Controle SERIE 15H Manual de Instalação e Operação

Controle SERIE 15H Manual de Instalação e Operação

CONTROLE DE VELOCIDADE

Controle

SERIE 15H

1/97

Manual de Instalação e Operação

IMN715BR

Indice

Seção 1

Seção 2

Seção 3

IMN715BR Indice i

Seção 4

Programação e Operação

Resumo

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Modo de Display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ajuste do Contraste do Display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Acesso a Informação de Diagnóstico e aos Dados de Display

Acesso ao Registro de Falhas

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Modo de Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Acesso aos Blocos de Parâmetros para a Programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Alteração no Valor dos Parâmetros Quando Não Se Usa um Código de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . .

Reposição dos Parâmetros aos Ajustes de Fábrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Inicialização do Novo Software de EEPROM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Exemplos de Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Operação do Controle pelo Teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Acesso ao Comando de JOG do Teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ajuste da Velocidade usando uma Referência de Velocidade Local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ajuste de Velocidade usando as Teclas de Flecha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Alteração no Sistema de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Alteração nos Valores de Parâmetros quando se usa um Código de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Alteração do Parâmetro de Suspensão de Acesso ao Sistema de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Parâmetros do Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Ajuste da Operação de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Seção 5

Diagnóstico de Falhas

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Não Há Display no Teclado – Ajuste do Contraste do Display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Como Acessar as Informações de Diagnóstico

Como Acessar o Registro de Falhas

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Como Apagar o Registro de Falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Código de Identificação (ID) da Base de Potência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Considerações sobre o Ruido Elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Causas e Soluções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Bobinas de Contatores e Relés . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cabos entre Controles e Motores

Situações Especias do Controle

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Linhas de Alimentação do Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Transmissores de Radio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Painel de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Considerações Especiais sobre o Motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Procedimentos de Cabeamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cabeamento de Alimentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cabeamento da Lógica de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Cabos para Comunicação Serial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Isolamento Óptico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Terra da Instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

5-13

5-13

5-14

5-14

5-15

5-10

5-10

5-10

5-12

5-13

5-15

5-15

5-15

5-16

5-16

5-1

5-2

5-3

5-4

5-4

5-6

4-10

4-10

4-11

4-12

4-13

4-7

4-8

4-9

4-9

4-9

4-14

4-15

4-3

4-4

4-5

4-5

4-6

4-1

4-1

4-2

4-2 ii Indice IMN715BR

Seção 6

Especificações e Dados do Equipamento

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Especificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Condições de Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Display do Teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Especificações do Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Entradas Analógicas

Saidas Analógicas

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Entradas Digitais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Saidas Digitais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Indicações de Diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Valores Nominais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Especificações de Torque para Apertar Terminais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Dimensões para Montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho B . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho C . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho E – Montagem através da Parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho F . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho F – Montagem através da Parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Controle de Tamanho G . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Apendice A

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Módulo de Frenagem Dinâmica (DB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Módulos RGA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Módulos RBA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Módulos RTA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Apendice B

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Valores de Parâmetros* . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Apendice C

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Planta (Modelo) para Montagem Remota do Teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Apendice D

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

GLOSSÁRIO INGLES/PORTUGUÊS DE BLOCOS E PARÂMETROS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

B-1

C-1

C-2

D-1

D-1

A-3

A-5

A-6

B-1

6-14

6-15

6-16

6-17

6-18

A-1

A-1

6-3

6-3

6-3

6-4

6-6

6-10

6-10

6-11

6-12

6-13

6-1

6-1

6-1

6-1

6-2

6-2

6-3

IMN715BR Indice iii

iv Indice IMN715BR

Seção 1

Guia Para Partida Rápida

Resumo

Se já tem experiência usando os controles Baldor, provavelmente já se encontra familiarizado com os métodos de operação e programação do teclado. Este guia rápido facilita o uso do equipamento. Este procedimento lhe ajudará a preparar e operar o seu sistema rapidamente no modo de teclado, e lhe permitirá verificar a operação do motor e o controle. Este procedimento presupõe que o Controle, o Motor e o módulo de frenagem dinâmica ( opcional ) estão corretamente instalados (ver os procedimentos descritos na Secção 3) . Para operar no modo de Teclado não é necessário conectar a régua de terminais de comando (a Seção 3 descreve o procedimento para ligar esta régua de terminais). Os procedimentos para a partida rápida são os seguintes:

1.

Veja as instruções de segurança e precauções nesta seção do manual.

2.

Instale o controle; siga o procedimento de “Instalação Física” na Seção 3.

3.

Conecte a alimentação CA; veja “Conexões de Linha de CA” na Seção 3.

4.

Conecte o motor; veja “Alimentação de Entrada Trifásica” na Seção 3.

5.

Instale o módulo de frenagem dinâmica, se foi solicitado. Veja “Frenagem

Dinamica Opcional” na Seção 3.

Lista de Verificações para Partida Rápida

Verificação dos detalhes elétricos

¡CUIDADO!: Logo que completar a instalação e antes de aplicar energia ao equipamento, assegure-se de verificar os seguintes pontos:

1.

Verifique se a tensão de linha CA está normal e é equivalente à tensão nominal do controle.

2.

Revise todas as conexões de potência para confirmar se foram feitas corretamente,e se estão apertadas.

3.

Verifique se o controle e o motor estão mutuamente ligados à terra.

4.

Cheque a pressão em todos os cabos de sinais.

5.

Assegure-se de que todas as bobinas de freio, contatores, e bobinas de relés estão com supressor de ruidos. Este deverá se constituir em um filtro R-C para as bobinas CA e em diodos de polaridade inversa para as bobinas CC. O método de supressão de transientes tipo MOV não é adequado.

¡CUIDADO!: Assegure-se de que uma operação inesperada do eixo do motor durante a partida não vá provocar danos às pessoas e nem ao equipamento.

Verificação de Motores e Acoplamentos

1.

Verifique se todos os eixos motorizados se movem livremente e se todos os acoplamentos do motor estão bem apertados e sem folgas.

2.

Verifique se os freios de retencão, ou de segurança, estão bem ajustados para soltarem-se completamente e se estão regulados no valor de torque que se deseja.

Aplicação Temporária de Energia

1.

Cheque todas as conexões elétricas e mecânicas antes de aplicar a energia ao controle.

2.

Verifique se todas as entradas de habilitação a J4-8 estão abertas.

3.

Aplique energia temporariamente e observe se ascende o display do teclado.

Se o display não se ascende, desconecte a alimentação, cheque todas as conexões e verifique a tensão de entrada. Se aparecer uma indicação de falha, consulte a seção de diagnóstico de falhas neste manual.

4.

Desconecte a alimentação de energia do controle.

IMN715BR Guia para Partida Rápida 1-1

Section 1

General Information

Procedimento de Partida Rápida

O seguinte procedimento lhe ajudará a preparar rápidamente o seu sistema para operar no modo de teclado, e lhe permitirá verificar a operação do motor e o controle. Este procedimento presupõe que o Controle,o Motor e o módulo de Frenagem

Dinâmica estão corretamente instalados (ver os procedimentos na Seção 3) e que você conhece os procedimentos de programação e operação do teclado.

Condições Iniciais

Assegure-se que o Controle (Instalação Fisica e Conexão da Linha CA), o Motor e o módulo de Frenagem Dinâmica estão corretamente ligados conforme os procedimentos indicados na Seção 3 deste manual. Familiarize-se com a programação do teclado e a operação por teclado do controle, conforme descrito na Seção 4 deste manual.

1.

Conecte a alimentação do equipamento. Assegure-se que não haja indicação de falhas no display do teclado.

2.

Defina o Modo de Operação, no bloco “INPUT” (Entrada) de Nivel 1, como

“KEYPAD” (teclado).

3.

Defina o parâmetro “OPERATING ZONE” (zona de operação) no bloco

“OUTPUT LIMITS” (Limites de Saida) Nivel 2, para o tipo de operação desejado (STD CONST TQ, STD VAR TQ, QUIET CONST TQ ou QUIET VAR

TQ) (torque constante standard, torque variável standard, torque constante com operação silenciosa ou torque variável com operação silenciosa).

4.

Defina o parâmetro “MIN OUTPUT FREQ” (frequência mínima de saida) no

“OUTPUT LIMITS” (Limites de Saida), Nivel 2.

5.

Defina o parâmetro “MAX OUTPUT FREQ” (frequência máxima de saida) no”OUTPUT LIMITS”(Límites de Saida), Nivel 2.

Nota: JP1 sai de fábrica na posição 2-3 (operação a <120Hz). Para operar com

MAX OUTPUT FREQ >120Hz, mude a posição de JP1 para os pinos 1-2.

Para a localização da ponte, consulte a Seção 3(figura 3-1).

6.

Se o ajuste desejado do limite de corrente de pico é diferente ao ajustado automáticamente pela Zona de Operação, defina no parâmetro “PK CURRENT

LIMIT” no bloco “OUTPUT LIMITS”(Limites de Saida), Nivel 2.

7.

Introduza os seguintes dados do motor nos parâmetros do bloco “MOTOR

DATA”( Dados do Motor), Nivel 2:

Tensão do Motor (entrada)

Corrente Nominal do Motor (FLA)

Velocidade Nominal do Motor (velocidade básica)

Frequência Nominal do Motor

Corrente de Magnetização do Motor (corrente em vazio)

8.

Se é usado o módulo de Frenagem Dinâmica Externo, defina os parâmetros

“RESISTOR OHMS” e “RESISTOR WATTS” no bloco “BRAKE ADJUST”

(Ajuste de Frenagem), Nivel 2.

9.

Defina o parâmetro “V/HZ PROFILE” no bloco “V/HZ AND BOOST” (reforço

V/Hz) do Nivel 1 com a relação V/Hz que seja a correta para a sua aplicação.

10. Se a carga é do tipo de alto torque inicial de partida, será necessário aumentar o reforço de torque e o tempo de aceleração. Defina “TORQUE

BOOST” no bloco “V/HZ AND BOOST”(reforço V/HZ), Nivel 1, e “ACCEL TIME

#1” no bloco “ACCEL/ DECEL RATE” (taxa de acel/desac), Nivel 1, tal como se deseja.

11. Selecione e programe os parâmetros adicionais que sejam adequados para a sua aplicação específica.

O controle estará agora pronto para operar no modo de teclado, ou pode-se interligar a régua de terminais e alterar a programação para outro modo de operação.

1-2 Guia para Partida Rápida IMN715BR

Seção 2

Informação Geral

Resumo

O controle Baldor Serie 15H é um controle inversor para motores tipo PWM (modulação por largura de impulsos ou pulsos* ). A função do controle é converter a tensão de linha

CA em tensão fixa CC . A tensão CC ( tensão bus ) é depois modulada por largura de impulsos a uma voltagem trifásica de linha CA sintetizada para o motor. Desta maneira o controle converte a frequência de entrada fixa em frequência de saida variável, fazendo que o motor possa operar com velocidade variável.

A potência (em hp) nominal do controle está baseada no uso de um motor de quatro polos e operação à 60 Hz na voltagem nominal de entrada desejada. Se é usado outro tipo de motor, ou se é aplicado nos terminais de entrada uma voltagem que não seja de

220, 380 ou 440 VCA, o controle deverá ser dimensionado conforme o motor com base na corrente nominal de saida do controle.

O controle Baldor Serie 15H pode ser empregado em numerosas e variadas aplicações.

Pode ser programado pelo usuário para funcionar em quatro diferentes zonas de operação: torque constante standar, torque variável standar, toque constante com operação silenciosa, ou torque variável com operação silenciosa. Pode também ser configurado para funcionar em diversos modos de operação para aplicações especificas.

O usuário deve determinar a zona de operação e o modo de operação mais adequado à sua aplicação. Estas seleções devem ser programadas usando–se o teclado, tal como é explicado na seção sobre programação, incluida neste manual

IMN715BR Informação Geral 2-1

Garantia

Favor consultar para os detalhes de aplicação da garantia do equipamento.

2-2 Informação Geral IMN715BR

Aviso de Segurança

:

PRECAUÇÕES:

¡Este equipamento opera com voltagens que podem chegar aos 1000 volts! Os choques elétricos podem ocasionar lesões sérias. Únicamente pessoal qualificado deverá realizar os procedimientos de partida ou o diagnóstico de falhas no equipamento.

Este equipamento pode ser conectado à outras máquinas que tenham partes (peças) rotativas (giratórias) ou partes que sejam movimentadas por esta unidade. O uso inapropriado pode resultar em lesões sérias.

ADVERTÊNCIA: Não toque em nenhuma placa eletronica, componentes de potência ou conexão elétrica sem antes se assegurar de que a alimentação tenha sido desconectada, e que não haja altas voltagens presentes no inversor ou em outros equipamentos em que o mesmo se encontre conectado.

ADVERTÊNCIA: Assegure–se de estar familiarizado completamente com a operação segura deste equipamento.

ADVERTÊNCIA: Não use relés térmicos de sobrecarga para o motor com característica (função) de religamento automático. Os mesmos são perigosos pois uma ligação automática ou repentina pode lesionar as pessoas.

ADVERTÊNCIA: Esta unidade tem una característica de religamento automático que parte o motor quando se aplica tensão (alimentação) de entrada e se mantém um comando de RUN (FWD ou REV). Se um religamento automático do motor pode resultar em lesões pessoais, danos à máquina ou ao processo, esta característica deverá ser inabilitada pondo o parâmetro ”Restart Auto/Man” em

MANUAL.

ADVERTÊNCIA: Assegure–se que o sistema está devidamente ligado à terra antes de aplicar energia. Não energize ( alimentação CA) sem antes ter certeza de que haja uma boa conexão à terra.

ADVERTÊNCIA: Não retire a tampa antes de no mínimo cinco (5) minutos após desconectar a alimentação CA, para permitir a descarga dos capacitores. Neste periodo um toque inadequado pode ocasionar choques elétricos que podem ocasionar lesões sérias.

ADVERTÊNCIA: Toda vez que se energiza o equipamento pode haver alta voltagem no circuito do motor, mesmo que o motor não se encontra rodando.

¡Cuidado!: Para evitar danos ao equipamento, assegure–se que a instalação elétrica não permita uma corrente maior que os ampers de corrente máxima de curto circuito indicados para as classificações de 220 VCA, 380 VCA ou 440 VCA do controle.

¡Cuidado!:

¡Cuidado!:

Não se deve aplicar energia nos cabos de External Trip [disparo externo] (do termostato do motor) em J4–16 ou J4–17, pois pode danificar o controle. Utilize um termostato do tipo de contato seco que não requeira alimentação externa para operar.

Desconecte do controle os cabos (T1, T2 e T3) do motor antes de efetuar um teste de isolação (”Megger”) no motor. Cumprindo com o requerido pelo Underwriters Laboratory, o controle é submetido na fábrica à testes de resistência às fugas/alta voltagem.

IMN715BR Informação Geral 2-3

2-4 Informação Geral IMN715BR

Seção 3

Recepção e Instalação

Recepção e Inspeção

Instalação Física

O Inversor Serie 15H é testado minuciosamente na fábrica, e é empacotado cuidadosamente para o transporte. Ao receber o seu controle, fazer o seguinte:

1.

Avaliar as condições da embalagem do controle, e se houver danos informe o quanto antes à empresa transportadora.

2.

Verifique se o controle recebido é o mesmo indicado em sua ordem de compra.

3.

Se o controle vai ficar armazenado durante várias semanas antes do uso, assegure–se que o local de armazenagem esteja de acordo com as especificações respectivas publicadas (Consulte a Seção 6 deste manual).

O local aonde será instalado o inversor 15H é muito importante. Deverá ser instalado em uma área protegida contra a exposição direta da luz solar, das substancias corrosivas, de gases ou líquidos nocivos, de pó, de partículas metálicas e de vibração. A exposição a estes elementos pode reduzir a vida útil e diminuir o rendimento do controle.

Há outros fatores que devem também ser verificados cuidadosamente quando se seleciona o local de instalação:

1.

Para facilitar a manuntenção e a dissipação térmica, o controle deverá ser montado em uma superficie vertical lisa e não inflamável. A Tabela 3-1 mostra as Perdas em Watts para dimensionar o gabinete( painel ).

2.

Para uma circulação de ar adequada, deve–se deixar um espaço mínimo de

5 cm. ao redor do controle.

3.

Deve ter asceso frontal para poder abrir a tampa do controle ou retirá–la para serviço, e para permitir ver o Display (visualizador) do Teclado. (O teclado pode ser montado remotamente a uma distância de até 30 metros do controle).

4.

Redução de capacidade por altitude: Até 1000 metros não há redução.

Acima de 1000 m, reduza a corrente de pico de saida do controle em 2% por cada 305 metros sobre os 1000 metros.

5.

Redução de capacidade por temperatura. Até 40

°

C não há redução. Acima de 40

°

C, reduza a corrente de pico de saida em 2% por cada grau C sobre os

40

°

C. A máxima temperatura ambiente é de 55

°

C.

Tabela 3-1 Controle Serie 15H – Classificação das Perdas de Watts

Tamanho do

A e B

C, D, E e F

G

230 VCA 460 VCA 575 VCA

2.5KHz PWM 8.0KHz PWM 2.5KHz PWM 8.0KHz PWM 2.5KHz PWM 8.0KHz PWM

14 Watts/

Amp

12 Watts/

Amp

17 Watts/

Amp

15 Watts/

Amp

17 Watts/

Amp

15 Watts/

Amp

15 Watts/

Amp

26 Watts/

Amp

23Watts/

Amp

18 Watts/

Amp

19Watts/

Amp

28 Watts/

Amp

29 Watts/

Amp

IMN715BR Recepção e Instalação 3-1

Section 1

General Information

Instalação do Controle

O controle deverá estar firmemente fixado à superficie de montagem.

3-2 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Instalação Elétrica

O controle Baldor Serie 15H requer uma impedância mínima de linha de 3% (a queda de tensão na entrada é de 3% quando o controle consome a corrente nominal de entrada).

Se a linha de alimentação de entrada tem menos de 3% de impedância, deve–se usar uma reatância de linha trifásica para se obter a impedância necessária.

Impedância de Linha

A impedância de entrada da linha de alimentação pode ser determinada de duas formas:

1.

Medir a voltagem entre fases, sem carga e com carga nominal plena. Use estes valores medidos para calcular a impedância como segue:

%Impedancia

+

(Volts

NoLoad

*

Volts

(Volts

NoLoad

)

FullLoad

)

100 onde:

VoltsNoLoad = VoltsSem Carga VoltsFullLoad = VoltsPlena Carga

2.

Calcule a capacidade de corrente de curtocircuito da linha de alimentação. Se esta capacidade excede aos valores de corrente máxima de curtocircuito

(Tabelas 3-2) deverá instalar–se uma reatância de linha.

Seguem os métodos de cálculo da capacidade de corrente de curtocircuito:

A.

Método 1

Calcule a corrente de curtocircuito como segue:

I

SC

+

(KVA

XFMR

(%Z

XFMR

1000 100)

V

L

*

L

Ǹ

3 )

Exemplo: Transformador de 50KVA com impedância de 2.75% @ 460VCA

I

SC

+

(50 1000 100)

(2.75

460

Ǹ

3 )

+

2282 Amps

B.

Método 2

Passo 1: Calcule o KVA de curtocircuito como segue:

KVA

SC

+

(KVA

XFMR

(

%Z

XFMR

100

)

)

+ ǒ

50

.0275

Ǔ

+

1818.2 KVA

Passo 2: Calcule a corrente de curtocircuito como segue:

I

SC

+

(KVA

SC

(V

L

*

L

1000)

Ǹ

3 )

+

2282 Amps onde:

KVA

XFMR

KVA

SC

= KVA do Transformador

= KVA de Curtocircuito

I

Z sc

= Corrente de Curtocircuito

XFMR

= Impedância do Transformador

IMN715BR Recepção e Instalação 3-3

Section 1

General Information

Reatância de Linha

Reatores de Carga

Na Baldor pode–se conseguir reatâncias de linha trifásicas. O valor da reatância de linha a ser utilizada estará baseado na potência do controle 15H.

Para especificar a reatância de linha, use a fórmula seguinte para calcular a indutância mínima requerida. A Tabela 3-3 informa as correntes de entrada necessárias para fazer este cálculo.

(V

L L

0.03)

L

(I 3 377)

onde:

L Indutância mínima em henries.

V

L–L

0.03

Volts de entrada medidos entre fases (linha a linha).

Porcentagem desejada de impedância de entrada.

I

377

Valor nominal da corrente de entrada do controle.

Constante usada para uma alimentação (Energia) de 60 Hz.

Se a alimentação é de 50 Hz, deve usar–se 314.

Podem ser usados reatâncias de linha na saida do controle ao motor. Quando são usadas desta forma, são denominados Reatores de Carga. Os reatores de carga cumprem diversas funções, incluindo:

S

Proteger o controle contra um curtocircuito no motor.

S

Limitar a velocidade de subida das sobrecorrentes transitórias do motor.

S

Reduzir a taxa de mudança da energia que o controle envia ao motor.

Os reatores de carga devem ser instalados o mais perto possivel do controle.

3-4 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 3-2 Valores Nominais de Corrente de Curtocircuito

ID15H201–E

ID15H201–W

ID15H202–E

ID15H202–W

ID15H203–E or W

ID15H205–E

ID15H205–W

ID15H207–E or W

ID15H210–E

ID15H210L–ER

ID15H215–E, EO or ER

ID15H215L–ER

ID15H220–EO or ER

ID15H220L–ER

ID15H225–EO or ER

ID15H225L–ER

ID15H230V–EO or ER

ID15H230–EO or ER

ID15H230L–ER

ID15H240–MO or MR

ID15H240L–MR

ID15H250V–MO or MR

ID15H250–MO or MR

230VCA

Números de Catálogo Corrente

Máx. de

Curtocircuito de Linha

250

350

350

ID15H401–E

ID15H401–W

ID15H402–E

460VCA

Números de Catálogo

1900

2400

2100

2800

2500

3600

3600

3600

550

550

550

1000

1000

1000

1500

1900

4500

4000

4500

4500

ID15H402–W

ID15H403–E or W

ID15H405–E

ID15H405–W

ID15H407–E or W

ID15H410–E

ID15H410L–ER

ID15H415–E, EO or ER

ID15H415L–ER

ID15H420–EO or ER

ID15H420L–ER

ID15H425–EO or ER

ID15H425L–ER

ID15H430V–EO or ER

ID15H430–EO or ER

ID15H430L–ER

ID15H440–MO or MR

ID15H440L–MR

ID15H450–EO or ER

ID15H450L–ER

ID15H460–EO or ER

ID15H460V–EO or ER

ID15H460L–ER

ID15H475–EO

ID15H475L–EO

ID15H4100–EO

ID15H4150V–EO

ID15H4150–EO

ID15H4200–EO

ID15H4250–EO

ID15H4300–EO

ID15H4350–EO

ID15H4400–EO

ID15H4450–EO

1000

1200

1200

1400

1400

1800

1800

1800

300

300

300

500

500

500

800

1000

2300

2300

2800

2800

3500

3500

3500

4300

4300

5500

6200

8300

11000

13800

16600

19900

19900

25000

Corrente

Máx. de

Curtocircuito de Linha

150

200

200

ID15H501–E

ID15H502–E

ID15H503–E

575VCA

Números de Catálogo

ID15H505–E

ID15H507–E

ID15H510–E

ID15H515–E, EO or ER

ID15H520–EO or ER

ID15H525–EO or ER

ID15H530–EO or ER

ID15H540–EO or ER

ID15H550–EO or ER

ID15H560–EO or ER

ID15H575–EO or ER

ID15H5100–EO or ER

ID15H5150V–EO or ER

Corrente

Máx. de

Curtocircuito de Linha

50

100

150

200

300

400

600

1000

1100

1500

1800

2200

2700

3300

4200

4800

IMN715BR Recepção e Instalação 3-5

Section 1

General Information

Valores de Corrente de Entrada

Tabela 3-3 Valores de Corrente de Entrada – Produtos de Estoque

230 VCA Control

ID15H201-E or W

ID15H202-E or W

ID15H203-E or W

ID15H205-E

ID15H205-W

ID15H207-E or W

ID15H210-E

ID15H215-E

ID15H215-EO

ID15H220-EO

ID15H225-EO

ID15H230-EO

ID15H230V-EO

ID15H240-MO

ID15H250-MO

Amps 460 VCA Control trada

6.8

9.6

ID15H401-E or W

ID15H402-E or W

15.2

ID15H403-E or W

15.2

ID15H405-E or W

22 ID15H407-E

28 ID15H407-W

28

42

54

ID15H410-E

ID15H415-E

ID15H415-EO

68

80

ID15H420-E

ID15H425-EO

104 ID15H430-EO

104 ID15H430V-EO

130 ID15H440-EO

130 ID15H450-EO

ID15H460-EO

ID15H460V-EO

ID15H475-EO

ID15H4100-EO

ID15H4150-EO

ID15H4150V-EO

ID15H4200-EO

ID15H4250-EO

ID15H4300-EO

ID15H4350-EO

ID15H4400-EO

ID15H4450-EO

Amps 575 VCA Control

34

40

52

52

21

21

27

trada

3.4

4.8

7.6

11

11

14

ID15H501-E

ID15H502-E

ID15H503-E

ID15H505-E

ID15H507-E

ID15H510-E

ID15H515-EO

ID15H520-EO

ID15H525-EO

ID15H530-EO

ID15H540-EO

ID15H550-EO

ID15H560-EO

240

180

310

370

420

480

540

590

65

80

ID15H575-EO

ID15H5100-EO

100 ID15H5150V-EO

100

125

160

Amps

41

52

62

62

22

27

32

100

125

145

trada

2.7

4.0

6.1

11

11

11

3-6 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

FIF1007C-51

IN0001A00

IN0006A00

IN0003A00

IN0004A00

IN0008A00

IN0009A00

IN0013A00

IN0014A00

IN0018A00

IN0021A00

IN0019A00

IN0026A00

IN0024A00

IN0030A00

IN0034A00

IN0446A00

Tabela 3-4 Valores de Corrente de Entrada – Produtos não disponíveis em estoque

230 VCA Control Amps 460 VCA Control trada

28.8

FIF1007C-50

43 IN0036A00

43

56

56

70

IN0044A00

IN0041A00

IN0042A00

IN0048A00

62

82

77

IN0049A00

IN0053A00

IN0054A00

107 IN0060A00

107 IN0063A00

107 IN0061A00

134 IN0065A00

118 IN0066A00

134 IN0068A00

134 IN0069A00

134 IN0071A00

IN0074A00

IN0072A00

IN0076A00

Amps 575 VCA Control

54

54

54

67

62

82

62

trada

14.4

IN0100A00

22 IN0102A00

22

28

28

35

IN0104A00

IN0106A00

IN0108A00

IN0110A00

IN0367A00 31

41

39

103

103

103

129

Amps trada

24

29

35

44

56

67

67

IMN715BR Recepção e Instalação 3-7

Section 1

General Information

Circuito Principal de Entrada CA

Dispositivos de Proteção

Assegure–se que esteja instalado um dispositivo adequado para proteção da alimentação de potência. Use um disjuntor automático ou fusiveis conforme recomendados na Seção 6 deste manual (Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção). A bitola dos condutores de entrada e saida é baseada no uso de condutor de cobre clasificado para 75

°

C. A tabela está especificada para motores NEMA B.

Disjuntor Automático:Igual a GE tipo THQ o TEB para 230 VCA ou

GE tipo TED para 460 VCA e 575 VCA.

Fusiveis de Ação Rápida ou Retardada:

Diazed ou NH

Fusiveis Ultra rápidos:

Diazed ou NH Ultra rápido

3-8 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção

Tabela 3-5 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteçcão – Serie 15H

Controles de 230 VCA

ID15H201–E or W

ID15H202–E or W

ID15H203–E or W

ID15H205–E or W

ID15H207–E or W

ID15H210–E

ID15H210L–ER

ID15H215–E, EO or ER

ID15H215L–ER

ID15H220–EO or ER

ID15H220L–ER

ID15H225–EO or ER

ID15H225L–ER

ID15H230–EO or ER

ID15H230L–ER

ID15H230V–EO or ER

ID15H240–MO or MR

ID15H240L–MR

ID15H250V–MO or MR

ID15H250–MO or MR

20

20

25

25

30

30

30

40

40

50

50

7.5

10

10

15

15

3

5

1

2

E t d

80A

80A

100A

100A

125A

125A

125A

150A

125A

150A

150A

10A

15A

20A

25A

35A

50A

50A

60A

60A

Ação Rápida

100A

100A

125A

125A

150A

150A

150A

200A

175A

200A

200A

10A

15A

25A

30A

40A

60A

60A

80A

80A

Retardado

80A

80A

100A

100A

125A

125A

125A

150A

125A

150A

150A

8A

12A

17.5A

25A

35A

50A

50A

60A

60A

Nota: Todas as bitolas de condutores é baseada em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

* CT HP = Potência emHP com Torque constante

AWG

2

2

3

3

1/0

1/0

1/0

2/0

1/0

2/0

2/0

8

10

6

8

4

14

14

14

12

mm

2

30

30

35

35

54

54

54

70

54

70

70

10

6

16

10

25

2.5

2.5

2.5

4

IMN715BR Recepção e Instalação 3-9

Section 1

General Information

Tabela 3-6 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção – Serie 15H

Controles de 460 VCA

ID15H401–E or W

ID15H402–E or W

ID15H403–E or W

ID15H405–E or W

ID15H407–E or W

ID15H410–E

ID15H410L–ER

ID15H415–E, EO or ER

ID15H415L–ER

ID15H415V–EO

ID15H420–EO or ER

ID15H420L–ER

ID15H425–EO or ER

ID15H425L–ER

ID15H430–EO or ER

ID15H430L–ER

ID15H430V–EO or ER

ID15H440–EO or ER

ID15H440L–ER

ID15H450–EO or ER

ID15H450–L or ER

ID15H460–EO or ER

ID15H460L–ER

ID15H460V–EO or ER

ID15H475–EO

ID15H475L–EO

ID15H4100–EO

ID15H4150V–EO

ID15H4150–EO

ID15H4200–EO

ID15H4250–EO

ID15H4300–EO

ID15H4350–EO

ID15H4400–EO

ID15H4450–EO

d E t d

Ação Rápida

80A

100A

100A

125A

125A

150A

150A

150A

200A

200A

250A

300A

350A

450A

500A

600A

800A

1000A

1200A

5A

8A

12A

20A

25A

30A

30A

40A

40A

30A

50A

50A

60A

60A

80A

80A

60A

70A

70A

90A

90A

125A

125A

125A

150A

150A

175A

200A

250A

350A

400A

500A

600A

1000A

1200A

10A

10A

10A

15A

20A

25A

25A

30A

30A

25A

40A

40A

45A

45A

60A

60A

50

60

60

60

75

30

40

40

50

75

100

150

150

200

250

300

350

400

450

7.5

10

10

15

15

3

5

1

2

10

20

20

25

25

30

30

Nota: Todas as bitolas de condutores é baseada em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

Retardado

60A

75A

75A

90A

90A

125A

125A

125A

150A

150A

175A

200A

250A

350A

400A

500A

600A

1000A

1200A

4A

6A

9A

15A

17.5A

25A

25A

30A

30A

25A

40A

40A

45A

45A

60A

60A

AWG

2

1/0

1/0

1/0

2/0

2/0

3/0

4/0

(2)1/0

4

2

4

4

(2)3/0

(2)4/0

(3)4/0

(3)250 mcm

(3)350 mcm

(3)500 mcm

12

10

8

8

8

14

14

14

14

8

6

8

8

8

4

4

mm

2

35

54

54

54

70

25

25

25

35

70

95

120

(2)54

(2)95

(2)120

(3)120

(3)125

(3)185

(3)240

4

6

10

10

10

2.5

2.5

2.5

2.5

10

10

10

16

10

25

25

3-10 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 3-7 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção – Serie 15H

Controles de 575 VCA

ID15H501–E

ID15H502–E

ID15H503–E

ID15H505–E

ID15H507–E

ID15H510–E

ID15H515–EO or ER

ID15H520–EO or ER

ID15H525–EO or ER

ID15H530–EO or ER

ID15H540–EO or ER

ID15H550–EO or ER

ID15H560–EO or ER

ID15H575–EO

ID15H5100–EO

ID15H5150V–EO

7

10

15

20

25

3

5

1

2

30

40

50

60

75

100

150

d E t d

10A

10A

10A

10A

15A

20A

25A

30A

35A

45A

60A

70A

70A

110A

150A

175A

Ação Rápida

4A

6A

10A

15A

15A

25A

35A

40A

50A

60A

80A

90A

90A

150A

200A

225A

Retardado

3A

4.5A

7A

10A

12A

20A

25A

30A

35A

45A

60A

70A

70A

110A

150A

175A

Nota: Todas as bitolas de condutores é baseada em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

AWG

14

12

10

8

8

14

14

14

14

4

2

6

4

1/0

2/0

2/0

mm

2

2.5

4

6

10

10

2.5

2.5

2.5

2.5

11

25

25

35

54

70

70

IMN715BR Recepção e Instalação 3-11

Section 1

General Information

Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção (Continua)

Tabela 3-8 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção – Produtos Especiais

(Não em Estoque) – Serie 15H

No. de Especif.

Controles de

Máx. CT

HP*

Disjuntor Fusiveis de Entrada Entrada Bitola de

Conductores

AWG mm

2

Output Bitola de

Conductores

AWG mm

2

FIF1007C-51

IN0001A00

IN0006A00

IN0003A00

IN0004A00

IN0009A00

IN0008A00

IN0014A00

IN0013A00

IN0018A00

IN0021A00

IN0019A00

IN0024A00

IN0026A00

IN0030A00

IN0034A00

30

40

40

50

50

25

25

30

30

7.5

10

20

15

15

20

20

90A

100A

125A

125A

125A

125A

150A

150A

150A

35A

50A

50A

60A

60A

70A

80A

Ação

Rápida

40A

60A

60A

80A

80A

90A

100A

125A

125A

150A

150A

150A

175A

200A

200A

200A

Fusiveis de

Entrada

35A

50A

50A

60A

60A

70A

80A

90A

100A

125A

125A

125A

125A

150A

150A

150A

1/0

1/0

2/0

2/0

2/0

2

2

1/0

1/0

10

6

4

4

4

4

3

54

54

70

70

70

35

35

54

54

6

16

25

25

25

25

30

1/0

1/0

2/0

2/0

2/0

2

2

1/0

1/0

10

6

4

4

4

3

3

54

54

70

70

70

35

35

54

54

6

16

25

25

25

30

30

No. de Especif.

Controles de

Máx. CT

HP*

Disjuntor Fusiveis de Entrada

Fusiveis de

Entrada

17.5A

25A

25A

30A

30A

35A

40A

45A

45A

60A

60A

60A

70A

75A

90A

90A

125A

125A

125A

150A

Entrada Bitola de

Conductores

AWG mm

2

Output Bitola de

Conductores

AWG mm

2

FIF1007C-50

IN0036A00

IN0044A00

IN0041A00

IN0042A00

IN0049A00

IN0048A00

IN0053A00

IN0054A00

IN0060A00

IN0063A00

IN0061A00

IN0066A00

IN0065A00

IN0068A00

IN0069A00

IN0071A00

IN0074A00

IN0072A00

IN0076A00

40A

45A

45A

60A

60A

60A

70A

70A

90A

90A

125A

125A

125A

150A

20A

25A

25A

30A

30A

35A

30

30

40

40

50

20

25

25

30

50

60

60

60

75

7.5

10

10

15

15

20

Ação

Rápida

25A

30A

30A

40A

40A

45A

50A

60A

60A

80A

80A

80A

90A

100A

125A

125A

150A

150A

150A

200A

4

4

2

4

4

4

6

8

6

2

1/0

1/0

1/0

2/0

12

8

8

8

8

8

25

25

25

25

35

10

16

16

25

35

54

54

54

70

4

10

10

10

10

10

4

4

2

4

4

6

4

8

6

2

1/0

1/0

1/0

2/0

12

8

8

8

8

8

Nota: Todas as bitolas de condutores é baseada em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

25

25

25

25

35

10

16

25

16

35

54

54

54

70

4

10

10

10

10

10

3-12 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção (Continua)

Tabela 3-8 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção – Produtos Especiais

(Não em estoque) – Serie 15H (Continua)

No. de Especif.

Controles de

Máx. CT

HP*

Disjuntor Fusiveis de Entrada

Fusiveis de

Entrada

25A

30A

35A

45A

60A

70A

70A

Entrada Bitola de

Conductores

AWG mm

2

Output Bitola de

Conductores

AWG mm

2

IN0100A00

IN0102A00

IN0104A00

IN0106A00

IN0108A00

IN0110A00

IN0367A00

15

20

25

30

40

50

60

25A

30A

35A

45A

60A

70A

70A

Ação

Rápida

35A

40A

50A

60A

80A

90A

90A

10

8

8

6

4

4

2

6

10

10

16

25

25

35

10

8

8

6

4

4

2

Nota: Todas as bitolas de condutores é baseada em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

6

10

10

16

25

25

35

Placa de Expansão Placa de Control do Motor

Figura 3-1 Controle Serie 15H

J4

Conector do

Teclado

1 2 3

Regua de Terminais

JP1

JP2

9

10

11

12

13

14

7

8

5

6

1

2

3

4

15

16

17

18

19

20

21

22

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

Referencia do Potenciômetro

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada 1

Entrada 2

Entrada 3

Entrada 4

Entrada 5

Entrada 6

Entrada 7

Entrada 8

Entrada 9

Comum de Entrada

Comum de Saida

Saida Opto #1

Saida Opto #2

Saida Opto #3

Saida Opto #4

Ver na Seção 6 o torque para Apertar os Terminais recomendados

Ponte

JP1

JP2

Posição da Ponte

1–2

2–3

1–2

2–3

Tabela 3-9

Descrição do Ajuste

Frequência Máxima de Saida de 400 Hz.

Frequência Máxima de Saida de 120 Hz. (Ajuste de Fábrica)

Sinal de Comando de Velocidade de 4–20 mA.

Sinal de Comando de Velocidade de 0–5 ou 0–10 VCC. (Ajuste de

Fábrica)

IMN715BR Recepção e Instalação 3-13

Conexões da linha de CA

Assegure–se de que esteja desconectada toda a alimentação do controle antes de prosseguir. Se foi aplicada energia ao controle, espere por pelo menos 5 minutos depois de desconectar a alimentação para que se descarrregue a voltagem residual dos capacitores de bus.

Redução por Tensão de Entrada Reduzida

Todos os valores nominais de potência na Seção 6 são para tensões nominais de entrada CA indicados (230, 460 ou 575 VCA). A potência nominal do controle deve ser reduzida quando se opera com tensões abaixo destas. A queda é a relação de diminuição de tensão.

Exemplos:

Neste exemplo, um controle de 10 HP, 230 VCA está operando com 208 VCA, teremos uma potência nominal reduzida para 9.04 HP.

10HP

208VAC

230VAC

9.04HP

Similarmente, um controle de 10 HP, 460 VCA está operando a 380 VCA, teremos uma potência nominal reduzida de 8.26 HP.

10HP

380VAC

460VAC

8.26HP

Para contar com a saida nominal completa de 10 HP requere–se em ambos os casos um Controle de 15 HP.

Operação a 380–400 VCA

Os controles de tamanho A e B podem ser usados diretamente a uma fonte de alimentação de 380–400 VCA; não é necessário modificar o controle.

Todos os controles de tamanho C, D, E, F e G requerem modificações para operar com uma tensão de linha reduzida. Especificamente, o transformador do controle deve ter um fio alterado a posição do terminal 5 (para 460 V) ao terminal 4 (para 380–400 V).

1.

Assegure–se que a unidade não se encontra funcionando.

2.

Desconecte todas as fontes de alimentação do controle. Se foi energizado o controle, espere por pelo menos 5 minutos até que se descarreguem os capacitores de bus.

3.

Abra a tampa dianteira.

4.

Retire o fio do terminal 5.

5.

Coloque no terminal 4 o fio que se encontrava ligado ao terminal 5.

6.

Feche a tampa dianteira.

3-14 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Conexões do Motor

As conexões do motor e da alimentação de potência CA estão mostradas na

Figura 3-2. O controle 15H tem uma proteção eletronica I

2 t contra sobrecarga do motor.

1.

Conecte os cabos de entrada de potência CA dos dispositivos de proteção a

L1, L2 e L3 nos Terminais do Circuito Principal.

2.

* Conecte uma massa de terra ao borne “Power Ground” (GND) do controle.

3.

Conecte os cabos de potência trifásica do motor CA aos terminais

T1, T2 e T3 nos Terminais do Circuito Principal.

4.

* Conecte o fio de terra do motor ao “Motor Ground” (GND) do controle.

Nota: Pode–se utilizar um contator no circuito do motor que sirva como meio seguro de desconexão e evite uma indesejada rotação do motor.

IMPORTANTE: Conecte este Contator M tal como mostra a Figura 3–3. O contator deverá abrir a entrada de habilitação (liberação) em J4–8 (por pelo menos 20 mseg.) antes que se abram os contatos M principais para impedir a formação de arcos e danos ao inversor. A não obediência a esta sequência pode danificar o inversor.

* A ligação à terra por meio de conexões ao painel e à chaparia não é considerada adequada. Deve–se utilizar um cabo separado ligado à terra e de bitola adequada.

IMN715BR Recepção e Instalação 3-15

Section 1

General Information

Nota 1

* Disjuntor

Automáticoo

Opcional

L1

Figura 3-2 Conexões do Motor e de Alimentação CA Trifásica

L2 L3

Terra

L1 L2 L3

Nota 2

Conexão de

Fusiveis de

Entrada*

Nota 1

Nota 3

A1 B1 C1 A1 B1 C1

Nota 5

* Reatância de Línha

Opcional

A2 B2 C2

* Componentes opcionais não incluidos com o Controle 15H.

Nota 3

L1 L2 L3

Control

Baldor

Serie 15H

Nota 3,4

Nota 6

Nota 3,4

A1

* Reatância de Línha

Opcional

A2

T1 T2

B1

B2

C1

C2

T3

Nota:

1. Ver os Dispositivos de Proteção descritos na seção 3 deste manual.

2.

Conectar o terminal de terra do controle a “Earth Ground” (massa de terra).

3.

Proteger os cabos blindados passando por conduite de metal.

4.

Deve–se usar um conduite de metal para proteger os cabos de saida (de

T1, T2, T3 do controle a T1, T2, T3 do motor). Conectar os conduites de maneira que o uso de um Reator de Carga ou um Dispositivo RC não interfira com a blindagem EMI/RFI.

5.

Ver Reatores de Linha/Carga Descritos na Seção 3 deste manual.

T2 T3

T1 G

* Motor CA

Conexão opcional del

Reator de Carga e Contator M

T1 T2 T3

Nota 3,4

Nota 6

A1

* Reatância de Línha

Opcional

A2

B1

B2

C1

C2

À Fonte de Alimentação

(Voltagem Nominal de Bobina)

* Contactor M

*Dispositivo

RC Opcional

Electrocube

RG1781-3

Nota 3,4

M M M

M=Contatos do Contactor M opcional

T2 T3

T1 G

* Motor

*

M Enable

J4

7

8

9

Nota: Fechar “Enable”

(habilitação ou ativação) após fechar os contatos “M”.

Ver os torques Recomendados para Apertar Terminais na Seção 6.

3-16 Recepção e Instalação IMN715BR

Instalação Monofásica

Pode–se utilizar entrada monofásica CA para alimentar o controle (no lugar de 3 fases).

No caso de alimentação monofásica deve–se reduzir a capacidade de potência (HP) nominal do controle, e também modificar algumas pontes internas.

Redução da Capacidade do Controle Monofásico:

A redução de capacidade da potência em um sistema monofásico requer que se reduzam os valores nominais de corrente continua e pico do controle nas seguintes porcentagens:

1.

Controles de 230 e 460 VCA, 1–2 HP:

Não é necessária nenhuma redução.

2.

Controles de 230 e 460 VCA, 3–10 HP:

Deve–se reduzir o HP em 40% de seu valor nominal.

3.

Controles de 230 e 460 VCA, 15 HP e maiores:

Deve–se reduzir o HP em 50% de seu valor nominal.

Conexões de Alimentação Monofásica

Os controles de tamanhos A e B não requerem alterações nas pontes.

Os controles de tamanhos C e D, é necessário mudar a posição da ponte JP3, dependendo da configuração do seu controle. JP3 está na placa de circuito de controle de disparo [“gate drive”] (situado embaixo da placa de controle principal). Únicamente nos controles equipados com a placa de controle de disparo No. 083051 não é necessário fazer mudanças nas pontes.

Os controles de tamanho E, JP1 na placa de Alta Voltagem deverá ser ajustado corretamente.

Os controles de tamanhos F e G, JP2 na placa de Alta Voltagem deverá ser ajustada corretamente.

1.

Controles de 230 VCA, tamanhos C e D:

A ponte JP3 deverá estar na posição “A”, Figura 3-3A.

2.

Controles de 460 VCA, tamanhos C e D:

A ponte JP1 deverá estar através dos pinos 1 e 2. Figura 3-3B.

3.

Controles de 460 VCA, tamanhos E, F e G:

A ponte JP2 deverá estar através dos pinos 1 e 2. Figura 3-3C.

Figura 3-3 Pontes para Controles de Tamanho C e maiores, Monofásico

Controles de Tamanho

C e D – Placa de

Controle de Gate Drive

Controles de Tamanho E

– Placa Alta Voltagem

Controles de Tamanho F e

G – Placa Alta Voltagem

JP1

JP2

1 2 3

A B C

IMN715BR Recepção e Instalação 3-17

Tabela 3-10 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção, Clasificação Monofásica

Controles de 230 VCA – Produtos em Estoque

Número de Catálogo Máx. CT HP*

ID15H201–E or W

ID15H202–E or W

ID15H203–E or W

ID15H205–E or W

ID15H207–E or W

ID15H210–E

ID15H215–E, or EO

ID15H220–EO

ID15H225–EO

ID15H230–EO

ID15H230V–EO

ID15H240–MO

ID15H250V–MO

ID15H250–MO

10

12.5

15

15

20

25

25

1

2

1.8

3

4.5

6

7.5

E t d

60A

75A

100A

100A

100A

100A

100A

15A

15A

15A

15A

20A

30A

40A

Fusiveis de Entrada

Ação Rápida Retardado

15A

15A

15A

15A

15A

15A

15A

15A

20A

30A

40A

60A

75A

100A

100A

100A

100A

100A

20A

30A

40A

60A

75A

100A

100A

100A

100A

100A

1

1

4

3

12

10

8

Bitola de Conductores

AWG mm

2

14

14

14

14

2.5

2.5

2.5

2.5

2/0

2/0

2/0

70

70

70

4

6

10

25

30

50

50

Tabela 3-11 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção, Clasificação Monofásica

Controles de 460 VCA – Produtos em Estoque

Número de Catálogo Máx. CT HP*

ID15H401–E or W

ID15H402–E or W

ID15H403–E or W

ID15H405–E or W

ID15H407–E or W

ID15H410–E

ID15H415–E, or EO

ID15H420–EO

ID15H425–EO

ID15H430–EO

ID15H430V–EO

ID15H440–EO

ID15H450–EO

ID15H460–EO

ID15H460V–EO

7.5

10

12.5

15

15

20

25

30

30

1

2

1.8

3

4.5

6

E t d

25A

30A

40A

40A

40A

50A

60A

100A

100A

15A

15A

15A

15A

15A

15A

Fusiveis de Entrada

Ação Rápida

15A

15A

15A

Retardado

15A

15A

15A

15A

15A

15A

25A

30A

40A

40A

15A

15A

15A

25A

30A

40A

40A

40A

50A

60A

100A

100A

40A

50A

60A

100A

100A

4

4

2

8

4

8

8

1/0

1/0

Bitola de Conductores

AWG mm

2

14

14

14

2.5

2.5

2.5

14

12

10

2.5

4

6

10

10

10

25

25

25

35

54

54

Nota: Todas as bitolas de condutores se baseam em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

*CT HP = HP com Torque Constante

3-18 Recepção e Instalação IMN715BR

Tabela 3-12 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção, Clasificação Monofásica

Controles de 230 VCA – Produtos Especiais (Não em estoque)

Número de Catálogo Máx. CT HP*

FIF1007C-51

IN0001A00

IN0003A00

IN0004A00

IN0008A00

IN0009A00

IN0013A00

IN0014A00

IN0018A00

IN0019A00

IN0021A00

IN0026A00

IN0024A00

IN0034A00

IN0030A00

12.5

15

15

15

20

20

25

25

7.5

6

7.5

7.5

10

10

12.5

E t d

60A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

40A

40A

40A

40A

60A

50A

75A

Fusiveis de Entrada

Ação Rápida Retardado

40A

40A

40A

40A

40A

40A

40A

40A

60A

50A

75A

60A

100A

100A

100A

60A

50A

75A

60A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

100A

1

1

4

1

4

4

3

Bitola de Conductores

AWG mm

2

8

8

8

8

10

10

10

10

25

25

30

25

50

50

50

2/0

2/0

2/0

2/0

70

70

70

70

Tabela 3-13 Bitola de Condutores e Dispositivos de Proteção, Clasificação Monofásica

Controles de 460 VCA – Produtos Especiais (Não em Estoque)

Número de Catálogo Máx. CT HP*

FIF1007C-50

IN0036A00

IN0041A00

IN0042A00

IN0048A00

IN0049A00

IN0053A00

IN0054A00

IN0060A00

IN0061A00

IN0063A00

IN0065A00

IN0066A00

IN0068A00

IN0069A00

IN0071A00

IN0072A00

IN0074A00

10

12.5

12.5

15

15

15

20

7.5

6

7.5

7.5

10

20

25

25

30

30

30

E t d

25A

40A

30A

40A

40A

40A

50A

40A

20A

25A

25A

30A

50A

60A

60A

100A

100A

100A

Fusiveis de Entrada

Ação Rápida Retardado

40A

20A

40A

20A

25A

25A

30A

25A

25A

30A

25A

40A

30A

40A

40A

40A

50A

25A

40A

30A

40A

40A

40A

50A

50A

60A

60A

100A

100A

100A

50A

60A

60A

100A

100A

100A

4

2

2

1/0

1/0

1/0

4

4

4

8

4

8

8

Bitola de Conductores

AWG mm

2

8

8

10

10

8

8

8

10

10

10

10

10

10

25

25

25

25

25

35

35

54

54

54

Nota: Todas as bitolas de condutores se baseam em cabos de cobre de 75

°

C, 3% de impedância de linha.

*CT = Torque Constante

IMN715BR Recepção e Instalação 3-19

Section 1

General Information

Conexões do Motor e de Alimentação CA Monofásica

As conexões do motor e da alimentação de potência CA estão mostradas na Figura 3-4.

O controle 15H tem uma proteção eletronica I

2 t contra sobrecarga do motor.

1.

Conecte os cabos de entrada de potência CA dos dispositivos de proteção a L1 e L2 nos Terminais do Circuito Principal.

2.

* Conecte uma massa de terra ao borne “Power Ground” (GND) do controle.

3.

Conecte os cabos de potência trifásica do motor CA aos terminais

T1, T2 e T3 nos Terminais do Circuito Principal.

4.

* Conecte o fio de terra do motor ao “Motor Ground” (GND) do controle.

Nota: Pode–se utilizar um contator no circuito do motor que sirva como meio seguro de desconexão e evite uma indesejada rotação do motor.

IMPORTANTE: Conecte este Contator M tal como mostra a Figura 3-3. O contator deverá abrir a entrada de habilitação (liberação) em J4–8 (por pelo menos 20 mseg.) antes que se abram os contatos M principais para impedir a formação de arcos e danos ao inversor. A não obediência a esta sequência pode danificar o inversor.

* A ligação à terra por meio de conexões ao painel e à chaparia não é considerada adequada. Deve–se utilizar um cabo separado ligado à terra e de bitola adequada.

3-20 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Nota 1

Figura 3-4 Conexões do Motor e de Alimentação de 230/460 V Monofásica

L1 L2

Terra

L1 L2

* Disjuntor

Automáticoo

Opcional

Nota 2

Conexão de

Fusiveis de

Entrada*

Nota 1

Nota 3

A1 B1 A1 B1

Nota 5

* Reatância de Línha

Opcional

A2 B2

* Componentes opcionais não incluidos com o Controle 15H.

Nota 3

L1 L2 L3

Control

Baldor

Serie 15H

Nota 3,4

Nota 6

Nota 3,4

A1

* Reatância de Línha

Opcional

A2

T1 T2

B1

B2

C1

C2

T3

Nota:

1. Ver os Dispositivos de Proteção descritos na seção 3 deste manual.

2.

Conectar o terminal de terra do controle a “Earth Ground” (massa de terra).

3.

Proteger os cabos blindados passando por conduite de metal.

4.

Deve–se usar um conduite de metal para proteger os cabos de saida (de

T1, T2, T3 do controle a T1, T2, T3 do motor). Conectar os conduites de maneira que o uso de um Reator de Carga ou um Dispositivo RC não interfira com a blindagem EMI/RFI.

5.

Ver Reatores de Linha/Carga Descritos na Seção 3 deste manual.

T2 T3

T1 G

* Motor CA

Conexão opcional del

Reator de Linha e o Contator M

T1 T2 T3

Nota 3,4

Nota 6

A1

* Reatância de Línha

Opcional

A2

B1

B2

C1

C2

À Fonte de Alimentação

(Voltagem Nominal de Bobina)

* Contactor M

*Dispositivo

RC Opcional

Electrocube

RG1781-3

Nota 3,4

M M M

M=Contatos do Contactor M opcional

T2 T3

T1 G

* Motor

*

M Enable

J4

7

8

9

Nota: Fechar “Enable”

(habilitação ou ativação) após fechar os contatos “M”.

Ver os torques Recomendados para Apertar Terminais na Seção 6.

IMN715BR Recepção e Instalação 3-21

Section 1

General Information

Módulo Opcional de Frenagem Dinâmica

O módulo de Frenagem Dinâmica (DB) deverá ser instalado em uma superficie vertical plana, não inflamável, para uma operacão eficaz e com boa dissipação térmica. A temperatura ambiente não deverá exceder 80

°

C.

Instalação Física

1.

Escolha uma superficie vertical limpa, livre de gases corrosivos, líquidos, vibração, pó, e partículas metálicas.

2.

Instale o módulo de DB tal como se mostra na Figura 3-5.

Figura 3-5 Instalação do Módulo de DB

ÉÉ

Temperaturas máximas prox da parede

Temperaturas máximas sobre o gabinete.

85

°

C

ÉÉ 80

°

C

ÉÉ

115

°

C

ÉÉ

70

°

C

ÉÉ

115

°

C

48

ÉÉ

65

°

C

200

°

C 36

ÉÉ

ÉÉ

70

°

C

12

24

ÉÉ

75

°

C

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

ÉÉ

A proteção térmica dentro das unidades

RBA deverá es tar nesta direção vertical para proteger os transistores e a placa eletronica.

3-22 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Instalação Elétrica

A conexão de terminais para o Módulo de DB (frenagem dinâmica) varia segundo o número de modelo do Controle 15H que se está instalando. Ver a Figura 3-6 para a identificação dos terminais.

Figura 3-6 Identificação dos Terminais do DB

Sufixo “E” ou “W” no No. de modelo.

R2 B+/R1 B– GND

Sufixo “EO” ou “MO” no No. de modelo.

B+ B– GND D1 D2

Sufixo “ER” no No. de modelo

B+/R1 R2 GND

Figura 3-7 Conexões do módulo RGA

GND

MOTOR

GND

T3

T2

T1

R2

B+/R1

T3

T2

T1

Frenagem

Dinámica

Opcional (RGA)

Resistor

Assembly

Potencia

Trifásica

50/60 Hz

Proteção por Disjuntor ou

Fusiveis Prevista pelo Usuario –

L3

L2

L1

GND

Ver na Seção 6 os Torques Recomendados Vpara Apertar os Terminais.

IMN715BR Recepção e Instalação 3-23

Section 1

General Information

MOTOR

GND

T3

T2

T1

D1

D2

Figura 3-8 Conexões do Módulo RBA

Par Torcido

Blindado

D1

D2

Frenagem

Dinámico

Opcional

(RBA)

GND

B–

B+

B–

B+

T3

T2

T1

Transistor/Resistor

Assembly

Potencia

Trifásica

50/60 Hz

L3

L2

L1

Proteção por Disjuntor ou

Fusiveis Prevista pelo Usuario –

GND

Ver na Tabela 3-14 os Torques

Recomendados para Apertar

Terminais

Ver na Seção 6 os Torques Recomendados Vpara Apertar os Terminais.

Figura 3-9 Conexões do Módulo RTA

Par Torcido

Blindado

D1

D2

D1

D2

Frenagem

Dinámica

Opcional (RTA)

Transistor

Assembly

MOTOR

GND

T3

T2

T1

GND

B–

B+

T3

T2

T1

B–

B+

R1 R2

Potencia

Trifásica

50/60 Hz

Proteção por Disjuntor ou

Fusiveis Prevista pelo Usuario –

L3

L2

L1

GND

R1 R2

Frenagem

Dinámico

Opcional RGA

Resistor

Assembly

Ver na Tabela 3-15 os Torques

Recomendados para Apertar

Terminais

Ver na Seção 6 os Torques Recomendados Vpara Apertar os Terminais.

3-24 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 3-14 Torque e Bitola de Condutores para controles “E” e “W”

Tensão Nominal do Controle

230, 460, 575

Terminais B+/B– e R1/R2

Bitola de

Condutores Volts

AWG mm

2

10 6

Torque de

Aperto

Nm Lb–in

600 2.26

20

N i l d

Controle VCA

230

230

460

460

575

575

Tabela 3-15 Torque e Bitolas de Condutores para controles “ER”, “EO” e “MO”

Valor Nominal em

W tt d O ã

<10,000

>10,000

<20,000

>20,000

<20,000

>20,000

Terminais B+/B– e R1/R2

Bitola de

Condutores

AWG mm

2

Torque de Bitola de

Terminais D1/D2

Aperto

Nm Lb–in

Condutores

AWG mm

2

Torque de

Aperto

Nm Lb–in

10

8

10

8

10

8

6

10

6

10

6

10

600

600

600

600

600

600

2.26

2.26

2.26

2.26

2.26

2.26

20

20

20

20

20

20

20-22

20-22

20-22

20-22

20-22

20-22

0.5

0.5

0.5

0.5

0.5

0.5

600

600

600

600

600

600

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

IMN715BR Recepção e Instalação 3-25

Section 1

General Information

Seleção do Modo de Operação

(e Diagrama de Conexões)

O Controle Inversor Serie 15H dispõe de diversos modos de operação. Estes modos de operação definem a preparação básica do controle do motor, e a operação dos terminais de entrada e saida. Estes modos de operação são selecionados programando o parâmetro Operating Mode (modo de operação) no Bloco de Programação “INPUT”

(Entrada). Os modos de operação disponiveis são:

Teclado

Controle de Marcha Standard, 3 Condutores

Controle de 15 Velocidades, 2 Condutores

Modo de Controle de Bomba e Ventilador, 2 Condutores

Modo de Controle de Bomba e Ventilador, 3 Condutores

Controle de Processos

Serial

Nota: O Modo de Operação Serial requer uma placa de expansão Serial

RS422/485 ou RS–232, opcionais.

O modo de operação por Teclado permite operar o controle pelo teclado. Neste modo

únicamente são reconhecidos o sinal de entrada Disparo Externo (Disparo Externo) em

J4–16 e o sinal de entrada Enable (Habilitação) en J4–8. Para ativar a condição de falha para uma condição de sobretemperatura do motor, o parâmetro Disparo Externo no

Bloco “PROTECTION”(Proteção), Nivel 2, deverá estar em “ON”.

Os outros modos usam uma entrada de “Enable” em J4–8. Esta entrada deverá estar ligada ao zero ( J4–17) antes de aplicar energia ao motor. Se o seu esquema de ligação não está previsto para entradas comutadas a J4, simplesmente deve–se colocar uma ponte (jump) de J4–8 a J4–17. Para usar a entrada comutada local Enable em J4–8, o parâmetro Local Enable INP do Bloco Protection ( Proteção ), Nivel 2, deverá estar em

“ON”.

3-26 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Modo de Operação pelo Teclado

Para a operação no modo Teclado, defina o parâmetro Operating Mode (modo de operação) do Bloco Input( Entrada ), Nivel 1, para Keypad (teclado). Pressione a tecla

LOCAL para alternar entre os modos LOCAL e REMOTO. A palavra “Local” ou a palavra

“Remote” deverá aparecer no display (visualizador ou indicador visual) do teclado.

No modo de operação pelo Teclado, só estão ativas as entradas opto Enable (J4–8) e

Disparo Externo (J4–16). As outras entradas opto permanecem inativas. Porém as saidas opto e as saidas analógicas permanecem ativas.

Figura 3-10 Diagrama de Conexão – Teclado

J4

1

Sem Conexões

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

ENABLE (Opcional)

2

7

8

5

6

3

4

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

Referencia do Potenciômetro

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Sem Conexões

9

10

11

12

13

Entrada #3

Entrada #4

Entrada #5

Fonte de Alimentação Externa de

5 – 30VCC Prevista pelo Usuário

*

+

*

*

Disparo Externo

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

*

*

18

19

20

21

22

14

15

16

17

Entrada #6

Entrada #7

Entrada #8

Entrada #9

Comum de Entrada

Comum de Saida

Saida Opto #1

Saida Opto #2

Saida Opto #3

Saida Opto #4

J4-8

J4-16

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm)..

Entrada Enable opcional (não é necessária).

ABERTA (open) desabilita o controle, e o motor para por inercia (“coast”) se o parâmetro Local Enable INP do Bloco Protection ( Proteção ), Nivel 2 está en “ON”.

ABERTO faz com que um disparo externo seja recebido pelo controle. O controle se bloqueará e indicará uma falha “external trip” ( disparo externo ) (quando External Trip,

Bloco Protection, Nivel 2 está em “ON”).

IMN715BR Recepção e Instalação 3-27

Section 1

General Information

Modo de Controle de Velocidade Standard, 3 Condutores

Nota: Para um sinal de comando de 4–20mA mudar a ponte JP1 na placa principal do controle para os pinos à esquerda (Fig. 3-1 mostra a posição para 4–20 mA).

Figura 3-11 Diagrama de Conexão – Marcha Standard, 3 Condutores

J4

Pot. de Comando de 5k

W

1

2

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

3 Referencia do Potenciômetro

0–5VDC OR

0–10VDC OR

4–20 mA

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

Enable

Forward Run

Reverse Run

Stop

Fechado = Jog Speed

ACCEL/DECEL/“S” Select

Fechado = Preset Speed #1

Fault Reset

Disparo Externo

7

8

9

10

4

5

6

11

12

13

14

15

16

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Entrada #3

Entrada #4

Entrada #5

Entrada #6

Entrada #7

Entrada #8

Entrada #9

17 Comum de Entrada

Fonte de Alimentação Externa de

5 – 30VCC Prevista pelo Usuári

+

18

Comum de Saida

19

Saida Opto #1

*

20

Saida Opto #2

*

*

*

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

21

Saida Opto #3

22

Saida Opto #4

*

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

J4-8

J4-9

J4-10

J4-11

J4-12

J4-13

J4-14

J4-15

J4-16

ABERTO desabilita o controle e o motor para por inércia.

FECHADO permite que circule corrente no motor.

FECHADO MOMENTANEAMENTE inicia a operação do motor na direção de Avanço

(Frente). No modo JOG (J4–12 FECHADO) FECHADO CONTINUO produz o jog do motor na direção de Avanço.

FECHADO MOMENTANEAMENTE inicia a operação do motor na direção Reversa. No modo JOG (J4–12 FECHADO) FECHADO CONTINUO produz o jog do motor na direção Reversa.

ABERTO o motor desacelera (Decel) e para.

FECHADO põe o controle no modo JOG. As marchas de Avanço e Reversa são usadas para o jog do motor.

ABERTO seleciona o grupo 1 de ACC / DEC / S–CURVE.

FECHADO seleciona o grupo 2.

FECHADO seleciona Preset Speed #1 (Jog Speed, J4–12, anula esta função).

ABERTO permite dar um comando de velocidade.

ABERTO para marcha, FECHADO para resetar uma condição de falha.

ABERTO faz com que o controle receba um disparo externo. O controle se bloqueará e indicará “external trip” quando estiver programado em “ON” (Protection).

3-28 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Modo de Controle de 15 Velocidades, 2 Condutores

Figura 3-12 Diagrama de Conexão – Controle de 15 Velocidades, 2 Condutores

J4

1

2

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

3 Referencia do Potenciômetro

Sem Conexões

4

5

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

Enable

Forward Run

6

7

8

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Reverse Run

9

10 Entrada #3

Speed Select 1

Speed Select 2

Speed Select 3

Speed Select 4

ACCEL/DECEL/“S” Select

11

12

13

14

Entrada #4

Entrada #5

Entrada #6

Entrada #7

15 Entrada #8

Disparo Externo

16 Entrada #9

17 Comum de Entrada

Fonte de Alimentação Externa de

18

Comum de Saida

+

5 – 30VCC Prevista pelo Usuári

19

Saida Opto #1

*

20

Saida Opto #2

*

21

Saida Opto #3

*

*

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

22

Saida Opto #4

*

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

J4-8 ABERTO desabilita o controle e o motor para por inercia.

FECHADO permite que circule corrente no motor.

J4-9 FECHADO opera o motor na direção de Avanço.

ABERTO faz com que o motor desacelere até parar.

J4-10

J4-11 to Seleciona as velocidades pré–ajustadas programadas conforme se definem

J4-14 na Tabela 3-16 da página seguinte.

J4-15

J4-16

FCHADO opera o motor na direção Reversa.

ABERTO faz com que o motor desacelere até parar.

Seleciona o grupo ACC/DEC.

ABERTO faz com que um Disparo Externo seja recebido pelo controle. O controle se bloqueará e indicará “external trip” quando está programado em “ON” (Protection).

IMN715BR Recepção e Instalação 3-29

Section 1

General Information

Função J4-11

Pré–ajuste 1 aberto

Pré–ajuste 2 Fechado

Pré–ajuste 3 aberto

Pré–ajuste 4 Fechado

Pré–ajuste 5 aberto

Pré–ajuste 6 Fechado

Pré–ajuste 7 aberto

Pré–ajuste 8 Fechado

Pré–ajuste 9 aberto

Pré–ajuste 10 Fechado

Pré–ajuste 11 aberto

Pré–ajuste 12 Fechado

Pré–ajuste 13 aberto

Pré–ajuste 14 Fechado

Pré–ajuste 15 aberto

Reset de Falha Fechado

Tabela 3-16 Tabela dos Comutadores para o Modo de Controle de 15 Velocidades, 2 Condutores

J4-12

aberto aberto

Fechado

Fechado aberto aberto

Fechado

Fechado aberto aberto

Fechado

Fechado aberto aberto

Fechado

Fechado

J4-13

aberto aberto aberto aberto

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado aberto aberto aberto aberto

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

J4-14

aberto aberto aberto aberto aberto aberto aberto aberto

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

Fechado

Glossario para os Diagramas de Conexões

3-30 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Modo de Controle de Bomba e Ventilador, 2 Condutores

Figura 3-13 Diagrama de Conexão, Controle de Bomba e Ventilador, 2 Condutores

J4

Pot. de Comando de 5k

W

1

2

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

3 Referencia do Potenciômetro

0–5VDC OR

0–10VDC OR

4–20 mA

4

5

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

Enable

Fechar ambos comuta dores para resetar a falha.

Forward Run

Reverse Run

Entrada Analógica Select

Run Command

6

7

8

9

10

11

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Entrada #3

Entrada #4

Ver

Nota

Speed Command

(Firestat)

Pré–ajuste Speed #1

(Freezestat)

Pré–ajuste Speed #2

Disparo Externo

12

13

14

15

Entrada #5

Entrada #6

Entrada #7

Entrada #8

16

17

Entrada #9

Comum de Entrada

Fonte de Alimentação Externa de

5 – 30VCC Prevista pelo Usuári

+

18

19

Comum de Saida

Saida Opto #1

*

*

20

21

22

Saida Opto #2

Saida Opto #3

*

*

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

Saida Opto #4

*

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

J4-8

J4-9

ABERTO bloquea o controle e o motor para por inercia (“coast”).

FECHADO permite que circule corrente no motor.

ABERTO inicia o comando de Stop (parada).

FECHADO inicia a operação do motor na direção de Avanço.

J4-10

J4-11

ABERTO inicia o comando de Stop (parada).

FECHADO inicia a operação do motor na direção Reversa.

ABIERTO selecciona o ajuste do parámetro “Command Select”.

FECHADO seleciona Analog Input #1.

Nota: Se Command Select está em potentiometer, analog input #1 será sempre selecionado.

J4-12

J4-13

Comando de marcha. ABERTO seleciona os comandos START/STOP e reset pelo teclado.

FECHADO seleciona estes mesmos comandos pela régua de terminias.

Comando de Velocidade. ABERTO seleciona velocidade comandada pelo Teclado.

FECHADO seleciona a régua de terminais como fonte da velocidade (selecionada no parâmetro Command Select do Bloco de Entrada, Nivel 1).

Nota: Ao alterar de Teclado à Terminal Strip (régua de terminais) (J4–12 ou J4–13), a velocidade e a direção do motor se manterão invariaveis logo após a alteração.

J4-14

J4-15

ABERTO seleciona Preset Speed #1 não importando a entrada de Speed Command

(comando de velocidade) J4–13.

ABERTO seleciona Preset Speed #2 não importando a entrada de Speed Command

J4–13.

J4-16

Nota: Se J4–14 e J4–15 estão ambas abertas, Preset Speed #1 será selecionada.

ABERTO faz com que o controle receba um disparo externo. O controle se bloqueará e indicará “external trip” quando está programado en “ON” (Protection).

IMN715BR Recepção e Instalação 3-31

Section 1

General Information

Modo de Controle de Bomba e Ventilador, 3 Condutores

Figura 3-14 Diagrama de Conexão, Controle de Bomba e Ventilador, 3 Condutores

J4

Pot. de Comando de 5k

W

1

2

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

3 Referencia do Potenciômetro

0–5VDC OR

0–10VDC OR

4–20 mA

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

Fechar ambos comuta dores para resetar a falha.

Ver

Nota

(Firestat)

(Freezestat)

Enable

Forward Run

Reverse Run

Stop

Run Command

Speed Command

Pré–ajuste Speed #1

Pré–ajuste Speed #2

Disparo Externo

11

12

13

14

7

8

9

10

4

5

6

15

16

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Entrada #3

Entrada #4

Entrada #5

Entrada #6

Entrada #7

Entrada #8

Entrada #9

17 Comum de Entrada

Fonte de Alimentação Externa de

18

Comum de Saida

5 – 30VCC Prevista pelo Usuári

+

19

Saida Opto #1

*

20

Saida Opto #2

*

21

Saida Opto #3

*

*

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

22

Saida Opto #4

*

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

J4-8 ABERTO bloquea o controle e o motor para por inercia (“coast”).

FECHADO permite que a corrente circule no motor.

J4-9

J4-10

J4-11

FECHADO MOMENTÂNEO inicia a operação do motor na direção de Avanço.

FECHADO MOMENTÂNEO inicia a operação do motor na direção Reversa.

ABERTO, o motor desacelera até parar.

J4-12

J4-13

Comando de Marcha. ABERTO seleciona os comandos de STOP/START e Reset desde o Teclado. FECHADO seleciona estes mesmos comandos pela régua de terminais.

Comando de Velocidade. ABERTO seleciona velocidade comandada pelo Teclado.

FECHADO seleciona a régua de terminais como fonte da velocidade

(selecionada no parâmetro Command Select do Bloco de Entrada, Nivel 1).

Nota: Ao alterar de Teclado à Terminal Strip (régua de terminais) (J4–12 ou J4–13), a velocidade e a direção do motor se manterão invariáveis logo após esta alteração.

J4-14

J4-15

ABERTO seleciona Preset Speed #1 não importando a entrada de Speed Command

(comando de velocidade) J4–13.

ABERTO seleciona Preset Speed #2 não importando a entrada de Speed Command

J4–13.

Nota: Quando J4–14 e J4–15 estão ambas abertas, Preset Speed #1 será selecionada.

J4-16 ABERTO faz com que o controle receba um disparo externo. O controle se bloqueará e indicará “external trip” quando está programado en “ON”. O ajuste de fábrica é “OFF”.

3-32 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Modo de Controle de Processos

O modo de controle de processos é um sistema de malha fechada secundária que inclui um controle PID (proporcional, integral, diferencial) para uso geral. O controle

PID pode ser feito de duas maneiras. Ambos os métodos requerem um sinal de realimentação do processo.

1. PID de Duas Entradas

O modo de controle PID de 2 entradas pode ser usado na maior parte dos sistemas de malha fechada geral. É conhecido como controle de retroalimentação. Este método compara o valor do Setpoint (referência de ponto fixo ou de ajuste) com o Process

Feedback (realimentação do processo) e a diferença é o erro de processo. O sinal de erro de processo é usado para ajustar a velocidade do motor e eliminar o erro. Um erro de processo grande resultará em uma grande variação na velocidade do motor.

Similarmente, um sinal de erro pequeno produzirá uma pequena variação da velocidade.

O controle PID ajustará a velocidade do motor forçando a retroalimentação do processo a aproximar–se o mais possivel do Setpoint.

2. PID de Três Entradas

O modo de controle PID de 3 entradas é usado para aplicações mais complexas com uma grande perturbação externa que afeta a retroalimentação do processo. Isto é útil em processos onde há uma demora de tempo significativa entre uma perturbação do processo e a geração de um sinal de erro do sensor de processo. Este modo usa um comando de alimentação avançado para antecipar alterações no processo. Este sinal de alimentação avançado altera a velocidade do motor sem que se deva gerar previamente um sinal de erro de processo.

A Figura 3-15 é um diagrama de blocos de um sistema de controle PID de 3 entradas.

Figura 3-15 Diagrama Simplificado de um Sistema de Controle de Processos com Retroalimentação

A fonte do Ponto Fixo seleciona–se nesta lista e

Introduz–se no parâmetro SETPOINT SOURCE.

Fontes Disponiveis:

SETPOINT COMMAND

POTENTIOMETER

0–10 VOLTS

0–5 VOLTS

4 TO 20 mA

10V EXB

4 TO 20 mA EXB

3 TO 15 PSI EXB

TACHOMETER EXB

NONE

A fonte de alimentação em avanço do Processo se seleciona nesta lista e introduz–se no parâmetro

Command Select.

Fontes Disponiveis:

POTENTIOMETER

0–10 VOLTS

0–5 VOLTS

4 TO 20 mA

EXB PULSE FOL

10V EXB

4 TO 20 mA EXB

3 TO 15 PSI EXB

TACHOMETER EXB

NONE

Formador

Curva S

ACC/DEC

+

NOTA: EXB REPRESENTA A PLACA

DE EXPANSÃO OPCIONAL.

+

Amplific. de

Velocidade

Motor

“Malha de Controle”

A fonte de Retroalimentação do Processo se seleciona nesta lista e introduz–se no parâmetro

Command Select.

Fontes Disponiveis:

POTENTIOMETER

10V EXB

0–10 VOLTS

4 TO 20 mA EXB

0–5 VOLTS

3 TO 15 PSI EXB

4 TO 20 mA

TACHOMETER EXB

NONE

Sensor de retroalimentação

IMN715BR Recepção e Instalação 3-33

Section 1

General Information

Modo de Controle de Processos (Continuação)

Figura 3-16 Diagrama de Conexão – Modo de Processos

J4

Pot. de Comando de 5k

W

1

2

3

Terra Analógico

Entrada Analógica 1

Referencia do Potenciômetro

±

±

5VDC, 0–5VDC OR

10VDC, 0–10VDC OR

4–20 mA

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5V (Ajuste de Fábrica: Corrente)

Enable

Forward Enable

Reverse Enable

Unused

Jog Reverse

Process Mode

JOG Forward

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica –2

Saida Analógica 1

Saida Analógica 2

Entrada #1

Entrada #2

Entrada #3

Entrada #4

Entrada #5

Entrada #6

Entrada #7

Reset de Falha

Disparo Externo

15

16

Entrada #8

Entrada #9

17 Comum de Entrada

Fonte de Alimentação Externa de

18

Comum de Saida

+

5 – 30VCC Prevista pelo Usuári

19

Saida Opto #1

*

20

Saida Opto #2

*

21

Saida Opto #3

*

*

Relé Opcionais previstos pelo Usuário

22

Saida Opto #4

*

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

J4-8 ABERTO bloqueia o controle e o motor para por inercia.

FECHADO permite que circule corrente no motor.

J4-9

J4-10

FECHADO habilita a operação na direção de Avanço.

ABERTO desativa a operação de Avanço. Parada por desaceleração.

FECHADO habilita a operação na direção Reversa.

ABERTO desativa a operação Reversa. Parada por desaceleração.

J4-11

J4-12

J4-13

J4-14

Não é usado.

FECHADO para habilitar o JOG na direção Reversa.

FECHADO para habilitar a função de malha fechada do Modo de Processos.

ABERTO para o modo de velocidade normal. A régua de terminais como referência de velocidade selecionada no Command Select, Bloco de Entrada, Nivel 1.

FECHADO para habilitar o JOG na direção de avanço.

Nota: Se J4–12 e J4–14 estão fechadas, é selecionado JOG Forward (JOG de avanço).

J4-15 ABERTO para marcha.

FECHADO para repor uma condição de falha.

J4-16 ABERTO faz com que o controle receba um disparo externo. O controle se bloqueará e indicará “external trip” quando está programado em “ON”.

Nota: Analog Input #2:

±

5 VCC e

±

10 VCC são selecionadas pelo Setpoint Source

(referência de ponto fixado) como 0–5 VCC e 0–10 VCC respectivamente.

3-34 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Entradas e Saidas Analógicas

Entradas Analógicas

Há duas entradas analógicas disponiveis: a entrada analógica #1 ou entrada de potenciômetro de 0–10 VCC (J4–1 e J4–2) e a entrada analógica #2 (J4–4 e J4–5).J4–3

é uma referência de tensão para o potenciômetro.

Entrada Analógica #1

Um potenciômetro externo de 5 Kohms pode ser conectado à Analog Input #1 (entrada analógica #1) tal como se mostra na Figura 3-17. O contato deslizante do potenciômetro

(centro) deverá ser conectado a J4–2.

Nota: Pode–se usar um valor de potenciômetro de 2 Kohms a até 10 Kohms.

Nota: Pode–se conectar um sinal de comando de velocidad de 0–10 VCC através de J4–1 e J4–2 no lugar de um potenciômetro de 5 Kohms.

Quando usa–se um potenciômetro como comando de velocidade, o parâmetro

COMMAND SELECT do Bloco de Entrada, Nivel 1 deverá estar em

”POTENTIOMETER”.

Nota: Se Command Select (Bloco de Entrada, Nivel 1) está em Potentiometer,

Analog Input #1 sempre é selecionada, sem importar a posição deste comutador.

Entrada Analógica #2

Um sinal de comando de velocidade externa de 0–5 VCC, 0–10 VCC ou 4–20 mA pode ser conectado à Analog Input #2. O parâmetro COMMAND SELECT do Bloco de

Entrada, Nivel 1 define o tipo de sinal de entrada que se está usando.

Nota: Se é usado um sinal de comando de 4–20 mA, a ponte JP2 situada na placa principal de controle (ver Figura 3-1) deverá estar através dos pinos 1 e 2.

Para os demais modos, JP2 deverá estar através dos pinos 2 e 3.

Figura 3-17 Entradas e Saidas Analógicas

Pot. de Comando de

Analog Ground

5K

W

Comando Pot 0-10VCC

(A través de J4–1 ou

J4–2)

Entrada Analógica 1

Referencia do Potenciômetro

Entrada diferencial de 0-5VCC,

0-10VCC ou de 4–20mA.

Entrada Analógica +2

Entrada Analógica -2

Saida Analógicaput 1

Saida Programavel 0–5VCC

(Ajuste de Fábrica: Velocidade)

Saida Programavel 0–5VCC

(Ajuste de Fábrica: Corrente)

Saida Analógicaput 2

Torque de Aperto de Terminais = 7 Lb–in (0.8 Nm).

IMN715BR Recepção e Instalação 3-35

Section 1

General Information

Saidas Analógicas

Em J4–6 e J4–7 acham–se duas saidas analógicas programáveis. Estas saidas estão graduadas em escala de 0–5 VCC (1 mA de corrente de saida máxima) e podem ser usadas para indicar o estado de diversas condições do controle em tempo real. O retorno destas saidas é o terra analógico J4–1.

Cada função de saida é programada nos valores dos parâmetros Analog Out #1 ou #2

(Saidas Analógicas) do Bloco de Saida do Nivel 1.O ganho de cada saida é programavel na Analog Scale #1 ou #2 (Escalas Analógicas) do mesmo bloco.

Entrada de Disparo Externo

O terminal J4–16 está disponivel para a conexão à um termostato normalmente fechado ou à um relé térmico de sobrecarga em todos os modos de operação, como é mostrado na Figura 3-18. O termostato ou o relé de sobrecarga deverão ser do tipo contato seco, sem ter tensão neste contato. Se o relé de sobrecarga ou o termostato do motor se ativam (se abrem), o controle para automaticamente e indica “external trip”.

Conecte os fios na Entrada de Disparo Externo (J4–16 e J4–17).

Para ativar a entrada de Disparo Externo, o parâmetro “External Trip” na programação do Bloco de Proteção deverá estar em “ON”.

Figura 3-18 Relé de Temperatura do Motor (termistor)

T1 T2 T3

Saidas Opto Isoladas

Uma proteção externa ou remota contra a sobrecargo no motor pode ser utilizada.

J4

16

17

Disparo Externo

M M M

T2 T3

T1 G

* Motor

Não deve–se passar estes cabos pelo mesmo conduite que os condutores do motor e os cabos de alimentação CA.

Se dispõe de quatro saidas programáveis Opto isoladas nos terminales J4–19 a J4–22.

As saidas Opto isoladas podem ser configuradas para dissipar 60 mA. A tensão máxima da saida opto ao comum quando está ativa, é de 1.0 VCC (compativel com TTL [lógica transistor–transistor]).

Se as saidas opto são usadas para controlar diretamente um relé, deve–se conectar um diodo de retorno (“flyback”) de 1 A, 100 V (1N4002) no mínimo, em paralelo com a bobina do relé. J4–18 é o comum para as Saidas Opto.

1.

Conectar o positivo do relé OPTO OUT #1 a J4–19 (retorno – a J4–18).

2.

Conectar o positivo do relé OPTO OUT #2 a J4–20 (retorno – a J4–18).

3.

Conectar o positivo do relé OPTO OUT #3 a J4–21 (retorno – a J4–18).

4.

Conectar o positivo do relé OPTO OUT #4 a J4–22 (retorno – a J4–18).

Cada OPTO OUT (saida opto) é programada no bloco de programação de Saida, Nivel 1.

3-36 Recepção e Instalação IMN715BR

Section 1

General Information

Lista de Verificação Prévia para a Operação

Tem por objetivo avaliar diversos aspectos elétricos.

¡CUIDADO!: Depois de completar a instalação, e antes de aplicar energia

(alimentação) ao controle, assegure–se de verificar o seguinte:

1.

Verifique se a tensão de linha CA está normal e se é equivalente à tensão nominal do controle.

2.

Revise todas as conexões de alimentação para confirmar se estão boas, bem apertadas e bem fixas, e de acordo com as normas aplicáveis.

3.

Verifique se o controle e o motor estão ligados à terra.

4.

Confirme o aperto de todos os fios e cabos.

5.

Assegure–se de que todas as bobinas de freio, contatores e bobinas de relés estão com supressor de ruidos. Este deverá se constituir em um filtro R–C para as bobinas CA e em diodos de polaridade inversa para as bobinas CC. A supressão de transientes com o tipo MOV não é adequada.

ADVERTÊNCIA: Assegure–se de que uma operação inesperada do eixo do motor durante a partida não vá provocar lesões às pessoas e nem danificar o equipameno.

Verificação de Motores e Acoplamentos

1.

Verifique o livre movimento de todos os eixos motrizes, e que os acoplamentos do motor estão apertados e sem folga.

2.

Verifique se os freios de retenção, ou de segurança, estão devidamente ajustados para se soltar (abrir) completamente, e se estão ajustados ao valor de torque que se deseja.

Aplicação Temporária de Energia

1.

Verifique todas as conexões elétricas e mecânicas antes de energizar o controle.

2.

Verifique se as entradas de habilitação a J4–8 estão abertas.

3.

Aplique energia temporariamente, e observe se ascende o display do teclado.

Se o display do teclado não se ascende , desconecte toda a alimentação, cheque todas as conexões, e verifique a tensão de entrada. No caso de aparecer uma indicação de falha, consulte neste manual a seção de diagnóstico de falhas.

4.

Desconecte toda a alimentação do controle.

IMN715BR Recepção e Instalação 3-37

Section 1

General Information

Procedimento de Energização

O seguinte procedimento lhe ajudará a preparar rápidamente o seu sistema para operar no modo de teclado, e lhe permitirá verificar a operação do motor e o controle.

Este procedimento presupõe que o Controle,o Motor e o módulo de Frenagem Dinâmica estão corretamente instalados (ver os procedimentos na Seção 3) e que você conhece os procedimentos de programação e operação do teclado.

Condições Iniciais

Assegure-se que o Controle (Instalação Fisica e Conexão da Linha CA), o Motor e o módulo de Frenagem Dinâmica estão corretamente ligados conforme os procedimentos indicados na Seção 3 deste manual. Familiarize-se com a programação do teclado e a operação por teclado do controle, conforme descrito na Seção 4 deste manual.

1.

Conecte a alimentação do equipamento. Assegure-se que não haja indicação de falhas no display do teclado.

2.

Defina o Modo de Operação, no bloco “INPUT” (Entrada) de Nivel 1, como

“KEYPAD” (teclado).

3.

Defina o parâmetro “OPERATING ZONE” (zona de operação) no bloco

“OUTPUT LIMITS” (Limites de Saida) Nivel 2, para o tipo de operação desejado (STD CONST TQ, STD VAR TQ, QUIET CONST TQ ou QUIET VAR

TQ) (torque constante standard, torque variável standard, torque constante com operação silenciosa ou torque variável com operação silenciosa).

4.

Defina o parâmetro “MIN OUTPUT FREQ” (frequência mínima de saida) no

“OUTPUT LIMITS” (Limites de Saida), Nivel 2.

5.

Defina o parâmetro “MAX OUTPUT FREQ” (frequência máxima de saida) no”OUTPUT LIMITS”(Límites de Saida), Nivel 2.

Nota: JP1 sai de fábrica na posição 2-3 (operação a <120Hz). Para operar com

MAX OUTPUT FREQ >120Hz, mude a posição de JP1 para os pinos 1-2.

Para a localização da ponte, consulte a Seção 3(figura 3-1).

6.

Se o ajuste desejado do limite de corrente de pico é diferente ao ajustado automáticamente pela Zona de Operação, defina no parâmetro “PK CURRENT

LIMIT” no bloco “OUTPUT LIMITS”(Limites de Saida), Nivel 2.

7.

Introduza os seguintes dados do motor nos parâmetros do bloco “MOTOR

DATA”( Dados do Motor), Nivel 2:

Tensão do Motor (entrada)

Corrente Nominal do Motor (FLA)

Velocidade Nominal do Motor (velocidade básica)

Frequência Nominal do Motor

Corrente de Magnetização do Motor (corrente em vazio)

8.

Se é usado o módulo de Frenagem Dinâmica Externo, defina os parâmetros

“RESISTOR OHMS” e “RESISTOR WATTS” no bloco “BRAKE ADJUST”

(Ajuste de Frenagem), Nivel 2.

9.

Defina o parâmetro “V/HZ PROFILE” no bloco “V/HZ AND BOOST” (reforço

V/Hz) do Nivel 1 com a relação V/Hz que seja a correta para a sua aplicação.

10. Se a carga é do tipo de alto torque inicial de partida, será necessário aumentar o reforço de torque e o tempo de aceleração. Defina “TORQUE

BOOST” no bloco “V/HZ AND BOOST”(reforço V/HZ), Nivel 1, e “ACCEL TIME

#1” no bloco “ACCEL/ DECEL RATE” (taxa de acel/desac), Nivel 1, tal como se deseja.

11. Selecione e programe os parâmetros adicionais que sejam adequados para a sua aplicação específica.

O controle estará agora pronto para operar no modo de teclado, ou pode-se interligar a régua de terminais e alterar a programação para outro modo de operação.

3-38 Recepção e Instalação IMN715BR

Seção 4

Programação e Operação

Resumo

A programação e a operação do Controle Baldor Série 15H são realizadas com simples pulsações nas teclas. O teclado é utilizado para programar os parâmetros do controle, para operar o motor, e para verificar o estado das entradas e as saidas do controle mediante o acesso às opções do display, os menús de diagnóstico e de registro de falhas.

Figura 4-1 Teclado

JOG – (Verde) ilumina quando Jog está ativo.

FWD – (Verde) ilumina ao dar–se um comando de direção FWD

REV – (Verde) ilumina ao dar–se um comando de direção REV

STOP – (Vermelho) ilumina ao dar–se um comando de STOP ao motor

Luzes Indicadoras

Keypad Display -

Exibe informação de estado durante a operação Local ou

Remota. Exibe também informação ao

Definir–se parâmetros, e informação de diagnóstico ou de falhas.

JOG -

Pulse JOG para selecionar a velocidade de jog pré–programada.

Depois de pulsar a tecla de jog, use as teclas FWD ou REV para fazer que o motor marche na direção desejada. A tecla JOG estará ativa únicamente no modo local.

FWD -

Pulse FWD para iniciar a rotação do motor na direção de avanço.

REV -

Pulse REV para iniciar a rotação do motor na direção reversa.

STOP -

Pulse STOP para iniciar uma sequência de parada. Dependendo da preparação do controle, o motor para por rampa ou inercia. Esta tecla funciona em todos os modos de operação a menos que seja desabilitada pelo parâmetro Keypad Stop no Bloco

Keypad Setup (programação do teclado).

LOCAL -

Pulse LOCAL par alternar entre a operação local (teclado) e remota. Quando o controle está no modo local, os demais comandos externos na regua de terminais J1 serão ignorados, com exceção da entrada de disparo externo.

DISP -

Pulse DISP para retornar ao modo de display desde o de programação. Do estado operativo e avança ao seguinte ítem no menú do display.

SHIFT -

Pulse SHIFT no modo de programação para controlar o movimento do cursor. Pulsando SHIFT uma vez move–se a posição do cursor intermitente um carácter para a direita.

Estando no modo de programação, pode–se repor o valor de um parâmetro ao valor predefinido na fábrica pulsando

SHIFT até que piscam os símbolos de flecha ao extremo esquerdo do display do teclado, pulsando depois uma tecla de flecha. No modo display, a tecla

SHIFT se usa para ajustar o contraste do teclado.

RESET -

Pulse RESETpara resetar todas as mensagens de falha (no modo local). Pode–se usar também para retornar ao nivel superior do menú de programação do bloco sem guardar

Nenhuma mudança nos valores dos parâmetros.

PROG -

Pulse PROG para entrar ao modo de programação. Entrando neste modo, a tecla PROG é usada para corrigir o ajuste de um parâmetro.

Y

- (Flecha para CIMA).

Pulse

Y

para alterarar o valor do parâmetro visualizado. Ao pulsar

Y

se incrementa ao valor maior seguinte.

Assim, quando se exibe o registro de falhas ou a lista de parâmetros, a tecla

Y

permite mudar acima da lista. No modo local, ao pulsar a tecla

Y

Aumenta–se a velocidade do motor ao valor maior seguinte.

ENTER -

Pulse ENTER para guardar mudança nos valores de parâmetros e retornar ao nivel anterior no menu de programação. No modo display, a tecla

ENTER se usa para definir diretamente a referência de velocidade local. É usado também para selecionar outras operações quando o display do teclado indique.

B

-

(Flecha para BAIXO).

Pulse

B

para alterar o valor do parâmetro exibido. Pulsando

B

se reduz o mesmo ao valor menor value.

siguinte. Assim, quando se visualiza o registro de falhas ou a lista de parâmetros, a tecla

B

permite mudar para baixo da lista. No modo local, ao pulsar

B

se reduz a velocidade do motor ao valor menor seguinte.

IMN715BR Programação e Operação 4-1

Section 1

General Information

Modo de Display

Durante a operação normal, o controle está em DISPLAY MODE (modo de display) e o teclado exibe o estado do controle. Há diversos valores de estado de saida que podem ser monitorados. Estando o controle no modo de display, se visualiza a informação mostrada abaixo.

Estado Motor

Operação Motor

Cond. Saida

Valor e Unida.

Assim sendo, o modo de display oferece uma visualização combinada que dá simultâneamente o valor de todas as condições de saida. O modo de display também permite ao usuário ver a informação de diagnóstico e o registro de falhas.

Ajuste do Contraste do Display

Ao conectar (aplicar) ao controle a alimentação CA, o teclado deverá exibir o estado do controle. Se não há um display visivel, use o seguinte procedimento para ajustar o contraste do display.

Ação Descrição

Conecte a alimentação Não há um display visivel

Display Comentários

Pulse a tecla DISP

Pulse SHIFT SHIFT

Pulse a tecla

Y

ou

B

Ponha o controle no modo de display

Permite o ajuste do contraste do display

Ajusta a intensidade do display

Pulse ENTER Guarda o nivel do contraste e volta ao modo de display

Display típico

4-2 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Acesso a Informação de Diagnóstico e aos Dados de Display

Ação

Conecte a alimentação

Descrição Display

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Modo de display que mostra a frequência de saida.

Modo de display que mostra a velocidade do motor (baseada na frequência de saida).

Modo de display que mostra a velocidade do motor (baseada na frequência de saida).

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Muda ao bloco de informação de diagnóstico.

Acesso à informação de diagnóstico.

Modo de display indicando a temperatura do controle.

Modo de display indicando a

Voltagem de bus.

Modo de display indicando a

Corrente de bus.

Modo de display indicando a

Frequência PWM.

Modo de display indicando o % de corrente de sobrecarga restante.

Modo de display com o estado de entradas e saidas opto.

Modo de display com o tempo real de marcha desde a última energização.

Display de zona de operação com voltagem de entrada e HP nominal (para tal zona) e tipo de controle.

Display de A continuos, A PK no–minais, escala A/V de retroali–mentação, ID–base de potência.

O display mostra que placas de expansão do Grupo 1 ou 2 estão instaladas.

Modo de display indicando a versão e revisão do software que está instalada no controle.

Mostra a opção de saida. Pulse

EXIT para sair.

25.0

2497

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos

Sem falhas presentes. Modo de teclado local. Em remoto/serial, pulse “local” para este display.

.

Pulse DISP para ver os demais parâmetros, se desejar.

Mostra a temperatura de operação em grau C.

Estado de entradas Opto (esq.);

Estado de saidas Opto (dir.).

Formato de HR.MIN.SEC

Pulse ENTER para sair da informação de diagnóstico

IMN715BR Programação e Operação 4-3

Section 1

General Information

Acesso ao Registro de Falhas

Ao produzir–se uma condição de falha, para a operação do motor, se visualiza um código de falha no display do Teclado. O controle mantém um registro das últimas

31 falhas. Se ocorrerem mais de 31 falhas, a mais antiga será eliminada do registro, deixando espaço para a falha mais recente. Para acessar o registro de falhas, deve–se realizar o seguinte procedimento:

Ação

Conecte a alimentação

Descrição Display Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display.

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Modo de display que mostra a frequência de saida

Pulse DISP para avançar ao ponto de entrada do Registro de

Falhas

Mostra o tipo da primera falha e o momento em que ocorreu.

Se altera a través das mensagens de falhas.

Display típico.

Se não há mensagens, mostra a opção de saida do registro de falhas.

Pulse a tecla ENTER

Press RESET key

Se altera ao bloco de informação de diagnóstico.

Retorno ao modo de display.

O LED da tecla de Stop do modo de display estará aceso.

4-4 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Modo de Programação

Use o Modo de Programação para adequar o controle especialmente para diversas aplicações mediante a programação dos parâmetros de operação. Estando no Modo de

Display, pulse a tecla PROG para acessar o Modo de Programação. Para retornar ao

Modo de Display, pulse a tecla DISP. Uma vez que um parâmetro foi selecionado, pulsando as teclas DISP e PROG alternadamente permite alternar entre o Modo de

Display e o parâmetro selecionado. Os parâmetros podem ser programados em qualquer um dos modos de operação. Quando se seleciona um parâmetro para ser programado, o display do teclado proporciona a seguinte informação:

Estado dos Parâmetros

Todos os parâmetros programáveis visualizam–se com um P: no lado inferior esquerdo do display do teclado. Se um parâmetro visualiza–se com um V:, o ajuste pode ser visualizado mas não modificado enquanto o motor está funcionando. Se o parâmetro visualiza–se com um L:, o ajuste está bloqueado deve–se introduzir o código de acesso de segurança antes de fazer alterações.

Parâmetro

Estado Parâmetro Valor e unidades

Acesso aos Blocos de Parâmetros para a Programação

Realize o procedimento seguinte para acessar os blocos de parâmetros e programar o controle.

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Se não há falhas e está programado para operação

REMOTA.

Se é visualizada uma falha, consulte a seção de Diagnóstico de Falhas neste manual.

Pulse a tecla PROG

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display.

Modo de display.

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla

Y

ou

B

Muda ao bloco de

ACCEL/DECEL.

Muda ao bloco do Nivel 2.

Pulse ENTER para o acesso aos parâmetros de velocidade préajustadas.

Pulse ENTER para o acesso aos parâmetros de taxa de aceleração e desaceleração.

Pulse ENTER para o acesso aos blocos do Nivel 2.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Primeiro display do bloco do Nivel

2.

Muda ao menú de Saida da

Programação.

Retorno ao modo de display.

Pulse ENTER para retornar ao modo de display.

IMN715BR Programação e Operação 4-5

Section 1

General Information

Alteração no Valor dos Parâmetros Quando Não Se Usa um Código de Segurança

Realize o seguinte procedimento para programar um parâmetro ou mudar um parâmetro que já está programado no controle, quando não se está usando um código de segurança.

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Acesso ao modo de programação.

Muda ao Bloco de Entrada, Nivel

1.

Acesso ao Bloco de Entrada.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Acesso ao Modo de Operação.

Muda para fazer sua seleção.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Pulse ENTER para o acesso ao parâmetro do bloco de INPUT.

O modo de teclado mostra o ajuste de fábrica

O modo de teclado mostra o ajuste de fábrica.

Seleção típica.

Guarda a seleção na memória.

Pulse ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Muda para saida do menú.

Retorno ao Bloco de Entrada.

Pulse a tecla DISP Retorno ao Modo de Display.

Display típico mode.

4-6 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Reposição dos Parâmetros aos Ajustes de Fábrica

Às vezes é necessário restabelecer os valores dos parâmetros aos seus respectivos ajustes de fábrica. Realize este procedimento para fazê–lo.

Nota: Todos os parâmetros específicos à aplicação que foram programados se perderão ao repor o controle aos ajustes de fábrica.

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Entrada ao modo de programação.

Pulse a tecla

Y

ou

B

Muda aos blocos do Nivel 2.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Seleciona os blocos do Nivel 2.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Muda ao bloco de Miscelaneos.

Seleciona o bloco de

Miscelaneos.

Muda ao parâmetro de ajustes de fábrica.

Acesso ao parâmetro de ajustes de fábrica

Muda para a saida do menú.

Reposição aos ajustes de fábrica.

V

representa o cursor intermitente.

“Loading Presets” é a primeira mensagem. “Operation Done” é a seguinte. “No” é a última visualização.

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Muda para a saida do menú.

Retorno ao bloco de Miscelaneos.

Pulse a tecla DISP Retorno ao modo de display.

Modo de Display. O LED de Stop estará aceso.

IMN715BR Programação e Operação 4-7

Section 1

General Information

Inicialização do Novo Software de EEPROM

Logo que instalar o novo EEPROM, o controle deverá inicializar–se para a nova versão de software e dados da memória. Para isso usar o procedimento seguinte.

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Pulse a tecla

Y

ou

B

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Entrada ao modo de programaçãoción

Muda aos blocos do Nivel 2.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Seleciona os blocos do Nivel 2.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Muda ao bloco de Miscelaneos.

Seleciona o bloco de

Miscelaneos.

Muda ao parâmetro de ajustes de fábrica.

Acesso ao parâmetro de ajustes de fábrica.

Muda a YES para selecionar os ajustes originais de fábrica.

ResTabelace os ajustes de fábrica.

V

representa o cursor intermitente.

“Loading Presets” é o primeira mensagem. “Operation Done” é a seguinte. “No” é a última visualização.

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Muda para a saida do menú.

Retorno ao modo de display.

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Muda ao bloco de informação de diagnóstico.

Acesso à informação de diagnóstico.

Modo de display que mostra a versão e revisão do software instalada no controle.

Mostra a opção de saida.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Se desejar verificar a versão do software, entre na informação de diagnóstico.

Mostra velocidade de comando, direção de rotação, Local/

Remoto e velocidade do motor.

Se verifica a nova versão do software.

Pulse ENTER para sair da informação de diagnóstico.

4-8 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Exemplos de Operação

Operação do Controle pelo Teclado

Se o controle está configurado para controle remoto ou serial, o Modo LOCAL deverá ser ativado para que possa operar–se o controle pelo teclado. Para ativar o Modo LOCAL se deve primeiramente parar o motor.

Nota: Ao pulsar a tecla STOP (se estiver habilitada), emite–se automáticamente um comando de parada ao motor e se muda ao modo LOCAL.

Quando o motor estiver parado, o Modo LOCAL é ativado pulsando a tecla “LOCAL”. A seleção do Modo LOCAL cancela as entradas de controle remoto ou serial, exceto a entrada External Trip (disparo externo) ou Local Enable (habilitação local).

O controle pode operar pelo teclado o motor de três (3) maneiras diferentes.

1.

Comando de JOG.

2.

Ajuste de velocidade com valores de entradas pelo teclado.

3.

Ajuste de velocidade usando as teclas de flecha do teclado.

Nota: Se o controle foi configurado para Keypad (teclado) no parâmetro de modo de operação (nivel 1, bloco de entrada), não se permitirá outra maneira de operação que não seja pelo teclado.

Acesso ao Comando de JOG do Teclado

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla JOG

Pulse e mantenha apertada a tecla FWD ou a tecla REV

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Acesso à velocidade de JOG programada

Movimento de avanço ou reverso do motor na velocidade de JOG.

Pulse a tecla JOG Desabilita o modo de JOG.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

O LED da tecla JOG estará aceso.

Movimenta o motor sempre que a tecla FWD ou REV se mantenha oprimida. Os LEDs de JOG e

FWD (ou REV) estão acesos.

O LED de JOG apaga.O LED da tecla Stop estará aceso.

IMN715BR Programação e Operação 4-9

Section 1

General Information

Ajuste da Velocidade usando uma Referência de Velocidade Local

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla SHIFT

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Seleciona a referência de velocidade local.

Move o cursor intermitente um dígito para a direita.

Pulse a tecla

Y

Incrementa em um dígito o valor de dez.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla FWD ou a tecla REV

Pulse a tecla STOP

Guarda o novo valor e retorna ao modo de display.

O motor marcha em FWD ou

REV na velocidade comandada.

Se emite um comando de parada do motor.

Ajuste de Velocidade usando as Teclas de Flecha

Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla FWD ou a tecla REV

Pulse a tecla

Y

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

O motor marcha em FWD ou

REV na velocidade selecionada.

Aumenta a velocidade do motor.

Display

Pulse a tecla

B

Diminui a velocidade do motor.

Pulse a tecla STOP

Pulse a tecla FWD ou a tecla REV

O motor marcha em FWD ou

REV na velocidade comandada.

Pulse a tecla STOP

Se emite um comando de parada do motor.

Se emite um comando de parada do motor.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

V

representa o cursor intermitente.

O LED de FWD (REV) estará aceso.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

O LED da tecla FWD estará aceso.

Modo de display.

Modo de display.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

O motor marcha na velocidade definida previamente.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

4-10 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Alteração no Sistema de Segurança

O acesso aos parâmetros programados pode ser protegido contra modificações usando a função de código de segurança. O Código de Segurança se define ajustando o bloco

“Security Control” (Controle de Segurança), Nivel 2. Para implementar a função de segurança, realize o seguinte procedimento:

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Pulse a tecla

Y

ou

B

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Entrada ao modo de programação.

Muda aos Blocos do Nivel 2.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Acesso aos Blocos do Nivel 2.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

B

Pulse a tecla ENTER

Muda ao bloco de Controle de

Segurança.

Aceso ao bloco de Controle de

Segurança.

Avança ao parâmetro Access

Code (Código de Acesso).

Pode–se mudar o parâmetro

Access Code.

Use a tecla

B

para alterar o valor.

Exemplo: 8999.

Guarda o parâmetro Access

Code

V

representa o cursor intermitente.

V

representa o cursor intermitente.

O Display do Teclado não mostra o código de acessso do usuário.

Registre seu valor para futura referência.

Pulse a tecla

B

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla DISP

Muda a Security State (Estado de

Segurança).

Acesso ao parâmetro Security

State.

Seleciona Local Security

(Segurança Local).

Guarda a seleção.

Retorno ao modo de Display.

V

representa o cursor intermitente.

P: muda para L: até retornar ao modo de Display por mais tempo que o definido no parâmetro

Access Time.

Modo de display típico.

IMN715BR

Nota: Por favor, registre seu código de acesso e guarde–o em um lugar seguro.

Se não pode acessar os valores dos parâmetros para alterar um parâmetro protegido, comuníque–se com a Baldor.

Programação e Operação 4-11

Section 1

General Information

Alteração nos Valores de Parâmetros quando se usa um Código de Segurança

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Pulse a tecla

Y

ou

B

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Entrada ao modo de programação

Muda ao bloco de Entrada.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

B

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse ENTER

Acesso ao bloco de Entrada para mudar o ajuste de Operating

Mode (Modo de Operação)

Quando a segurança está habilitada não se podem alterar os valores dos parâmetros.

Introduzir o Código de

Acesso.Exemplo: 8999.

Muda para fazer sua seleção.

Guarda o parâmetro selecionado.

L: shows parameter is Locked.

V

representa o cursor intermitente.

P: muda para L: até retornar ao modo de Display por mais tempo que o definido no parâmetro

Access Time.

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Muda para a saida do Menú.

Retorno ao bloco de Entrada.

Pulse a tecla DISP Retorno ao modo de Display.

Modo de display típico.

4-12 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Alteração do Parâmetro de Suspensão de Acesso ao Sistema de Segurança

Display Ação Descrição

Conecte a alimentação O Display do Teclado mostra esta mensagem de abertura

Pulse a tecla PROG

Pulse a tecla

Y

ou

B

Se não há falhas e está programado para operação

LOCAL.

Entrada ao modo de programação.

Muda aos Blocos do Nivel 2.

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de display. O LED de Stop estará aceso.

Pulse a tecla ENTER Acesso aos Blocos do Nivel 2.

Pulse a tecla

Pulse a tecla

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

ou

B

Pulse a tecla ENTER

Y

B

Pulse a tecla ENTER

Muda ao bloco de Security

Control (Control de Segurança).

Acesso ao bloco de Local

Security (Segurança Local).

Avança ao parâmetro Access

Timeout (Suspensão de Acesso).

Acesso ao parâmetro Access

Timeout.

Use a tecla B para mudar o valor.

Exemplo: 8999.

Guarda o parâmetro Access

Code (Código de Acceso).

Pulse a tecla SHIFT Move o cursor um dígito para a direita.

Pulse a tecla

Y

3 vezes Muda o 0 por um 3.

Pulse a tecla ENTER Guarda o valor.

Pulse a tecla DISP Retorno ao modo de Display.

V

representa o cursor intermitente.

Nota: Ignore o número de 5 dígitos à direita

(exemplo: 23956).

O código introduzido está correto.

Todos os parâmetros podem ter alteração.

Access Timeout pode ter qualquer valor entre 0 e 600 segundos.

Exemplo: 30 segundos.

P: Muda para L: até retornar ao modo de Display por mais tempo que o definido no parâmetro

Access Time.

Modo de display típico.

IMN715BR Programação e Operação 4-13

Section 1

General Information

Parâmetros do Controle

Preset Speeds

Preset Speed #1

Preset Speed #2

Preset Speed #3

Preset Speed #4

Preset Speed #5

Preset Speed #6

Preset Speed #7

Preset Speed #8

Preset Speed #9

Preset Speed #10

Preset Speed #11

Preset Speed #12

Preset Speed #13

Preset Speed #14

Preset Speed #15

Accel / Decel Rate

Accel Time #1

Decel Time #1

S-Curve #1

Accel Time #2

Decel Time #2

S-Curve #2

BLOCOS DE NIVEL 1

Input

Operating Mode

Command Select

ANA CMD Inverse

ANA CMD Offset

ANA CMD Gain

CMD SEL Filter

Output

Opto Output #1

Opto Output #2

Opto Output #3

Opto Output #4

Zero SPD Set PT

At Speed Band

Set Speed Point

Analog Out #1

Analog Out #2

Analog Scale #1

Analog Scale #2

Jog Settings

Jog Speed

Jog Accel Time

Jog Decel Time

Jog S-Curve

V/HZ and Boost

Ctrl Base Frequency

Torque Boost

Dynamic Boost

Slip Comp Adj

V/HZ Profile

V/HZ 3-PT Volts

V/HZ 3-PT Frequency

Max Output Volts

Keypad Setup

Keypad Stop Key

Keypad Stop Mode

Keypad Run Fwd

Keypad Run Rev

Keypad Jog Fwd

Keypad Jog Rev

4-14 Programação e Operação

Protection

External Trip

BLOCOS DE NIVEL 2

Output Limits

Operating Zone

Min Output Frequency

Max Output Frequency

PK Current Limit

PWM Frequency

Custom Units

MAX Decimal Display

Value at Speed

Value DEC Places

Value Speed REF

Units of Measure

Units of MEAS 2

Brake Adjust

Resistor Ohms

Resistor Watts

DC Brake Voltage

DC Brake Frequency

Brake on Stop

Brake on Reverse

Stop Brake Time

Brake on Start

Start Brake Time

Process Control

Process Feedback

Process Inverse

Setpoint Source

Setpoint Command

Set PT ADJ Limit

Local Enable INP

Miscellaneous

Restart Auto/Man

Restart Fault/Hr

Restart Delay

Factory Settings

At Setpoint Band

Process PROP Gain

Process INT Gain

Process DIFF Gain

Follow I:O Out

Encoder Lines

Security Control

Security State

Access Timeout

Access Code

Skip Frequency

Skip Frequency #1

Skip Band #1

Skip Frequency #2

Skip Band #2

Skip Frequency #3

Skip Band #3

Motor Data

Motor Voltage

Motor Rated Amps

Motor Rated Speed

Motor Rated Frequency

Motor Mag Amps

Synchro Starts

Synchro Starts

Sync Start Frequency

Sync Scan V/F

Sync Setup Time

Sync Scan Time

Sync V/F Recover

Sync Direction

IMN715BR

Section 1

General Information

Ajuste da Operação de Controle

Os seguintes ajustes de controle estão disponiveis para permitir adaptar o controle a uma determinada aplicação. As Tabelas 4-1 e 4-2 descrevem cada bloco de parâmetros (Nota: Os nomes dos parâmetros estão traduzidos ao Português no

Apêndice D – Glossário).

Tabela 4-1 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 1

Título do Bloco

PRESET

SPEEDS

(Velocidades

Préajustadas)

ACCEL/DECEL

RATE

(Taxa ou Velocidade

Descrição

Permite selecionar entre 15 velocidades de operação do motor préajustadas. Cada velocidade pode ser selecionada usando comutadores externos conectados à régua de terminais de controle.Para a operação do motor, deve–se enviar um comando de direção do motor junto com um comando de velocidade preajustada (em J4).

Accel Time é o No. de segundos requerido para que o motor acelere a uma taxa linear desde 0 Hz aos Hz especificados no parâmetro “Max Output Frequency” (frequência máxima de saida) no bloco “Output

Limits”( Límites de Salida ), Nivel 2.

celeração) especificada no parâmetro “Max Output Frequency” até 0 Hz.

S–Curve é uma porcentagem de tempo de aceleração ou desaceleração total, e permite fazer partidas e

40%.0% representa “não S” e 100% representa “S completa” sem segmento linear.

Exemplo: Frequência Máx. de Saida = 100 Hz; Freq. Preajustada = 50 Hz; Tempo de Aceleração = 10 seg.Neste exemplo, a frequência de saida do controle será de 50 Hz em 5 segundos depois de dar o

Nota: Accel #1, Decel #1 e S–Curve #1 estão asssociadas conjuntamente. Da mesma forma, Accel

#2, Decel #2 e S–Curve #2 estão asociadas conjuntamente. Estas asociações podem ser

JOG SETTINGS

Nota: Como o projeto do motor usa o escorregamento do rotor para produzir torque, a velocidade do motor não aumentará ou diminuirá de maneira linear necessariamente com a frequência do motor

Nota: Se existir falhas (disparos do motor) durante uma aceleração ou desaceleração rápida, a seleção de uma Curva S pode eliminar as falhas sem afetar o tempo total de rampa. Talvez seja necessário regular os ajustes de Accel, Decel e S–Curve para otimizar sua aplicação.

Jog Speed é a frequência de comando que se usa durante o jog. A velocidade de jog pode esTabelacer–se

J régua de terminais, devem–se dar a entrada de JOG (J4–12) e de Avanço (J4–9) ou de Reverso (J4–10).

A l Ti é t d l ã d d t j

Curva de

40%

20

%

Curva de

0%

Jog S–Curve é a Curva S usada durante o jog.

20

%

Figura 4-2 Exemplo de uma Curva S de 40%

Curva de

40%

20

%

Curva de

0%

20

%

0

Tempo Acel

Max

Curvas S de Acel

0

Tempo Decel

Max

Curvas S de Desacel.

IMN715BR Programação e Operação 4-15

Section 1

General Information

Título do Bloco

KEYPAD SETUP

(Preparação do

Teclado)

INPUT

(Entrada)

Tabela 4-1 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Descrição

Keypad Stop Key - Permite que a tecla de “STOP” inicie a parada do motor durante a operação remota ou serial (se está em Remote ON). Pulsando “STOP” inicia–se o comando de parada e se seleciona automáticamente o modo Local.

Keypad Stop Mode - Seleciona se o comando de Stop fará que a parada do motor seja de “COAST” ou

“REGEN”. Em COAST, o motor é desligado e permite parar por inercia (parada livre). Em

“D l Ti ” (Ti d D l )

Keypad Run FWD - Faz com que a tecla “FWD” (avanço) esteja ativa em Local.

Keypad Run REV - Faz com que a tecla “REV” (reverso) esteja ativa em Local.

Keypad Jog FWD - Faz com que a tecla “FWD” (avanço) esteja ativa em Local Jog.

Keypad Jog REV - Faz com que a tecla “REV” (reverso) esteja ativa em Local Jog.

Operating Mode - Há sete modos de operação disponíveis. A seleção é: Teclado, Marcha Standard–3 condutores, 15 Velocidades–2 condutores, Bomba e Ventilador–2 condutores, Bomba e

Ventilador–3 condutores, Serial, e Controle de Processos. As conexões externas ao controle são feitas na régua de terminais J4 (os diagramas de conexões estão na Seção 3, Seleção do Modo de Operação).

Command Select - Seleciona a referência de velocidade externa a ser usada. O método mais simples de controle de velocidade é selecionar Potentiometer e conectar um pot. de 5 k

W

a J4–1, J4–2 e

J4–3. Selecione um comando de entrada de 0–5, 0–10 VCC ou 4–20 mA se o sinal de entrada é aplicado a J4–4 e J4–5. 10VOLT EXB seleciona a placa opcional de expansão I/O de Alta

Resolução, se estiver instalada. 4–20 mA EXB seleciona a entrada de 4–20 mA da placa opcional de expansão I/O de Alta Resolução, se estiver instalada. 3–15 PSI seleciona a placa opcional de expansão de 3–15 PSI, se estiver instalada. Tachometer EXB seleciona a placa opcional de expansão do Tacogerador CC, se estiver instalada. Pulse Follower EXB seleciona a placa de expansão do Seguidor de pulsos Mestre.

Nota: Quando se usa a entrada de 4–20 mA, a ponte JP2 na placa principal de controle deverá ser transferida aos dois pinos inferiores (pinos 1 e 2 na Figura 3-1).

ANA CMD Inverse - “OFF” fará com que uma baixa tensão de entrada (por exemplo, 0 VCC) seja um comando de baixa velocidade do motor e uma tensão máxima de entrada (por exemplo, 10 VCC) seja um comando de velocidade máxima do motor. “ON” fará com que uma baixa tensão de entrada (por exemplo, 0 VCC) seja um comando de velocidade máxima do motor e uma tensão máxima de entrada (por exemplo, 10 VCC) seja um comando de baixa velocidade do motor.

ANA CMD Offset - Compensa a entrada analógica para minimizar o desvio de sinal. Por exemplo, se o sinal de velocidade mínima é de 1 VCC (no lugar de 0 VCC), o ANA CMD Offset pode ser definido em

–10% para que a entrada de tensão mínima seja percebida pelo controle como 0 VCC.

ANA CMD Gain - Proporciona um fator de ganho para o sinal de entrada de referência de velocidade analógica. Por exemplo, se o sinal de referência de velocidade analógica é de 0–9 VCC, definindo ANA CMD Gain em 111% permite que o controle perceba 0–10 VCC como o sinal de entrada.

CMD SEL Filter - Proporciona filtragem para o sinal de entrada analógica de referência de velocidade. Quanto maior seja o número (0–6), maior será a filtragem de ruidos que se proporciona. Para uma resposta mais rápida, use um valor numérico mais baixo.

4-16 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Título do Bloco

OUTPUT

(Saida)

Tabela 4-1 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Descrição

OPTO OUTPUT #1 – #4- São quatro saidas digitais ópticamente isoladas que têm dois estados operativos, ON ou OFF. As saidas Opto e as saidas de relés (se estiver instalado uma placa de expansão para relés) podem configurar–se para qualquer das seguintes condições:

Condição

Ready -

Descrição

(Pronto) Está ativa ao conectar–se a alimentação do controle sem que haja falhas presentes. O controle está “Pronto”.

Zero Speed - (Velocidade Zero) Está ativa quando a frequência de saida ao motor é inferior ao valor do parâmetro “Zero SPD Set Pt”, de Saida, Nivel 1.

At Speed - (Em Velocidade) Está ativa quando a frequência de saida está dentro da faixa de comando definido pelo parâmetro “At Speed Band”, de Saida, Nivel 1.

At Set Speed - (Em Velocidade Definida) Está ativa quando a frequência de saida é igual ou maior que o valor do parâmetro “Set Speed Point”, de Saida, Nivel 1.

Overload - (Sobrecarga) A saida está ativa se há uma falha de Sobrecarga causada por uma interrupção quando a corrente de saida excedeu a corrente nominal do controle.

Keypad Control - (Controle de Teclado) Está ativa quando o equipamento está em controle Local do teclado.

Fault -

Drive On -

(Falha) Está ativa quando existe uma condição de falha.

(Controle Conectado) Está ativa quando o controle está “Pronto” e se foi dado um comando de operar o motor.

(Reverso) Está ativa quando o motor está funcionando em direção reversa.

Reverse -

Process Error - (Erro de Processo) Está ativa quando o processo de malha de controle PID está fora da faixa especificada pelo parâmetro “At Setpoint Band”, bloco de Controle de Processos,

Nivel 2.

ZERO SPD SET PT - Estabelece a frequência de saida à qual a saida opto Zero Speed fica ativa (se conecta). Quando a frequência de saida é menor que ZERO SPD SET PT, a saida Opto

Output fica ativa. Isto é útil nas aplicações aonde um freio do motor estará funcionando com a operação de controle do motor.

AT SPEED BAND - Estabelece uma banda de frequência na qual a saida opto At Speed fica ativa (se conecta). Por exemplo, se At Speed Band está definida em

±

5 Hz, a saida opto fica ativa quando a frequência de saida ao motor está dentro de uma faixa de 5 Hz da frequência de comando do motor. Isto é útil quando outra máquina não deve arrancar (ou parar) até que o motor tenha alcançado sua velocidade de operação.

SET SPEED POINT - Estabelece a frequência na qual a saida opto At Set Speed fica ativa (se conecta).

Quando a frequência é maior que o parâmetro SET SPEED POINT, a saida opto fica ativa. Isto é útil quando outra máquina não deve arrancar (ou parar) até que o motor exceda uma velocidade predeterminada.

IMN715BR Programação e Operação 4-17

Section 1

General Information

Tabela 4-1 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Título do Bloco

OUTPUT Continued

(Saida) Continuação

Descrição

ANALOG OUTPUT #1 and #2 - Estas duas saidas analógicas podem ser configuradas de maneira que um sinal de saida de 0–5 VCC (0–10 VCC ou 4–20 mA com EXB de Alta Resolução) represente uma das seguintes condições:

Condição Descrição

Frequency (Frequência) Representa a frequência de saida, aonde 0 VCC = 0 Hz e +5 VCC = MAX

Hz (não se inclui a compensação de frequência de escorregamento).

Freq Command - (Comando de Frequência) Representa a frequência de comando, aonde 0 VCC = 0 Hz e

+5 VCC = MAX Hz.

AC Current (Corrente CA) Representa o valor da corrente de saida, aonde 0 VCC = 0 A e

+5 VCC = Corrente de plena carga (A

RMS

).

AC Voltage - (Voltaje CA) Representa o valor de voltagem de saida, aonde 0 VCC = 0 VCA e

+5 VCC = Voltagem de Entrada do Controle.

Torque (Torque) Representa o torque de carga, aonde 0 V = –100% do torque (torque nominal) e

+5 V = 100% do torque (torque nominal).

Power (Potência) Representa a potência do motor, aonde 0 V = –100% da potência nominal e

+5 V = 100% da potência nominal.

Bus Voltage (Voltagem de Bus) Representa a tensão de entrada retificada , aonde 0 V = 0 VCC e

2.5 V = 325 VCC para uma entrada de 230 VCA (650 VCC para uma entrada de 460

VCA).

Process Feedback - (Retroalimentação do Processo) Representa a entrada de retroalimentação do processo, aonde 0 V = –100% de retroalimentação e +5 VCC = 100% de retroalimentação.

Setpoint Command - (Comando do Ponto de Ajuste) Representa a entrada de comando do ponto de ajuste, aonde 0 V = –100% de comando e +5 V = 100% de comando.

Zero Cal - (Cal. de Zero) A saida é de 0 VCC e pode ser usada para calibrar um medidor externo.

100% Cal - (Cal. de 100%) A saida é de 5 VCC e pode ser usada para calibrar o fundo de escala

(limite de escala) de um medidor externo.

ANALOG SCALE #1 & #2 - Fator de escala para a tensão de saida analógica. É útil para definir a faixa de fundo de escala para os medidores externos.

4-18 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Título do Bloco

V/Hz and Boost

(V/Hz e Reforço)

LEVEL 2 BLOCK

(bloco de Nivel 2)

Tabela 4-1 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Descrição

CTRL BASE FREQ - Representa o ponto na curva V/Hz aonde a voltagem de saida fica constante com o aumento da frequência de saida. Este é o ponto em que o motor muda de constante ou torque variável para operação de potência constante.

Torque Boost - Ajusta o valor do torque de partida do motor. O ajuste de reforço altera a voltagem de saida ao motor desde o valor normal de voltagem, aumentando ou diminuindo a voltagem de partida em valores fixos conforme definido pela curva V/Hz. O ajuste de fábrica é adequado para a maioria das aplicações. O aumento do reforço pode produzir sobreaquecimento no motor. Se é necessário ajuste, aumente o reforço em pequenos incrementos até que o eixo do motor comece a rodar ao aplicar–se carga máxima.

Dynamic Boost Este parâmetro pode ser ajustado para proporcionar mais ou menos torque de marcha do motor que o disponivel com o ajuste de fábrica. O ajuste de reforço altera a voltagem de saida ao motor desde o valor normal de voltagem, aumentando ou diminuindo a voltagem por unidade de frequência conforme definido pela curva V/Hz.

Slip Comp Adjustment - A compensação de escorregamento é usada para compensar as condições variaveis de carga durante a operação normal. Este parâmetro estabelece a máxima variação permitida na frequência de saida nas condições variáveis de carga (mudanças de corrente de saida). Ao aumentar a corrente do motor acima dos 100% de amperes nominais do motor, a frequência de saida é automáticamente aumentada para compensar o deslizamento.

V/Hz Profile -

3PT Profile

Estabelece a relação Volts/Frequência de saida do controle (ao motor) para todos os valores de voltagem de saida em relação à frequência de saida, até a frequência básica do controle. Como a voltagem do motor está relacionada com a corrente do motor, esta voltagem relaciona–se com o torque do motor. Com uma variação na curva V/Hz pode–se ajustar a disponibilidade de torque do motor para diversas velocidades.

Permite que haja dois segmentos lineares de V/Hz ajustando os parâmetros de V/Hz 3PT

Volts e V/Hz 3PT Frequency. As curvas de 33%, 67% e 100% de curva quadrática estão predefinidas para dar diferentes variações na curva V/Hz com redução quadrática. Estas curvas estão mostradas na Figura 4-3.

V/Hz 3PT Volts - Estabelece a voltagem de saida associada com o parâmetro de 3PT Frequency.

V/Hz 3PT Frequency -Estabelece a frequência de saida associada com o parâmetro de 3PT Volts.

Max Output Volts - Define a voltagem máxima de saida disponivel para o motor pelo controle. É útil se a voltagem nominal do motor é inferior à voltagem de linha de entrada. Em alguns casos, os parâmetros Max Output Volts e CTRL Base Frequency podem ser ajustados para proporcionar um torque constante mais amplo ou uma faixa mais ampla de velocidade de potência (hp) constante do que o disponivel normalmente.

ENTRADA AO MENU DE NIVEL 2

Saida Máx

Curva V/Hz Linear

Figura 4-3 Curvas de Volts/Hertz

Curva V/Hz de 3 Pontos

Saida Máx

Saida Máx

Curva V/Hz Quadrática

Reforço Torque

Frequência de Saida

Frec.

Base

3 PT

Volts

Reforço Torque

3 PT Volts

Frec. 3 PT

Frequência de Saida

Frec.

Base

Reforço Torque

33% Quadr.

67% Quadr.

100% Quadr.

Frequência de Saida

Frec.

Base

IMN715BR Programação e Operação 4-19

Section 1

General Information

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

Título do Bloco

OUTPUT LIMITS

(LIMITES DE

SAIDA)

CUSTOM UNITS

(UNIDADES DE

LEITURA NO

DISPLAY

ADAPTAVEIS PELO

USUÁRIO)

PROTECTION

(PROTEÇÃO)

Descrição

Operating Zone – Estabelece a zona de operação PWM como Standar–2.5 KHz ou Silenciosa–8.0 KHz.

Pode–se selecionar dois modos de operação: Torque Constante ou Torque Variável. Torque Constante permite 170–200% de sobrecarga por 3 segundos ou 150% de sobrecarga por 60 segundos. Torque

Variável permite 115% de sobrecarga de pico por 60 segundos.

MIN Output Frequency – Estabelece a frequência de saida mínima ao motor. Durante a operação, a frequência de saida não cai abaixo deste valor, exceto para as partidas do motor desde 0 Hz ou durante a parada por frenagem dinâmica.

MAX Output Frequency – Estabelece a frequência de saida máxima ao motor. Figura 4-4.

PK Current Limit – É a corrente de saida máxima (pico) ao motor. Dispõem–se de valores superiores à 100% da corrente nominal dependendo da zona de operação selecionada

PWM Frequency –É a frequência de comutação dos transistores de saida. O PWM deverá ser o mais baixo posivel para minimizar o esforço nos transistores de saida e as bobinas do motor. A frequência PWM se denomina também frequência “Portadora”. Figura 4-4.

Max Decimal Places – Define o número de casas decimais do display de Output Rate (taxa de saida) no

Teclado. Reduz–se automáticamente para valores maiores. O display de taxa de saida só é disponivel se o valor do parâmetro “Value at Speed” não é zero.

Value At Speed – Estabelece o valor desejado da taxa de saida por RPM do motor. Se visualiza dois números no display do teclado (separados por uma barra “/”). O primeiro número (no extremo esquerdo) é o valor que deseja–se que o teclado exiba para uma velocidade específica do motor (segundo número, no extremo direito). Pode–se insertar um decimal nos números colocando–se o cursor intermitente sobre as flecha acima/abaixo.

Value DEC Places – Serial únicamente.

Value Speed REF – Serial únicamente.

Units of Measure – Permite especificar as unidades de medida a visualizar no display de Output Rate. Use as teclas de Shift e flecha para modificar o primeiro carácter e os sucessivos. Se não se exibe o carácter que se deseja, mova o cursor intermitente sobre a flecha acima/abaixo de caracteres especiais que está no lado esquerdo do display. Use as flechas acima/abaixo e a tecla Shift para alterar através dos 9 conjuntos de caracteres. Use a tecla ENTER para guardar a sua seleção.

Units of MEAS 2 – Serial únicamente.

External Trip –

OFF – O Disparo Externo está desabilitado.

ON – O Disparo Externo está habilitado. Se é aberto um contato normalmente fechado em J4–16 (a

J4–17), produzirá uma falha de Disparo Externo, provocando a parada do controle.

Local Enable INP –

OFF – A Entrada de Habilitação Local está desabilitada.

ON – Se requer um contato normalmente fechado em J4–8 (a J4–17) para o ENABLE (habilitação) do controle quando se opera no modo de Teclado (parâmetro Operating Mode do bloco Input ( Entrada ),

Nivel 1 = Keypad, com Local Enable INP = ON).

4-20 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Figura 4-4 Frequência PWM vs Frequência de Saida

Frequência PWM

IMN715BR Programação e Operação 4-21

Section 1

General Information

Título do Bloco

MISCELLANEOUS

(MISCELANEOS)

SECURITY

CONTROL

(CONTROLE DE

SEGURANÇA)

MOTOR DATA

(DADOS DO

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

ADVERTÊNCIA: Se uma reiniciação automática do motor (reset) pode ocasionar lesões pessoais, a função de restart automático deverá ser bloqueada alterando–se o parâmetro “Restart Auto/Man” para

MANUAL.

Descrição

Restart Auto/Man –

Manual – Se ocorre uma falha (ou falta de alimentação), o controle deverá ser resetado manualmente para que retorne a operar.

Automatic – Se ocorre uma falha (ou falta de alimentação), o controle religará automáticamente, quando não existir mais a falha, e retornará a operar.

Restart Fault/Hr – É o número máximo de tentativas de reiniciação automática antes que se requeira a reiniciação manual. Após uma hora sem alcançar o número máximo de falhas, ou se a alimentação não foi desconectada e voltou–se a conectar, a conta das falhas retornará a zero.

Restart Delay – A quantidade de tempo permitida depois uma condição de falha para que se produza uma reiniciação automática. É útil para dar tempo suficiente para corrigir uma falha antes de tentar a reiniciação.

Factory Settings – Restaura os ajustes de fábrica nos valores de todos os parâmetros. Selecione YES e pulse a tecla “ENTER” para restaurar os valores de fábrica nos parâmetros. O Display do teclado mostrará

“Operation Done” (operação feita), e retornará a “NO” após completar a restauração.

Security State -

Off – Não se requer um Código de Acesso de segurança para alterar o valor dos parâmetros.

Local Security – É necesário introduzir um Código de Acesso de segurança antes de poder fazer mudanças nos parâmetros usando o Teclado.

Serial Security – É necessário introduzir um Código de Acesso de segurança antes de poder fazer mudanças usando a interface RS232/422/485.

Total Security – É necessário introduzir um Código de Acesso de segurança antes de poder fazer mudanças usando o Teclado ou a interface serial.

Access Timeout – É o tempo em segundos em que o acesso de segurança permanece habilitado até sair do modo de programação. Se sai do Modo de Programaçãos e regressa durante este período de tempo, não

é necessário voltar a introduzir o Código de Acesso de segurança. Este contador de tempo começa sua contagem ao sair do Modo de Programação (pulsando Disp).

Access Code – É um código numérico de 4 dígitos. Só as pessoas que conhecem o código podem modificar os valores protegidos dos parâmetros no Nivel 1 e no Nivel 2.

Motor Voltage – É a voltagem nominal do motor (registrado em sua placa de identificação ). O valor deste parâmetro não tem efeito algum sobre a voltagem de saida ao motor.

Motor Rated Amps – É a corrente nominal do motor (registrada em sua placa de identificação). Se a corrente do motor excede este valor durante certo período de tempo, se produzirá uma falha de Sobrecorrente. Se forem usados múltiplos motores num mesmo controle, some os Amperes Nominais de todos os motores e introduza este valor total.

Motor Rated Speed – É a velocidade nominal do motor (registrada em sua placa de identificação).

Se Motor Rated SPD = 1750 RPM e Motor Rated Freq = 60 Hz, o Display do Teclado mostrará 1750 RPM em 60 Hz e 850 RPM em 30 Hz.

Motor Rated Freq – É a frequência nominal do motor (registrada em sua placa de identificação).

Motor Mag Amps – É o valor da corrente magnetizante do motor (registrado em sua placa de identificação).

Também se denomina “corrente em vazio (sem carga)”. Se forem usados múltiplos motores num mesmo controle, some os Amperes Magnetizantes de todos os motores e introduza este valor total.

4-22 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Título do Bloco

BRAKE ADJUST

(AJUSTE DE

FRENAGEM)

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Descrição

Resistor Ohms – O valor em ohms do resistor de frenagem dinamica. Consulte o manual de frenagem dinamica ou solicite informação adicional à Baldor. Se não foi instalada frenagem dinamica, introduza o valor “0”.

Resistor Watts – Os watts nominais do resistor de frenagem dinamica. Consulte o manual de frenagem dinamica ou solicite informação adicional à Baldor. Se não foi instalada frenagem dinamica, introduza o valor “0”.

DC Brake Voltage – A quantidade de voltagem CC de frenagem que se aplica ao bobinamento do motor durante um comando de parada. Aumente este valor para um maior torque de frenagem durante as paradas. A voltagem de frenagem aumentada pode causar o sobreaquecimento do motor nas aplicações que requeiram frequentes partidas e paradas. Tenha muito cuidado ao selecionar este valor. O valor máximo de DC Brake Voltage = (1.414) x (Max Output Volts). Max Output Volts (volts de saida máx.) é um parâmetro do bloco de V/Hz e Reforço, Nivel 1.

DC Brake Frequency – A frequência de saida (ao motor) na qual se inicia o DC Injection Braking (Frenagem por Injeção de CC).

Brake on Stop – Se está em ON, a frenagem por injeção de CC se iniciará ao enviar um comando de parada.

Após um comando de parada, a DC Brake Voltage (voltagem CC de frenagem) será aplicada às bobinas do motor quando a frequência de saida alcance a DC Brake Frequency (frequência CC de frenagem).

Brake on Reverse – Se está em ON, a frenagem por injeção de CC se iniciará após enviar um comando de inversão de rotação do motor. Após um comando de parada, DC Brake Voltage se aplicará às bobinas do motor quando a frequência de saida alcance a DC Brake Frequency . A frenagem continua até que o motor esteja parado. O motor acelerará despois na direção oposta.

Stop Brake Time – O número máximo de segundos durante os quais a voltagem de frenagem por injeção de

CC será aplicada às bobinas do motor após um comando de parada. Após o período de tempo especificado neste parâmetro, a frenagem por injeção de CC cessa automáticamente. Se a frenagem por injeção de CC se inicia a uma frequência menor que a do parâmetro DC Brake Frequency, o tempo de frenagem é calculado da seguinte maneira:

Tempo de Frenagem

+

Tempo de Frenagem na Parada X

Frequência de Saida na Frenagem

Frequência CC de Frenagem

Brake on Start – Se está em ON, põe em atividade a frenagem por injeção de CC durante um certo período de tempo (Start Brake Time, ou seja o tempo de frenagem na partida) quando se envia um comando de

RUN (marcha). Com isto assegura–se que o motor não estará rodando. A frenagem cessará automáti–camente e o motor vai acelerar quando concluir o tempo de frenagem na partida.

Start Brake TIme – A quantidade de tempo durante a qual se aplicará a frenagem por injeção de CC após o envio de um comando de RUN. (Isto ocorrerá só se Brake on Start estiver em ON). A frenagem pode provocar o sobreaquecimento do motor nas aplicações que requeiram frequentes partidas e paradas.

Tenha muito cuidado ao selecionar este valor. Este tempo de frenagem na partida deverá ser suficientemente prolongado para assegurar que o eixo do motor não se encontre rodando quando seja enviado um comando de partida.

IMN715BR Programação e Operação 4-23

Section 1

General Information

Título do Bloco

PROCESS

CONTROL

(CONTROLE DE

PROCESSOS)

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Descrição

Process Feedback – Estabelece o tipo de sinal usado para a retroalimentação do processo na malha de controle PID (proporcional–integral–diferencial) do ponto de ajuste – set point.

Process Inverse – Faz que se inverta o sinal de retroalimentação do processo. É usado em processos de ação inversa que utilizam um sinal unipolar tal como 4–20 mA. Se está em “ON”, a malha PID perceberá um valor baixo do sinal de retroalimentação do processo como um sinal de retroalimentação alta, e um valor alto do sinal de retroalimentação do processo como um sinal de retroalimentação baixa.

Setpoint Source – Estabelece o tipo de sinal da fonte de referência de entrada com a qual vai se comparar a retroalimentação do processo. Se é selecionado “Setpoint CMD”, se usará um valor fixo do ponto de ajuste que se introduz no valor do parâmetro Setpoint Command (do bloco Process Control, Nivel 2).

Nota: Se é selecionado “Setpoint Command”, se usará o valor fixo do parâmetro Setpoint Command do bloco Process Control, Nivel 2.

Setpoint Command – Valor do ponto de ajuste da malha PID que o controle tratará de manter. Isto se emprega únicamente quando o parâmetro Setpoint Source está definido como “Setpoint Command”. Os valores percentuais negativos serão ignorados na malha PID se o sinal de retroalimentação contem unicamente valores positivos (como 0–10 VCC).

Set PT ADJ Limit – O valor máximo da correção de frequência que se aplicará ao motor (em resposta ao erro máximo de retroalimentação do ponto de ajuste). Por exemplo, se Max Output Frequency é 60 Hz, o erro de retroalimentação do ponto de ajuste é de 100% e o limite de regulação do ponto de ajuste é de 20%, a velocidade máxima à qual o motor funcionará em resposta ao erro de retroalimentação do ponto de ajuste será de

±

12 Hz (60 Hz x 20% = 12 Hz, ou seja um ganho total de banda de saida de 24 Hz centrado em torno da frequência do ponto de ajuste efetivo).

At Setpoint Band – Estabelece a banda de operação dentro da qual At Setpoint Opto Output (saida opto no ponto de ajuste) estará ativa (em ON). Esta característica indica quando o processo está dentro da faixa desejada do ponto de ajuste.

Process PROP Gain – Estabelece o ganho proporcional da malha PID.

Process INT Gain – Estabelece o ganho integral da malha PID.

Process DIFF Gain – Estabelece o ganho diferencial da malha PID.

Follow I:O Ratio – Estabelece a relação da entrada do Mestre à saida do Seguidor. Requer a placa de expansão Master Pulse Reference/Isolated Pulse Follower (referência de pulso mestre/seguidor de pulso isolado). Por exemplo, o número da esquerda é a taxa de entrada do mestre. O número à direita dos dois pontos é a taxa de saida do seguidor. Se deseja–se que o seguidor funcione ao dobro da velocidad do mestre, deverá introduzir–se uma razão 2:1. As razões fracionárias, tais como 0.5:1, se introduz como 1:2.

Follow I:O Out – Se utiliza unicamente nas comunicações seriais. Nas configurações Master/Follower

(mestre/seguidor), este parâmetro representa a parte de FOLLOWER da razão. A parte de MASTER da razão se define no parâmetro Follow I:O Ratio

Nota: O parâmetro Encoder Lines (pulsos do encoder) deverá ser definido se é introduzido um valor no parâmetro Follow I:O Ratio.

Encoder Lines – Se emprega unicamente quando se instala uma placa opcional de expansão Master Pulse

Reference/Isolated Pulse Follower. Define o número de pulsos por volta do encoder mestre. É usado para definir a taxa de pulsos de saida do mestre que deverá obedecer o equipamento seguidor instalado à frente.

4-24 Programação e Operação IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 4-2 Definições dos Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Título do Bloco

SKIP FREQUENCY

(FREQUÊNCIA DE

SALTO)

SYNCHRO STARTS

(PARTIDAS

SINCRONIZADAS)

LEVEL 1 BLOCK

(bloco de Nivel 1)

Descrição

Skip Frequency – (#1, #2 y #3) estabelece a frequência central da banda de frequência a saltar ou que se vai tratar como uma banda morta. Podem–se definir independentemente três bandas, ou pode–se selecionar os três valores para saltar uma banda com faixas de frequências.

Skip Band – (#1, #2 y #3) estabelece a faixa da banda centrada em Skip Frequency (frequência de salto). Por exemplo, se Skip Frequency #1 está definida em 20 Hz e Skip Band #2 está definida em 5 Hz, não se permite a operação continua na banda morta de 15 Hz a 25 Hz.

Synchro Starts – Se utiliza quando o eixo do motor está rodando no momento em que o inversor envia energia ao motor. Se é definida como Restarts Only, permite as partidas sincronizadas depois de repor uma condição de falha. Se é definida como All Starts, permite as partidas sincronizadas em todas as reposições por falhas, assim como as reiniciações depois de produzir–se uma falha de alimentação ou depois de um comando de marcha.

Sync Start Frequency – Permite que a função Synchro Start comece a exploração (”scanning”) da frequência de rotação do motor em MAX Frequency (frequência máxima) ou em uma SET Frequency (uma frequência definida).

Sync Scan V/F – Estabelece a relação Volts/Hz da função de Synchro Start como uma porcentagem da relação V/Hz definida por Max Output Volts/Base Frequency (volts máx. de saida/frequência básica). Este valor porcentual de Sync Scan V/F é multiplicado pelo valor de Max Output Volts/Base Frequency. Se este valor é demasiado alto, pode produzir uma falha por Sobrecorrente no inversor.

Sync Setup TIme – Estabelece para o inversor o tempo de rampa de voltagem de saida desde zero até a voltagem correspondente a Sync Start Frequency (frequência de partida sincronizada). Uma demora de

0.5 segundos antes do começo da rampa não está incluida neste período de tempo. Se a função Synchro

Start não opera suficientemente rápida, reduza o valor de Sync Setup Time.

Sync Scan Time – É o tempo que dá a Synchro Start para explorar e detectar a frequência do rotor.A

exploração começa em Sync Start Frequency a 0 Hz. No geral, quanto mais breve seja Sync Scan Time

(tempo de exploração da partida sincronizada) mais probabilidade tem de detectar uma partida sincronizada falsa. Este valor deverá ser definido a um nivel suficientemente alto para eliminar as partidas sincronizados falsas.

Sync V/F Recover – É o tempo permitido para aumentar em rampa a voltagem de saida desde a voltagem de exploração de Synchro Start até a voltagem de saida normal. Isto ocorre após detectar–se a frequência de sincronização. O valor deste parâmetro deverá ser o suficientemente bajxo para minimizar o tempo da partida sincronizada sem provocar falhas por Sobrecorrente no inversor.

Sync Direction – Permite as partidas sincronizadas em qualquer das direções de rotação do motor ou em ambas. Quando a aplicação requerer a rotação do eixo do motor em uma só direção, se faz a exploração

únicamente nesta direção e se minimizará o Sync Scan Time.

ENTRADA AO MENU DE NIVEL 1

IMN715BR Programação e Operação 4-25

Section 1

General Information

4-26 Programação e Operação IMN715BR

Seção 5

Diagnóstico de Falhas

O Controle Baldor Serie 15H requer muito pouca manutenção, e se instalado e aplicado corretamente funcionará sem problemas durante muitos anos. Deve–se realizar ocasionalmente inspeções visuais para assegurar que as conexões dos cabos estão bem apertadas, e para evitar a acumulação de pó, sujeira ou detritos estranhos que podem reduzir a dissipação de calor.

É de suma importância familiarizar–se com as informações seguintes antes de tentar diagnosticar falhas ou de prestar serviço ao controle. A maior parte do diagnóstico de falhas pode ser feita usando–se unicamente um voltímetro digital com impedância de entrada superior a 1 megohm. Em alguns casos será necessário um osciloscópio com uma faixa de banda mínima de 5 M Hz. Antes de contatar a fábrica, verifique se todas as ligações de alimentação e controle estão corretas e se o controle está instalado de acordo com as recomendações contidas neste manual.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-1

Section 1

General Information

Não Há Display no Teclado – Ajuste do Contraste do Display

Existe a possibilidade que não haja display no teclado, dependendo do nivel de contraste que se estabeleceu para este display. O seguinte procedimento contém os passos necessários para ajustar o contraste do display.

Ação Descrição

Conecte a alimentação Não há display visivel.

Display Comentários

Modo de Display.

Pulse a tecla DISP

Pulse 2 vezes a tecla

SHIFT

Pulse a tecla

Y

o

B

Pulse a tecla ENTER

Assegura–se que o controle está no modo de Display.

Permite ajustar o contraste do display.

Ajusta o contraste do display(intensidade).

Guarda o nivel de ajuste do contraste do display e sai ao modo de Display.

5-2 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Section 1

General Information

Como Acessar as Informações de Diagnóstico

Ação

Conecte a alimentação

Descrição

Modo de Display que mostra a frequência de saida

Pulse a tecla DISP Modo de Display que mostra a velocidade do motor (baseada na frequência de saida).

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla DISP

Muda ao bloco de informação de diagnóstico.

Acesso à informação de diagnóstico.

Modo de Display que mostra a temperatura do controle.

Modo de Display que mostra a voltagem de bus.

Modo de Display que mostra a corrente de bus.

Modo de Display que mostra a frequência PWM.

Modo de Display que mostra a % de corrente de sobrecarga restante.

Modo de Display que mostra o estado das entradas e saidas opto.

Modo de Display que mostra o tempo real de funcionamento do controle desde a última energização.

Display de zona de operação com a voltagem de entrada e os HP nominais (para a zona de operação) e o tipo de controle.

Display que mostra os amperes continuos; A PK nominais; escala de retroalimentação A/volt; ID de base de potencia.

Modo de Display que mostra quais placas de expansão do

Grupo 1 ou 2 estão instaladas.

Modo de Display que mostra a versão e revisão do software instalado no controle.

Mostra a opção de saida. Pulse

ENTER para sair.

Display

2497

S15-4.03

Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Não há falhas. Modo local de teclado. Se está em modo remoto/serial, pulse Local para este display.

25.0

.

Pulse DISP para ver o resto dos parâmetros, se desejar.

Mostra a temperatura de operação em graus C.

Estado de Entradas Opto (esq.); estado de Saidas Opto (dir.).

Formato de HR.MIN.SEC.

Pulse ENTER para sair da informação de diagnóstico.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-3

Section 1

General Information

Como Acessar o Registro de Falhas

Quando se produz uma condição de falha, a operação do motor cessa e visualiza–se um código de falha no display do Teclado. O controle mantém um registro das últimas 31 falhas. Se ocorrerem mais de 31 falhas, a falha mais antiga será apagada do registro para acomodar a falha mais recente. Para acessar o registro de falhas, efetue o seguinte procedimento:

Ação

Conecte a alimentação

Descrição Display Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de Display.

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

Pulse a tecla RESET

Modo de Display que mostra a frequência de saida.

Pulse DISP para mudar ao ponto de entrada do Registro de Falhas.

Mostra o tipo da primeira falha e o momento em que ocorreu.

Avança pelas mensagens de falha.

Retorno ao modo de Display.

Display típico.

Se não há mensagens, mostra a opção de saida do registro de falhas.

A tecla de Stop do modo de

Display estará acesa.

Como Apagar o Registro de Falhas

Use o seguinte procedimento para apagar o registro de falhas.

Ação

Conecte a alimentação

Descrição Display Comentários

Visualização do logotipo durante

5 segundos.

Modo de Display.

Pulse a tecla DISP

Pulse a tecla ENTER

Modo de Display que mostra a frequência de saida.

Pulse DISP para mudar ao ponto de entrada do Registro de Falhas.

Mostra a mensagem mais recente.

Pulse a tecla SHIFT

Pulse a tecla RESET

Pulse a tecla SHIFT

Pulse a tecla ENTER

Pulse a tecla

Y

o

B

Pulse a tecla ENTER

Apaga o registro de falhas.

Muda a saida do Registro de

Falhas.

Retorno ao modo de Display.

Não há falhas no registro de falhas.

5-4 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Tabela 5-1 Mensagens de Falha

MENSAGEM DE FALHA

Invalid Base ID

NV Memory Fail

Param Checksum

Low INIT Bus V

HW Desaturation

HW Surge Current

HW Ground Fault

HW Power Supply

Hardware Protect

1 MIN Overload

3 SEC Overload

Overcurrent

BUS Overvoltage

Bus Undervoltage

Heat Sink Temp

External Trip

New Base ID

REGEN RES Power

Line REGEN

EXB Selection

Torque Proving

Unknown FLT Code

Descrição

Não pode determinar a configuração de voltagem de entrada e a potência (HP) do controle a partir do valor Power Base ID (ID de base de potência) no software.

Falha de leitura ou escrita na memória não volátil.

Detectado um erro no Parameter Checksum (soma de cheque de parâmetros).

Detectado uma baixa voltagem de bus ao partir.

Detectado uma condição de alta corrente de saida (maior que 400% da corrente nominal de saida).

Detectado uma condição de alta corrente de saida (maior que 250% da corrente nominal de saida).

Detectado uma Falha à Terra (fuga à terra da corrente de saida).

Detectado uma falha na fonte de alimentação da Placa de Controle.

Detectado uma falha de hardware geral, que não pode ser isolada.

A corrente de saida excedeu o valor da de pico por 1 minuto.

A corrente de saida excedeu o valor da de pico por 3 segundos

Excedeu o limite da corrente continua.

Alta voltagem de Bus CC.

Detectado uma condição de baixa voltagem de Bus CC.

O dissipador térmico do controle excedeu o limite superior da temperatura.

A conexão entre J4–16 e J4–17 está aberta.

A placa de controle detectou uma alteração no valor de Power Base ID no software.

O Módulo de Frenagem Dinâmica requereu uma excessiva dissipação de potência.

Falha na unidade conversora de regeneração de linha – Controle Inversor “Line REGEN”

Serie 21 H.

Não se instalou uma placa de expansão como selecionado no parâmetro Command

Select, Bloco de Entrada, Nivel 1.

Corrente desequilibrada nos cabos do motor.

O microprocessador detectou uma falha que não está identificada na tabela de códigos de falha.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-5

Section 1

General Information

Código de Identificação (ID) da Base de Potência

Tabela 5-2 ID da Base de Potência – Serie 15 H, Produtos em Estoque

Números de Catálogo

Controle de 230 VCA

No. ID

Base

Números de Catálogo

Controle de 460 VCA

No. ID

Base

Números de Catálogo

Controle de 575 VCA

FIF1007C-51

IN0001A00

IN0006A00

IN0003A00

IN0004A00

IN0008A00

IN0009A00

IN0013A00

IN0014A00

IN0018A00

IN0021A00

IN0019A00

IN0026A00

IN0024A00

IN0030A00

IN0034A00

Potên cia

00E

012

00F

013

016

017

001 FIF1007C-50

00C IN0036A00

008

010

IN0044A00

IN0041A00

00D IN0042A00

011 IN0048A00

IN0049A00

IN0053A00

IN0054A00

IN0060A00

IN0063A00

IN0061A00

014

018

015

00A

IN0065A00

IN0066A00

IN0068A00

IN0069A00

IN0071A00

IN0074A00

IN0072A00

IN0076A00

Potên cia

214

223

215

21C

216

20A

224

21D

220

212

221

213

20C

222

201

208

20E

210

20F

211

IN0100A00

IN0102A00

IN0104A00

IN0106A00

IN0108A00

IN0110A00

IN0367A00

No. ID

Base

ID15H201–E,–W

ID15H202–E,–W

ID15H203–E,–W

ID15H205–E,–W

ID15H207–E,–W

ID15H210–E,

ID15H215–E

ID15H215–EO

ID15H220–EO

ID15H225–EO

ID15H230–EO

ID15H230V–EO

ID15H240–MO

ID15H250–MO

ID15H250V–MO

Potên cia

002

003

004

005

006

007

01A

010

011

012

013

016

014

015

00A

ID15H401–E,–W

ID15H402–E,–W

ID15H403–E,–W

ID15H405–E,–W

ID15H407–E,–W

ID15H410–E

ID15H415–E

ID15H415–EO

ID15H420–EO

ID15H425–EO

ID15H430–EO

ID15H430V–EO

ID15H440–EO

ID15H450–EO

ID15H460–EO

ID15H460V–EO

ID15H475–EO

ID15H4100–EO

ID15H4150V–EO

ID15H4150–EO

ID15H4200–EO

Potên cia

202

203

204

205

ID15H501–E

ID15H502–E

ID15H503–E

ID15H505–E

206

207

ID15H507–E

ID15H510–E

22C ID15H515–E

210 ID15H520–EO

211

212

ID15H525–EO

ID15H530–EO

213 ID15H540–EO

20C ID15H550–EO

214

215

ID15H560–EO

ID15H575–EO

216

20A

217

ID15H5100–EO

ID15H5150V–EO

218

219

A9A

A9B

Tabela 5-3 ID da Base de Potência – Serie 15 H, Produtos Especiais (Não em Estoque)

Números de Catálogo

Controle de 230 VCA

No. ID

Base

Números de Catálogo

Controle de 460 VCA

No. ID

Base

Números de Catálogo

Controle de 575 VCA

No. ID

Base

Potên cia

614

615

616

617

618

619

602

603

604

605

606

607

608

611

612

613

Potên cia

610

611

612

613

614

615

616

5-6 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 5-4 Diagnóstico de Falhas

INDICAÇÃO

Command Select

(Selecionar

Bus Overvoltage

Trip or

HW Overvoltage sobrevoltagem de l hardware)

External Trip

(Proteção do hardware)

Heatsink Temp d

Bus Undervoltage

(Baixa voltagem de bus)

(Disparo externo)

Hardware Protect dissipador térmico)

POSSIVEL CAUSA

Foi programado um modo de operação incorreto.

Necesita–se uma placa de expansão.

Excesiva potência de frenagem dinâmica.

Fixado um valor muito baixo para a taxa de desaceleração.

Excessivo arraste da carga do motor.

Problema nos cabos de ligação da frenagem dinâmica.

A voltagem de entrada está demasiadamente alta.

Verifique se a voltagem de linha CA está adequada.

Use um transformador redutor, se necessário.

Use uma reatância de linha para minimizar os picos de voltagem.

A voltagem de entrada está demasiadamente baixa.

Desconecte o módulo de frenagem dinâmica e repita a operação.

Verifique se a voltagem de linha CA está adequada.

Use um transformador elevador, se necessário.

Cheque se há perturbações na linha de alimentação (quedas bruscas devidas às partidas de outros equipamentos).

Monitorar as flutuações na linha elétrica registrando dia e hora, para isolar o problema da alimentação.

A ventilação do motor é insuficiente. Limpe a tomada e a saida de ar do motor.

Cheque a operação do ventilador externo.

Verifique se o ventilador interno do motor está acoplado firmemente.

O motor consome uma corrente excessiva.

A relação Volts/Hz está incorreta.

Não foi conectado o termostato.

Cheque se há sobrecarga no motor.

Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está apropriado.

Ajuste o valor do parâmetro de Volts/Hz.

Ajuste a Frequência Básica.

Ajuste a Voltagem Máxima de Saida.

Conecte o termostato.

Verifique a conexão de todos os circuitos de disparo externo usados com o termostato.

Desabilite a entrada do termostato no controle.

Revise as conexões do termostato.

As conexões do termostato estão inadequadas.

O parâmetro de disparo externo está incorreto.

Verifique a conexão do circuito de disparo externo em J4–16.

Ponha em “OFF” o parâmetro de disparo externo se não foi feita uma conexão em J4–16.

Ação CORRETIVA

Mude o Modo de Operação no bloco de Entrada, Nivel 1, por um que não requeira a placa de expansão.

Instale a placa de expansão correta para o modo de operação selecionado.

Cheque os valores do parâmetro de watts e resistência de frenagem dinâmica. Aumente o tempo de DECEL (desaceleração).

Instale módulo de frenagem dinâmica externo: jogo de resistores RGA ou módulo de transistores RBA.

Prolongue o tempo de desaceleração.

Instale um módulo ou resistores de frenagem dinâmica externo.

Corrigir o problema da carga do motor.

Instalar um módulo ou resistores de frenagem dinâmica externo.

Cheque os cabos do módulo de frenagem dinâmica.

A duração da falha é muito rápida para poder ser identificada.

O motor está sobrecarregado.

A temperatura ambiente está demasiadamente alta.

Os ventiladores incorporados ao controle são ineficazes ou não funcionam.

Religue o controle.

Cheque se a ligação à terra da alimentação e a blindagem dos cabos de sinal são apropriados.

Substitua a placa de controle.

Corrigir a carga do motor.

Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está apropriado.

Mude o lugar de instalação do controle para uma área de trabalho mais fresca.Instale ventiladores ou um ar condicionado no gabinete do controle.

Verifique a operação dos ventiladores.Limpe a superficie do dissipador térmico e os ventiladores.Substitua os ventiladores ou cheque a ligação dos mesmos.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-7

Section 1

General Information

Tabela 5-4 Diagnóstico de Falhas

– Continuação

INDICAÇÃO

HW Desaturation

(Desaturação do hardware)

POSSIVEL CAUSA

A taxa Accel/Decel está num nivel muito rápido.

O Torque Boost (reforço de torque) está demasiado alto.

Ruido elétrico nos circuitos lógicos.

Sobrecarga no motor.

Mau funcionamento da fonte de alimentação.

HW Power

Supply

(Fonte de alim. do hardware)

HW Ground Fault

(Falha à terra do hardware)

Fuga à terra da corrente de saida

(corrente do motor).

Ação CORRETIVA

Aumente a taxa de aceleração/desaceleração.

Reduza o valor do reforço de torque.

Cheque se a ligação à terra da alimentação e a blindagem dos cabos de sinal são apropriados.

Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está apropriado, ou reduza a carga no motor.

Revise as conexões internas.

Substitua a placa lógica da alimentação.

Invalid Base ID

(A ID de base não

é válida)

O controle não reconhece a configuração de HP e de voltagem.

Line REGEN Falha no Conversor de REGEN de

Linha.

O motor não parte Não há suficiente torque para a partida.

O motor está sobrecarregado.

O motor não alcança sua velocidade

O motor não t ã

A marcha do

Falha no potenciômetro de velocidade.

O reforço de torque está ajustado muito alto.

Acoplamento desalinhado.

O motor está com defeito.

Desconecte os cabos entre o controle e o motor. Religue novamente o inversor.Se a falha desapareceu, reconecte os cabos do motor e volte a testar o conjunto. Conserte o motor se existir um curto circuito interno no mesmo. Troque os condutores do motor com cabos de baixa capacitância.Se persistir a falha à terra, consulte a Baldor.

Pulse “RESET” no teclado. Se a falha continua, acessar “Diagnostic Info” e comparar o número de ID indicado com a Tabela 5–2. Se estiver diferente, consulte a Baldor.

Unicamente no Inversor de REGEN de Linha Serie 21 H.

Aumente o ajuste do limite de corrente.

O controle não está no modo local de operação.

Comando para o motor funcionar abaixo do ajuste de frequência mínima.

O parâmetro Command Select está incorreto.

O comando de frequência está incorreto.

O limite de frequência máxima foi definido num nivel demasiadamente baixo.

O motor está sobrecarregado.

Comando de velocidade inapropriado.

Verifique se a carga do motor está apropriada.

Cheque se os acoplamentos estão travados.

Verifique se o dimensionamento do motor e o controle está apropriado.

Ponha o controle no modo local.

Aumente o comando de velocidade ou diminua o ajuste de frequência mínima.

Mude o parâmetro Command Select (selecionar comando) compatibilizando–o com a conexão em J4.

Verifique se o controle recebe o sinal de comando apropriado em J4.

Ajuste o valor do parâmetro Max. Frequency Limit (limite de frequência máxima).

Verifique se há uma sobrecarga mecânica. Se o eixo do motor sem carga

não estiver rodando livremente, cheque os rolamentos do motor.

Verifique se o controle recebe sinais de comando apropriados nos terminais de entrada.

Verifique se o controle está no modo de operação apropriado para receber

o comando de velocidade.

Troque o potenciômetro.

Falha no potenciômetro de velocidade

O parâmetro MIN Output Freq está muito alto

Comando de velocidade inapropriado.

Ajuste o valor do parâmetro MIN Output Freq (frequência mínima de saida).

Verifique se o controle recebe sinais de comando apropriados nos terminais de entrada.

Verifique se o controle está preparado para receber seu comando de velocidade.

Troque o potenciômetro.

Ajuste o valor do parâmetro de reforço de torque.

Cheque o alinhamento do acoplamento motor/carga.

Troque o motor.

5-8 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Section 1

General Information

Tabela 5-4 Diagnóstico de Falhas

– Continuação

INDICAÇÃO

New Base ID

(Nova ID de base)

NV Memory Fail

(Falha da memória não volátil)

3 Sec Overload

(Sobrecarga de 3 segundos)

1 Min Overload

(Sobre–carga de 1 minuto)

Over Speed

(Sobrevelo-cidade)

Param Checksum

(Soma de cheque dos parâmetros)

Regen RES Power i t

Code d

Unknown Fault

(Código de falha desconhecido)

UnsTabela Speed

(Velocidade instável)

)

POSSIVEL CAUSA

Foi trocado o Controle ou a placa de controle principal.

Ação CORRETIVA

Restabeleça os parâmetros a seus ajustes de fábrica.

Religue o controle.

Falta de voltagem de entrada.

Conexões soltas.

Cheque se a voltagem na alimentação de entrada está apropriada.

Cheque os cabos e os terminais na alimentação de entrada.Verifique a conexão do teclado do operador.

Veja “Ajuste de Contraste do Display” na Seção 4.

Ajuste o contraste do display

Produziu–se uma falha da memória. Pulse a tecla “RESET”. Restabeleça os valores dos parâmetros a seus ajustes de fábrica.

Se a falha continuar, consulte a Baldor.

A corrente de saida excedeu a de pico por 3 segundos.

A corrente de saida excedeu a de pico por 1 minuto.

O motor excedeu em 110% do valor do parâmetro MAX Speed

(velocidade máxima).

Ocureu uma falha da memória.

Cheque o parâmetro PK Current Limit (limite de corrente de pico) no bloco de Limites de Saida, Nivel 2.

Altere o parâmetro Overload (sobrecarga) no bloco de Proteção, Nivel 2, de Trip (disparo) para Foldback (reinjeção).

Cheque se há uma sobrecarga no motor.

Aumente o tempo de ACCEL (aceleração).

Reduza a carga do motor.

Verifique se o dimensionamento do motor e do controle estão apropriados.

Cheque o parâmetro PK Current Limit (limite de corrente de pico) no bloco de Limites de Salida, Nivel 2.

Altere o parâmetro Overload (sobrecarga) no bloco de Proteção, Nivel 2, de Trip (disparo) para Foldback (reinjeção).

Cheque se há uma sobrecarga no motor.

Aumente os tempos de ACCEL/DECEL (aceleração/desaceleração).

Reduza a carga do motor.

Verifique se o dimensionamento do motor e do controle estão apropriados.

Cheque Max. Output Speed (velocidade de saida máxima) no bloco de

Límites de Saida, Nivel 2.

O parâmetro de frenagem dinâmica está incorreto.

A potência de regeneração excedeu o valor do resistor de frenagem dinâmica.

O microprocessador detectou uma falha que não está definida na tabela de códigos de falha..

Pulse a tecla “RESET”. Restabeleça os valores dos parâmetros a seus ajustes de fábrica.

Se a falha persistir, consulte a Baldor.

Cheque os parâmetros Resistor Ohms e Resistor Watts no bloco de

Brake Adjust (ajuste de frenagem), Nivel 2.

Associe o módulo de frenagem dinâmica externo: jogo de resistores

RGA ou módulo de transistores RBA.

Aumente o tempo de DECEL (desaceleração).

Pulse la tecla “RESET”.

Restabeleça os valores dos parâmetros a seus ajustes de fábrica.

Se a falha persistir, consulte a Baldor.

Carga oscilante.

Alimentação de entrada instável.

Compensação de escorregamento demasiadamente alta.

Corrija a carga do motor.

Corrija a alimentação de entrada.

Ajuste a compensação de escorregamento.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-9

Section 1

General Information

Considerações sobre o Ruido Elétrico

Todos os dispositivos eletrônicos, incluindo o controle Serie 15H, são vulneráveis

à sinais de interferência eletrônica (chamados habitualmente “Ruido Elétrico”) significativas. Num nível mais baixo, o ruido pode causar falhas ou erros intermitentes de operação. Do ponto de vista do circuito, 5 ou 10 milivolts de ruido podem ocasionar um efeito prejudicial na operação. Por exemplo, as entradas de velocidade analógicas estão

à principio graduadas a um máximo de 5 a 10 VCC, com resolução típica de uma parte por 1000. Assim, um ruido de 5 mV representa um erro substancial.

Num nivel mais extremo, um ruido significativo pode causar danos no controle. Portanto, recomenda–se evitar a generação de ruidos seguindo procedimentos de cabeamento que evitem que os ruidos gerados por outros dispositivos cheguem aos circuitos sensiveis. Num controle, tais circuitos incluem as entradas de velocidade, de lógica de controle, e de retroalimentação de velocidade ou outras variáveis, assim como as saidas a certos indicadores e computadores.

Causas e Soluções

O ruido elétrico indesejável pode ser produzido por numerosas fontes.Dependendo da fonte específica, podem–se empregar diversos métodos para minimizar os efeitos destes ruidos e reduzir o acoplamento nos circuitos sensiveis.

A Figura 5-1 mostra uma tela de osciloscópio de um ruido induzido em um fio de 1 pé

(0,30 m) junto à uma bobina de contator de tamanho 2, ao abrir–se o circuito da bobina.

O osciloscópio está ajustado em 20 V/div. (vert.) e 1 m

Sec/div. (horiz). A voltagem de pico máximo é maior que 40 V. A impedância de entrada do osciloscópio é de10K

W

para todos os traços do instrumento.

Figura 5-1 Display de Ruido Elétrico

Bobinas de Contatores e Relés

Uma das fontes mais comuns de ruido são as bobinas de contatores e relés . Quando se abrem estes circuitos de bobina altamente indutivos, as condições transitórias geram picos de vários centos de volts no circuito de controle.

Para suprimir esta geração de ruidos, conecte em paralelo um atenuador R–C (snubber ou amortecedor) a cada bobina de contator e relé. Um atenuador que consiste em um resistor de 33

W

em série com um capacitor de 0.47

m f no geral funciona bem. No exemplo abaixo, o ruido se reduziu de 40 V pico (V

P

) a uns 16 V

P

. A menos que hajam filtros adequados, isto pode ser suficiente para arruinar uma máquina produtiva. Portanto deve–se evitar o ruido elétrico usando atenuadores e cabo blindado (sheldado) de pares trançados nos circuitos sensiveis adjacentes aos condutores das bobinas. (Ver também

“Procedimentos de Cabeamento”, mais adiante neste capítulo).

5-10 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

IMN715BR

Figura 5-2 Circuito de um Atenuador R–C

Ao combinar–se um atenuador R–C e um cabo blindado de pares trançados, a voltagem do circuito se mantém a menos de 2 V durante uma fração de milisegundo. A forma de onda é mostrada na Figura 5-3 e a forma de onda sem a atenuação na figura Figuras 5-1 o 5-2.

Figura 5-3 R-C Snubber Circuit & Cabo Blindado

Com um diodo de polarização inversa conectado em paralelo a uma bobina CC se tem o mesmo resultado que conectando–se um atenuador R–C em paralelo a uma bobina CA;

Figura 5-4.Isto só é válido para bobinas ligadas em CC.

Figura 5-4 Supressão de Ruido em Bobinas CC e CA

Bobina

CA

Atenuador RC

+

0.47 m f

33

W

Bobina

CC

Diodo

Diagnóstico de Falhas 5-11

Section 1

General Information

Cabos entre Controles e Motores

Nos cabos de saida de um controle típico de 440 VCA há subidas rápidas de voltagem criadas por semicondutores de potência que comutam 650 V em menos de um microsegundo, 1.000 a 10.000 vezes por segundo. Estes sinais de ruido podem acoplar–se a circuitos sensiveis do controle, como mostra a Figura 5-5. Para esta forma de onda, se induziu um transiente em 1 pé (0,30 m) de um fio adjacente ao cabo do motor em um controle de 10 HP, 440 VCA. O osciloscópio está em 5 V/div. e 2 sec/div.

Figura 5-5 Controle de 10 HP, 440 VCA

Usando cabos de pares trançados, o acoplomento se reduz quase em 90%; Figura 5-6.

Figura 5-6 Controle de 10 HP, 440 VCA, Cabo Blindado

Nos cabos dos motores CC há similares voltagens transitórias. A taxa de comutação é de aproximadamente 360 vezes por segundo. Estes transientes podem produzir uns 2 V de ruido induzido em um condutor adjacente ao cabo do motor. Na Figura 5-7 é motrado um Controle de 30 HP, 500 VCC. O osciloscópio está ajustado a 1 V/Div. e 5 sec/div.

Figura 5-7 Controle de 30 HP, 500 VCC

Novamente, utilizando um condutor com um cabo blindado de pares trançados se reduz o ruido induzido a menos de 0,3 V; Figura 5-8.

Figura 5-8 Controle de 30 HP, 500 VCC, Cabo Blindado

5-12 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Section 1

General Information

Os cabos de alimentação de CA também contem ruidos e podem induzir ruidos em condutores adjacentes. Isto é particularmente mais grave nos controles CC regulados por SCR, e os inversores de seis passos e fontes de corrente. A Figura 5-9 mostra um transiente induzido em um fio de 1 pé (0,30 m) adjacente a um cabo de alimentação de

CA de um controle CC de 30 HP. O osciloscópio está ajustado para 500 mV/div. e

2 sec/div.

Figura 5-9 Controle de 30 HP, 500 VCC, Cabo Blindado

Para evitar os ruidos induzidos por transientes nos fios de sinal, todos os cabos do motor e de alimentação de CA deverão passar por conduites metálicos rígidos ou por conduites flexiveis. O conduite deverá estar ligado à terra formando uma blindagem que bloquea o ruido elétrico dentro do conduite. O fios de sinal, mesmo que sejam de cabos blindados, nunca devem passar no mesmo conduite que os cabos de alimentação do motor.

Se for usado conduite flexivel, deverá ser utilizado cabos blindados de pares trançados.

Este procedimento mesmo apresentando melhor proteção que os cabos não blindados, não oferece a mesma proteção que o conduite metálico rígido.

Situações Especias do Controle

Nas situações muito críticas de ruido pode ser necessário reduzir as voltagens transi–tórias nos cabos que vão ao motor agregando reatores de carga. Os reatores de carga são instalados entre o controle e o motor.

Os reatores tipicamente tem uma reatância de 3% e são projetados para as frequências que se encontram nos controles PWM. Estes reatores também reduzem a corrente de ondulação nas bobinas do motor, e prolongam a vida útil de motor.

Linhas de Alimentação do Controle

Transmissores de Radio

O mesmo tipo de reator que é instalado no lado de carga do controle pode também suprimir os transientes nas linhas de alimentação de entrada. Estando conectado ao controle no lado da linha, o reator protege a unidade de velocidade ajustável (regulável) contra certos transientes gerados por outros equipamentos, e suprime alguns dos transientes produzidos pelo controle.

Mesmo não sendo uma causa comum de ruidos, os transmissores de frequência de radio, como as estações emissoras comerciais, as de ondas curta fixa, e os equipamentos móveis de comunicação (incluindo os walkie–talkies) criam ruido elétrico.

A probabilidade de que este ruido afete a unidade de velocidade ajustável é maior ao usar um controle num painel aberto ou com os cabos descobertos ( fora de um conduite metálico ), e quando a ligação à terra está inadequada.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-13

Section 1

General Information

Painel de Controle

A solução para certos ruidos elétricos pode ser a instalação do controle num painel metálico ligado à terra. O painel deverá ser conectado à terra com um cabo curto e de bitola grossa. Mesmo assim, os conduites dos cabos de alimentação, dos cabos do motor e dos cabos de sinal deverão ser aterrados ao painel.

Considerações Especiais sobre o Motor

As ligações à terra requeridas incluem a carcaça do motor. Os motores, assim como o painel de controle, deverão ser conectados diretamente à terra da instalação usando um cabo o mais curto possivel.

Quando as voltagens transitórias do controle e do motor estão acopladas capacitivamente aos dispositivos de retroalimentação montados no eixo do motor, talvez seja necessário uma solução diferente. Especialmente quando são usados encoders, estes transientes produzem ruido nos cabos de sinal e alteram a operação normal do controle.

Figura 5-10 Método de Montagem Isolado

Acoplamento isolante

Placa isolante

Encoder ou outro dispositivo de retroalimentação

Soporte de montagem

5-14 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Section 1

General Information

Procedimentos de Cabeamento

O tipo de cabo que é utilizado, assim como a sua instalação, constituem a diferença entre uma condição de uma operação confiável e a criação de problemas adicionais.

Cabeamento de Alimentação

Os cabos que alimentam potência à vários equipamentos (como por exemplo: à um motor, um aquecedor, uma bobina de freio, ou luminárias) deverão ser instalados em conduites metálicos ligados à terra em ambos os lados. Estes cabos de alimen–tação deverão passar por conduites separados dos de cabos de sinal e de controle.

Cabeamento da Lógica de Controle

Os comandos do operador (botões e comutadores), contatos de relés, fins de curso, entradas/saidas de PLC, sinaleiros, e as bobinas de relés e contatores funcionam típicamente com 110/220 VCA ou 24 VCC. Mesmo estes dispositivos operando geralmente com baixos níveis de corrente, contém ruidos de comutação produzidos pela abertura e o fechamento de contatos e pela operação dos interruptores de estado sólido.

Portanto, estes cabos deverão ser instalados em conduites distanciados dos cabos de sinais sensiveis.

Circuitos de Sinais Analógicos Um dos circuitos mais sensiveis é o de sinais anlógicos originados de controle de velocidade ou torque, como tacogeradores CC e controladores de processo. A confiabilidade deste circuito pode ser melhorada utilizando as seguintes técnicas de redução de ruidos:

Conecte um capacitor de 0.1 entre os terminais de entrada do sinal para suprimir o ruido de CA.

Use cabos blindados de pares trançados com a blindagem ligada à terra

únicamente no lado do controle.

Distancie estes cabos dos de potência, de controle ou outros tipos de ligações.

Use angulos retos ao cruzar os cabos de potência aos cabos de sinais e de comando.

Cabos para Comunicação Serial

Os cabos normais para comunicação serial geralmente contam com uma blindagem que

é conectada à carcaça do conector em ambos os extremos. Isto normalmente aterra a fonte de dados ao chassis do controle ligado à terra. Se a fonte de dados é flutuante, tal conexão oferece uma boa transmissão de dados. Porém se a fonte de dados está conectada à terra, pode–se geralmente reduzir o problema de ruidos instalando um cabo de bitola grossa (# 1,5 mm ou maior) em paralelo com o cabo de comunicação entre a fonte e o chassis do controle.

IMN715BR Diagnóstico de Falhas 5-15

Section 1

General Information

Isolamento Óptico

Acopladores Ópticos

Fibra Óptica

Terra da Instalação

Ao isolar–se os circuitos elétricos com algum tipo de transmissão de luz (acopladores

ópticos) reduz–se o ruido elétrico transmitido de uma parte à outra de um circuito. Ou seja, um sinal elétrico é convertido em um sinal luminoso que se transmite a um receptor de luz. O mesmo converte a luz em um sinal elétrico que tem menos ruido que a entrada.

Usam–se habitualmente dois métodos: acopladores ópticos e fibra óptica.

Os acopladores ópticos, conhecidos como optoacopladores, usam um transmisor de luz e um receptor de luz na mesma unidade para transmitir dados isolando–os elétricamente dos circuitos. Este isolamento reduz parte do ruido. A amplitude desta redução de ruido está geralmente especificada pela “clasificação em dv/dt, modo de redução comum”.

Tipicamente, os optoacopladores de baixo custo tem um redução de modo comum de

100 to 500 V/ sec, que é adequada para a maior parte dos sinais lógicos de controle.

Os optoacopladores de alto rendimento com valores nominais de modo comum até

5,000 V/ sec são instalados em ambientes aonde os problemas de ruido são mais severos.

Os fios especiais de fibra plástica transmitem luz à distâncias largas e curtas. Como estas fibras são imunes à energia eletromagnética, o uso de fios de fibra óptica elimina o problema de ruidos nestes circuitos. Estes cabos de fibra óptica livres de ruido podem ser instalados junto aos cabos de alimentação ou do motor pois o ruido não penetra na forma indutiva nem capacitiva aos fios de fibra óptica.

A conexão de equipamentos elétricos à um terra apropriado é esencial para a segurança e para operacões confiáveis. Em muitos casos, um terra que se considera adequado não o é. Como resultado, o equipamento funciona mal, parando por falhas inexistentes, e ainda existe o perigo de choques elétricos.

Na maioria das vezes uma haste de aterramento normal, só para o controle, é sufuciente para ter um aterramento bom. Entretanto,dependendo da instalação e do tipo de terreno, isto não é possivel de ser executado ou é insuficiente. Nestes casos deve–se consultar uma empresa especializada e com experiência em aterramentos de equipamentos elétricos, para que realize as medições necessárias para avaliar se o aterramento está adequado, e caso contrário efetuar um projeto de malha de ateramento para a instalação.

O aterramento adequado do controle é essencial para o seu bom funcionamento. Nunca utilizar o neutro da rede como terra.

5-16 Diagnóstico de Falhas IMN715BR

Seção 6

Especificações e Dados do Equipamento

Especificações:

Potência

Frequência de Entrada

Voltagem de Saida

Corrente de Saida

Frequência de Saida

Fator de Serviço

Serviço

Capacidade de Sobrecarga

Ajuste de Frequência

Potenciômetro de Ajuste de Frequência

Temperatura Nominal de Armazenamento:

Condições de Operação:

Variação de Voltagem: Modelos de 230 VCA

Modelos de 460 VCA

Modelos de 575 VCA

Impedância de Linha de Entrada:

Temperatura Ambiente de Operação:

Gabinete:

Umidade:

Altitude:

1-50 HP @ 230VCA

1-500 HP @ 460VCA

1-150 HP @ 575VCA

50/60 HZ

±

5%

0 a Entrada Máxima de VCA

Ver a Tabela de Valores Nominais

0 a 120 Hz ou 0 a 400 Hz (selecionável mediante ponte)

1.0

Continuo

Modo de Torque Constante:

Modo de Torque Variável:

170-200% por 3 secs

150% por 60 secs

115% por 60 secs

Teclado, 0–5VCC, 0–10VCC, 4–20mA

5K

W

ou 10K

W

, 1/2 Watt

– 30

°

C até +65

°

C

180-264 VCA 3 f

60 Hz/180-230 VCA 3 f

50 Hz

340-528 VCA 3 f

60 Hz/340-457 VCA 3 f

50 Hz

495-660 VCA 3 f

60 Hz

3% Mínimo Requerido

0 à+40

°

C

Reduzir a Capacidade de Saida em 2% por

°

C sobre 40

°

C até 55

°

C (130

°

F) Máximo

NEMA 1: Modelos com sufixo E e EO

NEMA 4X Indoor: Modelos com sufixo W

NEMA 1: Até 90% de HR sem condensação

NEMA 4X Indoor: Até 100% de HR com condensação

Nivel do mar até 3300 pés (1000 metros).Reduzir a capacidade em 2% por cada 1000 pés (305 metros) sobre os

3300 pés (1000 metros)

Display do Teclado:

Display

Teclas

Funções

Indicadores LED

Montagem à distância do teclado

LCD Alfanumérico com fundo iluminado

2 Linhas x 16 Caracteres

Teclado tipo membrana com resposta táctil

Monitoramento de estado da saida

Controle digital de velocidade

Ajuste e visualização de parâmetros

Visualização do registro de falhas

Marcha e jog do motor

Local/Remoto

Comando de marcha de avanço

Comando de marcha reversa

Comando de parada

Jog ativo

Até um máximo de 100 pés (30 metros) desde o controle

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-1

Section 1

General Information

Especificações do Controle:

Método de Controle

Precisão da Frequência

Resolução da Frequência

Frequência Portadora

Tipo de Transistor

Tempo de Subida do Transistor

Reforço de Torque

Relação Volts/Hz

Tempo de Acel./Desacel.

Tempo da Curva S

Frequência Base

Torque de Frenagem Regenerativo

Frequência de Jog

Frequência de Salto

Frequência Mínima de Saida

Autoreiniciação

Auto Restart

Compensação de Escorregamento

Modos de Operação

Entrada de Onda Senoidal Portadora, Saida PWM

0.01Hz Digital

0.05 % Analógica

0.01 Hz Digital

0.5% Analógica

1KHz a15KHz, ajustável

2.5KHz Operação Estandar

8.0KHz Operação Silenciosa

IGBT (Transistor Bipolar Gate Isolado)

2500 V/ m seg. (dv/dt)

Ajuste automático à carga (Normal)

0 à 15% da voltagem de entrada (Manual)

Linear, Quadrática Reduzida, Três Pontos

0 à 3600 seg.com 2 seleções mais JOG

0 à 100%

10 à 400 Hz

20% Mínimo (–E, –W)

100% com resistor opcional externo de frenagem (–EO, –MO, –ER)

0 à Frequência Máxima

0 à Frequência Máxima em 3 zonas

0 à Frequência Máxima

0 à Frequência Máxima

Manual ou Automático

0 à 6Hz

Teclado;

Marcha STANDAR Três Condutores;

15 Velocidades Dois Condutores;

Bomba e Ventilador 2 Condutores;

Bomba e Ventilador 3 Condutores;

Controle de Processos;

Serial

Entradas Analógicas: (2 Entradas)

Entrada de Potenciômetro

Entrada Diferencial – Variação de Limite de

Escala

0 - 10VCC

0-5VCC, 0-10VCC, 4-20mA

Entrada Diferencial – Rejeição de Modo Comum 40db

Impedância de Entrada 20 K

W

6-2 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Saidas Analógicas: ( 2 Saidas )

Saidas Analógicas

Variação de Limite de Escala

Corrente de Fonte

Resolução

Condições de Saida

Entradas Digitais: ( 9 Entradas )

2 Selecionáceis

0 à 5 VCC Nominal (0 à 8VCC Máximo)

1 mA máximo

8 bits

7 condições mais calibração (ver tabela de parâmetros)

Entradas Lógicas Opto Isoladas 9 Selecionáveis

Voltagem Nominal 10 - 30VCC

Impedância de Entrada (Entradas Lóg. Opto Iso.)

6.8K

W

(Normal contatos fechados)

Corrente de Fuga (Entradas Opto Isoladas OFF) 10 m

A Máximo

Saidas Digitais: ( 4 Saidas )

Saidas Lógicas Opto Isoladas

Voltagem Nominal

Corrente Máxima

Queda de Voltagem – ON

Corrente de Fuga – OFF

Condições de saida

Indicações de Diagnóstico:

4 selecionáveis

5 à 30VCC

60 mA Máximo

2 VCC Maximo

0.1 m

A Maximo

9 Condições (ver tabela de parâmetros)

Invalid Base ID (A ID de Base não é Válida)

NV Memory Fail (Falha de Memória não Volátil)

Param Checksum (Soma de Cheque de Parâmetros)

New Base ID (Nova ID de Base)

HW Desaturation (Desaturação do Hardware)

HW Terra Fault (Falha à Terra do Hardware)

HW Power Supply (Fonte de Alimentação do Hardware)

Hardware Protect (Proteção do Hardware)

1 Min Overload (Sobrecarga, 1 Min.)

3 Sec Overload (Sobrecarga, 3 Seg.)

Bus Overvoltage (Sobrevoltagem de Bus)

Bus Undervoltage (Baixa Voltagem de Bus)

Heat Sink Temp (Temperatura do Dissipador Térmico)

External Trip (Disparo Externo)

REGEN Res Power (Potência do Resistor de Regeneração)

Line REGEN (Regeneração de Linha)

Command Select (Selecionar Comando)

Unknown FLT Code (Código de Falha Desconhecido)

Nota: Todas as especificações estão sujeitas à modificações sem notificação prévia.

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-3

Section 1

General Information

ID15H201–E, –W

ID15H202–E, –W

ID15H203–E, –W

ID15H205–E

ID15H205–W

ID15H207–E, –W

ID15H210–E

ID15H210–W

ID15H215–E

ID15H215–W

ID15H215–EO

ID15H220–EO

ID15H225–EO

ID15H230–EO

ID15H230V–EO

ID15H240–MO

ID15H250–MO

ID15H250V–MO

ID15H401–E, –W

ID15H402–E, –W

ID15H403–E, –W

ID15H405–E, –W

ID15H407–E

ID15H407–W

ID15H410–E, –W

ID15H415–E

ID15H415–W

ID15H415–EO

ID15H420–EO

ID15H425–EO

ID15H430–EO

ID15H430V–EO

ID15H440–EO

ID15H450–EO

ID15H460–EO

ID15H460V–EO

ID15H475–EO

ID15H4100–EO

ID15H4150V–EO

ID15H4150–EO

ID15H4200–EO

ID15H4250–EO

ID15H4300–EO

ID15H4350–EO

ID15H4400–EO

ID15H4450–EO

ID15H501–E

ID15H502–E

ID15H503–E

ID15H505–E

ID15H507–E

ID15H510–E

ID15H515–EO

ID15H520–EO

ID15H525–EO

ID15H530–EO

ID15H540–EO

ID15H550–EO

ID15H560–EO

ID15H575–EO

ID15H5100–EO

ID15H5150V–EO

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

460

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

230

575

575

575

575

575

575

575

575

575

575

460

460

460

575

575

460

460

460

460

460

575

575

575

575

D

D

D

E

E

C

C

C

C

D

B

B

B

B

C

A

A

A

A

A

C

C

D

D

D

B

B

C

C

C

A

B

B

B

B

A

A

A

C

C

C

D

D

A

A

A

B

B

D

E

E

E

G

G

G

A

A

E

F

F

F

G

Valores Nominais

Produtos em Estoque – Serie 15H

STANDAR 2.5 kHz PWM

TORQUE CONSTANTE

50

60

60

75

100

20

25

30

30

40

7.5

10

15

15

15

3

5

1

2

7.5

30

30

40

50

50

15

15

15

20

25

HP

1

2

3

5

5

7.5

10

10

20

25

30

40

50

3

5

7.5

10

15

350

400

450

1

2

150

150

200

250

300

60

75

100

150

14.9

18.6

22.3

22.3

29.8

37.2

44.7

44.7

56

75

0.75

1.5

2.2

3.7

5.5

5.5

7.4

11.1

11.1

11.1

11.1

11.1

11.1

14.9

18.6

22.3

22.3

29.8

37.2

37.2

KW

0.75

1.5

2.2

3.7

3.7

5.5

7.4

7.4

2.2

3.7

5.5

7.4

11.1

14.9

18.6

22.3

29.8

37.2

112

112

149

187

224

261

298

336

0.75

1.5

44.7

56

75

112

65

80

80

100

125

27

34

40

40

55

11

14

21

21

21

2.0

4.0

5.0

8.0

11

80

80

105

130

130

42

42

42

55

68

16

16

22

28

28

IC

4.0

7.0

10

22

27

32

41

52

4.0

7.0

9.0

11

17

420

480

540

1.5

3.0

180

190

250

310

370

62

77

100

145

115

140

200

200

220

54

58

70

100

100

22

28

42

42

36

4.0

8.0

10

16

22

140

200

200

225

260

84

84

72

100

116

32

32

44

56

56

IP

8.0

14

20

44

46

56

75

92

8.0

14

18

22

34

720

820

920

3.0

6.0

300

380

500

620

630

109

155

200

260

TORQUE VARIAVEL

60

75

75

100

125

25

30

40

40

50

10

15

20

20

20

2

3

5

7.5

10

40

40

50

50

50

15

15

20

25

30

HP

2

3

5

7.5

7.5

10

15

15

25

30

40

50

60

5

7.5

10

15

20

400

450

500

2.0

3

150

200

112

149

250 186.5

300 224

350 261

298

336

373

1.5

2.2

60

100

125

150

44.7

75

93

112

3.7

5.5

7.4

11.1

14.9

18.6

22.3

29.8

37.2

44.7

18.6

22.3

29.8

29.8

37.2

44.8

56

56

75

93

7.4

11.1

14.9

14.9

14.9

1.5

2.2

3.7

5.5

7.4

11.1

11.1

14.9

18.6

22.3

29.8

29.8

37.2

37.2

37.2

KW

1.5

2.2

3.7

5.5

5.5

7.4

11.1

11.1

80

100

100

125

160

34

40

52

52

65

14

21

27

27

27

4.0

5.0

8.0

11

14

104

104

130

130

130

42

42

54

68

80

22

22

28

42

42

IC

6.8

9.6

16

27

32

41

52

62

7.0

9.0

11

17

22

480

540

590

3.0

4.0

180

240

310

370

420

62

100

125

145

92

115

115

144

184

39

46

60

60

75

17

25

31

31

31

5.0

6.0

10

13

17

120

120

150

150

150

48

48

62

78

92

25

25

32

48

48

IP

7.8

11

19

31

37

47

60

71

8.0

11

13

20

26

560

620

680

4.0

5.0

207

276

360

430

490

71

115

145

166

15

20

25

30

40

50

0.75

0.56

1 0.75

2

3

5

7.5

10

1.5

2.2

3.7

5.5

7.4

11.1

14.9

18.6

22.3

29.8

37.2

Note: –E, –EO= NEMA 1 Gabinete

–W= NEMA 4X Gabinete Fechado

–MO= Protegido Chassis (não NEMA1)

OPERAÇÃO SILENCIOSA 8.0 kHz PWM

TORQUE CONSTANTE

40

50

60

60

75

15

20

25

30

30

5

7.5

10

10

10

0.75

0.56

1 0.75

2

3

5

1.5

2.2

3.7

3.7

5.5

7.4

7.4

7.4

100

125

150

200

75

93

112

149

11.1

14.9

18.6

22.3

22.3

29.8

37.2

44.7

44.7

56

25

30

30

40

50

10

10

10

15

20

HP KW

0.75

0.56

1 0.75

2 1.5

3

3

5

7.5

7.5

2.2

2.2

3.7

5.5

5.5

7.4

7.4

7.4

11.1

14.9

18.6

22.3

22.3

29.8

37.2

55

65

80

80

100

21

27

35

40

40

8.0

11

15

15

15

1.5

2.0

4.0

5.0

8.0

125

150

190

250

70

80

80

105

130

28

28

30

42

54

10

10

16

22

22

IC

3.0

4.0

7.0

92

122

183

160

183

46

46

61

92

80

16

22

30

30

30

3.0

4.0

8.0

10

16

240

260

380

500

122

183

160

183

244

56

56

61

92

92

20

20

32

44

44

IP

6.0

8.0

14

50

60

60

75

100

20

25

30

30

40

7.5

10

15

15

15

3

5

1

2

7.5

125

150

175

250

30

40

40

50

50

15

15

15

20

25

HP

1

2

3

5

5

7.5

10

10

TORQUE VARIAVEL

14.9

18.6

22.3

22.3

29.8

37.2

44.7

44.7

56

75

0.75

1.5

2.2

3.7

5.5

5.5

7.4

11.1

11.1

11.1

93

112

131

187

11.1

11.1

11.1

14.9

18.6

22.3

29.8

29.8

37.2

37.2

KW

0.75

1.5

2.2

3.7

3.7

5.5

7.4

7.4

65

80

80

100

125

27

34

40

40

52

11

14

21

21

21

2.0

4.0

5.0

8.0

11

160

170

210

310

80

104

104

130

130

42

42

42

54

68

16

16

22

28

28

IC

3.6

6.8

9.6

75

92

92

115

144

31

39

46

46

60

13

17

25

25

24

3.0

5.0

6.0

10

13

184

200

240

360

92

120

120

150

150

48

48

48

62

78

19

19

25

32

32

IP

4.2

7.8

11

17

22

27

32

41

52

1.1

1.5

3.0

4.0

7.0

9

11

34

38

47

58

73

91

2.2

3.0

6.0

8.0

14

18

22

20

25

30

40

50

60

1

2

3

5

7.5

10

15

14.9

18.6

22.3

29.8

37.2

44.7

0.75

1.5

2.2

3.7

5.5

7.4

11.1

22

27

32

41

52

62

1.5

3.0

4.0

7.0

9

11

17

25

31

37

47

60

71

1.7

4.0

5.0

8.0

11

13

20

6-4 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Valores Nominais – Controle Especial (Não em Estoque) Serie 15H, Alta Corrente de Pico, com Transistor DB Interno ifi ti

NO.

IN0001A00

IN0004A00

IN0009A00

IN0014A00

IN0019A00

IN0024A00

IN0036A00

IN0042A00

IN0049A00

IN0054A00

IN0061A00

IN0066A00

IN0069A00

IN0072A00

IN0076A00

VOLT

ENTR TAM

460

460

460

460

460

460

460

460

230

230

230

230

230

230

460

C

C

C

C

C

D

D

E

C

C

C

C

C

D

C

STANDAR 2.5 kHz PWM

TORQUE

CONSTANTE

TORQUE

VARIAVEL

OPERAÇÃO SILENCIOSA 8.0 kHz PWM

TORQUE

CONSTANTE

TORQUE

VARIAVEL

HP KW IC

10 7.4

32

IP

72

HP KW

15 11.1

15 11.1

46 108 20

20 14.9

60 140 20

14.9

14.9

IC

42

54

54

25 18.6

75 180 25

30 22.3

90 210 40

40 29.8

115 270 40

10 7.4

16 36 15

18.6

29.8

68

104

IP

48

62

62

78

120

HP

7.5

10

KW

5.5

7.4

IC

24

32

IP

61

92

HP KW IC

15 11.1

42

20 14.9

54

15 11.1

48 122 20 14.9

54

20 14.9

60 170 20 14.9

54

25 18.6

75 190 30 22.3

80

62

92

29.8

115 133 30 22.3

90 240 40 29.8

104 120

11.1

21 24 7.5

5.5

12 30 15 11.1

21 24

IP

48

62

62

15 11.1

24

20 14.9

30

54

70

20

20

25 18.6

38 90 25

30 22.3

45 108 40

40 29.8

60 140 40

50 37.2

75 190 60

14.9

14.9

18.6

29.8

29.8

44.7

27

27

34

52

60

80

31

31

39

60

69

92

10 7.4

16

15 11.1

24

20 14.9

30

25 18.6

37

46

61

90

95

20

20

20

30

14.9

14.9

14.9

22.3

27

27

27

40

30 22.3

45 122 30 22.3

40

40 29.8

60 170 50 37.2

65

60 44.7

90 215 75

75 56 110 270 100

56

74.6

100

125

115

144

50

60

37.2

44.7

75

90

190

240

60

75

44.7

56

80

100

92

115

31

31

31

46

46

75

Nota: IN0076A00 utiliza um módulo de frenagem dinâmica externo –RBA, ou RTA e RGA.

Nota: Ver na Seção 6 os desenhos dimensionais dos controles listados nestas tabelas de valores nominais.

Valores Nominais – Controle Especial (Não em Estoque) Serie 15H, com Transistor DB Interno

NO.

IN0006A00

IN0003A00

IN0008A00

IN0013A00

IN0018A00

IN0021A00

IN0026A00

IN0030A00

IN0034A00

IN0044A00

IN0041A00

IN0048A00

IN0053A00

IN0060A00

IN0063A00

IN0065A00

IN0068A00

IN0071A00

IN0074A00

IN0100A00

IN0102A00

IN0104A00

IN0106A00

IN0108A00

IN0110A00

IN0367A00

VOLT

ENTR

C

C

D

D

D

D

D

D

C

C

C

C

C

C

C

C

C

C

D

C

C

C

C

D

D

D

460

460

460

460

460

460

230

230

460

460

460

460

230

230

230

230

230

230

230

575

575

575

575

575

575

575

STANDAR 2.5 kHz PWM

TORQUE

CONSTANTE

TORQUE

VARIAVEL

HP

10

KW

7.4

IC

30

IP

52

HP

15

15 11.1

42 72 20

20 14.9

55 100 25

25 18.6

68 116 30

30 22.3

80 140 40

30 22.3

80 200 40

40 29.8

105 200 50

50 37.2

130 225 50

50 37.2

130 260 50

10 7.4

15

15 11.1

21

20 14.9

27

25 18.6

34

30

36

54

58

15

20

25

30

30 22.3

40 70 40

30 22.3

40 100 40

40 29.8

55 100 50

50 37.2

65 115 60

60 44.7

80 140 75

60 44.7

80 200 75

15 11.1

17

20 14.9

22

25 18.6

27

30 22.3

32

29

44

46

56

40 29.8

41

50 37.2

52

75

92

50

60

60 44.7

62 109 60

20

25

30

40

OPERAÇÃO SILENCIOSA 8.0 kHz PWM

TORQUE

CONSTANTE

TORQUE

VARIAVEL

KW

11.1

IC

42

14.9

54

18.6

68

IP

48

62

78

HP KW

7.5

5.5

IC

22

10 7.4

30

15 11.1

42

IP

44

61

92

HP

10

KW IC

7.4

28

15 11.1

42

20 14.9

54

22.3

80 92 20 14.9

54 92 25 18.6

68

29.8

104 120 25 18.6

70 122 30 22.3

80

78

92

29.8

104 120 30 22.3

80 183 40 29.8

104 120

37.2

130 150 30 22.3

80 160 40 29.8

104 120

IP

32

48

62

37.2

130 150 40 29.8

105 183 50 37.2

130 150

37.2

130 150 50 37.2

130 244 50 37.2

130 150

11.1

21

14.9

27

18.7

34

22.3

40

24

31

39

46

7.5

10

15

20

5.5

7.4

11.1

14.9

11

15

21

27

22

30

46

46

10

15

20

25

7.4

11.1

14.9

18.6

14

21

27

34

16

24

31

39

29.8

52

29.8

52

37.2

65

44.8

80

56

56

60

60

75

92

25

30

30

40

18.6

22.3

22.3

29.8

35

40

40

55

61

92

80

92

30

30

40

50

22.3

22.3

29.8

37.2

40

40

52

65

100 115 50 37.2

65 122 60 44.7

80

100 115 60 44.7

80 183 60 44.7

80

46

46

60

75

92

92

14.9

22

18.6

27

22.3

32

29.8

41

37.2

52

44.7

62

44.7

62

26

31

37

47

60

71

71

10 7.4

11

15 11.1

17

20 14.9

22

25 18.6

27

30 22.3

32

40 29.8

41

50 37.2

52

19

34

38

47

58

73

91

15 11.1

17

20 14.9

22

25 18.6

27

30 22.3

32

40 29.8

41

50 37.2

52

60 44.7

62

20

25

31

37

47

60

71

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-5

Section 1

General Information

ID15H401-E ou W

ID15H402-E ou W

ID15H403-E ou W

ID15H405-E

ID15H405-W

ID15H407-E ou W

ID15H410-E

ID15H415V-EO

ID15H415-EO

ID15H420-EO

ID15H425-EO

ID15H430-EO

ID15H430V-EO

ID15H440-EO

ID15H450-EO

ID15H460-EO

ID15H460V-EO

ID15H475-EO

ID15H4100-EO

ID15H4150V-EO

ID15H4150-EO

ID15H4200-EO

ID15H4250-EO

ID15H4300-EO

ID15H4350-EO

ID15H4400-EO

ID15H4450-EO

Especificações de Torque para Apertar Terminais

Tabela 6-5 Produtos em Estoque, Serie 15H

230 VCA

No. de Catálogo

ID15H201-E ou W

ID15H202-E ou W

ID15H203-E ou W

ID15H205-E

ID15H205-W

ID15H207-E ou W

ID15H210-E

ID15H215V-EO

ID15H215-EO

ID15H220-EO

ID15H225-EO

ID15H230-EO

ID15H230V-EO

ID15H240-MO

ID15H250V-MO

ID15H250-MO

460 VCA

Potencia/TB1

35

22

22

22

22

140

20

35

35

35

35

35

Lb-in

8

8

8

8

20

20

75

75

275

275

375

375

375

375

375

4

2.5

2.5

2.5

2.5

15.8

2.5

4

4

4

4

4

Nm

0.9

0.9

0.9

0.9

2.5

2.5

42

42

42

42

42

8.5

8.5

31

31

Potencia/TB1

20

5

35

35

35

22

Lb-in

8

8

8

8

20

22

22

140

140

140

2.5

0.56

4

4

4

2.5

Nm

0.9

0.9

0.9

0.9

2.5

2.5

2.5

15.8

15.8

15.8

20

20

50

50

22

22

Lb-in

15

15

15

15

20

22

22

50

50

22

Terra

2.3

2.3

5.6

5.6

2.5

2.5

Nm

1.7

1.7

1.7

1.7

2.3

2.5

2.5

5.6

5.6

2.5

Torque para Apertar Terminais

Controle/J4

7

7

7

7

7

7

Lb-in

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

Nm

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

B+/R1; B+; B–; ou R2

3.5

3.5

3.5

3.5

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

0.4

0.4

0.4

0.4

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

Tabela 6-5 Produtos em Estoque, Serie 15H

Continuação

50

22

22

22

22

50

20

20

20

50

50

50

Lb-in

15

15

15

15

20

20

375

375

375

375

375

50

50

50

50

Terra

5.6

2.5

2.5

2.5

2.5

5.6

2.3

2.3

2.3

5.6

5.6

5.6

Nm

1.7

1.7

1.7

1.7

2.3

2.3

42

42

42

42

42

5.6

5.6

5.6

5.6

Torque para Apertar Terminais

Controle/J4

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

Lb-in

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

Nm

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

B+/R1; B+; B–; ou R2

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

3.5

3.5

3.5

3.5

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

D1/D2

0.4

0.4

0.4

0.4

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

D1/D2

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

6-6 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Especificações de Torque para Apertar Terminais Continuação

Tabela 6-5 Produtos em Estoque, Serie 15H

Continuação

No. de Catálogo

ID15H501-E

ID15H502-E

ID15H503-E

ID15H505-E

ID15H507-E

ID15H510-E

ID15H515-EO

ID15H520-EO

ID15H525-EO

ID15H530-EO

ID15H540-EO

ID15H550-EO

ID15H560-EO

ID15H575-EO

ID15H5100-EO

ID15H5150V-EO

Potencia/TB1

Lb-in Nm

35

35

35

35

35

22

22

22

20

20

20

35

8

8

8

8

4

4

4

4

4

2.5

2.5

2.5

2.5

2.5

2.5

4

0.9

0.9

0.9

0.9

Lb-in

50

50

50

50

50

22

22

22

20

20

20

20

15

15

15

15

Terra

Nm

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

2.5

2.5

2.5

2.3

2.3

2.3

2.3

1.7

1.7

1.7

1.7

Torque para Apertar Terminais

Controle/J4 B+/R1; B+; B–; ou R2

Lb-in

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

Nm

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

Lb-in

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

3.5

D1/D2

Nm

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

0.4

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-7

Section 1

General Information

IN0036A00

IN0041A00

IN0042A00

IN0048A00

IN0049A00

IN0053A00

IN0054A00

IN0060A00

IN0063A00

IN0061A00

IN0065A00

IN0066A00

IN0068A00

IN0069A00

IN0071A00

IN0074A00

IN0072A00

IN0075A00

Especificações de Torque para Apertar Terminais Continuação

Tabela 6-6 Produtos Especiais (Não em Estoque), Serie 15H

Specification No.

IN0001A00

IN0003A00

IN0004A00

IN0008A00

IN0009A00

IN0013A00

IN0014A00

IN0018A00

IN0021A00

IN0019A00

IN0026A00

IN0024A00

IN0034A00

IN0030A00

Potencia/TB1

Lb-in Nm

35

22

35

22

35

35

35

22

22

22

140

140

140

140

4

2.5

4

2.5

4

4

4

2.5

2.5

2.5

15.8

15.8

15.8

15.8

Torque para Apertar Terminais

Terra

Lb-in Nm

Controle/J4

Lb-in Nm

50

50

50

22

50

22

50

22

22

22

50

50

50

22

5.6

5.6

5.6

2.5

5.6

2.5

5.6

2.5

2.5

2.5

5.6

5.6

5.6

2.5

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

Tabela 6-6 Produtos Especiais (Não em Estoque), Serie 15H

Continuação

460 VCA

Potencia/TB1

Lb-in

35

22

22

22

35

35

35

35

35

22

22

22

75

35

35

35

35

35

Nm

4

2.5

2.5

2.5

4

4

4

4

4

2.5

2.5

2.5

8.5

4

4

4

4

4

Torque para Apertar Terminais

Terra

Lb-in

50

22

22

22

50

50

50

50

50

22

22

22

50

50

50

50

50

50

Nm

5.6

2.5

2.5

2.5

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

2.5

2.5

2.5

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

Controle/J4

Lb-in

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

7

Nm

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

6-8 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Especificações de Torque para Apertar Terminais Continuação

Tabela 6-6 Produtos Especiais (Não em Estoque), Serie 15H

Continuação

575 VCA

Specification No.

IN0100A00

IN0102A00

IN0104A00

IN0106A00

IN0108A00

IN0110A00

IN0367A00

Potencia/TB1

Lb-in

35

35

35

35

35

35

35

Nm

4

4

4

4

4

4

4

Torque para Apertar Terminais

Terra

Lb-in

50

50

50

50

50

50

50

Nm

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

5.6

Controle/J4

Lb-in

7

7

7

7

7

7

7

Nm

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

0.8

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-9

Section 1

General Information

Dimensões para Montagem

Controle de Tamanho A

7.20

(182.9mm)

0.25

(6.4mm)

JOG

FWD

REV

LOCAL

DISP

PROG

SHIFT ENTER

STOP RESET

11.50

(292.1mm)

.25

(6.4mm)

7.20

(182.9mm)

7.120

(180.8mm)

SAIDA DE AR

LB1204

LB1203

12.00

(304.8mm)

ENTRADA DE AR

7.70

(195.6mm)

6-10 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Controle de Tamanho B

9.25

(225.0mm)

0.28 TYP

(7.1mm)

JOG LOCAL PROG

FWD DISP

REV SHIFT ENTER

STOP RESET

14.65

(372.1mm)

.28 TYP

(7.1mm)

9.25

(235.0mm)

SAIDA DE AR

7.120

(180.9mm)

LB1204

VAC AMPS coupage de courant avant de I’inspection. Le courant r

LB1203

15.40

(391.2mm)

ENTRADA DE AR

10.00

(254.0mm)

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-11

Section 1

General Information

Controle de Tamanho C

.38

(9.5 mm)

.38

(9.5 mm)

11.50

(292.0 mm)

10.75

(273.0 mm)

.28 (7.0mm)

2 Lugares

9.50

(241.5 mm)

9.50

(241.5 mm)

SAIDA

DE AR

18.50

(470.0 mm)

17.75

(451 mm)

17.00

(433.0 mm)

JOG LOCAL PROG

FWD DISP

REV SHIFT ENTER

STOP RESET

.28 (7.0mm)

2 Lugares

Conexões de Potencia do Usuário

ENTRADA DE AR

6-12 Especificações e Dados do Equipamento

Um ou Dois Ventiladores

(119mm)

IMN715BR

Section 1

General Information

Controle de Tamanho D

14.50

(368.5mm)

13.50

(343.0mm)

25.00

(635.0mm)

24.25

(616.0mm)

23.12

(587.0mm)

JOG

FWD

LOCAL PROG

DISP

REV SHIFT ENTER

STOP RESET

.31

(8.0mm)

SAIDA DE AR

Conexões de

Potencia do

Usuário

10.00

(254.0mm)

10.20

(259.0mm)

ENTRADA

DE AR

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-13

Section 1

General Information

Controle de Tamanho E

(716mm)

(711mm)

(686mm)

(672mm)

28.19

28.00

27.00

26.44

(552mm)

21.75

(343mm)

13.50

LOCALIZAÇÃO DOS FUROS DE MONTAGEM

PARA A MONTAGEM A TRAVES DA PAREDE OU

SOBRE A SUPERFICIE. PARAFUSOS RECOMEN-

DADOS: 5/16” OU M8.FUROS PASSANTE .38 (9,5 mm) DE DIAM. (4 LUGARES) R

LOCALIZAÇÃO DOS FUROS DE MONTAGEM PARA

A MONTAGEM A TRAVES DA PAREDE USANDO O

JOGO DE MONTAGEM A TRAVES DA PAREDE

SAIDA DE AR

#0083991. FUROS PAS SANTE .218 (5,5 mm) DE

DIAM. (14 LUGARES)

BORDA PARA MONTAGEM A

TRAVES DA PAREDE

ORDA PARA MON-

TAGEM SOBRE A

SUPERFICIE

.38

(9.5mm)

2 Lugares

RPM

AMPS

VOL.

Hz

JOG LOCAL PROG

FWD DISP

REV SHIFT ENTER

STOP RESET

PRANCHA DE RECORTE PARA

MONTAGEM A TRAVES DA PAREDE

30.00

(762mm)

(133mm) 5.25

(14mm)

(25mm)

(30mm)

.56

.00

1.00

1.19

.38

(9.5mm)

2 Lugares

17.70

(450mm)

5.75

(146mm)

6.25

(159mm)

ENTRADA DE AR

6-14 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Section 1

General Information

Controle de Tamanho E – Montagem através da Parede

MÓDULO DE CONTROLE

PAINEL DO USUÁRIO

CORTAR FITA DE BORRACHA

APLICAR NO PERIMETRO DA

PRANCHA DE RECORTE PARA

SELAR A INSTALAÇÃO DO

CONTROLE

JOGO PARA MONTAGEM ATRAVÉS DA PAREDE

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-15

Section 1

General Information

Controle de Tamanho F

45.00 (1143mm)

.38 (9.5mm)

3 Lugares

.38 (9.5mm)

3 Lugares

27.00 (686mm)

6-16 Especificações e Dados do Equipamento

SAIDA DE AR

BORDA PARA

MONTAGEM A

TRAVES DA

PAREDE

BORDA PARA

MONTAGEM

SOBRE A

SUPERFICIE

6.76

(172mm)

6.24

(158mm)

ENTRADA DE AR

IMN715BR

Section 1

General Information

Controle de Tamanho F – Montagem através da Parede

MÓDULO DE CONTROLE

PAINEL DO USUÁRIO

CORTAR FITA DE BORRACHA

APLICAR NO PERIMETRO DA

PRANCHA DE RECORTE PARA

SELAR A INSTALAÇÃO DO

CONTROLE

JOGO PARA MONTAGEM ATRAVÉS DA PAREDE

IMN715BR Especificações e Dados do Equipamento 6-17

Section 1

General Information

Controle de Tamanho G

3.72

(94,6)

24.00

(609,6)

8.63 (219)

12.41 (315)

8.63 (219)

2.66

(67,6)

31.50

(800)

Air

Outlet

ADJUSTABLE SPEED DRIVE

Planchas Removibles para Montaje de Conducto (Conexiones de

Potencia del Usuario)

Air

Inlet

Grills (4)

90.55

(2300)

93.00

(2362)

47.25

(1200)

23.63

(600)

4.00

(101,6)

6-18 Especificações e Dados do Equipamento IMN715BR

Apendice A

Módulo de Frenagem Dinâmica (DB)

Toda vez que um motor é parado abruptamente ou é forçado a diminuir a sua velocidade mais rápidamente do que se deseja parar por inércia (coast), o motor atua como um gerador. Esta energia aparece no Bus CC do controle, e deve ser dissipada usando um módulo de frenagem dinâmica. O módulo de frenagem dinâmica (DB) pode se consistir em uma carga de transistor e resistor. A Tabela A-1 mostra uma matriz das voltagens de ON (conexão) e OFF (desconexão) do DB.

Tabela A-1

Descrição dos Parâmetros

Voltagem Nominal

Voltagem de Entrada do Controle

230VCA 460VCA 575VCA

Variação de Voltagem CA de Entrada 180-264VCA 340-528VCA 495-660VCA

Falha por Sobrevoltagem (se excedeu a voltagem)

400VCC 800VCC 992VCC

Voltagem de ON do DB

DB UTP *

381VCC

388VCC

762VCC

776VCC

952VCC

970VCC

Voltagem de OFF do DB 375VCC 750VCC 940VCC

* DBUTP (Pico de Tolerância Superior do DB)

+

1.02 x

Ǹ

2 x V

L

*

L

O tempo e o torque de frenagem não devem exceder o tempo e o torque de frenagem nominal disponivel na unidade. O torque de frenagem da unidade está limitado à corrente de pico disponivel e ao valor nominal de corrente de pico do controle. Se exceder a corrente de pico ou o limite de tempo da corrente de pico durante a frenagem, o controle pode desligar por sobrevoltagem ou por uma falha de energia regenerativa.

Nestes casos deve–se considerar a seleção de um controle sobredimensionado ou um controle regenerativo de linha.

Procedimento de Seleção

1.

Calcule os watts a ser dissipado usando as seguintes fórmulas para o tipo apropriado de carga.

2.

Identifique o No. de modelo do controle e determine o módulo de frenagem que se requer com base no sufixo do No. de modelo: E, EO, ER, MO ou MR.

3.

Selecione o módulo correto de frenagem no Catálogo 501 da Baldor ou nas

Tabelas A-2, A-3 e A-4.

Cálculo da Carga em Aplicações de Levantamento

1.

Calcule o ciclo de trabalho da frenagem:

Tempo de Descanso

Ciclo de Trabalho

+

Tempo Total do Ciclo

2.

Calcule os watts de frenagem a ser dissipado nos resistores de frenagem: dinâmica : Watts

+ duty cycle lbs FPM efficiency

44 onde: lbs = peso da carga (libras)

FPM = Pés por Minuto efficiency = eficiência mecânica por exemplo, 95% = 0.95

IMN715BR Apendice A-1

Section 1

General Information

Cálculos da Carga para Máquinas em Geral

1.

Calcule o ciclo de trabalho da frenagem:

Braking Time

Duty Cycle

Total Cycle Time onde: Duty Cycle = Ciclo de Trabalho

Braking Time = Tempo de Frenagem

Total Cycle Time = Tempo Total do Ciclo

2.

Calcule o torque de desaceleração:

RPM change Wk 2

T

Decel

308 time

Friction

(Lb.Ft.)

onde: T

Decel

= Torque de desaceleração em Lb.–ft. (librapé)

Wk 2 = Inercia em Lb.ft.

2 time = tempo (em segundos) friction = fricção

3.

Calcule os watts a ser dissipados no resistor de frenagem dinâmica:

Watts

T

Decel

(S max

S min

) Duty Cycle (0.0712)

onde: S max

= Velocidade para iniciar a frenagem

S min

= Velocidade depois da frenagem

4.

Multiplique os watts calculados no passo 3 por 1.25 para ter em conta as cargas não antecipadas (fator de segurança).

A-2 Apendice IMN715BR

Section 1

General Information

Números de Catálogo do Controle 15H com Sufixo “E”

Estes controles estão equipados com resistor(es) de frenagem e transistor de frenagem dinâmica instalados na fábrica ( já se encontram montados nos controles ). Os controles de tamanho A oferecem 400 watts de dissipação e os de tamanho B oferecem 800 watts de dissipação. Podem proporcionar um torque de frenagem de 100% durante 6 segundos de um ciclo de trabalho de frenagem de 20%. Se for requerido capacidade adicional de frenagem, pode–se usar um resistor opcional de frenagem RGA para montagem externa no lugar dos resistores internos. Ver “Módulos RGA”.

Números de Catálogo do Controle 15H com Sufixo “ER” ou “MR”

Estes controles contam com um transistor de frenagem dinâmica instalado na fábrica. Se for requerida frenagem dinâmica, use um resistor opcional externo de frenagem RGA.Ver

“Módulos RGA”.

Números de Catálogo do Controle 15H com Sufixo “EO” ou “MO”

Não há módulo de frenagem dinâmica instalado nestes controles. Se for requerida frenagem dinâmica, deverá ser instalado um módulo opcional RBA ou uma combinação dos módulos RTA e RGA. O módulo RBA oferece até 4.000 watts de capacidade de frenagem dinâmica. Se for requerido maior capacidade, deverá ser usada uma combinação de RTA (transistor de DB) e RGA (resistor de DB). Veja a descrição dos

Módulos RBA, RTA e RGA.

Módulos RGA

Os Módulos RGA incluem resistores de frenagem completamente montados em uma caixa NEMA 1. Na Tabela A-2. é mostrada uma lista dos módulos RGA disponiveis. A resistência mínima “Ohms Mínimos” que é mostrada na tabela é o valor mínimo do resistor que pode ser conectado ao controle sem causar danos ao transistor interno de frenagem dinâmica nos controles E, ER e MR.

Os módulos RGA podem também serem usados nos controles EO e MO em combinação com um módulo RTA quando se necessita uma capacidade de frenagem maior que

4.000 watts. Neste caso, a resistência mínima do módulo RGA deverá ser igual ou maior que a resistência mínima especificada para o módulo RTA. Veja o diagrama de conexões em “Módulo Opcional de Frenagem Dinâmica”, Seção 3.

IMN715BR Apendice A-3

Section 1

General Information

Volt. de

230

460

575

HP

1 - 2

3 - 5

7.5 - 10

15 - 20

25 - 40

50

1 - 3

5 - 7.5

10

15 - 25

30 - 60

75 - 250

300 - 450

1 - 2

3 - 5

7.5 - 10

15

20 - 30

40 - 150

Tabela A-2 Módulo de Resistores de Frenagem Dinâmica (RGA)

Watts Continuos Nominais Ohms

Mínimos

600 1200 2400 4800 6400 9600

2

200

120

60

30

20

10

4

4

2

120

60

30

20

10

6

30

24

14

RGA630

RGA620

RGA1230 RGA2430

RGA1220 RGA2420 RGA4820

RGA1210 RGA2410 RGA4810

RGA1206 RGA2406 RGA4806

RGA1204 RGA2404 RGA4804

RGA2402 RGA4802

RGA6120 RGA12120 RGA24120

RGA660 RGA1260 RGA2460 RGA4860

RGA630

RGA620

RGA1230

RGA1220

RGA2430

RGA2420

RGA4830

RGA4820

RGA1210 RGA2410 RGA4810

RGA1204 RGA2404 RGA4804

RGA2402 RGA4802

RGA6200 RGA12200 RGA24200

RGA6120 RGA12120 RGA24120

RGA660 RGA1260 RGA2460 RGA4860

RGA630 RGA1230 RGA2430 RGA4830

RGA1224 RGA2424 RGA4824

RGA2414 RGA4814

14200

RGA6402 RGA9602 RGA14202

RGA6404 RGA9604 RGA14204

RGA6402 RGA9602 RGA14202

RGA6414 RGA9614 RGA14214

A-4 Apendice IMN715BR

Section 1

General Information

Módulos RBA

Um Módulo RBA inclui resistores e um transistor de frenagem dinâmica completamente montados em uma caixa NEMA 1. Estão projetados para os controles EO e MO.

Selecione o RBA com base na voltagem nominal do controle e a capacidade em watts de frenagem dinâmica que se necessita. Consulte a Tabela A-3 para selecionar o módulo

RBA.

Tabela A-3 Módulos de Frenagem Dinâmica (RBA)

HP

200

380

550

TORQUE DE FRENAGEM MÁXIMO COMO % DA CAPACIDADE DO MOTOR

20 25 30 40 50 60 75 100 150V 150 200 250

Watts No. de

90% 75% 60% 45% 36%

150% 125% 100% 75% 62% -

-

-

-

-

-

-

-

150% 150% 150% 115% 92% -

150% 150% 120% 90% 72% 60% 48% 36% 28%

150% 150% 120% 90% 72% 60% 48% 36% 28%

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

600

1800

1800

RBA2-610

RBA2-1806

4000 RBA2-4004

600 RBA4-620

RBA4-1820

150% 150% 150% 150% 150% 120% 96% 72% 56% 48% 36% 29% 4000 RBA4-4010

150% 150% 120% 90% 72% 60% 48% 36% 28% 600 RBA5-624

150% 150% 120% 90% 72% 60% 48% 36% 28%

150% 150% 150% 150% 150% 120% 96% 72% 56%

-

-

-

-

-

-

1800

4000

RBA5-1824

RBA5-4014

IMN715BR Apendice A-5

Section 1

General Information

20

25

200

250

300

350

400

450

Cat. NO.

Minimo

Ohms

75

100

150V

150

30

40

50

60

Módulos RTA

Os módulos RTA incluem um transistor de frenagem dinâmica e uma placa de circuito excitador de porta , completamente montados em uma caixa NEMA 1. O módulo RTA não inclui resistores de frenagem. Cada módulo RTA está desenhado para ser usado com um módulo de resistor de frenagem dinâmica RGA. Seleccione o RTA com base na voltagem nominal do controle e o HP que proporcione a capacidade de watts de frenagem dinâmica requerida. Use a Tabela A-4 para selecionar o módulo RTA. Veja o diagrama de conexões em “Módulo Opcional de Frenagem Dinâmica”, Seção 3.

Tabela A-4 Módulos de Transistores de Frenagem Dinâmica (RTA)

HP

150%

125%

TORQUE DE FRENAGEM MÁXIMO COMO % DA CAPACIDADE DO MOTOR

208 - 230 VCA 380 - 480 VCA 550 - 600 VCA

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

-

-

-

-

-

-

RTA2-6

6

-

-

-

-

100%

75%

62%

-

-

-

-

-

-

-

RTA2-4

4

-

-

-

-

150%

115%

92%

-

-

-

-

-

-

-

RTA2-2

2

-

-

-

-

150%

150%

150%

-

120%

90%

72%

60%

48%

36%

28%

-

150%

150%

150%

150%

96%

72%

56%

48%

-

-

-

36%

29%

-

-

95%

76%

62%

54%

-

-

-

47%

41%

RTA4-20 RTA4-10 RTA4-4

20 10 4

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

126%

150%

150%

125%

108%

94%

84%

RTA4-2

2

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

127%

100%

85%

68%

50%

40%

34%

150%

150%

150%

145%

116%

87%

70%

58%

25%

-

-

-

44%

35%

29%

-

150%

122%

100%

87%

-

-

-

76%

68%

RTA5-24 RTA5-14 RTA5-4

24 14 4

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

150%

A-6 Apendice IMN715BR

Apendice B

Valores de Parâmetros*

Título do Bloco

Tabela B-1 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 1

Parâmetro

P#

Blocos do Nivel 1

Faixa Ajustável

PRESET

P é j t d

Aceleração/

)

ACCEL/DECEL

JOG SETTINGS

KEYPAD SETUP

PRESET SPEED #1

PRESET SPEED #2

PRESET SPEED #3

PRESET SPEED #4

PRESET SPEED #5

PRESET SPEED #6

PRESET SPEED #7

PRESET SPEED #8

PRESET SPEED #9

PRESET SPEED #10

PRESET SPEED #11

PRESET SPEED #12

PRESET SPEED #13

PRESET SPEED #14

PRESET SPEED #15

ACCEL TIME #1

DECEL TIME #1

S-CURVE #1

ACCEL TIME #2

DECEL TIME #2

S-CURVE #2

JOG SPEED

JOG ACCEL TIME

JOG DECEL TIME

JOG S-CURVE

KEYPAD STOP KEY

KEYPAD STOP MODE

KEYPAD RUN FWD

KEYPAD RUN REV

KEYPAD JOG FWD

KEYPAD JOG REV

1001 0 - Velocidade MAX

1002 0 - Velocidade MAX

1003 0 - Velocidade MAX

1004 0 - Velocidade MAX

1005 0 - Velocidade MAX

1006 0 - Velocidade MAX

1007 0 - Velocidade MAX

1008 0 - Velocidade MAX

1009 0 - Velocidade MAX

1010 0 - Velocidade MAX

1011 0 - Velocidade MAX

1012 0 - Velocidade MAX

1013 0 - Velocidade MAX

1014 0 - Velocidade MAX

1015 0 - Velocidade MAX

1101 0 to 3600 Segundos

1102 0 to 3600 Segundos

1103 OFF, 20, 40, 60, 80, 100%

1104 0 to 3600 Segundos

1105 0 to 3600 Segundos

1106 OFF, 20, 40, 60, 80, 100%

1201 0 - Velocidade MAX

1202 0 to 3600 Segundos

1203 0 to 3600 Segundos

1204 OFF, 20, 40, 60, 80, 100%

1301 REMOTE ON

REMOTE OFF

1302

1303

1304

1305

1306

COAST, REGEN

ON, OFF

ON, OFF

ON, OFF

ON, OFF

* Ver a tradução ao português dos nomes dos parâmetros no Glossário, Apendice D.

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

3.0 S

3.0 S

OFF

3.0 S

3.0 S

OFF

7 Hz

3.0 S

3.0 S

OFF

REMOTE

ON

REGEN

ON

ON

ON

ON

Ajuste de

Fábrica

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

0 Hz

Ajuste do Usuário

IMN715BR Apendice B-1

Section 1

General Information

Título do Bloco

INPUT

(Entrada)

OUTPUT

(Saida)

Tabela B-1 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Parâmetro

Blocos do Nivel 1 - Continuação

P#

Faixa Ajustável

OPERATING MODE

Ajuste de

Fábrica

KEYPAD

(Teclado)

Ajuste do Usuário

COMMAND SELECT

ANA CMD INVERSE

ANA CMD OFFSET

ANA CMD GAIN

CMD SEL FILTER

OPTO OUTPUT #1

OPTO OUTPUT #2

OPTO OUTPUT #3

OPTO OUTPUT #4

ZERO SPD SET PT

AT SPEED BAND

SET SPEED POINT

1401 Keypad

Standard Run

15 Speed

Fan Pump 2 Wire

Fan Pump 3 Wire

Serial

Process Mode

1402 Potentiometer

0-10 VOLTS

0-5 VOLTS

4-20 mA

EXB PULSE FOL

10V EXB

4-20 mA EXB

3-15 PSI EXB

Tachometer EXB

None

1403 ON, OFF

1404 -20.0 to +20.0%

(where

±

0.5V=

±

20%)

1405 80.0% to 120%

1406 0-6

1501 READY

ZERO SPEED

1502

AT SET SPEED

OVERLOAD

1503 FAULT

DRIVE ON

REVERSE

1504

1505 0 - Velocidade MAX

1506 0-1000 Hz

1507 0 - Velocidade MAX

POTENTIO-

METER

OFF

0.0 %

100.0%

3

READY

(pronto)

ZERO

SPEED

(Veloc.zero)

AT SPEED

(Na velocid.)

FAULT

(Falha)

6 Hz

2 Hz

60 Hz

B-2 Apendice IMN715BR

Section 1

General Information

Título do Bloco

OUTPUT

(Saida)

(Continuação)

V/HZ AND BOOST

LEVEL 2 BLOCK

(Bloco do Nivel 2)

Tabela B-1 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 1

– Continuação

Parâmetro

Blocos do Nivel 1 - Continuação

P#

Faixa Ajustável Ajuste de

Fábrica

FREQUEN-

CY

Ajuste do Usuário

ANALOG OUT #1 1508 FREQUENCY

FREQUENCY COMMAND

AC CURRENT

AC VOLTAGE

TORQUE (Load)

ANALOG OUT #2

ANALOG #1 SCALE

ANALOG #2 SCALE

CTRL BASE

FREQUENCY

TORQUE BOOST

DYNAMIC BOOST

SLIP COMP ADJ

V/HZ PROFILE

1509

1510

1511

1601

BUS VOLTAGE

PROCESS FEEDBACK

SETPOINT COMMAND

ZERO CAL

100% CAL

10 - 160%

10 - 160%

50.00 - 400.00 HZ

1602 0.0 - 15.0%

1603 0.0 - 100%

1604 0.00 - 6.00 HZ

1605 LINEAR, 3 POINTS,

33% SQUARE LAW,

67% SQUARE LAW,

100% SQUARE LAW

V/HZ 3 PT VOLTS

V/HZ 3 PT FREQUENCY

1606 0-100%

1607 0-9.99 HZ

MAX OUTPUT VOLTS 1608 0-100

ENTRA AO MENU DO NIVEL 2 – Ver Tabela B-2.

AC

CURRENT

100%

100%

60 HZ

2.5%

0.0%

0.00 HZ

LINEAR

0.0%

0.00 HZ

100%

Sai do modo de programação e retorna ao modo de display.

IMN715BR Apendice B-3

Section 1

General Information

Título do Bloco

OUTPUT LIMITS

(Limites de Saida)

CUSTOM UNITS adaptável pelo

PROTECTION

MISCELLANEOUS

SECURITY

CONTROL

(Controle de

Segurança)

MOTOR DATA

(Dados do Motor)

Tabela B-2 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 2

Parâmetro

OPERATING ZONE

P#

Blocos do Nivel 2

Faixa Ajustável

2001 STD CONST TQ

STD VAR TQ

QUIET CONST TQ

QUIET VAR TQ

2002 0-400

Ajuste de

Fábrica

STD

CONST TQ

MIN OUTPUT

FREQUENCY

MAX OUTPUT

FREQUENCY

PK CURRENT LIMIT

2003 0-400

0 HZ

60 HZ

2004 1A à Corrente de Pico Nominal Valor de pico do controle

PWM FREQUENCY

MAX DECIMAL PLACES

VALUE AT SPEED

VALUE DEC PLACES

VALUE SPEED REF

UNITS OF MEASURE

UNITS OF MEASURE 2

EXTERNAL TRIP

LOCAL ENABLE INPUT

RESTART AUTO/MAN

RESTART FAULT/HR

2005 1.0-5.0 KHZ (Estandar)

1.0-15.0 KHZ (Op. Silenciosa)

2101 0-5

2102

2104

2105 Ver Tabela 4-2.

2106 Ver Tabela 4-2. (Serial unicamente) -

2202

2301

2302

1-65535/1-65535

2103 0-5 (Serial unicamente)

1 to 65535 (Serial unicamente)

ON, OFF

ON, OFF

AUTOMATIC, MANUAL

0-10

RESTART DELAY 2303 0-120 Segundos

Definido na FábricaTINGS 2304 YES, NO

SECURITY STATE

ACCESS TIMEOUT

ACCESS CODE

MOTOR VOLTAGE

2401 OFF

LOCAL SECURITY

SERIAL SECURITY

TOTAL SECURITY

2402 0-600 Segundos

2403 0-9999

2501 0-999 VOLTS

2500 HZ

0

0./

01000

0

-

00000/

01000

OFF

OFF

MANUAL

0

0 S

NO

OFF

MOTOR RATED AMPS

MOTOR RATED SPD

MOTOR RATED FREQ

MOTOR MAG AMPS

2502

2503

2504

2505

0-999.9

0-32767 Hz

50-400 HZ

0-85% Corrente Nominal

0 S

9999

Definido na

Fábrica

Definido na

Fábrica

1750 Hz

60.0 Hz

Definido na

Fábrica

Ajuste do Usuário

B-4 Apendice IMN715BR

Section 1

General Information

Título do Bloco

BRAKE ADJUST

(Ajuste de

PROCESS

CONTROL

(Controle de

Processos)

Tabela B-2 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Parâmetro

Blocos do Nivel 2 - Continuação

P# Faixa Ajustável

RESISTOR OHMS

RESISTOR WATTS

2601 0-255 OHMS

2602 0-32767 WATTS

DC BRAKE VOLTAGE 2603 1.0 to 15%

DC BRAKE FREQUENCY 2604 0.00 to 400.00 Hz

BRAKE ON STOP

BRAKE ON REVERSE

2605

2606

ON, OFF

ON, OFF

STOP BRAKE TIME

BRAKE ON START

START BRAKE TIME

PROCESS FEEDBACK

PROCESS INVERSE

SETPOINT SOURCE

2607

2608

0.0 to 60.0 Segundos

ON, OFF

2609 0.0 to 60.0 Segundos

2701 Potentiometer

0-10VOLTS

0-5 VOLTS

4-20mA

10V EXB

4-20mA EXB

3-15 PSI

TACHOMETER EXB

NONE

2702 ON, OFF

SETPOINT COMMAND

SET PT ADJ LIMIT

PROCESS ERR TOL

PROCESS PROP GAIN

PROCESS INT GAIN

PROCESS DIFF GAIN

FOLLOW I:O RATIO

FOLLOW I:O OUT

2703 Setpoint Command

Potentiometer

0-10VOLTS

0-5 VOLTS

4-20mA

10V EXB

4-20mA EXB

3-15 PSI

Tachometer EXB

None

2704 –100% to +100%

2705 0-100%

2706

2707

2708 0-9.99 HZ

2709 0-1000

2710

2711

0-100%

0-2000

1-65535:1-65535

1-65535 (Serial unicamente)

ENCODER LINES 2712 20-65535

Ajuste de

Fábrica

Definido na

Fábrica

Definido na

Fábrica

5.0%

6.00 Hz

OFF

OFF

3.0 S

OFF

3.0 S

NONE

(Nenhum)

Ajuste do Usuário

OFF

NONE

(Nenhum)

0.0 %

10 %

10 %

0

0.00 HZ

0

1:1

1

1024 PPR

IMN715BR Apendice B-5

Section 1

General Information

Título do Bloco

SKIP FREQUENCY

SYNCHRO-START

Sincronizada)

LEVEL 1 BLOCK

(Bloco do Nivel 1)

Tabela B-2 Valores de Blocos de Parâmetros, Nivel 2

– Continuação

Parâmetro

Blocos do Nivel 2 - Continuação

P# Faixa Ajustável

SKIP FREQ #1

SKIP BAND #1

SKIP FREQ #2

SKIP BAND #2

SKIP FREQ #3

SKIP BAND #3

SYNCHRO-STARTS

SYNC START

FREQUENCY

2801

2802

2803

2804

2805

2806

2901

0–400Hz

0–50Hz

0–400Hz

0–50Hz

0–400Hz

0–50Hz

Restarts Only, All Starts, OFF

2902 Max Frequency,

Set Frequency

SYNC SCAN V/F

SYNC SETUP TIME

SYNC SCAN TIME

SYNC V/F RECOVER

2903

2904

2905

2606

5.0-100.0%

0.2-2.0 Segundos

1.0-10.0 Segundos

0.2-2.0 Segundos

SYNC DIRECTION 2907 Sync Forward, Sync Reverse,

Sync Forward and Reverse

Entra ao Menú do Nivel 1 – Ver Tabela B–1.

Ajuste de

Fábrica

0Hz

0Hz

0Hz

0Hz

0Hz

0Hz

OFF

MAX

FREQUENCY

10.0%

0.2 S

2.0 S

0.2 S

SYNC FWD &

REV

Sai do modo de programação e retorna ao modo de display.

Ajuste do

Usuário

B-6 Apendice IMN715BR

Apendice C

IMN715BR Apendice C-1

Section 1

General Information

Planta (Modelo) para Montagem Remota do Teclado

4.00

2.500

(A) (A)

Quatro Pontos Furos para montagem rosqueados, usar broca #29 e macho de 8–32 (Furos para montagem de passo usar broca #19 ou de 0.166, )

Furo de 111 /

16

de diâmetro

Usar anel de conduite de 1.25,

(B)

(A)

1.250

(A)

Nota: O desenho pode distorser–se devido à reprodução

C-2 Apendice IMN715BR

Apendice D

GLOSSÁRIO INGLES/PORTUGUÊS DE BLOCOS E PARÂMETROS

ACCEL TIME

ACCEL/DECEL RATE

ACCESS CODE

ACCESS TIMEOUT

ANA CMD GAIN

ANA CMD INVERSE

ANA CMD OFFSET

ANALOG OUT

ANALOG SCALE

AT SETPOINT BAND

AT SPEED BAND

BRAKE ADJUST

BRAKE ON START

BRAKE ON STOP (ON REVERSE)

CMD SEL FILTER

COMMAND SELECT

CTRL BASE FREQ

CUSTOM UNITS

DC BRAKE FREQ (VOLTAGE)

DECEL TIME

DYNAMIC BOOST

ENCODER LINES

EXTERNAL TRIP

FACTORY SETTINGS

FOLLOW I:O RATIO (OUT)

INPUT

JOG S–CURVE

JOG SETTINGS

JOG SPEED

KEYPAD JOG FWD (REV)

KEYPAD RUN FWD (REV)

KEYPAD SETUP

KEYPAD STOP KEY (MODE)

LEVEL 1 (2) BLOCKS

LOCAL ENABLE INP

MAX DEC DISPLAY

MAX (MIN) OUTPUT FREQUENCY

MAX OUTPUT VOLTS

MISCELLANEOUS

MOTOR MAG AMPS

MOTOR RATED AMPS

MOTOR RATED FREQUENCY

MOTOR RATED SPEED

OPERATING MODE

OPERATING ZONE

OPTO OUTPUT

OUTPUT

OUTPUT LIMITS

Tempo de Aceleração

Taxa (Velocidade) de Aceleração/Desaceleração

Código de Acesso

Suspensão (Interrupção) do Acesso

Ganho –Comando Analógico

Inverso –Comando Analógico

Desvio (Compensação) – Comando Analógico

Saida Analógica

Escala Analógica

Banda no Ponto de Ajuste

Banda na Velocidade

Ajuste de Frenagem

Freio na Partida

Freio na Parada (no Reverso)

Filtro – Seleção de Comando

Seleção do Comando

Frequência Base do Controle

Unidades de Leitura Adaptáveis pelo Usuário

Frequência (Voltagem) CC de Frenagem

Tempo de Desaceleração

Reforço Dinâmico

Pulsos do Encoder

Disparo Externo

Ajustes de Fábrica

Razão (Relação) (Saida) da Entrada:Saida do Seguidor

Entrada

Curva S de Jog

Ajustes de Jog

Velocidade de Jog

Jog de Avanço (Frente, Direto) (de Reverso) – Teclado

Marcha de Avanço (Frente, Direto) (Reverso) – Teclado

Preparação do Teclado

Tecla (Modo) de Parada – Teclado

Blocos do Nivel 1 (2)

Entrada de Habilitação Local

Display Máximo de Decimais

Frequência Máxima (Mínima) de Saida

Volts Máximos de Saida

Miscelaneos

Ampers Magnetizantes do Motor

Ampers Nominais do Motor

Frequência Nominal do Motor

Velocidade Nominal do Motor

Modo de Operação

Zona de Operação

Saida Opto

Saida

Limites de Saida

IMN715BR Apendice D-1

Section 1

General Information

GLOSSÁRIO INGLES/PORTUGUÊS DE BLOCOS E PARÂMETROS (continuação)

PK CURRENT LIMIT

PRESET SPEED

PROCESS DIFF (INT) (PROP) GAIN

PROCESS FEEDBACK

PROCESS INVERSE

PWM FREQUENCY

PROTECTION

RESISTOR OHMS (WATTS)

RESTART AUTO/MAN

RESTART DELAY

RESTART FAULT/HR

S–CURVE

SECURITY CONTROL

SECURITY STATE

SET PT ADJ LIMIT

SETPOINT COMMAND

SETPOINT SOURCE

SET SPEED POINT

SKIP BAND

SKIP FREQUENCY

SLIP COMP ADJ

START BRAKE TIME

STOP BRAKE TIME

SYNC DIRECTION

SYNC SCAN (SETUP) TIME

SYNC SCAN V/F

SYNCHRO STARTS

SYNC START FREQUENCY

SYNC V/F RECOVER

TORQUE BOOST

UNITS OF MEASURE

VALUE AT SPEED

VALUE DEC PLACES

VALUE SPEED REF

V/HZ AND BOOST

V/HZ PROFILE

V/HZ 3–PT FREQUENCY (VOLTS)

ZERO SPD SET PT

Limite de Corrente de Pico

Velocidade Pré–ajustada (Pré–definida)

Ganho Diferencial (Integral) (Proporcional) do Processo

Retroalimentação do Processo

Inversão de Sinal do Processo

Frequência PWM (PWM = Modulação por Largura de Impulso (de Pulso))

Proteção

Ohms (Watts) do Resistor

Reiniciação Automático/Manual

Demora de Reiniciação

Reiniciação – Falha/Hora

Curva S

Controle de Segurança

Estado da Segurança

Limite de Regulação do Ponto de Ajuste (Ponto Fixo)

Comando do Ponto de Ajuste

Fonte do Ponto de Ajuste

Ponto de Ajuste de Velocidade

Banda de Salto

Frequência de Salto

Ajuste de Compensação de Escorregamento

Tempo de Frenagem na Partida

Tempo de Frenagem na Parada

Direção – Partida Sincronizada

Tempo de Exploração (Preparação) – Partida Sincronizada

Exploração de V/F – Partida Sincronizada

Partidas Sincronizadas

Frequência – Partida Sincronizada

Recuperação de V/F – Partida Sincronizada

Reforço de Torque

Unidades de Medida

Valor na Velocidade

Valor – Casas Decimais

Valor – Referência de Velocidade

Volts/Hz e Reforço

Curva Volts/Hz

Frequência (Volts) – V/Hz, 3 Pontos

Ponto de Ajuste – Velocidade Zero

D-2 Apendice IMN715BR

TECMOT COML. E REP. LTDA

São Paulo – SP

R. Francisca Biriba, 627

(011) 69509228

Fax (011) 69508924

CH

TEL: +41 52 647 4700

FAX:+41 52 659 2394

D

TEL: +49 89 90 50 80

FAX:+49 89 90 50 8491

UK

TEL: +44 1342 31 5977

FAX:+44 1342 32 8930

I

TEL: +39 11 562 4440

FAX:+39 11 562 5660

Baldor Electric Company

IMN715BR

F

TEL: +33 145 10 7902

FAX:+33 145 09 0864

Impreso en EE.UU.

1/97

Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertisement