IMN715BR SÉRIE 15HControle Inversor

IMN715BR SÉRIE 15HControle Inversor
SÉRIE 15H
Controle Inversor
Manual de instalação e operação
2/01
IMN715BR
Conteúdo
Seção 1
Guia para partida rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1-1
Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1-1
Lista de verificações para partida rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1-1
Procedimento de partida rápida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
1-2
Seção 2
Informações gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2-1
Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2-1
Conformidade CE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2-1
Garantia limitada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2-2
Aviso de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2-3
Seção 3
Recepção e instalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-1
Recepção e inspeção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-1
Instalação física . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-1
Instalação do controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-2
Montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-2
Instalação do teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-2
Instalação do teclado remoto opcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-3
Instalação elétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-4
Aterramento do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-4
Impedância da linha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-3
Reatores de linha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-5
Reatores de carga . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-5
Circuito principal de entrada CA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-6
Desconexão da alimentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-6
Dispositivos de proteção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-6
Bitolas de fio e dispositivos de proteção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-6
Conexões da linha CA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-10
Redução por tensão de entrada reduzida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-10
380-Operação em 400 VCA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-10
Instalação trifásica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-11
Considerações sobre alimentação de entrada monofásica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-13
Redução do controle monofásico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-13
Instalação da alimentação monofásica para tamanhos A, B e B2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-13
Instalação da alimentação monofásica para tamanho C2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-14
Instalação da alimentação monofásica para tamanhos C e D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-15
Instalação da alimentação monofásica para tamanho D2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-16
Instalação da alimentação monofásica para tamanho E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-17
Instalação da alimentação monofásica para tamanho F . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-18
Conexões do freio do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-19
Conexões do motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-19
Contator M . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-19
Hardware de frenagem dinâmica opcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-20
IMN715BR
Conteúdo i
Seleção do modo de operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-23
Entradas e saídas analógicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-24
Modo de operação serial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-25
Modo de operação pelo teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-26
Modo de operação de marcha Standard de 3 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-27
Modo de operação de 15 velocidades de 2 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-28
Modo de operação de bomba de ventilador de 2 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-29
Modo de operação de bomba de ventilador de 3 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-30
Modo de operação de 3 velocidades analógicas de 2 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-31
Modo de operação de 3 velocidades analógicas de 3 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-32
Modo de operação de 3 potenciômetro eletrônico de 2 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-33
Modo de operação de 3 potenciômetro eletrônico de 3 fios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-34
Modo de operação de controle de processo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-35
Entrada de disparo externo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-36
Entradas opto-isoladas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-36
Saídas opto-isoladas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-37
Saídas de relé . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-38
Lista de verificação pré-operacional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-39
Procedimento de inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3-39
Seção 4
Programação e operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-1
Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-1
Modo de display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-2
Ajuste do contraste do display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-2
Telas do display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-2
Modo de programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-3
Acesso aos blocos de parâmetros para a programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-3
Alteração no valor dos parâmetros sem o uso do código de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-4
Restauração dos parâmetros para as configurações de fábrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-5
Inicialização da EEPROM do novo software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-6
Exemplos de operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-7
Operação do controle pelo teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-7
Acesso ao comando JOG do teclado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-7
Ajuste de velocidade usando a referência de velocidade local
..................................
4-8
Ajuste de velocidade usando as teclas de seta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-8
Mudanças no sistema de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-9
Alteração nos valores dos parâmetros usando um código de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-10
Alteração do parâmetro de suspensão de acesso ao sistema de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-11
Definição dos parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4-12
ii Conteúdo
IMN715BR
Seção 5
Detecção e resolução de problemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-1
Sem display do teclado - Ajuste de contraste do display . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-1
Como acessar as informações sobre diagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-3
Inicialização da EEPROM do novo software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-2
Como acessar o registro de falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-4
Como apagar o registro de falhas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-4
Inicialização da EEPROM do novo software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-4
ID de base da alimentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-5
Considerações sobre ruído elétrico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-9
Bobinas de relés e contatores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-9
Fios entres os controles e os motores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-9
Situações acionamento de especiais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-10
Gabinetes do controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-10
Considerações especiais sobre o motor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-10
Fios de sinais analógicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5-10
Seção 6
Especificações e dados do produto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-1
Especificações: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-1
Condições de operação: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-1
Display do teclado: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-1
Especificações do controle: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-2
Entradas analógicas: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-2
Saídas analógicas: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-3
Entradas digitais: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-3
Saídas digitais: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-3
Indicações de diagnóstico: . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-3
Valores nominais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-4
Especificações de torque para aperto de terminais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-8
Continua na próxima página.
IMN715BR
Conteúdo iii
Dimensões para montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-12
Controle do tamanho A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-12
Controle do tamanho A – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-13
Controle do tamanho B . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-14
Controle do tamanho B – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-15
Controle do tamanho B2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-16
Controle do tamanho C . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-17
Controle do tamanho C2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-18
Controle do tamanho C2 – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-19
Controle do tamanho D . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-20
Controle do tamanho D2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-21
Controle do tamanho D2 – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-22
Controle do tamanho E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-23
Controle do tamanho E – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-24
Controle do tamanho F . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-26
Controle do tamanho F – montagem em parede . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-27
Controle do tamanho G . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-29
Controle do tamanho G2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-30
Controle do tamanho G+ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-31
Controle do tamanho H . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6-32
Apêndice A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A-1
Hardware de frenagem dinâmica (DB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A-1
Módulos RGA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A-4
Módulos RBA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A-5
Módulos RTA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
A-6
Apêndice B . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
B-1
Valores dos parâmetros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
B-1
Apêndice C . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
C-1
Gabarito de montagem do teclado remoto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
C-2
iv Conteúdo
IMN715BR
Seção 1
Guia para partida rápida
Visão geral
Se você já tiver experiência na utilização dos controles Baldor, provavelmente já se
encontrará familiarizado com os métodos de programação e operação do teclado. Se já
estiver, este guia para partida rápida foi preparado para você. Este procedimento lhe
ajudará a preparar e operar o seu sistema rapidamente no modo de teclado, e lhe
permitirá verificar a operação do motor e do controle. Este procedimento pressupõe que
o hardware do controle, do motor e do módulo de frenagem dinâmica estão corretamente
instalados (consulte os procedimentos na Seção 3) e que você conhece os
procedimentos de programação e operação do teclado. Para operar no modo de teclado
não é necessário conectar a régua de terminais (a Seção 3 descreve o procedimento
para conexão da régua de terminais). Os procedimentos para partida rápida são os
seguintes:
1.
Leia as Instruções de segurança e precauções, na Seção 2 deste manual.
2.
Monte o controle. Consulte o procedimento “Localização física”, na Seção 3.
3.
Conecte a alimentação CA. Consulte “Conexões da linha CA”, na Seção 3.
4.
Conecte o motor. Consulte “Conexões do motor”, na Seção 3.
5.
Instale o hardware de frenagem dinâmica, se necessário. Consulte
“Hardware de frenagem dinâmica opcional”, na Seção 3.
6.
Conecte o teclado. Consulte o procedimento “Instalação do teclado”,
na Seção 3.
Lista de verificação da partida rápida
Verificação dos itens elétricos.
1.
Verifique se a tensão de linha CA está normal e é equivalente à tensão nominal
do controle.
2.
Revise todas as conexões de alimentação para confirmar se foram feitas
corretamente, e se estão apertadas.
3.
Verifique se o controle e o motor estão aterrados entre si e se o controle está
conectado ao terra.
4.
Verifique se toda a fiação de sinais está correta.
5.
Certifique–se de que todos as bobinas dos contatores, do freio e dos relés
possuem supressores de ruído instalados. Esses filtros devem ser um filtro R-C
para bobinas CA e diodos com polarização reversa para bobinas CC. O
método de supressão de transientes MOV não é adequado.
Verificação de motores e acoplamentos
1.
Verifique se os eixos de todos os motores giram livremente.
2.
Verifique se o acoplamento do motor está bem firme e sem folgas.
3.
Verifique se os freios de retenção, se houver algum, estão ajustados de forma
adequada para se soltarem completamente e com o valor de torque desejado.
Procedimento de partida rápida O seguinte procedimento lhe ajudará a preparar rapidamente o seu sistema
para operar no modo de teclado, e lhe permitirá verificar a operação do motor e o
controle. Este procedimento pressupõe que o hardware do controle, do motor e do
módulo de frenagem dinâmica está corretamente instalados (consulte os procedimentos
na Seção 3) e que você conhece os procedimentos de programação e operação do
teclado.
Condições iniciais
Assegure–se de que o controle (instalação física e conexão da linha CA), o motor e o
módulo de frenagem dinâmica estejam corretamente ligados conforme os procedimentos
indicados na Seção 3 deste manual.
Familiarize–se com a programação e a operação do teclado do controle, conforme
descrito na Seção 4 deste manual.
IMN715BR
Guia para partida rápida 1-1
Seção 1
Informações gerais
CUIDADO: Assegure–se de que uma operação inesperada do eixo do motor
durante a partida não vá provocar danos ao pessoal e nem ao
equipamento.
1.
Verifique se todas as entradas de habilitação para J4-8 estão abertas.
2.
Ligue o equipamento. Assegure–se de que não haja indicação de falhas no
display do teclado.
3.
Configure o Operating Mode (Modo de operação), no bloco Level 1 Input
(Entrada de nível 1), para “Keypad” (Teclado).
4.
Certifique–se de que os parâmetro Local Enable INP (Entrada de habilitação
local) e External Trip (Disparo externo), ambos no bloco Level 2 Protection
(Proteção de nível 2), estejam OFF.
5.
Configure o parâmetro “Operating Zone” (Zona de operação), no bloco “Output
Limits” (Limites de saída de nível 2), para o tipo de operação desejado (STD
CONST TQ, STD VAR TQ, QUIET CONST TQ ou QUIET VAR TQ) (torque
constante standard, torque variável standard, torque constante com operação
silenciosa ou torque variável com operação silenciosa).
6.
Configure o parâmetro “MIN Output FREQ” (Freqüência mínima de saída), no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
7.
Configure o parâmetro “MAX Output FREQ” (Freqüência máxima de saída), no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Nota: JP1 sai de fábrica na posição 2–3 (operação em freqüência <120 Hz).
Para operação com MAX Output FREQ (Freqüência máxima de saída) >
120 Hz, mude a posição de
JP1 para os pinos 1–2. Consulte a Seção 3 para obter a localização dos
jumpers.
8.
Se o ajuste desejado do limite de corrente de pico for diferente do ajustado
automaticamente pelo parâmetro Operation Zone (Zona de operação), defina o
parâmetro “PK Current Limit” (Limite da corrente de pico), no bloco Level 2
“Output Limits” (Limites de saída de nível 2).
9.
Entre com os seguintes dados do motor nos parâmetros do bloco Level 2 Motor
Data (Dados do motor de nível 2):
Motor Voltage [Voltagem do motor] (entrada)
Motor Rated Amps [Corrente nominal do motor] (FLA)
Motor Rated Speed [Velocidade nominal do motor] (velocidade básica)
Motor Rated Frequency (Velocidade nominal do motor)
Motor Mag Amps [Corrente de magnetização do motor] (corrente sem carga)
10. Se for usado o módulo de frenagem dinâmica externo, defina os parâmetros
“Resistor Ohms” (Resistência do resistor) e “Resistor Watts” (Potência do
resistor), no bloco Level 2 “Brake Adjust” (Ajuste de frenagem de nível 2).
11. Configure o parâmetro “V/HZ Profile” (Perfil V/Hz), no bloco Level 1 V/HZ Boost
(Reforço V/Hz de nível 1), com a relação V/Hz correta para a sua aplicação.
12. Se a carga for do tipo de alto torque inicial de partida, será necessário
aumentar o reforço de torque e o tempo de aceleração. Configure o parâmetro
“Torque Boost” (Reforço de torque), no bloco Level 1 V/HZ Boost (Reforço
V/HZ de nível 1), e “ACCEL TIME #1” (Tempo de aceleração #1), no bloco
Level 1 Accel/Decel Rate (Taxa de aceleração/desaceleração de nível 1), como
desejado.
13. Selecione e programe os parâmetros adicionais adequados para a sua
aplicação.
O controle agora está pronto para operar no modo de teclado ou a régua de terminais já
pode ser interligada e a programação alterada para um outro modo de operação.
1-2 Guia para partida rápida
IMN715BR
Seção 2
Informações gerais
Visão geral
O controle Baldor da Série 15H é um controle de motor inversor PWM. O controle
converte a alimentação de linha CA para alimentação CC fixa. A alimentação CC é então
modulada por largura de pulso na voltagem de linha CA trifásica sintetizada para o
motor. Desta forma, o controle converte a freqüência de entrada fixa para freqüência de
saída variável para fazer com que o motor opere com velocidade variável.
A especificação de horse–power nominal do controle é baseada em um motor de quatro
pólos conforme a norma NEMA B e operação a 60 Hz na voltagem de entrada nominal
especificada. Se qualquer outro tipo de motor for utilizado ou se uma voltagem de
entrada diferente de 230, 460 ou 575 VCA for aplicada aos terminais de entrada, o
controle deverá ser dimensionado para o motor utilizando–se a corrente nominal do
motor.
O controle Baldor da Série 15H pode ser utilizado em diversas aplicações diferentes. Ele
pode ser programado pelo usuário para operar em quatro zonas de operação diferentes:
torque constante padrão, torque variável padrão, torque constante com operação
silenciosa ou torque variável com operação silenciosa. Ele também pode ser configurado
para funcionar em diversos modos de operação para operação personalizada.
É responsabilidade do usuário determinar a melhor zona e modo de operação para a
aplicação. Essas opções são programadas utilizando–se o teclado como explicado na
seção de programação deste manual.
Conformidade CE
IMN715BR
Se precisar de uma unidade personalizada, entre em contato com a Baldor. A
conformidade com a Diretriz 89/336/EEC é de responsabilidade do integrador do
sistema. Um controle, o motor e todos os componentes do sistema devem ter
aterramento de blindagem e filtros adequados, conforme descrito no documento
MN1383. Consulte o documento MN1383 para obter as técnicas de instalação para
atender à conformidade CE.
Informações gerais 2-1
Garantia limitada
Por um período de dois (2) anos a partir da data da compra original, a
BALDOR consertará ou substituirá, sem custo, controles e acessórios que
nosso exame demonstrar estarem defeituosos no material ou na
manufatura. Esta garantia é válida se a unidade não tiver sido adulterada
por pessoas não–autorizadas, mal utilizada, violada ou instalada
incorretamente e que tenha sido usada de acordo com as instruções e/ou
especificações fornecidas. Esta garantia substitui qualquer outra garantia
expressa ou implícita. A BALDOR não será responsável por qualquer
despesa (incluindo a instalação e a retirada), inconveniência ou dano
conseqüente, incluindo lesão a qualquer pessoa ou propriedade, causada
por itens de nossa fabricação ou venda. Alguns estados não permitem a
exclusão ou limitação de danos incidentais ou conseqüenciais, de modo
que a exclusão acima pode não se aplicar. Em qualquer caso, a obrigação
total da BALDOR, sob todas as circunstâncias, não deve exceder o preço
total pago pelo controle. As reclamações para reembolsos dos preços de
compra, consertos ou substituições devem ser encaminhadas à BALDOR
com todos os dados pertinentes quanto ao defeito, a data da compra, a
tarefa executada pelo controle e o problema encontrado. Nenhuma
obrigação é assumida quanto a itens de consumo, tais como fusíveis.
As mercadorias podem ser devolvidas somente com notificação por escrito,
incluindo um número de autorização de devolução da BALDOR e qualquer
remessa de retorno deve ser paga antecipadamente.
2-2 Informações gerais
IMN715BR
Observações de segurança:
Este equipamento contém voltagens que podem ser superiores a 1.000 volts! O
choque elétrico poderá causar lesão séria ou fatal. Somente o pessoal qualificado deverá
tentar executar o procedimento de inicialização ou detectar e resolver problemas neste
equipamento.
Este equipamento pode ser conectado a outras máquinas que tenham peças giratórias
ou peças que sejam acionadas por este equipamento. O uso incorreto poderá causar
lesão séria ou fatal. Somente o pessoal qualificado deverá tentar o procedimento de
partida ou detectar e resolver problemas neste equipamento.
PRECAUÇÕES:
ADVERTÊNCIA:
Não toque em nenhuma placa de circuito, dispositivo de
alimentação ou conexão elétrica antes de certificar–se de que a
alimentação tenha sido desconectada e que não haja alta tensão
presente neste equipamento ou em outro equipamento ao qual ele
esteja conectado. O choque elétrico poderá causar lesão séria ou
fatal. Somente o pessoal qualificado deverá tentar o procedimento
de partida ou detectar e resolver problemas neste equipamento.
ADVERTÊNCIA:
Certifique–se de que você esteja completamente familiarizado com
a operação segura deste equipamento. Este equipamento pode ser
conectado a outras máquinas que tenham peças giratórias ou
peças que sejam controladas por ele. O uso incorreto poderá
causar lesão séria ou fatal. Somente o pessoal qualificado deverá
tentar o procedimento de partida ou detectar e resolver problemas
neste equipamento.
ADVERTÊNCIA:
Não utilize relés de sobrecarga do motor em conjunto com um
recurso de reinicialização automática. Estes dispositivos são
perigosos uma vez que o processo poderá ferir alguém se ocorrer
uma reinicialização automática brusca ou inesperada. Se relés de
reinicialização manual não estiverem disponíveis, desabilite o
recurso de reinicialização automática utilizando a fiação de controle
externa.
ADVERTÊNCIA:
Esta unidade possui um recurso de reinicialização automática que
inicia o motor sempre que a alimentação de entrada for aplicada e
um comando RUN (FWD ou REV) for emitido. Se uma reinicialização
automática do motor puder provocar ferimentos ao pessoal, o
recurso de reinicialização automática deverá ser desabilitado
modificando–se o parâmetro “Restart Auto/Man” (Reinicialização
automática/manual) para MANUAL.
ADVERTÊNCIA:
Certifique–se de que o sistema esteja aterrado corretamente antes
de aplicar a alimentação. Não aplique alimentação CA antes de
certificar–se de que os terras estejam conectados. O choque
elétrico poderá causar lesão séria ou fatal.
ADVERTÊNCIA:
Não retire a cobertura durante pelo menos cinco (5) minutos após a
alimentação CA ter sido desconectada, para permitir que os
capacitores se descarreguem. O choque elétrico poderá causar
lesão séria ou fatal.
Continua na próxima página.
IMN715BR
Informações gerais 2-3
Seção 1
Informações gerais
ADVERTÊNCIA:
A operação incorreta do controle poderá causar o movimento
violento do motor e do equipamento acionado. Certifique–se de que
o movimento inesperado do eixo do motor não cause lesão ao
pessoal ou danos ao equipamento. Durante a falha do controle,
poderá ocorrer torque de pico, que é diversas vezes o torque
nominal do motor.
ADVERTÊNCIA:
O circuito do motor pode ter alta tensão presente sempre que a
alimentação CA for aplicada, mesmo quando o motor não estiver
em movimento. O choque elétrico poderá causar lesão séria ou
fatal.
ADVERTÊNCIA:
Um resistor de frenagem dinâmica pode gerar calor suficiente para
inflamar materiais combustíveis. Mantenha todos os materiais
combustíveis e vapores inflamáveis longe dos resistores de
frenagem.
Cuidado: Adequado para uso em um circuito capaz de transmitir não mais
que a corrente de curto–circuito simétrica RMS listada aqui na
voltagem nominal.
Horse–power Corrente simétrica RMS
1 a 50
5.000
51 a 200
10.000
201 a 400
18.000
401 a 600
30.000
601 a 900
42.000
Cuidado: Não alimente nenhum terminal no Disparo Externo (termostato do
motor) em J4-16 ou J4-17 pois o controle poderá ser danificado.
Utilize o tipo de contato a seco que não necessita de alimentação
externa para funcionar.
Cuidado: Desconecte os condutores de energia do motor (T1, T2 e T3) do
controle antes de executar um teste “Megger” no motor. A não
desconexão do motor do controle resultará em grandes danos ao
controle. A não desconexão do motor do controle resultará em
grandes danos ao controle.
Cuidado: Não conecte a alimentação CA aos terminais do motor T1, T2 e T3.
A conexão de alimentação CA nesses terminais poderá resultar em
danos ao controle.
Cuidado: A Baldor recomenda a não utilização de cabos condutores de
energia de transformador “Grounded Leg Delta” que possam criar
loops de terra e fornecer alimentação instável ao controlador do
motor. Em vez disso, recomendamos usar um Wye de quatro fios.
Cuidado: Se o módulo do hardware de frenagem dinâmica (DB) estiver em
qualquer posição que não a vertical, as especificações para o
hardware de DB deverão ser reduzidas em 35% de sua capacidade
nominal.
2-4 Informações gerais
IMN715BR
Seção 3
Recepção e instalação
Recepção e instalação
Instalação física
Quando você receber o seu controle, existem várias coisas que deverá fazer
imediatamente.
1.
Observe a condição da embalagem de remessa e informe imediatamente ao
transportador comercial que entregou o seu controle a respeito de qualquer
dano.
2.
Verifique se o controle recebido é o mesmo que está relacionado em seu
pedido de compra.
3.
Se o controle estiver para ser armazenado por algumas semanas antes do uso,
certifique–se de que ele seja armazenado em um local que obedeça às
especificações de armazenagem descritas neste manual. Consulte a Seção 6
deste manual.
A localização da montagem do controle é importante. A instalação deverá ser feita em
uma área que esteja protegida da luz solar direta, de corrosivos, de gases ou líquidos
nocivos, poeira, partículas metálicas e vibração.
Alguns outros fatores deverão ser cuidadosamente avaliados ao selecionar uma
localização para a instalação:
1.
Para uma manutenção e refrigeração eficaz, o controle deverá ser montado em
uma superfície vertical, suave e não-inflamável. A Tabela 3-1 lista as taxas
perda de potência (em Watts) para cada tamanho de gabinete.
2.
Deverá existir um mínimo de duas polegadas (5 cm) de espaço livre em todos
os lados para circulação de ar.
3.
O acesso frontal deve ser fornecido para permitir que a tampa do controle seja
aberta ou removida para manutenção e para permitir a visualização do display
do teclado.
4.
Diminuição da altitude. Até 3.300 pés (1.000 metros), não há necessidade de
diminuição. Acima de 3.300 pés (1.000 metros), diminua a corrente de saída de
pico em 2% para cada 1.000 pés (300 metros) acima de 3.300 pés.
5.
Diminuição de temperatura. Até 40°C, não há necessidade de diminuição.
Acima de 40°C, reduza a corrente de saída de pico em 2% para cada °C acima
de 40°C. O ambiente máximo é de 55°C.
Tabela 3-1 Taxas de perda de potência (em Watts) do controle Série 15H
Tamanho do gabinete
230 VCA
460 VCA
575 VCA
PWM de
2,5 kHz
PWM de
8,0 kHz
PWM de
2,5 kHz
PWM de
8,0 kHz
PWM de
2,5 kHz
PWM de
8,0 kHz
A, B e B2
14 Watts/
Amp
17 Watts/
Amp
17 Watts/
Amp
26 Watts/
Amp
18 Watts/
Amp
28 Watts/
Amp
C, C2, D, D2, E e F
12 Watts/
Amp
15 Watts/
Amp
15 Watts/
Amp
23 Watts/
Amp
19 Watts/
Amp
29 Watts/
Amp
IMN715BR
G
15 Watts/
Amp
H
15 Watts/
Amp
19 Watts/
Amp
Recepção e instalação 3-1
Seção 1
Informações gerais
Instalação do controle
O controle deve ser fixado firmemente à superfície de montagem nos furos de
montagem.
Montagem contra impacto
Se o controle for estar sujeito a níveis de impacto superiores a 1G ou de vibração
superiores a 0,5 G de 10 a 60 Hz, o controle deverá ser montado no sistema contra
impacto.
Montagem embutida em parede
Os tamanhos de controle A, B, B2, C2, D2, E e F foram projetados para instalação em
painel ou embutida em parede. Para montar um controle embutido na parede, um kit
para montagem de embutir em parede deverá ser adquirido (exceto para os tamanhos
B2, C2 e D2). Esses kits são:
Número do kit
KT0000A00
KT0000A00
V0083991
KT0000A00
Descrição
Kit para montagem embutida em parede para controle de tamanho A.
Kit para montagem embutida em parede para controle de tamanho B.
Kit para montagem embutida em parede para controle de tamanho E.
Kit para montagem embutida em parede para controle de tamanho F.
Consulte a Seção 6 deste manual para obter os desenhos e as dimensões dos kits para
montagem em parede.
Instalação do teclado
Procedimento:
3-2 Recepção e instalação
1.
Consulte o procedimento de Instalação do teclado remoto e monte o teclado.
2.
Conecte o cabo do teclado ao conector do teclado da placa de controle
principal.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Instalação do teclado remoto opcional O teclado pode ser montado remotamente utilizando–se o cabo
opcional de extensão de teclado Baldor. O módulo do teclado (branco -DC00005A-01;
cinza - DC00005A-02) vem completo com os parafusos e juntas necessários para
montá–lo em um gabinete. Quando o teclado estiver montado corretamente em um
gabinete fechado NEMA Tipo 4X, ele manterá as especificações de Tipo 4X.
Ferramentas necessárias:
•
Punção, porta–macho, chaves de fenda (Phillips e retas) e chave inglesa.
•
Macho 8-32 e furadeira #29 (para furos de montagem com rosca) ou #19 (para
furos de montagem em espaço livre).
•
Punção de perfuração padrão de 1-1/4″ (diâmetro nominal de 1-11/16″).
•
Selante RTV.
•
(4) porcas e arruelas 8–32.
•
Parafusos estendidos de 8-32 (de boca) são necessários se a superfície de
montagem for mais espessa do que a bitola 12 e não for com rosca (furos de
montagem em espaço livre).
•
Gabarito de montagem do teclado remoto. Uma cópia adicional é fornecida no
final deste manual para sua conveniência (foto).
Instruções para montagem:
Para furos de montagem com roscas
1. Encontre uma superfície de montagem de no mínimo 4″ de largura x 5,5″ de
altura. O material deverá ter uma espessura suficiente (bitola mínima de 14).
2. Coloque o gabarito sobre a superfície de montagem ou marque os furos
conforme mostrado.
3. Faça a punção precisa dos 4 furos de montagem (marcados como A) e da
abertura maior (marcada como B).
4. Fure quatro furos de montagem #29 (A). Faça roscas nos furos com machos
de 8-32.
5. Localize o centro da abertura (B) 1-1/4″ e puncione–o utilizando as instruções
dos fabricantes.
6. Remova as rebarbas dos furos de montagem e da abertura certificando–se de
que o painel esteja limpo e liso.
7. Aplique o RTV nos 4 furos marcados (A).
8. Monte o teclado na painel. Use parafusos 8–32, porcas e arruelas.
9. Da parte interna do painel, aplique o RTV em cada um dos quatro parafusos e
porcas de montagem. Cubra uma área de 3/4″ em volta da cada parafuso
certificando–se de encapsular completamente a porca e a arruela.
Instruções para montagem:
Para furos de montagem sem rosca
1. Encontre uma superfície de montagem de no mínimo 4″ de largura x 5,5″ de
altura. O material deverá ter uma espessura suficiente (bitola mínima de 14).
2. Coloque o gabarito sobre a superfície de montagem ou marque os furos
conforme mostrado no gabarito.
3. Faça a punção precisa dos 4 furos de montagem (marcados como A) e da
abertura maior (marcada como B).
4. Fure quatro furos de gabarito #19 (A).
5. Localize o centro da abertura (B) 1-1/4″ e puncione–o utilizando as instruções
dos fabricantes.
6. Remova as rebarbas dos furos de montagem e da abertura certificando–se de
que o painel esteja limpo e liso.
7. Aplique o RTV nos 4 furos marcados (A).
8. Monte o teclado na painel. Use parafusos 8–32, porcas e arruelas.
9. Da parte interna do painel, aplique o RTV em cada um dos quatro parafusos e
porcas de montagem. Cubra uma área de 3/4″ em volta da cada parafuso
certificando–se de encapsular completamente a porca e a arruela.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-3
Seção 1
Informações gerais
Instalação elétrica
Para fazer as conexões elétricas, utilize os conectores listados pela UL que sejam
apropriados para a bitola de fio utilizada. Os conectores devem ser instalados
utilizando–se a ferramenta de aperto especificada pelo fabricante do condutor. Somente
deverá ser usada fiação elétrica de classe 1.
Os controles da Baldor da Série H possuem proteção ajustável contra sobrecarga do
motor aprovada pela UL adequada para motores com especificações nominais de, no
mínimo, 50% dos valores nominais de saída do controle. Outras agências de controle
como a NEC podem exigir proteção adicional separada para sobrecorrente. O instalador
deste equipamento é responsável pelo cumprimento do Código Elétrico Nacional e de
todos os códigos locais que orientem as práticas de proteção de fiação, aterramento,
desconexão e outras proteções contra corrente.
Aterramento do sistema
Os controles Baldor são projetados para serem alimentados a partir de linhas trifásicas
padrão que são eletricamente simétricas em relação ao terra. O aterramento do sistema
é um passo importante na instalação total para evitar problemas. O método de
aterramento recomendado é mostrado na Figura 3-1.
Figura 3-1 Sistema de aterramento recomendado
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
PROG
ENTER
Série H
Nota: Um reator de linha é recomendado
e deve ser pedido separadamente.
Fonte de alimentação CA
L1 L2 L3
T1 T2 T3
Nota: Um reator de carga é recomendado
e deve ser pedido separadamente.
L1
L2
Reator
de linha
Reator
de carga
L3
Terra
Terra de
segurança
Wye de
“quatro fios”
Haste de
ligação
de aterramento
(terra da
fábrica)
Passe todos os 4 fios L1, L2, L3 e Terra
juntos pelo mesmo conduíte ou cabo.
Passe todos os 4 fios T1, T2, T3 e terra
do motor pelo mesmo conduíte ou cabo.
Terra de acordo com NEC e
com os códigos locais.
Conecte todos os fios (incluindo o terra do motor)
dentro da caixa do terminal do motor.
3-4 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Aterramento do sistema continuação
Sistema de distribuição sem aterramento
Com um sistema de distribuição de energia sem aterramento é possível ter um caminho
de corrente contínua para o terra através dos dispositivos MOV. Para evitar danos ao
equipamento, é recomendado um transformador de isolamento com um secundário
aterrado. Isto fornece alimentação CA trifásica que é simétrica em relação ao terra.
Condicionamento da alimentação de entrada
Os controles Baldor são projetados para conexão direta às linhas trifásicas padrão que
são eletricamente simétricas em relação ao terra. Certas condições das linhas de
alimentação devem ser evitadas. Pode ser exigido um reator de linha CA ou um
transformador de isolamento para algumas condições de alimentação.
•
Se o circuito alimentador ou de derivação, que fornece alimentação ao
controle, tiver capacitores de correção de fator de alimentação conectados
permanentemente, um reator de linha CA ou um transformador de isolamento
deverá ser conectado entre os capacitores de correção de fator de alimentação
e o controle.
•
Se o circuito alimentador ou de derivação, que fornece alimentação ao
controle, tiver capacitores de correção de fator de alimentação que sejam
ligados e desligados da linha, estes não deverão ser comutados enquanto o
controle estiver conectado à linha de alimentação CA. Se os capacitores forem
ligados à linha enquanto o controle ainda estiver conectado à linha de
alimentação CA, será necessária proteção adicional. O TVSS (supressor de
oscilações de voltagem transiente), com a voltagem nominal correta, deverá
ser instalado entre o reator de linha CA ou um transformador de isolamento e a
entrada CA para o controle.
Impedância da linha
O controle Baldor exige uma impedância de linha mínima de 3%. Se a impedância da
alimentação de entrada não corresponder à exigência para o controle, um reator de linha
trifásico poderá ser utilizado para fornecer a impedância necessária na maioria dos
casos. Os reatores de linha são opcionais e estão disponíveis na Baldor.
A, B, C, D, E
B2, C2, D2, F, G, G2, G+, H
Tamanho do controle
Impedância de linha exigida
3%
1%
Reatores de linha
A impedância de entrada das linhas de alimentação pode ser determinada da seguinte
maneira:
Meça a voltagem de linha a linha sem carga e com a carga nominal total.
Utilize os valores medidos para calcular a impedância da seguinte forma:
(Volts Velocidade sem carga * Volts Velocidade com carga máxima)
100
% de impedância +
(Volts Velocidade sem carga)
Reatores de linha trifásicos estão disponíveis na Baldor. O reator de linha a ser pedido é
baseado na corrente de carga total do motor (FLA). Se estiver providenciando seu
próprio reator de linha, utilize a fórmula a seguir para calcular a indutância mínima
necessária.
0, 01)
(V L*L
L +
Ǹ
(I
3 377)
Onde:
Reatores de carga
IMN715BR
L
VL-L
0,03
I
377
Indutância mínima em Henries.
Voltagem de entrada medida de linha a linha.
Porcentagem de impedância de linha desejada.
Corrente de entrada nominal do controle.
Constante utilizada com alimentação em 60 Hz.
Utilize 314 se a alimentação de entrada for de 50 Hz.
Os reatores de linha podem ser utilizados na saída do controle para o motor. Quando
utilizados desta forma, eles são chamados de reatores de carga. Os reatores de carga
servem a diversas funções que incluem:
Proteger o controle de um curto–circuito no motor.
Limitar a taxa de subida de correntes de oscilação do motor.
Diminuir a taxa de variação de alimentação que o controle fornece ao motor.
Os reatores de carga deverão ser instalados o mais próximo do controle possível. A
escolha deverá ser baseada no valor da FLA na plaqueta do motor.
Recepção e instalação 3-5
Circuito CA principal
Desconexão da alimentação Uma desconexão da alimentação deverá ser instalada entre o serviço da
alimentação de entrada e o controle, como método à prova de falhas para desconectar a
alimentação. O controle permanecerá em uma condição ligada até que toda a
alimentação de entrada seja retirada do controle e a voltagem do barramento interno
seja esgotada.
Dispositivos de proteção
Os tamanhos recomendados de fusíveis são baseados no seguintes:
115% da corrente contínua máxima para fusíveis de retardo de tempo.
150% da corrente contínua máxima para fusíveis de ação rápida ou muito rápida.
Nota: Estas recomendações gerais de tamanho não consideram correntes
harmônicas ou temperaturas ambientes maiores do que 40°C.
Certifique–se de que o dispositivo de proteção da alimentação de entrada adequado
esteja instalado. Utilize o disjuntor ou fusíveis recomendado relacionados nas Tabelas de
3-2 até 3-4 (Bitolas de fio e dispositivos de proteção). O tamanho do fio de entrada e de
saída é baseado no uso do fio condutor de cobre, calculado a 75 °C. A tabela é
especificada para motores NEMA B.
Disjuntor:
monofásico, termomagnético.
Igual ao GE tipo THQ ou TEB para 230 VCA
trifásico, termomagnético.
Igual ao GE tipo THQ ou TEB para 230 VCA ou
Igual ao GE tipo TED para 460 VCA e 575 VCA.
Fusíveis de ação rápida:
230 VCA, Buss KTN
460 VAC, Buss KTS para 600 A (KTU para 601 a 1.200 A)
575 VAC, Buss KTS para 600 A (KTU para 601 a 1.200 A)
Fusíveis de ação muito rápida:
230 VCA, Buss JJN
460 VCA, Buss JJS
575 VCA, Buss JJS
Fusíveis de retardo de tempo:
230 VCA, Buss FRN
460 VCA, Buss FRS para 600 A (KLU para 601 a 1.200 A)
575 VCA, Buss FRS para 600 A (KLU para 601 a 1.200 A)
Bitolas de fio e dispositivos de proteção
Tabela 3-2 Bitolas de fio e dispositivos de proteção para controles de 230 VCA (trifásicos)
Valores nominais do
controle
A
HP
Disjuntor
(A)
3
4
7
10
16
22
28
42
54
68
80
104
130
145
192
0,75
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
75
7
7
15
15
20
30
40
60
70
90
100
150
175
200
250
Fusível de entrada (A)
Ação rápida
5
6
12
15
25
35
45
70
80
100
125
175
200
225
300
Retardo de
tempo
4
5
9
12
20
30
35
60
70
90
110
150
175
200
250
Bitola do fio
AWG
mm2
14
14
14
14
12
10
8
6
6
4
3
1
1/0
2/0
4/0
2,5
2,5
2,5
2,5
3,31
5,26
8,37
13,3
13,3
21,2
26,7
42,4
53,5
67,4
107,0
Nota: Todos os tamanhos dos fios são baseados no fio de cobre a 75°C. Quanto maior a temperatura menor será a
bitola do fio que pode ser usada por NEC e códigos locais. Os fusíveis/disjuntores recomendados são
definidos com base na temperatura ambiente a 40°C, corrente de saída do controle contínua máxima e
nenhuma corrente harmônica.
3-6 Recepção e instalação
IMN715BR
Tabela 3-3 Bitolas de fio e dispositivos de proteção para controles de 460 VCA (trifásicos)
Valores nominais do
controle
A
HP
2
2
4
5
8
11
14
21
27
34
40
52
65
77
96
124
156
180
240
302
361
414
477
515
590
0,75
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
75
100
125
150
200
250
300
350
400
450
500
Disjuntor
(A)
Fusível de entrada (A)
Ação rápida
3
3
7
7
15
15
20
30
40
50
50
70
90
100
125
175
200
225
300
400
450
500
600
650
750
2
3
5
8
12
17,5
20
30
40
50
60
80
100
125
150
200
250
300
350
450
600
650
750
800
900
Retardo de
tempo
2
2,5
4,5
6,3
10
15
17,5
25
35
45
50
70
90
100
125
175
200
250
300
400
450
500
600
700
800
Bitola do fio
AWG
mm2
14
14
14
14
14
14
12
10
10
8
8
6
4
3
2
1/0
2/0
3/0
(2) 2/0
(2) 4/0
(3) 2/0
(3) 3/0
(3) 4/0
(3) 250MCM
(3) 250MCM
2,5
2,5
2,5
2,5
2,5
2,5
3,31
5,26
5,26
8,37
8,37
13,3
21,2
26,7
33,6
53,5
67,4
85,0
(2) 67,4
(2) 107,0
(3) 67,4
(3) 85,0
(3) 107,0
(3) 127,0
(3) 152,0
Nota: Todos os tamanhos dos fios são baseados no fio de cobre a 75°C. Quanto maior a temperatura menor será a
bitola do fio que pode ser usada por NEC e códigos locais. Os fusíveis/disjuntores recomendados são
definidos com base na temperatura ambiente a 40°C, corrente de saída do controle contínua máxima e
nenhuma corrente harmônica.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-7
Tabela 3-4 Bitolas de fio e dispositivos de proteção para controles de 575 VCA (trifásicos)
Valores nominais do
controle
A
HP
1,1
1,4
2,7
3,9
6,1
9,0
11
17
22
27
32
41
52
62
77
99
125
144
192
242
289
336
382
412
472
0,75
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
75
100
125
150
200
250
300
350
400
450
500
Disjuntor
(A)
Fusível de entrada (A)
Ação rápida
3
3
7
7
15
15
15
25
30
40
40
60
70
80
100
125
175
200
250
300
400
450
500
500
600
2
2,5
4
6
10
15
17,5
30
35
40
50
60
80
100
125
150
200
225
300
350
450
500
600
650
750
Retardo de
tempo
1,5
2
3,5
5
8
12
15
25
30
35
40
50
70
80
100
125
175
200
250
300
400
450
500
500
600
Bitola do fio
AWG
mm2
14
14
14
14
14
14
14
12
10
10
8
8
6
6
4
3
1/0
2/0
4/0
(2) 2/0
(2) 3/0
(3) 2/0
(3) 3/0
(3) 3/0
(3) 4/0
2,5
2,5
2,5
2,5
2,5
2,5
2,5
3,31
5,26
5,26
8,37
8,37
13,3
13,3
21,2
26,7
53,5
67,4
107,0
(2) 67,4
(2) 85,0
(3) 67,4
(3) 85,0
(3) 85,0
(3) 107,0
Nota: Todos os tamanhos dos fios são baseados no fio de cobre a 75°C. Quanto maior a temperatura menor será a
bitola do fio que pode ser usada por NEC e códigos locais. Os fusíveis/disjuntores recomendados são
definidos com base na temperatura ambiente a 40°C, corrente de saída do controle contínua máxima e
nenhuma corrente harmônica.
3-8 Recepção e instalação
IMN715BR
Figura 3-2 Controle Série 15H
Placa de expansão
Placa de controle do motor
J4
Terra analógico
Entrada analógica 1
Referência do potenciômetro
Entrada analógica +2
Entrada analógica –2
Saída analógica 1
Saída analógica 2
Entrada 1
Entrada 2
Entrada 3
Entrada 4
Entrada 5
Entrada 6
Entrada 7
J3
Conector
teclado
3
2
1
JP1
JP2
1 2 3
JP4
JP3
1 2 3
1 2 3
Entrada 8
Entrada 9
Comum da entrada opto
44
1
22
J4 Régua de terminais
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
J4-39 e 40 conectados como mostrado para
alimentar as entradas opto a partir da
alimentação interna de +24 VCC.
Nota: J4-18 e 41 são conectados
juntos na placa de circuito do controle.
Comum da saída opto
Saída opto #1
15
16
17
18
19
39
40
41
Retorno da saída opto #1
Saída opto #2
Saída do relé #1
Saída analógica #2
20
21
22
42
43
44
Retorno da saída opto #2
Retorna da saída do relé #1
Retorna da saída analógica #2
+24 VCC
Alimentação da entrada opto
Tabela 3-5 Jumpers da placa de controle
Jumper
JP1
JP2
JP3
JP4
IMN715BR
Posição do jumper
1–2
2–3
1–2
2–3
1–2
2–3
1–2
2–3
Descrição de configuração da posição do jumper
Freqüência de saída máxima de 400 Hz.
Freqüência de saída máxima de 120 Hz. (Configuração de fábrica)
Sinal de comando de velocidade de 4 a 20 mA.
0Sinal de comando de velocidade de -5 ou 0-10 VCC (configuração de
fábrica).
Contato normalemente aberto (N.O.) do relé 1 (Relay1).
Contato normalemente fechado (N.C.) do relé 1 (Relay1).
Contato normalemente aberto (N.O.) do relé 2 (Relay2).
Contato normalemente fechado (N.C.) do relé 2 (Relay2).
Recepção e instalação 3-9
Conexões de linha CA
Diminuição da voltagem de entrada reduzida Todas as especificações de alimentação informadas na Seção
6 são para as voltagens nominais de entrada CA declaradas (230, 460 ou 575 VCA). A
especificação de alimentação do controle deve ser reduzida quando a operação for feita
com uma voltagem de entrada reduzida. A quantidade de redução é a razão da mudança
de voltagem.
Exemplos:
Um controle de 10 HP em 230 VCA quando opera a 208 VCA tem uma potência nominal
reduzida de 9,04 HP.
208VAC + 9, 04 HP
10HP
230VAC
Da mesma forma, um controle de 10 HP, em 460 VCA, quando opera a 380 VCA tem
uma potência nominal reduzida de 8,26 HP.
380VAC + 8, 26 HP
10HP
460VAC
Neste caso, para se obter a especificação de saída plena de 10 HP é preciso um
controle de 15 HP.
Operação de 380 a 400 VCA
Certifique–se de que toda a alimentação esteja desconectada antes de
prosseguir.
Os controles de tamanhos A, B, B2, C2 e D2 podem ser utilizados diretamente com uma
fonte de alimentação de 380 a 400 VCA, sem necessidade de modificações.
Os controles de tamanhos C, D, E, F e G necessitam de modificações para operação
com voltagem de linha reduzida.
Procedimento de mudança de derivação (controles de tamanhos C, D, E e F)
1.
Certifique–se de que a operação do acionamento esteja concluída e segura.
2.
Desconecte toda a alimentação do controle. Se a alimentação estiva aplicada,
aguarde pelo menos 5 minutos para que os capacitores do barramento
descarreguem–se.
3.
Remova ou abra a tampa frontal e localize o transformador de controle
(Figura 3-3).
4.
Remova o fio do terminal 5.
5.
Coloque o fio que foi retirado do terminal 5 no terminal 4.
6.
Instale ou feche a tampa frontal.
Figura 3-3 Identificação do transformador do controle
3-10 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Transfomador do controle Procedimento de mudança da derivação (controles de
tamanho G).
1.
Certifique–se de que a operação do acionamento esteja concluída e segura.
2.
Desconecte toda a alimentação do controle. Se a alimentação estiva aplicada,
aguarde pelo menos 5 minutos para que os capacitores do barramento
descarreguem–se.
3.
Remova ou abra a tampa frontal e localize o transformador de controle
(Figura 3-4).
4.
Remova os fios dos dois terminais da direita.
5.
Encaixe os fios nos terminais centrais conforme mostrado.
6.
Instale ou feche a tampa frontal.
Figura 3-4 Configuração do bloco de terminais do transformador do controle 380 a 400 VCA
(tamanho G)
460 VCA
380 a 400 VCA
Instalação trifásica
As conexões de alimentação CA são mostradas na Figura 3-5.
Figura 3-5 Conexões de alimentação CA trifásica
L1
Nota 1
L2
L3
L1
Terra
*
Disjuntor
de
circuito
L2
L3
Conexão de
fusível
alternativa *
Nota 2
Nota 1
Nota 3
A1
Nota 4
*Dispositivo
RC
Reator
de linha A2
B1
C1
A1
C1
* Componentes opcionais não fornecidos com o controle.
Notas:
B2
C2
Nota 3
L1
B1
L2
L3
Controle
Série 15H
multieixo
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-11
As Tabelas 3-6 e 3-7 listam as bitolas para os fios de alimentação da entrada CA. Os
terminais do motor devem ser dimensionados a partir das tabelas trifásicas.
Tabela 3-6 Bitolas de fio e dispositivos de proteção nominais monofásicos - controles de 230 VCA*
Valores nominais do
controle
A
HP
Disjuntor
(A)
6.9
8.0
12
17
28
40
50
68
88
110
136
176
216
0.75
1
2
3
5
7.5
10
15
20
25
30
40
50
10
10
15
25
40
50
70
90
110
150
175
225
275
Fusível de entrada (A)
Ação rápida
10
12
20
25
45
60
80
110
150
175
200
250
350
Retardo de
tempo
9
10
17.5
25
35
50
70
90
125
150
175
250
300
Bitola do fio
AWG
mm2
14
14
14
12
10
8
6
4
3
2
1/0
3/0
(2) 1/0
2.5
2.5
2.5
3.31
5.26
8.37
13.3
21.2
26.7
33.6
53.5
85.0
(2) 53.5
Tabela 3-7 Bitolas de fio e dispositivos de proteção nominais monofásicos - controles de 460 VCA*
Valores nominais do
controle
A
HP
Disjuntor
(A)
3.5
4.0
6.0
8.5
14
20
25
34
44
55
68
88
108
0.75
1
2
3
5
7.5
10
15
20
25
30
40
50
5
5
7.5
12.5
17.5
25
40
45
60
70
90
110
150
Fusível de entrada (A)
Ação rápida
5
6
10
15
20
30
40
50
70
80
100
150
175
Retardo de
tempo
5
5.6
8
12
20
25
30
45
60
70
90
125
150
Bitola do fio
AWG
mm2
14
14
14
14
12
10
10
8
8
6
4
3
2
2.5
2.5
2.5
2.5
3.31
5.26
5.26
8.37
8.37
13.3
21.2
26.7
33.6
Nota: Todos os tamanhos dos fios são baseados no fio de cobre a 75°C. Quanto maior a temperatura menor será a
bitola do fio que pode ser usada por NEC e códigos locais. Os fusíveis/disjuntores recomendados são
definidos com base na temperatura ambiente a 40°C, corrente de saída do controle contínua máxima e
nenhuma corrente harmônica.
3-12 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Considerações sobre alimentação de entrada monofásica a operação monofásica de controles dos
tamanhos G e H não é possível.
A alimentação de entrada CA monofásica pode ser utilizada para alimentar o controle em
vez da trifásica para controles dos tamanhos A, B, B2, C, C2, D, D2, E e F. As
especificações e tamanhos dos controles estão listadas na Seção 6 deste manual. Se a
alimentação monofásica for utilizada, a especificação de horse–power do controle deve
ser reduzida. Além disso, são necessárias mudanças na fiação de alimentação e nos
jumpers. As conexões monofásicas de 3 frios são padrão nos E.U.A. Todavia, a conexão
monofásica de 2 fios é amplamente utilizada em todo o mundo. Ambos os tipos de
conexões são mostrados.
As especificações monofásicas para bitola de fio e dispositivos de proteção são listadas
nas Tabelas 3-6 e 3-7.
Redução da alimentação de controle monofásica: A redução da alimentação monofásica necessita que as
especificações da corrente contínua e de pico do controle sejam reduzidas nas seguintes
porcentagens:
1.
Controles de 1 a 2 HP de 230 e 460 VCA:
Diminuição não exigida.
2.
Controles de 3 a 25 HP (tamanhos B, B2 e C2) de 230 e 460 VCA:
Diminua a especificação de HP em 40% em relação às especificações da
plaqueta.
3.
Controles de 15 HP (tamanho C, D2) e superiores de 230 e 460 VCA:
Diminua a especificação de HP em 50% em relação às especificações da
plaqueta.
Instalação da alimentação monofásica de tamanhos A, B e B2 (consulte a Figura 3-6).
Configuração do jumper
Não há necessidade de mudança do jumper para controles dos tamanhos A, B e B2.
Figura 3-6 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanhos A, B e B2
Conexões trifásicas monofásicas
L1
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
Nota 1
* Disjuntor
de circuito
*
Disjuntor
de
circuito
Nota 2
Nota 4
B1
A1
* Reator
de linha
*Reator
de linha
opcional
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
Nota 3
A1
L1
L2
Nota 1
*
A1
B1
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
A2
B2
Notas:
Nota 3
L1
L2
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-13
Instalação de alimentação monofásica para tamanho C2
Configuração do jumper
Localize a placa de interface e coloque JP7 nos pinos 2 e 3 para operação monofásica.
Figura 3-7 Configuração do jumper
Placa de
controle
JP7
Pinos 1 e 2 = trifásico
Pinos 2 e 3 = monofásico
JP7
Placa de
interface
Levante o isolador plástico
para acessar a placa de
Figura 3-8 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanho C2
Conexões de 3 fios monofásicas
L1
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
Nota 1
* Disjuntor
de circuito
Nota 2
Nota 4
B1
A1
* Reator
de linha
*Reator
de linha
de linha
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
*
Disjuntor
de
circuito
Nota 3
A1
L1
L2
Nota 1
*
A1
B1
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
A2
B2
Notas:
Nota 3
L1
L2
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
3-14 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Instalação da alimentação monofásica para tamanhos C e D
Configuração do jumper
Coloque JP2 nos pinos 1 e 2 para operação monofásica do controle.
Coloque JP3 na posição B para operação monofásica da ventoinha.
Figura 3-9 Configuração do jumper
JP2
JP2
Pinos 1 e 2 = monofásico
Pinos 2 e 3 = trifásico
A
1
JP3
Posição A = trifásico
Posição B = monofásico
JP3
B
Figura 3-10 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanho C e D
Conexões de 3 fios monofásicas
L1
Nota 1
L2
* Disjuntor
de circuito
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
*
Disjuntor
de
circuito
Nota 3
Nota 4
C1
A1
* Reator
de linha
*Reator
de linha
opcional
Nota 1
*
A1
B1
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
B2
C2
Nota 3
L1
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
Nota 2
B1
L1
L2
Notas:
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-15
Instalação de alimentação monofásica para tamanho D2
Configuração do jumper
Localize a placa de interface e coloque J100 nos pinos 2 e 3 para operação monofásica.
Figura 3-11 Configuração do jumper
J100
Pinos 1 e 2 = trifásico
Pinos 2 e 3 = monofásico
J100
1
2
3
Figura 3-12 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanho D2
Conexões de 3 fios monofásicas
L1
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
Nota 1
* Disjuntor
de circuito
*
Disjuntor
de
circuito
Nota 2
Nota 1
A1
B1
A1
B1
*
Nota 4
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
Nota 3
A1
L1
L2
* Reator
opcional
*Reator
de linha
opcional
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
A2
Notas:
B2
Nota 3
L1
L2
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
3-16 Recepção e instalação
IMN715BR
Instalação de alimentação monofásica para tamanho E
Figura 3-13 Configuração do jumper
Coloque JP1 na placa de circuito de alta voltagem entre os pinos 1 e 2.
JP1
JP1
Pinos 1 e 2 = monofásico
Pinos 2 e 3 = trifásico
1
Figura 3-14 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanho E
Conexões de 3 fios monofásicas
L1
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
Nota 1
*
Disjuntor
de
circuito
* Disjuntor
de circuito
A1
B1
A1
* Reator
opcional
*Reator
de linha
opcional
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
Nota 3
Nota 4
L1
L2
Nota 1
*
A1
B1
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
A2
B2
Notas:
Nota 3
L1
L2
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-17
Instalação de alimentação monofásica para tamanho F
JP2
Figura 3-15 Configuração do jumper
Coloque JP2 na placa de circuito de alta voltagem entre os pinos 1 e 2.
1
JP2
Pinos 1 e 2 = monofásico
Pinos 2 e 3 = trifásico
Figura 3-16 Conexões de alimentação 230/460 VCA monofásica para tamanho F
Conexões de 3 fios monofásicas
L1
Nota 1
L2
* Disjuntor
de circuito
Conexões de 2 fios monofásicas
Terra
*
Disjuntor
de
circuito
Nota 3
Nota 4
C1
A1
* Reator
opcional
*Reator
de linha
opcional
Nota 1
*
A1
B1
Componentes opcionais
não fornecidos com o controle.
A2
B2
C2
Nota 3
L1
L2
* Conexão
de fusível
L1 Neutro
Nota 2
B1
L1
L2
Notas:
1.
Consulte “Dispositivos de proteção”, descritos anteriormente nesta
seção.
2.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
3.
Utilize conduítes de metal. Conecte os conduítes de modo que o
uso de um reator ou dispositivo RC não interrompa a blindagem
contra EMI/RFI.
4.
Consulte Reatores de linha/carga, descritos anteriormente nesta
seção.
L3
Controle
Série 15H
multieixo
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
3-18 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Conexões de frenagem do motor
Para motores com frenagem por conjunto de molas, conecte os terminais de
alimentação da frenagem e os terminais do motor separadamente. Em função do
inversor possuir saída de voltagem variável para o motor, o inversor pode não fornecer
alimentação suficiente em baixas freqüências para operação adequada da frenagem. Se
estiver utilizando um motor com frenagem conectada internamente, os terminais de
alimentação da frenagem devem ser conectados a uma fonte de alimentação separada
para operação adequada da frenagem.
Conexões do Motor
As conexões do motor são exibidas na Figura 3-17.
Figura 3-17 Conexões do Motor
Notas:
Controle
Série 15H
multieixo
T1
T2
T3
Nota 1
A1
Nota 2
B1
1.
Deve–se utilizar um conduíte de metal. Conecte os conduítes de
modo que o uso do reator de carga ou dispositivo RC não
interrompa a blindagem contra EMI/RFI.
2.
Consulte Reatores de Linha/Carga, descritos anteriormente nesta
seção.
3.
Utilize a mesma bitola de fio para o terra que a utilizada para as
conexões de L1, L2 e L3.
C1
*Reator
de carga
opcional
* Componentes opcionais não fornecidos com o controle.
A2
B2
C2
Nota 1
Nota 3
T2 T3
T1
G
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
* Motor CA
Contator M
Se for exigido pelos códigos locais ou por razões de segurança, pode ser instalado um
Contator M (contator de circuito do motor). Entretanto, a instalação incorreta ou a falha
do contator M ou da fiação poderá danificar o controle. Se um contator M for instalado, o
controle deverá ser desabilitado por pelo menos 20 ms antes que o contator M seja
aberto ou o controle poderá ser danificado. As conexões do contator M são exibidas na
Figura 3-18.
Figura 3-18 Conexões do contator M opcional
T1
T2
T3
Para a fonte de alimentação
(voltagem nominal da bobina)
M
M
M
T2 T3
T1
M=contatos do contator M opcional
* Contator M
G
* Motor
J4
*
M Habilita
7
8
9
*Dispositivo
RC
opcional
Electrocube
RG1781-3
Nota: Feche a “Habilitação”
depois do fechamento do
contato “M”.
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-19
Hardware de frenagem dinâmica opcional
O hardware de frenagem dinâmica (DB) deve ser instalado sobre uma superfície vertical,
plana e não inflamável para refrigeração e operação efetivas. Consulte a norma MN701
(para módulos RGA, RBA e RTA) ou MN782 (para módulos RUA) para informações
adicionais.
Instalação elétrica
As conexões de terminal para o hardware DB são determinadas pelo sufixo (E, EO, ER
ou MO) do número do modelo do controle. Consulte a Figura 3-19 para obter a
identificação do terminal. Consulte as Tabelas 3-8 e 3-9 para obter informações sobre a
bitola dos fios.
Figura 3-19 Identificação dos terminais da frenagem dinâmica (DB) Figura3-20 Fiação para módulo
RGA
Sufixo “E” ou “W”
R2
B+/R1
Nota:
Apesar de não exibido, o
(Pode ser rotulado como GND ou
conduíte de metal deverá ser utilizado
para aterrar toda a fiação de
alimentação e os terminais do motor.
B-
Sufixo “EO” ou “MO”
Terminais
de controle
)
GND
Terminais da DB
R2
R2
B+/R1
R1
Frenagem
dinâmica
opcional
(RGA)
MOTOR
T3
B+
B–-
GND
D1
D2
T3
GND T2
T1
GND
Sufixo “ER”
R2
B+/R1
T2
T1
L3
50/60 Hz
Alimentação
trifásica
B-
L2
L1
GND
Disjuntor ou proteção de fusível
opcional fornecida pelo cliente sujeito aos códigos locais
GND
Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
Figura 3-21 Fiação para módulo RBA
Terminais
do controle
D1
D2
(Pode ser rotulado como GND ou
Par trançado
blindado
Figura 3-22 Fiação para módulo RTA
Terminais dos
módulos de DB
B+
D1
D2
D2
D2
Frenagem
dinâmica
opcional
(RBA)
(Pode ser rotulado como GND ou
GND
B-
B-
B+
B+
B+
Frenagem
dinâmica
opcional
(RTA)
MOTOR
T3
T3
GND T2
T1
T2
T1
L3
Nota:
Apesar de não exibido, o
conduíte de metal deverá ser utilizado
para aterrar toda a fiação de alimentação
e os terminais do motor.
L2
L1
Disjuntor ou proteção de fusível
opcional fornecida pelo cliente sujeito aos códigos locais
)
B-
T3
50/60 Hz
Alimentação
trifásica
Terminais dos
módulos de DB
D1
MOTOR
T3
GND T2
T1
Par trançado
blindado
D1
)
GND
B-
Terminais
do controle
GND
3-20 Recepção e instalação
Consulte Torques de aperto
recomendados, na Seção 6.
R1 R2
T2
T1
R1 R2
50/60 Hz
Alimentação
trifásica
L3
L2
Frenagem
dinâmica
Módulo
RGA
L1
Disjuntor ou proteção de fusível
opcional fornecida pelo cliente sujeito aos códigos locais
GND
Consulte os Torques de aperto
do terminal, na Seção 6.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Figura 3-23 Fiação para módulo RUA
Módulo
do controle
O chassi deve ser
conectado ao Terra.
Terminais do controle
R2 B+/R1 B–
GND
Chave térmica de 200°C
de contato normalmente
fechado
(montada no chassi).
Térmica NC
Térmica NC
Terra
B+
S+
Use cabos Baldor:
LD5157A05 – 5 pés (1,5 m).
LD5157A10 – 10 pés (3 m).
LD5157A20 – 20 pés (6 m).
LD5157A30 – 30 pés (9 m).
LD5157A50 – 50 pés (15 m).
Sem conexões
S–
Módulo
de frenagem
dinâmica
B–
Nota: As linhas S+ e S– devem ser de cabo de par trançado blindado.
Termine as blindagens somente na extremidade do controle. Consulte Torques de aperto recomendados, na Seção 6.
Nota: Os controles Baldor com um sufixo “E” ou “W” possuem um transistor e um
resistor de frenagem dinâmica internos instalados. Se você estiver instalando
um resistor DB maior, certifique–se de desconectar os fios do resistor interno
dos terminais B+/R1 e R2. Estes fios instalados na fábrica devem ser
removidos e as extremidades isoladas com fita isolante para evitar o contato
com outros componentes. A falta de desconexão do resistor interno pode
resultar em danos ao equipamento.
Tabela 3-8 Torques para o terminal e bitolas de fio para módulos RUA
Terminais B+ e B–
Voltagem Máximo
de
Par trançado
VCA
Torque de
potência
nominal
aperto
Voltagem
da
Bitola do fio
do
CA
frenagem
Libra
controle
Nm
opcional. AWG mm2
–pol.
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
575
575
575
575
575
575
IMN715BR
746
1.492
1.865
2.238
3.730
5.600
746
1.492
1.865
2.238
3.730
5.600
746
1.492
1.865
2.238
3.730
5.600
16
16
16
14
14
14
16
16
16
16
14
14
16
16
16
16
16
16
1,31
1,31
1,31
2,08
2,08
2,08
1,31
1,31
1,31
1,31
2,08
2,08
1,31
1,31
1,31
1,31
1,31
1,31
300
300
300
300
300
300
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
Terminais S+ e S–
Bitola
do fio
blindado
Voltagem
CA
AWG
mm2
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
20
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
0,51
300
300
300
300
300
300
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
Torque de
aperto
Libra
–pol.
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
9
Nm
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1
Recepção e instalação 3-21
Seção 1
Informações gerais
Tabela 3-9 Bitolas de fio da frenagem dinâmica para módulos RGA, RBA e RTA
Voltagem VCA
nominal do
controle
230
230
230
230
460
460
460
460
575
575
575
575
Especificação de
potência
da frenagem
dinâmica
<2,000
2.100 – 5.000
5.100 – 10.000
>10.000
<4.000
4.100 – 10.000
10.100 – 20.000
>20.000
<4.000
4.100 – 10.000
10.100 – 20.000
>20.000
3-22 Recepção e instalação
Terminais
B+ / B- e R1 / R2 /
Bitola do fio
AWG
mm2
16
1,31
14
2,08
10
6
8
10
16
1,31
14
2,08
10
6
8
10
16
1,31
14
2,08
10
6
8
10
Voltagem
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
Terminais
D1 / D2 /
Bitola do fio
AWG
mm2
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
20 a 22
0,5
Voltagem
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
600
IMN715BR
Seleção do modo de operação (e diagrama de conexão)
Diversos modos de operação estão disponíveis no controle inversor da Série 15H. Esses
modos de operação definem a configuração básica do controle do motor e a operação
dos terminais de entrada e de saída. Estes modos de operação são selecionados pela
programação do parâmetro Operating Mode (Modo de operação) no bloco de
programação Input (Entrada). Os modos de operação disponíveis incluem:
•
Teclado
•
Controle de velocidade Standard de 3 fios
•
Controle de 15 velocidades de 2 fios
•
Modo de controle de bomba de ventilador de 2 fios
•
Modo de controle de bomba de ventilador de 3 fios
•
Serial
•
Controle de processo
•
3 velocidades analógicas de 3 fios
•
3 velocidades analógicas de 3 fios
•
Potenciômetro eletrônico de 2 fios
•
Potenciômetro eletrônico de 3 fios
Cada modo exige conexões com a régua de terminais J4 (exceto para o modo de
teclado, todas as conexões são opcionais). A régua de terminais J4 é mostrada na
Figura 3-24. A conexão de cada entrada ou saída de sinal é descrita nas páginas a
seguir.
Figura 3-24 Conexões do sinal de controle
J4
Consulte as saídas analógicas
Consulte saídas analógicas
Terra analógico
1
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
2
3
Ent. anal. +2
4
Ent. anal. -2
5
Saída anal. 1
6
Saída anal. 2
7
Entrada #1
8
Entrada #2
9
Entrada #3
10
Entrada #4
11
Entrada #5
12
Entrada #6
13
Entrada #7
14
Entrada #8
15
Entrada #9
16
Comum ent. opto
Retorno da saída opto #1
17
39
18
40
Saída opto #1
19
41
Saída opto #2
20
42
Retorno da saída opto #2
Saída do relé #1
21
43
Retorna da saída do relé #1
Saída anal. #2
22
44
Retorna da saída analógica #2
Consulte as entradas
opto–isoladas
Consulte as saídas digitais
J4-39 e 40
Nota:
conectados como mostrado
para alimentar as
entradas opto a partir da alimentação
interna de +24 VCC.
J4-18 e J4-41 são conectados juntos na
placa do controle.
+24 VCC
Alimentação da entrada opto
Retorno da saída opto #1
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-23
Entradas e saídas analógicas As entradas analógicas (voltagem ou corrente) são escaladas pelos valores do
parâmetro Min and Max Output Frequency (Freqüência de saída mínima e máxima) no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Duas entradas analógicas estão disponíveis: entrada analógica #1 (J4-1 e J4-2) e
entrada analógica #2 (J4-4 e J4-5), como mostrado na Figura 3-25. A entrada analógica
#1 ou #2 pode ser aterrada desde que o valor nominal de modo comum não seja
excedido. Qualquer entrada analógica pode ser selecionada no valor do parâmetro
Command Select (Seleção de comando), no bloco Level 1 INPUT (Entrada de nível 1). A
entrada analógica #1 será selecionada se o valor do parâmetro “Potentiometer
(Potenciômetro)” for selecionado. A entrada analógica #2 será selecionada se o valor do
parâmetro “0-10Volts, 0-5 Volts ou 4-20mA” for selecionado.
Figura 3-25 Entradas analógicas
J4
Potenciômetro de
comando ou
de 0 a 10 VCC
5k
Entrada de 0 a 5 VCC, de 0 a 10 VCC
ou de 4 a 20 mA
Terra analógico
1
Ent. anal. 1
2
Ref. do pot.
3
Ent. anal. +2
4
Ent. anal. -2
5
Entrada analógica 1
Entrada analógica 2
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
Entrada analógica #1
Entrada analógica #2
A entrada analógica de terminação simples #1 é utilizada quando o controlador é
configurado para Marcha Standard (Terminação simples) de 3 fios bomba de ventilador
de 2 fios, bomba de ventilador de 3 fios, serial, controle de processo, 3 velocidades
analógicas de 2 fios, 3 velocidades analógicas de 3 fios, potenciômetro eletrônico de 2
fios ou potenciômetro eletrônico de 3 fios (não como teclado ou 15 velocidades).
A entrada analógica #1 de terminação simples pode ser utilizada em uma de três formas.
Comando de velocidade (Command Select=Potentiometer, no bloco Level 1 Input
[Entrada de nível 1]). Realimentação do processo (Process Feedback=Potentiometer, no
bloco Level 2 Process Control [Controle do processo de nível 2]). Fonte do setpoint
(Setpoint Source=Potentiometer, no bloco Level 2 Process Control [Controle do processo
de nível 2]).
Quando estiver utilizando a Entrada Analógica #1, o parâmetro respectivo deve ser
configurado para “POTENTIOMETER” (Potenciômetro).
Nota: Pode ser utilizado um valor de potenciômetro de 5k até 10k, 0,5 Watt.
1. Conecte os fios do potenciômetro de 5k à régua de terminais J4. Uma
extremidade do potenciômetro é conectada a J4-1 (terra analógico) e a outra
extremidade é conectada a J4-3 (voltagem de referência).
2. Conecte o contato do potenciômetro a J4-2. A voltagem entre os terminais J4-1
e J4-2 é a entrada do comando de velocidade.
A entrada analógica #2 aceita um comando de 0 a 5 VCC, de 0 a 10 VCC ou de 4 a 20
mA. O modo de operação (Diferencial) é definido no parâmetro parâmetro OPERATING
MODE (Modo de operação), no bloco Level 1 Input (Entrada de nível 1).
Nota: A Entrada analógica #2 é utilizada com Marcha Standard de 3 fios, bomba de
ventilador de 2 fios, bomba de ventilador de 3 fios, controle de processo, 3
velocidades analógicas de 2 fios, 3 velocidades analógicas de 3 fios,
potenciômetro eletrônico de 2 fios ou potenciômetro eletrônico de 3 fios (não
nos modos teclado, 15 velocidades ou serial).
Nota: A Entrada analógica #2 pode ser conectada para operação de terminação
simples através do aterramento de qualquer uma das entradas, se o valor
nominal da voltagem de modo comum não for excedido. A voltagem de modo
comum pode ser medida com um voltímetro. Aplique a voltagem máxima de
comando à entrada analógica 2 (J4-4, 5). Meça a voltagem CA e CC nos
terminais de J4-1 a J4-4. Junte as leituras CA e CC. Meça a voltagem CA e
CC nos terminais de J4-1 a J4-5. Junte as leituras CA e CC.
Se qualquer uma dessas medidas exceder um total de ±15 volts, então o
valor nominal da voltagem do modo comum foi excedido. Se o valor nominal
da voltagem de modo comum tiver sido excedido, a solução é mudar a fonte
de voltagem de comando ou isolar a voltagem de comando com um isolador
de sinal disponível comercialmente.
3-24 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Saídas analógicas
Duas saídas analógicas programáveis são fornecidas em J46 e J47. Estas saídas são
escaladas de 0 a 5 VCC (corrente de saída máxima de 1 mA) e podem ser utilizadas
para fornecer o estado em tempo real de diversas condições do controle. O retorno para
estas saídas é o terra analógico em J4-1.
Cada função de saída é programada nos valores do parâmetro Analog Out #1 ou #2
(Saída analógica #1 ou #2), no bloco Level 1 Output (Saída de nível 1). O escalamento
de cada saída é programável no parâmetro Analog Scale #1 ou #2 (Escala analógica #1
ou #2), no bloco Level 1 Output (Saída de nível 1).
Modo de operação serial
O modo de operação serial exige placas de expansão de interface serial (RS232,
RS422 ou RS485). As informações para instalação e operação adequadas para estas
placas de expansão serial são fornecidas no manual da placa de expansão de
Comunicação Serial MN1310. Este manual acompanha as placas de expansão serial.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-25
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação pelo teclado (consulte a Figura 3-26)
O modo de operação pelo teclado permite o controle seja operado a partir do teclado.
Neste modo não é necessária nenhuma conexão do controle. Porém, as entradas
Enable (Habilitação) e External Trip (Disparo Externo) podem ser usadas opcionalmente.
Todas as outras entradas opto permanecem inativas. Todavia, as saídas analógicas e as
saídas opto continuam ativas o tempo todo.
Para a operação no modo de Teclado, configure o parâmetro Operating Mode (Modo de
operação) como Keypad (Teclado), no bloco Level 1 Input (Entrada de nível 1).
Para usar a entrada Enable (Habilitação), J4-8 deve estar conectado e o parâmetro Local
Enable INP (Entrada de habilitação local), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível
2), deve estar configurado como ON. A linha Enable (Habilitação) está normalmente
fechada. Quando aberta, o motor irá começar a parar (COAST). Quando a linha de
habilitação for novamente fechada, o motor não iniciará até que um novo comando de
direção seja recebido do teclado.
Para utilizar a entrada Stop, J4-11 deve estar conectado e o parâmetro LOC Hot Start
(Início local a quente), no bloco Level 1 Keypad Setup (Configuração do teclado de nível
1), deve estar configurado como ON. A linha Stop (Parada) é normalmente fechada.
Quando aberta, o motor começará a parar (COAST) ou regenerar (REGEN) para uma
parada dependendo da configuração do valor do parâmetro Keypad Stop Key (Tecla
[Modo] de parada do teclado), no bloco Level 1 Keypad Setup (Configuração do teclado
de nível 1). Fechar a entrada imediatamente iniciará o motor.
A entrada External Trip (Disparo externo) é utilizada para provocar uma condição de
falha durante uma condição de temperatura do motor acima do limite. A entrada External
Trip (J4-16) deve estar conectada e o parâmetro External Trip, no bloco Level 2
Protection (Proteção de nível 2), deverá estar configurado como ON. Quando J4-16 é
aberto, o motor começará a parar e uma falha de disparo externo será exibida no
teclado.
Figura 3-26 Diagrama de conexão do controle do teclado
J4
J4-8
J4-11
J4-16
Se J4-8 for conectado, você deve configurar o parâmetro Local
Enable INP (Entrada de habilitação local), no bloco Level 2 Protection
(Proteção de nível 2), como “ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Se J4-11 for conectado, você deve configurar o parâmetro LOC Hot
Start (Início local a quente), no bloco Level 1 Keypad Setup
(Configuração de teclado de nível 1), como “ON” para ativar a entrada
opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad
Stop [Parada do Teclado]). O motor irá reinicializar quando J4-11
fechar após abrir se a tecla FWD ou REV estiver ativa.
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External
Trip (Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível
2), como “ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá
desabilitar e o motor começará a parar. Uma falha de disparo externo
é exibida (também é registrada no registro de falhas).
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Sem conexões
Habilitação
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Entrada #1
Entrada #2
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Entrada #3
10
Stop (Parada) Entrada #4
11
Entrada #5
12
Entrada #6
13
Entrada #7
14
Entrada #8
Disparo externo Entrada #9 15
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
3-26 Recepção e instalação
IMN715BR
Modo de operação de velocidade Standard de 3 fios
No modo de velocidade Standard, o controle é operado pelas entradas opto–isoladas de
J4-8 até J4-16 e pela entrada de comando analógica. As entradas opto podem ser
interruptores como mostrado na Figura 3-27 ou sinais lógicos provenientes de um outro
dispositivo.
Para entrada de 4 a 20 mA, mova JP2 na placa principal do Controle para os pinos 1 e 2.
A Entrada analógica 2 pode então ser utilizada para operação de 4 a 20 mA.
Figura 3-27 Diagrama de conexão do modo de velocidade Standard de 3 fios
J4
J4-8
J4-9
J4-10
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Potenciômetro de
comando ou
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de de 0 a 10 VCC
avanço. No modo JOG (J4-12 CLOSED [Fechado]), o estado continuamente
5k
Fechado faz o motor se movimentar na direção de avanço.
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de
reversa. No modo JOG (J4-12 CLOSED [Fechado]), o estado
CONTINUAMENTE fechado faz o motor se movimentar na direção reversa.
J4-11
Quando está no estado MOMENTANEAMENTE Aberto desacelera o motor
para pará–lo (dependendo do modo de Keypad Stop [Parada do teclado]). A
corrente do motor continua a ser aplicada no motor.
J4-12
Na posição Fechado coloca o controle em modo JOG, e as marchas de
Avanço e Reversão são usadas para fazer o motor se movimentar.
J4
13-Fechado seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 2.
Aberto seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 1.
J4-14
Fechado seleciona a velocidade predefinida #1, (J4-12, irá sobrepor está
predefinição).
Aberto permite o comando de velocidade a partir da Entrada analógica #1 ou
#2.
J4-15
Fechado restaura da condição de falha.
Aberto movimenta.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip
(Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como
“ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o
motor começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é
registrada no registro de falhas).
IMN715BR
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Velocidade de reversão
10
Stop (Parada)
11
Salto
12
Aceleração/Desaceleração
13
Velocidade predefinida #1
14
Restauração de falhas
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Recepção e instalação 3-27
Modo de operação de 15 velocidades de 2 fios
A operação no modo de 15 velocidades de 2 fios é controlada pelas entradas
opto–isoladas de J4-8 até J4-16. As entradas opto podem ser interruptores como
mostrado na Figura 3-28 ou sinais lógicos provenientes de um outro dispositivo.
As entradas comutadas de J4-11 até J4-14 permitem a seleção de 15 velocidades
predefinidas e fornece a Restauração de falhas como definido na Tabela 3-10.
Figura 3-28 Diagrama de conexão do modo de 15 velocidades de 2 fios
J4
J4-8
J4-9
J4-10
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Terra analógico
Fechado faz o motor se movimentar na direção de avanço (com J4-10
aberto).
Aberto o motor desacelera para parar dependendo do modo Keypad Stop
(Parada do teclado).
Sem conexões
Fechado faz o motor se movimentar na direção reversa (com J4-9 aberto).
Aberto o motor desacelera para parar dependendo do modo Keypad Stop
(Parada do teclado).
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
Fechado seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 2.
Aberto seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 1.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip
(Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como
“ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o
motor começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é
registrada no registro de falhas).
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Velocidade de reversão
10
Interruptor 1
11
Interruptor 2
12
Interruptor 3
13
Interruptor 4
14
Selec. Accel/Decel/S grupo 1
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
J4-11 a 14 Seleciona as velocidades predefinidas programadas como definido na
Tabela 3-10.
J4-15
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Consulte a Figura 3-36.
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
Tabela 3-10 Tabela Verdade de Interruptores para o Modo de Controle de 15 Velocidades de 2 Fios
Função
Predefinida 1
Predefinida 2
Predefinida 3
Predefinida 4
Predefinida 5
Predefinida 6
Predefinida 7
Predefinida 8
Predefinida 9
Predefinida 10
Predefinida 11
Predefinida 12
Predefinida 13
Predefinida 14
Predefinida 15
Restauração de falhas
3-28 Recepção e instalação
J4-11
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
Aberto
Fechado
J4-12
J4-13
J4-14
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de bomba de ventilador de 2 fios
A operação no modo de bomba de ventilador de 2 fios é controlada pelas entradas
opto–isoladas de J4-8 até J4-16. As entradas opto podem ser interruptores como
mostrado na Figura 3-29 ou sinais lógicos provenientes de um outro dispositivo.
Figura 3-29 Diagrama de conexão do modo de bomba de ventilador de 2 fios
J4-8
J4-9
Potenciômetro de
comando ou
de
0 a 10 VCC
Fechado faz o motor se movimentar na direção de avanço (com J4-10 aberto).
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
Nota: J4-9 e J4-10 estão ambos fechados = Restauração de falhas.
J4-10
Fechado faz o motor se movimentar na direção reversa (com J4-9 aberto).
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
Nota: J4-9 e J4-10 estão ambos fechados = Restauração de falhas.
J4-11
Fechado seleciona a Entrada analógica #1 (if J4-13, J4-14 e J4-15 estão
fechados).
Aberto seleciona a seleção de comando (parâmetro Command Select [Seleção
de comando], no bloco Level 1 Input [Entrada de nível 1] se J4-13, J4-14 e J4-15
estiverem fechados).
J4-12
Fechado seleciona os comandos START/STOP (Iniciar/Parar) e Reset
(Restaurar) a partir da régua de terminais.
Aberto seleciona os comandos Start/Stop (Inicia/Parar) e Reset (Restaurar) a
partir do teclado.
J4-13
Fechado permite outras seleções, consulte a Tabela 3-11, de seleção de
velocidade.
Aberto seleciona a velocidade comandada a partir do teclado (se J4-14 e J4-15
estiverem fechados).
Nota: Ao mudar da régua de terminais para o teclado (J4-12 ou J4-13) a velocidade
e a direção do motor irão permanecer as mesmas após a mudança.
J4-14
Firestat. Selects Level 1 (Firestat. seleciona nível 1), Preset Speeds (Velocidades
predefinidas), Preset Speed #1 (Velocidade predefinida #1).
J4-15
Freezestat. Level 1 (Freezestat. de nível 1), Preset Speeds (Velocidades
predefinidas), Preset Speed #2 (Velocidade predefinida #2) (se J4-14 estiver
fechado).
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip (Disparo
5k
J4
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
Saída programável
Saída programável
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Velocidade de reversão
10
Seleç. de ent. anal.
11
Comando de marcha
12
Comando de velocidade
13
Firestat
14
Freezestat
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Tabela 3-11 Tabela de seleção de velocidade – bomba de ventilador de 2 fios
J4-11
Aberto
Fechado
IMN715BR
J4-13
Aberto
Fechado
Fechado
J4-14
Fechado
Aberto
J4-15
Fechado
Fechado
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
Entrada de
Comando de velocidade do teclado
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset
Speed #1 (Velocidade predefinida #1).
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset
Speed #2 (Velocidade predefinida #2).
Entrada analógica (parâmetro Command Select, no bloco Level 1 Input)
Entrada analógica #1
Recepção e instalação 3-29
Modo de operação de bomba de ventilador de 3 fios
A operação no modo de bomba de ventilador de 3 fios é controlada pelas entradas
opto–isoladas de J4-8 até J4-16. As entradas opto podem ser interruptores como
mostrado na Figura 3-30 ou sinais lógicos provenientes de um outro dispositivo.
Figura 3-30 Diagrama de conexão do controle de bomba de ventilador de 3 fios
Potenciômetro de
comando ou
de 0 a 10 VCC
J4-9
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de
avanço.
5k
Nota: O fechamento de J4-9 e J4-10 ao mesmo tempo irá restaurar uma condição de
falha.
J4-8
J4-10
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de
reversa.
Nota: O fechamento de J4-9 e J4-10 ao mesmo tempo irá restaurar uma condição de
falha.
J4
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
Velocidade de reversão
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Stop (Parada)
11
Comando de marcha
12
Comando de velocidade
13
Firestat
14
Freezestat
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
J4-11
Quando está no estado Aberto desacelera o motor para pará–lo (dependendo do
modo de Keypad Stop [Parada do teclado]).
J4-12
Fechado seleciona os comandos START/STOP (Iniciar/Parar) e Reset (Restaurar)
a partir da régua de terminais.
Aberto seleciona os comandos Start/Stop (Inicia/Parar) e Reset (Restaurar) a
partir do teclado.
J4-13
Fechado permite outras seleções, consulte a Tabela 3-12, de seleção de
velocidade.
Aberto seleciona a velocidade comandada a partir do teclado (se J4-14 e J4-15
estiverem fechados).
J4-14
Firestat. Selects Level 1 (Firestat. seleciona nível 1), Preset Speeds (Velocidades
Consulte a Figura 3-36.
predefinidas), Preset Speed #1 (Velocidade predefinida #1).
J4-15
Freezestat. Selects Level 1 (Seleciona freezestat. de nível 1), Preset Speeds
Consulte os torques de aperto
(Velocidades predefinidas), Preset Speed #2 (Velocidade predefinida #2) (se J4-14 recomendados do terminal, na Seção 6.
estiver fechado).
Tabela 3-12 Tabela de seleção de velocidade – bomba de ventilador de 3 fios
J4-13
Aberto
Fechado
J4-14
Aberto
J4-15
Fechado
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Fechado
3-30 Recepção e instalação
Entrada de
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #1
(Velocidade predefinida #1).
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #2
(Velocidade predefinida #2).
Comando de velocidade do teclado
Entrada analógica (parâmetro Command Select, no bloco Level 1 Input)
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de 3 velocidades analógicas de 2 fios
Permite a seleção de 3 velocidades predefinidas com entrada de 2 fios. As entradas opto
podem ser interruptores como mostrado na Figura 3-31 ou sinais lógicos provenientes de
um outro dispositivo. As velocidades predefinidas são configuradas nos parâmetros Preset
Speed #1, Preset Speed #2 e Preset Speed #3 (Velocidade predefinida #1, #2 e #3), no bloco
Level 1 Preset Speeds (Velocidades predefinidas de nível 1).
Figura 3-31 Diagrama de conexão do controle de 3 velocidades analógicas de 2 fios
J4-8
J4-9
J4-10
Potenciômetro de
comando ou
de
0 a 10 VCC
Fechado faz o motor se movimentar na direção de avanço (com J4-10 aberto).
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop [Parada
5k
do Teclado]).
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Fechado faz o motor se movimentar na direção reversa (com J4-9 aberto).
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop [Parada
do Teclado]).
Nota: O fechamento de J4-9 e J4-10 ao mesmo tempo irá restaurar uma condição de
falha.
J4-11
Fechado seleciona a Entrada analógica #1.
Aberto seleciona o parâmetro Command Select (Seleção de Comando), no bloco
de Entrada de Nível 1.
J4-12
Fechado seleciona os comandos START/STOP (Iniciar/Parar) e Reset (Restaurar)
a partir da régua de terminais.
Aberto seleciona os comandos Start/Stop (Inicia/Parar) e Reset (Restaurar) a partir
do teclado.
Aberto seleciona o parâmetro Command Select (Seleção de comando), no bloco Level 1 Input
(Entrada de nível 1).
Aberto seleciona o comando de velocidade a partir do teclado.
Nota: Ao mudar da régua de terminais para o teclado (J4-12 ou J4-13) a velocidade e
a direção do motor irão permanecer as mesmas após a mudança.
J4-14
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-13, de seleção
de velocidade.
J4-15
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-13, de seleção
J4
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Velocidade de reversão
10
Seleção de ent. anal.
11
Comando de marcha
12
Comando de velocidade
13
Interruptor 1
14
Interruptor 2
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Tabela 3-13 Tabela de seleção de velocidade – 3 velocidades analógicas de 2 fios
J4-14
Aberto
Fechado
J4-15
Aberto
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
IMN715BR
Entrada de
Entrada analógica (parâmetro Command Select, no bloco Level 1 Input)
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #1 (Velocidade predefinida
#1).
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #2 (Velocidade predefinida
#2).
Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #3 (Velocidade predefinida #3).
Recepção e instalação 3-31
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de 3 velocidades analógicas de 3 fios
Permite a seleção de 3 velocidades predefinidas com entrada de 3 fios. As entradas opto
podem ser interruptores como mostrado na Figura 3-32 ou sinais lógicos provenientes de
um outro dispositivo.
Os valores das velocidades predefinidas são configuradas nos parâmetros Preset Speed
#1, Preset Speed #2 e Preset Speed #3 (Velocidade predefinida #1, #2 e #3), no bloco
Level 1 Preset Speeds (Velocidades predefinidas de nível 1).
Figura 3-32 Diagrama de conexão do controle de 3 velocidades analógicas de 3 fios
J4-9
Potenciômetro de
comando ou
de
0 a 10 VCC
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de avanço.
J4-10
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de reversa.
J4-11
Quando está no estado Aberto desacelera o motor para pará–lo (dependendo do
modo de Keypad Stop [Parada do teclado]).
J4-12
Fechado seleciona os comandos START/STOP (Iniciar/Parar) e Reset (Restaurar)
a partir da régua de terminais.
Aberto seleciona os comandos Start/Stop (Inicia/Parar) e Reset (Restaurar) a partir
do teclado.
J4-8
J4-13
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Fechado permite diversas seleções, consulte a Tabela 3-14, de seleção de
velocidade.
Aberto seleciona o comando de velocidade a partir do teclado.
Nota: Ao mudar da régua de terminais para o teclado (J4-12 ou J4-13) a velocidade e a
direção do motor irão permanecer as mesmas após a mudança.
J4-14
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-14, Seleção de
velocidade.
J4-15
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-14, Seleção de
velocidade.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip (Disparo
externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como “ON” para ativar
a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o motor
começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é registrada no
5k
J4
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
Velocidade de reversão
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Stop (Parada)
11
Comando de marcha
12
Comando de velocidade
13
Interruptor 1
14
Interruptor 2
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Tabela 3-14 Tabela de seleção de velocidade – 3 velocidades analógicas de 3 fios
J4-14
Aberto
Fechado
J4-15
Aberto
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
Entrada de
Entrada analógica (parâmetro Command Select, no bloco Level 1 Input)
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #1 (Velocidade predefinida
#1).
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #2 (Velocidade predefinida
#2).
Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #3 (Velocidade predefinida #3).
3-32 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de potenciômetro eletrônico de 2 fios
Fornece entradas de aumento e diminuição de velocidade para permitir operação de
potenciômetro eletrônico (EPOT) com entradas de 2 fios. As entradas opto podem ser
interruptores como mostrado na Figura 3-33 ou sinais lógicos provenientes de um outro
dispositivo. Os valores das velocidades predefinidas são configuradas nos parâmetros
Preset Speed #1 ou Preset Speed #2 (Velocidade predefinida #1 ou), no bloco Level 1
Preset Speeds (Velocidades predefinidas de nível 1).
Figura 3-33 Diagrama de conexão do modo EPOT de 2 fios
J4-8
J4-9
J4-10
J4
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
Potenciômetro de
comando ou
de
0 a 10 VCC
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de
5k
avanço.
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção
reversa.
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-15, de
seleção de velocidade.
J4-12
Seleciona o comando de velocidade conforme definido na Tabela 3-15, de
seleção de velocidade.
J4
13-Fechado seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 2.
Aberto seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 1.
J4-14
Momentaneamente Fechado aumenta a velocidade do motor enquanto o
contato está fechado.
J4-15
Momentaneamente Fechado diminui a velocidade do motor enquanto o
contato está fechado.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip
(Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como
“ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o
motor começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é
registrada no registro de falhas).
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Velocidade de avanço
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Velocidade de reversão
10
Seleção de velocidade #1
11
Seleção de velocidade #2
12
Selec. taxa Acel./Desac.
13
Aumenta
14
Diminui
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Nota: O fechamento de J4-9 e J4-10 ao mesmo tempo irá restaurar uma
condição de falha.
J4-11
Terra analógico
Ent. anal. 1
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Tabela 3-15 Tabela de seleção de velocidade
J4-11
Aberto
Fechado
Aberto
J4-12
Aberto
Aberto
Fechado
Fechado
Fechado
IMN715BR
Entrada de
Electronic Pot (Potenciômetro eletrônico)
Entrada analógica (parâmetro Command Select, no bloco Level 1 Input)
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #1 (Velocidade predefinida
#1).
Seleciona Nível 1, Preset Speeds (Velocidades predefinidas), Preset Speed #2 (Velocidade predefinida
#2).
Recepção e instalação 3-33
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de potenciômetro eletrônico de 3 fios
Fornece entradas de aumento e diminuição de velocidade para permitir operação de
potenciômetro eletrônico (EPOT) com entradas de 3 fios. As entradas opto podem ser
interruptores como mostrado na Figura 3-34 ou sinais lógicos provenientes de um outro
dispositivo.
Figura 3-34 Diagrama de conexão do modo EPOT de 3 fios
J4-8
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
J4-9
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção de
avanço.
J4-10
MOMENTANEAMENTE Fechado inicia a operação do motor na direção
reversa.
Nota: O fechamento de J4-9 e J4-10 ao mesmo tempo irá restaurar uma condição
de falha.
J4-11
Quando está no estado Aberto desacelera o motor para pará–lo (dependendo
do modo de Keypad Stop [Parada do teclado]).
Aberto seleciona o parâmetro Command Select (Seleção de comando), no bloco Level 1
Input (Entrada de nível 1).
Aberto seleciona o modo EPOT.
J4
13-Fechado seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 2.
Aberto seleciona ACC / DEC / S-CURVE grupo 1.
J4-14
Momentaneamente Fechado aumenta a velocidade do motor enquanto o
contato está fechado.
J4-15
Momentaneamente Fechado diminui a velocidade do motor enquanto o contato
está fechado.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip
(Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como “ON”
para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o
motor começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é
registrada no registro de falhas).
3-34 Recepção e instalação
J4
5k
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
Saída anal.a 1
Saída anal. 2
Habilitação
1
2
3
4
5
6
7
8
Velocidade de avanço
9
Velocidade de reversão
10
Stop (Parada)
11
EPOT/Selec. comando
12
Selec. taxa Acel./Desac.
13
Aumenta
14
Diminui
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Modo de operação de processo O modo de controle de processo fornece um controle de setpoint de PID de
propósito geral de loop fechado auxiliar. O loop de controle de processo pode ser
configurado de diversas formas e as descrições detalhadas do modo de processo são
definidas em MN707, “Introduction to Process Control (Introdução ao controle de
processo)”. As entradas opto podem ser interruptores como mostrado na Figura 3-35 ou
sinais lógicos provenientes de um outro dispositivo.
Figura 3-35 Diagrama de conexão do modo de processo
J4
J4-8
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto desabilita o controle e o motor começa a parar.
J4-9
Fechado faz o motor se movimentar na direção de avanço (com J4-10 aberto).
Potenciômetro de
comando ou
de 0 a 10 VCC
Terra analógico
Ent. anal. 1
Ref. do pot.
Ent. anal. +2
Ent. anal. -2
5k
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
J4-10
Fechado faz o motor se movimentar na direção reversa (com J4-9 aberto).
Aberto o motor desacelera para parar (dependendo do modo Keypad Stop
[Parada do Teclado]).
J4-11
Fechado, seleciona os parâmetros Accel/Decel (Aceleração/ Desaceleração)
de grupo 2.
Aberto, seleciona os parâmetros Accel/Decel (Aceleração/ Desaceleração)
de grupo 1.
J4-12
Fechado faz o controle movimentar na direção reversa.
J4-13
Fechado para habilitar o modo de processo.
J4-14
Fechado faz o controle movimentar na direção de avanço.
J4-15
Fechado para recuperar uma condição de falha.
Aberto movimenta.
J4-16
Se J4-16 for conectado, você deve configurar o parâmetro External Trip
(Disparo externo), no bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), como
“ON” para ativar a entrada opto.
Fechado permite a operação normal do controle.
Aberto provoca uma falha de disparo externo. O controle irá desabilitar e o
motor começará a parar. Uma falha de disparo externo é exibida (também é
registrada no registro de falhas).
Saída anal. 1
Saída anal. 2
Habilitação
Habilita avanço
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Habilita reversão
10
Seleciona rampa
11
Movimenta reverso
12
Habilita Modo de Processo
13
Movimento avanço
14
Restauração de falhas
15
Disparo externo
16
Comum da entrada opto
17
Consulte a Figura 3-36.
Consulte Torques de aperto
recomendados do terminal, na Seção 6.
Tabela 3-16 Compatibilidade de Sinal da Entrada do Modo de Processo
Realimentação
Setpoint ou
Feedforward
J4-1 e 2
J4-4 e 5
5V EXB
10V EXB
4-20mA EXB
3-15 PSI EXB
DC Tach EXB
EXB PULSE FOL Serial J4-1 e 2
J4-4 e 5
5V EXB
10V EXB
4-20mA
EXB
3-15 PSI
EXB
DC
Tach EXB
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËËËËËËË
ËËËËËËËËËË
ËËËËËËËËËË
ËËËËËËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËË
ËËËËËËËËËËËËËËËËËËËË
Exige placa de expansão EXB007A01 (Placa de expansão de E/S analógica de alta resolução).
Exige placa de expansão EXB004A01 (Placa de expansão com 4 relés de saída/interface pneumática de 3 a 15 PSI).
Exige placa de expansão EXB006A01 (Placa de expansão de interface de tacômetro DC).
Exige placa de expansão EXB005A01 (Placa de expansão de Referência de pulso mestre/seguidor de pulso isolado).
Usada somente para feedforward. Não deve ser usada como fonte ou realimentação de setpoint.
Exige placa de expansão EXB001A01 (Placa de expansão serial RS232) ou
exige placa de expansão EXB002A01 (Placa de expansão de comunicação serial de alta velocidade RS422/RS485).
ËËË
ËËË
Entradas conflitantes. Não utilize o mesmo sinal de entrada diversas vezes.
Placas de expansão de nível 1 ou 2 conflitantes. Não use!
IMN715BR
Recepção e instalação 3-35
Entrada de disparo externo O terminal J4-16 está disponível para conexão a um termostato normalmente fechado ou
a um contato de relé de sobrecarga em todos os modos de operação como mostrado na
Figura 3-36. O termostato ou o relé de sobrecarga deverá ser do tipo de contato seco
sem alimentação disponível a partir do contato. Se as atividades do termostato do motor
ou do relé de sobrecarga, o controle irá encerrar automaticamente e ocorrerá uma falha
de Disparo Externo. O relé opcional (CR1) exibido fornece o isolamento exigido e o
contato N.O. é aberto quando a alimentação for aplicada ao relé e o motor estiver frio. Se
o termostato do motor estiver engatado, o CR1 é desenergizado e o contato N.O. fecha.
Conecte os fios da entrada de disparo externo (contato N.O. do relé) a J4-16 e J4-17.
Não coloque estes fios no mesmo conduíte que os cabos condutores de alimentação do
motor.
Para ativar a entrada de disparo externo, o parâmetro External Trip (Disparo externo), no
bloco Level 2 Protection (Proteção de nível 2), deve estar configurado como “ON”.
Figura 3-36 Relé de temperatura do motor
Nota: Adicione o dispositivo de proteção
calculado adequadamente para o relé CA
(reprovador) ou relé CC (diodo).
Voltagem da fonte
fornecida pelo cliente
J4
*
CR1
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
Entradas opto-isoladas
T2 T3 G
T1
Cabos condutores do termostato do motor
* Motor
16
17
Disparo externo
Não passe estes fios no mesmo conduíte
que os cabos condutores do motor ou que
a fiação de alimentação CA.
*Hardware opcional. Deve ser pedido
separadamente.
O circuito equivalente das nove entradas opto é mostrado na Figura 3-37. A função de
cada entrada depende do modo de operação selecionado e é descrita anteriormente
nesta seção. Esta Figura também mostra as conexões utilizando a alimentação da
entrada opto interna.
Figura 3-37 Conexões da entrada opto (usando a alimentação interna)
J4
Saída opto #1
8
Saída opto #2
9
Entrada opto #3
10
Entrada opto #4
11
Entrada opto #5
12
Entrada opto #6
13
Entrada opto #7
14
Saída opto #8
15
Saída opto #9
16
Comum da entrada opto
17
+24 VCC @ 200 mA
(terminal de alimentação 39).
Terminais de jumper de 39 a 40
(instalado na fábrica)
3-36 Recepção e instalação
39
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
6,8k
40
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Figura 3-38 Conexões da entrada opto (usando a alimentação externa)
J4
J4
Saída opto #1
8
Saída opto #1
8
Saída opto #2
9
Saída opto #2
9
Entrada opto #3
10
Entrada opto #3
10
Entrada opto #4
11
Entrada opto #4
11
Entrada opto #5
12
Entrada opto #5
12
Entrada opto #6
13
Entrada opto #6
13
Entrada opto #7
14
Entrada opto #7
14
Saída opto #8
15
Saída opto #8
15
Saída opto #9
16
Saída opto #9
17
16
17
* VCC (-) do usuário
* VCC (+) do usuário
39
* VCC (+) do usuário
39
* VCC (-) do usuário
40
Fechamento das entradas opto para o terra
40
Fechamento das entradas ópticas para o +VCC
Consulte os torques de aperto
recomendados do terminal, na
Seção 6.
* VCC do usuário = de 10 a 30 VCC da fonte de
alimentação externa
Saídas digitais
Saídas opto–isoladas
Duas saídas opto–isoladas programáveis estão disponíveis nos terminais J4-19 e J4-20.
Veja a Figura 3-39. Cada saída pode ser programadas para representar uma condição
de saída. As condições de saída são definidas na Seção 4 deste manual.
As saídas opto-isoladas podem ser configuradas para absorção ou fornecimento de 60
mA cada uma, como mostrado na Figura 3-39. Porém, todas devem ser configuradas da
mesma forma. A voltagem máxima a partir de cada saída opto para o comum, quando
ativa, é de 1,0 VCC (compatível com TTL). O circuito equivalente para as saídas
opto–isoladas é mostrado na Figura 3-40.
Se as saídas opto forem utilizadas para controlar diretamente um relé, no mínimo um
diodo de flyback de 1 A, 100 V (1N4002), deverá ser conectado à bobina do relé.
Cada saída opto é programada no bloco de programação Level 1 Output (Saída de
nível 1).
Figura 3-39 Configurações da Saída Opto-isolada
24Com
Frenagem
dinâmica
Relés e
diodos
fornecidos
pelo cliente
17
18
19
20
39
+24 VCC
41
42
-
Relés e
diodos
fornecidos
pelo cliente
17
39
18
19
20
41
42
+24 VCC
Utilizando alimentação interna
(fornecendo a corrente do relé)
Utilizando alimentação interna
(absorvendo a corrente do relé)
Relés e
diodos
opcionais
fornecidos
pelo cliente
-
Alimentação de 10 VCC a
30 VCC opcional fornecida
pelo cliente
+
24Com
17
18
39
19
20
41
42
Utilizando alimentação externa
(absorvendo a corrente do relé)
Alimentação de 10 VCC a
30 VCC opcional fornecida
pelo cliente
+
17
18
39
19
20
41
42
Utilizando alimentação externa
(fornecendo a corrente do relé)
Relés e
diodos
opcionais
fornecidos
pelo cliente
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-37
Figura 3-40 Circuito equivalente da saída opto
J4
18
19
20
PC865
50 mA máximo
Saída opto 1
Saída opto 2
10 - 30 VCC
Saídas opto
PC865
50 mA máximo
41
42
Retorno da saída opto 1
Retorno da saída opto 2
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
Saídas do relé
Duas saídas de relé programáveis estão disponíveis nos terminais J4-21 e J4-22. Veja a
Figura 3-41. Cada saída pode ser individualmente configurada como contatos
normalmente abertos (N.O.) ou normalmente fechados (N.C.). Os jumpers JP3 e JP4
selecionam os contatos N.O. ou N.C. Estas saídas podem ser conectadas como
mostrado na Figura 3-41.
Cada saída pode ser programadas para representar uma condição de saída. As
condições de saída são definidas na Seção 4 deste manual.
Figura 3-41 Conexões da saída do relé
J4
21
22
RE
MOV
Relé 1 (Relay1) JP3
RE
Saída do relé 1 (Relay1)
Saída do relé 2 (Relay2)
MOV
5 A máximo
10 a 30 VCC ou
230 VCA
Relé 2 (Relay2) JP4
Consulte Torques de aperto recomendados do terminal, na Seção 6.
Lista de verificação pré-operacional
43
44
Retorno saída do relé 1
Retorno saída do relé 2
Verificação de itens elétricos
1.
Verifique se a tensão de linha CA na fonte é equivalente à tensão nominal do
controle.
2. Inspecione todas as conexões de alimentação quanto à exatidão, acabamento,
firmeza e concordância em relação às normas.
3. Verifique se o controle e o motor estão aterrados entre si e se o controle está
conectado ao terra.
4. Verifique se toda a fiação de sinais está correta.
5. Certifique–se de que todos os contatores, bobinas de freio e bobinas de relés
estão com supressores de ruído instalados. Esses filtros devem ser um filtro
R-C para bobinas CA e diodos com polarização reversa para bobinas CC. O
método de supressão de transientes MOV não é adequado.
Verificação de motores e acoplamentos
1. Verifique se os eixos de todos os motores giram livremente.
2. Verifique se o acoplamento do motor está bem firme e sem folgas.
3. Verifique se os freios de retenção, se houver algum, estão ajustados de forma
adequada para liberar completamente e com o valor de torque desejado.
3-38 Recepção e instalação
IMN715BR
Procedimento de inicialização Se você não estiver familiarizado com a programação de controles Baldor, consulte
a Seção 4 deste manual antes de ligar o controle.
Nota: O procedimento a seguir ajusta os valores de parâmetros mínimos
recomendados para permitir a operação do controle no modo de teclado
somente para ativação inicial.
1.
2.
Verifique se todas as entradas de habilitação para J4-8 estão abertas.
Ligue o equipamento. Assegure–se de que não haja indicação de falhas no
display do teclado.
3. Configure o Operating Mode (Modo de operação), no bloco Level 1 Input
(Entrada de nível 1), para “Keypad” (Teclado).
4. Certifique–se de que os parâmetro Local Enable INP (Entrada de habilitação
local) e External Trip (Disparo externo), ambos do bloco de Level 2 Protection
(Proteção de nível 2), estejam OFF.
5. Defina o parâmetro “Operating Zone” (zona de operação) no bloco “Output
Limits” (Limites de Saída) Nível 2, para o tipo de operação desejado (STD
CONST TQ, STD VAR TQ, QUIET CONST TQ ou QUIET VAR TQ) (torque
constante standard, torque variável standard, torque constante com operação
silenciosa ou torque variável com operação silenciosa).
6. Defina o parâmetro “MIN Output FREQ” (Freqüência mínima de saída), no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
7. Defina o parâmetro “MAX Output FREQ” (Freqüência máxima de saída), no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Nota: JP1 sai de fábrica na posição 2–3 (operação a <120Hz).
Para operação com MAX Output FREQ >120Hz, mude a posição de
JP1 nos pinos 1–2. Consulte a Figura 3-1 para obter a localização dos
jumpers.
8.
Se o ajuste desejado do limite de corrente de pico for diferente do ajustado
automaticamente pelo parâmetro Operation Zone (Zona de operação), defina o
parâmetro “PK Current Limit” no bloco “Output Limits”(Limites de Saída),
Nível 2.
9. Entre com os seguintes dados do motor nos parâmetros do bloco Level 2 Motor
Data (Dados do motor de nível 2):
Motor Voltage [Voltagem do motor] (entrada)
Motor Rated Amps [Corrente nominal do motor] (FLA)
Motor Rated Speed [Velocidade nominal do motor] (velocidade básica)
Motor Rated Frequency (Velocidade nominal do motor)
Motor Mag Amps [Corrente de magnetização do motor] (corrente no vazio)
10. Se for usado o módulo de frenagem dinâmica xxterno, defina os parâmetros
“Resistor Ohms” e “Resistor Watts” no bloco “Brake Adjust” (Ajuste de
frenagem), Nível 2.
11. Defina o parâmetro “V/HZ Profile” no bloco V/HZ Boost (Reforço V/Hz) do Nível
1 com a relação V/Hz correta para a sua aplicação.
12. Se a carga for do tipo de alto torque inicial de partida, poderá ser necessário
aumentar o reforço de torque e o tempo de aceleração. Defina “Torque Boost
(Reforço de torque)”, no bloco Level 1 V/HZ Boost (Reforço V/HZ de nível 1), e
“Accel Time #1 (Tempo de aceleração #1)”, no bloco Accel/Decel Rate (Taxa de
acel/desac de nível 1), como desejado.
13. Selecione e programe os parâmetros adicionais que sejam adequados à sua
aplicação.
O controle agora está pronto para operar no modo de teclado ou a régua de terminais
pode ser interligada e a programação alterada para um outro modo de operação.
IMN715BR
Recepção e instalação 3-39
3-40 Recepção e instalação
IMN715BR
Seção 4
Programação e operação
Visão geral
O teclado é utilizado para programar os parâmetros do controle, operar o motor e
monitorar o estado e as saídas do controle através do acesso a opções de exibição,
menus de diagnóstico e registro de falhas.
Figura 4-1 Teclado
JOG Ć
(Verde) acende quando o Jog (salto) está ativado.
FWD Ć
(Verde) acende quando a direção FWD (avanço) é comandada.
REV Ć
(Verde) acende quando a direção REV (reversa) é comandada.
STOP Ć (Verde) acende quando a instrução STOP (parar) do motor é comandada.
Indicadores luminosos
Display do teclado Ć Exibe as informações de
estado durante a operação Local ou Remota. Ele
também exibe as informações durante a
configuração de um parâmetro e informações
sobre falhas e de diagnóstico.
PROG Ć Pressione PROG para entrar no modo
de programação. Enquanto o controle está no
modo de programação, a tecla PROG é utilizada
para editar a configuração de um parâmetro.
JOG Ć Pressione JOG para selecionar a
velocidade de salto programada. Após a tecla
JOG ter sido pressionada, utilize as teclas FWD
ou REV para movimentar o motor na direção
necessária. A tecla JOG está ativa somente no
modo local.
FWD Ć Pressione FWD para iniciar a rotação de
avanço do motor (ativa nos modos Local e Jog).
REV Ć Pressione REV para iniciar a rotação do
motor no sentido reverso. (ativa nos modos Local
e Jog).
STOP Ć Pressione STOP para iniciar uma
seqüência de parada. Dependendo da
configuração do controle, o motor irá regenerar
ou começar a parar. Esta tecla funciona em todos
os modos de operação, exceto se ela tiver sido
desabilitada pelo parâmetro Keypad Stop
(Parada do teclado), no bloco Keypad Setup
[Configuração do teclado] (programação).
LOCAL Ć Pressione LOCAL para alternar entre a
operação local (teclado) e remota.
IMN715BR
Y Ć (seta para cima)
Pressione Y para modificar o valor do parâmetro
que está sendo exibido. Para incrementar o valor
para o próximo valor maior, pressione Y. Além
disso, quando um registro de falhas ou lista de
parâmetros é exibida, a tecla Y irá fazer com que
a lista role na direção superior. Quando a tecla Y
for pressionada no modo local, a velocidade do
motor aumentará para o próximo valor mais alto.
DISP Ć Pressione DISP para retornar ao modo de
display a partir do modo de programação.
Fornece o estado de operação e avança para o
próximo item de menu do display.
SHIFT Ć Pressione SHIFT no modo de
programação para controlar o movimento do
cursor. Pressione a tecla SHIFT uma vez para
movimentar o cursor intermitente uma posição de
caractere para a direita. No modo de
programação, um valor de parâmetro pode ser
restaurado para o valor predefinido de fábrica
pressionando-se a tecla SHIFT até que os
símbolos de seta na lateral esquerda do display
do teclado pisquem, então, pressione um tecla de
seta. No modo de display, a tecla SHIFT é
utilizada para ajustar o contraste do teclado.
RESET Ć Pressione RESET para eliminar todas
as mensagens de falha (em modo local). Ela
também pode ser utilizada para retornar ao topo
do bloco do menu de programação sem salvar
nenhuma mudança no valor do parâmetro.
ENTER Ć Pressione ENTER para salvar as
mudanças de valor do parâmetro e voltar para o
nível anterior no menu de programação. No modo
de display, a tecla ENTER é utilizada para
configurar diretamente a referência de velocidade
local. Ela também é utilizada para selecionar
outras operações quando solicitadas pelo display
do teclado.
B Ć (seta para baixo)
Pressione B para modificar o valor do parâmetro
que está sendo exibido. Para diminuir o valor
para o próximo valor menor, pressione B. Além
disso, quando um registro de falhas ou lista de
parâmetros for exibido, a tecla B irá fazer com
que a lista role na direção inferior. Quando a tecla
B for pressionada no modo local, a velocidade do
motor diminuirá para o próximo valor mais baixo.
Programação e operação 4-1
Seção 1
Informações gerais
Modo de exibição
O controle está sempre em modo de exibição exceto quando está no modo de
programação. O teclado exibe o estado do controle como mostrado no exemplo a seguir:
Estado do motor
Operação do controle
Condição da saída
Valor e unidades
Ajuste do contraste do display
Quando o controle for ligado, o teclado deverá exibir o estado do controle. Se não
houver nenhuma exibição no display, utilize o procedimento a seguir para ajustá–lo.
(o contraste pode ser ajustado no modo de display quando o motor estiver parado ou em
movimento).
Descrição
Ação
Ligue o controle
Display não visível
Pressione a tecla DISP
Coloca o controle no modo de
display
Pressione a tecla SHIFT
2 vezes
Permite o ajuste do contraste do
display
Pressione a tecla ou
Ajusta a intensidade do display
Pressione ENTER
Salva o nível de contraste e sai
para o modo de display
Display
Comentários
Modo de display.
Telas do display
Nota: A ordem de exibição está de acordo com a apresentação (a rolagem ocorre
pela ordem). Todavia, a primeira exibição após a mensagem “Baldor Motors &
Drives” será a última exibição que você verá antes de desligar o controle.
Descrição
Ação
Display
Comentários
Ligue o controle
Modo do display exibindo o
estado do modo, da voltagem, da
corrente e da freqüência.
Pressione a tecla DISP
Rola para o bloco de registro de
falhas.
Nenhuma falha presente. Modo
de teclado local. Se estiver no
modo remoto, pressione local
para obter esta exibição.
Pressione ENTER se desejar ver
o registro de falhas.
Pressione a tecla DISP
Rola para o bloco de informações
de diagnóstico.
Pressione ENTER se desejar ver
as informações de diagnóstico.
Pressione a tecla DISP
Role para o bloco de referência
de velocidade local.
Pressione ENTER para mudar a
velocidade do motor.
Pressione a tecla DISP
Modo de display mostrando a
freqüência de saída.
Pressione a tecla DISP
Modo de display mostrando a
velocidade do motor (baseada na
freqüência de saída).
Modo de display mostrando a
corrente de saída.
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Modo de display mostrando a
voltagem de saída.
4-2 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Modo de programação
Utilize o modo de programação para personalizar o controle para uma variedade de
aplicações através da programação dos parâmetros de controle. No modo de display,
pressione a tecla PROG para acessar o modo de programação. Para retornar ao modo
de display, pressione a tecla DISP. Note que quando um parâmetro é selecionado,
pressionar alternadamente as teclas DISP e PROG irá alternar entre o modo de display e
o parâmetro selecionado. Quando um parâmetro for selecionado para programação, o
display do teclado fornecerá as seguintes informações:
Parâmetro
Estado do parâmetro
Estado do parâmetro
Valor e unidades
Todos os parâmetros programáveis são exibidos com um P: no canto inferior esquerdo
do display do teclado. Se um parâmetro for exibido com um V:, a configuração pode ser
visualizada mas não modificada enquanto o motor estiver em operação. Se o parâmetro
for exibido com um L:, o valor está bloqueado e o código de acesso de segurança deverá
ser entrado antes do seu valor ser modificado.
Acesso aos blocos de parâmetros para programação
Utilize o procedimento a seguir para acessar os blocos de programação para programar
o controle.
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
remota.
Modo de display.
Se for exibida uma falha, consulte
a seção de Detecção e resolução
de problemas, neste manual.
Pressione a tecla PROG
Pressione ENTER para acessar
os parâmetros de velocidade
predefinidos.
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco ACCEL/DECEL
(Aceleração/Desaceleração).
Pressione ENTER para acessar
os parâmetros de taxa de
aceleração e desaceleração.
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Level 2 (de
nível 2).
Pressione ENTER para acessar
os blocos Level 2 (de nível 2).
Pressione a tecla
ENTER
Primeira exibição do bloco de
nível 2.
Pressione a tecla ou
Rola para o menu Programming
Exit (Saída da programação).
Pressione a tecla
ENTER
Retorna ao modo de display.
IMN715BR
Pressione ENTER para retornar
ao modo de display.
Programação e operação 4-3
Seção 1
Informações gerais
Alteração do valor dos parâmetros sem o uso do código de segurança
Utilize o procedimento a seguir para programar ou alterar um parâmetro já programado
no controle sem utilizar um código de segurança.
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Acessa o modo de programação.
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Level 1 Input
(Entrada de nível 1).
Pressione ENTER para acessar o
parâmetro do bloco INPUT
(Entrada).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o bloco de entrada.
O modo de teclado mostrado é a
configuração de fábrica.
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o modo de operação.
O modo de teclado mostrado é a
configuração de fábrica.
Pressione a tecla Role para fazer a sua seleção.
Quando o cursor estiver
piscando, selecione o modo
desejado. A mensagem
“Standard run” é exibida.
Pressione ENTER
Salve a seleção na memória.
Pressione ENTER para salvar a
seleção.
Pressione a tecla Rola para a saída do menu.
Pressione a tecla
ENTER
Retorna para o bloco Input
(Entrada).
Pressione a tecla DISP
Retorna ao modo de display.
4-4 Programação e operação
Modo de display típico.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Restauração dos parâmetros para as configurações de fábrica
Algumas vezes é necessário restaurar as configurações de fábrica dos valores dos
parâmetros. Siga este procedimento para fazer a restauração.
Nota: Todos os valores de parâmetros já programados serão modificados quando
for feita a restauração das configurações de fábrica.
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Entra no modo de programação.
Pressione a tecla ou
Rola para os blocos Level 2 (de
nível 2).
Pressione a tecla
ENTER
Seleciona os blocos Level 2 (de
nível 2)
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Miscellaneous
(Miscelânea).
Pressione a tecla
ENTER
Seleciona o bloco Miscellaneous
(Miscelânea).
Pressione a tecla Rola para o parâmetro Factory
Settings (Configurações de
fábrica).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o parâmetro Factory
Settings (Configurações de
fábrica).
representa o cursor
intermitente.
Pressione a tecla Rola para STD SETTINGS para
escolher as configurações
originais de fábrica.
Para motores de 50 Hz, configure
como 50 Hz/400 VOLTS.
Pressione a tecla
ENTER
Restaura as configurações de
fábrica.
“Loading Presets” (Carregando
predefinições) é a primeira
mensagem “Operation Done”
(Operação concluída) é a próxima
“No” (Não) é exibido por último.
Pressione a tecla Rola para a saída do menu.
Pressione a tecla
ENTER
Retorna para o bloco
Miscellaneous (Miscelânea).
Pressione a tecla DISP
Retorna ao modo de display.
IMN715BR
Modo de display. LED STOP
aceso.
Programação e operação 4-5
Seção 1
Informações gerais
Inicialização a EEPROM do novo software
Após a instalação de uma nova EEPROM, o controle irá automaticamente inicializar a
nova versão do software e as localizações de memória se “STD Settings (Parâmetros
padrão)” estiver selecionado. Se você precisar reinicializar o controle para as
configurações de 50 Hz / 400 Volts, utilize o seguinte procedimento.
Nota: Todos os valores de parâmetros já programados serão modificados quando
for feita a restauração das configurações de fábrica.
Descrição
Ação
Ligue o controle
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Entra no modo de programação.
Pressione a tecla ou
Rola para os blocos Level 2 (de
nível 2).
Pressione a tecla
ENTER
Seleciona os blocos Level 2 (de
nível 2)
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Miscellaneous
(Miscelânea).
Pressione a tecla
ENTER
Seleciona o bloco Miscellaneous
(Miscelânea).
Pressione a tecla Pressione a tecla
ENTER
Rola para o parâmetro Factory
Settings (Configurações de
fábrica).
Acessa o parâmetro Factory
Settings (Configurações de
fábrica).
Rola para STD SETTINGS para
escolher as configurações
originais de fábrica.
Restaura as configurações de
fábrica.
Pressione a tecla Rola para a saída do menu.
Pressione a tecla
ENTER
Retorna ao modo de display.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla DISP
Rola para o bloco de informações
de diagnóstico.
Pressione a tecla
ENTER
Acessa as informações de
diagnóstico.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
versão e a revisão do software
instalado no controle.
Exibe a opção de saída.
Se desejar verificar a versão do
software, entre nas informações
de diagnóstico.
Exibe a velocidade comandada, a
direção de rotação, local/remoto e
a velocidade do motor.
Verifica a versão do novo
software.
Pressione a tecla
ENTER
Pressione a tecla Pressione a tecla DISP
4-6 Programação e operação
representa o cursor
intermitente.
Para motores de 50 Hz, configure
como 50 Hz/400 VOLTS.
“Loading Presets” (Carregando
predefinições) é a primeira
mensagem “Operation Done”
(Operação concluída) é a próxima
“No” (Não) é exibido por último.
Pressione ENTER para sair das
informações de diagnóstico.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Exemplos de operação
Operação do controle a partir do teclado
Se o controle estiver configurado para controle remoto ou serial, o modo LOCAL deverá
ser ativado antes do controle poder ser operado a partir do teclado. Para ativar o modo
LOCAL, primeiro o motor deverá ser parado utilizando–se a tecla STOP (se ela estiver
habilitada), os comandos remotos ou os comandos seriais.
Nota: Pressionando–se a tecla STOP do teclado (se ela estiver habilitada) um
comando de parada do motor será emitido automaticamente e o modo
passará para LOCAL.
Quando o motor for parado, o modo LOCAL será ativado pressionando–se a tecla
“LOCAL”. A seleção do modo LOCAL sobrepõe quaisquer entradas do controle remoto
ou serial exceto para a entrada External Trip (Disparo externo), Local Enable Input
(Entrada de habilitação local) ou STOP.
O controle pode operar o motor de três (3) formas diferentes a partir do teclado.
1.
Comando JOG (Salto).
2.
Ajuste de velocidade com valores entrados através do teclado.
3.
Ajuste de velocidade usando as teclas de seta do teclado.
Nota: Se o controle tiver sido configurado para teclado no parâmetro Operating
Mode (Modo de operação), no bloco Level 1 Input (Entrada de nível 1), então
nenhum outro meio de operação será permitido além do teclado.
Acessando o comando JOG (Salto) do teclado
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla JOG
Acessa a velocidade JOG (Salto)
programada.
LED da tecla JOG aceso.
Pressione e mantenha
pressionada a tecla
FWD ou REV.
Mova o controle no sentido de
avanço e reverso na velocidade
de salto.
Controla o movimento enquanto a
tecla FWD ou REV está
pressionada. LEDs JOG e FWD
(ou REV) acesos.
Pressione a tecla JOG
Desabilita o modo de salto.
LED JOG apagado.
LED da tecla STOP aceso.
IMN715BR
Programação e operação 4-7
Seção 1
Informações gerais
Ajuste de velocidade usando a referência de velocidade local
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla
ENTER
Selecione a referência de
velocidade local.
Pressione a tecla SHIFT
Move o cursor intermitente um
dígito para a direita.
Pressione a tecla Aumenta o valor das dezenas em
um dígito.
Pressione a tecla
ENTER
Salva o novo valor e retorna para
o modo de display.
Pressione a tecla FWD
ou REV
O motor movimenta–se FWD
(avanço) ou REV (reverso) na
velocidade comandada.
LED FWD (REV) aceso.
Pressione a tecla STOP
Comando Stop (Parar) motor
emitido.
Modo de display. LED STOP
aceso.
representa o cursor
intermitente.
Ajuste da velocidade utilizando as teclas de setas
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla FWD
ou REV
O motor movimenta–se FWD
(avanço) ou REV (reverso) na
velocidade selecionada.
LED da tecla FWD aceso.
Pressione a tecla Aumenta a velocidade do motor.
Modo de display.
Pressione a tecla Diminui a velocidade do motor.
Modo de display.
Pressione a tecla STOP
Comando Stop (Parar) motor
emitido.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla FWD
ou REV
O motor movimenta–se FWD
(avanço) ou REV (reverso) na
velocidade comandada.
O motor movimenta–se na
velocidade definida previamente.
Pressione a tecla STOP
Comando Stop (Parar) motor
emitido.
Modo de display. LED STOP
aceso.
4-8 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Mudanças no sistema de segurança
O acesso aos parâmetros programados pode ser protegido contra modificações através
do recurso de código de segurança. O Código de Segurança é definido configurando–se
o bloco Level 2 Security Control (Controle de segurança de nível 2). Para implementar o
recurso de segurança, utilize o seguinte procedimento:
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Entra no modo de programação.
Pressione a tecla ou
Rola para os blocos Level 2 (de
nível 2).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa os blocos Level 2 (de
nível 2)
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Security
Control (Controle de segurança).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o bloco Security Control
(Controle de segurança).
Pressione a tecla Rola para o parâmetro Access
Code (Código de acesso).
Pressione a tecla
ENTER
O parâmetro Access Code
(Código de acesso) pode ser
modificado.
Utilize a tecla para mudar o
valor. Exemplo: 8999.
Pressione a tecla Pressione a tecla
ENTER
Salva o parâmetro Access Code
(Código de acesso)
Pressione a tecla Rola para o Security State
(Estado de segurança).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o parâmetro Security
State (Estado de segurança).
Pressione a tecla Seleciona Local Security
(Segurança local).
Pressione a tecla
ENTER
Salva a seleção.
Pressione a tecla DISP
Retorna ao modo de display.
representa o cursor
intermitente.
representa o cursor
intermitente.
O display do teclado não exibirá o
código de acesso do usuário.
Anote o seu valor para referência
futura.
representa o cursor
intermitente.
P: mudará para L: depois de
retornar ao modo de display por
mais do que o tempo definido no
parâmetro Access Time (Tempo
de acesso).
Modo de display típico.
Nota: Anote o seu código de acesso e armazene–o em um local seguro. Se você
não puder obter acesso aos valores do parâmetro para mudar um parâmetro
protegido, entre em contato com a Baldor. Esteja preparado para fornecer o
código de 5 dígitos localizado na lateral inferior direita do display do teclado,
quando for solicitado, para o parâmetro Enter Code (Entre com o código).
IMN715BR
Programação e operação 4-9
Seção 1
Informações gerais
Mudando os valores do parâmetro usando um código de segurança
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Entra no modo de programação.
Pressione a tecla ou
Retorna para o bloco Input
(Entrada).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o bloco Input (Entrada)
para mudar a configuração do
Operating Mode (Modo de
operação).
Pressione a tecla
ENTER
Quando a segurança está
ativada, os valores do parâmetro
não podem ser modificados.
Pressione a tecla Entra com o Access Code
(Código de acesso).
Exemplo: 8999.
L: mostra que o parâmetro está
Locked (Bloqueado).
representa o cursor
intermitente.
Pressione a tecla
ENTER
Pressione a tecla ou
Role para fazer a sua seleção.
Pressione ENTER
Salva o parâmetro selecionado.
Pressione a tecla ou
Rola para a saída do menu.
Pressione a tecla
ENTER
Retorna para o bloco Input
(Entrada).
Pressione a tecla DISP
Retorna ao modo de display.
P: mudará para L: depois de
retornar ao modo de display por
mais do que o tempo
especificado no parâmetro
Access Time (Tempo de acesso).
Modo de display típico.
Nota: Anote o seu código de acesso e armazene–o em um local seguro. Se você
não puder obter acesso aos valores do parâmetro para mudar um parâmetro
protegido, entre em contato com a Baldor. Esteja preparado para fornecer o
código de 5 dígitos localizado na lateral inferior direita do Display do Teclado
ao prompt do parâmetro Enter Code (Entre com o Código).
4-10 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Mudança do parâmetro Security System Access Timeout (Suspensão de acesso ao sistema de
segurança)
Ação
Ligue o controle
Descrição
Display
Comentários
O display do teclado exibe esta
mensagem de abertura.
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Se não houver falhas e estiver
programado para operação
LOCAL.
Modo de display. LED STOP
aceso.
Pressione a tecla PROG
Entra no modo de programação.
Pressione a tecla ou
Rola para os blocos Level 2 (de
nível 2).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa os blocos Level 2 (de
nível 2)
Pressione a tecla ou
Rola para o bloco Security
Control (Controle de segurança).
Pressione a tecla
ENTER
Acessa o bloco Local Security
(Segurança local).
Pressione a tecla Rola para o parâmetro Access
Timeout (Suspensão de acesso).
Pressione a tecla
ENTER
Tenta acessar o parâmetro
Access Timeout (Suspensão de
acesso).
representa o cursor
intermitente.
Pressione a tecla Utilize a tecla para mudar o
valor. Exemplo: 8999.
Nota: Ignora o número de 5
dígitos à direita (exemplo: 23956).
Pressione a tecla
ENTER
Salva o parâmetro Access Code
(Código de acesso)
O código de segurança entrado
está correto.
Todo os parâmetros podem ser
modificados.
Pressione a tecla SHIFT.
Move o cursor um dígito para a
direita.
O valor de Access Timeout
(Suspensão de acesso) pode ser
qualquer valor entre 0 e 600
segundos.
Pressione a tecla três
vezes
Mude de 0 a 3.
Exemplo: 30 segundos.
Pressione a tecla
ENTER
Salva o valor.
P: mudará para L: depois de
retornar ao modo de display por
mais do que o tempo
especificado no parâmetro
Access Time (Tempo de acesso).
Pressione a tecla DISP
Retorna ao modo de display.
Modo de display típico.
Nota: Anote o seu código de acesso e armazene–o em um local seguro. Se você
não puder obter acesso aos valores do parâmetro para mudar um parâmetro
protegido, entre em contato com a Baldor. Esteja preparado para fornecer o
código de 5 dígitos localizado na lateral inferior direita do Display do Teclado
ao prompt do parâmetro Enter Code (Entre com o Código).
IMN715BR
Programação e operação 4-11
Seção 1
Informações gerais
Definições dos parâmetros (Versão S15H–5.01)
Blocos de nível 1
Preset Speeds
Preset Speed #1
Preset Speed #2
Preset Speed #3
Preset Speed #4
Preset Speed #5
Preset Speed #6
Preset Speed #7
Preset Speed #8
Preset Speed #9
Preset Speed #10
Preset Speed #11
Preset Speed #12
Preset Speed #13
Preset Speed #14
Preset Speed #15
Accel / Decel Rate
Accel Time #1
Decel Time #1
S-Curve #1
Accel Time #2
Decel Time #2
S-Curve #2
Jog Settings
Jog Speed
Jog Accel Time
Jog Decel Time
Jog S-Curve
Keypad Setup
Keypad Stop Key
Keypad Stop Mode
Keypad Run Fwd
Keypad Run Rev
Keypad Jog Fwd
Keypad Jog Rev
3 Speed Ramp
Switch on Fly
LOC. Hot Start
Blocos de nível 2
Input
Operating Mode
Command Select
ANA CMD Inverse
ANA CMD Offset
ANA CMD Gain
CMD SEL Filter
Power Up Mode
Output Limits
Operating Zone
Min Output Frequency
Max Output Frequency
PK Current Limit
REGEN Limit
REGEN Limit ADJ
PWM Frequency
Output
Digital Out #1
Digital Out #2
Digital Out #3
Digital Out #4
Zero SPD Set PT
At Speed Band
Set Speed Point
Analog Out #1
Analog Out #2
Analog Scale #1
Analog Scale #2
Underload Set Point
Custom Units
MAX Decimal Places
Value at Speed
Value DEC Places
Value Speed REF
Units of Measure
Units of MEAS 2
V/HZ and Boost
Ctrl Base Frequency
Torque Boost
Dynamic Boost
Slip Comp Adj
V/HZ Profile
V/HZ 3-PT Volts
V/HZ 3-PT Frequency
Max Output Volts
Protection
External Trip
Local Enable INP
Miscellaneous
Restart Auto/Man
Restart Fault/Hr
Restart Delay
Factory Settings
Language Select
STABIL ADJ Limit
Stability Gain
Security Control
Security State
Access Timeout
Access Code
Motor Data
Motor Voltage
Motor Rated Amps
Motor Rated Speed
Motor Rated Frequency
Motor Mag Amps
Brake Adjust
Resistor Ohms
Resistor Watts
DC Brake Voltage
DC Brake Frequency
Brake on Stop
Brake on Reverse
Stop Brake Time
Brake on Start
Start Brake Time
Process Control
Process Feedback
Process Inverse
Setpoint Source
Setpoint Command
Set PT ADJ Limit
At Setpoint Band
Process PROP Gain
Process INT Gain
Process DIFF Gain
Follow I:O Ratio
Follow I:O Out
Encoder Lines
Integrator Clamp
Minimum Speed
Skip Frequency
Skip Frequency #1
Skip Band #1
Skip Frequency #2
Skip Band #2
Skip Frequency #3
Skip Band #3
Synchro Starts
Synchro Starts
Sync Start Frequency
Sync Scan V/F
Sync Setup Time
Sync Scan Time
Sync V/F Recover
Sync Direction
Communications
Protocol
Baud Rate
Drive Address
4-12 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-1 Valores de Blocos de Parâmetros, Nível 1
Título do bloco
PRESET
SPEEDS
(Velocidades
predefinidas)
Parâmetro
Preset Speeds
#1 a #15
ACCEL/DECEL
RATE (Taxa de
aceleração/
desaceleração)
Accel Time #1,2
Decel Time #1,2
S-Curve #1,2
JOG SETTINGS
(Configurações de
salto)
Jog Speed
(Velocidade de
salto)
Jog Accel Time
Jog Decel Time
Jog S-Curve
Descrição
Permite a seleção de 15 velocidades predefinidas de operação do motor.
Cada velocidade pode ser selecionada utilizando–se interruptores externos
conectados à régua de terminais (J4) do controle.
Para a operação do motor, um comando de direção do motor deve ser fornecido com
um comando de velocidade predefinida (em J4).
O tempo de aceleração é o número de segundos exigido para o motor aumentar, numa
taxa linear, de 0 Hz até a freqüência especificada no parâmetro “Max Output
Frequency” (Freqüência de saída máxima), no bloco Level 2 Output Limits (Limites
de saída de nível 2).
O tempo de desaceleração é o número de segundos necessários para o motor
desacelerar da freqüência especificada no parâmetro “Max Output Frequency”
(Freqüência de saída máxima) até 0 Hz.
S-Curve (Curva S) é uma porcentagem do tempo total de aceleração ou desaceleração
e fornece inícios e paradas suaves. A
Figura 4-2 ilustra como a aceleração do motor é modificada utilizando–se uma Curva
S de 40%.
0% representa nenhum “S” e 100% representa “S” total sem segmento linear.
Exemplo: Freqüência de saída máxima =100 Hz; Freqüência predefinida = 50 Hz,
Tempo de aceleração =10 s.
Neste exemplo, a freqüência de saída do controle será de 50 Hz, 5 segundo após
comandada.
Nota: Accel #1, Decel #1 e S-Curve #1 são associados em conjunto. Da mesma
forma, Accel #2, Decel #2 e S-Curve #2 são associados em conjunto.
Essas associações podem ser utilizadas para controlar qualquer Preset
Speed (Velocidade predefinida) ou comando externo de velocidade
(potenciômetro).
Nota: Como o projeto do motor utiliza o escorregamento do motor para produzir
torque, a velocidade do motor não aumentará/diminuirá necessariamente
de um forma linear com a freqüência do motor.
Nota: Se ocorrerem falhas (deslizes do motor) durante a aceleração ou
desaceleração, a seleção de uma curva S poderá eliminá–las sem afetar o
tempo de subida geral. Alguns ajustes nas configurações de aceleração,
desaceleração e Curva S podem ser necessários para otimizar sua
aplicação.
A velocidade de salto é a freqüência comandada utilizada durante o salto. A velocidade
de salto pode ser iniciada a partir do teclado ou da régua de terminais. No teclado,
pressione a tecla JOG e a tecla FWD ou REV. Na régua de terminais, a entrada JOG
(J4-12) e Forward (J4-9) ou Reverse (J4-10) devem esta fechadas e mantidas.
O modo de controle de processo é diferente. Se a entrada Process Mode (Modo de
processo) na régua de terminais (J4-13) estiver fechada, ao pressionar JOG (ou
fechar J4-14) irá fazer com que o acionamento gire (sem que se pressione FWD ou
REV). A entrada JOG também atua como um comando RUN.
O tempo de aceleração de salto é o tempo de aceleração utilizado durante o salto.
O tempo de desaceleração de salto é o tempo de desaceleração utilizado durante o
salto.
Curva S de salto é a Curva S utilizada durante o salto.
20
%
0%
Curva
20
%
0
Máx
Accel Time (Tempo de aceleração)
Accel S-Curves (Curvas S de aceleração)
IMN715BR
40%
Curva
Freqüência de saída
Freqüência de saída
Figura 4-2 Exemplo de Curva S a 40%
40%
Curva
20
%
0%
Curva
20
%
0
Máx
Decel Time (Tempo de desaceleração)
Decel S-Curves (Curvas S de desaceleração)
Programação e operação 4-13
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-1 Definições do bloco Level 1 Parameter (Parâmetro de nível 1) - continuação
Título do
bloco
KEYPAD SETUP
(Configuração do
teclado)
Parâmetro
Descrição
Keypad Stop Key
Remote OFF ć A tecla Stop no teclado não está ativa durante operações remotas.
Remote ON - Permite que a tecla STOP inicie a parada do motor durante a operação remota ou serial (se
configurado como Remote ON). Pressionar a tecla STOP inicia o comando de parada e automaticamente
seleciona o modo local.
Faz o motor começar a parar ou regenerar para um comando de parada. Em COAST, o motor é desligado e
permite-se que ele comece a parar. Em REGEN, a voltagem e a freqüência do motor são reduzidas a uma
taxa definida pelo parâmetro Decel Time (Tempo de desaceleração).
OFF desabilita a tecla FWD em modo local.
ON ativa a tecla FWD do teclado em modo local.
OFF desabilita a tecla REV em modo local.
ON ativa
i a tecla
l REV ddo teclado
l d em modo
d llocal.l
OFF desabilita a tecla FWD em modo de salto local.
ON ativa a tecla FWD do teclado em modo de salto local.
OFF desabilita a tecla REV em modo de salto local.
ON ativa a tecla REV do teclado em modo de salto local.
Aumenta a velocidade em 3 passos enquanto a tecla ou está pressionada. O incremento mínimo é de 0,01
Hz quando configurado como ON (o incremento mínimo é de 1,0 Hz quando configurado como OFF).
Premite a comutação de modo local para remoto ou de volta de local sem interromper o acionamento.
Loc. Hot Start (Início a quente local) Ć A entrada STOP em J4Ć11 no modo de teclado está habilitada (quando
ON).
Doze modos de operação" estão disponíveis. As opções são: teclado, marcha Standard de 3 fios, 15
velocidades de 2 fios, bomba de ventilador de 2 fios, bomba de ventilador de 3 fios, serial, controle de
processo, 3 velocidades analógicas de 2 fios, 3 velocidades analógicas de 3 fios, potenciômetro eletrônico de
2 fios e potenciômetro eletrônico de 3 fios. As conexões externas com o controle são feitas na régua de
terminais J4 (os diagramas de conexões são mostrados na Seção 3, Seleção do modo de operação").
Selecione a referência de velocidade externa a ser utilizada.
Potentiometer (Potenciômetro) é o método de controle de velocidade mais simples. Selecione Potentiometer e
conecte um potenciômetro de 5k em J4Ć1, J4Ć2 e J4Ć3.
A entrada de 0a 5 ou de 0 a 10 VCC é selecionada quando o sinal de entrada é aplicado a J4Ć4 e J4Ć5.
A Seleção de 4a 20 mA deverá ser considerada se houver uma longa distância entre o dispositivo externo e o
controle. O loop de corrente permite cabos mais longos em J4Ć4 e J4Ć5 com menos atenuação do sinal de
comando.
Nota: Ao utilizar a operação de 4 a 20 mA, o jumper JP2 na placa principal do controle
deverá ser movido para os pinos 1 e 2 (Figura 3 3-2).
10VOLT EXB Ć seleciona a placa de expansão opcional de E/S de alta resolução, se a mesma estiver instalada.
4Ć20mA EXB Ć seleciona a entrada de 4 a 20 mA da placa de expansão opcional de E/S de alta resolução, se a
mesma estiver instalada.
3Ć15 PSI EXB seleciona a placa de expansão de 3 a 15 PSI, se a mesma estiver instalada.
Tachometer EXBĆ seleciona a placa de expansão opcional do tacômetro CC, se a mesma estiver instalada.
Pulse Follower EXB seleciona a placa de expansão opcional do Seguidor de Pulso Mestre, se a mesma estiver
instalada.
OFF" irá fazer com que uma voltagem de entrada baixa (por exemplo, 0 VCC) seja um comando de velocidade
baixa do motor e uma voltagem de entrada máxima (por xemplo, 10VCC) seja o comando de velocidade
máxima do motor. ON" irá fazer com que uma voltagem de entrada baixa (por exemplo, 0 VCC) seja um
comando de velocidade máxima do motor e uma voltagem de entrada máxima (por xemplo, 10 VCC) seja o
comando de velocidade baixa do motor.
Fornece um deslocamento para a entrada analógica para minimizar o desvio de sinal. Por exemplo, se o sinal de
velocidade mínima for de 1VCC (em vez de 0VCC), o parâmetro ANA CMD Offset pode ser configurado para
Ć10% para que a entrada de voltagem mínima seja vista pelo controle como 0VCC.
Fornece um fator de ganho para o sinal de entrada de referência de velocidade analógica. Por exemplo, se o
sinal de referência de velocidade analógica for de 0 a 9 VCC, a configuração de ANA CMD Gain como 111%
permite que o controle interprete 0 a 10 VCC como o sinal de entrada.
Fornece uma filtragem para o sinal de entrada de referência de velocidade analógica. Quanto maior o número
(0 a 6) maior a filtragem de ruído fornecida. Para uma rápida resposta, utilize um número menor.
Local" - Inicialização no modo de teclado. Se configurado como local, o controle iniciará em modo de teclado
independentemente do modo de operação ou das entradas na régua de terminais.
Primary" - Desabilita o modo de inicialização. O controle irá inicializar no modo de operação selecionado e as
entradas na régua de terminais como normal.
Last" - Inicializa no último modo de operação anterior ao desligamento. Este modo é afetado pela configuração
de modo Restart Auto/Man (Reiniciação Automática/Manual)", no bloco Level 2 Miscellaneous (Miscelânea
de nível 2).
Keypad Stop Mode
Keypad Run FWD
Keypad Run REV
Keypad Jog FWD
Keypad Jog REV
3 Speed Ramp
Switch on Fly
Loc. Hot Start
INPUT (Entrada)
Operating Mode
Command Select
ANA CMD Inverse
ANA CMD Offset
ANA CMD Gain
CMD SEL Filter
Power UP Mode
4-14 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-1 Definições do bloco Level 1 Parameter (Parâmetro de nível 1) - continuação
Título do bloco
Parâmetro
Descrição
OUTPUT (Saída)
Digital Out #1 a #4
Quatro saídas digitais que possume dos estados de operação, ON ou OFF. As saídas
opto e as saídas de relés podem ser configuradas para qualquer uma das seguintes
condições:
Condição Descrição
Ready (Pronta)- Ativa quando o controle está ligado e não há falha(s) presente(s).
Zero Speed (Velocidade zero) - Ativa quando a velocidade de saída está abaixo do
valor programado para o parâmetro “Zero SPD Set Pt (Setpoint de
velocidade zero)”, no bloco Level 1 Output (Saída de nível 1).
At Speed (Na velocidade) - Ativa quando a velocidade de saída está dentro da faixa de
velocidade definida pelo parâmetro “At Speed Band (Banda de
velocidade)”, no bloco Level 1 Output (Saída de nível 1).
At Set Speed (Na velocidade definida) - Ativa quando a velocidade de saída está na ou
acima do parâmetro “Set Speed Point (Ponto de velocidade definido)”,
no bloco Level 1 Output (Saída de nível 1).
Overload (Sobrecarga) - Ativa se houver uma falha de sobrecarga provocada por uma
suspensão quando a corrente de saída for maior do que a corrente
nominal.
Keypad Control (Controle do teclado) - Ativa quando o controle está no modo de teclado
local.
Fault (Falha) -
Ativa quando há uma condição de falha.
Drive On (Acionamento ativado) - Ativa quando o controle está “Ready (Pronto)” e está
sendo comandado para operar o motor.
Reverse (Reversa) - Ativa quando o controle está funcionando na direção reversa.
Process Error (Erro do processo)- Ativa quando o processo de loop do controle PID
está fora da faixa especificada pelo parâmetro At Setpoint Band
(Banda no setpoint), no bloco Level 2 Process Control (Controle de
processo de nível 2).
Zero SPD Set PT
At Speed Band
Set Speed Point
A freqüência de saída na qual a saída opto de velocidade zero torna–se ativa. Quando
a freqüência de saída é menor do que o parâmetro Zero SPD Set Pt (Setpoint de
velocidade zero), a saída opto torna–se ativa. Isto é útil em aplicações onde um freio
de motor será intertravado na operação do controle do motor.
A banda de freqüência na qual a saída opto de velocidade zero torna–se ativa. Por
exemplo, se o parâmetro na banda de velocidade estiver configurado para ±5 Hz, a
saída opto se tornará ativa quando a freqüência de saída para o motor estiver dentro
dos 5 Hz da freqüência comandada do motor. Isto é útil quando uma outra máquina
não deve iniciar (ou parar) até que o motor atinja a velocidade de operação.
A freqüência na qual a saída opto At Set Speed (Na velocidade definida) torna–se ativa.
Quando a freqüência for maior do que o valor do parâmetro Set Speed Point (Ponto
de velocidade definido), a saída opto torna–se ativa. Isto é útil quando uma outra
máquina não deve iniciar (ou parada) até que o motor exceda uma velocidade
predeterminada.
IMN715BR
Programação e operação 4-15
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-1 Definições do bloco Level 1 Parameter (Parâmetro de nível 1) - continuação
Título do bloco
Parâmetro
Descrição
OUTPUT (Saída)
continuação
Analog Output
#1 e #2
Duas saídas analógicas pode ser configuradas assim um sinal de saída de 0 a 5 VCC
(de 0 a 10 VCC ou de 4 a 20 mA com placa de expansão de alta resolução)
representa uma das seguintes condições:
Condição
Descrição
Frequency (Freqüência) - Representa a freqüência de saída onde 0 VCC = 0 Hz e
+5 VCC = Freqüência máxima (a compensação da freqüência de
escorregamento não está incluída).
Freq Command (Comando de freqüência) -Representa a freqüência comandada
onde 0 VCC = 0 Hz e +5 VCC = Freqüência máxima (a
compensação da freqüência de escorregamento não está incluída).
AC Current (Corrente CA) - Representa o valor da corrente de saída onde 0 VCC =
0 A e +5 VCC = valor do parâmetro Motor Rated Amps (Corrente
nominal do motor), do bloco Level 2 Motor Data (Dados do motor de
nível 2).
AC Voltage (Voltagem CA) - Representa o valor da voltagem de saída onde 0 VCC
= 0 VCA e +5 VCC = voltagem de entrada do controle.
Torque -
Representa o torque de carga onde 0 V = –100% torque (torque
nominal) e +5 V = 100% torque (torque nominal).
Power (Potência) - Representa a potência do motor onde 0 V = –100% da potência
nominal e +5 V = 100% da potência nominal.
Bus Voltage (Voltagem do barramento) - Representa a alimentação do motor
onde 0 V = 0 VCC e 2,5 V = 325 VCC para entrada de 230 VCA
(650 VCC para entrada de 460 VCA).
Process Fdbk (Realimentação do processo) - Representa a entrada de
realimentação do processo onde 0 V = –100% de realimentação e
+5 V = 100% de realimentação.
Setpoint CMD (Comando de setpoint) - Representa a entrada do comando de
setpoint onde 0 V = –100% do comando e
+5 V = 100% do comando.
Zero Cal (Calibragem de zero) - A saída é 0 VCC e pode ser utilizada para
calibragem de um medidor externo.
100% Cal (Calibragem de 100%) - A saída é 5 VCC e pode ser utilizada para
calibragem de fundo de escala de um medidor externo.
Analog Scale
#1 e #2 -
4-16 Programação e operação
Fator de escala para a voltagem de saída analógica. Útil para definir a faixa de fundo de
escala para medidores externos.
Nota: Cada saída analógica pode ter a escala superdefinida. 0 V= –100%, 2,5
V= 0% e 5 V= 100%. A equação linear para isto é:
T(%)= 100% x (V – 2,5 V)
2,5 V
assim, a 8 V, T%=220%. Se a escala para um valor exceder 5 V, 8 V
representaria 8/5 x 100%=160%.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-1 Definições do bloco Level 1 Parameter (Parâmetro de nível 1) - continuação
Título do bloco
V/HZ and Boost
(V/Hz e reforço)
Parâmetros
CTRL Base FREQ
Torque Boost
Dynamic Boost
Slip Comp
Adjustment
V/HZ Profile
V/HZ 3-PT Volts
V/HZ 3-PT
Frequency
Max Output Volts
LEVEL 2 BLOCK
(Bloco de nível 1)
Descrição
Representa o ponto no perfile V/Hz onde a voltagem de saída se torna constante com o
aumento da freqüência de saída. Este é o ponto no qual o motor muda de torque
constante ou variável para operação em regime de horse–power constante. Em
alguns casos os valores para Max Output Volts (Voltagem de saída máxima) e CTRL
Base Freq (Freqüência base do controle) podem ser manipulados para fornecer um
torque constante mais largo ou uma faixa de velocidade de horse–power mais larga
do que a normalmente disponível com o motor.
Ajuste a quantidade de torque inicial do motor. O ajuste de reforço altera a voltagem de
saída para o motor do valor de voltagem normal aumentando ou diminuindo a
voltagem inicial através de valores fixos conforme definido pelo perfil V/Hz. A
definição de fábrica é adequada para a maioria das aplicações. O aumento do
reforço pode provocar o superaquecimento do motor. Se for exigido algum ajuste,
aumente o reforço até que o eixo do motor apenas comece a girar com a carga
máxima aplicada.
O parâmetro Dynamic Boost (Reforço dinâmico) pode ser ajustado para fornecer mais
ou menos torque de rotação a partir do motor do que o disponível com a definição de
fábrica. O ajuste de reforço altera a voltagem de saída para o motor do valor da
voltagem normal aumentando ou diminuindo a voltagem por unidade de freqüência
conforme definido pelo perfil V/Hz.
Compensa pela variação das condições de carga durante a operação normal. Este
parâmetro configura a variação possível na freqüência de saída sob as condições de
carga variável (mudanças na corrente de saída). Conforme a corrente do motor
aumenta na direção dos 100% do parâmetro Motor Rated Amps (Corrente nominal
do motor), a freqüência de saída é automaticamente aumentada para compensar o
escorregamento.
Define a relção de Volts/Freqüência da saída do controle (para o motor) para todos os
valores de voltagem de saída versus a freqüência de saída até a freqüência de base
do controle. Em função da voltagem do motor estar relacionada com a corrente do
motor, a voltagem do motor pode então ser relacionada ao torque do motor. Uma
mudança no perfil V/Hz pode ajustar quanto torque está disponível no motor em
várias velocidades.
3PT profile (Perfil 3PT)- permite dois segmentos V/Hz linear pela configuração dos
parâmetros V/Hz 3PT Volts (Volts V/Hz de 3 pontos) e V/Hz 3PT Frequency
(Freqüência V/Hz de 3 pontos). Os perfis de lei quadrática de 33%, 67% e 100% são
perfis predefinidos que fornecem variações diferentes do perfil V/Hz reduzido
quadrado.
Estes perfis são mostrados na Figura 4-3.
A voltagem de saída associada ao parâmetro 3PT Frequency (Freqüência de 3 pontos).
A voltagem de saída associada ao parâmetro 3PT Volts (Voltagem de 3 pontos).
A voltagem máxima de saída para o motor a partir do controle. Isto é útil se a voltagem
nominal do motor for menor do que a voltagem da linha de entrada. Em alguns casos
os valores para Max Output Volts (Voltagem de saída máxima) e CTRL Base
Frequency (Freqüência base do controle) podem ser ajustados para fornecer um
torque constante mais largo ou uma faixa de velocidade de horse–power mais larga
do que a normalmente disponível.
Entra no menu de nível 2
Figura 4-3 Perfil Volts/Hertz
Curva V/Hz de 3 pontos
Voltagem de
saída
Saída
máxima
Reforço de
torque
Freqüência de saída
Freqüência
básica
Saída
máxima
Curva V/Hz de lei quadrática
Saída
máxima
Voltagem
de 3
pontos
Voltagem de
3 pontos
Reforço de torque
Freqüência de 3 pontos
Voltagem de
saída
Voltagem de saída
Curva V/Hz linear
Freqüência
básica
Lei quadrática de 33%
Lei quadrática de 67%
Lei quadrática de
100%
Reforço de
torque
Freqüência de saída
Freqüência
básica
Freqüência de saída
IMN715BR
Programação e operação 4-17
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-2 Valores de Blocos de Parâmetros, Nível 2
Título do bloco
OUTPUT LIMITS
(LIMITES DE SAÍDA)
PARÂMETRO
Operating Zone
MIN Output Frequency
MAX Output Frequency
PK Current Limit
PWM Frequency
REGEN Limit
REGEN Limit ADJ
CUSTOM UNITS
(UNIDADES
PERSONALIZADAS)
Max Decimal Places
Value At Speed
Value DEC Places
Value Speed REF
Units of Measure
PROTECTION
(PROTEÇÃO)
Units of MEAS 2
External Trip
Local Enable INP
* Nota:
Nota:
Descrição
A zona de operação PWM; Padrão 2,5 kHz ou Silenciosa 8,0 kHz.
Dois modos de operação também são selecionáveis: Torque constante e torque variável.
O torque constante permite de 170 a 200% de sobrecarga por 3 segundos e 150% de sobrecarga por
60 segundos. O torque variável permite 115% de sobrecarga de pico por 60 segundos.
A freqüência de saída mínima do motor. O escalamento do sinal de comando de velocidade externo
também será afetado por toda a extensão que um comando de velocidade mínima representará a
freqüência de saída mínima. Durante a operação, não será permitido que a freqüência de saída fique
menor do que esta freqüência de saída mínima (a menos que o motor esteja iniciando de 0 Hz ou
esteja sendo regenerado para um parada).
A freqüência de saída máxima do motor. O escalamento de um sinal de comando de velocidade externo
também será afetado por toda a extensão de um comando de velocidade máxima que representará a
freqüência de saída máxima. A freqüência máxima de saída pode ser pouco excedida se a
compensação pelo escorregamento estiver ativa.
A máxima corrente de saída (pico) do motor. Valores acima de 100% da corrente nominal podem estar
disponíveis dependendo da zona de operação selecionada.
A freqüência na qual os transistores de saída são comutados. A PWM deverá ser o mais baixa possível
para minimizar o estresse nos transistores de saída e nos enrolamentos do motor. A freqüência PWM
também é referenciada como freqüência Carrier" (de portadora).
Aumenta automaticamente a freqüência de saída durante os períodos de regeneração para cargas
cíclicas. A freqüência de saída será aumentada na taxa definida pelo parâmetro REGEN Limit ADJ
(Ajuste do limite de regeneração) mas não excederá o valor do parâmetro MAX Output Frequency
(Freqüência de saída máxima)", no bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
A quantidade de ajuste automático de freqüência que ocorre quando o limite de regeneração está ativado.
Definido como uma mudança de hertz por segundo. Representa a taxa da rampa da freqüência de
saída durante os períodos de monitorização de sobreultrapassagem (regeneração).
O número de casas decimais de exibição da taxa de saída no display do teclado. Este valor será
automaticamente reduzido para valores maiores. A exibição da taxa de saída está disponível somente
se o parâmetro Value At Speed (Valor na velocidade) não for zero.
Defina a taxa de saída desejada por RPM de velocidade do motor. Dois números são exibidos no display
do teclado (separados por uma barra /"). O primeiro número (mais à esquerda) é o valor que você quer
que o teclado exiba em uma velocidade específica do motor (segundo número, mais à direita). Um
decimal pode ser inserido nos números através da colocação do cursor intermitente sobre a seta para
cima/para baixo.
Somente serial. *
Somente serial. *
Permite que as unidades de medida especificadas pelo usuário sejam apresentadas na exibição da taxa
de saída. Utilize a tecla SHIFT e as teclas de setas para rolar para o primeiro caractere e para os
caracteres sucessivos. Se o caractere que você desejar não for exibido, mova o cursor intermitente
sobre a seta do caractere especial de símbolo para cima/baixo na lateral esquerda do display. Utilize as
setas para cima/baixo e a tecla SHIFT para rolar através de todos os 9 conjuntos de caracteres. Utilize
a tecla ENTER para salvar a sua escolha.
Somente serial. *
OFF Ć O External Trip (Disparo externo) está desabilitado (ignora a entrada comutada J4Ć16).
ON Ć External Trip (Disparo externo) está desabilitado. Se um contato normalmente fechado em J4Ć16
(para J4Ć17) estiver aberto, ocorrerá uma falha de disparo externo e o acionamento será encerrado.
OFF Ć Local Enable Input (Entrada de habilitação local) está desabilitada. (ignora a entrada comutada
J4Ć8).
ON Ć Um contato normalmente fechado em J4Ć8 (para J4Ć17) é necessário para habilitar o controle
quando a operação é feita no modo de teclado.
Comandos seriais. Ao utilizar a opção de comando serial, os parâmetros “Value AT Speed (Valor na velocidade)”,
“Value DEC Places (Valor – casas decimais) ” e “Value Speed REF (Valor – referência de velocidade)” devem ser
configurados. O parâmetro Value AT Speed (Valor na velocidade) define a taxa de saída desejada por incremento na
velocidade do motor. O parâmetro Value DEC Places (Valor – casas decimais) define o número desejado de casas
decimais do número do parâmetro Value AT Speed (Valor na velocidade). O parâmetro Value Speed REF (Valor –
referência de velocidade incrementa a velocidade do motor para a taxa de saída desejada.
O parâmetro Units of Measure (Unidades de medida) define os dois caracteres mais à esquerda da exibição das
unidades personalizadas enquanto que o parâmetro Units of MEAS 2 (Unidades de medida 2) define os caracteres
mais à direita. Por exemplo, se “ABCD” for a unidade personalizada, “AB” será definido no no parâmetro Units of
Measure, no bloco Level 2 Custom Units (Unidades personalizadas de nível 2) e “CD” será definido no parâmetro Units
of MEAS 2, no bloco Level 2 Custom Units.
Unidades de exibição personalizadas. A exibição da taxa de saída está disponível somente se o parâmetro Value AT
Speed (Valor na velocidade) tiver sido modificado para um valor diferente de 0 (zero). Para acessar a exibição da taxa
de saída, utilize a tecla DISP para rolar para Output Rate.
4-18 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-2 Definições do Level 2 Parameter Block (Bloco de parâmetros de nível 2) continuação
Título do bloco
MISCELLANEOUS
(MISCELÂNEA)
Parâmetro
Restart Auto/Man
Restart Fault/Hr
Restart Delay
Language Select
Factory Settings
STABIL ADJ Limit
Stability Gain
IMN715BR
Descrição
Manual
Power Up Start (Início) – Se for configurado como MAN e um comando de marcha
(comando de habilitação de linha e FWD ou REV) estiver presente na inicialização, o
motor não irá funcionar. O comando de marcha deve ser removido e, então,
reaplicado para iniciar a operação. O comando de marcha refere–se às linhas de
habilitação além da direção (FWD ou REV).
Restart after Fault (Reiniciar após falha) – Se ocorrer uma falha durante a operação,
o controle deve ser reiniciado manualmente para retomada da operação.
Automatic
Power Up Start (Início) – Se for configurado como AUTO e um comando de marcha
(comando de habilitação de linha e FWD ou REV) estiver presente na inicialização, o
controle iniciará automaticamente.
Restart after Fault (Reiniciar após falha) – Se ocorrer uma falha durante a operação,
o controle reinicializará automaticamente (após o tempo de retardo para reinício)
para retomar a operação se o parâmetro Fault/Hr estiver definido para um valor
diferente de zero.
Modos de 3 fios, a inicialização automática (AUTO) após uma falha ou perda de
alimentação não ocorrerá por causa dos contatos momentâneos estão abertos e o
comando de marcha precisa ser aplicado novamente. O comando de marcha
refere–se às linhas de habilitação além da direção (FWD ou REV).
O número máximo de tentativas de reinício automático antes de exigir um reinício
manual. Após uma hora sem atingir o número máximo de falhas ou se a alimentação
for desligada e ligada novamente, o contador de falhas é restaurado para o valor
zero.
A quantidade de tempo permitida após uma condição de falha para que ocorra um
reinício automático.
É útil para permitir um tempo suficiente para eliminar uma falha antes do reinício ser
tentado.
Selecione English (Inglês) ou caracteres de outro idioma para o display do teclado.
Restaura as configurações de fábrica para todos os valores de parâmetro.
NO (Não) Não mudas os valores do parâmetro.
Selecione STD Settings (Parâmetros padrão) e pressione a tecla “ENTER” para
restaurar os valores padrão de fábrica de 60 Hz do parâmetro. O display do teclado
exibirá “Operation Done” (Operação concluída) e, quando concluído, “NO” (Não).
Selecione 50 Hz / 400 Hz e pressione a tecla “ENTER” para restaurar os valores de
fábrica do parâmetro se estiver utilizando um motor com uma freqüência básica de
50 Hz.
A faixa máxima de ajuste na freqüência de saída baixa e condições de pouca carga
para eliminar instabilidade. A definição de fábrica é adequada para a maioria das
aplicações.
O tempo de resposta se ocorrer instabilidade. A definição de fábrica é adequada para a
maioria das aplicações.
Programação e operação 4-19
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-2 Definições do Level 2 Parameter Block (Bloco de parâmetros de nível 2) continuação
Título do bloco
SECURITY
CONTROL
(CONTROLE DE
SEGURANÇA)
MOTOR DATA
((DADOS
OS DO
O
MOTOR)
BRAKE ADJUST
Parâmetro
Security State
Descrição
Off (Desativado) Ć Nenhum código de acesso de segurança é exigido para alteração dos valores do parâmetro.
Local Security (Segurança local) Ć Exige que o código de acesso de segurança seja entrado antes que as alterações
possam ser feitas utilizando-se o teclado.
Serial Security (Segurança serial) Ć Exige que o código de acesso de segurança seja entrado antes que as alterações
possam ser feitas utilizando-se o enlace RS232/422/485.
Total Security (Segurança total) Ć Exige que o código de acesso de segurança seja entrado antes que as alterações
possam ser feitas utilizando-se o teclado ou o enlace serial.
Nota: Se a segurança estiver definida para Local, Serial ou Total, você poderá pressionar a tecla PROG e rolar através
dos valores do parâmetro mas não poderá alterá-los a menos que entre com o código de acesso correto.
Access Timeout
O tempo em segundos em que o código de acesso permanece habilitado após sair do modo de programação. Se
você sair do modo de programação e retornar a ele dentro deste limite de tempo, o Código de Acesso não terá
que ser entrado novamente. Este temporizador inicia a contagem quando você sai do modo de programação
(pressionando-se a tecla DISP).
Access Code
Um código de 4 dígitos. Você deve conhecer este código para mudar os valores protegidos de Nível 1 e de Nível 2.
Nota: Anote o seu código de acesso e armazene-o em um local seguro. Se você não puder obter acesso aos
valores do parâmetro para mudar um parâmetro protegido, entre em contato com a Baldor. Esteja preparado
para fornecer o código de 5 dígitos localizado na lateral inferior direita do display do teclado ao prompt do
parâmetro Enter Code (Código de entrada).
Motor Voltage
A voltagem nominal do motor (listada na plaqueta do motor). O valor deste parâmetro não tem efeito sobre a
voltagem de saída do motor.
Motor Rated Amps A corrente nominal do motor (listada na plaqueta do motor). Se a corrente do motor exceder este valor por um período
de tempo, ocorrerá uma falha de Overcurrent (Sobrecorrente). Se diversos moteres forem utilizados em um controle,
inclua o parâmetro Motor Rated Amps (Corrente nominal do motor) para todos os motores e entre com este valor.
Motor Rated Speed A velocidade nominal do motor (listada na plaqueta do motor).
Se os parâmetros Motor Rated SPD (Velocidade nominal do motor) = 1.750 RPM e Motor Rated Freq (Freqüência
nominal do motor) = 60 Hz,
o display do teclado exibirá 1.750 RPM a 60 Hz e 850 RPM a 30 Hz.
Motor Rated Freq
A freqüência nominal do motor (listada na plaqueta do motor).
Motor Mag Amps
O valor da corrente de magnetização do motor (listada na plaqueta do motor) também conhecida com corrente sem
carga. Se diversos motores forem utilizados em um controle, inclua o parâmetro Motor Mag Amps (Corrente de
magnetização do motor) para todos os motores e entre com este valor.
Resistor Ohms
O valor do resistor da frenagem dinâmica em ohms. Consulte MN701 (manual de frenagem dinâmica) ou ligue para a
Baldor para obter informações adicionais. Se a frenagem dinâmica não estiver instalada, entre com zero.
Resistor Watts
A especificação de potência (em Watts) do resistor de frenagem dinâmica. Consulte o manual de frenagem dinâmica
ou ligue para a Baldor para obter informações adicionais. Se a frenagem dinâmica não estiver instalada, entre
com zero.
DC Brake Voltage A quantidade de voltagem de frenagem CC aplicada aos enrolamentos do motor durante um comando de parada.
Aumente este valor para obter um torque de frenagem maior durante as paradas. A voltagem da frenagem aumentada
pode fazer com que o motor superaqueça para aplicações que necessitem inícios/paradas freqüentes. Tenha cuidado
na seleção deste valor.
A voltagem frenagem CC máxima = (1,414)X(Max Output Volts [Voltagem de saída máxima]).
Max Output Volts (Voltagem de saída máxima) é um valor de parâmetro V/HZ and Boost (V/Hz e reforço) de nível 1.
DC Brake FREQ
A freqüência de saída (para o motor) na qual a frenagem de injeção CC iniciará.
Brake on Stop
Se o parâmetro for configurado como ON, a frenagem de injeção CC iniciará quando um comando de parada for
emitido. Após um comando de parada, a voltagem da frenagem CC será aplicada aos enrolamentos do motor
quando a freqüência de saída atingir a freqüência de frenagem CC.
Brake on Reverse Se o parâmetro for configurado como ON, a frenagem de injeção CC iniciará após um comando de mudnaça de rotação
do motor ter sido emitido. Após um comando de parada, a voltagem da frenagem CC será aplicada aos enrolamentos
do motor quando a freqüência de saída atingir a freqüência de frenagem CC. A frenagem continua até que o motor
esteja parado. O motor serão então acelerado na direção oposta.
Stop Brake Time
O número máximo de segundos que a voltagem de frenagem de injeção CC será aplicada aos enrolamentos do
motor após um comando de parada. Após o tempo especificado por este valor, a frenagem de injeção CC é
automaticamente desligada. Se a frenagem de injeção CC iniciae em uma freqüência menor do que o parâmetro
de freqüência de frenagem CC, o tempo de frenagem de parada é calculado da seguinte forma:
Freqüência de saída na frenagem
Tempo de frenagem + Tempo de frenagem de parada X
Freqüência de frenagem CC
Brake on Start
Se for configurado como ON, ativa a frenagem de injeção CC por um período de tempo (Start Brake Time ć Tempo de
frenagem inicial) quando um comando de marcha for emitido. Isto assegura que o motor não está girando. A
frenagem desligará automaticamente e o motor irá acelerar no final do tempo de frenagem de início.
Start Brake Time
A quantidade de tempo durante a qual a frenagem de injeção CC será aplicada após um comando de marcha ter sido
emitido. Isto ocorre somente se a frenagem no início estiver configurada para ON. A frenagem pode fazer com
que o motor superaqueça para aplicações que necessitem inícios/paradas freqüentes. Tenha cuidado na seleção
deste valor. O tempo de frenagem de início deverá ser apenas suficiente para assegurar que o eixo do motor não
gire quando um comando de início for emitido.
4-20 Programação e operação
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-2 Definições do Level 2 Parameter Block (Bloco de parâmetros de nível 2) continuação
Título do
bloco
PROCESS
CONTROL
(CONTROLE
DE
PROCESSO)
Parâmetro
Descrição
Process Feedback
O tipo de sinal utilizado para a realimentação do processo no loop de controle do setpoint
do PID.
OFF – O sinal de realimentação do processo não é invertido (sem mudança de
polaridade).
ON – Faz com que o sinal de realimentação do processo seja invertido. Utilizado com
processos atuando em reverso que utilizam um sinal unipolar como o de 4 a 20 mA. Se
estiver configurado como “ON”, o loop PID irá encontrar um valor baixo do sinal de
realimentação do processo como um sinal alto de realimentação e um valor alto do
sinal de realimentação do processo como um sinal de realimentação baixo.
Defina o tipo do sinal de referência de entrada da fonte ao qual a realimentação do
processo será comparado. Se “Setpoint CMD (Comando de setpoint)” estiver
selecionado, um valor fixo que é entrado no parâmetro do comando de setpoint (do
bloco Level 2 Process Control [Controle de processo de nível 2]) será utilizado.
O valor de setpoint para o loop PID que o controle tentará manter. Isto é utilizado
somente quando o parâmetro de origem do setpoint estiver configurado com “Setpoint
Command (Comando de setpoint)”. Os valores de porcentagem negativo são
ignorados no loop PID se o sinal de realimentação contiver somente valores positivos
(como valores de 0 a 10 VCC).
O valor máximo de correção da freqüência a ser aplicado no motor (em resposta ao erro
máximo de setpoint de realimentação). Por exemplo, se a freqüência de saída máxima
for de 60 Hz, o erro de realimentação do setpoint for de 100% e o limite de ajuste do
setpoint for de 20%, a velocidade máxima em que o motor irá funcionar em resposta
ao erro de realimentação do setpoint será de +12 Hz (60 Hz x 20%= 12 Hz ou um total
de 24 Hz de largura de banda de saída total centralizada em torno da freqüência de
setpoint efetiva).
A banda de operação dentro da qual a saída opto no setpoint está ativa. Este recurso
indica quando o processo está dentro da faixa de setpoint desejada. Por exemplo, se a
origem do setpoint estiver entre 0 e 10 VCC e o valor de banda no setpoint for 10%, a
saída opto no setpoint será ativada se o processo estiver dentro de (10 x 10% = 1) ±1
VCC do setpoint.
O ganho proporcional do loop PID.
O ganho integral do loop PID.
O ganho diferencial do loop PID.
A relação da entrada principal para a saída do seguidor. Necessita da placa de expansão
de referência de pulso mestre/seguidor de pulso isolado. Por exemplo, o número da
esquerda é a taxa de entrada mestre. O número à direita dos dois–pontos é a taxa de
saída do seguidor. Se você quiser que o seguidor gire com o dobro da velocidade do
mestre, uma relação de 2:1 deve ser entrada. Relações fracionais como 0,5:1 são
entradas como 1:2.
Utilizada somente para comunicações seriais. Nas configurações mestre/seguidor, este
parâmetro representa a parte do seguidor da relação. A parte mestre da relação é
definida no parâmetro Follow I:O Ratio.
Nota: Quando utilizar comandos seriais, o valor do parâmetro Follow I:O Ratio
deve ser definido utilizando–se dois parâmetros separados: Follow I:O Ratio
e Follow I:O Out. O parâmetro Follow I:O Ratio define a parte de entrada
(mestre) da relação e o parâmetro Follow I:O Out define a parte de saída
(seguidor) da relação. Por exemplo, uma relação de 2:1 (entrada:saída) é
definida com um valor 2 para Follow I:O Ratio e com um valor 1 para Follow
I:O Out.
Nota: O parâmetro das linhas do encoder deve ser definido se um valor for entrado
no parâmetro Follow I:O Ratio.
Utilizado somente se uma placa de expansão de referência de pulso mestre/seguidor de
pulso isolado estiver instalada. Define o número de pulsos por rotação do codificador
mestre. Este parâmetro define a taxa do pulso mestre de saída para um acionamento
seguidor de fluxo descendente (downstream).
Permite a limitação (corte) do integrador PID. O corte é definido como uma porcentagem
da velocidade máxima do motor. Por exemplo, uma definição de 10% (assumindo–se um
motor de 1.800 RPM) significa que o integrador não contribuirá com mais do que
180 RPM para a demanda total de saída do loop PID.
Define a demanda mínima para a saída PID. Por exemplo, uma definição de 10 Hz
significa que a demanda de saída do PID nunca diminuirá abaixo deste valor (mesmo se
o erro do processo for zero). A velocidade mínima está ativa para aplicações unipolares e
bipolar.
Process Inverse
Setpoint Source
Setpoint Command
Set PT ADJ Limit
At Setpoint Band
Process PROP Gain
Process INT Gain
Process DIFF Gain
Follow I:O Ratio
Follow I:O Out
Encoder Lines
Integrator Clamp
Minimum Speed
IMN715BR
Programação e operação 4-21
Seção 1
Informações gerais
Tabela 4-2 Definições do Level 2 Parameter Block (Bloco de parâmetros de nível 2) continuação
Título do bloco
Parâmetro
Descrição
SKIP FREQUENCY
(FREQÜÊNCIA DE
SALTO)
Skip Frequency
(#1, #2 e #3)
A freqüência central da banda de freqüência para saltar ou tratar como banda inativa.
Três bandas podem ser definidas independentemente ou os três valores podem ser
selecionados para saltar uma banda de freqüência larga.
Skip Band
(#1, #2 e #3)
A largura da banda centralizada em torno da freqüência de salto. Por exemplo, se Skip
Frequency #1 (Freqüência de salto #1) for de 20 Hz e a Skip Band #1 (Banda de
salto #1) for de 5 Hz, a operação contínua não será permitida na banda inativa de
15 Hz a 25 Hz.
Synchro Starts
Sincroniza a velocidade do motor e da carga quando o eixo do motor está girando no
momento em que o inversor aplica alimentação no motor. Se estiver definida como
Restarts Only (Somente reinicia), permite um Synchro Starts (Início de sincronização)
após uma condição de falha ter sido reinicializada. Se definida para All Starts (Inicia
tudo), permite um Synchro Starts (Início de sincronização) em todas as
reinicializações de falha bem como reinicializações após falhas de alimentação ou
comandos de marcha.
Permite que o recurso Synchro Start (Início de sincronização) inicie a varredura da
freqüência de rotação do motor na MAX Frequency (Freqüência máxima) ou na SET
Frequency (Freqüência definida).
Define a relação Volts/Hertz para o recurso Synchro Start (Início de sincronização)
como uma porcentagem da relação V/Hz definida por Voltagem Máxima de
Saída/Freqüência Básica. Este valor de porcentagem V/F de varredura de
sincronização é multiplicado pelo valor da Voltagem Máxima de Saída/Freqüência
Básica. Se este valor for muito alto, o inversor pode falhar na condição de
sobrecorrente.
O tempo para o inversor atingir a voltagem de saída de zero até a voltagem que
corresponda à freqüência de início da sincronização. Um retardo de 0,5 segundo
antes da subida (rampa) iniciar não está incluído neste tempo. Se o recurso Synchro
Start (Início da sincronização) não estiver operando rápido o suficiente, diminua o
valor de Sync Setup Time (Tempo de configuração da sincronização).
O tempo permitido para Synchro Start (Início da sincronização) para varrer e detectar a
freqüência do rotor. A varredura inica na Sync Start Frequency (Freqüência de início
da sincronização) para 0 Hz. Geralmente, quanto menor o Sync Scan Time (Tempo
de varredura da sincronização) mais facilmente um Synchro Start (Início de
sincronização) falso será detectado. Este valor deverá ser configurado para o mais
alto possível para eliminar Synchro Starts (Inícios de sincronização) falsos.
O tempo permitido para elevar a voltagem de saída de voltagem de varredura de
Synchro Start (Início de sincronização) até a voltagem de saída normal. Isto ocorre
após a freqüência de sincronização ser detectada. Este valor de parâmetro deverá
ser baixo o suficiente para minimizar o tempo de Synchro Start (Início de
sincronização) sem fazer com que o inversor falhe na sobrecorrente.
Permite Synchro Starts (Inícios de sincronização) em ambas as direções de rotação do
motor. Se a aplicação exige a rotação do eixo do motor em apenas uma direção, a
varredura somente em uma direção irá minimizar o Sync Scan Time (Tempo de
varredura de sincronização).
SYNCHRO STARTS
Sync Start
Frequency
Sync Scan V/F
Sync Setup Time
Sync Scan Time
Sync V/F Recover
Sync Direction
COMMUNICATIONS
(COMUNICAÇÕES)
Protocol
Define o tipo de comunicação que o controle utilizará entre as seguintes opções:
protocolos RS-232 ASCII (texto), RS-485 ASCII (texto), RS-232 BBP ou RS-485 BBP.
Baud Rate
Define a velocidade na qual a comunicação deve ocorrer.
Drive Address
Define o endereço do controle para comunicação.
LEVEL 1 BLOCK
(Bloco de nível 1)
4-22 Programação e operação
Entra no menu de nível 1
IMN715BR
Seção 5
Detecção e resolução de problemas
O Controle Série 15H da Baldor necessita de muito pouca manutenção e deverá
funcionar sem problemas por anos quando instalado e utilizado corretamente. Uma
inspeção visual e uma limpeza ocasionais deverão ser consideradas para se garantir que
as conexões estejam firmes e para remover a poeira ou resíduos estranhos que possam
reduzir a dissipação de calor.
Falhas operacionais chamadas de “Falhas” serão exibidas no display do teclado
conforme elas ocorrerem. Uma lista completa destas falhas, seus significados e como
acessar o registro de falhas e as informações de diagnóstico são fornecidas
posteriormente nesta seção. As informações sobre detecção e resolução de problemas
são fornecidas em forma de tabela posteriormente nesta seção.
Antes de tentar consertar o equipamento, toda a alimentação de entrada deverá ser
removida do controle para se evitar a possibilidade de choque elétrico. A manutenção
deste equipamento deverá ser feita por um técnico de manutenção elétrica qualificado
com experiência na área de eletrônica de alta potência.
É importante familiarizar–se com as informações a seguir antes de tentar qualquer
procedimento de detecção e resolução de problemas ou de manutenção do controle. A
maioria dos procedimentos de detecção e resolução de problemas pode ser executado
utilizando–se apenas um voltímetro digital com uma impedância de entrada mínima de
1 mega Ohm. Em alguns casos, um osciloscópio com uma largura de banda mínima de
5 MHz pode ser útil. Antes de entrar em contato com a Baldor, verifique se toda a fiação
de alimentação e de controle está correta e instalada conforme as recomendações
fornecidas neste manual.
Sem display do teclado - Ajuste de contraste do display
Quando o controle for ligado, o teclado deverá exibir o estado do controle. Se não
houver nenhuma exibição no display, utilize o procedimento a seguir para ajustá–lo.
(o contraste pode ser ajustado no modo de display quando o motor estiver parado ou em
movimento).
Ação
Descrição
Ligue o controle
Display apagado.
Pressione a tecla DISP
Coloca o controle no modo de
display
Pressione a tecla SHIFT
2 vezes
Permite o ajuste do contraste do
display.
Pressione a tecla ou
Ajusta o contraste do display
(intensidade).
Pressione a tecla
ENTER
Salva o nível de ajuste do
contraste do display e sai do
modo de display.
IMN715BR
Display
Comentários
Modo de display.
Detecção e resolução de problemas 5-1
Seção 1
Informações gerais
Como acessar as informações sobre diagnóstico
Ação
Descrição
Display
Comentários
Ligue o controle
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Modo do display exibindo o
estado da voltagem, da corrente
e da freqüência de modo local.
Pressione a tecla DISP
Rola para o bloco de registro de
falhas.
Nenhuma falha presente. Modo
de teclado local. Se estiver no
modo remoto/serial, pressione
local para esta exibição.
Pressione ENTER se desejar ver
o registro de falhas.
Pressione a tecla DISP
Rola para o bloco de informações
de diagnóstico.
Pressione ENTER se desejar ver
as informações de diagnóstico.
Pressione a tecla
ENTER
Acessa as informações de
diagnóstico.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
temperatura do controle.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
voltagem do barramento.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
corrente do barramento.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
freqüência PWM.
Pressione a tecla DISP
Modo de display exibindo a
porcentagem (%) de sobrecarga
de corrente restante.
Modo de display exibindo os
estados das entradas e saídas
ópticas em tempo real.
0=Open (Aberto), 1=Closed
(Fechado).
Modo de display exibindo o tempo
de funcionamento real do
acionamento desde o registro de
falhas ter sido limpo.
Exibe a zona de operação com a
especificação de horse–power
(HP) e voltagem de entrada (para
a zona de operação) e tipo de
controle.
Modo de display exibindo a
corrente contínua, a corrente
nominal de pico, a escala de
realimentação de ampères/volt e
a ID de base da alimentação.
Modo de display exibindo quais
placas de expansão Group1 ou 2
(Grupo 1 ou 2) estão instaladas.
Modo de display exibindo a
versão e a revisão do software
instalado no controle.
Exibe a opção de saída.
Pressione ENTER para sair.
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
Pressione a tecla DISP
25.0
Exibe a temperatura de operação
em graus centígrados.
2497
Estados das entradas ópticas
(esquerda);
Estados das saídas ópticas
(direita).
Formato HR.MIN.SEC
(hora.minutos.segundos).
Pressione ENTER para sair das
informações de diagnóstico.
Inicialização a EEPROM do novo software
Após a instalação de uma nova EEPROM, o controle irá automaticamente inicializar a
nova versão do software e as localizações de memória se “STD Settings (Parâmetros
padrão)” estiver selecionado. Se precisar inicializar o controle na configuração 50 Hz /
400 Volts, utilize o procedimento “Inicialização da EEPROM do novo software”,
mostrado na Seção 4 deste manual.
5-2 Detecção e resolução de problemas
IMN715BR
Acesso ao registro de falhas Quando ocorre uma condição de falha, a operação do motor pára e um código de falha
é exibido no display do teclado. O controle mantém um registro das últimas 31 falhas. Se
ocorrer mais do que 31 falhas, a falha mais antiga será eliminada do registro de falhas.
Para acessar o registro de falhas, execute o procedimento a seguir:
Ação
Descrição
Display
Ligue o controle
Comentários
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Modo do display exibindo o
estado da voltagem, da corrente
e da freqüência de modo local.
Nenhuma falha presente. Modo
de teclado local. Se estiver no
modo remoto/serial, pressione
local para esta exibição.
Pressione a tecla DISP
Pressione DISP para rolar para o
ponto de entrada do registro de
falhas.
Pressione a tecla
ENTER
Exibe o tipo da primeira falha e o
horário em que a falha ocorreu.
Exibição típica.
Pressione a tecla Rola através das mensagens de
falha.
Se não houver mensagens, a
opção de saída do registro de
falhas é exibida.
Pressione a tecla
RESET
Retorna ao modo de display.
O LED da tecla STOP do modo
de display está aceso.
Como apagar o registro de falhas Utilize o procedimento a seguir para apagar o registro de falhas.
Ação
Descrição
Ligue o controle
Display
Comentários
Exibição do logotipo por 5
segundos.
Modo do display exibindo o
estado da voltagem, da corrente
e da freqüência de modo local.
Pressione a tecla DISP
Pressione DISP para rolar para o
ponto de entrada do registro de
falhas.
Pressione a tecla
ENTER
Exibe a mensagem mais recente.
Modo de display.
Pressione a tecla SHIFT
Pressione a tecla
RESET
Pressione a tecla SHIFT
Pressione a tecla
ENTER
Registro de falhas foi apagado.
Pressione a tecla ou
Rola para a opção Fault Log Exit
(Saída do registro de falhas).
Pressione a tecla
ENTER
Retorna ao modo de display.
IMN715BR
Não há falhas no registro de
falhas.
Detecção e resolução de problemas 5-3
Tabela 5-1 Mensagens de falha
Mensagem de falha
Invalid Base ID (ID de base
inválido)
NV Memory Fail (Falha da
memória não-volátil)
Param Checksum (Checksum do
parâmetro)
Low INIT Bus V (Voltagem baixa
do barramento na inicialização)
HW Desaturation (Desaturação
de HW)
HW Surge Current (Corrente de
surto de HW)
HW Ground Fault (Falha de
aterramento de HW)
HW Power Supply (Fonte de
alimentação de HW)
Hardware Protect (Proteção de
hardware)
1 MIN Overload (Sobrecarga de
1 minuto)
3 SEC Overload (Sobrecarga de
3 segundos)
Overcurrent (Sobrecorrente)
BUS Overvoltage (Alta voltagem
do barramento)
Bus Undervoltage (Baixa
voltagem do barramento)
Heat Sink Temp (Temperatura do
dissipador)
External Trip (Disparo externo)
New Base ID (Novo ID de base)
REGEN RES Power
Line REGEN (Regeneração de
linha)
EXB Selection (Seleção da placa
de expansão)
Torque Proving (Fornecendo
torque)
Unknown FLT Code (Código de
falha desconhecida)
µP RESET (Reinicialização do
microprocessador)
FLT Log MEM Fail (Falha de
memória do registro de falhas)
Current SENS FLT (Falha de
identificação da corrente)
Bus Current SENS (Identificação
da corrento do barramento)
Descrição
Falha na determinação da especificação de horse-power (HP) e na configuração da voltagem de entrada do
controle a partir do valor Power Base ID (ID de base da alimentação) no software.
Falha na leitura/gravação na memória nãoĆvolátil.
Detectado erro de checksum do parâmetro.
Detectada voltagem baixa do barramento na inicialização.
Detectada condição de alta corrente de saída (maior do que 400% em relação à corrente de saída nominal).
Em controle de tamanho B2, um erro de desaturação pode indicar uma das seguintes condições: baixa
impedância de linha, falha no resistor de frenagem ou excesso de temperatura no transistor de saída interno.
Detectada condição de alta corrente de saída (maior do que 250% em relação à corrente de saída nominal).
Detectada falha no aterramento (vazamento da corrente de saída para o terra).
Detectada falha na fonte de alimentação da placa do controle.
Uma falha de hardware geral foi detectada mas não pode ser isolada.
Corrente de pico de saída excedeu o valor nominal de 1 minuto.
Corrente de pico de saída excedeu o valor nominal de 3 segundos.
O limite de corrente contínua foi excedido.
Alta voltagem do barramento CC.
Detectada condição de baixa voltagem do barramento CC.
Dissipador do controle excedeu o limite de temperatura superior. Para controles do tamanho B2, esta falha
pode indicar que o dissipador principal ou a placa de acionamento do gate está muito quente.
Conexão entre J4Ć16 e J4Ć17 está aberta.
Placa do controle detectou uma mudança no valor do Power Base ID (ID de base da alimentação) no software.
Dissipação de potência excessiva exigida pelo hardware de frenagem dinâmica.
Falha na unidade do conversor de regeneração de linha Ć controle inversor de regeneração de linha Series
21H.
Placa de expansão não instalada para suportar o parâmetro Commando Select (Seleção de comando), no
bloco Level 1 Input (Entrada de nível 1).
Corrente desbalanceada nos terminais do motor trifásico.
O microprocessador detectou uma falha não identificada na tabela de códigos de falhas.
Um temporizador de alarme reinicializou o processador por que um processo expirou.
Dados corrompidos no registro de falhas (pode ocorrer somente em sistemas antigos).
Falha na identificação da corrente de fase.
Falha na identificação da corrente do barramento.
5-4 Detecção e resolução de problemas
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Power Base ID (ID de base da alimentação)
Tabela 5-2 ID de base da alimentação - Série 15H
Número de
catálogo
para 230 VCA
201-E
201-W
202-E
202-W
203-E
203-W
205-E
205-W
207-E
207-W
207L-E
210-E
210-W
210L-E
215-E
215-W
210L-ER
215V
215L
220-E
220L
225
225V
225L
230
230V
230L
240
240L
250
250V
250L
275
IMN715BR
Power Base
ID (ID de
base da
alimentação)
Número de
catálogo
para 460 VCA
Power Base
ID (ID de
base da
alimentação)
823
823
824
824
825
825
826
82A
82D
82D
801
82E
82E
82B
82F
82F
80C
808
80D
830
80E
81D
809
80F
813 82C
816
817
814
818
815
80 A
81C
401-E
401-W
402-E
402-W
403-E
403-W
405-E
405-W
407-E
407-W
407L-E
410-E
410-W
410L-E
415-E
415-W
410L-ER
415V
415L
420-E
420L
425-E
425V
425L
430
430V
430L
440
440L
450
450L
460
460V
460L
475
475L
4100
4100L
4125L
4150
4150V
4200
4250
4300
4350
4400
4450
4500
4600
4700
4800
A3B
A3B
A3C
A3C
A3D
A3D
A41
A41
A3E
A3E
A01
A4A
A4A
A3F
A4B
A4B
A08
A0E
A0F
A4C
A20
A4D
A0B
A21
A13
A0C
A22
A14 A48
A23
A15
A1C
A16
A0A
A24
A17
A1D
A18
A2F
A30
A9A
A19
A9B
AA5
AAE
AA6
AA7
AA9
AC4
AC5
AC6
AC7
Número de
catálogo
para 575 VCA
501-E
501-W
502-E
502-W
503-E
503-W
505-E
505-W
507-E
507-W
510-E
510-W
515-E
515-W
515L
520-E
520L
525-E
525L
530
530L
540
540L
550
550L
560
575
5100
5150
5150V
5200
5250
5300
5350
5400
Power Base
ID (ID de
base da
alimentação)
E1A
E1A
EIB
EIB
E1C
E1C
E1D
E1D
E1E
E1E
E29
E29
E2A
E2A
E0A
E2B
EOB
E2C
E0C
E13
E0D
E14
E0E
E15
E0F
E16
E17
E18
E1A
E19
E2A
E3A
EA4
EA5
EA6
Detecção e resolução de problemas 5-5
Seção 1
Informações gerais
Tabela 5-3 Detecção e resolução de problemas
Indicação
Causa possível
Ação corretiva
Command Select
(Seleção de
comando)
Modo de operação programado
está incorreto.
Mude o parâmetro Operating Mode (Modo de operação), no bloco Level
1 Input (Entrada de nível 1), para um que não exija a placa de expansão.
Necessita de uma placa de
expansão.
Instale a placa de expansão correta para o modo de operação
selecionado.
Bus Overvoltage
Trip (Disparo por
sobrevoltagem do
barramento) ou
HW Overvoltage
(Sobrevoltagem de
HW)
Excesso de potência na frenagem
dinâmica (DB).
Verifique os valores de potência e resistência da frenagem dinâmica.
Aumente o tempo de desaceleração (DECEL).
Adicione módulos de frenagem dinâmica externos: Kit de resistor RGA
ou módulo de transistor RBA.
Taxa de desaceleração configurada
para um valor muito baixo
Aumente o tempo de desaceleração.
Adicione um resistor ou um módulo de frenagem dinâmica externa.
Carga do motor ultrapassada
Corrija o problema com a carga do motor.
Adicione um resistor ou um módulo de frenagem dinâmica externa.
Frenagem dinâmica conectada
incorretamente.
Verifique a fiação do hardware de frenagem dinâmica.
Voltagem de entrada muito alta.
Verifique se a voltagem da linha CA está correta.
Utilize um transformador de isolamento redutor, se necessário.
Utilize um reator para minimizar picos.
Bus Undervoltage
(Baixa voltagem do
barramento)
Voltagem de entrada muito baixa.
Verifique se a voltagem da linha CA está correta.
Utilize um transformador de isolamento elevador, se necessário.
Verifique os distúrbios na linha de alimentação (ondulações causadas
pela ativação de um outro equipamento).
Monitore as flutuações da linha de alimentação com registro de data e
horário para isolar o problema com a alimentação.
Desconecte o hardware de frenagem dinâmica e repita a operação.
External Trip
(Disparo externo)
Ventilação do motor insuficiente.
Limpe as entrada e as saídas de ar.
Verifique se o compressor externo está funcionando.
Verifique se o ventilador interno do motor está acoplado firmemente.
O motor consome corrente em
excesso.
Verifique se o motor está sobrecarregado.
Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está adequado.
A razão Volts/Hertz está errada.
Ajuste o valor do parâmetro Volts/Hz.
Ajuste a freqüência básica.
Ajuste a voltagem de saída máxima.
Nenhum termostato está conectado. Conecte o termostato.
Verifique a conexão de todos os circuitos de disparo externo utilizados
com termostato.
Desabilite a entrada do termostato no controle.
Conexões ruins do termostato.
Verifique as conexões do termostato.
Parâmetro de disparo externo
incorreto.
Verifique a conexão do circuito de disparo externo em J4-16.
Hardware Protect
(Proteção de
hardware)
A duração da falha muito curta para
ser identificada.
Reinicialize o controle.
Verifique se os aterramentos da fiação de alimentação e da fiação da
blindagem de sinal estão corretos.
Recoloque a placa de controle.
Heatsink Temp
(Temperatura do
dissipador)
Motor sobrecarregado.
Corrija a carga do motor.
Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está adequado.
Temperatura ambiente muito alta.
Reposicione o controle para refrigerar a área operacional.
Adicione ventoinhas ou condicionadores de ar ao gabinete do controle.
As ventoinhas embutidas estão
funcionando incorretamente ou
estão inoperantes.
Verifique a operação da ventoinha.
Retire os resíduos da ventoinha e das superfícies do dissipador.
Substitua a ventoinha ou verifique a fiação da ventoinha.
5-6 Detecção e resolução de problemas
Configure o parâmetro External Trip como “OFF” se nenhuma conexão
for feita em J4-16.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela 5-3 Detecção e resolução de problemas continuação
Indicação
HW Desaturation
(Desaturação de
HW)
HW Power
Supply (Fonte de
alimentação de
HW)
HW Ground Fault
(Falha de
aterramento de
HW)
Invalid Base ID
(ID de base
inválido)
Line REGEN
(Regeneração de
linha)
O motor não inicia
Causa possível
A taxa de
aceleração/desaceleração está
configurada para um valor muito
curto.
O reforço de torque está
configurado para um valor muito
alto.
Ruído elétrico nos circuitos lógicos.
Motor sobrecarregado.
Fonte de alimentação com
problemas de funcionamento.
Ação corretiva
Aumente a taxa de aceleração/desaceleração.
Reduza o valor do reforço de torque.
Verifique se os aterramentos da fiação de alimentação e da fiação da
blindagem de sinal estão corretos.
Verifique o dimensionamento adequado do controle e do motor ou reduza
a carga do motor.
Vazamento da corrente de saída
(corrente do motor) para o terra.
Desconecte a fiação entre o controle e o motor. Tente executar o teste
novamente.
Se a falha GND FLT for eliminada, reconecte os cabos condutores do
motor e tente executar o teste novamente. Conserte o motor se ele estiver
curto–circuitado internamente.
Substitua os fios do terminal do motor por cabos de baixa capacitância.
Se a falha GND FLT permanecer, entre em contato com a Baldor.
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Se a falha permanecer, acesse as
Informações sobre diagnóstico e compare o número do ID reportado com
o da Tabela 5-2. Se for diferente, ligue para a Baldor.
Somente para inversor de regeneração de linha Série 21H.
O controle não reconhece a
configuração de HP e voltagem.
Falha no conversor de regeneração
de linha
Torque de início insuficiente.
Motor sobrecarregado.
O motor pode ser comandado para
girar abaixo da velocidade mínima
configurada.
Parâmetro Command Select
(Seleção de comando) incorreto.
Comando de freqüência incorreto.
O motor não
atingirá a
velocidade
máxima
Parâmetro Max Frequency Speed
(Freqüência de saída máxima)
configurado para um valor muito
baixo.
Motor sobrecarregado.
Comando de velocidade
inadequado.
O motor não pára
de girar
O motor gira
irregularmente a
uma velocidade
baixa
IMN715BR
Falha no potenciômetro de
velocidade.
O parâmetro MIN Output Speed
(Velocidade de saída mínima)
configurado para um valor muito
alto.
Comando de velocidade
inadequado.
Falha no potenciômetro de
velocidade.
O reforço de torque está
configurado para um valor muito
alto.
Desalinhamento do acoplamento.
Motor com falha.
Verifique as conexões internas.
Substitua a placa de alimentação lógica.
Aumente a definição para o parâmetro Current Limit (Limite de corrente).
Verifique se a carga do motor está adequada.
Verifique o aperto dos acoplamentos.
Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está adequado.
Aumente o comando de velocidade ou reduza a configuração de
velocidade mínima.
Mude o parâmetro Command Select (Seleção de comando) para
corresponder à fiação em J4.
Verifique se o controle está recebendo o sinal de comando adequado em
J4.
Ajuste o valor do parâmetro Max Frequency Limit (Limite de freqüência
máxima).
Verifique se há sobrecarga mecânica. Se o eixo do motor estiver sem
carga e não girar livremente, verifique os enrolamentos do motor.
Verifique se o controle está recebendo o sinal de comando nos terminais
de entrada.
Verifique se o controle está configurado para o modo de operação
adequado para receber o comando de velocidade.
Substitua o potenciômetro.
Ajuste o valor do parâmetro MIN Output Speed.
Verifique se o controle está recebendo o sinal de comando nos terminais
de entrada.
Verifique se o controle está configurado para o seu comando de
velocidade.
Substitua o potenciômetro.
Ajuste o valor do parâmetro de reforço de torque.
Verifique o alinhamento do acoplamento do motor/carga.
Substitua por um motor Baldor.
Detecção e resolução de problemas 5-7
Seção 1
Informações gerais
Tabela 5-3 Detecção e resolução de problemas continuação
Indicação
New Base ID
(Novo ID de
base)
Nenhuma
exibição
NV Memory Fail
(Falha da
memória
não–volátil)
3 Sec Overload
(Sobrecarga de 3
segundos)
Causa possível
Controle ou placa substituída.
Ação corretiva
Restaure os parâmetros para as configurações de fábrica
Reinicialize o controle.
Falta de voltagem de entrada.
Conexões soltas.
Verifique se a alimentação de entrada possui a voltagem adequada.
Verifique a terminação da alimentação de entrada.
Verifique a conexão do teclado do operador.
Consulte o item Ajuste do contraste do display.
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Restaure os valores do parâmetro
para as configurações de fábrica. Se a falha permanecer, ligue para a
Baldor.
Ajuste o contraste do display.
Ocorreu uma falha na memória.
A corrente de saída de pico
excedeu o valor nominal de 3
segundos.
1 Min Overload
(Sobrecarga de 1
minuto)
A corrente de saída de pico
excedeu o valor nominal de 1
minuto.
Over Speed
(Velocidade
acima do limite)
Param Checksum
(Checksum do
parâmetro)
Regen RES
Power (Potência
do resistor de
regeneração)
Motor excedeu 110% do valor do
parâmetro MAX Output Freq
(Freqüência de saída máxima).
Ocorreu uma falha na memória.
Unknown Fault
Code (Código de
falha
desconhecida)
Unstable Speed
(Velocidade
instável)
uP Reset
(Reinicializar
microprocessador
)
FLT Log MEM
Fail (Falha de
memória do
registro de falhas)
Current SENS
FLT (Falha de
identificação da
corrente)
Bus Current
SENS
(Identificação da
corrente do
barramento)
Verifique o valor do parâmetro PK Current Limit (Limite da corrente de
pico), no bloco Level 2
Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Verifique se o motor está sobrecarregado.
Aumente o tempo de aceleração.
Reduza a carga do motor.
Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está adequado.
Verifique o valor do parâmetro PK Current Limit (Limite da corrente de
pico), no bloco Level 2
Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Verifique se o motor está sobrecarregado.
Aumente os tempos de aceleração/desaceleração.
Reduza a carga do motor.
Verifique se o dimensionamento do controle e do motor está adequado.
Verifique o parâmetro Max Output Freq (Freqüência de saída máxima), no
bloco Level 2 Output Limits (Limites de saída de nível 2).
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Restaure os valores do parâmetro
para as configurações de fábrica. Se a falha permanecer, ligue para a
Baldor.
Parâmetro de frenagem dinâmica
Verifique os parâmetros Ohms e Resistor Watts no bloco Level 2 Brake
incorreto.
Adjust (Ajuste da frenagem de nível 2).
A potência de regeneração excedeu Adicione módulos de frenagem dinâmica externos: Kit de resistor RGA ou
a especificação do resistor de
módulo de transistor RBA.
frenagem dinâmica.
Aumente o tempo de desaceleração.
O microprocessador detectou uma
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Restaure os valores do parâmetro
falha não identificada na tabela de
para as configurações de fábrica. Se a falha permanecer, ligue para a
códigos de falhas.
Baldor.
Carga oscilando.
Potência de entrada instável.
Compensação de escorregamento
com um valor muito alto.
Um temporizador de alarme
reinicializou o processador por que
um processo expirou.
Corrija a carga do motor.
Corrija a alimentação de entrada.
Ajuste a compensação de escorregamento.
Dados corrompidos no registro de
falhas (pode ocorrer somente em
sistemas antigos).
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Se a falha permanecer, ligue para
a Baldor.
Falha na identificação da corrente
de fase.
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Se a falha permanecer, ligue para
a Baldor.
Falha na identificação da corrente
do barramento.
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Se a falha permanecer, ligue para
a Baldor.
5-8 Detecção e resolução de problemas
Pressione a tecla “RESET” no teclado. Se a falha permanecer, ligue para
a Baldor.
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Considerações sobre ruído elétrico
Todos os dispositivos eletrônicos são vulneráveis a sinais de interferência eletrônica
significativos (comumente chamados de “ruído elétrico”). Em um nível mais baixo, o
ruído causa erros ou falhas de operação intermitentes. De um ponto de vista de circuito,
5 ou 10 milivolts de ruído pode provocar uma operação prejudicada. Por exemplo, as
entradas de velocidade analógica e de torque são freqüentemente escaladas a um
máximo de 5 a 10 VCC com uma resolução típica de uma parte em 1.000. Assim, um
ruído de apenas 5 mV representa um erro substancial.
Em um nível extremo, um ruído significativo pode causar danos no acionamento. Assim,
é aconselhável evitar a geração de ruídos e seguir práticas de fiação que evitem com
que o ruído gerado por outros dispositivos atinja circuitos sensíveis. Em um controle, tais
circuitos incluem entradas para velocidade, torque, lógica de controle e velocidade e
realimentação de posição, além de saídas para alguns indicadores e computadores.
Bobinas de relés e contatores
Entre as fontes de ruídos mais comuns estão as bobinas e de contatores e relés.
Quando estes circuitos de bobinas altamente indutivos estão abertos, as condições
transientes freqüentemente geram picos de diversas centenas de volts no circuito de
controle. Estes picos podem induzir diversos volts de ruído em um fio adjacente que
corra em paralelo a um fio do circuito de controle. A Figura 5-1 ilustra a supressão de
ruído para bobinas de relés CA e CC.
Figura 5-1 Supressão de ruído em bobinas CA e CC
Reprovador RC
Bobina CA
0,47 F
+
Bobina CC
Diodo
33 -
Fios entre os controles e os motores
Os terminais de saída de um controlador típico de 460 VCA contêm transições rápidas
de voltagem criadas por semicondutores de potência que comutam 650 V em menos de
um microssegundo, de 1.000 a 10.000 vezes em um segundo. Esses sinais de ruído
podem se acoplar em circuitos de acionamento sensíveis. Se um cabo de par blindado
for utilizado, o acoplamento será reduzido em cerca de 90% se comparado a um cabo
não–blindado.
Até as linha de alimentação CA contém ruído e podem induzir ruído em fios adjacentes.
Em alguns casos, os reatores de linha podem ser necessários.
Para evitar ruído transiente induzido em fios de sinal, todos os cabos condutores do
motor e das linhas de alimentação CA deverão estar contidos em um conduíte de metal
ou conduíte flexível. Não coloque os condutores de linha e condutores de carga no
mesmo conduíte. Utilize um conduíte para fios de entrada trifásicos e um outro conduíte
para os cabos condutores do motor. Os conduítes devem ser aterrados para formar uma
blindagem para conter o ruído elétrico dentro do caminho do conduíte. Fios de sinal mesmo os que estiverem em um cabo blindado nunca deverão ser colocados no
conduíte com os fios de alimentação do motor.
IMN715BR
Detecção e resolução de problemas 5-9
Seção 1
Informações gerais
Situações de acionamento especiais
Para situações de ruído intenso, pode ser necessária a redução das voltagens
transientes nos fios para o motor acrescentando–se reatores de carga. Reatores de
carga são instalados entre o controle e o motor.
Os reatores possuem tipicamente 3% de reatância e são projetados para as freqüências
encontradas nos acionamentos PWM. Para obter o máximo de benefícios, os reatores
deverão ser montados no gabinete do acionamento com cabos condutores curtos entre o
controle e os reatores.
Gabinetes do controle Os controles do motor montados em um gabinete aterrado também deverão estar
conectados ao terra com um condutor separado para garantir a melhor conexão com o
terra. Freqüentemente, o aterramento do controle com o gabinete metálico aterrado não
é suficiente. Usualmente, superfícies pintadas e selos evitam o contato metálico entre o
controle e o gabinete do painel. Além disso, um conduíte nunca deverá ser utilizado
como um condutor de aterramento para os fios de alimentação do motor ou condutores
de sinal.
Considerações especiais sobre o motor
As estruturas do motor também devem ser aterradas. Assim como com os gabinetes do
controle, os motores devem ser diretamente aterrados ao controle e ao terra da fábrica
com um cabo de aterramento o mais curto possível. O acoplamento capacitivo dentro
dos enrolamentos do motor produzem voltagens transientes entre a estrutura do motor e
o terra. A gravidade dessas voltagens aumenta com o comprimento do cabo de
aterramento. As instalações com o motor e o controle montados em uma estrutura
comum e com fios de aterramento de grande bitola, com menos de 3 metros de
comprimento, raramente têm um problema ocasionado por essas voltagens transientes
geradas pelo motor.
Fios de sinais analógicos Os sinais analógicos geralmente originam–se a partir dos controles de velocidade e de
torque, além dos tacômetros CC e controladores de processo. A confiabilidade é
freqüentemente aumentada implementando–se técnicas de redução de ruídos:
•
•
•
5-10 Detecção e resolução de problemas
Utilize fios blindados de par trançado com a blindagem aterrada somente na
extremidade do acionamento.
Encaminhe os fios de sinais analógicos para longe dos fios de alimentação e de
controle (todos os outros tipos de fios).
Cruze os fios de alimentação e controle em ângulos retos (90°) para reduzir o
acoplamento de ruído indutivo.
IMN715BR
Seção 6
Especificações e dados do produto
Especificações:
Horse–power
Freqüência de entrada
Voltagem de saída
Corrente de saída
Freqüência de saída
Fator de manutenção
Serviço
Capacidade de sobrecarga
Definição de freqüência
Potenciômetro de ajuste de freqüência
Temperatura nominal de armazenamento:
Perda de potência
Fator de alimentação (defasagem)
Eficiência
1 a 50 HP @ 230 VCA
1 a 800 HP @ 460 VCA
1 a 600 HP @ 575 VCA
50/60 Hz ± 5%
0 a VCA de entrada máxima
Ver a tabela de valores nominais
0 a 120 Hz ou de 0 a 400 Hz (selecionável por jumper) –
1,0
Contínuo
Modo de torque constante:
170 a 200% por 3 segundos
150% por 60 segundos
Modo de torque variável:
115% por 60 segundos
Teclado, de 0 a 5 VCC, de 0 a 10 VCC, de 4 a 20 mA
5k ou 10k, 1/2 Watt
– 30°C até +65°C
Mínimo de 15 ms em plena carga, 200 ms em inatividade
Mínimo de 0,95%
Mínimo de 95% em carga e velocidade plenas
Condições de operação:
Faixa de voltagem:
modelos de 230 VCA
modelos de 460 VCA
modelos de 575 VCA
Impedância da linha de entrada:
Temperatura do ambiente de operação:
Gabinete:
Umidade:
Altitude:
Choque:
Vibração:
180 a 264 VCA 3 60 Hz/180 a 230 VCA 3 50 Hz
340 a 528 VCA 3 60 Hz/340 a 457 VCA 3 50 Hz
495 a 660 VAC 3 60 Hz
Mínimo de 3% exigido (tamanhos A, B, C, D e E)
1% (tamanho B2, C2, D2, F, G, G2, G+ e H)
0 a +40°C
Redução da saída em 2% por °C
acima de 40 °C até 55 °C (130 °F) máximo
NEMA 1:
modelos com sufixo E, EO e ER
NEMA 4X interno:
modelos com sufixo W
Chassi protegido
modelos com sufixo MO e MR
NEMA 1 e protegido:
Até 90% de RH (umidade relativa) sem
condensação
NEMA 4X interno:
Até 100% de RH (umidade relativa) com
condensação
Do nível do mar até 3.300 pés (1.000 metros).
Reduza em 2% por 1.000 pés (303 metros) acima de 3.300 pés (1.000
metros)
1G
0,5 G de 10 Hz a 60 Hz
Display do teclado:
Display
Teclas
Funções
Indicadores LED
Montagem remota
IMN715BR
LCD alfanumérico com fundo iluminado
2 linhas x 16 caracteres
Teclado tipo membrana com resposta táctil
Monitoramento do estado da saída
Controle de velocidade digital
Ajuste e visualização de parâmetros
Exibição do registro de falhas
Marcha e salto do motor
Local/remoto
Comando de marcha de avanço
Comando de marcha reversa
Comando para parar
Ativar salto
Até um máximo de 100 pés (30 metros) do controle
Especificações e dados do produto 6-1
Especificações do controle:
Método de controle
Entrada de portadora de onda senoidal, saída PWM
Precisão da freqüência
0,01 Hz digital
0,05 % analógica
Resolução da freqüência
0,01 Hz digital
0,5% analógica
Freqüência da portadora
1 kHz a 15 kHz ajustável
2,5 kHz padrão
8,0 kHz silencioso
Tipo de transistor
IGBT (transistor bipolar de gate isolado)
Tempo de subida do transistor
2.500 V/seg. (dv/dt)
Reforço de torque
Ajuste automático à carga (padrão)
0 a 15% da voltagem de entrada (manual)
Padrão Volts/Hertz
Linear, Quadrática Reduzida, Três Pontos
Tempo de aceleração/desaceleração
0 a 3.600 s para 2 selecionáveis mais JOG
Tempo da Curva S
0 a 100%
Freqüência básica
10 a 400 Hz
Torque de frenagem regenerativa
20% mínimo (–E, –W)
100% com resistor de frenagem externo opcional (–EO, –MO, –ER)
Freqüência de Jog
0 até a freqüência máxima
Freqüência de salto
0 até a freqüência máxima em 3 zonas
Freqüência mínima de saída
0 até a freqüência máxima
Freqüência máxima de saída
0 até a freqüência máxima
Auto–reinicialização
Manual ou automática
Compensação de escorregamento
0 a 6 Hz
Modos de operação
Teclado
Standard Run (Marcha padrão)
15 velocidades de 2 fios
Bomba de ventilador de 2 fios
Bomba de ventilador de 3 fios
Serial
Controle de processo
3 velocidades analógicas de 2 fios
3 velocidades analógicas de 3 fios
Potenciômetro eletrônico de 2 fios
Potenciômetro eletrônico de 3 fios
Entradas analógicas: (2 entradas)
Entrada de potenciômetro
0 a 10 VCC
Faixa de escala completa de entrada diferencial
0a 5 VCC, 0 a 10 VCC e 4 a 20 mA
Rejeição de modo comum de entrada diferencial 40 dB
Impedância de entrada
6-2 Especificações e dados do produto
20k
IMN715BR
Saídas analógicas: (2 saídas)
Saídas analógicas
Faixa de escala completa
Corrente da fonte
Resolução
Condições de saída
2 selecionáveis
0 a 5 VCC nominal (0 a 8 VCC máxima)
1 mA máxima
8 bits
7 condições mais calibragem (ver tabela de parâmetros)
Entradas digitais: (9 entradas)
Entradas lógicas opto–isoladas
Voltagem nominal
Impedância de entrada (entradas lógicas
opto–isoladas)
Corrente de fuga (entradas opto–isoladas em
OFF)
9 selecionáveis
10 a 30 VCC
6,8 k (padrão com contatos fechados)
10 A máxima
Saídas digitais:
(2 saídas opto–isoladas)
Voltagem nominal
Corrente máxima
Queda de voltagem – ON
Corrente de fuga – OFF
Condições de saída
5 a 30 VCC
60 mA máxima
2 VCC máxima
0,1 A máxima
10 condições (ver tabela de parâmetros)
(2 saídas de relé)
Voltagem nominal
Corrente máxima
Condições de saída
5 a 30 VCC ou 230 VCA
5 A máxima, não–indutiva
10 condições (ver tabela de parâmetros)
Indicações de diagnóstico:
Invalid Base ID (ID de base inválido)
NV Memory Fail (Falha da memória não–volátil)
Param Checksum (Checksum do parâmetro)
New Base ID (Novo ID de base)
HW Desaturation (Desaturação de HW)
HW Surge Current (Corrente de surto de HW)
HW Ground Fault (Falha de aterramento de HW)
HW Power Supply (Fonte de alimentação de HW)
Hardware Protect (Proteção de hadrware)
1 Min Overload (Sobrecarga de 1 minuto)
3 Sec Overload (Sobrecarga de 3 segundos)
Bus Overvoltage (Sobrevoltagem de barramento)
Bus Undervoltage (Baixa voltagem do barramento)
Heat Sink Temp (Temperatura do dissipador)
External Trip
REGEN Res Power (Potência do resistor de regeneração)
Low INIT Bus V (Voltagem baixa do barramento na
inicialização)
Overcurrent (Sobrecorrente)
EXB Selection (Seleção da placa de expansão)
Torque Proving (Teste de torque)
µP Reset (Reinicialização do microprocessador)
FLT Log MEM Fail (Falha de memória do registro de
falhas)
Current SENS FLT (Falha de identificação da corrente)
Bus Current SENS (Identificação da corrento do
barramento)
Nota: Todas as especificações estão sujeitas à modificações sem notificação
prévia.
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-3
Valores nominais Produtos em estoque da Série 15H
PADRÃO DE 2,5 kHz PWM
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H201–E, –W
ID15H202–E, –W
ID15H203–E, –W
ID15H205–E, –W
ID15H207–E, –W
ID15H210–E –W
ID15H215–E –W
ID15H220–E
ID15H225–EO
ID15H230–EO
ID15H240–EO
ID15H250–EO
ID15H250V–MO
ID15H401–E, –W
ID15H402–E, –W
ID15H403–E, –W
ID15H405–E, –W
ID15H407–E, –W
ID15H410–E, –W
ID15H415–E, –W
ID15H420–E, –W
ID15H425–E
ID15H430–EO
ID15H440–EO
ID15H450–EO
ID15H460–EO
ID15H475–EO
ID15H4100–EO
ID15H4150V–EO
ID15H4150–EO
ID15H4200–EO
ID15H4250–EO
ID15H4300–EO
ID15H4350–EO
ID15H4400–EO
ID15H4450–EO
ID15H4500–EO
ID15H4600–EO
ID15H4700–EO
ID15H4800–EO
ID15H501–E, –W
ID15H502–E, –W
ID15H503–E, –W
ID15H505–E, –W
ID15H507–E, –W
ID15H510–E, –W
ID15H515–E, –W
ID15H520–E, –W
ID15H525–E
ID15H530–EO
ID15H540–EO
ID15H550–EO
ID15H560–EO
ID15H575–EO
ID15H5100–EO
ID15H5150–EO
ID15H5150V–EO
ID15H5200–EO
ID15H5300–EO
ID15H5350–EO
ID15H5400–EO
TORQUE CONSTANTE
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D2
D2
D
A
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D
D
E
E
E
F
F
F
G2
G2
G2
G
G+
G+
G+
G+
A
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D2
D2
E
E
F
E
F
G
G
G
6-4 Especificações e dados do produto
TORQUE VARIÁVEL
Saída
Saída
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
Corrente
lógica
HP
kW
IC
IP
4,1
7,2
10,3
16,5
22,7
28,8
43,3
57
70
82
108
134
134
2,1
4,1
5,2
8,2
11,3
14,4
21,6
28
35
41
57
67
82
103
129
185
196
258
319
381
432
494
556
607
731
855
979
1,6
3,1
4,1
7,2
9,3
11,3
17,5
23
28
33
44
56
67
79
102
155
148
206
300
350
402
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
50
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
75
100
150
150
200
250
300
350
400
450
500
600
700
800
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
75
100
150
150
200
300
350
400
0,75
1,5
2,2
3,7
5,5
7,4
11,1
14,9
18,6
22,3
30
37
37
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,4
11,2
14,9
18,7
22,4
29,9
37
45
56
75
112
112
149
187
224
261
298
336
373
447
522
597
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
11,2
15
19
22
29,8
37
45
56
75
112
112
149
224
261
298
4,0
7,0
10
16
22
28
42
54
68
80
105
130
130
2,0
4,0
5,0
8,0
11
14
21
27
34
40
55
65
80
100
125
180
190
250
310
370
420
480
540
590
710
830
950
1,5
3,0
4,0
7,0
9,0
11
17
22
27
32
41
52
62
77
100
150
145
200
290
340
390
8,0
14
20
32
44
56
84
108
116
140
200
225
260
4,0
8,0
10
16
22
28
42
54
68
70
100
115
140
200
220
300
380
500
620
630
720
820
920
1.180
1.210
1.660
1.710
3,0
6,0
8,0
14
18
22
34
44
54
56
75
92
109
155
200
300
260
400
580
680
780
7,2
10,3
16,5
22,7
28,8
43,2
57
57
82
82
134
134
134
4,1
5,2
8,2
11,3
14,4
21,6
27,8
35
35
54
54
82
103
129
165
185
247
319
381
432
494
556
607
731
855
979
1102
3,1
4,1
7,2
9,3
11,3
17,5
22,7
28
28
44
56
67
67
102
129
206
148
258
350
402
453
2
3
5
7,5
10
15
20
20
30
30
50
50
50
2
3
5
7,5
10
15
20
25
25
40
40
60
75
100
125
150
200
250
300
350
400
450
500
600
700
800
900
2,0
3
5
7,5
10
15
20
20
25
40
50
60
60
100
125
200
150
250
350
400
450
1,5
2,2
3,7
5,5
7,4
11,1
11,1
18,6
22,3
22,4
37
37
37
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
11,2
14,9
18,7
22,4
29,9
29,9
45
56
75
93
112
149
187
224
261
298
336
373
447
522
597
671
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
11,2
14,9
14,9
18,7
30
37,2
45
45
75
93
149
112
186
261
298
336
7
10
16
22
28
42
54
54
80
80
130
130
130
4,0
5,0
8,0
11
14
21
27
34
34
52
52
80
100
125
160
180
240
310
370
420
480
540
590
710
830
950
1.070
3,0
4,0
7,0
9,0
11
17
22
22
27
41
52
62
62
100
125
200
145
250
340
390
440
8
12
19
25
32
48
62
62
92
92
150
150
150
5,0
6,0
10
13
17
24
31
39
39
60
60
92
115
144
184
207
276
360
430
490
560
620
680
820
960
1.100
1.230
4,0
5,0
8,0
11
13
20
25
25
31
47
60
71
71
115
145
230
166
290
400
450
510
IMN715BR
Valores nominais dos produtos em estoque da Série 15H continuação
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H201–E, –W
ID15H202–E, –W
ID15H203–E, –W
ID15H205–E, –W
ID15H207–E, –W
ID15H210–E –W
ID15H215–E –W
ID15H220–E
ID15H225–EO
ID15H230–EO
ID15H240–EO
ID15H250–EO
ID15H250V–MO
ID15H401–E, –W
ID15H402–E, –W
ID15H403–E, –W
ID15H405–E, –W
ID15H407–E, –W
ID15H410–E, –W
ID15H415–E, –W
ID15H420–E, –W
ID15H425–E
ID15H430–EO
ID15H440–EO
ID15H450–EO
ID15H460–EO
ID15H475–EO
ID15H4100–EO
ID15H4150V–EO
ID15H4150–EO
ID15H4200–EO
ID15H4250–EO
ID15H4300–EO
ID15H4350–EO
ID15H4400–EO
ID15H4450–EO
ID15H501–E, –W
ID15H502–E, –W
ID15H503–E, –W
ID15H505–E, –W
ID15H507–E, –W
ID15H510–E, –W
ID15H515–E, –W
ID15H520–E, –W
ID15H525–E
ID15H530–EO
ID15H540–EO
ID15H550–EO
ID15H560–EO
ID15H575–EO
ID15H5100–EO
ID15H5150–EO
ID15H5150V–EO
ID15H5200–EO
ID15H5300–EO
ID15H5350–EO
ID15H5400–EO
IMN715BR
SILENCIOSO DE 8,0 kHz PWM
TORQUE CONSTANTE
TORQUE VARIÁVEL
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
460
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
575
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D2
D2
D
A
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D
D
E
E
E
F
F
F
G2
G2
G2
G
A
A
A
A
A
B2
B2
B2
B2
C2
C2
D2
D2
E
E
F
E
F
G
G
G
Saída
Saída
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
3,1
4,1
7,2
10,3
16,5
22,7
28,8
43
56
72
82
108
134
1,6
2,1
4,1
5,2
8,2
11,3
15,5
22
22
36
41
57
67
82
103
128
155
196
258
0,75
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
30
40
50
0,75
1
2
3
5
7,5
10
15
15
25
30
40
50
60
75
100
125
150
200
0,56
0,75
1,5
2,2
3,7
5,5
7,4
11,1
14,9
18,6
22
30
37
0,56
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
11,2
11,2
18,7
22,4
30
37
45
56
75
93
112
149
3,0
4,0
7,0
10
16
22
28
42
54
70
80
105
130
1,5
2,0
4,0
5,0
8,0
11
15
21
21
35
40
55
65
80
100
125
150
190
250
6,0
8,0
14
20
32
44
56
84
92
122
160
183
244
3,0
4,0
8,0
10
16
22
28
42
42
61
80
92
122
160
183
240
260
380
500
4,1
7,2
10,3
16,5
22,7
28,8
43,3
56
70
70
107
134
134
2,1
4,1
5,2
8,2
11,3
14,4
21,6
28
28
41
41
67
82
103
129
165
175
216
319
1
2
3
5
7,5
10
15
20
25
25
40
50
50
1
2
3
5
7,5
10
15
20
20
30
30
50
60
75
100
125
150
175
250
0,75
1,5
2,2
3,7
5,5
7,4
11,1
14,9
18,6
18,6
30
37
37
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
11,2
14,9
14,9
22,4
22,4
37
45
56
75
93
112
130
186
4
7
10
16
22
28
42
54
68
68
104
130
130
2,0
4,0
5,0
8,0
11
14
21
27
27
40
40
65
80
100
125
160
170
210
310
5
8
12
19
25
32
48
62
78
78
120
150
150
3,0
5,0
6,0
10
13
16
24
31
31
46
46
75
92
115
144
184
200
240
360
1,2
1,5
3,1
4,1
7,2
9,3
11,3
18
23
28
33
44
56
0,75
1
2
3
5
7,5
10
10
20
25
30
40
50
0,56
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
7,5
15,5
19
22,3
30
37
1,1
1,5
3,0
4,0
7,0
9
11
11
22
27
32
41
52
2,2
3,0
6,0
8,0
14
18
22
22
44
47
58
73
91
1,6
3,1
4,1
7,2
9,3
11,3
17,5
17,5
28
33
44
56
67
1
2
3
5
7,5
10
10
10
25
30
40
50
60
0,75
1,5
2,2
3,7
5,6
7,5
7,5
7,5
19
22
29,8
37
45
1,5
3,0
4,0
7,0
9
11
11
11
27
32
41
52
62
1,7
4,0
5,0
8,0
11
13
13
13
31
37
47
60
71
Especificações e dados do produto 6-5
Valores nominais do controle personalizado da Série 15H
PADRÃO DE 2,5 kHz PWM
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H210L–ER
ID15H215L–ER
ID15H220L–ER
ID15H225L–ER
ID15H230L–ER
ID15H240L–MR
ID15H410L–ER
ID15H415L–ER
ID15H420L–ER
ID15H425L–ER
ID15H430L–ER
ID15H440L–ER
ID15H450L–ER
ID15H460L–ER
ID15H475L–EO
TORQUE CONSTANTE
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
460
460
C
C
C
C
C
D
C
C
C
C
C
C
D
D
E
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
33
47
62
77
93
118
16
25
31
39
46
62
77
93
113
10
15
20
25
30
40
10
15
20
25
30
40
50
60
75
5
11
15
19
22
30
5
11
15
19
22
30
37
45
56
32
46
60
75
90
115
16
24
30
38
45
60
75
90
110
TORQUE VARIÁVEL
IP
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
72
108
140
180
210
270
36
54
70
90
108
140
190
215
270
43
56
56
70
107
118
22
28
28
35
54
62
82
103
129
15
20
20
25
40
40
15
20
20
25
40
40
60
75
100
11
15
15
19
30
30
11
15
15
19
30
30
45
56
75
42
54
54
68
104
115
21
27
27
34
52
60
80
100
125
48
62
62
78
120
133
24
31
31
39
60
69
92
115
144
Saída
Saída
SILENCIOSO DE 8,0 kHz PWM
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H210L–ER
ID15H215L–ER
ID15H220L–ER
ID15H225L–ER
ID15H230L–ER
ID15H240L–MR
ID15H410L–ER
ID15H415L–ER
ID15H420L–ER
ID15H425L–ER
ID15H430L–ER
ID15H440L–ER
ID15H450L–ER
ID15H460L–ER
ID15H475L–EO
TORQUE CONSTANTE
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
460
460
C
C
C
C
C
D
C
C
C
C
C
C
D
D
E
6-6 Especificações e dados do produto
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
25
33
49
62
77
93
12
16
25
31
38
46
62
77
93
7,5
10
15
20
25
30
7,5
10
15
20
25
30
40
50
60
5,6
7,5
11
15
19
22
5,6
7,5
11
15
19
22
30
37
45
24
32
48
60
75
90
12
16
24
30
37
45
60
75
90
TORQUE VARIÁVEL
IP
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
61
92
122
170
190
240
30
46
61
90
95
122
170
190
240
43
56
56
56
82
107
22
28
28
28
41
41
67
82
103
15
20
20
20
30
40
15
20
20
20
30
30
50
60
75
11
15
15
15
22
30
11
15
15
15
22
22
37
45
56
42
54
54
54
80
104
21
27
27
27
40
40
65
80
100
48
62
62
62
92
120
24
31
31
31
46
46
75
92
115
Saída
Saída
IMN715BR
Valores nominais do controle personalizado da Série 15H com transistor de DB interno
PADRÃO DE 2,5 kHz PWM
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H215–ER
ID15H220–ER
ID15H225–ER
ID15H230–ER
ID15H240–MR
ID15H250–MR
ID15H250V–MR
ID15H415–ER
ID15H420–ER
ID15H425–ER
ID15H430–ER
ID15H440–ER
ID15H450–ER
ID15H460–ER
ID15H515–ER
ID15H520–ER
ID15H525–ER
ID15H530–ER
ID15H540–ER
ID15H550–ER
ID15H560–ER
TORQUE CONSTANTE
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
575
575
575
575
575
575
575
C2
C2
C2
C2
D
D
D
B
C2
C2
C2
C2
D
D
B
C
C
C
D
D
D
TORQUE VARIÁVEL
Saída
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
43
57
70
82
108
134
134
21,6
28
35
41
57
67
82
17,5
23
28
33
44
56
67
15
20
25
30
40
50
50
15
20
25
30
40
50
60
15
20
25
30
40
50
60
11,1
14,9
18,6
22,3
30
37
37
11,2
14,9
18,7
22,4
29,9
37
45
11,2
15
19
22
29,8
37
45
42
55
68
80
105
130
130
21
27
34
40
55
65
80
17
22
27
32
41
52
62
72
100
116
140
200
225
260
42
54
58
70
100
115
140
34
44
46
56
75
92
109
Saída
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
56
70
82
82
134
134
134
27,8
35
41
54
54
82
103
22,7
28
33
44
56
67
20
25
30
30
50
50
50
20
25
30
40
40
60
75
20
25
30
40
50
60
14,9
18,6
22,3
22,4
37
37
37
14,9
18,7
22,4
29,9
29,9
45
56
14,9
19
22
30
37,2
45
54
68
80
80
130
130
130
27
34
40
52
52
80
100
22
27
32
41
52
62
62
78
92
92
150
150
150
31
39
46
60
60
92
115
26
31
37
47
60
71
SILENCIOSO DE 8,0 kHz PWM
NÚMERO
DO CATÁLOGO
ID15H215–ER
ID15H220–ER
ID15H225–ER
ID15H230–ER
ID15H240–MR
ID15H250–MR
ID15H250V–MR
ID15H415–ER
ID15H420–ER
ID15H425–ER
ID15H430–ER
ID15H440–ER
ID15H450–ER
ID15H460–ER
ID15H515–ER
ID15H520–ER
ID15H525–ER
ID15H530–ER
ID15H540–ER
ID15H550–ER
ID15H560–ER
IMN715BR
TORQUE CONSTANTE
VOLTAGEM
DE
ENTRADA
TAMANHO
230
230
230
230
230
230
230
460
460
460
460
460
460
460
575
575
575
575
575
575
575
C2
C2
C2
C2
D
D
D
B
C2
C2
C2
C2
D
D
B
C
C
C
D
D
D
TORQUE VARIÁVEL
Saída
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
31
43
56
72
82
108
134
15,5
22
28
36
41
57
67
11,3
18
23
28
33
44
56
10
15
20
25
30
40
50
10
15
20
25
30
40
50
10
15
20
25
30
40
50
7,4
11,1
14,9
18,6
22
30
37
7,5
11,2
14,9
18,7
22,4
30
37
7,5
11,5
15,5
19
22,3
30
37
30
42
54
70
80
105
130
15
21
27
35
40
55
65
11
17
22
27
32
41
52
Saída
IP
Corrente
de
entrada
HP
kW
IC
IP
61
92
92
122
160
183
244
30
46
46
61
80
92
122
22
34
38
47
58
73
91
43
56
70
70
107
134
134
21,6
28
35
41
41
67
82
17,5
23
28
33
44
56
67
15
20
25
25
40
50
50
15
20
25
30
30
50
60
15
20
25
30
40
50
60
11,1
14,9
18,6
18,6
30
37
37
11,2
14,9
18,7
22,4
22,4
37
45
11,2
15
19
22
29,8
37
45
42
54
68
68
104
130
130
21
27
34
40
40
65
80
17
22
27
32
41
52
62
48
62
78
78
120
150
150
25
31
39
46
46
75
92
20
25
31
37
47
60
71
Especificações e dados do produto 6-7
Especificações de torque para aperto de terminais
Tabela 6-4 Produtos em estoque da Série 15H
230 VCA
No. do catálogo
TB1 de
alimentação
Torque de aperto
J1 controle
Terra
D1/D2
B+/R1; B+; B– ou R2
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
ID15H201–E ou W
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H202–E ou W
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H203–E ou W
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H205–E ou W
ID15H207–E ou W
8
20
0,9
2,5
15
15
1,7
1,7
4,5
4,5
0,5
0,5
8
20
0,9
2,5
–
–
–
–
ID15H210–E
20
2,5
15
1,7
4,5
0,5
20
2,5
–
–
ID15H210–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H210L–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H215–E
ID15H215V–EO
20
35
2,5
4
15
50
1,7
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
20
35
2,5
4
–
3,5
–
0,4
ID15H215V–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H215–EO
50
5,6
50
5,6
4,5
0,5
50
5,6
32
3,6
ID15H215–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H215L–ER
ID15H220–EO
35
50
4
5,6
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
50
4
5,6
–
32
–
3,6
ID15H220–ER
35
4
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H220L–ER
35
4
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H225V–EO
ID15H225V–ER
35
35
4
4
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
35
4
4
3,5
–
0,4
–
ID15H225–EO
50
5,6
50
5,6
4,5
0,5
50
5,6
32
3,6
ID15H225–ER
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
–
–
ID15H225L–ER
35
4
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H230–EO
ID15H230V–EO
50
22 a 26
5,6
2,5 a 3
50
22 a 26
5,6
2,5 a 3
4,5
4,5
0,5
0,5
50
22 a 26
5,6
2,5 a 3
32
3,5
3,6
0,4
–
ID15H230V–ER
35
4
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
35
4
–
ID15H230L–ER
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
–
–
ID15H240–MO
140
15,8
50
5,6
4,5
0,5
140
15,8
3,5
0,4
ID15H240–MR
ID15H240L–MR
140
140
15,8
15,8
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
140
140
15,8
15,8
–
–
–
–
ID15H250V–MO
140
15,8
50
5,6
4,5
0,5
140
15,8
3,5
0,4
ID15H250V–MR
140
15,8
50
5,6
4,5
0,5
140
15,8
–
–
ID15H250–MO
140
15,8
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
140
15,8
3,5
0,4
ID15H250–MR
140
15,8
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
140
15,8
–
–
6-8 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Especificações de torque de aperto de terminais continuação
Tabela 6-4 Produtos em estoque da Série 15H continuação
460 VCA
No. do catálogo
TB1 de
alimentação
Torque de aperto
J1 controle
Terra
D1/D2
B+/R1; B+; B– ou R2
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
ID15H401–E ou W
ID15H402–E ou W
8
8
0,9
0,9
15
15
1,7
1,7
4,5
4,5
0,5
0,5
8
8
0,9
0,9
–
–
–
–
ID15H403 –E ou W
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H405–E
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H405–W
20
2,5
20
2,5
4,5
0,5
20
2,5
–
–
ID15H407–E ou W
ID15H410–E
20
20
2,5
2,5
20
20
2,5
2,5
4,5
4,5
0,5
0,5
20
20
2,5
2,5
–
–
–
–
ID15H410–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H415–E
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H415V–EO
35
4
20
2,5
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H415–EO
ID15H415–ER
35
35
4
4
20
50
2,5
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
35
4
4
3,5
–
0,4
–
ID15H415L–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H420–EO
50
5,6
50
5,6
4,5
0,5
50
5,6
32
3,6
ID15H420–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H420L–ER
ID15H425V–EO
35
35
4
4
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
35
4
4
–
3,5
–
0,4
ID15H425V–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H425–EO
50
5,6
50
5,6
4,5
0,5
50
5,6
32
3,6
ID15H425–ER
ID15H425L–ER
35
35
4
4
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
35
4
4
–
–
–
–
ID15H430V–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H430V–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H430–EO
50
5,6
50
5,6
4,5
0,5
50
5,6
32
3,6
ID15H430L–ER
ID15H440–EO
35
50
4
5,6
50
50
5,6
5,6
4,5
4,5
0,5
0,5
35
50
4
5,6
–
32
–
3,6
ID15H440–ER
22 a 26
2,5–3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
–
–
ID15H440L–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H450–EO
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
3,5
0,4
ID15H450–ER
ID15H450L–ER
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
4,5
4,5
0,5
0,5
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
–
–
–
–
ID15H460V–EO
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
3,5
0,4
ID15H460V–ER
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
–
–
ID15H460–EO
22 a 26
2,5 a 3
22 a 26
2,5 a 3
4,5
0,5
22 a 26
2,5 a 3
3,5
0,4
ID15H460–ER
ID15H460L–ER
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
4,5
4,5
0,5
0,5
22 a 26
22 a 26
2,5 a 3
2,5 a 3
–
–
–
–
ID15H475–EO
140
15,8
50
5,6
4,5
0,5
140
15,8
3,5
0,4
ID15H475L–EO
75
8,5
50
5,6
4,5
0,5
75
8,5
3,5
0,4
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-9
Especificações de torque de aperto de terminais continuação
Tabela 6-4 Produtos em estoque da Série 15H continuação
Torque de aperto
460 VCA
No. do catálogo
continuação
TB1 de
alimentação
Terra
J1 controle
D1/D2
B+/R1; B+; B– ou R2
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
ID15H4100–EO
75
8,5
50
5,6
4,5
0,5
75
8,5
3,5
0,4
ID15H4150V–EO
75
8,5
50
5,6
4,5
0,5
75
8,5
3,5
0,4
ID15H4150–EO
275
31
50
5,6
4,5
0,5
275
31
3,5
0,4
ID15H4200–EO
275
31
50
5,6
4,5
0,5
275
31
3,5
0,4
ID15H4250–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4300–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4350–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4400–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4400–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4450–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4500–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H44600–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4700–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
ID15H4800–EO
375
42
375
42
4,5
0,5
375
42
3,5
0,4
6-10 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Tabela 6-4 Produtos em estoque da Série 15H continuação
Torque de aperto
575 VCA
No. do
catálogo
TB1 de alimentação
Terra
J1 controle
D1/D2
B+/R1; B+; B– ou R2
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
Lb-in
Nm
ID15H501–E
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H502–E
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H503–E
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H505–E
8
0,9
15
1,7
4,5
0,5
8
0,9
–
–
ID15H507–E
20
2,5
20
2,5
4,5
0,5
20
2,5
–
–
ID15H510–E
20
2,5
20
2,5
4,5
0,5
20
2,5
–
–
ID15H515–E
20
2,5
20
2,5
4,5
0,5
20
2,5
–
–
ID15H515–EO
35
4
20
2,5
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H515–ER
35
4
20
2,5
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H520–EO
35
4
20
2,5
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H520–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H525–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H525–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H530–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H530–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H540–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H540–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H550–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H550–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H560–EO
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
3,5
0,4
ID15H560–ER
35
4
50
5,6
4,5
0,5
35
4
–
–
ID15H575–EO
20 - 30
2,5 a 3,5
50
5,6
4,5
0,5
20 a 30
2,5 a 3,5
3,5
0,4
ID15H5100–EO
20 a 30
2,5 a 3,5
50
5,6
4,5
0,5
20 a 30
2,5 a 3,5
3,5
0,4
ID15H5150V–EO
35 a 50
4 a 5,7
50
5,6
4,5
0,5
35 a 50
4 a 5,7
3,5
0,4
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-11
Dimensões para montagem
Controle do tamanho A
7,20
(182,9 mm)
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
0,25
(6,4 mm)
Saída
de ar
PROG
ENTER
RESET
11,50
(292,1 mm)
.25
(6,4 mm)
7,120
(180,8 mm)
12,00
(304,8 mm)
7,20
(182,9 mm)
Entrada de ar
Diâmetro de
0,88
(22,35 mm)
7,70
(195,6 mm)
6-12 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho A – montagem embutida em parede
Placa de aço
Junta
Espaçadores
1/2 x 2-1/2
10 parafusos com
porcas e arruelas de
32 x 0,75″
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-13
Dimensões continuação
Controle de tamanho B
9,25
(225,0 mm)
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
0,28 típico
(7,1 mm)
7,120
(180,9 mm)
Saída
de ar
PROG
ENTER
14,65
(372,1 mm)
15,40
(391,2 mm)
0,28 típico
(7,1 mm)
9,25
(235,0 mm)
Entrada de ar
Diâmetro de 1,12
(28,45 mm)
Diâmetro de
0,88
(22,35 mm)
10,00
(254,0 mm)
6-14 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Controle de tamanho B – montagem embutida em parede
Placa de aço
Junta
Espaçadores
1/2 x 2-1/2
10 parafusos com
porcas e arruelas de
32 x 0,75″
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-15
Dimensões continuação
Controle de tamanho B2
7,20
(182,9 mm)
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
8,73
(221,7 mm)
PROG
ENTER
11,50
12,15
(292,1 mm)
(308,6 mm)
0,28 típico
(7,1 mm)
Saída de ar
0,28 típico
(7,1 mm)
7,20
(182,9 mm)
Entrada de ar
7,20
(182,9 mm)
Diâmetro de
1,12
(28,45 mm)
8,07
(205,0 mm)
11,50
(292,1 mm)
8,00
(203,2 mm)
8,70
(221,0 mm)
6-16 Especificações e dados do produto
10,92
(277,5 mm)
Abertura para
montagem embutida
em parede
Furo de 0,280 (7 mm)
de diâmetro
para embutir em
parede em 4 locais
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho C
9,50
(241,5 mm)
11,50
(292,0 mm)
.38
(9,5 mm)
.38
(9,5 mm)
10,75
(273,0 mm)
9,50
(241,5 mm)
0,28 (7,0 mm)
2 locais
Saída
de ar
18,50
(470,0 mm)
17,75
(451 mm)
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
PROG
ENTER
17,00
(433,0 mm)
0,28 (7,0 mm)
2 locais
Conexões de alimentação Entrada de ar
do cliente
Diâmetro de
1,734
(44,04 mm)
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
Diâmetro de
0,50
(12,70 mm)
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
Uma ou duas
ventoinhas (119 mm)
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-17
Dimensões continuação
8.675
0,916
0,000
Controle de tamanho C2
Saída de ar
16.568
16.075
15.665
Diâmetro
de 0,280
2 locais
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
PROG
ENTER
16,98
(431,3)
9,340
0,000
0,260
0,916
8.675
Diâmetro
de 0,250
2 locais
0,903
0,493
0,00
Entrada de ar
10,50
(266,7)
4,95
(125,7)
Diâmetro de
0,5
(12,70 mm)
9,66
(245,4)
Diâmetro de
1,25
(31,75 mm)
4,71
(119,6)
Montagem
embutida em
parede
Flange para
montagem
embutida
em parede
6-18 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Dimensões continuação
0,00
1,00 (25,4)
15,50 (393,7)
15,25 (387,4)
14,91 (378,1)
8,76 (222,5)
9,76 (247,9)
Controle de tamanho C2 – montagem embutida em parede
A B
A B
1/4-20 ou M6 – parafuso e
porca auto–selante em 4
locais (furos marcados
como “A”)
Módulo do
controle
Furo de diâmetro
0,280 para
montagem
embutida em
parede em 4 locais,
marcados como “A”
Nota:
IMN715BR
B
8,76 (222,5)
A
7,01 (178,0)
A
2,75 (69,8)
B
0,00
1,00 (25,4)
0,00
0,33 (8,4)
Abertura para
para montagem
embutida em
parede
Furo de diâmetro
0,280 para
montagem embutida
em parede em 4
locais, marcados
como “B”
A montagem embutida em parede oferece proteção
conforme a norma NEMA 4. Somente para facilitar a
visualização, a tampa e os componentes internos não
são mostrados.
Painel do cliente (abertura)
Corte uma fita de espuma de vinil
de cobertura simples (3M
#4726–0,4062x36 jardas) e
aplique no perímetro para selar a
instalação do módulo de
acionamento.
Especificações e dados do produto 6-19
Dimensões continuação
Controle de tamanho D
14,50
(368,5 mm)
Saída
de ar
13,50
(343,0 mm)
25,00
(635,0 mm)
JOG
LOCAL
FWD
DISP
REV
SHIFT
STOP
RESET
PROG
ENTER
24,25
(616,0 mm)
23,12
(587,0 mm)
0,31
(8,0 mm)
Diâmetro de 1,734
(44,04 mm)
Diâmetro de
0,50
(12,70 mm)
ENTRADA DE AR DO CLIENTE
ALIMENTAÇÃO
CONEXÕES
10,00
(254,0 mm)
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
6-20 Especificações e dados do produto
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
10,20
(259,0 mm)
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho D2
13,00 (330)
9,50 (241)
Diâmetro de
0,375
4 locais
24,00
(607)
23,00
(585)
21,00
(535)
6,09 (155)
3,09 (78)
11,91 (303)
11,035 (280)
9,09 (231)
Diâme
Diâme
tro de
tro de
0,50
2,00
Diâmetro de
2,45
2 locais
10,00 (254)
10,33 (263)
Diâmetro de
0,875
2 locais
9,114
(232)
Flange para
montagem
embutida em
parede
8,464
(215)
7,864
(200)
6,885
(175)
Flange para
montagem em
parede
IMN715BR
12,24 (311)
Especificações e dados do produto 6-21
Dimensões continuação
Controle de tamanho D2 – montagem embutida em parede
Localizações dos furos de montagem para montagem em
parede ou em superfície.
Recomendado macho de 0,31 – 18. (4 locais)
22,25 (565)
21,50 (546)
Abertura para montagem em parede
.00
6-22 Especificações e dados do produto
12,50 (317)
11,00 (280)
1,50 (38)
0,75 (19)
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho E
Saída
de ar
Flange de montagem
em parede
Flange para
Flange de
montagem
.38
(9,5 mm)
2 locais
30,00
(762 mm)
5,75
(146 mm)
0,38 (9,5 mm) 2 locais
17,70
(450 mm)
6,25
(159 mm)
Entrada de ar
Diâmetro de
2,469
(62,71 mm)
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
3 locais
IMN715BR
Diâmetro de
0,50
(12,70 mm)
Diâmetro de
0,875
(22,23 mm)
Especificações e dados do produto 6-23
Dimensões continuação
Controle de tamanho E – montagem embutida em parede
Localizações dos furos para montagem
em paredeou superfície. Hardware
recomendado: 5/16″ ou M8. (4 locais)
(716 mm)
(711 mm)
(686 mm)
(672 mm)
Localizações dos furos para montagem
em parede utilizando–se o kit #0083991.
Furo de passagem 0,218″ (5,5 mm) de
diâmetro. (4 locais)
28,19
28,00
27,00
26,44
(552 mm) 21,75
Abertura para montagem em parede
(343 mm) 13,50
(133 mm) 5,25
6-24 Especificações e dados do produto
(425 mm)16,75
(430 mm)16,94
(445 mm)17,54
(394 mm)15,50
(273 mm) 10,75
(152 mm) 6,00
(20 mm).79
(5 mm).19
.00
(32 mm) 1,25
(14 mm) .56
.00
(25 mm) 1,00
(30 mm) 1,19
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho E – montagem embutida em parede continuação
14 locais
Módulo do controlador
4 locais
Painel do cliente
Corte a fita de espuma e
aplique–a no perímetro
da abertura
(para selar a instalação
do controlador)
Suporte
2 locais
Suporte
2 locais
Kit para montagem em parede No. V0083991
Lista de peças
Qtd. No. da peça
Descrição
2
V1083991
Suporte, pequeno (esquerdo e direito)
2
V1083992
Suporte, grande (superior e inferior)
14 V6300710
Parafuso, 10-32 x 5/8
14 V6420010
Arruela de trava No. 10
4
V6390205
Parafuso hexagonal 5/16-18 x 5/8
4
V6420032
Arruela de trava 5/16
4
V6410132
Arruela lisa 5/16
1
C6990204
Fita, de vinil com cobertura simples – 3,0 jardas
(2,74 m)
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-25
Dimensões continuação
Controle de tamanho F
22,75 (577,9 mm)
Saída de ar
0,38 (9,5 mm)
3 locais
Flange de
montagem
em parede
Flange para
em parede
45,00
1.143 mm)
44,00
(1.117,6 mm)
0,38 (9,5 mm) 3 locais
11,38
(28,9 mm)
11,38
(28,9 mm)
27,00
(686 mm)
Entrada de ar
Diâmetro de
0,88
(22,35 mm)
6,24
6,76
(172 mm) (158 mm)
Diâmetro de
0,50
(12,70 mm)
Diâmetro de
4,06
(103,12 mm)
Com regeneração e sem regeneração padrão
Diâmetro de
0,88
(22,35 mm)
Diâmetro de
0,50
(12,70 mm)
Diâmetro de
4,06
(103,12 mm)
Sem regeneração com indutor de ligação CC
6-26 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho F – montagem embutida em parede
Localizações dos furos para montagem em
parede ou sem o kit para montagem em parede
#0084001. Furo de passagem de 0,218″ (5,5
mm) de diâmetro (16 locais, marcados como A)
A
B
43,01
42,24
41,98
40,74
B
B
A
Localizações dos furos para montagem em
parede utilizando–se o kit #0084001. Furo de
passagem de 0,218″ (5,5 mm) de diâmetro. (18
locais, marcados como B)
A
B
B
B
A
36,99
A
B
B
30,86
A
28,99
A
A
A
20,99
Abertura para montagem em parede
B
B
A
A
12,99
B
11,11
B
A
A
4,99
B
B
1,24
B
A
B
A
B
A
B
.00
.26
1,03
.00
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-27
Dimensões continuação
Controle de tamanho F – montagem embutida em parede continuação
Módulo do
contrololador
34 locais
Painel do
cliente
Corte a fita de espuma e
aplique–a no perímetro da
abertura
(para selar a instalação do
controlador)
Suporte
2 locais
Suporte
2 locais
Kit de montagem em parede No. V0084001
Lista de peças
Qtd. No. da peça
Descrição
2
V1084002
Suporte, pequeno (esquerdo e direito)
2
V1084001
Suporte, grande (superior e inferior)
34 V6300710
Parafuso, 10-32 x 5/8
34 V6420010
Arruela de trava No. 10
1
C6990204
Fita, de vinil de cobertura simples – 4,0 jardas (3,65 m)
6-28 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho G
3,72
(94,6)
24,00
(609,6)
Placas de montagem de conduíte removível
(conexões de alimentação do cliente)
8,63 (219)
12,41 (315)
8,63 (219)
2,66
(67,6)
31,50
(800)
23,63
(600)
Saída
de ar
90,55
(2300)
Saída
Grades
de
entrada
(4)
93,00
(2362)
47,25
(1200)
4,00
(101,6)
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-29
Dimensões continuação
Controle de tamanho G2
Placas de montagem de conduíte
removível
(conexões de alimentação do cliente)
7,025
(179)
26,40
(671)
6,488
(165)
2,390
(61)
69,136
(1.756)
65,98
(1.676)
3,94
(100)
31,60
(803)
6-30 Especificações e dados do produto
31,42
(798)
23,49
(597)
21,81
(554)
IMN715BR
Dimensões continuação
Controle de tamanho G+
35,18
[893,6]
3,72
[94,6]
24,00
[609,6]
Placas de montagem de
conduíte removível
(conexões de alimentação do
cliente)
8,63
[219]
8,63
[219]
12,41
[315]
2,66
[67,6]
63,00
[1600]
23,63
[600]
Saída
de ar
Grades
(2)
REGEN. DE LINHA
93,00
[2362]
Saída
Grades
de
entrada
(8)
90,55
[2300]
4,00
[101,6]
IMN715BR
Especificações e dados do produto 6-31
Dimensões continuação
Controle de tamanho H
35,18
[893,6]
3,72
[94,6]
Placas de montagem de conduíte removível
(conexões de alimentação do cliente)
24,00
[609,6]
8,63
[219]
12,41 8,63
[315] [219]
2,66
[67,6]
66,74 [1.695,2]
94,37
[2.397,0]
23,63 [600]
Grades de
entrada de ar (3)
93,00
[2362]
90,75
[2.305,1]
Grades
de saída
de ar
(13)
4,00
[101,6]
6-32 Especificações e dados do produto
IMN715BR
Apêndice A
Hardware de frenagem dinâmica (DB)
Toda vez que um motor for parado abruptamente ou é forçado a diminuir a sua
velocidade mais rapidamente do uma parada por inércia, ele atuará como um gerador.
Esta energia aparece no barramento CC e deve ser dissipada utilizando–se um
hardware de frenagem dinâmica. O hardware de frenagem dinâmica (DB) pode ser uma
carga resistiva ou transistorizada. A Tabela A-1 apresenta uma matriz de voltagens de
frenagem dinâmica de ON (ligada) e OFF (desligada).
Tabela A-1
Descrição dos parâmetros
Voltagem de entrada do controle
Voltagem nominal
230 VCA
460 VCA
575 VCA
Falha por sobrevoltagem (se a
voltagem foi excedida)
400 VCC
800 VCC
992 VCC
Voltagem com DB ON (ativada)
381 VCC
762 VCC
952 VCC
UTP da DB *
388 VCC
776 VCC
970 VCC
Voltagem com DB OFF (desativada)
375 VCC
750 VCC
940 VCC
*
DBUTP (DB Upper Tolerance Peak) + 1.02 x Ǹ2 x V L*L
O tempo e o torque de frenagem não devem exceder o tempo e o torque de frenagem
nominal disponíveis na unidade de frenagem. O torque de frenagem da unidade está
limitado à corrente de pico disponível e ao valor nominal da corrente de pico do controle.
Se a corrente de pico ou o limite de tempo da corrente de pico for excedido durante a
frenagem, o controle pode desligar por sobrevoltagem ou por uma falha de energia na
regeneração. Nestes casos deve–se considerar a seleção de um controle
superdimensionado ou um controle regenerativo de linha.
Procedimento de seleção
1.
Calcule a potência (em Watts) a ser dissipada utilizando as fórmulas a seguir
para o tipo apropriado de carga.
2.
Identifique o número do modelo do controle e determine qual hardware de
frenagem exigido com base no sufixo do número do modelo: E, EO, ER, MO ou
MR.
3.
Selecione o hardware de frenagem correto no Catálogo 501 da Baldor ou nas
Tabelas A-2, A-3 e A-4.
Cálculo da carga em aplicações de levantamento
1.
Calcule o ciclo de serviço da frenagem:
Tempo de redução
Ciclo de serviço +
Tempo de ciclo total
2.
Calcule a potência (em Watts) de frenagem a ser dissipada nos resistores de
frenagem dinâmica:
duty cycle lbs FPM efficiency
Watts +
44
onde:
IMN715BR
lbs = peso da carga (libras)
FPM = Pés Por Minuto
efficiency = eficiência mecânica
por exemplo, 95% = 0,95
Apêndice A-1
Seção 1
Informações gerais
Hardware de frenagem dinâmica (DB)
continuação
Cálculo de carga para máquinas em geral:
1.
Calcule o ciclo de serviço da frenagem:
Tempo de frenagem
Ciclo de serviço +
Tempo de ciclo total
2.
Calcule o torque de desaceleração
Mudança de RPMWk 2
* Atrito (Lb.Ft.)
T Decel +
308 time
onde:
3.
TDecel = Torque de desaceleração em lb.ft.
Wk2 = Inércia em lb.ft.2
time = tempo em segundos
Calcule a potência (em Watts) a ser dissipada no resistor de frenagem
dinâmica:
Watts + T Desac (S max * S min) Ciclo de serviço (0.0712)
onde:
Smax = velocidade no início da frenagem
Smin = velocidade após a frenagem
4.
A-2 Apêndice
Multiplique a potência (em Watts) calculada no passo 3 por 1,25 para
considerar as cargas não antecipadas (fator de segurança).
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Hardware de frenagem dinâmica (DB)
continuação
Números de catálogo do controle 15H com um sufixo “E”
Estes controles estão equipados com transistor de frenagem dinâmica e resistor(es) de
frenagem instalados na fábrica. Os controles de tamanho A possuem 400 watts de
dissipação e os de tamanho B possuem 800 watts de dissipação. Eles podem fornecer
100% de torque de frenagem por 6 segundos de um ciclo de trabalho de frenagem de
20%. Se for necessária capacidade adicional de frenagem, pode–se usar um resistor
opcional de frenagem RGA de montagem externa no lugar dos resistores internos.
Consulte os módulos RGA.
Watts
HP nominal
1
300
2a5
330
7 a 10
400
15
450
Números de catálogo do controle 15H com um sufixo “ER” ou “MR”
Estes controles contam com um transistor de frenagem dinâmica instalado na fábrica. Se
for necessária frenagem dinâmica, utilize um resistor opcional de frenagem RGA externo.
Consulte os módulos RGA.
Números de catálogo do controle 15H com sufixo “EO” ou “MO”
Não há nenhum hardware de frenagem dinâmica instalado nestes controles. Se for
necessária frenagem dinâmica, deverá ser instalado um módulo opcional RBA ou uma
combinação de módulos RTA e RGA. O módulo RBA oferece até 4.000 Watts de
capacidade de frenagem dinâmica. Se for necessária maior capacidade, deverá ser
usada uma combinação de módulos RTA (transistor de DB) e RGA (resistor de DB).
Consulte a descrição dos módulos RBA, RTA e RGA.
IMN715BR
Apêndice A-3
Seção 1
Informações gerais
Hardware de frenagem dinâmica (DB)
continuação
Módulos RGA
Os módulos RGA incluem resistores de frenagem montados em um gabinete NEMA 1.
Uma lista de módulos RGA disponíveis é fornecida na Tabela A-2. A resistência mínima
mostrada na tabela é o valor mínimo do resistor que pode ser conectado ao controle sem
causar danos ao transistor interno de frenagem dinâmica para controles E, ER e MR.
Os módulos RGA também podem ser utilizados nos controles EO e MO em combinação
com um módulo RTA quando é necessária uma capacidade de frenagem maior do que
4.000 Watts. Neste caso, a resistência mínima do módulo RGA deverá ser igual ou maior
que a resistência mínima especificada para o módulo RTA. Veja o diagrama de conexões
em “Hardware de frenagem dinâmica opcional”, na Seção 3.
Tabela A-2 Módulos de resistores de frenagem dinâmica (RGA)
Voltagem
HP
de
600
entrada
230
460
575
Potência contínua nominal
Resistência
mínima
1.200
2.400
1a2
30
RGA630
RGA1230
RGA2430
RGA620
4.800
3a5
20
RGA1220
RGA2420
RGA4820
7,5 a 10
10
RGA1210
RGA2410
RGA4810
15 a 20
6
RGA1206
RGA2406
RGA4806
25 a 40
4
RGA1204
RGA2404
RGA4804
50
2
RGA2402
RGA4802
1a3
120
RGA6120
RGA12120
RGA24120
5 a 7,5
60
RGA660
RGA1260
RGA2460
RGA4860
6.400
9.600
14.200
RGA6402
RGA9602
RGA14202
10
30
RGA630
RGA1230
RGA2430
RGA4830
15 a 25
20
RGA620
RGA1220
RGA2420
RGA4820
30 a 60
10
RGA1210
RGA2410
RGA4810
75 a 250
4
RGA1204
RGA2404
RGA4804
RGA6404
RGA9604
RGA14204
300 a 450
2
RGA2402
RGA4802
RGA6402
RGA9602
RGA14202
1a2
200
RGA6200
RGA12200
RGA24200
RGA6414
RGA9614
RGA14214
3a5
120
RGA6120
RGA12120
RGA24120
7,5 a 10
60
RGA660
RGA1260
RGA2460
RGA4860
15
30
RGA630
RGA1230
RGA2430
RGA4830
20 a 30
24
RGA1224
RGA2424
RGA4824
40 a 150
14
RGA2414
RGA4814
A-4 Apêndice
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Módulos RBA
Um módulo RBA inclui o transistor e os resistores de frenagem dinâmica completamente
montados em um gabinete NEMA 1. Eles são projetados para controles EO e MO.
Selecione o RBA com base na voltagem nominal do controle e na capacidade de
potência da frenagem dinâmica necessária. Use a Tabela A-3 para selecionar o módulo
RBA. Se mais do que 4.000 Watts de capacidade de frenagem forem necessários, utilize
uma combinação de módulos RTA (transistor de DB) e RGA (resistor de DB). Veja o
diagrama de conexões em “Hardware de frenagem dinâmica opcional”, na Seção 3.
Tabela A-3 Módulos de frenagem dinâmica (RBA)
V agem de entrrada
Volta
TORQUE DE FRENAGEM MÁXIMO COMO % DO VALOR NOMINAL DO MOTOR
20
25
30
40
50
200
a
240
90%
75%
60%
45%
36%
600
RBA2-610
150%
125%
100%
75%
62%
1.800
RBA2-1806
150%
150%
150%
115%
92%
4.000
RBA2-4004
150%
150%
120%
90%
72%
60%
48%
36%
28%
600
RBA4-620
150%
150%
120%
90%
72%
60%
48%
36%
28%
1.800
RBA4-1820
150%
150%
150%
150%
150%
120%
96%
72%
56%
4.000
RBA4-4010
150%
150%
120%
90%
72%
60%
48%
36%
28%
600
RBA5-624
150%
150%
120%
90%
72%
60%
48%
36%
28%
1.800
RBA5-1824
150%
150%
150%
150%
150%
120%
96%
72%
56%
4.000
RBA5-4014
550
a
600
IMN715BR
75
100
150 V
150
48%
200
36%
250
Número
do catálogo
HP
380
a
480
60
Potência
contínua
29%
Apêndice A-5
Seção 1
Informações gerais
Hardware de frenagem dinâmica (DB)
Módulos RTA
continuação
Os módulos RBA incluem um transistor de frenagem dinâmica e a placa de controle do
gate completamente montados em um gabinete NEMA 1. Os resistores de frenagem não
estão incluídos no módulo RTA. Cada módulo RTA foi desenvolvido para ser utilizado
com um módulo de resistor de frenagem dinâmica RGA. A resistência mínima do módulo
RGA deverá ser igual ou maior do que a resistência mínima especificada para o módulo
RTA. Selecione o RTA com base na voltagem nominal do controle e o HP que
proporcione a capacidade de potência de frenagem dinâmica necessária. Use a Tabela
A-4 para selecionar o módulo RTA. Veja o diagrama de conexões em “Hardware de
frenagem dinâmica opcional”, na Seção 3.
Tabela A-4 Módulos de transistores de frenagem dinâmica (RTA)
HP
TORQUE DE FRENAGEM MÁXIMO COMO % DO VALOR NOMINAL DO MOTOR
208 a 230 VCA
380 a 480 VCA
550 a 600 VCA
20
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
25
125%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
30
100%
150%
150%
120%
150%
150%
150%
150%
150%
150%
40
75%
115%
150%
90%
150%
150%
150%
127%
150%
150%
50
62%
92%
150%
72%
150%
150%
150%
100%
150%
150%
60
60%
150%
150%
150%
85%
145%
150%
75
48%
96%
150%
150%
68%
116%
150%
100
36%
72%
150%
150%
50%
87%
150%
150 V
28%
56%
150%
150%
40%
70%
150%
150
48%
126%
150%
34%
58%
150%
200
36%
95%
150%
25%
44%
150%
250
29%
76%
150%
35%
122%
300
62%
125%
29%
100%
350
54%
108%
87%
400
47%
94%
76%
450
41%
84%
68%
Número
do
catálogo
RTA2-6
RTA2-4
RTA2-2
RTA4-20
RTA4-10
RTA4-4
RTA4-2
RTA5-24
RTA5-14
RTA5-4
Resistência
mínima
6
4
2
20
10
4
2
24
14
4
A-6 Apêndice
IMN715BR
Apêndice B
Valores dos parâmetros (Versão S15H–5.01)
Tabela B-1 Valores do bloco de parâmetros de nível 1
Blocos do nível 1
Título do bloco
PRESET
SPEEDS
(Velocidades
predefinidas)
ACCEL/DECEL
RATE (Taxa de
aceleração/desacele
ração)
JOG SETTINGS
(Configurações de
salto)
KEYPAD SETUP
(Configuração do
teclado)
IMN715BR
Parâmetro
P#
Faixa ajustável
Fábrica
PRESET SPEED #1
1001
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #2
1002
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #3
1003
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #4
1004
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #5
1005
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #6
1006
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #7
1007
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #8
1008
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #9
1009
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #10
1010
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #11
1011
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #12
1012
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #13
1013
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #14
1014
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
PRESET SPEED #15
1015
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
0,00 Hz
ACCEL TIME #1
1101
0 a 3.600 segundos
3,0 s
DECEL TIME #1
1102
0 a 3.600 segundos
3,0 s
S-CURVE #1
1103
OFF, 20, 40, 60, 80, 100%
OFF
ACCEL TIME #2
1104
0 a 3.600 segundos
3,0 s
DECEL TIME #2
1105
0 a 3.600 segundos
3,0 s
S-CURVE #2
1106
OFF, 20, 40, 60, 80, 100%
OFF
JOG SPEED
1201
0 a MAX Speed (Velocidade
máxima)
7 Hz
JOG ACCEL TIME
1202
0 a 3.600 segundos
3,0 s
JOG DECEL TIME
1203
0 a 3.600 segundos
3,0 s
JOG S-CURVE
1204
OFF, 20, 40, 60, 80, 100%
OFF
KEYPAD STOP KEY
1301
REMOTE OFF (Remoto
desativado)
REMOTE ON (Remoto ativado)
REMOTE
ON
KEYPAD STOP MODE
1302
REGEN (Regenerar)
COAST (Começar a parar)
REGEN
KEYPAD RUN FWD
1303
OFF (Desativado), ON (Ativado)
ON
KEYPAD RUN REV
1304
OFF (Desativado), ON (Ativado)
ON
KEYPAD JOG FWD
1305
OFF (Desativado), ON (Ativado)
ON
KEYPAD JOG REV
1306
OFF (Desativado), ON (Ativado)
ON
3 SPEED RAMP
1307
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF
SWITCH ON FLY
1308
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF
LOC. HOT START
1309
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF
Ajuste do
usuário
Apêndice B-1
Seção 1
Informações gerais
Tabela B-1 Valores do bloco de parâmetros de nível 1 continuação
Blocos de nível 1 - continuação
Título do bloco
INPUT (Entrada)
OUTPUT (Saída)
B-2 Apêndice
Parâmetro
P#
Faixa ajustável
Fábrica
OPERATING MODE
1401
Keypad (Teclado)
Standard Run (Marcha padrão)
15 Speed (15 velocidades)
Fan Pump 2Wire (Bomba de ventilador de
2 fios)
Fan Pump 3Wire (Bomba de ventilador de
3 fios)
Serial Process CTRL (Controle de
processo)
3SPD ANA 2WIRE (3 velocidades
analógicas de 2 fios)
3SPD ANA 3WIRE (3 velocidades
analógicas de 3 fios)
EPOT - 2WIRE (Potenciômetro eletrônico
de 2 fios)
EPOT - 3WIRE (Potenciômetro eletrônico
de 3 fios)
Keypad
COMMAND SELECT
1402
Potentiometer (Potenciômetro)
0Ć10 VOLTS (0 a 10 Volts)
0Ć5 VOLTS (0 a 5 Volts)
4Ć20 mA (4 a 20 mA)
EXB PULSE FOL (Placa de expansão do
seguidor de pulso)
10V EXB (Placa de expansão de 10 V)
4Ć20 mA EXB (Placa de expansão de 4 a
20 mA)
3Ć15 PSI EXB (Placa de expansão de 3 a
15 PSI)
Tachometer EXB (Placa de expansão do
tacômetro)
None (Nenhum)
Potenciômetro
ANA CMD INVERSE
1403
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF
ANA CMD OFFSET
1404
Ć20,0 a +20,0%
(onde ±0,5 V=±20%)
0,0 %
ANA CMD GAIN
1405
80,0% a 120%
100,0%
CMD SEL FILTER
1406
0a6
3
PWR UP MODE OP
1407
Primary Mode (Modo primário), Last
(Último), Local
Primary
Mode
DIGITAL OUT #1
1501
Ready
DIGITAL OUT #2
1502
DIGITAL OUT #3
1503
DIGITAL OUT #4
1504
Ready (Pronto)
Zero Speed (Velocidade zero)
At Speed (Na velocidade)
At Set Speed (Na velocidade definida)
g )
Overload ((Sobrecarga)
K
Keypad
dC
Control
t l (C
(Controle
t l dde tteclado)
l d )
Falha (Falha)
Drive On (Acionamento ativado)
Reverse (Reverso)
Process Error (Erro do processo)
ZERO SPD SET PT
1505
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
6,00 Hz
AT SPEED BAND
1506
0 a 20 Hz
2,00 Hz
SET SPEED POINT
1507
0 a MAX Speed (Velocidade máxima)
60 Hz
Ajuste do
usuário
Zero Speed
At Speed
Fault
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela B-1 Valores do bloco de parâmetros de nível 1 continuação
Blocos de nível 1 - continuação
Título do bloco
OUTPUT (Saída)
(continuação)
V/HZ AND BOOST
(V/Hz e reforço)
Parâmetro
P#
Faixa ajustável
Fábrica
ANALOG OUT #1
1508
Frequency
ANALOG OUT #2
1509
Frequency (Freqüência)
Freq Command (Comando de freqüência)
AC Current (Corrente CA)
AC Voltage (Voltagem CA)
Torque (Load) [Torque (Carga)]
Power (Alimentação)
Bus Voltage (Voltagem do barramento)
Process Fdbk (Realimentação do
processo)
Setpoint Cmd (Comando de setpoint)
Zero Cal (Calibragem de zero)
100% Cal (Calibragem de 100%)
ANALOG #1 SCALE
1510
10 a 160%
100,0%
ANALOG #2 SCALE
1511
10 a 160%
100,0%
CTRL BASE
FREQUENCY
1601
50,00 a 400,00 Hz
60,0 Hz
TORQUE BOOST
1602
0,0 a 15,0%
2,5%
DYNAMIC BOOST
1603
0,0 a 100%
0,0%
SLIP COMP ADJ
1604
0,00 a 6,00 Hz
0,00 Hz
V/HZ PROFILE
1605
LINEAR,
Linear
33% SQR LAW (Lei quadrática de 33%),
67% SQR LAW (Lei quadrática de 67%),
100% SQR LAW (Lei quadrática de 100%),
Ajuste do
usuário
AC Current
3 POINTS (3 pontos)
V/HZ 3 PT VOLTS
1606
0 a 100%
0,0%
V/HZ 3–PT FREQUENCY
1607
0 a 9,99 Hz
0,00 Hz
MAX OUTPUT VOLTS
1608
0 a 100
100,0%
LEVEL 2 BLOCK
(Bloco de nível 2)
ENTRA NO MENU DE NÍVEL 2 - Consulte a Tabela B-2.
PRESSIONE ENTER
PARA SAIR DO MODO
DE PROGRAMAÇÃO
Sai do modo de programação e retorna ao modo de display.
IMN715BR
Apêndice B-3
Seção 1
Informações gerais
Tabela B-2 Valores do bloco de parâmetros de nível 2
Título do bloco
OUTPUT LIMITS
(Limites de saída)
CUSTOM UNITS
(Unidades
personalizadas)
PROTECTION
(Proteção)
MISCELLANEOUS
(Miscelânea)
SECURITY
CONTROL (Controle
do processo)
MOTOR DATA
(Dados do motor)
B-4 Apêndice
Parâmetro
Blocos do nível 2
P#
Faixa ajustável
Fábrica
STD
CONST TQ
2002
STD CONST TQ (Torque constante
padrão)
STD VAR TQ (Torque variável padrão)
QUIET CONST TQ (Torque constante
silencioso)
QUIET VAR TQ (Torque variável
silencioso)
0 a MAX Frequency (Freqüência máxima)
2003
0 a MAX Frequency (Freqüência máxima)
60,00 Hz
2004
1 A até a corrente nominal de pico
PWM FREQUENCY
2005
REGEN LIMIT
REGEN LIMIT ADJ
MAX DECIMAL PLACES
VALUE AT SPEED
2020
2021
2101
2102
1 a 5 kHz (Padrão)
1 a 15 kHz (Silencioso)
OFF (Desativado), ON (Ativado)
0 a 500
0a5
1 a 65.535/1 a 65.535
PK Control
Rating
2.500 Hz
VALUE DEC PLACES
VALUE SPEED REF
2103
2104
0 a 5 (somente serial)
1 a 65.535 (somente serial)
UNITS OF MEASURE
UNITS OF MEASURE 2
EXTERNAL TRIP
LOCAL ENABLE INP
RESTART AUTO/MAN
RESTART FAULT/HR
RESTART DELAY
LANGUAGE SELECT
FACTORY SETTINGS
2105
2106
2202
2205
2301
2302
2303
2304
2305
STABIL ADJ LIMIT
STABILITY GAIN
SECURITY STATE
2320
2321
2401
ACCESS TIMEOUT
ACCESS CODE
MOTOR VOLTAGE
2402
2403
2501
Consulte a Tabela 4Ć2.
Consulte a Tabela 4Ć2 (somente serial)
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF (Desativado), ON (Ativado)
Automatic (Automático), Manual
0 a 10
0 a 120 segundos
English (Inglês), Espanol (Espanhol)
NO (Não), STD Settings (Configurações
padrão), 50 Hz / 400 Volts
0 a 4,00 Hz
1a6
Off (Desativado)
Local Security (Segurança local)
Serial Security (Segurança serial)
Total Security (Segurança total)
0 a 600 segundos
0 a 9.999
0 a 999 VOLTS
MOTOR RATED AMPS
2502
0 a 999,9
MOTOR RATED SPD
MOTOR RATED FREQ
MOTOR MAG AMPS
2503
2504
2505
0 a 32.767 RPM
50 a 400 Hz
0 a 85% da corrente nominal
OPERATING ZONE
2001
MIN OUTPUT
FREQ
MAX OUTPUT
FREQ
PK CURRENT LIMIT
Ajuste do
usuário
0,00 Hz
OFF
0 Hz
0
0./
01000
0
00000/
01000
OFF
OFF
Manual
0
0s
English
NO
1,00 Hz
1
OFF
0s
9.999
Definido na
fábrica
Definido na
fábrica
1.750 RPM
60,0 Hz
Definido na
fábrica
IMN715BR
Seção 1
Informações gerais
Tabela B-2 Valores do bloco de parâmetros de nível 2 continuação
Título do bloco
Parâmetro
Blocos de nível 2 - continuação
P#
Faixa ajustável
BRAKE
RESISTOR OHMS
2601
0 a 255 OHMS
ADJUST (Ajuste de
frenagem)
RESISTOR WATTS
2602
0 a 32.767 WATTS
DC BRAKE VOLTAGE
DC BRAKE FREQ
BRAKE ON STOP
BRAKE ON REVERSE
STOP BRAKE TIME
BRAKE ON START
START BRAKE TIME
PROCESS FEEDBACK
2603
2604
2605
2606
2607
2608
2609
2701
PROCESS INVERSE
SETPOINT SOURCE
2702
2703
SETPOINT COMMAND
SET PT ADJ LIMIT
AT SETPOINT BAND
PROCESS PROP GAIN
PROCESS INT GAIN
PROCESS DIFF GAIN
FOLLOW I:O RATIO
FOLLOW I:O OUT
ENCODER LINES
INTEGRATOR CLAMP
MINIMUM SPEED
2704
2705
2706
2707
2708
2709
2710
2711
2712
2713
2714
1,0 a 15%
0,00 a 400,00 Hz
OFF (Desativado), ON (Ativado)
OFF (Desativado), ON (Ativado)
0,0 a 60,0 segundos
OFF (Desativado), ON (Ativado)
0,0 a 60,0 segundos
Potentiometer (Potenciômetro)
0-10VOLTS (0 a 10 Volts)
0-5 VOLTS (0 a 5 Volts)
4-20mA (0 a 20 mA)
10V EXB (Placa de expansão de
10 V)
4-20mA EXB (Placa de expansão
de 20 mA)
3-15 PSI (3 a 15 PSI)
TACHOMETER EXB (Placa de
expansão do tacômetro)
NONE (Nenhum)
OFF (Desativado), ON (Ativado)
Setpoint Command (Comando de
setpoint)
Potentiometer (Potenciômetro)
0-10VOLTS (0 a 10 Volts)
0-5 VOLTS (0 a 5 Volts)
4-20mA (0 a 20 mA)
10V EXB (Placa de expansão de
10 V)
4-20mA EXB (Placa de expansão
de 20 mA)
3-15 PSI (3 a 15 PSI)
Tachometer EXB (Placa de
expansão do tacômetro)
None (Nenhum)
–100% a +100%
0 a 100%
0 a 100%
0 a 2.000
0 a 9,99 Hz
0 a 1.000
1 a 65.535:1 a 65.535
1 a 65.535 (somente serial)
20 a 65.535
0 a 100%
0 a MAX Speed (Velocidade
máxima)
PROCESS
CONTROL (Controle
de processo)
IMN715BR
Fábrica
Ajuste do
usuário
Definido na
fábrica
Definido na
fábrica
5,0%
6,00 Hz
OFF
OFF
3,0 s
OFF
3,0 s
NONE
OFF
NONE
0.0 %
10 %
10 %
0
0,00 Hz
0
1:1
1
1024 PPR
100%
0,00 Hz
Apêndice B-5
Seção 1
Informações gerais
Tabela B-2 Valores do bloco de parâmetros de nível 2 continuação
Blocos de nível 2 - continuação
Título do bloco
Parâmetro
P#
Faixa ajustável
Fábrica
SKIP FREQUENCY
SKIP FREQ #1
(Frequência de salto)
SKIP BAND #1
2801
0 a 400 Hz
0 Hz
2802
0 a 50 Hz
0 Hz
SKIP FREQ #2
2803
0 a 400 Hz
0 Hz
SKIP BAND #2
2804
0 a 50 Hz
0 Hz
SKIP FREQ #3
2805
0 a 400 Hz
0 Hz
SKIP BAND #3
2806
0 a 50 Hz
0 Hz
SYNCHRO-STARTS
2901
OFF (Desativado), Restarts Only
OFF
(Somente reinício), All Starts (Inicia
tudo)
SYNC START
FREQUENCY
2902
Max Frequency (Freqüência
máxima),
Set Frequency (Freqüência
definida)
MAX
Frequency
SYNC SCAN V/F
2903
5,0 a 100,0%
10,0%
SYNC SETUP TIME
2904
0,2 a 2,0 segundos
0,2 s
SYNC SCAN TIME
2905
1,0 a 10,0 segundos
2,0 s
SYNC V/F RECOVER
2906
0,2 a 2,0 segundos
0,2 s
SYNC DIRECTION
2907
Sync Forward and Reverse
Sync FWD
(Sincronização direta e reversa)
& REV
Sync Forward
(Sincronização direta), Sync
Reverse (Sincronização
reversa)
PROTOCOL
3001
RS–232 ASCII, RS-485 ASCII
RS–232 BBP, RS-485 BBP
RS–232
BBP
BAUD RATE
3002
9.600, 19,2 kB, 38,4 kB, 57,6 kB,
115,2 kB, 230,4 kB
9.600
DRIVE ADDRESS
3003
0 a 31
0
SYNCHRO–START
COMMUNICATIONS
(Comunicações)
LEVEL 1 BLOCK
(Bloco de nível 1)
ENTRA NO MENU DE NÍVEL 1 - Consulte a Tabela B-1.
PRESSIONE ENTER
PARA SAIR DO MODO
DE PROGRAMAÇÃO
Sai do modo de programação e retorna ao modo de display.
B-6 Apêndice
Ajuste do
usuário
IMN715BR
Apêndice C
IMN715BR
Apêndice C-1
Seção 1
Informações gerais
Gabarito para montagem do teclado remoto
4,00
2,500
(A)
(A)
Quatro posições
Furos de montagem com rosca, utilize broca #29 e rosca 8-32
(Limpeza dos furos de montagem, utilize broca #19 ou 0,166″)
5,500
4,810
Furo de diâmetro -11/16″
Utilize conduíte com diâmetro de 1,25″
(B)
1,340
(A)
(A)
1,250
C-2 Apêndice
Nota: O gabarito pode distorcer devido à reprodução.
IMN715BR
BALDOR ELECTRIC COMPANY
P.O. Box 2400
Ft. Smith, AR 72902–2400
(479) 646–4711
Fax (479) 648–5792
CH
TEL: +41 52 647 4700
FAX:+41 52 659 2394
D
TEL: +49 89 90 50 80
FAX:+49 89 90 50 8491
UK
TEL: +44 1454 850000
FAX:+44 1454 850001
F
TEL: +33 145 10 7902
FAX:+33 145 09 0864
I
TEL: +39 11 562 4440
FAX:+39 11 562 5660
AU
TEL: +61 29674 5455
FAX:+61 29674 2495
CC
TEL: +65 744 2572
FAX:+65 747 1708
MX
TEL: +52 47 61 2030
FAX:+52 47 61 2010
 Baldor Electric Company
IMN715BR
Impresso nos E.U.A.
2/01 C&J1000
Controle Inversor Série 15H
IMN715BR
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertisement