Manual de Instalação e Operação Chiller ALTA EFICIÊNCIA IHCT2

Add to my manuals
100 Pages

advertisement

Manual de Instalação e Operação Chiller ALTA EFICIÊNCIA IHCT2 | Manualzz

ALTA EFICIÊNCIA

Chiller Condensação a Ar Alta Eficiência

Série RCU_SAZHE

Compressor Parafuso

R-407C

CATÁLOGO TÉCNICO II

(Manual de Instalação e Operação)

ÍNDICE

A

gradecemos a preferência por nosso produto e cumprimentamos pela aquisição de um equipamento

HITACHI

Este cátalogo tem como finalidade familiarizá-lo com o seu condicionador de ar

HITACHI

, para que p o s s a d e s f r u t a r d o conforto que este lhe proporciona, por um longo período.

Para obtenção de um melhor desempenho do equipamento, leia com atenção o conteúdo deste, onde você irá encontrar o s e s c l a r e c i m e n t o s quanto à instalação e operação

2.1.Especificações Técnicas Gerais R-407C (60Hz)..........................................................04

4.1.Unidade Resfriadora de Líquidos Hitachi........................................................................07

5.1.Desenhos da Estrutura..................................................................................................08

5.2.Composição dos Ciclos...............................................................................................10

6.1.Verificação Inicial...........................................................................................................10

6.2.Posicionando o Chiller....................................................................................................11

6.2.1.Espaços para Operação.........................................................................................11

6.2.2.Gradiente de Fundação..........................................................................................12

6.3.Centro de Gravidade e Distribuição de Peso nos Apoios................................................12

6.4.Espaço para Serviço e Fundação..................................................................................13

6.4.1.Montagem dos Amortecedores de Borracha.........................................................14

6.4.2.Recomendações.....................................................................................................14

6.5.Transporte....................................................................................................................14

6.5.1.Transporte de Equipamento..................................................................................14

6.5.2.Transporte por Meio de Roletes...........................................................................16

6.5.3.Inclinações durante o Transporte.........................................................................16

7.1.Instalação Elétrica........;................................................................................................16

7.2.

Instalação Elétrica do Circuito de Controle .;;................................................................18

7.3.Dados Elétricos.........;...................................................................................................55

8.1.Tubulação de Água........................................................................................................55

8.2.Características da Tubulação de Água..........................................................................56

8.2.1.Especificações para Montagem da Tubulação de Água dos Chiller's Hitachi....56

8.2.2.Teste de Vazamento e Primeira Circulação de Água no Sistema (Resfriador)...57

8.2.3.Teste de contra Vazamentos.................................................................................60

8.3.Controle da Água..........................................................................................................60

9.1.Inspeção Final da Instalação.......................................................................................61

9.1.1.Lista de Verificação do Trabalho de Instalação..............................................61

10.1.Preparação................................................................................................................61

10.2.Tipos de Aplicação...................................................................................................62

10.2.1.Condição Padrão..............................................................................................62

10.2.2.Etileno Glicol.....................................................................................................62

10.3.Início de Operação da Bmba de Água Gelada....................................................62

10.3.1.Limpeza de Rede Hidráulica.........................................................................62

10.3.2.Ajuste de Vazão de Água............................................................................62

10.4.Início de Operação do Chiller.................................................................................63

10.5.Instruções para o Cliente após Start-up.................................................................63

12.1.Tabela de Prazos para Manutenção Periódica........................................................65

12.1.1.Rotina de Manutenção dos Condensadores.................................................66

12.2.Lubrificação...............................................................................................................67

12.3.Paradas por Longos Períodos.................................................................................68

12.4.Retorno de Operação depois de Paradas Longas................................................68

12.5.Substituição de Peças.............................................................................................68

12.6.Ciclo de Refrigeração..............................................................................................68

12.7.Procedimentos e Serviços.......................................................................................70

12.8.Diagrama de Ciclo de Refrigeração (Sem Economizer)........................................71

12.9.Diagrama de Ciclo de Refrigeração (Com Economizer).......................................72

12.10.Remoção do Compressor......................................................................................73

01

12 .11. Torques de Aperto

12

.................................................................................................................................................................73

.11.1. Torque de Aperto para Parafusos Sextavados ...............................................................................................................73

12 .11.2. Torque de Aperto em Porcas Curtas ..............................................................................................................................73

12 .11.3. Torque de Aperto em Contatores e Relés .......................................................................................................................74

12 .12. Ajustes dos Dispositivos de Controle e Proteção ...................................................................................................................75

12.13

. Limites de Operação .............................................................................................................................................................77

13. TROBLESHOOTING

....................................................................................................................................................................

78

14. TABELAS .....................................................................................................................................................................................81

14.1. Tabela de Pressão Manométrica x Temperatura R-407C (Condensação)................................................................................81

14.2. Tabela de Pressão Manométrica x Temperatura R-407C (Evaporação)...................................................................................82

14.3. Tabela de Alarmes...................................................................................................................................................................83

14.4. Lista de Variáveis ....................................................................................................................................................................84

14.5. Tabela de Conversão de Unidades..........................................................................................................................................87

14.6. Gráfico de Densidade de Soluções Aquosas de Monoetileno Glicol (% peso) ..........................................................................88

14.7. Registro de Teste de Operação e Manutenção ........................................................................................................................89

14.8. Registros Diários ....................................................................................................................................................................90

14.9. Registro de Leitura dos Condensadores .................................................................................................................................91

14.10. Check List de Start-up de Resfriadores Líquidos ...................................................................................................................92

02

1

NOTIFICAÇÃO IMPORTANTE

As especificações deste catálogo estão sujeitas a mudanças sem prévio aviso para possibilitar a HITACHI trazer as mais recentes inovações para seus clientes.

NOTA:

Informação útil para manutenção e/ou operação.

A HITACHI não pode se antecipar toda possível circunstância que possa envolver um perigo potencial.

Se você tiver qualquer pergunta, contate seu instalador ou representante HITACHI.

Este manual ou parte dele não pode ser reproduzido sem autorização prévia da HITACHI.

Esta instrução dá uma descrição comum e informação do

Chiller que você opera bem como para outros modelos desta linha de produtos.

Palavras de sinal (PERIGO, ADVERTÊNCIA e

CUIDADO) são usadas para identificar níveis de seriedade de perigo. Definição para níveis de perigo é identificada com símbolos e respectiva palavras conforme abaixo:

A família de resfriadores de líquido HITACHI foi projetada para operar nas seguintes faixas de temperatura:

PERIGO

Perigo imediato que pode resultar severos danos pessoais ou morte.

ADVERTÊNCIA

FAIXA DE TRABALHO

Mínimo

Temperatura de

Entrada do Ar no

Condensador

Temperatura de

Saída de Água

Resfriada

+ 5 ºC

*- 5 ºC

+ 5 ºC

*- 10 ºC

Perigo ou práticas inseguras nas quais podem resultar ao operador danos pessoais ou morte

OBSERVAÇÃO:

* OPCIONAL

CUIDADO

Máximo

40 ºC

15 ºC

Perigo ou práticas inseguras nas quais podem resultar danos pessoais ou danos secundários ao Chiller.

NOTA:

A Hitachi Ar Condicionado do Brasil se isenta da responsabilidade dos danos e choques ocorridos ao Chiller no período entre a entrega e o START-UP do mesmo, tais como:

-RISCOS;

-DANOS A PINTURA;

-AMASSAMENTOS E AVARIAS NO ALETADO DOS CONDENSADORES;

-FALTA DE MANUTENÇÃO;

-TRAVAMENTO E/OU CORROSÃO DO EIXO DOS VENTILADORES

03

2

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS

2.1. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS R-407C (60Hz)

04

05

3

CURVAS DE CAPACIDADE

RCU350SAZHE

HLS2890

06

4

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

4.1. UNIDADE RESFRIADORA DE LÍQUIDOS HITACHI

Para Iniciar a Operação:

1.Abra as válvulas de entrada e saída de água.

Verificação Diária:

1.Verifique a Tensão de Alimentação.

2.Certifique-se que todas as chaves de força estão desligadas e posicione a chave de operação SW6 na placa de ajustes para operação Local ou Remoto.

2.Verifque se há Sons Anormais e Vibração.

3.Verifique a Amperagem do Chiller.

3.Confirme se fases R, S e T estão corretamente conectadas.

4.Veifique as Pressões de Operação.

Troubleshooting:

A conexão de fase correta pode ser conferida por um indicador de sequência de fase. Se as fases não estiverem corretamente conectadas, o compressor não opera devido a ativação de um dispositivo de proteção contra reversão de fase. Desligue o interruptor principal e trocar dois de três terminais, R, S e T e ligue o disjuntor novamente.

*Chiller Não Liga

1.O disjuntor principal foi acionado?

2.Os fusíveis estão OK?

3.Há circulação de água no sistema?

4.Ligue a bomba de água gelada.

4.Os termostatos estão solicitando a operação de resfriamento?

5.Abra completamente as válvulas de esfera nas linhas de líquido.

*Baixa Capacidade de Resfriamento

1.O Ar provido ao condensador é suficiente? (ver espaçamentos mínimos) 6.Ligue o Chiller: Modo Local > Botão “ON” ;

Modo Remoto > Botão Liga Remoto (fornecido pelo instalador).

2.A temperatura de set point está correta?

7.Regulgue o termostato na temperatura desejada.

3.As pressões operacionais estão normais?

Desligar o Chiller:

1.Acione o botão desliga, local ou remoto.

4.Há água suficiente no sistema?

5.O filtro “Y” na entrada de água gelada está limpo?

2.Desligue o disjuntor principal quando o Chiller ficar parado por um longo período de tempo.

Lâmpada Piloto:

A lâmpada vermelha indica a operação normal.

*Manutenção

1.Remova qualquer obstáculo a corrente de ar no condensador e limpe o mesmo.

2.Limpe o Chiller.

Quando a lâmpada vermelha piscar ou a lâmpada laranja for ativada, qualquer um dos dispositivos de segurança pode estar funcionando. Acione o serviço de manutenção para correção da falha.

3.Limpe o Filtro “Y” na entrada de água gelada regularmente.

4.Limpeza do resfriador. (É recomendado que um especialista seja contatado para este tipo de trabalho).

07

5

COMPONENTES DO EQUIPAMENTO

5.1. DESENHOS DA ESTRUTURA

Equipamento Resfriador de Líquidos Hitachi (exemplo de 02 compressores)

CHILLER SEM ECONOMIZER (HLS2781)

08

15 VISOR DE LÍQUIDO 16 VÁL 17 RESFRIADOR 18 ENTRADA DE ÁGU 23 CAIXA VENTILADOR 24 TRANSFORMADOR (440V)

02 GABINETE / ESTRUTURA 03 COMPRES 09 VENTILADOR 10 DUT 12 PLUG FUSÍVEL 13 JUNT

CHILLER COM ECONOMIZERS CICLO 01 E CICLO 02 (HLS2778)

09

15 VISOR DE LÍQUIDO 16 VÁL 17 RESFRIADOR 18 ENTRADA DE ÁGU 23 CAIXA VENTILADOR 24 TRANSFORMADOR (440V) 25 ECONOMIZER 26 VÁL

02 GABINETE / ESTRUTURA 03 COMPRES 09 VENTILADOR 10 DUT 12 PLUG FUSÍVEL 13 JUNT

5.2. COMPOSIÇÃO DOS CICLOS

(MODELO CHILLER X MODELO COMPRESSOR X Nº DE CICLOS X Nº DE MÓDULOS)

MODELO

RCU120SAZHE

RCU140SAZHE

RCU180SAZHE

RCU210SAZHE

MODELO

RCU240SAZHE

RCU260SAZHE

RCU280SAZHE

RCU300SAZHE

RCU320SAZHE

RCU350SAZHE

RCU390SAZHE

RCU420SAZHE

1 MÓDULO

1

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

2

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

3

-

-

60ASC-Z

CICLO

60ASC-Z + Eco

4

-

-

-

-

5

-

-

-

-

6

-

-

-

-

2 MÓDULOS

CICLO

1 2 3 4 5 6

MÓDULO 1 MÓDULO 2

60ASC-Z 60ASC-Z 60ASC-Z 60ASC-Z

-

60ASC-Z 60ASC-Z 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco

-

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

-

60ASC-Z

-

-

60ASC-Z 60ASC-Z 60ASC-Z 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco

-

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco

60ASC-Z

60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco

-

60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco

60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco 60ASC-Z + Eco

6

PREPARAÇÃO E VERIFICAÇÃO INICIAL

6.1. VERIFICAÇÃO INICIAL

- Local da Instalação

Confirme que o local da instalação final é provido com tubulação de água e fontes de alimentação elétrica conveniente para o correto funcionamento do Chiller.

Água com dureza muito alta deve ser evitada.

- Chiller

Confira se o Chiller chegou até o local de instalação sem danos em sua estrutura ou componentes, causado por falhas no transporte.

- Espaço da Instalação

Verifique para que não haja obstáculos que restrinjam o fluxo do Ar nos condensadores ou impeça o trabalho de manutenção no espaço especificado conforme

6.2.

Capítulo

- Transporte

Antes de iniciar a movimentação do Chiller certifique-se que o caminho a ser percorrido por ele é suficiente para as suas dimensões.

ALTURA

(mm)

LARGURA

(mm)

- Fundação

Confira e assegure que a fundação seja plana, nivelada e com uma massa de 1,5 a 2 vezes o peso do Chiller em operação, levando em conta o gradiente de fundação

Capítulo 6.2.

Deverão estar disponíveis equipamentos para içamento e movimentação horizontal conforme mostrado no

Capítulo 6.5

deste manual.

Os Chillers devem ser fixados com parafusos chumbadores em uma base de concreto tanto para instalações de piso quanto para instalações em lajes.

É aconselhável, na instalação em locais próximos a gramados ou terra que se coloque pedriscos ao redor do

Chiller para se evitar que haja obstrução do condensador pela aspiração destes componentes.

MODELO

RCU120SAZHE

RCU140SAZHE

RCU180SAZHE

RCU210SAZHE

RCU240SAZHE

RCU260SAZHE

RCU280SAZHE

RCU300SAZHE

RCU320SAZHE

RCU350SAZHE

RCU390SAZHE

RCU420SAZHE

COMPRIMENTO

(mm)

5766

8461

5766 + 5766

8461 + 5766

8461 + 8461

2405 1891

10

6.2. POSICIONANDO O CHILLER

PERIGO CUIDADO

Se for detectado vazamento de gás, pare o Chiller e contate o serviço de manutenção o mais rápido possível.

Não utilize maçarico se o ciclo de refrigeração estiver pressurizado, pode haver risco de explosão.

Confira para assegurar que válvulas estão abertas corretamente. Se não estiverem totalmente abertas, poderão causar sérios danos ao compressor devido a alta pressão.

ADVERTÊNCIA

Este Chiller é operado com refrigerante R-407C que é não inflamável e não venenoso.

Porém, o gás refrigerante é mais pesado que o ar de forma que o chão pode ficar coberto com gás refrigerante caso haja vazamento. Então, mantenha bem ventilado o ambiente para evitar asfixia durante a reparação do vazamento.

Transporte

O Transporte do Chiller até o local de instalação deve ser feito com a mesma embalagem. Desembalar somente no momento da interligação e ativação.

Providencie material adequado para a movimentação e colocação do Chiller no local de instalação.

CUIDADO

Os modelos RCU240SAZHE a RCU420SAZHE são fornecidos em dois módulos porém os mesmos devem ser instalados sempre alinhados no comprimento como se fossem um só módulo.

6.2.1. ESPAÇOS PARA OPERAÇÃO

NOTA:

A altura da parede deve ser menor ou igual a altura do Chiller. Quando o Chiller é instalado em local onde o mesmo é cercado com paredes e há suspeita de obstrução de circulação de ar consulte este manual para os espaços mínimos recomendados.

1200 1200

1000

1300

1300 1000

1300 1000

1300 1000 1300

11

6.2.2. GRADIENTE DE FUNDAÇÃO

O Chiller deve ser instalado em uma posição vertical dentro do gradiente mostrado a seguir:

30mm

15mm

JAMAIS INSTALE O CHILLER EM LOCAIS SOB TELHADOS

E/OU QUALQUER TIPO DE COBERTURA .

O N Ã O C U M P R I M E N T O I M P L I C A R Á N O N Ã O

FUNCIONAMENTO DO CHILLER.

6.3. CENTRO DE GRAVIDADE E DISTRIBUIÇÃO DE PESO NOS APOIOS

CENTRO DE GRAVIDADE

PAINEL

CONTROLE

MÓDULO 1

CENTRO DE GRAVIDADE

MÓDULO 2

CENTRO DE GRAVIDADE

PAINEL

CONTROLE CENTRO DE GRAVIDADE

C

A

RCU120 e RCU140SAZHE RCU300 , RCU320 e RCU350SAZHE

RCU390 e RCU420SAZHE RCU180 e RCU210SAZHE

RCU240 , RCU260 e RCU280SAZHE

MODELO

13

14

15

16

17

18

19

20

9

10

11

12

PONTOS

1

4

5

2

3

6

7

8

VALOR (kg)

DIMENSÃO "A"

DIMENSÃO "B"

DIMENSÃO "C"

DIMENSÃO "D"

DIMENSÃO "h1"

DIMENSÃO "h2"

PARA MÁQUINAS DE 220 e 380 V

120 140

-

-

-

-

547 552

453 458

574 579

558 563

-

-

-

679 684

654 659

434 439

372 377

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

RCU_SAZHE

180 210 240 260 280 300

REACÕES NOS APOIOS (kg)

627 633

523 529

644 650

552 558

777 783

756 762

766 772

619 625

457 463

393 399

-

-

-

-

-

547

453

574

558

547

453

574

558

679 679

654 654

434 434

372 372

498 503

403 408

573

557

680

655

483

578

562

685

660

488

552 627

458 523

579 644

563 552

684 777

659 756

439 766

377 619

503 457

408 393

578 498

562 403

685 573

660 557

488 680

320 350

627 633

523 529

644 650

552 558

777 783

756 762

766 772

619 625

457 463

393 399

503 503

408 408

578 578

562 562

685 685

390 420

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

421 426

-

-

-

-

-

426 655

483

-

-

421

-

660 660

488 488

426 426

-

762 762

776 776

628 628

525 525

-

PESO EM OPERAÇÃO (kg)

461 461

4270 4310 6115 6175 8540 8580 8620 10385 10425 10485 12290 12350

LOCALIZAÇÃO DO CENTRO DE GRAVIDADE (mm)

2488 2485 3811 3813 2488 2488 2485 3811 2485 3813 3811 3813

884 885 864 865 884 884 885 864 885 865 864 865

-

-

-

-

-

-

-

-

2640

884

2635

885

2635

885

2640

884

2640

884

2640

884

4010

865

4010

865

970 962

-

988 980

-

970 970

970 962

962 970

962 970

962 980

970 970

988 980

980 980

627 633

523 529

644 650

552 558

777 783

756 762

766 772

619 625

457 463

393 399

571 571

467 467

646 646

555 555

783 783

12

MODELO

17

18

19

20

13

14

15

16

9

10

11

12

PONTOS

1

4

5

2

3

6

7

8

VALOR (kg)

DIMENSÃO " A"

DIMENSÃO " B"

DIMENSÃO " C"

DIMENSÃO " D"

DIMENSÃO " h1"

DIMENSÃO " h2"

PARA MÁQUINAS DE 440 V

120

615

521

580

563

-

-

-

683

658

436

374

140 180

620 728

526 624

585 653

568 561

-

-

-

688 782

663 761

441 770

379 622

460

396

-

RCU_SAZHE

210 240 260 280 300 320

REACÕES NOS APOIOS (kg)

734 615

630 521

659 580

567 563

788 683

767 658

776 436

628 374

466 500

402 406

577

615

521

580

563

411

582

620

526

585

568

683 688

658 663

436 441

374 379

505 505

411

582

728

624

653

561

782 782

761 761

770 770

622 622

460 460

396 396

500

728

624

653

561

505

350 390

734 728

630 624

659 653

567 561

788 782

767 761

776 770

628 622

466 460

402 396

505 573

420

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

561

685

660

552

489

-

-

566 566

690 690

665 665

557 557

494

-

-

494

-

-

406

577

561

685

660

411

582

566

690

665

552 557

489 494

411

582

566

690

665

469

650

558

788

767

557 785

494 637

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

PESO EM OPERAÇÃO (kg)

4430 4470 6355 6415 8860 8900 8940 10785 10825 10885 12770 12830

LOCALIZAÇÃO DO CENTRO DE GRAVIDADE (mm)

-

-

-

-

627

562

627

562

469

650

558

788

767

785

637

2398 2396 3667 3670 2398 2398 2396 3667 2396 3670 3667 3670

885 886 866 867 885 885 886 866 886 867 866 867

-

-

-

-

-

-

-

-

2739

885

2734

886

2734

886

2739

885

2739

885

2739

885

4162

867

4162

867

991

-

984 1010 1002 991

991

991 984

984 984

991 984 1002 1010 1002

991 991 991 1002 1002

734

630

659

567

788

767

776

628

466

402

573

6.4. ESPAÇO PARA SERVIÇO E FUNDAÇÃO

1680

100

50

5394 1000

RCU120 e 140TR

CANAL

P/ DRENO

181 2079 874 2079 181

1680

100

50

1680

100

50

8090 1000

RCU180 e 210TR

CANAL

P/ DRENO

181

10888

1932 1932 1932 1932

1680

181

100 (MÍNIMO)

RCU240 à 280TR

CANAL

P/ DRENO

181

1680

100

50

2079 874 2079 462

13584

2079 874 2079 181

1680

100 (MÍNIMO)

RCU300 à 350TR

CANAL

P/ DRENO

181

1680

100

50

1932 1932 1932 1932 462 2079 874 2079

16280

181

1680

100 (MÍNIMO)

RCU390 à 420TR

CANAL

P/ DRENO

181 1932 1932 1932 1932 462 1932 1932 1932 1932 181

13

6.4.1. MONTAGEM DOS AMORTECEDORES DE BORRACHA

DETALHE FIXAÇÃO FUNDAÇÃO

ESTRUTURA

PARAFUSO CHUMBADOR

DETALHE FIXAÇÃO FUNDAÇÃO

CANAL PARA DRENO

(TODO CONTORNO)

BUCHA

PLACAS DE BORRACHA

ANTI - VIBRAÇÃO

(FORNECIDO)

PLACA DE AÇO

(ESP>1mm)

CONCRETO

6.4.2. RECOMENDAÇÕES

- Fundação:

Deve ter uma superfície plana e nivelada, com uma massa de 1,5 a 2 vezes o peso em operação do Chiller.

Sobre a fundação deverá haver uma base de fixação, que poderá ser de concreto ou perfis de aço, sobre a qual o

Chiller deverá ser fixado e que também auxiliará no escoamento de água, evitando que a mesma acumule sob o equipamento.

- Outros Dispositivos de Amortecimento:

Como opção, não fornecida pela Hitachi, poderão ser utilizados amortecedores de vibração do tipo molas helicoidais porém observar para que a área do mesmo em contato com a base do Chiller seja maior que esta, na largura e no comprimento, coloque uma chapa de aço com dimensões 8x100x500 mm para aumentar a área de contato a fim de se evitar danos à estrutura do equipamento. Ver exemplos a seguir:

- Acabamento do Piso:

AMORTECEDORES COM MOLAS

CORRETO ERRADO

ESTRUTURA

REFORÇO t8 x 100 x 500

(FIXAR P/ PARAFUSO)

AMORTECEDOR

ESTRUTURA

POUCA ÁREA

DE CONTATO

AMORTECEDOR

6.5. TRANSPORTE

6.5.1. TRANSPORTE DE EQUIPAMENTO

Na retirada do Chiller do veículo por meio de içamento, deverão ser utilizados cabos de aço e barras de sustentação adequados, os quais deverão ser fixados nos olhais já existentes no Chiller. Oriente-se através das figuras a seguir para preparar o processo de içamento:

Suspendendo a Unidade :

1.Utilize cabos de aço e barras distanciadoras ou balancins na parte superior do Chiller, conforme mostram as figuras a seguir.

4.Atente para que o aparelho não bata em nenhum obstáculo durante o transporte.

Em caso de movimentação horizontal, utilize roletes de mesmo diâmetro, uniformemente distribuídos sob a base do Chiller ou algum tipo de carro de transporte que suporte o peso do mesmo. Evite este tipo de movimentação pois o movimento em que exista o contato direto com o piso poderá acarretar danos à pintura e provocar a aceleração da corrosão nos pontos avariados.

2.Utilize cabos de aço resistentes, observando o peso da unidade mostrado na etiqueta que acompanha o Chiller.

5.O material utilizado para içamento bem como danos causados ao equipamento durante o transporte não são de responsabilidade da HITACHI.

3.Atente para que os cabos não encostem aos painéis do aparelho.

14

É recomendado que o piso onde o chiller será instalado seja de concreto com acabamento o mais “liso” possível, de modo a não gerar o acúmulo de partículas. O acúmulo de tais poderá ser succionado pelo chiller ocasionando a obstrução dos condensadores.

CUIDADO

Coloque proteção entre os cabos de aço e o Chiller para evitar danos a estrutura do mesmo.

Os procedimentos para a movimentação estão em uma etiqueta afixada ao Chiller.

PERIGO

CUIDADO

Não fique sob o Chiller durante o transporte.

Em caso de movimentação vertical, em locais de tráfego de pedestres a área deverá ser isolada.

Para verificar o peso dos equipamentos ver Capítulo 2

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS GERAIS.

EXEMPLO DE IÇAMENTO COM MÓDULOS COM 02 COMPRESSORES

2010

COLOCAR UM PANO OU MANTA P/

PROTEÇÃO DURANTE O IÇAMENTO

CINTA PLANA DE POLIÉSTER

COM GANCHO TIPO OLHAL

CONTAINER "KA"

2010

BARRA PARA

IÇAMENTO

EXEMPLO DE IÇAMENTO COM MÓDULOS COM 03 COMPRESSORES

2010

COLOCAR UM PANO OU MANTA P/

PROTEÇÃO DURANTE O IÇAMENTO

CINTA PLANA DE POLIÉSTER

COM GANCHO TIPO OLHAL

CONTAINER "KA"

2010

BARRA PARA

IÇAMENTO

NOTA:

ESQUEMA DE IÇAMENTO SUGERIDO PELA HITACHI, PODERÁ SER USADO OUTRO MÉTODO, DESDE QUE GARANTA QUE OS CABOS DE

AÇO NÃO DANIFIQUEM O EQUIPAMENTO.

15

6.5.2. TRANSPORTE POR MEIO DE ROLETES 6.5.3. INCLINAÇÕES DURANTE O TRANSPORTE

Quando o Chiller for movimentado por meio de roletes estes devem ser distribuídos de maneira uniforme sob o

Chiller. Seu comprimento deve ser de, no mínimo,

2000mm.

PERIGO

Não inclina as unidades com mais de 30º no comprimento e 5º na largura. Inclinações superiores a estas podem tombar o Chiller.

30º

HLS2790

NOTA:

INCLINAÇÕES MÁXIMAS PERMITIDAS NO TRANSPORTE, SOB

RISCO DE TOMBAR O CHILLER CASO ESTES ÂNGULOS SEJAM

SUPERADOS.

7

INSTALAÇÃO

7.1. INSTALAÇÃO ELÉTRICA

VERIFICAÇÕES INICIAIS

ADVERTÊNCIA

Confira os componentes elétricos selecionados, disjuntores, cabos, conduítes, conexões, etc. Estes devem estar de acordo com os dados mostrados na tabela de dados elétricos ou conforme legislação do local de instalação.

Para estes casos é recomendável a associação de fusíveis ultra rápidos para proteção dos circuitos de força e comando a fim de se evitar danos ao Chiller.

Confira se o cabo terra está devidamente instalado e conectado à unidade. Este cabo evita o choque elétrico.

Dimensionamento dos Disjuntores

Para a alimentação dos compressores e ventiladores deverão ser utilizados disjuntores para painéis de distribuição de potência conforme segue:

Uso de Geradores para Alimentação do Chiller:

Os geradores que trabalham com variação brusca de consumo elétrico, ativação, desativação ou variação de consumo em função de aumento e redução de carga, que

é o caso dos nossos Chillers, necessitam de um

CONTROLADOR ELETRÔNICO DE VELOCIDADE que

é um gerenciador das cargas acrescidas ou retiradas de seu ramal alimentados e que controla a frequência disponibilizada para a rede em Hz + ou - 5% independente das cargas.

*Para Dimensionar os Disjuntores deverá ser levado em consideração os seguintes itens:

-Capacidade de Interrupção Limite Icu (obtida junto ao projeto elétrico da obra);

-Capacidade de Interrupção em Serviço Ics (% de Icu); dar preferência para disjuntores com 100% de

Capacidade de Interrupção de Icu;

-Calibre do Disjuntor em função da Proteção Térmica e

Magnética.

Alguns geradores aplicados no mercado não possuem esse recurso tendo somente como padrão um

Controlador Eletrônico de Tensão.

Estes dados podem ser verificados na etiqueta de identificação dos disjuntores.

Neste caso a falta do Controle Eletrônico de Velocidade pode desencadear um aumento excessivo na frequência após a entrada e saída de operação dos compressores devido à necessidade do aumento ou redução repentina da velocidade do motor.

*Para definir o calibre do disjuntor utilize o valor da

Máxima Corrente de Operação

, já identificada na tabela de dados elétricos.

Isso pode gerar problemas na rede e nos equipamentos por ela alimentados.

16

Para que não ocorra o desligamento durante a partida é necessário que os padrões mínimos representados no gráfico a seguir sejam atendidos: o térmico do disjuntor deverá ser regulado para uma corrente 10% acima da máxima corrente de operação, ou se for do tipo fixo não ultrapassar este valor e suportar na partida, a corrente de ajuste do térmico por um tempo não inferior a 10 segundos e o magnético do disjuntor deverá suportar um pico de corrente mínimo de 3x a corrente de partida do ciclo.

Chiller é necessário garantir que o nível de aterramento não seja superior a se em conta a

5 ohms

;

-O Cabo de Proteção deverá ser dimensionado levando-

Máxima Corrente de Operação .

Seguir sempre as recomendações NBR 5410 para o complemento do dimensionamento dos Cabos de

Proteção (Terra) e Alimentação do Circuito de Força.

TÍPICA CURVA DE ATUAÇÃO DE UM DISJUNTOR

TERMOMAGNÉTICO

Procedimento para Instalação do Circuito de Força

Confirme se a alimentação do Chiller não esta vindo de fontes utilizadas para outros fins que possam estar ligadas no momento de instalação ou serem interrompidas para manutenção do Chiller.

DISPARADOR COM

REGULAGEM

TEMPO MAIOR

QUE 10s EM

FUNÇÃO DE Ir

CURVA DO TÉRMICO

CURVA DO

MAGNÉTICO

1.Instale o quadro de força principal em local de fácil acesso e protegido contra intempéries.

2.Instale os conduítes que interligam o quadro de força ao quadro do Chiller.

3.Conecte os cabos firmemente ao barramento BR1 e ou

BR2 conforme a identificação. O cabo de aterramento do

Chiller também deverá ser instalado neste momento.

4.Conecte o cabo de alimentação ao quadro de força principal.

O disjuntor de comando deve estar disponível para ser ligado com o Chiller parado devido a necessidade de aquecimento do óleo do cárter dos compressores.

MIN. 3 x I/Ir

Instalação do Circuito de Força

Dimensionamento dos Cabos de Alimentação do

Circuito de Força

Para o dimensionamento dos cabos de alimentação do circuito de força deverá ser levado em consideração:

- A alimentação do circuito de força do Chiller é única por módulo, independentemente do número de ciclos do equipamento

OBSERVAÇÃO:

Para os casos dos Chiller's RCU240SAZHE até o

RCU420SAZHE teremos 02 módulos.

-A corrente a ser utilizada como referência para o dimensionamento dos cabos de força é a

Máxima

Corrente de Operação

, já identificada na tabela de dados elétricos. Mesmo em instalações onde normalmente a temperatura de entrada do ar nos condensadores é baixa, essa corrente pode ser alcançada durante o início de operação como por exemplo em caso de temperatura de entrada de água gelada elevada que tem sua origem no funcionamento contínuo da bomba d’água com o Chiller parado.

Dimensionamento do Cabo de Proteção (Terra)

Para o dimensionamento do cabo de aterramento do

Chiller deverá ser levado em consideração:

-Em alguns casos, podem ocorrer Interferência

Eletromagnética nos circuitos de comando do Chiller, dificultando sua operação devido à variação nos sinais de pressão e temperatura por ela provocada. Para evitar essa Interferência Eletromagnética no funcionamento do

17

HLS2791

Nº ITEM

1 QUADRO ELÉTRICO

2 BARRAMENTO

3 FUSÍVEIS DE PROTEÇÃO

4 DISJUNTOR PRINCIPAL

5 CABOS DE ALIMENTAÇÃO

6 ATERRAMENTO

01

02

06

-ITENS NÃO FORNECIDOS PELA HITACHI NO CHILLER

PADRÃO

-INSTALAÇÃO DE RESPONSABILIDADE DO CLIENTE

-DIMENSIONAMENTO DOS CABOS E DISPOSITIVOS DE

PROTEÇÃO É RESPONSABILIDADE DO CLIENTE

03

04

05

Procedimento para Instalação do Circuito de Controle

CUIDADO

Não alimente o circuito de comando com a utilização de fase 380 V + Neutro, esta forma de obtenção da tensão de alimentação 220 V não é permitida, sob o risco de ocorrer fuga de tensão provocando a queima dos componentes do comando e curtos circuítos.

Caso não disponível a tensão 220 V utilize trafo de comando. Os modelos de Chiller SAZHE já saem de fábrica com o transformador de comando. Vide esquema a seguir:

ERRADO ERRADO CERTO

L1

L2

L3

N

L1

L2

L3

N

L1

L2

L3

CUIDADO

Caso o comando da bomba de água gelada seja instalado independente do Chiller, não conforme o esquema elétrico, é importante notar que o seu sistema de controle faça com que a mesma continue ligada por pelo menos 10 segundos após a parada do Chiller para evitar que haja congelamento da água no interior do resfriador.

As figuras a seguir mostram como devem ser feitas as interligações do circuito de comando.

7.2. INSTALAÇÃO ELÉTRICA DO CIRCUITO DE CONTROLE

RCU_SAZHE

LIGAÇÕES OBRIGATÓRIAS LIGAÇÕES OPCIONAIS

INTERLOCK DA BOMBA

DE ÁGUA GELADA

CHAVE DE FLUXO

DE ÁGUA GELADA

Ligações realizadas somente na caixa de comando

Principal (Caixa 1).

18

Ligações realizadas somente na caixa de comando

Principal (Caixa 1).

PLRa, PLRb Ligar somente no ciclo principal (caixa1)

PLO1~PLO6 Status de alarme por Ciclo.

OPÇÕES DE CONTROLE EXTERNO DO CHILLER

Toda ação externa sobre o controle do Chiller deve ser feita por pessoal especializado, preferencialmente com consulta a Hitachi, sob o risco de mau funcionamento ou danos irreversíveis aos componentes do Chiller.

Notas:

1. Para instalação ou pedido com esses opcionais, consultar a Hitachi.

2. Para controle liga/desliga remoto é necessário configurar o painel de controle, Ajustes do controlador / ajustes do controle de operação.

3. As proteções têm prioridade sobre os controles externos.

CONTROLE EXTERNO INDEPENDENTE DO COMPRESSOR (este controle é individual por compressor):

*"IN TE R LIG A Ç ÃO P AR A

O K IT O P C IO N A L

A U TO M AÇ Ã O

E S Q U E M A ELE TR IC O

H LT1357A - B 5"

Esse controle é utilizado também pela automação, todo o controle é feito através comutação de contatos seguindo a tabela abaixo.

19

COMUNICAÇÃO

1. COMUNICAÇÃO COM SUPERVISÓRIOS

No caso de comunicação a um gerenciador central (central predial, ou sistema de automação predial), esta poderá efetuar as seguintes intervenções no Chiller (item opcional):

Para controle:

Ligar / Desligar;

Controle de demanda externo (4 a 20 mA) ou via Rede;

Ajustar Set-point de água gelada (temperatura de saída) (4 a 20 mA) ou via rede

Para monitoração:

Temperatura de entrada de água gelada no barrilete;

Temperatura de saída de água gelada no barrilete;

Pressão de alta no compressor;

Pressão de baixa no compressor;

Consumo Instantâneo do Chiller;

Horas de funcionamento do compressor;

Indicação de alarme geral por ciclo;

Status de operação do compressor.

Sistema de Comunicação com Supervisorio:

Protocolo de comunicação: Modbus - RTU (Padrão)

Protocolos Opcionais: BACNET, Lonsworks, Modbus TCP/IP, Outros protocolos sujeito a avaliação.

Sistema de Automação Predial (configuração típica)

2. BACNET

Há a possibilidade de fornecimento de um sistema com comunicação em BACNET, quando houver a necessidade desse tipo de comunicação no sistema BMS, onde será possível utilizar os mesmos pontos de controle e monitoração do sistema Modbus, que foi indicado anteriormente; Estas informações também podem ser compartilhadas com um gerenciador central.

Hoje possuímos duas variações disponíveis de Bacnet são elas:

BACNET MS-TP - Versão serial

BACNET/IP - Versão Ethernet

20

3. LONWORKS

Este sistema é aplicado em instalações já definidas para trabalhar em Lonworks como um todo, devido à impossibilidade de interface com outros sistemas. Quando o BMS também utilizar o Lonworks, a Hitachi pode fornecer opcionalmente, uma Gateway que fará a comunicação do Chiller de forma direta.

OUTROS OPCIONAIS DISPONIVEIS

Chillers para operar com termoacumulação (ICE CHILLER);

Chillers para operar com termoacumulação (WATER STORAGE);

Chillers para operar com recuperador de calor (HEAT RECOVERY);

Serpentina do condensador em cobre x cobre;

Interligação com sistemas Supervisorio;

Controle remoto + timer para até 8 Chillers;

Grades de proteção dos condensadores;

21

Grades de proteção total;

Banco de capacitores para correção do fator de potência;

Partida controlada por soft-starter;

Chillers em 50 Hz;

Disjuntores de força e comando;

Chave seccionadora no quadro do Chiller;

Proteção especial contra corrosão para condensador e tubulação de cobre;

Proteção total contra corrosão, estrutura, elementos de fixação e condensadores;

Conforme especificação do Cliente, após estudo de viabilidade.

Obs.: Todos os itens acima necessitam consulta prévia ao departamento comercial.

LISTA DE VARIAVEL MODBUS

Para a comunicação Modbus se utiliza a lista de variável abaixo contendo todos os pontos possíveis de configuração e monitoração:

ENDEREÇO FUNÇÃO

400038 L/E

DESCRIÇÃO

ENDEREÇO DE REDE

UNIDADE VALOR

- -

DESCRIÇÃO DO VALOR

1 (DEFAUT FABRICA)

400684

400687

L/E

L/E

BAUT RATE (VELOCIDADE DE

COMUNICAÇÃO)

PARIEDADE

Bps

-

1

2

-1

0

96

192

384

0

1

2

9600

19200

38400 (DEFAUT FABRICA)

NENHUMA

PAR (DEFAUT FABRICA)

IMPAR

DESABILITADO

DESLIGADO

DESCARREGAMENTO

ESTABILIZAÇÃO

400055

400059

400064

L/E

L/E

L

STATUS DO CONTROLE

LIGA/DESLIGA CHILLER

TEMPERATURA SAIDA AGUA

(TSR)

-

-

ºC

7

8

9

0

3

4

5

6

1

CARREGAMENTO LENTO

CARREGAMENTO RAPIDO

INICIALIZAÇÃO

TERMOACUMULAÇÀO

DESABILITADO PARA TERMOACUMULAÇÃO

HABILITADO PARA MODO NORMAL

TERMO + DESCARREGAMENTO

DESLIGA

LIGA

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400067

400071

400088

L/E

L

L

OFFSET TEMP. TSR

STATUS SENSOR TSR

TEMPERATURA DE ENTRADA

DE AGUA (TER)

ºC

-

ºC

0

11

AJUSTE FINO PARA TEMPERATURA DE

SAIDA DE AGUA, COMPARAR VIA IHM

CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

NORMAL

FALHA ( SENSOR DESCONECTADO /

QUEIMADO)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400091

400095

400112

400113

400114

400115

L/E

L/E

L

L/E

L/E

L/E

OFFSET TEMP. TER

STATUS SENSOR TER

SET-POINT TEMPERATURA

REMOTO SINAL 4~20mA.

LIMITE INFERIOR TEMP.

REMOTO

LIMITE SUPERIOR TEMP.

REMOTO

OFFSET TEMP. REMOTO

ºC

ºC

ºC

ºC

ºC

ºC

0

11

AJUSTE FINO PARA TEMPERATURA DE

ENTRADA DE AGUA, COMPARAR VIA IHM

CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

NORMAL

FALHA ( SENSOR DESCONECTADO /

QUEIMADO)

SINAL 4~20mA VINDO DA BORNEIRA

(VERIFICAR ESQUEMA ELETRICO)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

5ºC (DEFAUT FABRICA)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

15ºC (DEFAUT FABRICA)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA O SINAL DE TEMP.

REMOTO

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

22

400164

400185

400186

400187

400188

400206

400208

400209

400210

400211

400212

400213

400215

400216

400217

400218

400221

400222

400232

400233

400243

400244

400254

400137

400138

400139

400140

400161

400162

400163

L/E

L

L

L

L

L

L

L

L

L

L

L

L

L/E

L/E

L/E

L

L/E

L/E

L/E

L

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

CONSUMO MODULO 1

LIMITE INFERIOR CONSUMO

MODULO 1

LIMITE SUPERIOR CONSUMO

MODULO 1

OFFSET CONSUMO MODULO

1

CONSUMO MODULO 2

LIMITE INFERIOR CONSUMO

MODULO 2

LIMITE SUPERIOR CONSUMO

MODULO 2

OFFSET CONSUMO MODULO

2

SET-POINT DEMANDA

REMOTO SINAL 4~20mA.

LIMITE INFERIOR DEMANDA

REMOTO

LIMITE SUPERIOR

DEMANADA REMOTO

OFFSET DEMANDA REMOTO

CONSUMO TOTAL

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

KW/h

STATUS CPR 1

STATUS CPR 2

STATUS CPR 3

STATUS CPR 4

STATUS CPR 5

STATUS CPR 6

STATUS CMDO

DESCARRGAR

STATUS CMDO CARREGAR

-

-

-

- STATUS CMDO DESLIGA CPR

STATUS CMDO HABILITA

CHILLER

HORIMETRO CPR 1

PARTE BAIXA

HORIMETRO CPR 1

PARTE ALTA

HORIMETRO CPR 2

PARTE BAIXA

HORIMETRO CPR 2

PARTE ALTA

HORIMETRO CPR 3

PARTE BAIXA

HORIMETRO CPR 3

PARTE ALTA

HORIMETRO CPR 4

PARTE BAIXA

-

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

23

-

-

-

-

-

-1

0

-1

-1

0

-1

0

-1

0

-1

0

-1

0

-1

0

0

-1

0

-1

0

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

CONSUMO INSTANTANEO CHILLER MODULO

1

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

0 KW/h (DEFAUT FABRICA)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VALOR AJUSTADO EM FABRICA

DEPENDENDO DA CAPACIDADE DO

CHILLER.

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA O SINAL CONSUMO

MODULO 1

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

CONSUMO INSTANTANEO CHILLER MODULO

2

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

0 KW/h (DEFAUT FABRICA)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VALOR AJUSTADO EM FABRICA

DEPENDENDO DA CAPACIDADE DO

CHILLER.

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA O SINAL CONSUMO

MODULO 2

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

SINAL 4~20mA VINDO DA BORNEIRA

(VERIFICAR ESQUEMA ELETRICO)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

0 KW/h (DEFAUT FABRICA)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VALOR AJUSTADO EM FABRICA

DEPENDENDO DA CAPACIDADE DO

CHILLER.

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA O SINAL DEMANDA

REMOTO

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

COSUMO MODULO 1 + CONSUMO MODULO 2

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM /

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400374

400377

400398

400401

400422

400425

400446

400449

400302

400305

400326

400329

400350

400353

400470

400255

400265

400266

400276

400277

400287

400288

400289

400290

400291

400292

400293

400294

400295

400296

400297

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L/E

L

L

L/E

L

L/E

L

L/E

L

L/E

L

L/E

L

L/E

L

L/E

L

L

HORIMETRO CPR 4

PARTE ALTA

HORIMETRO CPR 5

PARTE BAIXA

HORIMETRO CPR 5

PARTE ALTA

HORIMETRO CPR 6

PARTE BAIXA

HORIMETRO CPR 6

PARTE ALTA

SET-POINT DE

TEMPERATURA (VIA REDE)

ZONA DE CARREGAMENTO

LENTO

ZONA NEUTRA DE

ESTABILIZAÇÃO

ZONA DE

DESCARREGAMNETO

SET-POINT DE DEMANDA

(VIA REDE)

BANDA MORTA DE DEMANDA

TEMPO DE CICLO PARA

DESCARREGAMENTO

PULSO PARA

CARREGAMENTO RAPIDO

PULSO PARA

DESCARREGAMENTO

RAPIDO

MODO DE CONTROE

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

HORAS

ºC

ºC

ºC

ºC

KW/h

KW/h s s s

-

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

0~999,9

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

VERIFICAR COM A HORIMETRO DA IHM

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

NUMERO DE CICLOS

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 1

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 1

PRESSÃO BAIXA

CICLO 1

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 1

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 2

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 2

PRESSÃO BAIXA

CICLO 2

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 2

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 3

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 3

PRESSÃO BAIXA

CICLO 3

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 3

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 4

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 4

PRESSÃO BAIXA

CICLO4

-

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

Kgf/cm²

5

6

1

2

3

4

0

1

2

TEMP. + DEMANDA

TEMPERATURA

DEMANDA

1 CICLO

2 CICLOS

3 CICLOS

4 CICLOS

5 CICLOS

6 CICLOS

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

24

400473 L/E

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 4

Kgf/cm²

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400494 L

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 5

Kgf/cm²

400497 L/E

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 5

Kgf/cm²

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400518 L

PRESSÃO BAIXA

CICLO 5

Kgf/cm²

400521 L/E

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 5

Kgf/cm²

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400542 L

PRESSÃO DE ALTA

CICLO 6

Kgf/cm²

400545 L/E

OFFSET PRESSÃO ALTA

CICLO 6

Kgf/cm²

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO ALTA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400566 L

PRESSÃO BAIXA

CICLO 6

Kgf/cm²

400569

400588

400606

L/E

L

L/E

OFFSET PRESSÃO BAIXA

CICLO 6

ALARME GERAL CHILLER

SET-POINT ATIVO

Kgf/cm²

-

-

0

11

0

1

AJUSTE FINO PARA PRESSÃO BAIXA,

COMPARAR VIA IHM CHILLER

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

NORMAL

ALARME

EXTERNO (SINAL 4~20mA.)

INTERNO (MENSSAGEM VIA REDE) –

DEFAUT FABRICA

JÁ CONFIGURADO DE FABRICA

400607

400608

400612

L/E

L/E

L

TEMPO DO CICLO PARA

DESCARREGAMENTO

PULSO PARA

DESCARREGAMENTO

PERCENTUAL DE CONSUMO

TOTAL s s

%

JÁ CONFIGURADO DE FABRICA

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

400672

400758

401270

L/E

L

L/E

MAXIMO CONSUMO

STATUS CHILLER

HABILITA CONTROLE POR

TEMPERATURA

KW/h

-

-

-1

0

-1

0

-1

0

VALOR AJUSTADO EM FABRICA

DEPENDENDO DA CAPACIDADE DO

CHILLER, RESPONSAVEL PELO SAIDA DE

CONSUMO 4~20mA.

MULTIPLIQUE POR (x0.1)

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

LIGADO

DESLIGADO

401271 L/E

HABILITA CONTROLE POR

DEMANDA

-

SOFT-STARTER

Soft-starter é um dispositivo eletrônico utilizado para controlar a corrente de partida do compressor, que pode ser adquirido como item opcional no Chiller.

O Soft-starter controla a tensão sobre bornes de alimentação do compressor variando a tensão eficaz aplicada ao mesmo. Assim, pode-se controlar a corrente de partida, proporcionando uma “partida suave” de forma a não provocar quedas de tensão elétrica bruscas na rede de alimentação, como ocorre em partidas diretas.

.

25

Observa-se nos gráficos acima, a brusca variação de corrente para partida direta (~5ln), enquanto a corrente para partida Soft-starter pode ser controlada.

No Chiller, é utilizada a tecnologia by-pass, que se utiliza de um contator para transpassar o soft-starter após o compressor atingir sua velocidade nominal, fazendo com que o compressor seja alimentado diretamente pela rede.

A configuração de partida dos Chillers com soft-starter utiliza a tecnologia dentro do fechamento estrela, aumentado assim a eficiência do controle.

O soft-starter é uma solução econômica que permite reduzir os custos de operação das máquinas, diminuindo os esforços mecânicos e melhorando suas disponibilidades.

No Chiller, a corrente de partida por soft-starter pode alcançar de 10 a 13 % a menos que em partidas estrela triangulo.

26

COMO CONFIGURAR CONTROLE REMOTO CHILLER

O controle de Liga e Desliga remoto é feito somente pela Caixa Principal (Caixa 1), sendo assim os cabos para esse comando deverão chegar somente para esta caixa.

Para efetuar a alteração para o controle remoto do Chiller Primeiro a necessidade de desligar a Alimentação do comando do mesmo, depois alterar a chave SW2 localizada na PWBa da posição local para a posição Remoto, conforme figura abaixo.

Devem-se conectar os cabos que irão enviar o sinal de Liga/Desliga nos bornes indicados no esquema elétrico, e para o sinal de alarme Geral do Chiller nos Bornes 3 e 4 do TBL, lembrando que o sinal deste alarme é de 24VDC, sendo que:

Para os itens a seguir, os bornes de interligação deverão ser obtidos no esquema elétrico de cada aparelho.

1. 0Vdc > OPERAÇÃO NORMAL e 24Vdc > ALARME GERAL CHILLER.

Essas opções de controle podem ser fornecidas, sob consulta e são conforme segue:

2. Controle remoto on/off a um contato seco com sinal 24VDC para operação normal > 0VDC / alarme >

24VDC.

3. Controle remoto on/off a um contato pulso com sinal 24VDC para operação normal > 0VDC / alarme >

24VDC.

Para o controle remoto do Chiller será necessário configurar também na IHM essa Função, conforme explicado abaixo.

Na opção DC 24V INPUT altere para a opção desejada PULSE (DEFAUT) ou LEVEL, sendo que o Pulse significa que o mesmo estará recebendo um sinal tipo PULSO de SUBIDA para Ligar ou Desligar o CHILLER, tendo em vista que o sinal LEVEL significa que o SINAL SELO de nível alto, após escolher uma destas opções pressione a tecla

SET para salvar as alterações e para sair utilize a tecla .

Segue desenho abaixo mostrando como realizar essa operação.

27

HITACHI

LOCAL

W IN Temp

MENU

SETTING

Bilingual

W Temp Set

COOLING

19.0

º C

W Temp Set

Ct Set

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

W OUT Temp

OP. Info

2009.09.22 13:33

19.0

º C

Gr. CONT.

UNIT INFO ALARM LOG CAUTION LOG

SERVICE MENU

Temp. Disp.

Enable

Optional Function

DC24V

Input

Pulse

Remote

ON/OFF

Enable

SET

Periodic

Pump OP.

Disable

Depois de configurado estas opções é importante lembrar que o botão LIGA da IHM não funciona e o botão

DESLIGA continua funcionando (Segurança), caso queira retornar a condição de ligar Local basta desligar o comando e alterar a chave SW2 para a posição LOCAL (ON), após alteração religar o comando do CHILLER.

Os bornes referentes ao Liga/Desliga remoto e alarme são informados no esquema elétrico do Chiller, verifique sempre antes a numeração dos mesmos, Quando o Chiller já vier com Automação de fabrica esse sistema

Liga/Desliga e Alarme Geral já esta interligado ao sistema de Automação.

28

LAY OUT DO PAINEL DE CONTROLE

IHM LCD (GOT)

LED

BOTÃO

LIGA / DESLIGA

PWBa

DISPLAY 7

SEGUIMENTOS

PWBa

29

BOTÃO

EMERGENCIA

AJUSTES DO CONTROLADOR

Instrumentos para ajustes das chaves.

Chaves SW: Chave seletora comum, Comutação Manual.

Chave RSW: Comutação com chave de fenda pequena.

Chave DSW: Comutação Manual ou com chave de fenda pequena.

As chaves do controlador são sensíveis, portanto devem ser manuseadas com cuidado. Esforços adicionais nos comutadores podem danificar as chaves, sem haver condições de reparo, nestes casos, apenas com a troca da placa.

Ao ajustar o controlador, não deixar as chaves (de comutação) em posições intermediárias, pois podem acarretar falhas na operação.

Algumas chaves DSW têm múltiplas funções, portanto, antes de proceder a comutação física da chave, consultar o assunto específico neste catálogo técnico.

Outros ajustes das chaves não descritos neste catálogo não podem e não devem ser executados sob o risco de haver operação incorreta ou impossibilidade de operação do Chiller.

30

Os ajustes dos controladores são feitos conforme segue:

Operação Local/Remoto da bomba de água gelada, SW1.

Se a ligação elétrica da bomba de água estiver associada ao funcionamento do Chiller, conforme esquema elétrico, a chave permite que se faça a operação forçada da bomba para um eventual teste, sem que haja necessidade de se ligar o Chiller.

Nota: Após o uso, esta chave dever ser retomada para a posição OFF (para baixo).

OPERAÇÃO INTERMITENTE DA BOMBA, (PERIODIC PUMP OP.)

Se a ligação elétrica da bomba de água estiver associada ao funcionamento do Chiller, conforme esquema elétrico, esta chave permite que se faça a operação automática da bomba de água quando a temperatura ambiente atingir 2ºC a fim de se evitar o congelamento da água quando o Chiller estiver fora de operação.

HABILITA/CANCELA FUNCIONAMENTO INTERMITENTE DA BOMBA (CONTROLE ANTI CONGELAMENTO

COM A BOMBA PARADA)

O Chiller possui um função para bomba parada em épocas frias para evitar o congelamento da água na tubulação, quando habilitado o a função abaixo ele passa a monitorar a temperatura de Ar externo quando a mesma chega a

2ºC e a bomba esta pelo controle do Chiller ele envia um sinal para se ativar a bomba de circulação de água no circuito, quando a temperatura da água no circuito chega a 25ºC ele envia o comando para parar bomba, é importante informar novamente para que esse comando seja valido à ligação elétrica da bomba tem que estar obrigatoriamente ligada ao rele de acionamento que esta no Chiller.

SET

Temp. Disp.

Enable

DC24V

Input

Pulse

Remote

ON/OFF

Enable

Periodic

Pump OP.

Disable

Após alternar para DISABLE / ENABLE é necessário pressionar o botão SET.

Gráfico de operação intermitente da bomba DSW1-8 OFF.

ºC

25

20

ºC

25

20

15

10

15

10

2 4

ºC

TEMPERATURA AMBIENTE EM ºC

2 4 ºC

TEMPERATURA AMBIENTE EM ºC

1º Caso: Decréscimo de Temperatura

0 - Operação Continua da Bomba.

- Operação Intermitente da Bomba

X - Bomba parada

2º Caso: Aumento de Temperatura

31

AJUSTE DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA OU SOLUÇÃO GELADA.

Quando o Chiller for operar com temperaturas de saída de água gelada com valores entre 0 e 4ºC ou

Termoacumulação de Gelo certificar-se que a CONCENTRAÇÃO da SOLUÇÃO está devidamente dentro da faixa de anticongelamento, Nunca utilizar valores inferiores à 5ºC sem que haja a adição de anti-congelantes na água de resfriamento, pois, nesse caso, é necessário alterar a configuração da placa de controle e, conseqüentemente os valores dos sets points de controle contra congelamento também serão alterados.

CONTROLE DE OPERAÇÃO COM DUPLO SET-POINT:

Para operação com Duplo Set-Point é necessária seguir a informações abaixo e ajustar o 2º valor de temperatura de saída de água gelada. Conforme indicado a seguir:

Para realizar o controle com duplo Set-Point será necessário instalar um contato auxiliar em serie com os bornes

30 / 32 ao fechar o contato entre eles ira aparecer à opção mostrada abaixo na IHM.

32 31 30

SET

CW OUT

Temp Set

5.0

ºC

CW OUT

2º Temp Set

5.0

ºC

220V

Essa segunda opção de ajuste nada mais é que a função segundo Set-Point.

OPERAÇÃO NIGHT SHIFT (OPERÇAÃO NOTURNA BAIXO RUIDO)

Consistem em diminuir a rotação do Ventilador a fim de baixar o nível de ruído, o nível de rotação se modula de acordo com a Pressão nos ciclos e temperatura externa. Veja gráfico abaixo.

Ganho aproximado de 2 dB

Modo Night Shift

1.7

1.1

Modo Normal

-15 15 25 40

TEMPERATURA AR EXTERNO ºC

Para ativar essa função basta colocar em serie um contato auxiliar conforme desenho abaixo (Sempre verificar no esquema elétrico que acompanha a maquina os números dos bornes parta esta função)

30 32

NS

OPERAÇÃO NOTURNA

(NIGHT SHIFT)

32

Ao fechar o contato estará Habilitado a função Night Shift, você poderá verificar se a função esta ativa ou não através da IHM conforme abaixo.

No.1 Cycle

Main 1

10 Pulse

Force L.

Exp V Pulse

Main 2

10 Pulse

Night Shift Protec. Cont. Status

NO

PROLONGAR THERMO-OFF

O Chiller possui uma função na qual, quando acionada a DSW5-2 ON, prolonga o tempo de detecção do Thermooff para 10 minutos conforme mostrado abaixo:

Temp. Saída de agua Temp. Entrada de agua

OFF

7

6

Thermo-OFF(Set-Point)

7

6

Temp. Saída de agua

Temp. Entrada de agua

Temp. Set-Point

ON

10 Min.

Thermo-OFF

33

IHM TOUCH SCREEN

HITACHI

2009.09.22 13:33

LOCAL

1

COOLING

2

UNIT STATE PUMP STATE

STOP

3

STOP

4

9

W IN Temp

MENU

5

19.0

º

C

W OUT Temp

19.0

º

C

W Temp Set

6

OP. Info

7

Gr. CONT.

8

Pela IHM podemos realizar as configurações do Chiller e verificar condições de funcionamento do Chiller e seu

Status.

1. Status de LIGA/DESLIGA (LOCAL via botões ON/OFF no painel do Chiller, REMOTE via contato seco via pulso ou nível, sempre sabendo que o botão OFF e EMERGENGIA funciona em ambas as funções);

2. COOLING: Função resfriamento;

3. Status do ciclo;

4. Status da Bomba;

5. Menu para configurações e visualizações;

6. Configuração SET-POINT de Água (ENTRADA e SAIDA);

7. Informações de Funcionamento do Ciclo;

8. Informações de todos os ciclos (Somente disponível na caixa principal do Chiller (Somente pela Caixa 1);

9. Informações de Temperatura de entrada e saída de água do Chiller.

HITACHI

2009.09.22 13:33

LOCAL

COOLING

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

W IN Temp

MENU

W Temp Set

OP. Info

Gr. CONT.

Pressionando MENU você terá acesso a tela contendo SETTING (Configurações), UNIT INFO (Informações do

Ciclo),

ALARM LOG (Histórico de Alarmes 10 últimos), CAUTION LOG (Históricos de atenção 10 últimos),

BILINGUAL (Alterar idiomas, disponíveis Inglês, Japonês e Chinês) e SERVICE MENU (Configurações HITACHI).

19.0

º

C

W OUT Temp

19.0

º C

SETTING UNIT INFO ALARM LOG CAUTION LOG

Bilingual

SERVICE MENU

Pressionando o botão SETTING iremos acessar a seguinte tela.

W Temp Set Ct Set

Optional Function

Pressionando W TEMP SET é possível ajustar o SET-POINT de saída de Água

C W O U T

Tem p S et

5.0

ºC

S E T

34

Utilizando as teclas podemos efetuar o ajuste na temperatura da água, após efetuar esse ajuste

Pressionando o botão para seguir nestas configurações, a próxima tela é a de configuração de tempo de ciclo são configurações que já saem de fabrica, é recomendado que seja alterado, sem a devida supervisão da Hitachi.

SET

ON/OFF

Dif

N. Zone Band

Stop Temp

Band

Load Up 2

Band

2

°

C 2

°

C 2

°

C 2 ° C

Load Up 1

Time

10sec

TEMPERATURA NA TELA PRINCIPAL

Load Up 2

Time

5sec

Load Down

Time

10sec

SET

Interval

60sec

É possível optar em mostrar ou não a temperatura de entrada e saída de Água na tela inicial da IHM, é um opcional que é possível Habilitar seguindo os passos abaixo:

HITACHI

LOCAL

W IN Temp

MENU

COOLING

2009.09.22 13:33

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

19.0

º C

W Temp Set

W OUT Temp

OP. Info

19.0

º

C

Gr. CONT.

W Temp Set Ct Set

Optional Function

SETTING

UNIT INFO

ALARM LOG CAUTION LOG

Temp. Disp.

Enable

DC24V

Input

Pulse

Remote

ON/OFF

Enable

SET

Periodic

Pump OP.

Disable

Bilingual

SERVICE MENU

Na opção Temp. Disp. você escolhe entre Enable (para Habilitar mostrar a Temp. de saída e de entrada de água) ou Disable (para desabilitar mostra a Temp. de saída e entrada de água).

AJUSTE DO LIMITADOR DE CORRENTE

Estes Chillers possuem um dispositivo que permite limitar a corrente de operação dos compressores com base na corrente de operação deles.

O ajuste é feito pela IHM conforme se mostra abaixo:

W Temp Set Ct Set

Optional Function

35

SET

No.1

CT Set

220A

No.1

CT Time

10 min

Por aqui é possível definir o valor da corrente máxima que o compressor pode atingir e o tempo de monitoração.

Operação: Corrente máxima de operação do compressor sem que haja atuação do limitador de corrente

(ALARME C1ct) ou proteção contra sobrecarga.

Descarregamento: Corrente que, quando atingida pelo ciclo que esta sendo monitorado, opera mais o descarregamento parcial dos compressores imediatamente.

FUNCIONAMENTO

1. Quando a corrente de operação ultrapassa a corrente de ajuste do CS o controlador inicia o descarregamento dos compressores dando um pulso nas válvulas de descarregamento de todos os ciclos até que a corrente do compressor monitorado atinja 95% do valor ajustado Acrescido de um tempo extra de 12 segundos.

2. Após a atuação do Limitador de Corrente o sistema passa a monitorar a corrente do compressor durante o tempo estabelecido pelo ajuste do tempo pela IHM (padrão 30min.) ignorando a atuação do Controle d

Capacidade (carregamento) enquanto durar o controle.

O funcionamento segue conforme gráfico abaixo.

Intervalo de monitoração se refere ao tempo definido na IHM.

Nota: Outra maneira de Controlar a DEMANDA dos compressores é através de um controle opcional individual por compressor que permite o controle de:

1- Carregamento;

2- Descarregamento;

3- Zona neutra (estabilização) ou

4- Parado por controle de capacidade

Notas: Para instalação ou pedido com esses opcionais consultar a HITACHI.

As proteções têm prioridade sobre os controles externos.

36

Regulagem (OR): Corrente de corte por sobrecarga do compressor.

Notas:

Se o Chiller for desligado pelo controle de capacidade durante a atuação do limitador de corrente o mesmo é desligado.

O ciclo de funcionamento, novo pulso para descarregamento, só é dado após o tempo estabelecido pela na IHM.

Este controle tem prioridade na atuação das válvulas dos compressores.

Caso o valor do ajuste de atuação do Limitador seja alterado, este se torna válido somente no novo ciclo do valor de SET na IHM.

Durante a atuação do Limitador de Corrente é mostrado na IHM o código de alarme Ct.

Caso o compressor monitorado pelo Limitador de Corrente esteja parado o Limitador de Corrente não funciona.

Este controle é válido somente para os compressores, portanto a corrente de operação dos motores dos ventiladores não tem influência direta sobre esse sistema.

INFORMAÇÕES SOBRE CICLOS

O Chiller possui fácil visualização e navegação pela sua IHM de controle, por ela é possível verificar alem das

Temperaturas de entrada e saída de água, é possível visualizar, Alarmes, Pressões e tempo de funcionamento do

Ciclo. Abaixo teremos mais informações sobre essas e outras funções de monitoração.

Informações Ciclo

Para se acessar os dados do ciclo existe duas Opções, Primeira seguir este desenho abaixo:

HITACHI

LOCAL

COOLING

2009.09.22 13:33

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

W IN Temp

MENU

19.0

º

C

W OUT Temp

W Temp Set

OP. Info

19.0

º

C

Gr. CONT.

SETTING

Bilingual

UNIT INFO

ALARM LOG

CAUTION LOG

SERVICE MENU

A chegarmos a esta tela iremos observar este item abaixo:

No.1 Cycle

STOP

ROM No. LCD: 1272 CPU: 1275

No.1 Cycle

STOP

ROM No. LCD: 1272 CPU: 1275

Alem de este item ser um botão que nos leva ate a tela de Informações do Ciclo ele é também um botão de

Status do Ciclo, por ele é possível observar qual o status do seu ciclo como, por exemplo, Iniciando, em alarme, parado, etc.

Logo abaixo deste botão é possível visualizar o ROM Nº que é a versão de Software carregada na IHM LCD e na placa CPU do Chiller.

A pressionar o botão conforme mostrado abaixo você é direcionado a tela de Informações do ciclo.

Por aqui conseguimos obter mais informações sobre o Ciclo, Temperatura de entrada e saída de água, temperatura do ar externo, velocidade dos ventiladores.

37

No.1 Cycle

1

CW IN Temp

19.0

ºC

CW OUT Temp

Pipe Side

Rear Side

19.8

º

C

17.2

º

C

1- Temperaturas de Entrada e Saída de Água;

3

2

Ta

22.9

ºC

Order

FAN Hz

0 Hz

4

OP. Load

0%

2- Temperatura de Ar Externo;

Freqüência Ventilador;

3- Não Utilizado neste Chiller.

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

No.1 Cycle

1

Pd

0.00 MPa

2

Ps

0.00 MPa

3

4

Td

23.0

º

C

Ts

20.8

º

C

6

Temp Liquid

5

22.7

ºC

Temp Liquid

19.1

ºC

Nesta tela é possível obter pressões de ciclo, temperaturas.

1- Pressão de descarga;

2- Pressão de Sucção;

7

8

TdSH

57.9

ºC

TsSH

55.7

ºC

3- Temperatura de descarga;

4- Temperatura de Sucção;

5- Temperatura de Liquido;

6- Temperatura no Cooler;

7- Não Utilizado;

8- Não utilizado.

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

No.1 Cycle

Accum

46.8 Hr

Star Freq

47cnt

COMP Hr

1

2

Period

56.7 Hr

ROM No.

3

4

5

COMP

Current

0 A

MAIN : 0048

SUB : 0308

Nesta tela obtemos as Horas Trabalhadas do Compressor total e momentâneo como a corrente de Consumo do

Compressor instantânea, e o número de Partidas, Ciclo

1- Horas Trabalhadas do Compressor acumulada;

2- Numero de Partidas;

3- Horas Trabalhadas do Compressor por Período;

4- Não Utilizado;

5- Corrente Instantânea Compressor.

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

38

No.1 Cycle

Load Order

Min Cap.

Limit

No

Nesta tela possui informações sobre status Ciclo, em Load Order pode se visualizar se o compressor esta

Carregando (UP), Descarregando (DOWN), Zona neutra (HOLD), Compressor Desligado por temperatura

(THERMO-OFF).

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

No.1 Cycle

FAN Status for FAN No.1

Normal Stop for FAN No.2

Normal Stop for FAN No.3

Normal Stop for FAN No.4

Normal Stop

Aqui temos informações sobre o funcionamentos dos ventiladores, por ciclo possuímos 6 ventiladores conforme mostrado abaixo.

FAN 1 FAN 3

OP. INFO.

FAN 2

FAN 4

FAN 5

FAN 6

Na tela inicial possui um atalho para acessar diretamente essa informação conforme mostrado abaixo.

39

HITACHI

LOCAL

W IN Temp

MENU

COOLING

2009.09.22 13:33

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

19.0

º

C

W OUT Temp

19.0

º C

W Temp Set

OP. Info Gr. CONT.

Ta

28.0ºC

OP. Load

0%

CW IN

12.0ºC

CW OUT

12.0ºC

Nesta tela é possível se informar de maneira fácil e rápida sobre o status do Ciclo.

Ta – Temperatura de ar externo;

CW IN – Temperatura de entrada de água;

CW OUT – Temperatura de saída de água;

Pd – Pressão de descarga;

Ps – Pressão de Sucção;

Td – Temperatura de Descarga;

Ts – Temperatura de Sucção;

OP. Load – Não Utilizado.

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

No.1 Cycle

Accm

COMP Hr

Period

0.0

Hr

0.0

Hr

Accm – Horas acumuladas de trabalho do Compressor;

Period – Horas do período de trabalho do Compressor;

Comp Current – Corrente de trabalho do Compressor.

CONTROLE VIA H-LINK

COMP

CURRENT

0 A

DSW6 – Endereçamento de rede H-LINK

DSW6- 2: Habilitação do controle pela CPU principal.

DSW6- 3~5: Endereçamento das rede de CPU’s

3

DSW6

4 5

Tempo Partida

Nº1

Nº2

Nº3

Nº4

OFF OFF OFF

OFF OFF ON

OFF

OFF

ON

ON

OFF

ON

0s

5s

10s

15s

Nº5

ON OFF OFF 20s

Nº6

ON OFF ON

O tempo de partida de cada compressor se compreende assim:

25s

1ºCompressor – 3 Minutos (Padrão DSW3) + 0s

2ºcompressor – 3 Minutos do primeiro + 5s

40

Pd

1.58MPa

Ps

0.55MPa

Td

12.0ºC

Ts

1.2ºC

A comunicação entre os ciclos se da pela comunicação de rede H-LINK essa comunicação ocorre entre as CPU’s onde possuímos uma CPU mestre (CAIXA 1) e as demais escravas, há possibilidade de se alterar as mestres e escravas porem é necessário consultar a HITACHI antes de efetuar tal mudança.

RSW1 – Quantidade de CPU’s em rede H-LINK

O Valor desta RSW1 só deve ser configurado na Caixa 1 (Principal), de acordo com a quantidade de CPU’s ligada na rede H-LINK EX: Caso o Chiller possua 6 ciclos basta girar a RSW1 ate o numero 6.

Ao realizar essa configuração ira aparecer na IHM do ciclo principal (CICLO1) um novo botão que é serve para visualizar os ciclos seguintes e efetuar configurações, conforme mostraremos abaixo.

GR. CONT.

Neste Chiller é possível verificar Status de Funcionamento e Temperatura de saída e entrada de água, pelo ciclo principal (CICLO 1), através da comunicação H-LINK o ciclo principal (CICLO 1) controla todo Chiller, ao ligar o ciclo 1 (LOCAL ou REMOTO) após a contagem do tempo de partida, ele automaticamente vai enviar a ordem para ligar os outros ciclos.

Para acessar essas informações utilize o desenho abaixo.

Pressionando GR. CONT.

HITACHI

2009.09.22 13:33

LOCAL

COOLING

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

W IN Temp

MENU

19.0

º C

W OUT Temp

19.0

º

C

W Temp Set

OP. Info Gr. CONT.

Ao pressionar o botão Set Value, é possível ajustar as configurações do Chiller.

No.1 Unit (MAIN)

Op. Info Set Value

41

Em CW IN Temp Set se define qual o Set-Point de entrada de água que se deseja atingir.

Pressionando o Botão seguir, irá ate a próxima tela de informações do Ciclo.

CW IN Temp

Set

CW IN

2º Temp Set

SET

12.0

ºC

12.0

ºC

Somente Quando a opção 2º Set-Point estiver ativada.

Aqui temos Diferencial de Set-Point, Step diferencial de funcionamento entre compressores (Gráficos abaixo),

Também temos Unit Load at TH OFF e Pump in TH OFF, essas duas funções não deverão ser alteradas pois podem comprometer o funcionamento correto do Chiller.

Dif. Set

4 ºC

Step Dif

Temp

1.0 ºC

Unit Load at TH OFF

Disable

SET

Pump in

TH OFF.

OFF

Gráfico Controle de Entrada de Água, Modo reduzir ou acrescentar a Quantidade de Compressores

(Temperatura do Step 1~4ºC).

Chiller

RCU120SAZHE /

RCU140SAZHE

Controle de entrada de água: 12ºC.

Temperatura de Step: 1ºC

Set-Point Diferencial: 2ºC

2 Compressores

(1) Temperatura de entrada é a temperatura de configuração do controle da unidade. Quando atinge

12ºC envia o comando para parar o compressor 1.

(2) Temperatura de entrada for igual

12ºC – temperatura de Step (1) no caso aqui 1ºC = quando atingir 11ºC envia um comando para parar o

Compressor 2.

(3) Comparando com a condição (2) temos, a temperatura de entrada de

água que volta a subir atingindo o diferencial de 2ºC neste caso 13ºC em relação à temperatura de parada do Ciclo 2 (2) que foi de 11ºC, neste momento temos o comando de retorno do Compressor 2.

42

(4) Comparando com a condição (1) temos, a temperatura de entrada de água que volta a subir atingindo o diferencial de 2ºC neste caso 14ºC em relação à temperatura de parada do Ciclo 1 (1) que foi de 12ºC, neste momento temos o comando de retorno do Compressor 1.

Chiller RCU180SAZHE / RCU210SAZHE

Controle de entrada de água: 12ºC.

Temperatura de Step: 1ºC

Set-Point Diferencial: 2ºC

3 Compressores

(1) Temperatura de entrada de água é monitorada quando ela for igual a setpoint definido na IHM (Nesse caso

12ºC). O compressor que primeiro ligou o que possui maior numero de horas trabalhadas (Neste caso CPR1)

é desligado.

(2) Temperatura de entrada for igual a temperatura de set-point de entrada - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura de Set-point esta em 12ºC e a do Step esta em 1ºC, tendo assim 11ºC.) neste caso o

Compressor 2 é desligado.

(3) Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo

Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 11ºC e o Step programado esta em 1ºC, temos assim 10ºC.) neste caso o Compressor 3 é desligado.

(4) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 3 (3) (O compressor 3 foi desligado com 10ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 3 em 12ºC) O compressor é ligado novamente.

(5) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 2 (2) (O compressor 2 foi desligado com 11ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 2 em 13ºC) O compressor é ligado novamente.

(6) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 1 (1) (O compressor 1 foi desligado com 12ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 1 em 14ºC) O compressor é ligado novamente.

43

Chiller RCU240SAZHE / RCU260SAZHE / RCU280SAZHE

Controle de entrada de água: 12ºC.

Temperatura de Step: 1ºC

Set-Point Diferencial: 2ºC

4 Compressores

(1) Temperatura de entrada de

água é monitorada quando ela for igual a set-point definido na

IHM (Nesse caso 12ºC). O compressor que primeiro ligou o que possui maior numero de horas trabalhadas (Neste caso

CPR1 ) é desligado.

(2) Temperatura de entrada for igual a temperatura de set-point de entrada - temperatura de Step

(Tendo em vista que a temperatura de Set-point esta em 12ºC e a do Step esta em

1ºC, tendo assim 11ºC.) neste caso o Compressor 2 é desligado.

(3) Temperatura de entrada for igual

à temperatura de Temperatura do ultimo Step - temperatura de

Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 11ºC e o Step programado esta em 1ºC, temos assim

10ºC.) neste caso o Compressor

3 é desligado.

(4) Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 10ºC o Step programado esta em 1ºC, temos assim 9C.) neste caso o Compressor 4 é desligado.

(5) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 3 (3) (O compressor 3 foi desligado com 9ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 4 em 11ºC) O compressor é ligado novamente.

(6) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 3 (3) (O compressor 3 foi desligado com 10ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 3 em 12ºC) O compressor é ligado novamente.

(7) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 2 (2) (O compressor 2 foi desligado com 11ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 2 em 13ºC) O compressor é ligado novamente.

(8) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 1 (1) (O compressor 1 foi desligado com 12ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 1 em 14ºC) O compressor é ligado novamente.

44

Chiller RCU300SAZHE / RCU320SAZHE / RCU350SAZHE

Controle de entrada de água: 12ºC.

Temperatura de Step: 1ºC

Set-Point Diferencial: 2ºC

5 Compressores

(1) Temperatura de entrada de água é monitorada quando ela for igual a Setpoint definido na IHM (Nesse caso

12ºC). O compressor que primeiro ligou o que possui maior numero de horas trabalhadas (Neste caso CPR1)

é desligado.

(2) Temperatura de entrada for igual a temperatura de Set-point de entrada - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura de Set-point esta em 12ºC e a do Step esta em 1ºC, tendo assim 11ºC.) neste caso o

Compressor 2 é desligado.

(3) Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo

Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 11ºC e o Step programado esta em 1ºC, temos assim 10ºC.) neste caso o Compressor 3 e 4 é desligado.

(4)

Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo

Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 10ºC o Step programado esta em 1ºC, temos assim 9ºC.) neste caso o Compressor 5 é desligado.

(5) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 4 (4) (O compressor 3 foi desligado com 9ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 5 em 11ºC) O compressor é ligado novamente.

(6) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 3 (3) (O compressor 3 foi desligado com 10ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 3 e 4 em 12ºC) O compressor é ligado novamente.

(7) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 2 (2) (O compressor 2 foi desligado com 11ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 2 em 13ºC) O compressor é ligado novamente.

(8) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 1 (1) (O compressor 1 foi desligado com 12ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 1 em 14ºC) O compressor é ligado novamente.

45

Chiller RCU390SAZHE / RCU420SAZHE

Controle de entrada de água: 12ºC.

Temperatura de Step: 1ºC

Set-Point Diferencial: 2ºC

6 Compressores

(1) Temperatura de entrada de água é monitorada quando ela for igual a Setpoint definido na IHM (Nesse caso

12ºC). O compressor que primeiro ligou o que possui maior numero de horas trabalhadas (Neste caso CPR1)

é desligado.

(2) Temperatura de entrada for igual a temperatura de Set-point de entrada - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura de Set-point esta em 12ºC e a do Step esta em 1ºC, tendo assim 11ºC.) neste caso o

Compressor 2 e 3 é desligado.

(3) Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo

Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 11ºC e o Step programado esta em 1ºC, temos assim 10ºC.) neste caso o Compressor 4 e 5 é desligado.

(4)

Temperatura de entrada for igual à temperatura de Temperatura do ultimo

Step - temperatura de Step (Tendo em vista que a temperatura do último Step foi de 10ºC o Step programado esta em 1ºC, temos assim 9ºC.) neste caso o Compressor 6 é desligado.

(5) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 4 (4) (O compressor 3 foi desligado com 9ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 6 em 11ºC) O compressor é ligado novamente.

(6) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 3 (3) (O compressor 3 foi desligado com 10ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 4 e 5 em 12ºC) O compressor é ligado novamente.

(7) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 2 (2) (O compressor 2 foi desligado com 11ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 2 e 3 em 13ºC) O compressor é ligado novamente.

(8) Temperatura de água começar a se elevar na hora que ela atingir o diferencial programado pela IHM + a temperatura de desligamento do compressor 1 (1) (O compressor 1 foi desligado com 12ºC + meu diferencial

ON/OFF esta em 2ºC, temos a temperatura de retorno do compressor 1 em 14ºC) O compressor é ligado novamente.

46

ALARMES E STATUS DE FUNCIONAMENTO

É possível verificar os alarmes e o status de funcionamento do Chiller através do display interno de sete segmentos ou da IHM Touch no frontal do Chiller.

DISPLAY 7 SEGMENTOS

STATUS DE FUNCIONAMENTO / ALARME

FUNCIONAMENTO NORMAL INDICA QUE O

CHILLER ESTA ENERGIZADO E PRONTO

PARA FUNCIONAR

INICIANDO A VALVULA DE EXPANSÃO

ELETRONICA

INICIANDO CONTAGEM DE TEMPO PARA

PARTIDA DO CHILLER

CHILLER OPERANDO EM MODO RESFRIA

ALARME BOMBA, FLUXO, E TENSÃO DE

PARTIDA.

É possível verificar outros alarmes através da lista abaixo:

CÓDIGO CONTEÚDO

C1 H1 ATUAÇÃO DO PRESSOSTATO DE DESCARGA

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

05

11

12 e1

L1

51

61

71

91 t1

05

12

13

14

21

23

24

25

26

27

28

F0

05

11

12

NOTAS

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR BAIXA PRESSÃO DE

SUCÇÃO

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR BAIXA PRESSÃO DE

SUCÇÃO

ATUAÇÃO DO RELÉ DE SOBRECARGA DE CORRENTE NO

COMPRESSOR

ALTA TEMPERATURA NA DESCARGA DO CINORESSIR

SPS1

ORC1

TERMOSTATO INTERNO DO COMPRESSOR

BAIXA TEMPERATURA DO REFRIGERANTE NA ENTRADA DO

RESFRIADOR

BAIXA TEMPERATURA DE SUCÇÃO

INVERSÃO OU FALTA DE FASE

THMd1

IT1

THMr1

THMs1

VERIFICAR ESQUEMA ELÉTRICO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA

FRONTAL

FALHA NO SENSOR DE DEGELO

THMof1

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ALTA

TEMPERATURA DE ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ENTR. DE

REFRIG. NO RESFRIADOR

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE DESCARGA

N/A

N/A

THMr1

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE LINHA DE

LÍQUIDO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA

TRASEIRO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SUCÇÃO

THMd1

THMl1

THMot1

FALHA NO SENSOR DE PRESSÃO DE DESCARGA

FALHA NO SENSOR DE PRESSÃO DE SUCÇÃO

THMs1

DPS1

SPS1

FALHA DE SETAGEM DA QUANTIDADE DE VENTILADORES FAMN 0

INVERSÃO OU FALTA DE FASE GERAL

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ENTRADA DE

ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA

FRONTAL

PSH1

VERIFICAR ESQUEMA ELÉTRICO

THMi1

THMof1

47

13

14

22

5P

40

13

14

22

5P

40

ATIVAÇÃO DO CONTROLE DE DEGELO

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR ALTA TEMPERATURA DE

ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DO AR EXTERNO

FALHA NO INTERTRAVAMENTO COM BOMBA DE ÁGUA

OPERAÇÃO INCORRETA / CONFIGURAÇÃO ERRADA

FC

F1

F1

F1

FC TRANSMISSÃO ANORMAL ENTRE A PLACA I/O E A PLACA

FANM

11

16 ERRO DE CONTROLE DE VELOCIDADE

21

26 ATUAÇÃO DA PROTEÇÃO POR SOBRECORRENTE

31

36 DETECÇÃO DE POSIÇÃO ANORMAL

F1

F1

41

46 FALHA DE TRANSMISSÃO ENTRE A PLACA I/O E A PLACA

FANM

51

58 FALTA OU SOBRETENÃO NO PLACA FANM

PU PU

PISCANDO

ALTA TEMPERATURA NA ENTRADA DE ÁGUA DO

RESFRIADOR

6E

03

C1

C1

6E

03

P5

P6

VERIFICAR FLUXO DE AGUA

VERIFICAR SE A TEMPERATURA DE ENTRADA DE AGUA

ESTA SUPERIOR A 50ºC

THMa1

PWBc,d ; FANM

FANM

FANM

FANM

PWBc,d ; FANM

FANM

THMi1

ATUAÇÃO DO FLOW SWITCH

FALHA DE CONEXÃO REMOTA

FSAG

QUANDO UTILIZAR CSC-5S

FUNCIONAMENTO ANORMAL EM Cn-6n, Cn-7n NO

CONTROLE

FUNCIONAMENTO ANORMAL EM Cn-9n, Cn-Tn NO CONTROLE

SENSOR IT

C1

C1

C1

C1

C1

C1

F1

P4

P8

ANORMALIDADE NOS CONTATORES DE PARTIDA

ANORMALIDADE NA PLACA Fn-4m, Fn-5m NA PLACA I/O

F1 P7 ANORMALIDADE NO CONTROLE SIMULTÂNEO DA PLACA

FANM

INDICAÇÃO NORMAL

C1

PU

88

Co

HE oF

COMUNICAÇÃO DA PLACA FAMN E O VENTILADOR

INDICAÇÃO DE ALIMENTAÇÃO DE FORÇA OK

EQUIPAMENTO EM OPERAÇÃO DE RESFRIAMENTO

EQUIPAMENTO EM OPERAÇÃO DE AQUECIMENTO

APÓS O INTERLOCK DA BOMBA, PARADO PELO CONTROLE DE CAPACIDADE

CS1 Ct ATIVAÇÃO DO CONTROLE DE DEMANDA PELO SENSOR DE

CORRENTE

EO INICIALIZAÇÃO DA VÁLV. DE EXPANSÃO

PU AGUARDANDO INTERTRAVAMENTO DA BOMBA DE ÁGUA

MV\1

A IHM touch também informa os alarmes ocorridos, pela sua tela principal:

HITACHI

LOCAL

W IN Temp

MENU

COOLING

2009.09.22 13:33

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

No. 1 Low Pressure Switch

19.0

º

C

W Temp Set

W OUT Temp

OP. Info

19.0

º

C

Gr. CONT.

Alarme

Nesse caso a IHM fica com a cor de fundo em vermelho e aparece uma mensagem conforme mostrado acima indicando onde esta o alarme.

Além de indicar o Alarme ela fornece um histórico dos 10 últimos alarmes.

HITACHI

LOCAL

COOLING

2009.09.22 13:33

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

W IN Temp

MENU

19.0

º C

W OUT Temp

19.0

º C

W Temp Set

OP. Info Gr. CONT.

SETTING

Bilingual

UNIT INFO

ALARM LOG CAUTION LOG

SERVICE MENU

ALARM LOG

Low Pressure Switch Low Pressure Switch

48

No. 10

2009.09.21 20:18

No. 1 Cycle

No. 9

2009.09.21 20:05

No. 1 Cycle

Nesta tela possuímos o histórico dos últimos 10 alarmes em ordem decrescente com hora e data do acontecimento e o motivo, alem disso os 3 últimos alarmes ocorridos possuem mais informações sobre o funcionamento da maquina na seguinte ordem, 20 segundos antes de parar, 10 segundos antes de parar na hora que parou, esta informações são muito importante na analise do problema.

Abaixo temos as telas com essas informações, praticamente nessa telas possuímos todas as informações do ciclo.

Pressione em um desses alarmes para obter as informações.

ALARM LOG

No. 10

2009.09.21 20:18

No. 9

2009.09.21 20:05

No. 1 Cycle No. 1 Cycle

Low Pressure Switch Low Pressure Switch

No.1 Cycle at Stop

10 sec ago

20 sec ago

CW IN

Temp

12.3ºC

11.3ºC

10.3ºC

CW OUT Temp

Pipe Side

Rear Side

12.3ºC

12.3ºC

9.3ºC

8.3ºC

9.3ºC

8.3ºC

É possível verificar dados como pressões, temperaturas, funcionamentos ventiladores, corrente de consumo dos compressores, dentre outras informações.

A também quando temos os casos onde não gera-se alarme e sim um aviso de alerta onde é necessário verificar, para esse casos é possível verificar e ter o históricos dos últimos 10 alertas que foram gerados.

O sinal de alerta não é informado pelo display de 7 segmentos, somente pela IHM touch, com um sinal de exclamação no alto da tela.

Veja abaixo:

HITACHI

2009.09.22 13:33

LOCAL

W IN Temp

MENU

COOLING

UNIT STATE PUMP STATE

STOP STOP

19.0

º

C

W OUT Temp

19.0

º

C

W Temp Set

OP. Info

Gr. CONT.

SETTING

Bilingual

UNIT INFO

ALARM LOG CAUTION LOG

SERVICE MENU

ALERTA

CAUTION L

No. 10

2009.09.21 13:38

No. 1 Cycle

Failure of Pd

Sensor (CN31)

No. 9

0000.00.00 00:00

O Chiller possui uma tela com Senha na qual somente a Hitachi poderá ter acesso.

CONFIGURAÇÕES DIP

DSW1 – Compressor

DSW1 -1 – Habilita /Desabilita Compressor ( Coloca Compressor em Manutenção)

É Importante salientar que é possível realizar o funcionamento do restante do Chiller mesmo colocando algum compressor em manutenção.

49

DSW2 – Condições de Funcionamento

Não alterar nenhuma configuração desta DSW sem a supervisão da HITACHI.

DSW3 – Tempo de Partida Compressor.

1

DSW3

OFF

ON

2

OFF

OFF

TEMPO

3 MIN

6 MIN

OFF

*ON

ON

ON

10 MIN

30 s

* somente para testes (Não permitido para funcionamento continuo do Chiller)

CONFIGURAÇÃO I/O (COMPRESSORES)

Para as I/O ou Placas dos compressores (PWBc~h) é necessário efetuar configurações nas Dip DSW1 e 2

DSW1 – Liga/Desliga Ventiladores

Nessa Dip você pode Habilitar e Desabilitar os ventiladores um a um, quando houver necessidade de manutenção tendo em vista que quanto o numero de ventiladores funcionando maior será o consumo da maquina e a mesma perdera capacidade térmica.

DSW2 – Configurações

Chillers equipados com soft-starter, não devem ter os parâmetros de ajuste desses componentes alterados. A alteração dos ajustes pode resultar em avarias nos compressores devido à falta de lubrificação dos mancais durante a partida.

CONTROLE DE PARTIDA DOS COMPRESSORES

O código “PU PU” também pode se apresentar nas situações em que se tentar partir o compressor e este estiver com carga, caso haja desligamento do Chiller durante o funcionamento a plena carga.

Se o compressor não mantiver a operação, este alarme é apresentado por 3 segundos, porém a reentrada do compressor é acionada e o tempo de partida ajustado é renovado para aumentar o tempo de acionamento da válvula solenóide SVCB responsável pelo recolhimento do cilindro de controle de capacidade a condição de 15%, assim, o compressor retorna a operação automaticamente.

50

O controle procede como segue:

MANUTENÇÃO

O Chiller deve ser inspecionado periodicamente de acordo, para assegurar um bom desempenho e a manutenção da confiabilidade do equipamento. Os avisos adicionais a seguir devem receber atenção especial.

CONTROLES INTERNOS

A seguir, os principais controles que podem atuar sobre o funcionamento do Chiller sem que haja interferência do operador ou fontes externas a fim de proteger o Chiller contra possíveis anomalias.

ALTA TEMPERATURA DE ÁGUA

Caso a temperatura da água ultrapasse 65ºC por aquecimento causado pelo funcionamento da bomba de água e o Chiller estiver parado é mostrado um alarme “PU” intermitente na IHM LCD. É necessário desligar a bomba ou ligar o Chiller a fim de baixar a temperatura.

Se a temperatura baixar de 60ºC o alarme é cancelado.

Início de carregamento dos compressores

O intervalo de partida entre compressores é de 1 (um) minuto, tanto para início de operação quanto para retorno pelo controle de capacidade.

O carregamento dos compressores é iniciado após a entrada do último compressor em operação triangulo acrescido de 30 segundos.

Sequenciamento de partida dos compressores

O controlador faz a reversão na ordem de partida dos compressores automaticamente. Este controle funciona somente se o compressor operar por 2 (duas) horas consecutivas que é o tempo mínimo para registro no controlador para efeito de reversão da ordem de partida.

Controle de operação dos ventiladores

A operação dos ventiladores depende da temperatura de entrada do ar nos condensadores e da pressão de descarga de cada ciclo conforme segue:

FALTA DE TENSÃO MOMENTÂNEA

O Chiller é equipado com uma proteção para se ocorrer uma falta de tensão de até 2 segundos ou a tensão ficar em torno de 20% abaixo da tensão nominal o Chiller é desligado, porem não haverá indicação de nenhum alarme.

Caso a Dip DSW5-1 estiver em ON, o Chiller ira partir novamente sozinho sem a necessidade de apertar ON para enviar a ordem de partida isso vai ocorrer automática o sistema vai obedecer o tempo predeterminado de partida do compressor definido pela Dip DSW3.

Caso a Dip DSW5-1 estiver em OFF, haverá a necessidade de apertar o ON novamente para enviar a ordem de partida ao Chiller ele ira respeitar o tempo predeterminado pela DSW3 para poder partir o compressor.

51

13ms a 2s c/ 160Vac .

ON

OFF

ON

OFF

ON

OFF

Reação do controlados

Tempo de partida compressor

Padrão 3 Min.

2s de Perda de tensão.

Rede Elétrica

Bomba de Água

Chiller

Tempo de partida compressor

Padrão 3 Min.

1. Sob condição normal de funcionamento:

Reinicia a operação automaticamente após 3 minutos

2. Com um dos ciclos em alarme:

Reinicia a operação automaticamente após há 3 minutos, com uma indicação de alarme ocorrido no ciclo parado.

3. Com alarme geral

Reinicia somente a operação da bomba, se esta estiver ligada conforme o esquema elétrico e indica o último alarme que foi mostrado antes da parada.

FALTA FASE E IVERSÃO DE FASE.

O Chiller possui uma proteção contra a Falta Fase ou Contra a Inversão de Fase para a proteção do compressor.

Tensão Trifasica INVERSÃO DE FASE

ALARME DISPLAY "05"

FALTA FASE

FASE R ABERTA

DSW6 – 1 – ON

OPERAÇÃO RESIDUAL DA BOMBA DE ÁGUA

FASE S ABERTA

FASE T ABERTA

ALARME DISPLAY "05"

Se a instalação da bomba for feita conforme esquema elétrico, o controlador opera a bomba d’água, automaticamente, por 10 segundos após a parada do Chiller a fim de proteger os resfriadores contra congelamento da água interno aos resfriadores.

Se um incêndio acontecer acidentalmente, desligar o disjuntor principal e usar extintor específico para combater as chamas.

Não operar o Chiller próximo a produtos inflamáveis como gases, vernizes, óleo de pintura, entre outros a fim de evitar incêndio ou explosão.

52

Sempre desligar o disjuntor geral quando efetuar serviços de manutenção no Chiller.

O Chiller possui partes quentes, como o lado de descarga dos compressores, tubos de descarga e coletores de descarga dos condensadores, portanto, não tocar nessas partes sob o risco de queimaduras graves.

Execute manutenção periódica de acordo com as instruções para manter o Chiller em boas condições de operação.

Não utilizar os Chillers para resfriar ou a aos códigos aquecer água potável. Obedecer aos códigos e regulamentos locais e de segurança.

Desligar todos os disjuntores principais se houver vazamento de gás refrigerante ou vazamento de água.

VÁLVULA DE EXPANSÃO

Válvula do tipo eletrônica, regulando a temperatura do refrigerante garantindo maior vida útil do compressor, sem desperdícios e com a maior eficiência.

Estas válvulas são de alta confiabilidade e longa vida útil.

Válvula de Expansão Eletrônica Controlador da Válvula de Expansão Eletrônica

CONTROLE VALVULA DE EXPANSÃO ELETRONICA

A válvula de expansão eletrônica possui um controlador separado, por ele é possível verificar Temperatura de super aquecimento, porcentagem de abertura da Válvula, Temperatura e Pressão evaporação e alarmes da

Válvula.

Para acessar esses dados basta:

53

Pressionar ate a tela alterar para a função r05

Navegar ate chegar à função de visualização (Não alterar nenhuma função sem a permissão da Hitachi)

Pressionar os dois Botões ao mesmo tempo para entrar visualizar, e pressione os dois botões para sair

.

VISUALIZAÇÕES CONTROLADOR VÁLVULA

Temperatura do sensor de Sucção

u20

Superaquecimento

Referencia de Superaquecimento

Abertura Válvula

Pressão evaporação

Temperatura de evaporação

Leitura do sinal analógico transdutor

u21 u22 u24 u25 u26 u29

ºC

K

K

% bar

ºC mA

ALARMES CONTROLADOR VÁLVULA

E1

E15

Falha no controlador

Sem sinal sensor S2

Mensagem de Erro

E16

E19

E20

A1

A2

A11

A43

Mensagem de Alarme

Curto Circuito sensor S2

A entrada de sinal 16-17 esta fora do Range

A entrada de sinal 14-15 esta fora do Range

Alarme Alta temperatura

Alarme Baixa temperatura

Refrigerante não selecionado

Checar a Alimentação da Válvula

R05 - 0

R12 - 1

N04 - 3

N05 - 120

N09 - 5

N10 - 3

N11 - 20

N20 - 0,4

N22 - 2

N37 - 262

N38 - 250

N44 - 30

O12 - 60

O17 - 1

O18 - 0

O20 - 0

O21 - 25

O30 - 20

O45 - 0

O56 - 1

Os números em destaque acima são os que foram alterados em campos os restantes são default do controlador.

54

7.3. DADOS ELÉTRICOS (60Hz)

R-407C

Compressor

Consumo Nominal Total kW

Corrente Nominal Total A

Motor do

Ventilador

Corrente de Partida A

Consumo Nominal Total kW

Corrente Nominal Total A

Consumo Nominal kW

Corrente Nominal A

Total Geral

Corrente de Partida

Fator de Potência

Máxima Corrente de Operação do Equipamento

Número de Ciclos por Equipamento

A

%

220

RCU140SAZHE

380

156,6

440

411,0

357

436,2

596

570

237,9

222

9,6

25,2

166,20

252,5

362

90,0

330

2

205,5

181

218,1

301

284

220

RCU240SAZHE

380

234,9

440

616,5

357

356,9

222

14,4

37,8

308,2

181

654,2

907

850

249,30

394,7

544

90,0

495

3

327,1

456

425

NOTAS:

> Características Elétricas são baseadas nas condições abaixo, exceto a Máxima Corrente de Operação:

-Temperatura de Entrada da água no Resfriador: 12,2ºC

-Temperatura de Saída da água do Resfriador: 6,7ºC

-Temperatura do Ar na Entrada do Condensador: 35ºC

> DIMENSIONAMENTO DE CABOS E PROTEÇÕES ELÉTRICAS DEVERÃO SER FEITAS PÉLA MÁXIMA CORRENTE DE OPERAÇÃO

220

RCU350SAZHE

380

391,5

440

1027,4

357

594,8

222

24

63,0

513,7

181

1090,4

1069

1426

415,50

657,8

629

90,0

825

5

576,7

538

712

8

PROCEDIMENTO PARA CONEXÃO ENTRE A TUBULAÇÃO DE ÁGUA E O CHILLER

OBJETIVO:

1.Estabelecer o procedimento para conexão entre a tubulação do sistema e o Chiller.

2.Estabelecer o procedimento para limpeza do circuito de

água gelada antes do start up, e entrada do Chiller em operação.

3.Manutenção do resfriadores.

DESCRIÇÃO:

As partículas contidas na tubulação como poeira são consideradas no fator de incrustação, porém partículas sólidas como areia e carepas de solda em grande quantidade podem passar pelos filtros e se depositar no interior do resfriador provocando seu entupimento.

Estes procedimentos evitam que as impurezas contidas no sistema durante sua fabricação migrem para dentro do resfriador provocando seu entupimento total ou parcial causando perda de eficiência.

Pequenas quantidades dessas partículas que passam pelos filtros podem circular normalmente pelo resfriador sem causar entupimento.

A Hitachi não estabelece critérios especiais para o projeto e instalação do sistema de água gelada, mas sim o mínimo necessário para a interligação desta ao

Chiller.

Os Resfriadores possuem um fluxo interno bastante turbulento evitando que, durante o funcionamento normal, ocorra perda de rendimento do mesmo em curto espaço de tempo.

CUIDADO

8.1. TUBULAÇÃO DE ÁGUA

Quando executar a tubulação de água:

1.As tubulações de água adquiridas oleadas deverão ser desengraxadas antes da montagem do circuito de água gelada.

4.Deverão ser instalados registros gaveta na entrada e saída, e válvula globo na saída geral de água gelada, não fornecidos. Estas deverão ser tomadas como mínimo para o bom funcionamento do Chiller.

Também deverão ser instaladas conexões roscadas na entrada de água (parte superior do tubo) para purga do ar, na saída de água (parte inferior do tubo) para dreno de

água além de manômetros na entrada e saída de água.

2.Conecte todos os tubos o mais próximos possível do

Chiller, de forma que a desconexão possa ser executada facilmente quando exigida.

3.É recomendável o uso de juntas flexíveis na entrada e saída geral de água gelada para evitar que vibrações sejam transmitidas.

55

5.A tubulação de água entre o filtro “Y” da bomba e saída de água dos resfriadores deverá ser limpa internamente antes de ser conectada aos resfriadores para evitar que as partículas adentrem aos mesmos.

6.Execute a isolação das tubulações de água para evitar que ocorra troca de calor com o ambiente,isso reduz a performance do Chiller além de provocar a condensação do ar nas tubulações.

7.A tubulação de entrada e saída de água não é fornecida com o Chiller ficando aos cuidados do instalador a execução e instalação das mesmas. O item

8.2.

mostra os detalhes recomendados para execução da tubulação de água.

8.2. CARACTERÍSTICAS DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA

RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES:

1.As sugestões para as interligações a seguir são mínimas, não refletindo portanto às necessidades de cada instalação. Fica a cargo do projetista e instalador a aplicação de recursos que venham beneficiar as instalações.

2. Toda instalação deverá contar com itens básicos como termômetros, conexões para aplicação de chaves de fluxo, purgadores de ar, dreno, enfim, itens não fornecidos com o Chiller.

3.Deverá ser feito suporte para que o peso das tubulações não seja transferido às conexões do Chiller evitando danificá-las.

NOTA:

Todas as unidades não indicadas deverão ser consideradas em milímetros (mm).

8.2.1. ESPECIFICAÇÕES PARA MONTAGEM DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA DOS CHILLER'S HITACHI

*CUIDADOS PARA CONEXÃO ENTRE A TUBULAÇÃO

DE ÁGUA GELADA E O RESFRIADOR DO CHILLER.

ADVERTÊNCIA

CHICANAS

COLETOR

DE SAÍDA

TAMPA

TRASEIRA

JUNTA

COLETOR DE

TAMPA

ENTRADA

DIANTEIRA

PARAFUSOS

JUNTA

ESPELHO

TRASEIRO

PÉ TRASEIRO

CARCAÇA DO

REFRIADOR

PÉ DIANTEIRO

TUBOS

PARA-

FUSOS

A execução destes procedimentos evitará que tanto as impurezas quanto os gases e outros oriundos do processo de fabricação das tubulações do circuito de

água gelada e/ou fluído a ser resfriado migrem para dentro do resfriador provocando a sua degradação seja por um entupimento ou por uma reação química interna provocando a sua corrosão (ver figura abaixo).

A fixação dos carretéis 03 às conexões 02 de entrada e saída do resfriador só poderá ser feita após a soldagem dos tubos, nenhum gás oriundo do processo de soldagem dos flanges aos tubos poderá migrar ao interior do resfriador, caso esta situação ocorra o risco de reações juntamente com a água se dará no interior do resfriador favorecendo o início do processo de corrosão dos tubos.

A boa resistência à corrosão inerente ao cobre e ligas de cobre dos tubos do trocador é devida à sua habilidade em formar uma camada protetora natural durante a operação do resfriador. Assim sendo, tubos novos sem uma camada protetora jamais devem operar com água contaminada e/ou fora dos parâmetros, da mesma forma que excesso de depósitos de “sujeiras” e/ou outros componentes poderão impedir a formação desta camada protetora. Por esta razão é sempre utilizada água limpa para o teste hidrostático do circuito de água gelada e/ou solução a ser resfriada. A utilização de água contaminada, água agressiva ou água pobre em oxigênio

é rigorosamente desaconselhada.

VIDE QUADRO

DE ADVERTÊNCIA

Para pequenas paradas, é aconselhável a drenagem da

água do interior do trocador, se não drenada é preferível que seja mantido um fluxo ainda que em baixa velocidade ao que deixar a água estagnada no seu interior.

Nº ITEM

1 RESFRIADOR

2 CONEXÃO ENTRADA E SAÍDA RESFRIADOR

3 CARRETEL DE INTERLIGAÇÃO

4 JUNTA DE EXPANSÃO DE BORRACHA

Para paradas por longos períodos é recomendado:

1.Desconecte os tubos que interligam a entrada e saída de água e/ou solução a ser resfriada do resfriador;

2. Tampe os bocais de entrada e saída do resfriador com flanges cegos de aço carbono e gaxetas. Em um dos flanges cegos instale um manômetro com escala de 0 a 5 kgf/cm² no outro instale uma válvula do tipo globo com diâmetro nominal de ½” BSP.

56

3.Pressurize o resfriador com gás inerte (de preferência

Nitrogênio) a uma pressão de 2 kgf/cm². Esta pressão deverá ser verificada semanalmente, durante a fase de inoperação do resfriador de líquido.

*RECOMENDAÇÕES DE FECHAMENTO TÍPICO PARA

TUBULAÇÃO DE ÁGUA GELADA

1 RESFRIADOR

ITEM

2 CONEXÃO ENTRADA E SAÍDA RESFRIADOR

3 FLANGE CEGO

4 MANÔMETRO

5 PONTO PARA NITROGÊNIO

1 RESFRIADOR

ITEM

2 CARRETEL DE INTERLIGAÇÃO

3 CHAVE DE FLUXO

4 MANÔMETRO

5 VÁLVULA BORBOLETA DO "BY-PASS"

6 JUNTA DE EXPANSÃO DE BORRACHA

7 FILTRO Y

8 VÁLVULA GLOBO

9 VÁLVULA GAVETA

NOTAS:

1. A utilização do filtro “y” na entrada do resfriador é aconselhada porém facultativa. Ela garantirá uma maior segurança

à integridade da limpeza do resfriador. Caso não seja instalado conforme proposto é de suma importância que ao menos na sucção das bombas os mesmos sejam instalados.

2. A tubulação de água gelada deverá ser isolada.

8.2.2.TESTE DE VAZAMENTO E "PRIMEIRA" CIRCULAÇÃO DE ÁGUA NO SISTEMA (RESFRIADOR)

A rede hidráulica deve ser testada em 2 fases:

1º Teste com Pressão Pneumática:

A rede hidráulica deve ser pressurizada com nitrogênio com todos os registros e válvulas abertas e com o auxílio de manômetros, devem-se checar as condições de pressão, após algumas horas.

Nº ITEM

1 RESFRIADOR

2 CONEXÃO ENTRADA E SAÍDA RESFRIADOR

3 FLANGE CEGO

4 VÁLVULA BORBOLETA

NOTA:

ILUSTRAÇÃO SUGESTIVA DE LIGAÇÃO DE TUBO DE BY-PASS

ENTRE A TUBULAÇÃO DE ENTRADA E SAÍDA DO RESFRIADOR.

2º Teste com Pressão Hidráulica:

A rede hidráulica deverá ser pressurizada com água de resfriamento com todos os registros e válvulas abertas.

Todas as juntas por flanges, soldas ou outros devem ser verificadas com a bomba d’água em funcionamento.

É recomendado que na realização deste, teste o resfriador seja by-passado, ver figura abaixo.

OBSERVAÇÃO:

As ilustrações são apenas sugestivas deixando a cargo do instalador e/ou mantenedor total liberdade em alterar e s t a s c o n f i g u r a ç õ e s d e s d e q u e m a n t i d o a s recomendações quanto ao processo.

*DETALHE DA TUBULAÇÃO DA CHAVE DE FLUXO

5 D 5 D

ADVERTÊNCIA

No momento da realização da “Primeira Circulação de

Água no Sistema” é recomendado que esta água não circule pelo resfriador, ou seja, o fluxo deverá ocorrer através do “by-pass” proposto ilustrado na figura abaixo, somente após a limpeza do sistema bem como a remoção dos residuais sólidos oriundos da fabricação das tubulações e outros é que o fluxo d’água através do resfriador poderá ser liberado.

TUBO

SAÍDA DE

ÁGUA GELADA

(VEM DO RES-

FRIADOR)

P/ TUBOS COM

Ø

INFERIOR OU IGUAL 2" PREVER UM PROLON-

GADOR NECESSÁRIO P/ LIVRAR DA INTERFERÊNCIA C/ O ISOLA-

MENTO

Nº ITEM

1 CHAVE DE FLUXO (Water Flow Switch)

2 LUVA ALTA PRESSÃO (Soldada na Tubulação)

3 SENSOR DE FLUXO

57

NOTA: INSTALE A CHAVE DE FLUXO O MAIS PRÓXIMO POSSÍVEL

DA CONEXÃO DE SAÍDA DE ÁGUA GELADA (RESFRIADOR),

SEMPRE RESPEITANDO AS DIMENSÕES INDICADAS NO

DESENHO ESQUEMÁTICO.

*DETALHE DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA PARA MODELOS RCU300 a RCU350SAZHE

SUGESTÃO PARA MONTAGEM EM CAMPO - 5 CICLOS

REDUÇÃO CONCÊNTRICA

58

*DETALHE DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA PARA MODELOS RCU240 a RCU280SAZHE

SUGESTÃO PARA MONTAGEM EM CAMPO - 4/6 CICLOS

59

8.2.3. TESTE CONTRA VAZAMENTOS

A rede hidráulica deverá ser testada em 2 fases:

1º Teste com Pressão Pneumática:

A rede hidráulica deverá ser pressurizada com nitrogênio com todos os registros e válvulas abertas e, com o auxílio de manômetros, deve-se checar as condições de pressão, após algumas horas.

2º Teste com Pressão Hidráulica:

Para este teste os Lacres devem ser recolocados na entrada e saída dos resfriadores.

A rede hidráulica deverá ser pressurizada com água de resfriamento com todos os registros e válvulas abertos.

Todas as juntas por flanges, soldas ou outros devem ser verificados com a bomba d’água em funcionamento.

ESPECIFICAÇÃO DE VAZÃO E VOLUME DE ÁGUA

Modelo

RCU350SAZHE

Volume Interno Total Vazão Máxima Vazão Mínima do Resfriador (l) (m3/h) (m3/h)

420,0 285 116,6

*PRESSÃO DE TRABALHO

2

A pressão de trabalho não deverá ultrapassar a 10,5 kgf/cm G

8.3. CONTROLE DA ÁGUA

CUIDADO

Quando água industrial é aplicada para água de resfriamento, esta água raramente possui materiais sólidos depositados ou outras substâncias estranhas.

Porém, quando a fonte geradora desta é de rio normalmente esta possui partículas sólidas e/ou materiais orgânicos em grandes quantidades.

Por isso é necessário que a água proveniente deste tipo de fonte seja tratada quimicamente antes de sua aplicação no Chiller.

Também é necessário a análise da qualidade da água pela checagem do pH , condutividade elétrica, conteúdo de íons de amônia, conteúdo de enxofre, e outros e, utilizar água somente se a análise da mesma apresentar valores conforme as especificações na tabela a seguir:

Item pH (25°C)

Condutividade Elétrica

(mS/m) (25°C)

{S/cm} (25°C)

Íon de Cloro

Íon de Sulfato

4

2-

(mg SO / )

Consumo de Ácido (pH 4.8) (mg CaCO / )

Dureza Total

Dureza de Cálcio

Sílica L

Total Ferro

Total Cobre

Íon Sulfuroso

Íon de Amônia

Cloro Residual

Dióxido de Carbono em Suspensão

Índice de Estabilidade

(mg Fe / )

(mg Cu / )

(mg Cl / )

Sistema de Água

Água de Circulação

(20°C ou menos)

Água de Reposição

6,8~8,0

40 ou menos

{400 ou menos}

6,8~8,0

30 ou menos

{300 ou menos}

50 ou menos

50 ou menos

50 ou menos

70 ou menos

50 ou menos

50 ou menos

50 ou menos

70 ou menos

50 ou menos

30 ou menos

50 ou menos

30 ou menos

1,0 ou menos 0,3 ou menos

1,0 ou menos 0,1 ou menos

Não pode ser detectado

1,0 ou menos

0,3 ou menos

0,1 ou menos

0,3 ou menos

Tendência

Corrosão

Depósito de

Partículas

4,0 ou menos 4,0 ou menos

-

NOTAS:

1.A indicação em “ ” na tabela refere-se à tendência de corrosão ou depósito departículas.

2.Valores mostrados em { } são valores convencionais para referência.

3.Quando a temperatura for alta (acima de 40ºC), a corrosão geralmente aumenta.Especialmente, quando a superfície do ferro/ aço não possui película protetora e

4.Água urbana, água industrial e água originária de fontes subterrâneas devem ser utilizadas como fonte de água do sistema, desde que recebam o adequado tratamento químico e sejam seguidos os parâmetros recomendados, enquanto que a água desmineralizada, água reciclada e

água abrandada devem ser evitadas, caso não haja um adequado controle sobre estes processos.

mantém contato diretamente com a água, é desejável tomar medidas adequadas contra a corrosão, tal como aplicação de inibidor de corrosão e tratamento de desaeração

60

5.Os 15 itens listados acima expõem os fatores típicos de corrosão e grau de problemas.

9

LISTA DE VERIFICAÇÃO

9.1. INSPEÇÃO FINAL DA INSTALAÇÃO

Inspecione o trabalho de instalação de acordo com todos os documentos e desenhos.

A tabela a seguir mostra os itens mínimos para inspeção.

9.1.1. LISTA DE VERIFICAÇÃO DO TRABALHO DE INSTALAÇÃO

1.O Chiller está corretamente montado e nivelado?

Purgador de Ar

2.O local de instalação é adequado?

Espaço para Fluxo de Ar no Condensador

Teste Vazamento

4.O sistema de instalação elétrica está adequado?

Espaço para o Trabalho de Manutenção

Ruído e Vibração

Sol e Chuva (partes elétricas fechadas)

Aparência

3.O Sistema de tubulação de água está adequado?

Diâmetro dos Tubos

Comprimento

Dimensionamento dos Cabos

Dimensionamento dos Fusíveis e Disjuntores

Dispositivos de Proteção

Dispositivos de Operação e Controle

Interlock da Bomba e Chave de Fluxo

Reaperto Geral

Tensão e Frequência de Alimentação

Juntas Flexíveis

Isolação

5.As fases R,S,T da rede estão corretamente conectadas aos bornes R, S, T?

Filtro “Y”

Interligação entre Resfriadores (barrilete de 4 a 6 ciclos) 7.O BMS, quando conectado, foi devidamente instalado e funciona como especificado?

Dreno de Água

6.As válvulas de esfera da linha de líquido foram totalmente abertas?

Controle da Água

10 PARTIDA DO CHILLER START-UP

IMPORTANTE:

É de inteira responsabilidade da HITACHI ou representante por ela determinado a realização do

START UP do Chiller ficando a cargo do cliente ou instalador a preparação prévia para que o mesmo possa ser executado de maneira satisfatória.

CUIDADO

O Chiller sai de fábrica com sua configuração padrão, ou seja em aplicações onde o mesmo operará em termoacumulação, uma nova configuração deverá ser feita em campo (responsabilidade da HITACHI), de forma a adequar todos os componentes de segurança ao novo

Set point. A não configuração implicará em uma operação vulnerável, colocando em risco a segurança do operador e a danos irreversíveis ao equipamento.

10.1. PREPARAÇÃO

CUIDADO

61

-É necessário ligar a alimentação do comando 12 horas antes da colocação dos compressores em operação. Isso se faz necessário para que os aquecedores de óleo do compressor eliminem o acúmulo de refrigerante líquido no interior dos compressores;

-Certifique-se de que todos os itens que compõem o sistema, elétrico e hidráulicos foram verificados para que o Chiller possa entrar em operação;

-Após soldada a tubulação de água e conectada ao resfriador, coloque os sensores THMof_ nos poços e adicione pasta térmica junto aos mesmos para modelos com 02 resfriadores (módulos);

-Certifique-se que as válvulas da linha de líquido estão abertas corretamente. Se as mesmas não estiverem poderá ocorrer sérios danos ao compressor devido à alta pressão de descarga.

10.2. TIPOS DE APLICAÇÃO

10.2.1. CONDIÇÃO PADRÃO

-Temperaturas de Saída da Água Gelada: 5 ~15ºC,

-Temperatura de Entrada do Ar Condensação: 5~ 40ºC.

10.2.2. ETILENO GLICOL

1. Ambientes com Baixa Temperatura

Em regiões muito frias pode haver o congelamento da

água nas tubulações durante o período em que o equipamento estiver parado.

2. Baixa Temperatura da Solução

Quando for necessária a utilização do Chiller com temperaturas de saída da solução inferiores a 5ºC deve ser adicionado à água Etileno Glicol.

Esta aplicação está subdividida em 2 categorias

:

Se a ligação elétrica da bomba de água estiver associada ao funcionamento do Chiller, conforme esquema elétrico, pode-se configurar o mesmo para que se faça a operação automática da bomba de água quando a temperatura ambiente atingir 2ºC a fim de se evitar o congelamento.

A tabela a seguir mostra os itens necessários para manutenção da operação do equipamento:

(multiplicar os fatores de correção pelos dados fornecidos na seleção do equipamento)

Temperatura Ambiente Mínima até

Percentual de Etileno Glicol

Fator Correção da Capacidade de

Resfriamento

Fator Correção Consumo Elétrico

Fator Correção da Vazão da

Solução

Fator Correção da Perda de Carga no Resfriador

ºC

% (kg)

%

%

%

%

-5

15

99

100

100

107

Não adicione água em quantidades inferiores as informadas, pois o set point de segurança para anticongelamento não pode ser alterado.

10.3. INÍCIO DE OPERAÇÃO DA BOMBA DE ÁGUA GELADA

10.3.1. LIMPEZA DE REDE HIDRÁULICA

CUIDADO

Em sistemas novos, antes da operação inicial, devem ser tomados os seguintes cuidados:

-Drene e limpe mecanicamente as partes acessíveis, retirando todos os resíduos que podem estar depositados no sistema, (varetas de solda, pedra, areia, etc.);

-Reponha a água no sistema eliminando todo ar existente no sistema;

-Consulte empresas químicas para tratamento da água do sistema.

10.3.2. AJUSTE DA VAZÃO DE ÁGUA

VAZÃO DE ÁGUA POR MODELO

MODELO

RCU140SAZHE

* RCU280SAZHE

VOLUME TOTAL VAZÃO NOMINAL PERDA DE CARGA VAZÃO MÁXIMA

(litros) (m³/h) (mca) (m³/h)

162,95

325,89

74,4

** 148,8

9,9

*** 9,9

117,5

235,0

VAZÃO MÍNIMA

(m³/h)

40,5

81,0

NOTAS:

1.* Equipamentos compostos por 02 módulos, dispondo desta forma de 02 resfriadores sendo 1 por módulo.

2.* * Vazão equivalente à soma das vazões dos 2 resfriadores.

3.* * * Perda individual de cada resfriador, considerando a maior perda. Para balanceamento das vazões de água recomenda-se a instalação de válvula globo nos ramais de saída da solução resfriada conforme ilustrado no

“DETALHE DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA PARA MODELOS RCU240SAZHE à RCU420SAZHE” na página 30.

62

10.4. INÍCIO DA OPERAÇÃO DO CHILLER

CUIDADO

CONTROLE DE TENSÃO NOS COMPRESSORES

1.A queda de tensão admissível causada pelo efeito do comprimento dos cabos de alimentação, não deverá ser superior a 2%. Caso a queda de tensão ultrapasse este valor, deverão ser utilizados cabos de maior seção.

um Fasímetro nas réguas de força de cada compressor e, se detectada uma reversão desligue a chave geral e efetue a inversão em 2 das 3 fases do ciclo correspondente (Cabos do cliente).

2. A tensão durante a partida deverá ser maior que 85% da tensão nominal. Caso o valor seja inferior o compressor não entrará em operação tendendo a ser desligado por sobrecarga de corrente ou o disjuntor de alimentação será desarmado. É necessário rever a capacidade do transformador de alimentação do

Sistema.

3.Para múltiplos compressores o suprimento de energia, transformador, deve fornecer potência suficiente para que os compressores que partirem por último não o façam com tensão abaixo dos 15% da nominal pois nesse caso pode acontecer:

-Aumento do escorregamento, queda na rotação do motor;

-Insuficiência de Torque na Partida;

-Redução na Lubrificação dos Mancais;

-Alta Corrente na transição de Estrela para Triângulo com consequente desligamento por sobrecarga;

-Desgaste prematuro dos Contatos das Contatoras de

Potência;

-Desgaste prematuro dos Rolamentos.

Antes de ser iniciada a operação do Chiller todas as verificações prévias deverão estar asseguradas para evitar mau funcionamento ou danos ao sistema.

IMPORTANTE:

O Start up deve ser executado como a seguir:

1.Ligue a bomba de água gelada e os fan coils e verifique as suas condições de operação.

2.Verifique se há fluxo de água suficiente no sistema.

3.Ajuste a vazão de água às condições do projeto.

4.Ajuste o valor de temperatura de saída de água gelada desejada.

5.Abra as válvulas de esfera na linha de líquido de cada ciclo.

6.Ligue o Chiller no modo local, após alguns minutos o compressor entrará em operação e os próximos, se houver, entrarão em operação com defasagem de 1 minuto entre eles e analise as suas condições de operação.

7.Verifique o sentido de rotação dos ventiladores (o correto é sentido de rotação de plástico e

HORÁRIO

ANTI-HORÁRIO

para hélice para hélice de alumínio).

8.Após o sistema se estabilizar verifique as pressões e temperaturas de trabalho no painel de controle do Chiller.

9.Verifique se os dispositivos de controle e proteção estão operando corretamente.

4.O desbalanceamento entre as fases não pode ser superior a 3% da tensão nominal.

5.A tensão de trabalho pode variar em ±10% da tensão nominal.

NOTAS:

-O Chiller entra em operação 3 minutos depois de pressionado o botão Liga;

Tensões fora da faixa podem causar os mesmos danos citados no item 3 porém não sendo perceptível ao longo do tempo além de provocar a atuação das proteções prematuramente devido a:

-Aumento da Corrente de Operação;

-Aquecimento da Bobina do Estator;

-Aumento nas Pressões de Operação.

-O tempo de partida estrela triângulo do compressor é de

5 segundos, o mesmo permanece descarregado até a entrada em operação do último compressor acrescido de

30 segundos, quando se inicia o carregamento dos mesmos;

6.Os compressores possuem um sentido de rotação e este está protegido por um sistema que verifica a sequência das fases sempre que o mesmo entra em operação. Entretanto é aconselhável que no start-up seja

-Quando o compressor é desligado pode ser ouvido um ruído alto, que não é indício de anormalidade no mesmo, parando em alguns segundos. Isso acontece devido à reversão no sentido de rotação que resulta da diferença de pressão entre a descarga e a sucção. Uma válvula de retenção instalada na descarga do compressor impede o retorno do gás refrigerante já liberado para o sistema.

10.5. INSTRUÇÕES PARA O CLIENTE APÓS O START-UP

Quando o Start Up estiver terminado instruir o Cliente sobre operação e manutenção periódica do Chiller indicando o uso do Manual que acompanha o mesmo.

Deve ser dada atenção especial aos seguintes avisos:

CUIDADO

É necessário ligar a alimentação do comando 12 horas antes da colocação dos compressores em operação, se os mesmos estiverem parados por um longo período. Isso se faz necessário para que os aquecedores de óleo do compressor eliminem o acúmulo de gás refrigerante no estado líquido no interior dos compressores.

63

Toda vez que o Chiller for ligado, o mesmo deverá permanecer nesta condição por, no mínimo 5 minutos.

Este é o tempo mínimo necessário para promover o retorno do óleo que circula junto com o gás ao compressor. Caso o funcionamento seja interrompido antes de 5 minutos o nível de óleo do carter não será mantido e a lubrificação dos componentes ficará comprometida.

Toda falha deve ser verificada e corrigida antes da retomada da operação do Chiller.

Mantenha sempre as portas do quadro elétrico bem fechadas para evitar entrada de água nos mesmos.

Nunca exceda a 6 partidas por hora dos compressores. Excesso de partidas pode provocar, além dos problemas anteriormente citados, desgastes mecânicos que reduzem a vida útil dos compressores.

11 CONTROLES INTERNOS

11.1. CONTROLES INTERNOS

A seguir, os principais controles que podem atuar sobre o funcionamento do Chiller sem que haja interferência do operador ou fontes externas a fim de proteger o Chiller contra possíveis anomalias.

3. Com Alarme Geral

Reinicia somente a operação da bomba, se esta estiver ligada conforme o esquema elétrico e indica o último alarme que foi mostrado antes da parada.

Alta Temperatura de Água

Caso a temperatura da água ultrapasse 65ºC por aquecimento causado pelo funcionamento da bomba de

água e o Chiller estiver parado é mostrado um alarme

“PU” intermitente na IHM LCD. É necessário desligar a bomba ou ligar o Chiller a fim de baixar a temperatura.

Se a temperatura baixar de 60ºC o alarme é cancelado.

Operação Residual Da Bomba De Água

Se a instalação da bomba for feita conforme esquema elétrico, o controlador opera a bomba d'água, automaticamente, por 10 segundos após a parada do

Chiller a fim de proteger os resfriadores contra congelamento da água interno aos resfriadores.

Início de carregamento dos Compressores

O intervalo de partida entre os compressores é de 1 (um) minuto, tanto para início de operação quanto para retorno pelo controle de capacidade.

Controle de Partida dos Compressores

O código “PU PU” também pode se apresentar nas situações em que se tentar partir o compressor e este estiver com carga, caso haja desligamento do Chiller durante o funcionamento a plena carga.

O carregamento dos compressores é iniciado após a entrada do último compressor em operação triangulo acrescido de 30 segundos.

Sequencia de Partida dos Compressores

O controlador faz a reversão na ordem de partida dos compressores automaticamente. Este controle funciona somente se o compressor operar por 2 (duas) horas consecutivas que é o tempo mínimo para registro no controlador para efeito de reversão da ordem de partida.

Se o compressor não mantiver a operação, este alarme é apresentado por 3 segundos, porém a reentrada do compressor é acionada e o tempo de partida ajustado é renovado para aumentar o tempo de acionamento da válvula solenóide SVCB responsável pelo recolhimento do cilindro de controle de capacidade a condição de 15%, a s s i m , o c o m p r e s s o r automaticamente.

r e t o r n a

O controle procede como segue: a o p e r a ç ã o

Falta de Tensão Momentânea

Se ocorrer uma falta de tensão de até 2 segundos, o

Chiller continua a operar normalmente. Caso haja falta de tensão seja superior a 2 segundos, o Chiller é parado por segurança, porém não indicação de alarme.

Reação do Controlados

1. Sob condição normal de funcionamento:

Reinicia a operação automaticamente após 3 minutos

2. Com um dos ciclos em Alarme:

Reinicia a operação automaticamente após há 3 minutos, com uma indicação de alarme ocorrido no ciclo parado.

64

12 MANUTENÇÃO

O Chiller deve ser inspecionado periodicamente de acordo, para assegurar um bom desempenho e a manutenção da confiabilidade do equipamento. Os avisos adicionais a seguir devem receber atenção especial.

ADVERTÊNCIA

Se um incêndio acontecer acidentalmente, desligue o disjuntor principal e use um extintor específico para combater as chamas.

Não opere o Chiller próximo a produtos inflamáveis como gases, vernizes, óleo de pintura, entre outros a fim de evitar incêndio ou explosão.

Sempre desligar o disjuntor geral quando efetuar serviços de manutenção no Chiller.

O Chiller possui partes quentes, como o lado de descarga dos compressores, tubos de descarga e coletores de descarga dos condensadores, portanto, não tocar nessas partes sob o risco de queimaduras graves.

CUIDADO

Execute manutenção periódica de acordo com as instruções para manter o Chiller em boas condições de operação.

Não utilize os Chillers para resfriar ou a aos códigos aquecer água potável. Obedeça aos códigos e regulamentos locais e de segurança.

Desligue todos os disjuntores principais se houver vazamento de gás refrigerante ou vazamento de água.

12.1. TABELA DE PRAZOS PARA MANUTENÇÃO PERIÓDICA

ITEM SERVIÇOS

CHILLER

CIRCUITO DE

GÁS

REFRIGERANTE

COMPRESSOR

LIMPEZA DOS PAINÉIS

VERIFICAÇÃO DE DANOS À PINTURA

VERIFICAÇÃO DE RUÍDOS / VIBRAÇÕES

VERIFICAR VAZAMENTO / REAPERTO

VERIFICAR OBSTRUÇÃO FILTRO SECUNDÁRIO

VERIFICAR VÁLVULA DE EXPANSÃO

VERIFICAÇÃO DO PLUG FUSÍVEL

VERIFICAÇÃO DO SUPERAQUECIMENTO

VERIFICAÇÃO DO SUBRESFRIAMENTO

VERIFICAR PRESSÃO DE SUCÇÃO

VERIFICAR PRESSÃO DE DESCARGA

VERIFICAR AQUECEDOR DE ÓLEO DO CÁRTER

VERIFICAR BORNES E CONEXÕES

VERIFICAR HORAS DE OPERAÇÃO

VERIFICAR CORRENTES DE OPERAÇÃO

VERIFICAR TENSÕES

MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL

VERIFICAR RESISTÊNCIA DE ISOLAMENTO

VERIFICAR TEMPERATURA DO CÁRTER

VENTILADORES

DO CHILLER

LIMPEZA DAS PÁS DA HÉLICE

VERIFICAR OS ROLAMENTOS DOS MOTORES

VERIFICAR TENSÃO DOS MOTORES

VERIFICAR CORRENTE DOS MOTORES

SERPENTINAS

CONDENSADOR

VIDE ROTINAS DE MANUTENÇÃO DOS

CONDENSADORES

65

ANUAL

ITEM

RESFRIADOR

SISTEMA

LUBRIFICAÇÃO

SERVIÇOS

VERIFICAR PRESSÃO ENTRADA/SAÍDA ÁGUA

VERIFICAR TEMPERATURA ENTRADA/SAÍDA

ÁGUA

ATUAÇÃO DA CHAVE DE FLUXO

VERIFICAR VAZAMENTO NAS CONEXÕES E

JUNTAS HIDRÁULICAS

VERIFICAR O NÍVEL E A COLORAÇÃO DO ÓLEO, SE A

COLORAÇÃO ESTIVER ESCURA OU MUITO ESCURA,

HÁ NECESSIDADE DE TROCA DO ÓLEO

MESMO

ANTES DO PRAZO DE OVERHAUL DOS CPRS

ANUAL MENSAL TRIMESTRAL SEMESTRAL

QUADRO

ELÉTRICO

VERIFICAR CONTATOS DOS CONTATORES DE

FORÇA

INSPEÇÃO GERAL E REAPERTO

VERIFICAR PONTO DE ATUAÇÃO DOS

TRANSMISSORES DE PRESSÃO

VERIFICAR OPERAÇÃO DOS TRANSMISSO-

RES DE CONTROLE

VERIFICAR INTERTRAVAMENTOS

VERIFICAR AS VÁLVULAS / PURGADORES

LIMPAR OS FILTROS DE ÁGUA

REDE

HIDRÁULICA DE

ÁGUA DO

RESFRIADOR

REFAZER DANOS À PINTURA / ISOLAMENTO

LIMPAR INSPECIONAR BOMBAS DE ÁGUA

ANALISAR QUALIDADE DA ÁGUA

NOTA:

Para regiões e/ou ambientes agressivos (que sofrem intensa ação de poluentes) reduzir os prazos à metade.

12.1.1. ROTINA DE MANUTENÇÃO DOS CONDENSADORES

ITEM

1

4

5

2

3

6

SERVIÇOS

INSPEÇÃO VISUAL SUPERFICIAL DO (S) CONDENSADOR (ES)

PREENCHER A "FOLHA DE LEITURA" ITEM 16.9.

INSPEÇÃO VISUAL MINUCIOSA DO (S) CONDENSADOR (ES)

LAVAGEM DO CONDENSADOR

REAPLICAR O VERNIZ ANTI-CORROSÃO (QUANDO EXISTIR)

PENTEAR AS ALETAS AMASSADAS

PERIODICIDADE

SEMANAL

QUINZENAL

MENSAL

MENSAL

SEMESTRAL OU QUANDO NECESSÁRIO

QUANDO NECESSÁRIO

NOTAS

1.As rotinas de limpeza das superfícies são essenciais para manter as propriedades de operação da unidade, eliminando a contaminação e removendo os resíduos nocivos com eficiência a vida do condensador será aumentada proporcionando por sua vez o aumento da vida do resfriador.

4.As cores dos painéis (serpentinas) podem se alterar de forma e tonalidades diferentes dependendo da incidência dos raios solares sobre o Chiller.

5.O Chiller não deve ficar exposto diretamente à ventos em qualquer de suas faces para evitar o acúmulo precipitado de partículas causadoras de oxidação e corrosão.

2.O descarte do(s) produto(s) químico utilizado na manutenção e/ou limpeza dos condensadores deverá ser executado conforme a legislação local.

6.Qualquer parada do Chiller tanto no aguardo do start-up da planta quanto durante a operação do mesmo que resulte em mais de 5 dias sem operação, o Chiller deverá 3.Seguir rigorosamente o

Plano de Manutenção

Preventiva

com o registro de cada manutenção.

ter sua parte superior e faces dos condensadores protegidos contra o depósito de partículas causadoras de

66 corrosão.

Condensador

Inspecione o condensador e remova qualquer acúmulo de sujeira, a intervalos regulares. Outros materiais particulados como grama, pedaços de papel, fuligem, etc podem restringir o fluxo de ar, nestas situações o acúmulo deverá ser removido.

12.2. LUBRIFICAÇÃO

Compressor

Os compressores saem de fábrica com carga completa de óleo não sendo necessário, portanto, adicionar óleo ao mesmo desde que o ciclo de refrigeração permaneça selado.

Recoloque o flange cego no compressor.

NOTAS:

1.Este processo deve ser feito o mais rápido possível para se evitar que o óleo do compressor absorva umidade.

Por este óleo ser altamente higroscópico, absorve umidade, sempre que o compressor for aberto deve-se também efetuar a troca do óleo pois mesmo com a execução de vácuo por um longo período, não é possível a retirada da umidade do mesmo.

2.Usar somente o óleo especificado pela HITACHI. O uso de óleo não especificado pode afetar o rendimento do

Chiller.

TIPO DE

CPR

50ASC-Z

GÁS

REFRIGERANTE

R-407C

60ASC-Z

TIPO DE ÓLEO

CARGA DE ÓLEO

TOTAL (l)

04SZ0155 6

O compressor pode trabalhar até 24000 horas, conforme acima mencionado, sem a necessidade de manutenção.

Este tempo pode ser controlado através de horímetros instalados junto ao painel de controle. Após este período o mesmo deverá ser parado para ser efetuado o overhaul.

Consultar a HITACHI para que este serviço possa ser executado.

A coloração do óleo do compressor deverá ser verificada regularmente para o melhor funcionamento do mesmo, se a coloração estiver escura ou muito escura, há necessidade de troca de óleo mesmo antes do prazo para overhaul do compressor. Este serviço deve ser executado por pessoal especializado.

Quando for necessária a troca do óleo é aconselhável também a troca do gás refrigerante pois o óleo nele contido pode ter perdido suas propriedades e também pode provocar o escurecimento precoce da nova carga de óleo.

CARGA DE ÓLEO

E m n e n h u m o u t r o ponto do compressor é permitido se fazer a carga de óleo.

E s t a é a ú n i c a manutenção permitida n o i n t e r i o r d o compressor feita por técnico especializado que não seja da Hitachi ou por ela indicado por escrito.

O descarte do óleo retirado do compressor deve ser executado conforme legislação local.

FLANGE DE DRENO DO ÓLEO

CUIDADO

O óleo utilizado no Compressor Parafuso Hitachi foi especialmente desenvolvido para ele, não adicione qualquer outro tipo de óleo que não tenha a aprovação Hitachi.

A não observância destes itens coloca em grave risco o funcionamento do Chiller.

POSIÇÃO DE MONTAGEM

Motor dos Ventiladores

Os rolamentos dos motores dos ventiladores são pré lubrificados não necessitando portanto de lubrificação adicional.

Carga de Óleo

Depois de efetuada a manutenção; overhaul,conserto de vazamentos, etc. retirar o flange cego localizado no separador de óleo do compressor.

Com um vasilhame graduado fazer a carga de óleo na quantidade especificada na tabela ou igual à retirada do compressor para os casos de manutenção exclusiva neste, com o auxílio de um funil para evitar o derramamento do mesmo.

67

Recomenda-se a cada overhaul de compressor, fazer uma análise minuciosa de ruído e vibração nos rolamentos dos motores e substituí-los se necessário.

01 02

SENTIDO DE ROTAÇÃO

HÉLICE DE ALUMÍNIO

SENTIDO DE ROTAÇÃO

HÉLICE DE CLORETO DE VINIL

(PADRÃO)

Nº ITEM

1 HÉLICE DE ALUMÍNIO

2 HÉLICE DE CLORETO DE VINIL (PADRÃO)

NOTA:

Quando realizados a substituição dos rolamentos dos motores, atente-se ao sentido de rotação dos ventiladores, pois existe o risco de sua inversão.

CUIDADO

Em ambientes agressivos e propensos a aceleração do fenômeno da corrosão é terminantemente necessária a instalação imediata do Chiller bem como o início de sua operação. A não opção por parte do cliente em adquirir o

"Kit Corrosão" no Chiller poderá comprometer em intervalo de tempo menor o eixo dos motores dos ventiladores (processo de corrosão) no caso da instalação e início de operação tardia.

12.3. PARADAS POR LONGOS PERÍODOS

Quando o Chiller for parado por longos períodos deve-se fazer a limpeza dos painéis, condensadores, etc. Deve –se também recolher o gás refrigerante dentro dos condensadores e feche as válvulas de esfera na linha de líquido. O

Chiller deve ser coberto a fim de se evitar que os condensadores sejam sujos.

Em caso de regiões muito frias é aconselhável que a água do sistema seja drenada ou se acrescente uma solução anticongelante.

12.4. RETORNO DE OPERAÇÃO DEPOIS DE PARADAS LONGAS

Depois de paradas longas o procedimento para colocar o

Chiller novamente em operação é conforme segue:

CUIDADO

1.Inspecione e limpe completamente o Chiller.

2.Limpe as tubulações de água e o filtro “Y". Inspecione a bomba e os acessórios da tubulação de água.

3.Reaperte todas as conexões da instalação elétrica e painéis.

É necessário ligar a alimentação do comando 12 horas antes da colocação dos compressores em operação. Isso se faz necessário para que os aquecedores de óleo do compressor eliminem o acúmulo de refrigerante líquido no interior dos compressores.

12.5. SUBSTITUIÇÃO DE PEÇAS CUIDADO

A substituição de peças deve ser feita com consulta a lista de sobressalentes.

Não substitua peças do Chiller por peças que não sejam equivalentes.

12.6. CICLO DE REFRIGERAÇÃO

Filtro Secador da Linha de Líquido e Sucção do Compressor

Verifique, sempre que o ciclo de refrigeração for aberto se há partículas no filtro secador da linha de líquido e de sucção do compressor.

O Chiller segue com filtro secador. Toda manutenção que requerer a abertura do ciclo de refrigeração, deverá ter seu elemento filtrante substituído. Seguir o procedimento abaixo:

Sempre que for necessário realize reparos em um ciclo de refrigeração (abertura do ciclo) o elemento filtrante da carcaça do filtro secador do ciclo deverá ser trocado.

O elemento filtrante deve ser montado conforme procedimento abaixo obedecendo a sequencia de operações descritas entre os itens 1 a 10 a seguir:

7.Não reponha a gaxeta do flange, a menos que ela esteja defeituosa. Havendo a reposição da gaxeta esta deverá ser lubrificada com uma fina camada de óleo antes do uso.

8.O prato com tela é o primeiro a ser montado, a tela deverá estar para dentro do furo do elemento filtrante. O

último a ser montado é o prato com retentor, a posição correta deste deverá ser com a aba para fora afim de centralizar a mola no flange.

1.Certifique-se que o conjunto do filtro esteja completamente sem pressão e retire o bujão.

2.Remova o flange do conjunto.

3.Solte os parafusos de fixação do conjunto.

4.Retire o porta suporte do elemento filtrante.

5.Limpe toda a parte interna.

6.Abra o recipiente lacrado e retire o elemento filtrante.

68

IMPORTANTE:

A gaxeta com diâmetro maior deverá ser colocada no lado externo do prato com tela, entre o prato e a carcaça, para evitar que o líquido passe pela carcaça sem passar pelo elemento filtrante.

9.Coloque os parafusos de fixação e firme as partes.

10.Recoloque a montagem na carcaça, aperte os parafusos do flange e teste contra vazamento.

JUNTA DE FELTRO

DA CARCAÇA

VIDE NOTA 2

TIRANTE

DISTANCIADOR

ELEMENTO

FILTRANTE

CARCAÇA DO

ELEMENTO

FILTRANTE

PRATO DE

APERTO

PRATO INFERIOR

FILTRANTE

JUNTA DE FELTRO

SUPERIOR E/OU INFERIOR

JUNTA DO

FLANGE MOLA

BUJÃO

FLANGE

PORCA

BORBOLETA

PARAFUSO DE

FIXAÇÃO DO FLANGE

-Abra completamente a válvula de esfera na linha de líquido;

-Efetue a carga de óleo;

-Conecte as juntas de inspeção na linha de líquido e na sucção do compressor do ciclo a ser recuperado;

-Conecte a bomba de vácuo e execute o vácuo;

-Efetue a carga de fluído refrigerante no ciclo de refrigeração pelo lado de baixa pressão utilizando uma balança para uma carga correta. A carga de fluído de refrigerante para cada Chiller consta na etiqueta de identificação do mesmo.

NOTAS:

1.As operações compreendidas entre 6 e 10 deverão ser feitas o mais rápido possível afim de evitar que o elemento filtrante absorva umidade ambiente.

2.Na substituição da pedra, não descarte o feltro, instalado entre a pedra e carcaça do filtro antes de verificar e/ou constatar se no novo refil o mesmo está disponível.

CUIDADO

Caso a temperatura ambiente esteja muito baixa impedindo a transferência de fluído refrigerante do cilindro para o ciclo será necessário ligar o Chiller para que a carga de fluído refrigerante possa ser completada.

NOTA:

Para evitar uma mudança na composição de fluído refrigerante R-407C não utilize os mesmos equipamentos como cilindros de carga de gás, manifold, etc. utilizadas para outros fluidos refrigerantes.

Jamais instale a pedra sem os elementos de vedação, juntas ou feltros.

Sempre que o ciclo sofrer manutenções em que o mesmo fique exposto à umidade, ciclo aberto, o óleo do compressor deverá ser trocado pois o mesmo pode absorver umidade perdendo suas características e prejudicando os componentes do compressor.

Depois de efetuada a manutenção; overhaul,conserto de vazamentos, etc. retirar o flange cego localizado no separador de óleo do compressor.

2.Quando for necessária carga de Fluído Refrigerante adicional para R-407C.

Para o fluído refrigerante R-407C a carga de refrigerante sempre deve ser executada na fase líquida.

Quando necessária a execução da carga de fluído refrigerante nos chillers que dispõe de economizers, se faz oportuna a abertura da válvula solenóide (através de sua energização) instalada no início do ramal do economizer de modo a permitir o preenchimento das tubulações do circuito com o fluído refrigerante.

Com um vasilhame graduado fazer a carga de óleo na quantidade especificada com o auxílio de um funil para evitar o derramamento do mesmo.

Recolocar o flange cego no compressor.

NOTAS:

1.Este processo deve ser feito o mais rápido possível para se evitar que o óleo do compressor absorva umidade.

Os fluídos refrigerantes com número ASHRAE 4XX são misturas, em casos de vazamento podem ter a sua composição alterada. Apesar disso, testes realizados pelos fabricantes destes fluídos refrigerantes mostram que a redução da capacidade de refrigeração não ultrapassa 10% mesmo que sejam feitas 5 recargas de até 50% em peso. Sendo assim, em caso de vazamento, pode-se completar a carga desde que a mesma seja feita na fase líquida.

2.Usar somente o óleo especificado pela HITACHI.O uso de óleo não especificado pode afetar o rendimento do

Chiller.

Carga de Refrigerante

Inspecione a carga de refrigerante do sistema conferindo as pressões de descarga e sucção. Execute um teste de vazamento, sempre que algum componente do ciclo de refrigeração for substituído. Quando a carga de fluído refrigerante for exigida, seguir as instruções dadas para três casos (para efetuar corretamente os trabalhos ver

Capítulo 14.7. PROCEDIMENTOS E SERVIÇOS

):

CUIDADO

Quando uma recarga total ou parcial for necessária atente-se para:

*O resfriador deve estar sem água no seu interior (vazio);

*Caso haja água no interior do resfriador é de EXTREMA

IMPORTÂNCIA que a bomba de água gelada esteja ligada de modo a promover a circulação interna da mesma, evitando-se o risco de congelamento d’água e consequente rompimento de tubos, comprometendo a

“VIDA” do resfriador.

1 . Q u a n d o o F l u í d o R e f r i g e r a n t e v a z a r completamente.

Antes de carregar o ciclo com o fluído refrigerante o mesmo deve ser completamente evacuado e desidratado. Um manifold e uma bomba de vácuo devem ser providenciados para a execução dos trabalhos.

69

Se o Chiller possuir mais de um ciclo de refrigeração colocar todos os que não estiverem sendo verificados em manutenção desligando inclusive o disjuntor de alimentação daqueles ciclos.

12.7. PROCEDIMENTOS E SERVIÇOS

Teste de Vazamento

Para realizar o teste de vazamento podem ser usados vários procedimentos como o uso de detectores, lamparinas ou água e sabão.

Antes de se iniciar o vácuo a bomba deve ser testada, trocar o óleo da mesma pois este deve estar contaminado. Se o problema persistir deve-se previamente fazer uma manutenção na bomba de vácuo.

Para o gás refrigerante R-22 qualquer destes procedimentos podem detectar facilmente o vazamento porém para o gás refrigerante R-407C alguns processos podem ser demorados ou mesmo não eficazes recomendando-se então para esses casos o uso de equipamento específico.

Vacuômetro

Instrumento utilizado para leitura do nível de vácuo que estiver sendo executado.

1.Teste sem Fluído Refrigerante no Ciclo

-Pressurize o ciclo com 1kg de fluído refrigerante

(somente use detector ou lamparina);

-Complete a pressurização com nitrogênio seco até

Deve-se dar preferência a vacuômetros eletrônicos por serem mais precisos nas leituras dos baixos níveis de vácuo exigidos.

Método de Vácuo

Existem diversos métodos de execução de vácuo, a seguir um dos procedimentos é recomendado:

-Procure por vazamentos em pontos suspeitos como soldas ou conexões;

-Depois de encontrado e eliminado o vazamento repita a operação para confirmar a eficácia do trabalho executado.

2.Quebre o vácuo, introduzindo gás refrigerante, até atingir uma pressão levemente acima de zero.

NOTAS:

1.Caso seja utilizado um detector eletrônico não há necessidade de pressurizar o ciclo com nitrogênio.

2.Quando suspeitar que o vazamento é no resfriador:

-Feche as Válvulas de Entrada e Saída de Àgua;

-Drene a Água contida no Resfriador;

-Efetue o Teste no Resfriador.

PERIGO

Jamais introduzir oxigênio, acetileno ou outros gases inflamáveis no ciclo de refrigeração. Eles são extremamente perigosos e podem causar explosão.

2.Teste com Fluído Refrigerante no Ciclo

-Nesse caso o uso de equipamentos básicos além da verificação das pressões de trabalho podem identificar se há vazamentos no ciclo de refrigeração;

-Se for detectada a presença de vazamentos o fluído refrigerante deverá ser recolhido e, se necessário disposto apropriadamente;

-Executar os procedimentos do item 1.

Vácuo

Deve ser realizado após o teste de vazamento e antes da carga de fluído refrigerante, sendo para isso necessário uma bomba de alto vácuo e um vacuômetro, preferencialmente eletrônico.

Bomba de Vácuo

Trata-se de uma rotativa com capacidade de atingir até com o nível de vácuo exigido.

70

12.8. DIAGRAMA DE CICLO DE REFRIGERAÇÃO (SEM ECONOMIZER)

MODELOS: 120, 180, 240, 300TR (TOTAL) e 260, 320, 390TR (PARCIAL)

(HLS2798)

71

12.9. DIAGRAMA DE CICLO DE REFRIGERAÇÃO (COM ECONOMIZER)

MODELOS: 140, 210, 280, 350, 420TR (TOTAL) e 260, 320, 390TR (PARCIAL)

(HLS2799)

72

12.10. REMOÇÃO DO COMPRESSOR

Ao Remover o Compressor

Para remover o compressor oriente-se pelos seguintes procedimentos:

1.Se o Chiller estiver sendo operado remotamente mude a chave Local/Remoto no painel de controle para o modo

Local.

2.Se o Chiller possuir mais de um compressor coloque aqueles que não sofrerão manutenção em manutenção no painel de controle.

3.Ligue a bomba de água gelada e o Chiller por 10 minutos e verifique se o óleo está estável.

4.Desligue o Chiller e feche a válvula de esfera na linha de líquido.

5.Ligue o Chiller e acompanhe a queda da pressão de sucção no painel de controle. O controle irá desligar o compressor por falha de baixa pressão com 0,05 MPa.

6.Espere que as pressões de sucção e descarga se estabilizem. Se o valor da pressão de sucção atingir

0,05MPa, repita a operação 5 por mais 4 ou 5 vezes.

7.Coloque o compressor em manutenção no painel de controle e desligue o disjuntor do ciclo correspondente.

8.Após este procedimento quase todo o fluído refrigerante estará recolhido no condensador.

9.Remova os parafusos dos tubos de Sucção e

Descarga.

DESCARGA DO COMPRESSOR

(VAI P/ CONDENSADOR)

07

05

06

01

VIDE NOTA 1

PARAFUSO

"ALLEN" (x 4)

04

Nº ITEM

6

7

4

5

1 COMPRESSOR PARAFUSO

2 TUBO DE SUCÇÃO

3 FLANGE DE SUCÇÃO (COMPRESSOR/TUBO DE SUCÇÃO)

FLANGE DE DESCARGA 1 (COMPRESSOR/VÁLVULA DE RETENÇÃO)

VÁLVULA DE RETENÇÃO

FLANGE DE DESCARGA 2 (VÁLVULA DE RETENÇÃO/TUBO DE DESCARGA)

TUBO DE DESCARGA

* A remoção do compressor com ou sem recolhimento do fluído refrigerante (no condensador) deverá ser feita através da retirada dos parafusos “allen” existentes de modo a manter a válvula de retenção anexada à tubulação de descarga. Este procedimento garantirá a estanquidade do circuito mantido sob pressão.

10.Remova os cabos elétricos dos compressores.

11.Remova as porcas de fixação dos compressores.

12.Remova os compressores.

CUIDADO

Os cabos dos compressores estão corretamente identificados por COR e Anilhas de identificação e amarrados de maneira a serem conectados cada um à sua FASE, portanto não solte a amarração e sempre que for reconectar verifique se as fases estão corretamente ligadas.

O relê contra inversão de fase atua somente na alimentação externa do Chiller portanto uma inversão acidental nos terminais dos contatores ou na caixa de bornes do compressor pode causar a queima do compressor.

SUCÇÃO DO COMPRESSOR

(VEM DO RESFRIADOR)

03

NOTA 1:

Na caixa de terminais existente na parte superior do compressor, estão locados os 02 terminais do termostato de segurança. Estes

SEMPRE

deverão estar protegidos com uma camada de silicone neutro, garantindo assim a integridade dos mesmos a uma possível condensação.

Vide Boletim Técnico: BT RCU 027 i.

02

12.11. TORQUES DE APERTO

12.11.1.TORQUE DE APERTO PARA PARAFUSOS

SEXTAVADOS

DIMENSÃO

M5

M6

M8

M10

M12

M16

M20

M24

M30

M36

TORQUE (N.m)

SEM CLASSIFICAÇÃO

Mínimo Máximo

CLASSIFICADO

Mínimo Máximo

4,0

6,0

14,0

29,0

42,0

87,5

186,5

317,0

630,0

1100,0

5,5

9,0

20,0

42,0

60,0

125,0

266,5

453,5

900,0

1580,0

5,0

8,4

18,0

38,5

53,5

116,5

249,0

423,5

840,0

1470,0

7,5

12,0

26,0

55,0

76,5

166,5

356,0

605,0

1200,0

2100,0

73

12.11.2.TORQUE DE APERTO EM PORCAS CURTAS

DIÂMETRO

EXTERNO DO TUBO

mm - (pol)

6,35 (1/4")

9,52 (3/8")

12,70 (1/2")

15,88 (5/8")

19,05 (3/4")

CHAVE DE

BOCA

mm

16

21

24

27

34

TORQUE

N.m - (kgf.cm)

15 (150)

40 (400)

55 (550)

70 (700)

100 (1000)

12.11.3.TORQUE DE APERTO EM CONTATORES E RELÉS

TORQUE N.m - (kgf.cm)

CIRCUÍTO DE

FORÇA

1,7 (17)

COMANDO

1,7 (17)

MODELO CONTATOR

LC1-D09

LC1-D40

LC1-D50

LC1-D65

LC1-D80

LC1-D95

LC1-D115

LC1-D150

LC1-F185

MODELO RELÉ

LRD-08

LRD-12

LRD-3363

LRD-3365

LRD-4367

LRD-4369

LR9-F5371

6 (60)

9 (90)

14 (140)

18 (180)

FORÇA

1,7 (17)

9 (90)

18 (180)

1,2 (12)

COMANDO

1,7 (17)

1,2 (12)

PROTEÇÃO DE ACRÍLICO

BASE FUSÍVEL

CUIDADO

E M C A S O S D E C U R T O ,

DEVERÁ SER REALIZADA A

VERIFICAÇÃO VISUAL DAS

CONDIÇÕES DE ISOLAÇÃO DE

FIOS, CABOS, BARRAMENTOS

E DEMAIS COMPONENTES

ELÉTRICOS.

SUPORTE TRIPOLAR

TABELA DE TORQUES (**)

TABELA DE TORQUES (*)

DETALHE BARRAMENTO

TORQUE DE APERTO

DO PARAFUSO: 5Nm

TORQUE DE APERTO NO CONJUNTO BARRAMENTO

*

**

*

*

**

***

DESCRIÇÃO

BASE FUSÍVEL NH-00

BASE FUSÍVEL NH-1

BASE FUSÍVEL NH-2

SUPORTE TRIPOLAR MENOR (T-610)

SUPORTE TRIPOLAR MENOR (T-715)

FIXAÇÃO DO FECHAMENTO ESTRELA

TORQUE

14 Nm - (140 kgf.cm)

20 Nm - (200 kgf.cm)

OBS

20 Nm - (200 kgf.cm)

4 Nm - (40 kgf.cm)

PARAFUSO M6

14 Nm - (140 kgf.cm) PARAFUSO M8

5 Nm - (50kgf.cm)

PARAFUSO M8x15

* TORQUE APLICADO NOS PARAFUSOS DE FIXAÇÃO DOS CABOS DE POTÊNCIA

QUE INTERLIGAM OS CONTATORES AO BARRAMENTO .

**

TORQUE APLICADO NA FIXAÇÃO DOS SUPORTES NA PLACA DE FUNDO.

***

TORQUE APLICADO NA FIXAÇÃO DO FECHAMENTO ESTRELA NO CONTATOR CMCS.

74

12.12. AJUSTES DOS DIPOSITIVOS DE CONTROLE E PROTEÇÃO

Pressão de Alta (Pressostato

Eletromecânico)

Desliga

Liga

Pressão de Alta (Sensor)

Liga

Pressão de Baixa (Sensor)

Controle ou Desliga

Desliga Segurança

Termostato Interno

Desliga

Liga

Relé de Sobrecarga kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm²

ºC

ºC

Aquecedor de Óleo

-

Termostato Descarga

Desliga (Controle)

Desliga (Segurança)

Liga

Tempo de Operação

Anti-Reciclagem

Partida > Star Delta

Partida sem Carga

Fusiveis

220V/60Hz

380V/60Hz

440V/60Hz

220V/50Hz

380V/50Hz

220V/60 e 50Hz

380V/60 e 50Hz

440V/60Hz

Fusível (Alimentação)

Fusível (Sequencia Fase)

Plug Fusível

Temperatura Fusão

Válvula de Alívio

Inicio de Operação

Relé de Sobrecarga

220V/60Hz

380V/60Hz

440V/60Hz

220V/50Hz

380V/50Hz

A

A

A

A

A

W

ºC

ºC

ºC mim.

seg.

seg.

A

A

A

A

A

ºC

Proteção Anti-Congelamento

Desliga

Liga

ºC

ºC

Termost. Desc. p/ By Pass Líquido

Desliga

Liga

ºC

ºC

Termost. Ar Ext. p/ Controle Vent.

Desliga

Liga

ºC

ºC kgf/cm² kPA

A

A

A

A

A

MODELO - RCU_SAZ_HE

RCU050 RCU060 RCU070 RCU100 RCU110 RCU120 RCU130 RCU140 RCU150 RCU160 RCU170

Rearme Automático, um para cada Compressor

130

75

65

108

67

250

160

160

160

92

80

135

78

315

160

160

28,5

24,5

Descarregamento do Compressor

28,0

Rearme Automático, um para cada Compressor

Controle 2,5 (R-22) / 3,1 (R-407 C) / 0,9 p/ Baixa Temperatura R22 e R407 C

0,5

Rearme Automático, um para cada Compressor

190

110

95

158

92

115

93

Rearme Manual, um para cada Compressor

130

75

65

108

67

130

160

75

92

160

92

65 80

80

80

108

95

135

135

135

67

158

78

78

78 92

Um para cada Compressor

150

160

190

92

110

190

110

95

158

92

130

75

65

108

67

315

200

200

250

160

160

Um para cada Compressor

130

140

110

Regulável

3, 6 ou 10

5

30

Base tipo NH1

250

315

315 315

160

160

160

160

Um para cada Fase

10

10

Um para cada Circuito

70~77

160

200

160

200

315

200

200

250

160

160

Um para cada Circuito

2,0

6,0

Rearme Automático, um para cada Compressor

75

110

Rearme Automático

20

22

Fechamento Automático

(SE ACIONADA DEVE SER SUBSTITUÍDA)

33

3226

Um para cada Ventilador

Rearme Manual

6,5

3,9

7,2

4,2

130

160

75

92

65

80

108

135

67

78

250

315

160

160

80

108

135

67

78

130

160

75

92

65

250

315

160

160

75

Pressão de Alta (Pressostato

Eletromecânico)

Desliga

Liga

Pressão de Alta (Sensor)

Liga

Pressão de Baixa (Sensor)

Controle ou Desliga

Desliga Segurança

Termostato Interno

Desliga

Liga

Relé de Sobrecarga kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm² kgf/cm²

ºC

ºC

220V/60Hz

380V/60Hz

440V/60Hz

220V/50Hz

380V/50Hz

Aquecedor de Óleo

Desliga (Controle)

Desliga (Segurança)

Liga

Tempo de Operação

Anti-Reciclagem

Partida > Star Delta

Partida sem Carga

Fusiveis

-

Termostato Descarga

A

A

A

A

A

W

ºC

ºC

ºC mim.

seg.

seg.

MODELO - RCU_SAZ_HE

RCU180 RCU210 RCU240 RCU260 RCU280 RCU300 RCU320 RCU350 RCU390 RCU420

Rearme Automático, um para cada Compressor

160

92

80

135

78

Controle 2,5 (R-22) / 3,1 (R-407 C) / 0,9 para Baixa Temperatura R22 e R407 C

190

110

95

158

91

28,5

24,5

Descarregamento do Compressor

28,0

Rearme Automático, um para cada Compressor

0,5

160

92

80

135

78

Rearme Automático, um para cada Compressor

115

93

Rearme Manual, um para cada Compressor

C1/C2160

C3/C4190

190 160

C1~C3160

C4/C5195

C1/C2 92

C3/C4110

C1/C280

C3/C495

110

95

92

80

C1~C392

C4/C5110

C1~C380

C4/C595

C1/C2135

C3/C4158

C1/C278

C3/C492

158

92

135

78

Um para cada Compressor

150

C1~C3135

C4/C5158

C1~C378

C4/C592

Um para cada Compressor

130

140

110

Regulável

3, 6 ou 10

5

30

Base tipo NH1

190

110

95

158

92

C1~C3160

C4~C6195

C1~C392

C4~C6110

C1~C380

C4~C695

C1~C3135

C4~C6158

C1~C378

C4~C692

190

110

95

158

92

220V/60 e 50Hz A 315 315 315 315 315 315 315 315 315 315

380V/60 e 50Hz

440V/60Hz

Fusível (Alimentação)

Fusível (Sequencia Fase)

Plug Fusível

Temperatura Fusão

A

A

ºC

Proteção Anti-Congelamento

Desliga

Liga

ºC

ºC

Termost. Desc. p/ By Pass Líquido

Desliga

Liga

ºC

ºC

Termost. Ar Ext. p/ Controle Vent.

Desliga

Liga

Válvula de Alívio

Inicio de Operação

ºC

ºC kgf/cm² kPA

Relé de Sobrecarga

220V/60Hz

380V/60Hz

440V/60Hz

220V/50Hz

380V/50Hz

A

A

A

A

A

A

A

160

160

200

200

160

160

160

200

160

200

200

200

160

160

160

200

160

200

200

200

Um para cada Fase

10

10

Um para cada Circuito

70~77

Um para cada Circuito

2,0

6,0

Rearme Automático, um para cada Compressor

75

110

Rearme Automático

20

22

Fechamento Automático

(SE ACIONADA DEVE SER SUBSTITUÍDA)

33

3226

Um para cada Ventilador

Rearme Manual

6,5

3,9

3,3

7,2

4,2

160

200

160

200

76

200

200

12.13. LIMITES DE OPERAÇÃO

Após pelo menos 20 minutos de operação, verifique se o Chiller está trabalhando dentro dos limites de operação mostrados nos gráficos a seguir.

Condições

Compressor:

100% Carga

Ventiladores do Condensador:

operando a cada ciclo

2 ou 4 Ventiladores

Faixa de Operação Padrão

Faixa de Operação Padrão

Temperatura de Saída de Água Gelada (ºC)

Temperatura da Entrada de Ar do Condensador (ºC)

CUIDADO PERIGO

Manutenção Periódica

É necessária uma manutenção periódica de acordo com as

instruções deste manual

para que o Chiller funcione em boas condições de operação.

Portas do Quadro Elétrico

Não opere o Chiller com as portas do quadro elétrico abertas, elas são as únicas proteções contra choque elétrico. Para executar serviços de manutenção sempre desligue o disjuntor geral.

Fogo

Se ocorrer incêndio desligue totalmente a rede elétrica e use extintores sempre observando a finalidade do mesmo, o uso incorreto ou uso de extintores inadequados podem não obter eficácia na extinção do incêndio ou provocar sua propagação.

Partes Quentes

O Chiller possui partes quentes como o lado da descarga dos compressores, tubos de descarga e coletores de descarga dos condensadores, portanto não toque nessas partes sob o risco de queimaduras graves.

Gases Inflamáveis

Não opere o Chiller perto de gases inflamáveis como laca, pintura, óleo, etc. Afim de se evitar incêndio ou explosão.

Finalidade

Não utilize estes Chillers para resfriar ou aquecer água potável. Obedeça a códigos e regulamentos locais.

Ativação de Dispositivo de Segurança

No caso ser ativados qualquer dos dispositivos de segurança e o Chiller for parado, remova a causa da obstrução e reinicie a operação do Chiller. Os dispositivos de proteção são utilizados para proteger o Chiller de uma operação anormal.

Então, se um dos dispositivos de segurança é ativado, remova a causa usando como referência a lista de

“TROUBLESHOOTING” no

Capítulo 15

deste manual.

Falha

Desligue todos os disjuntores principais se houver vazamento de refrigerante ou vazamento de água.

Fusível

Utilize fusíveis e disjuntores de proteção adequados. Não use arames de aço ou arames de cobre em vez de fusíveis. Se for utilizado, acidentes sérios como incêndio podem acontecer.

Dispositivos de Segurança

Não provoque curto circuito nos dispositivos de segurança, eles são a garantia de proteção do Chiller em situações anormais.

Ajustes dos Dispositivos de Segurança

Não altere os ajustes dos dispositivos de segurança, isso pode incorrer em sérios danos ao Chiller. Não toque nos componentes elétricos durante o funcionamento do Chiller.

Não faça acionamento mecânico nas bobinas dos contatores, isso pode incorrer em sérios danos ao

Chiller ou provocar curto circuito no mesmo ou na instalação.

77

13 TROUBLESHOOTING

A tabela a seguir tem como objetivo facilitar a detecção e solução de possíveis problemas que possam ocorrer.

As falhas são identificadas no painel de controle através de códigos que podem ser verificados na etiqueta de controle e operação fixada no Chiller.

CUIDADO

Para todos os casos antes que o compressor ou Chiller atingido pela falha seja colocado novamente em operação é necessário antes ser analisada a causa da ocorrência da falha para que não haja repetição da mesma.

PROBLEMA

MOTOR DO

VENTILADOR NÃO

FUNCIONA

COMPRESSOR NÃO

FUNCIONA

COMPRESSOR PARADO

POR ALTA PRESSÃO

COMPRESSOR PARADO

POR SOBRECORRENTE

COMPRESSOR NÃO

APARECE NO DISPLAY

COMO HABILITADO

COMPRESSOR PARADO

POR TERMOSTATO

ANTICONGELAMENTO

POSSÍVEL CAUSA

CICLO SEM ALIMENTAÇÃO DE FORÇA

FUSÍVEL QUEIMADO OU DISJUNTOR DESARMADO

MAU CONTATO (QUADRO DO CLIENTE)

BOBINA DO CONTATOR QUEIMADA

MAU CONTATO

RELÊ DE SOBRECARGA DESARMADO

BAIXA VOLTAGEM

CABOS DO MOTOR EM CURTO

MAU CONTATO

MOTORES DO VENTILADOR NÃO FUNCIONAM

INTERLOCK DA BOMBA D’ÁGUA ESTÁ ABERTO

VERIFICAÇÃO / AÇÃO CORRETIVA

LIGAR A ALIMENTAÇÃO

VERIFICAR SE HÁ CURTO CIRCUITO

VERIFICAR SE HÁ CABOS SOLTOS. REAPERTAR OU

TROCAR, SE NECESSÁRIO

ANALISAR CAUSAS E CONSERTAR OU TROCAR

RESETAR O RELÊ

VERIFICAR A TENSÃO DE ALIMENTAÇÃO

VERIFICAR TERMINAIS NOS MOTORES E

CONTATORES, REAPERTAR OU TROCAR, SE

NECESSÁRIO

VERIFICAR ITENS ANTERIORES

VERIFICAR CONTATOR DA BOMBA

HOUVE DESARME POR SOBRECARGA? RESETAR

ANALISAR AS CAUSAS E RESETAR COM CHAVE

DSW3 1 A 6 (VER AS CAUSAS SEGUINTES)

ACIONADA ALGUMA PROTEÇÃO ELÉTRICA

FUSÍVEL DO TRIFÁSICO QUEIMADO OU COM MAU

CONTATO (DISPLAY DA IHM APAGA CONTÍNUO

QUANDO O FUSÍVEL ESTÁ QUEIMADO OU APAGA

EM INTERVALOS QUANDO É MAU CONTATO)

CONEXÃO DAS FASES NA RÉGUA DE FORÇA

INCORRETA

CONECTORES DOS TRAFOS DE COMANDO SOLTOS

TRAFO DE COMANDO COM DEFEITO OU QUEIMADO

BOBINA DO CONTATOR DE FORÇA OU AUXILIAR

QUEIMADA (NESSE CASO SOMENTE OS

VENTILADORES ENTRAM EM OPERAÇÃO)

TROCAR O FUSÍVEL DANIFICADO

INVERTER 2 DAS 3 FASES R,S E T NA RÉGUA DE

FORÇA DO CHILLER

VERIFICAR E RECOLOCAR OS CONECTORES

TROCAR O COMPONENTE

TROCAR O COMPONENTE

PRESSÃO DE DESCARGA EXCESSIVA

PRESSOSTATO DE ALTA DESREGULADO OU COM

DEFEITO

PRESSÕES DE DESCARGA E SUCÇÃO EXCESSIVAS

TENSÃO DE ALIMENTAÇÃO FORA DOS LIMITES,

FALTA DE FASE OU DESBALANCEADAS

TERMINAIS SOLTOS

MOTOR DO COMPRESSOR QUEIMADO

RELÊ DE SOBRECARGA ATUADO

FUSÍVEL DO TRIFÁSICO QUEIMADO OU COM MAU

CONTATO

CABOS RST NA PLACA DO CPR SOLTOS

CHAVE DSW3 1 ~ 6 ACIONADA POR OPERADOS

CHAVE DSW3 1 ~ 6 EM POSIÇÃO INTERMEDIÁRIA

TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA MUITO BAIXA

TERMISTOR COM DEFEITO

BAIXA VAZÃO DE ÁGUA

AR NA TUBULAÇÃO DE ÁGUA

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO.

CONDENSADOR SUJO OU COM OBSTRUÇÃO,

LIMPAR

REAJUSTAR OU SUBSTITUIR, SE NECESSÁRIO

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

VERIFICAR TENSÕES DE ALIMENTAÇÃO

VERIFICAR FIXAÇÃO DOS TERMINAIS DOS

CONTATORES RÉGUAS DE FORÇA E DISJUNTORES

REPARAR OU SUBSTITUIR, SE NECESSÁRIO

RESETAR O RELÊ DE SOBRECARGA

TROCAR FUSÍVEL DANIFICADO

VERIFICAR OS CABOS E RECONECTAR

VERIFICAR SE HÁ MANUTENÇÃO NO CPR DESL

VERIFICAR E CORRIGIR POSICIONAMENTO CHAVE

VERIFICAR AJUSTE NA PLACA DE CONTROLE

VERIFICAR SE A MAU FUNCIONAMENTO E

SUBSTITUIR, SE NECESSÁRIO

VERIFICAR ROTAÇÃO DA BOMBA D’ÁGUA

PURGAR O AR DA TUBULAÇÃO DE ÁGUA

78

PROBLEMA POSSÍVEL CAUSA

TENSÃO DE ALIMENTAÇÃO FOR DOS LIMITES,

FALTA DE FASE OU DESBALANCEADAS

VERIFICAÇÃO / AÇÃO CORRETIVA

VERIFICAR TENSÕES DE ALIMENTAÇÃO.

COMPRESSOR PARADO

POR TERMOSTATO

INTERNO OU DE

DESCARGA

CAPACIDADE

INSUFICIENTE

COMPRESSOR COM

RUÍDO

RUÍDOS INCOMUNS

DESCARREGAMENTO

PELO CONTROLE DE

CAPACIDADE NÃO

FUNCIONA

ALTA PRESSÃO DE

DESCARGA

SUPERAQUECIMENTO EXCESSIVO

COMPONENTE COM DEFEITO

PRESSÕES DE DESCARGA E SUCÇÃO EXCESSIVAS

AJUSTE DO TERMOSTATO

PRESSÕES DE DESCARGA E SUCÇÃO EXCESSIVAS

VÁLVULAS SOLENÓIDES DO COMPRESSOR COM

DEFEITO

PEÇAS INTERNAS DESGASTADAS

RETORNO DE LÍQUIDO PARA O COMPRESSOR

PARAFUSOS SOLTOS

AJUSTE DA TEMPERATURA DE SAÍDA DA ÁGUA

TERMISTOR DE SAÍDA COM DEFEITO

VÁLVULAS SOLENÓIDES DO COMPRESSOR COM

DEFEITO

FILTRO DA LINHA DE LÍQUIDO ENTUPIDO

TEMPERATURA DO AR DE CONDENSAÇÃO ACIMA

DO LIMITE

CONDENSADOR SUJO OU COM OBSTRUÇÃO

VÁLVULA DE RETENÇÃO TRAVADA OU ESFERA

PARCIALMENTE FECHADA

PRESSÕES DE DESCARGA E SUCÇÃO EXCESSIVAS

VERIFICAR SE HÁ VAZAMENTOS.

VÁLVULA SOLENÓIDE BY PASS TRAVADA ABERTA,

DESTRAVAR COM LEVES BATIDAS E SUBSTITUIR,

SE NECESSÁRIO

VERIFICAR A ATUAÇÃO E SUBSTITUIR, SE

NECESSÁRIO

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

REAJUSTAR O TERMOSTATO

VERIFICA SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

VERIFICAR ATUAÇÃO DAS VÁLVULAS DE

CARREGAMENTO E DESCARREGAMENTO E

SUBSTITUIR, SE NECESSÁRIO

PARA O COMPRESSOR PARA MANUTENÇÃO

VERIFICAR O SUPERAQUECIMENTO DO

COMPRESSOR E FUNCIONAMENTO DA VÁLVULA

DE EXPANSÃO

REAPERTO GERAL

VERIFICAR VALOR AJUSTADO E CORRIGIR

TESTAR E SUBSTITUIR, SE NECESSÁRIO

VERIFICAR ATUAÇÃO DAS VÁLVULAS DE

DESCARREGAMENTO E SUBSTITUIR, SE

NECESSÁRIO

LIMPAR O FILTRO

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

CONDENSADOR SUJO OU COM OBSTRUÇÃO,

LIMPAR

VERIFICAR AS VÁLVULAS, NO CASO DA VÁLVULA

DE RETENÇÃO DAR LEVES BATIDAS PARA

DESTRAVAR

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

BAIXA PRESSÃO DE

DESCARGA

GÁS NÃO CONDENSADO NA LINHA DE LÍQUIDO

TEMPERATURA DO AR DE CONDENSAÇÃO ABAIXO

DO LIMITE

CARGA DE FLUÍDO REFRIGERANTE INSUFICIENTE

VAZAMENTO DE FLUÍDO REFRIGERANTE

PRESSÃO DE SUCÇÃO MUITO BAIXA

VERIFICAR SE TODOS OS VENTILADORES ESTÃO

OPERANDO

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

ADICIONAR FLUÍDO REFRIGERANTE

RECUPERAR OU SUBSTITUIR O COMPONENTE

AVARIADO

VERIFICAR SE O CHILLER ESTÁ OPERANDO

DENTRO DOS LIMITES DE OPERAÇÃO

VERIFICAR A ISOLAÇÃO DAS TUBULAÇÕES DE

ÁGUA E AS ESPECIFICAÇÕES DAS INSTALAÇÕES

CONSULTAR A FÁBRICA PARA EFETUAR O AJUSTE

PADRÃO

ALTA PRESSÃO DE

SUCÇÃO

ALTA TEMPERATURA DA ÁGUA NA ENTRADA DO

RESFRIADOR

ALTERAÇÃO NO AJUSTE DA VÁLVULA DE

EXPANSÃO

BAIXA PRESSÃO DE

SUCÇÃO

BAIXA TEMPERATURA DA ÁGUA NA ENTRADA DO

RESFRIADOR

ALTERAÇÃO NO AJUSTE DA VÁLVULA DE

EXPANSÃO

CARGA DE FLUÍDO REFRIGER ANTE INSUFICIENTE

EXCESSO DE ÓLEO DENTRO DO RESFRIADOR

ALTA INCRUSTAÇÃO OU PARTÍCULAS NO

RESFRIADOR

VERIFICAR ESPECIFICAÇÕES DAS INSTALAÇÕES

CONSULTAR A FÁBRICA PARA EFETUAR O AJUSTE

PADRÃO

ADICIONAR FLUÍDO REFRIGERANTE

PURGAR O ÓLEO

EFETUAR A LIMPEZA DO RESFRIADOR

SEM LEITURA NOS

SENSORES DE PRESSÃO

E TEMPERATURA E SEM

SINAL DE ALARME

CONECTORES DOS TRAFOS DE COMANDO SOLTOS VERIFICAR E RECOLOCAR OS CONECTORES

TRAFO DE COMANDO COM DEFEITO OU QUEIMADO TROCAR O COMPONENTE

TODOS OS CICLOS NÃO

FUNCIONAM

CPU NOVA E NÃO CONFIGURADA

INTERLIGAÇÕES EXTERNAS NÃO EXECUTADAS

PROGRAMAR CPU (ASSISTÊNCIA TÉCNICA)

VERIFICAR ESQUEMA ELÉTRICO E REVER

INTERLIGAÇÕES

FALTA ALIMENTAÇÃO DE FORÇA E OU COMANDO

VERIFICAR CAUSAS E ESTABELECER

ALIMENTAÇÃO

CONECTORES DOS TRAFO DE COMANDO SOLTO VERIFICAR E RECOLOCAR OS CONECTORES

TRAFO DE COMANDO COM DEFEITO OU QUEIMADO TROCAR O COMPONENTE

79

PROBLEMA

VÁLVULAS DE

CARREGAMENTO NÃO

FUNCIONAM

POSSÍVEL CAUSA

BOBINA DA VÁLVULA QUEIMADA

TERMINAL DO SENSOR DE CORRENTE SOLTO

SENSOR COM DEFEITO

PRESSÃO DE SUCÇÃO ATINGIU O VALOR MÍNIMO

VARIAÇÕES

CONSTANTES NOS

SINAIS ANALÓGICOS DE

PRESSÃO E

TEMPERATURA

VARIAÇÃO NA

OPERAÇÃO SEM CAUSA

LOCAL APARENTE

FALTA DE ATERRAMENTO

CHILLER INSTALADO PRÓXIMO A GERADORES DE

FORÇA

ALARMES QUE NÃO

CONSTAM NA LISTA

COMPRESSOR NÃO

CARREGA MESMO COM

TEMPERATURA DE

SAÍDA DE ÁGUA ALTA

(VER TAMBÉM ITEM

VÁLVULAS DE

CARREGAMENTO)

CONECTORES SOLTOS NAS PLACAS OU LIGAÇÃO

ESPECIAL EFETUADA NO CAMPO

PCBC > PCN211 ~ PCN213

PCBD > PCN205 E PCN206

UM DOS CICLOS COM ENTUPIMENTO NO

TROCADOR DE PLACAS. EX:

- CICLO 1 ENTUPIDO > DELTA “T” ALTO E SAÍDA JÁ

PERTO DO SET POINT: OS OUTROS PARAM DE

CARREGAR E FICAM EM ZONA NEUTRA, SOMENTE

SE A PS ATINGIR O VALOR DE

DESCARREGAMENTO.

- SE A TEMP. DE SAÍDA CONTINUAR ABAIXANDO O

CHILLER INTEIRO É DESLIGADO E INDICA THERMO

OF DSW4 - 6 NA POSIÇÃO OFF (UM SENSOR DE

SAÍDA GERAL)

CHILLER QUE UTILIZA

TERMOSTATO

EXTERNO, THEX, NÃO

LIGA

MODULO 2 PARA

CHILLER DIVIDIDO NÃO

FUNCIONA

ALARMES NÃO

IDENTIFICADOS:

ALARME AP AP

ALARME 6C 6C

ALARME 14 14

ALARME 13 13

OPERAÇÃO SIMULTÂNEA OU COMBINADA ENTRE O

CONTROLE LIGA/DESLIGA POR REMOTO OU POR

THEX. NA IHM APARECE C1 ~ C6 OF PORÉM OS

CPRS NÃO LIGAM.

ERRO DE LIGAÇÃO NO START UP

CPU MÓDULO 2 COM DEFEITO

SE LIGAR POR “REMOTO”, CONTROLAR E

DESLIGAR POR REMOTO, SE LIGAR POR

“TERMOSTATO EXTERNO”, CONTROLAR E

DESLIGAR POR TERMOSTATO EXTERNO.

EM ALGUNS CASOS É NECESSÁRIO RETIRAR A

ALIMENTAÇÃO DO COMANDO PARA O RESET.

VERIFICAR LIGAÇÕES E EFETUAR A CORREÇÃO

TROCAR O COMPONENTE

JUMPER CPU SOLTO

JUMPER CPU SOLTO

JUMPER CPU SOLTO

JUMPER CPU SOLTO

VERIFICAÇÃO / AÇÃO CORRETIVA

TROCAR COMPONENTE

RECOLOCAR (NÃO HÁ ALARME PARA ESTE CASO)

TROCAR COMPONENTE (NÃO HÁ ALARME PARA

ESTE CASO)

VER CAPÍTULO 12 CONTROLES INTERNOS

PODE HAVER FALTA DE FLUÍDO REFRIGERANTE

VERIFICAR ATERRAMENTO DO CHILLER

DEVER SER MENOR QUE 5 OHMS

VER ITEM 6.1 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, USO DE

GERADORES

VERIFICAR CAUSAS E CORRIGIR, SE NECESSÁRIO.

OS ALARMES QUE NÃO CONSTAM NA LISTA

TAMBÉM NÃO ESTÃO NOS ESQUEMAS ELÉTRICOS

DOS CHILLERS.

LIMPEZA DE TODOS OS TROCADORES, SE HÁ

SUJEIRA EM UM OS OUTROS TAMBÉM PODEM

APRESENTAR PROBLEMAS.

DEPENDENDO DO GRAU DE ENTUPIMENTO PODEM

SER FEITOS 2 TIPOS DE INTERVENÇÃO:

A) RETROLAVAGEM

B) LIMPEZA QUÍMICA (ALFA LAVAL)

DSW4 - 6 NA POSIÇÃO ON (UM SENSOR PARA CADA

TROCADOR DE PLACAS)

VERIFICAR CONECTOR PCN209

VERIFICAR CONECTOR PCN211

VERIFICAR CONECTOR PCN212

VERIFICAR CONECTOR PCN213

CHILLER NÃO PARTE E

CICLA O DISPLAY

PuPu => C1~C6 OFF

PARTIDA COM COMPRESSOR CARREGADO

ALTA CORRENTE NA PARTIDA

BAIXA POTÊNCIA DO TRANSFORMADOR DE

ALIMENTAÇÃO

BAIXA TENSÃO NO CIRCUITO DE FORÇA DE

PARTIDA (-15% NOMINAL)

BAIXA TENSÃO DO COMANDO NA PARTIDA

PARTIDA (-15% NOMINAL)

O COMPRESSOR SERÁ RELIGADO APÓS 3 MIN

VERIFICAR AS CONDIÇÕES DA INSTALÇÃO

(DISJUNTOR, CABOS, ETC)

VERIFICAR AS CONDIÇÕES DA INSTALAÇÃO

(AUMENTAR “TAPS” DO TRANSFORMADOR)

VERIFICAR FONTES DE ALIMENTAÇÃO E CORRIGIR

TENSÃO MÍNIMA

CORRIGIR TENSÃO DO COMANDO

SE A ORIGEM FOR A MESMA DO CIRCUITO DE

FORÇA, DEVE-SE BUSCAR OUTRA ORIGEM E

ISOLAR O CIRCUITO DE COMANDO DO CIRCUITO

DE FORÇA

Rearme do Compressor após Falha

Quando um compressor entrar em falha, e somente depois de detectada a causa desta, comutar a chave

DSW3-1 a 6 correspondentes para OFF e em seguida para ON novamente. O compressor entrará em operação respeitando o intervalo de tempo de partida.

Caso ocorra uma falha que impossibilite o rearme do compressor de imediato é aconselhável a colocação do mesmo em manutenção a fim de se evitar que o alarme do mesmo fique no Display da IHM. Caso isso ocorra a monitoração de outros ciclos ficará inibida.

80

*Todo alarme não identificado ocorrido no Chiller será apresentado como 51 ~ 56, dependendo do ciclo em alarme. O processador é programado para monitorar e controlar algumas falhas antes que elas se efetivem e, quando o alarme ocorre de outra forma e o processador não o identifica o alarme mostrado no display é o citado anteriormente.

14 TABELAS

14.1. TABELA DE PRESSÃO MANOMÉTRICA x TEMPERATURA DO R-407C (CONDENSAÇÃO)

96,6

98,0

99,4

100,8

102,2

103,7

105,1

106,5

107,9

85,2

86,6

88,0

89,5

90,9

92,3

93,7

95,1

72,4

73,8

75,3

76,7

78,1

79,5

80,9

82,4

83,8

61,1

62,5

63,9

65,3

66,7

68,2

69,6

71,0

109,3

110,8

112,2

113,6

115,0

116,4

117,9

119,3

120,7

122,1

123,5

125,0

126,4

48,3

49,7

51,1

52,5

54,0

55,4

56,8

58,2

59,6

36,9

38,3

39,8

41,2

42,6

44,0

45,4

46,9

24,1

25,6

27,0

28,4

29,8

31,2

32,7

34,1

35,5

psi

14,2

15,6

17,0

18,5

19,9

21,3

22,7

6,4

6,5

6,6

6,7

6,8

6,9

7,0

7,1

7,2

5,6

5,7

5,8

5,9

6,0

6,1

6,2

6,3

4,7

4,8

4,9

5,0

5,1

5,2

5,3

5,4

5,5

3,9

4,0

4,1

4,2

4,3

4,4

4,5

4,6

8,1

8,2

8,3

8,4

8,5

8,6

8,7

8,8

8,9

7,3

7,4

7,5

7,6

7,7

7,8

7,9

8,0

3,0

3,1

3,2

3,3

3,4

3,5

3,6

3,7

3,8

2,2

2,3

2,4

2,5

2,6

2,7

2,8

2,9

Pressão

Kgf/cm2

1,0

1,1

1,2

1,3

1,4

1,5

1,6

1,7

1,8

1,9

2,0

2,1

0,67

0,68

0,69

0,70

0,71

0,72

0,73

0,74

0,75

0,59

0,60

0,61

0,62

0,63

0,64

0,65

0,66

0,50

0,51

0,52

0,53

0,54

0,55

0,56

0,57

0,58

0,42

0,43

0,44

0,45

0,46

0,47

0,48

0,49

0,76

0,76

0,77

0,78

0,79

0,80

0,81

0,82

0,83

0,84

0,85

0,86

0,87

0,33

0,34

0,35

0,36

0,37

0,38

0,39

0,40

0,41

0,25

0,26

0,27

0,28

0,29

0,30

0,31

0,32

0,17

0,18

0,19

0,20

0,21

0,22

0,23

0,24

0,25

Mpa

0,10

0,11

0,12

0,13

0,14

0,15

0,16

Temperatura

°C

12,0

12,4

12,8

13,2

13,6

14,0

14,4

14,8

8,2

8,6

9,1

9,5

10,5

10,4

10,8

11,2

11,6

15,2

15,6

15,9

16,3

16,7

17,0

17,4

17,8

18,1

4,6

5,0

5,5

6,0

6,5

6,9

7,4

7,8

-0,1

0,4

1,0

1,5

2,0

2,5

3,0

3,6

4,1

-4,7

-4,1

-3,5

-2,9

-2,3

-1,8

-1,2

-0,6

-10,5

-9,8

-9,1

-8,5

-7,8

-7,1

-6,5

-5,9

-5,3

-16,6

-15,9

-15,1

14,3

-13,5

-12,8

-12,0

-11,2

-23,1

-22,1

-21,1

-20,2

-19,2

-18,4

-17,5

1,45

1,46

1,47

1,48

1,49

1,50

1,51

1,52

1,53

1,37

1,38

1,39

1,40

1,41

1,42

1,43

1,44

1,28

1,29

1,30

1,31

1,32

1,33

1,34

1,35

1,36

1,21

1,22

1,23

1,24

1,25

1,26

1,27

1,27

1,54

1,55

1,56

1,57

1,58

1,59

1,60

1,61

1,62

1,63

1,64

1,65

1,66

1,12

1,13

1,14

1,15

1,16

1,17

1,18

1,19

1,20

1,04

1,05

1,06

1,07

1,08

1,09

1,10

1,11

0,95

0,96

0,97

0,98

0,99

1,00

1,01

1,02

1,03

Mpa

0,88

0,89

0,90

0,91

0,92

0,93

0,94

TABELA DE PRESSÃO

MANOMÉTRICA x TEMPERATURA DO R-407C (CONDENSAÇÃO)

Pressão Temperatura Pressão Temperatura

Kgf/cm2

9,0

psi

127,8

°C

18,5

Mpa

1,67

Kgf/cm2

17,0

psi

241,4

°C

40,9

14,8

14,9

15,0

15,1

15,2

15,3

15,4

15,5

15,6

14,0

14,1

14,2

14,3

14,4

14,5

14,6

14,7

13,1

13,2

13,3

13,4

13,5

13,6

13,7

13,8

13,9

12,3

12,4

12,5

12,6

12,7

12,8

12,9

13,0

15,7

15,8

15,9

16,0

16,1

16,2

16,3

16,4

16,5

16,6

16,7

16,8

16,9

11,4

11,5

11,6

11,7

11,8

11,9

12,0

12,1

12,2

10,6

10,7

10,8

10,9

11,0

11,1

11,2

11,3

9,9

10,0

10,1

10,2

10,3

10,4

10,5

9,1

9,2

9,3

9,4

9,5

9,6

9,7

9,8

210,2

211,6

213,0

214,4

215,8

217,3

218,7

220,1

221,5

198,8

200,2

201,6

203,1

204,5

205,9

207,3

208,7

186,0

187,4

188,9

190,3

191,7

193,1

194,5

196,0

197,4

174,7

176,1

177,5

178,9

180,3

181,8

183,2

184,6

222,9

224,4

225,8

227,2

228,6

230,0

231,5

232,9

234,3

235,7

237,1

238,6

240,0

150,5

151,9

153,4

154,8

156,2

157,6

159,0

160,5

161,9

163,3

164,7

166,1

167,6

169,0

170,4

171,8

173,2

129,2

130,6

132,1

133,5

134,9

136,3

137,7

139,2

140,6

142,0

143,4

144,8

146,3

147,7

149,1

35,6

35,9

36,1

36,4

36,7

36,9

37,1

37,4

37,6

33,6

33,8

34,1

34,4

34,6

34,9

35,1

35,4

31,2

31,4

31,7

32,0

32,3

32,5

32,8

33,1

33,3

29,0

29,2

29,5

29,8

30,1

30,3

30,6

30,9

37,8

38,1

38,3

38,5

38,8

39,0

39,3

39,5

39,7

40,0

40,2

40,4

40,7

26,3

26,6

26,9

27,2

27,5

27,8

28,1

28,4

28,7

23,9

24,2

24,5

24,8

25,1

25,3

25,6

25,9

18,8

19,2

19,5

19,9

20,3

20,6

20,9

21,3

21,6

21,9

22,2

22,5

22,8

23,2

23,5

2,24

2,25

2,26

2,27

2,28

2,28

2,29

2,30

2,31

2,16

2,17

2,18

2,19

2,20

2,21

2,22

2,23

2,07

2,08

2,09

2,10

2,11

2,12

2,13

2,14

2,15

1,99

2,00

2,01

2,02

2,03

2,04

2,05

2,06

2,32

2,33

2,34

2,35

2,36

2,37

2,38

2,39

2,40

2,41

2,42

2,43

2,44

1,90

1,91

1,92

1,93

1,94

1,95

1,96

1,97

1,98

1,82

1,83

1,84

1,85

1,86

1,87

1,88

1,89

1,68

1,69

1,70

1,71

1,72

1,73

1,74

1,75

1,76

1,77

1,77

1,78

1,79

1,80

1,81

22,8

22,9

23,0

23,1

23,2

23,3

23,4

23,5

23,6

22,0

22,1

22,2

22,3

22,4

22,5

22,6

22,7

21,1

21,2

21,3

21,4

21,5

21,6

21,7

21,8

21,9

20,3

20,4

20,5

20,6

20,7

20,8

20,9

21,0

23,7

23,8

23,9

24,0

24,1

24,2

24,3

24,4

24,5

24,6

24,7

24,8

24,9

19,4

19,5

19,6

19,7

19,8

19,9

20,0

20,1

20,2

18,6

18,7

18,8

18,9

19,0

19,1

19,2

19,3

17,1

17,2

17,3

17,4

17,5

17,6

17,7

17,8

17,9

18,0

18,1

18,2

18,3

18,4

18,5

323,8

325,2

326,6

328,0

329,4

330,9

332,3

333,7

335,1

312,4

313,8

315,2

316,7

318,1

319,5

320,9

322,3

299,6

301,0

302,5

303,9

305,3

306,7

308,1

309,6

311,0

288,3

289,7

291,1

292,5

293,9

295,4

296,8

298,2

336,5

338,0

339,4

340,8

342,2

343,6

345,1

346,5

347,9

349,3

350,7

352,2

353,6

264,1

265,5

267,0

268,4

269,8

271,2

272,6

274,1

275,5

276,9

278,3

279,7

281,2

282,6

284,0

285,4

286,8

242,8

244,2

245,7

247,1

248,5

249,9

251,3

252,8

254,2

255,6

257,0

258,4

259,9

261,3

262,7

52,9

53,1

53,3

53,5

53,6

53,8

54,0

54,2

54,3

51,3

51,5

51,7

51,9

52,1

52,3

52,5

52,7

49,6

49,8

50,0

50,2

50,4

50,6

50,7

50,9

51,1

48,0

48,2

48,4

48,6

48,8

49,0

49,2

49,4

54,5

54,7

54,9

55,1

55,2

55,4

55,6

55,8

55,9

56,1

56,3

56,5

56,6

46,1

46,4

46,6

46,8

47,0

47,2

47,4

47,6

47,8

44,5

44,7

44,9

45,1

45,3

45,5

45,7

45,9

41,1

41,4

41,6

41,8

42,1

42,2

42,5

42,7

42,9

43,1

43,4

43,6

43,9

44,1

44,3

437,4

438,8

440,2

441,6

443,0

444,5

445,9

447,3

448,7

426,0

427,4

428,8

430,3

431,7

433,1

434,5

435,9

450,1

451,6

453,0

454,4

455,8

457,2

458,7

460,1

461,5

462,9

413,2

414,6

416,1

417,5

418,9

420,3

421,7

423,2

424,6

401,9

403,3

404,7

406,1

407,5

409,0

410,4

411,8

377,7

379,1

380,6

382,0

383,4

384,8

386,2

387,7

389,1

390,5

391,9

393,3

394,8

396,2

397,6

399,0

400,4

psi

355,0

356,4

357,8

359,3

360,7

362,1

363,5

364,9

366,4

367,8

369,2

370,6

372,0

373,5

374,9

376,3

30,4

30,5

30,6

30,7

30,8

30,9

31,0

31,1

31,2

29,6

29,7

29,8

29,9

30,0

30,1

30,2

30,3

28,7

28,8

28,9

29,0

29,1

29,2

29,3

29,4

29,5

27,9

28,0

28,1

28,2

28,3

28,4

28,5

28,6

31,3

31,4

31,5

31,6

31,7

31,8

31,9

32,0

32,1

32,2

32,3

32,4

32,5

32,6

27,0

27,1

27,2

27,3

27,4

27,5

27,6

27,7

27,8

26,2

26,3

26,4

26,5

26,6

26,7

26,8

26,9

Pressão

Kgf/cm2

25,0

25,1

25,2

25,3

25,4

25,5

25,6

25,7

25,8

25,9

26,0

26,1

65,7

65,8

66,0

66,2

66,3

66,5

66,6

66,8

66,9

64,4

64,6

64,7

64,9

65,1

65,2

65,4

65,5

63,0

63,2

63,3

63,5

63,6

63,8

64,0

64,1

64,3

61,8

61,8

62,1

62,2

62,4

62,5

62,7

62,9

67,0

67,2

67,3

67,5

67,6

67,8

68,0

68,1

68,3

68,4

68,5

68,7

68,8

68,9

60,3

60,4

60,6

60,8

61,0

61,1

61,3

61,5

61,6

58,9

59,1

58,3

59,5

59,6

59,8

59,9

60,1

Temperatura

°C

56,8

57,0

57,2

57,3

57,5

57,7

57,9

58,1

58,2

58,4

58,6

58,8

3,02

3,03

3,04

3,05

3,06

3,07

3,08

3,09

3,10

2,94

2,95

2,96

2,97

2,98

2,99

3,00

3,01

3,11

3,12

3,13

3,14

3,15

3,16

3,17

3,18

3,19

3,20

2,85

2,86

2,87

2,88

2,89

2,90

2,91

2,92

2,93

2,78

2,79

2,79

2,80

2,81

2,82

2,83

2,84

2,69

2,70

2,71

2,72

2,73

2,74

2,75

2,76

2,77

2,61

2,62

2,63

2,64

2,65

2,66

2,67

2,68

2,52

2,53

2,54

2,55

2,56

2,57

2,58

2,59

2,60

Mpa

2,45

2,46

2,47

2,48

2,49

2,50

2,51

81

14.2. TABELA DE PRESSÃO MANOMÉTRICA x TEMPERATURA DO R-407C (EVAPORAÇÃO)

psi

93,7

95,1

96,6

98,0

99,4

100,8

102,2

103,7

82,4

83,8

85,2

86,6

88,0

89,5

90,9

92,3

72,4

73,8

75,3

76,7

78,1

79,5

80,9

61,1

62,5

63,9

65,3

66,7

68,2

69,6

71,0

115,0

116,4

117,9

119,3

120,7

122,1

123,5

125,0

126,4

105,1

106,5

107,9

109,3

110,8

112,2

113,6

49,7

51,1

52,5

54,0

55,4

56,8

58,2

59,6

38,3

39,8

41,2

42,6

44,0

45,4

46,9

48,3

25,6

27,0

28,4

29,8

31,2

32,7

34,1

35,5

36,9

14,2

15,6

17,0

18,5

19,9

21,3

22,7

24,1

Pressão

Kgf/cm2

6,6

6,7

6,8

6,9

7,0

7,1

7,2

7,3

5,8

5,9

6,0

6,1

6,2

6,3

6,4

6,5

5,1

5,2

5,3

5,4

5,5

5,6

5,7

4,3

4,4

4,5

4,6

4,7

4,8

4,9

5,0

8,1

8,2

8,3

8,4

8,5

8,6

8,7

8,8

8,9

7,4

7,5

7,6

7,7

7,8

7,9

8,0

3,5

3,6

3,7

3,8

3,9

4,0

4,1

4,2

2,7

2,8

2,9

3,0

3,1

3,2

3,3

3,4

1,8

1,9

2,0

2,1

2,2

2,3

2,4

2,5

2,6

1,0

1,1

1,2

1,3

1,4

1,5

1,6

1,7

Mpa

0,65

0,66

0,67

0,68

0,69

0,70

0,71

0,72

0,57

0,58

0,59

0,60

0,61

0,62

0,63

0,64

0,50

0,51

0,52

0,53

0,54

0,55

0,56

0,42

0,43

0,44

0,45

0,46

0,47

0,48

0,49

0,79

0,80

0,81

0,82

0,83

0,84

0,85

0,86

0,87

0,73

0,74

0,75

0,76

0,76

0,77

0,78

0,34

0,35

0,36

0,37

0,38

0,39

0,40

0,41

0,26

0,27

0,28

0,29

0,30

0,31

0,32

0,33

0,18

0,19

0,20

0,21

0,22

0,23

0,24

0,25

0,25

0,10

0,11

0,12

0,13

0,14

0,15

0,16

0,17

Temperatura

°C

16,8

17,2

17,6

18,0

18,4

18,8

19,2

19,6

13,5

13,9

14,3

14,7

15,2

15,6

16,0

16,4

9,7

10,2

10,7

11,1

11,6

12,1

12,6

13,0

6,2

6,7

7,3

7,8

8,3

8,8

9,2

20,0

20,3

20,7

21,1

21,4

21,8

22,1

22,5

22,9

23,2

23,6

23,9

1,7

2,3

2,9

3,5

4,0

4,6

5,1

5.7-

-3,3

-2,7

-2,0

-1,4

-0,7

-0,1

0,6

1,1

-10,1

-9,3

-8,5

-7,7

-6,9

-6,2

-5,4

-4,7

-4,0

-16,3

-15,3

-14,4

-13,5

-14,0

-11,7

-10,9

Mpa

1,43

1,44

1,45

1,46

1,47

1,48

1,49

1,50

1,35

1,36

1,37

1,38

1,39

1,40

1,41

1,42

1,28

1,29

1,30

1,31

1,32

1,33

1,34

1,21

1,22

1,23

1,24

1,25

1,26

1,27

1,27

1,58

1,59

1,60

1,61

1,62

1,63

1,64

1,65

1,66

1,51

1,52

1,53

1,54

1,55

1,56

1,57

1,13

1,14

1,15

1,16

1,17

1,18

1,19

1,20

1,05

1,06

1,07

1,08

1,09

1,10

1,11

1,12

0,96

0,97

0,98

0,99

1,00

1,01

1,02

1,03

1,04

0,88

0,89

0,90

0,91

0,92

0,93

0,94

0,95

TABELA DE PRESSÃO

MANOMÉTRICA x TEMPERATURA DO R-407C (EVAPORAÇÃO)

Pressão

Kgf/cm2 psi

Temperatura

°C Mpa

Pressão

Kgf/cm2 psi

Temperatura

°C

14,6

14,7

14,8

14,9

15,0

15,1

15,2

15,3

13,8

13,9

14,0

14,1

14,2

14,3

14,4

14,5

13,1

13,2

13,3

13,4

13,5

13,6

13,7

12,3

12,4

12,5

12,6

12,7

12,8

12,9

13,0

16,1

16,2

16,3

16,4

16,5

16,6

16,7

16,8

16,9

15,4

15,5

15,6

15,7

15,8

15,9

16,0

11,5

11,6

11,7

11,8

11,9

12,0

12,1

12,2

10,7

10,8

10,9

11,0

11,1

11,2

11,3

11,4

9,8

9,9

10,0

10,1

10,2

10,3

10,4

10,5

10,6

9,0

9,1

9,2

9,3

9,4

9,5

9,6

9,7

207,3

208,7

210,2

211,6

213,0

214,4

215,8

217,3

196,0

197,4

198,8

200,2

201,6

203,1

204,5

205,9

174,7

176,1

177,5

178,9

180,3

181,8

183,2

184,6

186,0

187,4

188,9

190,3

191,7

193,1

194,5

218,7

220,1

221,5

222,9

224,4

225,8

227,2

228,6

230,0

231,5

232,9

234,3

235,7

237,1

238,6

240,0

151,9

153,4

154,8

156,2

157,6

159,0

160,5

161,9

163,3

164,7

166,1

167,6

169,0

170,4

171,8

173,2

127,8

129,2

130,6

132,1

133,5

134,9

136,3

137,7

139,2

140,6

142,0

143,4

144,8

146,3

147,7

149,1

150,5

40,3

40,6

40,8

41,1

41,3

41,5

41,8

42,0

38,3

38,5

38,8

39,0

39,3

39,6

39,8

40,1

36,5

36,7

37,0

37,3

37,5

37,8

38,0

34,4

34,6

34,9

35,2

35,5

35,7

36,0

36,2

43,8

44,0

44,3

44,5

44,7

45,0

45,2

45,4

45,7

42,2

42,5

42,7

42,9

43,2

43,4

43,6

32,1

32,4

32,7

33,0

33,3

33,6

33,8

34,1

29,8

30,1

30,4

30,7

30,9

31,2

31,5

31,8

27,0

27,3

27,6

27,9

28,2

28,5

28,8

29,1

29,5

24,3

24,6

25,0

25,3

25,6

26,0

26,3

26,6

2,22

2,23

2,24

2,25

2,26

2,27

2,28

2,28

2,14

2,15

2,16

2,17

2,18

2,19

2,20

2,21

2,07

2,08

2,09

2,10

2,11

2,12

2,13

1,99

2,00

2,01

2,02

2,03

2,04

2,05

2,06

2,36

2,37

2,38

2,39

2,40

2,41

2,42

2,43

2,44

2,29

2,30

2,31

2,32

2,33

2,34

2,35

1,91

1,92

1,93

1,94

1,95

1,96

1,97

1,98

1,83

1,84

1,85

1,86

1,87

1,88

1,89

1,90

1,75

1,76

1,77

1,77

1,78

1,79

1,80

1,81

1,82

1,67

1,68

1,69

1,70

1,71

1,72

1,73

1,74

22,6

22,7

22,8

22,9

23,0

23,1

23,2

23,3

21,8

21,9

22,0

22,1

22,2

22,3

22,4

22,5

21,1

21,2

21,3

21,4

21,5

21,6

21,7

20,3

20,4

20,5

20,6

20,7

20,8

20,9

21,0

24,1

24,2

24,3

24,4

24,5

24,6

24,7

24,8

24,9

23,4

23,5

23,6

23,7

23,8

23,9

24,0

19,5

19,6

19,7

19,8

19,9

20,0

20,1

20,2

18,7

18,8

18,9

19,0

19,1

19,2

19,3

19,4

17,8

17,9

18,0

18,1

18,2

18,3

18,4

18,5

18,6

17,0

17,1

17,2

17,3

17,4

17,5

17,6

17,7

320,9

322,3

323,8

325,2

326,6

328,0

329,4

330,9

309,6

311,0

312,4

313,8

315,2

316,7

318,1

319,5

288,3

289,7

291,1

292,5

293,9

295,4

296,8

298,2

299,6

301,0

302,5

303,9

305,3

306,7

308,1

332,3

333,7

335,1

336,5

338,0

339,4

340,8

342,2

343,6

345,1

346,5

347,9

349,3

350,7

352,2

353,6

265,5

267,0

268,4

269,8

271,2

272,6

274,1

275,5

276,9

278,3

279,7

281,2

282,6

284,0

285,4

286,8

241,4

242,8

244,2

245,7

247,1

248,5

249,9

251,3

252,8

254,2

255,6

257,0

258,4

259,9

261,3

262,7

264,1

56,8

57,0

57,1

57,3

57,5

57,7

57,8

58,0

55,4

55,5

55,7

55,9

56,1

56,3

56,4

56,6

54,1

54,3

54,5

54,7

54,8

55,0

55,2

52,6

52,8

53,0

53,1

53,3

53,5

53,7

53,9

59,4

59,6

59,8

60,0

60,1

60,3

60,4

60,6

60,8

58,2

58,4

58,5

58,7

58,9

59,1

59,3

51,0

51,2

51,4

51,6

51,8

52,0

52,2

52,4

49,4

49,7

49,9

50,1

50,3

50,4

50,6

50,8

47,6

47,8

48,0

48,2

48,4

48,6

48,8

49,0

49,2

45,9

46,1

46,3

46,5

46,7

46,9

47,2

47,4

psi

423,2

424,6

426,0

427,4

428,8

430,3

431,7

433,1

434,5

435,9

437,4

438,8

440,2

441,6

443,0

444,5

401,9

403,3

404,7

406,1

407,5

409,0

410,4

411,8

413,2

414,6

416,1

417,5

418,9

420,3

421,7

445,9

447,3

448,7

450,1

451,6

453,0

454,4

455,8

457,2

458,7

460,1

461,5

462,9

379,1

380,6

382,0

383,4

384,8

386,2

387,7

389,1

390,5

391,9

393,3

394,8

396,2

397,6

399,0

400,4

355,0

356,4

357,8

359,3

360,7

362,1

363,5

364,9

366,4

367,8

369,2

370,6

372,0

373,5

374,9

376,3

377,7

Pressão

Kgf/cm2

30,6

30,7

30,8

30,9

31,0

31,1

31,2

31,3

29,8

29,9

30,0

30,1

30,2

30,3

30,4

30,5

29,1

29,2

29,3

29,4

29,5

29,6

29,7

28,3

28,4

28,5

28,6

28,7

28,8

28,9

29,0

31,4

31,5

31,6

31,7

31,8

31,9

32,0

32,1

32,2

32,3

32,4

32,5

32,6

27,5

27,6

27,7

27,8

27,9

28,0

28,1

28,2

26,7

26,8

26,9

27,0

27,1

27,2

27,3

27,4

25,8

25,9

26,0

26,1

26,2

26,3

26,4

26,5

26,6

25,0

25,1

25,2

25,3

25,4

25,5

25,6

25,7

Mpa

3,00

3,01

3,02

3,03

3,04

3,05

3,06

3,07

2,92

2,93

2,94

2,95

2,96

2,97

2,98

2,99

2,85

2,86

2,87

2,88

2,89

2,90

2,91

2,78

2,79

2,79

2,80

2,81

2,82

2,83

2,84

3,08

3,09

3,10

3,11

3,12

3,13

3,14

3,15

3,16

3,17

3,18

3,19

3,20

2,70

2,71

2,72

2,73

2,74

2,75

2,76

2,77

2,62

2,63

2,64

2,65

2,66

2,67

2,68

2,69

2,53

2,54

2,55

2,56

2,57

2,58

2,59

2,60

2,61

2,45

2,46

2,47

2,48

2,49

2,50

2,51

2,52

Temperatura

°C

69,4

69,5

69,7

69,8

69,9

70,1

70,2

70,4

68,3

68,4

68,6

68,7

68,9

69,0

69,1

69,3

67,2

67,4

67,6

67,7

67,9

68,0

68,2

66,1

66,3

66,4

66,6

66,7

66,8

67,0

67,1

70,5

70,6

70,8

70,9

71,0

71,2

71,3

71,5

71,6

71,7

71,9

72,0

72,1

64,8

65,0

65,1

65,3

65,5

65,6

65,8

65,9

63,7

63,9

64,0

64,2

64,3

64,4

64,6

64,7

62,2

62,4

62,6

62,7

62,9

63,1

63,2

63,4

63,5

60,9

61,1

61,2

61,4

61,5

61,7

61,9

62,1

82

14.3. TABELA DE ALARMES

14

22

5P

40

FC

05

11

12

13

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

C1

CÓDIGO

C1

C1

H1 e1

C1

C1

C1

C1

L1

51

61

71

91 t1

05

12

13

14

14

22

5P

40

FC

05

11

12

13

26

27

28

F0

21

23

24

25

CONTEÚDO

ATUAÇÃO DO PRESSOSTATO DE DESCARGA

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR BAIXA PRESSÃO DE SUCÇÃO

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR BAIXA PRESSÃO DE SUCÇÃO

ATUAÇÃO DO RELÉ DE SOBRECARGA DE CORRENTE NO COMPRESSOR

ALTA TEMPERATURA NA DESCARGA DO CINORESSIR

TERMOSTATO INTERNO DO COMPRESSOR

BAIXA TEMPERATURA DO REFRIGERANTE NA ENTRADA DO RESFRIADOR

BAIXA T EMPERATURA DE SUCÇÃO

INVERSÃO OU FALTA DE FASE

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA FRONTAL

FALHA NO SENSOR DE DEGELO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ALTA TEMPERATURA DE ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ENTR. DE REFRIG. NO RESFRIADOR

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE DESCARGA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE LINHA DE LÍQUIDO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA TRASEIRO

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SUCÇÃO

FALHA NO SENSOR DE PRESSÃO DE DESCARGA

FALHA NO SENSOR DE PRESSÃO DE SUCÇÃO

FALHA DE SETAGEM DA QUANTIDADE DE VENTILADORES

INVERSÃO OU F ALTA DE FASE GERAL

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE ENTRADA DE ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DE SAÍDA DE ÁGUA FRONTAL

ATIVAÇÃO DO CONTROLE DE DEGELO

ATUAÇÃO DO CONTROLE POR ALTA TEMPERATURA DE ÁGUA

FALHA NO SENSOR DE TEMPERATURA DO AR EXTERNO

FALHA NO INTERTRAVAMENTO COM BOMBA DE ÁGUA

OPERAÇÃO INCORRETA / CONFIGURAÇÃO ERRADA

TRANSMISSÃO ANORMAL ENTRE A PLACA I/O E A PLACA FANM

F1 11 ~ 16 ERRO DE CONTROLE DE VELOCIDADE

F1 21 ~ 26 ATUAÇÃO DA PROTEÇÃO POR SOBRECORRENTE

F1 31 ~ 36 DETECÇÃO DE POSIÇÃO ANORMAL

F1 41 ~ 46 FALHA DE TRANSMISSÃO ENTRE A PLACA I/O E A PLACA FANM

F1 51 ~ 58 FALTA OU SOBRETENÃO NO PLACA FANM

PU PU ALTA TEMPERATURA NA ENTRADA DE ÁGUA DO RESFRIADOR

C1

C1

C1

C1

C1

C1

PU

PISCANDO

6E 6E

03 03

C1

C1

P5

P6

C1

F1

F1

P4

P8

P7

88

Co

HE oF

Ct

EO

PU

ATUAÇÃO DO FLOW SWITCH

FALHA DE CONEXÃO REMOTA

FUNCIONAMENTO ANORMAL EM Cn -6n, Cn -7n NO CONTROLE

FUNCIONAMENTO ANORMA L EM Cn-9n, Cn -Tn NO CONTROLE

ANORMALIDADE NOS CONTATORES DE PARTIDA

ANORMALIDADE NA PLACA Fn -4m, Fn-5m NA PLACA I/O

ANORMALIDADE NO CONTROLE SIMULTÂNEO DA PLACA FANM

INDICAÇÃO NORMAL

INDICAÇÃO DE ALIMENTAÇÃO DE FORÇA OK

EQUIPAMENTO EM OPERAÇÃO DE RESFRIAMENTO

EQUIPAMENTO EM OPERAÇÃO DE AQUECIMENTO

APÓS O INTERLOCK DA BOMBA, PARADO PELO CONTROLE DE CAPACIDADE

ATIVAÇÃO DO CONTROLE DE DEMANDA PELO SENSOR DE CORRENTE

INICIALIZAÇÃO DA VÁ LV. DE EXPANSÃO

AGUARDANDO INTERTRAVAMENTO DA BOMBA DE ÁGUA

NOTAS

PSH1

SPS1

ORC1

THMd1

IT1

THMr1

THMs1

VERIFICAR ESQUEMA ELÉTRICO

THMof1

N/A

N/A

THMr1

THMd1

THMl1

THMot1

THMs1

DPS1

SPS1

FAMN 0

VERIFICAR ESQUEMA ELÉTRICO

THMi1

THMof1

THMa1

PWBc,d ; FANM

FANM

FANM

FANM

PWBc,d ; FANM

FANM

THMi1

FSAG

QUANDO UTILIZAR CSC -5S

CS1

MV1

83

14.4. LISTA DE VARIÁVEIS

84

85

86

PSI

PSI mca mca bar

μ mTorr kg/cm² kg/cm² kg/cm² kg/cm² kg/cm²

MPa

MPa

MPa

MPa

PSI

14.5. TABELA DE CONVERSÃO DE UNIDADES

UNID.

MULTIPLIQUE

m³ / h m³ / h m³ / h m³ / min l/s l/s kW kW kW kW kW cv kcal/h kcal/h

TR m³ m³

L gl kg kg oz m m in ft

°C

°F

°C quilogramas por centímetro quadrado quilogramas por centímetro quadrado quilogramas por centímetro quadrado quilogramas por centímetro quadrado quilogramas por centímetro quadrado mega Pascal mega Pascal mega Pascal mega Pascal libras por polegada quadrada libras por polegada quadrada libras por polegada quadrada metros coluna d'água metros coluna d'água bars mícrons torr metros cúbicos por hora metros cúbicos por hora metros cúbicos por hora metros cúbicos por minuto litros por segundo litros por segundo quilowatt quilowatt quilowatt quilowatt quilowatt cavalo vapor quilocalorias por hora quilocalorias por hora toneladas de refrigeração graus Celsius graus Fahrenheit graus Celsius metros cúbicos metros cúbicos litros galões americanos metros metros polegadas pés quilogramas quilogramas onças

15,85

951,12

POTÊNCIA

1,360

1,341

860

0,2844

3412

0,9863

0,00033069

3,968

12000

TEMPERATURA

(°C x 9/5) + 32

(°F - 32) x 5/9

°C+273

VOLUME

264,17

35,315

0,26417

0,1337

COMPRIMENTO

39,37

3,281

2,54

30,48

PESO

2,205

35,274

28,35

POR

PRESSÃO

0,098067

14,223

10

32,809

0,9807

145

102

334,6

10

0,7031

2,307

0,068948

3,281

0,098064

33,456

0,9677

0,0199

VAZÃO

0,2778

4,403

264,2

35,315

NOTA:

Para encontrar o Fator de Conversão oposto ao dado na tabela usar a fórmula 1/x = y.

Onde: x = Valor da Tabela e y = Novo Fator de Vonversão

Exemplo:

Converter 100 psi em kgf/cm² = 1 / 14,22 = 0,0703 (Novo Fator de Conversão)

Portanto 100 psi x 0,0703 = 7,03 kgf/cm².

87

PARA OBTER

mega Pascal libras por polegada quadrada metros coluna d'água pés coluna d'água bars libras por polegada quadrada metros coluna d'água pés coluna d'água bars metros coluna d'água pés coluna d'água bars pés coluna d'água bars pés coluna d'água mTorr polegadas mercúrio litros por segundo galões por minuto galões por hora pés cúbicos por minuto galões por minuto galões por hora cavalo vapor horse power quilocalorias por hora toneladas de refrigeração british thermal unit por hora horse power toneladas de refrigeração british thermal unit por hora british thermal unit por hora graus Fahrenheit graus Celsius

Kelvin galões americanos pés cúbicos galões americanos pés cúbicos polegadas pés centímetros centímetros libras onças gramas gl ft³ gl ft³ in ft cm cm

°F

°C

K cv hp kcal/h

TR

BTU/h hp

TR

BTU/h

BTU/h lb oz gr l/s gpm gph cfm gpm gph

UNID.

MPa

PSI mca ft H 2O bar psi mca ft H 2O bar mca ft H 2O bar ft H 2O bar ft H 2O

Torr inHg

14.6. GRÁFICO DE DENSIDADE DE SOLUÇÕES AQUOSAS DE MONOETILENO GLICOL (% PESO)

88

14.7. REGISTRO DE TESTE DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

MODELO: RCU__________________________ MFG.Nº.______________________

COMPRESSOR MFG.Nº.______________________

NOME E ENDEREÇO DO CLIENTE

Há fluxo de água adequado para o resfriador?

A tubulaçao de água foi checada contra vazamento?

O equipamento foi operado por pelo menos 20 minutos?

Checar Temperatura Ambiente:

°C

Checar Temperatura da Água Gelada:

Entrada °C

Checar Vazão de Água:

Saída °C

Checar Temperatura da Linha de Sucção e Superaquecimento:

Temperatura da Linha de Sucção °C °C

Superaquecimento

Checar Pressão:

Pressão de Descarga

Pressão de Sucção

Checar corrente de Operação: deg

MPa

MPa deg

MPa

MPa

A A

Checar Voltagem para o Sistema:

R-S, S-T, T-R=

V V

O equipamento foi checado contra vazamento de refrigerante?

O equipamento está limpo dentro e fora?

Todos os painéis do gabinete estão livres de batidas?

°C deg

MPa

MPa

A

V

°C deg

MPa

MPa

A

89

14.8. REGISTROS DIÁRIOS

Modelo:

Data:

Clima:

Tempo de Operação: Início

Tempo de Amostra

Número do Compressor

Temperatura Ambiente

Compressor

DB

WB

Pressão

Alta

Pressão

Baixa

Temperatura de Resfriamento da Água

Voltagem

Corrente

Entrada

Saída

Corrente de Operação da Bomba D’Água

C

C

MPa

MPa

V

A

C

C

A

NOTAS:

Parada ( )

90

14.9. REGISTRO DE LEITURA DOS CONDENSADORES

TIPO:

MODELO:

Tubular de Cobre com Aletas de

Temperatura do Ar Externo

Temperatura do Ar de Saída dos Condensadores

Diferencial de Temperatura

Leitura Anterior

Corrente dos Ventiladores (A)

CICLO I

CICLO II

CICLO III

CICLO IV

CICLO V

CICLO VI

CICLO I

CICLO II

CICLO III

CICLO IV

CICLO V

CICLO VI

Há ruído e/ou vibração anormal nos ventiladores ?

Há ruído e/ou vibração anormal nos motores ?

Leitura Anterior

V1

V1

V1

V1

V1

V1

V2

V2

V2

V2

V2

V2

Leitura Atual

V1

V1

V1

V1

V1

V1

V2

V2

V2

V2

V2

V2 sim sim

As hélices estão balanceadas ?

sim

QUANT.

Aluminíno

Cobre

Leitura Atual

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V3

V4

V4

V4

V4

V4

V4 não não não

V4

V4

V4

V4

V4

V4

As serpentinas dos condensadores estão limpas ?

O aletado das serpentinas estão em perfeito estado ?

Data Verificação sim sim não não

Quando foi realizado a última manutenção dos condensadores ?

NOTAS:

1-A lavagem dos condensadores deverá ocorrer com o fluxo d'água no sentido contrário à passagem do Ar.

2-Atentar-se aos riscos de amassamento do aletado dos trocadores quando na utilização de bomba de lava jato de alta pressão, pois o jato deverá ser disperso no sentido longitudinal ao aletado

3-O preenchimento desta folha de leitura é complementado com a análise do diferencial de temperatura bem como a corrente dos ventiladores, estas informações são de extrema importância à caracterização da obstrução por particulados nos condensadores, ainda que não visíveis.

91

14.10. CHECK LIST DE START-UP DE RESFRIADORES DE LÍQUIDO

CHECK LIST DE START-UP DE RESFRIADORES DE LÍQUIDO

- ITENS DE VERIFICAÇÃO -

1 - MANÔMETRO

Deverão ser instalados nas tubulações de entrada e saída dos condensadores e resfriadores (utilizar válvula de esfera c/ alívio).

2 -

TERMÔMETRO

Deverão ser instalados nas tubulações de entrada e saída dos condensadores e resfriadores.

3 - FILTRO "Y"

Deverão ser instalados nos circuitos de água gelada e condensação de preferência na entrada dos trocadores. É aconselhável a substituíção dos núcleos filtrantes dos mesmos após a colocação do equipamento em marcha. Após a realização da limpeza e/ou substituição do elemento filtrante, efetuar a troca da água dos sistemas (água gelada e água de condensação).

4 - PURGADORES

Deverão ser instalados nos pontos mais altos dos circuítos de água gelada e de condensação.

5 - TANQUE DE EXPANSÃO e/ou CAIXA DE COMPENSAÇÃO

No circuito de água gelada deverá ser instalado o TANQUE DE EXPANSÃO, objetivando a reposição d'água por perdas no sistema e também absorver as dilatações do volume do sistema, para simplificar sua instalação o mesmo deverá ser instalado no ponto mais alto do circuito de água gelada e ser conectado à tubulação de de sucção do sistema de bombeamento. A CAIXA DE COMPENSAÇÃO deverá ser instalada no circuito de condensação e sua principal função é complementar o volume d'água perdido pela ação da evaporação e por outras perdas oriundas do circuito.

6 - DISJUNTORES

Deverão ser instalados, com calibre em função da proteção térmica e magnética ou CHAVES SECCIONADORAS com fusíveis dimensionados de acordo com as especificações do equipamento.

7 - DISJUNTORES P/ ALIMENTAÇÃO DO COMANDO

Deverá ser instalado um disjuntor para o circuíto de comando independente do circuíto de alimentação do(s) compressor(es).

8 - INTERTRAVAMENTO ELÉTRICO

(Interlock de Bombas) o circuíto elétrico deve ser feito de tal forma que o grupo de água só possa entrar em operação após estarem ligadas exatamente o nº de bombas de água gelada e/ou condensação especificadas no projeto para funcionamento efetivo (01 par de cabos sem tensão entre o quadro de comando das bombas e o quadro do chiller deverá ser previsto para este fim).

9 -

CHAVES DE FLUXO

Deverão ser instaladas nas tubulações de

SAÍDA

de água gelada e de condensação.

10 -

VÁLVULAS GAVETA

Deverão ser instaladas nas tubulações de entrada e saída dos condensadores e resfriadores.

11 - VÁLVULAS GLOBO

Deverão ser instaladas nas trubulações de saída dos condensadores e resfriadores para a

REGULAGEM DA VAZÃO.

12 -

DRENO

Os circuitos de água gelada e condensação deverão possuir drenos com registros para esvaziamento do volume d'água.

13 - TRATAMENTO DE ÁGUA

Tanto o circuito de água gelada quanto o de água de condensação deverão ter a análise da qualidade da água verificada e conferida com as variáveis listadas no

"CONTROLE DA ÁGUA" para valores fora dos intervalos dos itens listados na tabela "QUALIDADE PADRÃO DA ÁGUA DE RESFRIAMENTO E/OU DE

CONDENSAÇÃO" os mesmos deverão serem corrigidos, sob pena de perda de Garantia dos Trocadores.

14 - RALOS

Tanto o circuito de água gelada quanto o de água de condensação deverão ter a análise da qualidade da água verificada e conferida com as variáveis.

15 - BLOQUEIO HIDRAÚLICO(Chave de Bóia)

Nenhum equipamento deve operar caso não haja água no(s) tanque(s) de expansão e da(s) torre (s) de resfriamento.

16 - PROTEÇÃO CONTRA FALTA DE FASE

A instalação deverá ter proteção contra falta, inversão de fase e oscilação de tensão.

17 - JUNTAS FLEXÍVEIS

Deverão ser instaladas juntas flexíveis nas tubulações de água gelada e de condensação para evitar que vibrações sejam transmitidas e/ou absorvidas.

RECOMENDAÇÕES

1 VERIFICAR SE TODOS OS CIRCUITOS FRIGORÍFICOS DO EQUIPAMENTO PERMANECEM PRESSURIZADOS (VERIFICAR JUNTAS DE ALTA E BAIXA PRESSÃO).

2 VERIFICAR SE NÃO HOUVE DANOS AO CHILLER DURANTE O TRANSPORTE E/OU MOVIMENTAÇÃO DO EQUIPAMENTO ATÉ A BASE.

3 ALIMENTAR O COMANDO DO EQUIPAMENTO (BORNES 01 E 02) COM TENSÃO DE 220 V, 24 HORAS ANTES DO START-UP PARA AQUECIMENTO DO

ÓLEO DO CÁRTER DOS COMPRESSORES.

Hitachi Ar Condicionado do Brasil Ltda.

92

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO

Revendedor:

Equipamento:

Modelo(s) do(s) Compressor(es):

N°(s) de Fabr. do(s) Compressor(es):

Condensador(es) Remoto(s):

N°(s) de Fabr. do(s) Condensador(es):

Nº da Confirmação:

1°Usuário:

Data:

N°Fabr.:

Tel.:

N° Nota Fiscal:

Endereço:

Cid.:

Tensão:

Data:

Est.:

- ITENS DE VERIFICAÇÃO -

1. A instalação do equipamento permite fácil acesso para a manutenção?_______________________

2. O equipamento foi nivelado corretamente e os drenos de água condensada adequadamente instalados?________________________________________________________________________

3. Foram apertadas todas as conexões elétricas?__________________________________________

4. Foram verificadas as fixações dos terminais na(s) caixa(s) do(s) compressor(es) hermético(s)?____

5. Estão apertados os parafusos de fixação das polias, rotores, rolamentos e mancais?____________

6. Foram verificadas as rotações dos ventiladores, tensões das correias e alinhamento das polias?___

7. Estão as válvulas de serviço abertas e as tampas suficientemente apertadas?_________________

8. Foi executado o teste geral de vazamento de refrigerante?_________________________________

9. Foi executada a limpeza geral do equipamento?_________________________________________

10. Estão operando corretamente os dispositivos de proteção do equipamento (Teste Estático) e da instalação?________________________________________________________________________

11. Foram abertos todos os registros das tubulações hidráulicas?_____________________________

12. Recarga de Refrigerante ___/___/___ (kg)

13. Comprimento equivalente e real das tubulações de líquido, gás refrigerante e diâmetros.

Líquido (m)

Equiv.

Real

1° Ciclo

2° Ciclo

3° Ciclo

Isolamento

U - Carcaça

V - Carcaça

W - Carcaça

Compr. 1

Gás (m)

Equiv.

Compr. 2

Real

Compr. 3

Diâmetro (mm)

Líq.

Compr. 4

Gás

Unid.

M

Fusível / Disj.

Bitola dos Cabos

Ciclo 1 Ciclo 2 Ciclo 3 Ciclo 4 Unid.

A mm

2

14. Foram atendidos todos os quesitos básicos de instalação do(s) equipamento(s) conforme Boletim

Técnico?__________________________________________________________________________

Hitachi Ar Condicionado do Brasil Ltda.

- TESTES -

Ligar o equipamento conforme as instruções de operação, após estabilizar o ciclo efetuar as medições:

Temperaturas de

Ar

{

Exterior

Retorno-BU

Insuflamento

°C

°C-BS

°C

°C

TEMPERATURAS

Entrada Água Gelada

Saída Água Gelada

Entr. Cond. (Ar / Água)

Saída Cond. (Ar / Água)

Sucção

Linha de Líquido

Óleo (cárter)

Superaquecimento (D t)

Subresfriamento (D t)

PRESSÕES

Descarga

Sucção

Óleo

TENSÕES

Equip. Inoperante

Equip. em Operação

CORRENTES

Compressor n° 1

Compressor n° 2

Compressor n° 3

Compressor n° 4

Motor do Evaporador

Motor do Cond. N° 1

Motor do Cond. N° 2

Motor do Cond. N° 3

Motor do Cond. N° 4

TOTAL

Ciclo 1

Ciclo 1

R - S

R

Ciclo 2

Ciclo 2

S - T

S

Ciclo 3

Ciclo 3

R - T

T

Ciclo 4

Ciclo 4

Unid.

V

Unid.

A

NOTA:

Este relatório é para uso geral em toda nossa linha.

Dependendo do tipo de preenchimento, alguns campos não deverão ser preenchidos.

Unid.

°C

Unid.

ANOTAÇÕES COMPLEMENTARES:

DATA DO TÉRMINO DA INSTALAÇÃO: /

DATA : / /

INSPECIONADO POR:

GERENTE DE MANUTENÇÃO:

ENG° RESPONSÁVEL PELA OBRA:

/ VISTO DO CLIENTE:

ATENÇÃO: Este "Relatório de Inspeção" deverá ser preenchido pelo instalador credenciado Hitachi no funcionamento inaugural do equipamento e enviado ao departamento técnico da Hitachi, sem o qual torna sem efeito o "Certificado de Garantia" do equipamento.

Hitachi Ar Condicionado do Brasil Ltda.

Certificado de Garantia

Hitachi Ar Condicionado do Brasil Ltda.

IMPORTANTE: A garantia é valida somente com a apresentação da Nota Fiscal de compra EQUIPAMENTO

O PRESENTE CERTIFICADO DE GARANTIA FICA ANULADO EM CASO DE DESCUMPRIMENTO DAS NORMAS

ESTABELECIDAS NOS MANUAIS DE OPERAÇÃO/USO E INSTALAÇÃO, OS QUAIS FAZEM PARTE INTEGRANTE

DO PRESENTE PARA OS DEVIDOS FINS DE DIREITO.

A

HITACHI AR CONDICIONADO DO BRASIL LTDA.

concede para este equipamento, a partir da data de emissão da nota fiscal de compra do equipamento, a GARANTIA PELO PERÍODO DE 03 (TRÊS) meses, garantida por lei, estendida por mais 09 (NOVE) meses,

TOTALIZANDO 12 (DOZE) MESES, a partir da data de start-up , ou 18 (DEZOITO) meses contados da data de emissão da nota fiscal de compra do equipamento, prevalecendo o que vencer primeiro.

Os compressores parafusos são GARANTIDOS PELO PERÍODO DE 03 (TRÊS) MESES, garantida por lei, estendida por mais 33 (TRINTA

E TRÊS) meses, TOTALIZANDO 36 (TRINTA E SEIS) meses, a partir da data de emissão da noata fiscal de compra do equipamento.

·

A GARANTIA ESTENDIDA ALÉM DO PERÍODO LEGAL SOMENTE SERÁ VÁLIDA SE OS EQUIPAMENTOS FOREM INSTALADOS

POR EMPRESA CREDENCIADA HITACHI E SUA PARTIDA FOR EXECUTADA PELA HITACHI OU REPRESENTANTE AUTORIZADO

INDICADO PELA PRÓPRIA HITACHI.

·

A EXTENSÃO DA GARANTIA ALÉM DO PERÍODO LEGAL SOMENTE SERÁ VÁLIDA CASO O PRODUTO SEJA OBJETO DE

CONTRATO DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA MENSAL COM EMPRESA CREDENCIADA PELA HITACHI CUJA AUTORIZAÇÃO

ESTEJA EM VIGOR DURANTE O PERÍODO DE MANUTENÇÃO E QUANDO HOUVER CONTRATO DE SUPERVISÃO DE

MANUTENÇAO COM A HITACHI.

1) A garantia estendida cessa quando:

a)Equipamento for instalado ou utilizado em desacordo com as recomendações do MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO.

b)Equipamento for reparado, regulado ou mantido por pessoal ou empresa não credenciada HITACHI.

c)Houver, para terceiros, venda, cessão ou locação a qualquer título, por parte do primeiro usuário (consumidor final).

2) Itens não cobertos pela garantia estendida:

a)Peças sujeitas a desgaste natural ou pelo uso tais como: correias, lâmpadas, gás refrigerante, óleo, fusíveis, pilhas, filtros e peças plásticas, após o prazo legal de 90 (noventa) dias, contados a partir da data de emissão da nota fiscal da HITACHI.

b)Pintura de equipamentos e ataque corrosivo a qualquer parte do equipamento quando estes forem instalados em regiões de alta concentração de compostos salinos, ácidos ou alcalinos ou alta concentração de enxofre, após o prazo legal de 90 (noventa) dias, contados a partir da data de emissão da nota fiscal da HITACHI.

3) Não são cobertos pela garantia os danos, falhas, quebras ou defeitos ocasionados pelos seguintes fatos ou eventos:

a)Danos causados por instalação ou utilização em desacordo com as recomendações do manual de instalação e operação.

b)O equipamento for reparado, regulado ou mantido por pessoal ou empresa não credenciada HITACHI.

c)O equipamento for danificado por sujeira, ar, mistura de gases ou quaisquer outras partículas ou substâncias estranhas dentro do sistema frigorífico (ciclo).

d)Danos decorrentes de queda do equipamento ou de transporte quando não houver recusa do cliente no ato do recebimento, devendo este abrir a embalagem do produto nesta ocasião, a fim de conferir o estado do produto.

e)Danos causados por instalação ou aplicação inadequada, operação fora das normas técnicas, em instalações precárias ou operação em desacordo com as recomendações do manual de instalação e operação.

f)Danos decorrentes de uso de componentes e acessórios não aprovados pela HITACHI, acionados por comando a distância não originais de fábrica, bem como violação de lacres de dispositivos de segurança.

g)Danos decorrentes de inadequação das condições de suprimento de energia elétrica e aterramento, ligação do aparelho em tensão incorreta, oscilação de tensão e descargas elétricas ocorridas em tempestades.

h)Houver, para terceiros, venda, cessão ou locação a qualquer título, por parte do primeiro usuário (consumidor final).

i)Adulteração ou destruição da placa de identificação do equipamento ou de seus componentes internos.

j)Danos resultantes de acidentes com transporte, incêndio, raios, inundações ou quaisquer outros acidentes naturais.

k)Danos resultantes de queda durante a instalação ou manutenção.

l)Danos causados por falta de manutenção (congelamento por obstrução no filtro, falta de limpeza das serpentinas, reapertos de conexões elétricas, etc.).

m)Danos decorrentes de operações com deficiência de fornecimento de água ou ar (obstrução).

n)Equipamento utilizado com gás refrigerante, óleo ou agentes anti-congelantes diferentes dos especificados nos manuais.

o)O equipamento for usado com algum outro equipamento tais como evaporadores, sistemas de evaporação ou dispositivos de controle não autorizados expressamente pela HITACHI.

p)O equipamento tiver seu controle elétrico alterado para atender à obra sem o consentimento expresso da HITACHI.

q)Para equipamentos com condensação a água, não estão cobertos os danos causados por utilização de água cuja qualidade estiver em desacordo com as especificações do manual de instalação e operação.

Os termos deste CERTIFICADO DE GARANTIA anulam quaisquer outros assumidos por terceiros, não estando nenhuma empresa ou pessoa autorizada a fazer exceções ou assumir compromissos em nome da HITACHI AR

CONDICIONADO DO BRASIL LTDA.

Ao solicitar serviços em garantia, tenha sempre em mãos este Certificado de Garantia, a Nota Fiscal da HITACHI e o contrato de manutenção.

Nome e Assinatura do Instalador

/ /

Data de Instalação

Emissão: Jul/2014 Rev.: 00

IHCT2-RCUAR030

ISO 9001:2008

As especificações deste catálogo estão sujeitas a mudanças sem prévio aviso, para possibilitar a Hitachi trazer as mais recentes inovações para seus Clientes.

Visite: www.hitachiapb.com.br

Hitachi Ar Condicionado do Brasil Ltda.

São Paulo - SP

Av. Paulista, Nº 854

Bairro Bela Vista

Edifício Top Center - 7º Andar

CEP 01310-913

Tel.: (0xx11) 3549-2722

Fax: (0xx11) 3287-7184/7908

Rio de Janeiro - RJ

Praia de Botafogo, Nº 228

Bairro Botafogo

Edifício Argentina - Grupo 607

CEP 22250-145

Tel.: (0xx21) 2551-9046

Fax: (0xx21) 2551-2749

Emissão: Jul/204 Rev.: 00

IHCT2-RCUAR040

Recife - PE

Avenida Caxangá, Nº 5693

Bairro Várzea

CEP 50740-000

Tel.: (0xx81) 3414-9888

Fax: (0xx81) 3414-9854

Argentina - ARG

Calle Aime Paine , Nº 1665

Bairro Puerto Madero

Edifício Terrazas Puerto Madero

Piso 5º - Oficina 501

CEP C1107CFK

Tel./Fax: (0054-11) 5787-0158/0625/0671

Porto Alegre - RS

Av. Severo Dullius, Nº 1395

Bairro São João

Centro Empresarial Aeroporto - Sala 403

CEP 90200-310

Tel.:/Fax: (0xx51) 3012-3842

Manaus - AM

Av. Djalma Batista, Nº 439

Bairro Nossa Sra. das Graças

CEP 69053-000

Tel.: (0xx92) 3211-5000

Fax: (0xx92) 3211-5001

Salvador - BA

Av. Tancredo Neves, Nº 1632

Bairro Caminho das Árvores

Edifício Salvador Trade Center - Sala 312

CEP 41820-915

Tel.: (0xx71) 3289-5299

Fax: (0xx71) 3379-4528

Belo Horizonte - MG

Av. do Contorno, Nº 6695

Bairro Lourdes

CEP 30110-043

Tel.:/Fax: (0xx31) 3296-3226

Brasília - DF

SHS - Quadra 6 - Cj A - Bloco C

Bairro Asa Sul

Sala 609/610 - Cond. Brasil XXI

Edifício Business Center Tower

CEP 70322-915

Tel.: (0xx61) 3322-6867

Fax: (0xx61) 3321-1612

advertisement

Was this manual useful for you? Yes No
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the workof artificial intelligence, which forms the content of this project

Related manuals

Download PDF

advertisement

Table of contents