RELATÓRI O PA RA A SOCIE DAD E ANGLO AMERICAN BR ASIL - 2 0 0 7 - CR ESCENDO DE MANEIR A SUST E NT ÁV E L
O Relatório para a Sociedade da Anglo American Brasil 2008 compreende as operações de níquel, nióbio e
fosfatados do grupo Anglo American PLC no país. Publicado anualmente, o documento contém ainda dados
da unidade de Exploração e do Projeto Barro Alto. Os negócios associados ao minério de ferro apresentam
gestão independente, realizada pela Anglo Ferrous Brazil e, portanto, não são objeto deste relatório.
O processo de definição do conteúdo e da estrutura deste relatório seguiu os parâmetros do relatório do
ano passado. Adicionalmente, foram levantadas informações sobre temas materiais das consultas SEAT
(sigla em inglês para Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica). Todas as questões identificadas foram elencadas e priorizadas, segundo a importância dos impactos (ambientais, econômicos e sociais), em relação à influência que elas exercem na avaliação e na decisão das partes interessadas.
O desenvolvimento do relatório abrange todas as áreas de gestão e operacionais da companhia. Os temas
considerados materiais abordados no relatório foram fruto de oficinas e entrevistas com interlocutores das
partes interessadas, como clientes, fornecedores, empregados e comunidades do entorno das plantas, além
de terem sido consideradas as expectativas sociais e setoriais mais amplas. Além disso, foram selecionadas
questões colocadas por canais diretos de comunicação da empresa como o "Fale Conosco" e "Fórum Intercâmbio", e a repercussão de temas na imprensa, entre outros. Para o relatório dos resultados de 2008,
feito a partir da consulta pública às comunidades em função da aplicação da segunda versão do SEAT (ver
página 26), foi incluída uma pergunta referente aos temas que deveriam ser destaques. Com base nas discussões, fez-se a análise de temas e de prioridades para a elaboração de uma matriz de materialidade. O
processo possibilitou a identificação das questões materiais.
Os temas foram priorizados considerando-se seu impacto e sua importância para as partes interessadas.
Entre os temas em destaque estão o desenvolvimento da obra em Barro Alto (GO), os impactos em empregos e na renda das regiões, os projetos relacionados às comunidades (PEC − Plano de Envolvimento com a
Comunidade), os planos de investimentos no Brasil, os incentivos a compras locais, as preocupações a respeito do eventual encerramento das operações em Niquelândia (GO), a falta de políticas com enfoque nas
zonas rurais dos municípios em que atuamos, desempenho ambiental, em saúde e segurança, eficiência
energética e desempenho econômico, especialmente no que se refere ao cenário de crise e de investimentos.
2008
RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE ANGLO AMERICAN BRASIL
ANGLO AMERICAN BRASIL
Av. Paulista, 2300 - 10º andar
01310 -300 - Sã o Paulo - SP - Brasil
Fone: 11 2125 7555
www.angloamerican.com.br
O Relatório de Sustentabilidade abordou com, indicadores integrais, a forma de
gestão e do total das questões materiais identificadas, 69% foram consideradas
prioritárias. Dessas, 72% foram respondidas integralmente e 19% foram respondidas
parcialmente. 59% das questões não prioritárias foram respondidas.
Todas as questões materiais são abordadas ao longo deste documento por meio dos
relatos sobre como a Anglo American Brasil faz a gestão da Sustentabilidade e qual o
desempenho obtido por ela em 2008. O relatório é estruturado segundo as diretrizes
da Global Reporting Initiative versão 3, ampliando os indicadores reportados em relação ao ano anterior, considerando o nível de aplicação A+ da GRI.
Dúvidas, sugestões e críticas podem ser
encaminhadas pelo email:
faleconosco@angloamerican.com.br.
Mais informações estão disponíveis no
site www.angloamerican.com.br.
Endereço para correspondência: Av.
Paulista, 2.300 − 10° andar – CEP
01310-300 – São Paulo/SP (A/C Departamento de Desenvolvimento Sustentável)
Os públicos-alvo deste relatório são os empregados e contratados, as comunidades
envolvidas e a sociedade em geral. Ao selecionar e relatar informações e indicadores
de desempenho, foram adotados e testados todos os princípios de conteúdo e de
qualidade. Nem todos os temas relevantes são abordados a partir de indicadores de
desempenho GRI, pois a empresa encontra-se em processo de aprimoramento de suas
ferramentas para sistemas internos a fim de obter alinhamento às diretrizes.
Esta edição apresenta o total de 77 indicadores GRI completos, sendo 8 econômicos,
21 ambientais, 33 sociais e 14 do suplemento de mineração, já na versão em discussão de 2009. Também apresentamos indicadores em continuidade aos relatórios
de 2006 e 2007, além de dados parciais de mais 10 indicadores GRI. Informações
específicas sobre todos os indicadores podem ser visualizadas no "Sumário GRI" ao
fim deste relatório.
Este documento foi submetido a asseguração externa, em português, realizada pela
PricewaterhouseCoopers.
RELATÓRI O PA RA A SOCIE DAD E ANGLO AMERICAN BR ASIL - 2 0 0 7 - CR ESCENDO DE MANEIR A SUST E NT ÁV E L
O Relatório para a Sociedade da Anglo American Brasil 2008 compreende as operações de níquel, nióbio e
fosfatados do grupo Anglo American PLC no país. Publicado anualmente, o documento contém ainda dados
da unidade de Exploração e do Projeto Barro Alto. Os negócios associados ao minério de ferro apresentam
gestão independente, realizada pela Anglo Ferrous Brazil e, portanto, não são objeto deste relatório.
O processo de definição do conteúdo e da estrutura deste relatório seguiu os parâmetros do relatório do
ano passado. Adicionalmente, foram levantadas informações sobre temas materiais das consultas SEAT
(sigla em inglês para Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica). Todas as questões identificadas foram elencadas e priorizadas, segundo a importância dos impactos (ambientais, econômicos e sociais), em relação à influência que elas exercem na avaliação e na decisão das partes interessadas.
O desenvolvimento do relatório abrange todas as áreas de gestão e operacionais da companhia. Os temas
considerados materiais abordados no relatório foram fruto de oficinas e entrevistas com interlocutores das
partes interessadas, como clientes, fornecedores, empregados e comunidades do entorno das plantas, além
de terem sido consideradas as expectativas sociais e setoriais mais amplas. Além disso, foram selecionadas
questões colocadas por canais diretos de comunicação da empresa como o "Fale Conosco" e "Fórum Intercâmbio", e a repercussão de temas na imprensa, entre outros. Para o relatório dos resultados de 2008,
feito a partir da consulta pública às comunidades em função da aplicação da segunda versão do SEAT (ver
página 26), foi incluída uma pergunta referente aos temas que deveriam ser destaques. Com base nas discussões, fez-se a análise de temas e de prioridades para a elaboração de uma matriz de materialidade. O
processo possibilitou a identificação das questões materiais.
Os temas foram priorizados considerando-se seu impacto e sua importância para as partes interessadas.
Entre os temas em destaque estão o desenvolvimento da obra em Barro Alto (GO), os impactos em empregos e na renda das regiões, os projetos relacionados às comunidades (PEC − Plano de Envolvimento com a
Comunidade), os planos de investimentos no Brasil, os incentivos a compras locais, as preocupações a respeito do eventual encerramento das operações em Niquelândia (GO), a falta de políticas com enfoque nas
zonas rurais dos municípios em que atuamos, desempenho ambiental, em saúde e segurança, eficiência
energética e desempenho econômico, especialmente no que se refere ao cenário de crise e de investimentos.
2008
RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE ANGLO AMERICAN BRASIL
ANGLO AMERICAN BRASIL
Av. Paulista, 2300 - 10º andar
01310 -300 - Sã o Paulo - SP - Brasil
Fone: 11 2125 7555
www.angloamerican.com.br
O Relatório de Sustentabilidade abordou com, indicadores integrais, a forma de
gestão e do total das questões materiais identificadas, 69% foram consideradas
prioritárias. Dessas, 72% foram respondidas integralmente e 19% foram respondidas
parcialmente. 59% das questões não prioritárias foram respondidas.
Todas as questões materiais são abordadas ao longo deste documento por meio dos
relatos sobre como a Anglo American Brasil faz a gestão da Sustentabilidade e qual o
desempenho obtido por ela em 2008. O relatório é estruturado segundo as diretrizes
da Global Reporting Initiative versão 3, ampliando os indicadores reportados em relação ao ano anterior, considerando o nível de aplicação A+ da GRI.
Dúvidas, sugestões e críticas podem ser
encaminhadas pelo email:
faleconosco@angloamerican.com.br.
Mais informações estão disponíveis no
site www.angloamerican.com.br.
Endereço para correspondência: Av.
Paulista, 2.300 − 10° andar – CEP
01310-300 – São Paulo/SP (A/C Departamento de Desenvolvimento Sustentável)
Os públicos-alvo deste relatório são os empregados e contratados, as comunidades
envolvidas e a sociedade em geral. Ao selecionar e relatar informações e indicadores
de desempenho, foram adotados e testados todos os princípios de conteúdo e de
qualidade. Nem todos os temas relevantes são abordados a partir de indicadores de
desempenho GRI, pois a empresa encontra-se em processo de aprimoramento de suas
ferramentas para sistemas internos a fim de obter alinhamento às diretrizes.
Esta edição apresenta o total de 77 indicadores GRI completos, sendo 8 econômicos,
21 ambientais, 33 sociais e 14 do suplemento de mineração, já na versão em discussão de 2009. Também apresentamos indicadores em continuidade aos relatórios
de 2006 e 2007, além de dados parciais de mais 10 indicadores GRI. Informações
específicas sobre todos os indicadores podem ser visualizadas no "Sumário GRI" ao
fim deste relatório.
Este documento foi submetido a asseguração externa, em português, realizada pela
PricewaterhouseCoopers.
R E L A T Ó R I O
P A R A
A
S O C I E D A D E
A N G L O
A M E R I C A N
B R A S I L
INDICADORES DE OIOIOIO
2008
1
OK
OK
Manter campanha de conscientização
"Criar indicadores melhores e mais proativos e
designar uma gerência corporativa específica
para Segurança.
Implantar 70% dos Fatal Risks Standards,
integrar no treinamento de gestão de riscos
de segurança e treinar todas as lideranças em
parceria com Escola Politécnica da USP -
Regras de Ouro
Cultura de Segurança – Liderança Visível e
Percebida (“Visible Felt Leadership”)
Fatal Risks Standards e gestão de riscos de
segurança
OK
OK
Implantar o Anglo Occ Health Way, treinar
auditores do Peer Review e integrar programa
com o de Segurança
Campanhas uniformes e abrangentes; vacinação
de 100% do contingente
Diretrizes Anglo para Saúde Ocupacional
Promoção da saúde
Outras Normas de Gestão
Outras Normas Internacionais
Uso do solo
ISO 17025 - Certificar Cubatão e reformar
Catalão
Em termos
NBR 16001/SA8000 - implementação do
sistema de responsabilidade social para auditoria Em termos
de certificação
OK
Continuar a pesquisa e o programa com a EMBRAPA
Em termos
Atingir 80% no novo protocolo na Codemin; e
em torno de 50% nas demais
OK com exceção do
peer review em catalão
OK
Definir planos de gestão de resíduos conforme
perfil de risco e compromisso legal
Gerenciamento de resíduos
Fechar o plano nas demais operações, treinar
equipe de meio ambiente e fazer Peer Review
interno com o mesmo protocolo.
Em termos
Retomada do projeto MDL e finalização
do inventário GHG
Mudanças Climáticas
Uso de Recursos Naturais
OK
Em termos
Reduzir até 2014 o consumo de água e energia
total em 15% em relação a 2004, e a emissão
de CO2 em 10% em relação ao mesmo ano.
medidos pelo modelo FOOTPRINT
Participação nos GTs de criação dos
Comitês de Bacia
OK
Biodiversidade
Atraso mas Relatório foi GRI nível B+
"SEAT finalizado em 2008;
PEC será validado em 2009”
-
Duas turmas nacionais MDP; treinamento em
Liderança Situacional
-
-
Upgrade adiado para integração dos sistemas
-
“Criada Gerência específica e alto empenho
e investimento no Plano de Melhoria da
Segurança (SIP)”
Reforma em Catalão atrasada; auditoria em
Cubatão - OK
Política e escopo realizados, mas ainda
faltam procedimentos e auditoria
Além deste estudo, tese apoiada pela Anglo
American foi apresentada na França
Preparar laboratórios Catalão e Barro
Alto nos níveis de certificação; e para
Cubatão buscar acreditação pelo
INMETRO
Atingir 50% sistema alinhado com
Anglo Social Way
Integrar gaps aos planos de ação do
sistema de gestão do uso do solo
Reforçar estrutura de Peer Review
e manter equipe treinada; ampliar
parceria com ONGs
Integrar Codemin e Barro Alto, atingindo
mais de 70%; implantar Catalão; aplicar
80% recomendações Cubatão
Auditoria Codemin somente será realizada
em 2009, Catalão ainda não definida, mas
Cubatão obteve 78% do protocolo, pela FFI
Foram realizados apenas monitoramentos
específicos. O Plano de Ação para a Biodiversidade não foi priorizado em Catalão devido
ao maior nível de antropização do entorno.
Uniformizar Gestão de Resíduos perigosos e minerais - conforme
Anglo Environmental Way
Retomada MDL, atualização do
inventário e participação no programa
Brasileiro GHG
Participação ativa no CNRH e órgãos
setoriais
Instalar medidores, usar plataforma
REDUCE, substituir óleo combustível,
motores, adotar medidas de eficiência
energética e ampliar “savings”
Manter certificado; integrar com
Anglo Environmental Way
2009 e Futuros Objetivos
Realizar relatório Nível A+ no primeiro
semestre
Implantar e compartilhar PECs 2009 a
2011
Fortalecer Comunicação Face a Face;
Fortalecer conceito "One Anglo"
Consolidar procedimentos de Planos de
Desenvolvimento Individual
Manter campanhas uniformes e buscar
vacinação de 100% do contingente
Aumentar atendimento ao Anglo
Occupational Health Way
(informar as ações gerais)
Integração do processo de integração
Implementar 90% do programa
TAC e barragens com redução de risco
Indefinições sobre continuidade Kyoto e
consultoria adiaram MDL; GHG OK
Participação ativa; promovido evento
IBRAM/ FIEG/ANA SEMARH
Redução adequada de energia, parte por
redução de produção,mas não de CO2 nem
água; metas não alinhadas
-
Avançar em todas as frentes do SIP
Zero
3 sites com mais de 12 meses sem LTI;
projeto Barro Alto atingiu 8 milhões de horas
sem LTI Barro Alto = ok; total 0,
Incorporada no Anglo American Safety Way
Zero
Upgrade e aumentar atendimento ao
Anglo Safety Way
2009 e Futuros Objetivos
-
Upgrade adiado para integração dos sistemas
Performance em 2008 Justificativas sobre sucesso ou fracasso
Manutenção ISO 14001
Metas Planejadas para 2008
em termos
OBJETIVOS E METAS
Realizar relatório Nível B+ no primeiro semestre
OK
Certificação
Meio Ambiente
Foco
Partes Interessadas / Comunidade
Reaplicar o processo SEAT - versão 2 em todas
as unidades, atualizando o PEC de 2009 a 2011
OK
Unificar identidade visual das plantas e
implantar ações com base na pesquisa
Comunicação
Boa Cidadania e Princípios Empresariais
OK
Ampliar escopo de treinamentos e implementar
programas globais previstos pela plc
Clima Organizacional
Clima Organizacional
Manutenção OK
Manutenção e Upgrade para OHSAS
18001/2007
Parcial
Certificação
Saúde
Em termos
Zero
Acidente com Afastamento (LTI)
OK
Zero
Fatalidades
Manutenção OK
Performance em 2008 Justificativas sobre sucesso ou fracasso
Manutenção e Upgrade para OHSAS
18001/2007
Metas Planejadas para 2008
Certificação
Segurança
Econômico-Financeiras
Foco
OBJETIVOS E METAS
OK
OK
Manter campanha de conscientização
"Criar indicadores melhores e mais proativos e
designar uma gerência corporativa específica
para Segurança.
Implantar 70% dos Fatal Risks Standards,
integrar no treinamento de gestão de riscos
de segurança e treinar todas as lideranças em
parceria com Escola Politécnica da USP -
Regras de Ouro
Cultura de Segurança – Liderança Visível e
Percebida (“Visible Felt Leadership”)
Fatal Risks Standards e gestão de riscos de
segurança
OK
OK
Implantar o Anglo Occ Health Way, treinar
auditores do Peer Review e integrar programa
com o de Segurança
Campanhas uniformes e abrangentes; vacinação
de 100% do contingente
Diretrizes Anglo para Saúde Ocupacional
Promoção da saúde
Outras Normas de Gestão
Outras Normas Internacionais
Uso do solo
ISO 17025 - Certificar Cubatão e reformar
Catalão
Em termos
NBR 16001/SA8000 - implementação do
sistema de responsabilidade social para auditoria Em termos
de certificação
OK
Continuar a pesquisa e o programa com a EMBRAPA
Em termos
Atingir 80% no novo protocolo na Codemin; e
em torno de 50% nas demais
OK com exceção do
peer review em catalão
OK
Definir planos de gestão de resíduos conforme
perfil de risco e compromisso legal
Gerenciamento de resíduos
Fechar o plano nas demais operações, treinar
equipe de meio ambiente e fazer Peer Review
interno com o mesmo protocolo.
Em termos
Retomada do projeto MDL e finalização
do inventário GHG
Mudanças Climáticas
Uso de Recursos Naturais
OK
Em termos
Reduzir até 2014 o consumo de água e energia
total em 15% em relação a 2004, e a emissão
de CO2 em 10% em relação ao mesmo ano.
medidos pelo modelo FOOTPRINT
Participação nos GTs de criação dos
Comitês de Bacia
OK
Biodiversidade
Atraso mas Relatório foi GRI nível B+
"SEAT finalizado em 2008;
PEC será validado em 2009”
-
Duas turmas nacionais MDP; treinamento em
Liderança Situacional
-
-
Upgrade adiado para integração dos sistemas
-
“Criada Gerência específica e alto empenho
e investimento no Plano de Melhoria da
Segurança (SIP)”
Reforma em Catalão atrasada; auditoria em
Cubatão - OK
Política e escopo realizados, mas ainda
faltam procedimentos e auditoria
Além deste estudo, tese apoiada pela Anglo
American foi apresentada na França
Preparar laboratórios Catalão e Barro
Alto nos níveis de certificação; e para
Cubatão buscar acreditação pelo
INMETRO
Atingir 50% sistema alinhado com
Anglo Social Way
Integrar gaps aos planos de ação do
sistema de gestão do uso do solo
Reforçar estrutura de Peer Review
e manter equipe treinada; ampliar
parceria com ONGs
Integrar Codemin e Barro Alto, atingindo
mais de 70%; implantar Catalão; aplicar
80% recomendações Cubatão
Auditoria Codemin somente será realizada
em 2009, Catalão ainda não definida, mas
Cubatão obteve 78% do protocolo, pela FFI
Foram realizados apenas monitoramentos
específicos. O Plano de Ação para a Biodiversidade não foi priorizado em Catalão devido
ao maior nível de antropização do entorno.
Uniformizar Gestão de Resíduos perigosos e minerais - conforme
Anglo Environmental Way
Retomada MDL, atualização do
inventário e participação no programa
Brasileiro GHG
Participação ativa no CNRH e órgãos
setoriais
Instalar medidores, usar plataforma
REDUCE, substituir óleo combustível,
motores, adotar medidas de eficiência
energética e ampliar “savings”
Manter certificado; integrar com
Anglo Environmental Way
2009 e Futuros Objetivos
Realizar relatório Nível A+ no primeiro
semestre
Implantar e compartilhar PECs 2009 a
2011
Fortalecer Comunicação Face a Face;
Fortalecer conceito "One Anglo"
Consolidar procedimentos de Planos de
Desenvolvimento Individual
Manter campanhas uniformes e buscar
vacinação de 100% do contingente
Aumentar atendimento ao Anglo
Occupational Health Way
(informar as ações gerais)
Integração do processo de integração
Implementar 90% do programa
TAC e barragens com redução de risco
Indefinições sobre continuidade Kyoto e
consultoria adiaram MDL; GHG OK
Participação ativa; promovido evento
IBRAM/ FIEG/ANA SEMARH
Redução adequada de energia, parte por
redução de produção,mas não de CO2 nem
água; metas não alinhadas
-
Avançar em todas as frentes do SIP
Zero
3 sites com mais de 12 meses sem LTI;
projeto Barro Alto atingiu 8 milhões de horas
sem LTI Barro Alto = ok; total 0,
Incorporada no Anglo American Safety Way
Zero
Upgrade e aumentar atendimento ao
Anglo Safety Way
2009 e Futuros Objetivos
-
Upgrade adiado para integração dos sistemas
Performance em 2008 Justificativas sobre sucesso ou fracasso
Manutenção ISO 14001
Metas Planejadas para 2008
em termos
OBJETIVOS E METAS
Realizar relatório Nível B+ no primeiro semestre
OK
Certificação
Meio Ambiente
Foco
Partes Interessadas / Comunidade
Reaplicar o processo SEAT - versão 2 em todas
as unidades, atualizando o PEC de 2009 a 2011
OK
Unificar identidade visual das plantas e
implantar ações com base na pesquisa
Comunicação
Boa Cidadania e Princípios Empresariais
OK
Ampliar escopo de treinamentos e implementar
programas globais previstos pela plc
Clima Organizacional
Clima Organizacional
Manutenção OK
Manutenção e Upgrade para OHSAS
18001/2007
Parcial
Certificação
Saúde
Em termos
Zero
Acidente com Afastamento (LTI)
OK
Zero
Fatalidades
Manutenção OK
Performance em 2008 Justificativas sobre sucesso ou fracasso
Manutenção e Upgrade para OHSAS
18001/2007
Metas Planejadas para 2008
Certificação
Segurança
Econômico-Financeiras
Foco
OBJETIVOS E METAS
2
ÍNDICE
04
10
Carta do presidente
Perfil Anglo American
11
Raio X
Anglo American no Mundo
Gestão Integrada Governança 13
14
17
ÍNDICE
18
28
Gente
Fatos e Dados Fornecedores Iniciativas com Resultados Uma só Anglo A Bandeira contra a Aids Segurança e Saúde Ocupacional Direitos Humanos Gestão Social 19
22
24
29
36
38
44
47
58
89
Gestão Ambiental ...... Inventário GEE ...... Energia ...... Água Menos é mais Verde que te quero verde Emissões, efluentes e resíduos 59
62
63
67
69
78
79
Anexos
Relatório de Asseguração Sumário de Conteúdo GRI 90
91
3
4
INDICADORES DE OIOIOIO
Carta do
presidente
INDICADORES DE OIOIOIO
5
“Sertão é isto,
o senhor sabe:
tudo incerto,
tudo certo”
(João Guimarães Rosa, em Grande Sertão, Veredas)
2008, um ano de extremos. O período de bonança foi longo, mas o agravamento do cenário
internacional, a partir do último trimestre, trouxe
insegurança e incertezas para todos os setores, incluindo o nosso. O principal desafio não
era descobrir o que ia acontecer, mas como se
comportar em um período tão conturbado e sem
nenhum dado que apontasse a direção segura.
Além do aumento do preço de matérias-primas
dos nossos processos, outro fator tornou o
encerramento do ano difícil: os clientes passaram a não comprar, utilizando seus estoques
ou negociando prazos de pagamento. Foi diante
desse cenário que a Anglo American mostrou
que planejamento a longo prazo, gestão sustentável e ativos de classe mundial eram as armas
fundamentais para nos manter no jogo.
A velocidade da crise surpreendeu a todos e exigiu que as estratégias de marketing, de vendas
e de negócios fossem reavaliadas. A redução
expressiva nos preços de nossos produtos e na
demanda por níquel, além da restrição do crédito
a agricultores, afetou os negócios da unidade
de Metais Básicos da companhia no Brasil. Fazer
parte de um grupo forte e global como a Anglo
American, porém, nos deu mais capacidade de
enfrentar desafios, pois facilitou nossa entrada
nos mercados consumidores.
Entre as medidas tomadas, adequamos nosso
ritmo às novas condições de mercado. As obras
do Projeto Barro Alto foram atrasadas em 12
meses e os estudos de pré-viabilidade do Projeto Jacaré, adiados em um ano. Investimentos em
expansões das atuais plantas foram suspensos
até 2010, por exemplo, o investimento previsto
para a ampliação da planta de fosfatados em
Catalão (GO), conhecido como Goiás II.
A Anglo American PLC reavaliou seus investimentos em 2009, de forma global, para que o
gasto de capital priorize negócios e projetos que
tenham melhor desempenho em curto prazo,
sem afetar significativamente os projetos que já
estão em estado avançado de desenvolvimento. Os investimentos mundiais programados do
Grupo foram reduzidos em torno de 50%, para
US$ 4,5 bilhões, quantia um pouco inferior à
projetada para o ano de 2008. Além disso, os
gastos em capital stay-in-business (gastos para
manter os ativos existentes, como manutenção
de plantas e equipamentos, entre outros) foram
reduzidos para US$ 1,3 bilhão.
No Brasil, a receita da Anglo American Brasil
Metais Básicos foi de mais de R$ 2 bilhões. Em
níquel, no orçamento elaborado, a produção
em 2008 ficou 8% abaixo do que a de 2007,
devido à manutenção programada dos fornos.
Já em nióbio, apesar da queda de 2%, o lucro
operacional foi 66% superior ao orçamento,
em função de preços médios do metal, 37%
maiores. Mesmo com a crise, a produção de
fosfatados foi 7% maior em 2008, e o lucro
operacional cresceu 163%, um recorde para o
negócio. O encerramento da planta de STPP (ver
Relatório para a Sociedade 2007) resultou no
aumento das vendas de ácido fosfórico, o que
gerou ganho líquido de US$ 30 milhões.
Perfil 1.1
Perfil 1.2
Perfil 2.9
6
CARTA DO PRESIDENTE
Apertando os cintos e reajustando
expectativas
A otimização de recursos, os cortes e os desafios econômicos trazem mais oportunidades do
que perdas quando aplicamos nossa política de
sustentabilidade. A partir de sugestões dos próprios empregados, por meio do programa de Melhoria Contínua, ações administrativas também
foram adotadas. Foram recebidas mais de 200
sugestões; aquelas aprovadas e já implantadas
englobam a redução de viagens internacionais e
nacionais, a opção pelo uso de teleconferência
ou videoconferência, a racionalização do uso de
celulares da companhia e de táxis, a priorização
para realização de eventos nas dependências
das unidades das operações da Anglo American,
entre outras.
Todas as iniciativas anunciadas foram somadas
à revisão orçamentária de todas as operações
brasileiras, incluindo renegociação com os
fornecedores, postergação de atividades de
manutenção, economia de energia, otimização
de logística e reavaliação de consultorias.
A área de Segurança – prioritária, local e globalmente – teve todos os investimentos confirmados, nada foi alterado; e na área Social,
o ajuste é feito como consequência do próprio
desempenho econômico. Parte do lucro é destinada a essas atividades − se o lucro cai, o valor
absoluto investido também cai, mesmo que a
porcentagem seja mantida.
No primeiro trimestre de 2009, a Anglo American PLC anunciou a redução de 19 mil empregados em todo o mundo. O número relativo à An-
glo American Brasil englobou 419 desligamentos
de contratados e 127 empregados diretos, em
um universo de cerca de 4 mil empregados
no Brasil. Do total de demissões globais, esse
número representa menos de 3% do anunciado
pelo Grupo, em Londres. A maior parte já havia
sido desligada nos meses de janeiro e fevereiro
desse ano.
O critério utilizado foi reestruturação de cargos,
necessidade de cada área e aposentadorias. Vale
reforçar que os desligamentos já eram previstos
anteriormente à crise mundial, pois faziam parte
de reajuste do quadro de pessoal em relação ao
orçamento de 2009. O conjunto de medidas, alinhado à estratégia global da matriz, foi adotado
para garantir o melhor posicionamento possível
da empresa no mercado.
Segurança: prioridade sempre!
Em setembro de 2008, iniciamos o treinamento
para Gerenciamento de Riscos por meio de um
convênio com o Departamento de Engenharia
de Minas e Petróleo da Escola Politécnica (PMI/
Poli). Estamos investindo mais de US$ 1,5
milhão na iniciativa, sendo que, até o final de
2010, 400 pessoas de diferentes funções terão
participado do programa.
Em 2008, conseguimos manter recordes em
segurança (período sem acidentes com afastamento) nas plantas de Niquelândia (GO) e
Cubatão (SP), em comparação aos anos anteriores, e no Projeto em Barro Alto, durante a maior
parte do ano. No entanto, não terminamos o
ano com a meta de Zero Lesão, e na unidade de
Catalão houve o aumento da taxa de lesão com
CARTA DO PRESIDENTE
afastamento. Outro aspecto negativo foi que,
em novembro, um grupo de contratados para a
construção da obra em Barro Alto ocasionou um
incêndio na área dos alojamentos. O incidente,
investigado pelas autoridades e que resultou na
prisão de duas pessoas, contou com a mobilização da companhia e o apoio municipal e governamental para alocar os trabalhadores.
Mundo em movimento
Tudo é dinâmico, e com o passar do tempo é
que conseguimos avaliar o benefício da nossa
estratégia em sustentabilidade. Minha primeira
experiência com a comunidade em Barro Alto
foi em 1998, e muita coisa mudou a partir de
então. Durante 2008, pudemos implementar
a nova versão do SEAT (Caixa de Ferramen-
tas para Avaliação Socioeconômica − ver RS
2007) e avaliar o desempenho da companhia,
as necessidades atuais da comunidade e os resultados do PEC 2005-2008 (Plano de Envolvimento com a Comunidade). Os resultados foram
apresentados no primeiro semestre de 2009,
durante os Fóruns Comunitários.
Como resultado da avaliação dos impactos
socioeconômicos e a identificação de oportunidades de desenvolvimento local, a alocação
de verba tem sido direcionada para projetos de
empreendedorismo, capacitação profissional e
melhora do fluxo da economia local. É desta
forma que a comunidade passa a ter controle
do seu próprio destino. Percebemos as pessoas
mais conscientes de sua cidadania, exercendo
seus direitos e seus deveres. Até mesmo a
forma de questionar as atividades da empresa
mudou. Hoje, existe muito mais conhecimento
e consistências nas questões levantadas, em
função do relacionamento mais profundo entre a
empresa e a comunidade.
Avaliamos o cenário para priorizar os projetos
e escolher investimentos sustentáveis. Em uma
época de crise, a tendência também é reduzir
a alocação de verba nova. Para que possamos
atingir nossos objetivos, aproveitamos ao máximo a aprovação de projetos por leis específicas
de renúncia fiscal, como a Lei Rouanet. É a
melhor forma que encontramos de balancear os
investimentos próprios, com as necessidades locais e ainda beneficiar projetos aprovados pelos
órgãos competentes.
Nossas escolhas são fundamentais para que
tenhamos sempre uma espécie de licença social,
concedida pela própria comunidade, para que
possamos trabalhar juntos. Periodicamente reavaliamos o PEC para nos certificarmos do andamento das ações, e estas são sempre validadas
e aprovadas de acordo com a estrutura hierárquica da companhia. Esse nível de aprofundamento social é um processo maduro e que exige
tempo para estar completamente introjetado,
implementado e realizado. Ainda temos desafios
que são superados anualmente.
Com a aprovação do BNDES (Banco Nacional de
Desenvolvimento Econômico e Social) em 2008
para um financiamento ao projeto Barro Alto,
recebemos uma visita da comissão avaliadora
que fez desse trabalho referência para outros
investidores. Podemos dizer, com orgulho, que
somos modelo para o desenvolvimento social,
7
8
CARTA DO PRESIDENTE
mesmo que ainda haja um longo caminho a se
percorrer.
Entre as principais iniciativas estão a presença
do Sesi/Senai (Serviço Social da Indústria/Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), por
meio de parcerias com a Anglo. Aliás, é justamente nas parcerias que esperamos obter os
resultados para o desenvolvimento sustentado
das comunidades. Buscamos inovar na maneira
de realizar nossos projetos de sustentabilidade.
Em 2008, também fechamos uma parceria com
a Care, que iniciou o estudo para implementação
de um projeto de empreendedorismo utilizando
como modelo as microfinanças – incluindo o microcrédito, para a promoção de desenvolvimento
socioeconômico em Barro Alto. Outras parceiras
são com o Instituto Brasil Leitor – para o incentivo à leitura – e com a Fundação Gol de Letra
– para estabelecer um programa de mediação de
conflitos em 2009. Buscamos a aprovação da
comunidade para continuar operando nas regiões
em que atuamos.
Na produção, os fatores que envolvem mudanças climáticas são direcionados à maior
preocupação com controle de emissões e matriz
energética. No caso do ferroníquel, o índice de
emissão de carbono traz menor impacto que
outros processos, pois nossa energia é elétrica
e o cavaco de madeira, utilizado como redutor,
é renovável. Um bom avanço em mineração
sustentável foi o início da operação do Tailings,
que reaproveita nióbio contido nos rejeitos da
produção de fosfatados. Ainda não se atingiu
a produção previamente definida por metas –
aumento de 30% na produção – em função de
ajustes técnicos.
A parceria com a ONG (Organização Não
Governamental) Fauna e Flora International
(FFI) reforçou a estratégia de biodiversidade da
Anglo. Um valioso aspecto desta colaboração é
o envolvimento da entidade no processo de revisão por pares, o que contribuiu com a perspectiva alternativa e independente, na avaliação da
gestão da biodiversidade em nossas operações.
CARTA DO PRESIDENTE
Em 2008, foi realizada a revisão por pares na
Unidade de Cubatão, já utilizando a parceria da
FFI. Para 2009, a ação ocorrerá em Niquelândia
e em Barro Alto.
É gratificante ver que o programa fez com que
todos vibrassem e mostrassem seu comprometimento com a empresa, especialmente no final
do ano.
Também estruturamos, a partir de outubro de
2008, uma nova maneira de efetivar melhorias
e alavancar o valor da companhia. A partir do
conceito de Otimização de Ativos, passamos
a gerar benefícios ao aproveitarmos da melhor
maneira possível os nossos ativos (equipamentos e demais recursos). Na disciplina de Melhoria Contínua, o espírito é o mesmo: analisar
iniciativas operacionais que agreguem valor.
Nesse momento de turbulência no mercado,
nossa meta está em encontrar ideias que se
tornem iniciativas para a redução de custos em
nossos processos e não, necessariamente, o
aumento de produção. Esse é um dos aspectoschave para entender o que queremos de nossos
empregados.
No caso do VBM (Value Based Management −
Gestão Baseada em Valor), todo o contingente
humano foi treinado por meio de agentes de
informação e os trainees iniciaram seus programas, colaborando para o crescimento futuro da
companhia. Em termos de diversidade, conseguimos bons resultados para a cota de portadores
de deficiências nas operações de fosfatados.
Aliás, até a superamos. O desafio agora está
em alcançar o índice nas unidades de Niquelândia, Barro Alto, São Paulo e nióbio, em Ouvidor.
Para 2009, continuaremos com enfoque em
nossas operações e programas de treinamento.
Superar um ano de baixa econômica é algo
que podemos fazer, pois acreditamos na retomada do crescimento e foi bem feita nossa
lição de casa.
Os valores que nos fortalecem
O segredo e a solução para a maioria dos
problemas corporativos é o compromisso das
pessoas, em especial das lideranças, pois são os
“portadores” de nossos valores nos bons e nos
maus momentos. Por acreditar que valores comuns são fundamentais para nos consolidarmos
como Uma Só Anglo e sermos a empresa líder
mundial de mineração, em outubro de 2008, o
grupo lançou mundialmente seis valores Anglo:
Segurança, Preocupação e Respeito, Integridade,
Responsabilidade, Colaboração e Inovação.
Os conceitos não são novidade no mundo Anglo. Podemos percebê-los em muitas atividades,
como foi o caso do grupo treinado no MDP (ver
Relatório de Sustentabilidade 2007, Carta do
Presidente). A meta de 400 pessoas treinadas
foi superestimada e fechamos o ano com 250
profissionais treinados, de todas as idades, inclusive os que estão próximos da aposentadoria.
A contratação de mulheres para as operações
também deu um salto de 9% e, em 2009, a
política de Recursos Humanos intensificará o
relacionamento com faculdades e colégios técnicos, incentivando jovens mulheres a escolherem profissões tradicionalmente exercidas por
homens, como engenharia de minas. Há espaço
para o público feminino na mineração e precisamos dessa mão de obra especializada.
Ao longo desses anos, nossos desafios, conquistas e processos nos têm beneficiado, e
muito. A Anglo American Brasil torna-se, mais
e mais, a cada dia, a empresa que busca ser:
a líder no campo da mineração, com a força de
seu capital humano e de seu compromisso com
a sustentabilidade.
Confira os nossos dados e boa leitura!
Walter De Simoni
Presidente da Anglo American Brasil
9
10
INDICADORES DE OIOIOIO
Perfil
Anglo American
PERFIL ANGLO AMERICAN
Raio X
• Nome da Empresa: Anglo American Brasil Ltda
(perfil 2.1)
• Receita: R$ 2.048.848.000,00 (perfil 2.8)
• Patrimônio líquido: R$ 1.098.690.580,72
(perfil 2.8)
•D
ívida total (empréstimos basicamente):
R$ 2.000.303.041,00 (perfil 2.8)
•E
mpregados diretos, contratados, estagiários: 7.605 (perfil 2.8)
• Unidades operacionais: Cubatão (SP) Catalão,
Ouvidor, Niquelândia e Projeto Barro Alto (GO)
Escritórios: sede administrativa - São Paulo (SP),
Exploração - Goiânia (GO) e Projeto Barro Alto Belo Horizonte (MG) (perfil 2.3, 2.4)
• Fundação no Brasil: 1973
• Natureza jurídica: Anglo American Brasil e Copebrás (unidades de fosfatados) são empresas
de responsabilidade limitada (“Ltda.”), sendo
que a última possui um sócio minoritário com
27% do capital da empresa. (Perfil 2.6)
• Um diretor executivo da Anglo American
Brasil também é diretor executivo da Anglo
Ferrous Brazil
Processos e Multas

 ­
€­
 



„…†…
‡ˆ




‚ƒ
­€‚
ˆ‡Š’
ƒ…†
‰Šƒ€‹Šƒ
ŒŠƒŽ
ƒŠƒ‘ƒ
­
11
SO8
12
PERFIL ANGLO AMERICAN
Produtos
Níquel
É empregado principalmente na produção de aço
inoxidável, que consome mais de 65% do volume disponível no mercado. O níquel também é
utilizado nas indústrias aeronáutica, de produtos
médicos e odontológicos, alimentícia, química e
de higiene. Componentes de baterias recarregáveis, microcomputadores e baterias de veículos
elétricos também utilizam este metal. Atualmente, a participação da Anglo American no Brasil é
de 25% da produção de níquel.
Perfil 2.2
Perfil 2.7
Perfil 2.8
Em 2008, a produção foi 8% abaixo da de 2007
devido à manutenção programada de um dos
fornos da planta de Niquelândia, mas dentro do
que havia sido previsto no ano. Diante da crise
internacional, as vendas caíram 15%, refletindo a queda de produção e o enfraquecimento
de demanda. Iniciativas de Melhoria Contínua
reverteram em benefícios de US$ 40 milhões,
22% acima do projetado para 2008.
Produção para os mercados interno e externo.
Nióbio
O nióbio é fundamental para a tecnologia de
ponta e, em 2008, o mercado permaneceu relativamente estável, apesar da crise. Esse cenário
resultou em atuação mais intensa da Anglo
American Brasil em países como Rússia, Índia e
China. A crise afetou os mercados mais tradicionais como Estados Unidos e Europa. O ferronióbio, liga que contém cerca de 67% de nióbio,
é utilizado na fabricação de aços especiais, que
apresentam alta resistência mecânica e à corrosão, mesmo em temperaturas extremas. Com o
crescimento do consumo de mercados emergentes, particularmente nos setores de infraestrutura e automobilístico, a demanda por ferronióbio
vem crescendo mais de 10% ao ano. Em 2008,
a empresa começou a recuperar o nióbio contido
nos processos industriais de fosfatados para a
produção de ferronióbio em Ouvidor (GO), ampliando em mais de 30% a produção da unidade.
O lucro operacional chegou a US$ 77 milhões
(definir cotação), 66% acima do previsto, devido a preços médios do nióbio 37% maiores.
As economias obtidas por Melhoria Contínua
geraram recursos da ordem de US$ 16 milhões
(cotação), 31% acima do previsto.
Produção para o mercado internacional.
Fosfatados
A área de fosfatados atende vários segmentos
da indústria, principalmente de fertilizantes e
de produtos para a alimentação animal (fosfato
bicálcico, comercializado sob a marca registrada
Copefós). Este último é um importante produto
de alimentação animal em destaque no mercado, com produção de 100 mil toneladas anuais
em Catalão − 80% é destinada à produção de
sal mineral para bovinos e 20%, para outros
animais. Hoje a empresa detém cerca de 10%
do mercado nacional. Mesmo com a crise, o resultado financeiro da área de 2008 foi recorde,
com lucro operacional 163% maior, chegando a
US$ 217 milhões.
A interrupção da produção de STPP em março de
2008 aumentou as vendas de ácido fosfórico,
resultando em ganho líquido de US$ 30 milhões.
A partir desta data, a companhia passou a
contar com uma linha de DCP (fosfato bicálcico)
na unidade de Cubatão, em função do novo
posicionamento estratégico anunciado em 2007.
O negócio obteve resultados financeiros com
iniciativas de Melhoria Contínua da ordem de
US$ 108 milhões (cotação).
Produção para o mercado nacional: não há exportação, pois o mercado interno é deficitário e
consome toda a produção.
PERFIL ANGLO AMERICAN
13
Anglo American no mundo
A Anglo American PLC é um dos maiores grupos em mineração e recursos naturais do mundo, com
uma carteira exclusiva de ativos de mineração de classe mundial que inclui metais preciosos, básicos e produtos a granel. O Grupo opera na África, Europa, América do Sul e América do Norte, Austrália e Ásia. Com sede em Londres, na Inglaterra, emprega mais de 105 mil pessoas em 45 países.
Seus principais produtos são: platina, diamantes, cobre, níquel, zinco, fosfatados, metais ferrosos e
carvão. A empresa está listada nas bolsas de Londres e de Joanesburgo (África do Sul) e, em 2008,
obteve lucro operacional de US$ 10,1 bilhões e receitas da ordem de US$ 5,2 bilhões.



Perfil 2.5
14
PERFIL ANGLO AMERICAN
Gestão Integrada
Histórico
Perfil 4.8
Perfil 4.12
Perfil 4.13
Perfil 4.14
Perfil 4.15
Perfil 4.16
Perfil 4.17
O Sistema de Gestão Integrado da Anglo American Brasil é certificado de acordo com as normas
ISO 9001 e 14001, OSHAS 18001, e o laboratório químico de níquel, pela ISO/IEC 17025.
São aplicados também procedimentos globais
documentados no Anglo Occupational Health
Way (Saúde Ocupacional da Anglo), Anglo Safety Way (Segurança da Anglo) e Anglo Safety
Golden Rules (Regras de Ouro) (ver Relatório
para Sociedade 2007). Os aspectos ambientais
e sociais são englobados no sistema corporativo
por Anglo Environmental Way e Anglo Social
Way, implementado em 2009. Há padronização
do gerenciamento de riscos, que se iniciou em
2008 pela área de segurança − Safety Risk
Management −, no qual todos os gestores são
treinados em uma parceria da empresa com
a Universidade de Queensland, Austrália, e a
Escola de Engenharia Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Para o gerenciamento
de impactos socioeconômicos, a empresa aplica
uma das melhores metodologias do mercado
desenvolvidas pela Anglo American PLC, a Caixa
de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica
(SEAT).
Seu compromisso com a sustentabilidade é claro
em todas as esferas, global e local, em especial
nos temas ligados à minimização dos impactos
negativos causados por sua atividade, ao de-
PERFIL ANGLO AMERICAN
senvolvimento sustentável das comunidades em
que está presente e ao cenário ambiental, principalmente biodiversidade, mudanças climáticas
e gestão da água. Parte desse compromisso é
representada pela participação em atividades
de entidades de classes que discutem aspectos
macroeconômicos, ambientais e sociais.
com representantes do governo nas esferas
municipal, estadual e federal sobre resultados
de estudos conduzidos no Brasil, ao estabelecer
políticas de investimento social e ao participar
de comitês e movimentos conjuntos para discutir
assuntos prioritários como Emissões Atmosféricas, Gestão de Recursos Hídricos etc.
Participação global:
• Iniciativa dos Princípios Voluntários em Segurança e Direitos Humanos • Iniciativa pela Transparência das Indústrias Extrativistas • Coalizão
Global Empresarial • Conselho Internacional de
Mineração e Metais • Conselho Internacional Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável •
Fórum Econômico Mundial • Centro Internacional
de Monitoramento da Conservação do Programa
Ambiental das Nações Unidas • Nickel Institute
(NI) e Consórcios para o Reach (sigla em inglês
para Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de Substâncias Químicas)
Na prática
Participação local:
• Ibram (Instituto Brasileiro de Mineração): envolvimento em discussões temáticas − recursos hídricos, Agenda 21, programa de Saúde e
Segurança. Contribuiu com recursos adicionais,
além das taxas de associado.
• Fieg (Federação das Indústrias de Goiás): um
de seus executivos, Rodolfo Luis Xavier Vergilio, é representante do Comitê de Mineração.
• Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de
São Paulo) e Ciesp (Centro de Indústrias de
São Paulo, regional Cubatão): possui executivos em cargos de diretoria, incluindo o
presidente da companhia. Envolvimento com o
Coinfra (Conselho Superior de Infraestrutura) e
em Câmaras Temáticas e Câmara Ambiental.
• Anda (Associação Nacional para Difusão de
Adubos): executivo da companhia exerceu
cargo de diretoria
• Abiquim (Associação Brasileira da Indústria
Química): executivos e representantes da companhia atuaram em cargos executivos, administrativos e em comitês temáticos (Qualidade,
Saúde e Meio Ambiente)
• Abrafe (Associação Brasileira dos Produtores
de Ferroligas e de Silício Metálico): presidente
da companhia desempenha a função de diretor
• Sindicato das Indústrias Produtoras de Ferroligas do Estado de São Paulo: presidente da
companhia é o diretor administrativo
A mesma estrutura encontra-se presente na
área corporativa, em construção do sistema
único, pela progressiva sinergia entre os negócios de fosfato com os de níquel e nióbio.
Cada processo desenhado tem indicadores cujos
resultados são discutidos trimestralmente em
reuniões de análise crítica, junto com avaliações
de auditorias internas e externas, bem como
feedbacks de clientes e outras partes interessadas. O ano de 2008 foi marcado por novas
propostas e elementos de gestão como:
• Reorg: processo de reestruturação, preparação
e reorganização corporativa para a implementação dos Shared Services (Serviços Compartilhados). Em 2008, as áreas de Finanças e
Tributos passaram a responder diretamente
para Londres;em seguida, a área de Recursos
Humanos passou pelo mesmo processo.
• Otimização de Ativos (OA): programa global
que visa melhorar continuamente o desempenho dos ativos das operações da empresa no
mundo, seguindo os conceitos da VBM (ver
Relatório para Sociedade 2007). O Centro de
Excelência da Anglo American, com base em
Londres, apoiará o processo de planejamento
estratégico do Negócio Metais Básicos, além de
facilitar a execução de iniciativas específicas.
A empresa contribui para o desenvolvimento de
políticas públicas ao compartilhar informações
Com três Sistemas de Gestão Integrada (SGI)
em Meio Ambiente, Qualidade e Segurança,
o desafio é fazer com que os três tornem-se
apenas um. Atualmente, cada planta possui uma
área de Gestão Integrada que opera independentemente em termos operacionais. Coordenadores de SGI locais respondem para as gerências
de Desenvolvimento Sustentável também locais,
que, por sua vez, fazem parte dos Comitês de
Gestão locais comandados pelos respectivos
Gerentes Gerais.
Políticas Anglo American
Boa Cidadania Corporativa – Princípios Empresariais: estabelece os valores e os padrões
que orientam a condução dos negócios Anglo
15
16
PERFIL ANGLO AMERICAN
American. Em 2007, foi iniciado o processo de
revisão desses valores, e o documento atualizado deverá ser lançado em 2009.
O Boa Cidadania está disponível na íntegra
em: <http://www.angloamerican.com.br/aa_br/
about/principles/>.
• Política do Grupo Anglo American para
HIV/AIDS
A Anglo American PLC reconhece a tragédia humana causada pela epidemia de HIV/AIDS, particularmente na África subsaariana, e preocupa-se
com a gravidade e as implicações da epidemia
para seus empregados, suas famílias e as
comunidades nas quais opera seus negócios. O
objetivo da empresa é reduzir o medo em relação ao HIV/AIDS e contribuir a fim de minimizar
as consequências dessa epidemia nos âmbitos
social, econômico e de desenvolvimento.
• Desenvolvimento Sustentável na área de
Cadeia de Suprimentos da Anglo American
Ao selecionar e reter fornecedores, a empresa
dá preferência àqueles que demonstrem comprometimento com o Desenvolvimento Sustentável
e que se esforcem em seguir o Código do Desenvolvimento Sustentável do Fornecedor Anglo
American, que contempla questões ambientais,
trabalhistas, de direitos humanos, entre outras.
Reunião do Comitê
Executivo na sede
da companhia,
em São Paulo.
• The Anglo Safety Way
A Anglo American desenvolveu a Estrutura de
Segurança da Anglo, que mostra como todas as
ferramentas que a empresa utiliza para adminis-
trar Segurança estão inter-relacionadas. Essas
ferramentas incluem os Princípios de Segurança
da Anglo e os Padrões do Sistema de Gestão de
Segurança da Anglo.
• The Anglo Safety Golden Rules
Contempla 10 itens denominados Regras de
Ouro de Segurança Anglo American. Mais de
80% das possíveis fatalidades estão em áreas
cobertas por estas regras.
• The Anglo Occupational Health Way
As divisões e operações gerenciadas Anglo
American são comprometidas com a Boa Cidadania: Princípios Empresariais, a Visão de Zero
Lesão e a Política de Saúde Ocupacional. Para
ajudar a cumprir os compromissos para com a
Saúde Ocupacional, a Anglo American desenvolveu os Princípios de Saúde Ocupacional da
Anglo, a Estrutura de Saúde Ocupacional da
Anglo e os Padrões do Sistema de Gestão de
Saúde Ocupacional da Anglo.
• The Anglo Environment Way
A Anglo American desenvolveu os Princípios
Ambientais da Anglo, a Sistemática Ambiental da Anglo, a Gestão Ambiental da Anglo e
as Normas de Desempenho Ambiental para
contribuir na meta do cumprimento de todos os
compromissos com a proteção e a gestão do
meio ambiente.
As políticas podem ser obtidas na íntegra no
endereço: <http://www.angloamerican.com.br/
aa_br/development/approach/policies/>.
PERFIL ANGLO AMERICAN
17
Governança
Em relação ao ano anterior, as principais mudanças em relação à estrutura de governança corporativa da companhia foram realizadas com o objetivo de criar a base adequada para os desafios
estratégicos atuais. Os membros da diretoria
continuam a ser avaliados por seus contratos
de desempenho para questões relacionadas a
temas econômicos, ambientais e sociais.
Em linha com a diretriz da visão One Anglo
(“Uma Só Anglo”), que busca nos transformar
em uma só empresa, em qualquer lugar do
mundo, foi implementado o Reorg, projeto com
enfoque na revisão da estrutura nas áreas de
suporte: Finanças, Engenharia e Corpo Técnico,
Marketing, Jurídico, Recursos Humanos, Segurança e Desenvolvimento Sustentável, tanto na
área administrativa quanto operacional.
O Reorg reviu estruturas, processos, dinâmicas
de trabalho e número de pessoas alocadas em
cada uma dessas áreas, preparando e antecipando as mudanças que acontecerão com o projeto
Serviços Compartilhados, que reunirá em três
organizações regionais os processos de serviços
Contábeis, serviços ao Empregado e Administrativos. Fisicamente, ficarão localizadas na América Latina (atendimento às Américas), na África
do Sul (para Europa, Oriente Médio e África) e
na Austrália (dedicada à Ásia Pacífico).
O projeto Serviços Compartilhados vem sendo
trabalhado mundialmente pela matriz da Anglo,
mas, aqui no Brasil, as iniciativas e as mudanças decorrentes dele somente foram iniciadas
em meados de 2009. Outras iniciativas também foram implementadas no mesmo sentido,
como a Revisão de Finanças (Finance Review,
apresentada no Relatório de 2007) e One Anglo
Supply Chain (Cadeia Global de Suprimento),
projeto em andamento. Esse último, também é
parte de uma iniciativa global chamada Otimização de Ativos (Asset Otimization − AO).
A Otimização de Ativos (AO) que, junto com
os pilares de Segurança e Desenvolvimento
Sustentável, Gerenciamento de Talentos e VBM,
sustenta a visão Uma só Anglo, consiste numa
metodologia simples e eficaz de assegurar que a
empresa aproveite ao máximo cada um de seus
ativos (equipamentos e demais recursos). É uma
forma de ajudar a companhia a operar cada vez
melhor.
O programa de Otimização de Ativos é somado
ao programa de Melhoria Contínua (CI) da Anglo
American Brasil. O primeiro passo é a definição dos KVDs (sigla em inglês para Key Value
Driver, alavanca de valor). Os KVDs são o ponto
central do programa, pois cada unidade operacional determina quais os 10 indicadores-chave
de criação de valor. Isso significa que, a partir
de um estudo prévio, as operações determinam
quais sãos os aspectos prioritários que precisam
ser trabalhados para que os ativos gerem mais
valor ao negócio.
O AO, o CI e o processo anual de planejamento estratégico LOM (Life of Mine) estão todos
agrupados sob a coordenação do Centro de
Excelência da Anglo Base Metals, com base em
Londres.
Nota: Além dos comitês criados anteriormente, a empresa implementou o comitê corporativo de Segurança e Saúde Ocupacional, e,
no final do ano, o Comitê para redução de Gastos, como uma das
medidas de combate à crise mundial (ver Carta do Presidente). Os
empregados podem opinar sobre este e outros temas por meio do
Sistema Mais – software em que sugestões de Melhoria Contínua
são lançadas individualmente – e pelo e-mail faleconosco@angloamerican.com.br.
Perfil 4.4
Perfil 4.7
18
INDICADORES DE OIOIOIO
Fatos e Dados Fornecedores Iniciativas com Resultados 19
22
24
PRÁTICAS E NÚMEROS
A carteira de produtos da
Anglo American apresen-
Fatos e
Dados
tou cenários econômicos
diferentes. Enquanto os
preços do níquel caíram
significativamente, os de
nióbio mantiveram-se estáveis e os de fosfatados
estiveram em alta até a
crise mundial, iniciada no
último trimestre no ano.
O bom desempenho dos primeiros nove
meses permitiu que a empresa registrasse uma receita de R$ 2.409.883,00.
Vale ressaltar o considerável aumento
em pagamento de salários e benefícios
de empregados, principalmente, pelos
resultados obtidos em 2007 gerando
bônus. Outros resultados de destaque
são investimentos sociais incentivados
na comunidade, bem como a diminuição
em custos operacionais.
19
20
I NRD
P
ÁITCI A
CD
AO
S REE N
S ÚDM
E EO
R IOOSI O I O
 Œ Žƒ€ €‘„
Œ ‘€€ Ž‚Ž
€ Ž‚‘ ’’“
Œ Žƒ€ €‘„
Œ ‘€€ Ž‚Ž
€ Ž‚‘ ’’“
Œ €‘Ž ‘„Ž
Œ ‘„’ ŽŽ€
Œ ‘‚€ Ž’„
’ƒ† ŒŒ‚
’Œ‚ †‚„
‘Ž“ ƒ“Ž
Œ„‘ €‘Œ
Œ‘ƒ “„“
€ƒ‚ ‚‚ƒ
€€‘
ƒ““ ‚Ž„
Ž““ ƒ’€
€„“ ‚†‘
Ž€“ †“€
€„Ž ’ƒ„
ƒ €ƒƒ
ƒ ƒ‘ƒ
Œ‚ ƒ‚‘
Œƒ† ““€
”Ž„ ‚“’
€Ž† Ž‘„

 ­€‚‚ƒ
€‚‚„
…€‚‚† ‡€‚‚ƒ€‚‚„‡ˆ
€‚‚„‰ ‡Š‹‡
…‡‹‹ ­€‚ƒ
…
EC1
MM2
„
„
•¡ £… •¡ £… •¡ £…
¢– ‹
¢–
‹
¢–
‹
Œ†‚
۠
Œ‘„
“‚
€ƒ‚
۠
‡‹Ÿ

€„“
Ž€
Ž€ƒ
„„
“‚’
“Ž
“‘
„
„Ž
Œ‚
’€
‘
™
Œ„Œ
€ƒ
”Ž€
Ӡ
€†‚
“‚
‹
„““
Œ‚‚
„Ž€
Œ‚‚
‘Œ‚
Œ‚‚

­
­•“–
Ž†€
†ƒ
„’Ž
Œ‚†
„“‘
†‚
—˜•€–
•Œ– ­€‚‚„

…€‚‚† •€–—˜€‚‚„€‚‚† ™Š…
•“–
Šš
•Ž–€‚‚†€‚‚’‰…
‡™•™›ŒŒ „“’€’š€‚‚†‡
ˆ”œ›ŽŽ‘‡Žš€‚‚’‡ž Produção de Fosfatados, na unidade de
Catalão/Ouvidor.
I N D IPCRAÁDTO
I CRAE S ED EN O
ÚM
I OEIROOI O
S
21
Empregados da unidade
de Niquelândia checam
itens de estoque.
Mercado
Se em 2007 o níquel respondeu por 63% do lucro operacional, em 2008 esse índice caiu para
29% como reflexo do mercado. Por esse motivo,
entre outros, Barro Alto, que teria 80% de suas
36 mil toneladas/ano para exportação, teve o
início de sua operação adiada para 2011. Durante o ano de 2008, a companhia investiu R$ 1,18
bilhão na obra e concluiu 40% da construção.
Para 2009, a Anglo American Brasil planeja
investir R$ 1,16 bilhão na obra e adequar seu
quadro proporcionalmente ao ritmo das obras.
O lucro operacional da área de fosfatados cresceu 163%, fruto da alta dos preços, e atingiu
o recorde de R$ 505 milhões, quase o triplo
de 2007 e 52% do total de R$ 974 milhões do
Grupo. Mas, a partir da crise, os preços dos fertilizantes caíram 50%, o que gerou a suspensão
temporária da expansão da unidade de Goiás,
que encontrava-se em estudo.
O programa de Otimização de Ativos (ver a
seção Governança) estima ganho operacional
de US$ 1 bilhão, até 2011, e economia de valor
similar com o One Supply Chain (Transformação
da Cadeia de Suprimento) com compras de material e serviços e renegociação de contratos.
As medidas administrativas e as alterações de
processos resultaram na redução de 516 empre-
gos diretos e indiretos nas operações no Brasil
do total de mais de 7600 empregados na época
(próprios e contratados). Um impacto menor, se
comparado com outras operações. Da redução
de 19 mil pessoas anunciadas pelo Grupo no
mundo para 2009, cerca de 2 mil estavam entre
os contratados das obras de Barro Alto.
Benefícios Governamentais
A companhia participa do programa Produzir do
governo de Goiás, que beneficia as empresas
por meio da redução do percentual do ICMS
(Imposto sobre Circulação de Mercadorias e
Prestação de Serviços) a pagar, vinculando-o
ao desempenho de produção. O valor total é de
R$ 244.287.682,59, a ser descontado em 180
parcelas ou em descontos até 31 de dezembro
de 2020. O benefício foi concedido à unidade de
Niquelândia, no valor de cerca de R$ 37 milhões
para o ano de 2008.
Em novembro de 2008, o BNDES aprovou o
financiamento de R$ 1,42 bilhão para a unidade de níquel, que será usado em grande parte
para a compra de máquinas e equipamentos de
produção nacional. A concessão do investimento
esteve diretamente relacionada ao desempenho
e à relevância dos investimentos sociais realizados pela empresa na região.
EC4
22
PRÁTICAS E NÚMEROS
Fornecedores
Perfil 3.11
MM1
EC6
Comprando com o total de 2007, o valor destinado a fornecedores locais mais do que dobrou,
passando de R$ 80 milhões para R$ 192 milhões. Operações como as de Catalão/Ouvidor,
Cubatão e Barro Alto apresentaram crescimento
em relação ao ano anterior. Considerando-se o
valor total das compras, a proporção diminuiu
pela metade em função da necessidade da companhia manter a competitividade em um mundo
globalizado. Portanto, como a maior parte das
empresas, a Anglo American trabalha com duas
tendências: uma busca priorizar e desenvolver
fornecedores locais, sempre que possível, e
outra otimiza recursos, comprando em grande
escala para manter-se competitivo no mercado e,
assim, garantir a perenidade da empresa.
Esse tem sido o principal desafio: manter o equilíbrio entre duas tendências conflitantes, mas
que não podem ser eliminadas.
…
…
…
…†€

 ­€
‚ƒ­ƒ‚
Desafio da ampliação
de compras locais
conta com a parceria
entre a empresa e
seus fornecedores.
„…
…
…
„…
„…
…
…‡

…
…
…
…
„…
…

…
…
„…
…
…
„…

…
…
…
…
…
…
…
…
…
* As compras realizadas pelo Projeto Barro Alto são realizadas corporativamente devido a
seu perfil nessa fase do projeto. Assim, o valor das compras locais é inferior a 1% do total
realizado pelo projeto
** Em relação aos anos anteriores, foram excluídos desembolsos com órgãos do governo
(impostos e taxas) e instituições beneficentes (doação).
PRÁTICAS E NÚMEROS
Em Barro Alto, o grande aumento foi fruto de
uma política intensiva para minimizar os impactos negativos diretos e indiretos ocasionados
pela migração das atividades da empreiteira
Camargo Corrêa, que decidiu transferir parte
de seu escritório e empregados para cidades
próximas, alegando falta de condições de infraestrutura da cidade de Barro Alto. Ainda assim,
o total de compras locais ainda é pequeno se
comparado com o total realizado pelo projeto
(ver nota do gráfico). O assunto foi um dos
temas mais ouvidos no processo de consulta
feito junto à comunidade para o segundo ciclo
do SEAT (ver pág. 50).
Em Niquelândia, a queda pode ser justificada
pela decisão de um dos fornecedores locais de
encerrar seu contrato na prestação de serviços
de alimentação para a operação de níquel. A
Anglo deu início a um novo processo que resultou na contratação de uma empresa nacional,
que apresentou a melhor proposta em termos de
qualidade, aspectos legais, custo e capacidade
de atendimento, porém não local.
Durante o ano, a companhia estudou a implementação em todas as unidades industriais da
Loja in Company, sistema que instala fisicamente um posto do fornecedor de peças dentro das
plantas, facilitando a aquisição de itens de baixo
valor e o gerenciamento do estoque. O projeto,
implementado inicialmente em 2005 em Cubatão, já chegou em Catalão/Ouvidor.
O objetivo do sistema de Loja in Company é
reduzir custos relativos à compra de produtos
como parafusos, EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) de baixo valor, materiais de
borracha, entre outros, além de otimizar o fluxo
do processo. A empresa avalia quais são os
produtos de baixo valor com alta rotatividade e
cria um posto avançado do fornecedor dentro da
própria planta. A previsão é de que a unidade de
Niquelândia receba a loja no segundo semestre
de 2009 ou no primeiro semestre de 2010.
Em relação ao valor total gasto com fornecedores, o percentual caiu. O principal motivo foi
a revisão da política de compras: conjunto de
normas e práticas de compras nacionais. Seguindo o alinhamento global, a empresa trouxe
novas diretrizes para a área, principalmente para
produtos de grandes categorias. As medidas
administrativas do final do ano também levaram
a empresa a rever contratos e fornecedores.
Para 2009, a Anglo American planeja mapear
os processos de compra e padronizar os procedimentos corporativos para os três negócios:
níquel, nióbio e fosfatados.
23
Novos contratos permitiram que o serviço
de alimentação ganhasse em qualidade.
24
PRÁTICAS E NÚMEROS
Iniciativas com resultados
O ano de 2008 validou os esforços da companhia no desenvolvimento sustentável. A Anglo
American Brasil recebeu os prêmios: Benchmarking Ambiental, Guia de Sustentabilidade
Exame, Prêmio Época de Mudanças Climáticas
e Prêmio Mérito Ambiental, e entrou no ranking
Valor Grandes Grupos. Entenda o por quê:
• Quem foi premiado: 20 organizações que mais
se preocupam com o aquecimento global, têm
estratégias e adotam políticas concretas para
enfrentar o problema.
• Destaque Anglo: selecionada pelo empenho
em minimizar as emissões de gases causadores
de efeito estufa em suas atividades.
Valor Grandes Grupos
• Define o ranking das 200 maiores empresas
no país.
• Quem concorreu: mais de 4.500 empresas.
• Quem foi premiado: 20 organizações que mais
cresceram no ano por categoria, como receita
bruta, patrimônio líquido, lucro líquido, rentabilidade patrimonial, entre outros.
• Destaque Anglo: ficou em primeiro lugar na
categoria de rentabilidade patrimonial, com um
índice de 59,2% de rentabilidade sobre patrimônio líquido.
A empresa é uma das fundadoras do Programa
Brasileiro GHG Protocol (GHG: Greenhouse Gas),
que visa a promover a elaboração do Inventário
de Gases de Efeito Estufa por todas as organizações, como linha de base para seu programa
de redução da emissão destes gases. A empresa realizou seu inventário em 2007, e está
delineando seus planos de ação para atingir as
metas corporativas de redução de emissão para
os próximos 10 anos. Entre as ações realizadas
figuram a avaliação de todos os motores, a
aquisição e a operação de equipamentos mais
eficientes, que resultam em menor consumo
de energia, além de substituição de combustíveis fósseis por biomassa e elaboração de
projetos de Mecanismo de Desenvolvimento
Limpo (MDL, em conformidade com o Tratado de
Kyoto).
Perfil 2.10
Prêmio Época de Mudanças Climáticas
2008
• Premia empresas líderes em Políticas Climáticas.
• Quem concorreu: as 400 maiores empresas do
país (responsáveis por 10% de todas as emissões nacionais) e os 25 maiores bancos.
PRÁTICAS E NÚMEROS
Prêmio Benchmarking Ambiental Brasileiro
2008
• Reconhece projetos que contribuem para a
difusão do conhecimento socioambiental nas
empresas e instituições de todo o Brasil.
• Quem concorreu: 90 trabalhos inscritos de organizações de diferentes origens, setores, porte
e abrangência.
• Quem foi premiado: as 30 melhores práticas
socioambientais.
• Destaque Anglo: o case “Biodiversidade Brasil:
Análise e recuperação das áreas de influência
da empresa e Projetos socioambientais com
comunidades vizinhas” recebeu o primeiro lugar
Ação para Biodiversidade, que visa a acelerar
o enriquecimento da Biodiversidade na Mata
Atlântica. O Plano foi elaborado a partir de
estudos científicos que levantaram a fauna e
a flora da área em torno do Polo Industrial de
Cubatão e de uma Área Controle, não afetada
pelas atividades industriais. A comparação dos
resultados permitiu estabelecer ações precisas
para implantar e atrair os elementos da biodiversidade que são mais raros na área.
entre os selecionados. Em 2007, a Anglo American foi contemplada com a quarta colocação
deste mesmo prêmio, com o projeto “Estudo da
Biodiversidade da Mata Atlântica na Região da
Serra do Mar”.
de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Fundação Getulio Vargas de São Paulo, responsável
também pela metodologia do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bovespa.
• Quem concorreu: 177 companhias de grande e
médio portes de todo o país.
• Quem foi premiado: foram selecionadas 20
empresas modelo.
• Destaque Anglo: a escolha da companhia
deve-se, em grande parte, a suas ações consistentes em sustentabilidade, que priorizam
projetos com enfoque em melhorias ambientais
e sociais de forma continuada.
Prêmio Mérito Ambiental 2008
• Idealizado pelo Rotary Clube/Santos-Boqueirão, o prêmio busca distinguir e homenagear a
empresa com maior destaque na implantação de
Projetos Ambientais.
• Quem concorreu: empresas da região.
• Destaque Anglo: dois projetos foram inscritos
e apresentados pela empresa. O primeiro foi
o Projeto Otimização de Reúso da Água, que
reuniu uma série de iniciativas e projetos que
resultaram na redução do consumo de água (leia
mais na página 69). O segundo foi o Plano de
Guia EXAME de Sustentabilidade 2008
• Elege empresas modelo em sustentabilidade
com base na metodologia elaborada pelo Centro
Leia mais sobre os prêmios em: <http://www.
angloamerican.com.br/aa_br/development/performance/awards/>.
25
26
PRÁTICAS E NÚMEROS
Sustentabilidade na prática
A nova versão SEAT
Perfil 4.15
Perfil 4.16
Perfil 4.17
Em 2008, uma versão mais atualizada do SEAT
(Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica), denominada SEAT2, foi aplicada para
registrar as lições aprendidas e enfrentar novas
situações no envolvimento com a comunidade.
A metodologia tem caráter estratégico para
identificação e avaliação de impactos socioeconômicos com o objetivo de aprimorar a gestão
das suas questões-chave.
apoio ao desenvolvimento da comunidade.
Foram envolvidos no processo fornecedores diretos e indiretos, empregados, ONGs, vizinhos,
associações, mídia, formadores de opinião,
poder público em diferentes esferas, produtores
rurais, escolas, entre outros. Em Cubatão, foram
realizadas 26 entrevistas individuais, quatro
grupos focais externos e cinco grupos focais
internos. Em Catalão e Ouvidor, foram 32 en-
A consulta resulta em um novo Plano de Envolvimento com a Comunidade (PEC), triênio
2009-2011. Entre as principais modificações
das ferramentas estão a maior abrangência
das questões de saúde e de direitos humanos;
consolidação e simplificação de ferramentas de
avaliação e perfil; aperfeiçoamento na gestão
de relações com partes interessadas; e inclusão
de ferramentas que orientem a capacitação e o
trevistas individuais, 12 grupos focais externos
e cinco grupos focais internos. Em Niquelândia,
a consulta envolveu 14 entrevistas individuais,
sete grupos focais externos e quatro internos.
Por fim, Barro Alto exigiu a maior concentração
de esforços, reunindo 49 pessoas para entrevistas individuais e sete grupos externos e cinco
internos. Os resultados foram apresentados em
2009 nos Fóruns Comunitários da companhia.
PRÁTICAS E NÚMEROS
Paralelamente a este trabalho, e como parte dos
compromissos assumidos no primeiro PEC, a
companhia estabeleceu a parceria com a CARE
Brasil, que integra a CARE Internacional, uma
das maiores ONGs de ação social no mundo.
O objetivo foi a implementação de um novo
projeto em Barro Alto (GO)|: o de promover o
desenvolvimento socioeconômico por meio de
capacitação de empreendedores, diversificação
da economia e melhoria do sistema educacional,
atingindo tanto a área urbana quanto a rural.
Assim como o PEC, a ação funciona a médio e
longo prazo, ou seja, é um plano de trabalho
de três anos, que acaba envolvendo a região
como um todo. Uma das primeiras ações foi
aplicar o curso de Gestão Empreendedora, para
pequenos, médios e grandes comerciantes com
atuação formal ou informal. O objetivo, além de
capacitar os participantes ao empreendedorismo,
foi o de aguçar o interesse da comunidade em
aprimorar seus conhecimentos e aplicá-los para
crescer e visualizar sempre novas oportunidades
rumo ao desenvolvimento sustentável.
Projetos contribuem para o
desenvolvimento local.
À esquerda, Projeto Costurando o Futuro e à direita, equipe
da Care, em Barro Alto.
27
28
INDICADORES DE OIOIOIO
Gente
Uma só Anglo A Bandeira contra a Aids Segurança e Saúde Ocupacional Direitos Humanos Gestão Social 29
36
38
44
47
INDICADORES DE OIOIOIO
Em 2008, a companhia contabilizou 7.605 profissionais entre empregados
Uma só
Anglo
diretos, contratados e
estagiários. O crescimento
ocorreu principalmente
em função do avanço das
obras em Barro Alto que
contou com mais de 3 mil
contratados em seu pico
de construção.
Em todas as operações, com exceção de
Cubatão, o número de empregados diretos
cresceu, sendo que em Goiás, foram mais
de 260 novos empregos diretos.
A Anglo American Brasil atingiu um
número recorde na contratação de mulheres em 2008: 79, tanto para cargos
administrativos quanto técnicos. A meta é
aumentar a participação feminina em 10%
a cada ano, o que deve ajustar o quadro
no futuro.
29
30
GENTE
­

 
­
€€€€€
‚ƒ






  
  
 ­
 


€‚ƒ„

…ƒ­†‡‡ …ˆ‡‰Š…‹Œ…­Ž…‘ƒ‘‡
­‡…‘’
…ƒ­†‡‡ƒ„“‡Š­”‡•‡‡‡ ‘…‰†‰‡ƒ–„
ƒ­‡
…ƒ­†‡‡ ‡‡‡–‡‰Š’
‘’‡ …­†‡…‰…ƒ
—ƒ‰…€‚ƒ„
‡‡…˜™‘Œƒ…‡„‡•…„“‡—‹‡š‡‡­‡ƒ€‡‡ƒ‰‡‡‰›‡
…š……†‰‡­œ…‰‡
Perfil 3.11
LA1
LA2
LA3
A empresa adota a prática de não contratar
empregados em regime de meio período ou temporários. Todos os trabalhadores com contratos
não fixos são empregados por empresas terceirizadas. No caso de estagiários, mesmo com as
mudanças ocorridas com a nova Lei do Estágio
(n. 11.788) para contratos assinados a partir de
25 de setembro de 2008, a empresa manteve
os benefícios estipulados: assistência médica e
auxílio-refeição.
nidades de carreira dentro da companhia, e uma
aposentadoria.
Em termos salariais, ao avaliarmos a proporção
entre o menor salário pago pela empresa e o
mínimo local, pode-se notar que a companhia
tem feito equiparações entre as plantas, conforme pode ser observado no gráfico a seguir.
Em Catalão e Ouvidor, as equipes de fosfatados
e nióbio tiveram seus salários equiparados. A
avaliação geral também leva em conta o salário
base dos Menores Aprendizes, que são contratados pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e possuem piso salarial mais baixo que as
demais categorias, em função de seu regime de
trabalho. Portanto, em comparação aos outros
anos, a proporção do cálculo apresentada no
gráfico em 2008 caiu.
Em 2008, entre os empregados diretos, 368
deixaram a empresa, sendo que, destes, 227
foram dispensados – em função das medidas
administrativas já comentadas em Carta do Presidente e Desempenho Econômico –, 140 foram
transferidos, principalmente para novas oportu-

­
€‚
€
­
ƒ
„„
­
…
­
­
…†
„…

­
‚
€
۠
‚ƒ
‡€
­
„ƒ
…ˆ
۠
‡€
„­ƒ
‰Š‹
­
€…
‚ˆ
‚‡
…†
ˆƒ
­
„€
­
‚‡
‡„
„­‚
‰
­ „‚†
‚…
…
„ˆ
…ƒ
„
…
­
‚
„†‚
Œ€
Ž
­
…‚
‚Œ
€
„ƒ
‚†
­
­
„
€
ˆ…
ƒˆ









GENTE
31
VARIA‚ÌO DA PROPOR‚ÌO DO SALçRIO MAIS BAIXO COMPARADO AO SALçRIO MêNIMO
LOCAL EM UNIDADES OPERACIONAIS IMPORTANTES.

 
­€‚€
ƒ„…†
2006
2007
2008
‡…€ˆ
……†‰…
€ŠŠ…‚
€€

€ 

O programa Menor Aprendiz é regulamentado
por um contrato de trabalho especial, ajustado por escrito e por prazo determinado, com
duração máxima de dois anos. Nele a empresa
se compromete a assegurar ao adolescente com
idade entre 14 e 18 anos e ao jovem a partir
dos 18 aos 24 anos, inscritos em um programa
de aprendizagem, formação técnico-profissional
metódica, compatível com o seu desenvolvimento físico, moral e psicológico, e o aprendiz
compromete-se a executar, com zelo e diligência, as tarefas necessárias a esta formação. Na
Anglo American, são 24 aprendizes, distribuídos
por todas as plantas, incluindo a sede administrativa. Para 2009 serão selecionados jovens
para o escritório em Belo Horizonte e para o
projeto Barro Alto.
Não existem diferenças salariais entre homens
e mulheres na companhia, pois o salário base
de entrada em cada categoria funcional é igual,
independentemente do gênero. O critério de
diferenciação salarial é feito com base em senioridade, avaliação de competências, funções e
responsabilidades, entre outros fatores profissionais. Não existe nenhum critério relacionado ao gênero ou outros aspectos ligados à
diversidade. Outro aspecto que influencia o
resultado do indicador é o perfil da indústria
de mineração. Nos anos anteriores, os cargos
técnicos eram ocupados frequentemente por
homens; embora as mulheres tenham começado
a integrar os quadros mais especializados, ainda
constituem minoria.

­
‚„

 €‚…

€‚
 ƒ
 €ƒ
­

­
ƒ€

­‚„
‚†

‚­
­
 
€…
€†


‡ˆ‰Š‹ŠˆŒŽ
‹‘ŠŠ’Š‘ŠŠŠŒŠ‹ŠŠ‹‰
ŠŠŠ‹ŠŠŠŠŠ‘‰
EC5
LA14
32
GENTE
EC7
LA12
LA13
A Anglo American Brasil acredita no talento da
sua equipe e, por meio de uma série de programas, já comentados no RS 2007, busca desenvolver habilidades para formar suas lideranças
e mantém permanente avaliação de sua equipe: 100% dos empregados recebem avaliação
formal de desempenho. Para a contratação de
empregados, adota, primeiro, processos seletivos internos; caso seja necessário estender
o processo de seleção, é dada preferência* à
contratação de profissionais que sejam da localidade da unidade operacional.
sentados por gerentes e diretores, em 2008, as
contratações locais corresponderam a 67,57%
em São Paulo, 25% em Catalão/Ouvidor,
16,67% em Niquelândia, 12,5% na mina Barro
Alto, 50% em Goiânia, referente à área de Exploração e 33,33% no Projeto Barro Alto.
O Comitê Executivo responsável pelas decisões da companhia é formado por 10 diretores,
conforme contrato, e conta com a participação
de gerentes de áreas estratégicas como Desenvolvimento Sustentável, Segurança e Saúde
Ocupacional, Projeto Barro Alto Exploração.
No caso de membros da alta gerência, repre-
* A Anglo American não monitora outros indicadores de diversidade, como minorias.
MM1




­
­

€­

‚  
­

‚
 
  

­

­
‚  
‚‚‚‚

ƒ„…†…‡ˆˆƒˆ‰
‡­­ˆˆ
ˆƒƒˆ…‡
‰


 ­€‚ 
Treinamento interno
em Barro Alto.


­
GENTE
Treinamentos
Em relação ao ano anterior, a companhia manteve seus investimentos em treinamentos com
destaque para a continuidade do LCM - Learning Career Management (sigla em inglês para
Gerenciamento de Desenvolvimento e Carreira)
e do MDP - Management Development Program
(Programa de Desenvolvimento Gerencial) que
envolveu 35 pessoas. A turma do MDP foi composta por gerentes treinados em três módulos
de uma semana cada (40 horas). Durante o
ano, também foram desenvolvidas as atividades do Programa de Trainee, implementado no
ano anterior e dois programas ligados à Segu-
ma, discussões sobre os temas etc. A empresa
também oferece subsídios para graduação e
pós-graduação e cursos de idiomas.
O VBM, programa para promover a Maximização
de Valor na Anglo, teve 4 mil pessoas treinadas (empregados diretos e terceiros), em 2008.
O programa propõe que as pessoas procurem
formas de desenvolver suas funções e operar os
processos de forma a gerar mais valor nos resultados e otimização dos recursos e do tempo.
No total, foram investidos R$ 1.188.114,54
em 2008, valor pouco menor que em 2007 –
R$1.425.445,68 – e 2006 – R$1.380.654,07.

 
­€
„
‚
‚‚
­‚
­‚

 
­€
…

 
­‚
‚
‚‚
­‚
 
­€

 
­€
ƒ
ƒ
 
­€
ƒ

 
­€
rança ocupacional foram priorizados: Liderança
Situacional – direcionado a lideranças, incluindo
supervisores diretos dos times operacionais e
Liderança Visível e Percebida (VFL), envolvendo
250 pessoas. A companhia também investiu em
um novo treinamento de Gerenciamento de Risco em Segurança que, envolverá, até 2010, 400
profissionais de diferentes funções (leia mais na
página 38). O treinamento de Gerenciamento de
Risco é estruturado em oito semanas a distância mais uma semana presencial (40 horas) no
Campus da USP.
As horas de treinamento também envolvem
cursos técnicos e de atendimento às normas e
às atividades informais relativas ao LCM, como
cursos específicos, coaching (orientação informal de outro profissional dentro da empresa),
leitura de livros de interesse, acesso a sites
relativos à formação estabelecida pelo progra-
33

…†

†…
Em função da não padronização das metodologias entre as plantas, não foi possível estabelecer um número preciso de horas investidas, sem
distorção. No caso de treinamentos destinados a
segurança e saúde ocupacional, as horas somam
834,3. Para sanar o problema, a companhia terá
um formato único de preenchimento de banco de
dados pelo Shared Services, área que centralizará e padronizará as informações de Treinamento
e Desenvolvimento Profissional, entre outras.
Na gestão de empregabilidade e gerenciamento
do fim da carreira, a Anglo trouxe novidades
para o Programa GEMA (Gente Madura), direcionado a todos os empregados acima de 51 anos
e que estejam a cinco anos da aposentadoria.
Em outubro de 2008, uma nova turma foi formada, sendo que na área de Exploração o GEMA
foi implementado pela primeira vez. O programa, dividido em oito etapas, tem como objetivo
LA10
LA11
34
GENTE
criar condições para que os indivíduos desenvolvam um projeto pessoal para a vida após a
empresa, a partir de seu autodesenvolvimento
e com a ajuda da família, bem como preparálos para a transferência de conhecimentos e de
responsabilidades aos seus sucessores.
EC3
Ao longo do programa são realizados encontros sobre saúde na maturidade, prevenção de
doenças por meio do preparo físico, nutrição
saudável, empreendedorismo e oportunidades
de negócios. Os empregados também participam
de uma oficina para apresentação do perfil dos
participantes, análise e elaboração de conteúdos
emocionais e desenvolvimento do esboço de um
projeto de pós-carreira. A partir disso, participarão de uma oficina sobre planejamento financeiro, possibilitando colocar em prática o projeto
elaborado durante o workshop. Eles são acompanhados durante todo o período por consultores
especializados em cada uma destas áreas e por
uma psicóloga, que conduz entrevistas individuais com os empregados e seus cônjuges.
Esta é a décima turma do programa, que até
o momento já preparou 214 empregados da
Anglo American para a aposentadoria (81% dos
elegíveis). Já foram realizadas turmas do GEMA
nas unidades de São Paulo, Cubatão, Catalão e
Ouvidor, Niquelândia e no escritório da unidade de Exploração em Goiânia. O sucesso do
Programa GEMA foi tema de reportagens, e seu
case foi apresentado em outras empresas, no
Sinproquim (Sindicato das Indústrias de Produtos
Químicos para Fins Industriais e da Petroquímica
no Estado de São Paulo) e em grupos de estudos de Recursos Humanos.
Pensando no futuro
A Fundambras que gere o plano de pensão, apresenta dois planos de aposentadoria: o básico e o
suplementar. Ambos os planos são do tipo “Contribuição Definida” e são de participação voluntária. Em 2008, 4.328 participaram do Plano Básico
e 3.628 do Plano Suplementar, incluindo participantes de todas as patrocinadoras. No primeiro,
as contribuições são feitas exclusivamente pelas
patrocinadoras*, sendo que para os empregados
com salário de participação superior a R$ 4.247,00
a contribuição é individual. Para os participantes
com salário inferior a esse limite, a contribuição é
coletiva e corresponde a percentual da folha.
No Plano Suplementar, as contribuições são
feitas pelo participante com desconto em folha de
pagamento, com contrapartida da patrocinadora de
50% do valor da contribuição do participante.
O empregado participa com 3%, 4% ou 5% do
seu salário, e a empresa participa com 1,5%, 2%
ou 2,5% do valor, respectivamente. As obrigações
do Plano são atendidas diretamente pelos recursos
gerais da Anglo American Brasil, com valores de
contribuição de R$9.280.111,36 para o Plano Básico e R$ 4.498.955,98 para o Plano Suplementar.
A Fundambras (Sociedade de Previdência Privada), que gere o plano de pensão, é auditada
interna e externamente. Em 2008, foi auditada
pela PricewaterhouseCoopers e em pesquisa
realizada pela Mercer, e entre as empresas
que participam do grupo de monitoramente de
investimentos, foi apontada como uma das que
possui excelente rentabilidade de mercado.
*Nota: Não estão somados os participantes assistidos, pois os
mesmos não são separados por planos e por patrocinadoras. Em
dezembro eles eram 301 participantes.
GENTE
Relações Trabalhistas
Há uma sistemática para o acompanhamento
do cumprimento legal que prevê esse tema,
incluindo também a atualização da legislação
pertinente.
Não há definição de prazo em relação à antecedência de comunicações de alterações relevantes
em acordos coletivos das unidades. Todavia, a
Anglo American procura sempre antecipar quaisquer notificações sobre implementação de mudanças operacionais significativas, que possam afetar
substancialmente seus empregados. A exemplo
disso, em 2008, informações sobre o Projeto
Tailings foram divulgadas desde o estudo de viabilização até o início das operações, assim como o
fechamento da unidade de STPP em Cubatão, que
foi notificado com antecedência em 2007.
Os acordos formais com sindicatos abrangem
temas de saúde e de segurança para Niquelândia, Barro Alto, São Paulo, Catalão e Cubatão.
Cada uma das unidades também aborda os
seguintes temas:
• Niquelândia: EPI (equipamentos de proteção
individual) e complementação auxílio-doença;
• Catalão e Ouvidor: complementação auxíliodoença, assistência ao doente ou ao acidentado
e conformidade para serviços de eletricista;
• Cubatão: atendimento de primeiros socorros,
comunicação de acidente no trabalho, conformidade para serviços de eletricista, assistência
médica aos aposentados, garantia de emprego
ao acidentado com sequela, comunicações de
acidentes de trabalho e doenças ocupacionais,
assistência médica aos demitidos e seus dependentes, atestados médicos e odontológicos,
auxílio para filhos com necessidades especiais,
empregada gestante, exames médicos periódicos, reembolso com despesas de medicamentos
para acidentados no trabalho, medidas de proteção aos empregados, inclusão social e prevenção, detecção e combate ao uso de drogas;
• São Paulo: EPI, complementação auxílio-doença, direito de recusar trabalho inseguro, comitês de saúde e segurança compostos de trabalhadores, atendimento de primeiros socorros,
assistência médica aos aposentados e garantia
de emprego ao acidentado com sequela.
O escritório de São Paulo faz parte do Sinproquim, que envolve empresas químicas e com
atividades de alto risco. Portanto, o escopo do
acordo é mais abrangente do que o necessário
para as atividades da sede administrativa. As
unidades estão bem amparadas pelos acordos
formalizados com os sindicatos locais, e apenas a linguagem formal dos acordos é diferente. Para os sindicatos em que as unidades
estão filiadas, os textos dos acordos abordam
questões que devem ser destacadas de acordo
com o público local. Como a rotina das unidades operacionais demanda várias práticas,
muitas delas não são citadas, pois são consideradas padrão e estão internalizadas pelas
empresas da região.
Os acordos não remetem a temas globais,
como Conformidade com a OIT (Organização
Internacional do Trabalho).
35
LA5
LA9
36
GENTE
Bandeira contra a AIDS
2008 foi o ano em que a Anglo American revisou sua política global para o combate à AIDS,
lançada há nove anos. Por ter sua origem na
África do Sul, país atingido por forte epidemia
da doença, a empresa considera seu combate e
às demais doenças sexualmente transmissíveis,
um dos pilares de sua política de desenvolvimento sustentável. No Brasil, a Anglo American
faz parte do CEAIDS (Conselho Empresarial de
(<http://www.giv.org.br/segundapessoa/>), do
qual Silvia também é voluntária. No programa
são abordados temas como preconceito, prevenção e qualidade de vida dos portadores do HIV.
A partir da história de vida da própria Silvia, o
programa busca sensibilizar e conscientizar a
sociedade e os portadores da doença. A série,
dividida em 48 pílulas de cerca de dois minutos
cada, conta as mudanças na vida da emprega-
Prevenção ao HIV/AIDS), criado para desenvolver ações no setor privado voltadas à prevenção
da doença. A empresa também criou, em fins
de 2008, um cargo específico para a questão,
e sua primeira ocupante será Silvia Almeida.
Empregada da empresa há 24 anos e portadora
do vírus desde 1994, Silvia assume a posição
de Assistente de Responsabilidade Social, para
liderar as iniciativas de prevenção à contaminação e à inclusão social de soropositivos dentro e
fora da empresa.
da desde que descobriu que havia contraído o
vírus. Os programas estão disponíveis no site
do GIV para fluxo de mídia (streaming) e transferência de arquivo (download). A divulgação
contou com o reforço por meio de spots na rádio
CBN durante seis meses. Durante 2009, Silvia
aprofundará sua participação como representante da empresa em encontros que promovam e
discutam propostas relacionadas à aposentadoria por invalidez, afastamento por incapacidade,
benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro
Social), legislação sobre contratação de portadores de HIV e a deficiência emocional, já que
grande parte dos portadores tem dificuldades
para retornar ao mercado de trabalho.
Entre as iniciativas está o podcast Segunda
Pessoa, lançado em outubro de 2008, disponível no website do Grupo de Incentivo à Vida
GENTE
Nossa política
A empresa atualizou suas diretrizes que prevêem a eliminação do estigma e da discriminação
(confidencialidade, não discriminação, igualdade
de gêneros e diálogo social), emprego, aconselhamento voluntário e teste, prevenção, respeito
e apoio, gerenciamento e minimização do impacto do HIV/AIDS na sociedade.
Hoje, na África do Sul (e também no Brasil), a
Anglo American fornece gratuitamente medicamentos para o tratamento de seus empregados
portadores do HIV, além de oferecer tratamento
terapêutico para o empregado e seus familiares.
No Brasil, a companhia realiza em datas específicas ações para reforçar a luta contra o vírus
HIV, e estas ações são extensivas às comunidades onde a empresa está presente. Em 1º de
dezembro, Dia Mundial de Combate à AIDS,
a empresa faz ampla campanha de conscientização de seus empregados para a prevenção
da contaminação e disseminação da doença. E,
cada vez mais, o objetivo é trazer conscientização às comunidades em que atua, sobretudo as
mulheres e os jovens, por meio de discussões
sobre sexualidade e preconceito. A política na
íntegra você encontra em: <http://www.angloamerican.com.br/aa_br/development/approach/
policies/>.
Silvia abraça seu colega,
Waldomiro. Apoio e respeito
no ambiente de trabalho
37
38
GENTE
Segurança e saúde
ocupacional
MM12
LA6
A visão da Anglo American de Zero Lesão é clara para sua equipe de trabalho e baliza todas as
atividades com base em três princípios-chave:
Zero Mindset – todos os ferimentos e doenças
ocupacionais podem ser prevenidos.
Simple No-Negociable Standard – todos seguem
as mesmas regras, as quais não são negociáveis.
No Repeats – se ocorrer um incidente, é nossa
responsabilidade identificar como ele pode ser
prevenido no futuro.
Em 2008, a companhia investiu US$ 1,5 milhão em um convênio com o Departamento de
Engenharia de Minas e de Petróleo da Escola
Politécnica da Universidade de São Paulo (PMI/
Poli/USP), com foco na disseminacao de seus
padroes e no treinamento em Gerenciamento
de Riscos, iniciando por Seguranca. Até o final
de 2010, 400 pessoas de diferentes funções
serao capacitadas. Neste mesmo período, todo
o efetivo da empresa será treinado em avaliação
e controle de risco de suas atividades.
As diretrizes corporativas de Segurança investem em três campos fundamentais e diferentes
que formam o tripe para garantia da produção
segura e da eficiência operacional. O primeiro deles é o treinamento e a capacitação das
pessoas. O segundo se refere a equipamentos
adequados, modernos e bem projetados. E ao
lado, o campo do sistema de gestão, eficazmente implementado, monitorado e entendido
Entre as ferramentas destinadas à segurança,
existem: o Anglo Safety Way (Jeito Anglo de
Fazer Segurança, sistema de gestão da companhia); o Sistema de Gerenciamento de Riscos
(processo para entender os riscos da empresa
em todas as atividades); o Programa de Liderança Humana (que contém conceitos, perigos e
riscos das atividades); Anglo Health Way (Jeito
Anglo de Fazer Saúde Ocupacional); Fatal Risks
Protocol (Protocolo de Riscos Fatais) e a legislação brasileira.
A preocupação com a segurança também
envolve a preparação para rápida resposta e
atendimento a emergências. Todas as unidades
operacionais e a sede administrativa têm planos
de emergência desenvolvidos e implementados
que atendem às exigências específicas de cada
negócio. Um sistema de controle de documentos
internos gerencia todas as ações identificadas e
adicionadas no sistema, além de disponibilizar
normas e procedimentos internos para consultas
e revisões.
Estão localizados em diretórios do sistema

ˆ
 ­€ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ ˆŠ
‚ ƒ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ Š‹
„ „ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ Š‹
„ … ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ ‡ˆƒ„ 
† † ‰ˆ
„€ ƒ„ „€ ƒ„ 
Œ‹Ž‡‘
’„Š“‡”
‡•



* Projeto Barro Alto e Exploração têm número pequeno de empregados próprios, não sendo necessária a criação da CIPA.
GENTE
eletrônico documentos de apoio referentes aos
planos de emergência que auxiliam na identificação de recursos e na divulgação de simulados
realizados internamente, novos planejamentos e
metas do grupo. São realizados relatórios mensais setoriais e anuais para avaliação.
Todas as unidades e o Projeto Barro Alto possuem Plano para Atendimento a Emergência que
define as responsabilidades para gerenciamento
e atendimento a emergências externas e internas, reais e potenciais, como incêndio, transbordos ou derramamentos de produtos perigosos,
explosões, choque elétrico, emergências no
transporte de madeira e minério.
No Projeto Barro Alto, a Anglo American possui
um Plano de Emergência elaborado em conjunto
com o consórcio que gerencia a obra, SL Miner,
e que, em 2008, realizou 10 simulados. Cubatão também apresenta plano que define responsabilidades para o gerenciamento e atendimento
em casos de emergências internas e externas,
reais e potenciais, como incêndio, vazamentos,
transbordos ou derramamentos de produtos
perigosos, desastres naturais, explosões, enchentes e lesões pessoais. Foram realizados oito
simulados internos e dois externos, em 2008,
definindo situações de emergências e crises para
verificação da eficácia do Plano de Atendimento
a Emergência. A unidade participa ativamente
do PAM (Plano de Auxilio Mútuo) junto com
27 empresas do Polo de Cubatão. A equipe de
brigada de emergência da operação foi reconhecida como eficiente em simulação avaliada por
equipe do Corpo de Bombeiros.
Em Catalão/Ouvidor um Plano de Preparação
e Resposta a Emergências está implementado
com a identificação dos principais cenários de
possíveis emergências na planta, e oito simulados anuais são feitos para verificação. A sede
administrativa em São Paulo está localizada em
edifício alugado e seu plano de emergência é o
do Condomínio São Luiz Gonzaga, que executa
dois simulados de abandono geral por ano.
Mais de 75% dos empregados são representados em comitês de saúde e segurança, de
acordo com os requisitos legais aplicáveis. São
Paulo não possui comitês obrigatórios (de acordo com requisitos da NR 5). Em Barro Alto há
cinco CIPAs (Comissão Interna de Prevenção de
Acidentes) em funcionamento, que são acompanhadas pela Anglo American por meio de um
Comitê Gerencial do Projeto Barro Alto, que se
reúne mensalmente. Os membros desse comitê
são os gerentes de contrato da Anglo American
e das empresas contratadas principais, além
dos gerentes de segurança. Nas reuniões são
apresentados os indicadores reativos e proativos
da área de segurança e saúde ocupacional, as
ações discutidas nos comitês em cumprimento
ao requisitos legais, contratuais e normas inter­
nas da Anglo American. O Comitê Gerencial é
­­acompanhado pessoalmente pelo diretor do Pro­je­to
Barro Alto. As empresas que possuem CIPAs são:
Camargo Corrêa, SLMiner, Areva, Total e GRSA.
A Asmec tem um número variável de empregados no projeto e, atualmente, apresenta número
mínimo, não sendo necessária CIPA in loco.
39
40
GENTE
Banco de Dados on-line
Em 2008, foi criado no portal The Source um
banco de temas sobre Segurança e Saúde Ocupacional, com temas ligados às Regras de Ouro
e experiências compartilhadas com as operações
da Anglo American. É um espaço comum para
todas as unidades acessarem conteúdo a ser
discutido nas reuniões de segurança.
LA7
Nos resultados apresentados, houve o aumento
no número de lesões, que pode ser avaliado
sob vários aspectos. Entre eles estão o maior
envolvimento e a conscientização dos empregados que tornaram o relatório de acidentes
mais preciso. No caso da operação de nióbio,
em Ouvidor, o aumento dos acidentes ocorreu
principalmente pela implementação do Projeto
€‚
€†‡

€Š
€Š‚
€ƒ
€

 ­
€

ˆ€ƒ‚
€Š
€ˆ†
€ˆ‡ 

ˆ€‡‚ 
€ˆ
‰ …­
‰ …­
€†ƒ
ˆ€ˆ
€Š

ˆ€†
ˆ€ˆ

 ­
€
€‡ €Š†
€‡
€‚ƒ
„ …­
„ …­
€
Destaque para as plantas de Niquelândia, Projeto Barro Alto e Cubatão, que mantiveram bons
desempenhos em relação à segurança e que resultou na indicação ao Prêmio de Segurança do
Grupo Anglo American – Chief Executive Safety
Awards (CESA). Em 2008, além das categorias
já existentes, foi lançada uma específica para
empregados, e o Brasil foi representado por
Pedro D’Imperio, coordenador de Manutenção
Mecânica e Serviços de Apoio em Cubatão. Das
cinco categorias premiadas em 2009, a Anglo
American Brasil, unidade de negócios Metais
Básicos, está representada em quatro delas.
†€Š‚
€‡ˆ
Tailings – para recuperação de nióbio contido
nos rejeitos da operação de fosfatados − e o
início das atividades em Lixiviação Ácida.
€ˆ‡ ‰­
€ˆ
€† ˆ€ƒ
ˆ€‚Š
ˆ€ˆ 
€‚
€
‰­
€Š
۠
۠
ˆ€ƒ‡

ˆ€‡

€‡ GENTE
NòMERO DE LESÍES* POR REGIÌO
2006
DIAS PERDIDOS (DTP)** POR REGIÌO
2007
2006
2008
3
1

2007
2008
0
0
53

0
66
 2
0
0
5


2
0

0
2
25

548
4
 
0
1


0
0
0
­€‚
ƒ€„
6
10
1
0
41


294
0
­€‚
…
†‡ƒˆ‰Š‰ƒƒ‹…­ˆ‰ŒƒƒŽ€„‘Œ€‘„‹
††‡ƒ’“…’“ŽŒ€„”ŒŒ‹
41
42
GENTE
Cubatão concorreu como a Operação que Apresentou Melhoria Significativa em Segurança e
disputou a categoria com outras quatro empresas do grupo. A dedicação e o investimento em
Gestão de Segurança já resultaram em melhorias
mensuráveis: o atendimento aos Protocolos de
Riscos Fatais em março de 2008 era de 57% e,
no final do ano, chegou a 71%, ultrapassando a
meta de 70%.
LA8
A operação de Niquelândia e o Projeto Barro Alto
disputaram a categoria Excelência em Desempenho de Segurança com outras seis empresas do
grupo Anglo American. Durante o ano de 2008,
foi intensificada a cultura de Segurança no Projeto Barro Alto, especialmente na identificação
de riscos, melhoria das condições de trabalho,
treinamentos e disseminação de iniciativas de
Segurança da Anglo American. Vale ressaltar
que, nesse caso, a maior parte do efetivo é de
contratados, demonstrando claramente que as
diretrizes da empresa são transmitidas da mesma forma que para seus empregados diretos.
O desempenho de segurança em Niquelândia
tem melhorado significativamente nos últimos
anos. A empresa investiu na implantação do
projeto de segregação de máquinas e pessoas,
bem como adequação da planta, dos equipamentos e do seu sistema de gestão de segurança aos requerimentos do Anglo Fatal Risks
Standards, Vehicle Management Plan e Anglo
Safety Way, além do enfoque em treinamentos
de capacitação em segurança, liderança e conscientização dos seus empregados.
Em maio de 2009, as operações brasileiras venceram nas seguintes categorias: Prêmio Especial
– Excelência em Desempenho em Segurança:
Projeto Barro Alto; Contratada Destaque em Segurança: Fagundes Construção/Unidade CatalãoOuvidor; Empregado Destaque em Segurança:
Luiz Pedro D’Império, coordenador de Manutenção – Unidade Cubatão; Melhores Práticas em
Segurança: Unidade Cubatão; Excelência em Desempenho de Segurança: Unidade Niquelândia.
Saúde ocupacional
Boa saúde é um bom negócio. Por isso, as boas
práticas em saúde ocupacional são tão importantes para a Anglo American. A atividade industrial da Anglo pode expor as equipes a ruído,
pó, vibração e tensões osteomusculares. Assim
como em Segurança, a meta e a visão em saúde
ocupacional têm como foco Zero Lesão.
Nossas normas
O Anglo Occupational Health Way compreende
um conjunto simples de normas e um sistema
de gestão que visam eliminar os riscos à saúde
ocupacional na operação. O enfoque está em
eliminar a exposição na origem por meio do
planejamento e da aplicação de soluções de
engenharia, em vez de fundamentar as diretrizes apenas na disseminação de atitudes seguras, como o uso de equipamentos de proteção
individual pelos empregados.
Qualquer incidente relacionado à saúde é totalmente investigado e comunicado, de modo a se
aprender com ele e evitar que ocorra novamente. Também foi desenvolvido, em parceria com
o Conselho Internacional de Metais e Mineração
(International Council on Mining and Metals −
ICMM) e o International Aluminium Institute, um
conjunto de definições para relatar doenças ocupacionais, o que possibilitará estabelecer uma
marca comparativa do desempenho da companhia em relação a outras empresas do setor.
Todas as ações estão alinhadas a uma postura
“zero”, que significa:
• Reconhecer que todas as doenças ocupacionais
podem ser evitadas.
• Determinação para evitar situações reincidentes que provocaram doenças ocupacionais.
• Implementar normas simples, inquestionáveis,
aplicadas consistentemente em toda a Anglo
American.
Os empregados e contratados participam de
programas de assistência direcionados a educação, treinamento e conscientização, prevenção
e controle de risco de doenças e tratamento e
atendimentos médico. Os de educação e treinamento também são estendidos às suas famílias
e à comunidade, com exceção da área de Exploração. No caso das unidades de Niquelândia e
fosfatados (tanto em Goiás quanto em São Paulo) também há atividades de aconselhamento.
No final de 2008, a política de AIDS foi atualizada para incluir dependentes e comunidade no
cuidado da empresa quanto a aconselhamento
e provisão de teste voluntário. A divulgação foi
feita por mural, portal, e será feita pessoalmente em 2009.
Em programa direcionado à educação, 5.315 empregados e contratados participaram de treina-
GENTE
43
Trabalhadores
Minera‹o Catal‹o,
Barro Alto: Codemin, Copebras Catal‹o,
Copebras Cubat‹o: Explora‹o: Explora‹o: Membros da
Comunidade
Explora‹o: Em Cubatão, mensalmente, 20 empregados são
sorteados para testes toxicológicos como parte
MM13
Familiares dos
Trabalhadores
mentos referentes à Segurança com o objetivo
de aumentar o comprometimento de todos com
o tema. Para prevenção e controle de doenças
relacionadas a riscos ambientais, 944 profissionais foram envolvidos para reconhecer, avaliar
e, consequentemente, controlar a ocorrência de
riscos ambientais existentes ou que venham a
existir no ambiente de trabalho. O programa de
Controle Médico e Saúde Ocupacional – também
para prevenção e controle de doenças – foi direcionado a 1.617 empregados e o Plano de Preparação de Resposta à emergência envolveu 917
pessoas na planta de fosfatados em Catalão e a
unidade de Exploração. Com a revisão da política de HIV/AIDS da companhia (ver página 36),
foi realizada durante a SIPAT (Semana Interna
de Prevenção de Acidentes de Trabalho) nova
divulgação sobre o tema abrangendo 100% do
efetivo da SIPAT, com exceção de São Paulo.

Barro Alto, Copebr‡s
Catal‹o: Minera‹o Catal‹o,
Codemin: Explora‹o: da política Dependência Química da empresa. A
ação preventiva tem como objetivo desenvolver
ações de sensibilização e prevenção junto aos
empregados sobre o conceito e o processo de
dependência química. Os testes ocorrem por
sorteio randômico, ou quando indicado pelo
Médico do Trabalho nos casos de acompanhamento.
Em 2008, não houve casos de doenças ocupacionais, com exceção de um caso na área de
Exploração em que um assistente de campo
teve um ferimento no calcanhar devido ao uso
constante de coturnos sem meias, por vezes em
condições de umidade.
As operações estão localizadas em regiões com
incidência de dengue (Cubatão e Goiás), em Catalão/Ouvidor doença de Chagas e atividades de
campo de Exploração no Pará e em Mato Grosso
geram riscos de doenças tropicais.
44
GENTE
Direitos humanos
HR1
HR4
HR6
A Anglo American Brasil é também signatária
de diversas iniciativas que apoiam a promoção
de direitos humanos, como o Pacto Global. O
Guia da Boa Cidadania – Princípios Empresariais documenta o alinhamento da empresa aos
princípios de Direitos Humanos estabelecidos na
Declaração Universal de Direitos Humanos das
Nações Unidas. Em relação à gestão, permanece
o posicionamento já apresentado nos anos anteriores, e suas políticas expressam claramente
sua intolerância com o trabalho escravo e a proibição do trabalho infantil, entre outros temas.
Rotineiramente, todos os compromissos assinados são considerados contratos de investimento, e as cláusulas de Human Rights (Direitos
Humanos) bem como os princípios empresariais
de boa cidadania são parte integrante de todos
os contratos de compra de materiais, de ativos
e aquisição de serviços, feitos sempre pelo software de gestão Ellipse. Figuram como exceção
os termos de parceria e investimentos sociais
feitos de 2005 em diante, mas que a partir de
2009 passarão a apresentar uma cláusula rela-
cionada a este assunto. O maior destes termos
sem esta cláusula foi o assinado com a Fundesba (Fundação para o Desenvolvimento de Barro
Alto –ver RS 2007), em 2007, no valor de R$
6.000.000,00, que não configura uma participação acionária de fato, nem foi relevante para as
demonstrações financeiras.
Não é permitida a contratação de menores de
18 anos por nenhuma operação ou área. A avaliação de risco para esta questão é feita periodicamente como parte do processo global de IRM
(Integrated Risk Management – gerenciamento
integrado de risco) e é auditada regularmente.
O trabalho de menores é permitido nas unidades
exclusivamente dentro do programa do governo
denominado Menor Aprendiz (ver página 30),
obrigatório por lei para incentivar a capacitação
profissional.
A companhia busca “promover igualdade no
local de trabalho e eliminar todas as formas de
discriminação injusta”. Durante o período do relatório não houve casos caracterizados como dis-
GENTE
criminação com base em raça, cor, sexo, religião,
opinião política, nacionalidade ou origem social,
conforme definidos pela OIT. Ao longo do ano,
foi identificado um caso de difamação, caracterizado como invasão de privacidade, na unidade
de Catalão e os responsáveis foram identificados
e demitidos pela companhia. Os procedimentos
internos também foram eficientes na investigação de denúncias referentes a casos de corrupção pelo Speak Up (Fale!) – sistema interno para
comunicação de informações, questionamentos e
denúncias. Após investigação ficou comprovado
que não houve evidências que apontassem casos
relacionados à corrupção, sendo que os dados
processos são verificados por auditorias internas
e externas sistêmicas competentes.
Nota: Casos podem ser ações judiciais, reclamações registradas
junto à organização ou às autoridades competentes por meio de um
processo formal ou não conformidade identificada pela organização
por meio de procedimentos estabelecidos.
Trabalho Forçado
No período reportado não houve ocorrências de
trabalho forçado nas unidades da companhia.
São mantidas cópias das fichas de registro dos
empregados, fichas de entrega de EP, registros
de treinamentos, livro de ocorrências do MTE
(Ministério do Trabalho e Emprego), alvará da
prefeitura, cópia das licenças ambientais e dos
alvarás de pesquisa mineral − quando necessário. É solicitado que os prestadores de serviços
também mantenham, nas áreas de trabalho,
documentação de seus empregados. Para o
45
Projeto Barro Alto há supervisão integral em
todas as contratações e subcontratações, além
disso serão realizadas auditorias externas para
prevenir ocorrências.
Em 2007, foi identificada a prática de trabalho
forçado por uma empresa subcontratada na obra
de Barro Alto, relatada por cidadãos locais. A
Anglo American fez com que a contratada EPCM
quebrasse o contrato da subcontratada imediatamente e a substituísse, alertando-a para a
inaceitabilidade de tal contratação. A informação
da causa do término do contrato foi comunicada
amplamente para se evitar recorrência. O caso
foi identificado em dezembro de 2007 e, entre
investigação e desligamento da empresa, o processo somente foi concluído em 2008, por isso
está sendo reportado somente neste relatório.
SO4
Segurança Patrimonial
Nas operações da Anglo American Brasil não
existem empregados próprios nas funções de
vigilância ou segurança patrimonial. Esses serviços são contratados de fornecedores externos,
pois são serviços especializados. O contrato
com as empresas fornecedoras desses serviços
inclui compromisso em observar nossos princípios descritos no Guia de Boa Cidadania Corporativa, que abordam vários tópicos relacionados
a direitos humanos e relacionamento com as
comunidades. Os requisitos legais e os detalhamentos dessa função foram abordados previamente pela companhia no RS2007.
HR7
HR8
46
HR9
MM11
GENTE
Em novembro de 2008, um incêndio atingiu parte do alojamento na obra de Barro Alto. Durante
a ocorrência, os seguranças patrimoniais, que
não possuem armas, notificaram as autoridades
policiais e seguiram os procedimentos estabelecidos pela companhia. A Anglo American tinha
ciência de que a polícia civil de Barro Alto foi
treinada em Direitos Humanos.
Foram acionados a Polícia Militar e o Corpo de
Bombeiros, e o incêndio foi controlado por volta
de 21 horas. Duas pessoas ficaram levemente
feridas e foram atendidas no hospital de Barro
Alto e, em seguida, liberadas. Cerca de 85% do
complexo alojamento foi destruído − contemplava 32 blocos de dormitórios, área de lazer,
lanchonete, banco, lojas, farmácias, barbearia e
campo de futebol. Restaram apenas nove pavilhões, a sorveteria e o cinema. Todas as pessoas que estavam no alojamento foram realojadas
ou colocadas em licença temporária remunerada
ou dispensadas temporariamente.
Direito Indígena
Não há casos de violação dos direitos indígenas
identificados em 2008 e não há atividades de
pesquisa mineral em localidades onde povos
indígenas tenham interesse explícito e comunicado à empresa. Em áreas de estudo localizadas
próximo a terras indígenas nunca houve nenhum
problema ou conflito entre as partes. Todas as
áreas de pesquisa mineral são verificadas com
antecedência quanto a sua propriedade pela
Coordenação de Direitos Minerários (CDM). Não
há permissão legal para atividades de pesquisa
mineral dentro de terras indígenas.
Para aperfeiçoar o tratamento da questão, a empresa desenvolveu durante o ano uma ferramenta dentro do SEAT, específica para identificação
das populações indígenas, de suas crenças e
seus interesses, para ser implementada em
2009. Atualmente, a empresa alinha sua gestão
da questão às orientações contidas na Política
e Padrões de Desempenho de Sustentabilidade
Social e Ambiental da International Finance Corporation (IFC). Neste contexto a empresa busca:
• Garantir que o processo de desenvolvimento
promova o respeito total à dignidade, aos direitos humanos, às aspirações, às culturas e aos
meios de subsistência baseados em recursos
naturais dos povos indígenas.
• Evitar os impactos negativos de projetos em
comunidades de povos indígenas ou, quando
não for possível evitá-los, minimizar, atenuar ou
oferecer compensação por esses impactos, bem
como dar oportunidades para os benefícios do
desenvolvimento de maneira apropriada culturalmente.
• Estabelecer e manter um relacionamento contínuo com os povos indígenas afetados por um
projeto durante a vida útil do mesmo.
• Promover a negociação de boa-fé e a participação informada dos povos indígenas quando
for planejada a localização de projetos em terras
tradicionais ou habituais de uso dos povos
indígenas.
• Respeitar e preservar a cultura, o conhecimento e as práticas dos povos indígenas.
Ou seja, a empresa leva em consideração os
mesmos aspectos relativos às comunidades,
respeitando a herança cultural, a tradição e a
prática do povo indígena.
GENTE
47
Gestão social
Comunidades
O ano de 2008 foi marcado por uma nova
etapa no relacionamento com as comunidades
a partir da aplicação do SEAT II, uma versão
ampliada da Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica (SEAT) desenvolvida pela
Anglo American, e que está implementada em
todas as operações do Brasil. Paralelamente, foi
realizado um balanço do primeiro PEC relativo ao
triênio 2006-2008. Além do SEAT, a empresa desenvolve o Anglo Social Way e o Social
Standard para avaliar e gerir os impactos das
operações nas comunidades em todas as fases
da operação. Mais informações sobre a entrada
de operações nas comunidades podem ser obtidas no RS 2007 (EIA-RIMA e PCAs). No caso
da área de Exploração, a ferramenta utilizada
é o SHEC-List (ver RS 2007) e existem planos
para a implementação do SEAT como forma de
gestão do relacionamento com a comunidade.
Com o auxílio de consultorias especializadas,
foram selecionadas pessoas de todas as unida-
des operacionais e da sede administrativa para
formar equipes com conhecimentos aprofundados sobre a metodologia. O objetivo era treinálos nas novas ferramentas e envolvê-los para
que participassem no processo de levantamento
de demandas e avaliação das ações realizadas
no primeiro triênio do PEC. Participaram das
entrevistas mais de 500 pessoas, sendo 143
em Barro Alto, 181 em Catalão/Ouvidor, 98 em
Cubatão, e 94 pessoas em Niquelândia, de diferentes entidades, ONGs, órgãos governamentais
e outros formadores de opinião.
Treinamento: fevereiro de 2008
Planejamento para coleta de dados: agosto de
2008
Consultas: novembro e dezembro de 2008
Análise de dados: janeiro a março de 2009
Produção de relatórios (inclui o processo
e o resultado de consulta): abril a junho de
2009
Discussão conjunta (Fóruns Intercâmbio):
maio de 2009
PEC 2009-2011: em elaboração
Perfil 4.15
Perfil 4.16
Perfil 4.17
SO1
Marcelo Galo, gerente
de Desenvolvimento
Sustentável de Niquelândia e Barro Alto,
conversa com representantes da comunidade.
48
GENTE
As principais mudanças entre as duas versões
da ferramenta ocorreram em função da própria
experiência da empresa na prática do relacionamento com as comunidades e abrangeram os
seguintes temas: maior abrangência em questões relativas à saúde e aos direitos humanos,
consolidação e simplificação de ferramentas
de avaliação e perfil; inclusão de ferramentas
para auxílio na gestão de relações com partes
interessadas e de orientação para capacitação e
apoio ao desenvolvimento da comunidade.
MM1
MM10
EC8
Em 2008, a empresa começou a discutir a estruturação da política social denominada Anglo
Social Way, com previsão de aprovação entre
2009 e 2010, e o Social Standard dentro do
Environmental Way (padrão geral para o estudo
de impacto ambiental e social na Anglo). Outro
fator levado em consideração foi a implementação a ferramenta 2 do Mine Closure Toolbox
(Caixa de Ferramenta para Fechamento de Mina)
que trata da revisão e adequação dos Planos
de Fechamento (aplicada em todas as unidades
com exceção da Exploração) e a Ferramenta 4E
do SEAT − gerenciando a dimensão social do
fechamento de Minas.
Inicialmente foi realizado um treinamento para
gerências e coordenadores envolvidos com a
área de sustentabilidade, para aplicação da
ferramenta que está dividida em três seções:
1. planejamento estratégico para o fechamento;
2. avaliação do plano existente; e 3. preenchimento das lacunas do processo identificadas
pela ferramenta. A Mine Closure Toolbox avalia
o fechamento em um contexto macro e com
enfoque em aspectos econômicos da operação,
levando em consideração as necessidades da
comunidade. Portanto, é utilizada em conjunto
com o SEAT II, que também apresenta uma ferramenta de fechamento, porém com abordagem
direcionada aos aspectos sociais e o impacto do
encerramento da operação na comunidade.
Atualmente, 100% das unidades que requerem
Plano de Fechamento (exceto SP) têm plano de
fechamento, revisado a cada três anos ou quando há alteração significativa no empreendimento
(ampliação, alteração de processo etc.), sendo
que a última revisão ocorreu 2008. Os custos
para fechamento são verificados anualmente
para provisionamento.
Principais aspectos relacionados ao
SEAT II
Programas e práticas desenvolvidas para avaliar
e gerenciar os impactos nas comunidades conta
com consulta a partes interessadas potencialmente afetadas. Os membros da comunidade
consultados são selecionados com base em
metodologia de análise de partes interessadas.
O Plano de Envolvimento com a Comunidade
mostra claramente quais os impactos diretamente gerados, as questões de corresponsabilidade,
as que não têm relação com a empresa, mas há
o desejo desta de se envolver, e as oportunidades. Os investimentos sociais realizados respondem essas quatro questões, especialmente
a última. A empresa é flexível para contemplar
projetos desenvolvidos pela própria empresa,
por parceiros que desenvolvem sob encomenda
ou ainda por outros parceiros que apresentam
projetos já prontos e que estão alinhados com
as necessidades das comunidades com as quais
a Anglo American trabalha. Encontrar formas de
otimizar o investimento é também fundamental
para potencializar as ações.
Um dos exemplos é o projeto de capacitação
e inclusão social relacionado ao basquete, em
Catalão, denominado “Chute, Tabela e Chuá”.
A iniciativa, aprovada em 2008 para aplicação
em 2009, consiste na capacitação em ofícios
relacionados à prática do basquete paraolímpico
e estímulo à inclusão do deficiente na sociedade
pela prática esportiva. O projeto foi desenvolvido e apresentado pela Federação Goiana de
Basquetebol em Cadeira de Rodas e estava
totalmente alinhado às expectativas da Anglo
American, que pode patrociná-lo com base nos
benefícios da Lei do Esporte.
Em 2008, a companhia destinou mais de R$
10,5 milhões em desenvolvimento e impacto de
investimentos em infraestrutura e serviços oferecidos, principalmente para benefício público,
sem engajamento comercial ou atividades próbono. Do total, R$ 1,87 milhão foi destinado a
Catalão/Ouvidor, R$ 1,47 milhão a Niquelândia,
R$ 1,42 milhão a Barro Alto, R$ 4,5 milhões
a Cubatão, R$ 338 mil à Exploração e R$ 822
mil a São Paulo. Não estão incluídos os R$ 2,5
milhões destinados à comunidade via Fundesba,
em Barro Alto. Os investimentos em espécie são
entregues em ativo, como construção de hospital, estradas etc., e não em valor financeiro.
GENTE
Impactos Diretos e Significativos
As unidades da Anglo American pagam aos
municípios impostos diretos e, de forma indireta,
contribuiram positivamente para as cidades ao
influenciar cotas de participação dos municípios
nos impostos federais e estaduais. Ressalta-se
o pagamento de ICMS (Imposto sobre Circulação
sobre Mercadorias e Serviços), o qual representa
valor adicionado para composição do repasse de
impostos para o município e a CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos
Naturais).
Em Niquelândia, o valor de impostos pagos pela
unidade ao município foi de R$ 3.238.873,34
em 2007 e R$ 2.549.104,95 em 2006. Na
Unidade de Barro Alto, o valor de impostos e
royalties pagos pela unidade ao município em
2007 foi de R$ 813.481,96, incluindo CFEM.
Na Unidade de Catalão/Ouvidor, o total de
impostos pagos ao município em 2007 foi
49
de R$ 723.189,98 e em 2006 o valor foi de
R$433.184,34. Durante a produção do relatório, a unidade foi a única que contabilizava o
valor pago em impostos em 2008 que foi de R$
1.657.412,91.
De acordo com a avaliação de dependência
econômica, em Niquelândia as empresas que
apresentam alto grau de dependência da Anglo American são responsáveis por 70% das
compras locais da empresa e são responsáveis
por 176 empregados. As empresas com baixo
e médio grau de dependência são responsáveis
por 551 empregos diretos.
Em Barro Alto, as empresas com alto grau de
dependência da Anglo American são as responsáveis pelo maior número de postos de trabalho,
sendo responsáveis por 95 empregos diretos,
enquanto as empresas com baixo grau de dependência são responsáveis por 27 postos de
trabalho direto.
EC9
Grau de dependncia
econ™mica dos
contratos da AA
Nœmero de fornecedores /
contratados e subcontratados
por grau de dependncia
Percentual das vendas dos
fornecedores sobre total de
compras locais da AA
Total de Funcion‡rios
nas Empresas
Grau de dependncia
econ™mica dos
contratos da AA
Nœmero de fornecedores /
contratados e subcontratados
por grau de dependncia
Percentual das vendas dos
fornecedores sobre total de
compras locais da AA
Total de Funcion‡rios
nas Empresas

 ­€‚ƒ­
€‚ƒ „…†­€‚ƒ
‡   ­€‚ˆ„‰€‚
„…­€‚„‰ƒ
€Š ‹†ŒŽƒ
‘­ŒŒ
ƒ‘…’“Œ„
‡ ƒ
50
GENTE
Barro Alto
Ficha técnica: 49 entrevistas individuais, sete
grupos focais externos, cinco grupos focais
internos
Entrevistados: fornecedores diretos e indiretos da empresa, vizinhos da mina, associações
proponentes de projetos, mídia – veículos de imprensa, formadores de opinião −, Poder Público
Municipal – executivo e judiciário, representantes do Ministério Público, da Saúde e Segurança
Pública −, organizações não governamentais,
religiosas e assistencialistas, pequenos produtores rurais, Fundesba, escolas municipais,
estaduais e particulares, Poder Público Municipal
– executivo e legislativo, empregados (diretos e
de empresas terceirizadas)
•D
esenvolvimento acelerado de Barro Alto e da
região e aumento do número de empregos
• Por meio dos fóruns a comunidade passou a
entender melhor quais são as intenções da
empresa na cidade
• Estímulo para que algumas empresas locais
desenvolvam seus negócios
mento do bairro Alfredo Batista, asfaltamento
de ruas dos bairros Dona Moça, Vila Esperança,
Santo Antônio da Laguna e do distrito de Souzalândia, construção da agência dos correios,
reforma do salão social da prefeitura, revitalização de ruas e construção de praça e pagamento
de dívidas com o INSS. Em Souzalândia, foram
construídos um salão social, uma escola, uma
creche e um salão para treinamentos, e foi adquirido um terreno para instalação de um aterro
controlado.
Por meio da parceria com o Sesi e a prefeitura,
está sendo foi construída a unidade Sesi de
Barro Alto, que oferece atividades esportivas,
de lazer e de ensino à população da cidade.
A Anglo American também firmou parceria
com a CARE Brasil, para um mapeamento das
atividades de Barro Alto, visando o fomento à
economia local, a mobilização social e melhorias
à educação. Serão reproduzidas experiências
bem-sucedidas, em outros estados, de implantação de tecnologias sociais como banco comunitário e fazenda escola. A CARE Brasil integra a
Projetos estimulam
a leitura e a
profissionalização.
•D
ificuldade da comunidade (comércio/empresas
locais) em planejar suas atividades em paralelo
com as necessidades da empresa
• Aumento nos custos de aluguéis e do tráfego
de caminhões
• Apoio à criação de oportunidades de qualificação profissional em atividades que não
estejam relacionadas à mineração
• Aumento na incidência de crimes, abusos de
drogas e violência
• Dificuldade em distinguir se os investimentos
são da empresa, da prefeitura ou Fundesba
A Anglo American destinou, entre 2007 e 2008,
R$ 10 milhões ao município conforme prometido
logo que o Projeto da Planta de ferroníquel foi
aprovado: R$ 6 milhões estão sendo repassados
em obras via Fundesba, R$ 3 milhões foram
diretamente à prefeitura do município para ações
emergenciais, e R$ 1 milhão para o Sesi. O
investimento destinado à prefeitura foi utilizado
em obras públicas, como iluminação e sanea-
federação internacional CARE, que é a segunda
maior ONG de ajuda humanitária e combate à
pobreza do mundo. A Anglo PLC assinou uma
parceria global com a CARE, e Barro Alto é a
primeira comunidade no universo da Anglo American a pôr em prática esta parceria.
Para atender os aspectos relacionados ao
desenvolvimento local, a Anglo American implementará em 2009, também em Barro Alto,
um programa de capacitação e fortalecimento
das políticas públicas em parceria com a ONG
NAPP. Esta ONG atua no estabelecimento de
diálogos entre governos e demais atores sociais
e no apoio a agências de desenvolvimento e na
organização de arranjos regionais.
Além disso, a empresa investiu em outros projetos em Barro Alto, como o projeto Camerata de
Violões, por meio da Lei Rouanet, Banda de Percussão, Centro de Pacificação Social, projetos de
capacitação profissional para jovens e adultos e
outros que somam mais de R$ 1 milhão.
GENTE
Catalão/Ouvidor
•
Ficha Técnica: 32 entrevistas individuais, 12
grupos focais externos, cinco grupos focais
internos
Entrevistados: empresas da localidade,
associações profissionais e de classe, Sistema
S, clientes, estabelecimentos de saúde, autoridades ambientais, autoridades do Trabalho,
autoridades de Segurança Pública, Poder Público
Municipal (Executivo e Legislativo), organizações
não governamentais, religiosas e assistencialistas, associações de bairros, escolas municipais,
estaduais e técnicas, universidades públicas e
privadas, poder público municipal, empregados
(diretos e de empresas terceirizadas), empresas
terceirizadas e vizinhos.
•R
iscos e impactos associados ao transporte
das mineradoras − falta segurança nos trevos
da empresa por falta de sinalização
• Manual para Elaboração de Projetos Sociais é
considerado complicado
• Demanda de capacitação para melhoria da
agricultura regional e auxílio para o desenvolvimento de novas alternativas de produção
• Empresa é elogiada por ter trazido preocupação com ensino técnico para cidade, mas ainda
faltam cursos técnicos que gerem empregos
•
•
•
51
nas empresas locais
Demanda de oportunidade aos jovens em programas de estágio
Percepção de diferença de investimento da
empresa entre Catalão e Ouvidor
Necessidade de aumentar a contratação local
de bens e serviços
Priorizar investimento social, pois ações são
quase assistencialistas
A Anglo American destinou, entre maio e
outubro de 2008, R$ 603 mil a investimentos
sociais, como o Projeto Cantinho da Leitura, o
Asilo São Vicente de Paulo, a Associação de
Idosos Luz e Vida de Ouvidor, o Rotary Club de
Catalão, a Secretaria de Saúde de Ouvidor, a
Santa Casa de Misericórdia de Catalão, o PROERD, o Projeto ASAS do IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais
Renováveis), a Festa do Rosário de Catalão e
o Encontro das Orquestras de Catalão, Barro
Alto e Niquelândia. Entre as 51 ações previstas
no PEC, 39 já foram realizadas e outras sete
estavam em andamento até dezembro de 2008.
No aspecto ambiental, a Anglo American apoia
o programa Pirapitinga Vivo, que visa recuperar e revitalizar as nascentes e o alto curso do
ribeirão Pirapitinga.
Lar do Idoso, em
Catalão, conta com
apoio da empresa.
52
GENTE
Moda e música
são foco em
Cubatão para
fortalecer o desenvolvimento local.
Cubatão
Ficha técnica: 26 entrevistas individuais, quatro grupos focais externos, três grupos focais
internos
Entrevistados: vizinhos, organizações não
governamentais, religiosas e assistencialistas,
mídia − veículos de imprensa, formadores de
opinião −, associações profissionais e de classe,
escolas municipais, estaduais e técnicas, universidades públicas e particulares, Sistema S, autoridades ambientais, autoridades do Trabalho,
autoridades de Segurança Pública, empregados
(diretos e de empresas terceirizadas), empresas
terceirizadas
•R
elacionamento e integração com demais
empresas do Polo Petroquímico de Cubatão e
com a comunidade em estágio inicial precisa
ser reforçado
•A
nglo Convida, programa de visitas da empresa, é boa iniciativa com potencial de expansão,
uma vez que outras empresas do Polo apresentam programas mais estruturados
• Falta de capacitação limita o desenvolvimento
das organizações e instituições assistencialistas locais
• Desenvolvimento da economia local ainda é falho. Embora os benefícios sejam reconhecidos,
os projetos de investimento social não apresentam em suas práticas de negócio políticas e
ações que contribuam para o desenvolvimento
local
Entre os projetos sociais locais já selecionados
pela Anglo American para investimento, estão
iniciativas para promover a capacitação profissional com enfoque em mulheres, deficientes
auditivos e jovens adultos. Estes projetos,
que receberão em 2009 investimento total de
cerca de R$ 300 mil, foram escolhidos entre
os 15 que foram recebidos pela empresa. As
propostas foram fruto de uma oficina realizada
em maio, a pedido dos próprios líderes comunitários, que os orientou sobre como estruturar
um projeto social. O principal projeto de 2008
foi o do Instituto Arte no Dique, no valor de R$
500 mil, recebidos em 2007, que permitiu que
fossem oferecidos diversos cursos de artes e
ofícios, como a Oficina de Moda, resultando no
lançamento da primeira coleção da grife sustentável Ecodique, com desfile realizado em 11
de dezembro. Com o apoio da Lei Rouanet, a
companhia também destinou R$ 500 mil para
trazer para a cidade a lona do Circo Roda Brasil,
com o espetáculo Oceano, realizado no mês de
outubro com ingressos populares.
GENTE
Niquelândia
Ficha técnica: 14 entrevistas individuais, sete
grupos focais externos, quatro grupos focais
internos
Entrevistados: Fornecedores diretos e indiretos da empresa, associações proponentes de
projetos apoiados pela AA, mídia – veículos de
imprensa −, Sistema S, Sesi, Senai, formadores
de opinião, representantes do Ministério Público,
autoridades de segurança pública, organizações
não governamentais, religiosas e assistencialistas, pequenos produtores rurais, escolas municipais, estaduais e particulares, Poder Público
Municipal (Executivo e Legislativo), empregados
(diretos e de empresas terceirizadas), fornecedores diretos e indiretos da empresa
•P
resença da empresa na cidade acelerou o
desenvolvimento da região, houve o aumento
da arrecadação do município e aumento na
geração de empregos
•T
emor de desativação das atividades em Niquelândia e transferência para Barro Alto
• Fornecedores locais continuam a buscar soluções conjuntas para aumentar negociações na
cidade
• Comunicação (Fóruns, SEAT e PEC): espaço
para diálogo com a empresa, obtenção de mais
informações. Empresa socialmente responsável
e mais transparente
• Prostituição infantil: aumento dos índices com
a chegada de homens para trabalhar em grandes empresas
• Dificuldade de encontrar mão de obra qualificada; todos querem trabalhar na AA
53
•M
anual de Projetos Sociais – dificuldade de
utilização
•R
elacionamento com empregados terceirizados:
diferenciação na política de benefícios
•P
roblemas na zona rural: falta de água e condições das estradas. Pede-se a criação de uma
escola rural e o incentivo à produção de leite
Em 2008, Niquelândia recebeu investimento
total de mais de R$ 1 milhão, com destaque
para o projeto Sinfonia do Cerrado, que recebeu
total de aproximadamente R$ 438 mil por meio
da Lei Rouanet, as ações do PEC, que receberam
aproximadamente R$ 343 mil, e a construção
da Capela Santa Terezinha, com investimento
de R$ 100 mil. O PEC contemplava 28 questões
reivindicadas pela comunidade e todas as ações
foram concluídas.
A Anglo American aprovou sete dos 20 projetos recebidos na cidade, e tem mais quatro
em estudo. Com a mesma ótica dos projetos já
existentes de geração de renda para pequenos
proprietários, a empresa estuda iniciativas na
área da pesca e da apicultura.
Arte e Cultura
Entre as ações que vêm sendo realizadas
estão as de apoio e de capacitação às
instituições locais e projetos culturais. Por
meio da Lei Rouanet, a Anglo American levou a todas as cidades o Grupo de Teatro
Armatrux, com os espetáculos Armatrux,
A Banda, Bilu e Corisco e Fósforos pegam
fogo mesmo!
Biblioteca interna,
em Niquelândia,
estimula a leitura
entre empregados.
54
GENTE
Políticas públicas
A Anglo American participa de iniciativas relativas ao desenvolvimento de políticas públicas
e lobby principalmente em questões referentes
à redução de tributos, legislação ambiental e
promoção do desenvolvimento local. Conheça
a seguir as principais ações continuadas da
empresa; algumas delas foram iniciadas antes
de 2006, mas são relevantes para o período do
Relatório de 2008:
SO5
Local
• Para a construção da nova planta de níquel em
Barro Alto, foi aprovada lei para a redução do
ISS (Imposto sobre Serviços) de 4% para 2%,
pelo período da construção da usina, resultando
em uma diminuição da carga tributária de R$
10.000.000,00. O valor foi integralmente aplicado em projetos de infraestrutura e de apoio
ao desenvolvimento local do município, integralmente (ver página 50). O benefício é consequência de uma reunião com o prefeito e a Câmara
Municipal da cidade para viabilizar a redução
do imposto e a criação da entidade denominada
Fundação para o Desenvolvimento Econômico e
Social de Barro Alto (Fundesba), cujo objetivo
é a melhoria da infraestrutura comunitária e o
desenvolvimento da cidadania.
• Em dezembro de 2004, a companhia assinou
com o Estado de Goiás um contrato relacionado
ao programa Produzir (ver página 21) e envolveu diversas discussões com a Secretaria da
Fazenda, Secretaria da Indústria e Comércio e
Agência de Fomento, todos do Estado de Goiás.
A Anglo American apresentou comprovação de
idoneidade de suas atividades, e os investimentos feitos na Unidade de Niquelândia somaram o
valor de mais de R$ 95 milhões.
• Ação junto às prefeituras de Niquelândia e
Barro Alto, para que participassem ativamente
do programa de capacitação e desenvolvimento
do Plano Diretor Democrático da Secretaria do
Estado de Goiás. Também é seu compromisso
incentivar a participação popular nas definições
para o futuro dos municípios e apoio financeiro
para uma parte da elaboração do Plano Diretor.
Nacional
• Engajamento no empenho setorial contra o aumento do valor da CFEM (Contribuição Financei-
ra para Exploração Mineral) junto ao Ibram (Instituto Brasileiro da Mineração). Representantes
da empresa participaram de comitês legais e das
reuniões com o Ministério de Minas e Energia.
• Participação, por meio da Ibram, em mobilização setorial para inserir na legislação de
Recursos Hídricos a perspectiva da mineração.
Foi criado um Programa Especial de Recursos Hídricos na entidade, supervisionado por consultor
em hidrogeologia, com participação ativa nas
Câmaras Técnicas do Programa Nacional de Recursos Hídricos. O principal aspecto da discussão é que a mineração tem impacto positivo nos
recursos hídricos na medida em que faz com que
a água subterrânea seja extraída e disponibilizada. Para a indústria esta especificidade deve ser
considerada nas discussões com demais usuários em Comitês e Agência de Bacia Hídricas,
que estabelecem valores de custo da água.
• Como afiliada da FIESP, a empresa participa
ativamente de discussões em Câmaras Técnicas,
Fóruns e Congressos, a fim de cooperar na interpretação de Legislação Ambiental referentes a:
• Gestão Ambiental
• Normas da série ISO 14000
• Licenciamento Ambiental
• Mudanças do Clima
• Prevenção e Controle da Poluição
• Emissões atmosféricas
• Camada de ozônio
• TCFA (Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental)
• Lei de crimes ambientais
• Políticas de Recursos Hídricos e Saneamento
• Conselhos e Comitês de Bacias, outorga, cobrança pelo uso da água, tratamento e disposição final de efluentes industriais, conservação e
reúso de água
• Gestão e gerenciamento de resíduos: políticas públicas (Políticas Estadual e Nacional de
Resíduos Sólidos), normas técnicas e jurídicas,
Cadri (Certificado de Aprovação de Destinação
de Resíduos Industriais)
Representantes da empresa participam de Câmaras Técnicas, Grupos Temáticos, Conselhos
de Gestão, entre outros grupos específicos que
tenham em pauta o benefício da comunidade, a
promoção do desenvolvimento sustentável e o
gerenciamento dos Recursos Naturais.
GENTE
Impactos na Comunidade
O incêndio ocorrido nos alojamentos do Projeto
Barro Alto (ver página 46) resultou em impacto na comunidade, uma vez que mais de 2 mil
contratados foram realocados emergencialmente
em hotéis, alojamentos e ginásios de esportes
de municípios vizinhos. Para estes operários,
foi assegurado transporte, alimentação e toda
a assistência necessária. A preocupação e o
compromisso da Anglo American e de suas
contratadas foi evitar transtornos adicionais à
população. Por isso, os trabalhadores que não
foram realojados ou que foram inicialmente
alocados em ginásios improvisados, retornaram
às suas cidades de origem, e ficaram sob licença
remunerada até que a nova condição de alojamento estivesse disponível.
Durante o período referido, a companhia também entrou em negociação com a Comunidade
de Ouvidor, em função da ampliação de sua
barragem de rejeitos (ver página 80). Com a
obra, um cemitério rural precisou ser deslocado.
55
A empresa, com autorização das famílias, removeu as ossadas e as realocou em campas novas
no cemitério local.
Reassentamento
A Anglo American não apresenta processo específico para situações de reassentamento voluntário e/ou involuntário, e a aquisição de terras é
feita em função da necessidade identificada no
projeto. Não há procedimento padrão, mas antes
o proprietário é procurado e, se apresentado
interesse em negociar as terras, inicia-se o processo de negociação, incluindo alinhamento com
a Diretiva do Banco Mundial sobre Reassentamento Involuntário. A Anglo possui práticas de
consulta às comunidades e às partes afetadas,
que auxiliam a identificar quaisquer impactos
associados a essas negociações de terra.
Em 2008, foram adquiridas terras para o Projeto
Jacaré, no Estado do Pará − município de São
Félix do Xingú, sem gerar reassentamentos
involuntários.
MM7
MM9
56
GENTE
Produto
PR1
Perfil 3.10
Os produtos da companhia – ferroníquel,
ferronióbio, fosfatado bicálcico, fertilizantes
fosfatados e ácido fosfórico e sulfúrico – estão
sujeitos a esforços sistemáticos de análise dos
aspectos de saúde e de segurança dos mesmos
ao longo dos respectivos processos de produção. A gestão de responsabilidade está vinculada, principalmente, aos aspectos de segurança
e saúde da ISO 14001. Os procedimentos são
os mesmos para todos os produtos listados, e
sua análise de ciclo de vida vai até a etapa de
fabricação, não sendo abordadas ainda as etapas de venda e de pós-consumo. Durante o ano,
a companhia cumpriu as etapas referentes ao
processo de alinhamento aos padrões estabelecidos pelo REACH.
Os estágios de ciclo de vida 100% avaliados
nos produtos Anglo American são fabricação,
marketing e armazenamento. Em relação ao ano
anterior, era considerado um produto em que o
estágio de ciclo de vida era completo, incluindo as etapas de venda e pós-consumo: STPP.
Porém, a produção foi descontinuada em março
de 2008 (ver RS 2007). A análise de ciclo de
vida do ferronióbio permanece em elaboração
e discussão no programa de avaliação de ciclo
de vida da Anglo PLC para todos seus produtos.
Como não existe fase de desenvolvimento de
produto na atividade da Anglo American, essa
fase não é avaliada. Para a fase de uso e serviço, somente ferroníquel tem os impactos na
saúde e segurança avaliados.


GENTE

57
Os procedimentos são auditados anualmente
para o ferroníquel e o ferronióbio, e semestralmente para os fosfatados, por amostragem,
pela BVQI (Bureau Veritas Quality International).
Prioritariamente, a companhia monitora ferroníquel, ferronióbio, ácido fosfórico e fosfato bicálcico levando em consideração sua importância
para questões de saúde e segurança.
A empresa avalia e divulga sistematicamente
informações relacionadas ao “conteúdo a respeito de substâncias que possam gerar impacto
ambiental ou social”, bem como o “uso seguro
dos produtos” ao longo do processo de extração
e produção. Para as etapas de consumo após
entrega e até destinação final, o conhecimento
e fornecimento de informações técnicas dos
produtos às diversas partes interessadas é feito
a partir de estudos de análise de ciclo de vida e
testes realizados para atendimento à legislação
europeia (Reach) e ao Sistema Global Harmonizado (GHS). No período abrangido pelo relatório, o único produto coberto por estudos sobre
“disposição do produto e impactos ambientais/
sociais” foi o ferroníquel.
Durante o período reportado, a empresa registrou duas infrações por não conformidade em
relação aos produtos. A primeira, na categoria
de Superfosfatados, em que foi identificado
que o teor de enxofre estava com deficiência
da ordem de 24%, fora do limite de tolerância
estabelecido em relação à garantia registrada. A
segunda ocorrência também apontou deficiência
de 21,08% no teor de enxofre.
Semestralmente, a companhia realiza pesquisas
de satisfação com seus clientes, a partir do
recebimento de avaliação dos lotes entregues e
por consultas ativas sobre a qualidade do produto junto a eles. Reclamações ou desvios são
tratados como não conformidades do Sistema
de Gestão Integrada e funcionam como análise
paralela de avaliação de satisfação. Não foi realizada pesquisa de satisfação para ferronióbio.
PR3
PR4
PR5
58
INDICADORES DE OIOIOIO
Gestão Ambiental ...... Inventário GEE ...... Energia ...... Água Menos é mais Verde que te quero verde Emissões, efluentes e resíduos 59
62
63
67
69
78
79
TERRA, ÁGUA E AR
As suas unidades estão certificadas pelas normas de Gestão
Gestão
ambiental
de Qualidade (ISO 9001: 2000),
de Gestão Ambiental (ISO 14001:
2004) e de Gestão de Segurança
e Saúde Ocupacional (OHSAS
18001:1999) que, conjuntamente, garantem mais eficiência ao
planejamento da companhia.
Em 2008, as operações foram recertificadas na ISO 14001, conforme planejado. As
diretrizes da ISO 14064, relativa a mudanças
climáticas, também são levadas em consideração sob todos os seus aspectos, embora a certificação esteja prevista para anos
futuros. Os aspectos relacionados à gestão
mantêm os mesmos padrões dos já referidos
no relatório do ano anterior.
A agenda estratégica da companhia inclui
discussões sobre o impacto de mudanças
climáticas em suas operações, e são feitas
análises de riscos referentes ao tema para
todos os projetos acima de US$ 50 milhões.
As análises incluem outros temas fundamentais para a companhia, como energia, água,
biodiversidade, emissões e resíduos.
59
60
TERRA, ÁGUA E AR
As iniciativas desenvolvidas pela Anglo American estão, principalmente, no campo da energia:
• Eficiência no uso de energia
• Redução na emissão de gases de efeito estufa
(GEE)
• Uso de energias renováveis (biomassa)
• Investimento em novas tecnologias
• Oportunidades associadas ao mecanismo de
desenvolvimento limpo (MDL)
• Disseminação de conceitos relativos ao tema
EC2
Riscos Físicos
Um dos principais aspectos avaliados é a
elevação da temperatura média em todas as
regiões brasileiras, gerando o aumento do risco
de incêndio e das queimadas, principal fonte
de emissão de GEE no Brasil. Nesse sentido,
a empresa atua fortemente na gestão e no
controle de suas áreas de reflorestamento para
prevenção de incêndios. Em agosto de 2008,
a campanha “Queimadas não, preservação
No país, desde 2007, a empresa tem invessim” conscientizou a população sobre o risco
tido
no inventário de gases de efeito estufa
deste tipo de prática, além de reduzir focos de
para definir seu padrão de emissões e analisar
incêndio, fiscalizar
o uso de fogo
e incentivar a
as
oportunidades de redução. O inventário
formação de brigadas de combate aos incêndios

traz
informações sobre o consumo de energia
florestais, na região de
Niquelândia, Barro
Alto e

e
emissões de processo, permitindo também
vizinhança.

acompanhamento
da eficiência energética da

empresa
e oportunidades de melhoria.
A busca por fontes de combustíveis sustentá ­€‚
ƒ

„
veis levaram a empresa
a utilizar fontes alter
nativas como Tail Gas – resíduo utilizado como

…
Champions (campeões) de Energia

(fosfatados) e 
combustível em Cubatão
cavaco
A empresa possui um grupo de facilitadores
‚†

– biomassa das áreas de reflorestamento de
que atualiza e acompanha periodicamente o
‡ˆ‰Š‰‹

Catalão (fosfatados) e
Niquelândia (níquel).
consumo de água, energia e de emissões de
‡ˆ
ŒŽ‘Ž’‡ˆ

‡
‰‹

gases de efeito estufa em relação às metas

estabelecidas em cada unidade. Os Cham“
pions também incentivam novas iniciativas de
„”­‚­
€
eficiência energética e mitigação de emissões


de GEE, e as informações são comunicadas
“†Œ—
™ŒŽšŒ“€‚‡›œ
aos Comitês Gerenciais que utilizam os dados
…‡“†Œ˜—
„…‡‹“†Œ˜—
e o desempenho das ações para definir planos
e ações dos próximos períodos.
•
‚“
–­–­
–­–­
–­–­

‡‹
†­
–
‡
‚­‹­

“†Œ—
…‡“†Œ˜—
„…‡‹“†Œ˜—

„

„

„

„

„
TERRA, ÁGUA E AR
Riscos Regulatórios
A empresa aderiu voluntariamente ao cumprimento de normas e diretrizes globais corporativas no que se refere à emissão de GEE. Em
termos de riscos regulatórios, caso seja introduzidas metas obrigatórias no Brasil, empresas
que não estejam preparadas para cumprir com
metas de redução podem ter impactos financeiros em custos operacionais. A aplicação de
metas obrigatórias em outros países atendidos
pela empresa também poderiam gerar risco
potencial indireto em função de investimentos
adicionais em tecnologia ou redução de atividades de exportação.
tadas pelas regulamentações ambientais locais
e nacionais. A Anglo American trabalha proativamente e em parceria com o setor público para
o desenvolvimento de padrões que melhorem
a qualidade do ar e minimizem os efeitos das
mudanças climáticas no Brasil, a fim de mitigar os efeitos de emissão de GEE. Em 2008,
a companhia assinou o Protocolo Brasileiro de
GHG (Greenhouse Gas), uma parceria do CEBDS
(Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável) com a Fundação Getúlio Vargas, para desenvolver uma ferramenta de
medição comum e adaptada à realidade brasileira para identificar e gerenciar as emissões dos
gases de efeito estufa.
Incertezas na regulamentação ambiental é
outro fator importante uma vez que obtenção e
renovação de licenças operacionais são orien-
Todas as unidades da companhia apresentam
metas de redução de 10% em emissões até
2014, considerando como base o ano de 2004.



­€‚
ƒ

…

‚†

‡ˆ‰Š‰‹
‡ˆ
ŒŽ‘Ž’‡ˆ
‡
‰‹

“
„”­‚­
€

“†Œ—
…‡“†Œ˜—
„…‡‹“†Œ˜—



„





™ŒŽšŒ“€‚‡›œ
61
62
TERRA, ÁGUA E AR
Oportunidades e Vantagens
O atendimento das metas fará com que a
empresa esteja mais preparada do que seus
concorrentes no caso de aprovação de uma
legislação mais restritiva. O desenvolvimento
do inventário de emissões, iniciado em 2007, é
a primeira etapa na identificação do carbon footprint (pegada de carbono) dos produtos Anglo
American, que a preparam para competir em um
mercado internacional restritivo.
Oportunidades em MDL são consideradas vantagem competitiva* a partir do momento em que
os créditos de carbono podem ser transacionados entre as unidades operacionais. Com o fortalecimento de políticas e mercados de crédito
de carbono, a empresa poderá transferir créditos
gerados no Brasil para as unidades instaladas
em países desenvolvidos.
A empresa se prepara para determinar quantitativamente os riscos financeiros gerados por
mudanças climáticas e, atualmente, estudos
qualitativos estão em andamento para caracterizar fontes de riscos.
O desenvolvimento de tecnologias que permitam a reciclagem e a reutilização de resíduos
traz potencial ganho econômico para a Anglo
American. Resíduos não minerais são descartados em aterros, mas a empresa vem estudando
formas de uso para comercializar o material
residual da extração de commodities. Um bom
exemplo é o uso da escória dos fornos de
redução e refino na produção de aditivos para
a indústria de cimento. Outro é o pó coletado
nos exaustores da Unidade de Niquelândia que
passou a ser recirculado no processo para recolhimento do níquel contido.
A empresa se prepara para determinar quantitativamente os riscos financeiros gerados por
mudanças climáticas e, atualmente, estudos
qualitativos estão em andamento para caracterizar fontes de riscos.






Tail Gas
Gás residual proveniente do processo produtivo de negro de fumo, produto base para
fabricação de pneus e pigmentos corantes,
realizado em empresa de terceiros, localizada nas vizinhanças da propriedade da
Anglo American, em Cubatão. Anteriormente, a empresa produtora, por não ter outra
alternativa, enviava esse gás para queima
direta em equipamentos denominados Flares
(queimadores). Em vez de lançar o gás
excedente para a atmosfera, o mesmo era
queimado e se tornava gás carbônico. Com
a opção de enviar esse gás para utilização
como fonte de calor na operação de granulação da Anglo American de Cubatão, a
empresa fornecedora deixou de queimá-lo
diretamente. Além disso, proporciona a
redução da utilização de óleo combustível e/
ou gás natural, embora seja necessário volume maior de Tail Gas para que seja gerada
a mesma quantidade de calor, devido a seu
poder calorífico ser menor que o do óleo
combustível.
* O protocolo do indicador requer reporte de vantagens
competitivas potenciais criadas por mudanças regulatórias ou
tecnológicas relacionadas às mudanças climáticas.
Inventário GEE
Parte dos indicadores GRI deste relatório foram
obtidos pelo inventário de GEE já mencionado.
O documento foi desenvolvido com base nas diretrizes definidas no “Greenhouse Gas Protocol:
A Corporate Accounting and Reporting Standard – Revised Edition da WRI (World Resources
Institute)” e WBCSD (World Business Council for
Sustainable Development).
Apesar do consumo de energia e emissões do
Projeto Barro Alto terem sido calculados no inventário de 2008, os dados não foram incluídos
nos indicadores, pois se trata de um projeto em
construção e, enquanto não estiver operando,
não é viável a comparação de desempenho
anual.
A empresa elaborou inventários de Gases de
Efeito Estufa (GEE) em 2007 e 2008 para, a
partir da análise da evolução dos resultados,
TERRA, ÁGUA E AR
poder avaliar a eficácia de suas iniciativas de
redução de emissão. Em maio de 2008, a companhia tornou-se membro-fundador do Programa
GHG Brasileiro e decidiu que o inventário passaria a ser atualizado anualmente de acordo com
este protocolo. O documento atualizado passará
a ser divulgado, estimulando a prática no setor
privado. Assim, as emissões de CO2 são avaliadas anualmente e globalmente de uma maneira
reconhecida internacionalmente. Nos próximos
anos, esses dados serão reportados, tornandoos basepara decisões de investimento.
63
um volume maior de Tail Gas é utilizado se compararmos ao volume das substâncias que eram
utilizadas. Ainda assim, os benefícios da queima
de Tail Gas são evidentes nas emissões de SOx,
NOx, CO2, CH4 e N2O.
As principais fontes de energias não renováveis
utilizadas pela companhia são: óleo diesel, óleo
combustível, gasolina, gás natural (GN), gás
liquefeito de petróleo (GLP). As renováveis são:
cavaco de madeira, álcool e biodiesel. O sebo
animal utilizado em 2007 não foi utilizado em
2008.
Energia
Energia Direta
Em 2008, a redução na produção, principalmente na Unidade de Niquelândia que reduziu o
consumo de óleo combustível, gerou queda no
consumo de combustíveis renováveis e não renováveis. Em Cubatão, o fechamento da planta
de STPP (ver RS 2007) também afetou o resultado total. Na mesma planta, o Tail Gas passou
a ser utilizado no processo. A substância era
queimada em Flare (chama que fica acesa em
torres de refinaria) por um fornecedor, por se
tratar de gás excedente. Com o uso do Tail Gas,
o fornecedor deixou de queimar esse gás, e a
Anglo reduziu seu consumo de óleo combustível
e gás natural. Para que seja obtida a mesma
quantidade de calor necessária para o processo,
Energia Indireta
Apenas o consumo de eletricidade é fonte de
energia indireta nas unidades Anglo American e
é fornecido pelo SIN (Sistema Integrado Nacional Brasileiro). Para a unidade de Cubatão da
Anglo American, além do consumo de eletricidade fornecido pelo SIN, há o consumo de eletricidade fornecida por outro produtor, porém gerada
à base de uso do Tail Gas, que apresenta fator
de emissão superior ao fator de emissão da rede
elétrica (denominado grid).
A redução da produção também gerou diminuição no consumo de energia nas unidades. Em
Cubatão, o encerramento da planta de STPP
também foi fator relevante para esta diminuição.



 ­ 

 ­ 
 
€‚­

€‚­


­

EN3
EN4
64
TERRA, ÁGUA E AR
Iniciativas relacionadas à redução
de consumo de energia
A crise mundial fez com que a implementação de iniciativas para redução de consumo
de energia na transformação de seus produtos
fosse suspensa. Entre as oportunidades identificadas estavam o aumento do uso de cavaco
de madeira, instalação de motores e iluminação
mais eficientes, em todas as suas instalações.
Alinhada à estratégia corporativa de reutilização de resíduos, a Unidade de Cubatão utiliza
energia elétrica gerada pelo fornecedor a partir
de Tail Gas (ver página 62). Em 2008, passou a
substituir parte do óleo combustível, ajudando a
empresa a diminuir sua dependência de substâncias não renováveis. Portanto, a redução do
consumo pode ser analisada pelo aspecto da
queda da produção, mas também pela redução
do consumo de óleo combustível. Nos próximos
anos, poderá ser feita uma análise mais precisa sobre o impacto da produção versus o uso
do Tail Gas. No ano de 2008, o uso de óleo
combustível caiu em 96,5% diante da queda de
16,7% da produção.
Em 2008, em razão de um projeto de substituição dos caminhões terceirizados que realizam o
transporte de ferroníquel, a companhia diminuiu
o consumo de diesel comum em 8,7%, no trajeto Niquelândia-Porto de Santos.
Emissões Atmosféricas totais diretas e indiretas
A Unidade de Niquelândia é responsável por
76% das emissões diretas da companhia e a
de Cubatão, por 86% das emissões indiretas.
Assim como no consumo de energia, a queda da
produção e o encerramento da planta de STPP
fizeram com que houvesse diminuição de suas
emissões totais diretas e indiretas. As emissões
indiretas são baseadas na produção de energia
elétrica do SIN, que é produzida por hidrelétricas, além de termoelétricas e geradores. Como
as hidrelétricas produzem emissões menores, as
emissões indiretas são reduzidas. A exceção é
a unidade de Cubatão cuja energia é gerada por
termoelétrica (energia elétrica adquirida de empresa vizinha, advinda do sistema de cogeração
a partir da queima de Tail Gas).
EN6
EN16
EN17
Mesmo com iniciativas suspensas, a empresa
conseguiu implementar ações pontuais. Em
2008, em Catalão (fosfatados), foi iniciado o
processo de substituição de motores convencionais por novos, de alta eficiência, que prevê
uma redução de 4,6% no consumo ao final do
processo, equivalendo a 5.766.788 kWh. A instalação completa ocorre em 2010, e o mesmo
processo será aplicado em Catalão (nióbio) e em
Cubatão. Prevê-se o ganho de energia de 2.100
MW/ano, aproximadamente 2%.
Para este relatório, não foi ainda possível fazer
uma comparação direta entre os dois anos em
razão das mudanças dos fatores de cálculo de
emissões. Nota-se um aumento de quase duas
vezes esse valor, embora o fator continue sendo
pequeno: 0,0484 t CO2/MWh para 2008, e
0,0293 t CO2/MWh para 2007. Apesar do menor consumo de energia elétrica, as emissões de
2008 foram maiores em todas as unidades, com
exceção de Cubatão.
Outras emissões indiretas
O consumo indireto, por meio de fornecedores,
também é uma preocupação para a Anglo American. Em função da constituição do inventário, a
empresa tem desenvolvido um banco de dados a
fim de monitorar o desempenho de fornecedores
e prestadores de serviço, de viagens de negócios e transporte de empregados para mensurar
de forma mais consistente as iniciativas de
eficiência energética.


îleo combust’vel
22,66
0,67
Total da Unidade
390
280
Existem também fontes de outras emissões
indiretas como geradores, fontes móveis de
combustão (veículos, locomotivas e equipamentos pesados), equipamentos e veículos utilizados no transporte de minério e matérias-primas,
disposição dos resíduos de matéria orgânica em
aterros terceirizados e viagens de aeronaves
realizadas pela empresa.
Em 2008, a companhia adotou uma medida mais
conservadora para o cálculo, considerando que
todo resíduo orgânico gerado sofreu degradação
completa, resultando em aumento das emissões
de metano e CO2e. Os resíduos são entregues
a terceiros e, portanto, a responsabilidade e o
controle da empresa são limitados. Dessa forma,
TERRA, ÁGUA E AR
a adoção de um valor conservador torna-se mais
responsável até que se estabeleça uma estratégia de controle e de acompanhamento.
Unidade de medida do impacto das emissões sobre o clima do
planeta. Todos os gases são transformados em CO2-equivalente,
de acordo com um fator de conversão. Assim, por exemplo, uma
tonelada de metano

 


­€‚€ 
­€‚€ 
 


­€‚€ 
­€‚€ 

 
­€‚€ 


­€‚€ €ƒ„
€…†
‡€‡
ˆ„ ‰‚€Š€€‰€
€‡‹‡€Š€€Œ€
€‡
Ž‘’‡‹‡Š…Š‚“‡“
ˆ
’Š…Š
€
”Š•
•Š
‡Š“‡–—‘€Š€€Œ€
ˆ€
‹€‚Š€Š˜˜Š€€€Š€€Œ€‚Š
€Š˜
65
66
TERRA, ÁGUA E AR










­€‚

ƒ
„
‚
€
ƒ
„
‚
…†‡ˆˆ‡‰Š‹ŒŽ
‡
‘
„
’
„‡
‡““‡
‡
‘
ˆ‡
Š‡Š”
‡“•
„‡ˆ–
‡
‘
“‡‡€—‡ˆ‰‡‡
Š’Š
……Š’ŠŠ
„
‰„‡
‡Š
‡
‡
‘
………


„‡
‰˜
Š‡™Š–
Š­š›‡
‰
EN18
EN20
Iniciativas para redução de emissão
de GEE
Óxido de Nitrogênio (NOX) e Óxido de
Enxofre (SOX)
As iniciativas – todas voluntárias – são recentes
e ainda não foi possível a mensuração da redução do uso de energia decorrente de sua implementação. Pode-se destacar o uso do Tail Gas
(ver página 62) como substituto parcial do óleo
combustível no forno secador em Cubatão; essa
substituição propiciou a redução das emissões,
mas não se pode medir a proporção de redução
das emissões originadas pelo seu uso e pela
queda de produção. Outro benefício considerado é a redução das emissões proporcionais no
fornecedor que antes queimava o Tail Gas em
flare e que, agora, deixa de emiti-lo. A substituição de motores (ver página 62) também terá
a respectiva redução medida no próximo período
de relatório, sendo que a estimativa de redução
é de 279,11 toneladas de CO2eq em Catalão e
68 toneladas de CO2eq em Cubatão (em ambos
os casos, utilizando o fator das emissões de
geração de eletricidade de 2008).
Em Niquelândia, a empresa passou a contabilizar para o relatório de 2008 as fontes móveis
de terceiros, incluindo a frota de transporte de
madeira. Essa decisão resultou em uma modificação no valor das emissões em relação ao ano
anterior, aumentando o resultado das emissões
de óxido de nitrogênio. Nas emissões de óxido
de enxofre, houve redução, fruto da queda de
consumo de óleo combustível, principalmente
em Niquelândia e Catalão/Ouvidor (nióbio). Em
2008, foram consideradas as emissões de SOX
nas unidades de fosfatados, calculadas pela
própria empresa que utilizou metodologias de
cálculo diferentes para as outras fontes de emissão. Para o próximo ano, as várias metodologias
deverão ser integradas.







 






 






­
€‚ƒ „ …… ‚† ‡ƒˆ
TERRA, ÁGUA E AR
‹™š›œ
ŒžŸ
¡™œ‹
£žš
£žš
£Ÿ£
Š‡ £Œ™£œ¡
£‹™Œ¡
œ™œ¡
Š‡
¢‘—
…
¤
£‹
£™£
œ‹
š£
¡Œœœš¡
Œ›Œœ
ŒŒš‹Œ‹
Š‡
Š‡
¤
™
™
™
£ŸŒ‹
¡™¡ž
Œ‹£š
£Œ
£ž
›Ÿ
‹œŒ‹
žž¡ž
Œœ›š
67

 
­€‚
ƒ„…†‡
ƒ„‡ƒ„‡ˆ‰
ƒ„‡Š‹ŠŒ‡‚

‡
Ž‘’
‰‡‚“†
‚
‘
”‰
•–
‡Š‹‚
—‚˜
Š‡
Š‡
¤
™
™
™
£Ÿ‹Ÿ
£ŸšŸ
£Ÿ››
£›
£‹
™œŒ
£›œŸ
£š™Ÿ
£š››
¢¥‰
‰‘‘
‚¢Š¦
‘‘”‰‚
„‰‰­ˆ§‹™™š

‚
‹™™›Ž‚
Água
A gestão de recursos hídricos busca minimizar o consumo de água em suas operações e
garante a qualidade dos corpos hídricos sob sua
influência. A empresa tem diretrizes e metas
corporativas para seu uso a fim de possibilitar a
redução de impactos ao meio ambiente, a garantia de saúde dos empregados e contratados e
a disponibilidade de água para as comunidades
vizinhas. Embora não haja meta corporativa para
a redução no diversificado consumo de água, a
divisão de Base Metals (ou Metais Básicos) adotou desde o principio o valor de 15% em relação
a 2004, alinhado com a da energia. Porém,
depois de analisar o uso eficiente das unidades
ao redor do mundo, a matriz revisou as metas
locais, pois várias operações já operam na eficiência máxima do uso do recurso natural.
A captação de recursos hídricos feita pela Anglo
American somente se realiza após a obtenção
do documento de autorização formal dos órgãos
fiscalizadores por meio de outorga de Captação e
Uso de Águas. Esse documento somente é concedido após o atendimento de uma série de exigências técnicas e de documentação, por exemplo, o
estudo de avaliação de disponibilidade hídrica do
curso de água alvo da solicitação de outorga.
Em Catalão/Ouvidor e Barro Alto, a captação
ocorre majoritariamente por poços de água
subterrânea. Em Niquelândia, ocorre prioritariamente pelo lago da hidrelétrica de Serra da
Mesa, para reposição das perdas por evaporação
e infiltração de água.
Em Cubatão, o uso das águas, por ocorrer no
último ponto (final de linha) em relação ao
ecossistema Serra do Mar (pois, logo além do
ponto de captação, as águas sofrem influência
do lençol freático local, que é de água salobra e
dependente das variações das marés), não apresenta risco de escassez ao ecossistema Serra
do Mar. Para que fosse possível a obtenção da
outorga de captação de água dos córregos, foi
realizado o estudo de disponibilidade hídrica,
levando em consideração, em primeiro lugar,
a prioridade de uso da empresa vizinha, pois
esta já detinha sua outorga de uso das águas.
O excedente em volume poderia ser disponibilizado para a Anglo American, o que realmente
foi confirmado pelo estudo. O Departamento
Estadual de Águas e Energia Elétrica (DAEE),
órgão do governo responsável pela concessão
das autorizações, acolheu o estudo e concedeu
a documentação necessária.
EN9
68
TERRA, ÁGUA E AR
PERCENTUAL DE ÁGUA RECICLADA E
REUTILIZADA*
Em 2008, houve diminuição do volume de
água retirado por fonte em todas as unidades.
Na planta de Catalão, a significativa redução
ocorreu pela utilização de água de chuva. Em
termos de volume de água subterrânea retirada, a redução está relacionada ao alteamento
da barragem de contenção das águas pluviais,
o que levou ao maior acúmulo dessas águas no
reservatório.
EN8
EN10
A média de reúso da água na Anglo American é
três vezes maior do que a captação, sendo que
em 2008 esta proporção chegou a 3,61.
Os dados AngloAmerican Brasil incluem as
operações de nióbio (Catalão/Ouvidor), níquel
(Niquelândia), fosfatos (Catalão/Ouvidor e
Cubatão).
Na planta de Cubatão, merece destaque a iniciativa ORAC (Otimização do Reúso de Água na
Anglo American-Copebrás Cubatão). As novas
oportunidades de reúso obtidas no trabalho podem elevar a taxa de reúso do complexo em até
15%, alcançando cerca de 60% de reúso.
Em Niquelândia, o aumento foi fruto do trabalho
de conscientização e das melhorias operacionais,
a fim de diminuir o desperdício e obter maior reutilização de água de chuva coletada na barragem.

Também deve ser levada em consideração a
queda de produção como fator relevante para a
diminuição do uso de água.





  

 
­€­

‚
ƒ
„…
  
  
­€­


  
 

 


  





„



€‚ƒ­

 ­
  
…
€‚ƒ­
‚­­
†‡ˆ­
…€‚ƒ­
 ­€‚ƒ­‰
Š­
ƒ­‹­‹­†
­
Œ‹
­‹Š­­‰
Š­
­‹Š­­
†
Œ‹­‹­
­­‰
TERRA, ÁGUA E AR
Menos é mais!
Redução no consumo de água
traz benefícios em Cubatão
Desde 1999, a Unidade de Cubatão trabalha
para reduzir o consumo, aumentar o reciclo e o
reúso de água e diminuir o descarte de efluente líquido para o meio ambiente. Em 2008, os
membros do CORAC (Comitê de Otimização de
Reúso de Águas da Copebrás) realizaram a revisão desse trabalho, que consistiu em elaborar o
balanço hídrico detalhado, identificar pontos de
reúso, reciclo e redução do consumo e, por fim,
executar ações sugeridas.
Entre as novas oportunidades de reúso, a empresa avalia a implementação de um mecanismo
de retenção das águas para ser reutilizadas na
própria unidade de superfosfatados, melhoria
no sistema de condensação de gases do resfriamento da lama fosfática a fim de reutilizar essa
água no processo, além de outros ajustes. As
novas oportunidades sugeridas nas atualizações
realizadas em 2007 e em 2008 podem elevar a
taxa de reúso em 15%.
Para isso, foram avaliadas as seguintes áreas:
Estação de Tratamento de Água, duas plantas de
Ácido Sulfúrico (A-01 e A-11), Ácido Fosfórico,
Granulação, Fosfato Bicálcico, Caldeiras, Superfosfato, Estação de Tratamento de Efluentes
Líquidos (ETEL), Geral (escritório, laboratório, sistema de ar-condicionado, oficina mecânica, casas
de banho) e a área das empresas contratadas.
No ano de 1997, a média anual consumida era
de 600 m³/h e como resultado das implantações
de reúso, otimização do consumo e conscientização dos empregados; nos últimos anos essa vazão caiu e, atualmente, a média é de 350 m³/h.
Foram identificados, como principais consumidores de água no complexo, os processos de fabricação de ácido fosfórico, ácido sulfúrico, STPP
(planta desativada em 2008) e caldeiras. No
caso da unidade de produção de ácido fosfórico,
a demanda de água no processo de fabricação é
suprida da seguinte forma: 40% por água nova
captada; 32% por água recirculada dentro da
própria Unidade; 15% por água de reúso; 13%
por água de percolado.
Essas ações possibilitam à empresa economizar cerca de 50% do total de água utilizada no
processo produtivo.
Glossário
• Água de reúso interno: é a água que é reaproveitada dentro da própria planta, sem passar por
tratamento prévio.
• Água de reciclo: é a água utilizada após tratamento na Estação de Efluentes.
• Água de percolado: água proveniente do tanque de coleta de águas percoladas, provenientes
das pilhas de fosfogesso (gerado no processo de
fabricação de ácido fosfórico).
69
70
TERRA, ÁGUA E AR
Biodiversidade e descarte de água
O indicador para status de proteção e índice
de biodiversidade de corpos d’água e habitats
relacionados, significativamente afetados por
descartes de água e por drenagem, não se
aplica a Barro Alto e a Niquelândia, cujos corpos
d’água não recebem efluentes significativos,
nem para Catalão/Ouvidor, pois não há emissão de efluente para nenhum corpo hídrico (o
efluente é todo reciclado).
A captação de água para o suprimento das
atividades produtivas na unidade da Anglo
American de Cubatão é feita de corpos hídricos
pertencentes a bacia do Rio Mogi, dentro dos
limites outorgados pelo órgão público estadual
competente (DAEE), sendo que o total de vazão
captada não ultrapassa os 5% da vazão do Rio
Mogi (principal rio da referida bacia) e inclusive
é sempre menor que a vazão máxima permitida
para captação em relação ao valor de referência
legal, correspondente a vazão mínima prevista para o corpo d’água (Q7,10). Além disso,
toda água remanescente do processo, que é
EN25
devidamente encaminhada para a Estação de
Tratamento de Efluentes líquidos, quando não
é reutilizada nas atividades, retorna ao rio e
respectiva bacia hidrográfica, respeitando as
exigências legais.
Biodiversidade
Tendo como base o Plano de Ação para Biodiversidade (Biodiversity Action Plan − BAP), a Anglo
American aplica diretrizes em nível global que
orientam todas as unidades a desenvolver ações
formais para o gerenciamento das questões
relativas à biodiversidade.
O valor percebido da biodiversidade de uma área
para o desenvolvimento humano não é sempre
fácil de descrever, mas inclui o sistema natural
e sua variedade de espécies, seus processos
ecológicos e os serviços ou o seu valor funcional. A combinação das pontuações do status de
conservação e do status funcional (função da
biodiversidade com serviços ambientais – por
exemplo, filtração/limpeza da água – e função
da biodiversidade para fins humanos – como
alimentação ou medicamentos) dá origem a uma
Natureza preservada na unidade
de Cubatão.
TERRA, ÁGUA E AR
classificação do valor da biodiversidade como
um todo da área em estudo, como pode ser
observado na matriz a seguir:
O BAP busca garantir que medidas de gestão
sejam alinhadas ao respectivo grau de valor da
biodiversidade. Uma vez que a natureza e a extensão de todos os aspectos e componentes da
biodiversidade foram determinados, é necessário
estabelecer objetivos para as áreas sensíveis ou
de alto valor para a biodiversidade. Este processo deve ser, de forma ideal, realizado com
consultas a grande número de partes interessadas a fim de determinar quais aspectos da biodiversidade podem ser alterados, mantidos ou
melhorados. No entanto, no processo realizado
no Brasil, não foi feita consulta direta.
Durante esse ano, a companhia aprofundou sua
parceria com a ONG FFI (Fauna e Flora Internacional) para fortalecer sua política de biodiversidade no país. O acordo, vigente por três anos,
tem como objetivo colaborar para que a empresa
desenvolva e ponha em prática sua abordagem
na gestão da biodiversidade.
Em 2008, a empresa deu sequência às recomendações feitas pela entidade em relação à
auditoria realizada na planta de Niquelândia,
em 2007, entre elas: implementou trabalhos de
biodiversidade em Barro Alto; definiu função
no organograma para biodiversidade; elevou a
visibilidade da política de biodiversidade dentro
da companhia e para as comunidades externas
pelos Fóruns Intercâmbio (Niquelândia) –

 
­
€‚ƒ€‚„…†
‡
ˆ
 ‡‰Š‚ ‡
Estudos dos ecossistemas para a identificação do
seu status e valor para a biodiversidade são usualmente iniciados na fase de licenciamento de projetos, quando são efetuados os Estudos de Impacto
Ambiental (EIA), RIMA e os Planos de Controle
Ambiental (PCA), em que são previstas ações para
o aprofundamento e a continuidade desses estudos
e o monitoramento da fauna e da flora.
A abordagem da companhia para o tema prevê
avaliar o impacto, prevenir, mitigar, compensar e
contribuir, de acordo com a ilustração:
Portanto, a companhia estabelece uma estrutura
que permita que seu compromisso vá além das
medidas ambientais legais, promovendo formas
de ampliar sua participação na manutenção e na
preservação da biodiversidade local.
71
compartilhando conhecimento e visão, aprovou um projeto que desenvolverá, em 2009,
cartilhas para escolas e treinamento dos professores –; alinhou a estratégia com a gestão
ISO14000; e teve seus monitoramentos revistos e ampliados.
Até 2009, a companhia deve atingir 80% de
alinhamento ao novo protocolo de bodiversidade
da Anglo PLC na Codemin – única planta com o
BAP totalmente implementado em 2007 – e em
torno de 50% nas demais unidades, conforme
previsto em 2007. Em 2008, na auditoria supervisionada pela FFI, a Unidade de Cubatão superou a meta estabelecida de 50% e obteve 73%
de alinhamento ao protocolo. A próxima unidade
a ser auditada é a do complexo de fosfatados e
nióbio em Catalão/Ouvidor, em 2010.
EN14
72
TERRA, ÁGUA E AR
PERCENTUAL DE PLANOS IMPLEMENTADOS
NòMERO/PERCENTUAL DE OPERA‚ÍES QUE
REQUEREM PLANOS DE GERENCIAMENTO DA
BIODIVERSIDADE
‰Š€ ‹
€‰Š
2006 2007 2008




2008
€
ƒ
„…
Œ‰Š­­‰

 
 
 ­­€‚
ƒ
„…† ­­
‡ˆ
MM3
EN13
O desempenho das plantas em relação à biodiversidade é avaliado pela FFI, considerando-se,
além das diretrizes da Anglo American, os critérios da própria entidade, os princípios do Conselho Internacional de Mineração e Metais (ICMM,
sigla em inglês) e a Convenção da Diversidade
Biológica definida na Rio 92.
Mais informações sobre o BAP e a parceria com
a FFI estão disponíveis no RS 2007.
A planta de Niquelândia, a mina de Barro Alto
e o Projeto Barro Alto estão em locais de alto
índice de biodiversidade, fora de áreas protegidas, no cerrado e campo-cerrado. Instaladas
em hotspots, são áreas prioritárias para con-
servação da biodiversidade. A empresa aplica
as referências da Conservação Internacional e
do Ministério do Meio Ambiente para definir o
status de proteção nesses casos.
Em Niquelândia, além da implementação do BAP
e da integração do sistema de Gestão da ISO
14000, a empresa aplica padrões de desempenho do Anglo Environment Way para biodiversidade e para Reabilitação de Áreas Degradadas.
Estão em andamento as seguintes ações:
- Contribuição para manutenção equilibrada da
população de plantas e de animais
- Definição de espécies-chave/indicadoras de
biodiversidade: estudos das áreas pertencentes
TERRA, ÁGUA E AR
à empresa já estão sendo feitos em parceria
com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e
neles estão sendo levantados dados sobre mastofauna (mamíferos), avifauna (aves), insetos,
herpetofauna (anfíbios e répteis), ictiofauna
(peixes). A partir destes dados, pretende-se
estabelecer as espécies-chave.
- Preservação de espécies acumuladoras de
metais: estudos estão sendo feitos em parceria
com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa
Agropecuária) para a determinação das plantas
tolerantes e/ou acumuladoras de níquel da região. Posteriormente, serão determinadas áreas
com a presença destas plantas a serem preservadas, e os dados poderão ser utilizados para
recuperação futura das áreas alteradas.
- Manutenção da transparência e comprometimento da empresa com a comunidade: questões
sobre biodiversidade são discutidas com a comunidade nos Fóruns Comunitários “Intercâmbio” e
programas de educação ambiental, em parcerias
com ONGs, serão elaborados e implantados
com o objetivo de conscientizar a comunidade
vizinha sobre a importância da conservação da
biodiversidade.
- Melhoria do status de conservação e do status
funcional das áreas sob gerenciamento da
empresa e áreas vizinhas: distanciamento dos
plantios de eucaliptos das áreas de preservação
permanente além do exigido por lei, implantação
de corredores ecológicos interligando áreas de
mata nativa (ver página 78).
As plantas de Catalão/Ouvidor contêm áreas
legalmente protegidas na região do cerrado e
possui status de proteção de área de preservação permanente e reserva legal. A empresa
utiliza como referência as normas estabelecidas
pela legislação federal e estadual para este tipo
de área. Desde 2004, as Unidades Catalão/Ouvidor desenvolvem um programa de Gestão da
Biodiversidade, que contempla estudos científicos da biodiversidade em sua área e em outras
áreas de controle, contribuindo também para o
conhecimento científico sobre a regeneração do
cerrado no entorno. O programa, reconhecido
pela FFI, recebeu diversos prêmios (ver página
24) e possui suas diretrizes alinhadas às orientações do ICMM (International Council on Mining
and Metals). Entre 2006 e 2007, a empresa
adquiriu novas terras referentes à expansão da
planta.
A unidade de Cubatão contém áreas legalmente protegidas em região de Mata Atlântica.
Vale destacar que, além de conter uma área de
Reserva Legal administrada de acordo com as
legislações federal e estadual, a planta é vizinha
do Parque Estadual da Serra do Mar, maior
remanescente da Mata Atlântica. Desde 2004,
também desenvolve o programa de Gestão da
Biodiversidade, envolvendo estudos científicos
em sua área e em uma área de controle que,
além de contribuir para o conhecimento científico sobre a regeneração da Mata Atlântica no
entorno do Polo Industrial de Cubatão, subsidiou
a elaboração do Plano de Ação para Biodiversidade (BAP), que propõe ações para o enriquecimento da floresta atlântica (ou mata atlântica)
na área da empresa. Nos últimos quatro anos,
foram investidos mais de R$ 1 milhão no tema e,
por meio de uma parceria com a Fundação SOS
Mata Atlântica outros mais R$ 500.000 serão
investidos, em um período de cinco anos (20062010), no Programa para Conservação das Zonas
Costeira e Marinha sob influência do Bioma Mata
Atlântica e no Fundo Costa Atlântica.
As áreas em estudo pela Exploração estão em
áreas de alto índice de biodiversidade fora de
áreas protegidas. Por se tratar de locais em estudo de viabilidade, o indicador não é aplicável.
O escritório de São Paulo não está localizado
em área de interesse de biodiversidade, e o
indicador não é aplicável.
As Unidades de Catalão/Ouvidor possuem
1245,68 hectares de habitat protegido; Niquelândia apresenta 14.102,97 hectares, e Cubatão,
18,6 hectares. Este resultado não foi submetido
a auditoria externa. No caso do Projeto Barro
Alto, por se tratar de unidade em que as terras
ainda estão sendo compradas, não foi possível
realizar os cálculos. As áreas são administradas
com base nas diretrizes da Gestão de Biodiversidade da companhia. As diferenças de área na
região de Catalão/Ouvidor ocorrem em função
de aquisição de terras.
73
74
TERRA, ÁGUA E AR



­€
‚

ƒ­€

­€
‚

ƒ­€

­€
‚

ƒ­€
„…†‡ ˆ‡
‰ˆ‹„
„Ž‰„ ‹‹
‰†‹Œ Ž„
„‡ˆ„ ‹‹
‰ˆ‹Ž ‡Š
ˆ‰…
‰Š „
ˆ‰…
‰Š „
ˆ‰…
‰Š „
ˆŠ‹ŒŠ
‰‹‰…ˆ Œ‡
ˆŠ‹ŒŠ
‰‹‰…ˆ Œ‡
ˆŠ‹ŒŠ
‰‹‰…ˆ Œ‡
ˆŒŒŒ
ˆŒŒŒ
ˆŒŒŒ

EN11
EN12
Entre os impactos significativos na biodiversidade de atividade, produtos e serviços em áreas
protegidas e em áreas de alto índice de biodiversidade fora das áreas protegidas, podemos
considerar para cada unidade:
Niquelândia
Os impactos em biodiversidade identificados
ocorrem desde a implantação do empreendimento (1980) e continuarão ocorrendo até que as
medidas de recuperação/reabilitação das áreas,
no cenário de fechamento e pós-fechamento
(cinco anos após o fechamento), estejam completamente executadas:
• poluição decorrente da deposição de subproduto silicato: esta deposição não ocorre de forma
natural, causando alteração da paisagem;
• supressão da vegetação local para deposição
do silicato;
• conversão de habitat também decorrente da
abertura de novo depósito do subproduto silicato de magnésio.
TERRA, ÁGUA E AR
trutura de transporte
• Poluição
• Introdução de espécies invasoras, organismos
nocivos e agentes patogênicos
• Redução do número de espécies
• Conversão de habitat
• Mudanças em processos ecológicos fora do
nível natural de variação (exemplos: salinidade,
mudanças no nível do lençol freático)
Enquanto o último impacto é reversível, os
primeiros são parcialmente reversíveis nas áreas
de deposição de silicato de magnésio.
Barro Alto
Os impactos identificados da implantação do
empreendimento (abertura da mina em 2004)
até as medidas de recuperação destas áreas
após o fechamento (aproximadamente cinco
anos) foram:
• abertura da mina e acessos para transporte de
minério para Niquelândia, causando modificação
de habitat
• avanço de mina, abertura de novos acessos e
construção de fábrica modificando habitats
• supressão da cobertura vegetal
• interferência em recursos hídricos
• emissão de particulados
• ruído
• alteração de relevo e paisagem
• intensificação de processo erosivo pela exposição do solo devido à retirada de paisagem
• modificação de habitat
Em 2008, a empresa aprofundou sua estratégia
de Gestão de Biodiversidade e efetivou ações
complementares que, no futuro, contribuirão na
reversibilidade de impactos causados (ver Case
na página 78).
Em relação aos anos anteriores, para contabilizar o número de espécies em extinção, a
empresa passou a utilizar na planta de Cubatão
dados fornecidos pela consultoria especializada
Ambiens. O levantamento atual utilizou além
da Lista Vermelha da IUCN (International Union
for Conservation of Nature and Natural Resouces), listas nacionais como referência, como a
Lista de Espécies Ameaçadas Nacional do Ibama
e a Lista de Espécies Ameaçadas do Estado de
São Paulo, o que elevou o número de espécies
encontradas, tornando os dados mais precisos.
Foram considerados os animais encontrados na
área dos estudos da biodiversidade. Nos casos
de Niquelândia e Barro Alto, como a curva de
espécies do estudo de biodiversidade ainda não
se estabilizou, é possível encontrar espécies que
antes não constavam das listas.
Todos os impactos relacionados são reversíveis.
No caso das plantas de Catalão/Ouvidor não
houve impactos apontados no período coberto
por este relatório, já no site de Cubatão houve indicação de recuperação da quantidade de
espécies presentes na região.
A companhia avaliou impactos relacionados à
biodiversidade em resposta aos seguintes itens:
• Construção ou uso de fábrica, minas e infraes-
 

•
•
–

•

–






–
 75
­€‚ƒ„…†­ƒ‚‡ˆ‰Š
­…­ƒ…
­‰­ƒ‚‡ˆŠ‹ŒŽ‰‘
‘’‘…“­ƒ­…ŒŒ“
…­­­­”‘­…
­€’…“­ƒ
ˆ…
EN15
76
TERRA, ÁGUA E AR
Em Niquelândia, a Anglo American possui áreas
recuperadas (88,78 ha) e áreas em recuperação
(115,03 ha).No entanto, não podemos afirmar
que essas áreas possam ser consideradas reabilitadas em seu estado funcional, por não terem
sido realizados estudos. A companhia pretende
realizá-los nessas áreas já recuperadas para determinar os níveis de funcionalidade, no âmbito
da parceria com a Universidade Federal de Goiás
(UFG)/Embrapa, discutida em 2008.
Para informações adicionais sobre as parcerias
com a UFG e Embrapa, ver RS 2007.
EN13




 ­
€
EN23MM
Área da mina,
em Barro Alto.
No caso das plantas de nióbio e fosfatados
de Ouvidor e Catalão, as áreas de lavra ainda
estão em operação e não foram recuperadas.
Encontra-se em elaboração programa para recuperação das áreas de preservação permanente
cujo valor de investimento está em levantamento e também está em processo inicial os
trâmites para a criação de uma RPPN (Reserva
Particular do Patrimônio Natural).
TERRA, ÁGUA E AR
NIîBIO - UNIDADE OUVIDOR




2006
2007
2008
…
…
…



…
…
† 2006
2007
2008
……
……
……


…
……
……
††
ŒŠ
Ž
‚
€
‘’“”
•€”
FOSFATADOS - UNIDADES CATALÌO, OUVIDOR E CUBATÌO




Œ–”„
€
ƒŠ—€‚˜€‚ƒ
­
… 
Ž€ƒ­
–
™š—”ƒ–„
‚
€ƒ
NêQUEL - BARRO ALTO
2006
2007









2006
2007
2008
……
†
††







2008
­
€‚ƒ
NêQUEL - NIQUELåNDIA
„




…



†
††
†

‚

€

…

­
€„…†…
‡€
……ƒ
­‡€
„ˆ­
‰Š
‹ƒ
77
78
TERRA, ÁGUA E AR
Verde que te quero verde
Corredor Ecológico é destaque em
Niquelândia!
Um Meio Ambiente saudável é fundamental
para a sobrevivência e permanência no planeta
Terra. No passado, esse era apenas um dos
temas discutidos em aulas de biologia. Nos dias
atuais, ele vem sendo discutido também nas
aulas de química, física, sociologia, geografia e
história. Isto é muito importante para a formação dos princípios conservacionistas nos jovens
e na sociedade como um todo. Entre os anos
de 1998 a 2000, o Projeto de Conservação e
Utilização Sustentável da Diversidade Biológica
Brasileira realizou ampla consulta para a definição de áreas prioritárias para a conservação e
o uso sustentável. Entre elas, figura o cerrado,
que é o segundo maior bioma brasileiro, ocupando 21% do território nacional.
Já o bioma Mata Atlântica, considerado Patrimônio Nacional, abrange 18 estados brasileiros, e
atualmente está reduzido a aproximadamente
27% de sua área original. Uma das formas que
o governo encontrou de proteger o meio ambiente foi pelo Código Florestal (Lei n. 4.771/1965)
que determina que para áreas localizadas no
interior de uma propriedade ou posse rural é
necessário que se reservem áreas para o uso
sustentável dos recursos naturais e à conser-
vação e reabilitação dos processos ecológicos,
denominada Reserva Legal.
A porcentagem a ser preservada é definida de
acordo com o bioma. A Anglo, com operações
em Goiás, também cumpre a lei e percebeu que
poderia trazer mais benefícios para a fauna e
a flora ao interligar as áreas de preservação,
evitando o efeito de “ilhas”, além de problemas
associados a cosanguinidade, falta de alimentos, estresse por restrição gradativa de áreas
de vivência, entre outros. Por isso, a empresa
estabeleceu a prática de “corredores ecológicos”
em seus territórios na região do cerrado, ligando
as áreas de preservação.
Na busca de se evitar a perda dessa riqueza, a
interligação desses fragmentos florestais é feita
com corredores de vegetação nativa, favorecendo a circulação dos animais. Para construção
dos corredores, são usadas mudas nativas produzidas no mesmo viveiro onde são cultivadas
as de eucaliptos, destinadas a atender a demanda de madeira da empresa.
Os corredores ecológicos ajudam a reduzir a
taxa de extinção, pois se tornam ponto estratégico para a conservação dos ambientes naturais
remanescentes e possibilitam o cruzamento entre espécies dos diferentes fragmentos florestais
do bioma.
TERRA, ÁGUA E AR
79
Emissão, efluentes e resíduos
Outras emissões atmosféricas
Em 2008, nas plantas de Cubatão e Catalão/
Ouvidor (fosfatos) a emissão de material particulado* foi menor do que no ano anterior em
decorrência da manutenção dos programas de
controle das emissões residuais e das desativações das unidades de STPP e sulfato de cálcio.
Na planta de Niquelândia e em Barro Alto, esse
tipo de emissão passou a ser medido a partir do
ano de 2007 e apresentou um pequeno aumento no ano de 2008. Em relação à operação de
nióbio, em Catalão/Ouvidor, o aumento pode ser
relacionado ao início da operação (comissionamento) do Tailings (ver página 88).
Emissões de flúor e de amônia ocorrem apenas
nas plantas de fosfatados, em função do tipo
de processo. Suas emissões têm regulação,
relatórios para o órgão ambiental e estão dentro
dos padrões regulamentares, o que pode ser
averiguado pela ausência de autuações. Mesmo
com potenciais diferenças de padrões de emissões entre os estados em que possui plantas,
a empresa segue a orientação da norma mais
restritiva. O cálculo das emissões é obtido por
medições realizadas periodicamente, algumas
por monitoramento contínuo e outras com base
em fatores de emissão especificados em relação
às respectivas produções ou fontes (unidades
de ácido sulfúrico, ácido fosfórico, ácido fluossilícico, fosfato bicálcico e fertilizantes farelados
e granulados – diversas formulações, entre
outros).
O parâmetro flúor em Cubatão é proveniente
das emissões residuais medidas nas produções
de fertilizantes (pó e granulado), ácido fosfórico
e fosfato bicálcico, cuja matéria-prima principal
da qual provém o flúor é a rocha fosfática (concentrado apatítico). Já as emissões de amônia
são especificamente provenientes das emissões
residuais medidas das produções de fertilizantes
granulados nitrogenados. Nesta planta, a emissão de flúor é analisada como fluoretos totais,
que são emitidos nos gases residuais das fontes
fixas, não havendo determinação específica de
suas composições. São basicamente compostos
de flúor e vapor-d’água, predominando na forma
de HF (ácido fluorídrico), maior parcela, e combinado com SiO2 (dióxido de silício). Em Catalão,
o flúor gasoso emitido é monitorado em amostragens semestrais, em cada fonte, por coletor
isocinético e alguns parâmetros operacionais.
Catalão calcula emissões seguindo a metodologia utilizada em Cubatão, e a empresa sempre utiliza a legislação mais restritiva em suas
operações - resoluções do Conselho Nacional
de Meio Ambiente (Conama) e Decreto Estadual
6848/76.
* São Paulo, Exploração e Projeto Barro Alto não emitem material
particulado, flúor, amônia ou outra emissão significativa.
Efluentes
Somente a operação de Cubatão possui descarte de efluentes industriais, e seus resultados
apontam uma curva ascendente. Em 2008, em
função da drenagem contínua para execução das
obras de adequação da antiga lagoa de percolado e manutenção do sistema de reciclo houve
o aumento do volume de efluente tratado e
descartado.

 ­
€‚
ƒ
EN20
EN21
80
TERRA, ÁGUA E AR
Resíduos
O gerenciamento do estéril, rochas, rejeitos
e outros resíduos é efetuado pelo Sistema de
Gestão Integrado, que identifica os aspectos
e os impactos associados à retirada de estéril,
geração de rejeitos e resíduos e as medidas
de gestão para evitar e minimizar os impactos
negativos. Em 2008, a companhia aprofundou
seus planos de gestão de resíduos de acordo
com o perfil de risco e o compromisso legal.
O material estéril é depositado em locais prédefinidos em função do espaço disponível, das
características do material e do terreno. São
usualmente previstos programas de drenagem
destes depósitos e revegetação. Há monitoramentos da qualidade e vazão de água no
entorno, a montante e jusante, destes depósitos
para identificação de possíveis focos de contaminação ou carregamento de partículas sólidas
para cursos de água. A jusante destes depósitos, quando aplicável, são construídas bacias de
contenção de sedimentos. Para todas as barragens há programas de inspeção e monitoramento (piezômetros) de sua estabilidade.
MM6
Armazém de
Resíduos, localizado na planta
de Cubatão.
Em Niquelândia, as atividades de mineração
estão paralisadas, por isso não houve geração
de estéril no período do relatório. O minério
em Niquelândia é aflorante e não há trata-
mento químico, sendo o próprio solo o estéril
gerado quando a mina estava em operação. O
solo também foi retornado para as cavas para
enchimento e para possibilitar a revegetação da
área. O estéril em Barro Alto possui as mesmas
características e é depositado no próprio solo.
Em Niquelândia, não se produz lamas no processo. O pó recolhido nos exaustores era depositado em uma barragem em forma de polpa.
Com o projeto Codemin II, todo este pó passou
a ser recirculado no processo para aproveitamento do níquel contido nele, não sendo mais
depositado na barragem. Aos poucos, o pó foi
sendo retomado para alimentação no processo.
Em 2008, ocorreu a redução da quantidade de
resíduos e foram destinadas 591 toneladas para
a barragem de pó. Nas operações de nióbio em
Catalão, a lamas e os rejeitos do processo são
encaminhados a barragens de rejeitos.
Em 2007, iniciou-se a construção de uma nova
barragem de rejeitos para contenção dos rejeitos
de nióbio, finalizada em março de 2009. O espaço conta com dois compartimentos impermeabilizados, um deles para rejeito de nióbio e outro
de rejeitos gerais. Foram realizados estudos
prévios de riscos de contaminação ambiental,
incluindo testes de lixiviação e solubilização, de
engenharia e estabilidade.
TERRA, ÁGUA E AR
Nas operações de fosfato em Catalão, as barragens de rejeito são estruturas de solo compactado com extravasor de cheias, construídas para
o recebimento e o confinamento dos rejeitos
provenientes do beneficiamento do minério −
de flotação, lama e magnetita. A maior parte
do material é despejada nos reservatórios das
barragens na forma de polpa, e o material sólido
é separado por decantação e a fase líquida,
eliminada por infiltração no solo, evaporação e o
restante é reutilizada.
A Barragem do Córrego do Buraco é utilizada
para a destinação de rejeitos da produção de
fosfatados e está sendo alteada (elevada) no
método de linha de centro − procedimento conduzido ao longo dos anos da operação para que
se prolongue o tempo de vida útil da barragem.
O alteamento pretende atingir 860 m na etapa
final. Atualmente, a barragem do Macaúbas está
com nível de alteamento em 842 m e recebe
principalmente água para ser reutilizada na
produção. Visando o aumento da capacidade de
armazenamento de rejeitos da produção de fosfatados, está em estudo o projeto de construção
da nova barragem A4.
Nas operações de fosfato em Catalão, diversas
lagoas são utilizadas para fazer o tratamento
do efluente e toda água tratada é reutilizada
no processo. Há monitoramento e inspeções
regulares. O sistema de tratamento é composto
por lagoas que tratam efluentes provenientes
do processo e de efluentes das pilhas de gesso,
lagoa para decantação de finos e depósito de
resíduos sólidos da ETEL, e para assegurar a disposição destes efluentes, as lagoas são revestidas com material impermeabilizante.
Nas operações de nióbio em Catalão, a escória
produzida no processo de metalurgia é estocada
em depósito controlado, seguindo as normas do
CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear).
Essa escória contém urânio e tório, considerado
resíduo de mineração que contém radioatividade. Há procedimentos para estocagem, inspeções periódicas e monitoramento das águas
superficiais e subterrâneas. Em 2007, houve
uma inspeção regular do CNEN, cujo relatório
com as recomendações para adequação à norma
CNEN 4.01 (Requisitos de Segurança e Proteção
Radiológica para Instalações Mínero-Industriais)
81
foi entregue em 2008. Medidas estão sendo tomadas em relação às recomendações da CNEN,
com previsão para conclusão em novembro de
2009.
O Sistema de Gerenciamento de Resíduos da
unidade de fosfatados de Cubatão tem como
principais objetivos a redução da geração de
lixo, o aumento da reutilização e da reciclagem.
Apesar de serem estabelecimentos ambientalmente preparados e licenciados, a empresa
considera os aterros sanitários a última opção
de destinação de resíduos, buscando progressivamente aumentar o envio para reúso e reciclagem. Cubatão obteve, em 2008, uma redução
de 20,8% dos resíduos destinados para aterros,
em relação ao ano anterior, e teve um aumento
de 22,7% dos enviados para reciclagem. Os materiais não perigosos, como papel e plástico, são
doados à cooperativa de catadores da comunidade local, contribuindo como fonte de renda,
trabalho e conscientização ambiental.
Os subprodutos resultantes do processo industrial desta unidade, antes considerados resíduos,
hoje têm outras destinações. A torta de fosfato
resultante do tratamento de efluentes é parcialmente reutilizada na produção de fertilizantes
granulados; já a borra de enxofre e o fosfogesso
são comercializados. A área de armazenamento
do fosfogesso, utilizado como corretivo de solo
e fertilizante, está sendo reformada, e a água
percolada das pilhas de estoque é armazenada e
reutilizada no processo produtivo.
Na planta de Niquelândia, a escória da redução
está sendo vendida para empresa fabricante de
cimento, e o pó gerado na produção é reaproveitado no processo produtivo.
Em Cubatão, é realizado o Programa de Otimização para Reúso e Redução dos Resíduos, incluindo o sistema de segregação e de coleta seletiva,
visando inclusive obter retorno socioambiental,
com menor destinação para o meio ambiente e
oferecendo recursos a serem aproveitados pelas
comunidades vizinhas. Para que isso aconteça,
a empresa mantém um Armazém Temporário
de Resíduos Industriais (ATRI), concebido com
a melhor tecnologia disponível para gerenciar
resíduos perigosos e não perigosos.
Perfil 3.10
EN22
82
TERRA, ÁGUA E AR
PESO TOTAL DE RESêDUOS PROCESSOS ENVIADOS
PARA DESTINA‚ÌO FINAL* ’“
2006
2007
PESO DE RESêDUOS PERIGOSOS TRANSPORTADOS,
IMPORTADOS, EXPORTADOS OU TRATADOS ’“
2006
2008



ƒ…‡
ˆ
ƒ…‡
 ­
€ ‚ƒ„…†‡ˆ€ ‚ƒ
„‰Š‹ˆ‡…‚Œ‡Žˆ„†‡‘

PESO TOTAL DE RESêDUOS GERADOS

EN24
2006
2007
2008
PESO TOTAL DE RESêDUOS DE PROCESSOS ACUMULADOS ’Œ“
2006
2007
2008

ˆ
ˆ

ˆ
ˆ
ˆ
ˆ
ˆ

ˆ

ˆ
Borra de enxofre 
passou a ser vendida
como matéria-prima  ­ ‚…†‡ˆ
‚‰‹‹ˆ‡…‚Œ‡Žˆ„†‡‘
para ração animal. Na
foto, imagem da pilha
de enxofre de onde é
extraída a borra.
2007
2008
ˆ ˆ
TERRA, ÁGUA E AR
A partir do período desse relatório, o gesso
não é mais considerado resíduo e sim produto,
registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária
e Abastecimento como fertilizante mineral simples, que é armazenado em pilhas para secagem
e, posteriormente, vendido como gesso agrícola
ou fosfogesso.
O aumento de resíduos transportados está relacionado à venda da borra de enxofre, que não
causa impacto por não ser um resíduo perigoso.
A partir de 2008, passou a ser vendida para uso
em ração animal. Neste indicador, a empresa
conseguiu aprimorar a coleta de dados e foi possível corrigir dados referentes ao ano de 2007.
Derramamentos
Em 2008, a companhia contabilizou um derramamento de ferronióbio em acidente de
caminhão. Nas demais unidades, o número e o
volume total de derramamentos significativos é
zero.
Acidentes significativos são determinados pelo
sistema de classificação de incidentes e reclamações de natureza ambiental. Os critérios de
significância para determinar se um incidente é
nível 1, 2 ou 3 incluem o impacto ao ambiente
físico e biológico, o tempo de permanência dos
eventuais danos ao ambiente, os impactos para
a comunidade (odor, ruído, poeira, água), o risco
do material liberado para o ambiente causar
doenças, se houve danos ao patrimônio cultural,
bem como a natureza e o número de reclamações associadas ao mesmo incidente.
Multas significativas e sanções não
monetárias
Em 2008, a empresa registrou apenas três processos, sendo dois administrativos e um judicial.
O total de multas pagas e pendentes de decisão
resultam no valor de R$ 135.936,80 e duas
sanções não monetárias. Os autos de advertência ambientais não monetários referem-se à
operação em Cubatão. Uma delas relaciona-se à
emissão de poeiras fugitivas para a atmosfera,
proveniente das pilhas de estocagem de fosfogesso, ocorrida durante a incidência anormal
de ventos muitos fortes coincidentes com um
período de clima muito seco. Estas condições
dificultaram o controle, mesmo com todas as
práticas e procedimentos existentes, e o caso
foi solucionado com a aplicação de medidas
83
emergenciais. Foram implantadas medidas adicionais de controle para prevenir casos excepcionais. A empresa recorreu ao auto recebido.
A outra ocorrência se refere ao lançamento
de águas pluviais com alteração da qualidade,
verificando-se a presença de manganês acima
do limite determinado. Entretanto, a empresa constatou que a influência sobre o ponto
analisado refere-se à condição do solo natural
na região que também possui níveis altos dessa
substância, o que influencia nos resultados no
ponto de lançamento dessas águas. Obras estão
sendo implantadas para mitigar e controlar esta
influência. A empresa recorreu ao auto recebido.
Impactos ambientais de produtos e
serviços
Em 2008, a companhia pré-registrou na Agência
Química Europeia (ECHA) as principais substâncias que compõem as ligas de ferronióbio e
ferroníquel, únicos produtos exportados para
a região pela empresa, em função das exigências da nova legislação europeia (REACH, ver
RS 2007). Por meio de uma representante na
Europa, Anglo REACH, suas substâncias foram
registradas em novembro, entre elas ferro,
níquel, nióbio, alumínio, cobalto.
A partir daí, houve o esforço conjunto da Anglo
American e seus concorrentes para que análises fossem compartilhadas com o objetivo de
elaborar dossiês específicos para cada uma das
empresas. Essa articulação acontece em fóruns
temáticos, como os SIEFs (Substance Information Exchange Forum). Os dossiês do ferroníquel
e do ferronióbio têm como prazo de entrega
novembro de 2010.
Com um forte envolvimento no Nickel Institute, estudos e resultados de testes para esta
substância já estão mais avançados e estruturados. Para o nióbio, as três empresas envolvidas
estão planejando os testes a ser aplicados em
2009. A empresa também participa de outros
fóruns relativos às substâncias nas ligas e que
têm seus resultados compartilhados com o
mercado.
Em 2008, pode ser destacada a participação
(Codemin e Loma de Níquel) no projeto (Life
Cycle Invetory for Ferroniquel) do Nickel Institute. A iniciativa visa promover o conhecimento
dos principais insumos que a indústria do níquel
EN23
EN28
EN26
MM5
84
EN29
TERRA, ÁGUA E AR
utiliza e dispõe após seu processo produtivo
pela aplicação de um software de Análise de
Ciclo de Vida. Dessa form,a é possível para as
empresas manter um inventário sobre sua produção, seus principais insumos e gargalos, e a
partir disso gerenciá-los de maneira sustentável.
A empresa entende esse movimento como uma
maneira de formar uma grande rede de conhecimento sobre as demandas e os impactos da produção sobre o meio ambiente. Isso permite que
sejam pensadas maneiras de obterem-se ganhos
econômicos e ambientais a partir da visão completa do ciclo de um produto. Seus resultados
finais serão disponibilizados em 2009.
Impactos ambientais e transporte de
produtos
O sistema Anglo American identifica os potenciais impactos e riscos, determina e monitora a
eficácia das medidas de gestão, considerando
tanto os impactos em situações normais das
operações, como os riscos e os impactos que
eventualmente se materializem em situações
anormais ou de emergência. Os critérios de significância para definir se os impactos e os riscos
são significativos incluem critérios corporativos
adotados mundialmente – por exemplo, inciden-
tes nível 1, 2 e 3, entre outros. Os sistemas
de gestão encontram-se implementados em
todas as unidades há mais de quatro anos e são
atualizados e verificados periodicamente por
auditorias.
Nas operações normais, os impactos associados
a emissões de gases associados ao transporte
são monitorados de modo a garantir conformidade legal e outras medidas de gestão da ISO
14001. As emissões de gases de efeito estufa
associadas ao transporte estão reportadas na
página 64. Outros impactos relacionados ao
transporte em condições operacionais normais
são associados a pequenos vazamentos no
carregamento e descarregamento de produtos,
geração de resíduos associados à limpeza de
carretas e caminhões e emissões de poeiras fugitivas associados ao processo de carregamento
e descarregamento.
Em 2008, a empresa aprofundou seus critérios
de identificação de impactos tornando o indicador mais detalhado. Agora, as plantas avaliam
melhor possíveis incidentes e as ações que
devem ser tomadas na sua ocorrência. Entre os
riscos mais significativos podem ser citados:
TERRA, ÁGUA E AR
- risco de vazamento e transbordo de ácido fluossilícico, ácido fosfórico, ácido sulfúrico, óleo
BPF e amônia durante a descarga e estocagem e
nas tubulações de fibra de vidro, bombas, válvulas, tanques ou problemas nos caminhões nas
unidades de Catalão e Cubatão (fosfatados);
- risco de incêndio e explosão nos tanques,
nas linhas e na carreta durante a estocagem de
amônia, produtos inflamáveis, óleos, graxas,
solventes, produtos químicos e embalagens de
fácil combustão como plástico, madeira, papel,
papelão, armazenados no pátio de Inflamáveis
e no almoxarifado nas unidades de Catalão e
Cubatão (fosfatados);
- pequenos vazamentos provenientes de conexões e mangotes durante o carregamento,
recebimento e estocagem de óleo, ácido fosfórico e fluossilícico, derramamento de óleo durante
bombeamento para a estocagem de caldeiras ou
plantas consumidoras, vazamento de cal, ácidos, amônia e enxofre por problemas no caminhão, vazamentos de óleo diesel hidráulico dos
caminhões nas unidades de Catalão e Cubatão;
- riscos de explosão ou incêndio no caminhão
comboio nas unidades de Niquelândia e Barro
Alto.
Para evitar que tais riscos se materializem em
impactos e garantir que as consequências de
eventuais impactos sejam pouco significativas,
foram adotados procedimentos internos de drenagem, limpeza e manutenção de tubulações,
bombas e tanques, armazenamento, embarque
e recebimento, estocagem de ácidos, enxofre e
amônia, gerenciamento de resíduos sólidos e gerenciamento de efluentes líquidos, gerenciamento de emissões atmosféricas. Também foram
implementados programa de conscientização
dos motoristas, rotulagem das embalagens de
resíduos, inspeção de veículos que se destinam
ao transporte rodoviário de produtos perigosos,
bem como os planos de preparação e respostas
às emergências.
No período de 2008, não ocorreu nenhum
incidente associado ao transporte cuja consequência tivesse impacto ambiental significativo.
85
Por isso os impactos relatados, à exceção dos
gases de efeito estufa reportados, não estão
quantificados.
A expectativa é de que, no futuro, com dados
mais detalhados e específicos, haja melhoria de
desempenho.
Investimentos gastos em proteção
ambiental
Em 2008, a companhia investiu R$
11.860.848,78 em ações relacionadas à proteção ambiental. Os custos com depreciação e
manutenção de equipamentos ainda não estão
uniformemente estruturados no plano de contas
da companhia, por isso não estão incluídos
nos valores que compõem os gráficos a seguir.
Quanto aos demais custos/investimentos, a
evolução fica mais clara ao separar os valores
totais dos valores parciais, como visto nos gráficos abaixo. As maiores cifras deste indicador
originam-se no Projeto Barro Alto e, sobretudo, em Cubatão, pois as outras operações já
investiram em melhoria de seus equipamentos
de controle ambiental quando da implantação do
sistema de gestão ambiental. No Projeto Barro
Alto constam custos de atendimento a compromissos do processo de licenciamento, como
campanhas de monitoramento, compensações
e composição de reserva legal. Na Unidade de
Cubatão, os valores referem-se principalmente
aos recentes planos de recuperação de áreas impactadas acordadas entre a CETESB (Companhia
Ambiental do Estado de São Paulo) e a maioria
das empresas do polo industrial da região. São
Paulo não realiza investimentos em proteção
ambiental.
TOTAL DE INVESTIMENTOS E GASTOS
COM PROTE‚ÌO AMBIENTAL (em R$)
2006
2007
2008
EN30
86
TERRA, ÁGUA E AR

­
ƒ
ƒ




„
…†
€

‡
­
‚ …†
€














­




­

‚ 
€

 
­

€



­ƒ



„

€


­
€‚ƒ„…




‚ 
€

 
„

€



TERRA, ÁGUA E AR
‚ƒ„…
­€­





‚ƒ„…
­€­





­
€



‚
€
ƒ







 






„­
€






­
€

‚
€
ƒ

‚ƒ„…
‚ƒ„…
­†€­ ­€­
­†€­ ­€­


…













‚
€
ƒ
87
88
TERRA, ÁGUA E AR
EN1
Materiais
Suplemento de Mineração
Do total de materiais utilizados em seu processo, a quase totalidade dos recursos da empresa vem de materiais não renováveis, como o
próprio minério, utilizado em seus processos.
A companhia não possui mercadorias ou peças
semifabricadas, incluindo todas as formas de
materiais e componentes que não sejam matérias-primas que fazem parte do produto final,
nem materiais para embalagem.
A companhia tem uma iniciativa na área representada pela operação Tailings que, desde o
último trimestre de 2008, passou a enviar os
rejeitos da unidade de fosfatos de Catalão para
a unidade de nióbio de Ouvidor. Com base em
um processo específico, é possível obter nióbio
a partir do rejeito do fosfato. Atualmente, seu
desempenho está sendo aprimorado e o processo adequado para que os resultados atinjam
a meta de aumentar em 30% a produção de
nióbio da empresa no Brasil.
MM4
Instalações do
Projeto Tailings
‹†‡†Œ
‹†Ž†
‹†Ž‘‹†’‡“
‘‘†‘‡
‡‡Ž†’’‹
‡†ŒŒŽ
’
’
’
’
’
’
‹††’“
‹†Œ‹†Ž‡
‹†‹‡‹†‡‹

‹†’†‹‹‡
‹†ŽŒ‘†’
‹†“‘Ž†‡‡’

‹†‡†Œ
‹†Ž†
Œ††’’

 ­­€‚ƒ„
…
†
‡ˆ„
„
†


‰Š
†

†
TERRA, ÁGUA E AR
Anexos
Relatório de Asseguração Sumário de Conteúdo GRI
90
91
89
90
RELATÓRIO DE ASSEGURAÇÃO
Relatório de asseguração limitada dos auditores
independentes sobre o Relatório para a
Sociedade da Anglo American Brasil 2008.
Aos Srs. Administradores
Anglo American Brasil Ltda.
Introdução
Fomos contratados com objetivo de realizarmos
um trabalho de asseguração limitada do Relatório para a Sociedade da Anglo American Brasil
Ltda. do exercício social de 2008, preparado sob
a responsabilidade da administração da Anglo
American Brasil Ltda. Esta responsabilidade inclui
o desenho, a implementação e a manutenção de
controles internos para a adequada elaboração
e apresentação do Relatório para a Sociedade
2008. Nossa responsabilidade é emitir um relatório de asseguração limitada das informações divulgadas no Relatório para a Sociedade da Anglo
American Brasil Ltda. do exercício social de 2008.
Procedimentos Aplicados
O trabalho de asseguração limitada foi realizado
de acordo com as Normas e Procedimentos da
Asseguração - NPO-01 emitidas pelo IBRACON,
Instituto dos Auditores Independentes do Brasil,
e compreendeu: (i) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância e o volume das
informações apresentadas no Relatório para a
Sociedade da Anglo American Brasil 2008; (ii) a
obtenção do entendimento dos controles internos;
(iii) a constatação, com base em testes, das evidências que dão suporte aos dados quantitativos
e qualitativos do Relatório para a Sociedade; (iv)
entrevistas com os gestores responsáveis pelas
informações; e (v) confronto das informações de
natureza financeira com os registros contábeis.
Dessa forma, os procedimentos aplicados acima
foram considerados suficientes para permitir um
nível de segurança limitada e, por conseguinte,
não contemplam aqueles requeridos para emissão de um relatório de asseguração mais ampla,
como conceituado nas Normas e Procedimentos
de Asseguração – NPO-01.
Escopo e Limitações
Nosso trabalho teve como objetivo verificar e
avaliar se os dados incluídos no Relatório para
a Sociedade da Anglo American Brasil 2008, no
que tange à obtenção de informações qualitativas, à medição e aos cálculos de informações
quantitativas, se apresentam em conformidade
com os seguintes critérios: (i) a Norma Brasileira
de Contabilidade NBC T 15 – Informações de Natureza Social e Ambiental; e (ii) as diretrizes para
relatórios de sustentabilidade do Global Reporting
Initiative (GRI G3). As opiniões, informações
históricas e informações descritivas e sujeitas a
avaliações subjetivas não estão no escopo dos
trabalhos desenvolvidos.
Nível de Aplicação GRI G3
Seguindo as diretrizes e critérios do GRI G3, a
Anglo American Brasil Ltda. declara um Nível de
Aplicação A+ em seu Relatório para a Sociedade 2008. Os procedimentos aplicados foram
suficientes para nos assegurarmos de que o nível
de aplicação declarado pela Anglo American Brasil
Ltda. está de acordo com as diretrizes e critérios
estabelecidos pelo GRI G3.
Conclusão
Baseados em nossa revisão, não temos conhecimento de qualquer modificação relevante que
deva ser procedida nas informações contidas no
Relatório para a Sociedade da Anglo American
Brasil Ltda. do exercício social findo em 31 de
dezembro de 2008, para que essas informações
estejam apresentadas adequadamente, em todos
os aspectos relevantes, em relação aos critérios
utilizados, definidos pela Norma Brasileira de
Contabilidade NBC T 15 e as diretrizes e critérios
do GRI G3.
São Paulo, 11 de dezembro de 2009.
PricewaterhouseCoopers Ltda.
CRC 2SP018638/O-1
Rogério Roberto Gollo
Contador CRC 1RS044214/O-9 “S” SP
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
Sumário de Conteúdo GRI
Relatório para a Sociedade
Anglo American Brasil
2008
Descrição
Status
Onde?
(1.1) “Declaração do detentor do cargo com maior poder de decisão na
organização (como diretor-presidente, presidente do conselho de administração ou cargo equivalente) sobre a relevância da sustentabilidade
para a organização e sua estratégia.”
Reportado
5
(1.2) Descrição dos principais impactos, riscos e oportunidades.
Reportado
5
(2.1) Nome da organização.
Reportado
11
(2.2) Principais marcas, produtos e/ou serviços.
Reportado
12
(2.3) Estrutura operacional da organização, incluindo principais
divisões, unidades operacionais, subsidiárias e joint ventures.
Reportado
11
(2.4) Localização da sede da organização.
Reportado
11
(2.5) Número de países em que a organização opera e nome dos
países em que suas principais operações estão localizadas ou são
especialmente relevantes para as questões de sustentabilidade
cobertas pelo relatório.
Reportado
13
(2.6) Tipo e natureza jurídica da propriedade.
Reportado
11
(2.7) Mercados atendidos (incluindo discriminação geográfica, setores
atendidos e tipos de clientes/ beneficiários).
Reportado
12
(2.8) “Porte da organização, incluindo:
• número de empregados;
• vendas líquidas (para organizações do setor privado) ou receita
líquida (para organizações do setor público);
• capitalização total discriminada em termos de dívida e patrimônio
líquido (para organizações do setor privado);
• Quantidade de produtos ou serviços oferecidos.
Além dos dados citados acima, sugere-se que as organizações
forneçam outras informações, conforme apropriado, tais como:
• ativo total;
• proprietários beneficiários (incluindo a identificação e o percentual
de participação dos principais acionistas);
• discriminação por país/região de:
- vendas/receita por países/regiões que correspondam a 5% ou mais
da receita total;
- custos por países/regiões que correspondam a 5% ou mais da
receita total;
- número de empregados.”
Reportado
11
12
(2.9) “Principais mudanças durante o período coberto pelo relatório
referentes a porte, estrutura ou participação acionária, incluindo:
• localização ou mudanças nas operações, inclusive abertura,
fechamento e expansão de unidades operacionais;
•m
udanças na estrutura do capital social e outra formação de capital,
manutenção ou alteração nas operações (para organizações do setor
privado).”
Reportado
5
(2.10) Prêmios recebidos no período coberto pelo relatório.
Reportado
24
2. Perfil Organizacional
O quê?
1. Estratégia
e Análise
Sumário de Conteúdo GRI
91
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
Sumário de Conteúdo GRI
Descrição
Escopo e Limite do Relatório
Perfil do Relatório
O quê?
Status
Onde?
(3.1) Período coberto pelo relatório (como ano contábil/(civil) para as
informações apresentadas.
Reportado
Contra Capa
(3.2) Data do relatório anterior mais recente (se houver).
Reportado
Contra Capa
(3.3) Ciclo de emissão de relatórios (anual, bienal etc.)
Reportado
Contra Capa
(3.4) Dados para contato em caso de perguntas relativas ao
relatório ou seu conteúdo.
Reportado
Contra Capa
(3.5) Processo para a definição do conteúdo do relatório, incluindo:
• determinação da materialidade;
• priorização de temas dentro do relatório;
• identificação de quais stakeholders a organização espera que usem o
relatório.
Inclua uma explicação de como a organização aplicou as orientações
para a definição do conteúdo do relatório e os princípios a elas relacionados.
Reportado
Contra Capa
(3.6) Limite do relatório (como países, divisões, subsidiárias,
instalações arrendadas, joint ventures, fornecedores). Para outras
orientações, consulte o protocolo para definição de limite da GRI (“GRI
Boundary Protocol”).
Reportado
Contra Capa
(3.7) Declaração sobre quaisquer limitações específicas quanto ao escopo ou ao limite do relatório.
Reportado
Contra Capa
(3.8) Base para a elaboração do relatório no que se refere a joint ventures, subsidiárias, instalações arrendadas, operações terceirizadas e
outras organizações que possam afetar significativamente a comparabilidade entre períodos e/ou entre organizações.
O escopo
desse
trabalho não
sofreu alterações em
relação ao
ano anterior.
Contra Capa
Contra Capa
(3.9) Técnicas de medição de dados e as bases de cálculos, incluindo
hipóteses e técnicas, que sustentam as estimativas aplicadas à compilação dos indicadores e outras informações do relatório.
Reportado
Notas explicativas nos rodapés
das tabelas e
gráficos (20, 26,
30, 31, 32, 38,
40, 49, 57, 60,
61, 65, 66, 67,
68, 71, 72, 74,
76, 77, 79, 82,
88)
Alteração no
reporte dos
indicadores
PR1 e EN22
56
81
(3.11) Mudanças significativas em comparação com anos anteriores
no que se refere a escopo, limite ou métodos de medição aplicados no
relatório.
Reportado
30
22
(3.12) Tabela que identifica a localização das informações no relatório.
Identificação dos números das páginas ou links para páginas na internet
em que se pode encontrar os seguintes itens:
• Estratégia e análise 1.1 e 1.2;
• Perfil organizacional 2.1 a 2.10;
• Parâmetros para o relatório 3.1 a 3.13;
• Governança, compromissos e engajamento 4.1 a 4.17;
• Processos de gestão, por categoria;
• Indicadores essenciais de desempenho;
• Quaisquer indicadores adicionais da GRI que forem incluídos;
• Quaisquer indicadores de suplementos setoriais da GRI incluídos no
relatório.
Reportado
91
(3.10) Explicação das conseqüências de quaisquer reformulações de
informações fornecidas em relatórios anteriores e as razões para tais
reformulações (como fusões ou aquisições, mudança no período ou
ano-base, na natureza do negócio, em métodos de medição).
Sumário de Conteúdo da GRI
3. Parâmetros para o Relatório
92
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
Sumário de Conteúdo GRI
Verificação
Descrição
Governança
4. Governança, Compromissos e Engajamento
3. Parâmetros
para o
Relatório
O quê?
(3.13) Política e prática atual relativa à busca de verificação externa
para o relatório. Se a verificação não for incluída no relatório de sustentabilidade, é preciso explicar o escopo e a base de qualquer verificação
externa fornecida, bem como a relação entre a organização relatora e
o(s) auditor(es).
Status
Onde?
Reportado
90
(4.1) Estrutura de governança da organização, incluindo comitês sob o
mais alto órgão de governança responsável por tarefas específicas, tais
como estabelecimento de estratégia ou supervisão da organização.
Reportado no
Relatório para a
Sociedade 2007
-
(4.2) Indicação caso o presidente do mais alto órgão de governança
também seja um diretor executivo (e, se for o caso, suas funções dentro
da administração da organização e as razões para tal composição).
O Presidente da
Anglo American
não exerce cargo
de diretor
executivo
-
(4.3) Para organizações com uma estrutura de administração unitária,
declaração do número de membros independentes ou não-executivos do
mais alto órgão de governança.
O Comitê Gerencial da Anglo
American Brasil
não possui membros independentes ou não
executivos.
-
(4.4) Mecanismos para que acionistas e empregados façam recomendações ou dêem orientações ao mais alto órgão de governança.
Inclua referência a processos relativos a:
• uso de deliberações de acionistas ou outros mecanismos que permitam
aos acionistas minoritários expressar opiniões à alta direção;
• informações e consulta aos empregados sobre as relações de trabalho
com órgãos de representação formal, como “comissões de trabalhadores”, em nível organizacional e representação de empregados no mais
alto órgão de governança.
Reportado
17
(4.5) Relação entre remuneração para membros do mais alto órgão de
governança, diretoria executiva e demais executivos (incluindo acordos
rescisórios) e o desempenho da organização (incluindo desempenho
social e ambiental).
Reportado no
Relatório para a
Sociedade 2007
-
(4.6) Processos em vigor no mais alto órgão de governança para
assegurar que conflitos de interesse sejam evitados.
Reportado no
Relatório para a
Sociedade 2007
-
(4.7) Processo para determinação das qualificações e conhecimento dos
membros do mais alto órgão de governança para definir a estratégia da
organização para questões relacionadas a temas econômicos, ambientais
e sociais.
Reportado
17
(4.8) Declarações de missão e valores, códigos de conduta e princípios
internos relevantes para o desempenho econômico, ambiental e social,
assim como o estágio de sua implementação. Explique até que ponto
eles:
• são aplicados na organização em regiões e departamentos/unidades
diferentes;
• relacionam-se a normas acordadas internacionalmente.
Reportado
14
17
(4.9) Procedimentos do mais alto órgão de governança para supervisionar
Reportado no
a identificação e gestão por parte da organização do desempenho ecoRelatório para a
nômico, ambiental e social, incluindo riscos e oportunidades relevantes,
assim como a adesão ou conformidade com normas acordadas internacio- Sociedade 2007
nalmente, códigos de conduta e princípios.
-
93
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
Sumário de Conteúdo GRI
Compromissos com Iniciativas Externas
Governança
O quê?
Descrição
Status
Onde?
(4.10) Processos para a auto-avaliação do desempenho
do mais alto órgão de governança, especialmente com
respeito ao desempenho
econômico, ambiental e social.
Não existem processos formais
para auto-avaliação de desempenho do Comitê Gerencial com
relação ao desempenho econômico,
ambiental e social, embora os diretores sejam avaliados por desempenho em tais indicadores por meio
de contrato formal de desempenho.
-
(4.11) Explicação de se e como a organização aplica o
princípio da precaução. O Artigo 15 dos Princípios do
Rio12 introduziu o princípio da precaução. A resposta
ao item 4.11 poderia relatar a abordagem da organização para gestão de risco no planejamento operacional
ou no desenvolvimento e introdução de novos produtos.
A Anglo American Brasil não
aplica formalmente o Princípio da
Precação na tomada de decisões
sobre projetos, embora esteja
contida nos Comitês de avaliação
dos projetos uma avaliação formal
dos riscos à comunidade e ao
meio ambiente.
-
(4.12) Cartas, princípios ou outras iniciativas desenvolvidas externamente de caráter econômico, ambiental e
social que a organização subscreve ou endossa. Inclua
a data de adoção e países/unidades operacionais em
que são aplicados e a gama de stakeholders envolvidos
no desenvolvimento e governança dessas iniciativas
(multistakeholders, por exemplo). Faça uma diferenciação entre iniciativas não-obrigatórias e voluntárias
e outras que a organização tenha obrigatoriamente de
cumprir.
Reportado
14
(4.13) Participação em associações (como federações
de indústrias) e/ou organismos nacionais/ internacionais
de defesa em que a organização:
• possui assento em grupos responsáveis pela
governança corporativa;
• integra projetos ou comitês;
• contribui com recursos de monta além da taxa básica
como organização associada;
• considera estratégica sua atuação como associada.
Reportado
14
Reportado
Contra
Capa
14
26
47
Reportado
Contra
Capa
14
26
47
Reportado
Contra
Capa
14
26
47
Reportado
Contra
Capa
14
26
47
(4.14) Relação de grupos de stakeholders engajados
pela organização.
Engajamento de Stakeholders
4. Governança, Compromissos e Engajamento
94
(4.15) Base para a identificação e seleção de stakeholders com os quais se engajar. Inclui o processo da organização para a definição de seus stakeholders e para
a determinação dos grupos com os quais se engajar ou
não.
(4.16) Abordagens para o engajamento dos stakeholders, incluindo a freqüência do engajamento por tipo e
por grupos de stakeholders.
(4.17) Principais temas e preocupações que foram
levantados por meio do engajamento dos stakeholders e
que medidas a organização tem adotado para tratá-los.
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO ECONÔMICO - ASPECTO: DESEMPENHO ECONÔMICO
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Reportado
20
Essencial
EC1
Valor econômico direto gerado e distribuído, incluindo receitas,
custos operacionais, remuneração de empregados, doações e
outros investimentos na comunidade, lucro acumulados e
pagamentos para provedores de capital e governos.
Essencial
EC2
Implicações financeiras e outros riscos e oportunidades para as
atividades da organização devido a mudanças climáticas.
Reportado
60
Essencial
EC3
Cobertura das obrigações do plano de pensão de benefício
definido que a organização oferece.
Reportado
34
Essencial
EC4
Ajuda financeira significativa recebida do governo.
Reportado
21
Status
Onde?
ASPECTO: PRESENÇA NO MERCADO
Essencial
Adicional
Indicadores
Adicional
EC5
Variação da proporção do salário mais baixo comparado ao
salário mínimo local em unidades operacionais importantes.
Reportado
31
Essencial
EC6
Políticas, práticas e proporção de gastos com fornecedores locais
em unidades operacionais importantes.
Reportado
22
Essencial
EC7
Procedimentos para contratação local e proporção de membros
de alta gerência recrutados na comunidade local em unidades
operacionais importantes.
Reportado
32
Descrição
Aspecto: Impactos Econômicos Indiretos
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
EC8
Desenvolvimento e impacto de investimentos em infra-estrutura
e serviços oferecidos, principalmente para benefício público, por
meio de engajamento comercial, em espécie ou atividades pro
bono.
Reportado
48
50
Adicional
EC9
Identificação e descrição de impactos econômicos indiretos
significativos, incluindo a extensão dos impactos.
Parcial
49
Status
Onde?
Reportado
88
0.
Não há reaproveitamento dos materiais;
consultar MM4
-
Ambiental
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: MATERIAIS
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN1
Essencial
EN2
Descrição
Materiais usados por peso ou volume.
Percentual dos materiais usados provenientes de reciclagem.
95
96
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: ENERGIA
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN3
Essencial
EN4
Descrição
Status
Onde?
Consumo de energia direta discriminado por fonte de energia
primária.
Reportado
63
Consumo de energia indireta discriminado por fonte primária.
Reportado
63
Não reportado
Adicional
Adicional
EN5
Energia economizada devido a melhorias em conservação e
eficiência.
EN6
Iniciativas para fornecer produtos e serviços com baixo consumo
de energia, ou que usem energia gerada por recursos renováveis, e a redução na necessidade de energia resultante dessas
iniciativas.
As iniciativas de eficiência
energética estão em implementação. Desta forma, não
foi possível ainda medir os
resultados das iniciativas
para melhorar a eficiência
energética
-
Parcial
As iniciativas estão sendo
implementadas e ainda não
foi possível a mensuração da
redução do uso de energia
resultante delas
64
Não Reportado
Adicional
EN7
Iniciativas para reduzir o consumo de energia indireta e as
reduções obtidas.
A empresa não monitora
consumo de energia na cadeia
de fornecedores, nem das
atividades de transporte
(viagens, transporte de
empregados próprios etc.).
Entretanto, planeja a estruturação de banco de dados para
monitorar desempenho de
seus fornecedores e prestadores de serviços, bem como
de viagens e transporte de
funcionários, para subsidiar a
definição de medidas e iniciativas de redução de consumo
de energia indireta.
-
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: ÁGUA
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN8
Descrição
Total de retirada de água por fonte.
Status
Onde?
Reportado
68
Parcial
Adicional
EN9
Fontes hídricas significativamente afetadas por retirada de água.
A Anglo American não tem
as informações sobre a composição dos corpos hídricos
impactados.
67
68 e
Adicional
EN10
Percentual e volume total de água reciclada e reutilizada.
Reportado
Relatório
para a
Sociedade
2007
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: ÁGUA
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
EN11
Localização e tamanho da área possuída, arrendada ou administrada dentro de áreas protegidas, ou adjacente a elas, e áreas de
alto índice de biodiversidade fora das áreas protegidas.
Reportado
74
Essencial
EN12
Descrição de impactos significativos na biodiversidade de
atividades, produtos e serviços em áreas protegidas e em áreas
de alto índice de biodiversidade fora das áreas protegidas.
Reportado
74
Adicional
EN13
Habitats protegidos ou restaurados.
Reportado
72 - 76
Adicional
EN14
Estratégias, medidas em vigor e planos futuros para a gestão de
impactos na biodiversidade.
Reportado
71
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: ÁGUA
Essencial
Adicional
Adicional
Indicadores
EN15
Descrição
Número de espécies na Lista Vermelha da
IUCN e em listas nacionais de conservação
com habitats em áreas afetadas por operações, discriminadas pelo nível de risco de
extinção.
Status
Onde?
Reportado
75
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: EMISSÃO, EFLUENTES E RESÍDUOS
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
EN16
Total de emissões diretas e indiretas de gases
de efeito estufa, por peso.
Reportado
64
Essencial
EN17
Outras emissões indiretas relevantes de gases
de efeito estufa, por peso.
Reportado
64
Parcial
As iniciativas estão sendo implementadas e ainda
não foi possível a mensuração da redução do uso de
energia resultante delas. A redução do uso de óleo
combustível se deu também por causa da redução da
produção, não foi 100% por causa das iniciativas.
A iniciativa de substituição de motores também terá
a respectiva redução medida no próximo período de
relatório.
Adicional
EN18
Iniciativas para reduzir as emissões de gases
de efeito estufa e as reduções obtidas.
Essencial
EN19
Emissões de substâncias destruidoras da
camada de ozônio, por peso.
Essencial
EN20
NOx, SOx e outras emissões atmosféricas
significativas, por tipo e peso.
Reportado
66
79
Essencial
EN21
Descarte total de água, por qualidade e
destinação.
Reportado
79
Essencial
EN22
Peso total de resíduos, por tipo e método
de disposição.
Reportado
81
Essencial
EN23
Número e volume total de derramamentos
significativos.
Reportado
83
Não Reportado
Indicador não material porque os processos geram
emissões insignificantes destas substâncias.
66
-
Reportado
Adicional
Adicional
EN24
Peso de resíduos transportados, importados,
exportados ou tratados considerados perigosos
nos termos da Convenção da Basiléia –
Anexos I, II, III e VIII, e percentual de
carregamentos de resíduos transportados
internacionalmente.
EN25
Identificação, tamanho, status de proteção
e índice de biodiversidade de corpos d’água
e habitats relacionados significativamente
afetados por descartes de água e drenagem
realizados pela organização relatora.
Reporte agregado (todas as unidades) em duas categorias devido à mudança de classificação de parte
significativa que compunha os resíduos dos processos
de produção de fosfatados. Os “Resíduos Gerados
do Processo Produtivo” (conhecidos como gesso)
das unidades de Cubatão e Catalão Fosfatos, que
foram reportados em 2007, não fazem mais parte
deste indicador, pois o gesso se tornou um produto
registrado e usado como sub-produto na agricultura,
sendo as pilhas deste material consideradas como um
depósito temporário.
82
Parcial
Não há dados disponíveis para a Unidade de Cubatão.
Ainda assim, foi iniciado em 2008 avaliação ecotoxicológica do córrego Perdido, cujo resultado poderá ser
reportado em 2009.
70
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: PRODUTOS E SERVIÇOS
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN26
Descrição
Iniciativas para mitigar os impactos ambientais de produtos e serviços e a extensão da
redução desses impactos.
Status
Onde?
Parcial
O estágio de implementação das iniciativas não
permite medir e monitorar a extensão da redução dos
impactos.
83
97
98
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: PRODUTOS E SERVIÇOS
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Não Reportado
Essencial
Percentual de produtos e suas embalagens recuperados em
relação ao total de produtos vendidos, por categoria de produto.
EN27
Indicador não material, porque
os produtos da organização
são transportados a granel
ou suas embalagens não são
recuperáveis.
-
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: CONFORMIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN28
Descrição
Valor monetário de multas significativas e número total de
sanções não-monetárias resultantes da não-conformidade com
leis e regulamentos ambientais.
Status
Onde?
Reportado
83
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: TRANSPORTE
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Adicional
EN29
Impactos ambientais significativos do transporte de produtos e
outros bens e materiais utilizados nas operações da organização,
bem como do transporte de trabalhadores.
Reportado
84
INDICADORES DE DESEMPENHO AMBIENTAL - ASPECTO: GERAL
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Adicional
EN30
Total de investimentos e gastos em proteção ambiental, por tipo.
Reportado
85
Social
Indicadores de Desempenho Referentes a Práticas Trabalhistas e Trabalho Decente
ASPECTO: EMPREGO
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
LA1
Descrição
Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de
trabalho e região.
Status
Onde?
Reportado
30
Parcial
Essencial
LA2
Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa
etária, gênero e região.
Adicional
LA3
Benefícios oferecidos a empregados de tempo integral que não
são oferecidos a empregados temporários ou em regime de meio
período, discriminados pelas principais operações.
O sistema produz dados
de rotatividade por gênero
e faixa etária para 2006 e
2007. Não estão disponíveis
os números de aposentados.
Reportado
30
30
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL - ASPECTO: Relações entre os Trabalhadores e a Governança
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
LA4
Percentual de empregados abrangidos por acordos de negociação
coletiva.
100%
-
Essencial
LA5
Prazo mínimo para notificação com antecedência referente a
mudanças operacionais, incluindo se esse procedimento está
especificado em acordos de negociação coletiva.
Reportado
35
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL - ASPECTO: SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Adicional
LA6
Percentual dos empregados representados em comitês formais de
segurança e saúde, compostos por gestores e por trabalhadores,
que ajudam no monitoramento e aconselhamento sobre programas de segurança e saúde ocupacional.
Reportado
38
Essencial
LA7
Taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos,
absenteísmo e óbitos relacionados ao trabalho, por região.
Reportado
40
Essencial
LA8
Programas de educação, treinamento, aconselhamento, prevenção e controle de risco em andamento para dar assistência a
empregados, seus familiares ou membros da comunidade com
relação a doenças graves.
Reportado
42
Adicional
LA9
Temas relativos a segurança e saúde cobertos por acordos formais com sindicatos.
Reportado
35
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL - ASPECTO: TREINAMENTO E EDUCAÇÃO
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Parcial
Adoção do sistema SAP
previsto para 2010 promoverá melhor padronização
e centralização destas
informações.
Essencial
LA10
Média de horas de treinamento por ano, por funcionário,
discriminadas por categoria funcional.
Adicional
LA11
Programas para gestão de competências e aprendizagem contínua
que apóiam a continuidade da empregabilidade dos funcionários e
para gerenciar o fim da carreira.
Reportado
33
Adicional
LA12
Percentual de empregados que recebem regularmente análises de
desempenho e de desenvolvimento de carreira.
100%
32
33
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL - ASPECTO: DIVERSIDADE E IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
LA13
Composição dos grupos responsáveis pela governança
corporativa e discriminação de empregados por categoria, de
acordo com gênero, faixa etária, minorias e outros indicadores de
diversidade.
Parcial
32
Essencial
LA14
Proporção de salário base entre homens e mulheres, por
categoria funcional.
Reportado
31
99
100 S U M Á R I O D E C O N T E Ú D O G R I
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS
ASPECTO: PRÁTICAS DE INVESTIMENTO E DE PROCESSOS DE COMPRA
Essencial
Adicional
Essencial
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
HR1
Percentual e número total de contratos de investimentos
significativos que incluam cláusulas referentes a direitos
humanos ou que foram submetidos a avaliações referentes a
direitos humanos.
HR2
Percentual de empresas contratadas e fornecedores críticos que
foram submetidos a avaliações referentes a direitos humanos e
as medidas tomadas.
HR3
Total de horas de treinamento para empregados em políticas e
procedimentos relativos a aspectos de direitos humanos
relevantes para as operações, incluindo o percentual de
empregados que recebeu treinamento.
Status
Onde?
Parcial
44
Não Reportado
Nenhuma empresa
contratada ou fornecedor
foi submetido a este tipo de
avaliação.
-
Não Reportado
Não há processo regular de
treinamento para empregados em temas de direitos
humanos.
-
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS - ASPECTO: NÃO DISCRIMINAÇãO
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
HR4
Descrição
Número total de casos de discriminação e as medidas tomadas.
Status
Onde?
Reportado
44
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS
ASPECTO: LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO E NEGOCIAÇÃO COLETIVA
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
HR5
Descrição
Status
Onde?
0
-
Operações identificadas em que o direito de exercer a liberdade
de associação e a negociação coletiva pode estar correndo risco
significativo e as medidas tomadas para apoiar esse direito.
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS - ASPECTO: TRABALHO INFANTIL
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
HR6
Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência
de trabalho infantil e as medidas tomadas para contribuir para a
abolição do trabalho infantil.
Reportado
44
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS
ASPECTO: TRABALHO FORÇADO OU ANÁLOGO AO ESCRAVO
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
HR7
Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência
de trabalho forçado ou análogo ao escravo e as medidas tomadas
para contribuir para a erradicação do trabalho forçado ou análogo
ao escravo.
Reportado
45
Adicional
HR8
Percentual do pessoal de segurança submetido a treinamento nas
políticas ou procedimentos da organização relativos a aspectos
de direitos humanos que sejam relevantes às operações.
Reportado
45
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES A DIREITOS HUMANOS - ASPECTO: DIREITOS INDÍGENAS
Essencial
Adicional
Indicadores
Adicional
HR9
Descrição
Número total de casos de violação de direitos dos povos
indígenas e medidas tomadas.
Status
Onde?
Reportado
46
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL REFERENTES A SOCIEDADe - ASPECTO: COMUNIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
SO1
Natureza, escopo e eficácia de quaisquer programas e práticas
para avaliar e gerir os impactos das operações nas comunidades,
incluindo a entrada, operação e saída.
Reportado
47
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL REFERENTES A SOCIEDADe - ASPECTO: CORRUPÇãO
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Não Reportado
Essencial
SO2
Percentual e número total de unidades de negócios submetidas a
avaliações de riscos relacionados a corrupção.
Unidades de negócio não
foram submetidas a este tipo
de avaliações no período uma
vez que formalização das políticas e procedimentos ainda
não estavam implementadas.
-
Não Reportado
Essencial
SO3
Percentual de empregados treinados nas políticas e procedimentos anticorrupção da organização.
Essencial
SO4
Medidas tomadas em resposta a casos de corrupção.
Não há processo regular
de treinamento para
empregados nas políticas e
procedimentos anticorrupção
da organização.
-
Reportado
45
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL REFERENTES A SOCIEDADe - ASPECTO: POLÍTICAS PÚBLICAS
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Reportado
Essencial
SO5
Posições quanto a políticas públicas e participação na elaboração
de políticas públicas e lobbies.
Adicional
SO6
Valor total de contribuições financeiras e em espécie para partidos políticos, políticos ou instituições relacionadas, discriminadas
por país.
Algumas ações foram iniciadas antes de 2006, mas são
relevantes para o período
do reporte do Relatório de
2008.
0
54
-
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL REFERENTES A SOCIEDADe - ASPECTO: CONCOrRÊNCIA DESLEAL
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Adicional
SO7
Número total de ações judiciais por concorrência desleal, práticas
de truste e monopólio e seus resultados.
0
-
INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL REFERENTES A SOCIEDADe - ASPECTO: CONFORMIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
SO8
Descrição
Valor monetário de multas significativas e número total de
sanções não-monetárias resultantes da não-conformidade com
leis e regulamentos.
Status
Onde?
Reportado
11
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES SOCIAL REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO: SAÚDE E SEGURANÇA DO CLIENTE
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
PR1
Fases do ciclo de vida de produtos e serviços em que os impactos
na saúde e segurança são avaliados visando melhoria, e o percentual de produtos e serviços sujeitos a esses procedimentos.
Reportado
56
PR2
Número total de casos de não-conformidade com regulamentos e
códigos voluntários relacionados aos impactos causados por
produtos e serviços na saúde e segurança durante o ciclo de
vida, discriminados por tipo de resultado.
0
-
Adicional
101
102 S U M Á R I O D E C O N T E Ú D O G R I
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES SOCIAL REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO: SAÚDE E SEGURANÇA DO CLIENTE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
PR3
Adicional
Adicional
Descrição
Status
Onde?
Tipo de informação sobre produtos e serviços exigida por
procedimentos de rotulagem, e o percentual de produtos e
serviços sujeitos a tais exigências.
Reportado
57
PR4
Número total de casos de não-conformidade com regulamentos
e códigos voluntários relacionados a informações e rotulagem de
produtos e serviços, discriminados por tipo de resultado.
Reportado
57
PR5
Práticas relacionadas à satisfação do cliente, incluindo resultados
de pesquisas que medem essa satisfação.
Reportado
57
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES SOCIAL REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO: COMUNICAÇÕES DE MARKETING
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Essencial
PR6
Programas de adesão às leis, normas e códigos voluntários
relacionados a comunicações de marketing, incluindo publicidade,
promoção e patrocínio.
PR7
Número total de casos de não-conformidade com regulamentos
e códigos voluntários relativos a comunicações de marketing,
incluindo publicidade, promoção e patrocínio, discriminados por
tipo de resultado.
Adicional
Status
Não Reportado
Indicador não material para o
negócio da organização.
Não Reportado
Indicador não material para o
negócio da organização.
Onde?
-
-
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES SOCIAL REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO: CONFORMIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Adicional
PR8
Descrição
Número total de reclamações comprovadas relativas a violação
de privacidade e perda de dados de clientes.
Status
Não Reportado
Indicador não material para o
negócio da organização.
Onde?
-
INDICADORES DE DESEMPENHO REFERENTES SOCIAL REFERENTES A RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO: COMPLIANCE
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
PR9
Valor monetário de multas (significativas) por não-conformidade
com leis e regulamentos relativos ao fornecimento e uso de
produtos e serviços.
0
-
Status
Onde?
Reportado
76
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - ASPECTO: BIODIVERSIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
EN23MM
Descrição
Quantidade total de terra adquirida, arrendada e gerenciada para
as atividades de produção ou uso extrativista.
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: Captação, Administração e Distribuição de RendA
Essencial
Adicional
Essencial
Indicadores
Descrição
MM1
Identifica as operações nas quais a contribuição econômica local
e o impacto do desenvolvimento são de especial importância e
interesse para as partes interessadas (por exemplo, operações
em áreas remotas) e define políticas referentes à avaliação dessa
conformidade.
Status
Onde?
Reportado
22
32
48
49
50
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: VALOR AGREGADO
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
MM2
Descrição
Valor agregado desagregado para nível nacional. Nota: O valor
agregado é definido como as receitas totais menos o custo total das aquisições.
Status
Onde?
Reportado
20
SUMÁRIO DE CONTEÚDO GRI
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: BIODIVERSIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
MM3
Descrição
O número / percentual de operações identificadas que requerem
planos de gerenciamento da biodiversidade, e o número /
percentual de operações onde os planos estão implementados.
Status
Onde?
Reportado
72
Status
Onde?
Reportado
88
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: MATERIAIS
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
MM4
Descrição
Percentual de produto(s) derivado(s) de materiais secundários.
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: RESPONSABILIDADE PELOS MATERIAIS
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
MM5
Descreve as políticas para a avaliação dos atributos da
eco-eficiência e da sustentabilidade dos produtos (por exemplo,
reciclabilidade, uso do material, uso de energia, toxicidade, etc.)
Reportado
83
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS
Aspecto: Rejeitos da Mineração e Beneficiamento Mineral em Grandes Volumes
Essencial
Adicional
Essencial
Indicadores
Descrição
Descreve a abordagem ao gerenciamento do estéril, rochas,
rejeitos e lama/resíduos incluindo:
- avaliação de riscos;
- estabilidade estrutural dos locais de armazenamento;
- potencial de lixiviação do metal; e
- propriedades perigosas.
MM6
Status
Onde?
Reportado
80
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: COMuNIDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
Essencial
MM7
Descreve os incidentes significativos que afetam as comunidades
durante o período de relatório, e os mecanismos usados para
solucionar os incidentes e suas conseqüências
Reportado
55
Não foram identificadas
operações com ocorrências
de práticas de mineração artesanal e, desta forma, não
há envolvimento da empresa
com programas que abordem
esse tema.
-
Essencial
Descreve os programas nos quais a organização relatora tenha
estado envolvida que trataram da mineração artesanal e de
pequena escala (ASM) dentro de áreas de operação da empresa.
MM8
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: REASSENTAMENTO
Essencial
Adicional
Essencial
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
MM9
Descreve as políticas e atividades de reassentamento:
- Identifica os locais onde houve reassentamento e o número de
domicílios reassentados em cada um deles;
- Inclui as práticas relativas ao reassentamento e à indenização e
o grau de alinhamento com a Diretiva do Banco Mundial sobre
Reassentamento Involuntário”
Reportado
55
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: Fechamento das Operações
Essencial
Adicional
Essencial
Indicadores
MM10
Descrição
Número ou percentual de operações com planos de fechamento, abrangendo os aspectos sociais – incluindo a transição da
mão-de-obra -, ambientais e econômicos. Descreve a política da
empresa, os processos de engajamento dos interessados, a
freqüência de revisão do plano, e a quantidade e o tipo de
cláusulas financeiras para o fechamento.
Status
Onde?
Reportado
48
103
104 S U M Á R I O D E C O N T E Ú D O G R I
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: DIREITOS À PROPRIEDADE
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
MM11
Descrição
Descreve o processo de identificação de propriedades e direitos
usuais das comunidades locais, incluindo aqueles dos povos
indígenas e os mecanismos usados para resolver os conflitos.
Status
Onde?
Reportado
46
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: PREPARO PARA EMERGÊNCIAS
Essencial
Adicional
Essencial
Indicadores
Descrição
Status
Onde?
MM12
Descreve a abordagem à identificação, preparação e reação a
situações de emergência que afetem os funcionários, comunidades ou o meio ambiente. Inclui uma descrição da natureza das
capacidades existentes, as equipes que respondem em situação
de emergência.
Reportado
38
SUPLEMENTO DE MINERAÇÃO E METAIS - Aspecto: SAÚDE E SEGURANÇA
Essencial
Adicional
Indicadores
Essencial
MM13
Descrição
Número de novos casos de doença ocupacional por tipo.
Descreve os programas para prevenir doenças ocupacionais.
GRI Report Applications Levels
Status
Onde?
Reportado
43
Relatório elaborado pela Anglo American Brasil
com suporte da ERM Brasil e LVBA Comunicação.
Projeto gráfico: NETi Comunicação Integrada - www.neti.com.br
Redação: LVBA Comunicação - www.lvba.com.br
Projeto fotográfico: Flavita Valsani
RELATÓRI O PA RA A SOCIE DAD E ANGLO AMERICAN BR ASIL - 2 0 0 7 - CR ESCENDO DE MANEIR A SUST E NT ÁV E L
O Relatório para a Sociedade da Anglo American Brasil 2008 compreende as operações de níquel, nióbio e
fosfatados do grupo Anglo American PLC no país. Publicado anualmente, o documento contém ainda dados
da unidade de Exploração e do Projeto Barro Alto. Os negócios associados ao minério de ferro apresentam
gestão independente, realizada pela Anglo Ferrous Brazil e, portanto, não são objeto deste relatório.
O processo de definição do conteúdo e da estrutura deste relatório seguiu os parâmetros do relatório do
ano passado. Adicionalmente, foram levantadas informações sobre temas materiais das consultas SEAT
(sigla em inglês para Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica). Todas as questões identificadas foram elencadas e priorizadas, segundo a importância dos impactos (ambientais, econômicos e sociais), em relação à influência que elas exercem na avaliação e na decisão das partes interessadas.
O desenvolvimento do relatório abrange todas as áreas de gestão e operacionais da companhia. Os temas
considerados materiais abordados no relatório foram fruto de oficinas e entrevistas com interlocutores das
partes interessadas, como clientes, fornecedores, empregados e comunidades do entorno das plantas, além
de terem sido consideradas as expectativas sociais e setoriais mais amplas. Além disso, foram selecionadas
questões colocadas por canais diretos de comunicação da empresa como o "Fale Conosco" e "Fórum Intercâmbio", e a repercussão de temas na imprensa, entre outros. Para o relatório dos resultados de 2008,
feito a partir da consulta pública às comunidades em função da aplicação da segunda versão do SEAT (ver
página 26), foi incluída uma pergunta referente aos temas que deveriam ser destaques. Com base nas discussões, fez-se a análise de temas e de prioridades para a elaboração de uma matriz de materialidade. O
processo possibilitou a identificação das questões materiais.
Os temas foram priorizados considerando-se seu impacto e sua importância para as partes interessadas.
Entre os temas em destaque estão o desenvolvimento da obra em Barro Alto (GO), os impactos em empregos e na renda das regiões, os projetos relacionados às comunidades (PEC − Plano de Envolvimento com a
Comunidade), os planos de investimentos no Brasil, os incentivos a compras locais, as preocupações a respeito do eventual encerramento das operações em Niquelândia (GO), a falta de políticas com enfoque nas
zonas rurais dos municípios em que atuamos, desempenho ambiental, em saúde e segurança, eficiência
energética e desempenho econômico, especialmente no que se refere ao cenário de crise e de investimentos.
2008
RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE ANGLO AMERICAN BRASIL
ANGLO AMERICAN BRASIL
Av. Paulista, 2300 - 10º andar
01310 -300 - Sã o Paulo - SP - Brasil
Fone: 11 2125 7555
www.angloamerican.com.br
O Relatório de Sustentabilidade abordou com, indicadores integrais, a forma de
gestão e do total das questões materiais identificadas, 69% foram consideradas
prioritárias. Dessas, 72% foram respondidas integralmente e 19% foram respondidas
parcialmente. 59% das questões não prioritárias foram respondidas.
Todas as questões materiais são abordadas ao longo deste documento por meio dos
relatos sobre como a Anglo American Brasil faz a gestão da Sustentabilidade e qual o
desempenho obtido por ela em 2008. O relatório é estruturado segundo as diretrizes
da Global Reporting Initiative versão 3, ampliando os indicadores reportados em relação ao ano anterior, considerando o nível de aplicação A+ da GRI.
Dúvidas, sugestões e críticas podem ser
encaminhadas pelo email:
faleconosco@angloamerican.com.br.
Mais informações estão disponíveis no
site www.angloamerican.com.br.
Endereço para correspondência: Av.
Paulista, 2.300 − 10° andar – CEP
01310-300 – São Paulo/SP (A/C Departamento de Desenvolvimento Sustentável)
Os públicos-alvo deste relatório são os empregados e contratados, as comunidades
envolvidas e a sociedade em geral. Ao selecionar e relatar informações e indicadores
de desempenho, foram adotados e testados todos os princípios de conteúdo e de
qualidade. Nem todos os temas relevantes são abordados a partir de indicadores de
desempenho GRI, pois a empresa encontra-se em processo de aprimoramento de suas
ferramentas para sistemas internos a fim de obter alinhamento às diretrizes.
Esta edição apresenta o total de 77 indicadores GRI completos, sendo 8 econômicos,
21 ambientais, 33 sociais e 14 do suplemento de mineração, já na versão em discussão de 2009. Também apresentamos indicadores em continuidade aos relatórios
de 2006 e 2007, além de dados parciais de mais 10 indicadores GRI. Informações
específicas sobre todos os indicadores podem ser visualizadas no "Sumário GRI" ao
fim deste relatório.
Este documento foi submetido a asseguração externa, em português, realizada pela
PricewaterhouseCoopers.
RELATÓRI O PA RA A SOCIE DAD E ANGLO AMERICAN BR ASIL - 2 0 0 7 - CR ESCENDO DE MANEIR A SUST E NT ÁV E L
O Relatório para a Sociedade da Anglo American Brasil 2008 compreende as operações de níquel, nióbio e
fosfatados do grupo Anglo American PLC no país. Publicado anualmente, o documento contém ainda dados
da unidade de Exploração e do Projeto Barro Alto. Os negócios associados ao minério de ferro apresentam
gestão independente, realizada pela Anglo Ferrous Brazil e, portanto, não são objeto deste relatório.
O processo de definição do conteúdo e da estrutura deste relatório seguiu os parâmetros do relatório do
ano passado. Adicionalmente, foram levantadas informações sobre temas materiais das consultas SEAT
(sigla em inglês para Caixa de Ferramentas para Avaliação Socioeconômica). Todas as questões identificadas foram elencadas e priorizadas, segundo a importância dos impactos (ambientais, econômicos e sociais), em relação à influência que elas exercem na avaliação e na decisão das partes interessadas.
O desenvolvimento do relatório abrange todas as áreas de gestão e operacionais da companhia. Os temas
considerados materiais abordados no relatório foram fruto de oficinas e entrevistas com interlocutores das
partes interessadas, como clientes, fornecedores, empregados e comunidades do entorno das plantas, além
de terem sido consideradas as expectativas sociais e setoriais mais amplas. Além disso, foram selecionadas
questões colocadas por canais diretos de comunicação da empresa como o "Fale Conosco" e "Fórum Intercâmbio", e a repercussão de temas na imprensa, entre outros. Para o relatório dos resultados de 2008,
feito a partir da consulta pública às comunidades em função da aplicação da segunda versão do SEAT (ver
página 26), foi incluída uma pergunta referente aos temas que deveriam ser destaques. Com base nas discussões, fez-se a análise de temas e de prioridades para a elaboração de uma matriz de materialidade. O
processo possibilitou a identificação das questões materiais.
Os temas foram priorizados considerando-se seu impacto e sua importância para as partes interessadas.
Entre os temas em destaque estão o desenvolvimento da obra em Barro Alto (GO), os impactos em empregos e na renda das regiões, os projetos relacionados às comunidades (PEC − Plano de Envolvimento com a
Comunidade), os planos de investimentos no Brasil, os incentivos a compras locais, as preocupações a respeito do eventual encerramento das operações em Niquelândia (GO), a falta de políticas com enfoque nas
zonas rurais dos municípios em que atuamos, desempenho ambiental, em saúde e segurança, eficiência
energética e desempenho econômico, especialmente no que se refere ao cenário de crise e de investimentos.
2008
RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE ANGLO AMERICAN BRASIL
ANGLO AMERICAN BRASIL
Av. Paulista, 2300 - 10º andar
01310 -300 - Sã o Paulo - SP - Brasil
Fone: 11 2125 7555
www.angloamerican.com.br
O Relatório de Sustentabilidade abordou com, indicadores integrais, a forma de
gestão e do total das questões materiais identificadas, 69% foram consideradas
prioritárias. Dessas, 72% foram respondidas integralmente e 19% foram respondidas
parcialmente. 59% das questões não prioritárias foram respondidas.
Todas as questões materiais são abordadas ao longo deste documento por meio dos
relatos sobre como a Anglo American Brasil faz a gestão da Sustentabilidade e qual o
desempenho obtido por ela em 2008. O relatório é estruturado segundo as diretrizes
da Global Reporting Initiative versão 3, ampliando os indicadores reportados em relação ao ano anterior, considerando o nível de aplicação A+ da GRI.
Dúvidas, sugestões e críticas podem ser
encaminhadas pelo email:
faleconosco@angloamerican.com.br.
Mais informações estão disponíveis no
site www.angloamerican.com.br.
Endereço para correspondência: Av.
Paulista, 2.300 − 10° andar – CEP
01310-300 – São Paulo/SP (A/C Departamento de Desenvolvimento Sustentável)
Os públicos-alvo deste relatório são os empregados e contratados, as comunidades
envolvidas e a sociedade em geral. Ao selecionar e relatar informações e indicadores
de desempenho, foram adotados e testados todos os princípios de conteúdo e de
qualidade. Nem todos os temas relevantes são abordados a partir de indicadores de
desempenho GRI, pois a empresa encontra-se em processo de aprimoramento de suas
ferramentas para sistemas internos a fim de obter alinhamento às diretrizes.
Esta edição apresenta o total de 77 indicadores GRI completos, sendo 8 econômicos,
21 ambientais, 33 sociais e 14 do suplemento de mineração, já na versão em discussão de 2009. Também apresentamos indicadores em continuidade aos relatórios
de 2006 e 2007, além de dados parciais de mais 10 indicadores GRI. Informações
específicas sobre todos os indicadores podem ser visualizadas no "Sumário GRI" ao
fim deste relatório.
Este documento foi submetido a asseguração externa, em português, realizada pela
PricewaterhouseCoopers.