0,0)
6,0
80
PÅ
V
m/min
%
VOLTA
Imagem de medição
Na IMAGEM DE
MEDIÇÃO pode ver os
MEDIÇÃO,
valores medidos dos vários
parâmetros de soldadura
durante o processo de
soldadura.
Os valores medidos
permanecem no visor
mesmo depois da
soldadura estar concluída.
Pode deslocar−se para
outros menus sem perder
os valores medidos.
DIP/SPRAY. Fe, CO2, 1,2 mm
#
0.0 Volt
0 Amp
6.0 m/min
*
ENCH.
CRATER.
HOT
START
4−
TEMPOS
REM
VOLTA
A seta no canto inferior direito do visor indica que se encontram disponíveis mais
informações.
Na imagem de medição pode alterar o valor de determinados parâmetros. Os
parâmetros em questão depende do processo de soldadura que tiver sido definido.
Os valores dos parâmetros que podem ser ajustados são sempre assinalados com
# ou *.
Quando os valores são alterados enquanto não está em curso um processo de
soldadura, os valores medidos alterar−se−ão
para zero de modo a evitar enganos relativamente a quais os parâmetros que
correspondem ao resultado medido.
SUGESTÃO!
Nos impulsos pode seleccionar se o valor da tensão será apresentado como um
valor médio ou como um valor de pico. Este parâmetro pode ser definido nos
parâmetros básicos MIG/MAG, ver capítulo 11.3.
bi09dintp
− 11 −
PT
2.1.4
Menu de funções da memória
No MENU DE FUNÇÕES
DA MEMÓRIA pode salvar,
salvar
chamar e apagar vários
dados de soldadura
previamente definidos. Os
parâmetros de soldadura
podem ser salvados em 99
posições de memória
diferentes.
FUNÇÕES DA MEMÓRIA – DADOS EM MEMÓRIA
1 2 5 11 12
SALVAR
2.1.5
VOLTA
Menu de acesso rápido
No MENU DE ACESSO
RÁPIDO
pode ligar os soft buttons
às posições de conjuntos
de parâmetros. Este
parâmetro é definido nos
parâmetros gerais.
DIP/SPRAY. Fe, CO2, 1,2 mm
#
0,0 Volt
0 Amp
6,0 m/min
*
CONJ.
PARAM. 1
CONJ.
PARAM. 2
CONJ.
PARAM. 3
CONJ.
PARAM. 4
2A
FUNÇÃO
Para mais informações sobre como definir este menu, ver o capítulo 11.5.1 ”Acesso
rápido, teclado”.
bi09dintp
− 12 −
PT
2.2
Estrutura de menus
FUNÇÕES AUXILIARES
DEFINIR
MEDIDAS
MEMÓRIA
PARÂM. DE FIM
PARÂM. DE INÍCIO
ACESSO RÁPIDO
COPIAR
CHAMAR
APAGAR
SALVAR
*) Esta é a imagem inicial (imagem de medição) que aparece quando liga a máquina.
A imagem de amostra acima diz respeito a soldadura MIG/MAG em modo sinérgico.
FUNÇÕES
AUXILIARES
menu de funções
auxiliares
ver página 34
DEFINIR
menu de parâmetros
de soldadura
para soldadura MIG/MAG, ver página 14
para soldadura SER, ver página 20
para soldadura TIG, ver página 21
para carbono, arc air, ver página 25
para MIG de Superimpulso, ver página 27
MEDIDAS
imagem de medição
ver página 11
MEMÓRIA
Menu de gestão da
memória
ver página 29
ACESSO RÁPIDO
Menu de acesso rápido
ver página 45
bi09dintp
− 13 −
PT
3
SOLDADURA MIG/MAG
Menu principal −−> Processo
O arco na soldadura MIG/MAG funde um fio de adição (o eléctrodo) que é
continuamente alimentado para a solda, sendo a zona em fusão protegida por um
gás de protecção.
Os impulsos são utilizados para afectar a transferência de gotículas do arco para
que este fique estável e não produza pulverização, mesmo com dados de solda
baixa.
O quadro na página 61 mostra os diâmetros de fio que podem ser seleccionados
para soldadura MIG/MAG com DIP/SPRAY.
O quadro na página 62 mostra os diâmetros de fio que podem ser seleccionados
para soldadura MIG/MAG com IMPULSO.
3.1
Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura
3.1.1
Soldadura MIG/MAG com dip/spray
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Tensão
8 − 60
desvio
sinérgico
0
Velocidade do fio **
Indutância
Tipo de controlo
Modo sinérgico
Fluxo prévio de gás
Início da fluência
(creeptstart)
Início quente (Hot start)
Tempo de hot start
Velocidade de fio em
hot start
Tensão de hot start
0,8 – 25,0 m/min
0 − 100%
1 − 12
OFF ou ON
0,1 − 25 s
NÃO ou SIM
0,25 (apresentado
até à primeira casa
decimal)
0,1 m/min
1
1
−
0,1 s
−
NÃO ou SIM
0 − 10 s
Variação total da
alimentação do fio
Variação total
da tensão
NÃO ou SIM
−
0,1 s
0,1 m/min
NÃO
1,5 s
2 m/min
0,25 V
4,5 V
−
NÃO
x
0 − 10 s
0,1 s
1,5 s
x
1,5 m/min a velocidade
actual de alimentação
do fio
8 V à tensão real
0,1 m/min
3 m/min
x
0,25 V
18 V
x
10 − 120%
1
60%
x
0−1s
0,01 s
0,12 s
Enchimento de
crateras
Tempo de enchimento
de crateras
Velocidade final do fio
no enchimento da
cratera
Tensão final de
enchimento da cratera
Desprendimento da
gota
Tempo do burnback
bi09d1p2
− 14 −
5 m/min
80%
4
ON *
0,1 s
NÃO
x
x
x
−
Ajustável
em sinergia
x
x
x
−
x
x
x
x
x
x
x
PT
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Fluxo posterior do gás
Limites
Soldadura por pontos
Tempo de soldadura
por pontos
0,1 − 25 s
1 − 50
OFF ou ON
0 − 25 s
0,1 s
−
−
0,1 s
0,1 s
−
OFF
0,5 s
−
Ajustável
em sinergia
x
−
x
x
*) Linha sinérgica por defeito: fio maciço (Fe), gás de protecção CO2 com fio 1,2 mm.
**)A variação de parâmetros depende da unidade de alimentação de fio utilizada.
3.1.2
Soldadura MIG/MAG com impulsos
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Tensão
10 − 50
desvio
sinérgico
0
Velocidade do fio **
Corrente pulsada
Tempo dos impulsos
Corrente pulsada
Corrente de base ***
Subida (slope)
Ka
Ki
Modo sinérgico
Fluxo prévio de gás
Início da fluência
(creeptstart)
Início quente (Hot start)
Tempo de hot start
Velocidade de fio em
hot start
Tensão de hot start
0,8 – 25,0 m/min
100 − 600 A
1,7 − 25,5 ms
36 − 312 Hz
4 − 300 A
1−9
0 − 100%
0 − 100%
OFF ou ON
0,1 − 25 s
NÃO ou SIM
0,25 (apresentado
até à primeira casa
decimal)
0,1 m/min
4A
0,1 ms
2 Hz
1A
1
1
1
−
0,1 s
−
NÃO ou SIM
0 −10 s
Variação total da
alimentação do fio
Variação total
da tensão
NÃO, SEM IMPULSOS
ou COM IMPULSOS
0 −10 s
−
0,1 s
0,1 m/min
NÃO
1,5 s
2 m/min
0,25 V
4,5 V
−
NÃO
x
0,1 s
1,5 s
x
1,5 m/min a velocidade
actual de alimentação
do fio
8 V à tensão real
0,1 m/min
3 m/min
x
0,25 V
18 V
x
100 A à corrente real
do impulso
4A
464 A
x
12 A à corrente real de
base
4A
36 A
x
Enchimento de
crateras
Tempo de enchimento
de crateras
Velocidade final do fio
no enchimento da
cratera
Tensão final de
enchimento da cratera
Corrente final do
impulso de enchimento
da cratera
Corrente final de base
de enchimento da
cratera
bi09d1p2
− 15 −
5 m/min
476 A
2,2 ms
96 Hz
52 A
9
13%
0%
ON *
0,1 s
NÃO
x
Ajustável
em sinergia
x
x
x
x
x
x
x
x
x
−
−
x
x
x
x
x
x
PT
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Frequência final de
enchimento da cratera
Tempo do burnback
Fluxo posterior do gás
Limites
Soldadura por pontos
Tempo de soldadura
por pontos
20 Hz à frequência real
2 Hz
62 Hz
0−1s
0,1 − 25 s
1 − 50
OFF ou ON
0 − 25 s
0,01 s
0,1 s
−
−
0,1 s
0,13 s
0,1 s
−
OFF
0,5 s
Ajustável
em sinergia
x
−
x
x
−
x
x
*) Linha sinérgica por defeito: fio maciço (Fe), gás de protecção CO2 com fio 1,2 mm.
**)A variação de parâmetros depende da unidade de alimentação de fio utilizada.
***) A corrente mínima de base depende do tipo de máquina a ser utilizada.
3.2
Explicações das funções para os parâmetros
3.2.1
Tensão
A tensão mais elevada aumenta o comprimento do arco e produz um banho de
fusão mais quente e maior.
A definição da tensão difere entre os modos de sinergia e de não sinergia. No modo
sinergia, a tensão é definida como um desvio positivo ou negativo relativamente à
linha sinérgica da tensão. No modo não sinergia, o valor da tensão é definido como
um valor absoluto.
A tensão é definida num dos seguintes menus:imagem de medição−, parâmetros de
soldadura, ou acesso rápido. Quando se utiliza o comando à distância, a definição
pode ser feita a partir do mesmo.
3.2.2
Velocidade de alimentação do fio
Define a velocidade de alimentação necessária para o fio de adição em m/minuto.
A velocidade da alimentação do fio é definida num dos seguintes menus:imagem de
medição, parâmetros de soldadura, ou acesso rápido. Quando se utiliza o comando
à distância, a definição pode ser feita a partir do mesmo.
3.2.3
Indutância
A indutância mais elevada resulta num banho de fusão maior e numa menor
quantidade de salpicos. A indutância mais baixa produz um som mais desagradável
mas um arco concentrado e estável.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com dip/spray.
3.2.4
Tipo de regulador
Afecta o processo de curto circuito e o calor na solda.
Este parâmetro não deve ser alterado.
3.2.5
Corrente pulsada
O mais elevado dos dois valores da corrente no caso de corrente pulsada.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
bi09d1p2
− 16 −
PT
3.2.6
Tempo dos impulsos
Período de tempo durante o qual a corrente pulsada está ligada durante um período
de impulsos.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
3.2.7
Frequência dos impulsos
Período de tempo para a corrente de base que, juntamente com o período de tempo
da corrente pulsada, define o período de impulsos.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
3.2.8
Corrente base
O mais baixo dos dois valores da corrente no caso de corrente pulsada.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
Corrente
Corrente pulsada
Corrente base
Tempo de
impulso
Tempo do período de
impulsos
Tempo
Soldadura MIG/MAG com impulsos.
3.2.9
Subida (slope)
O “slope” significa que a corrente de impulso aumenta/diminui lentamente até atingir
o valor definido. O parâmetro de inclinação (slope) pode ser definido em nove
intervalos, correspondendo cada um deles a 100 µs.
A inclinação é significativa em relação ao ruído. Uma inclinação acentuada produz
um ruído mais alto e mais agudo. Uma inclinação muito pouco acentuada pode, na
pior das hipóteses, afectar a capacidade do impulso para desprender a gotícula.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
3.2.10 Ka
Ka é o elemento proporcional e corresponde à amplificação do regulador. Um valor
baixo significa que a tensão não é mantida com tanta exactidão a um nível
constante.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
3.2.11 Ki
Ki é o elemento de integração que procura, a longo prazo, eliminar um erro. Neste
caso também, um valor baixo produzirá um efeito regulador mais fraco.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com impulso.
bi09d1p2
− 17 −
PT
3.2.12 Sinergia
Cada combinação de tipo de fio, diâmetro do fio e mistura de gás necessita de uma
combinação única entre a velocidade de alimentação do fio e a tensão
(comprimento do arco) para obter um arco com um funcionamento estável. A tensão
(comprimento do arco) obedece automaticamente à linha de sinergia
pré−programada que seleccionou, o que faz com que seja muito mais fácil encontrar
os parâmetros de soldadura correctos. A relação entre a velocidade de alimentação
do fio e os outros parâmetros é designada como a linha de sinergia.
Também é possível encomendar outros pacotes de linhas de sinergia, mas estas
devem ser instaladas por um técnico de assistência da ESAB autorizado.
3.2.13 Fluxo prévio de gás
O fluxo prévio de gás controla o tempo durante o qual o gás de protecção flui antes
de formar o arco.
3.2.14 Início da fluência (creeptstart)
O início da fluência alimenta o fio a 50% da velocidade definida, até o fio fazer
contacto eléctrico com a peça de trabalho. No caso de um início quente é 50% do
tempo do início quente.
3.2.15 Hot start (Início quente)
O início quente aumenta a velocidade de alimentação do fio e a tensão durante um
tempo ajustável no início da soldadura, reduzindo assim o risco de fusão deficiente
no início do cordão.
Velocidade do fio em hot start
É possível aumentar a velocidade da alimentação do fio durante um período
específico relativamente à velocidade de alimentação do fio actual de modo a
proporcionar mais energia durante o início da soldadura e assegurar a penetração.
A velocidade é definida em relação à velocidade normal de alimentação do fio. O
tempo tem início quando se forma o arco e o comprimento é o tempo do início
quente definido. A sinergia proporciona um aumento na velocidade do fio de 2
m/min.
Tensão de hot start
A tensão aumenta em 2 volts além da contribuição da inclinação da linha de sinergia
e os 2 m/min adicionais na velocidade de alimentação do fio. No modo não sinergia,
a tensão em questão será a que é definida e não depende da sinergia.
Nota!: É possível definir valores negativos tanto para a alimentação do fio como
para a tensão no início quente. Este pode ser utilizado com parâmetros elevados de
soldadura de modo a proporcionar um início de soldadura regular ao ”acelerar”
inicialmente os parâmetros da soldadura.
− O início quente (hot start) é activado na imagem de medição e os parâmetros são
definidos no menu de parâmetros.
3.2.16 Enchimento de crateras
O enchimento de crateras dá origem a uma redução controlada do calor e tamanho
do banho de fusão possível quando se conclui a soldadura. Tal ajuda a evitar a
formação de porosidades, a fissuração térmica e a formação de crateras no cordão
da soldadura.
bi09d1p2
− 18 −
PT
No modo de soldadura com impulso é possível optar entre enchimento de crateras
pulsado ou não pulsado. O enchimento de crateras não pulsado faz−se mais
rapidamente ao passo que o enchimento de crateras pulsado demora um pouco
mais, mas proporciona um enchimento de crateras isento de salpicos quando se
utilizam os valores adequados.
Sinergia
No modo sinergia, o tempo de enchimento de crateras e a velocidade final de
alimentação do fio são ambos definidos no enchimento de crateras pulsado e não
pulsado. A tensão e os parâmetros de impulso descem para os valores finais com a
ajuda da sinergia.
Não sinergia
No modo de não sinergia, os parâmetros podem ser alterados de modo a
proporcionar outro comprimento de arco no final do enchimento da cratera.
A tensão final pode ser definida para enchimento de crateras não pulsado. A tensão
final, a corrente final de impulso, a corrente final de base e a frequência final podem
ser definidos para enchimento de crateras pulsado.
Os valores finais dos parâmetros têm de ser sempre iguais ou inferiores aos valores
definidos para a soldadura contínua. Se os parâmetros para a soldadura contínua
forem reduzidos para valores inferiores aos valores finais definidos, o efeito será
também de redução dos valores finais. Os valores finais dos parâmetros não
voltarão a aumentar se o parâmetro para a soldadura contínua for aumentado.
Exemplo:
A velocidade final de alimentação do fio é de 4 m/min e reduz−se a velocidade de
alimentação do fio para
3,5 m/min. A velocidade final de alimentação do fio também será reduzida para 3,5
m/min. Esta velocidade manter−se−á nos 3,5 m/min mesmo quando a velocidade de
alimentação do fio for novamente aumentada.
− O enchimento de crateras é activado na imagem de medição e os parâmetros são
definidos no menu de parâmetros.
3.2.17 Desprendimento da gota
O desprendimento da gota é um impulso que é adicionado para assegurar que não
se forma uma bola no fio quando a soldadura pára.
Aplica−se apenas à soldadura MIG/MAG com dip/spray. Quando a conclusão do
impulso está sincronizada com um impulso, terminar o impulso.
3.2.18 Tempo de “burnback”
O tempo de “burnback” é um atraso entre a altura em que o fio começa a parar até
que a fonte de alimentação interrompa a tensão de soldadura. Um tempo de
“burnback” demasiado curto produz um “stickout” longo (extensão do eléctrodo)
após a conclusão da soldadura, com o risco do fio ficar preso no banho de fusão em
solidificação. Um tempo de “burnback” longo deixa um “stickout” menor,
aumentando o risco do arco voltar atrás e atingir a ponta de contacto.
3.2.19 Fluxo posterior do gás
O fluxo posterior de gás controla o tempo durante o qual o gás de protecção flui
depois de se extinguir o arco.
bi09d1p2
− 19 −
PT
3.2.20 Limites
Nesta função, pode optar por um número limite. Para os parâmetros, ver o capítulo
16 ”Configurar os limites”.
3.2.21 Soldadura por pontos
Seleccione Soldadura por pontos quando pretende ”soldar por pontos” folhas
metálicas pouco espessas.
Nota! Não podeencurtar o tempo de soldadura libertando o interruptor de disparo.
4
SOLDADURA SER
Menu principal −−> Processo
À soldadura SER também se pode chamar soldadura com eléctrodos revestidos. A formação do arco derrete o eléctrodo, formando o seu revestimento uma escória de protecção.
O quadro na página 62 mostra os diâmetros dos eléctrodos que podem ser
seleccionados para soldadura MMA.
4.1
Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Corrente*
16 − 500 A
1A
128 A
Modo sinérgico
OFF ou ON
−
ON **
−
Força do arco
0 − 100%
1%
10%
x
Factor de corrente mín
0 − 100%
1%
25%
x
Ajustável
em sinergia
x
−
*) A corrente máxima depende do tipo de máquina a ser utilizada.
**) Linha sinérgica por defeito: tipo de eléctrodo básico 3,2 mm.
4.2
Explicações das funções para os parâmetros
4.2.1 Corrente
Uma corrente mais elevada produz um banho de fusão maior, com uma melhor
penetração na peça de trabalho.
A tensão é definida num dos seguintes menus:imagem de medição, parâmetros de
soldadura, ou acesso rápido.
4.2.2 Força do arco
A força do arco controla a forma como a corrente se altera quando o comprimento
do arco se altera. Um valor mais baixo produz um arco mais calmo com menos salpicos.
4.2.3 Factor de corrente mín
O parâmetro do factor de corrente mín. é utilizado juntamente com certos eléctrodos
específicos. Nota! Este parâmetro não deve ser alterado.
4.2.4 Sinergia
A sinergia para soldadura SER significa que a fonte de alimentação eléctrica da
soldadura optimiza automaticamente tanto as propriedades do tipo de eléctrodo
como o diâmetro seleccionado.
bi09d1p2
− 20 −
PT
4.2.5
Limites
Nos limites, pode optar por um número limite. Para os parâmetros, ver o capítulo 16
”Configurar os limites”.
− Os limites são activados no menu de parâmetros de soldadura.
5
SOLDADURA TIG
Menu principal −−> Processo
A soldadura TIG funde o metal da peça de trabalho, utilizando um arco formado por
um eléctrodo de tungsténio, que não se funde. O banho de fusão e o eléctrodo estão protegidos por um gás de protecção.
Os impulsos são utilizados para melhorar o controlo do banho de fusão e do processo
de solidificação. A frequência dos impulsos é definida para ser de tal maneira lenta que
o banho de fusão tem tempo para solidificar, pelo menos parcialmente, entre cada impulso. De modo a definir os impulsos, são necessários quatro parâmetros: tempo dos
impulsos, tempo de base, corrente pulsada e corrente base.
5.1
Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura
5.1.1
Soldadura TIG sem impulsos
Parâmetros
Variação dos parâmetros
Em intervalos de:
Valores depois de
reset
HF/Arco de levantamento
HF ou Arco de levantamento
−
Arco de levantamento
2/4 tempos
2 tempos ou 4 tempos
−
2 tempos
Corrente*
4 − 500 A
1A
25 A
Tempo de subida
0 − 25 s
0,1 s
1,0 s
Tempo de descida
0 − 25 s
0,1 s
2,0 s
Fluxo prévio de gás
0 − 25 s
0,1 s
1,0 s
Fluxo posterior do gás
0 − 25 s
0,1 s
3,0 s
Limites
1 − 50
−
−
*) A corrente máxima depende do tipo de máquina a ser utilizada.
5.1.2
Soldadura TIG com impulsos
Parâmetros
Variação dos parâmetros
Em intervalos de:
Valores depois de
reset
HF/Arco de levantamento
HF ou Arco de levantamento
−
Arco de levantamento
2/4 tempos*
2 tempos ou 4 tempos
−
2 tempos
Corrente pulsada*
4 − 500 A
1A
25 A
Tempo dos impulsos
0,001 − 5 s
0,001 s
0,010 s
Tempo base
0,001 − 5 s
0,001 s
0,020 s
Corrente base*
4 − 500 A
1A
25 A
Tempo de subida
0 − 25 s
0,1 s
1,0 s
Tempo de descida
0 − 25 s
0,1 s
2,0 s
bi09d1p2
− 21 −
PT
Parâmetros
Variação dos parâmetros
Em intervalos de:
Valores depois de
reset
Fluxo prévio de gás
0 − 25 s
0,1 s
1,0 s
Fluxo posterior do gás
0 − 25 s
0,1 s
3,0 s
Limites
1 − 50
−
−
*) A corrente máxima depende do tipo de máquina a ser utilizada.
5.2
Explicações das funções para os parâmetros
5.2.1 HF
A função HF forma o arco por meio de uma faísca que parte do eléctrodo para a
peça de trabalho à medida que o eléctrodo se aproxima da peça de trabalho.
− HF é activada no menu principal.
5.2.2 Arco de levantamento
Com o Arco de lavantamento, o arco é formado quando o eléctrodo se eleva da
peça de trabalho.
Formar o arco com a função de Arco de levantamentot. Passo 1: o eléctrodo entra em contacto com
a peça de trabalho. Passo 2: o interruptor de disparo é premido e começa a passar uma corrente
baixa. Passo 3: o soldador levanta o eléctrodo da peça de trabalho: o arco forma−se, e a corrente
sobe automaticamente para o valor definido.
− O Arco de levantamento é activado no menu principal.
5.2.3
2 tempos
Fluxo prévio de
gás
Subida
(slope)
Descida
Fluxo posterior do gás
Funções quando se está a utilizar o controlo de 2 tempos da tocha de soldadura.
No modo de controlo a 2 tempos, premindo o interruptor de disparo inicia o fluxo
prévio de gás (se for utilizado) e forma o arco (1). A corrente sobe para o valor
definido (controlado pela função de subida, se estiver em funcionamento). Quando
se solta o interruptor de disparo (2), diminui−se a corrente (ou a descida é iniciada
se estiver em funcionamento) e extingue−se o arco. Segue−se o fluxo posterior de
gás se estiver em funcionamento.
− 2 tempos é activado na imagem de medição do menu principal.
bi09d1p2
− 22 −
PT
5.2.4
4 tempos
Fluxo prévio de
gás
Subida
Descida
Fluxo posterior do gás
Funções quando se está a utilizar o controlo de 4 tempos da tocha de soldadura.
No modo de controlo a 4 tempos, quando se prime o interruptor de disparo inicia−se
o fluxo prévio de gás (se for utilizado) (1). No final do tempo do fluxo prévio de gás,
a corrente sobe até ao nível piloto (alguns amperes) e o arco é formado. Quando se
solta o interruptor de disparo (2), a corrente sobe para o valor definido (com a
subida, se estiver a ser utilizada). No final da soldadura, o soldador volta a premir o
interruptor de disparo (3), o que reduz a corrente para o nível piloto outra vez (com
a descida, se estiver a ser utilizada). Soltando novamente o interruptor (4)
extingue−se o arco e inicia−se o fluxo posterior do gás.
− 4 tempos é activado na imagem de medição do menu principal.
5.2.5
Corrente
Uma corrente mais elevada produz um banho de fusão maior, com uma melhor
penetração na peça de trabalho.
A tensão é definida num dos seguintes menus:imagem de medição, parâmetros de
soldadura, ou
acesso rápido.
Aplica−se apenas à soldadura TIG com corrente constante.
5.2.6
Corrente pulsada
O mais elevado dos dois valores da corrente no caso de corrente pulsada. Com a utilização de impulsos, a subida ou descida também será pulsada.
− A corrente pulsada é definida no menu de parâmetros de soldadura.
Aplica−se apenas à soldadura TIG com impulsos.
5.2.7
Corrente base
O mais baixo dos dois valores da corrente no caso de corrente pulsada.
− A corrente de base é definida no menu de parâmetros de soldadura.
Aplica−se apenas à soldadura TIG com impulsos.
5.2.8
Tempo dos impulsos
Período de tempo durante o qual a corrente pulsada está ligada durante um período
de impulsos.
− O tempo dos impulsos é definido no menu de parâmetros de soldadura.
Aplica−se apenas à soldadura TIG com impulsos.
bi09d1p2
− 23 −
PT
5.2.9
Tempo base
Período de tempo para a corrente de base que, juntamente com o período de tempo
da corrente pulsada, define o período de impulsos.
− O tempo de base é definido no menu de parâmetros de soldadura.
Aplica−se apenas à soldadura TIG com impulsos.
Corrente
Tempo base
Corrente base
Corrente pulsada
Tempo dos
impulsos
Tempo
Soldadura TIG com impulsos.
5.2.10 Subida
A função de subida significa que, quando o arco TIG se forma, a corrente sobe
lentamente para o valor definido. Tal proporciona um aquecimento ”mais suave” do
eléctrodo e dá ao soldador a oportunidade de posicionar correctamente o eléctrodo,
antes de se atingir o valor predefinido da corrente.
− A subida é definida no menu de parâmetros de soldadura.
5.2.11 Descida
A soldadura TIG utiliza a descida, na qual a corrente desce ”lentamente” durante um
período de tempo controlado, de forma a evitar crateras e/ou fissuras quando se
termina uma soldadura.
− A descida é definida no menu de parâmetros de soldadura.
5.2.12 Fluxo prévio de gás
O fluxo prévio de gás controla o tempo durante o qual o gás de protecção flui antes
de formar o arco.
− O fluxo prévio do gás é definido no menu de parâmetros de soldadura.
5.2.13 Fluxo posterior do gás
O fluxo posterior de gás controla o tempo durante o qual o gás de protecção flui
depois de se extinguir o arco.
− O fluxo posterior do gás é definido no menu de parâmetros de soldadura.
5.2.14 Limites
Nos limites, pode optar por um número limite. Para os parâmetros, ver o capítulo 16
”Configurar os limites”.
− Os limites são activados no menu de parâmetros de soldadura.
bi09d1p2
− 24 −
PT
5.3
Explicações das outras funções
5.3.1 Purga de gás
A função de purga de gás é utilizada para medir o fluxo de gás ou para purgar o
ar/ou humidade existente nas mangueiras de gás antes de começar a soldar. A
purga de bás processa−se enquanto a tecla estiver premida e não necessita de
corrente nem de alimentação do fio.
− A purga de gás é activada no menu de imagem de medição.
6
CARBONO, ARC AIR
Menu principal −−> Processo
O processo de Carbono, Arc air envolve a utilização de um eléctrodo especial que
consiste numa barra de carbono com um revestimento de cobre.
Forma−se um arco entre a barra de carbono e a peça de trabalho, é fornecido ar para afastar o material fundido e forma−se uma costura.
O quadro na página 62 mostra os diâmetros dos eléctrodos que podem ser
seleccionados para carbono, arc air.
6.1
Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura
Parâmetros
Variação dos parâmetros
Em intervalos de:
Valores
Dependepois de dente da
reset
sinergia
Tensão
8 − 60 V
1V
39 V
x
Indutância
0 − 100%
70%
x
Tipo de controlo
1−5
1
1
x
Modo sinérgico
Ligado (ON) ou desligado
(OFF)
−
ON
−
Ajustável
em sinergia
x
−
*) Linha sinérgica por defeito: eléctrodo de 5,0 mm (barra de carbono).
6.2
Explicações das funções
6.2.1 Tensão
Uma tensão superior dá origem a uma costura mais profunda.
A tensão é definida num dos seguintes menus:imagem de medição, parâmetros de
soldadura, ou acesso rápido.
6.2.2 Indutância
Nota! Este parâmetro não deve ser alterado.
6.2.3 Tipo de regulador
Nota! Este parâmetro não deve ser alterado.
7
Aristo SuperPulse
Menu principal −−> Processo
O MIG DE SUPER IMPULSO (Aristo SuperPulse) é utilizado para melhorar o
controlo do banho de fusão e do processo de solidificação. O banho de fusão tem
tempo para solidificar parcialmente entre cada impulso.
bi09d1p2
− 25 −
PT
Vantagens de utilizar o MIG DE SUPER IMPULSO:
Menos sensível às variações da folga na raíz
Melhor controlo do banho de fusão durante a soldadura de posicionamento
Melhor controlo da penetração e do perfil da penetração
Menos sensível à evaporação irregular do calor
O MIG DE SUPER IMPULSO pode ser visto como uma permutação programada
entre dois parâmetros MIG/MAG. Os intervalos de tempos são determinados pelos
parâmetros de tempo monofásicos e bifásicos.
O MIG DE SUPER IMPULSO ocupa duas posições na memória dos parâmetros de
soldadura. Os dados monofásicos numa posição de memória ímpar e os dados
bifásicos na seguinte posição de memória. Um efeito disso é que a unidade remota
digital não pode utilizar as posições de memória pares quando os parâmetros MIG
DE SUPER IMPULSO são guardados.
A soldadura tem sempre início na monofase. Quando se selecciona o início quente,
são utilizados dados monofásicos durante o tempo de início quente além do tempo
de fase para os dados monofásicos. O enchimento de crateras baseia−se sempre
nos dados bifásicos. Quando um comando de interrupção tiver sido activado
durante o tempo monofásico, o processo passa imediatamente para os dados
bifásicos. O enchimento de crateras baseia−se nos dados bifásicos.
7.1
Combinações de fio e gás
Para combinações de fio e gás, ver os quadros na página 61.
7.2
Diferentes tipos de impulsos
O valor que se segue mostra quais os métodos de pulsação que podem ser
utilizados consoante a espessura do material a soldar.
Calor
C
Sprayarc em monofase e
impulso em bifase
B
Impulso em monofase e
impulso em bifase
A
Impulso em monofase e
diparc em bifase
Dimensão do material
bi09d1p2
− 26 −
PT
7.3
Parâmetros no menu de parâmetros de soldadura
No que se refere a parâmetros para impulsos alternativos de arco dip−/spray, ver o
capítulo 3.1.1 e 3.1.2.
Parâmetros
Variação dos
parâmetros
Em intervalos de:
Valores depois
de reset
Fase
Monofase ou
bifase
−
Primária
x
0,01
0,05 (bifásico)
0,22 (monofásico)
x
Tempo de soldadura 0 – 2,50 s
por fases
7.4
Dependente da
sinergia
Ajustável
em sinergia
Explicações das funções para os parâmetros
Para explicações das funções relativamente aos parâmetros para a soldadura de
Super impulso e outras soldaduras MIG/MAG, ver as páginas 16−20.
7.4.1
Fase
Nesta função, pode optar entre monofase e bifase.
Os parâmetros elevados são definidos em monofase e os parâmetros baixos são
definidos em bifase.
Os parâmetros são utilizados para determinar se devem estar disponíveis para
edição os dados monofásicos ou os bifásicos. Também determina quais os dados
que são afectados nos modos remoto e de medição. A velocidade de alimentação
do fio apresentada na imagem de medição mostra a velocidade na fase
seleccionada. No entanto, a tensão, a corrente e o resultado da soldadura
baseiam−se na medição realizada nas duas fases.
É possível optar por sinergias diferentes em monofase ou bifase. Convém referir
que é preciso fazer a mesma selecção tanto em mono como em bifase quando a
sinergia necessária é a mesma.
− A fase é definida no menu principal.
7.5
Unidade de alimentação do fio
Utilizar apenas a unidade de alimentação do fio AristoFeed 30−4 com MIG DE
SUPER IMPULSO.
Precauções!
Quando se utiliza o MIG DE SUPER IMPULSO existe uma carga elevada na
unidade de alimentação do fio. Para assegurar que a fiabilidade da unidade de
alimentação não fica comprometida, siga os limites indicados na diagrama que se
segue.
bi09d1p2
− 27 −
PT
Diferença na velocidade de alimentação do fio
m/min
Tempo(s) do(s)
ciclo(s)
Os gráficos para 15 m/min e 20 m/min respectivamente referem−se à velocidade
primária de alimentação do fio. O tempo de ciclo é a soma do tempo de soldadura
monofásica e bifásica.
A diferença entre a velocidade de alimentação monofásica e bifásica não deve
exceder a velocidade que é indicada nos gráficos da velocidade primária de
alimentação do fio.
Exemplo: Se o tempo de ciclo for de 0,25 e a velocidade primária de alimentação do
fio for de 15 m/min, a diferença entre a velocidade primária e a velocidade
secundária de alimentação do fio não pode exceder
6 m/min.
Exemplo de soldadura A
Neste exemplo, vamos soldar uma chapa de 10 mm com um fio de alumínio de
1,2 mm e gás de protecção árgon.
Defina os seguintes parâmetros com o controlador:
Processo
MIG DE SUPER
IMPULSO
MIG DE SUPER
IMPULSO
Fase
Monofase
Bifase
Método
Dip/spray
Pulsado
Tipo de fio
Al Mg
Al Mg
Gás de protecção
Ar
Ar
Dimensão do fio
1,2 mm
1,2 mm
Tensão
(+ 1,0V)
(+3,0V)
Velocidade de alimentação do fio
15,0 m/min
11,0 m/min
Tempo de soldadura por fases
0,1 s
0,1 s
O tempo monofásico e bifásico é de 0,1 s + 0,1 s = 0,2 s.
bi09d1p2
− 28 −
PT
A diferença na velocidade da alimentação do fio é de 15,0 m/min −11,0 m/min =
4 m/min.
Exemplo de soldadura B
Neste exemplo, vamos soldar uma chapa de 6 mm com um fio de alumínio de 1,2
mm e gás de protecção árgon.
Defina os seguintes parâmetros com o controlador:
Processo
MIG DE SUPER
IMPULSO
MIG DE SUPER
IMPULSO
Fase
Monofase
Bifase
Método
Impulso
Impulso
Tipo de fio
Al Mg
Al Mg
Gás de protecção
Ar
Ar
Dimensão do fio
1,2 mm
1,2 mm
Tensão
(+ 1,0V)
(+2,0V)
Velocidade de alimentação do fio
12,5 m/min
9,0 m/min
Tempo de soldadura por
fases
0,15 s
0,15 s
O tempo monofásico e bifásico é de 0,15 s + 0,15 s = 0,3 s.
A diferença na velocidade da alimentação do fio é de 12,5 m/min − 9,0 m/min = 3,5
m/min.
8
GESTÃO DA MEMÓRIA
8.1
Como funciona o controlador
Em princípio, o controlador consiste em duas unidades: a memória primária e a
memória dos parâmetros de soldadura.
Memória primária
Salvar
Chamar
Memória dos parâmetros de
soldadura
Na memória primária, é criado um conjunto completo de parâmetros de soldadura
que podem ser memorizadas na memória dos parâmetros de soldadura.
Quando se está a soldar, é sempre o conteúdo da memória de trabalho que controla
o processo. Também é, portanto, possível chamar um parâmetro da soldadura da
memória de parâmetros de soldadura para a memória de trabalho.
Convém referir que a memória de trabalho contém sempre os últimos parâmetros de
soldadura que foram definidos. Estas podem ser chamadas da memória dos
parâmetros de soldadura ou podem ser parâmetros alterados individualmente. Por
outras palavras, a memória de trabalho nunca está vazia ou “reinicializada a zero”.
bi09d1p2
− 29 −
PT
Menu principal −−>
No controlador, pode salvar até 99 conjuntos de dados de soldadura. Cada um
dos conjuntos recebe um número entre 1 e 99.
Também pode apagar e copiar conjuntos de parâmetros e também pode chamar
um conjunto de parâmetros de soldadura para a memória de trabalho.
Apresentamos de seguida alguns exemplos de como salvar, chamar, copiar e
apagar.
8.2
Salvar
Se a memória dos parâmetros de soldadura estiver vazia, a apresentação que se
segue aparecerá no visor.
FUNÇÕES DA MEMÓRIA – DADOS EM MEMÓRIA
Vamos agora salvar um
conjunto de parâmetros de
soldadura. Vamos
atribuir−lhe a posição de
memória 5. Prima a tecla
SALVAR.
* NENHUM DADO NA MEMÓRIA *
SALVAR
VOLTA
A seguinte apresentação aparece no visor.
ARMAZENADO NA POSIÇÃO NR 1
Se premir ENTRA aqui, o
conjunto de parâmetros
será guardado
como número 1, como
indicado na linha de cima
do visor.
VOLTA
ENTRA
Ao deslocar−se utilizando as teclas mais/menos, pode definir qual a posição de memória que será
atribuída ao conjunto de parâmetros.
Ovalor
apresentado na linha de cima do visor é a primeira posição vazia que foi
encontrada na memória.
bi09d1p2
− 30 −
PT
ARMAZENADO NA POSIÇÃO NR 5
Desloque−se para a frente
até ao número 5 utilizando
as teclas mais/menos
. Prima ENTRA.
VOLTA
ENTRA
O conjunto de parâmetros encontra−se agora memorizado com o número 5. No
fundo do visor, pode ver uma parte do conteúdo do conjunto de dados número 5.
ARMAZENADO NA POSIÇÃO NR 5
5
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
VOLTA
ENTRA
Volta ao menu de memória premindo a tecla VOLTA.
NOTA! Todos os parâmetros SUPER IMPULSO ocupam duas posições de memória.
8.3
Apagar
No menu de memória, pode apagar um ou mais dos conjuntos de parâmetros.
Vamos apagar o conjunto de parâmetros que foi memorizado no exemplo anterior.
FUNÇÕES DA MEMÓRIA – DADOS EM MEMÓRIA
Prima a tecla APAGAR.
5
SALVAR
bi09d1p2
APAGAR
− 31 −
CHAMAR
COPIAR
VOLTA
PT
O conjunto de parâmetros guardado mais recentemente é automaticamente
seleccionado. Se mais um conjunto de parâmetros estiver memorizado, pode
deslocar o cursor entre os conjuntos utilizando as teclas das setas da esquerda e da
direita.
APAGAR CONJUNTO DE PARÂM. NR 5
Prima ENTRA para
confirmar a eliminação do
conjunto de parâmetros
número 5.
5
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
VOLTA
ENTRA
Volte ao menu de memória premindo a tecla VOLTA.
NOTA! Se o SUPER IMPULSO for eliminado, tanto a posição de memória 5 como a
6 serão eliminadas.
8.4
Chamar
Vamos agora chamar um conjunto de parâmetros memorizado:
FUNÇÕES DA MEMÓRIA – DADOS EM MEMÓRIA
Prima a tecla CHAMAR.
5
SALVAR
APAGAR
CHAMAR
COPIAR
VOLTA
O conjunto de parâmetros guardado mais recentemente é automaticamente
seleccionado. Se mais um conjunto de parâmetros estiver memorizado, pode
deslocar o cursor entre os conjuntos utilizando as teclas das setas da esquerda e da
direita.
bi09d1p2
− 32 −
PT
CHAMAR CONJUNTO DE PARÂM. NR 10
Prima ENTRA para
confirmar que pretende
chamar o conjunto de
parâmetros número 5.
5
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
VOLTA
ENTRA
A seguinte caixa de texto aparece por breves instantes:
CARREGADO CONJ. DE PARÂM. NR 5
Volte ao menu de memória premindo a tecla VOLTA.
Este ícone na imagem de medição mostra
qual a posição de memória que é chamada.
8.5
Copiar
É assim que se copia o conteúdo de um parâmetro de soldadura para uma nova
posição de memória:
FUNÇÕES DA MEMÓRIA – DADOS EM MEMÓRIA
Prima a tecla COPIAR.
5
SALVAR
APAGAR
CHAMAR
COPIAR
VOLTA
O conjunto de parâmetros guardado mais recentemente é automaticamente
seleccionado. Se mais um conjunto de dados estiver memorizado, pode deslocar o
cursor entre os conjuntos utilizando as teclas das setas da esquerda e da direita.
bi09d1p2
− 33 −
PT
Vamos agora copiar o conteúdo da posição de memória 5 para a posição 50.
Ao deslocar−se utilizando as teclas mais/menos, pode definir qual a posição de
memória para a qual pretende copiar o conjunto de dados.
COPIAR CONJ. DE PARÂM. NR 5 PARA NR 50
Desloque−se até ao
número 50 utilizando as
tecla mais e prima ENTRA.
5
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
VOLTA
ENTRA
O parâmetro de soldadura número 5 foi agora copiado para a posição de memória
50.
Se a posição de memória 50 já estiver ocupada, essa informação é−lhe transmitida
no visor.
COPIAR CONJ. DE PARÂM. NR 5 PARA NR 50
5
50
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
VOLTA
Volte ao menu de memória premindo a tecla VOLTA.
9
FUNÇÕES AUXILIARES
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares
Este menu contém os seguintes submenus:
Para funcionamento com o cartão de memória, ver o capítulo 10.
Para Configuração, ver o capítulo 11.
Para funções de Qualidade, ver o capítulo 12.
Para Estatística de produção, ver o capítulo 13.
Para Lista de erros ocorridos, ver o capítulo 14.
Para Linhas sinérgicas próprias, ver o capítulo 15.
Para Limite de edição, ver o capítulo 16.
bi09d1p2
− 34 −
ENTRA
PT
10
FUNÇÕES COM O CARTÃO DE MEMÓRIA
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Funcionamento com
cartão de memória
A fim de poder utilizar a função do cartão de memória, tem de instalar primeiro uma
placa de PC (placa PCMCIA). A placa de PC é utilizada para memorizar parâmetros
de soldadura contidos no menu de memoria e também permite ao utilizador copiar
parâmetros de soldadura entre vários controladores.
Desligue o interruptor principal da alimentação
eléctrica
Abra o compartimento do lado esquerdo do
controlador
Introduza a placa de PC no leitor de placas,
certificando−se de que o mecanismo de
bloqueio fica activado
Feche o compartimento
Ligue o interruptor principal da alimentação
eléctrica
Vamos memorizar parâmetros de soldadura numa placa de PC.
OPERAÇÕES COM O CARTÃO DE MEMÓRIA
PARÂMETROS DE SOLDADURA
SALVAR
APAGAR
CHAMAR
VOLTA
A função SALVAR é utilizada para memorizar os parâmetros de soldadura em
questão (posições de memória ocupadas 1−99) a partir do controlador para a placa
de PC.
Se a mesma posição já estiver memorizada na placa de PC, essa posição é
gravada por cima pelos dados existentes na memória do próprio controlador. Os
outros dados que foram memorizados previamente na placa mantêm−se
inalterados.
A função APAGAR é utilizada para apagar o conteúdo da placa de PC (todos os
parâmetros de soldadura).
A função CHAMAR é utilizada para copiar os parâmetros de soldadura da placa de
PC para o controlador. Se um parâmetro de soldadura já estiver memorizado na
memória própria do controlador, esse parâmetro é gravado por cima pelo conjunto
que se encontra memorizado na placa de PC. Os outros dados previamente
memorizados na memória do controlador mantêm−se inalterados.
bi09d1p2
− 35 −
PT
10.1
Mensagem de erro
Se o controlador indicar um erro na placa de PC, aparecerá uma mensagem de erro
com uma breve descrição do erro.
Verificar:
Se a placa de PC foi correctamente instalada.
Se a placa de PC não é de uma marca desconhecida ou não aprovada.
Se os dados armazenados na placa são compatíveis com o softwate existente
no controlador.
Se a placa de PC possui o número correcto da versão e não é de um formato
ultrapassado.
11
MENU DE CONFIGURAÇÃO
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração
Este menu contém os seguintes submenus:
Para Língua, ver o capítulo “O primeiro a fazer”1.2.
Para Bloqueio de acesso, ver o capítulo 11.1.
Para Comandos à distância, ver o capítulo 11.2.
Para Parâmetros MIG/MAG, ver o capítulo 11.3.
Para Parâmetros SER, ver o capítulo 11.4.
Para Parâmetros gerais, ver o capítulo 11.5.
Para Vários alimentadores de fios, ver o capítulo 11.6.
Para Unidade de medida, ver o capítulo 11.7.
11.1
Bloqueio de acesso
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Bloqueio de acesso
Quando o Bloqueio de acesso está activado e o utilizador está a fazer medições no
menu de imagem de medição, controle remoto ou de acesso rápido, é necessária
uma palavra−passe (bloqueio de acesso) para sair destes menus.
BLOQUEIO DE ACESSO
ESTADO DE BLOQUEIO:
OFF
CRIAR/ALTERAR CÓDIGO DE BLOQUEIO
VOLTA
bi09d1p2
− 36 −
ENTRA
PT
− O Bloqueio de acesso é activado no menu de configuração.
11.1.1 Modo de código de bloqueio
No modo código de bloqueio, pode activar/desactivar a função de bloqueio sem
apagar o código de bloqueio existente no caso de desactivar a função. Se nenhum
código de bloqueio estiver memorizado e tentar activar o bloqueio de acesso, a
seguinte apresentação aparecerá na qual poderá introduzir um novo código de
bloqueio.
Quando tiver activado o código, aparecerá um pequeno ícone com uma chave para
indicar que a função de código de bloqueio se encontra activada. Poderá então
deslocar−se à vontade em todos os menus sem qualquer restrição, até chegar aos
menus de imagem de medição, controle remoto ou de acesso rápido. Quando o
bloqueio de acesso se encontra activado, o utilizador é obrigado a introduzir o
código de bloqueio para poder sair destes menus.
BLOQUEIO DE ACESSO
ESTADO DE BLOQUEIO:
OFF
CRIAR/ALTERAR CÓDIGO DE BLOQUEIO
VOLTA
ENTRA
Sair do modo de código de bloqueio
Quando se encontra no menu de imagem de medição ou de acesso rápido e a
função bloqueio de acesso está desactivada, pode sair destes menus premindo a
tecla VOLTA ou MENU para voltar ao menu principal.
Se esta função estiver activada e tentar sair, a seguinte mensagem aparece para
avisar o utilizador da protecção conferida pelo código de bloqueio.
PRESSIONE ENTRA PARA O
CÓDIGO DE BLOQUEIO...
Aqui, pode seleccionar VOLTA se mudar de ideias e quiser voltar ao menu anterior,
ou para continuar premindo ENTRA e digitando o código de bloqueio.
bi09d1p2
− 37 −
PT
Chega assim ao visor do teclado onde pode digitar o código de bloqueio. Depois de
cada carácter, prima PREMIR TECLA e confirma o código de bloqueio utilizando a
tecla ENTRA
. A seguinte caixa de texto aparece:
UNIDADE DESBLOQUEADA!
Se o código de bloqueio estiver incorrecto, aparecerá uma mensagem de erro que
dá ao utilizador a opção de tentar de novo ou voltar ao menu original, ou seja ao
menu de imagem de medição ou de acesso rápido.
Se o código de bloqueio estiver correcto, todas as restrições relativas à utilização de
outros menus ficam sem efeito, embora o código de bloqueio se mantenha activado,
o que significa que o utilizador pode sair temporariamente do menu de imagem de
medição ou de acesso rápido, mas quando volta a eles o bloqueio estará
novamente activado.
11.1.2 Criar/alterar código de bloqueio
Na função criar/alterar código de bloqueio, pode editar um código de bloqueio
existente ou introduzir um código novo. Um código de bloqueio pode ser composto
por um máximo de 10 caracteres ou algarismos.
11.2
Configuração do comando à distância
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Controle remoto
Um comando à distância não ligado a um CAN−bus tem de ser ligado através de um
adaptador de comando à distância. Quando estiver ligado, active o comando à
distância no menu imagem de medição na tecla REMOTO.
11.2.1 Esquecer alterações
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
ESQUECER ALTERAÇÕES. Prima ENTRA
para apresentar uma lista
de opções.
MIG/MAG − CONTROLES REMOTOS
ESQUECER ALTERAÇÕES:
DIGITAL OP:
ANALOG 1:
ANALOG 2:
GAMA DAS ENTRADAS:
ANALOG 1, DIG +/−
MÍN
MÁX
ANALOG 2
MÍN
MÁX
DESACTIVO
5 PROG
TENSÃO
VELOCIDADE DO FIO
−10,0
10,0
1,5
25,0
VOLTA
V
V
m/min
m/min
ENTRA
Quando a função ”Esquecer alterações” se encontra ”activada”, uma chamada
automática da última memória chamada será realizada antes do início de cada nova
soldadura. Este procedimento destina−se a eliminar o resultado de todas as
sintonizações de parâmetros de soldadura que foram realizadas durante o último
processo de soldadura.
bi09d1p2
− 38 −
PT
11.2.2 Configurar um comando à distância digital
Sem adaptador de comando à distância
Quando está ligado um comando à distância de bus CAN, a configuração para
DIGITAL OP é feita automaticamente.
Com adaptador de comando à distância
Quando utiliza um comando à distância digital, especifique qual o tipo de comando à
distância que está a ser utilizado:
Se deslocar o cursor até à linha correspondente a OPERAÇÃO DIGITAL e premir
ENTRA, chamará uma lista a partir da qual pode seleccionar uma opção.
CÓD. BINÁRIO
5 PROG
um dispositivo de 32 programas
CÓD.BINÁRIO
5 programas ou pistola com uma escolha de 3 programas
5 PROG
11.2.3 Configurar um comando à distância analógico
Sem adaptador de comando à distância
Quando está ligado um comando à distância de bus CAN, a configuração para
ANALOG 1 e ANALOG 2 é feita automaticamente. Não pode alterar a configuração.
Com adaptador de comando à distância
Quando utiliza um comando à distância analógico, pode utilizar o controlador para
especificar qual ou quais o(s) potenciómetro(s) que pretende utilizar (máximo 2).
Os potenciómetros são designados ANALOG 1 e ANALOG 2 no controlador, e estes
referem−se aos parâmetros definidos para o processo de soldadura em cada caso,
por exemplo tensão (ANALOG 1) e alimentação de fio (ANALOG 2) para MIG/MAG.
Se deslocar o cursor até à linha correspondente a
ANALOG 1 e premir ENTRA, aparece uma lista.
NADA
TENSÃO
Pode agora seleccionar se pretende utilizar o potenciómetro ANALOG 1 (TENSÃO)
ou não (NADA).
Seleccione a linha correspondente a TENSÃO e prima ENTRA
Se deslocar o cursor até à linha correspondente a
ANALOG 2 e premir ENTRA, aparece uma lista.
NADA
VELOCIDADE DO FIO
Pode agora seleccionar se pretende utilizar o potenciómetro ANALOG 2
(VELOCIDADE DO FIO) ou não (NADA).
Seleccione a linha correspondente a VELOCIDADE DO FIO e prima ENTRA
Todas as configurações do comando à distância aplicam−se a qualquer alimentador
de fio que esteja ligado.
bi09d1p2
− 39 −
PT
Se desseleccionar ANALOG 1, tal aplicar−se−á aos dois alimentadores de fios se
estiver a utilizar alimentadores duplos de fios.
11.2.4 Gama das entradas
Também pode definir a variação de controlos para o(s) potenciómetro(s) a utilizar.
Fá−lo utilizando as teclas mais/menos no controlador para definir um valor mínimo e
um valor máximo.
Convém referir que pode definir vários limites de tensão nos modos sinergia e não
sinergia. A definição da tensão em sinergia é um desvio (mais ou menos) do valor
da sinergia. No modo não sinergia, a definição da tensão é um valor absoluto. O
valor definido aplica−se à sinergia quando se encontra em modo sinergia. Quando
não se encontra em modo sinergia, é um valor absoluto e para não sinergia.
Também existem limites de controlo de tensão diferentes para a soldadura dip/spray
e de impulsos no modo não sinergia.
Valor depois de reinicializar
Sinergia dip/spray e de impulsos
Não sinergia dip/spray
mín 8 V
Não sinergia de impulsos
mín 8 V
11.3
mín −10 V
máx 60 V
máx 50 V
máx 10 V
Parâmetros MIG/MAG
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Parâmetros MIG/MAG
Neste menu, pode definir o seguinte:
Função do gatilho (2 tempos / 4 tempos)
Configuração das teclas
Medição da tensão na configuração pulsada
a 4 tempos
11.3.1 Função do gatilho (2 tempos / 4 tempos)
2 tempos
Fluxo prévio de
gás
Hot
start
Soldadura
Enchimento
de crateras
Fluxo posterior do gás
Funções quando se está a utilizar o controlo de 2 tempos do interruptor de disparo.
No funcionamento a 2 tempos, o fluxo prévio de gás (se for utilizado) tem início
quando se prime o interruptor de disparo (1). Inicia−se então o processo de soldar.
bi09d1p2
− 40 −
PT
Quando se solta o interruptor de disparo (2), inicia−se o enchimento das crateras
(se estiver seleccionado) e a corrente de soldadura é interrompida. Tem início o
fluxo posterior de gás (se estiver seleccionado).
SUGESTÃO: Premindo novamente o interruptor de disparo enquanto o enchimento
de crateras está em curso mantém este enchimento enquanto o interruptor estiver
premido (a linha ponteada). Também é possível interromper o enchimento de
crateras premindo e soltando rapidamente o interruptor de disparo enquanto está
em curso.
− Activação da configuração a 2 tempos realizada no menu deimagem de medição,
de configuração ou com uma tecla na imagem de medição.
4 tempos
Existem 3 posições de início e 2 posições de paragem na configuração a 4 tempos.
Esta é a posição de início e paragem 1. Quando se reinicializa, a posição 1 é
seleccionada. Ver o capítulo 11.3.4 ”Configuração a 4 tempos”.
Fluxo prévio
de gás
Hot
start
Soldadura
EnchiFluxo posterior
mento de do gás
crateras
Funções quando se está a utilizar o controlo de 4 tempos do interruptor de disparo.
No funcionamento a 4 tempos, o fluxo prévio de gás tem início quando se prime o
interruptor de disparo (1). Quando se solta o interruptor de disparo (2), inicia−se o
processo de soldadura. Premindo novamente o interruptor de disparo (3) inicia o
enchimento das crateras (se estiver seleccionado) e reduz os dados de soldadura
para um valor inferior. Soltando o interruptor de disparo (4) pára completamente a
soldadura e inicia o fluxo posterior do gás (se estiver seleccionado).
SUGESTÃO: O enchimento de crateras pára quando se solta o interruptor de
disparo. Se, em vez disso, se mantiver o interruptor premido, o enchimento de
crateras prossegue (a linha ponteada).
Para uma função de início e paragem diferente a 4 tempos, ver o capítulo 11.3.4 ”4
tempos”.
− Activação da configuração a 4 tempos realizada no menu deimagem de medição,
de configuração ou com uma tecla na imagem de medição.
11.3.2 Configuração das teclas
Já foram explicadas as cinco teclas existentes no controlador. Quando estiver a
soldar em modo MIG/MAG, o utilizador tem a hipótese de definir a função de três
destes controlos fazendo a sua selecção a partir de uma lista de opções definidas.
bi09d1p2
− 41 −
PT
Das cinco teclas, é possível atribuir uma função específica às três que se encontram
mais à esquerda.
Pode escolher entre as seguintes opções:
Nada
Purga de gás
Avanço do fio
Função do gatilho (2 tempos/4 tempos)
Enchimento de crateras ON/OFF
Creepstart ON/OFF
Hot start ON/OFF
Dados de função do gatilho ON/OFF
A selecção que definir para o interruptor de dados de soldadura antes de activar
a tecla aplica−se com o Dados de função do gatilho ON. AT ARC OFF ou ON.
O interruptor de dados de soldadura encontra−se desligado quando se
selecciona Dados de função do gatilho OFF.
Como atribuir uma destas funções a uma tecla:
A seguinte apresentação aparece no visor. Nesta apresentação existem duas
colunas, uma para função e outra para número de tecla. Cada um dos algarismos
1, 2 e 3 representam uma tecla, isto é, a tecla mais à esquerda é o número 1 e
assim por diante.
No exemplo que se segue, vamos atribuir a função CREEPSTART ON/OFF à tecla
número 1 em vez de ENCHIMENTO DE CRATERAS ON/OFF.
ASSOCIAR FUNÇÕES ÀS TECLAS
Função
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
CREEPSTART ON/OFF.
Prima a tecla número 1,
onde vem indicado
ENCHIMENTO DE
CRATERAS.
Tecla
NADA
PURGA DE GÁS
AVANÇO DO FIO
FUNÇÃO DO GATILHO (2/4)
3
ENCHIMENTO DE CRATERAS ON/OFF
CREEPSTART ON/OFF
1
HOT START ON/OFF
2
DADOS DE FUNÇÃO DO GATILHO ON/OFF
CREEP
START
w HOT
START
4−
TEMPOS
VOLTA
A apresentação no visor mostra que o número da tecla se encontra agora atribuído
à função CREEPSTART ON/OFF. O número 1 foi deslocado para baixo até à linha
correspondente a CREEPSTART ON/OFF, e no fundo do visor poderá ler o texto da
tecla CREEPSTART junto da tecla do lado esquerdo.
Do mesmo modo, é possível atribuir a cada um das outras duas teclas uma nova
função, ligando as funções da coluna do lado esquerdo a uma tecla na coluna do
lado direito.
bi09d1p2
− 42 −
PT
Purga de gás
A função de purga de gás é utilizada para medir o fluxo de gás ou para purgar o
ar/ou humidade existente nas mangueiras de gás antes de começar a soldar. A
purga de bás processa−se enquanto a tecla estiver premida e não necessita de
corrente nem de alimentação do fio.
Alimentação de fio a frio (avanço do fio)
Utiliza−se a alimentação do fio a frio quando se pretende alimentar o fio sem ligar a
tensão de soldadura. O fio é alimentado à velocidade de alimentação do fio definida
enquanto o botão for mantido premido.
11.3.3 Medição da tensão para dip
As opções de medição da tensão para a soldadura dip são as seguintes:
Valor de pico para a tensão de impulsos (PULSADO)
A tensão só é medida durante os impulsos e é filtrada antes do valor da tensão
ser visualizado.
Valor médio da tensão (MÉDIA)
A tensão é medida continuamente e é filtrada antes do valor da tensão ser
visualizado.
Os valores medidos visualizados são utilizados como dados a introduzir para as
funções de qualidade internas e externas.
11.3.4 Configuração a 4 tempos
Na configuração a 4 tempos pode haver várias funções para o início e paragem a 4
tempos.
Modo de arranque a 4 tempos
1 Fornecimento de gás controlado por gatilho, ver o capítulo 11.3.1 ”4 tempos”
2 Fornecimento de gás controlado por temporizador
Fluxo do gás
Alimentação do fio
Fluxo prévio de
gás
Soldadura
Prima o gatilho (1), o fornecimento de gás inicia−se e, após um período de
fornecimento de gás predefinido, o processo de soldadura tem início. Solte o gatilho
(2).
bi09d1p2
− 43 −
PT
3 Início quente controlado por gatilho
Fluxo do gás
Alimentação do fio
Fluxo prévio de
gás
Hot start
Soldadura
Prima o gatilho (1), o fornecimento de gás inicia−se e o início quente é activado até
soltar o gatilho (2).
Modo de paragem a 4 tempos
1Enchimento de crateras controlado por tempo com a possibilidade de alargamento
do mesmo, ver o capítulo 11.3.1 ”4 tempos”
2Tempo de enchimento de crateras controlado por gatilho
Fluxo do gás
Alimentação do fio
Soldadura
Enchimento de crateras
Prima o gatilho (3), o enchimento das crateras inicia−se e termina. Se se soltar o
gatilho (4), durante o tempo de enchimento das crateras (redução do tempo de
enchimento de crateras) a soldadura é interrompida.
11.4
Parâmetros em SER
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Parâmetros em SER
11.4.1 Amplitude do início quente
Parâmetro que define a quantidade de corrente para o ”hot start”. As peças de
trabalho mais fortes ou certos eléctrodos necessitam de uma amplitude superior no
”hot start”.
11.4.2 Duração do início quente
O início quente aumenta a corrente de soldadura durante um tempo ajustável no
início da soldadura, reduzindo assim o risco de fusão deficiente no início do cordão.
11.4.3 Soldadura gota−a−gota
Na soldadura gota−a−gota, o arco é formado e extinto de modo a conseguir um
melhor controlo da fonte de calor. O eléctrodo só precisa de ser ligeiramente
elevado para extinguir o arco. O processo de início é optimizado para iniciar em
material quente.
bi09d1p2
− 44 −
PT
11.5
Parâmetros gerais
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Parâmetros gerais
11.5.1 Teclas de acesso rápido
As teclas ”CONJ. DE PARÂM. 1” – ”CONJ. DE PARÂM. 4” são visíveis no menu de
acesso rápido. Estas são configuradas do seguinte modo:
TECLAS DE ACESSO RÁPIDO
Desloque o cursor até à
linha dos números das
teclas.
As teclas estão numeradas
de 1 a 4, da esquerda para
a direita. Seleccione a tecla
pretendida introduzindo o
seu número utilizando as
teclas mais/menos.
NÚMERO DE TECLA
:
CONJ. DE PARÂM. ASSOCIADO:
DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2 mm
1
1
VOLTA
Em seguida, vá até à linha ”CONJ. DE PARÂM. ASSOCIADOS” utilizando a tecla da
seta para baixo. Aqui poderá pesquisar entre os parâmetros de soldadura que se
encontram guardados na memória dos dados de soldadura. Seleccione o número
do parâmetro de soldadura pretendido utilizando as teclas mais/menos.
11.5.2 Comando de início duplo
Quando esta opção estiver activada (ON) pode começar a soldadura MIG/MAG
tanto a partir da entrada inicial da unidade de alimentação de fio como a partir da
entrada inicial TIG da fonte de alimentação eléctrica e vice versa. Quando a
soldadura é iniciada a partir de um a entrada de sinal inicial tem de ser interrompida
a partir da mesma entrada.
11.5.3 Painel remoto activado
Quando uma unidade de controlo remoto se encontra ligada, a corrente/alimentação
do fio ou tensão podem ser definidas utilizando o painel de controlo e o comando à
distância.
Geralmente, não é possível fazer definições utilizando os botões quando o painel se
encontra em modo de controlo remoto. Quando ”painel remoto activado.” se
encontra ON, os botões de mais/menos funcionam juntamente com uma unidade de
controlo remoto digital (unidade de controlo remoto de número de memória), de
modo que os dados possam ser alterados sem sair do modo de controlo remoto.
Quando ”painel remoto activado.” é utilizado juntamente com os limites, a utilização
da máquina poderá ficar limitada a um leque de parâmetros específicos. Tal
aplica−se aos seguintes parâmetros: alimentação do fio e tensão para soldadura
MIG/MAG, definição da corrente para soldadura SER e TIG, corrente pulsada com
TIG pulsada.
bi09d1p2
− 45 −
PT
11.5.4 Modo de auto−memorização
Quando um conjunto de parâmetros de soldadura for chamada de uma posição de
memória na memória dos dados de soldadura e as definições forem alteradas, as
alterações serão automaticamente guardadas nessa posição de memória quando
um novo conjunto de parâmetros de soldadura for chamada da memória.
O facto de guardar manualmente um parâmetro de soldadura numa posição da
memória bloqueia a memorização automática seguinte.
O número de memória em que os dados se encontram guardados é apresentado no
canto superior direito da imagem de medição.
11.5.5 Comutação de gatilho entre parâmetros de soldadura
Esta função permite ao utilizador alternar entre várias opções de parâmetros de
soldadura predefinidos clicando duas vezes no gatilho da tocha de soldar.
A troca tem lugar entre as posições de memória escolhidas (máximo de 5 posições
de memória) (ver no capítulo 8 “Gestão da memória”).
OFF – Nenhuma comutação de gatilho entre parâmetros de soldadura
AT ARC OFF – O utilizador não pode alternar entre posições de memória enquanto
está a soldar.
ON – O utilizador pode alternar sempre entre posições de memória.
Activar a comutação entre parâmetros de soldadura
DADOS DE FUNC. DO GATILHO
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
DADOS DE FUNC. DO
GATILHO e prima ENTRA.
Seleccione OFF, ARC OFF
ou ARC ON. Prima ENTRA.
DADOS DE FUNC. DO GATILHO
ADICIONAR/APAGAR DADOS DE SOLDADUR
OFF
1
DADOS DE SOLDADURA SELECCIONADOS:
SALVAR
APAGAR
VOLTA
ENTRA
Seleccionar os parâmetros de soldadura da memória
DADOS DE FUNC. DO GATILHO
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
ADICIONAR/APAGAR
DADOS DE SOLDADUR.
Seleccione os números das
memórias em que os
parâmetros de soldadura
pertinentes se encontram
memorizados utilizando as
teclas mais/menos e,
depois, prima SALVAR.
DADOS DE FUNC. DO GATILHO
ARC OFF
ADICIONAR/APAGAR DADOS DE SOLDADUR
10
DADOS DE SOLDADURA SELECCIONADOS: 52 4 10
SALVAR
bi09d1p2
− 46 −
APAGAR
VOLTA
ENTRA
PT
A linha correspondente a DADOS DE SOLDADURA SELECCIONADOS mostra
quais os dados de soldadura que foram seleccionados e qual a ordem por que se
apresentam, da esquerda para a direita.
Para remover os parâmetros de soldadura, repita o processo acima mas prima a
tecla APAGAR.
11.6
Vários alimentadores de fio
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Vários alimentadores de fio
Quando se ligam várias unidades de alimentação de fio (no máximo 4), utilize as
unidades de alimentação de fio sem a unidade de parâmetros de soldadura, painel
de controlo M0.
Todos os alimentadores de fio são fornecidos com o número de identificação 0.
A primeira coisa a fazer quando ligar vários alimentadores de fio é trocar o número
de identificação (endereço do nó) de um dos alimentadores de fio.
Para trocar o número de identificação, faça o seguinte:
Ligue o primeiro alimentador de fio e, em seguida, vá para o menu ”DOIS
ALIMENT. DE FIOS”.
Prima e solte o gatilho para activar o alimentador de fio.
Em seguida, leia o número de identificação do alimentador de fio a partir da
primeira linha (deve ser 0 da primeira vez), e seleccione um novo número de
identificação entre 1 e 3.
DOIS ALIMENT. DE FIO
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
ESCOLHA UM ID
NÚMERO NOVO. Defina o
número pretendido entre 0
e 3 utilizando as teclas
mais/menos.
Prima ENTRA.
ID NÚMERO ATUAL
ESCOLHA UM ID NÚMERO NOVO:
0
ALIM. DE FIO PRESENTES
VOLTA
ENTRA
Na linha de cima o valor correspondente ao número de identificação alterar−se−á
para o número pretendido.
Ligar o alimentador de fio seguinte.
Prima e solte o gatilho para activar este alimentador de fio e verá então que o
número de identificação do alimentador de fio é 0.
A configuração está agora concluída e pode começar a utilizar o equipamento da
forma habitual. Pode utilizar o mesmo procedimento para configurar e correr quatro
alimentadores de fio. O que importa, quando se utilizam vários alimentadores de fio,
não é quais os números de identificação que atribuiu, mas certificar−se de que
atribuiu números diferentes para que os possa diferenciar.
bi09d1p2
− 47 −
PT
Se atribuir por engano o mesmo número de identificação a dois alimentadores de
fio, a mensagem de erro 15 aparecerá no visor de forma contínua. Desligue um
alimentador de fio e reinicie o procedimento acima. Pode sempre chamar o menu
”DOIS ALIMENT. DE FIO” e verificar os números de identificação dos alimentadores
de fio ligados premindo o gatilho.
Na linha correspondente a ALIM. DE FIO PRESENTES poderá ver os números de
identificação de todos os alimentadores de fio ligados.
11.6.1 Parâmetros de soldadura
Os parâmetros de soldadura estão ligados individualmente a cada alimentador de
fio. Para ligar os parâmetros de soldadura a um alimentador de fio, este tem de
estar activo; se for este o caso, pode chamar os parâmetros da forma habitual, ver o
capítulo 8 ”Gestão de memória”, e fazer as alterações necessárias. Tudo isto será
então ligado ao alimentador de fio activo.
Para activar o alimentadora de fio seguinte, prima e solte o gatilho. Em seguida,
chame o parâmetro de soldadura que pretende ligar a este alimentador de fio.
11.7
Unidade de medida
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Menu de configuração −−>
Unidade de medida
Aqui pode escolher se quer:
MÉTRICAS
POLEGADA
12
FUNÇÕES DE QUALIDADE
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Funções de qualidade
As funções de qualidade monitorizam uma série de parâmetros de soldadura úteis
para processos de soldadura específicos.
Estas funções são:
Hora de início da soldadura
Tempo necessário ate terminar a soldadura
Corrente média, máxima e mínima durante o processo de soldadura
Tensão média, máxima e mínima durante o processo de soldadura
Alimentação eléctrica média, máxima e mínima durante o processo de
soldadura
Também pode introduzir manualmemente o comprimento do cordão e a unidade de
parâmetros de soldadura calculará a entrada de calor.
O número de soldaduras desde a última reinicialização também será apresentado. É
possível memorizar informações sobre um máximo de 100 soldaduras. Quando
houver mais de 100 soldaduras, a primeira será ignorada. Uma soldadura tem de
durar mais de 1 segundo para ser registada.
bi09d1p2
− 48 −
PT
A última soldadura registada é apresentada no visor, mas também pode percorrer
todas as outras soldaduras registadas. Quando prime RESET, todas as variáveis
são reinicializada a zero.
FUNÇÕES DE QUALIDADE
SOLD. 1
INÍCIO:
26−MAIO−03
TEMPO DE SOLD.:
COMP. FIO 0cm
ENT. TERM.
MÉD.
MÁX
I (Amp)
0,00
0,00
U (V)
0,00
0,00
P (kW)
0,00
0,00
NR SOLDAD. DESDE ÚLT. RESET:
RESET
16.55.13
0,00 kJ/mm
MÍN
0,00
0,00
0,00
0
VOLTA
Pode seleccionar uma soldadura especial premindo as teclas mais/menos quando o
cursor se encontra na linha que apresenta o número da soldadura em questão.
Do mesmo modo, pode introduzir o comprimento da soldadura para obter a entrada
de calor.
13
ESTATÍSTICA DE PRODUÇÃO
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Estatística de produção
A estatística de produção é utilizada para monitorizar o tempo total do arco, o
volume total do material utilizado e o número de soldaduras desde a última
reinicialização. Também serve para monitorizar o tempo do arco e a quantidade de
material utilizado para a última soldadura. Para mais informações, o visor também
apresenta o material de fio consumido por unidade de medida e quando é que a
última reinicialização teve lugar.
O número de soldaduras não aumenta se o tempo do arco for inferior a 1 segundo.
O visor não apresenta, portanto, a quantidade de material que foi consumido para
uma soldadura com uma duração tão curta. No entanto, o consumo material e o
tempo são incluídos quando do cálculo do consumo total de material e o tempo do
arco.
ESTATÍSTICA DE PRODUÇÃO
TEMPO DE ARCO
FIO CONSUMIDO
BASEADO EM
NÚM. DE SOLDAD.
ÚLTIMO RESET
RESET
ÚLT. SOLD.
TOTAL
0s
0g
8,9 g/m
0s
0g
0
26−MAIO−03
16.55.13
VOLTA
Quando prime RESET, todos os contadores são reinicializados a zero, e a data e
hora apresentam a última reinicialização.
bi09d1p2
− 49 −
PT
Se não reinicializar os contadores, estes são automaticamente reinicializados
quando um deles atingir o seu valor máximo.
Valores máximos dos contadores
Tempo
999 horas, 59 minutos, 59 segundos
Peso
13350000 gramas
Quantidade 65535
14
LISTA DE ERROS OCORRIDOS
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Lista de erros ocorridos
Os códigos de monitorização de erros são utilizados para indicar a ocorrência de um
erro no processo de soldadura. Este é apresentado no visor com a ajuda de um
menu emergente, que aparece durante 2,5 segundos. A seguir, aparece um ponto
de exclamação
no canto superior direito do visor.
Nota!
desaparece do visor assim que chamar o menu de lista de erros ocorridos.
Todos os erros que ocorrem quando o equipamento de soldadura está a ser
utilizado são documentados como mensagens de erro na lista de erros ocorridos.
Um máximo de 99 mensagens de erro podem ser guardadas. Se a lista de
mensagens de erro estiver cheia, isto é 99 mensagens de erro foram guardadas, a
mensagem mais antiga é automaticamente apagada assim que ocorrer o erro
seguinte.
A seguinte informação pode ser visualizada no menu da lista de erros ocorridos:
O número do erro
Quando é que o erro ocorreu (data, hora)
Onde é que o erro ocorreu
O código do erro
67 Data
Unidade
Erro
030528
11:24,13
CBOX
Erro na integridade da memória RAM
19
030528
11:24,18
CBOX
Perda de contacto com a fonte de alim.
18
030528
11:24,18
CBOX
Perda de contacto com alim. de fio
17
APAGAR
bi09d1p2
Hora
APAGAR
TODOS
− 50 −
VER
TOTAL
VOLTA
PT
14.1
Apagar mensagens de erro
Se pretende apagar mensagens de erro, existem duas opções, cada uma com a sua
própria tecla.
Apagar mensagens seleccionadas
Apagar todas as mensagens
14.2
Analisar o resumo do erro
Premindo a tecla ”VER TOTAL” pode chamar uma apresentação do número de
mensagens de erro registadas na lista de erros ocorridos. Aqui também pode ver a
data e a hora das mensagens de erro mais antigas e registadas mais recentemente.
14.3
Código de
erro
Lista de códigos de erros
Descrição
Controlador
Fonte de
alimentação
Alimentador
de fio
1
Erro de memória EPROM
x
x
x
2
Erro de memória RAM
x
x
x
3
Erro de memória RAM externa
x
4
Fonte de alimentação de 5V
x
x
x
5
Tensão de CC intermédia elevada
x
6
Temperatura elevada
x
7
Corrente primária elevada
x
8
Fonte de alimentação da rede 1*
9
x
x
Fonte de alimentação da rede 2*
x
x
10
Fonte de alimentação da rede 3*
x
11
Servo da alimentação de fio
x
x
12
Erro de comunicação (aviso)
x
x
x
14
Erro de comunicação (“bus” desligado)
x
15
Mensagens perdidas
x
x
x
17
Perda de contacto com alim. de fio
x
18
Perda de contacto com a fonte de alim.
x
19
Valores de definição incorrectos na RAM
externa
x
20
Parâmetros inaceitáveis memorizados na
RAM
x
21
Parâmetros incompatíveis memorizados
na RAM
x
22
Transbordamento da memória tampão do
transmissor
x
23
Transbordamento da memória tampão do
receptor
x
25
Formato incompatível dos dados de
soldadura
x
26
Erro de programa
x
x
x
bi09d1p2
x
− 51 −
PT
Código de
erro
Descrição
Controlador
27
Sem fio
28
Perda de dados do programa
29
Não há fluxo da água de refrigeração
30
Perda de contacto com placa TIG
x
31
Não há resposta da unidade de
visualização
x
32
Não há fluxo de gás
x
Unidade
Alimentador
de fio
x
Fonte de alimentação
da rede 1*
Controlador
Fonte de
alimentação
x
x
x
x
x
Fonte de alimentação
da rede 2*
Fonte de alimentação
da rede 3*
+3 V
AristoMig 320/450
+15 VC
−15 V
+15 VB
AristoMig 400/500
+15 V
−15 V
+24 V
Alimentador do fio
15 V
20 V
14.4
Código de
erro
Descrições de códigos de erros
Descrição
1
Erro na memória do programa (EPROM)
A memória do programa está danificada.
Esta avaria não desactiva nenhumas funções.
Acção: Reiniciar a máquina. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
2
Erro na RAM do microprocessador
O microprocessador não escreve/lê para a memória interna.
Esta avaria não desactiva nenhumas funções.
Acção: Reiniciar a máquina. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
3
Erro na RAM externa
O microprocessador não escreve/lê para a memória externa.
Esta avaria não desactiva nenhumas funções.
Acção: Reiniciar a máquina. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
4
Fonte de alimentação de 5 V baixa
A tensão da fonte de alimentação está demasiado baixa.
O processo actual de soldadura é interrompido e não pode ser reiniciado.
Acção:Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Se o erro
persistir, chame um técnico de assistência.
Tensão de CC intermédia fora dos limites
A tensão está demasiado baixa ou demasiado alta. Uma tensão demasiado alta pode
dever−se a picos transitórios na fonte de alimentação da rede ou a uma fonte de
alimentação fraca (elevada indutância na alimentação da rede ou uma perde de fase).
A fonte de alimentação eléctrica é interrompida e não pode ser reiniciada.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Se o erro
persistir, chame um técnico de assistência.
5
bi09d1p2
− 52 −
PT
Código de
erro
6
7
8
8
8
8
9
9
10
10
11
bi09d1p2
Descrição
Temperatura elevada
O interruptor de sobrecarga térmica foi accionado.
O processo actual de soldadura é interrompido e não pode ser reiniciado até o interruptor
ter sido reiniciado.
Acção: Verificar se as entradas ou saídas do ar de refrigeração não estão bloqueadas ou
obstruídas com sujidade. Verificar o ciclo de trabalho que está a ser utilizado para ter a
certeza de que o equipamento não está a ser sobrecarregado.
Corrente primária elevada
A fonte de alimentação eléctrica está a puxar demasiado tensão da CC que a está a
fornecer.
A fonte de alimentação eléctrica é interrompida e não pode ser reiniciada.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Se o erro
persistir, chame um técnico de assistência.
Tensão da bateria baixa +3V, (controlador)
Tensão da bateria demasiado baixa. Se a bateria não for substituída, perder−se−ão todos
os dados memorizados.
Esta avaria não desactiva nenhumas funções.
Acção: Chame um técnico de assistência para substituir a bateria.
Fonte de alimentação de +15VC, (AristoMig 320/450)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
Fonte de alimentação de +15V, (AristoMig 400/500)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
+15V na alimentação, (alimentador de fio)
A tensão de alimentação na placa de circuitos impressos está demasiado alta ou
demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
−15V na alimentação, (unidade de alimentação)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
+20V na alimentação, (alimentador de fio)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
Fonte de alimentação de +15VB, (AristoMig 320/450)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
Fonte de alimentação de +24VB, (AristoMig 400/500)
A tensão de alimentação está demasiado alta ou demasiado baixa.
Acção: Chame um técnico de assistência.
Velocidade do fio
A velocidade do fio está a desviar−se do valor predefinido.
Quando ocorre este erro, o processo de alimentação do fio é interrompido.
Acção: Chame um técnico de assistência.
− 53 −
PT
Código de
erro
Descrição
12
Erro de comunicação (aviso)
A carga no bus CAN do sistema está demasiado alta ou demasiado baixa.
É possível que a fonte de alimentação/alimentador do fio tenham perdido contacto com o
controlador.
Acção: Verifique o equipamento para se certificar de que tudo está correctamente ligado.
Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
14
Erro de comunicação
O bus CAN do sistema deixou temporariamente de funcionar devido a um excesso de
carga.
O processo de soldadura actual é interrompido.
Acção: Verifique o equipamento para se certificar de que tudo está correctamente ligado.
Será necessário desligar a fonte de alimentação eléctrica para reiniciar o sistema. Se o
erro persistir, chame um técnico de assistência.
Mensagens perdidas
O microprocessador não consegue processar mensagens de entrada à velocidade
necessária, pelo que se perderam informações.
Acção: Será necessário desligar a fonte de alimentação eléctrica para reiniciar o sistema.
Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
Contacto perdido
O controlador perdeu o contacto com o alimentador de fio.
O processo de soldadura actual é interrompido.
Acção: Verificar os cabos. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
15
17
18
Contacto perdido
O controlador perdeu o contacto com a unidade de alimentação.
O processo de soldadura actual é interrompido.
Acção: Verificar os cabos. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
19
Erro de memória na integridade da memória RAM
A bateria está sem energia.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Reinicialize o
controlador. Os parâmetros estarão em inglês com MIG/MAG, DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2
mm
Parâmetros não permitidos memorizados na RAM.
Foram encontrados valores não permitidos durante a inicialização. Apaga todos os dados
no controlador.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Reinicialize o
controlador. Os parâmetros estarão em inglês com MIG/MAG, DIP/SPRAY, Fe, CO2, 1,2
mm
Parâmetros incompatíveis memorizados na RAM.
Foram introduzidas combinações de dados de soldadura não permitidas.
Acção: Será necessário desligar a fonte de alimentação eléctrica para reiniciar o sistema.
Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
20
21
22
Transbordamento da memória tampão do transmissor
O controlador não consegue transmitir informações para as outras unidades a uma
velocidade suficientemente elevada.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema.
23
Transbordamento da memória tampão do receptor
O controlador não consegue processar informações das outras unidades a uma
velocidade suficientemente elevada.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema.
bi09d1p2
− 54 −
PT
Código de
erro
Descrição
25
Formato incompatível dos dados de soldadura
Tentou memorizar dados de soldadura numa placa de PC. A placa de PC tem um formato
de dados diferente da memória dos dados de soldadura.
Acção: Utilizar uma placa de PC diferente.
26
Erro de programa
Algo impediu o processador de realizar as suas funções normais no programa.
O programa é reiniciado automaticamente. O processo de soldadura actual será
interrompido. Esta avaria não desactiva nenhumas funções.
Acção: Analisar o tratamento dos programas de soldadura durante a soldadura. Se o erro
se repetir, chame um técnico de assistência.
27
Sem fio (alimentador de fio)
O alimentador de fio não está a alimentar fio. O processo de soldadura actual será
interrompido, impedindo o reinício da soldadura.
Acção: Carregar um fio novo.
28
Perda de dados do programa
A execução do programa não funciona.
Acção: Desligar a fonte de alimentação da rede para reiniciar o sistema. Se o erro
persistir, chame um técnico de assistência.
29
Não há fluxo da água de refrigeração
O interruptor do monitor do fluxo foi accionado.
O processo actual de soldadura é interrompido e não pode ser reiniciado.
Acção: Verificar o circuito da água de refrigeração e a bomba.
30
Perda de contacto com placa TIG
O controlador perdeu o contacto com a placa TIG. A actividade actual pára.
Acção: Verificar os cabos. Se o erro persistir, chame um técnico de assistência.
31
Não há resposta da unidade de visualização
O microprocessador perdeu o contacto com a placa de visualização.
Acção: Chame um técnico de assistência.
Não há fluxo de gás
O fluxo de gás é inferior a 6 l/min. Impossível iniciar.
Acção: Verificar a válvula do gás, as mangueiras e os conectores.
32
15
LINHAS SINÉRGICAS PRÓPRIAS
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Linhas sinérgicas próprias
É possível criar linhas sinérgicas próprias que estão relacionadas com a tensão e a
velocidade de alimentação do fio. É possível salvar um máximo de dez linhas
sinérgicas deste tipo.
bi09d1p2
− 55 −
PT
A criação de uma nova linha sinérgica processa−se em duas fases:
1. Definir a nova linha sinérgica especificando uma série de coordenadas de
tensão/velocidade do fio, ver passos A−D no diagrama que se segue:
Tensão
Alimentação do fio
2. Especifique qual a combinação de fio/gás a que a nova linha sinérgica se aplica.
15.1
Especificar as coordenadas de tensão/fio
Precisa de quatro coordenadas para criar uma linha sinérgica para a soldadura
dip/spray, e duas coordenadas para a soldadura pulsada. Estas coordenadas têm
de ser memorizadas com números de parâmetros de soldadura especiais na
memória dos dados de soldadura.
15.1.1 Dip/spray
Chame o menu principal e seleccione o método de MIG/MAG DIP/SPRAY.
Para a primeira coordenada, introduza os valores pretendidos para a tensão e
velocidade de alimentação do fio.
Chame o menu da memória e guarde a primeira coordenada como o número de
parâmetro de soldadura 96.
As quatro coordenadas para uma linha dip/spray têm de ser guardadas com
os números 96, 97, 98 e 99.
O seguinte também se aplica:
Um número de parâmetro de soldadura superior tem de conter valores
superiores para tensão e velocidade de alimentação do fiodo que o
número de parâmetro de soldadura que o precede.
Os parâmetros indutância, tipo de regulador e hot start−tensão têm de
ter os mesmos valores nos quatro números de parâmetros de
soldadura.
Defina o número de coordenadas que são necessárias e, em seguida, vá para o
capítulo 15.2 ”Especificar a combinação fio/gás válida”.
bi09d1p2
− 56 −
PT
15.1.2 Impulsos
Chame o menu principal e seleccione o método de MIG/MAG PULSADO.
Para a primeira coordenada, introduza os valores pretendidos para a tensão e
velocidade de alimentação do fio.
Chame o menu da memória e guarde a primeira coordenada como o número de
parâmetro de soldadura 96.
As duas coordenadas para uma linha pulsada têm de ser guardadas com os
números 96 e 97.
O seguinte também se aplica:
Um número de parâmetro de soldadura superior tem de conter valores
superiores para tensão , velocidade de alimentação do fio, frequência de
impulsos, Amplitude de impulsos e Corrente base que o número de
parâmetro de soldadura que o precede.
Os parâmetros tempo dos impulsos, hot start−tensão , Ka, Ki e ”slope”
têm de ter os mesmos valores nos dois números de parâmetros de
soldadura.
Defina o número de coordenadas que são necessárias e, em seguida, vá para o
capítulo 15.2 ”Especificar a combinação fio/gás válida”.
15.2
Especificar a combinação de fio/gás válida
CRIAR LINHAS SINÉRGICAS PRÓPRIAS
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
TIPO DE FIO e prima
ENTRA.
TIPO DE FIO:
GÁS DE PROTECÇÃO:
DIÂMETRO DO FIO
:
Fe
CO2
1,2 mm
LINHA NOVA MEMORIZADA DE
CONJ. DE PARÂMETROS:
96, 97
APAGAR LINHA SINÉRGICA
VOLTA
ENTRA
Seleccione uma das opções a partir da lista e prima
ENTRA
Fe
Ss (Inoxidável)
Ss Duplex
Al Mg
Al Si
Fe com núcleo de metal
Fe FCW rutílico
↓
Do mesmo modo, faça uma selecção para o gás de
protecção e prima ENTRA.
CO2
Ar+20%CO2
Ar+2%O2
Ar
He
Ar+30%He+1%O2
Ar+2%CO2
bi09d1p2
− 57 −
↓
PT
Do mesmo modo, faça uma selecção para o
diâmetro do fio e prima ENTRA.
0,6
0,8
1,0
1,2
1,4
1,6
2,0
mm
mm
mm
mm
mm
mm
mm
↓
Seleccione a linha correspondente a ARMAZENAR NOVA LINHA A PARTIR DE
..... e prima ENTRA.
A operação encontra−se agora concluída – a linha de sinergia foi definida.
Nota! É necessária uma sinergia dip/spray correspondente para cada impulso.
Quando se cria uma nova linha sinérgica para o método de soldadura por impulsos,
receberá sempre uma mensagem de aviso se uma linha correspondente não tiver
sido criada para o método de soldadura dip/spray.
AVISO!
Nenhuma linha sinérgica correspondente.
para a soldadura dip/spray
15.3
Criar opções próprias para fio/gás
As listas de opções de fio/gás podem ser alargadas de
modo a incluir um máximo de dez opções definidas pelo
próprio utilizador. No fundo de cada lista encontra−se
uma linha vazia (−−−). Se colocar o cursor nesta linha e
premir ENTRA, tem acesso a um ”teclado” que lhe
permite digitar as suas próprias opções.
Ar+15%CO2+5%O2
Ar+50%He
AUTO−PROTEGIDO
Ar+16%CO2
Ar+25%CO2
Ar+1%O2
−−−
O ”teclado” do controlador é utilizado do seguinte modo:
Posicione o cursor sobre o carácter
pretendido no teclado utilizando as teclas
das setas. Prima a tecla ”PREMIR TECLA”.
Deste modo, digite uma cadeia completa de
texto com um máximo de 13 caracteres.
Posicione o cursor sobre
e prima a
tecla ”PREMIR TECLA”, e a seguir
aparecerá na lista a opção designada,
definida pelo utilizador.
bi09d1p2
− 58 −
↑
PT
Como eliminar uma opção definida pelo utilizador:
Seleccione na lista actual a opção para fio/gás definida pelo utilizador.
Prima a tecla ”APAGAR”.
Nota! Uma opção para fio/gás definida pelo utilizador não pode ser eliminada se
fizer parte do parâmetro de soldadura que se encontra actualmente na memória de
trabalho.
15.4
Eliminar uma linha sinérgica definida pelo utilizador
Uma linha sinérgica definida pelo utilizador pode ser eliminada se não estiver
activada, isto é se não fizer parte do parâmetro de soldadura que se encontra
actualmente na memória de trabalho.
Desloque o cursor até à linha correspondente a APAGAR LINHA SINÉRGICA.
Prima a tecla ENTRA.
Uma nova apresentação aparece no visor. Aqui pode utilizar a tecla PRÓXIM. para
percorrer as linhas sinérgicas definidas pelo utilizador que foram guardadas.
CRIAR LINHAS SINÉRGICAS PROPRIAS
Vá até à linha que pretende
eliminar e prima a tecla
APAGAR.
ESCOLHA LINHA SINÉRGICA A SER APAGADA
PULSADO, Ss duplex, Ar, 1,4 mm
PRÓXIM.
16
APAGAR
VOLTA
LIMITE DE EDIÇÃO
Menu principal −−> Menu de funções auxiliares −−> Limite de edição
Valores para alimentação de fio/corrente ou tensão. Pode introduzir 50 limites
diferentes.
Esta função não se aplica a goivagem a arco com jacto de ar comprimido.
− Os limites são activados no menu de parâmetros de soldadura.
A introdução dos vários limites faz−se do seguinte modo:
PARÂMETROS GERAIS − LIMITE DE EDIÇÃO
Seleccione o número para
o qual pretende introduzir
os limites (2) e prima
ENTRA.
Seleccione o processo ao
qual se aplica (MIG/MAG) e
prima ENTRA.
NÚMERO LIMITE :
PROCESSO:
APAGAR
bi09d1p2
− 59 −
1
−
VOLTA
ENTRA
PT
Aparece o seguinte menu:
PARÂMETROS GERAIS − LIMITE DE EDIÇÃO
Desloque o cursor até à
linha correspondente a
TENSÃO. Utilize a tecla
#mais/menos para a
definição da tensão máx. e
a tecla *mais/menos para a
definição da tensão mín.
NÚMERO LIMITE :
PROCESSO:
TENSÃO:
VELOC. DO FIO: .
AUTO
1
MIG/MAG
MÁX 60,0 V
MÍN
8,0 V
MÁX 25,0 m/min
MÍN
1,5 m/min
APAGAR
VOLTA
Siga o mesmo procedimento para VELOCIDADE DO FIO.
SUGESTÃO: Se pretende definir os limites em +/−10% relativamente aos
parâmetros reais, prima AUTO.
Quando tiver seleccionado um número limite, os limites para o operador não são
bloqueados até definir a velocidade de alimentação do fio/corrente e a tensão dentro
dos valores limites.
17
OUTRAS INFORMAÇÕES
17.1
ESAB Logic Pump (Water lock)
AristoPendant U8 trabalha em conjunto com a função ELP na unidade de
alimentação do fio/fonte de alimentação. Para mais informações, ver o Manual de
instruções para a unidade de alimentação do fio/fonte de alimentação.
bi09d1p2
− 60 −
Combinações de fio e gás
MIG/MAG welding with DIP/SPRAY
Wire type
Low alloy or unalloyed
wire (Fe)
Stainless solid wire (Ss)
Stainless duplex wire
(Ss Duplex)
Magnesium−alloyed
aluminium wire (AlMg)
Silicon−alloyed aluminium
wire (AlSi)
Metal powder cored wire
(Fe)
Rutile flux cored wire
(Fe)
Basic flux cored wire
(Fe)
Stainless flux cored wire
(Ss)
Duplex rutile flux
cored wire (Ss)
Metal powder cored
stainless wire (Ss)
Nickel base
Shielding gas
CO2
Ar + 20% CO2
Ar + 2% O2
Ar + 5%O2 + 5% CO2
Ar + 8% CO2
Ar + 23% CO2
Ar + 15% CO2 + 5%O2
Ar +16% CO2
Ar + 25% CO2
Ar + 2% CO2
Ar + 2%O2
Ar + 30%He + 1%O2
Ar + 2% CO2
Ar + 3%CO2 + 1%H2
Ar + 32%He + 3%CO2 + 1% H2
Ar + 2% O2
Ar + 30%He +1%O2
Ar
Wire diameter (mm)
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 1.0 1.2 1.6
0.8 1.0 1.2 (1.6*)
0.8 1.0 1.2 (1.6*)
0.8 0.9 1.0 1.2 (1.6*)
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
0.8 0.9 1.0 1.2 (1.6*)
1.0
1.0
0.9 1.0 1.2 1.6
Ar
Ar + 50% He
Ar + 20% CO2
Ar+ 8% CO2
CO2
Ar + 20% CO2
CO2
Ar + 20% CO2
Ar + 20% CO2
Ar+ 8% CO2
SELF−SHIELDING
Ar + 20% CO2
0.9
0.9
1.0
1.0
1.2
1.2
1.0
1.0
1.2
1.2
1.6
1.2
Ar + 8% CO2
Ar + 2% O2
Ar + 20% CO2
Ar + 2% CO2
Ar + 50% He
1.2
1.2
1.2
1.2
0.9
Silicon bronze (CuSi3)
Ar + 1%O2
*) Only for AristoMig 400, AristoMig 450, AristoMig 500
bi09syn
− 61 −
1.0
1.0
1.0
1.2
1.2
1.4
1.4
1.2
1.2
2.4
1.2
1.2
1.4
1.4
1.6
1.6
1.4
1.4
1.6
1.6
1.6
1.6
1.6
1.6
MIG/MAG welding with PULSE
Wire type
Shielding gas
Wire diameter (mm)
Low alloy or unalloyed
wire (Fe)
Ar + 20% CO2
Ar + 2% O2
Ar + 2% CO2
Ar + 5%O2 + 5% CO2
Ar + 8% CO2
Ar + 23% CO2
Ar +16% CO2
Ar + 25% CO2
0.8
0.8
0.8
0.8
0.8
0.8
0.8
0.9
0.9
0.9
1.0
0.9
0.9
1.0
1.0
1.0
1.0
1.2
1.0
1.0
1.2
1.2
1.2 (1.6*)
1.2 (1.6*)
(1.6*)
1.2 (1.6*)
1.2 (1.6*)
(1.6*)
(1.6*)
Stainless wire (Ss)
Ar + 2%O2
Ar + 30%He + 1%O2
Ar + 2% CO2
Ar + 3% CO2 + 1%H2
Ar + 32%He + 3%CO2 + 1% H2
0,8
0.8
0,8
0.8
0.8
1.0low 1.0high 1.2 1.6
1.0 1.2 1.6
0,9 1.0low 1.0high 1.2 1.6
0.9 1.0 1.2 1.6
0.9 1.0 1.2 1.6
Stainless duplex wire
(Ss Duplex)
Ar + 30%He + 1%O2
Ar + 2%O2
1.0
1.0
Magnesium−alloyed
aluminium wire (AlMg)
Ar
0.8 0.9 1.0 1.2 1.6
Silicon−alloyed aluminium
wire (AlSi)
Ar
Ar + 50% He
0,9 1,0 1.2 1.6
0.9 1.0 1.2 1.6
Metal powder cored wire
(Fe)
Ar + 20% CO2
Ar + 8% CO2
1.0 1.2 1.4 1.6
1.0 1.2 1.4 1.6
Metal powder cored
stainless wire (Ss)
Ar + 2% O2
Ar + 2% CO2
Ar + 8% CO2
1.2
1.2
1.2
Nickel base
Ar
Ar + 50% He
1.0 1.2
0.9 1.0 1.2
Silicon bronze (CuSi3)
Ar + 1% O2
1.0
*) Only for AristoMig 400, AristoMig 450, AristoMig 500
MMA welding
Electrode type
Basic
Rutile
Cellulose
Electrode diameter (mm)
1.6 2.0 2.5 3.2 4.0 4.5 5.0 5.6 6.0
1.6 2.0 2.5 3.2 4.0 4.5 5.0 5.6 6.0 7.0
2.5 3.2 4.0 5.0
Carbon, arc air
Electrode diameters (mm)
4.0
bi09syn
5.0
6.0
8.0
− 62 −
AristoPendant U8
Números de referência
Ordering no.
Denomination
0456 290 981 Control box AristoPendant U8
0459 310 070
0459 310 071
0459 310 072
0459 310 073
0459 310 074
0459 310 075
0459 310 076
0459 310 077
0459 310 078
0459 310 079
0459 310 080
0459 310 082
0459 310 083
0459 310 084
Instruction manual SE
Instruction manual DK
Instruction manual NO
Instruction manual FI
Instruction manual GB
Instruction manual DE
Instruction manual FR
Instruction manual NL
Instruction manual ES
Instruction manual IT
Instruction manual PT
Instruction manual PL
Instruction manual HU
Instruction manual CZ
0459 310 990 Spare parts list
bi09o11a
− 63 −
Edition 050221
ESAB subsidiaries and representative offices
Europe
AUSTRIA
ESAB Ges.m.b.H
Vienna−Liesing
Tel: +43 1 888 25 11
Fax: +43 1 888 25 11 85
BELGIUM
S.A. ESAB N.V.
Brussels
Tel: +32 2 745 11 00
Fax: +32 2 745 11 28
THE CZECH REPUBLIC
ESAB VAMBERK s.r.o.
Prague
Tel: +420 2 819 40 885
Fax: +420 2 819 40 120
DENMARK
Aktieselskabet ESAB
Copenhagen−Valby
Tel: +45 36 30 01 11
Fax: +45 36 30 40 03
FINLAND
ESAB Oy
Helsinki
Tel: +358 9 547 761
Fax: +358 9 547 77 71
FRANCE
ESAB France S.A.
Cergy Pontoise
Tel: +33 1 30 75 55 00
Fax: +33 1 30 75 55 24
GERMANY
ESAB GmbH
Solingen
Tel: +49 212 298 0
Fax: +49 212 298 218
GREAT BRITAIN
ESAB Group (UK) Ltd
Waltham Cross
Tel: +44 1992 76 85 15
Fax: +44 1992 71 58 03
ESAB Automation Ltd
Andover
Tel: +44 1264 33 22 33
Fax: +44 1264 33 20 74
HUNGARY
ESAB Kft
Budapest
Tel: +36 1 20 44 182
Fax: +36 1 20 44 186
ITALY
ESAB Saldatura S.p.A.
Mesero (Mi)
Tel: +39 02 97 96 81
Fax: +39 02 97 28 91 81
THE NETHERLANDS
ESAB Nederland B.V.
Utrecht
Tel: +31 30 2485 377
Fax: +31 30 2485 260
NORWAY
AS ESAB
Larvik
Tel: +47 33 12 10 00
Fax: +47 33 11 52 03
POLAND
ESAB Sp.zo.o.
Katowice
Tel: +48 32 351 11 00
Fax: +48 32 351 11 20
PORTUGAL
ESAB Lda
Lisbon
Tel: +351 8 310 960
Fax: +351 1 859 1277
SLOVAKIA
ESAB Slovakia s.r.o.
Bratislava
Tel: +421 7 44 88 24 26
Fax: +421 7 44 88 87 41
SPAIN
ESAB Ibérica S.A.
Alcalá de Henares (MADRID)
Tel: +34 91 878 3600
Fax: +34 91 802 3461
SWEDEN
ESAB Sverige AB
Gothenburg
Tel: +46 31 50 95 00
Fax: +46 31 50 92 22
ESAB International AB
Gothenburg
Tel: +46 31 50 90 00
Fax: +46 31 50 93 60
SWITZERLAND
ESAB AG
Dietikon
Tel: +41 1 741 25 25
Fax: +41 1 740 30 55
North and South America
ARGENTINA
CONARCO
Buenos Aires
Tel: +54 11 4 753 4039
Fax: +54 11 4 753 6313
Asia/Pacific
CHINA
Shanghai ESAB A/P
Shanghai
Tel: +86 21 5308 9922
Fax: +86 21 6566 6622
INDIA
ESAB India Ltd
Calcutta
Tel: +91 33 478 45 17
Fax: +91 33 468 18 80
INDONESIA
P.T. ESABindo Pratama
Jakarta
Tel: +62 21 460 0188
Fax: +62 21 461 2929
JAPAN
ESAB Japan
Tokyo
Tel: +81 3 5296 7371
Fax: +81 3 5296 8080
MALAYSIA
ESAB (Malaysia) Snd Bhd
Shah Alam Selangor
Tel: +60 3 5511 3615
Fax: +60 3 5512 3552
SINGAPORE
ESAB Asia/Pacific Pte Ltd
Singapore
Tel: +65 6861 43 22
Fax: +65 6861 31 95
Representative offices
BULGARIA
ESAB Representative Office
Sofia
Tel/Fax: +359 2 974 42 88
EGYPT
ESAB Egypt
Dokki−Cairo
Tel: +20 2 390 96 69
Fax: +20 2 393 32 13
ROMANIA
ESAB Representative Office
Bucharest
Tel/Fax: +40 1 322 36 74
RUSSIA−CIS
ESAB Representative Office
Moscow
Tel: +7 095 937 98 20
Fax: +7 095 937 95 80
ESAB Representative Office
St Petersburg
Tel: +7 812 325 43 62
Fax: +7 812 325 66 85
Distributors
For addresses and phone
numbers to our distributors in
other countries, please visit our
home page
www.esab.com
SOUTH KOREA
ESAB SeAH Corporation
Kyungnam
Tel: +82 55 269 8170
Fax: +82 55 289 8864
UNITED ARAB EMIRATES
ESAB Middle East FZE
Dubai
Tel: +971 4 887 21 11
Fax: +971 4 887 22 63
BRAZIL
ESAB S.A.
Contagem−MG
Tel: +55 31 2191 4333
Fax: +55 31 2191 4440
CANADA
ESAB Group Canada Inc.
Missisauga, Ontario
Tel: +1 905 670 02 20
Fax: +1 905 670 48 79
MEXICO
ESAB Mexico S.A.
Monterrey
Tel: +52 8 350 5959
Fax: +52 8 350 7554
USA
ESAB Welding & Cutting Products
Florence, SC
Tel: +1 843 669 44 11
Fax: +1 843 664 57 48
ESAB AB
SE−695 81 LAXÅ
SWEDEN
Phone +46 584 81 000
www.esab.com
041227
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertising