Untitled - Eletrobras Distribuição Rondônia

Untitled - Eletrobras Distribuição Rondônia
ÍNDICE
1.
2.
2.1
2.2
3.
4.
5.
5.1.
5.2.
5.3.
5.4.
5.5.
5.6.
5.7.
5.8.
5.9.
5.10.
5.11.
6.
6.1.
6.2.
6.3.
6.4.
6.5.
6.6.
7.
8.
8.1.
8.2.
8.3.
8.4.
8.5.
9.
9.1.
9.2.
9.3.
OBJETIVO............................................................................................................................................4
REFERÊNCIAS......................................................................................................................................4
Legislação e Regulamentos Federais sobre o Meio Ambiente...........................................................4
Normas Técnicas.................................................................................................................................4
MEIO AMBIENTE.................................................................................................................................5
TERMOS E DEFINIÇÕES.......................................................................................................................5
CONDIÇÕES GERAIS............................................................................................................................9
Geral...................................................................................................................................................9
Unidades e Idiomas..........................................................................................................................10
Cronograma de fabricação e entrega...............................................................................................10
Manual de Instruções.......................................................................................................................10
Requisitos da Garantia da Qualidade...............................................................................................11
Acondicionamento e Marcação........................................................................................................12
Fabricação, estado de superfície e soldabilidade.............................................................................13
Designação.......................................................................................................................................13
Estado de entrega............................................................................................................................13
Forma de fornecimento...................................................................................................................13
Bases técnicas de compra................................................................................................................13
REQUISITOS......................................................................................................................................13
Material................ ...........................................................................................................................13
Medidas e propriedades da seção ...................................................................................................14
Comprimento............. .....................................................................................................................14
Linearidade.......................................................................................................................................14
Curvatura..........................................................................................................................................14
Massa...............................................................................................................................................20
GARANTIA.........................................................................................................................................21
INSPEÇÃO..........................................................................................................................................21
Geral.................................................................................................................................................21
Inspeção visual.................................................................................................................................22
Lote..................................................................................................................................................22
Amostra............................................................................................................................................22
Aceitação e Rejeição........................................................................................................................22
ENSAIOS ...........................................................................................................................................23
Medidas.......................................................................................................................... ................ 23
Linearidade............................................................................. .........................................................23
Curvatura..................................... ....................................................................................................23
Figuras
Figura 1 Fora de esquadro...........................................................................................................................6
Figura 2 Curvatura da coluna ......................................................................................................................7
Figura 3 Comprimento máximo...................................................................................................................7
Figura 4 Fora de esquadro das extremidades..............................................................................................8
Figura 5 Espessura da aba.............................. .............................................................................................8
Figura 6 Linearidade....................................................................................................................................9
Figura 7 Curvatura...................... .................................................................................................................9
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 2 de 23
Tabelas
Tabela 1 Medidas e propriedades da seção dos perfis U leves................................................................ 15
Tabela 2 Medidas e propriedades da seção dos perfis UPN.....................................................................16
Tabela 3 Medidas e propriedades da seção dos perfis UC....................................................................... 17
Tabela 4 Discrepâncias das medidas, exatidão e curvatura dos perfis U..................................................19
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 3 de 23
1.
OBJETIVO
Esta especificação estabelece os critérios e as exigências técnicas mínimas aplicáveis à fabricação e ao
recebimento de perfil tipo U, para aplicação nas distribuidoras do Sistema Eletrobras abaixo indicadas, e
as empresas a ela associadas.
Eletrobras Amazonas Energia
Eletrobras Distribuição Acre
Eletrobras Distribuição Alagoas
Eletrobras Distribuição Piauí
Eletrobras Distribuiçao Rondônia
Eletrobras Distribuição Roraima
Nessa Especificação, sempre que for usado, o termo CONTRATANTE se refere à Eletrobras, às seis
empresas acima indicadas e a ela associadas, ou às empresas por ela representadas, ou às empresas por
ela indicadas.
2.
REFERÊNCIAS
2.1
Legislação e Regulamentos Federais sobre o Meio Ambiente
Constituição da República Federativa do Brasil - Título VIII: Da Ordem Social - Capítulo VI: Do Meio
Ambiente;
•Lei nº 7.347, de 24.07.85 - Disciplina a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao
meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e
paisagístico e dá outras providências;
•Lei nº 9.605, de 12.02.98 - Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e
atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências;
•Decreto nº 6.514, de 22.07.08 - Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente,
estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências;
•Resolução do CONAMA1 nº 1, de 23.01.86 - Dispõe sobre os critérios básicos e diretrizes gerais para o
Relatório de Impacto Ambiental - RIMA;
•Resolução do CONAMA nº 237, de 19.12.97 - Regulamenta os aspectos de licenciamento ambiental
estabelecidos na Política Nacional do Meio Ambiente.
2.2
Normas Técnicas
• COPANT 327/1972 – Inspeção por atributos;
• NM-COPANT 15872 – Aço carbono para uso estrutural.
1
2
CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente
No momento em fase de projeto
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 4 de 23
Notas:
1) Devem ser consideradas aplicáveis as últimas revisões dos documentos listados acima, na data da
abertura da Licitação.
2) É permitida a utilização de normas de outras organizações desde que elas assegurem qualidade igual
ou superior à assegurada pelas normas relacionadas acima e que não contrariem esta Especificação. Se
forem adotadas, elas devem ser citadas nos documentos da proposta e, caso a CONTRATANTE julgue
necessário, o proponente deve fornecer uma cópia.
3) Todos os documentos citados como referências devem estar à disposição do inspetor da
CONTRATANTE no local da inspeção.
3.
MEIO AMBIENTE
Em todas as etapas da fabricação, do transporte e do recebimento, devem ser rigorosamente cumpridas
as legislações ambientais nas esferas federal, estadual e municipal aplicáveis.
Fornecedores estrangeiros devem cumprir a legislação ambiental vigente nos seus países de origem e as
normas internacionais relacionadas à produção, ao manuseio e ao transporte até o seu aporte no Brasil.
O FORNECEDOR é o responsável pelo pagamento de multas e pelas ações decorrentes de práticas lesivas
ao meio ambiente, que possam incidir sobre a CONTRATANTE, quando derivadas de condutas praticadas
por ele ou por seus subfornecedores.
A CONTRATANTE pode verificar, nos órgãos oficiais de controle ambiental, a validade das licenças de
operação e de transporte dos fornecedores e subfornecedores.
4.
TERMOS E DEFINIÇÕES
4.1.
Perfil laminado a quente
Produto de aço obtido por laminação a quente de lingotes, blocos, palanqulhas e outros semiacabados,
cuja seção transversal, constituída por uma composição de figuras geométricas simples, se mantém
uniforme em toda sua extensão.
4.2.
Perfil U
Aquele cuja seção tem forma de U. Esses perfis podem ter abas paralelas ou abas inclinadas.
4.2.1.
Perfil U de abas paralelas
Aquele cujas abas são simétricas, perpendiculares à alma e de espessura uniforme.
4.2.2
Perfil U de abas inclinadas
Aquele cujas faces exteriores das abas são perpendiculares à alma, e as interiores apresentam uma
inclinação em relação às exteriores de 8% (perfil UL e UPN) ou 16 2/3 % (perfil UC). As faces interiores
das abas têm a borda com aresta exterior viva e interior arredondadas, e suas ligações com as faces
interiores da alma são arredondadas.
4.3.
Perfil U leve de abas inclinadas (UL)
Aquele cuja medida nominal (altura) é menor que 80 mm.
4.4.
Perfil U normal de abas inclinadas (UPN)
Aquele cuja medida nominal (altura) maior ou igual a 80 mm.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 5 de 23
4.5.
Perfil U de abas inclinadas (UC)
Aquele cuja medida nominal (altura) existe a partir de 75 mm e no qual a inclinação das faces interiores
é diferente daquela dos perfis UL e UPN.
4.6.
Fora de esquadro (t)2)
Distância máxima entre as extremidades das abas do perfil, medida sobre o plano da face externa da
alma (fig. 1).
Figura 1
4.7.
Curvatura da alma (c)
Distância máxima entre a linha que une as extremidades da face externa e a paralela traçada tangente a
esta sobre o ponto de máxima convexidade ou concavidade (fig.2).
2)(t)
:também denominado paralelismo
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 6 de 23
Figura 2
4.8.
Comprimento (L)
Longitude máxima utilizável do perfil com as extremidades cortadas em esquadro (fig.3).
4.9.
Comprimento máximo (L máx)
Longitude medida sobre uma reta paralela à diretriz e limitada pelos pontos mais afastados das
extremidades do perfil (fig.3).
Figura 3
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 7 de 23
4.10.
Fora de esquadro das extremidades (f)
Distância entre dois planos perpendiculares ao eixo do perfil que passem pela extremidade do
comprimento útil e pela extremidade do comprimento máximo (fig. 4).
Figura 4
4.11.
Espessura da aba (e)
É medida na metade de sua largura (fig. 5).
Figura 5
4.12.
Linearidade (q)
Distância máxima medida no plano da alma entre a face externa da aba e uma reta contida no plano da
alma que passa pelas extremidades do perfil (fig. 6).
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 8 de 23
Figura 6
4.13.
Curvatura (p)
Distância máxima, medida em um plano paralelo ao das abas, entre a face externa da alma e uma reta
que passa pelas extremidades do perfil (fig.7).
Figura 7
5.
CONDIÇÕES GERAIS
5.1
Geral
Os perfis tipo U referidos nesta ET devem atender às exigências da ABNT-NM COPANT 1570/93.
Nenhuma modificação nos perfis tipo U deve ser feita a posteriori pelo fabricante
sem a aprovação
da CONTRATANTE. No caso de alguma alteração, o fabricante deve realizar todos os ensaios de tipo, na
presença do inspetor da CONTRATANTE, sem qualquer custo adicional.
Caso haja divergência, nos diversos documentos, para os valores aceitáveis nos diversos ensaios
indicados, prevalecem as exigências mais rigorosas em todos os casos.
O projeto, componentes empregados, fabricação e acabamento devem incorporar, tanto quanto
possível, as mais recentes técnicas, mesmo que tais condições não sejam mencionadas explicitamente
nesta ET (Especificação Técnica).
Os perfis tipo U devem:
Ser fornecidos completos, com todos os acessórios necessários ao seu perfeito funcionamento, mesmo
os não explicitamente citados nesta ET, no Edital de Licitação ou no Pedido de Compra.
Possuir características construtivas de inviolabilidade, que assegurem a impossibilidade de acesso ao seu
interior sem deixar vestígios.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 9 de 23
Ter todas as peças correspondentes intercambiáveis quando de mesmas características nominais e
fornecidas pelo mesmo fornecedor, de acordo com esta ET.
Possuir o mesmo projeto e serem essencialmente idênticos, quando pertencerem a um mesmo item do
Pedido de Compra.
A vencedora do processo aquisitivo somente poderá assinar o Contrato de Fornecimento depois de
avaliada tecnicamente quanto à sua capacidade de atender às normas e códigos exigidos nesta
Especificação Técnica através do seu processo de assegurar o controle da qualidade e a garantia da
qualidade, além de avaliar a sua capacidade fabril. Ainda deverá demonstrar através do histórico de
fornecimento o comprometimento com os prazos de entrega conforme estabelecidos em contrato.
A vencedora deverá demonstrar que audita seus fornecedores em relação aos seus
processos de gerenciamento de controle e garantia da qualidade de uma sistemática recomendada pela
norma ISO 9001 ou equivalente, desde que aprovada pela CONTRATANTE.
5.2
Unidades e Idiomas
As unidades de medida do Sistema Internacional de Unidades serão usadas para as referências da
proposta, inclusive descrições técnicas, especificações, desenhos e qualquer documento ou dados
adicionais. Quaisquer valores indicados, por conveniência, em qualquer outro sistema de medidas
deverão ser também expressos em unidades do Sistema Internacional de Unidades. Todas as instruções
escritas, bem como os desenhos, legendas, artigos, folhetos, publicações, catálogos técnicos e relatórios
de ensaios emitidos pelo fabricante, devem ser redigidos, preferencialmente, em português.
5.3
Cronograma de fabricação e entrega.
Após o recebimento da ordem de compra e esclarecidos todos os detalhes técnicos e comerciais, o
fornecedor deverá, para cada item, confirmar o cronograma de fabricação enviado na proposta
comercial. Três cópias desses cronogramas deverão ser enviados à CONTRATANTE, até 15 dias após o
recebimento do Pedido de Compra.
Caso a CONTRATADA altere o cronograma de entrega sem o consentimento por escrito da
CONTRATANTE serão aplicadas as penalidades previstas no Edital.
5.4.
Manual de Instruções
Os equipamentos devem estar acompanhados de manuais de operação e manutenção, escritos em
português, que forneçam todas as informações necessárias ao seu manuseio. Os manuais deverão
conter no mínimo as seguintes informações:
Instruções completas cobrindo: descrição, funcionamento, manuseio, instalação, ajustes, operação,
manutenção e reparos, incluindo os números de série e modelos aos quais ele se aplica.
Relação completa de todos os componentes e acessórios, incluindo nome, descrição, número de
catálogo, quantidade usada, identificação do desenho e instruções para aquisição.
Procedimentos específicos relativos ao descarte dos medidores de pressão propostos, quer ao final da
sua vida útil, quer em caso de inutilização por avaria.
No mínimo um mês antes da inspeção inicial, o fornecedor deve entregar à CONTRATANTE duas vias do
Manual de Instruções. Uma outra via deve acompanhar o equipamento.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 10 de 23
5.5.
Requisitos da Garantia da Qualidade
Os itens ou item objeto desta especificação devem ser fabricados dentro de um sistema da qualidade. O
proponente deve atender a uma das seguintes situações abaixo:
Apresentar documento, comprometendo-se a implementar um sistema da qualidade específico para a
fabricação dos itens deste fornecimento. Esse sistema da qualidade deverá estar regulamentado em um
plano da qualidade a ser avaliado e aceito pela contratante antes do início da fabricação.
Apresentar documento, comprometendo-se a implementar um sistema da qualidade antes do início da
fabricação. Esse sistema da qualidade deve ser baseado na norma NBR ISO 9001 e deverá ser avaliado
e aceito pela contratante antes do início da fabricação.
Apresentar documento declarando já possuir implementado um sistema da qualidade baseado na
norma NBR ISO 9001, o qual deverá ser avaliado e aceito pela contratante antes do início da fabricação.
A contratada deverá ser avaliada quanto à sua capacidade fabril ou capacidade de fornecer serviços
técnicos de engenharia conforme solicitados no termo de referência, em conformidade com as
especificações técnicas, normas e códigos aplicáveis, devendo ser aprovada e aceita pela contratante
antes do inicio da fabricação.
Notas:
i) no caso de o proponente apresentar cópia de certificado emitido por Órgão certificador aceito pela
contratante, comprovando possuir já implantado, para a fabricação dos itens deste fornecimento, um
sistema da qualidade baseado na norma NBR ISO 9001, esse sistema, a critério da contratante, poderá
ser dispensado de avaliação pela contratante.
(ii) o fornecimento poderá ser executado por distribuidor ou representante de um fabricante. Nesse
caso, o atendimento às alternativas acima, no que se refere à implementação de um sistema da
qualidade, aplica-se ao fabricante.
Durante todo o período de fornecimento, o fabricante deverá manter válida a aceitação do seu sistema
da qualidade pela contratante.
Caso o fabricante não seja a empresa contratada, cabe a esta garantir que o fabricante mantenha válida
a aceitação do seu sistema da qualidade pela contratante.
A não obtenção, pelo fabricante, da aceitação do seu sistema da qualidade pela contratante implicará
na rescisão do contrato.
A verificação da continuidade da aplicação do sistema da qualidade pelo fabricante será efetuada pela
contratante através de auditorias de sistema da qualidade.
Os custos inerentes ao processo de aceitação do sistema da qualidade pela CONTRATANTE serão
arcados da seguinte forma:
No caso de fabricante nacional:
a) Serão de responsabilidade da contratante os custos do seu próprio pessoal ou do pessoal por ela
delegado;
b) Serão de responsabilidade da contratada, todos os custos referentes ao seu pessoal e à compra
e/ou locação de equipamentos, instalações e serviços necessários à implantação do sistema da
qualidade a ser aceito pela CONTRATANTE.
No caso de fabricante estrangeiro:
a) Serão de responsabilidade da contratada, todos os custos referentes ao seu pessoal e à compra
e/ou locação de equipamentos, instalações e serviços necessários à implantação do sistema da
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 11 de 23
qualidade a ser aceito pela contratante, bem como todos os custos do pessoal destas empresas, ou do
pessoal por ela delegado para a realização da avaliação do sistema da qualidade do fabricante.
5.6.
Acondicionamento e Marcação
Considerando-se o meio de transporte, os perfis tipo U devem ser embalados de maneira a preservar as
suas propriedades de medição, prevenir danos físicos e manter a classe de exatidão dentro dos limites
de erro permitido. As embalagens devem ser acomodadas em pallets, em forma e quantidades
adequadas ao transporte.
As embalagens devem ser identificadas de forma indelével, com no mínimo com as seguintes
informações:
Nome ou marca do fabricante;
Código do material fornecido pela CONTRATANTE;
Sequência numérica;
Designação do tipo: Barreira, semibarreira ou sinalização;
Massa total do volume em quilogramas;
Indicações de cuidados no manuseio;
Quantidade;
Código de Barra CODE 128;
Posição de transporte;
Número do Pedido de Compra.
A embalagem será considerada satisfatória se o equipamento for encontrado em perfeito estado na
chegada ao destino.
A embalagem final, assim como o acondicionamento parcial deverão ser feitos de modo que o peso e as
dimensões sejam mantidos dentro de limites razoáveis a fim de facilitar o manuseio, o armazenamento
e o transporte.
As embalagens devem ser adequadas para armazenagem ao tempo, por período de, no mínimo, um ano
e manter-se em condições de um novo transporte nas mesmas condições anteriores.
Cada pacote de perfis levará um cartão de identificação resistente ao manuseio, onde serão marcados
com caracteres indeléveis, além do que estiver estabelecido nas disposições legais vigentes, as seguintes
indicações:
a) marca registrada ou nome e sobrenome ou a razão social do fabricante ou do responsável pela
comercialização do produto (representante, distribuidor, vendedor, importador, exportador, etc);
b) designação do perfil;
c) designação do aço;
d) o número de corrida ou lote;
e) outros requisitos.
Quando os perfis forem entregues a granel, a marcação se realizará sobre cada um deles, com
caracteres indeléveis, como por exemplo, laminado, pintado, etc.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 12 de 23
5.7.
Fabricação, estado de superfície e soldabilidade
Os perfis deverão atender as condições gerais de fabricação, estado de superfície e soldabilidade
indicadas na norma MERCOSUL correspondente.
5.8.
Designação
Os perfis U leves são designados pela sigla UL, seguido de dois números separados pelo sinal X que
indicam a altura e a largura nominal do perfil, em milímetros. Os perfis U são designados pela sigla UPN,
seguida de um número que indica a altura nominal, em milímetros. Os perfis UC são designados pela
sigla UC, seguida de dois números separados por um sinal X. O primeiro indica a altura nominal, em
milímetros, arredondada na dezena e o segundo a massa nominal, por unidade de comprimento, em
quilogramas por metro, arredondada para o número inteiro mais próximo.
Por exemplo:
- perfil U leve de 40 mm de altura e 20 mm de largura, será designado UL 40x20;
- perfil U normal de 100 mm de altura, será designado UPN 100;
- perfil UC de 254 mm de altura e 29,8 kg/m, será designado: UC 250x30.
5.9.
Estado de entrega
Os perfis serão entregues no estado natural de laminação.
5.10.
Forma de fornecimento
A forma de fornecimento será estabelecida por acordo prévio.
5.11.
Bases técnicas de compra
Ao solicitar perfis segundo esta norma deverão ser feitas as seguintes indicações:
a) o número desta norma;
b) a massa total de perfis solicitados, em quilogramas;
c) designação do perfil;
d) designação do aço, segundo a norma NM-COPANT 1587;
e) o comprimento em metros, quando se solicitam comprimentos fixos;
f) o uso final, a título informativo (por exemplo, para estruturas parafusadas, rebitadas ou soldadas, zincadas a
quente);
g) outros requisitos não contemplados nesta norma, estabelecidos por convênio prévio;
h) forma de fornecimento.
6
REQUISITOS
6.1
Material
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 13 de 23
6.1.1.
O material dos perfis atenderá às propriedades mecânicas e de composição química
estabelecidas na norma MERCOSUL correspondente.
6.2
Medidas e propriedades da seção
6.2.1.
As medidas nominais e as propriedades da seção dos perfis UL serão as indicadas na
tabela 1.
6.2.2.
tabela 2.
As medidas nominais e as propriedades da seção dos perfis UPN serão as indicadas na
6.2.3.
tabela 3.
As medidas nominais e as propriedades da seção dos perfis UC serão as indicadas na
6.2.4. As tolerâncias de forma e de medidas da seção dos perfis, verificadas segundo 8.1 , serão as
indicadas na tabela 4.
6.3
Comprimento
Os perfis serão fornecidos nos comprimentos de fabricação. Por convênio prévio poderão ser fornecidos
em comprimentos fixos.
6.3.1.
Comprimentos de fabricação
Quando os comprimentos são fornecidos nas condições oferecidas pelo fabricante, deverá ser
informado ao comprador o comprimento nominal, sua discrepância, a porcentagem de perfis curtos e
seu comprimento mínimo.
6.3.2.
Comprimentos fixos
Quando forem especificados comprimentos fixos, serão aplicadas as discrepâncias indicadas na tabela 4.
6.4
Linearidade
A flecha máxima admitida na linearidade dos perfis, verificada segundo 8.2, será a estabelecida na
tabela 4.
6.5.
Curvatura
A flecha máxima admitida na curvatura dos perfis, verificada segundo 8.3, será a estabelecida na
tabela 4.
6.6
Massa
A discrepância entre a massa de perfis fornecida e a massa teórica para os perfis UL e UPN, não será
maior que mais ou menos 6% em cada barra individual e de mais ou menos 4% em lotes. Para os perfis
UC, tanto em barras individuais como em lotes, não será maior que mais ou menos 2,5%. A massa
teórica será calculada multiplicando-se e o comprimento, em metros, pela massa nominal
por unidade de comprimento, em quilogramas por metro.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 14 de 23
Tabela 1 – Medidas e propriedades da seção dos perfis U leves
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 15 de 23
Tabela 2 – Medidas e propriedades da seção dos perfis UPN
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 16 de 23
Tabela 2 (continuação)
Tabela 3 – Medidas e propriedades da seção dos perfis UC
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 17 de 23
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 18 de 23
Tabela 4 – Discrepâncias das medidas, exatidão e curvatura dos perfis U
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 19 de 23
Tabela 4 – (continuação)
7.
GARANTIA
7.1
A CONTRATADA deve dar garantia de 10 (dez) anos, a partir da data de entrega no local
especificado no Pedido de Compra, ou 9 (nove) anos a partir da data de entrada em operação,
prevalecendo o que ocorrer primeiro, contra qualquer defeito de projeto, material ou fabricação do
equipamento ofertado. Se necessário, deverá substituir os perfis tipo U sem ônus para a CONTRATANTE.
7.2
Em caso de devolução dos perfis tipo U para reparo ou substituição, dentro do período de
garantia, todos os custos de material e transporte, bem como as despesas para a retirada das peças com
deficiência, para a inspeção, para a entrega e para a instalação dos equipamentos novos ou reparados,
serão de responsabilidade exclusiva do fornecedor.
7.3
É exigida uma taxa de falhas inferior a 0,5% calculada ao final da garantia (12 meses) por
cada lote fornecido. Caso se verifique uma taxa de falhas igual ou superior a 0,5%, a
garantia deve ser estendida automaticamente por mais 12 (doze) meses, para todos os
perfis tipo U fornecidos no Pedido de Compra. Ao final da garantia estendida a taxa de
falhas será recalculada baseando-se no período dos últimos 12 (doze) meses e assim
sucessivamente, até que seja atingida a taxa de falhas inferior a 0,5% ao ano.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 20 de 23
7.4
Independentemente do prazo de garantia estar ou não vencido, o fabricante deve
promover, sem ônus para a CONTRATANTE, a substituição e correção dos perfis devido a
falhas de projeto verificadas posteriormente ao recebimento, mesmo que tais problemas
tenham se manifestado em ambiente de operação da CONTRATANTE.
8.
INSPEÇÃO
8.1
Geral
8.1.1.
A inspeção compreende o acompanhamento durante a fabricação e a execução dos ensaios
de recebimento, ou seja, os ensaios de rotina, os ensaios de tipo e os ensaios especiais, os
dois últimos quando exigidos pela CONTRATANTE.
8.1.2.
O lote para inspeção compreende todas as unidades de mesmas características fornecidas
de uma só vez.
8.1.3.
O fornecedor deve dispor de pessoal e aparelhagem, própria ou contratada, necessária à
execução dos ensaios (em caso de contratação, deve haver aprovação prévia da
CONTRATANTE), de acordo com legislação vigente no Brasil.
8.1.4.
O fornecedor deve assegurar ao inspetor da CONTRATANTE, o direito de se familiarizar, em
detalhes, com as instalações e com os equipamentos a serem utilizados, estudar as
instruções e desenhos, verificar calibrações, presenciar os ensaios, conferir resultados e, em
caso de dúvida, efetuar nova inspeção e exigir a repetição de qualquer ensaio.
8.1.5.
O fornecedor deve garantir ao inspetor da CONTRATANTE livre acesso a laboratórios e aos
locais de fabricação e de acondicionamento.
8.1.6.
O fornecedor deve apresentar, ao inspetor da CONTRATANTE, certificados de calibração
dos instrumentos de seu laboratório ou do contratado a serem utilizados na inspeção.
8.1.7.
Todas as normas técnicas, especificações e desenhos citados como referência devem estar
à disposição do inspetor da CONTRATANTE no local da inspeção.
8.1.8.
A CONTRATANTE se reserva o direito de enviar inspetores devidamente credenciados, com
o objetivo de acompanhar qualquer etapa de fabricação e, em especial, presenciar os
ensaios.
8.1.9.
O fornecedor deve apresentar, ao inspetor da CONTRATANTE, certificados de aferição dos
instrumentos de seu laboratório ou do contratado, utilizados na inspeção, medição e ensaio
dos equipamentos ofertados, emitido por órgão homologado pelo INMETRO, ou por
organização equivalente em outros países. O intervalo máximo dessa aferição deve ser de
um ano, podendo acarretar desqualificação do laboratório o não cumprimento dessa
exigência.
8.1.10.
Os subfornecedores devem ser cadastrados pelo fornecedor sendo este o único
responsável pelo controle daqueles. O fornecedor deve assegurar a CONTRATANTE o
acesso à documentação de avaliação técnica referente a esse cadastro.
8.1.11.
A aceitação do lote e/ou a dispensa de execução de qualquer ensaio:
Não eximem o fornecedor da responsabilidade de fornecer o equipamento de acordo com
os requisitos desta ET;
Não invalida qualquer reclamação posterior da CONTRATANTE a respeito da qualidade do
equipamento e/ou da fabricação. Em tais casos, mesmo após haver saído da fábrica, o lote
pode ser inspecionado e submetido a ensaios, com prévia notificação ao fornecedor e, se
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 21 de 23
necessário, em sua presença. Em caso de qualquer discrepância em relação às exigências
desta ET, o lote pode ser rejeitado e sua reposição será por conta do fornecedor.
8.1.12.
A rejeição do lote, em virtude de falhas constatadas nos ensaios, não dispensa o fornecedor
de cumprir as datas de entrega prometidas. Se, na opinião da CONTRATANTE, a rejeição
tornar impraticável a entrega do equipamento nas datas previstas, ou se tornar evidente
que o fornecedor não será capaz de satisfazer as exigências estabelecidas nesta ET, a
CONTRATANTE se reserva o direito de rescindir todas as suas obrigações e de obter o
equipamento de outro fornecedor. Em tais casos, o fornecedor será considerado infrator do
contrato e estará sujeito às penalidades aplicáveis.
8.1.13.
Todas as unidades rejeitadas, pertencentes a um lote aceito, devem ser substituídas por
unidades novas e perfeitas, por conta do fornecedor, sem ônus para a CONTRATANTE.
8.1.14.
A CONTRATANTE se reserva o direito de exigir a repetição de ensaios em lotes já aprovados.
Nesse caso, as despesas serão de responsabilidade:
Da CONTRATANTE, se as unidades ensaiadas forem aprovadas na segunda inspeção;
Do fornecedor, em caso contrário.
8.1.15.
Os custos da visita do inspetor da CONTRATANTE (locomoção, hospedagem, alimentação,
homens-hora e administrativo) correrão por conta do fornecedor nos seguintes casos:
Se o lote estiver incompleto na data indicada na solicitação de inspeção;
Se o laboratório de ensaio não atender às exigências da CONTRATANTE e à NR 10;
Devido à reinspeção do equipamento por motivo de reprovação nos ensaios.
Se o equipamento necessitar de acompanhamento de fabricação ou inspeção final de
subfornecedor contratado pelo fornecedor em localidade diferente da sede do fornecedor;
8.1.16.
Antes de serem fornecidos os perfis tipo U, um protótipo deve ser aprovado, através da
realização dos ensaios de tipo previstos. Estes ensaios podem ser dispensados parcial ou
totalmente, a critério da CONTRATANTE, se já existir um protótipo idêntico aprovado.
De comum acordo com a CONTRATANTE, o fornecedor poderá substituir a execução de
qualquer ensaio de tipo pelo fornecimento do relatório do mesmo ensaio, executado em
perfis tipo U idênticos aos ofertados, desde que realizados em laboratório reconhecido.
8.1.17.
Se os ensaios de tipo forem dispensados, o fabricante deve submeter um relatório
completo dos ensaios, com todas as informações necessárias, tais como métodos,
instrumentos e constantes utilizadas. A eventual dispensa destes ensaios somente terá
validade por escrito.
8.1.18.
A CONTRATANTE poderá, a seu critério, em qualquer ocasião, solicitar a execução dos
ensaios de tipo para verificar se os equipamentos estão mantendo as características de
projeto preestabelecidas por ocasião da aprovação dos protótipos.
8.1.19.
O fornecedor deve informar a CONTRATANTE, com antecedência mínima de 10 dias úteis,
as datas em que os equipamentos estarão prontos para a inspeção.
8.2.
Inspeção visual
Sobre os perfis ou pacotes de perfis que compõem o lote, se realizará uma inspeção visual, para verificar
se atendem o estabelecido nos capítulos 4 e 6, rejeitando-se individualmente os perfis ou os pacotes
que não o satisfizerem.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 22 de 23
8.3
Lote
Se considera como tal uma quantidade especificada de material de características similares ou que
tenha sido fabricado sob condições de produção presumivelmente uniformes que se submetem à
inspeção como um conjunto unitário.
8.4
Amostra
8.4.1.
Composição química e propriedades mecânicas
O número de amostras o lugar e sua orientação para determinar a composição química e as
propriedades mecânicas do material dos perfis está estabelecida na norma NM-COPANT 1587.
8.4.2.
Medidas e massa por unidade de comprimento
Para verificar as medidas, a linearidade e a curvatura e determinar a massa por unidade de
comprimento dos perfis, de cada lote que tenha satisfeito a inspeção visual, segundo 7.1, será tirada
uma amostra conforme estabelecido na norma COPANT 327, para nível de inspeção geral II, conforme
plano de amostragem simples e inspeção normal.
8.5.
Aceitação ou rejeição
8.5.1.
Composição química e propriedades mecânicas
O critério para aceitação ou rejeição do material será o estabelecido na norma MERCOSUL
correspondente.
8.5.2.
Medidas e massa por unidade de comprimento
Nos perfis extraídos segundo 8.3.2 serão verificadas as medidas, a linearidade e a curvatura
e se determinará a massa por unidade de comprimento, efetuando se a aceitação ou rejeição do lote
sobre a base do número de perfis defeituosos, conforme o estabelecido na norma COPANT 327,
para um AQL (nível de qualidade aceitável) de 4%.
8.5.2.1
8.5.2.2
O fabricante, a seu critério, poderá fazer uma seleção e voltar a apresentar à inspeção o
lote anteriormente rejeitado.
9.
ENSAIOS
9.1.
Medidas
As medidas são avaliadas com instrumentos adequados que permitam verificar se os valores reais estão
enquadrados dentro das discrepâncias indicadas com respeito aos valores nominais.
9.2.
Linearidade
Para verificar a linearidade do perfil, deve-se apoiá-lo com a sua alma sobre um plano horizontal, colocase uma régua ou outro elemento adequado sobre as extremidades do perfil e se mede a distância
máxima à face externa da aba do perfil.
9.3
Curvatura
Para se verificar a curvatura do perfil, apoia-se uma de suas abas sobre um plano horizontal, coloca-se
uma régua ou outro elemento adequado, de modo que toque as extremidades do perfil e se mede a
distância máxima borda da alma do perfil.
ET-ELB-011-2012 – Perfil tipo U
Pág. 23 de 23
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertisement