Sulzer CP 116, CP 216 Guia de usuario

Add to my manuals
34 Pages

advertisement

Sulzer CP 116, CP 216 Guia de usuario | Manualzz

Painel de Controle Modelos ABS 116/216

ON ON ON ON ON ON

PT Guia do Utilizador

www.sulzer.com

Copyright © 2014 Sulzer. Todos os direitos reservados.

Este manual e o software nele descrito possuem licença e só podem ser utilizados ou copiados de acordo com as normas dessa licença. O conteúdo deste manual é fornecido apenas para fins informativos e está sujeito a alterações sem aviso prévio, não devendo ser interpretado como um compromisso do Sulzer Pump Solutions AB. O Sulzer Pump

Solutions AB não assume qualquer responsabilidade por quaisquer erros ou imperfeições que possam surgir neste manual.

Excepto se permitido por esta licença, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, armazenada num sistema de recuperação ou transmitida através de quaisquer meios electrónicos, mecânicos, de gravação ou através de quaisquer outros meios sem permissão prévia por escrito do Sulzer.

A Sulzer reserva-se o direito de alterar especificações devido aos desenvolvimentos técnicos.

PT

2

iii

Í

NDICE

Sobre este guia, público-alvo e conceitos

Capítulo 1 Síntese de funções e utilização

1

3

Capítulo 2 Definições 7

2.1

Seleccionar idioma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

2.2

Síntese definições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

2.3

Definições do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8

2.4

Def. do Poço da Bomba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

2.5

Definições da Bomba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13

2.6

Definições comuns para bomba 1 e bomba 2 . . . . . . . . . . . . . . . . 16

2.7

Registo analógico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16

2.8

Definições para curvas de tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17

2.9

Definições para entradas analógicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17

2.10 Definições para entradas digitais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19

2.11 Definições para entradas digitais (alarmes de relés) . . . . . . . . . . . . . . 19

2.12 Definições para o Canal de impulsos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

2.13 Definições da Comunicação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20

Capítulo 3 Operação Diária 23

3.1

Controlo Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

3.2

Lista de Alarmes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

3.3

Indicador do Estado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24

3.4

Curvas de Tendência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

Capítulo 4 Dados técnicos e compatibilidade EMC 27

4.1

Dados técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27

4.2

Carga máxima . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27

4.3

Compatibilidade electromagnética . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

iv

1

S

OBRE ESTE GUIA

,

PÚBLICO

-

ALVO E CONCEITOS

Este guia descreve os painéis de controlo da bomba CP 116 ⁄ 216. A diferença entre os dois produtos é que o CP 116 controla uma bomba, enquanto o CP 216 pode controlar duas bombas. O CP 116 não inclui nenhum disjuntor, enquanto o CP 216 inclui um disjuntor de 3 pólos para cada bomba.

Guia de Instalação

Existe um documento em separado Guia de Instalação que descreve como instalar fisicamente o painel de controlo (documento impresso incluído no pacote para instalação, assim como um PDF num CD).

Público-alvo

Este guia destina-se a administradores do sistema e operadores do painel de controlo CP 116 ⁄ 216.

Pré-requisitos

Este guia pressupõe que já esteja familiarizado com as bombas que vai controlar e as sondas ligadas a CP 116 ⁄ 216.

O administrador do sistema deve também saber e decidir sobre o seguinte:

O painel de controlo pode utilizar uma sonda de nível analógica, que mede o nível de profundidade da água, para um controlo preciso dos níveis de início e paragem, ou pode utilizar interruptores de bóia simples nos níveis de início e de paragem.

Os interruptores de bóia podem ser utilizados juntamente com uma sonda de nível analógica, como reserva, e como uma entrada de alarme adicional.

Uma sonda de nível analógico tem várias vantagens sobre os interruptores de bóia: é mais robusta (não fica presa nem mecanicamente bloqueada); é mais precisa, é mais flexível (pode alterar facilmente os níveis de início e paragem); pode obter uma leitura do nível de profundidade da água, o influxo, o transbordamento e a capacidade da bomba; o desempenho da bomba pode ser optimizado de várias formas, entre as quais excitação, níveis de paragem alternativos, controlo de tarifas, etc.

É também possível utilizar um nível de paragem alternativo, geralmente um nível abaixo do normal, o que tem efeito após um certo número de arranques da bomba. Esta opção é útil se for desejável esvaziar completamente o poço de vez em quando.

É necessário saber se a(s) bomba(s) deverá(ão) ser excitada(s) em caso de períodos mas prolongados ao ralenti. Se a instalação tiver duas bombas, necessita decidir se as bombas devem alternar.

Se a electricidade tem uma tarifa variável ao longo do dia, deve saber as horas em que a tarifa é alta/baixa.

Deve saber como o transbordamento vai ser medido: se vai ser medido usando um detector de transbordamento (para detectar o início do transbordamento) e uma sonda de nível (para medir o fluxo real), deve saber os parâmetros (expoentes e constantes) a serem inseridos como definições, de maneira a que o transbordamento seja medido de forma precisa através do cálculo em

CP 116 ⁄ 216.

Deve saber qual a classe de alarme, alarme A- ou alarme B- (ver Glossário e convenções na página 2, que deverá atribuir a cada alarme.

Ler o guia

Para a instalação, ver o documento em separado Guia de Instalação que abrange ambos CP 116 ⁄ 216 e CP 112 ⁄ 212. Antes de efectuar quaisquer defini-

ções ou utilizar o painel de controlo, ler Capítulo 1 Síntese de funções e utiliza-

ção ; descreve as funcionalidades gerais e o significado e utilização dos controlos no painel.

PT

2 S

OBRE ESTE GUIA

,

PÚBLICO

-

ALVO E CONCEITOS

O administrador do sistema deve certificar-se de que todas as definições de acordo com Capítulo 2 Definições são adequadas a esta aplicação. As predefinições estão listadas no Guia de Instalação.

A maior parte das definições no Capítulo 2 apenas se aplicam ao administrador do sistema, mas as seguintes aplicam-se também àqueles que apenas operam o regulador: selecção de idioma, definições de data e hora, unidades, temporização da contraluz, sinal sonoro, palavrapasse do operador, níveis de arranque/ paragem.

Capítulo 3 na página 23 abrange os tópicos necessários para o funcionamento diário regular.

Glossário e convenções

Para designar um item do menu numa hierarquia, utilizar um parêntesis recto para separar os níveis. Exemplo:

Definições > Sistema significa o item do menu que alcanço ao seleccionar inicialmente o item do menu

Definições, que tem vários submenus, onde se escolhe o item do menu

Sistema.

Texto a azul

indica uma ligação de hipertexto. Se ler este documento no computador, pode fazer clique sobre o item, que o levará à ligação propriamente dita.

Excitação da bomba: Longos períodos ao ralenti num ambiente corrosivo e contaminado não são benéficos para as bombas. Como contramedida, podem ser

“excitadas” em intervalos regulares, o que irá reduzir a corrosão e outros efeitos prejudiciais.

Cos

φ

: Coseno do ângulo de fase

φ

entre a corrente do motor e a tensão.

Classe de alarme: A classe do alarme pode ser alarme-A ou alarme-B. Os alarmes-A são aqueles que requerem acção imediata e, por isso, o pessoal operacional deve ser alertado independentemente da hora do dia. Os alarmes-

B são menos importantes, mas devem ser acompanhados durante as horas normais de funcionamento.

Entrada Digital refere-se a um sinal que está ligado ou desligado (alto ou baixo), em que alto é qualquer valor entre 5 e 24 volts CC e baixo é qualquer valor abaixo de 2 volts.

Saída Digital refere-se a uma relé de alarme que tanto pode ser fechada normalmente ou aberta normalmente

Entradas Analógicas são para sensores e estas entradas captam a corrente no sector 4–20 mA ou 0–20 mA.

PT

C

APÍTULO

1 S

ÍNTESE DE

3

FUNÇÕES E UTILIZAÇÃO

Porta RS-232 para um computador

(porta de serviço)

Indicador de potência

Indicador de alarme

CP 116 e CP 216 são painéis de controlo para uma e duas bombas, respectivamente. Estas unidades têm a mesma funcionalidade em termos de capacidade para controlar bombas e gerir alarmes — a única diferença é que CP 216 é para duas bombas, enquanto CP 116 é para uma bomba.

Figura 1-1 apresenta o painel, descreve a função dos botões e o significado das

luzes indicadoras. Os seis botões à direita do visor são utilizados para navegar nos menus e alterar definições, enquanto os botões à esquerda do visor são utilizados para controlar o modo da bomba e para controlo manual da bomba.

Auto / Off

Bomba 1, Bomba 2

CP 116: apenas P1

Direita/Frente

Para cima

Esquerda/Atrás

Capacidade Baixa P2

2,50 m

25,0 l/s

5,3 l/s

5,8 A

1 2

4,7 A

2

RS-232/indicadores de comunicação do modem Controlo Manual

Bomba 1, Bomba 2

CP 116: apenas P1

Escape/Cancelar

Luz indicadora para bomba (verde/amarelo)

Para baixo

Enter

Figura 1-1 Uma luz verde, mais à esquerda, indica que a unidade está ligada (bateria ou rede eléctrica). O indicador de alarme vermelho irá piscar sempre que existir um alarme não reconhecido.

Em cada bomba (P1 e P2) existe um botão com o qual pode programar a bomba para modo

Auto ou bloqueá-la. Uma luz indicadora mostra se a bomba está em modo Auto (verde) ou bloqueada manualmente (amarela). Em baixo, existe um botão (símbolo mão) com o qual pode controlar a bomba manualmente.

Pode navegar nos menus com os botões das setas. Pressionar o botão da seta

Para cima ou Para baixopara mudar para a vista do menu. Uma operação é confirmada com o botão Enter ou reconhece um alarme. Pressionar o botão

Escapecancela a operação actual.

Símbolo de alarme

Detect. Transbordam.

Enchimento do poço

Capacidade Baixa P2

2,50 m

5,8 A

1

2

25,0 l/s

4,7 A

2

Texto de alarme

Profundidade da água

Escoamento do poço

Sonda flt. alt. nív.

Consumo de corrente para a bomba 2

Apresenta a operação (triângulo animado)

Bomba número 2

Flutuação bx. nível

5,3 l/s

Profund. da água (em movim.)

Figura 1-2 O visor e os campos de informação na vista de topo predefinida (CP 216).

A vista predefinida (do topo) do visor apresenta de forma dinâmica o estado do

funcionamento das bombas e as condições no poço. Figura 1-2

apresenta os símbolos e explica os significados. A unidade irá sempre reverter para esta vista após 10 minutos de inactividade em qualquer outra vista (tal como a apresentação de menus).

A vista apresenta apenas uma bomba em CP 116 e quando CP 216 está programado para utilizar apenas uma bomba, a vista adapta-se para apresentar apenas uma bomba.

PT

4 C

APÍTULO

1 S

ÍNTESE DE FUNÇÕES E UTILIZAÇÃO

Indic. energ./alarme

Os dois símbolos mais à esquerda no painel são para o indicador da energia e alarme: o Uma luz verde indica que a unidade está ligada.

o O indicador de alarme vermelho pisca sempre que exista um alarme não reconhecido e o visor indica-lhe o tipo de alarme. Quando o alarme for reconhecido, a luz fica vermelha de forma contínua e permanece assim até que deixem de existir alarmes activos.

Indicadores de comunicação

Tx e Rx

Botões da esquerda

À direita do indicador de energia, existem dois indicadores de comunicação: o A Tx acende durante a transmissão de dados para a porta RS-232 ou para um modem.

o A Rx acende durante a recepção de dados da porta RS-232 ou de um modem.

Os botões à esquerda do visor têm as seguintes funções: o O botão chamado Auto/0 é utilizado para alternar o controlo da bomba entre o modo Auto ou desligar. Em Auto, a luz verde à direita fica acesa e o painel de controlo controla a bomba. Em 0, a luz amarela à direita fica acesa e a bomba é desligada, (desactivada).

o O botão com um símbolo de uma mão é utilizado para accionar a bomba, sobrepondo o regulador da bomba, ou parar a bomba se esta estiver a funcionar. Só tem efeito durante o modo Auto, isto é, quando acende a luz verde.

Botões da direita

Os botões à direita do visor têm as seguintes funções: o Para abandonar a vista geral do poço da bomba e passar para os menus, pressionar os botões das setas

Para cima ou Para baixo.

o Para entrar num item do menu, pressionar o botão Direita/Frente ou o botão

Enter . o Uma operação é confirmada (ou efectuada/executada) com o botão Enter (↵).

Quando a vista do topo do visor mostra que existe um alarme, premir o botão

Enter fará com que o alarme pare de tocar e fará a solicitação de reconhecimento do alarme, e se premir

Enter mais uma vez, o mesmo será reconhecido.

o Para cancelar a operação actual ou abandonar os menus e voltar à perspectiva da vista do poço da bomba, pressionar o botão

Escape.

Menu principal

Figura 1-3

apresenta o Menu Principal, alcançado a partir da vista geral pressionando a seta

Para cima ou Para baixo:

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

Nome do menu

Itens do menu

Esc

Estes símbolos mostram os botões de navegação que estão "activos" na vista actual.

Figura 1-3 O menu no topo do CP 116 ⁄ 216 visor gráfico.

O modo como deverá seleccionar o idioma e efectuar todas as definições (itens do menu

Select Language e Definições) está descrito em

Capítulo 2 Definições . Os itens

Controlo Manual, Lista de Alarmes, Indicador de Estado e Curvas de Tendência destinam-se a ser utilizados durante o funcionamento diário da unidade e são descritos em

Capítulo 3 Operação Diária .

Como inserir valores e sequências

Utilizar o botão

Para cima/Para baixopara subir ou baixar um valor ou letra. Para valores/sequências maiores do que um dígito/carácter, utilizar os botões

Direita/

Esquerda para mover o ponto de inserção para o campo desejado, de forma a poder alterar o valor com os botões

Para cima/Para baixo, etc.

PT

5

Palavras-passe

Existem três níveis de segurança:

1.

Operações diárias, tais como o reconhecimento de um alarme ou parar uma bomba, não requerem palavra-passe ou autorização.

2.

As definições de operação, tais como definir os níveis de início ou paragem da bomba, requerem uma palavra-passe ao nível do Operador.

3.

As definições de configuração que afectam a funcionalidade ou acesso básicos, tais como o tipo do sonda de nível, requerem uma palavra-passe ao nível do Sistema.

As palavras-passe predefinidas de fábrica são 1 e 2 respectivamente, mas os códigos podem ser alterados no item do menu

Definições> Sistema. Sempre que for pedida uma palavra-passe para Operador, pode fornecer a palavra-passe do

Operador ou a do Sistema.

Bateria de reserva

CP 116 ⁄ 216 inclui um carregador para um bateria de ácido de chumbo de reserva. A bateria em si é opcional e pode ser instalada dentro da caixa.

Durante o funcionamento da bateria (sem alimentação da rede), os relés da bomba estão sempre desligados. O indicador de energia permanecerá activo e o indicador de alarme estará activo. O relé de alarme funcionará de acordo com a definição em Tabela 2-9 As definições para as relés do alarme, nas ‘Defini-

ções > Saídas Digitais’ na página 19.

Alarme pessoal e como o repor

Quando a estação da bomba tem pessoal permanente, pode ser emitido um alarme pessoal se a pessoa responsável pela manutenção não tiver executado nenhuma actividade dentro de um determinado período de tempo. Para obter detalhes acerca das definições relacionadas com este alarme, ver Secção 2.3

Definições do sistema em página 8 (atribuir

Tipo de Alarme, Atraso do Alarme e Tem Mx. p/ Repor),

Secção 2.10 Definições para entradas digitais na página 19 (atribuir

Pessoal na Estação a uma Entrada Digital) e

Secção 2.11 Definições para entradas digitais (alarmes de relés) na página 19 (atribuir

Ind. Alarme Pessoala uma das relés de alarme).

Depois de especificado o

Tem Mx. p/ Repor, a relé de alarme atribuída fica activa e então um sinal sonoro ou visual pode alertar a pessoa da manutenção para o facto de ser necessário repor o temporizador do alarme. Se o temporizador do alarme não for reposto dentro de

Atraso do Alarme, é emitido um alarme pessoal.

Para repor o temporizador, pressionar qualquer botão no regulador da bomba.

PT

6 C

APÍTULO

1 S

ÍNTESE DE FUNÇÕES E UTILIZAÇÃO

PT

7

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Este capítulo descreve os itens do menu e definições que necessitam de ser efectuadas adequadamente antes do regulador da bomba ser utilizado. O modo de navegação nos menus e de introdução de valores é descrito em Capítulo 1

Síntese de funções e utilização . As predefinições estão listadas no Guia de Instalação.

Para sua conveniência, para além de controlar as definições directamente a partir do painel de controlo, pode também controlar as definições a partir de um computador a funcionar com o AquaProg (vendido em separado).

2.1

Seleccionar idioma

1.

Seleccionar o item do menu

Select Language e pressionar Enterduas vezes.

2.

Introduzir a palavra-passe para o Operador (por predefinição é 1). Pressionar

Enter.

3.

Faça scroll até ao idioma pretendido utilizando os botões

Para cima/Para baixo.

4.

Premir

Enter e depois a seta Esquerda/Atrás.

2.2

Síntese definições

O item do menu

Definições tem muitos submenus com um grande número de definições que precisam ser inseridas pelo administrador do sistema, no entanto, todas têm valores lógicos predefinidos. Seguem-se os submenus:

1.

Sistema ( Tabela 2-1

em

Secção 2.3

na página 8)

2.

Poço da Bomba ( Tabela 2-2 em Secção 2.4

na página 9)

3.

CP 116: Bomba

CP 216: Bomba 1, Bomba 2

(

Tabela 2-3 em Secção 2.5

na página 13)

4.

CP 216: P1-P2 comum ( Tabela 2-4

em

Secção 2.6

na página 16)

5.

Registo Analógico (

Tabela 2-5 em Secção 2.7

na página 16)

6.

Curvas de Tendência ( Tabela 2-6

em

Secção 2.8

na página 17)

7.

Entradas Analógicas ( Tabela 2-7 em Secção 2.9

na página 17)

8.

Entradas Digitais ( Tabela 2-8 em Secção 2.10

na página 19)

9.

Saídas Digitais ( Tabela 2-9 em Secção 2.11

na página 19)

10. Canal de Vibração (

Tabela 2-10 em Secção 2.12

na página 20)

11. Comunicação ( Tabela 2-11 em Secção 2.13

na página 20)

Todas as definições requerem uma palavra-passe para Sistema excepto algumas definições sob o submenu

Sistema e os níveis iniciar/parar.( página 13

), que apenas requerem a palavra-passe para o Operador.

Cada um dos submenus é descrito em tabelas separadas. A forma de interpretar a tabela é exemplificada a seguir para as definições do item do menu

Definições > Sistema > Alarmes do Sistema > Falha de energia em

Tabela 2-1 :

PT

8 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

1.

Seleccionar o item do menu

Definições utilizando os botões Para cima/Para baixo, e pressionar

Enter. O primeiro item do menu Sistema será seleccionado. Pressionar

Enter outra vez. Todos os submenus sob Sistema são apresentados em

Tabela 2-1 .

2.

Seleccionar o item do menu

Alarmes do Sistema, pressionar Enter.

3.

Seleccionar o item do menu

Falha de Energia, pressionar Enter.

4.

Seleccionar o item do menu

Tipo de Alarme, pressionar Enter e introduzir a palavra-passe para o Sistema. Seleccionar o item do menu

{Inact., Alarme B/A} e pressionar

Enter.

5.

Seleccionar o item do menu

Atraso do Alarme, pressionar Enter e se for solicitado, introduzir a palavra-passe para o Sistema. Definir o número de segundos e pressionar

Enter.

A palavra-passe será memorizada durante 50 segundos, sendo assim, no passo

5

acima referido, pode não ser necessário inserir a palavra-passe. A forma como os botões no painel são utilizados é descrita em Capítulo 1 Síntese de funções e utilização em página 3 .

Sistema

2.3

Definições do sistema

Tabela 2-1 apresenta a lista completa de definições do submenu

Sistema.

Submenu

Tabela 2-1 Definições do sistema, no item do menu "Definições > do Sistema" (Folha 1 de 2)

Submenu Definição

Select Language

Valor Palavrapasse

Comentário

Operador

Igual à definição descrita em Secção 2.1

.

Formato da Data

Definir Data

Definir Tempo

Selecc. Unidades

Temporiz. Contraluz

Seleccionar Idioma

{AAAA.MM.DD,

DD.MM.AAAA,

MM.DD.AAAA}

Data

Tempo

{Unidades Métricas,

Unidades EUA}

Minutos

Sistema

Operador

Sistema

Operador

Métrico: m, m

2

, m

3

, l/s (litros/s), bar, mm, °C

EUA: ft, ft

2

, gal, GPM (gal/min), °F

Se programada para zero, a contraluz estará sempre ligada.

Gama Gráficos de

Nível

Sinal sonoro

Tempo Aler. Sin. Son

Tempo Pausa Sin. Son m, ft

{OFF, ON}

Minutos

Minutos

Operador

Estes tempos são também usados quando um relé de alarme é definido para Alerta do

Alarme (

Secção 2.11

Definições para entradas digitais (alarmes de relés)

na página 19)

PT

9

Submenu

Alarmes do

Sistema

Tabela 2-1 Definições do sistema, no item do menu "Definições > do Sistema" (Folha 2 de 2)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Falha de

Energia

Perda Fase na

Entr.

Erro Soma de

Verif. NV

Alarme

Pessoal

Ordem Fásica

Incorr.

Com. Erro I/O

PCB

Erro NV I/O

PCB

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tem Mx. p/ Repor

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

Horas e minutos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

Sistema

Um alarme

Perda Fase na Entr. é emitido se umas das fases na entrada de energia estiver em falta.

Erro Soma verif. NV é emitido se a soma de verificação para a memória não volátil indicar erro.

O alarme permanece activo até que a energia seja desligada.

Depois de

Tem Mx. p/ Reiniciar, a pessoa encarregada da manutenção deve reiniciar o temporizador (pressionar qualquer botão), ou um

Alarme Pessoal é emitido depois de

Atraso do

Alarme.

Alt. palavra-passe

Operador

Sistema

Número inteiro

Número inteiro

Operador

Sistema

Para acesso do operador. O código pode ter 1 a 4 dígitos. O código predefinido de fábrica

é 1.

Para aceder ao Sistema (administrador). O código pode ter 1 a 4 dígitos. O código predefinido de fábrica é 2.

Reiníc. Hist./Alar.

Registo Histór. tot.

Todas os Alarmes

{Cancelar/Reiniciar}

{Cancelar/Reiniciar}

Sistema

Poço da Bomba

Submenu

2.4

Def. do Poço da Bomba

Tabela 2-2

apresenta a lista completa de definições no submenu

Poço da Bomba

Tabela 2-2 Definições do poço da bomba nas "Definições > Poço da Bomba" (Folha 1 de 5)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Tipo de Sonda de Nível

N.º Máx. Bombas Func.

Seleccionar o Tipo

Entrada Analógica

Seleccionar Bombas em Funcionamento

{Sonda Analógica,

Iniciar/Parar Flt}

{Int. Press. Sonda,

Ext. Sonda mA 1}

{2 Bombas,

Máx 1 Bomba}

Sistema

Sistema

Sistema

Intervalo mín. da relé Tempo Mín.

Segundos Sistema

Para minimizar sobrecargas de energia ou picos causados pelo arranque ou paragem das bombas em simultâneo, deve existir um tempo mínimo entre a alternância das relés.

PT

10 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Submenu

Alternância

Tabela 2-2 Definições do poço da bomba nas "Definições > Poço da Bomba" (Folha 2 de 5)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Alternância

Normal

Alternância

Assimétrica

Função Alt.

Alternância Posterior

Bomba Primária

Depois de Nº Paragens

Altern. Exec.

{OFF, Normal,

Assimétrico}

{Cada Paragem de

Bomba,

Ambas as Bombas

Paradas}

{Bomba 1, Bomba 2}

Número inteiro

{OFF, ON}

Sistema

Altern. Exec.

Alternad. Nível de Paragem

Iniciar em Alteração Rápida

Após Exec. Cont.

Alternad. Nível de

Paragem

Após Nº de Arranques

Nível de Paragem

Parar Atraso

Função de Início

Iniciar Mudança Nív.

Por

Parar Função

Parar Mudança Nível

Por

Calcular Fluxo de

Entrada

Estado do Poço

Esvaziar/Encher

Horas e minutos

{OFF, ON}

Número inteiro m, ft

Segundos

{OFF, ON} m, ft

Minutos

{OFF, ON} m, ft

Minutos

{OFF, ON}

{Rectangular, Cónico}

{Esvaziar o Poço,

Encher o Poço}

Sistema

Sistema

Liga-se apenas depois de um certo número de paragens da bomba primária.

Para além de alternância normal ou assimétrica, o controlador pode ser programado para ligar a bomba quando a bomba estiver a funcionar continuamente durante um certo período de tempo.

O

Alternad. Nível de Paragem, geralmente um nível mais baixo que o normal, tem efeito uma vez após cada arranque de bomba do tipo

Após Nº

Paragens

Ao definir um

Parar Atraso, o nível actual no qual a bomba pára será ainda mais baixo. (Qualquer alarme de baixo nível ou flutuação de baixo nível é bloqueado, mas uma detecção de accionamento a seco continuará a bloquear a bomba.)

Se pelo menos aumentar um nível

Iniciar

Mudança Nív. durante o período de tempo Por, então uma bomba arranca. Se o nível continuar a aumentar nessa medida, a bomba seguinte arranca.

Se o nível descer mais do que

Parar Mudança

Nível durante o período de tempo Por, então uma bomba pára. Se o nível continuar a descer nessa medida, a bomba seguinte pára.

A bomba está a encher ou esvaziar o poço?

Medidas

Parâmetros Intervalo Calc. Fluxo

Entrada

Segundos

Sistema

Intervalo de tempo entre medições.

Fluxo da

Estação

Comp. Fluxo

2 Bombas

Percentagem

100 % quer dizer que 2 bombas produzem duas vezes mais do que uma única bomba.

50 % quer dizer que 2 bombas não produzem mais do que uma única bomba.

Área do Poço

Calc. Capacidade da Bomba

Nível 0

Área 0

Nível 9

Área 9

Função

Nível Mín P Calc Cap

Iniciar Atraso

Cálculo de Tempo

Parar Atraso

Fixo a 0 m, ft m

2

, ft

2

… m, ft m

2

, ft

2

{OFF, ON} m, ft

Segundos

Segundos

Segundos

Sistema

Sistema

Pode especificar a forma do poço ao especificar a área a 10 níveis diferentes a partir do fundo do poço, nível 0, até ao cimo, nível 9.

Para bombas submersas, definir

Nível Mín P Calc

Cap como sendo o topo da bomba — melhora a precisão. O cálculo começa depois de

Iniciar

Atraso, quando os fluxos de bombagem estão estabilizados e segue para

Cálculo de Tempo.Parar

Atraso não afecta o cálculo da capacidade da bomba, mas o cálculo do fluxo de entrada é inibido durante

Parar Atraso após a bomba parar ao mesmo tempo que o fluxo estabiliza.

PT

11

Submenu

Transbordam ento

Tabela 2-2 Definições do poço da bomba nas "Definições > Poço da Bomba" (Folha 3 de 5)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Detect. transbordam.

Cálculo Transbordam.

{OFF, Sensor de

Transbordamento,

Limite de Nível}

{Bloqueio do Fluxo de

Entrada

Exp. e Constante}

Sistema

Para detectar um transbordamento, um sensor de transbordamento é muito mais exacto do que o limiar de uma sonda de nível. Através da definição de parâmetros (exponentes e constantes) o transbordamento pode também ser medido com precisão através de um cálculo. "Bloqueio do Fluxo de Entrada" utiliza simplesmente o valor histórico do fluxo de entrada.

Expoente e

Constante

Expoente 1

Constante 1

Expoente 2

Constante 2

Número

Número

Número

Número

Overflow =

h e

1

c

1

+

h e

2

c

2

h

= height of water. [m or ft]

[m

3

⁄ s or ft

3

⁄ s]

Nível

Transbordam.

Accionam. de reserva

Limite do Nível

Arranque de reserva

Bomba 1

Arranque de reserva

Bomba 2

Tempo de Execução m, ft

{OFF, ON}

{OFF, ON}

Segundos

Sistema

O nível no qual é esperado o transbordamento. Nota: não é tão preciso como quando se utiliza um interruptor de transbordamento.

Se o controlo normal através dos níveis iniciar e parar falhar, pode funcionar como uma reserva de emergência:

Se a flutuação de alto nível disparar, a bomba

1 e/ou a 2 podem ser programadas para começar a funcionar durante um período de tempo de

Tempo de Execução.

Alarmes do

Poço

Alto Nível

Baixo Nível

Flutuação

Alto Nív.

Flutuação

Baixo Nív.

Fluxo Ent. Alto

Fluxo de Ent.

Baixo

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos m, ft m, ft

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos m, ft m, ft

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos litros/segundo, GPM litros/segundo, GPM

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos litros/segundo, GPM litros/segundo, GPM

Sistema

PT

12 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Submenu

Alarmes do

Poço

Bloquear bomba

Tabela 2-2 Definições do poço da bomba nas "Definições > Poço da Bomba" (Folha 4 de 5)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Início de

Reserva

Bloqueio à

Distância

Alta Pressão

Baixa Pressão

Alarme

Transbordam.

Bloqueio de

Pressão

Erro do

Sensor

Bloqueio de

Ambas as

Bombas

Bloqueio à

Distância

Flutuação

Baixo Nív.

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Bloqueio à Distância

Bloq. Temporização

Flutuação Baixo Nív.

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos bar, ft bar, ft

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos bar, ft bar, ft

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{OFF, ON}

Segundos

{OFF, ON}

Sistema

O limite da pressão para o alarme é definido no menu de baixo para Bloqueio da Bomba.

Se o

Bloq. Temporização estiver programado para zero, o tempo de bloqueio nunca expira.

Bloqueio de

Pressão

Bloqueio de Pressão

Atraso de Bloqueio

Bloqueio de Pressão

Bloq. Temporização

{OFF, ON}

Segundos bar, ft

Segundos

Sistema

Nota:

Bloqueio de Pressão pode ser utilizado quando está instalada uma sonda de pressão no lado do transbordamento, quando indica pressão demasiado alta para a bomba, esta pode ser bloqueada. Se o

Bloq. Temporização estiver programado para zero, o tempo de bloqueio não termina.

Bloqueio de

Fugas

Bloqueio de Fugas

Atraso de Bloqueio

{OFF, ON}

Segundos

PT

13

Submenu

Tabela 2-2 Definições do poço da bomba nas "Definições > Poço da Bomba" (Folha 5 de 5)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Verificação da Sonda de Nível

Controlo de

Tarifas

Pico de

Segunda-

Feira até

Pico de

Domingo

A Flutuação Alto Nív.

Nível durante a Alta

Flutuação

Desvio Máximo +/–

Durante Flutuação de

Baixo Nível

Nível durante a Baixa

Flutuação

Desvio Máximo +/–

Verificação da

Mudança de Nível

Tempo Mudança de

Nível

Mudança Nív. Mín.+/–

Controlo de Tarifas

Tempo de Avanço

Bombear Nível p/ Bx

Horário de Pico 1

Ligado

Horário de Pico 1

Desligado

Horário de Pico 2

Ligado

Horário de Pico 2

Desligado

{OFF, ON} m, ft m, ft

{OFF, ON} m, ft m, ft

{OFF, ON}

Segundos m, ft

{OFF, ON}

Minutos m, ft

Horas e minutos

Horas e minutos

Horas e minutos

Horas e minutos

Sistema

Sistema

Verificar se a sonda de nível está a funcionar correctamente. A verificação pode ser feita na flutuação alta e para assegurar que a saída varia.

Durante a flutuação alta/baixa, pode ser emitido um sensor de alarme, caso a sonda indique um valor que não esteja dentro do

Desvio

Máximodo nível especificado para a flutuação alta/baixa.

Para garantir que os valores variam, ver abaixo:

Um alarme pode ser emitido se a sonda de nível não alterar o valor de saída pelo menos

Alteração Mín Nível no período de tempo

Tempo Mudança Nível.

Caso seja utilizado o controlo de tarifas, as bombas podem ser programadas para come-

çar a esvaziar o poço

Tempo de Avanço antes de iniciar as tarifas altas. Neste caso, esvazia o poço para

Bombear Nível p/ Bx (ou para um nível de paragem, aquele que disparar primeiro).

Para cada dia da semana, podem ser especificados dois períodos de tempo de tarifa alta

(especificando o tempo de início e fim).

Nível Acima do Mar Nível m, ft Sistema

Caso o visor dos níveis de corrente deva apresentar níveis absolutos acima do nível do mar, inserir o nível do poço da bomba acima do nível do mar.

Bomba

Bomba 1

Bomba 2

CP 116

CP 216

CP 216

2.5

Definições da Bomba

Tabela 2-3

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Bomba (CP 116) ou para CP 216: Bomba 1 e Bomba 2.

Tabela 2-3 Definições da bomba, em ‘Definições > Bomba’ ou ‘Definições > Bomba 1/2’ (Folha 1 de 3)

Submenu Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Controlo do Relé Bomba Ligada?

{NÃO, SIM} Sistema

Se uma bomba não estiver ligada, o relé continua a funcionar de acordo com os níveis iniciar/parar.

Parâmetros da Bomba

Corr. Nominal

Nominal Cos φ

Monitor de

Temperatura

Monitor de Fuga

Amperes

Número

{OFF, ON}

{OFF, ON}

Sistema

PT

14 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Tabela 2-3 Definições da bomba, em ‘Definições > Bomba’ ou ‘Definições > Bomba 1/2’ (Folha 2 de 3)

Submenu Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Níveis Iniciar/Parar

Nível de Início

Nível de Paragem

Gama de Início

Aleatório+–

Tarifa H do Nível de

Início

Tarifa H do Nível de paragem m, ft m, ft m, ft m, ft m, ft

Operador

Nota: Estes níveis são apenas utilizados durante períodos de tarifa baixa se o controlo de tarifa estiver a ser utilizado.

O nível de início é seleccionado aleatoriamente ± nesta gama no

Nível de Início.

Durante períodos de tarifa elevada, estes níveis são utilizados como níveis de início e paragem.

Indicação de Execução

Definições de Tempo

Capacidade da Bomba

Limite da Corrente

Atraso do Limite

Ligado

Atraso do Limite

Desligado

Tempo máx. do cont.

Limite de Capacidade

Baixa

Amperes

Segundos

Segundos

Horas e minutos litros/segundo, GPM

Sistema

Sistema

Sistema

Estima-se que a bomba esteja a funcionar acima do limite. Se for regulada para zero, a função é desligada, assim como a detecção de erro de fase da bomba.

Para eliminar picos e ruído, pode ser necessário manter os limites de disparo das sondas durante algum tempo antes de uma alteração de estado ser aceite.

As bombas são paradas quando o

Tempo máx. do cont. é alcançado. O temporizador é reiniciado sempre que um nível de início é alcan-

çado.

Um alarme é emitido se a capacidade medida for mais baixa que este limite.

Alarmes da

Bomba

Sem

Indicação da

Execução

Queda do

Protector do

Motor

Erro Repor

Prot. Mtr

Corr. Motor

Alt Pot.

Corr. Motor Bx

Pot.

Fuga

Temperatura

Alta

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

Amperes

Amperes

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

Amperes

Amperes

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

Sistema

Requer uma fuga do monitor na bomba.

Requer um monitor de temperatura na bomba.

PT

15

Tabela 2-3 Definições da bomba, em ‘Definições > Bomba’ ou ‘Definições > Bomba 1/2’ (Folha 3 de 3)

Submenu Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Alarmes da

Bomba

Capac. Bx da

Bomba

Bomba em

Não Auto

Erro da

Bomba

Tempo máx. do cont.

Perda de Fase

Accionament o a Seco

Alar. da

Bomba Bloq.

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

Atraso do Alarme

Tipo de Alarme

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos litros/segundo, GPM litros/segundo, GPM

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Segundos

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

Sistema

Bloq Bomba em Alarme

Det. Acc.Seco

Atraso do Alarme

Corr. Motor Alt Pot.

Corr. Motor Bx Pot.

Queda do Protector do Motor

Temperatura Alta

Capac. Bx da Bomba

Fuga

Sem Indicação da

Execução

Erro da Bomba

Perda de Fase

Baixo Cos φ

Atraso de Bloqueio

Bloquear Delta cos φ

Bloq. Temporização

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

{OFF, ON}

Segundos

Número

Segundos

Sistema

Sistema

Se a definição for

NÃO, a bomba apenas será bloqueada se a causa do alarme persistir.

Se a definição for

SIM, a bomba será bloqueada até o alarme ser reconhecido.

Para detectar se a bomba está a ser accionada a seco, é utilizado um limite na alteração do cos φ.

Para CP 116, os menus na Tabela 2-4

(próxima tabela), avance directamente para aqui.

PT

16 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

P1-P2 Comuns

Submenu

2.6

Definições comuns para bomba 1 e bomba 2

Tabela 2-4 apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no

submenu

P1-P2 Comuns.

Tabela 2-4 Definições comuns para bomba 1 e bomba 2, nas ‘Definições > Comuns P1-P2’

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Rein. Auto Prot. Mtr

Excitação da Bomba

Rein. Prot. Motor P1

Rein. Prot. Motor P2

Tempo de Atraso

N.º Máx. Tentativas

Excitar P1

Excitar P2

Tempo Máx. Par.

Tempo de Execução

Iniciar Se o Nível >

Iniciar Se o Nível <

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

Segundos

Número inteiro

{NÃO, SIM}

{NÃO, SIM}

Horas e minutos

Segundos m, ft m, ft

Sistema

Sistema

O

Tempo de Atraso é utilizado com dois propósitos:

(1) o tempo de arrefecimento antes da tentativa de novo reinício;

(2) o contador para o

N.º Máx. Tentativas é reposto quando a bomba estiver accionada em

Tempo de Atraso.

Utilizado para “excitar” as bombas se estiverem estado isoladas durante

Tempo de Parag.

Máx..

Se o

‘Iniciar Se o Nível >‘ for mais baixo que ‘Iniciar

Se o Nível <‘, esta é a janela de tempo em que a(s) bomba(s) pode(m) ser accionada(s).

Caso contrário, a(s) bomba(s) deve(m) apenas ser accionada(s) fora dessa janela de tempo.

Quando as condições são conhecidas, a(s) bomba(s) será(ão) accionada(s) durante

Tempo de Execução.

Reg. Ocorr. da Bomba Reg. Ocorr. da Bomba {NÃO, SIM} Sistema

Registo Analógico

Submenu Submenu

2.7

Registo analógico

Tabela 2-5 apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no

submenu

Registo Analógico.

Tabela 2-5 Registo analógico, nas ‘Definições > Registo Analógico’

Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Canal de Registo 1 até

Canal de Registo 8

Sinal do Registo

Intervalo do Registo

Funções de Registo

{Fechado,

Nível no Poço da

Bomba,

Fluxo de entrada,

Fluxo de saída,

Corrente do Motor P1,

Corrente do Motor P2,

Pressão/Opcional,

Cos φ P1,

Cos φ P2,

Nível Transbordam.,

Fluxo Transbordam.,

Capacidade da Bomba

P1,

Capacidade da Bomba

P2,

Canal de impulsos}

Minutos

{Fechado,

Valor Actual,

Valor Médio,

Valor Mínimo,

Valor Máximo}

Sistema

Um total de 8 canais analógicos cujas saídas podem ser seleccionadas na lista.

Pressão/Opcional destina-se tanto a uma sonda de pressão como a uma sonda opcional definida pelo utilizador.

O

Canal de impulsos é utilizado para valores de precipitação (chuva), energia ou fluxo.

PT

17

Curvas de Tendência

2.8

Definições para curvas de tendência

Tabela 2-6

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Curvas de Tendência.

Tabela 2-6 Definições para curvas de tendência, nas ‘Definições > Curvas de Tendência’

Submenu

Submenu Definição

Tempo de Amostra

Valor Palavrapasse

Sistema

Comentário

Curva de Tendência 1 até

Curva de Tendência 4

Sinal de Tendência

Valor Máximo

Valor Mínimo

Segundos

{Fechado,

Nível no Poço da

Bomba,

Fluxo de entrada,

Fluxo de saída,

Corrente do Motor P1,

Corrente do Motor P2,

Pressão/Opcional

Cos φ P1,

Cos φ P2,

Nível Transbordam.,

Fluxo Transbordam.,

Capacidade da Bomba

P1,

Capacidade da Bomba

P2}

Número

Número

Sistema

Um total de 4 curvas de tendência podem ser seleccionadas na lista.

Os valores máximos e mínimos são utilizados para regular as escalas dos gráficos.

Entradas Analógicas

2.9

Definições para entradas analógicas

Tabela 2-7

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Entradas Analógicas.

Tabela 2-7 Definições para entradas analógicas, nas ‘Definições > Entradas Analógicas’ (Folha 1 de 2)

Submenu Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Ext. Sonda de Nível

Corrente P1

Corrente P2

Gama do Sinal

Coloc. esc.0%=

Coloc. esc. 100% =

Desvio Zero

Constante do Filtro

Ausência de sinal

Constante do Filtro

Ausência de sinal

Constante do Filtro

{4-20 mA,

0-20 mA} m, ft m, ft m, ft

Segundos

Amperes

Segundos

Amperes

Segundos

Sistema

Esta é uma sonda opcional ligada ao terminal chamado ‘mA em 1’.

PT

18 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Tabela 2-7 Definições para entradas analógicas, nas ‘Definições > Entradas Analógicas’ (Folha 2 de 2)

Submenu Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Pressão/

Opção

Definições

Int. Pressionar Sonda.

Função

Designação

N.º de Decimais

Unidade

Gama do Sinal

Coloc. esc.0%=

Coloc. esc. 100% =

Constante do Filtro

Alarme Superior

Alarme Inferior

Desvio Zero

Constante do Filtro

{Contra-pressão,

Escolha livre}

Sequência

Número inteiro

Sequência

{4-20 mA,

0-20 mA} bar, ft, utilizador bar, ft, utilizador

Segundos

Tipo de Alarme:

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Atraso do Alarme:

Segundos

Limite do Alarme:

Valor

Histerese: Valor

Tipo de Alarme:

{Inactivo,

Alarme -B, Alarme-A}

Atraso do Alarme:

Segundos

Limite do Alarme:

Valor

Histerese: Valor m, ft

Segundos

Sistema

Pressão/Opção destina-se tanto a uma sonda de pressão como a uma sonda opcional definida pelo utilizador.

Apenas disponível para

Escolha livre, ou seja, quando é utilizada uma sonda opcional definida pelo utilizador.

Apenas disponível para

Escolha livre, ou seja, quando é utilizada uma sonda opcional definida pelo utilizador.

Sonda de pressão integrada.

PT

19

Entradas Digitais

2.10

Definições para entradas digitais

Tabela 2-8

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Entradas Digitais. A configuração predefinida para as entradas digitais está listada no Guia de Instalação.

Submenu

Tabela 2-8 Definições para entradas digitais, nas ‘Definições > Entradas Digitais’

Submenu Definição Valor

i

Palavrapasse

Comentário

Entrada Digital 1 até

Entrada Digital 6

Função

Norm. Aberto/

Fechado

{OFF,

Início Man. P1,

Início Man. P2,

Flutuação Inic. P1,

Flutuação Inic. P2,

Parar Flutuação P1-P2,

Falha da Bomba P1;

Falha da Bomba P2,

Flutuação Baixo Nív,

Pessoal na Estação,

Reinício do Alarme,

Flutuação Alto Nív.,

Sonda Transbordam.}

A Entrada Digital 2 pode também ser regulada para Canal de impulsos

{NA, NF}

Sistema

Há um total de 6 canais de entrada digital (on/ off ) que podem ser configurados para uma utilização diferente. A Entrada Digital 2 é especial visto ser a única que pode ser configurada como o

Canal de impulsos.

Recomendamos que se mantenha a configuração predefinida, a qual está listada no Guia de Instalação.

Pessoal na Estação é utilizado para alarme pessoal; normalmente é ligado um interruptor ao interruptor da luz para indicar que uma pessoa está a trabalhar no momento nas proximidades do poço.

Início Manual pode ser ligado a um interruptor manual — o seu funcionamento será idêntico ao do arranque da bomba utilizando o botão do painel (ver Capítulo 1

Síntese de funções e utilização

em página 3 ).

NA refere-se a Normalmente Aberto.

NF refere-se a Normalmente Fechado.

i.

O mesmo valor pode não ser atribuído a duas Entradas Digitais diferentes.

Saídas Digitais

Submenu

2.11

Definições para entradas digitais (alarmes de relés)

Tabela 2-9

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Saídas Digitais. As configurações predefinidas estão listadas no Guia de

Instalação.

Tabela 2-9 As definições para as relés do alarme, nas ‘Definições > Saídas Digitais’

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Relé do Alarme 1,

Relé do Alarme 2,

Relé do Alarme 3,

Função da Relé

{OFF,

Não Reconhecido

Alarme-A

Não Reconhecido

Alarme A-B,

Alarme-A Activo,

Alarme A-B Activo,

Alto Nível,

Falha da Bomba P1,

Comando à Distância,

Ind. Alarme Pessoal

Alerta do Alarme,

Falha da Bomba P2,

Falha da Bomba P1 ou

P2

Falha da Bomba P1 e

P2}

Sistema

NA refere-se a Normalmente Aberto.

NF refere-se a Normalmente Fechado.

Ind. Alarme Pessoal deve ser usado em combina-

ção com uma entrada digital programada para

Pessoal na Estação. Destina-se a um dispositivo de alerta, como um sinal sonoro, que periodicamente alerta o pessoal para confirmar a actividade pressionando um botão no painel de controlo, o que silencia o sinal sonoro/dispositivo de alerta.

Para o

Alerta do Alarme, os tempos seguem os tempos de alerta do Sinal Sonoro especificados em

Secção 2.3

Definições do sistema

na página 8

Norm. Aberto/

Fechado

{NA, NF}

PT

20 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Canal de impulsos

Submenu

2.12

Definições para o Canal de impulsos

Tabela 2-10

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Canal de impulsos.

Tabela 2-10 Definições para o canal de vibração, nas "Definições >Canais de impulsos"

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Definições

Função

1 Impulso =

Alarme Alta Precip./

Alarme Alta Precip./

Alarme Alto Fluxo

Atraso do Alarme

Limite do Alarme

Histerese

{Precipitação,

Energia,

Fluxo}

Métrico: mm, kWh, m

3

EUA: inch, kWh, gal

{Inactivo,

Alarme B,

Alarme-A}

Segundos

Métrico: l ⁄ (s · ha), kW, m

3

/h

EUA: Polegada/h, kW,

GPM

Métrico: l ⁄ (s · ha), kW, m

3

/h

EUA: Polegada/h, kW,

GPM

Sistema

A Entrada Digital 2 pode também ser definida para

Canal de impulsos. (Ver

Secção 2.10

Defini-

ções para entradas digitais

na página 19 )

Os menus adaptam-se à escolha feita para a função do canal de impulsos.

l ⁄ (s · ha) é: litros por segundo e hectares, o que

é o mesmo que 0,36 mm por hora. GPM é galões por minuto.

Comunicação:

Submenu Submenu

Protocolo

2.13

Definições da Comunicação

Tabela 2-11

apresenta a lista completa de definições que pode estabelecer no submenu

Comunicação.

Tabela 2-11 Definições de comunicação, em "Definições > Comunicação" (Folha 1 de 3)

Definição

Protocolo

Valor Palavrapasse

Sistema

Comentário

Porta de Serviço

Velocidade de

Transmissão

{Modbus, Comli}

{OFF,

300,

600,

1 200,

2 400,

4 800,

9 600,

19 200,

38 400,

57 600,

115 200}

Sistema

PT

21

Submenu

Tabela 2-11 Definições de comunicação, em "Definições > Comunicação" (Folha 2 de 3)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

Porta de Comunicação

Identif. da Estação

Nome da Estação

Velocidade de

Transmissão

Número inteiro

Sequência

{OFF,

300,

600,

1 200,

2 400,

4 800,

9 600,

19 200,

38 400,

57 600,

115 200}

{Nenhuma, Par, Ímpar}

{OFF, ON}

Número inteiro

Paridade

Tomada de Contacto

Comli/Modbus ID

Temporização Comli/

Modbus

Segundos

Modem Ligado

Iniciar Modem

Hayes Antes da

Chamada

Hayes depois da chamada

Ass. Antes da Resposta

Código PIN do

Modem

Código PUN do

Modem

{NA, Analógico, GSM, modem GPRS CA 522}

{Cancelar/Iniciar}

Sequência

Sequência

Número inteiro

Sequência

Sequência

Sistema

Não é necessário um modem para fixar as liga-

ções de linha.

Modem

Nº do SMSC

ServCenter

Sequência

Sistema

Deixar em branco para utilizar o cartão-SIM pré-definido.

Caso contrário, deve ser em formato internacional (mas o carácter principal "+" pode ser omitido).

APN GPRS

APN GPRS Cont.

Pulsação GPRS

GPRS Endereço DE IP

Remoto

Porta GPRS TCP-IP

GPRS Username

GPRS Password

GPRS SMS backup

SMS Backup number

GPRS Event log

HB Operator scan

Sequência

Sequência

Minutos

Sequência

Número inteiro

Sequência

Sequência

{OFF, ON}

Sequência

{OFF, ON}

{OFF, ON}

PT

22 C

APÍTULO

2 D

EFINIÇÕES

Submenu

Tabela 2-11 Definições de comunicação, em "Definições > Comunicação" (Folha 3 de 3)

Submenu Definição Valor Palavrapasse

Comentário

N.º Máx Cham./Alarm.

Número inteiro

O número máximo de tentativas de chamada.

Faz o ciclo pelas Tentativas de Chamada 1 a 4

(ver definições abaixo) até alcançar

N.º Máx

Cham./Alarm..

Intervalo entre tentativas de chamada

Segundos O tempo entre tentativas de chamada.

Chamada de Alarme

Reconhecimento de

Chamadas.

{Não Reconhecidas},

Sinal de Chamada,

Gravar para Reg. 333,

Todos os Dados Com}

Sistema

Alarme Reconhecido

Reg 333

{NÃO, SIM}

Isto é para um indicativo local. Se

SIM, é reconhecido quando o sistema central tiver tratado do alarme.

Ligar à Sequência ID Sequência

Tentativa de Chamada 1 até

Tentativa de Chamada 4

Número de Telefone

Receptor de Alarme

Cond. para a Chamada de Alarme

Tempor.Recon. Alarme

Sequência

{OFF, Sistema Central,

SMS GSM (PDU)}

{Alarme-A On,

Alarme-A On/Off,

{Alarme-A+B On,

Alarme-A+B On/Off }

Segundos

Sistema

As Tentativas de Chamada 1-4 assumem que está ligado um modem. Não é necessário para ligações de linha fixa.

Para SMS, o número GSM deve ter um formato internacional (mas o carácter principal "+" pode ser omitido).

Tipo de receptor de alarme. Se

OFF, avança para a Tentativa de Chamada seguinte na lista.

Só é tentada a chamada se as condições forem verdadeiras. On/Off indica se o alarme está ligado ou desligado. Exemplo:

Alarme-A+B

On/Off quer dizer que ou o alarme A ou o B estão ligados ou desligados.

O tempo até abandonar esta tentativa e tentar a seguinte.

Enviar Sequência-ID {NÃO, SIM}

Atraso Sequência-ID Segundos

O tempo desde o início da ligação até que a

Sequência-ID é enviada (se definido para

SIM).

PT

C

APÍTULO

3

23

O

PERAÇÃO

D

IÁRIA

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

Controlo Manual,

Lista de Alarmes,

Indicador do Estado,

Curvas de Tendência

Para a operação diária, quando as definições não precisam de ser alteradas, há apenas quatro menus aos quais tem que se prestar atenção, adicionalmente à vista do topo que exibe graficamente as condições actuais. Os quatro menus são:

Controlo Manual, Lista de Alarmes, Indicador do Estado, Curvas de Tendência, sendo descritos separadamente nas secções seguintes.

Quando a vista do topo do visor mostra que existe um alarme (ver Capítulo 1

Síntese de funções e utilização na página 3, premir o botão

Enter fará a solicita-

ção de reconhecimento do alarme, e premir

Enter mais uma vez, fará com que o mesmo seja reconhecido.

3.1

Controlo Manual

O item do menu

Controlo Manual é utilizado para reiniciar a protecção do motor ou para remover qualquer bloqueio à distância das bombas.

Tabela 3-1

mostra a lista de operações manuais que podem ser efectuadas.

Tabela 3-1 Controlo Manual

Menu Definição

Rein. Prot. Motor P1

Rein. Prot. Motor P2

Comentário

Reiniciar com o botão

Enter.

Controlo

Manual

Bloqueio à Distância

Se a bomba foi bloqueada a partir de um centro à distância, pode inibir-se (remover) esse bloqueio à distância ao premir o botão

Enter.

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

3.2

Lista de Alarmes

Tabela 3-3

mostra os conteúdos do item do menu

Lista de Alarmes.

Tabela 3-2 Lista de Alarmes

Submenu

Não reconhecido

Alarmes

Valor

Mostra uma lista de alarmes não reconhecidos.

Alarmes

Activos

Todas as

Ocorrências

Comentário

Premir

Enter para reconhecer o alarme seleccionado.

Uma lista de alarmes activos é mostrada por ordem cronológica inversa.

Uma lista de todas as ocorrências é mostrada por ordem cronológica inversa.

As ocorrências são: arranque/paragem da bomba, quando um alarme

liga, quando é reconhecido e quando o alarme

desliga.

PT

24 C

APÍTULO

3 O

PERAÇÃO

D

IÁRIA

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

3.3

Indicador do Estado

Tabela 3-3 mostra a lista de informação do item do menu

Indicador do Estado.

Tabela 3-3 Indicador do Estado

Submenu

Sistema

Submenu

Estado I/O

Cpu

Modem GPRS

Poço da

Bomba

Bomba 1/

Bomba 2

Volume

Bombeado

Tempo de

Execução

Número de

Arranques

Capacidade da Bomba

Tempo

Transbordam.

Transbordam ento

Vol.

Transbordam.

N.º Transbordamentos

Valor

Versão

Opção

Versão do Programa

Temperatura da Caixa

Estado, Endereço IP,

Resistência do Sinal,

Manufacturer, Model,

Firmware, SIM card ID,

Subscriber ID,

Equipment ID,

Connect error cause,

Operator 1-7,

Cell info 1-7

Nível

Fluxo de entrada

Fluxo de saída

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Corrente do Motor

Cos φ

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Última Amostra

Nominal

Média Hoje

Média Dia 1 ao Dia 7

Nível Transbordam.

Fluxo Transbordam.

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Contrapressão

/Escolha livre

Precipitação/

Energia/

Fluxo de

Vibração

Valor

Acumulado

Contra-pressão/

Escolha livre

Valor actual

Total

Hoje

Dia 1 – Dia 7

Comentário

Dependendo da definição de Pressão/Opção na Tabela 2-7 na página 17 .

Dependendo da definição do canal de vibração na Tabela 2-10 na página 20 .

PT

Esc

Menu Principal

Controlo Manual

Lista de Alarmes

Indicador do Estado

Definições

Curvas de Tendência

Select Language

25

3.4

Curvas de Tendência

Este item do menu irá mostrar um gráfico sobre as últimas 100 amostras de acordo com as suas definições na Tabela 2-6 na página 17 . Ao premir o botão

Para Baixo irá mostrar uma legenda das curvas, isto é, a interpretação das cores e também os últimos valores. Ao premir o botão

Para Cima irá remover a caixa de legenda.

PT

26 C

APÍTULO

3 O

PERAÇÃO

D

IÁRIA

PT

C

APÍTULO

4

180mm

5.5x9mm

27

D

ADOS TÉCNICOS E COMPATIBILIDADE

EMC

4.1

Dados técnicos

Temperatura de operação ambiente:

Temperatura de armazenagem ambiente:

Caixa e montagem:

Dimensões:

Peso:

Humidade:

Fonte de alimentação:

Consumo de energia:

Contac., carga máx.:

Fusíveis (apenas CP 216):

Fusível para bomba de ar externa:

Carga máx. em relés de alarme:

Corrente máx. de saída 12 V CC

Tensão de entrada na Entrada Digital e Bomba de

Bloqueio:

Resistência na Entrada Digital e Bomba de

Bloqueio:

–20 a +50 °C

–30 a +80 °C

Friso DIN, IP65. Orifícios de montagem: observar a figura

A x L x P: 370 x 250 x 123 mm

< 5 kg, CP 216 com bateria

0–95 % HR não-condensação

230/400 V CA, fusível com o máximo de 16 A

<

16 VA

ABB B7-30-10, 5.5 kW, 12 A, bobina 24 V CA

3 x10 A disjuntores de 3 pólos tipo D

500 mA descarga lenta

250 V CA, 4 A, 100 VA carga resistiva

50 mA

5–24 V CC

5 kohm

Sonda analógica:

Resistência de entrada analógica:

Sonda de temperatura:

Sonda de fuga:

Comprimento máximo dos cabos I/O:

Corrente de carga para bateria de ácido de chumbo:

4–20 mA

110 ohm

PTC, limite: 3 kohm

Limite: 50 kohm

30 metros

Máx. 80 mA, 13.7 V CC

4.2

Carga máxima

CP 116

Uma vez que não contém fusíveis, é apenas limitada pelo contactor. A carga máxima é 5.5 kW, 12 A a 400 V CA.

CP 216

Esta versão contém dois fusíveis. A carga máxima é de 3.5 kW, 7.5 A a 400 V CA se ambas as bombas puderem funcionar simultaneamente. Se estiver regulado de forma a que apenas uma bomba possa ser accionada (item do menu

Exec. Máx. Bombas reguladas para 1), é permitida uma carga mais elevada: a carga máxima é limitada pelos fusíveis, o que significa cerca de 4,3 kW, 9,5 A.

PT

28 C

APÍTULO

4 D

ADOS TÉCNICOS E COMPATIBILIDADE

EMC

4.3

Compatibilidade electromagnética

Descrição

Resistência a descarga electrostática (ESD)

Norma

EN 61000-4-2

Classe

4

4

Nível

15 kV

8 kV

Observações Critérios

i

B Descarga de ar

Descarga por contacto

B

Resistência a descargas/de alta intensidade

Imunidade de variação

1.2 ⁄ 50 μs. Consultar a nota

ii

Resistência a interferências causadas por campos RF

Resistência a campos RF irradiados

Resistência a curtas interrupções e variações de tensão

EN 61000-4-4

EN 61000-4-5

EN 61000-4-6

EN 61000-4-3

EN 61000-4-11

4

4

4

3

3

4 kV

4 kV CMV

2 kV NMV

10 V

10 V/m

150 kHz – 80 MHz

80 MHz – 1 GHz

A

A

A

A

A

A i.

Critérios de funcionamento A = funcionamento normal dentro dos limites especificados.

Critérios de funcionamento B = perturbação temporária, perda de função ou funcionamento que se auto-repõe.

ii.

O comprimento máximo dos cabos de I/O é de 30 metros.

PT

29

PT

2014 Copyright © Sulzer

Sulzer Pump Solutions Ireland Ltd, Clonard Road, Wexford, Ireland

Tel +353 53 91 63 200, Fax +353 53 91 42 335, www.sulzer.com

advertisement

Was this manual useful for you? Yes No
Thank you for your participation!

* Your assessment is very important for improving the workof artificial intelligence, which forms the content of this project

Related manuals