MKA4CAT0PTTRIN-Rev. 5-09-2012.indd
AC Power for
Business-Critical Continuity™
Trinergy™ de 200 a 1200 kVA
Catálogo UPS
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
Trinergy™
Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
Introdução 4
Requisitos gerais 4
Descrição do sistema 5
Conversor de CA/CC com IGBT (Rectificador) 10
Conversor de CC/CC com IGBT (Variador de
tensão/Carregador de bateria) 11
Conversor de CC/CA com IGBT (Inversor) 13
Interface de alimentação/Comutador estático
electrónico (Bypass) 15
Modos de funcionamento/Algoritmo Trinergy™
16
Interfaces de monitorização e controlo 18
Características mecânicas 22
Condições ambientais 22
Dados técnicos (160 a 1200 kVA) 23
Opções 27
Anexo: Planeamento e Instalação
28
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
1 Introdução
2 Requisitos gerais
Esta especificação descreve um
sistema de alimentação ininterrupta
(UPS) de dupla conversão, trifásico,
de estado sólido, com isolamento
IGBT ("Insulated Gate Bipolar
Transistor" - transistor bipolar de
porta isolada) integral. O sistema
UPS será capaz de fornecer uma
alimentação contínua dentro dos
limites preestabelecidos e sem
interrupção, mesmo em caso de
ausência ou de degradação da rede
eléctrica comercial de CA.
O período de tempo durante
o qual será fornecida a energia
condicionada é definido pelo
sistema de baterias.
O rectificador, o inversor e os outros
conversores de missão crítica
dentro da UPS, são accionados por
algoritmos de controlo vectorial
(garantidos pelas patentes 95
P3875, 95 P3879 e 96 P3198), que
funcionam em sistemas dedicados
de processadores de sinal digital
(DSP) que, por sua vez, funcionam
em combinação com o algoritmo
Trinergy™.
2.1 Normas aplicadas
A Emerson Network Power
funciona com Sistemas de
gestão de qualidade que estão
em conformidade com a norma
ISO 9001, assim como Políticas
ambientais e Sistemas de gestão
que estão em conformidade com a
norma ISO 14001.
A UPS Trinergy™ tem a marca
CE de acordo com a Directiva
Europeia de Segurança 2006/95
(substituindo a 73/23 e sucessivas
alterações) e a directiva CEM
Europeia 2004/108 (substituindo
a 89/336, 92/31 e 93/68). A UPS
Trinergy™ foi concebida e produzida
de acordo com as seguintes normas
internacionais:
•IEC/EN62040-1 requisitos gerais e
de segurança
•IEC/EN62040-2 requisitos CEM
•IEC/EN62040-3 requisitos de
funcionamento
•Classificação de acordo com
a norma IEC/EN 62040-3:
VFI-SS-111
2.2 Segurança
Relativamente aos requisitos gerais
e de segurança, a UPS está em
conformidade com a norma IEC/EN
62040-1 que regulamenta o uso em
locais de acesso livre.
2.3 A CEM e a supressão de
sobretensão
Os efeitos electromagnéticos são
minimizados de forma a garantir
que os sistemas informáticos e
outras cargas electrónicas similares
não sejam afectados pela UPS nem a
4
afectem. As UPS são concebidas em
conformidade com os requisitos da
norma EN 62040-2, classe C3.
Os fabricantes e clientes em
parceria estão de acordo em
garantir os requisitos essenciais
de protecção de compatibilidade
electromagnética para a instalação
específica resultante.
2.4 Ligação do neutro e
ligação à terra
A saída de neutro da UPS Trinergy™
está electricamente isolada do
chassis da UPS. As ligações de
neutro de entrada e de saída são as
mesmas, ou seja, estão firmemente
interligadas. Portanto, a UPS não
modifica o estado do neutro a
montante, em qualquer modo de
funcionamento, sendo que o estado
do neutro da distribuição a jusante
da UPS determinado pela rede de
alimentação eléctrica.
A UPS Trinergy™ pode ser utilizada
em qualquer instalação TN ou IT;
para mais informações contacte a
equipa de assistência técnica.
2.5 Materiais
Todos os materiais e componentes,
incluindo a UPS, são novos e de
produção actual.
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
3 Descrição do sistema
3.1 O sistema
3.2 Modelos disponíveis
A UPS fornece alimentação em
corrente CA de elevada qualidade
para as cargas de equipamentos
electrónicos, oferecendo as
seguintes vantagens:
•Tecnologia Trinergy™
•Máxima economia de energia
•Escalabilidade até 9,6 kW
•Aumento da qualidade da
qualidade da alimentação
eléctrica
•Correcção Total do Factor de
Potência de entrada (PFC) e
Distorção Harmónica Total de
Corrente (THDi) muito baixa
•Compatibilidade total com
qualquer instalação TN e IT
•Compatibilidade total com
qualquer gerador de potência em
standby
•Compatibilidade total com
todos os tipos de cargas com FP
até 1 sem redução dos valores
específicos
•Protecção contra interrupções da
alimentação
•Manutenção avançada da bateria
•Concepção sem transformador
A Trinergy™ é uma UPS modular de alta potência e é composta por uma Caixa
(box) I/O central com um total de até seis NÚCLEOS que podem ser ligados
à mesma. A Trinergy™ pode ser personalizada de 200 kVA até 1,2 MVA num
único sistema. Dependendo da sua capacidade, cada Caixa (Box) I/O possui a
possibilidade de ligar metade do número máximo de NÚCLEOS à esquerda e a
outra metade à direita.
O sistema UPS será capaz de
fornecer uma alimentação contínua
dentro dos limites preestabelecidos
e sem interrupção, mesmo em caso
de ausência ou de degradação da
rede eléctrica comercial de CA.
Numa única UPS, o sistema
Trinergy™ pode alimentar em
paralelo até seis NÚCLEOS a
funcionar em paralelo para
capacidade e redundância.
Um NÚCLEO é um módulo de
alimentação de 200 kW integral.
CAD - Arquitectura interna da Trinergy™
200 kVA
Ligações de
entrada/saída
200 kVA
Três fases
de inversor
Três fases de
rectificador
Caixa I/O
Ligação à
bateria
Variador de Bypass
tensão
estático
Figura 1. Modelo CAD da UPS Trinergy™.
QS3
BYPASS
REDE
PRIMÁRIA
QS2
Rectificador
Interface de
alimentação
Inversor
QS1
QS4
SAÍDA
Variador de tensão
Rectificador
Interface de
alimentação
Inversor
Variador de tensão
Rectificador
Interface de
alimentação
Inversor
Variador de tensão
QS9
Figura 2. Diagrama monofásico da Trinergy™ de 600 kVA.
5
BATERIA
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
3.3 Caixa (Box) I/O
A Caixa (Box) I/O central é uma
interface comum para a ligação da
alimentação e a interacção com o
utilizador.
A Caixa (Box) I/O central está
disponível em três níveis diferentes
de potência nominal: 400 kVA, 800
kVA e 1200 kVA. Podem ser ligados à
Caixa (Box) I/O um máximo de dois,
quatro ou seis NÚCLEOS de 200 KVA,
dependendo da sua potência nominal.
A arquitectura modular da UPS
Trinergy™ permite a adição de
NÚCLEOS sem necessidade de
efectuar qualquer alteração à
instalação actual.
Os seguintes comutadores
encontram-se localizados na parte
frontal da caixa:
•Bypass
•Entrada
•Saída
•Bypass de manutenção
•Bateria
Isto permite a realização de
qualquer trabalho de manutenção
sem desligar a carga. Os terminais
de entrada e saída, assim como
da ligação da bateria, estão
localizados na Caixa (Box) I/O central
permitindo a entrada de cabos por
cima ou por baixo.
É possível implementar um bypass
manual ininterrupto de todo o
sistema para permitir a realização de
trabalhos de manutenção.
A rede de bypass continua a
alimentar a carga. Neste caso, a UPS
deixa de ficar sob tensão porque
estará desligada das redes de
alimentação. Nestas condições, as
operações de manutenção na UPS
podem ser feitas sem afectar a carga
eléctrica ligada.
As baterias podem ser centralizadas
ou distribuídas com a ligação a ser
sempre efectuada a partir da Caixa
(Box) I/O.
Se a bateria é retirada para
manutenção, esta tem de ser
desligada da UPS por meio de um
comutador externo (situado, por
exemplo, no armário da bateria).
A UPS continuará a funcionar e a
cumprir os critérios de desempenho
especificados com excepção da
duração da autonomia da bateria.
A Caixa (Box) I/O central aloja
um ecrã táctil de 12,1 polegadas
que permite uma monitorização
simples do sistema e dos NÚCLEOS
individuais. Utilizando o ecrã táctil
também é possível aceder ao
registo do histórico de serviço, para
uma manutenção mais simples e
rápida. Qualquer ponto de falha
é completamente eliminado uma
vez que todos os componentes de
potência, assim como os painéis de
controlo, se encontram distribuídos
em cada um dos NÚCLEOS.
VISTA FRONTAL
VISTA FRONTAL
VISTA FRONTAL
400 kVA
800 kVA
1200 kVA
Figura 3. Dimensões da Caixa (Box) I/O da UPS Trinergy™
6
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
3.4 NÚCLEOS (módulos de
potência)
Cada um dos NÚCLEOS da Trinergy™
possui oito gavetas separadas que
permitem uma melhor capacidade
de serviço dos NÚCLEOS individuais.
O NÚCLEO contém:
•Rectificador total com IGBT
•Variador de Tensão/Carregador da
bateria com IGBT
• Inversor com IGBT
• Interface de alimentação/Bypass
estático
•Controlo de energia
Cada NÚCLEO está equipado com os
seguintes interruptores:
•Entrada
•Saída
•Bateria
•Neutro
•Bypass
Estes interruptores permitem
isolar completamente um NÚCLEO
individual para operações de
manutenção ou assistência.
Desta forma, não haverá interrupção
da alimentação da carga crítica
quando for necessário retirar
um NÚCLEO de serviço, para
manutenção ou reparação.
O isolamento é total e todos
os componentes sujeitos a
manutenção, tais como fusíveis,
módulos internos de potência de
funcionamento, painéis de controlo,
etc. ficarão isolados.
Os restantes NÚCLEOS continuam
a alimentar a carga permitindo
a realização de operações de
manutenção no sistema enquanto
mantém, ao mesmo tempo, o
mais alto nível de protecção da
alimentação e torna desnecessário
comutar todo o sistema para o
bypass manual de manutenção.
3.5 Controlo e diagnóstico por microprocessador
O funcionamento e o controlo da UPS são realizados utilizando componentes
lógicos controlados por microprocessador. As indicações, as medições e os
alarmes, em conjunto com a autonomia da bateria, são exibidos num monitor
de ecrã táctil. As operações de arranque, paragem e transferência manual
da carga para e desde o bypass, são explicadas claramente em sequências
elucidativas passo-a-passo no monitor.
3.6 Controlo e diagnóstico
O controlo dos NÚCLEOS electrónicos será optimizado para fornecer:
•Alimentação trifásica e acondicionamento óptimos da carga
•Cargas controladas da bateria
•Efeitos mínimos na rede de alimentação
A Trinergy™ possui uma plataforma de controlo digital avançada em cada
NÚCLEO que combina as vantagens de um duplo DSP que executa todos os
algoritmos de controlo vectorial e um Microcontrolador que proporciona uma
flexibilidade máxima de comunicação, ao mesmo tempo que faz a interface
com todos os sinais internos e externos. Graças a esta plataforma, a Trinergy™
possui o controlo mais potente na indústria das UPS.
3.6.1 Controlo vectorial e Algoritmo Trinergy™
Para garantir um processamento rápido e flexível de medição dos dados,
foram implementados algoritmos aritméticos especiais no DSP que, como
resultado, criam rapidamente variáveis controladas. Isto torna possível o
controlo em tempo real dos componentes electrónicos do inversor, resultando
em óbvias vantagens nas prestações dos conversores de alimentação. Estas
vantagens são:
•Melhoria do comportamento em caso de curto-circuito, visto que cada fase
pode ser controlada mais rapidamente.
•Sincronização ou precisão do ângulo de fase entre a saída da UPS e a rede
de bypass, mesmo no caso em que a tensão da rede de alimentação se
encontra fora das tolerâncias.
•Alta flexibilidade no funcionamento em paralelo: partilha de carga entre
múltiplos NÚCLEOS e os sistemas Trinergy™ paralelos.
Vários algoritmos incluídos no firmware de Controlo Vectorial são protegidos
por patentes (95 P3875, 95 P3879 e 96 P3198) adquiridas da Emerson
Network Power.
O controlo preciso do sistema Trinergy™ permite-lhe activar rápida e
ininterruptamente um dos três modos de funcionamento da UPS de forma
a conseguir a eficiência e eficácia de cada uma das configurações standard.
Ao mesmo tempo, o sistema Trinergy™ continua a manter o rendimento e
a protecção de alimentação de um UPS Classe 1 (IEC 62040-3) à carga e um
condicionamento perfeito da alimentação de entrada para a distribuição a
montante.
7
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
3.6.2 Monitorização preventiva
Para maximizar a fiabilidade do sistema, a unidade de controlo monitoriza um elevado número de parâmetros operacionais do rectificador,
do inversor e da bateria. Todos os
parâmetros de funcionamento essenciais, tais como os valores de
temperatura, estabilidade da tensão
e da frequência na entrada e na saída do sistema, parâmetros relativos
à carga e valores internos ao sistema são constantemente monitorizados e controlados em busca de
irregularidades.
O sistema reage automaticamente
antes de surgir uma situação crítica,
quer para a UPS quer para a carga,
de forma a garantir a alimentação da
carga, mesmo em condições difíceis.
3.6.3 Telediagnóstico e
telemonitorização
Em todos os modos de
funcionamento acima descritos,
a UPS pode ser monitorizada e
controlada à distância, como
por exemplo, por um serviço de
assistência, para manter a fiabilidade
do sistema aos níveis nominais.
Mesmo durante uma paragem
completa da UPS, as informações
relacionadas com os seus
parâmetros operacionais são
armazenadas em memórias FRAM
não voláteis, capazes de armazenar
informações até 45 anos.
3.6.4 Assistência e colocação em
funcionamento
A Trinergy™ foi concebida para a instalação e assistência fáceis graças ao
design em gaveta, tornando-a numa
solução de serviço totalmente modular e reduzindo consideravelmente o tempo necessário para repara-
ção. Todos os módulos de potência
podem ser retirados, removendo as
gavetas dianteiras da máquina. Cada
UPS está equipada com um cartão
ID, incluindo todos os principais parâmetros de funcionamento da UPS.
Este cartão, reduz o MDT encurtando as operações de assistência e colocação em funcionamento.
3.7 Configuração em paralelo
3.7.1 Princípio da configuração
em paralelo
A série Trinergy™ de sistemas
de alimentação ininterrupta
pode ser ligada em paralelo para
configurações multi- módulo. O
número máximo de NÚCLEOS que
podem ser ligados à Caixa (Box) I/O
é de seis, fornecendo 1,2 MW de
potência numa única UPS Trinergy™.
O número máximo de UPS
Trinergy™ possível numa
configuração em paralelo é de oito.
A ligação em paralelo de UPS
aumenta a fiabilidade e a potência.
UPS 1
BAT.
Fiabilidade
Se o sistema exigir uma
configuração redundante, a
potência de cada UPS não deve ser
inferior a Ptot/(N-1), em que:
Ptot = Potência total de carga
N = Número de NÚCLEOS em
paralelo
1 = Coeficiente mínimo de
redundância
Em condições normais de
funcionamento, a potência
fornecida à carga será repartida
pelo número de NÚCLEOS ligados
ao barramento paralelo. Em caso
de sobrecarga, a configuração pode
fornecer Pov N sem transferir a carga
para a reserva, em que:
Ptot =Potência máxima de
sobrecarga de um NÚCLEO
N = Número de NÚCLEOS em
paralelo
Em caso de falha de um dos
NÚCLEOS, o NÚCLEO avariado
UPS 2
UPS n
BAT.
SBS
Figura 4. Sistemas paralelos Trinergy™.
8
Carga
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
será completamente isolado e a
carga será alimentada pelas outras
unidades, sem qualquer interrupção
na alimentação. A redundância
interna permite realizar manutenção
em NÚCLEOS específicos enquanto
os outros NÚCLEOS continuam
a proporcionar protecção total à
carga com enormes vantagens na
disponibilidade de todo o sistema.
Podem ser ligadas em paralelo um
máximo de oito UPS Trinergy™.
O controlo do sistema em paralelo é
distribuído entre as unidades (sem
arquitectura master/slave).
A carga é partilhada pelas linhas de
bypass e pelos inversores de cada
UPS. A partilha da carga entre o
sistema de UPS em paralelo (modo
“carga no inversor”) é alcançada
com uma tolerância inferior a 3% à
carga nominal.
O circuito de barramento permite
que o paralelo partilhe a carga
do sistema mesmo com uma
interrupção no cabo de dados
(sistema de teste da primeira falha).
3.7.2 Paralelo Modular
A UPS Trinergy™ é capaz de
funcionar numa configuração
modular em paralelo.
A opção em paralelo consiste
apenas em cabos de dados
blindados ligados aos sistemas
UPS circundantes (barramento em
circuito fechado).
O sistema multimodular é
controlado e monitorizado
automaticamente através do
controlo de cada um dos NÚCLEOS
individuais.
3.7.3 Sistema em paralelo
centralizado com MSS
A arquitectura em paralelo
centralizada permite que a UPS
com bypass inibido seja ligada em
paralelo.
Assim, a alimentação de reserva
das cargas funciona com
um componente central do
equipamento (MSS).
Consulte a figura 5 para o diagrama
UPS 1
BAT.
UPS 2
BAT.
Figura 5. Sistema em paralelo centralizado com MSS.
9
UPS n
monofásico do sistema em paralelo.
Para mais informações, contacte o
Apoio Técnico.
3.7.4 Redundância circular
A redundância circular é capaz de
optimizar a eficiência da UPS mesmo
em cargas parciais. Caso não sejam
necessários todos os NÚCLEOS
para alimentar a carga de saída, a
Trinergy™ irá avaliar o número real
de NÚCLEOS necessários
(mantendo igualmente o nível
de redundância pretendido) para
alimentar a carga real. Assim que
seja detectado um aumento da
carga, o NÚCLEO é accionado.
A redundância circular acciona
apenas o mínimo número de
inversores necessários para esse
nível de carga, garantindo uma
rotatividade periódica de todos os
NÚCLEOS disponíveis.
Este facto garante a manutenção
constante do mais elevado nível de
eficiência.
MSS
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
4 Conversor de CA/CC com IGBT
4.1 Entrada primária
A corrente trifásica proveniente
da rede eléctrica comercial em
CA é convertida em tensão de CC
regulada pelo rectificador com IGBT
de cada NÚCLEO.
Para proteger os componentes de
potência no interior do sistema,
cada fase de entrada do rectificador
é protegida individualmente por um
fusível de acção rápida. Conforme
mostrado na Figura 2, o rectificador
IGBT fornece alimentação CC ao
conversor de saída CC/CA (inversor
IGBT) e ao conversor da bateria
de CC/CC (variador de tensão/
carregador de bateria), quando
este último funciona em modo de
carregador de bateria.
4.2 Distorção Harmónica
Total na Entrada (THD) e
Factor de Potência (PF)
A tensão máxima THD (THDV)
permitida na entrada do rectificador
(da rede ou do gerador) é igual a
8%. A corrente máxima de THD
injectada na rede de alimentação
eléctrica (THDI) é inferior a 3% com
a potência de entrada máxima e a
tensão na entrada THDV é inferior a
1% (corrente e tensão nominais de
entrada). O factor de potência de
entrada (FP) será superior a 0,99.
Noutras condições de entrada e com
outras fracções de carga na saída, a
THDI será inferior a 5%. Isto significa
que a UPS Trinergy™ será vista pelas
fontes das redes de alimentação
eléctrica primárias e pela
distribuição como carga resistiva (ou
seja, consumirá somente potência
activa e a forma da onda da corrente
será praticamente sinusoidal),
(Rectificador)
garantindo assim a total compatibilidade com qualquer fonte de alimentação.
4.3 Funcionamento com gerador a diesel
Para obter a THD requerida na tensão de entrada, a coordenação entre o
gerador a diesel e a UPS deve basear-se na reactância sub-transitória do
gerador, em oposição à sua reactância de curto-circuito.
4.4 Arranque gradual
Com o sistema lógico da UPS devidamente alimentado, após ter aplicado a
tensão de entrada, o rectificador começa um arranque gradual adicional de
corrente programável (1-90 segundos). Este procedimento permite aumentar
gradualmente a corrente recebida da rede de alimentação.
Isto garante que qualquer gerador em standby é introduzido gradualmente na
entrada da UPS, conforme mostrado na Figura 6.
Para evitar o arranque simultâneo de diferentes rectificadores, é possível
programar um atraso de arranque de retenção (1-180 segundos) específico
para cada unidade.
Além disso, a UPS inclui uma função de ‘gerador ligado’ que, quando activada
mediante contacto flutuante, oferece a possibilidade de inibir a carga da
bateria, sincronizar o inversor com a alimentação da linha directa ou transferir
a alimentação para a linha directa e força a unidade a funcionar no modo de
dupla conversão.
Quando a UPS está a funcionar com um sistema volante, os parâmetros de
atraso e arranque gradual correspondentes devem ser definidos de acordo
com os requisitos do grupo gerador.
Contacte a equipa de apoio técnico para mais informações.
Corrente
de entrada
CA
Atraso Corrente
(1- 180s)
de
arranque
(1-90 s)
Falha na rede de
alimentação
Rede de alimentação OK
Figura 6. Arranque gradual do rectificador.
10
Tempo
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
5 Conversor de CC/CC com IGBT
5.1 Variador de tensão/
Carregador de bateria
Conforme visto na Figura 2, este
conversor bidireccional de CC/CC com
IGBT possui as seguintes funções:
•Recarregar as baterias com
alimentação proveniente do
barramento CC, quando a rede de
alimentação eléctrica primária de
entrada estiver no intervalo dos
valores de tolerância indicados.
•Fornecer a alimentação CC
completa adequada, proveniente
das baterias, ao inversor de saída
IGBT, se a alimentação da rede
eléctrica primária não estiver
disponível.
5.2 Modo de carregador de
baterias
Este conversor pode ser utilizado
com os seguintes tipos de baterias:
•Hermética de chumbo ácido
•Chumbo ácido (VRLA)
•Níquel cádmio
O microprocessador controla
e selecciona o método de
carregamento mais apropriado.
Estão disponíveis vários métodos de
carregamento.
5.3 Regulação da tensão
com compensação da
temperatura
A fim de garantir uma carga optimizada da bateria, a tensão de flutuação será ajustada automaticamente
para a temperatura ambiente.
O rectificador com IGBT será capaz
de alimentar o carregador de baterias com CC à potência definida,
mesmo se a tensão de entrada CA
da UPS for inferior à tensão nominal
especificada. Uma redução posterior
da tensão de CA da entrada (dentro
dos limites especificados que também dependem da alimentação de
(Variador de tensão/Carregador de bateria)
saída exigida pela carga) vai inibir o
carregador de baterias, mas não implicará a descarga das baterias.
Ver a Figura 7 para mais detalhes.
5.4 Filtragem da ondulação
residual
A saída do carregador de baterias
possui uma tensão de ondulação
residual inferior a 1%.
5.5 Capacidade e
características de carga
Quando a rede de alimentação
primária não for adequada para
alimentar o rectificador, o conversor
de CC/CC (modo de variador de
tensão) irá fornecer a alimentação
necessária ao inversor, utilizando a
energia armazenada na bateria.
Após a descarga da bateria e
quando a entrada de alimentação
CA for restaurada, o rectificador irá
alimentar o inversor e recarregar
as baterias através do conversor de
CC/CC no modo de carregador de
baterias. Os métodos de carga que
se seguem são um exemplo dos
vários métodos disponíveis, dando
a possibilidade de corresponder
aos vários tipos de acumuladores
seguintes:
5.5.1 Baterias herméticas, de
chumbo ácido, sem manutenção:
A carga é efectuada com corrente
constante até ao nível de tensão
de flutuação máxima. Portanto,
a tensão é mantida a um nível
constante dentro de limites estreitos
(método de carga com fase única).
5.5.2 Baterias herméticas de
chumbo ácido de baixa manutenção ou baterias de níquel cádmio:
A carga é efectuada com uma
tensão de carga aumentada e a uma
corrente de carga constante (fase de
carga rápida).
Se a corrente de carga descer abaixo
do limite inferior, o carregador de
baterias regressa automaticamente
ao nível de tensão de flutuação
(método de carga com duas fases).
Tensão de entrada vs Carga de caída
Carga de saída P/Pn (%)
P/Pn
Tensão de entrada (V)
Figura 7. Tensão de entrada em função da percentagem de carga de saída.
11
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
5.6 Protecção contra
sobretensões
O carregador de baterias desligase automaticamente se a tensão
de CC da bateria exceder o valor
máximo associado ao seu estado de
funcionamento.
5.7 Gestão das baterias
Graças ao sistema avançado de
gestão das baterias (ABC), a série
Trinergy™ permite aumentar a
vida útil das baterias até 50%. As
principais características de gestão
da bateria estão descritas a seguir.
5.7.1 Parâmetros de
funcionamento
Utilizando uma bateria de ácido
chumbo regulada por válvula (VRLA)
sem manutenção, os parâmetros
de funcionamento por célula são os
seguintes:
•Tensão de fim de descarga
(V) 1,65
•Alarme de paragem iminente
(V) 1,75
•Tensão mínima de teste da bateria
(V) 1,9
•Tensão nominal (V) 2,0
•Alarme de bateria em fase de
descarga (V) 2,20 a 20°C
•Tensão oscilante (V) 2,27 a 20 °C
•Alarme de alta tensão (V) 2,4
5.7.2 Teste automático de bateria
As condições de funcionamento
das baterias são testadas
automaticamente pela unidade de
controlo em intervalos definíveis,
por exemplo, semanalmente,
quinzenalmente ou mensalmente.
O teste da bateria pode ser realizado
em cada um dos diferentes modos
de funcionamento. O teste é feito
mediante uma breve descarga
das baterias para confirmar o bom
funcionamento quer dos blocos de
por grau centígrado) para maximizar
a vida útil da bateria.
baterias, quer dos elementos de
ligação.
Para eliminar qualquer possibilidade
de diagnóstico errado, o teste é
feito sempre 24 horas após a última
descarga da bateria.
Mesmo no caso de baterias
completamente defeituosas, o
teste das baterias é efectuado sem
riscos. Os utilizadores são alertados
em caso de detecção de uma falha
da bateria. O teste da bateria não
provoca qualquer decréscimo no
que se refere às expectativas da vida
útil do sistema de baterias.
5.7.4 Tensão de fim de descarga
compensada em função do tempo
Quando o tempo de descarga
excede uma hora, a tensão de
encerramento é aumentada
automaticamente, conforme
mostrado na Figura 8 para baterias
VRLA, a fim de evitar uma descarga
prolongada da bateria resultante de
uma carga leve.
5.7.5 Vida útil restante da bateria
O sistema Trinergy™ utiliza
algoritmos sofisticados para
determinar o tempo útil restante da
bateria, baseando-se nas condições
reais de funcionamento, tais como
a temperatura, os ciclos de carga
e descarga e a profundidade de
descarga.
5.7.3 Carregador da bateria
compensado em função da
temperatura ambiente
A tensão de flutuação será
automaticamente ajustada
em função da temperatura no
compartimento da bateria (-0,11%
Tensão por célula
1.80
1.75
1.70
1.65
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Tempo (horas)
Figura 8. Tensão de fim de descarga em função do tempo de descarga.
12
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
6 Conversor de CC/CA com IGBT
6.1 Geração de tensão de CA
O inversor é capaz de transformar a
tensão de CC do circuito intermédio
em tensão de CA sinusoidal para
a carga do sistema utilizador, com
base na modulação da amplitude
dos impulsos (PWM). O inversor
com IGBT é controlado pelo
processador de sinais digitais (DSP)
da unidade de controlo, de forma a
que a tensão de CC seja dividida em
pacotes de tensão pulsados. Graças
a um filtro passa-baixo, o sinal da
amplitude modulada dos impulsos
é convertido em tensão de CA
sinusoidal.
Não é necessário nenhum
transformador de isolamento para
o inversor com IGBT, o que oferece
grandes vantagens em termos de:
eficiência de conversão da energia e
redução das dimensões físicas e do
peso dos NÚCLEOS.
6.2 Regulação da tensão
A tensão nas três fases de
saída do inversor é controlada
separadamente para atingir os
seguintes desempenhos:
•A tensão de saída do inversor em
regime estacionário não sofre
variações superiores a ±1% em
caso de regime estacionário da
tensão de entrada e de variações
da carga no intervalo dos limites
indicados.
•A tensão transitória do inversor
não deve exceder os limites
relativos à Classe 1, quando
sujeita à aplicação ou à remoção
de 100% da carga, conforme
estabelecido pela norma
IEC/EN62040-3.
6.3 Regulação da frequência
A frequência de saída do inversor é
(Inversor)
controlada para atingir os seguintes
desempenhos:
•A frequência de saída do inversor
em regime estacionário, quando
sincronizada com a rede de
bypass, não sofre variações
superiores a ±1% ajustável para
±2%, ±3%, ±4%.
•A velocidade de variação da
frequência é inferior a 1 Hz por
segundo.
•A frequência de saída do inversor
é controlada por um oscilador
de quartzo, que pode funcionar
como unidade autónoma ou
controlada para funcionamento
sincronizado com uma rede de
CA separada.
A precisão de controlo da
frequência, quando funcionar
como unidade autónoma, é igual
a ±0,1%.
6.4 Distorção Harmónica
Total
O inversor proporciona a
neutralização e a filtragem de
forma a reduzir a THD da tensão
de saída para menos de 1% com
carga linear. Como referência, para
uma carga não linear (segundo a
definição da norma IEC/EN620403), a distorção harmónica total
mantém-se sempre inferior a 3%.
6.5 Dimensionamento do
neutro
A secção do condutor de neutro do
inversor é sobredimensionada para
todas as potências nominais para se
adaptar às possíveis combinações
de harmónicas que podem estar
presentes no fio do neutro quando
as cargas a controlar forem
monofásicas e de referência não
linear.
13
6.6 Sobrecarga
O inversor é capaz de fornecer
uma sobrecarga de 125% durante
10 minutos e de 150% durante 1
minuto da carga nominal. Em caso de
níveis de carga diferentes, consulte
a curva específica da sobrecarga.
Contacte a equipa de apoio técnico
para mais informações.
6.7 Colocação fora de serviço
do inversor
Na presença de uma falha interna, o
inversor é imediatamente colocado
fora de serviço pela unidade de
controlo. A UPS ou os sistemas de
UPS que funcionam em paralelo
continuam a alimentar a carga
a partir da rede de bypass, sem
interrupção, desde que estejam
dentro dos limites admitidos.
6.8 Simetria da tensão de
saída
O inversor foi projectado para
garantir uma simetria de tensão
na saída igual a ±1% para cargas
equilibradas e ±3% para cargas 100%
desequilibradas.
6.9 Desfasamento
O ângulo de desfasamento entre as
tensões das três fases é igual a:
•120° ± 1° para cargas equilibradas
•120° ± 3° para cargas
desequilibradas (0, 0, 100%)
6.10 Curto-circuito
A capacidade de curto-circuito
do inversor da UPS Trinergy™
para os primeiros 10ms é de
300%, independentemente da
configuração do curto-circuito.
Depois dos primeiros 10ms, limita
a corrente a 150% durante não mais
do que 5 s e, em seguida, desliga.
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
6.11 Adaptação automática
da potência nominal do
inversor
O inversor adapta
automaticamente a sua potência
em função do ambiente e das
temperaturas de funcionamento,
conforme ilustrado na Figura
9. Nas condições mais comuns
(25°C) o sistema Trinergy™ fornece
uma potência 10% superior à
nominal. Nestas condições,
a carga da bateria é reduzida
proporcionalmente. O limite da
potência activa disponível na
saída da UPS é, contudo, obtido
considerando a potência nominal
aparente com um FP de saída de 1.
alimentada pela UPS sem qualquer
redução dos valores especificados,
uma vez que o inversor é capaz de
trabalhar a 100% da sua potência.
6.13 Capacidade de Filtragem
Activa em modo VI
Através do processador de sinal
digital (DSP) da unidade de controlo,
o inversor CC/CA com IGBT será
controlado de modo a que possa
funcionar como um filtro activo
série e paralelo, se isso permitir
alcançar um nível de eficiência
superior.
Inversor como filtro activo
paralelo: o inversor irá trabalhar
como um gerador de corrente
controlada, gerando uma corrente
que compensa o conteúdo reactivo
e harmónico da carga.
Inversor como filtro activo série:
a corrente do filtro activo terá uma
forma que pretende compensar a
tensão da linha de bypass para poder
permanecer dentro dos limites de
tolerância.
Tal é possível ao funcionar em
conjunto com a Interface de
Alimentação que contém uma
indutância série que servirá um
objectivo principal: o de adicionar
uma pequena impedância de linha
para a compensação activa da
tensão ao interagir com a corrente
do filtro activo gerado pelo inversor.
6.12 Diagrama Simétrico de
Saída do Factor de Potência
O inversor IGBT é capaz de
alimentar, sem redução dos valores
específicos, qualquer tipo de carga
(capacitiva e indutiva) com um
Factor de Potência até 1.
Este comportamento é possível
graças ao perfeito dimensionamento
de todos os componentes da fase
de saída, o que permite obter um
diagrama de saída do Factor de
Potência perfeitamente simétrico
em relação ao zero.
Graças a esta característica, única
no mercado, o sistema Trinergy™
oferece uma máxima flexibilidade
e compatibilidade com cada
instalação, o que significa que o
cliente não tem de se preocupar
com futuras modificações de
cargas que possuam um Factor
de Potência diferente. Como é
demonstrado na Figura 10, tornase evidente a partir da área a azul
que cada tipo de carga (capacitiva
ou indutiva) com um FP até 1 é
Potência de saída
%
110
Temperatura
ambiente
105
100
15
25
30
40
°C
Figura 9. Adaptação automática da potência.
14
Figura 10. Diagrama de Saída do Factor de
Potência
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
7 Interface de alimentação/Comutador estático electrónico
7,1 Informações gerais
A Interface de Alimentação é constituída por um comutador estático de
bypass de transferência com um estrangulamento a montante. Esta interface alimenta a carga sempre que
as condições da carga e da rede permitam beneficiar do modo de Máxima Economia de Energia (VFD) e do
modo de Elevada Eficiência e Condicionamento Energético (VI).
Em modo interactivo, o inversor
pode funcionar como filtro série
activo em conjunto com a Interface
de Alimentação para compensar
pequenas variações fora dos limites
de tolerância.
O comutador estático de bypass é
um dispositivo de transferência de
alta velocidade, de estado sólido,
totalmente dimensionado para o
funcionamento contínuo.
As seguintes operações de
transferência e retransferência são
proporcionadas pelo comutador
estático electrónico:
•Transferência automática ininterrupta para a rede de bypass, determinada pelas seguintes condições:
- sobrecarga na saída do inversor
- tensão da bateria fora dos limites
no modo de alimentação auxiliar
- sobreaquecimento
- falha do inversor
•Se o inversor e a rede de bypass
não estiverem sincronizados
no momento estabelecido para
efectuar a transferência, pode
programar-se um atraso de
comutação para proteger a carga
crítica. Este procedimento previne
possíveis danos na carga devido à
comutação de fase involuntária
(o valor predefinido de série é de
um atraso de 20 ms).
•A transferência/retransferência
manual ininterrupta, para a rede
de bypass ou vice-versa, pode ser
feita a partir do painel de controlo.
•A transferência/retransferência
automática ininterrupta, para
a rede de bypass ou vice-versa,
é feita activando a modalidade
interactiva digital.
•A retransferência automática
ininterrupta a partir da rede
de bypass é feita no momento
em que o inversor for capaz de
alimentar a carga.
•A transferência ininterrupta do
inversor para a rede de bypass é
impedida nas seguintes situações:
- tensão da rede de bypass fora
dos limites
- avaria no comutador electrónico
de bypass
•A retransferência automática
ininterrupta pode ser inibida pelos
seguintes motivos:
- comutação manual para a rede
de alimentação de bypass através
do comutador de manutenção
- sobrecarga à saída da UPS
7.1.1 Tensão
A tensão predefinida da linha
de bypass é de 230/400 V RMS.
Quaisquer transferências do inversor
para a linha de bypass serão inibidas
se os valores de tensão estiverem
fora do intervalo de ±10% (regulação
predefinida) da tensão nominal.
71.2 Tempo de transferência
(dupla conversão)
O tempo de comutação para a
transferência do inversor à rede de
bypass ou vice-versa é inferior a 0,5
ms quando estão sincronizados.
O sistema garante que o inversor
está estável e a funcionar normalmente antes de permitir a retransferência da carga para o inversor.
O tempo de transferência quando
dessincronizados é definido por um
parâmetro predefinido para impedir
que a carga sofra danos por inversão
de fase.
15
(Bypass)
7.1.3 Sobrecarga
O comutador estático de bypass
pode suportar as seguintes
sobrecargas:
125% durante 0 minutos
150% durante 1 minuto
700% durante 600 milissegundos
1000% durante 100 milissegundos
7.2 Protecção contra
retornos
Quando a linha de entrada de bypass
da UPS é desligada, normalmente
não há qualquer tensão/corrente/
potência perigosa na entrada de
bypass da UPS.
No entanto, em caso de falha no
comutador estático de bypass existe
o risco de surgir energia eléctrica
nos terminais de entrada de bypass
da UPS.
Neste caso, o inversor alimenta a
carga crítica e a linha de alimentação
a montante.
Esta energia inesperada e potencialmente perigosa pode propagar-se
pela distribuição a montante através
da linha de bypass defeituosa.
A protecção contra retorno é um
dispositivo de segurança que previne qualquer risco potencial de choque eléctrico nos terminais de entrada de CA do bypass da UPS, em caso
de falha do comutador estático de
bypass SCR. O circuito de controlo
inclui um contacto (disponível para
o utilizador) que activa um sistema
de isolamento externo, tal como um
relé electromecânico ou uma bobina
de relé, quando é detectado um retorno de energia.
Em conformidade com a norma
IEC/EN 62040-1-1, o sistema de isolamento não está incluído na UPS.
O sistema de isolamento externo
possui um isolador de folga de 4 pólos (três fases e neutro) e é definido
de acordo com a cláusula 5.1.4 da
norma citada anteriormente.
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
8 Modos de Funcionamento
O sistema Trinergy™ incorpora as
três topologias standard existentes
numa UPS sem transformador:
•Modo de Máximo Controlo de
Energia (IEC 62040-3 VFI): é o
modo de dupla conversão que
proporciona o mais alto nível de
condicionamento da alimentação.
Este protege a carga de todas as
perturbações da rede eléctrica
utilizando uma maior quantidade
de energia. Permite uma
eficiência à carga total, utilizando
a mais recente tecnologia sem
transformador, superior a 95%.
•Modo de Máxima Economia
de Energia (IEC 62040-3 VFD):
neste modo o sistema Trinergy™
detecta quando a energia de
alimentação da rede, fornecida
é de uma qualidade ideal e
há necessidade limitada de
condicionamento, permitindo que
o fluxo de energia passe através da
linha de bypass.
Neste caso a eficiência chega aos
99%.
•Modo de Elevada Eficiência e
Condicionamento Energético
(IEC 62040-3 VI): compensa
apenas as principais perturbações
tais como THDi e PF da carga,
assim como quebras e ondulações.
A energia usada é derivada da
utilização do inversor como um
filtro activo que proporciona toda
a potência reactiva necessária. Em
condições normais, este modo
terá uma eficiência de 96% e 98%,
dependendo do tipo de carga (isto
é, não-linear, linear, etc.) e das
condições de entrada da rede.
O controlo preciso do sistema
Trinergy™ permite-lhe activar rápida
e ininterruptamente um dos três
modos de funcionamento de forma
a conseguir a eficiência e eficácia
de cada uma das configurações
standard. Ao mesmo tempo, o
sistema Trinergy™ continua a
manter o rendimento e a protecção
de alimentação de um UPS Classe
1 (IEC 62040-3) à carga e um
condicionamento perfeito da
alimentação de entrada para a
distribuição a montante.
O accionamento de um dos três
modos diferentes de funcionamento
baseia-se no seguimento da
alimentação em tempo real dos
principais parâmetros relacionados
com a rede de entrada e a carga de
saída. (Para mais informações sobre
a activação da forma de selecção do
modo de funcionamento pela UPS,
consulte a nota de especificação
“Modos de funcionamento da UPS”).
Se as variáveis observadas listadas
abaixo se encontrarem fora dos
intervalos descritos, a UPS activa um
modo de funcionamento diferente.
Os parâmetros podem ser
modificados pelo técnico assistente
mediante solicitação. Estas condições
referem-se a plena carga de saída.
mentação através do bypass (devido a
uma sobrecarga, etc.) está sincronizada com a frequência e não causa a interrupção para a carga crítica.
8.1 Modo de Dupla
Conversão (VFI)
8.1.4 Recarga (VFI)
Quando a rede eléctrica comercial
em CA é restabelecida, mesmo no
caso de as baterias estarem completamente descarregadas, o rectificador recomeça a funcionar automaticamente (arranque), assumindo
gradualmente a alimentação do inversor e do carregador de baterias.
Esta função é totalmente automática e não causará interrupções na
carga crítica.
8.1.1 Normal (VFI)
O inversor da UPS alimenta de modo
contínuo a carga crítica de CA.
O rectificador recebe energia da rede
eléctrica comercial em CA e converte-a em CC para o inversor e o carregador de baterias. O carregador de baterias mantém a bateria totalmente
carregada e em condições ideais de
funcionamento. O inversor converte a
alimentação CC em CA limpa e estabilizada, que é fornecida à carga crítica
(linha condicionada) e é sincronizada com a frequência de alimentação
de bypass. Isto garante que qualquer
transferência automática para a ali16
8.1.2 Sobrecarga (VFI)
Em caso de sobrecarga de um inversor, paragem manual ou falha, o comutador estático transfere automaticamente a carga crítica para a linha
do bypass sem interrupção.
8.1.3 Emergência (VFI)
Em caso de falha ou quebra da rede
comercial de corrente alternada CA
(consulte o Capítulo 12), o inversor
alimenta a carga crítica a partir da
bateria associada mediante o respectivo amplificador.
Não haverá interrupção da carga crítica em caso de falha, redução ou recuperação da rede eléctrica comercial de CA. Durante a alimentação
da UPS pelas baterias, são facultadas
indicações do tempo de autonomia
real remanescente, bem como da
duração da falha da rede de alimentação eléctrica.
8.2 Modo de Máxima
Economia de Energia (VFD)
Este modo de funcionamento permite poupanças de energia significativas ao aumentar a eficiência global
de CA/CA da UPS, até 99%.
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
8.2.1 Normal (VFD)
O modo de funcionamento normal
depende da qualidade da rede de alimentação no passado recente e das
características eléctricas da carga. Se
neste período de tempo, a qualidade da linha ficar dentro de parâmetros de tolerância admitidos, a linha
directa fornecerá uma alimentação
contínua para a carga crítica em corrente alternada através da interface
de alimentação. O controlo do inversor com IGBT vai permanecer em
constante sincronização com a linha
directa sem conduzir o IGBT. Isto garante que a carga possa ser transferida para a linha condicionada, sem
qualquer quebra no fornecimento,
nos casos em que haja um desvio dos
níveis de tolerância seleccionados
para a potência de entrada. Se a percentagem de falhas da linha directa
exceder os parâmetros admitidos, o
sistema Trinergy™passa a alimentar a
carga a partir da linha condicionada.
O carregador de baterias fornece
a energia necessária para manter a
bateria com carga máxima.
8.2.2 Transferência para
Emergência VFI (devido a uma
falha de alimentação da rede ou
a uma variação para além dos
limites de tolerância)
Se o sistema Trinergy™ estiver a alimentar a carga através da linha directa e a alimentação principal de
bypass exceder os valores de tolerância admitidos (os quais podem
ser ajustáveis através do software),
a carga é transferida da linha directa
para a linha condicionada. A carga é
alimentada a partir da rede através
do rectificador e do inversor (desde
que a alimentação de entrada permaneça dentro dos limites de tolerância apresentados no Capítulo 12).
Se a rede de alimentação de entra-
da descer abaixo do limite mínimo,
serão utilizadas as baterias para alimentar a carga através do inversor.
8.2.3 Regresso a VFD
Quando a alimentação da rede volta
a estar dentro dos valores de tolerância, o sistema Trinergy™ continua a alimentar a carga através da
linha condicionada durante um período de tempo dependente da percentagem de falhas da linha directa
(a linha condicionada é alimentada a partir da rede e não da bateria). Quando a linha directa estiver
estabilizada, o sistema Trinergy™
regressa ao funcionamento normal.
O carregador começa a recarregar a
bateria automaticamente, de forma
a garantir a máxima autonomia no
tempo mais curto possível.
8.3 Modo de Elevada
Eficiência e Condicionamento
Energético (VI)
Este modo de funcionamento permite poupanças de energia signifi-
cativas ao funcionar com uma eficiência normal entre 97% e 98,5%
fornecendo ao mesmo tempo condicionamento da alimentação à carga.
8.3.1 Normal (VI)
O modo de funcionamento normal
depende da qualidade da rede de alimentação no passado recente e das
características eléctricas da carga.
Se a qualidade da linha permanece
dentro dos parâmetros de tolerância
admitidos e a carga necessita de
condicionamento da alimentação,
(THDi, THDv, PF) a interface de
alimentação alimenta continuamente
a carga crítica de CA enquanto o
inversor funciona como um filtro
activo série ou paralelo. O inversor
com IGBT é capaz de compensar
o factor de potência da carga, a
distorção harmónica da corrente
e a distorção harmónica da tensão
garantindo um condicionamento
óptimo da alimentação da carga
mantendo, ao mesmo tempo, o mais
elevado nível de eficiência.
95 - 99% de eficiência até 20% da carga
Eficiência máx.
%
Eficiência mín.
%
Carga
Figura 11. Valores de eficácia da Trinergy™ com utilização de redundância circular.
17
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
9 Interfaces de monitorização e controlo
8.3.2 Transferência para
Emergência VFI (devido a uma
falha de alimentação da rede ou
a uma variação para além dos
limites de tolerância)
Se a alimentação da rede de bypass
variar para além dos limites de
tolerância (ajustáveis utilizando
o software) isso não pode ser
compensado através do filtro activo
e a carga é transferida da linha
directa para a linha condicionada.
A carga é alimentada a partir da
rede através do rectificador e do
inversor (desde que a alimentação
de entrada permaneça dentro dos
limites de tolerância apresentados
no Capítulo 12). Se a rede de
alimentação de entrada descer
abaixo do limite mínimo, serão
utilizadas as baterias para alimentar
a carga através do inversor.
8.3.3 Regresso a VI
Quando a alimentação da rede
volta a estar dentro dos valores de
tolerância, o sistema Trinergy™
continua a alimentar a carga
através da linha condicionada
durante um período de tempo
dependente da percentagem de
falhas da linha directa (a linha
condicionada é alimentada a partir
da rede e não da bateria). Quando
a linha directa estiver estabilizada,
o sistema Trinergy™ regressa
ao funcionamento normal VI. O
carregador começa a recarregar a
bateria automaticamente, de forma
a garantir a máxima autonomia
no tempo mais curto possível.
Para mais informações sobre o
accionamento das três modalidades
diferentes de funcionamento,
consulte a nota de especificação
dos modos de funcionamento do
sistema Trinergy™.
9.1 Informações gerais
A UPS incorpora sistemas de controlo, instrumentos e indicadores necessários para permitir ao operador
monitorizar o estado e o rendimento do sistema, assim como tomar todas as medidas apropriadas.
Além disso, estão disponíveis interfaces que permitem uma monitorização e um controlo mais extensos,
em adição às funções de serviço.
9.2 Ecrã Táctil LCD
A UPS Trinergy™ dispõe de um ecrã
táctil LCD que permite uma interacção fácil com a UPS. É proporcionado um elevado nível de segurança
aos utilizadores e técnicos assistentes através de dois níveis distintos de
acesso privilegiado com palavra-passe. Funcionamento inteligente
•Monitoriza os limites definidos
pelo utilizador para a potência da
carga e desequilíbrio de fase
•Regista o histórico de dados e
eventos relativos à potência,
carga, bateria e outras condições
do sistema
•Prontidão geral do sistema e
dos NÚCLEOS, com indicadores
informativos, de aviso e de estado
crítico.
•Alertas de nível de NÚCLEO para
todos os principais sub-sistemas
incluindo rectificador, inversor,
baterias, interruptor estático e
bypass.
•Estado do percurso de potência
através de visor mímico de linha
única.
•Tensões e potência do sistema entrada, saída e bypass, todas as
fases.
•Indicador de carga vs. capacidade.
• Indicador de equilíbrio de fase da
carga.
•Termóstato do sistema.
18
• Indicador de carga da bateria.
•Registo do histórico de assistência.
Um diagrama monofásico da UPS é
exibido continuamente na página
predefinida. Os principais blocos funcionais e os percursos de potência
da UPS são apresentados utilizando
símbolos técnicos universais simples,
que permitem comunicar instantaneamente o estado geral da UPS.
O mesmo visor exibe constantemente a medida em percentagem da carga de saída em painéis (um para cada
fase de saída). Se a UPS não estiver
no modo de funcionamento normal,
é possível entrar na página de resumo de "Avisos e Alarmes" directamente a partir da página predefinida.
Os avisos e alarmes são identificados
por linhas de texto e códigos. No funcionamento por bateria, o visor alterna entre códigos de aviso e o tempo
estimado de alimentação auxiliar que
é exibido em minutos.
Após 30 segundos de inactividade
(ou seja, nenhum contacto com o
ecrã/botões) o visor regressa à página de protecção de ecrã que apresenta o estado da UPS (Normal, Aviso, Alarme).
O texto apresentado no ecrã táctil
está disponível em 15 idiomas:
inglês, italiano, francês, alemão, espanhol, português, turco, polaco,
sueco, norueguês, finlandês, checo,
russo, árabe, chinês, todos seleccionáveis pelo utilizador.
Para mais informações, consultar o
Manual do Utilizador.
9.3 Arranque e Paragem do
inversor
Os botões de Arranque (start) e
Paragem (stop) do inversor estão
integrados no monitor de ecrã táctil.
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
O controlo incorpora uma característica de segurança para impedir
operações involuntárias e ainda permitir uma paragem rápida no caso
de ocorrência de uma condição de
emergência.
9.4 Interface
9.4.1 Interface de Ethernet RJ45 (X9)
O sistema Trinergy™ está equipado
com uma interface de Ethernet RJ45.
Esta interface é uma interface Ether-
net RJ45 integral/parcial dupla de
autonegociação 10/100 MBit para
comunicação LAN com o software
de serviço PPVis. Permite a configuração dos parâmetros da UPS durante a colocação em funcionamento e
a manutenção.
TCP/IP. O adaptador permite:
•A monitorização da UPS a partir de
NMS mediante SNMP
•A monitorização da UPS a partir de
PC mediante browser da Web
•O envio de mensagens de correio
electrónico em caso de eventos.
9.4.2 Monitorização remota LAN /
SNMP / MODBUS RTU / JBUS
O monitor de ecrã táctil garante a
monitorização e controlo da UPS
ligada em rede através do protocolo
Também permite aos utilizadores
personalizar a gestão da
alimentação em rede ao simplificar
a integração dos sistemas UPS
com Sistemas de Monitorização de
Figura 12. Ecrã Táctil LCD.
19
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
Edifícios e de Automação através
dos protocolos MODBUS RTU,
MODBUS/TCP ou JBUS.
9.4.3 Porta de serviço RS232 (X3)
A UPS Trinergy™ está equipada
com um conector fêmea tipo D de
9 pinos para a comunicação série
RS232.
9.4.4 LIFE™.net (X6)
A Interface de serviço é um
conector macho SUB-D de 9 pinos
para a comunicação série RS232.
A UPS Trinergy™ inclui uma ligação
XS6 para a ranhura do modem
LIFE™.net. Se este modem de
ranhura não está instalado, esta
porta pode ser utilizada para um kit
externo do LIFE™.net (por exemplo,
LIFE™ over IP, GSM).
9.4.5 Compartimento de ranhura
de memória (XS3 & XS6)
A UPS Trinergy está equipada com
dois compartimentos de ranhura
disponíveis para as opções da placa
de comunicação. Uma das ranhuras
(XS6) está disponível para o modem
de ranhura LIFE™.net A outra
ranhura (XS3) está disponível para
opções de conectividade, tais como
o adaptador ManageUPS NET III.
Para obter mais informações sobre
as placas de expansão de ranhura
disponíveis, consulte as Soluções de
Conectividade.
9.5 Conector de parafuso de
2*16 pólos para contactos de
entrada e saída (TB1)
Este conector de parafuso de 2*16
pólos permite a ligação de: seis
contactos de saída individuais
configuráveis e quatro contactos de
entrada individuais configuráveis
que podem ser programados por
PPVis (ferramenta de software de
serviço) para uma vasta gama de
funções. Esta interface é isolada
por SELV [Tensão de Segurança
Extra-Baixa] dos circuitos principais
da UPS. A tensão e corrente nos
contactos de saída não devem
exceder os 24V e 1A (para mais
informações, consultar o Manual do
Utilizador).
9.6 LIFE™.net
A fim de aumentar a disponibilidade
global do sistema Trinergy™, estará disponível o kit de comunicação
LIFE™.net, proporcionando a ligação
ao serviço de diagnóstico LIFE™.net.
Contactos (fila inferior do conector):
PINO
Estado
Valor Predefinido
PINO 1 (esquerda)
Normalmente fechado
PINO 2
Normalmente aberto
PINO 3
Normalmente fechado
PINO 4
Normalmente aberto
PINO 5
Normalmente fechado
PINO 6
Normalmente aberto
PINO 7
Normalmente fechado
PINO 8
Normalmente aberto
PINO 9
Comum do PINO 1 ao PINO 8
N/A
PINO 10
N/A
N/A
PINO 11
Normalmente fechado
PINO 12
Normalmente aberto
PINO 13
Comum do PINO 11 ao PINO 12
PINO 14
Normalmente fechado
PINO 15
Normalmente aberto
PINO 16
Comum do PINO 14 ao PINO 15
Alarme de Estado Geral
Bypass Activo
Bateria Fraca
Falha na Alimentação CA
Seleccionável
N/A
Seleccionável
A interface é isolada por SELV dos circuitos principais da UPS.
20
N/A
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
O LIFE™.net permite a monitorização remota da UPS através de ligações IP (ligação à Internet), linhas
telefónicas ou ligação GSM, para garantir a máxima fiabilidade da UPS
durante toda a sua vida útil.
A monitorização é feita 24 horas
por dia, 365 dias por ano, graças
a uma característica única que
permite aos técnicos do cliente com
formação estarem em contacto
electrónico constante com o serviço
de assistência e, consequentemente,
com as UPS. A UPS comunica
automaticamente por telefone com
o serviço de assistência em intervalos
preestabelecidos para fornecer
informações pormenorizadas que
são analisadas na prevenção de
futuros problemas potenciais a curto
prazo. Além disso, a UPS pode ser
controlada à distância.
A transmissão dos dados da UPS
ao Centro de Controlo LIFE™ é
feita através do modem integrado,
respeitando os seguintes intervalos:
•ROTINA: programável para
intervalos de cinco minutos até
dois dias (geralmente, uma vez
por dia)
•EMERGÊNCIA: quando ocorre um
problema ou os parâmetros estão
fora dos limites de tolerância
•MANUAL: após uma solicitação do
centro de controlo
Durante a chamada, o centro de
comando irá:
•Identificar a UPS ligada
•Solicitar os dados armazenados na
memória da UPS desde a última
ligação
•Solicitar à UPS informações em
tempo real (seleccionável)
O serviço de assistência analisa
os dados históricos e emite um
relatório pormenorizado a enviar
ao cliente, informando-o sobre o
estado de funcionamento da UPS e
de quaisquer estados críticos.
O centro LIFE™.net oferece a
possibilidade de activar a opção do
sistema de envio de mensagens SMS
LIFE™, através da qual o cliente pode
receber a notificação via SMS, caso
ocorra um dos seguintes eventos:
•Falha da rede de alimentação
•Restabelecimento da rede de
alimentação
•Falha na linha de bypass
•Carga alimentada pela reserva
Contactos de entrada (fila superior do conector):
PINO
Estado
PINO 1 (esquerda)
Entrada 1 (SAÍDA 24V CC)
PINO 2
Entrada 1 (Sinal de 24V CC)
PINO 3
Entrada 2 (SAÍDA 24V CC)
Valor Predefinido
Seleccionável
Seleccionável
PINO 4
Entrada 2 (Sinal de 24V CC)
PINO 5
Entrada 3 (SAÍDA 24V CC)
PINO 6
Entrada 3 (Sinal de 24V CC)
PINO 7
Entrada 4 (SAÍDA 24V CC)
Seleccionável
Seleccionável
PINO 8
Entrada 4 (Sinal de 24V CC)
PINOS 9-16
N/A
N/A
A interface é isolada por SELV dos circuitos principais da UPS.
21
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
10 Características mecânicas
10.1 Caixa
A UPS está contida num armário
modular de dimensões reduzidas,
munido de portas frontais e painéis
amovíveis (grau de protecção
segundo a norma IP 20). O
armário é fabricado em chapa
de aço electrozincada e possui
um dispositivo de fecho. Estão
disponíveis diferentes graus de
protecção IP mediante pedido.
10.2 Ventilação
O arrefecimento por ar
forçado redundante assegura
o funcionamento de todos os
componentes no intervalo das
respectivas especificações.
O fluxo de ar é controlado em
função da carga solicitada. A UPS
é imediatamente notificada sobre
a situação de falha do ventilador
através das interfaces do utilizador
e através do serviço de assistência
LIFE™.net. O orifício de entrada de
ar de arrefecimento está na parte
dianteira e o de saída de ar na parte
traseira do dispositivo. Por motivo
de ventilação é necessário instalar
o armário com um espaço livre
de pelo menos 500 mm entre o
dispositivo e o tecto do armário.
10.3 Entrada dos cabos
A entrada de cabos está disponível
de série por BAIXO ou por CIMA da
Caixa (Box) I/O central.
10.4 Desenho do armário
Todas as superfícies do armário são
pintadas com resina epóxi aplicada
electrostaticamente. A espessura
mínima da camada de pintura é
de, pelo menos, 60 mícrones. A cor
padrão do armário é RAL 5004.
10.5 Acesso a subconjuntos
integrados
Todos os subconjuntos internos
estão acessíveis a partir da parte
frontal da unidade através de portas
articuladas para uma manutenção
fácil. Não é necessário o acesso à
parte traseira para as operações de
instalação ou de manutenção.
11 Condições ambientais
A UPS é capaz de suportar quaisquer
das combinações de condições
ambientais que se seguem.
O seu funcionamento não provoca
danos mecânicos ou eléctricos,
nem afecta as suas características
operacionais.
11.1 Temperatura ambiente
11.2 Humidade relativa
Até 95% (sem condensação) para
uma temperatura de 20°C.
11.3 Altitude
A altitude máxima sem descarga é
de 1000 metros acima do nível do
mar (para altitudes superiores a UPS
Trinergy™ está em conformidade
com a norma IEC/ EN 62040-3).
0° a 40°C Temperatura diária
máxima (24 h) de 40°C.
22
Figura 13. Caixa (Box) I/O mostrando as barras
de ligação da alimentação.
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
12 Dados técnicos (400 a 1200 kVA)
Unidade de UPS
400
600
800
1000
1200
Entrada primária
Tensão nominal(4)
(V)
400 [trifásica + neutro(1)]
Intervalo de tensão
(V)
250(5) - 460
Tensão mínima sem descarregar as baterias
(V)
250
Frequência nominal
(Hz)
50 (60 seleccionável)
Intervalo da frequência
(Hz)
± 10%
%
≥ 0,99
Factor de potência à carga nominal e condições nominais de entrada(2)
Distorção da corrente de entrada nas condições nominais de entrada(2) e
corrente de entrada máxima(6) (2)
<3
Arranque/Arranque gradual (segundos)
10 (de 1 a 90 seleccionável)
Atraso do rectificador (segundos)
1 (de 1 a 180 seleccionável)
Irrupção de corrente/Imáx. de entrada
≤1
Eficiência CA/CA do rectificador sem corrente de carga em condições
nominais de entrada com carga resistiva:(1) (2)
- Metade da carga ≥
(%)
97,6
97,8
97,8
97,8
97,8
- Carga completa ≥
(%)
97,5
97,7
97,7
97,7
97,7
Ligação à
Intervalo de tensão da bateria admitido
(V)
de 396 a 700
Número de células:
- VRLA
- HÚMIDA
- Níquel/Cádmio
240 - 300
240 - 300
375 - 468
Tensão oscilante para VRLA a 20°C
(V/célula)
2,27
Tensão no fim da célula para VRLA
(V/célula)
1,65
Compensação da tensão de flutuação em função da temperatura para VRLA
-0,11% por °C
Corrente de ondulação CC no modo de flutuação para uma autonomia de
10 min. Conforme à norma VDE0510
<0,05C10
Estabilidade da tensão de flutuação em condições de regime estacionário
%
≤1
Tensão de ondulação CC sem bateria
%
≤1
Temperatura óptima das baterias
(°C)
de 15 a 25
Intervalo de regulação da corrente de recarga da bateria: para 240 células
com tensão de entrada a 400 V e carga nominal (7)
(A)
Intervalo de regulação da corrente de recarga da bateria:
para 264 células com tensão de entrada a 400 V e carga máxima
de saída(7) (FP = 1)
(A)
Alimentação de saída da bateria no modo de descarga com
carga nominal de saída
(kW)
Tensão de fim da bateria para 240 células
(V)
Corrente de fim da bateria para 240 células com
carga nominal de saída
(A)
Eficiência CC/CA no modo de descarga
à carga activa nominal
(%)
23
Até 118
Até 177
Até 236
Até 295
Até 354
Até 40
Até 60
Até 80
Até 100
Até 120
378
567
756
945
1134
2385
2862
396
954
1431
1908
96,2
Trinergy™ Sistemas de UPS de 200 a 1200 kVA
Unidade de UPS
400
600
800
1000
1200
400
600
800
1000
1200
Saída do inversor
Potência nominal aparente à temperatura ambiente de 40°C, FP de
carga indutiva ou capacitiva
(kVA)
Potência nominal aparente de saída à temperatura ambiente de 25°C
(kVA)
440
660
880
1100
1320
Potência activa nominal
(kW)
360
540
720
900
1080
(A)
580
870
1160
1450
1740
400
600
800
1000
1200
Corrente nominal de saída
Potência activa máxima até 100%
da potência nominal aparente(8)
(kW)
Sobrecarga na tensão nominal de saída durante 10 minutos (9)
(%)
Sobrecarga na tensão nominal de saída durante 1 minutos
125
(%)
150
Corrente de curto-circuito durante 10 m/< 5 s
(%)
300/150
(9)
Tensão nominal de saída
(V)
400 (380/415 seleccionável, trifásica + neutro)
Frequência nominal de saída
(Hz)
50 (60 seleccionável)
Estabilidade da tensão em regime estacionário para
variações de entrada (CA e CC) e mudança de carga (de 0 a 100%)
(%)
±1
Estabilidade da tensão em regime dinâmico para variações de entrada (CA e CC) e mudança de carga (de 0 a 100% e vice-versa)
(%)
Estabilidade da tensão em regime estacionário para cargas 100%
desequilibradas (0, 0, 100)
(%)
Estabilidade da frequência de saída
- sincronizada com a rede de bypass
- sincronizada com o relógio interno
(%)
(%)
±1 (2, 3, 4 seleccionável)
±0,1
Velocidade de variação da frequência
(Hz/s)
<1
Em conformidade com a norma IEC/EN 62040-3, Classe 1
±3
Distorção da tensão de saída com carga 100% linear
(%)
<1
Distorção da tensão de saída em relação a cargas não lineares
conforme à norma IEC/EN 62040-3
(%)
<3
Factor de crista da carga manuseado sem redução dos valores
especificados da UPS
(Ipk/Irms)
3:1
Precisão do ângulo de fase com cargas equilibradas
(graus)
1
Precisão do ângulo de fase com cargas 100% desequilibradas
(graus)
<3
Dimensionamento do condutor de neutro
1,5 x corrente nominal
Adaptação da potência nominal de saída em função da temperatura
ambiente:
- a 25°C
(%)
110
- a 30°C
(%)
105
- a 40°C
(%)
100
24
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
Unidade de UPS
400
600
800
1000
1200
Bypass estático
Tensão nominal de bypass
(V)
400 (380/415 seleccionável, trifásica + neutro)
Tolerância de tensão do bypass
10% (de 5 a 15% seleccionável)
Frequência nominal
(Hz)
50/60 (seleccionável)
Intervalo da frequência
(%)
±1 (2, 3, 4 seleccionável)
(%)
±10
- durante 10 minutos
(%)
125
- durante 1 minuto
(%)
150
- durante 600 milissegundos
(%)
700
(%)
1000
Intervalo de tensão
Capacidade máxima de sobrecarga
(9)
- durante 100 milissegundos
SCR(10)
I2t @
Tvj=125°C
8,3-10 ms
ITSM a
Tvj=125°C
10 ms
Valor nominal do fusível do inversor
I2t
1280kA2s
2.880kA2s
5.120kA2s
8.000kA2s
11.520kA2s
14kA
20kA
26kA
30kA
34kA
268kA2s
603kA2s
1.072kA2s
1.676kA2s
2.412kA2s
Tempo de transferência com inversor sincronizado para bypass:
- Do inversor para o bypass
(ms)
sem interrupção
- Do bypass para o inversor
(ms)
sem interrupção
Tempo de espera da transferência predefinido (do inversor para
o bypass) com o inversor não sincronizado com o bypass
(ms)
<20
Características do sistema
Eficiência CA/CA do modo VFI (11) em condições nominais de entrada(1) com carga resistiva:
- carga a 25%
(%)
95,2
95,2
95,2
95,2
95,2
- carga a 50%
(%)
95,6
95,6
95,6
95,6
95,6
- carga a 75%
(%)
95,7
95,7
95,7
95,7
95,7
- carga a 100%
(%)
95,5
95,5
95,5
95,5
95,5
Eficiência em modo VI
(%)
até 98,5%
Eficiência em modo VFD
(%)
99
Dissipação de calor em condições nominais de entrada
e carga de saída máx.:
Modo flutuação
Modo de recarga
(kW)
21
31,5
42
52,5
63
(Btu/h)
65961
98942
131922
164903
197883
(kW)
24,2
36,3
48,4
60,5
72,6
(Btu/h)
76012
114018
152024
190031
228037
25
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
Unidade de UPS
400
600
800
1000
1200
71
73
74
75
76
Características do sistema
Nível de ruído a 1 metro segundo a norma ISO 3746
(dBA ± 2dBA)
Grau de protecção com as portas abertas
IP20 (grau superior de protecção disponível mediante pedido)
Dimensões:
- Altura
(mm)
1780
- Largura
(mm)
- Profundidade
(mm)
860
Cor da estrutura
(escala RAL)
5004
Peso
(kg)
1800
1365
2775
2130
Entrada dos cabos
3450
2750
4450
5125
3520
4155
Por cima/Por baixo
Acesso
Frente e topo
Arrefecimento
Ventilação forçada com redundância
(m3/h)
3540
5310
7080
8850
10620
Características ambientais
Temperatura de funcionamento(3)
(°C)
0 - 40
Humidade relativa máxima a 20°C (sem condensação)
(%)
até 95
Altitude máx. acima do nível do mar sem redução dos valores
específicos
(m)
1000 (para altitudes superiores em conformidade com a norma IEC/EN 62040-3)
Imunidade a interferências eléctricas
Norma IEC/EN 62040-2
CLASSE CEM
Norma IEC/EN 62040-2 Classe C3
1)
2) 3) 4) Para obter os valores de tolerâncias, consulte a norma IEC/EN 60146-1 ou DIN VDE 0558. Os dados referem-se a uma temperatura ambiente de 25°C.
Com tensão e frequência nominais.
Temperatura ambiente média diária recomendada entre os 35°C e os 40°C (máxima) durante 8 horas, conforme exigido pela norma 62040.
Em caso de configuração com entrada separada, a entrada primária e a entrada do bypass devem possuir uma ligação com neutro comum. O condutor de neutro deve
estar ligado apenas ao bypass ou à rede de alimentação primária, mas deve estar presente (os neutros do bypass e da rede primária estão ligados dentro da UPS).
5) Relativa a 70% da carga nominal.
6) Com tensão de entrada ao valor nominal e distorção da tensão de THD a 1%.
7) Em caso de bateria separada, o valor da corrente de recarga é obtido ao dividir os valores na tabela entre o número de NÚCLEOS.
8) Cargas de potência nominal aparente com FP inferior a 0,9 podem ser alimentadas com limites de margem para outras performances. Contacte a equipa de apoio
técnico para mais informações.
9) Em caso de níveis diferentes de sobrecarga, consulte a curva específica da sobrecarga.
10) A presença de um indutor no bloco de interface de potência limita a corrente de curto-circuito para o comutador do bypass estático da UPS. A corrente de curto circuito
máxima admissível do sistema é limitada pelos valores nominais do tiristor ITSM. Para mais informações, contacte a assistência técnica da Emerson Network Power.
11) Eficiência relativa ao modo VFI com redundância circular
Condições gerais da tabela de Dados Técnicos:
As características apresentadas são as normais e não podem ser definidas de outra forma. Além disso, os dados referem-se a 25 °C, se não for especificado de modo diferente.
Nem todas as características apresentadas se aplicam em simultâneo, pelo que podem ser alteradas sem aviso prévio.
Os dados aplicam-se à versão padrão, se não for especificado de outra forma.
Se forem adicionadas opções descritas no Capítulo 13, os dados apresentados na tabela de Dados Técnicos poderão variar. Para condições de ensaio e tolerâncias de
medição não especificadas na tabela, consulte o procedimento de Testemunho de Relatório de Ensaio.
26
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
13 Opções
13.1 Transformador de
isolamento
A UPS Trinergy™ pode ser
personalizada para proporcionar
isolamento galvânico total para
requisitos específicos de carga ao
adicionar um transformador externo
de isolamento.
Para mais informações, contacte a
equipa de assistência técnica.
Estas opções oferecem as seguintes
vantagens:
•Isolamento galvânico total para
aplicações médicas e aplicações
"mais críticas"
•Instalação com duas fontes
de alimentação de entrada
independentes com vários neutros
•Instalação em distribuição
eléctrica sem neutro
•Adaptação da tensão
13.2 Kit de ligação nuclear
Para adicionar um NÚCLEO à
actual configuração, é necessário
dimensionar a barra de cobre
existente na parte traseira da
unidade que liga a entrada, saída
e o bypass do NÚCLEO à Caixa
(Box) I/O central. Encontram-se
disponíveis seis kits diferentes de
ligação adaptados ao(s) NÚCLEO(S)
instalado(s).
13.3 Configurações em
paralelo
O sistema Trinergy™ permite
a ligação de até oito unidades
em paralelo, sem necessidade
de uma placa paralela adicional,
proporcionando máxima fiabilidade
e flexibilidade. Uma unidade
individual pode ser adaptada para
uma paralela qualquer altura,
através de um cabo paralelo
utilizado para a comunicação entre
as UPS ligadas em paralelo.
É necessário um kit de cabo paralelo
para cada unidade a colocar em
paralelo.
13.4 Mostrador remoto
Está disponível um painel remoto de
alarmes para apresentar mensagens
importantes de UPS individuais. É
possível mostrar até oito sistemas
de UPS, mediante solicitação.
13.5 Módulos de gestão da
bateria (apenas mediante
solicitação)
Ligando os módulos de medição
aos blocos de baterias, é possível
melhorar a gestão de baterias com
as seguintes vantagens:
•Medição das condições de cada
bloco de baterias através de
módulos de medição separados
(BMM).
•Análise de cada bloco de baterias
com medição dos valores mínimos
e e máximos de tensão.
13.6 Filtros anti-poeiras
Esta opção permite aumentar o
grau de protecção da entrada do
ar de IP20 a IP40 para aplicações
específicas, tais como em ambientes
com muita poeira. O filtro deve ser
instalado no armário da UPS (IP20).
13.7 FUSÍVEL de bypass
interno
Cada um dos NÚCLEOS pode ser
equipado (a pedido) com fusíveis
internos no percurso de bypass
estático. Isto garante que a falha de
um interruptor estático individual
num dos NÚCLEOS (por ex., curtocircuito) não irá afectar quaisquer
dos NÚCLEOS, aumentando assim a
fiabilidade do sistema.
27
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
Anexo: Planeamento e Instalação
Local de instalação
Prestar atenção às seguintes condições quando escolher um local de
instalação:
•Esta UPS só pode ser instalada dentro de áreas de trabalho fechadas. Se
a área tiver qualquer equipamento que contenha mais de 25 litros de
fluidos inflamáveis, (consultar a norma HD 384.4.42 S1 A2, capítulo 42
(correspondente à norma DIN VDE 0100, Parte 420), deve garantir-se que os
fluidos inflamáveis e/ou produtos comburentes não se propaguem no local
de instalação.
•A temperatura ambiente deve estar compreendida entre 0°C e +40°C para o
sistema de UPS. O funcionamento contínuo a temperaturas até um máximo
de +50°C, reduz a carga máxima em 12% da carga nominal por cada 5°C.
•A temperatura ambiente deve estar compreendida entre +15°C e +25°C nos
armários das baterias.
•Deve assegurar-se uma refrigeração suficiente do local de instalação de
maneira a que a temperatura ambiente permaneça dentro dos limites
estabelecidos. Os valores nominais da emissão de calor da UPS estão
indicados nas tabelas de Dados Técnicos. Deve assegurar-se uma ventilação
suficiente para o tipo de baterias utilizadas na UPS.
•Quando a UPS Trinergy™ funcionar a uma altitude superior a 1000 m
a.n.m., a carga deve ser reduzida em conformidade (consultar o Manual do
Utilizador). Se a temperatura ambiente permanecer inferior a +30°C, não é
necessário reduzir a carga para altitudes até 2000 m.
• Verificar se a capacidade de carga do pavimento é suficiente para suportar o
peso da UPS e das baterias. O pavimento deve ser plano e nivelado.
Evitar condições ambientais danosas, tais como:
•Vibrações, pó, atmosferas corrosivas e humidade elevada.
Respeitar as seguintes distâncias mínima:
• 500 mm entre o topo do armário e o tecto.
• Não é solicitada nenhuma distância das paredes, a não ser que os cabos
sejam encaminhados por cima: neste caso, a distância das paredes deve ser,
pelo menos, igual ao raio de encurvamento dos cabos utilizados. A distância
entre as partes de cobertura e o pavimento é de 150 mm.
•Não há limites de espaço em ambos os lados do dispositivo.
28
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
Notas
29
Trinergy™ Sistemas UPS de 200 a 1200 kVA
Notas
30
Trinergy™ Sistema de UPS de 200 a 1200 kVA
Notas
31
Garantir a disponibilidade elevada
de dados e aplicações críticos para a missão.
Sobre a Emerson Network Power
A Emerson Network Power, uma empresa da Emerson (NYSE:EMR),
protege e optimiza infra-estruturas críticas para centros de dados,
redes de comunicações, instalações de saúdes e industriais.
A empresa fornece soluções inovadoras, bem como experiência
especializada estabelecida e inovação inteligente em áreas, tais como,
alimentação CA e CC, energia renovável, sistemas de arrefecimento
de precisão, gestão de infra-estruturas, energia e computação
incorporada, caixas e bastidores integrados, comutação e controlos
de energia, bem como conectividade. As nossas soluções são
apoiadas a nível mundial pelos técnicos de assistência locais da
Emerson Network Power.
Obtenha mais informações acerca dos serviços e produtos da
Emerson Network Power em www.EmersonNetworkPower.eu
Locais
Emerson Network Power
Via Leonardo Da Vinci 16/18
Zona Industriale Tognana
35028 Piove di Sacco (PD) Itália
Tel.: +39 049 9719 111
Fax: +39 049 5841 257
Via Fornace, 30
40023 Castel Guelfo (BO) Itália
Tel.: +39 0542 632 111
Fax: +39 0542 632 120
[email protected]
Portugal
Beloura Office Park
Edifício 13, Piso 0 - 8
Quinta da Beloura
2710-693 Sintra
Tel.: +351 219 236 500
Fax: +351 219 241 613
[email protected]
Estados Unidos
1050 Dearborn Drive
P.O. Box 29186
Columbus, OH 43229
Tel.: +1 614 8880246
Se bem que tenham sido tomadas todas as precauções para assegurar a exactidão e
integralidade deste documento, a Emerson Network Power e/ou as empresas suas afiliadas não
fazem nenhuma declaração nem oferecem qualquer garantia acerca da exactidão, fiabilidade,
integralidade ou actualidade dos materiais e declinam qualquer responsabilidade por danos
resultantes da utilização destas informações ou resultantes de erros ou omissões.
©2012 Emerson Network Power. Todos os direitos reservados.
As especificações estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.
MKA4CAT0PTTRIN Rev. 5-09/2012
Ásia
7/F, Dah Sing Financial Centre
108 Gloucester Road, Wanchai
Hong Kong
Tel.: +852 2572220
Fax: +852 28029250
Emerson Network Power
The global leader in enabling Business-Critical Continuity™.
EmersonNetworkPower.com
AC Power
Embedded Computing
Outside Plant
Racks & Integrated Cabinets
Connectivity
Embedded Power
Power Switching & Controls
Services
DC Power
Infrastructure Management & Monitoring
Precision Cooling
Surge Protection
Emerson, Business-Critical Continuity e Emerson Network Power são marcas comerciais da Emerson Electric Co. ou de uma das suas empresas afiliadas. ©2012 Emerson Electric Co.
Was this manual useful for you? yes no
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the work of artificial intelligence, which forms the content of this project

Download PDF

advertisement