YSI 626973-05 | ProDIGITAL Owner's manual

YSI 626973-05 | ProDIGITAL Owner's manual
MANUAL DO UTILIZADOR
ITEM# 626973-05REF
REVISÃO G
Manual do Utilizador
da ProDIGITAL
MEDIDORES PORTÁTEIS DIGITAIS DA SÉRIE PROFISSIONAL
As informações contidas neste manual estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
Foram empreendidos esforços para que as informações contidas neste manual sejam completas, precisas e atuais.
O fabricante não deverá ser responsabilizado por erros ou omissões contidos neste manual.
Consulte YSI.com para obter a versão mais atualizada deste manual.
Obrigado por adquirir um medidor portátil Digital da Série Profissional YSI. Este manual aborda a configuração,
operação e funcionalidade dos equipamentos portáteis da ProDIGITAL, que incluem o ProDSS e o ProSolo.
As funcionalidades do Equipamento portátil da ProDIGITAL incluem:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Sondas inteligentes digitais que são automaticamente reconhecidas pelo instrumento ao serem ligadas
Estojo impermeável (IP-67)
Bateria recarregável de iões de lítio de longa duração
Ecrã a cores e teclado retroiluminado
Opções de cabo selecionáveis pelo utilizador
Ligação USB
Sistema de Posicionamento Global (GPS) (opcional no ProDSS)
Sensor de profundidade (opcional no cabo de 4 portas)
Grande capacidade de memória com extensos recursos de lista de sites
Invólucro resistente com caixa de borracha moldada e conectores de especificação militar (MS)
Software de gestão de dados KorDSS incluído em cada instrumento (consulte as Instruções de Instalação)
Informações de Segurança
Leia todo o manual antes de desembalar, configurar ou operar este equipamento. Preste atenção a todas as
precauções. Caso contrário, podem ocorrer graves lesões no operador ou danos no equipamento. Não utilize
ou instale este equipamento de uma forma diferente da especificada neste manual.
O fabricante não é responsável por nenhum dano devido à má aplicação ou utilização indevida deste produto,
incluindo, sem limitação, danos diretos, incidentais e consequenciais, isentando-se de responsabilidade por
tais danos na medida do permitido pela lei aplicável. O utilizador é o único responsável por identificar os riscos
críticos de aplicação e instalar os mecanismos apropriados para proteger os processos durante um possível mau
funcionamento do equipamento.
Símbolos de Precaução
NOTA: Informação que requer um destaque especial
AVISO: Indica uma situação que, se não for evitada, pode causar danos ao instrumento
A
A
ATENÇÃO: Indica uma situação potencialmente perigosa que pode causar lesões leves ou moderadas
ADVERTÊNCIA: Indica uma situação potencial ou iminentemente perigosa que, se não for evitada, pode resultar
em morte ou ferimentos graves
Componentes do Produto
Desembale o instrumento e os acessórios com cuidado e verifique se existem danos. Caso quaisquer peças
ou materiais estiverem danificados, entre em contacto com o Serviço de Atendimento ao Cliente da YSI através
do número de telefone 800-897-4151 (+1 937 767-7241) ou com o distribuidor da YSI autorizado de quem
o instrumento foi adquirido.
ÍNDICE
4. Manutenção e Armazenamento
1. Introdução
1.1
Utilização e Duração da Bateria
4.1
Equipamento portátil ProDIGITAL
1.2
Carregamento da Bateria
4.2
Antepara de 4 Portas
1.3
Substituição da Bateria
4.3
Proteção do Sensor
1.4
Ligar o Equipamento portátil ao Conjunto
de Cabos
4.4
Sensor de Profundidade
4.5
Sensor de Temperatura
1.5
Instalação/Remoção do Sensor
4.6
Sensor de Condutividade
4.7
Sensor Ótico de Oxigénio Dissolvido
2. Operação
4.8
Sensores de Turbidez e Total de Algas
2.1
Teclado e Navegação
4.9
Sensor de pH/ORP
2.2
Inicialização
4.10 Sensor ISE
2.3
Navegação
4.11 Substituição do Módulo do Sensor ProDSS
2.4
Descrição do Ecrã Principal
2.5
Menu do Sistema
2.6
Menu do Sensor
5.1
Introdução
2.7
Menu de Calibração
5.2
Instalar o Driver e o Software
2.8
Menu de Ficheiros
2.9
Tirar Medições
5. Software KorDSS
6. Acessórios
6.1
Encomendas
3. Calibração
3.1
Configuração da Calibração
3.2
Profundidade
7.1
Bateria Recarregável de Iões de Lítio
3.3
Condutividade
7.2
Informações de Assistência
3.4
Barómetro
7.3
Assistência Técnica
3.5
Oxigénio Dissolvido
7.4
Declarações de Conformidade
3.6
Turbidez
7.5
Garantia
3.7
Total de Algas
3.8
pH/ORP
3.9
ISE
7. Segurança e Assistência
8. Anexos
8.1
Anexo A - Valores de Calibração DO%
8.2
Anexo B - Tabela de Solubilidade do Oxigénio
ESTE É UM
DOCUMENTO INTERATIVO
Ao visualizar este documento como um PDF
AdobeTM, você verá o ícone do dedo ao passar
o cursor sobre certas frases. Clicar em elementos
do Índice, URLs de sites ou referências a
determinadas secções leva-o automaticamente
para essas localizações.
3
1. Introdução
1.1 Utilização e Duração da Bateria
Os equipamentos portáteis Digitais da ProSeries utilizam uma bateria recarregável de iões de lítio (Li-Ion) como fonte
de alimentação. A bateria vem pré-instalada no equipamento portátil e é enviada com menos de 50% da capacidade
total. A duração da bateria depende da utilização, dos parâmetros ativados, do brilho do LCD e da utilização do GPS.
Uma nova bateria, que tenha sido totalmente carregada, deverá manter o equipamento alimentado pelas seguintes durações
a 25°C, com Amostragem definida como Automática, a Retroiluminação definida como Automática e o GPS ativado:
• Somente o quipamento portátil ProDIGITAL - 48 horas
• ProDSS com conjunto de cabos de 4 portas totalmente carregado e 25% de brilho do LCD - 20 horas
Para aumentar a duração da bateria, ative o modo de amostragem manual (Amostragem). O modo de amostragem
manual liga o(s) sensor(es) para obter uma medição edepois desliga-o(s) para conservar a bateria.
Como acontece com todas as baterias de iões de lítio, a duração da bateria diminuirá com o tempo e a utilização.
Essa deterioração é normal e deve ser esperada. Para a máxima duração da bateria, uma descarga maior é melhor
do que uma pequena descarga entre recargas.
1.2 Carregar a Bateria
Está incluído um cabo USB com o equipamento portátil
para carregar a bateria do instrumento e ligá-lo a um PC.
A bateria pode ser carregada através do carregador
de corrente AC, diretamente a partir da ligação USB
do computador ou de uma bateria USB portátil externa
(vendido separadamente, ver Acessórios).
Ligue o conector USB ao adaptador de corrente AC, ao
conector USB do computador ou à bateria USB externa; ligue
o microconector USB ao equipamento portátil (Figura 1).
A
Figura 1 Ligar o equipamento portátil
à alimentação de corrente AC
ADVERTÊNCIA: Carregue a bateria numa área aberta, longe de materiais, líquidos e superfícies inflamáveis.
Não carregue ou manuseie uma bateria que esteja quente ao toque. O não cumprimento
dos avisos e precauções de segurança pode resultar em ferimentos pessoais e/ou danos
ao instrumento que não são cobertos pela garantia. Leia os Avisos e precauções de
segurança da bateria recarregável de iões de lítio.
Para que o equipamento portátil reconheça que está a utilizar corrente AC, você deve começar a carregar o equipamento
portátil enquanto este estiver ligado. Após o instrumento reconhecer que está a ser carregado, pode ser desligado para
concluir o carregamento.
4
Carregamento AC
Carregamento DC
9 hr
14 hr
Introdução
1.3 Substituição da Bateria
1. Retire a tampa da bateria, desapertando (no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio) os quatro parafusos
com uma chave de parafusos plana ou Phillips (Figura 2). Os parafusos de fixação serão retidos na tampa da
bateria e não são amovíveis.
2. Se substituir a bateria existente, retire a bateria de iões de lítio e o suporte de borracha da bateria. Com dois
dedos, segure no conector da bateria e puxe-o diretamente para cima de modo a desligar e retirá-la. Elimine
devidamente a bateria antiga (Ver Eliminar a Bateria).
3. Inspecione a bateria de substituição e o suporte da bateria para verificar se apresentam danos. Contacte
o serviço de apoio ao cliente da YSI se houverem danos.
4. Alinhe e coloque corretamente o suporte da bateria e a bateria no instrumento.
5. Alinhe os terminais de fios do conector da bateria com os três pinos do instrumento e ligue a bateria
ao instrumento. Certifique-se de que os conectores do terminal de três fios e os três pinos do instrumento
estão corretamente alinhados antes de ligar o conector da bateria. A instalação incorreta pode danificar
os conectores da bateria ou os pinos do instrumento.
6. Instale a tampa da bateria e aperte os parafusos da tampa com uma chave de parafusos. NÃO utilize nenhuma
ferramenta elétrica. Certifique-se de que a superfície vedante da tampa está corretamente alinhada e livre
de qualquer contaminação ou danos.
AVISO: NÃO é necessário que a tampa da bateria faça vedação por compressão. Apertar demais os parafusos
da tampa pode danificar a tampa da bateria e o equipamento portátil.
1
2
3
4
5
1 Tampa da bateria
2 Bateria
3 Conector da bateria*
6
4 Conectores de pino do instrumento
5 Suporte da bateria
6 Suporte da bateria instalado
*Cor indicada para referência
Figura 2 Substituição da bateria
Introdução
5
1.4
Ligar o Equipamento portátil
ao Conjunto de Cabos
Os conectores dos cabos são concebidos para correspondência positiva e para evitar danos aos conectores (Figura 3).
O equipamento portátil mantém a sua classificação de resistência à água IP-67 quando o cabo é desligado. No entanto,
os conectores não são conectáveis quando húmidos e devem estar limpos e secos antes de serem ligados.
Alinhe as chaves do conector do cabo com as ranhuras no conector do equipamento portátil. Prima firmemente
e rode o anel exterior no sentido horário até que encaixe na sua devida posição.
3
4
1
2
Figura 3 Conectores com chavetas
6
1 Conector fêmea do
equipamento portátil
3 Área do conector com chaveta
2 Área dos conectores com ranhuras
4 Conector macho do cabo
Introdução
1.5 Instalação/Remoção do Sensor
Os conjuntos de sondas como o ODO/CT, ODO/T e ProOBOD possuem sensores incorporados. Esses sensores
não podem ser removidos do cabo. Como tal, esta secção refere-se apenas ao cabo de 4 portas do ProDSS.
Cabo de 4 portas do ProDSS
Os cabos de 4 portas do ProDSS têm sensores substituíveis pelo utilizador. As portas na antepara são universais,
o que significa que você pode instalar qualquer sensor em qualquer porta. Um sensor de condutividade/temperatura
deve ser instalado para uma medição precisa de todos os parâmetros, exceto turbidez e TSS.
As portas da antepara são numeradas (Figura 4). Portanto, se vários sensores do mesmo tipo estiverem instalados,
o número da porta será adicionado ao ecrã Executar para esclarecer o valor de medição de cada sensor.
AVISO: As portas da antepara e os conectores do sensor não são impermeáveis. Certifique-se de que os
conectores do sensor e as portas da antepara estão limpas e secas antes da instalação do sensor.
1 Sensor
3
2 Ligação de porta
4
2
3 Antepara
5
4 Porca de fixação do sensor
5 Ferramenta de instalação/remoção
do sensor
6 Lubrificante para anel vedante
1
6
7 Porta do sensor
7
Figura 4 Instalação do sensor
Instalação do Sensor
1. Remova a tampa da porta enviada com o cabo de 4 portas. Essa tampa pode ser mantida para proteger
as portas da antepara contra contaminação durante o armazenamento a longo prazo.
2. Verifique se há contaminação em cada uma das portas da antepara. Se a porta estiver suja ou molhada,
limpe-a com ar comprimido.
3. Aplique uma camada fina de lubrificante para anel vedante nos anéis vedantes do sensor. Limpe o excesso
de graxa do anel vedante com um pano sem fiapos.
4. Alinhe cuidadosamente os conectores do sensor e da antepara inserindo o sensor na porta e rodando
suavemente o sensor até que os conectores fiquem alinhados. Assim que estiverem alinhados, empurre
o sensor em direção à antepara até que o sensor se fixe na porta.
Introdução
7
5. Aperte com cuidado a porca de fixação no sentido horário. Se sentir alguma resistência, solte a porca
de fixação completamente para evitar uma instalação transversal.
6. Utilize a ferramenta de instalação/remoção do sensor para apertar a porca de fixação no sentido horário
até ao ajuste correto, cerca de ¼ a ½ de volta adicional da porca de fixação. Tenha cuidado para não apertar
demais a porca de fixação.
AVISO: A instalação incorreta ou o excesso de aperto podem causar danos no sensor ou na antepara
que não são cobertos pela garantia.
Remoção do Sensor
Para remover um sensor, insira a ferramenta de instalação/remoção do sensor na porca de fixação e gire a porca de
fixação no sentido contrário aos ponteiros do relógio para soltá-la. Assim que a porca de fixação estiver completamente
desenroscada da antepara, puxe o sensor para fora da porta e coloque-o sobre uma superfície limpa. Instale uma
ligação de porta se não estiver a reinstalar um sensor na porta exposta. A exposição à água pode causar danos ou
corrosão nos conectores da antepara que não são cobertos pela garantia.
Ligações de porta
As ligações de porta e um tubo de lubrificante de anel
vedante estão incluídos no kit de manutenção que
acompanha todos os cabos de 4 portas.
Instalação
1. Aplique uma camada fina de lubrificante para anel
vedante nos anéis vedantes da porta de ligação do
plugue.
2. Remova o excesso de lubrificante dos anéis
vedantes e da porta de ligação do plugue com
um pano sem fiapos.
3. Insira o plugue na porta vazia e prima até que esteja
firmemente encaixado.
Figura 5 Plugues de porta dos sensores
e numeração de portas (cabos de 4 portas)
4. Aperte o plugue no sentido horário com os dedos
para instalar. Se necessário, utilize a ferramenta
de instalação do sensor para se certificar de que
o plugue está totalmente encaixado na porta. Os
anéis vedantes não estarão visíveis se o plugue
estiver instalado corretamente na porta. Não aperte
demais o plugue na porta.
AVISO: Não mergulhe a antepara sem um sensor
ou ligação de porta instalado em todas
as portas.
Instalação da Proteção e do Peso do Sensor
1. Deslize cuidadosamente a proteção do sensor sobre a antepara e os plugues/sensores da porta anexados.
Empurre a proteção do sensor em direção à antepara até que as roscas da proteção do sensor se alinhem
com as roscas da antepara.
2. Aperte com cuidado a proteção do sensor à mão no sentido horário. Se sentir alguma resistência, solte
a proteção do sensor completamente para evitar uma instalação transversal. A instalação incorreta pode
causar danos à proteção do sensor ou na antepara que não são cobertas pela garantia.
8
Introdução
Instalação da Proteção e do Peso do Sensor (continuação)
1
1 Sensor de profundidade
(se fornecido)
2 Roscas da antepara
3 Antepara
2
4 Proteção do sensor
3
5 Peso
4
5
Figura 6 Instalação da proteção e do peso do
sensor num conjunto de cabos de 4 portas
Pesos da Proteção do Sensor
Para ajudar a estabilizar os sensores ao criar perfis em profundidades maiores, um peso da proteção do sensor de 1 lb
é fornecido com conjuntos de 4 portas de 10 metros ou mais. Para fixar o peso, aperte-o com cuidado à parte inferior
do protetor do sensor, no sentido horário (Figura 6). Se sentir alguma resistência, solte o peso da proteção do sensor
completamente para evitar uma instalação transversal.
A parte inferior do peso é rosqueada para que mais pesos possam ser adicionados, se necessário. A YSI recomenda
a instalação de não mais do que 5 lbs de peso nos cabos da ProDIGITAL. Ver Acessórios.
NOTA: Não tenha pesos instalados na proteção do sensor ao calibrar utilizando o copo de calibração.
Introdução
9
2. Operação
2.1 Teclado e Navegação
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11 12
Figura 7 Descrição do teclado
1
Sistema: Abre o menu do sistema Utilize para
ajustar as configurações do sistema.
2
Sonda: Abre o menu do sensor. Utilize para configurar 8
os sensores, alterar as unidades exibidas, selecionar
o modo de média do sensor e ligar/desligar as
funções de Estabilidade Automática e GPS.
Tecla de seta para a direita: Navegue para a direita
num ecrã de entrada alfanumérica. No ecrã Executar,
prima para exibirr representações gráficas das medições
fornecidas. No ecrã Visualizar Dados, prima para
visualizar parâmetros adicionais no conjunto de dados.
3
Calibrar: Abre o menu de calibração. Utilize para calibrar 9
os sensores ou restaurar a calibração predefinida.
Ajuda: Exibe ajuda sensível ao contexto.
4
Ficheiro: Abre o menu do ficheiro. Utilize para visualizar 10 LIGAR/DESLIGAR: Ligue ou desligue o instrumento.
dados registados e ficheiros de calibração, dados de
backup para um dispositivo USB e eliminar dados.
5
Tecla Abandonar/Sair: Sai para o ecrã Executar.
Quando está num ecrã de entrada alfanumérica,
regressa ao menu anterior.
11 Teclas de seta para Cima/Baixo: Desloque os menus
ou digite números e letras.
6
Retroiluminação: Liga ou desliga a retroiluminação
do teclado para utilização em condições de luz fraca.
12 Tecla Enter: Prima para confirmar as seleções.
No ecrã Executar, prima para registar um único ponto
de dados ou iniciar o registo contínuo de dados.
10
7
Tecla de seta para a esquerda: Navegue para
a esquerda num ecrã de entrada alfanumérica.
Prima para regressar ao menu anterior em todos
os ecrãs, exceto no ecrã de entrada alfanumérica.
No ecrã Executar, prima para exibir representações
gráficas das medições fornecidas.
Operação
2.2 Início
Prima a tecla (
) Ligar/Desligar para ligar o equipamento portátil. Se o equipamento portátil não ligar, verifique se a
bateria está carregada. Prima e mantenha premida a tecla
durante 1,5 segundos para desligar o equipamento portátil.
2.3 Navegação
O equipamento portátil contém menus para alterar opções, funções e parâmetros definidos pelo utilizador. Utilize
as teclas de seta ( e ) para destacar diferentes opções nos menus e submenus e prima a tecla (
selecionar a opção. Prima a tecla ( ) de seta para a esquerda para regressar ao menu anterior.
Prima a tecla (
Esc
ENTER
) Enter para
) Abandonar/Sair para regressar ao ecrã Executar. Para ativar ou desativar uma opção, realce
ENTER
a opção e prima a tecla
. As funções ativadas aparecem como um círculo com um ponto (
com uma marca de seleção ( ). As funções desativadas aparecem apenas como um círculo (
caixa vazia (
).
) ou uma caixa
) ou uma
Entrada Alfanumérica
Quando necessário, será exibido um ecrã de entrada alfanumérica. Utilize as teclas de seta para destacar um
caractere específico e prima a tecla
ENTER
para selecioná-lo para entrada. Quando terminar de inserir as
informações, realce a tecla ENTER e prima a tecla
ENTER
para guardar a entrada (Figura 8).
NOTA: Quando estiver num ecrã alfanumérico, a chave
serve apenas para navegação alfanumérica.
Primaa tecla Esc para cancelar e regressar ao menu anterior.
1
1
2
3
1 Campo de entrada
do utilizador
2 Eliminar toda a entrada
3 Tecla de Retroceder
4 Introduzir (seleção
destacada)
5 Maiúsculas/minúsculas
2
4
4
5
3
Figura 8 Ecrãs de entrada alfanumérica e numérica
Operação
11
2.4 Descrição do Ecrã Principal
O ecrã principal (ecrã Executar) exibe as medições e unidades atuais, conforme definido no menu Ecrã do Sensor.
Se forem selecionadas mais medições do que aquelas que podem ser exibidas no ecrã Executar, será exibida uma
barra de deslocamento. Utilize as teclas de seta e para visualizar as medidas adicionais (Figura 9).
A área de mensagens mostra mensagens de estado, mensagens de erro e informações sobre funções selecionadas.
2
1
3
4
5
6
7
8
9
10
Figura 9 Exemplo do ecrã principal
1
Data/Hora
6
Indicador de ligação USB/PC
2
Indicador de sinal de GPS
7
O registo ou amostragem (atualização de medições)
é exibido no ecrã Executar (simples ou contínuo)
3
Indicador de carregamento da bateria
8
Medições exibidas
4
Carga da bateria %
9
Barra de deslocamento
5
Ecrã/menu atual
10 Área de mensagens
12
Operação
2.5 Menu do Sistema
Prima a tecla (
a tecla
ENTER
) Sistema para visualizar e ajustar as configurações do instrumento. Destaque um submenu e prima
para visualizar as opções do submenu (Figura 10).
As opções predefinidas ou selecionadas pelo utilizador são assinaladas entre parênteses ( [ ] ).
1 Defina a Data e Hora
1
2 Altere as Opções de Calibração definidas pelo utilizador
2
4
5
6
8
9
13
10
12
3
3 Altere as configurações de Idioma do instrumento
4 Altere o Ponto Radix
7
5 Altere as opções de Registo
6 Altere as opções de Amostragem
7 Defina a hora do Desligamento Automático
11
8 Defina o modo de Retroiluminação
9 Veja a Versão do Software
10 Veja o Número de Série do equipamento portátil
11 Veja e ajuste o ID da Unidade
12 Veja as informações específicas do Sensor
Figura 10 Menu do sistema
13 Ajuste o Brilho do ecrã
Data/Hora
→ Data/Hora
Para dados de registo e calibração precisos, defina corretamente as
opções de data e hora (Figura 11). Selecione uma das seguintes opções
para definir a Data/Hora.
Opções de Data/Hora:
Figura 11 Data/Hora
Operação
• Defina o formato de data YY/MM/DD, MM/DD/YY, DD/MM/YY ou
YY/DD/MM
• Defina a data correta
• Selecione o formato de 12 ou 24 horas
• Defina a hora correta
13
Registo de Calibração
As informações detalhadas da calibração do sensor são armazenadas para análise posterior. A memória interna do
instrumento pode guardar até 400 registos individuais de calibração. Após 400 registos, o instrumento substituirá
os registos de calibração anteriormente armazenados, começando pelo mais antigo. Para evitar a perda permanente
de registos de calibração, descarregue periodicamente os ficheiros de calibração para um computador utilizando
o software KorDSS.
Opções de Calibração
→ Registo de Calibração → Opções
O ID do Utilizador, o ID da Sonda ou o Campo do Utilizador nº 1 ou nº 2
podem ser definidos pelo utilizador para uma identificação positiva do
ficheiro de calibração:
Figura 12 Opções de Calibração
• Da pessoa que calibra o instrumento
• Do número de série do sensor/cabo utilizado durante a calibração
(ou outro ID da Sonda definido pelo utilizador)
• De outra identificação específica do utilizador (Campo do Utilizador
nº 1 e nº 2) (Figura 12)
NOTA: O campo do utilizador pode ser utilizado para descrever
a condição da sonda. Por exemplo, novo sensor ou nova
tampa ODO.
Alertas de Recalibração
→ Registo de Calibração → Opções → Alertas de Recalibração
Os Alertas de Recalibração fornecem um lembrete para recalibrar uma
sonda no número de dias definido pelo utilizador (Figura 13). Selecione
o alerta de Recalibração do sensor desejado e introduza o número de
dias desejado antes de o alerta de Recalibração ocorrer. Este lembrete
será exibido quando o instrumento for ligado e voltará a ser exibido
todos os dias até que o sensor seja recalibrado.
Defina o valor do sensor para zero (0) dias (predefinido) para desligar
os alertas de Recalibração.
Figura 13 Alertas de Recalibração
14
Operação
Segurança da Calibração
→ Registo de Calibração → Segurança
O menu de Calibração pode ser protegido por palavra-passe para evitar
a calibração acidental ou não autorizada do sensor (Figura 14).
1. No menu Registo de Calibração, selecione Segurança e introduza
a palavra-passe predefinida “ysi123”.
Figura 14 Segurança da Calibração
2. Selecione Definir Palavra-passe [ ] e altere a palavra-passe
predefinida.
3. Selecione a caixa de verificação Proteger Calibração para
proteger o menu Calibração com palavra-passe.
NOTA: Anote e mantenha a palavra-passe num local seguro.
Contacte a Assistência Técnica da YSI se perder
a palavra-passe (Assistência técnica).
Idioma
→ Idioma
O instrumento é enviado com o inglês ativado. Se um idioma diferente for
desejado e selecionado, o equipamento portátil levará aproximadamente
10 a 20 segundos para ativar o novo idioma (somente durante a primeira
instalação).
Figura 15 Idioma
Idiomas opcionais:
• Espanhol
• Francês
• Alemão
• Italiano
• Português
• Norueguês
•
•
•
•
•
Japonês
Chinês Simplificado
Chinês Tradicional
Coreano
Tailandês
Ponto Radix
→ Ponto Radix
Figura 16 Ponto Radix
Operação
O ponto radix pode ser alterado para exibir uma vírgula ou um
decimal em ecrãs numéricos (e.g. 1.00 torna-se 1,00 quando
a Vírgula é selecionada) (Figura 16).
15
Registo
→ Registo
O equipamento portátil pode adicionar um Site definido pelo utilizador
e/ou ID de Dados a um registo de dados se estas funções estiverem
ativadas no menu Registo. Uma marca de verificação na caixa ao lado
das funcionalidades indica que estas estão ativadas (Figura 17).
Figura 17 Registo
Após selecionar Site [ ] ou ID de Dados [ ], a Lista de Sites ou a Lista
de ID de Dados será exibida (Figura 18). Novas entradas podem ser
criadas escolhendo Adicionar novo...
Se o equipamento portátil tiver um sinal de GPS, as coordenadas de
GPS atuais serão preenchidas automaticamente ao criar um novo site.
Se o equipamento portátil não tiver um GPS integrado, as coordenadas
e a altitude poderão ser inseridas manualmente.
Figura 18 Lista de Sites
Os sites podem ser listados por ordem de Nome (i.e. ordem
alfanumérica) ou Distância da posição atual (Figura 18).
Escolha uma entrada da Lista de Sites ou da Lista de ID de Dados para
Selecionar, Editar, ou Eliminar (Figura 19). Quando selecionada, os
dados gravados serão marcados com o site específico e/ou ID de dados.
NOTA: O menu Gerir sites no software KorDSS pode ser utilizado
para enviar uma imagem do Site para o instrumento.
Figura 19 Site
Modo Contínuo (Registo do intervalo): Selecione a caixa de verificação
do Modo Contínuo e introduza o Intervalo de Registo definido pelo
utilizador (em horas:minutos:segundos) para registar amostras
continuamente no intervalo de tempo especificado. O ecrã Executar
exibirá Iniciar Registo... quando estiver em Modo Contínuo. Pressione
ENTER
para iniciar o registo.
Um registo de amostra: Desmarque a caixa de verificação do
Modo Contínuo. O ecrã Executar exibirá Registe Uma Amostra.
Quando estiver no ecrã Executar, será registada uma amostra de
cada vez que a tecla
ENTER
for pressionada.
NOTA: Surge uma opção para alterar o Site e/ou ID de Dados
(se ativada) assim que a tecla
for pressionada para
iniciar o registo.
ENTER
16
Operação
Amostragem
→ Amostragem
O modo de amostragem automática atualiza continuamente as medições
no ecrã (Figura 20).
Figura 20 Amostragem
Quando estiver no modo Manual, o instrumento fará medições durante
o Período de Amostragem (em segundos) definido pelo utilizador e
“bloqueará” ou manterá as leituras no ecrã. O período de amostragem
predefinido é de 50 segundos e pode ser ajustado entre 15 e 60 segundos.
O modo Manual ajuda a conservar a energia da bateria.
Assim que as medições estiverem bloqueadas, prima a tecla
registar os dados armazenados, ou a tecla
uma nova medição.
Esc
e a tecla
ENTER
ENTER
para
para fazer
NOTA: Quando o Modo de Registo Contínuo e o Modo de
Amostragem Manual estiverem ativados, o equipamento
portátil ligará os sensores e fará medições durante
15 segundos antes de registar um conjunto de dados.
Desligamento Automático
→ Desligamento Automático
Para conservar a energia da bateria, o desligamento automático desliga
o instrumento após um período de tempo (em minutos) definido pelo
utilizador. A hora do desligamento automático pode ser ajustada entre
1 e 255 minutos. Defina para 0 (zero) para desativar o Desligamento
Automático.
Retroiluminação
→ Retroiluminação
No modo Automático, o ecrã do instrumento escurecerá durante
60 segundos após a última tecla ter sido pressionada. Assim que
qualquer tecla for pressionada, o ecrã do instrumento regressará
à configuração de brilho definida pelo utilizador e a retroiluminação
do teclado será ativada. O ecrã escurecerá e a retroiluminação do
teclado será desligada após mais 60 segundos de inatividade.
No modo manual, o ecrã do instrumento permanece no brilho definido
pelo utilizador e a retroiluminação do teclado é ligada e desligada
através da tecla Retroiluminação. A configuração da retroiluminação para
o modo manual é recomendada para as condições de alta luminosidade.
Operação
17
Versão do Software (Sw)
→ Versão do Sw
A Versão do Sw mostra o número da versão do software do instrumento.
O software mais recente do instrumento e as instruções de atualização
estão disponíveis em YSI.com. O software do instrumento pode ser
atualizado através do Software KorDSS sob a aba Instrumento e Sensores.
# de Série
→ # de Série
# de Série exibe o número de série do instrumento equipamento portátil.
Anote o número de série ao entrar em contacto com a assistência da YSI.
ID da Unidade
→ ID da Unidade
Os utilizadores podem definir um ID de unidade personalizado. O ID da
Unidade identifica o instrumento no Software KorDSS.
Informações do Sensor
→ Informações do Sensor
As informações do sensor exibem dados de medição e informações
de hardware/software para cada componente do sistema: instrumento,
sensor e antepara. Utilize as teclas de seta e para percorrer os
componentes.
Brilho
→ Brilho
O brilho do ecrã pode ser ajustado para adaptar as condições
de iluminação e economizar a energia da bateria (Figura 21). Utilize
as teclas de seta
e para ajustar o brilho do ecrã.
Figura 21 Brilho do Ecrã
18
Operação
2.6 Menu do Sensor
Utilize a tecla (
) Sonda para aceder ao menu Sensor e alterar as configurações do sensor (se aplicável),
ativar as unidades de medição exibidas no ecrã Executar, definir os parâmetros da Estabilidade Automática,
alterar o modo de média do sensor e, se aplicável, ligar/desligar o GPS.
Prima a tecla
para aceder ao menu do sensor (Figura 22). Realce um
submenu e prima a
ENTER
tecla para visualizar as opções do submenu.
As configurações do sensor predefinidas ou selecionadas pelo utilizador
são anotadas entre parênteses ([]).
Figura 22 Menu Sonda (Sensor)
Configuração do Sensor
→ Configuração
O menu de Configuração do Sensor mostrará todos os sensores
conectados ao instrumento (Figura 23). Se um sensor estiver conectado,
mas não estiver listado no menu de Configuração do Sensor (<None>
exibido), verifique as ligações do sensor e do cabo.
Figura 23 Configuração do Sensor
Configuração ODO
→ Configuração → ODO
Figura 24 Configuração ODO
DO Local: Ative ou desative as medições de DO% localizadas. Quando
ativado, o valor de calibração é definido para 100%, independentemente
da altitude ou pressão barométrica. Quando ativado, será exibido um
L ao lado de DO% no ecrã executar. As medições de DO mg/L não são
afetadas quando o DO Local é ativado (Figura 24).
LDS: A Supressão do Último Dígito (LDS) arredonda o valor DO para
a décima mais próxima, e.g. 8,27 mg/L torna-se 8,3 mg/L.
Coeficientes da Tampa do Sensor: Os coeficientes da tampa do sensor
devem ser atualizados após a substituição da tampa do sensor. Atualize
os coeficientes da tampa do sensor utilizando a folha de coeficiente
fornecida com a nova tampa do sensor. Assim que forem atualizados,
os coeficientes são guardados no sensor ODO e não precisam de ser
reintroduzidos.
NOTA: Os coeficientes ficam com o sensor mesmo quando
utilizados com diferentes medidores portáteis.
Operação
19
Configuração da Turbidez
→ Configuração da → Turbidez
Coeficientes do TSS: Os Coeficientes do Total de Sólidos Suspensos
(TSS) podem ser medidos se os coeficientes de correlação forem
calculados em KorDSS.
Figura 25 Coeficientes do TSS
Para obter esses coeficientes, recolha os dados de turbidez no local de
amostragem com as amostras correspondentes. Analise as amostras num
laboratório para determinar uma medida (mg/L) verdadeira do TSS. Podem
ser utilizados entre 2 e 6 pares de valores de turbidez e medições do TSS.
Os dados de correlação devem ser recolhidos para cada local de
amostragem único, já que esta correlação é específica do local.
No software KorDSS, introduza as medições de turbidez obtidas no
campo e as medições do TSS obtidas em laboratório correspondentes
no menu Instrumento e Sensores. Os coeficientes podem então ser
calculados com KorDSS e enviados para o sensor.
NOTA: Embora os coeficientes de correlação possam ser
introduzidos diretamente no equipamento portátil
(Figura 25), somente o Software KorDSS consegue
calcular os coeficientes.
Configuração do pH
→ Configuração do → pH
Figura 26 Configuração do pH
Selecione o reconhecimento automático da solução tampão USA (4,00,
7,00 e 10,00) ou o reconhecimento automático da solução tampão NIST
(4,01, 6,86 e 9,18) (Figura 26). Os valores de calibração da temperatura são
automaticamente compensados nos dois conjuntos de soluções tampão.
Configuração da Condutividade
→ Configuração da → Condutividade
Figura 27 Configuração da
Condutividade
Temp. Ref.: A temperatura de referência é utilizada para calcular
a condutância específica compensada da temperatura. Todos os valores
específicos de condutância são compensados pela temperatura de
referência. O valor predefinido é 25ºC (Figura 27). Introduza um novo
valor entre 15°C e 25ºC.
%/°C (Percentagem por grau Celsius): O coeficiente de temperatura
é utilizado para calcular a condutância específica compensada da
temperatura. O valor predefinido é 1,91%, com base em padrões KCI.
Introduza um novo valor entre 0 e 4%.
Constante TDS: Multiplicador utilizado para calcular um valor TDS
(Sólidos Totais Dissolvidos) estimado com base na condutividade.
O multiplicador é utilizado para converter a condutância específica
em mS/cm para TDS em g/L. O valor predefinido é 0,65. Introduza
um novo valor entre 0 e 0,99.
20
Operação
Configuração da Condutividade (continuação)
Este multiplicador é altamente dependente da natureza das espécies
iónicas presentes na amostra de água. Para assegurar uma precisão
moderada na conversão, tem de determinar um multiplicador para
a água no seu local de amostragem. Use o seguinte procedimento
para determinar o multiplicador de uma amostra específica:
1. Determine a condutância específica de uma amostra de água
do local.
2. Filtre uma porção de água do local.
3. Meça cuidadosamente o volume de água filtrada. Evapore
completamente para produzir um sólido seco.
4. Pese de forma precisa os restantes sólidos.
5. Divida o peso do sólido (em gramas) pelo volume de água utilizado
(em litros) para produzir o valor dos TDS em g/L para o local.
6. Divida o valor dos TDS em g/L pela condutância específica
da água em mS/cm para produzir o multiplicador de conversão.
NOTA: Se a natureza das espécies iónicas no local mudar entre
os estudos das amostras, os valores do TDS estarão em
erro. Não é possível calcular de maneira precisa o valor
do TDS a partir da condutância específica excepto caso
a constituição das espécies químicas na água permanecer
constante.
Configuração da Profundidade
→ Configuração da → Profundidade
Figura 28 Configuração
da Profundidade
Os conjuntos de cabos com um sensor de profundidade na antepara
podem medir a profundidade ventilada virtual. A medição da profundidade
ventilada virtual permite a compensação em tempo real para a pressão
atmosférica, utilizando o barómetro do instrumento.
Desvio da profundidade: O desvio da profundidade pode ser utilizado,
se for referenciada a elevação da água em relação a um valor conhecido.
Se for inserido um desvio de profundidade (em metros), o valor de saída
será substituído pelo valor do desvio (Figura 28).
2
27
0,
m
Sensor de
Profundidade
Sensores
WQ
Figura 29 Distância do sensor
de profundidade para os sensores
WQ no cabo de 4 portas
Operação
Um desvio comum inserido pelo utilizador é a localização do sensor
de profundidade em relação aos restantes sensores WQ. Este valor
é 0,272 m no cabo de 4 portas (Figura 29).
Altitude/Latitude: Para compensar a pressão atmosférica baseada
na elevação e na força gravitacional, insira a altitude local em metros,
relativa ao nível do mar, e a latitude em graus, onde o instrumento
estiver a realizar a amostragem.
Efeito de latitude: A variação de latitudes causa uma mudança de até
200 mm em profundidade do equador ao pólo.
Efeito de altitude: Uma alteração de 100 m na altitude causa uma
alteração de 1,08 mm nas leituras de profundidade.
21
Ecrã do Sensor
→ Ecrã (Figura 30)
O menu Ecrã do Sensor determina os parâmetros e unidades que são
exibidas no ecrã Executar (Figura 9). O ecrã Executar apresentará apenas
medições para sensores que estão ligados à antepara do cabo.
Se forem selecionadas mais medições do que possam ser visualizadas
num ecrã, aparece uma barra de deslocamento. Utilize as teclas de seta
e para percorrer as medições.
NOTA: Para o perfil de profundidade, ative a Posição Vertical em
Exibição de Profundidade para exibir a posição em tempo
real do sensor de profundidade na coluna de água. Isto
é útil em aplicações de criação de perfis para garantir que
o sensor de profundidade é reduzido para a profundidade
desejada sem esperar que os dados de profundidade
estabilizem.
Figura 30 Ecrã do Sensor
Auto Stable
→ Auto Stable
A função Auto-Estável indica quando uma medição é estável. Os sensores
A
com a função Auto Stable ativada terão S piscar ao lado da medição no
ecrã Executar.
A
S
piscará a verde quando a medição for estável.
Selecione um sensor para ativar ou desativar Auto Stable (Figura 31).
Defina os parâmetros do limiar de estabilidade.
O limiar de estabilidade Auto Stable pode ser definido por percentagem
de medição ou nas unidades de medição selecionadas no menu de
Visualização do Sensor. Insira o valor de estabilidade e selecione Utilizar
Percentagem ou Unidades de Medição (Figura 32).
Figura 31 Auto Stable
Este limiar é utilizado para comparar a última leitura com a anterior.
Quanto mais pequeno o número inserido em % ou unidades, mais
demorará para o instrumento alcançar os critérios Auto Stable.
Exemplo: Para temperatura em °C, se o limiar das Unidades de Medição
for definido em 0,2 e as alterações de leitura da temperatura
A
se alterar em mais de 0,2 graus, S continuará em vermelho,
até a leitura não se alterar em mais de 0,2ºC acima do período
de amostra definido e da contagem da amostra.
Figura 32 Limiar de estabilidade
Auto Stable
Bloquear Todas as Leituras: Depois de todos os sensores terem
atingido os seus critérios de estabilidade, as medições serão mantidas
ou “bloqueadas” no ecrã. Se for desativado, as medições do sensor
continuarão a mudar em tempo real.
Áudio Ligado: Soará um alerta áudio quando a estabilidade for atingida.
22
Operação
Auto Stable (continuação)
Modo Contínuo: O equipamento portátil verificará continuamente os
valores do sensor em relação aos critérios de estabilidade, mesmo depois
do período de amostragem e da contagem de amostras ter passado.
Registar Amostras: Regista as amostras definidas pelo Período de
Amostragem na memória.
Período de Amostragem: Intervalo de tempo entre as amostragens
que são utilizadas para determinar a estabilidade. Define o intervalo
em segundos (1 a 900).
Contagem de Amostras: Número de amostras consecutivas necessárias
para estabilidade (1 a 10).
Seleccione Iniciar Auto Stable para ativar.
Média
→ Média (Figura 33)
Figura 33 Média
O modo de cálculo da média determina a forma como o equipamento
portátil filtrará os dados. Um período de tempo menor para o prazo
médio permite que as alterações nas medições do sensor sejam
observadas mais rapidamente, enquanto um prazo maior fornece leituras
de medição mais estáveis e um resultado perfeito. Cada modo de média
diminuirá o período de tempo do prazo se for detetada uma grande
alteração na medição do sensor, permitindo que o equipamento portátil
se adapte quando ocorrer um evento.
O modo Predefinido fornece excelentes médias para todos os sensores.
Este modo tem até 40 segundos de média nos sensores para conter
picos e valores discrepantes, o que resulta em dados mais estáveis.
No modo Acelerado, as alterações nas medições do sensor
são mais rapidamente observadas do que no modo Predefinido
(aproximadamente 10 segundos de média). Este modo é recomendado
quando os sensores se movem na água, tal como durante os estudos
de perfil e a maioria das aplicações de amostragem pontuais.
NOTA: Para aplicações de criação de perfil, ative a Posição Vertical
em Visualização de Profundidade para exibir medições
de profundidade não filtradas. Isto ajuda a garantir que
o sensor de profundidade seja baixado até à profundidade
desejada sem esperar pela medição média.
No modo Rápido, a resposta do sensor é muito rápida (aproximadamente
2 segundos de média), mas o instrumento nunca se fixará num único
número constante. Este modo é recomendado quando os sensores se
movem rapidamente na água, como aplicações de criação de perfil
e carregamento rápido.
Operação
23
Salinidade
→ Salinidade
A salinidade é determinada por cálculos derivados dos sensores
de condutividade e de temperatura.
Quando um sensor de condutividade for instalado, o instrumento
utilizará automaticamente a medição de salinidade para DO e
“Como Medido” será exibido. Se não for instalado um sensor de
condutividade (ex.: conjunto de cabos ODO/T utilizado), o valor
de salinidade será selecionado pelo utilizador.
Alerta de Tampa ODO
→ Alerta de Tampa ODO
O equipamento portátil pode lembrar os utilizadores sobre o momento de
substituição da Tampa ODO com base num intervalo definido pelo utilizador
Figura 34). Para definir o lembrete, selecione Alerta de Tampa ODO e insira
um número em meses. A YSI recomenda a ativação desta configuração
para corresponder com o período de garantia da Tampa ODO:
Figura 34 Estado da Tampa ODO
•
•
Tampa ODO de Sensor ProDSS [SKU: 626890] = 12 meses
Extensão da Garantia de Tampa ODO de Sensor
[SKU: 627180] = 24 meses
O equipamento portátil reconhecerá automaticamente a última vez
em que os coeficientes da Tampa do Sensor ODO foram atualizados
e alertará o utilizador quando a tampa precisar ser substituída. Para
desativar o alerta, basta inserir 0 para o número de meses.
GPS (Opcional)
→ GPS
Alguns portáteis possuem um GPS incorporado. O GPS liga ou desliga
o Sistema de Posicionamento Global do equipamento portátil. O símbolo
Figura 35 GPS
é exibido quando um sinal de GPS é recebido (Figura 35).
Quando ligado, as coordenadas de GPS serão guardadas com o Registo
de Calibração e os dados registados. Tenha em conta que a bateria
descarregará mais rapidamente quando o GPS estiver ligado do que
quando estiver desligado.
NOTA: Os dados do GPS serão mais precisos quando houver uma
linha de visão clara para os satélites. Pode ser difícil para
o equipamento portátil receber um bom sinal de GPS quando
estiver sob uma cobertura ou em interiores.
24
Operação
2.7 Menu de Calibração
Prima a tecla ( Cal ) Calibrar para aceder ao menu de Calibração (Figura 36). Destaque um submenu e prima a tecla
para ver as opções do submenu. Os parâmetros predefinidos ou selecionados pelo utilizador são indicados entre parênteses
retos ( [ ] ). Consulte a secção de Calibração para conhecer os procedimentos específicos de calibração.
ENTER
NOTA: O ID de Utilizador, o ID da Sonda e o Campo do Utilizador nº 1 e nº 2 devem ser ativados nas
Configurações de Calibração do menu do Sistema.
1
2
3
4
5
6
7
Figura 36 Menu de calibração
1 Sensores ligados
5 ID de Utilizador
2 Calibração opcional do sensor
de profundidade
6 ID da Sonda
3 Calibração do Barómetro
7 Campo do Utilizador nº 1
4 Restaurar Calibração Predefinida restaura o sensor especificado para
a predefinição de fábrica
Operação
25
2.8 Menu Ficheiros
Prima a tecla (
) Ficheiro para aceder ao menu Ficheiros (Figura 37). Destaque um submenu e prima a tecla
para visualizar as opções do submenu.
ENTER
Utilize o menu Ficheiros para visualizar, eliminar ou recuperar dados registados ou o ficheiro de calibração. Os dados
podem ser filtrados por um intervalo de data e hora específico e por listas de ID de Dados e Sites criadas pelo utilizador.
Memória de Dados: (livre) % apresenta a restante memória disponível.
Transfira ou elimine dados para liberar memória interna disponível.
A Lista de Sites e/ou a Lista de ID de Dados pode ser visualizada ao
selecionar ID de Sites [ ] ou Dados [ ]. Para ativar a utilização do ID
de Sites e/ou Dados ao registar dados, selecione Registo no menu do
Sistema.
Figura 37 Menu Ficheiros
Visualizar Dados Filtrados
→ Visualizar Dados
Insira o critério pretendido para filtrar os dados e selecione Mostrar
Dados ou Gráfico de Dados para ver os dados em tabela ou gráfico.
Se necessário, utilize as teclas de setapara deslocar os dados (Figura 38
e Figura 39).
Site: Visualizar os dados de um site ou de todos os sites.
Figura 38 Visualizar Dados Filtrados
ID de Dados: Visualizar dados de um ID ou de todos os IDs.
Início/Final: Visualizar dados dentro de um intervalo específico de data
e hora.
Figura 39 Visualizar Dados Filtrados
do Registo
26
Operação
Visualizar Registo de Calibração
→ Visualizar Registo de Calibração
Selecione Visualizar Registo de Calibração para exibir as calibrações
do sensor armazenadas (Figura 40).
Utilize as teclas de seta para deslocar os dados do ficheiro de calibração.
Informações de Calibração
Figura 40 Visualizar GLP
Informação em cada registo de calibração:
• Sensor calibrado
• Selo de data/hora
• ID do sensor
• # de Série do sensor
• Versão de software do sensor
• ID do Utilizador (opcional)
• ID da Sonda (opcional)
• Campos do Utilizador nº 1 e nº 2 (opcional)
• Estado da calibração
• Valor da calibração
• Temperatura
Dependendo do parâmetro, um registo de calibração pode incluir
informações adicionais, como a constante da célula de Condutividade,
ganhos de ODO, compensação de ORP e variação do pH.
Eliminar Dados
→ Eliminar Dados
Introduza os critérios de filtragem desejados e selecione Eliminar Dados
Selecionados para eliminar permanentemente os dados (Figura 41).
Selecione Eliminar Todos os Dados para eliminar permanentemente
todos os dadosregistados do equipamento portátil.
Figura 41 Eliminar Filtragem
de Dados
Operação
27
Backup de Dados
→ Backup de Dados
Esta função permite a você fazer o backup de dados registados em uma
pen USB com base no Site, ID de Dados e data de registo (Figura 42).
Um adaptador USB fêmea para micro USB macho está incluído com
novos instrumentos para este backup de dados.
Figura 42 Backup de Dados
NOTA: O dispositivo de armazenamento USB deve ser formatado
como FAT32, e não como NTFS ou exFAT. O equipamento
portátil suportará somente FAT32.
Se a caixa ao lado de “Incluir Informações do Sensor” estiver marcada,
cada conjunto de dados será enviado para uma pen USB como um ficheiro
separado com um número de série do sensor e informações do software
do sensor incluídas. Se a caixa não estiver marcada (predefinido), todos
os conjuntos de dados serão enviados num único ficheiro de backup sem
número de série do sensor ou informações do software do sensor.
NOTA: Recomenda-se que envie dados para a pen USB como um
ficheiro único (ou seja, a caixa não está marcada), a menos
que essas informações do sensor sejam necessárias. Isto
torna a importação de dados muito mais rápida e fácil.
Figura 43 Conector micro USB fêmea
Assim que as configurações de filtragem forem configuradas, selecione
Backup de Dados para enviar os dados para uma pen USB. Os dados
são exportados num ficheiro CSV.
Se o backup de dados não for bem-sucedido, certifique-se de que os
critérios de filtragem corretos sejam selecionados e de que o indicador
de ligação USB pode ser visto no topo do ecrã (Figura 9).
Eliminar Registo de Calibração
→ Eliminar Registo de Calibração
Para eliminar permanentemente o ficheiro do Registo de Calibração do
instrumento, selecione Sim e prima a tecla
ENTER
(Figura 44).
Figura 44 Eliminar Registo
de Calibração
28
Operação
2.9 Tirar Medições
Para uma maior precisão, calibre o(s) sensor(es) antes de tirar medições.
1. Crie listas de Sites e ID de Dados para dados registados (se aplicável).
2. Defina o método de registo (único ou intervalo).
3. Defina os parâmetros Auto Stable (se aplicável).
4. Verifique se os sensores e/ou plugues das portas estão correctamente instalados em todas as portas
da antepara.
5. Instale a protecção da sonda.
6. Insira a sonda na amostra. Certifique-se de que mergulha completamente a sonda.
7. Mova a sonda na amostra para liberar quaisquer bolhas de ar e para fornecer uma amostra fresca aos sensores.
8. Aguarde que o(s) sensor(es) estabilizem na amostra.
ENTER
9. No ecrã de execução principal, prima
para iniciar o registo (único ou intervalado) (Ver Registo).
NOTA: Surge uma opção para alterar o Site e/ou ID de Dados (se ativada) assim que a tecla
para iniciar o registo.
ENTER
for premida
ENTER
10. Para interromper o registo contínuo, basta premir novamente a tecla
Operação
.
29
3. Calibração
Os sensores ProDSS (excepto de temperatura) requerem calibração periódica. Os procedimentos de calibração
seguem os mesmos passos básicos com variações para parâmetros específicos. Antes da calibração, ajuste as
configurações do Registo de Calibração no menu Sistema, se aplicáveis aos requisitos do utilizador. Configure
as opções, configurações e coeficientes do sensor, se aplicável.
3.1 Configuração da Calibração
Certifique-se de que o copo de calibração, a proteção do sensor e todos os sensores estão limpos. A YSI recomenda
a instalação da proteção do sensor antes de colocar os sensores no copo de calibração.
Para uma maior precisão dos dados, lave cuidadosamente o copo de calibração e os sensores com uma pequena
quantidade da solução de calibração padrão para o sensor a ser calibrado. Descarte a solução padrão de lavagem
e prossiga com uma nova solução padrão.
Tenha o cuidado de evitar a contaminação cruzada com outras soluções padrão entre as calibrações, enxaguando
completamente com água desionizada e secando o copo de calibração e os sensores.
Certifique-se de que a junta do copo de calibração esteja assentada corretamente. Instale sem apertar a porca
de fixação no copo. Deslize o copo de calibração sobre os sensores e a proteção dos sensores e aperte a porca
de fixação (Figura 45).
Instalação do Copo de Calibração para Conjuntos de Cabos de 4 Portas
4
5
3
1 Encha até a linha um (para todas as
soluções de calibração, exceto para
condutividade)
2 Encha até a linha dois (para solução
de calibração da condutividade)
3 Junta
4 Porca de fixação
5 Copo de calibração instalado
2
1
São necessários 170 mL de solução
para encher o copo de calibração até
à linha 1, enquanto são necessários
225 mL para encher até à linha 2.
Figura 45 Volume padrão do copo de calibração
(cabo de 4 portas)
30
Calibração
Configuração da Calibração (continuação)
Layout do Ecrã de Calibração
O ecrã de calibração possui o mesmo layout básico para cada parâmetro
(Figura 46).
Valor de calibração: Este é o valor para o qual o sensor será calibrado.
A Linha Amarela no gráfico corresponde a esse valor.
Aceitar Calibração: Selecione isto para calibrar o sensor para o valor
de calibração.
Terminar Calibração: Esta opção só está disponível com calibrações
multiponto (i.e. pH, ISE, turbidez, PC, PE e clorofila). Finaliza a calibração
a oaplicar os pontos previamente aceites.
Prima ESC para Cancelar: Prima a tecla ESC para abandonar a calibração.
O sensor não será calibrado para nenhum ponto. Será utilizada a última
calibração bem-sucedida.
Última Calibração: Visualize a data e a hora da última calibração
bem-sucedida do sensor.
Figura 46 Layout do ecrã
de calibração
Leituras Atuais: Mostra o valor atual da medição no ecrã Executar.
A Linha Branca no gráfico corresponde a esse valor. Observe a Linha
Branca para garantir que a medição esteja estável antes de escolher
Aceitar Calibração.
Valor Pós-Calibração: É o mesmo que o valor de calibração. Este será
o valor de medição na solução atual após a conclusão da calibração.
Calibração
31
3.2 Profundidade
NOTA: Esta opção de calibração está disponível apenas se a sua antepara estiver equipada com um sensor
de profundidade.
A profundidade é calculada a partir da pressão exercida pela coluna de água menos a pressão atmosférica. Os fatores que
influenciam a medição de profundidade incluem pressão barométrica, densidade da água e temperatura. A calibração na
atmosfera “zera” o sensor em relação à pressão barométrica local.
A YSI recomenda a calibração da profundidade no local da medição. Uma mudança na pressão barométrica resultará
numa mudança do zero, a menos que o transdutor seja recalibrado para a nova pressão.
Se aplicável, insira o desvio de profundidade para definir a medição da profundidade para um valor diferente de zero.
Insira a altitude e a latitude do local da sua amostragem para aumentar a precisão da medição da profundidade.
Calibração da Profundidade
1. Certifique-se de que o sensor de profundidade está limpo e seco
naturalmente, e não se encontra imerso em nenhuma solução.
Para obter melhores resultados, mantenha a antepara numa
posição fixa enquanto estiver a calibrar.
2. Pressione a tecla Cal e selecione Profundidade. O Valor de
Calibração é definido como 0,000 e não deve ser alterado para
calibrações de ar, mesmo se você estiver a utilizar um desvio.
3. Respeite as leituras de medição reais para estabilidade (a linha
branca no gráfico não mostra nenhuma mudança significativa
durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração (Figura 47).
Se o desvio de profundidade for utilizado, a medição de profundidade
será ajustada após a calibração.
Figura 47 Calibrar Profundidade
32
Calibração
3.3 Condutividade
O sensor de condutividade/temperatura pode medir e calcular a condutividade, a condutância específica
(condutividade compensada da temperatura), salinidade, função não-linear (n LF) condutividade, TDS, resistividade
e densidade. A calibração está disponível apenas para condutância específica, condutividade e salinidade. Calibrar
uma destas opções calibra automaticamente os outros parâmetros de condutividade/temperatura listados acima.
Tanto para facilidade de utilização como de precisão, a YSI recomenda calibrar a condutância específica.
Selecione a solução de calibração padrão adequada para a condutividade do ambiente da amostragem.
Recomendam-se soluções padrão superiores a 1 mS/cm (1.000 μs/cm) para a máxima estabilidade. Para
aplicações em água doce, calibre para 1.000. Para aplicações em água salgada, calibre para 50.000 μS.
Calibração da Condutividade
1. Certifique-se de que o sensor de condutividade está limpo antes
da calibração. Se necessário, limpe a célula de condutividade com
a escova macia fornecida.
2. Coloque a quantidade correta do padrão de condutividade num
copo de calibração limpo e seco ou pré-enxaguado.
3. Mergulhe cuidadosamente os sensores na solução. Certifique-se
de que a solução fica acima dos orifícios de ventilação, ao lado
do sensor de condutividade.
Se utilizar o conjunto ODO/CT, certifique-se de que os orifícios
de ventilação no topo do sensor são completamente mergulhados
e que o nível da solução está pelo menos 1 cm acima do topo
dos orifícios de ventilação (Figura 49). Um cilindro modulado
está incluído com os conjuntos de cabos ODO/CT para calibrar
a condutividade.
Para os conjuntos de cabos de 4 portas, encha o copo de
calibração até à segunda linha com padrão de calibração fresco.
Leva 225 mL de solução para encher até à linha 2.
Figura 48 Calibrar condutância
específica
Orifícios de
Ventilação
Laterais
Orifícios de
Ventilação
Superiores
4. Rode suavemente e/ou mova o sensor para cima e para baixo
para eliminar quaisquer bolhas da célula de condutividade.
Aguarde pelo menos 40 segundos para equilibrar a temperatura
antes de prosseguir.
5. Pressione a tecla Cal , selecione Condutividade e selecione
Condutância Específica.
6. Selecione Valor de calibração e depois introduza o valor de
calibração do padrão utilizado. Anote as unidades de medição
que o instrumento indica e calibra, e certifique-se de que insere
o valor de calibração correto para as unidades que estão a ser
utilizadas. Por exemplo, 10,000 μS = 10 mS. Certifique-se de
que as unidades estão corretas e correspondem às unidades
visualizadas no equipamento portátil.
7. Observe a estabilidade das leituras de medição atuais (a linha
branca do gráfico não apresenta alterações significativas durante
40 segundos) e selecione Aceitar Calibração (Figura 48).
“Calibração concluída!” aparece na área de mensagens.
Figura 49 Conjunto de Cabos ODO/CT
Calibração
(continua na próxima página)
33
Calibração da Condutividade (continuação)
8. Lave o sensor com água limpa e depois seque-o.
NOTA: Se os dados não estabilizarem após 40 segundos, rode
levemente o sensor ou retire/reinstale o copo de calibração
para se certificar de que não existem bolhas de ar na célula
de condutividade.
Se você receber mensagens de erro de calibração, verifique
se o sensor está corretamente mergulhado, comprove se as
soluções de calibração estão limpas, se o valor correto foi
inserido no equipamento portátil e/ou limpe o sensor.
3.4 Barómetro
O barómetro é calibrado de fábrica e raramente precisa de ser recalibrado. O barómetro é utilizado para
calibração DO, % de medições locais e medições de profundidade virtual. Verifique se o barómetro lê com
precisão a “verdadeira” pressão barométrica e recalibre-o, se necessário.
As leituras laboratoriais do barómetro são geralmente valores “verdadeiros” (não corrigidos) da pressão de
ar e podem ser utilizados “como tal” para calibração do barómetro. As leituras meteorológicas de serviço são
geralmente não “verdadeiras”, ou seja, são corrigidas ao nível do mar e não podem ser utilizadas até serem
“não corrigidas”. Utilize esta fórmula aproximada:
BP verdadeiro em mmHg=[BP corrigido em mmHg] - [2,5* (Altitude local em pés acima do nível do mar/100)]
Exemplo:
BP corrigido = 759 mmHg
Altitude local acima do nível do mar = 978 pés
BP verdadeiro = 759 mmHg - [2,5*(978 pés/100)] = 734,55 mmHg
Calibração do Barómetro
1. Prima a tecla
Cal
e selecione Barómetro.
2. Selecione Valor de calibração e insira a pressão barométrica
correta “verdadeira”.
NOTA: As unidades de medição durante a calibração são ditadas
pelo que está ativado no menu de configuração do sensor.
Certifique-se de que insere as unidades corretas.
•
•
•
•
•
BP em mmHg=25,4 x BP em Hg
BP em mmHg=0,750062 x BP mb
BP em mmHg=51,7149 x BP psi
BP em mmHg=7,50062 x BP kPa
BP em mmHg=760 x BP atm
3. Selecione Aceitar Calibração (Figura 50). “Calibração concluída!”
aparece na área de mensagens.
Figura 50 Calibrar Barómetro
34
Calibração
3.5 Oxigénio Dissolvido
A calibração ODO requer a “verdadeira” pressão barométrica atual. Certifique-se de que o barómetro está
a ler corretamente antes da calibração ODO.
Calibrar em DO% ou DO% local calibra automaticamente as medições mg/L e ppm. Não existe motivo para
calibrar ambos os parâmetros. Tanto para facilidade de utilização como para precisão, recomendamos que calibre
DO% ou DO% local e não mg/L.
ODO% e ODO% Local - Calibraçãode
Ar Saturado por Água
1. Coloque uma pequena quantidade de água limpa (5 mL) no
copo de calibração ou uma esponja húmida na bucha de
calibração (para sondas ODO/T e ODO/CT).
2. Certifique-se de que não existem gotas de água na tampa
do sensor ODO ou no sensor de temperatura.
3. Fixe a proteção do sensor e deslize cuidadosamente na direção
do copo de calibração. Certifique-se de que não existe um selo
em torno da sonda. É necessária ventilação atmosférica para
uma calibração precisa.
4. Ligue o instrumento e aguarde aproximadamente 5 a 15 minutos
até o ar no contentor de armazenamento ficar completamente
saturado com água.
5. Prima a tecla
Cal
e selecione ODO. Selecione DO%.
6. Observe a estabilidade das leituras de medição atuais
(a linha branca do gráfico não apresenta alterações significativas
durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração (Figura 51).
“Calibração concluída!” aparece na área de mensagens.
Figura 51 Calibração ODO %
Calibração
NOTA: Se vir uma mensagem de erro de calibração, verifique
a leitura do barómetro e inspecione a tampa do sensor.
Limpe e/ou substitua a tampa do sensor, se necessário.
35
Calibração ODO mg/L
1. Coloque o ODO e o sensor de condutividade/temperatura numa
amostra de água que tenha sido titulada pelo método Winkler
para determinar a concentração de oxigénio dissolvido em mg/L.
2. Prima a tecla
Cal
e selecione ODO. Selecione DO mg/L.
3. Selecione Valor de calibração.
4. Insira a concentração de oxigénio dissolvido da amostra em mg/L.
5. Observe as leituras de medição reais para estabilidade (a linha
branca no gráfico não mostra nenhuma mudança significativa
durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração (Figura 52).
“Calibração concluída!” aparece na área de mensagens.
6. Lave a antepara e os sensores com água limpa e seque-os.
Figura 52 Calibração ODO mg/L
Calibração do Ponto Zero ODO
1. Coloque os sensores ODO e de Condutividade/Temperatura
numa solução de zero DO.
NOTA: Para obter uma solução de zero DO, dissolva
aproximadamente 8-10 gramas de sulfato de sódio em
500 mL de água da torneira. Misture bem a solução. Pode
demorar 60 minutos até a solução ficar livre de oxigénio.
2. Prima a tecla
Cal
e selecione ODO. Selecione Zero.
3. Observe as leituras de medição reais para estabilidade (a linha
branca no gráfico não mostra nenhuma mudança significativa
durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração (Figura 53).
“Calibração concluída!” aparece na área de mensagens.
4. Lave cuidadosamente a antepara e os sensores com água limpa
e seque-os.
5. Efectue uma calibração de % ODO de ar saturado com água,
depois de executar uma calibração do ponto zero.
Figura 53 Calibração do ponto
zero ODO
36
Calibração
3.6 Turbidez
Soluções padrão
Para melhores resultados, a YSI recomenda as seguintes soluções padrão para calibração de turbidez:
Ponto de Calibração Valor Padrão
1
0 FNU [SKU: 608000]
2
12,4 FNU [SKU: 607200] or 124 FNU [SKU: 607300]
3
1010 FNU [SKU: 607400]
Outras soluções padrão podem ser aceitáveis desde que tenham sido preparadas de acordo com os dados dos
Métodos Padrão para o Tratamento da Água e Águas Residuais (Seção 2130 B). Estas soluções padrão incluem:
•
•
•
•
Soluções padrão AMCO-AEPA Certificadas pela YSI com base em polímero (ver acima)
Soluções padrão Hach StablCal™ em várias denominações NTU
Diluições de concentrado de formazin 4.000 NTU, adquirido de Hach
Outras soluções padrão de formazina preparadas de acordo com os Métodos Padrão
A utilização de soluções padrão diferentes das mencionadas anteriormente resultará em erros de calibração e leituras
de campo imprecisas. É importante utilizar o mesmo tipo de solução padrão para todos os pontos de calibração;
não misturar soluções padrão de formazina e soluções padrão com base em polímero para pontos diferentes numa
calibração multipontos.
Ao utilizar um padrão alternativo (não YSI), a calibração pode ser concluída utilizando os seguintes limites:
Calibração
Mín.
Máx.
Unidade
1º Ponto de
Calibração
0,0
1,0
FNU ou NTU
2º Ponto de
Calibração
5,0
200
FNU ou NTU
3º Ponto de
Calibração
400
4.000
FNU ou NTU
37
Calibração da Turbidez de 2 pontos
As calibrações de turbidez, mais do que a maioria dos outros parâmetros,
são susceptíveis à interferência da contaminação. É fundamental que
as calibrações sejam realizadas com sensores, proteções e copos muito
limpos.
NOTA: Os soluções padrão de calibração não devem
ser reutilizados.
1. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com o
padrão 0 FNU (a água desionizada pode ser utilizada como uma
alternativa). A proteção do sensor deve ser instalada para garantir
uma calibração precisa. Certifique-se de que a proteção está
instalada e mergulhe a sonda no padrão zero.
2. Prima a tecla
Cal
e selecione Turbidez.
3. Selecione Valor de Calibração e introduza 0,00.
Figura 54 Calibração da Turbidez
4. Certifique-se de que não existem bolhas de ar na lente do sensor
de turbidez. Se existirem, bata levemente a proteção contra o
copo para retirar as bolhas. Observe as leituras de medição reais
para estabilidade (a linha branca no gráfico não mostra nenhuma
mudança significativa durante 40 segundos) e selecione Aceitar
Calibração. “Pronto para cal. ponto 2” aparece na área de
mensagens.
5. Descarte o padrão utilizado e lave a sonda, a proteção e o copo
de calibração com uma pequena quantidade do próximo padrão
do ponto de calibração. Descarte o padrão de lavagem.
6. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com padrão
novo para o ponto 2 de calibração. Mergulhe a sonda no padrão.
7. Selecione Valor de Calibração e introduza o valor da segunda
solução de calibração padrão.
8. Certifique-se de que não existem bolhas de ar na lente do
sensor de turbidez. Observe as leituras de medição reais
para estabilidade e selecione Aceitar Calibração (Figura 54).
“Pronto para cal. ponto 3” aparece na área de mensagens.
9. Selecione Terminar Calibração para completar uma calibração
de 2 pontos ou prosseguir para a calibração de 3 pontos.
Repita os passos 5 a 8 para uma calibração de 3 pontos. “Calibração
concluída!” aparece na área de mensagens. Após a calibração, lave com
água e seque a sonda.
38
Calibração
3.7 Total de Algas
Sensores TAL
O YSI oferece duas opções de sensores de Total de Algas (TAL). Ambos são sensores de fluorescência de canal duplo.
Os canais no sensor TAL-PC referem-se a dois conjuntos de dados independentes: um resulta de um feixe de
excitação azul que excita a molécula de clorofila a (Chl) e o segundo resulta de um feixe de excitação laranja que
excita o pigmento acessório de ficocianina (PC). Os sensores TAL-PC são tipicamente selecionados para monitorização
de cianobactérias de água doce.
O sensor TAL-PE é semelhante em ter um canal de clorofila, mas utiliza um feixe levemente azulado que excita
o pigmento ficoeritrina (PE). Os sensores TAL-PE são tipicamente selecionados para monitorização de cianobactérias
marinhas.
Unidades TAL
Os sensores TAL apresentam dados em RFU e μg/L de unidades de pigmento (Chl, PC ou PE). O YSI recomenda
relatórios em Unidades de Fluorescência Relativa (RFU).
O RFU é utilizado para definir a saída do sensor em relação a um padrão secundário estável, o corante Rodamina WT.
Isso permite que os utilizadores calibrem os sensores de forma idêntica para que os resultados de sensor para sensor
possam ser comparados. A calibração com o Rodamina WT também permite que os utilizadores monitorizem o desvio
do sensor e fatores externos, como a incrustação biológica ou o declínio do desempenho ótico do sensor ao longo
do tempo, à medida que os LEDs envelhecem.
A excelente linearidade do RFU, assim que os canais são calibrados com o Rodamina WT, traduz-se numa melhor
precisão das medições. Por exemplo, uma leitura de clorofila de 100 unidades representará o dobro do pigmento
detetado pelo sensor relativamente a uma leitura de clorofila de 50 unidades. Esta alta linearidade (R2> 0,9999)
nem sempre é válida para μg/L de pigmento, já que essa unidade deriva de monoculturas de laboratório, e uma
população de algas ambientais pode se comportar de forma bem diferente. É também por isso que os sensores
TAL e a monitorização in situ não devem ser considerados como um substituto perfeito para outros métodos,
como extrações de pigmentos e contagem de células.
A saída μg/L gera uma estimativa da concentração de pigmentos que é baseada em correlações construídas com
saídas de sensores e extrações de pigmentos de algas azuis-verdes cultivadas em laboratório. Sinónimo de partes
por bilião (ppb), μg/L ainda é geralmente utilizado pelas agências reguladoras, mas tem a desvantagem de ser muito
dependente da composição da população de algas, da hora do dia, da saúde fisiológica das algas e de uma série
de outros fatores ambientais. Assim, os utilizadores são aconselhados a fazer a sua própria verificação da nossa
correlação com uma população de algas relevantes para os seus próprios sites, conforme descrito abaixo.
Em primeiro lugar, é recomendável que efetue uma calibração RFU de 2 pontos. Com as amostras recolhidas do
local de interesse, meça as RFU e μg/L com o(s) sensor(es). Respeitando o manuseio cuidadoso e a preservação
das amostras, extraia os pigmentos das amostras o mais rápido possível, utilizando métodos padronizados para
determinar o μg/L em cada amostra. Os dados de extração podem ser utilizados para avaliar a forma como as RFU
e μg/L fornecidas pelo sensor são comparadas com a μg/L do pigmento que seria previsto pelas RFU a partir do
sensor. Os requisitos do utilizador podem orientar a decisão sobre se RFU ou μg/L é a melhor unidade para ler
o sensor para qualquer aplicação específica.
Os valores Brutos do TAL só podem ser vistos em Informações do sensor no menu Sistema e não são afetados pelas
calibrações do utilizador. Estes valores variam de 0 a 100, representando a percentagem da escala completa que
o sensor deteta numa amostra e são utilizados para fins de diagnóstico.
Calibração
39
Preparação da Solução de Corante Rodamina WT
A solução de corante Rodamina WT deve ser utilizada ao completar uma calibração de 2 pontos Adquira
Rodamina WT como uma solução de 2,5% para seguir o procedimento abaixo. A Kingscote Chemicals (Miamisburg,
OH, 1-800-394-0678) historicamente teve uma solução de 2,5% (item #106023) que funciona bem com este
procedimento. Tenha em conta que existem vários tipos de Rodamina—certifique-se de que Rodamina WT
é selecionada. Se uma solução de 2,5% não puder ser obtida comercialmente, prepare-a a partir de um sólido
ou de outra concentração de uma solução líquida para uma concentração final de 2,5%, ou ajuste as diluições
abaixo em conformidade. Deve ser armazenada no frigorífico quando não estiver a ser utilizada.
Para calibrações de canais de PC e clorofila, deve ser preparada uma solução de 0,625 mg/L de Rodamina WT.
Para calibração de canal de PE, deve ser preparada uma solução de 0,025 mg/L de Rodamina WT. As etapas abaixo
descrevem um procedimento para preparar essas soluções.
1. Para qualquer calibração do sensor TAL, prepare uma solução de 125 mg/L de Rodamina WT. Transfira
5,0 mL da solução de 2,5% de Rodamina WT para um balão volumétrico de 1.000 mL. Encha o balão até
à marca volumétrica com água desionizada ou destilada e misture bem para produzir uma solução que seja
aproximadamente 125 mg/L de Rodamina WT. Transfira para um frasco de armazenamento e guarde-a para
uso futuro.
*Esta solução pode ser armazenada no frigorífico (4°C). A sua degradação dependerá da exposição
à luz e dos repetidos ciclos de aquecimento, mas as soluções utilizadas 1 a 2 vezes por ano podem ser
armazenadas até dois anos. Os utilizadores devem implementar os seus próprios procedimentos para
se protegerem contra a degradação.
2. Para calibrações de canais de PC e clorofila, prepare uma solução de 0,625 mg/L de Rodamina WT. Transfira
5,0 mL da solução de 125 mg/L preparada na etapa 1 para um balão volumétrico de 1.000 mL. Encha o balão
até à marca volumétrica com água desionizada ou destilada. Misture bem para obter uma solução que seja
0,625 mg/L de Rodamina WT. Utilize esta solução dentro de 24 horas após a preparação e descarte-a após
a utilização.
3. Para calibração de canal de PE, prepare uma solução de 0,025 mg/L de Rodamina WT. Transfira 0,2 mL da
solução de 125 mg/L preparada na etapa um para um balão volumétrico de 1.000 mL. Encha o balão até
à marca volumétrica com água desionizada ou destilada. Misture bem para obter uma solução que seja
0,025 mg/L de Rodamina WT. Utilize esta solução dentro de 24 horas após a preparação e descarte-a após
a utilização.
Além de preparar a(s) solução(ões) de Rodamina, também é necessário determinar valores de calibração
com compensação de temperatura para as soluções. Em geral, a fluorescência está inversamente relacionada
com a temperatura. Meça a temperatura da(s) solução(ões) de Rodamina e utilize a temperatura da solução no
momento da calibração para selecionar as concentrações da solução compensada, em RFU (recomendado)
ou equivalentes de pigmento µg/L, da tabela abaixo.
Por exemplo, suponhamos que vai calibrar o canal de clorofila em RFU e que a temperatura medida na solução
de 0,625 mg/L de Rodamina WT é de 22°C. O primeiro valor padrão digitado será 0, e o segundo valor padrão
será 16,4 (ver tabela na página 41). Da mesma forma, se pretende utilizar a unidade de µg/L predefinida ao calibrar
a clorofila, o segundo valor padrão seria 66 neste exemplo. A utilização da mesma solução de 0,625 mg/L de
Rodamina WT para calibrar o canal do PC produzirá um segundo valor padrão de 16,0 RFU ou 16 µg/L. Esses
valores serão inseridos ao executar uma calibração de 2 pontos.
40
Calibração
Preparação de Solução de Corante Rodamina WT (continuação)
Clorofila
Ficocianina
Ficoeritrina
Temperatura (ºC)
RFU
μg/L
RFU
μg/L
RFU
μg/L
30
14,0
56,5
11,4
11,4
37,3
104,0
28
14,6
58,7
13,1
13,1
39,1
109,0
26
15,2
61,3
14,1
14,1
41,0
115,0
24
15,8
63,5
15,0
15,0
43,0
120,0
22
16,4
66
16,0
16,0
45,0
126,0
20
17,0
68,4
17,1
17,1
47,0
132,0
18
17,6
70,8
17,5
17,5
49,2
138,0
16
18,3
73,5
19,1
19,1
51,4
144,0
14
18,9
76
20,1
20,1
53,6
150,0
12
19,5
78,6
21,2
21,2
55,9
157,0
10
20,2
81,2
22,2
22,2
58,2
163,0
8
20,8
83,8
22,6
22,6
60,6
170,0
Calibração TAL
Uma calibração de 1 ou 2 pontos pode ser concluída para todos os canais nos sensores TAL-PC e TAL-PE.
Uma calibração de 1 ponto, normalmente concluída em água desionizada ou destilada, é simplesmente um
re-zeramento do sensor. Esta calibração não redefine o segundo ponto inserido durante a anterior calibração de 2
pontos. A consequência é que o erro será atenuado no zero e próximo deste, mas quanto mais distante do zero estiver
o valor, mais erros se poderão acumular na medição. A quantidade de erros depende do deslocamento do segundo
ponto, o que nem sempre é equivalente ao deslocamento do ponto zero.
Para muitos utilizadores, especialmente aqueles com sites em que o pigmento raramente é detetado e os valores são
quase sempre zero ou próximo de zero, o acumulação de erros distantes de zero não é um problema. Para outros,
é melhor realizar uma calibração de 2 pontos utilizando uma solução de Rodamina WT.
Calibração
41
Calibração de PE, PC e Clorofila Ponto 2
Cada canal do sensor deve ser calibrado de forma independente.
A calibração do canal de clorofila não define a calibração para o canal
PC ou o canal PE. Além disso, calibrar em RFU para um canal não calibra
automaticamente a medição de µg/L para o mesmo canal. O seguinte
procedimento de calibração deve ser executado para cada canal e cada
unidade que o utilizador gostaria de exibir.
Figura 55 Opções de Calibração
TAL-PC
1. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com água
deionizada (padrão 0). Mergulhe a sonda no padrão. Certifique-se
de que a proteção da sonda está instalada.
2. Prima a tecla Cal e selecione TAL-PC ou TAL-PE, dependendo
do sensor a ser calibrado.
3. Selecione o canal e unidades a serem calibrados. As opções para
o sensor TAL-PC são exibidas na Figura 55, enquanto as opções
para o sensor TAL-PE são exibidas na Figura 56.
4. Selecione Valor de Calibração e introduza 0,00.
Figura 56 Opções de Calibração
TAL-PE
5. Certifique-se de que não existem bolhas de ar na lente do
sensor. Se existirem, bata levemente a proteção contra o copo
para retirar as bolhas. Observe as leituras de medição reais para
estabilidade (a linha branca no gráfico não mostra nenhuma
mudança significativa durante 40 segundos) e selecione
Aceitar Calibração. “Pronto para cal. ponto 2” aparece na
área de mensagens.
6. Descarte a água usada e lave a sonda, a proteção e o copo
de calibração com uma pequena quantidade do padrão para
o ponto de calibração nº 2. Descarte o padrão de lavagem.
NOTA: Para o padrão nº 2, utilize a solução de 0,625 mg/L de
Rodamina WT ao calibrar clorofila (RFU ou µg/L) no sensor
TAL ou ao concluir uma calibração de PC (RFU ou µg/L)
num sensor TAL-PC. Utilize a solução de 0,025 mg/L de
Rodamina WT ao concluir uma calibração de PE (RFU
ou µg/L) num sensor TAL-PE.
7. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com o novo
padrão nº 2. Mergulhe os sensores na segunda solução de
calibração padrão.
8. Observe a leitura da temperatura no ecrã de calibração
(Figura 57). Utilize a tabela na secção de preparação da solução
de corante Rodamina WT para identificar o valor adequado para
a solução de calibração padrão.
9. Selecione Valor de Calibração e introduza o valor da segunda
solução de calibração padrão.
10. Observe as leituras de medição reais para estabilidade
(a linha branca no gráfico não mostra nenhuma mudança
significativa durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração.
O procedimento terminará automaticamente após a calibração
utilizando o segundo padrão.
Figura 57 Calibração PC RFU
42
Calibração
3.8 pH/ORP
Observe as leituras de pH mV durante a calibração para entender a condição e a resposta do sensor de pH. Na solução
tampão 7, o pH mVs deve estar entre -50 e +50. Na solução tampão de pH 4, a leitura de mV deve ser 165 a 185 mV
superior à leitura na solução tampão de pH 7. Na solução tampão de pH 10, a leitura de mV deve ser 165 a 185 mV
inferior à leitura na solução tampão de pH 7. A inclinação teoricamente ideal é de -59 mV/unidade de pH.
1 Ponto
Apesar de uma calibração de pH de 1 ponto ser possível, este procedimento de calibração ajusta somente o desvio
de pH e deixa a inclinação previamente determinada inalterada. Isto só deve ser executado se estiver a ajustar uma
calibração anterior de 2 ou 3 pontos.
2 pontos
Realize uma calibração de pH de 2 pontos se o pH do meio a ser monitorizado for conhecido como básico ou ácido.
Neste procedimento, o sensor de pH é calibrado com uma solução tampão de pH 7 e uma solução tampão de pH 10
ou pH 4, dependendo da faixa de pH que espera para a amostragem da sua água.
3 pontos
Realize uma calibração de pH de 3 pontos para garantir a máxima precisão quando o pH da água ambiental não
puder ser antecipado ou flutuar acima e abaixo de pH 7. Neste procedimento, o sensor de pH é calibrado com
soluções tampão pH 7, pH 10 e pH 4.
Calibração pH de 3 Pontos
1. Comece sempre a calibração com a solução tampão de pH 7.
Encha o copo de calibração até ao nível adequado com solução
tampão de pH 7.
2. Com a proteção da sonda instalada, mergulhe cuidadosamente
a sonda na solução tampão. Certifique-se de que o sensor de pH
e o sensor de temperatura estão submersos.
3. Prima a tecla
Cal
e selecione pH ou pH/ORP.
4. O Valor de Calibração será automaticamente ajustado com base
na solução tampão e temperatura selecionados. Alternativamente,
o valor de Calibração pode ser introduzido manualmente.
5. Aguarde até que as leituras de pH mV e temperatura estabilizem;
a linha branca no gráfico deve ficar plana durante cerca de
40 segundos.
ENTER
6. Selecione Aceitar Calibração e prima a
tecla. “Pronto para
cal. ponto 2” aparece na área de mensagens.
Figura 58 Calibração pH 2- ou
3 pontos
7. Lave a sonda e o copo de calibração. Encha até ao nível adequado
com a solução tampão pH 10 ou pH 4; não importa qual vem
a seguir.
8. Mergulhe a sonda na solução tampão. O Valor de Calibração será
automaticamente ajustado com base no tampão e temperatura
selecionados.
9. Aguarde até que as leituras de pH mV e temperatura estabilizem;
a linha branca no gráfico deve ficar plana durante cerca de
40 segundos.
Calibração
43
Calibração pH de 3 Pontos (continuação)
ENTER
10. Selecione Aceitar Calibração e prima a
tecla. “Pronto para
cal. ponto 3” aparece na área de mensagens.
NOTA: Para calibrações de 2 pontos, selecione Aceitar Calibração
antes de selecionar Terminar Calibração.
11. Lave a sonda e o copo de calibração. Encha até ao nível adequado
com a solução tampão final.
12. Mergulhe a sonda na solução tampão. O Valor de Calibração será
automaticamente ajustado com base no tampão e temperatura
selecionados.
13. Aguarde até que as leituras de pH mV e temperatura estabilizem;
a linha branca no gráfico deve ficar plana durante cerca de
40 segundos.
14. Selecione Aceitar Calibração e prima a
ENTER
tecla. O procedimento
terminará automaticamente depois de calibrar o terceiro ponto.
Calibração ORP
1. Obtenha uma solução padrão pré-misturada aprovada para uso
com sensores Ag/AgCl ORP ou prepare um padrão com um
valor conhecido de potencial de redução de oxidação (ORP).
Recomenda-se a solução Zobell.
2. Com a proteção da sonda instalada, mergulhe cuidadosamente
a sonda na solução padrão. Certifique-se de que o sensor ORP
e o sensor de temperatura estão submersos.
3. Prima a tecla
Cal
. Depois selecione pH/ORP e ORP.
4. Se utilizar a solução Zobell do YSI, o Valor de calibração será
automaticamente ajustado com base na temperatura. Caso
contrário, consulte a tabela incluída com a solução padrão e insira
o valor de mV que corresponde à temperatura da solução.
5. Aguarde até que as leituras de ORP mV e da temperatura
estabilizem; a linha branca no gráfico deve ser plana durante
cerca de 40 segundos.
6. Selecione Aceitar Calibração e prima a tecla
concluída!” aparece na área de mensagens.
ENTER
. “Calibração
Figura 59 Calibração ORP
44
Calibração
3.9
ISE
Amónio, Nitrato e Cloreto
O YSI recomenda uma calibração de 2 pontos para ISE. Para melhores resultados, utilize soluções padrão que tenham
uma diferença de 2 ordens de magnitude:
• 1 mg/L e 100 mg/L para Amónio e Nitrato
• 10 mg/L e 1.000 mg/L para Cloreto
Calibração ISE
1. Encha o copo de calibração até ao padrão de nível adequado
para o ponto de calibração nº 1. Mergulhe a sonda no padrão.
2. Prima a tecla
Cal
e selecione o sensor ISE aplicável.
3. Selecione o Valor de calibração e introduza o valor que
corresponde à primeira solução de calibração padrão.
4. Observe as leituras de medição reais para estabilidade (a linha
branca no gráfico não mostra nenhuma mudança significativa
durante 40 segundos) e selecione Aceitar Calibração. “Pronto
para cal. ponto 2” aparece na área de mensagens.
5. Descarte o padrão utilizado e lave a sonda e o copo de calibração
com uma pequena quantidade do próximo padrão de ponto de
calibração. Descarte o padrão de lavagem.
6. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com padrão
novo para o segundo ponto de calibração. Mergulhe a sonda no
padrão.
7. Selecione Valor de calibração e introduza o valor da segunda
solução de calibração padrão.
Figura 60 Calibração ISE
8. Observe as leituras de medição reais para estabilidade e selecione
Aceitar Calibração (Figura 60). “Pronto para cal. ponto 3” aparece
na área de mensagens.
9. Selecione Terminar Calibração para completar uma calibração
de 2 pontos.
Ótimo mV para calibração ISE
Valores de amónio mV
• NH4 1 mg/L = 0 mV +/- 20 mV (apenas novo sensor)
• NH4 100 mg/L = 90 a 130 mV superior à leitura de mV no padrão 1 mg/L
• O intervalo mV entre os valores de 1 mg/L e 100 mg/L deve ser de aproximadamente 90 a 130 mV. A inclinação
deve ser de 45 a 65 mV por década de concentração de amónio em mg/L
Valores de nitrato mV
• NO3 1 mg/L = 200 mV +/- 20 mV (apenas novo sensor)
• NO3 100 mg/L = 90 to 130 mV inferior à leitura de mV reading no padrão 1 mg/L mV
• O intervalo mV entre os valores de 1 mg/L e 100 mg/L deve ser de aproximadamente 90 a 130 mV. A inclinação
deve ser de -45 a -65 mV por década de concentração de nitrato em mg/L
Valores de cloreto mV
• Cl 10 mg/L = 225 mV +/- 20 mV (apenas novo sensor)
• Cl 1.000 mg/L = 80 a 130 mV < valor de 10 mg/L mV
• O intervalo mV entre valores de 10 mg/L e 1000 mg/L deve ser aproximadamente entre 80 e 130 mV. A inclinação
deve ser de -40 a -65 mV por década de concentração de cloreto em mg/L.
Calibração
45
Ponto de Terceira Calibração Refrigerado
A calibração de 3 pontos refrigerada é recomendada se existir uma grande variação de temperatura durante
a amostragem ou quando a temperatura do suporte não pode ser antecipada. A solução de elevada concentração
e uma das soluções de baixa concentração devem estar à temperatura ambiente. A outra solução de baixa
concentração deve ser refrigerada a menos de 10°C antes do ponto de calibração.
1. Descarte o padrão utilizado e lave a sonda e o copo de calibração com uma pequena quantidade do próximo
padrão de ponto de calibração. Descarte o padrão de lavagem.
2. Encha o copo de calibração até ao nível adequado com um novo padrão para o terceiro ponto de calibração.
Mergulhe a sonda no padrão.
3. Selecione Valor de calibração e introduza o valor da terceira solução de calibração padrão.
4. Observe as leituras de medição reais para estabilidade e selecione Aceitar Calibração. “Calibração concluída!”
aparece na área de mensagens.
Preparar soluções padrão
Recomendamos a utilização de soluções de calibração do YSI sempre que possível. No entanto, os utilizadores
qualificados podem seguir essas receitas para preparar as suas próprias soluções padrão.
ATENÇÃO: Alguns dos produtos químicos necessários para preparas tais soluções podem ser perigosos
em algumas condições. Como tal, as soluções padrão só devem ser preparadas por químicos
qualificados em laboratórios onde as precauções de segurança adequadas podem ser tomadas.
É da responsabilidade do utilizador obter e estudar o MSDS para cada químico e seguir as
instruções necessárias relativamente ao tratamento e eliminação destes químicos.
Soluções padrão de Amónio
Precisará de:
•
•
•
•
•
•
•
•
Cloreto de amónio sólido ou NH4+-N de 100 mg/L de um fornecedor certificado
Acetato de lítio desidratado
Ácido clorídrico concentrado
Água de elevada pureza
Um equilíbrio analítico de boa qualidade
Balão volumétrico de 1.000 mL
Dispositivos de medição volumétrica precisa para 100 mL e 10 mL de solução
E recipientes de armazenamento de vidro ou plástico de 1.000 mL
ATENÇÃO: O ácido clorídrico é altamente corrosivo e tóxico e, por isso, deve ser manipulado com cuidado
extremo numa conduta de fumos bem ventilada. Se preferir, pode utilizar a quantidade equivalente
de uma amostra menos perigosa e mais diluída do ácido.
Solução padrão de 100 mg/L
1. Pese rigorosamente 0,3817 g de cloreto de amónio e transfira quantitativamente para um balão volumétrico
de 1.000 mL. Adicione 2,6 g de acetato de lítio desidratado ao balão.
2. Adicione aproximadamente 500 mL de água destilada ou desionizada ao balão. Mexa para dissolver todos
os reagentes e dilua até à marca volumétrica com água destilada ou desionizada.
3. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 100 mg/L para um frasco de armazenamento.
4. Adicione 3 gotas de ácido clorídrico concentrado ao frasco, sele e agite para assegurar a homogeneidade.
Em alternativa, 100 mL de padrão de NH4+-N 100 mg/L, certificado pode ser utilizado em vez de cloreto
de amónio sólido.
46
Calibração
Soluções padrão de Amónio (continuação)
Solução padrão de 1 mg/L
1. Meça rigorosamente 10,0 mL da solução padrão de 100 mg/L acima num balão volumétrico de 1.000 mL.
Adicione 2,6 g de acetato de lítio desidratado ao balão.
2. Adicione aproximadamente 500 mL de água destilada ou desionizada. Mexa para dissolver os reagentes
sólidos e dilua até à marca volumétrica com água.
3. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 1 mg/L para um frasco de armazenamento.
4. Adicione 3 gotas de ácido clorídrico concentrado ao frasco, sele e agite para assegurar a homogeneidade.
Podem ser feitas outras concentrações alterando a quantidade de cloreto de amónio. Todas as outras concentrações
de ingredientes devem permanecer inalteradas.
Soluções padrão de Nitrato
Precisará de:
•
•
•
•
•
•
Nitrato de potássio sólido ou 1.000 mg/L de NO3-N de um fornecedor certificado
Sulfato de magnésio, água de elevada pureza
Um equilíbrio analítico de boa qualidade
Balão volumétrico de 1.000 mL
Dispositivos volumétricos de medição precisa para soluções de 100 mL, 10 mL e 1 mL
E recipientes de armazenamento de vidro ou plástico de 1.000 mL.
Solução padrão de 100 mg/L
1. Pese rigorosamente 0,7222 g de nitrato de potássio anidro e transfira quantitativamente para um balão
volumétrico de 1.000 mL. Adicione ao balão 1,0 g de sulfato de magnésio anidro.
2. Adicione aproximadamente 500 mL de água ao balão. Mexa para dissolver todos os reagentes e dilua até
à marca volumétrica com água destilada ou desionizada.
3. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 100 mg/L para um frasco de armazenamento.
4. Lave bem o frasco com água antes de o utilizar na preparação do padrão de 1 mg/L. Em alternativa, pode
ser utilizado 100 mL de padrão certificado de NO3-N 1.000 mg/L, ao invés de nitrato de potássio sólido.
Solução padrão de 1 mg/L
1. Meça rigorosamente 10,0 mL da solução padrão de 100 mg/L acima num balão volumétrico de 1.000 mL.
Adicione ao balão 1,0 g de sulfato de magnésio anidro.
2. Adicione aproximadamente 500 mL de água destilada ou desionizada. Mexa para dissolver os reagentes
sólidos e dilua até à marca volumétrica com água.
3. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 1 mg/L para um frasco de armazenamento.
Podem ser feitas outras concentrações alterando a quantidade de nitrato de potássio. Todas as outras concentrações
de ingredientes devem permanecer inalteradas.
Calibração
47
Soluções padrão de Cloreto
Precisará de:
•
•
•
•
•
•
•
Cloreto de sódio sólido ou uma solução de cloreto 1.000 mg/L de um fornecedor certificado
Sulfato de magnésio
Água de elevada pureza
Um equilíbrio analítico de boa qualidade
Balão volumétrico de 1.000 mL
Um dispositivo de medição preciso de 10 mL
E recipientes de armazenamento de vidro ou plástico de 1.000 mL.
Solução padrão de 1.000 mg/L
1. Pese rigorosamente 1,655 g de cloreto de sódio anidro e transfira para um balão volumétrico de 1.000 mL.
2. Adicione 0,5 g de sulfato de magnésio anidro ao balão.
3. Adicione 500 mL de água ao frasco, mexa para dissolver todos os reagentes e dilua até à marca volumétrica
com água.
4. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 1.000 mg/L para um frasco de armazenamento.
5. Lave bem o frasco com água antes de o utilizar na preparação do padrão de 10 mg/L. Em alternativa, adicione
simplesmente 0,5 g de sulfato de magnésio a um litro de padrão de cloreto 1.000 mg/L de um fornecedor
certificado.
Solução padrão de 10 mg/L
1. Meça rigorosamente 10 mL da solução padrão de 1.000 mg/L num balão volumétrico de 1.000 mL.
2. Adicione ao frasco 0,5 g de sulfato de magnésio anidro.
3. Adicione 500 mL de água, mexa para dissolver os reagentes sólidos e dilua até a marca volumétrica com água.
4. Misture bem, com inversões repetidas, e transfira o padrão de 10 mg/L para um frasco de armazenamento.
48
Calibração
4. Manutenção e Armazenamento
Siga todos os procedimentos de manutenção e armazenamento desta secção. Uma manutenção e/ou um
armazenamento incorrecto ou desadequado pode causar danos ao equipamento portátil, no sensor ou no cabo,
não cobertos pela garantia.
Os termos de armazenamento são definidos da seguinte forma:
Armazenamento a Curto Prazo = Menos de 4 semanas
O armazenamento a curto prazo é adequado quando o equipamento portátil, os cabos e os sensores são utilizados
a intervalos regulares (diariamente, semanalmente, etc.)
Armazenamento a Longo Prazo = Mais de 4 semanas
Durante longos períodos de inatividade, como a “baixa temporada” para monitorização ambiental, o instrumento,
os sensores e os cabos devem ser colocados em armazenamento a longo prazo.
O YSI recomenda a limpeza e manutenção antes do armazenamento a longo prazo.
4.1 Equipamento portátil ProDIGITAL
Limpe o teclado, o ecrã e o estojo com um pano humedecido numa
solução suave de água limpa e detergente para loiça (Figura 61). A
temperatura ideal de armazenamento do equipamento portátil é 0-45ºC.
A bateria perde permanentemente capacidade a uma taxa mais rápida
quando opera acima de 45ºC.
Armazenamento a Curto Prazo:
Certifique-se de que o equipamento portátil está desligado e guarde-o
num local seguro e de temperatura controlada. Idealmente, todas as
portas devem ser cobertas para evitar poeira, água ou outra contaminação.
Armazenamento a Longo Prazo:
Figura 61 Limpeza do equipamento
portátil
Manutenção e Armazenamento
Além das diretrizes de armazenamento a curto prazo acima, remova
a bateria para evitar danos causados por possíveis fugas da bateria.
Reinstale a tampa da bateria. Guarde a bateria num local seco,
idealmente cerca de 25ºC.
49
4.2 Anteparo de 4 Portas
Limpe o cabo e a antepara com um pano humedecido numa solução
suave de água limpa e detergente para loiça. Certifique-se de que os
sensores ou plugues das portas estão instalados nos conjuntos de cabos
de 4 portas do ProDSS, para que as portas da antepara não fiquem
molhadas durante a limpeza. A exposição à água pode causar danos
ou corrosão nos conectores da antepara não cobertos pela garantia.
Para armazenamento a curto prazo, o YSI recomenda deixar os sensores
instalados na antepara. Os sensores ODO, pH e pH/ORP devem ser
mantidos num ambiente de ar húmido; portanto, coloque uma pequena
quantidade de água (5-10 mL) no copo de calibração e aperte a porca
de fixação para vedar a câmara de armazenamento.
Figura 62 Manutenção de cabo,
antepara e conector
Para armazenamento a longo prazo, o YSI recomenda desinstalar
os sensores da antepara e seguir as respetivas instruções de
armazenamento a longo prazo de cada sensor. Inspecione se as portas
da antepara e os conectores do cabo estão contaminados. Se estiverem
sujas ou húmidas, limpe com ar comprimido (Figura 62). Instale a tampa
que protegia a antepara durante o envio inicial. Em alternativa, instale
os plugues da porta da antepara.
4.3 Proteção do Sensor
Retire o mínimo de resíduos biológicos com um pano embebido numa
solução suave de água limpa e detergente para loiça. Mergulhe em
vinagre para remover resíduos resistentes e depósitos. Utilize uma
escova de plástico para remover qualquer resíduo biológico restante.
Lave a proteção do sensor com água limpa (Figura 63).
AVISO: Não utilize jatos de areia ou polimentos na proteção.
A remoção do revestimento da proteção pode afetar
algumas leituras do sensor.
Figura 63 Manutenção da proteção
do sensor
50
Manutenção e Armazenamento
4.4 Sensor de Profundidade
O sensor de profundidade de cabos ProDSS de 4 portas deve ser
lavado após cada utilização. Encha a seringa (fornecida com o kit de
manutenção) com água limpa e empurre suavemente a água pelas
portas localizadas na antepara. Irrigue até a água limpa fluir pela porta
de profundidade oposta (Figura 64).
O sensor pode ser armazenado húmido ou seco. Para armazenamento
a longo prazo, o YSI recomenda armazenar o sensor a seco.
AVISO: Não insira objectos nas portas de profundidade. Os danos
no transdutor de profundidade causados por uma limpeza
incorreta não estão cobertos pela garantia.
Figura 64 Irrigação do sensor
de profundidade
4.5 Sensor de Temperatura
Para garantir o desempenho ideal, é importante manter o sensor de temperatura livre de quaisquer depósitos.
Lave o termístor após cada utilização. Se houver depósitos, utilize água com sabão e uma escova de limpeza de
cerdas macias. O sensor pode ser armazenado húmido ou seco.
4.6 Sensor de Condutividade
Os canais de condutividade devem ser limpos após cada utilização.
Mergulhe a escova de limpeza do sensor (incluída com o kit de
manutenção) em água limpa, insira a escova no topo dos canais
e varra os canais 15 a 20 vezes (Figura 65).
Se houver depósitos nos elétrodos, utilize uma solução suave de
detergente e água para escovar os canais. Para depósitos pesados,
mergulhe o sensor em vinagre branco e esfregue com a escova de
limpeza. Lave os canais com água limpa após esfregar ou mergulhar.
O sensor pode ser armazenado húmido ou seco. Para armazenamento
a longo prazo, o YSI recomenda armazenar o sensor a seco.
Figura 65 Escova do canal
Manutenção e Armazenamento
51
4.7 Sensor de Oxigénio Dissolvido Ótico
O sensor ODO deve ser mantido limpo, pois alguns tipos de incrustação
podem consumir oxigénio, o que poderia afetar as medições de oxigénio
dissolvido.
Para limpar a tampa do sensor, limpe cuidadosamente qualquer sujeira
com um lenço de limpeza para lentes que tenha sido humedecido com
água para evitar arranhões (Figura 66). Não limpe o sensor ODO com
solventes orgânicos, pois estes podem danificar a tampa.
Para minimizar o desvio do sensor, armazene sempre o sensor ODO
num ambiente húmido ou saturado com água.
Figura 66 Janela do sensor ODO
Armazenamento a Curto Prazo:
Armazene o sensor ODO num ambiente com ar húmido. Recomenda-se
uma manga de armazenamento com uma esponja molhada ou o copo
de calibração com uma pequena quantidade de água (Figura 67).
Figura 67 Armazenamento a curto
prazo ODO
Armazenamento a Longo Prazo:
• Método 1: Mergulhe a extremidade de deteção do sensor
num recipiente com água destilada ou desionizada. Verifique
periodicamente o nível da água para se certificar de que não evapora.
• Método 2: Molhe a esponja localizada na tampa originalmente
incluída com o sensor ODO e instale na extremidade de deteção
do sensor ODO. Substitua a esponja se ficar suja.
Para sensores ODO ProDSS, o sensor pode ser deixado na antepara de
4 portas ou removido para armazenamento a longo prazo (Figura 68).
Figura 68 Armazenamento a longo
prazo ODO
52
Manutenção e Armazenamento
Reidratação do Sensor ODO
Se o sensor ODO tiver sido acidentalmente deixado seco durante
mais de 8 horas, este deve ser reidratado. Para reidratar, mergulhe
o sensor ODO na água da torneira à temperatura ambiente durante
aproximadamente 24 horas. Após mergulhar o sensor ODO, calibre
o sensor (Figura 69).
Figura 69 Reidratação ODO
Tampa do Sensor ODO
As tampas do sensor DO ótico são garantidas por 12 ou 24 meses, dependendo do modelo:
• Tampa ODO de Sensor ProDSS [SKU: 626890] = 12 meses
• Extensão da Garantia de Tampa ODO de Sensor [SKU: 627180] = 24 meses
Dependendo das práticas de utilização e armazenamento, a tampa pode durar mais do que o período de garantia.
À medida que o sensor ODO envelhece, a deterioração da camada de corante pode reduzir a estabilidade da
medição e o tempo de resposta. Inspecione periodicamente a tampa do sensor para ver se existem danos e grandes
arranhões na camada de corante. Substitua a tampa quando as leituras se tornarem instáveis e a limpeza da tampa
e a recalibragem de DO não corrigirem os sintomas.
Manutenção e Armazenamento
53
Substituição da Tampa do Sensor ODO
A folha de instruções enviada com a tampa do sensor ODO de substituição
inclui os coeficientes de calibração específicos para essa tampa do sensor.
Certifique-se de que guarda a folha de instruções da tampa do sensor
ODO, caso precise recarregar os coeficientes de calibração.
1. Remova o antigo conjunto da tampa do sensor da sonda
segurando o corpo da sonda com uma mão e girando a tampa
do sensor no sentido contrário aos ponteiros do relógio até que
esteja completamente livre. Não utilize quaisquer ferramentas
para este procedimento.
2. Remova cuidadosamente a anilha apertando-a com os dedos
e desenroscando-a. Não utilize quaisquer ferramentas para
remover a anilha. Limpe a área de qualquer detrito com um
lenço para limpeza de lentes.
3. Instale a nova anilha incluída com a tampa do sensor de
substituição.
4. Aplique uma fina camada de lubrificante de anilha (incluído
com a nova tampa) na anilha instalada. Remova qualquer excesso
de lubrificante de anilha com um lenço para limpeza de lentes.
Tenha cuidado para evitar o contacto com a lente do sensor.
5. Inspecione a lente do sensor em busca de humidade ou detritos.
Se necessário, limpe a lente cuidadosamente com um pano não
abrasivo e sem fiapos para evitar arranhões. Não utilize solventes
orgânicos para limpar a lente do sensor ODO.
6. Retire a tampa nova do sensor da sua caixa humedecida e seque
a cavidade interior da tampa do sensor com um toalhete
de limpeza de lentes. Certifique-se de que a cavidade está
completamente seca antes de prosseguir com a instalação.
Figura 70 Substituição da tampa ODO
7. Com um movimento no sentido dos ponteiros do relógio, aperte
a tampa nova do sensor sobre o conjunto da sonda, até ficar bem
apertado. O anel O deve ser comprimido entre a tampa do sensor
e a sonda. Não aperte demasiado a tampa do sensor e não utilize
qualquer ferramenta para o processo de instalação.
8. Após instalar a nova tampa do sensor, guarde o sensor em água
ou na câmara de armazenamento de ar saturada de água.
NOTA: Certifique-se de atualizar os coeficientes da tampa do
sensor ODO após a substituição.
54
Manutenção e Armazenamento
Atualizar os Coeficientes da Tampa do Sensor ODO
Depois de instalar uma tampa nova no sensor, conecte a sonda ao equipamento portátil e ligue o instrumento.
Localize a Etiqueta do Código de Calibração na Folha de Instruções da Tampa do Sensor ODO. Contém os códigos
de calibração para essa tampa específica do sensor. Siga os procedimentos abaixo para inserir os novos coeficientes
de calibração no instrumento.
1. Prima a tecla
para aceder ao menu do Sensor, e selecione Configuração e ODO.
2. Selecione Coeficientes da Tampa do Sensor.
3. Destaque um coeficiente de cada vez (K1 a KC) e utilize o ecrã de entrada numérica para inserir o novo
coeficiente correspondente da Etiqueta do Código de Calibração. Prima a tecla
inserção de dados e continue para a próxima seleção K.
ENTER
depois de cada
4. Depois de terem sido inseridos todos os novos coeficientes, selecione Atualizar Coeficientes da Tampa
do Sensor.
5. Aparecerá uma mensagem avisando que irá substituir os coeficientes atuais do sensor e deverá confirmar
que deseja executar esta ação. Selecione Sim para confirmar os novos coeficientes.
Depois de actualizar os Coeficientes, o número de série no menu da Tampa do Sensor será atualizado
automaticamente com base nos dados que inserir.
Se ocorrerem erros ao inserir os Coeficientes da Tampa do Sensor, o instrumento bloqueia a atualização e aparece
uma mensagem de erro no ecrã. Se vir esta mensagem de erro, volte a inserir os coeficientes e verifique-os
cuidadosamente.
NOTA: Após introduzir os coeficientes da tampa do sensor, o sensor ODO deve ser calibrado.
Manutenção e Armazenamento
55
4.8 Sensores de Trbidez e Total de Algas
Limpe a janela de deteção com um pano sem fiapos e não abrasivo
(Figura 71). Se necessário, use água com sabão.
O sensor pode ser armazenado húmido ou seco. Para armazenamento
a longo prazo, o YSI recomenda armazenar o sensor a seco. Instale a
tampa de transporte ou a proteção do sensor para evitar arranhões ou
danos na janela de deteção ótica.
Figura 71 Janela do sensor
4.9 Sensor de pH/ORP
Os sensores de pH e pH/ORP são enviados com as suas pontas num frasco contendo a solução de cloreto de potássio
(KCl). Guarde esta garrafa para armazenamento a longo prazo.
A manutenção periódica é necessária para eliminar a contaminação dos elementos de deteção. Os contaminantes
no bulbo e/ou junção podem retardar o tempo de resposta do sensor. Limpe os sensores quando depósitos,
bio-incrustações ou outras contaminações aparecerem no vidro ou quando o tempo de resposta do sensor estiver
consideravelmente lento. Existem vários métodos para limpar e restaurar o sensor, dependendo da gravidade da
incrustação ou contaminação.
Métodos de Limpeza
Limpeza Padrão
Lave o sensor com água da torneira de cada vez que é trazido do campo. Geralmente, isto é recomendado para
a maioria dos sensores e estojos de uso para eliminar a contaminação leve.
Se os contaminantes permanecerem ou o sensor exibir um tempo de resposta lento, continue com a limpeza avançada.
Limpeza Avançada
Para contaminação moderada ou resposta lenta após a limpeza avançada,
remova o sensor da antepara e siga estas instruções:
Figura 72 Limpeza de sensor de pH
e pH/ORP com detergente para loiça
1. Remova qualquer material estranho da ponta do sensor.
Se necessário, utilize um cotonete humedecido para remover
cuidadosamente o material estranho do bulbo de vidro e da
junção. Tenha cuidado para evitar o contacto direto com o bulbo
de vidro. As lâmpadas são frágeis e quebram se pressionadas
com força suficiente.
2. Deixe de molho durante 10 minutos numa solução suave de
água limpa e detergente para loiça (Figura 72). Lave o sensor
com água da torneira e inspecione.
Se os contaminantes forem removidos, conecte o sensor à antepara
e teste o tempo de resposta.
1 M HCl
56
Se os contaminantes permanecerem ou o tempo de resposta não
melhorar, continue com o ácido clorídrico (HCl) de molho.
Manutenção e Armazenamento
Manutenção e Armazenamento de Sensor pH/ORP (continuação)
Imersão Ácida
No caso de contaminação pesada ou resposta lenta após a limpeza
avançada, remova o sensor da antepara e siga estas instruções:
1 M HCl
Figura 73 Limpeza do sensor de pH
e pH/ORP com ácido clorídrico
Chlorine
1bleach
M HCl
1. Mergulhe o sensor durante 30 a 60 minutos em um molar (1 M)
de HCl (Figura 73). O reagente de HCl pode ser adquirido na
maioria dos distribuidores químicos ou laboratoriais. Para evitar
lesões, siga atentamente as instruções do fabricante de HCl.
Se o HCl não estiver disponível, mergulhe em vinagre branco.
2. Após a imersão, lave bem o sensor com água da torneira.
Mergulhe o sensor em água corrente limpa durante 60 minutos,
mexendo ocasionalmente. Finalmente, lave o sensor novamente
com água da torneira.
Conecte o sensor à antepara e teste o tempo de resposta. Se o tempo
de resposta não melhorar ou houver suspeita de contaminação
biológica da junção de referência, continue mergulhando em lixívia
à base de cloro.
Limpeza com Lixívia
Se houver suspeita de contaminação biológica da junção de referência
ou se uma boa resposta não for restaurada pelos métodos anteriores,
remova o sensor da antepara e siga estas instruções:
Lixívia
Chlorine
cloro
bleach
Figura 74 Limpeza do sensor de pH
e pH/ORP com lixívia à base de cloro
1. Mergulhe o sensor durante 60 minutos numa diluição de 1:1
de lixívia à base de cloro e água da torneira.
2. Após a imersão, lave bem o sensor com água da torneira.
Mergulhe o sensor em água limpa da torneira durante 60 minutos.
Finalmente, lave o sensor novamente com água da torneira.
Conecte o sensor à antepara e teste o tempo de resposta. Se o tempo
de resposta não melhorar, o sensor pode estar a chegar ao fim da sua
vida útil.
Armazenamento a Curto Prazo:
Quando em utilização de campo regular, os sensores pH-pH/ORP devem
permanecer na antepara com o copo de calibração/armazenamento
instalado. Coloque uma pequena quantidade de água da torneira ou
de superfície no copo antes de armazenar ou transportar. As sondas
devem ser mantidas nesta câmara de ar saturada de água entre as
utilizações; não submerso (Figura 75). Certifique-se de que o copo
de armazenamento faz uma conexão firme para evitar a evaporação.
Figura 75 Armazenamento a curto
prazo de pH e pH/ORP
Manutenção e Armazenamento
57
Manutenção e Armazenamento de Sensor pH/ORP (continuação)
Armazenamento a Longo Prazo:
Remova o sensor da antepara e conecte a porta da antepara. Insira
a ponta do sensor no frasco de armazenamento e na solução que
foram originalmente fornecidos com o sensor (Figura 76). O frasco de
armazenamento possui uma tampa aberta e anilha para formar uma
vedação apertada em torno da ponta do sensor; a solução contém KCl
com ftalato de potássio e um conservante. Se esta solução original não
estiver disponível, pode-se preparar uma solução de KCl 2 M ou utilizar
a solução tampão pH 4 como alternativa, embora essas soluções devam
ser monitorizadas relativamente ao crescimento microbiano e substituídas
se o crescimento for visível. Outros sensores e componentes do sistema
não devem ser armazenados ou expostos a essas soluções tampão de pH
durante longos períodos de tempo.
Figura 76 Armazenamento a Longo
Prazo de pH e pH/ORP
AVISO: NÃO deixe o sensor secar. NÃO armazene o sensor
em água destilada ou desionizada. Qualquer um deles
reduzirá radicalmente a vida útil do módulo do sensor,
anulando a garantia.
Módulo do Sensor
Os sensores de pH e pH/ORP possuem módulos de sensores substituíveis pelo utilizador. Estes módulos contêm uma
solução de referência que se esgota com o tempo. O período de garantia para ambos os módulos é de 12 meses:
• Substituição do Módulo de pH [SKU: 626963] = 12 meses
• Substituição de Módulo de pH/ORP 626964] = 12 meses
Dependendo das práticas de utilização e armazenamento, o módulo pode durar mais do que o período de garantia.
Substitua o módulo se o sensor exibir um tempo de resposta lento após tentar todos os métodos de limpeza listados
acima.
58
Manutenção e Armazenamento
4.10 Sensor ISE
Os sensores ISE são enviados com as suas pontas num frasco de armazenamento. Guarde esta garrafa para
armazenamento a longo prazo.
Não deixe as junções dos elétrodos de referência do sensor ISE secarem. Limpe os sensores quando depósitos,
incrustações biológicas ou outras contaminações aparecerem na membrana.
Manutenção do Sensor de Amónio e Nitrato
1. Limpe cuidadosamente o sensor de amónio ou nitrato lavando
com água desionizada seguida de imersão na solução de
calibração de alto padrão.
2. Segure cuidadosamente o sensor com um pano limpo
e sem fiapos.
Figura 77 Manutenção de amónio
e nitrato
AVISO: As membranas seletivas de iões são muito frágeis. Não
utilize material áspero (por exemplo, toalhas de papel)
para limpar as membranas. Caso contrário, podem ocorrer
danos permanentes no sensor. A única exceção é o pano
de esmeril fino no sensor de cloreto.
Manutenção do Sensor de Cloreto
1. Limpe cuidadosamente o sensor de cloreto, polindo
cuidadosamente com papel de esmeril fino, em movimentos
circulares, para remover depósitos ou descoloração.
2. Lave cuidadosamente com água desionizada para remover
qualquer resíduo.
Figura 78 Manutenção de cloreto
Armazenamento a Curto Prazo:
Quando em uso de campo regular, os ISE devem permanecer na
antepara com o copo de calibração/armazenamento instalado. Coloque
uma pequena quantidade de água da torneira ou de superfície no copo
antes de armazenar ou transportar. As sondas devem ser mantidas
nesta câmara de ar saturada de água entre utilizações; não submersas.
Certifique-se de que o copo de armazenamento faz uma conexão firme
para evitar a evaporação (Figura 79).
Figura 79 Armazenamento ISE
a curto prazo
Manutenção e Armazenamento
59
IManutenção e Armazenamento de Sensor ISE (continuação)
Armazenamento a Longo Prazo:
Remova o sensor da antepara e conecte a porta da antepara. Insira
a ponta do sensor no frasco de armazenamento com uma pequena
quantidade de solução de alta calibração ou água da torneira. A ponta
do sensor não deve ser submersa. O frasco de armazenamento possui
uma tampa aberta e anilha para formar uma vedação apertada em torno
da ponta do sensor (Figura 80).
Figura 80 Armazenamento ISE a
longo prazo
AVISO: NÃO deixe o sensor secar. NÃO armazene o sensor ISE
no padrão de condutividade, solução tampão de pH ou
água salgada. Qualquer um deles reduzirá drasticamente
a vida útil ou fará com que o módulo do sensor queime,
anulando a sua garantia.
Reidratar a Junção de Referência
Se um sensor ISE for deixado a secar, mergulhe o sensor durante várias
horas (de preferência à noite) na solução de alta calibração do sensor.
Se o sensor for irreparavelmente danificado, o módulo do sensor deve
ser substituído.
Módulo do Sensor
Os sensores de amónio, cloreto e nitrato apresentam módulos de sensores substituíveis pelo utilizador. Estes módulos
contêm uma solução de referência que se esgota com o tempo. O período de garantia para os módulos ISE é de
6 meses:
• Substituição do Módulo de Nitrato [SKU: 626965] = 6 meses
• Substituição do Módulo de Amónio [SKU: 626966] = 6 meses
• Substituição do Módulo de Cloreto [SKU: 626967] = 6 meses
Dependendo das práticas de utilização e armazenamento, o módulo pode durar mais do que o período de garantia.
Quando chegar o momento, faça a substituição do módulo do sensor num ambiente de laboratório limpo e seco.
60
Manutenção e Armazenamento
Substituição do Módulo do Sensor
4.11 ProDSS
Todos os módulos do sensor para pH, pH/ORP, nitrato, amónio e cloreto necessitam de substituição periódica.
Faça a substituição do módulo do sensor num ambiente de laboratório limpo e seco. Remova o sensor da antepara
e siga estas instruções:
Substituição do Módulo
1. Descole e descarte o autocolante que cobre a junção da estrutura
do sensor e do módulo (Figura 81).
2. Com uma pequena chave de fenda, retire cuidadosamente
o plugue quadrado de borracha da ranhura no anel de plástico
rígido, na base do módulo do sensor.
3. Aperte com dois dedos o anel de plástico rígido do módulo
do sensor para que este comprima a folga deixada pelo plugue
de borracha.
4. Ao apertar, puxe firmemente o módulo do sensor da estrutura do
sensor, rodando ligeiramente, se necessário. Não guarde os anéis
de vedação utilizados, pois estes não podem ser utilizados após
a remoção da estrutura do sensor. Descarte o módulo do sensor
antigo.
5. Verifique se a porta do conector do sensor apresenta detritos
ou humidade. Caso sejam detectados, limpe com um pano que
não liberte pelos ou um jato ligeiro de ar comprimido.
6. O novo módulo do sensor vem com dois anéis vedantes
instalados e pré-lubrificados. Verifique visualmente se os dois
novos anéis vedantes apresentam golpes, rasgões, contaminantes
ou partículas. Descarte os anéis vedantes danificados.
AVISO: Se um módulo de sensor for removido por qualquer
motivo, os anéis vedantes devem ser substituídos.
7. Alinhe os pinos da base do módulo do sensor com as ranhuras
da estrutura do sensor. O módulo do sensor está preparado para
inserir numa única orientação. Carregue firmemente o módulo do
sensor na respetiva posição até ouvir um clique. Limpe qualquer
excesso de lubrificante do anel vedante dos componentes
montados.
8. Envolva a junção do módulo do sensor e a estrutura do sensor
com o novo autocolante incluído no kit do módulo do sensor.
O autocolante ajuda a manter limpa a junção do módulo do
sensor e retém o plugue de borracha durante o funcionamento.
9. Escreva a data de substituição no autocolante.
Figura 81 Substituição do módulo
do sensor
Manutenção e Armazenamento
NOTA: Certifique-se de que calibra o sensor após a substituição
do módulo.
61
5. Software KorDSS
5.1 Introdução
O software e drivers KorDSS requerem permissões para uma instalação bem-sucedida. Podem ser necessários
privilégios administrativos para um negócio ou PC em rede. Entre em contacto com o departamento de TI da
sua organização para obter privilégios de administrador.
Requisitos do Sistema
Sistemas operativos Microsoft de 32 bits (x86) e 64 bits (x64) suportados:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Microsoft Windows 7 Home Basic SP1
Microsoft Windows 7 Home Premium SP1
Microsoft Windows 7 Professional SP1
Microsoft Windows 7 Enterprise SP1
Microsoft Windows 7 Ultimate SP1
Microsoft Windows 8 Home Basic
Microsoft Windows 8 Home Premium
Microsoft Windows 8 Professional
Microsoft Windows 8 Enterprise
Microsoft Windows 8.1 Basic
Microsoft Windows 8.1 Professional
Microsoft Windows 8.1 Enterprise
Microsoft Windows 10 Home
Microsoft Windows 10 Professional
Microsoft Windows 10 Enterprise
Microsoft Windows 10 Education
Requisito de memória Ram:
• Mínimo de 2 GB de RAM instalada
Espaço livre no disco rígido:
• Mínimo de 500 MB de espaço livre no disco rígido
Acesso à Internet necessário para suporte:
• Atualizações de software e dispositivo, licenciamento de software
62
Instalação de Software KorDSS
5.2 Instalar o Driver e o Software
Siga estas instruções para concluir o processo de instalação e estabelecer
a ligação com o equipamento portátil:
NOTA: Certifique-se de que você instalou o driver antes de ligar
o equipamento portátil ao seu PC pela primeira vez.
1. Insira a pen USB fornecido numa porta USB do seu computador.
2. Dependendo do sistema operativo do PC e das definições do
sistema, pode aparecer o Guia de Instalação KorDSS. Se não
aparecer, abra a pen USB no Windows Explorer e clique duas vezes
em Start.exe para iniciar o guia de instalação Figura 82 mostra
como o guia de instalação aparecerá assim que for iniciado.
Figura 82 Guia de Instalação KorDSS
3. Clique em Instalar Driver no Guia de Instalação KorDSS.
Selecione Instalar o driver nos ecrãs que se seguem (Figura 83).
4. Após o driver ter sido instalado, opte por Voltar ao Guia de
Instalação KorDSS (Figura 84).
5. No Guia de Instalação KorDSS, clique em Instalar Aplicação
KorDSS. Um contrato de licença aparecerá (Figura 85).
Figura 83 Guia de Instalação
do Driver ProDSS
6. Você pode ser questionado sobre se deseja permitir que um
programa de um editor desconhecido efetue alterações no
computador. Se sim, selecione Sim.
7. Após a instalação bem-sucedida do KorDSS, clique em Iniciar
para iniciar o programa (Figura 86).
Figura 84 Botão voltar
8. Ligue o medidor portátil ao PC com o cabo USB fornecido.
9. Ligue o equipamento portátil e clique em Ligar quando aparecer
no Painel de Ligação do Instrumento; pode ocorrer um pequeno
atraso antes de aparecer no software.
Figura 85 Contrato de licença KorDSS
Figura 86 Iniciar KorDSS
Instalação de Software KorDSS
63
6. Acessórios
6.1 Encomendas
Telefone: 800 897 4151 (EUA)
+1 937 767 7241 (Globalmente) De segunda a sexta
8:00 às 17:00 ET
Fax: +1 937 767 9353 (encomendas)
E-mail: [email protected]
Correio Postal: YSI Incorporated 1725 Brannum Lane
Yellow Springs, OH 45387 EUA
Web: Visite YSI.com para solicitar peças de reposição, acessórios e soluções de calibração.
Ao fazer um pedido, tenha os seguintes itens à mão:
1. Número de conta da YSI (se disponível)
2. Nome e número de telefone
3. Ordem de compra ou número do cartão de crédito
4. Número do modelo ou breve descrição do mesmo
5. Endereços de facturação e envio
6. Quantidade
64
Acessórios
Portáteis ProDIGITAL
# do Item YSI
626650
Descrição
Equipamento portátil ProSolo, sem GPS, não compatível com conjuntos de cabos de 4 portas ProDSS
626870-1
Equipamento portátil ProDSS, sem GPS
626870-2
Equipamento portátil ProDSS com GPS
Conjuntos de Sondas ProDIGITAL
NOTA: As tampas dos sensores ODO e OBOD vêm pré-instaladas nos seguintes conjuntos de sondas,
com coeficientes de calibração da tampa do sensor pré-carregados na sonda na fábrica.
YSI Item #
Descrição
Sondas Óticas de Oxigénio Dissolvido e Sondas de Temperatura
627200-1
Montagem da Sonda ODO/T, 1m
627200-4
Montagem da Sonda ODO/T, 4m
627200-10
Montagem da Sonda ODO/T, 10m
627200-20
Montagem da Sonda ODO/T, 20m
627200-30
Montagem da Sonda ODO/T, 30m
627200-50
Montagem da Sonda ODO/T, 50m
627200-100
Montagem da Sonda ODO/T, 100m
Sondas Óticas de Oxigénio Dissolvido, Sondas de Condutividade e Sondas de Temperatura
627150-1
Montagem da Sonda ODO/CT, 1m
627150-4
Montagem da Sonda ODO/CT, 4m
627150-10
Montagem da Sonda ODO/CT, 10m
627150-20
Montagem da Sonda ODO/CT, 20m
627150-30
Montagem da Sonda ODO/CT, 30m
627150-50
Montagem da Sonda ODO/CT, 50m
627150-100
Montagem da Sonda ODO/CT, 100m
Sondas Óticas de Demanda de Oxigénio Bioquímico com Agitação Automática
626400
Montagem da sonda ProOBOD (sonda de laboratório BOD); versão dos EUA/Japão com
fonte de alimentação
626401
Montagem da sonda ProOBOD (sonda de laboratório BOD); versão internacional com fonte
de alimentação
Acessórios
65
Conjuntos de Cabos de 4 Portas ProDSS (Sem Sensores Incluídos)
YSI Item #
Descrição
626909-1
Conjunto de cabos de 4 portas de 1 metro ProDSS, sem profundidade
626909-4
Conjunto de cabos de 4 portas de 4 metros ProDSS, sem profundidade
626909-10
Conjunto de cabos de 4 portas de 10 metros ProDSS, sem profundidade
626909-20
Conjunto de cabos de 4 portas de 20 metros ProDSS, sem profundidade
626909-30
Conjunto de cabos de 4 portas de 30 metros ProDSS, sem profundidade
626909-40
Conjunto de cabos de 4 portas de 40 metros ProDSS, sem profundidade
626909-50
Conjunto de cabos de 4 portas de 50 metros ProDSS, sem profundidade
626909-60
Conjunto de cabos de 4 portas de 60 metros ProDSS, sem profundidade
626909-70
Conjunto de cabos de 4 portas de 70 metros ProDSS, sem profundidade
626909-80
Conjunto de cabos de 4 portas de 80 metros ProDSS, sem profundidade
626909-90
Conjunto de cabos de 4 portas de 90 metros ProDSS, sem profundidade
626909-100
Conjunto de cabos de 4 portas de 100 metros ProDSS, sem profundidade
626910-1
Conjunto de cabos de 4 portas de 1 metro ProDSS, com profundidade
626910-4
Conjunto de cabos de 4 portas de 4 metros ProDSS, com profundidade
626910-10
Conjunto de cabos de 4 portas de 10 metros ProDSS, com profundidade
626911-20
Conjunto de cabos de 4 portas de 20 metros ProDSS, com profundidade
626911-30
Conjunto de cabos de 4 portas de 30 metros ProDSS, com profundidade
626911-40
Conjunto de cabos de 4 portas de 40 metros ProDSS, com profundidade
626911-50
Conjunto de cabos de 4 portas de 50 metros ProDSS, com profundidade
626911-60
Conjunto de cabos de 4 portas de 60 metros ProDSS, com profundidade
626911-70
Conjunto de cabos de 4 portas de 70 metros ProDSS, com profundidade
626911-80
Conjunto de cabos de 4 portas de 80 metros ProDSS, com profundidade
626911-90
Conjunto de cabos de 4 portas de 90 metros ProDSS, com profundidade
626911-100
Conjunto de cabos de 4 portas de 100 metros ProDSS, com profundidade
Sensores ProDSS (para Conjuntos de Cabos de 4 Portas)
YSI Item #
66
Descrição
626900
Sensor ótico de oxigénio dissolvido
626902
Sensor de condutividade e temperatura
626901
Sensor de turbidez
626903
Sensor pH com módulo
626904
Sensor pH/ORP com módulo
626906
Sensor de amónio com módulo
626905
Sensor de nitrato com módulo
626907
Sensor de cloreto com módulo
626210
Sensor de total de algas, PC
626211
Sensor de total de algas, PE
Acessórios
Substituição dos Módulos do Sensor e Tampas do Sensor ODO
YSI Item # Descrição
626890
Substituição da tampa do sensor de Oxigénio Dissolvido Ótico ProDSS (para sensor inteligente 626900)
626482
Substituição da tampa do sensor de Oxigénio Dissolvido Ótico ProOBOD (para sondas de laboratório
626400 ou 626401)
627180
Substituição da Tampa do Sensor ODO de Garantia Alargada (compatível apenas com conjuntos
de sondas ODO/T e ODO/CT)
626963
Substituição do módulo do sensor pH ProDSS
626964
Substituição do módulo do sensor pH/ORP ProDSS
626966
Substituição do módulo do sensor de Amónio ProDSS
626965
Substituição do módulo do sensor de Nitrato ProDSS
626967
Substituição do módulo do sensor de Cloreto ProDSS
Soluções padrão de Calibração
YSI Item # Descrição
065270
Solução padrão de condutividade, 1.000 μmhos/cm (quarto, vidro); ideal para água doce
065272
Solução padrão de condutividade, 10.000 μmhos/cm (quarto, vidro); ideal para água salobra
065274
Solução padrão de condutividade, 10.000 μmhos/cm (quarto, vidro); ideal para água salgada supersaturada
060907
Solução padrão de condutividade, 1.000 μmhos/cm (caixa de 8 copos individuais de plástico);
ideal para água doce
060906
Solução padrão de condutividade, 1.413 μmhos/cm, ± 1%, 0,01 M KCl (caixa de 8 copos
individuais de plástico)
060911
Solução padrão de condutividade, 10.000 μmhos/cm (caixa de 8 copos individuais de plástico);
ideal para água salobra
060660
Solução padrão de condutividade, 50.000 μmhos/cm (caixa de 8 copos individuais de plástico);
ideal para água salgada
061320
Solução padrão ORP (mV), solução Zobell, em pó - precisa de hidratação (frasco de 125 mL, plástico)
061321
Solução padrão ORP (mV), solução Zobell, em pó - precisa de hidratação (frasco de 250 mL, plástico)
061322
Soluçaõ padrão ORP (mV), solução Zobell, em pó - precisa de hidratação (frasco de 500 mL, plástico)
003821
Solução tampão de pH 4 (caixa de 6 copos individuais, plástico); ideal para solução de armazenamento
para sensor de pH
003822
Solução tampão de pH 7 (caixa de 6 copos individuais, plástico)
003823
Solução tampão de pH 10 (caixa de 6 copos individuais, plástico)
603824
Estojo sortido de soluções tampão de pH 4, 7 e 10 (2 copos individuais de cada solução tampão, plástico)
005580
Solução de confiança para verificar a condutividade, pH e sistema ORP (caixa de 6 garrafas individuais
de 475 mL, de plástico). Nota: Nota para calibração
003841
Solução padrão de amónio, 1 mg/L (500 mL, plástico)
003842
Solução padrão de amónio, 10 mg/L (500 mL, plástico)
003843
Solução padrão de amónio, 100 mg/L (500 mL, plástico)
003885
Solução padrão de nitrato, 1 mg/L (500 mL, plástico)
003886
Solução padrão de nitrato, 10 mg/L (500 mL, plástico)
003887
Solução padrão de nitrato, 100 mg/L (500 mL, plástico)
608000
Solução padrão de turbidez, 0 FNU (1 galão, plástico)
607200
Solução padrão de turbidez, 12,4 FNU (1 galão, plástico)
607300
Solução padrão de turbidez, 124 FNU (1 galão, plástico)
607400
Solução padrão de turbidez, 1010 FNU (1 galão, plástico)
Acessórios
67
Acessórios ProDIGITAL
YSI Item #
68
Descrição
626946
Estojo de transporte grande com laterais rígidas (ajusta-se aos cabos de 4 portas ProDSS de 10, 20
e 30 metros de comprimento, kit de gestão de cabos, equipamento portátil e acessórios)
603075
Estojo de transporte grande com laterais acolchoadas
626945
Estojo de transporte pequeno e resistente (ajusta-se aos cabos de 4 portas ProDSS de 1 e 4 metros
de comprimento, equipamento portátil, célula de fluxo e acessórios)
599080
Célula de fluxo para cabos de 4 portas ProDSS
603076
Célula de fluxo para cabos ODO/CT (requer adaptador de porta única; 603078)
603078
Adaptador necessário para célula de fluxo ODO/CT (603078)
603056
Espigão de montagem da célula do fluxo
063507
Tripé (aparafusa-se na parte de trás do medidor)
063517
Grampo ultra (aparafusa-se na parte de trás do medidor)
603070
Correia do ombro
603069
Clipe para cinto (aparafusa-se na parte de trás do medidor)
626942
Carregador de carro USB
626943
Conjunto de bateriaa de iões de lítio, pequeno, externo e recarregável (desempenho típico:
carrega uma bateria do equipamento portátil totalmente descarregada em cerca de 50%)
626944
Bateria de iões de lítio, grande, externa e recarregável (desempenho típico: carrega uma bateria
totalmente descarregada até a carga completa e tem capacidade para carregar uma segunda
bateria até 20%)
626940
Carregador AC (EUA). Inclui fonte de alimentação e cabo USB (incluído com o equipamento portátil)
626941
Carregador AC (internacional). Inclui fonte de alimentação, cabo USB e adaptadores de tomada
(incluídos com o equipamento portátil)
626846
Substituição de bateria de iões de lítio
626969
Pen USB (incluída com o equipamento portátil)
626991
Cabo para carregamento e ligação a PC (incluído com 626940 e 626941)
626992
Cabo para ligação a drive USB (incluído com o equipamento portátil)
626990
Kit de manutenção ProDSS (incluído com todos os cabos de 4 portas ProDSS):
• 3 plugues de porta
• 1 tubo de lubrificante de anel vedante
• 1 escova
• 1 seringa
• 1 ferramenta de instalação/remoção do sensor
• Anéis vedantes (6)
626919
Proteção do sensor para conjuntos de cabos de 4 portas ProDSS (incluído com todos os cabos
de 4 portas)
599786
Copo de calibração/armazenamento para conjuntos de cabos de 4 portas ProDSS (incluído com
todos os cabos de 4 portas ProDSS)
627195
Copo de calibração para conjunto de cabos ODO/CT (incluído com todos os cabos ODO/CT)
603062
Kit de gestão de cabos (incluído com cabos de 4 portas ProDSS de 10, 20 e 30 metros de
comprimento; cabos ODO/CT de 4, 10, 20 e 30 metros de comprimento; e cabos ODO/T de 4,
10, 20 e 30 metros de comprimento)
626918
Peso de 1 lb (incluído com cabos de 4 portas ProDSS de 10 metros e maiores)
605978
Peso de 4,9 oz
Acessórios
7. Segurança e Assistência
7.1
Bateria Recarregável de Iões de Lítio
Avisos e Precauções de Segurança
A
ATENÇÃO: O incumprimento dos avisos e precauções de segurança pode causar incêndios, lesões e/ou
danos no equipamento não cobertos pela garantia.
A
ATENÇÃO: Caso o fluido interno da bateria entre em contacto com a pele, lave a(s) área(s) afetada(s) com
água e sabão imediatamente. Se entrar em contacto com os seus olhos, lave-os com uma
quantidade generosa de água durante 15 minutos e procure aconselhamento médico imediato.
A
ATENÇÃO: Mantenha as pilhas afastadas de crianças.
A
ADVERTÊNCIA: Se ocorrer a situação improvável de uma bateria de iões de lítio se incendiar, NÃO tente
apagar o fogo com água, utilize antes um extintor de Classe A, B ou C.
Sim:
•
•
•
•
•
•
Guarde a bateria numa zona fresca, seca e ventilada.
Guarde a bateria dentro de uma caixa não-condutiva e à prova de fogo.
Guarde a bateria com aproximadamente 50% da capacidade.
Desligue a bateria quando não a estiver a utilizar e durante um armazenamento a longo prazo.
Siga as normas e os regulamentos aplicáveis para transporte e envio de baterias.
Descontinue imediatamente a utilização da bateria se, ao utilizar, carregar ou armazenar, a bateria:
• Emitir um odor invulgar
• Ficar quente
• Mudar de cor
• Mudar de formato
• Parecer anormal de alguma outra forma.
Precauções Gerais com o Conjunto de Baterias:
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
NÃO coloque a bateria junto de fogo, nem a aqueça.
NÃO ligue o terminal positivo e negativo da bateria um ao outro com qualquer objecto metálico (por ex., arame).
NÃO transporte ou armazene a bateria com colares, ganchos de cabelo ou outros objectos metálicos.
NÃO transporte ou armazene a bateria com materiais perigosos ou combustíveis.
NÃO perfure a bateria com pregos, nem a atinja com um martelo, nem pise sobre ela ou sujeite de alguma forma
a bateria a fortes impactos ou choques.
NÃO solde directamente sobre a bateria.
NÃO exponha a bateria a água ou água salgada, nem a deixe ficar molhada.
NÃO desmonte ou modifique a bateria. A bateria contém dispositivos de protecção e segurança que, se forem
danificados, podem fazer com que a mesma aqueça, rompa ou entre em ignição.
NÃO coloque a bateria por cima ou junto de fogo, fornos ou outras zonas de elevadas temperaturas.
NÃO coloque a bateria sob luz solar direta ou temperaturas extremas durante longos períodos de tempo, nem
guarde a bateria dentro de carros quando estiver calor. Fazê-lo poderá causar calor, ruptura ou a ignição da
bateria. Utilizar a bateria desta forma causará uma perda de desempenho e uma diminuição da sua duração.
NÃO coloque a bateria em fornos microondas, contentores de alta pressão ou num fogão de indução.
NÃO envie baterias danificadas ou potencialmente avariadas para a YSI ou qualquer um dos nossos centros
de assistência autorizados, salvo se lhe for indicado em contrário. Devem ser consultadas todas as leis
de embarque federais e internacionais, antes de enviar baterias de iões de lítio.
Segurança e Assistência
69
Carregar/Descarregar/Manipular a Bateria
A
ADVERTÊNCIA: O incumprimento das instruções de carregar/descarregar a bateria pode causar calor, ruptura
ou a ignição da mesma, e graves lesões e/ou danos no equipamento.
A
ADVERTÊNCIA: Carregue a bateria somente com dispositivos de carregamento especificamente concebidos
para o equipamento portátil ProDIGITAL pela YSI. A utilização de carregadores não aprovados
pode causar a falha da bateria e lesões potencialmente graves para o utilizador.
Se, em qualquer altura, a bateria ficar danificada, quente ou começar a insuflar ou inchar, descontinue o carregamento
(ou descarregamento) imediatamente. Desligue o carregador de forma rápida e segura. A seguir, coloque a bateria e/
ou o carregador numa área aberta e segura, afastada de materiais inflamáveis. Depois de uma hora de observação,
ponha a bateria fora de serviço. NÃO continue a manipular ou tentar utilizar, nem envie a bateria.
As baterias danificadas ou inchadas podem estar instáveis ou muito quentes. NÃO toque nas baterias até terem
arrefecido. Em caso de incêndio, utilize um extintor de Classe A, B, ou C. NÃO utilize água.
• NÃO ligue a bateria a uma tomada de alimentação de corrente ou diretamente à tomada de isqueiro de um veículo.
• NÃO coloque a bateria sobre fogo ou na proximidade do mesmo, ou sob exposição direta prolongada à luz do
sol. Se a bateria ficar quente, o equipamento de segurança integrado é ativado, evitando que a bateria
continue a carregar. Aquecer a bateria pode destruir o equipamento de segurança e causar aquecimento
adicional, ruptura ou ignição.
• NÃO deixe a bateria a carregar sem vigilância.
AVISO: O intervalo de temperatura ambiente a que a bateria pode ser descarregada é de -20°C a 60°C
(-4°F a 140°F). A utilização da bateria fora deste intervalo de temperatura pode danificar o desempenho
da bateria ou reduzir a sua duração.
• NÃO descarregue a bateria com qualquer outro dispositivo para além do portátil ProDIGITAL. Se a bateria for
utilizada noutros dispositivos, o seu desempenho pode ser danificado e a sua duração pode ser reduzida.
A utilização de um dispositivo não aprovado para descarregar a bateria pode causar o fluxo de uma corrente
anormal, fazendo com que a bateria aqueça, entre em ruptura ou em ignição, e cause lesões graves.
• NÃO deixe a bateria a descarregar sem vigilância.
Eliminação da Bateria
Quando a bateria estiver gasta, isole os terminais com fita adesiva ou materiais similares antes da eliminação.
A eliminação da bateria deve ser efetuada da forma exigida pela sua cidade, concelho, distrito ou país. Para detalhes
sobre a reciclagem de baterias de iões de lítio, contacte uma agência de reciclagem governamental, os serviços
de tratamento de resíduos ou consulte fontes de reciclagem conceituadas online, como www.batteryrecycling.com.
Este produto não deve ser eliminado juntamente com outros resíduos. Ao invés, é da responsabilidade do utilizador
eliminar o seu equipamento depositando-o num ponto de recolha designado para reciclagem de equipamento
elétrico e eletrónico. A recolha separada e a reciclagem do seu equipamento para eliminação ajudarão a conservar
os recursos naturais e a garantir que ele seja reciclado de uma forma que proteja a saúde humana e o ambiente.
Para mais informações sobre onde pode depositar o seu equipamento para reciclagem, contacte os serviços do seu
município ou os serviços de tratamento de resíduos locais. NÃO envie baterias para a YSI ou para um centro de
serviços autorizados da YSI, a menos que seja instruído para o fazer.
Contacte os Serviços de Apoio Técnico da YSI, através do número (937) 767-7241, se tiver questões adicionais.
70
Segurança e Assistência
7.2 Informações de Assistência
A YSI possui centros de assistência autorizados nos Estados Unidos e internacionalmente. Para obter informações
acerca do centro de assistência mais próximo, visite www.ysi.com e clique em ‘Suporte’ ou contacte a Assistência
Técnica da YSI diretamente através do número 800-897-4151 (+1 937-767-7241).
Ao devolver um produto para fins de assistência, inclua o formulário de Devolução do Produto (Product Return)
juntamente com a certificação de limpeza. O formulário deve ser completamente preenchido por um Centro de
Assistência da YSI para aceitar o instrumento para reparação. O formulário pode ser obtido em YSI.com.
7.3 Assistência Técnica
Telefone: 800 897 4151 (EUA)
+1 937 767 7241 (globalmente) de segunda a sexta, das 08:00 às 17:00 ET
Fax: +1 937 767 9353 (encomendas)
E-mail: [email protected]
Correio Postal: YSI Incorporated 1725 Brannum Lane Yellow Springs, OH 45387 USA
Internet: YSI.com
Segurança e Assistência
71
7.4 Declaração de conformidade
O abaixo-assinado declara por este meio em nome do fabricante indicado sob nossa única responsabilidade de que
o produto listado está em conformidade com os requisitos da(s) Directiva(s) do Conselho Europeu listada(s) e
transporta a marca CE de maneira correspondente.
Fabricante:
YSI Incorporated
1725 Brannum Lane
Yellow Springs, OH 45387
EUA
Nome do produto:
ProDSS, ProSolo
Em conformidade com o seguinte:
Directivas:
EMC 2004/108/EC
RoHS 2011/65/EU
WEEE 2012/19/EU
Normas
harmonizadas:
EN61326-1:2013 (IEC 61326-1:2012)
IEC 61000-3-2:2005 +A1:2008+A2:2009
IEC 61000-3-3:2008
Informação
suplementar:
Todo o desempenho cumpre com os critérios de funcionamento da seguinte maneira:
1. ESD, IEC 61000-4-2:2008
2. Imunidade Irradiada, IEC 61000-4-3:2006 +A1:2007+A2:2010
3. Transiente Rápido Elétrico (EFT), IEC 61000-4-4:2004 +A1:2010
4. Imunidade a Surtos, IEC 61000-4-5:2005
5. Frequência de Rádio, Imunidade Contínua Conduzida, EC61000-4-6:2008
6. IEC 61000-4-8:2009
7. IEC 61000-4-11:2004
Representante
autorizado na UE
Xylem Analytics UK Ltd
Unit 2 Focal Point, Lacerta Court, Works Road
Letchworth, Hertfordshire, SG6 1FJ, Reino Unido
Assinado: Lisa M. Abel
Cargo: Diretor de Qualidade
72
Data: 16 de março de 2018
Segurança e Assistência
Por meio desta o abaixo-assinado declara que, em nome do fabricante designado, sob nossa única responsabilidade,
que o produto indicado está em conformidade com os requisitos para equipamento elétrico, ao abrigo da FCC Parte
15 e ICES-003 para radiadores não intencionais.
Fabricante:
YSI Incorporated
1725 Brannum Lane
Yellow Springs, OH 45387
EUA
Nome do produto:
Instrumento do Sistema de Amostragem Digital Profissional
Números de modelo
Instrumento/Acessório: ProDSS sem GPS (626870-1) / ProDSS GPS (626870-2), ProSolo (626650)
Conjuntos de sonda/
cabo:
626909-1, 626909-4, 626909-10, 626909-20, 626909-30, 626909-40, 626909-50,
626909-60, 626909-70, 626909-80, 626909-90, 626909-100, 626910-1, 626910-4,
626910-10, 626911-20, 626911-30, 626911-40, 626911-50, 626911-60, 626911-70,
626911-80, 626911-90, 626911-100
627200-1, 62700-4, 627200-10, 627200-20, 627200-30, 627200-50, 627200-100
627150-1, 627150-4, 627150-10, 627150-20, 627150-30, 627150-50, 627150-100
626250-1, 626250-4, 626250-10, 626250-20, 626250-30, 626250-40, 626250-50,
626250-60, 626250-70, 626250-80, 626250-90, 626250-100
626400, 626401
Sensores:
626900, 626902, 626901, 626903, 626904, 626906, 626905, 626907, 626210, 626211
Em conformidade com o seguinte:
Normas:
• FCC 47 CFR Parte 15-2008, Subparte B, Classe B, Dispositivos de Frequência de Rádio
• ICES-003:2004, Aparelho Digital
Informação
Suplementar:
Testado utilizando ANSI C63.4-2003 (excluindo as secções 4.1, 5.2, 5.7, 9, e 14)
Assinado: Lisa M. Abel
Cargo: Director de Qualidade
Segurança e Assistência
Data: 16 de março de 2018
73
7.5 Garantia
Os medidores portáteis da Série Digital Profissional (ProDIGITAL) da YSI têm uma garantia de 3 (três) anos, a partir
da data de compra pelo utilizador final, contra defeitos de material e mão-de-obra. Os cabos e sensores digitais
(ProDSS de 4 portas, ODO/CT, ODO/T e ProOBOd) têm uma garantia de 2 (dois) anos, a partir da data de compra
pelo utilizador final, contra defeitos de material e mão-de-obra. A Tampa do Sensor ODO com Extensão de Garantia
(627180) para os conjuntos de cabos ODO/T e ODO/CT tem uma garantia de 2 (dois) anos, a partir da data de
compra pelo utilizador final, contra defeitos de material e mão-de-obra. Os módulos do sensor ProDSS de pH e
pH/ORP, as tampas do sensor ótico ODO (todas exceto a tampa 627180 mencionada anteriormente) e a bateria
de iões de lítio têm uma garantia de 1 (um) ano, a partir da data da compra pelo utilizador final, contra defeitos de
material e mão-de-obra; os módulos do sensor ISE ProDSS (amónio, nitrato e cloreto) têm garantia durante 6 meses.
Os sistemas ProDIGITAL (instrumento, cabos e sensores) têm uma garantia de 1 (um) ano (excluindo os módulos
do sensor), a partir da data de compra pelo utilizador final, contra defeitos de material e mão-de-obra, quando
adquiridos por agências de arrendamento para fins de arrendamento. Durante o período de garantia, a YSI
procederá à reparação ou substituição, a título discricionário e de forma gratuita, de qualquer produto que a YSI
determine estar abrangido por esta garantia.
Para reclamar esta garantia, contacte o seu representante local da YSI ou o Serviço de Apoio ao Cliente da YSI, em
Yellow Springs, Ohio, através dos números +1 937 767-7241 e 800-897-4151, ou visite www.YSI.com (Separador de
assistência) para obter um Formulário de Devolução do Produto (Product Return Form). Envie o produto, a prova de
compra e portes de envio pré-pagos para o Centro de Assistência Autorizado selecionado pela YSI. A reparação ou
substituição será efetuada e o produto devolvido, sendo o transporte pago previamente. Os produtos reparados
ou substituídos têm a garantia do restante período de garantia original ou, pelo menos, 90 dias a partir da data
de reparação ou substituição.
LIMITAÇÃO DA GARANTIA
Esta Garantia não se aplica a quaisquer danos do produto YSI ou avarias causadas por:
1. Falha na instalação, operação ou utilização do produto, de acordo com as instruções escritas da YSI;
2. Negligência ou má utilização do produto;
3. Falha em manter o produto de acordo com as instruções escritas da YSI ou com os procedimentos normais
do setor;
4. Quaisquer reparações indevidas no produto;
5. A utilização de peças ou componentes defeituosos ou incorretos por parte do utilizador na manutenção
ou reparação do produto;
6. Modificação do produto de qualquer forma não expressamente autorizada pela YSI.
ESTA GARANTIA SUBSTITUI TODAS AS DEMAIS GARANTIAS, EXPRESSAS OU IMPLÍCITAS, INCLUINDO QUALQUER
GARANTIA DE COMERCIALIZAÇÃO OU ADEQUAÇÃO/APTIDÃO PARA UM DETERMINADO OBJECTIVO. A
RESPONSABILIDADE DA YSI AO ABRIGO DESTA GARANTIA ESTÁ LIMITADA À REPARAÇÃO OU SUBSTITUIÇÃO DO
PRODUTO, E ESTA DEVERÁ SER A SUA ÚNICA E EXCLUSIVA SOLUÇÃO PARA QUALQUER PRODUTO DEFEITUOSO
COBERTO POR ESTA GARANTIA. A YSI NÃO SERÁ, EM CIRCUNSTÂNCIA ALGUMA, RESPONSÁVEL POR QUAISQUER
DANOS ESPECIAIS, INDIRECTOS, ACIDENTAIS OU CONSEQUENCIAIS RESULTANTES DE QUALQUER PRODUTO
DEFEITUOSO ABRANGIDO POR ESTA GARANTIA.
74
Segurança e Assistência
8. Anexos
8.1
Anexo A
Valores de Calibração DO%
Valor de Calibração
Pressão
D.O. %
em Hg
mmHg
kPa
mbar
101%
30,22
767,6
102,34
1023,38
100%
29,92
760,0
101,33
1013,25
99%
29,62
752,4
100,31
1003,12
98%
29,32
744,8
99,30
992,99
97%
29,02
737,2
98,29
982,85
96%
28,72
729,6
97,27
972,72
95%
28,43
722,0
96,26
962,59
94%
28,13
714,4
95,25
952,46
93%
27,83
706,8
94,23
942,32
92%
27,53
699,2
93,22
932,19
91%
27,23
691,6
92,21
922,06
90%
26,93
684,0
91,19
911,93
89%
26,63
676,4
90,18
901,79
88%
26,33
668,8
89,17
891,66
87%
26,03
661,2
88,15
881,53
86%
25,73
653,6
87,14
871,40
85%
25,43
646,0
86,13
861,26
84%
25,13
638,4
85,11
851,13
83%
24,83
630,8
84,10
841,00
82%
24,54
623,2
83,09
830,87
81%
24,24
615,6
82,07
820,73
80%
23,94
608,0
81,06
810,60
79%
23,64
600,4
80,05
800,47
78%
23,34
592,8
79,03
790,34
77%
23,04
585,2
78,02
780,20
76%
22,74
577,6
77,01
770,07
75%
22,44
570,0
75,99
759,94
74%
22,14
562,4
74,98
749,81
73%
21,84
554,8
73,97
739,67
72%
21,54
547,2
72,95
729,54
Anexo A - Valores de Calibração DO%
75
8.2
Anexo B
Tabela de Solubilidade do Oxigénio
Solubilidade de oxigénio em mg/L na água exposta a ar saturado de água a uma pressão de 760 mm Hg.
Salinidade = Medição da quantidade de sais dissolvidos na água.
Clorinidade = Medição do teor de cloro, por massa, na água.
S(0/00) = 1.80655 x Clorinidade (0/00)
76
Temp. °C
Clorinidade: 0 5,0 ppt
Salinidade: 0 9,0 ppt
10,0 ppt
18,1 ppt
15,0 ppt
27,1 ppt
20,0 ppt
36,1 ppt
25,0 ppt
45,2 ppt
0,0
14,62
13,73
12,89
12,10
11,36
10,66
1,0
14,22
13,36
12,55
11,78
11,07
10,39
2,0
13,83
13,00
12,22
11,48
10,79
10,14
3,0
13,46
12,66
11,91
11,20
10,53
9,90
4,0
13,11
12,34
11,61
10,92
10,27
9,66
5,0
12,77
12,02
11,32
10,66
10,03
9,44
6,0
12,45
11,73
11,05
10,40
9,80
9,23
7,0
12,14
11,44
10,78
10,16
9,58
9,02
8,0
11,84
11,17
10,53
9,93
9,36
8,83
9,0
11,56
10,91
10,29
9,71
9,16
8,64
10,0
11,29
10,66
10,06
9,49
8,96
8,45
11,0
11,03
10,42
9,84
9,29
8,77
8,28
12,0
10,78
10,18
9,62
9,09
8,59
8,11
13,0
10,54
9,96
9,42
8,90
8,41
7,95
14,0
10,31
9,75
9,22
8,72
8,24
7,79
15,0
10,08
9,54
9,03
8,54
8,08
7,64
16,0
9,87
9,34
8,84
8,37
7,92
7,50
17,0
9,67
9,15
8,67
8,21
7,77
7,36
18,0
9,47
8,97
8,50
8,05
7,62
7,22
19,0
9,28
8,79
8,33
7,90
7,48
7,09
20,0
9,09
8,62
8,17
7,75
7,35
6,96
21,0
8,92
8,46
8,02
7,61
7,21
6,84
22,0
8,74
8,30
7,87
7,47
7,09
6,72
23,0
8,58
8,14
7,73
7,34
6,96
6,61
24,0
8,42
7,99
7,59
7,21
6,84
6,50
25,0
8,26
7,85
7,46
7,08
6,72
6,39
26,0
8,11
7,71
7,33
6,96
6,62
6,28
27,0
7,97
7,58
7,20
6,85
6,51
6,18
28,0
7,83
7,44
7,08
6,73
6,40
6,09
29,0
7,69
7,32
6,93
6,62
6,30
5,99
30,0
7,56
7,19
6,85
6,51
6,20
5,90
31,0
7,43
7,07
6,73
6,41
6,10
5,81
32,0
7,31
6,96
6,62
6,31
6,01
5,72
Anexo B - Tabela de Solubilidade do Oxigénio
Temp °C
Clorinidade: 0
Salinidade: 0
5,0 ppt
9,0 ppt
10,0 ppt
18,1 ppt
15,0 ppt
27,1 ppt
20,0 ppt
36,1 ppt
25,0 ppt
45,2 ppt
33,0
7,18
6,84
6,52
6,21
5,91
5,63
34,0
7,07
6,73
6,42
6,11
5,82
5,55
35,0
6,95
6,62
6,31
6,02
5,73
5,46
36,0
6,84
6,52
6,22
5,93
5,65
5,38
37,0
6,73
6,42
6,12
5,84
5,56
5,31
38,0
6,62
6,32
6,03
5,75
5,48
5,23
39,0
6,52
6,22
5,98
5,66
5,40
5,15
40,0
6,41
6,12
5,84
5,58
5,32
5,08
41,0
6,31
6,03
5,75
5,49
5,24
5,01
42,0
6,21
5,93
5,67
5,41
5,17
4,93
43,0
6,12
5,84
5,58
5,33
5,09
4,86
44,0
6,02
5,75
5,50
5,25
5,02
4,79
45,0
5,93
5,67
5,41
5,17
4,94
4,72
Anexo B - Tabela de Solubilidade do Oxigénio
77
1) O tecido das plantas que traz a água para cima a partir das raízes;
2) Uma empresa global líder em tecnologia de água.
Somos uma equipa global unificada com um propósito em comum: criar soluções de
tecnologia avançada para os desafios da água no mundo. O desenvolvimento de novas
tecnologias que melhorarão a maneira como a água é utilizada, conservada e reutilizada
no futuro é fundamental para o nosso trabalho. Os nossos produtos e serviços
movimentam, tratam, analisam, monitorizam e devolvem a água ao meio ambiente,
em serviços públicos, industriais, residenciais e comerciais. A Xylem também fornece
um portefólio líder de medição inteligente, tecnologias de rede e soluções avançadas
de análise para serviços públicos de água, eletricidade e gás. Em mais de 150 países,
temos relacionamentos fortes e duradouros com clientes que nos conhecem pela nossa
poderosa combinação de marcas de produtos líderes e experiência em aplicações
com um forte foco no desenvolvimento de soluções abrangentes e sustentáveis.
Para obter mais informações sobre como a Xylem pode ajudá-lo, aceda
a www.xylem.com
YSI, uma marca Xylem
1725 Brannum Lane
Yellow Springs, OH 45387
Tel +1.800.897.4151
Fax +1.937.767.9353
www.xylem.com
© 2019 Xylem, Inc. 626973-05REF
Rev G 0519
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertisement